TODAS AS OBRAS DO LEILÃO SÃO EMOLDURADAS*

*Exceto esculturas, objetos ou obras concebidas pelo artista para não terem molduras.

23 de Setembro de 2019
(Segunda) Lotes 1 a 230



001 - ALDEMIR MARTINS (1922 - 2006)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

Galo - serigrafia - 15/100 - 19 x 16 cm - canto inferior direito - 1958 -

Desenhista, pintor, gravador e ilustrador - nasceu em Ingazeiras, CE e faleceu em São Paulo. Em 1941, participou da criação do Centro Cultural de Belas Artes, em Fortaleza, com Antonio Bandeira, Raimundo Cela, Inimá de Paula e Mário Baratta, um espaço para exposições permanentes e cursos de arte. Três anos depois, a instituição passou a chamar-se Sociedade Cearense de Artes Plásticas - SCAP. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Realizou muitas individuais e participou de várias mostras e Salões oficiais pelo Brasil e exterior. Recebeu o prêmio de melhor desenhista na 3ª Bienal Internacional de São Paulo (1955), na Bienal de Veneza (1956), prêmio de viagem ao exterior no Salão Nacional de Arte Moderna – RJ (1959), permanecendo por dois anos na Itália e em muitos outros certames. MEC, VOL. 3, PÁG. 78, PONTUAL, PÁGS. 342/343; ARTE NO BRASIL, VOL 2, PÁG. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 637; LEONOR AMARANTE, PÁG. 18; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 591; VOL. 4, PÁG. 693; ACERVO FIEO; artprice.com.



002 - ALFREDO VOLPI (1896 - 1988)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

Fachada - serigrafia - 32/50 - 42 x 29 cm - canto inferior direito -

Pintor, desenhista, gravador e ceramista nascido em Lucca, Itália e falecido em São Paulo. Muda-se com os pais para São Paulo em 1897 e, ainda criança, estuda na Escola Profissional Masculina do Brás. Mais tarde trabalha como marceneiro, entalhador e encadernador. Em 1911, torna-se pintor decorador e começa a pintar sobre madeiras e telas. Na década de 1930 passa a fazer parte do Grupo Santa Helena com vários artistas como Mário Zanini e Francisco Rebolo. Em 1936, participa da formação do Sindicato dos Artistas Plásticos de São Paulo e integra, em 1937, a Família Artística Paulista - FAP. Em 1940, ganha o concurso promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN, com trabalhos realizados com base nos monumentos das cidades de São Miguel e Embu. Realiza trabalhos para a Osirarte, empresa de azulejaria criada em 1940, por Rossi Osir. Sua primeira exposição individual ocorre em São Paulo, em 1944. Em 1950, viaja para a Europa acompanhado de Rossi Osir e Mario Zanini. É convidado a participar, em 1956 e 1957, das Exposições Nacionais de Arte Concreta e mantém contato com artistas e poetas do grupo concreto. Recebe o prêmio Aquisição na Bienal de Veneza (1952), Melhor Pintor Nacional da Bienal Internacional de São Paulo (1953), dividido com Di Cavalcanti; o prêmio Guggenheim (1958); Melhor Pintor Brasileiro pela crítica de arte do Rio de Janeiro (1962 e 1966), Melhor Pintor Nacional no Panorama da Arte Brasileira MAM - SP (1970), entre outros. REIS JUNIOR, PÁG. 378; WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 426 e 428; JULIO LOUZADA VOL.1, pág.1048; MEC. VOL.4, PÁG. 496; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 584; ARTE NO BRASIL, PÁG. 684; LEONOR AMARANTE, PÁG. 28, Acervo FIEO; BENEZIT VOL. 10, PÁG. 567; PONTUAL PÁG.546. NTE, pág. 28, Acervo FIEO.



003 - CID SERRA NEGRA (1924)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Flores - óleo sobre eucatex - 58 x 43 cm - canto inferior esquerdo -

Pintor nascido em 28 de janeiro de 1924 na cidade paulista de SERRA NEGRA, cujo nome adotou artísticamente. Seu verdadeiro nome é Cid de Abreu. Executou pinturas decorativas da Igreja de São Benedito, em sua cidade natal. JULIO LOUZADA vol.4, pág. 264.



004 - ALBANO AGNER DE CARVALHO (1899 - 1986)
Lance Livre - Aguardando oferta

Lagoa Rodrigo de Freitas - aquarela e guache - 19 x 34 cm - canto inferior esquerdo -

Nasceu em Curitiba, PR, onde fez estudos de pintura com o mestre Alfredo Andersen. Indo para o Rio de Janeiro em 1929, integrou-se desde então nas atividades artísticas locais, lá expondo individualmente em 1930, 1943, 1950 e 1961. Expôs também em Curitiba, em 1950, 1952, 1966 e 1968. Recebeu menção honrosa no SNBA e medalha de prata no Salão Fluminense de Belas Artes. PONTUAL, pág. 113; MEC, vol. 1, pág. 361; TEODORO BRAGA, pág. 29; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 176/177; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO, pág. 925.



005 - COLETTE PUJOL (1913 - 1999)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Paisagem - técnica mista sobre papel - 30 x 23 cm - canto inferior direito -

Esta premiadíssima pintora e professora paulistana, recebeu as suas primeiras aulas de desenho e pintura de Antonio Rocco e de Lucília Fraga, ainda na capital paulista. Residindo em Salvador, freqüentou a Escola de Belas Artes, onde foi aluna de Presciliano Silva (1942 a 1944); a partir de 1946 até 1949, estudou na Europa. Possui obras em museus brasileiros. PONTUAL, pág. 440; MEC, vol. 3, pág. 438; TEODORO BRAGA, pág. 73; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



006 - BRAZ DIAS (1936)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Pássaro - serigrafia - 64/100 - 69 x 49 cm - canto inferior direito -

Pintor, desenhista e gravador. Estudou gravura com Livio Abramo no MAM-SP. Participou do Salão Paulista de Arte Moderna, recebendo o prêmio de aquisição (1959), e a medalha de bronze (1963). Participou ainda do VII Salão Nacional de Arte Moderna (1959) e da VI Bienal de São Paulo (1961). Individualmente expôs no exterior na Alemanha (1983, 1987, 1993 e 1997), e na Suiça ( de 1998 a 2005). Estudou na Itália, mercê de bolsa de estudos (1960/1961). Trabalhou em Barcelona-Espanha, em artes gráficas (1966). PONTUAL , pág. 229; MEC, vol. 2, pág. 216; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 90; ACERVO FIEO, pág. 605.



007 - EMANOEL ARAÚJO (1940)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 600,00.

Composição - xilogravura - 23/26 - 32,5 x 26 cm - canto inferior direito -

Escultor, desenhista, ilustrador, figurinista, gravador, cenógrafo, pintor, curador e museólogo, Emanoel Alves de Araújo nasceu em Santo Amaro da Purificação, BA. Aprendeu marcenaria com Eufrásio Vargas e trabalhou com linotipia e composição gráfica na Imprensa Oficial em sua cidade natal. Na década de 1960, mudou-se para Salvador e ingressou na Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia, onde estudou gravura com Henrique Oswald. Em 1972, foi premiado com Medalha de Ouro na 3ª Bienal Gráfica de Florença, Itália. Recebeu, no ano seguinte, o prêmio de Melhor Gravador, e, em 1983, o de Melhor Escultor, da Associação Paulista de Críticos de Arte, entre muitos outros prêmios. Entre 1981 e 1983, instalou e dirigiu o Museu de Arte da Bahia, em Salvador. Realizou muitas exposições individuais (desde 1959) e participou de inúmeras mostras coletivas, Salões oficiais nacionais e internacionais. Em 1988, foi convidado a lecionar artes gráficas e escultura no 'Arts College', na 'The City University of New York'. De 1992 a 2002, exerceu o cargo de diretor da Pinacoteca do Estado de São Paulo e foi responsável pela revitalização da instituição. Foi, entre 1995 e 1996, membro convidado da Comissão dos Museus e do Conselho Federal de Política Cultural, instituídos pelo Ministério da Cultura. Fundou o Museu Afro Brasil, em 2004, onde é Diretor Curador. Em 2007 foi homenageado pelo Instituto Tomie Ohtake com a exposição 'Autobiografia do Gesto – Cosmogonia dos Símbolos', que reuniu obras de 45 anos de sua carreira. TEIXEIRA LEITE, PÁG. 190; MEC, VOL. 2, PÁG. 143; PONTUAL, PÁG. 37; JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG. 68; VOL. 2, PÁG. 64; VOL. 4, PÁG. 75; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, PÁG. 846; WALTER ZANINI, PÁG. 770; ACERVO FIEO; www.emanoelaraujo.com.br; www.museuafrobrasil.org.br; www.pinturabrasileira.com; www.museuhistoriconacional.com.br; www.artprice.com.



008 - HENRIQUE PIZZI (1917)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Paisagem - óleo sobre eucatex - 35 x 25 cm - canto inferior esquerdo - Mariana - MG -

Pintor e desenhista natural da cidade de Santos-SP, onde reside e é ativo. Tem realizado destacadas apresentações em sua cidade natal e na Capital. Expondo desde o início dos anos 50, o artista tem participado de inúmeros Salões importantes, com premiações no Salão Paulista de Belas Artes nos anos de 1972, 1973, 1976 e 1977, dentre outras. JULIO LOUZADA, vol 01 - pág 774



009 - GENTIL ANDRADE (1960)
Lance Livre - Aguardando oferta

Figura - técnica mista sobre papel - 50 x 70 cm - canto inferior direito - 1981 -

Pintor e gravador nascido em São Paulo, SP. Participou do Salão de Arte Contemporânea de Piracicaba, Piracicaba – SP (1981); exposição "Artistas Premiados do interior de São Paulo", Paço das Artes - São Paulo (1982); Salão de Arte Contemporânea de Santo André, Santo André – SP (1982); "Premio Internazionale Biella per L'Incisione", Biella – Itália (1983); exposição "Primeira Mão – X Salão de Arte Jovem", Santos – SP (1983 - Prêmio); entre outras mostras. ITAU CULTURAL.



010 - ALDEMIR MARTINS (1922 - 2006)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 600,00.

"Paisagem" - acrílico sobre papel - 29,8 x 21,5 cm - lado direito - 1999 -
Com Certificado de Autenticidade emitido pelo Estúdio Aldemir Martins. No estado (papel manchado).

Desenhista, pintor, gravador e ilustrador - nasceu em Ingazeiras, CE e faleceu em São Paulo. Em 1941, participou da criação do Centro Cultural de Belas Artes, em Fortaleza, com Antonio Bandeira, Raimundo Cela, Inimá de Paula e Mário Baratta, um espaço para exposições permanentes e cursos de arte. Três anos depois, a instituição passou a chamar-se Sociedade Cearense de Artes Plásticas - SCAP. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Realizou muitas individuais e participou de várias mostras e Salões oficiais pelo Brasil e exterior. Recebeu o prêmio de melhor desenhista na 3ª Bienal Internacional de São Paulo (1955), na Bienal de Veneza (1956), prêmio de viagem ao exterior no Salão Nacional de Arte Moderna – RJ (1959), permanecendo por dois anos na Itália e em muitos outros certames. MEC, VOL. 3, PÁG. 78, PONTUAL, PÁGS. 342/343; ARTE NO BRASIL, VOL 2, PÁG. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 637; LEONOR AMARANTE, PÁG. 18; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 591; VOL. 4, PÁG. 693; ACERVO FIEO; artprice.com.



011 - EMILIANO DI CAVALCANTI (1897 - 1976)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Mulatas - serigrafia - P.I. - 55 x 70 cm - canto inferior direito -
No estado (papel manchado).

Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Iniciou sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, residiu em São Paulo, onde frequentou o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons. Conviveu com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade, Mário de Andrade, Guilherme de Almeida, entre outros. Foi o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expôs 12 obras. Em 1923, fez sua primeira viagem à França, onde atuou como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, frequentou a Academia Ranson, instalou ateliê e conheceu obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso, Georges Braque, Fernand Léger, Henri Matisse, Jean Cocteau e Blaise Cendrars. Voltou a São Paulo em 1926, trabalhou como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. Em 1931, participou do Salão Revolucionário e, no ano seguinte, fundou em São Paulo, com Flávio de Carvalho, Antonio Gomide e Carlos Prado, o Clube dos Artistas Modernos (CAM). Em 1938 viajou a Paris, onde trabalhou na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retornou ao Brasil em 1940, trabalhou como ilustrador, e publicou poemas e memórias de viagem. Realizou muitas exposições individuais e participou de inúmeras mostras e Salões oficiais, entre os quais: Bienal de Veneza (1950, 1956), Bienal Internacional de São Paulo (1951, 1953, 1963, 1971). Foi premiado em: Paris (1937), Trieste, Itália (1956), México (1960 - Bienal Interamericana). Muitas exposições póstumas também já foram realizadas. REIS JR., PÁGS. 378/379; TEODORO BRAGA, PÁG 82; MEC, VOL 2, PÁGS 53 E 54; PONTUAL, PÁGS 176 A 178; WALMIR AYALA, VOL 1, PÁGS 256 E 257; ART SALES, VOL 1, PÁG 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG 446; LEONOR AMARANTE, PÁG 12, ACERVO FIEO; artprice.com.



012 - GASTÃO Z. FRAZÃO (XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Composição - técnica mista sobre papel - 71 x 55 cm - canto inferior direito - 1966 -

Artista plástico e arquiteto que tem participado de mostras coletivas e Salões oficiais, destacando-se: Bienal Internacional de São Paulo, São Paulo (1967); Salão Paulista de Arte Contemporânea, São Paulo (1976); Salão Nacional de Artes Plásticas, Rio de Janeiro (1979). ITAUCULTURAL.



013 - APRÍGIO (1954)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 500,00.

Composição - técnica mista sobre eucatex - 100 x 80 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1986 - São Paulo - SP -
Ex-coleção Antônio Maluf - Galeria Seta - São Paulo - SP. No estado (limpeza necessária).

Pintor pernambucano, Ricardo Aprígio Fonseca Ferreira, natural de Recife. Estudou desenho e pintura com Rubens Sacramento, Noêmia e Vera Victor, em Olinda. Concluiu o curso de Comunicação Visual pela Universidade Federal de Pernambuco, em 1977. A partir de 1980 participa da Oficina Guaianazes de Gravuras e em 1983 frequenta o ateliê de litogravura do prof. Dimitri Papageorgiu, na Escola de Belas Artes de San Fernando, em Madri, Espanha. Individuais desde 1973 e coletivas a partir de 1972. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 59



014 - HILÁRIO ZARZANA (1934 - 1991)
Lance Livre - Aguardando oferta

Natureza morta - óleo sobre eucatex - 22 x 30 cm - canto inferior esquerdo - 1985 -

Paulistano, o pintor HILARIO era também odontólogo, profissão que exerceu paralelamente às artes até 1981, quando passou a dedicar-se integralmente à pintura. Cursou pintura na Faculdade Marcelo Tupinambá e desenho artístico no IUB. A partir de 1981 expõe suas obras, obtendo premiações. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 166, Acervo FIEO.



015 - YVES SERPA (1951)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

"Hexagrama 14" - óleo sobre tela - 53 x 40 cm - dorso - 09/2007 -

Pintor. É filho do pintor, gravador, desenhista e professor Ivan Serpa que influenciou grandes nomes da arte moderna brasileira como Décio Vieira, Hélio Oiticica, Lígia Clark e Rubem Ludolf, entre outros. Com carreira iniciada na escolinha de artes do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, sua primeira participação como pintor foi aos cinco anos de idade no Salão de Arte Infantil do Jornal do Brasil em 1956. Realizou exposição individual no Gabinete de Arte da Presidência da Câmara dos Deputados, Brasília – DF (2012). Além de vários prêmios durante sua carreira, também recebeu a Medalha de Mérito Cultural da Câmara de Vereadores de Niterói, por indicação da Associação Fluminense de Belas Artes. Foi eleito presidente (2012) da Academia de Ciências e Letras de Maricá, RJ, cidade na qual presta serviço à comunidade local. www2.camara.leg.br/a-camara/visiteacamara/cultura-na-camara/atividades-anteriores/ate-2012/exposicoes-artisticas/gadinete-de-artes-yves-serpa.



016 - HUMBERTO DA COSTA (1941)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Paisagem - óleo sobre tela - 38,5 x 46 cm - canto inferior direito - 1980 -
Com etiqueta da Galeria Borghese, Rua Marquês de São Vicente, Rio de Janeiro - RJ, no dorso. No estado (desprendimento de tinta).

Pintor e desenhista natural da cidade do Rio de Janeiro. Radicou-se na cidade de São João do Mereti, inciando-se no desenho ainda quando estudante. Estudou com Aluisio Carvão (1966), quando frequentou o MAM-RJ. Paisagista no início, sofreu influência de Arlindo Mesquita, passando a se dedicar à figura humana. Individuais em 1969 e 1971, e coletivamente a partir de 1970 (SNBA-RJ). JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 293; Acervo FIEO.



017 - EVILASIO LOPES (1917 - 2014)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Tijuca" - óleo sobre tela - 16 x 22 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1975 -

Natural do Rio de Janeiro, RJ. Estudou com Ivan Serpa e Edson Mota, no Rio de Janeiro. Participou de vários Salões oficiais e exposições coletivas: Rio de Janeiro, RJ (1959 a 1964); itinerante pelos Estados Unidos (1967). Prêmio: Rio de Janeiro, RJ (1964). JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 626; vol. 6, pág.. 610; vol.7, pág. 406; vol. 8, pág.483; vol. 9, pág. 490; vol. 11, pág. 179; vol. 12, pág. 237.



018 - HENRIQUE CAVALLEIRO (1892 - 1975)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Auto - caricatura" - desenho a nanquim e aguada - 22 x 23 cm - canto inferior direito -
No estado. (papel manchado)

Pintor, desenhista e professor. Foi aluno de Eliseu Visconti, tendo recebido em 1918 o prêmio de viagem à Europa. Participou de diversos salões e exposições. REIS JR., pág. 375; TEODORO BRAGA, pág. 117; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 2, pág. 45 e 275; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 187 e 190; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; ARTE NO BRASIL, pág. 556; Acervo FIEO.



019 - JANY M. RUCK (1939)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Cores volantes" - óleo sobre eucatex - 37 x 47 cm - canto inferior direito e dorso - 2008 -

Pintora, professora e restauradora, Jany Marylene Ruck nasceu em Agudos, SP. Assinava Jany até 1984. Atualmente assina JM. Ruck. Em Campinas fez cursos livres de desenho e pintura com Elenice Menegon, Aldo Cardarelli, Djalma Urban e Álvaro de Batista. Participou de muitas mostras coletivas e Salões oficiais. Foi premiada em: São José do Rio Preto, SP (1984, 1985, 1991); Campinas, SP (1985, 1996); São João da Boa Vista, SP (1985); Itatiba, SP (1985,1987, 1988); Mogi Mirim, SP (1987); Poços de Caldas, MG (1987); Piracicaba, SP (1988); Limeira, SP (1989); Araras, SP (1991); Ribeirão Preto, SP (2003). ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL. 7 PÁG. 614; VOL. 9, PÁG. 750.



020 - ALDO CARDARELLI (1915 - 1986)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Casario - óleo sobre tela colada em eucatex - 14,5 x 21,5 cm - canto inferior direito - 1962 -
Com etiqueta de Quadrante Galeria, Rua Américo Brasiliense, 163 - Campinas - SP, no dorso.

Pintor, desenhista e professor nascido e falecido em Campinas, SP. Iniciou seus estudos ainda criança com o pintor veneziano Luís Franco, em Campinas. Mais tarde, frequentou o ateliê de Bernardino de Souza Pereira e de Orlando Tarquínio. Tornou-se membro da Academia Brasileira de Belas Artes e da Academia Paulista de Belas-Artes. Lecionou desenho e pintura na Faculdade de Arquitetura Mackenzie e na Pontifícia Universidade Católica de Campinas, SP. Realizou exposições individuais em: Santos, SP (1938); Porto Alegre, RS; Campinas, SP e no MASP, SP. Participou do: Salão Paulista de Belas-Artes, SP (1940 – Menção Honrosa, 1942, 1943, 1947 – Medalha de Prata e 2º Prêmio Prefeitura de São Paulo, 1948 – Prêmio Lino Morganti, 1949 – Prêmio Prefeitura de São Paulo, 1951, 1952, 1957 – Medalha de Prata e Prêmio Prefeitura de São Paulo, 1959 – Medalha de Ouro, 1960 – Prêmio Viagem ao País, 1963 – Prêmio Caixa Econômica Federal de São Paulo, 1965 – Prêmio Pinacoteca do Estado, 1969 – Medalha de Ouro, 1970 – Prêmio Governador do Estado); Salão Nacional de Belas Artes, RJ (1951 – Medalha de Bronze, 1952 – Medalha de Prata, 1958 – Medalha da Academia Brasileira de Belas Artes); Salão de Belas Artes de Piracicaba, Piracicaba – SP (1963, 1965, 1979 – 1º Prêmio). TEODORO BRAGA PÁG. 64, MEC VOL. 1, PÁG. 353; WALMIR AYALA VOL. 1, PÁG. 170; PONTUAL PÁG. 107; JÚLIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 210; VOL.6, PÁG. 202; ITAU CULTURAL, ACERVO FIEO.



021 - SILVIA ALVES (1947)
Lance Livre - Aguardando oferta

"São Paulo, atmosfera de outono" - óleo sobre tela - 40 x 50 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 2018 -

Pintora, desenhista, escultora, gravadora, ilustradora, professora, poetiza e atriz Silvia Ferraro Alves nasceu em São Paulo. Estudou desenho e escultura com Alvaro de Bauptista (1980 a 1984) na Universidade de Campinas; formou-se em Pintura na Faculdade de Belas Artes (1986); mestrado em Aquarela na Faculdade Santa Marcelina (1998); frequentou o ateliê de Gravura do Museu Lasar Segall (1985 a 1988); os ateliês de pintura e desenho dos professores Lecy Bomfim, Salvador Rodrigues, Deusdedith Campanelli, Colette Pujol, Djalma Urban, Francisco Cuoco, Fang, o ateliê de escultura no Museu Brasileiro de Escultura (1980 a 1994) e aquarela com Iole Di Natale (1994 a 1998). Participou de muitas mostras coletivas e Salões oficiais. Foi premiada em 1983, 1989, 1991, 1993, 1994, 1997, 1999, 2000, em São Paulo. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL, 10, PÁG, 49; www.silviaalves.art.br.



022 - JOSÉ VOLPONI (XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Convento - óleo sobre tela - 49 x 128 cm - canto inferior direito -

Pintor com diversas participações em mostras coletivas.



023 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 500,00.

Cristo - escultura em jacarandá - 84 x 68 x 10 cm - não assinado -



024 - MANOEL CHATEL DIAS (1917)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Soltando pipa - óleo sobre tela - 46 x 38 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1967 - Rio de Janeiro -

Seguidor da temática primitivista, exerce suas atividades artísticas na cidade do Rio de Janeiro, onde nasceu. Naquela cidade, participou do SNBA, obtendo Menção Honrosa. Participa de outros certames oficiais nos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, e também no exterior (Nova Iorque). JULIO LOUZADA vol.1, pág. 255.



025 - ABELARDO DA HORA (1924)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Músicos - desenho a nanquim - 38 x 33 cm - canto inferior direito - 1959 -
No estado (papel manchado).

Escultor, desenhista, gravador e professor, nascido em São Lourenço da Mata, PE. Sua formação artística foi na Escola de Belas Artes da Universidade de Recife, PE; Estados Unidos, Canadá e Europa. Presidiu por dez anos a Sociedade de Arte Moderna na capital pernambucana e onde criou, em 1952, o Ateliê Coletivo. EM 1966 transferiu-se para São Paulo. Participou da 18ª Bienal Internacional de São Paulo, SP, em 1985; do 7° e do 13º Panorama da Arte Atual Brasileira, SP, em 1975 e 1981 respectivamente; de diversas exposições coletivas e de Salões oficiais: em Recife, PE (1949, 1952 a 1956, 2000); Rio de Janeiro, RJ (1949, 1950, 1957, 1966, 1978 e 1984); Porto Alegre e itinerante pela Europa e Oriente Médio (1954); Goiânia, GO (1954); Salvador, BA (1963); São Paulo, SP (1967, 1975, 1976, 1980, 1984, 1985, 1992, 1994, 1995, 2003). Exposições individuais: em Recife, PE (1948 e 1988); Paris, França (1986) e Olinda, PE (1992) – Retrospectiva no MAC de Pernambuco. Prêmios: no Rio de Janeiro, RJ (1949 e 1950) e Recife, PE (1952, 1954 e 1956). JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 473 e vol.9, pág. 410. ITAU CULTURAL.



026 - ALCY VIANNA (XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 400,00.

Trem - óleo sobre eucatex - 42 x 50 cm - canto inferior direito -
No estado (limpeza necessária).

Pintor e desenhista com várias participações em mostras coletivas, entre elas, a realizada no Espaço Cultural do Tribunal da Alçada Criminal no Rio de Janeiro (1996). JULIO LOUZADA VOL.10, PÁG.910.



027 - PIETRO SCOPPETTA (1863 - 1920)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

Paris - óleo sobre madeira - 23 x 43 cm - canto inferior esquerdo -
(Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Pintor, desenhista e ilustrador italiano nascido em Amalfi e falecido em Nápoles. Foi aluno de Giacomo Di Chirico; estudou em Roma, Paris e Londres. Como ilustrador, trabalhou para Treves ("Illustrazione Italiana"). digilander.libero.it/trombealvento/vari/scopetta.htm; www.artprice.com.



028 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Dama - técnica mista sobre papel - 32 x 21 cm - canto inferior direito - 1898 -
?? Binet. No estado (papel rasgado).



029 - UBIRACI PINTO (1945 - 2008)
Lance Livre - Aguardando oferta

Na praia - óleo sobre eucatex - 15,5 x 21,5 cm - canto inferior direito -
No estado (limpeza necessária).

Natural da cidade do Rio de Janeiro, onde nasceu em 26/1/1945. Assina seus trabalhos UBIRACI PINTO. Teve como mestre e incentivador o pai, Silvio Pinto, festejado pintor carioca. Ubiraci concentra grande parte de sua atuação artística no exterior. Participou de coletivas no Canadá, Venezuela, EUA, Inglaterra e Israel. No Brasil, recebeu Menção Honrosa e Medalha de Bronze no SNBA. JULIO LOUZADA vol. 1, pág. 771; MEC vol. 3, pág. 419; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.



030 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA (1909 - 1996)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 700,00.

Fazenda - óleo sobre tela - 40 x 50 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1987 -
No estado (pintura craquelada).

Pintor, desenhista, escritor, escultor, repentista nascido em Sales de Oliveira, SP e falecido em São Paulo. Trabalhador rural, de pouca formação escolar, foi autodidata. Em 1931, mudou-se para São José do Rio Preto, SP. Participou da exposição de inauguração da Casa de Cultura da cidade (1946), quando suas pinturas chamaram atenção dos críticos Lourival Gomes Machado, Paulo Mendes de Almeida e do filósofo João Cruz e Costa. Dois anos depois, realizou mostra individual na Galeria Domus, SP. Nessa ocasião Pietro Maria Bardi, diretor do MASP, adquiriu seus quadros e depositou parte deles no acervo do museu. O MAM, SP editou seu primeiro livro, ‘Romance de Minha Vida’ (1949). Na 1ª Bienal Internacional de São Paulo (1951), recebeu prêmio aquisição do ‘Museum of Modern Art’ (MoMA) de Nova York. Em 1966, o artista criou o Museu Municipal de Arte Contemporânea de São José do Rio Preto e gravou dois LPs, ambos chamados ‘Registro do Folclore Mais Autêntico do Brasil’, com composições de sua autoria. No mesmo ano, ganhou Sala Especial na 33ª Bienal de Veneza. Publicou ainda os livros ‘Maria Clara’ (1970), ‘Alice’ (1972); ‘Sou Pintor, Sou Poeta’ (1982); e ‘Fazenda da Boa Esperança’ (1987). Transferiu-se de São José do Rio Preto para São Paulo, em 1973. Em 1980, foi fundado o Museu de Arte Primitivista José Antônio da Silva (MAP), em São José do Rio Preto, com obras do artista e peças do antigo Museu Municipal de Arte Contemporânea. Realizou inúmeras exposições individuais e participou de muitos certames oficiais pelo Brasil e exterior recebendo muitos prêmios. MEC, vol. 4, pág. 256; PONTUAL, pág. 493 e 494; TEIXEIRA LEITE, pág. 478; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 958; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 958; BENEZIT, vol. 9, pág. 602; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 227; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 171; Acervo FIEO.



031 - ANTONIO POTEIRO (1925 - 2010)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

Cavalhada - serigrafia - P.I. - 47 x 53 cm - canto inferior direito -

Escultor, pintor e ceramista, Antonio Batista de Souza nasceu em Aldeia de Santa Cristina da Pousa, Braga - Portugal e faleceu em Goiânia, GO. Imigrou com a família para o Brasil em 1926. Fixaram-se em Araguari, no Triângulo Mineiro. Autodidata, herdou do pai a técnica e a sensibilidade iniciando suas atividades como ceramista. Em 1958, já com sua família constituída, passou a viver definitivamente em Goiás. Adotou o apelido de "Poteiro", por sugestão da folclorista Regina Lacerda, que o orientou a assinar seus bonecos de barro. Mais tarde foi estimulado a pintar telas por Siron Franco e Cleber Gouvêa. Lecionou cerâmica no Centro de Atividades do SESC e nas cidades de Hannover e Düsseldorf, na Alemanha. Realizou exposições individuais e participou de muitas mostras coletivas e oficiais pelo Brasil e exterior, como: Bienal Internacional de São Paulo (1981 e 1991); Biennalle Internazionale "NAIF", Cittá di Como, Itália (1976); V Bienalle Internazionale "NAIFS", entre Fiera e Lombardia, Itália (1980); III Bienal de Havana, Cuba (1989); III Bienal de Artes de Goiás (1993) e Bienal Brasileira de Arte "NAIF", SESC Piracicaba (1994). Recebeu o prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte - APCA, na categoria escultura (1985), Menção Honrosa na I Bienal Internacional de Óbidos – Portugal (1987); Grande Prêmio no XIV Salão Nacional de Arte de Belo Horizonte, MG (1982); entre outros. Em 1997, foi homenageado com a Comenda da Ordem do Mérito Cultural, do Ministério da Cultura, Brasil. WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 217; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 31; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 808; LEONOR AMARANTE, PÁG. 294, MEC VOL. 3, PÁG. 432; ACERVO FIEO; JULIO LOUZADA VOL. 3, PÁG. 925; VOL. 4, PÁG. 907; www.antoniopoteiro.com; artepopularbrasil.blogspot.com.br; www.artprice.com.



032 - MENASE VAIDERGORN (1927)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

"Entardecer no Pampa" - óleo sobre tela - 28 x 40 cm - canto inferior direito -

Pintor nascido em Hotin, Romênia. Assina MVAIDERGORN. Seus pais vieram para o Brasil (1932) fixando residência em São Paulo. Ingressou na Associação Paulista de Belas Artes (fim da década de 1940) onde conheceu Dario Mecatti que muito o estimulou. Viajou pelo norte da África e Europa. Realizou exposições individuais e participou de diversos salões e mostras coletivas oficiais, recebendo diversos prêmios, entre eles: os do Salão Paulista de Belas Artes, SP (1976 - Medalha de Bronze, 2000 – Prêmio Aquisição, 2001 – Grande Medalha de Prata). JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 1011; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.artprice.com.



033 - EDUARDO MORI (1943)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Composição - óleo sobre tela - 50 x 40 cm - canto inferior direito -

Nascido em São Paulo, iniciou seus estudo artísticos em Paris, onde residiu por longos anos, realizando algumas exposições de desenhos e óleos, retratando cenas do cotidiano. Posteriormente radicou-se em Los Angeles - EUA onde, mais liberto da influência acadêmica, se fixou no abstracionismo, buscando apenas na cor a forma de expressar toda a sua arte, com a qual se consagrou. www.artprice.com.



034 - DOMINGOS ANTEQUERA (1921 - 1984)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 300,00.

Marinha - óleo sobre tela - 30 x 40 cm - canto inferior esquerdo - 1981 -

Natural de Lençois Paulista, SP. Faleceu em São Paulo, em 8 de outubro de 1984. Assinava seus trabalhos D. ANTEQUERA. Desenvolveu-se artisticamente com os pintores Cirilo Agostini, Migliaccio e José Barchita. Impresionista, é considerado um artista de sensibilidade invulgar, cuja obra é repleta de recursos técnicos próprios, fortes e seguros. A bibliografia abaixo exibe extensa lista de exposições e prêmios recebidos pelo artista. JULIO LOUZADA, vol.3, pág.56, Acervo FIEO.



035 - BUSTAMANTE SÁ (1907 - 1988)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Paisagens - óleo sobre cartão colado em eucatex - Cada 12 x 15 cm - canto inf. esquerdo e canto inf. direito -
Lote composto de dois trabalhos, emoldurados individualmente.

Natural da cidade do Rio de Janeiro, estudou na ENBA naquela cidade, onde foi aluno de Rodolfo Amoedo e Rodolfo Chambelland. Participou do Núcleo Bernardelli, do qual foi um dos fundadores em 1931. Participou de sucessivas versões do SNBA a partir de 1928, recebendo diversas premiações. Excepcional pintor do gênero paisagem. TEODORO BRAGA, pág. 59; REIS JR. , pág. 385; MEC,vol. 4, pág. 127; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 145 e 147; TEIXEIRA LEITE, pág. 94; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 47; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763; Acervo FIEO.



036 - DOROTHY BASTOS (1933)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

Composição - xilogravura - 44 x 29 cm - canto inferior direito - 03/10/1956 -
No estado (papel manchado).

Pintora, desenhista e gravadora que nasceu em São Paulo, SP, onde também fez seu aprendizado artístico. Exposições individuais: São Paulo (1958, 1961, 1966); Campinas, SP (1960); Santos, SP (1965). Coletivas: São Paulo (entre 1955 e 1967 – Salões Paulistas de Arte Moderna e Bienais Internacionais, entre 1969 e 1987 – Panoramas da Arte Atual Brasileira); Rio de Janeiro (entre 1958 e 1962 – Salões Nacionais de Arte Moderna); Argentina (1960); Portugal (1960); México (1960, 1961 – Bienal); França (1961 – Bienal de Paris); Curitiba (1962, 1965); Ribeirão Preto (1964); Florianópolis (1965); Brasília (1964, 1965); EUA (1961); Peru (1965); Belo Horizonte (entre 1960 e 1965). Prêmios: São Paulo (1957, 1959, 1962, 1964); EUA (1961); Belo Horizonte (1964). JULIO LOUZADA VOL. 7, PÁG. 77; ITAU CULTURAL; PONTUAL, PÁG. 59; MEC VOL. 1, PÁG. 190.



037 - SALVADOR RODRIGUES JR (1907 - 1995)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Minha filha Iara" - óleo sobre tela - 66 x 50 cm - canto inferior direito e dorso - 1981 -

Nasceu em Cádiz, Espanha, a 8 de abril de 1907. Veio a falecer no dia 24 de julho de 1995, em São Paulo-SP. Pintor e professor. A sua pintura é toda poesia e sem artifícios. O artista não imita ninguém. Tem estilo e sentido próprios. Estas algumas das observações do crítico da Sociarte, José Cornelsen. O autor obteve mais de uma centena de medalhas e troféus em certames oficiais. JULIO LOUZADA vol.9, pág.741, Acervo FIEO.



038 - INÁCIO RODRIGUES (1946)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Composição - óleo sobre eucatex - 10,5 x 106,5 cm - canto inferior esquerdo e dorso -
Da série "Consubstanciação da abstração".

Pintor, desenhista, entalhador e gravador, natural de Acaraú, CE. Iniciou-se em pintura como autodidata (1957). Viajou para diversos países da América Latina (1960-1965) com o objetivo de participar de exposições e acabou se fixando, em 1966, no Rio de Janeiro. Pintou a cúpula da Catedral Municipal e o Hotel Porto Velho em Porto Velho, RO (1962 e 1965). Expôs individualmente em diversas capitais brasileiras e também no exterior. Participou de muitas mostras e Salões oficiais e foi premiado em: Curitiba, PR (1971); Rio de Janeiro (1970, 1973, 1975, 1977, 1978); Belo Horizonte, MG (1970, 1971); Campinas, SP (1971, 1972); Florianópolis, SC (1972); Niterói, RJ (1974); Embu, SP (1974); Amparo, SP (1994, 1996); São José dos Campos, SP (1983). JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 834; VOL. 4, PÁG. 959; VOL. 12, PÁG. 345; TEIXEIRA LEITE PÁG. 450. WALMIR AYALA VOL. 2, PÁG. 259; MEC VOL. 4, PÁG. 91; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.artprice.com.



039 - INOS CORRADIN (1929)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Violeiro - serigrafia - 41/100 - 39 x 28 cm - canto inferior direito -

Pintor, desenhista, gravador, escultor e cenógrafo, nascido em Vogogna, Itália. Por volta de 1932 mudou-se com a família para Castelbaldo - Padova, onde, em 1945, estudou pintura com professor Tardivello. Em 1947 colaborou com o pintor Pendin na execução de um mural referente aos mártires da resistência italiana em Castelbaldo. Veio, em 1950, para Jundiaí e São Paulo onde fez parte do núcleo artístico Cooperativa em São Paulo, dirigido pelo pintor argentino Oswaldo Gil Navarro. Executou cenários para o Ballet do IV Centenário de São Paulo, em 1954. Em 1979 foi contratado para pintar um cenário para o Teatro de Rovigo, Itália. Realizou diversas exposições individuais, participou de muitas mostras coletivas e Salões oficiais pelo Brasil e pelo mundo. Foi premiado em Paris (1975) e em Ferrara, Itália (1976). JULIO LOUZADA, VOL. 11, PÁG. 152; PONTUAL, PÁG. 143; MEC, VOL. 1, PÁG. 448; WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG. 215; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO; inoscorradin.com.br.



040 - ABELARDO ZALUAR (1924 - 1987)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Paisagem - óleo sobre madeira - 44 x 37 cm - canto inferior direito - 1946 -

Pintor, desenhista, gravador, ilustrador, fotógrafo e professor nascido em Niterói, RJ e falecido no Rio de Janeiro. Frequentou as aulas da Escola Nacional de Belas Artes, RJ (entre 1944 e 1948) e, nessa mesma década, criou com outros colegas, a Escolinha de Arte do Brasil. Realizou exposições individuais no; Rio de Janeiro (1947, 1955, 1962, 1969, 1984, 1987); Belo Horizonte, MG (1959, 1969); São Paulo (1959, 1962, 1971, 1975 – Retrospectiva no MAM); Porto Alegre, RS (1961, 1980 – MARGS); Lisboa, Portugal (1964); Roma, Itália (1965); Londres, Inglaterra (1971); Santos, SP (1977); Resende, RJ (1978 – Retrospectiva no MAM); Curitiba, PR (1979 – Retrospectiva no MAC). Participou de diversas mostras coletivas, como a Bienal Internacional de São Paulo (1961, 11971, 1973, 1975), o Panorama de Arte Atual Brasileira - MAM, SP (1970, 1971, 1973, 1979, 1983, 1986). Conquistou o Prêmio Leirner de Arte Contemporânea - Desenho, em São Paulo (1959); o prêmio de viagem ao exterior no Salão Nacional de Arte Moderna, no Rio de Janeiro (1963); o prêmio aquisição no 4º Salão de Arte Moderna do Distrito Federal (1967) e menção honrosa na 1ª Bienal Ibero-Americana de Pintura, na Cidade do México (1978). WALMIR AYALA VOL. 2, PÁG. 449; MEC VOL. 4, PÁG. 527; PONTUAL PÁG. 556; TEIXEIRA LEITE PÁG. 546; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 682; ARTE NO BRASIL PÁG. 934; LEONOR AMARANTE PÁG. 218; JULIO LOUZADA VOL. 2, PÁG. 1079; www.brasilartesenciclopedias.com.br; www.artprice.com.



041 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD (1889 - 1979)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Nu - gravura - 16/50 - 14 x 09 cm - canto inferior direito -

Pintor, gravador, artista gráfico, ilustrador, cenógrafo, crítico, professor, arquiteto e poeta nascido em Santo Antônio de Carangola, RJ e falecido no Rio de Janeiro. Assinava E. P. Sigaud. Formou-se em engenharia agronômica em Belo Horizonte (1920). Frequentou o curso livre da Escola Nacional de Belas Artes (1921) onde foi aluno de Modesto Brocos e, mais tarde, cursou arquitetura (1927 – 1932) na mesma escola. Formou, ao lado de Quirino Campofiorito, Milton Dacosta, Joaquim Tenreiro e José Pancetti, o Núcleo Bernardelli (1931). Ingressou no Grupo Portinari (1935), agremiação informal que se reunia em torno de Candido Portinari e tendo como uma de suas principais linhas de atuação a pintura mural. Tornou-se um dos principais porta-vozes do muralismo ao publicar, no mesmo ano, o artigo "Por que É Esquecida entre Nós a Pintura Mural?", no Jornal de Belas Artes. A convite de seu irmão, o bispo dom Geraldo Sigaud, projetou e decorou a Catedral Metropolitana de Jacarezinho, PR (1954 – 1957). Realizou exposição individual no Rio de Janeiro em 1941. Participou da Exposição Geral de Belas Artes, RJ (1924 a 1927, 1929, 1930); do Salão Nacional de Belas Artes, RJ (1934, 1936, 1942); do Salão Paulista de Belas Artes, SP (1937, 1939); da Bienal Internacional de São Paulo (1951); do Salão Nacional de Arte Moderna, RJ (1962, 1967); entre outras mostras coletivas. PONTUAL PÁG. 489; MEC VOL. 4, PÁG. 243; TEIXEIRA LEITE PÁG. 475 E 476; WALMIR AYALA VOL. 2, PÁG. 324 A 327; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 903; WALTER ZANINI PÁG. 579; ARTE NO BRASIL PÁG. 763, ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.pinturabrasileira.com/artistas_bio.asp?cod=132&in=1; www.artprice.com.



042 - JOSÉ PAULO MOREIRA DA FONSECA (1922 - 2004)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

"Vida suspensa" - óleo sobre tela - 24 x 20 cm - canto inferior direito - 1980 -
Com dedicatória no dorso.

Pintor, advogado, filósofo e poeta, nascido e falecido no Rio de Janeiro. Autodidata, dedicou-se à pintura a partir de 1950. Realizou várias exposições individuais em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Alemanha, Portugal, Inglaterra, Áustria, Estados Unidos, México e participou de muitas mostras e Salões oficiais pelo Brasil e Europa. MEC, VOL. 2, PÁG. 183; WALMIR AYALA VOL. 1, PÁG. 423 A 427; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 268; ITAU CULTURAL, ACERVO FIEO.



043 - CÍCERO MONTEIRO (1939)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

"Atracamento" - óleo sobre tela - 40 x 50 cm - canto inferior direito - 1979 -

Pintor autodidata, José Cícero Monteiro nasceu em União dos Palmares, AL. Veio para São Paulo (1974) onde inicialmente trabalhou como ajudante de manutenção e limpeza para se sustentar. Fez seus primeiros quadros com pedaços de 'hardboard' e sobras de tinta, encontradas em construções de prédios velhos. Como pincel, utilizou pedaços de corda amarrados em pequenos pedaços de madeira. Realizou exposições individuais em: São Paulo (1976, 1977, 1979, 1987); Paris, França (1976, 1984); Penápolis, SP (1980); Düsseldorf, Alemanha (1981); Chicago, EUA (1983). Ministrou um seminário (1979) e exibiu sua obra na ECA/USP. Foi inaugurado o painel "Executores do Progresso" (1982), realizado para a companhia Norte/Sul Construtora. Participou de muitas mostras coletivas e Salões oficiais no Brasil e exterior como: Bienal Brasileira de Arte Naïf do SESC de Piracicaba, SP (1994); exposição "Gênios Ingênuos", Brasília – DF (1999). Recebeu Medalha de Ouro no Salão Primavera, Ouro Preto – MG e 1º Lugar em Pintura no Salão dos Novos NA/FFS. JULIO LOUZADA VOL.3, PÁG. 754; VOL. 9, PÁG. 588; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO.



044 - GUYER SALES (1942)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Na praia - aquarela - 17,5 x 20 cm - canto inferior direito - 2000 -

Pintor, desenhista, gravador, ilustrador e professor, José Guyer Salles nasceu em São Paulo. Frequentou o curso de iniciação ao desenho da FAAP - SP onde foi orientado por Nelson Nóbrega e Marcelo Grassmann em pintura e gravura (entre 1962 e 1964). Estudou pintura com Glênio Bianchetti (1965) e gravura com Babinski, na Universidade de Brasília. Viajou para os Estados Unidos, como bolsista do "Pratt Graphics Center" de Nova York, onde atuou também como professor assistente (entre 1970 e 1974). Lecionou no "Art Barn" em Connecticut, EUA. De volta ao Brasil (1976), fundou e dirigiu a Oficina de Gravura 76 - núcleo de artistas destinado ao ensino de gravura. Realizou exposições individuais em São Paulo em 1966, 1967, 1987, 1995, 1997 e participou de mostras coletivas e Salões oficiais pelo Brasil e exterior. Participou do "Projeto Cidadania - 200 Anos da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão", da Secretaria do Governo do Estado de São Paulo (1991); ilustrou o livro "Estações", de Flora Figueiredo (1995). PONTUAL PÁG. 258; MEC VOL. 2, PÁG. 310; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 856; VOL.8, PÁG. 380; ITAU CULTURAL; www.artprice.com.



045 - ARNALDO FERRARI (1906 - 1974)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Composição - guache - 37 x 30 cm - canto inferior direito -
No estado (papel manchado).

Pintor, desenhista e professor, Arnaldo Ferrari nasceu e faleceu em São Paulo SP. Seguindo a profissão do pai, trabalhou como pintor decorador, realizando frisos decorativos para residências. Estudou artes decorativas no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, entre 1925 e 1935. Em 1934, dividiu um ateliê com amigos no edifício Santa Helena e, pela amizade com o pintor Mario Zanini, aproximou-se dos demais integrantes do Grupo Santa Helena. Frequentou também o curso livre de pintura e desenho na Escola Nacional de Belas Artes, entre 1936 e 1938, onde teve aulas de desenho e pintura com Enrico Vio. Entre 1950 e 1959, integrou o Grupo Guanabara, com Thomaz Ianelli, Tomie Ohtake, Tikashi Fukushima e Oswald de Andrade Filho, entre outros. Realizou diversas exposições individuais, participou de várias mostras e Salões oficiais e foi premiado em São Paulo (1958, 1959, 1961, 1963, 1966) e em Santo André (1971). Participou da 7ª à 11ª Bienal Internacional de São Paulo (1963, 1965, 1967, 1969, 1971). Foi apresentada retrospectiva de sua obra em 1975, no Paço das Artes, SP e catálogo com textos de Theon Spanudis, José Geraldo Vieira e Mário Schenberg, entre outros. ITAÚ CULTURAL; WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG. 304; MEC, VOL. 2, PÁG. 149; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 191; PONTUAL, PÁG. 207; JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG. 378; WALTER ZANINI, PÁG.678, ACERVO FIEO.



046 - J. BORGES (1935)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Cavalos" - xilogravura - 33 x 24 cm - canto inferior direito - 2016 -

Gravador e pintor, nasceu em Bezerros, PE, em 20/12/1935. Tinha sucesso com seus folhetos de cordel, mas foi a falta de material de ilustração para a capa de seu próximo trabalho que o levou para a xilogravura, passando a ser reconhecido nacional e internacionalmente. Em novembro de 1997 veio para São Paulo como um dos convidados do Encontro da Cultura Brasileira, na exposição O Cordel e a Arte dos Livros, que aconteceu no Salão Arco 2 da Estação Julio Prestes. JULIO LOUZADA, vol 10, pág 127; Acervo FIEO; ITAÚ CULTURAL.



047 - ANTONIO RODRIGUES (XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Músicos - escultura em terracota policromada - 21 x 22 x 10 cm - assinado -

Ceramista natural do Alto do Moura, Caruaru – PE. Suas obras estão em coleções nacionais e estrangeiras.



048 - MOISÉS FAGUNDES (XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Paisagem - óleo sobre tela - 90 x 70 cm - canto inferior direito -
No estado (pequeno rasgo).

Pintor ativo em Embu, SP. Participou de mostras coletivas. www.google.com/search?q=moises+pintor&client=ubuntu&channel=fs&biw=1215&bih=926&source=lnms&sa=X&ved=0ahUKEwjMzvLpzrXkAhXfGbkGHSrBDScQ_AUIDCgA.



049 - MANEZINHO ARAUJO (1910 - 1993)
Lance Livre - Aguardando oferta

Baiana - serigrafia - 21/150 - 27 x 38 cm - canto inferior direito -
No estado (papel manchado).

Com apenas dezesseis anos de idade mudou-se para Recife, a fim de concluir seus estudos. Após cursar a escola de comércio de Pernambuco, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde foi buscar fama através da música, sua primeira paixão. Destacou-se como compositor e intérprete de música popular nordestina, o que lhe valeu a possibilidade de montar um restaurante de comida nordestina em SP, muito famoso durante vários anos, o Cabeça Chata. Apesar de viver, em SP, suas raízes ainda permanecem em Pernambuco. De uma forma autodidata começou a dedicar-se à pintura, retratando o folclore nordestino, sua gente, suas vidas, fase que sustentou até o seu desaparecimento, com uma menção surrealista. Expôs individualmente nas Galerias Astreia e Capela (SP), e na Ranulfo em Recife (1969). Em 1968, apresentado por Aldemir Martins, teve publicado o álbum de serigrafias Meu Brasil. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 56; MEC, vol. 1, pág. 109; PONTUAL, pág. 38; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 18; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 832; Acervo FIEO.



050 - BERTHA ABRAHAM WORMS (1868 - 1937)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 550,00.

Moça - óleo sobre tela - 22 x 14,5 cm - canto inferior direito -

Pintora, desenhista e professora, Anna Clémence Berthe Abraham Worms nasceu em Uckange, França e faleceu em São Paulo, SP. Ingressou na Escola de Belas Artes de Paris (1881) e, quatro anos depois, na "Académie Julien", onde estudou com Jules Joseph Lefèbvre, Gustave Boulanger e Jean Joseph Benjamin Constant e tornou-se professora de desenho. Expôs os primeiros trabalhos na "2ème Exposition de Blanc et Noir" (1888) e na "Exposition des Beaux-Arts de la Société des Artistes Français" (1890). Casou-se (1892) com o cirurgião-dentista brasileiro Fernando Worms e transferiu-se para o Brasil, fixando residência em São Paulo (1894). Expôs individualmente em: São Paulo (1894, 1895, 1907, 1910, 1916, 1919, 1920, 1923, 1928); Rio de Janeiro (1911); Santos, SP (1916). Participou de várias mostras coletivas e oficiais em São Paulo (1897, 1907, 1911, 1912, 1934), Rio de Janeiro (1895, 1896, 1908), Paris (1888, 1890). Recebeu a Medalha de Ouro no Salão Nacional de Belas Artes, RJ (1895); Medalha de Ouro na I Mostra Nacional do I Centenário da Abertura dos Portos, ENBA – RJ (1908). MEC VOL. 4, PÁG. 513; TEODORO BRAGA PÁG. 245; PONTUAL PAG. 553; REIS JR. PÁGS. 276; TEIXEIRA LEITE PÁG. 545; BENEZIT VOL.1, PÁG 14; JÚLIO LOUZADA VOL. 11, PÁG. 345; ARTE NO BRASIL PÁG. 603, RUTH TARASANTCHI.



051 - ALDO BONADEI (1906 - 1974)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Paisagem - litografia - Nº3/Ex 45 - 26 x 20 cm - canto inferior direito -

Pintor, designer, gravador, figurinista e professor - Aldo Cláudio Felipe Bonadei nasceu e faleceu em São Paulo, SP. Entre 1923 e 1928 foi aluno de Pedro Alexandrino, período em que também frequentou o ateliê de Antonio Rocco. Viajou para a Itália, entre 1930 e 1931, e frequentou a Academia de Belas Artes de Florença, onde teve aulas com Felice Carena e seu assistente Ennio Pozzi, ambos ligados ao movimento ‘novecento’. Nesse período, dedicou-se ao desenho da figura humana, principalmente ao nu. Retornou a São Paulo no início da década de 1930 e participou ativamente do Grupo Santa Helena, da Família Artística Paulista - FAP e do Sindicato dos Artistas Plásticos. Em 1949 lecionou na Escola Livre de Artes Plásticas, primeira escola de arte moderna de São Paulo e participou do Grupo Teatro de Vanguarda. No ano seguinte, fundou a Oficina de Arte - O. D. A., com Odetto Guersoni e Bassano Vaccarini. No fim da década de 1950 atuou como figurinista nas peças ‘Vestido de Noiva’, de Nelson Rodrigues, e ‘Casamento Suspeitoso’, de Ariano Suassuna. Também desenhou alguns figurinos para dois filmes dirigidos por Walter Hugo Khoury: ‘Fronteiras do Inferno’ (1958) e ‘Na Garganta do Diabo’(1959). Realizou muitas exposições individuais e participou de vários Salões oficiais destacando-se: Bienal Internacional de São Paulo (1ª, 2ª, 3ª, 6ª, 7ª); Bienal de Veneza (1952); Panorama da Arte Moderna Brasileira (1970). MEC, VOL. 1, PÁG. 247; PONTUAL, PÁGS. 78/79; ARTE NO BRASIL, VOL. 2, PÁG. 1041; ART PRICE ANNUAL 2000, PÁG. 258; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 79; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 586; LEONOR AMARANTE, PÁG. 72; ACERVO FIEO.



052 - J. TRABOULSI (1912 - XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Nu - óleo sobre tela colada em placa - 18,5 x 24,5 cm - canto inferior direito - 1987 -
No estado (limpeza necessária).

Pintor, natural da Siria. Em 1938, foi nomeado pintor oficial da Corte Real do Egito. Fixou residência em São Paulo, naturalizando-se brasileiro, em 1955. Participou das coletivas do Salão do Governo do Egito (1938), recebendo Medalha de Ouro; da Bienal de Veneza (1940); da Bienal de Messina, Itália (1951). Em 1954, o autor ganhou um concurso para idealizar e pintar a Catedral Ortodoxa de São Paulo. Pintou retratos de reis, presidentes e cardeais. Realizou individuais no Cairo, e em São Paulo. MEC, vol. 4, pág. 410



053 - WALTER LEWY (1905 - 1995)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Paisagem surreal - óleo sobre tela - 49 x 70 cm - canto inferior direito - 1992 -
No estado (limpeza necessária).

Gravador, pintor, ilustrador, paisagista, desenhista e publicitário nascido em Bad Oldesloe, Alemanha e falecido em São Paulo. Estudou na Escola de Artes e Ofícios de Dortmund, Alemanha (1923-1927). Nesse período, filiou-se à tendência do realismo mágico. Em 1928 participou de coletivas em Dortmund, Gelsenkirchen, Boclusim e outras cidades. Com a crise econômica de 1929, Lewy perdeu seu emprego de desenhista numa gráfica e foi viver com os pais no interior, tornando-se ilustrador de anedotas em jornais. Realizou sua primeira exposição individual em Bad Lippspringe (1932), mas foi fechada quando a Câmara de Arte Alemã proibiu a participação de judeus na vida artística. Escapando dessa situação opressora, o artista imigrou para o Brasil (1938), retomando profissionalmente a pintura. Deixou para trás centenas de trabalhos, que foram enviados para a Holanda e perdidos durante os bombardeios da Segunda Guerra Mundial (1939-1945). No Brasil, fixou-se em São Paulo. Nos primeiros anos fez desenho publicitário e mais tarde capas de livros e ilustrações para diversas editoras. Ilustrou obras de Bertrand Russell, Machado de Assis e Arnold Toynbee, entre outras. Mais tarde, empregou-se como diagramador, letrista e arte-finalista nas agências de propaganda De Carli, Lintas Publicidade, Martinelli, Santos & Santos e Thompson Propaganda. Participou de Salões Nacionais e Bienais de São Paulo, entre 1951 e 1965, recebendo diversas premiações oficiais. JULIO LOUZADA, VOL. 10, PÁG. 497; MEC, VOL. 2, PÁG. 474; TEODORO BRAGA, PÁG. 245; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 286; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 630; LEONOR AMARANTE, PÁG. 142; ACERVO FIEO.



054 - ROBERTO BURLE MARX (1909 - 1994)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 700,00.

Composição - técnica mista sobre papel - 19 x 25 cm - canto inferior direito - 1984 -
Ex coleção Renato Antônio Brogiolo, Rio de Janeiro - RJ.

Nasceu em São Paulo e faleceu no Rio de Janeiro. Pintor, paisagista, arquiteto, desenhista,gravador, litógrafo, escultor, tapeceiro, ceramista, designer de jóias, decorador. Durante a infância viveu no Rio de Janeiro. Foi com a família para a Alemanha, em 1928. Em 1929, freqüentou o ateliê de pintura de Degner Klemn. Nos jardins e museus botânicos de Dahlen, em Berlim, entusiasmou-se ao encontrar exemplares da flora brasileira. De volta ao Brasil, fez curso de pintura e arquitetura na Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1930 - 1934), onde foi aluno de Leo Putz , Augusto Bracet e Celso Antônio. Seu primeiro projeto paisagístico foi para a arquitetura de Lúcio Costa e Gregori Warchavchik, em 1932. Entre 1934 e 1937, ocupou o cargo de diretor de parques e jardins do Recife, PE, onde passou a residir. Nesse período, foi com freqüência ao Rio de Janeiro e teve aulas com Candido Portinari e com o escritor Mário de Andrade. Em 1937, retornou ao Rio de Janeiro e trabalhou como assistente de Candido Portinari. Foi em 1949, conforme sua paixão por plantas e seu interesse por botânica e jardinagem, que Burle Marx adquiriu um sítio em Barra de Guaratiba, RJ. Com auxílio de botânicos, viajou, coletou, catalogou exemplares de plantas do Brasil e reproduziu em seu sítio a diversidade fitogeográfica brasileira. Em 1985 doou esse sítio, com todo o seu acervo, à extinta Fundação Nacional Pró Memória, atual Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN.Realizou muitas exposições individuais e projetos paisagísticos, participou de diversas mostras oficiais coletivas pelo Brasil e no exterior. PONTUAL, PÁG. 94; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 93; MEC. VOL.1, PÁG.303; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG.564; ARTE NO BRASIL, PÁG. 738; LEONOR AMARANTE, PÁG. 98; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 179; artnet.com. ACERVO FIEO.



055 - DJANIRA DA MOTTA E SILVA (1914 - 1979)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 900,00.

Trabalhador - técnica mista sobre papel - 22 x 13 cm - canto inferior direito -

Pintora, desenhista, ilustradora, cartazista, cenógrafa e gravadora. Djanira da Motta e Silva nasceu em Avaré, SP e faleceu no Rio de Janeiro, RJ. No final da década de 1930, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde teve suas primeiras instruções de desenho no Liceu de Artes Ofícios e com o pintor Emeric Marcier, hóspede da pensão que Djanira instalou no bairro de Santa Teresa. Os contatos com os artistas Carlos Scliar, Milton Dacosta , Arpad Szenes , Vieira da Silva e Jean-Pierre Chabloz , frequentadores de sua pensão, proporcionaram um ambiente estimulador que a levou a expor no 48º Salão Nacional de Belas Artes, em 1942. No ano seguinte, realizou sua primeira mostra individual, na Associação Brasileira de Imprensa - ABI. Em 1945, viajou para Nova York. De volta ao Brasil, realizou o mural ‘Candomblé’ para a residência do escritor Jorge Amado, em Salvador, e painel para o Liceu Municipal de Petrópolis, no Rio de Janeiro. Entre 1953 e 1954, viajou a estudo para a União Soviética. De volta ao Rio de Janeiro, tornou-se uma das líderes do movimento pelo Salão Preto e Branco, um protesto de artistas contra os altos preços do material para pintura. Realizou em 1963, o painel de azulejos ‘Santa Bárbara’, para a capela do túnel Santa Bárbara, Laranjeiras, Rio de Janeiro. No ano de 1966, a editora Cultrix publicou um álbum com poemas e serigrafias de sua autoria. Realizou muitas exposições individuais e participou de várias mostras e Salões oficiais pelo Brasil, EUA e Europa. Foi premiada no Rio de Janeiro (1943, 1944, 1949, 1950 a 1953, 1955, 1963) e em São Paulo (1951, 1955). Participou da 1ª e da 2ª Bienal Internacional de São Paulo (1951, 1955). Em 1977, o Museu Nacional de Belas Artes - MNBA, realizou uma grande retrospectiva de sua obra. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 336; PONTUAL, PÁG. 181; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 164; MEC, VOL. 2, PÁG 58; WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG, 263; WALTER ZANINI, PÁG. 810; ARTE NO BRASIL, PÁG. 824; ACERVO FIEO.



056 - RICARDO ZANZAL (1968)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Risca de giz" - óleo sobre tela - 40 x 30 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 2019 -

Pintor e desenhista nascido em Maringá, PR. Autodidata. É filho do artista plástico paulista e radicado no Paraná - Zanzal Mattar que dentre as milhares de obras que executou, estão as pinturas internas da Catedral Nossa Senhora da Glória, em Maringá. Formou-se em engenharia, atuou durante muitos anos em grandes obras e em vários segmentos até se dedicar integralmente à pintura a partir de 2014. Tem participado de várias mostras coletivas pelo Brasil e Estados Unidos. www.guiadasartes.com.br/ricardo-zanzal.



057 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX
Lance Livre - Aguardando oferta

Paisagem rural - óleo sobre tela - 12 x 15 cm - canto inferior direito -
Nivi.



058 - JOÃO BAPTISTA DE PAULA FONSECA JR (1917 - XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Paisagem - óleo sobre tela - 49 x 60 cm - canto inferior direito e dorso - 1962 -
No estado (desprendimento de tinta).

Pintor e desenhista nascido no Rio de Janeiro, filho do pintor João Baptista de Paula Fonsêca que foi o seu maior incentivador. Cursou a antiga Escola Nacional de Belas Artes (1950 a 1955) onde mais tarde se tornou professor. Apresentou-se várias vezes no Salão Nacional de Belas Artes, RJ, obtendo Prêmio de Viagem ao Exterior (1988) e no Salão Paulista de Belas Artes – SP (1939, 1949) também premiado em 1939. JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 389; VOL. 6, PÁG. 405; ITAÚ CULTURAL.



059 - AUGUSTO RODRIGUES (1913 - 1993)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

Maternidade - técnica mista sobre papel - 30 x 23 cm - canto inferior esquerdo - 1988 -
No estado (papel manchado).

Desenhista, caricaturista e educador, Augusto Rodrigues nasceu em Recife-PE, onde frequentou a partir de 1932, o ateliê de Percy Lau. Participou em 1934 da primeira exposição de arte moderna de Pernambuco. Desenhista e caricaturista por excelência, o artista destacou-se no Sul do País, participando de salões, coletivas e individuais, recebendo honrarias e premiações. Criou diversos personagens, amparado na visão do cotidiano das grandes cidades. MEC, vol. 4, pág. 89; PONTUAL, pág. 457; TEODORO BRAGA, pag. 43; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 602; ARTE NO BRASIL, pág. 517.



060 - BENEDITO CALIXTO DE JESUS (1853 - 1927)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

"Paisagem" - aquarela - 32,5 x 27 cm - canto inferior esquerdo -
Com Expertise firmada por Celso Calixto Rios em 30 de julho de 2019.

Pintor, professor, historiador, ensaísta, nascido em Conceição de Itanhaém, SP e falecido em São Paulo. Transferiu-se para Brotas, SP, onde adquiriu noções de pintura com o tio Joaquim Pedro de Jesus, ao auxiliá-lo na restauração de imagens sacras de uma igreja local. Realizou sua primeira individual em São Paulo, no ano de 1881. Fixou-se por algum tempo em Santos e depois de ter executado a decoração do Teatro Guarani, partiu para Paris em 1883, estudando na Academia Julian e no ateliê de Jean François Raffaëlli. Retornou ao Brasil em 1885 e passou a residir em São Vicente. Produziu inúmeras marinhas em que representa o litoral paulista; realizou diversos painéis de temas religiosos para igrejas na capital e interior do Estado de São Paulo; pintou vistas de antigos trechos das cidades de São Paulo, Santos e São Vicente para o Museu Paulista da Universidade de São Paulo, por encomenda do diretor do museu o historiador Afonso d´Escragnolle Taunay. Dedicou-se também a estudos históricos da região e à preservação de seu patrimônio e publicou, entre outros, os livros 'A Vila de Itanhaém' (1895) e 'Capitanias Paulistas' (1924). Existem obras suas nos acervos de diversos museus brasileiros. TEODORO BRAGA PÁG. 51; REIS JR PÁG. 214; LAUDELINO FREIRE PÁG. 387; PONTUAL PÁG. 68/69; MEC VOL.1, PÁG. 326/327; WALMIR AYALA VOL.1, PÁG.153; MAYER/83 PÁG. 601; TEIXEIRA LEITE PÁG. 97; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 505; ARTE NO BRASIL PÁG. 599, RUTH TARASANTCHI; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 172. ACERVO FIEO.



061 - FLAVIO IMPERIO (1935 - 1985)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 500,00.

"Araucana" - litografia - 1/40 - 98 x 35 cm - canto inferior direito - 1984 -

Pintor, desenhista, arquiteto, cenógrafo e professor, nasceu e faleceu em São Paulo-Capital. Cursou desenho na Escola de Artesanato do MAM-SP, entre 1956 e 1958. Em 1961 forma-se em arquitetura pela FAU da USP. No ano seguinte integra o Grupo do Teatro Oficina, realizando cenografias, figurinos, direção e roteiros teatrais. De 1962 a 1966, é professor responsável pelo Curso de Cenografia da Escola de Arte Dramática da Universidade São Paulo e de 1962 a 1977 integra o grupo docente de comunicação visual do Departamento de Projeto da FAU/USP. Ministra curso para formação de professores de desenho na FAAP, de 1964 a 1967. Em 1966, realiza a primeira exposição individual, na Galeria Goeldi, no Rio de Janeiro. Executa cenografia e figurinos para shows de Maria Bethânia e para o show Doces Bárbaros, com Gilberto Gil, Gal Costa, Maria Bethânia e Caetano Veloso em 1976. Integra o corpo docente do curso de arquitetura e urbanismo na Faculdade de Belas Artes de São Paulo, de 1981 a 1985. Também nesse ano realiza cenografias para desfiles de moda em São Paulo. Desenvolve cenários e figurinos para diversas peças, entre elas Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto; Arena Contra Zumbi, de Guarnieri e Boal; Roda Viva, de Chico Buarque de Holanda; Ópera dos Três Vinténs, de Brecht, e A Falecida, de Nelson Rodrigues. Recebe os prêmios Governador do Estado, Saci, Molière, Associação Paulista de Críticos de Arte, entre outros. Após sua morte é fundada a Sociedade Cultural Flávio Império e publicado o livro Flávio Império, organizado por Renina Katz e Amélia Hamburger. JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 480; ITAU CULTURAL.



062 - MENASE VAIDERGORN (1927)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Rua árabe - óleo sobre tela - 60 x 50 cm - canto inferior direito -

Pintor nascido em Hotin, Romênia. Assina MVAIDERGORN. Seus pais vieram para o Brasil (1932) fixando residência em São Paulo. Ingressou na Associação Paulista de Belas Artes (fim da década de 1940) onde conheceu Dario Mecatti que muito o estimulou. Viajou pelo norte da África e Europa. Realizou exposições individuais e participou de diversos salões e mostras coletivas oficiais, recebendo diversos prêmios, entre eles: os do Salão Paulista de Belas Artes, SP (1976 - Medalha de Bronze, 2000 – Prêmio Aquisição, 2001 – Grande Medalha de Prata). JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 1011; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.artprice.com.



063 - JESUÍNO LEITE RIBEIRO (1935 - 2012)
Lance Livre - Aguardando oferta

Na praia - desenho a nanquim e aquarela - 29 x 41 cm - canto inferior esquerdo - 1976 -

Jesuíno Leite Ribeiro nasceu e faleceu em Guaxupé, MG. Foi pintor, desenhista, gravador e professor. Assinava Jesuíno e era, na família, conhecido como Zino. Estudou na Escola de Belas Artes de Belo Horizonte e na antiga Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, onde se aperfeiçoou em gravura com Oswaldo Goeldi. Foi professor de desenho no Instituto Central de Artes da Universidade de Brasília. Exposições individuais: Rio de Janeiro (1960, 1969, 1970, 1977, 1979); São Paulo (1963, 1966, 1980, 1983, 1986); Salvado, BA (1963); Roma, Itália (1971, 1972); Campinas, SP (1983); Guaxupé, MG (2010, 2011). Participou de várias mostras oficiais e foi premiado em: Belo Horizonte, MG (1957, 1959); Salvador, BA (1963). JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 495; VOL. 2, PÁG. 535; VOL. 10, PÁG 451; MEC VOL. 2, PÁG. 374; PONTUAL PÁG. 279; ITAU CULTURAL.



064 - GLAUCO RODRIGUES (1929 - 2004)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Período Joanino (1808-1821)" - serigrafia em técnica mista - 51/200 - 29 x 43 cm - canto inferior direito - 1979 -

Natural de Bagé, RS. Pintor, desenhista, gravador e programador visual. Frequentou a Escola de Belas Artes de Porto Alegre (1947). Radicando-se no Rio de Janeiro, participou com méritos na Divisão Moderna dos SNBA, de 1949, 1950 e 1951. Criou o Clube da Gravura de Porto Alegre, ao lado de Scliar, Vasco Prado, Danúbio Gonçalves e Glênio Bianchetti (1950). Participou ainda do I ao X SNAM e das edições da Bienal de São Paulo (entre 1959 e 1967). JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 269; MEC, vol. 4, págs. 90/91; PONTUAL, pág. 458; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 256/257; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 842; RGS, pág. 226. Acervo FIEO. -



065 - HENRIQUE BOESE (1897 - 1982)
Base: R$ 5.000,00 - Aguardando oferta

Composição - óleo sobre madeira - 36,5 x 53,5 cm - dorso -
Com resquícios de etiqueta da Bienal de São Paulo - SP, no dorso. Reproduzido sob o n° 292 em catálogo de Leilão de Arte de James Lisboa, Leiloeiro Oficial, São Paulo - SP, realizado em junho de 2019.

Natural de Berlim, Alemanha. Pintor. Realizou seus estudos na sua cidade natal, onde foi discípulo de Kothe Kollwitz, entre os anos de 1918 e 1922. Fixou residência no Brasil em 1938, vivendo algum tempo em Caraguatatuba, no litoral paulista. Sua primeira fase foi dedicada 'a pintura expressionista, voltando-se mais tarde para o abstracionismo, gênero em que se fixou e o consagrou. Participou da II, III, V 'a IX Bienal de São Paulo, entre 1953 e 1967, premiado com Isenção do Júri. Realizou exposições individuais no MAM-SP, nas Galerias Seta, São Luiz e Astreia, todas em São Paulo. Participou de exposição em Hamburgo. na Alemanha. JULIO LOUZADA vol. 10 pág. 121; PONTUAL, pág. 78; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697.



066 - GLENIO BIANCHETTI (1928 - 2014)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

"Tropical" - litografia - 12/90 - 65 x 49 cm - canto inferior direito - 1986 -
No estado (papel manchado).

Gravador, pintor, ilustrador, tapeceiro, professor e desenhista. Inicia estudos artísticos em Bagé, na década de 1940, junto com Glauco Rodrigues (1929 - 2004), sob orientação de José Moraes (1921 - 2003). Em 1949, ingressa no Instituto de Belas Artes de Porto Alegre. Funda, em 1951, ao lado de Glauco Rodrigues e Danúbio Gonçalves (1925), o Clube de Gravura de Bagé, posteriormente incorporado ao Clube de Gravura de Porto Alegre, grupo que realiza uma produção artística de caráter social, do qual participam também Carlos Scliar (1920 - 2001) e Vasco Prado (1914 - 1998). Na década de 1950, Bianchetti produz xilografia e linoleogravura com temas relacionados ao trabalho e aos costumes regionais. A partir dos anos 1960, trabalha principalmente com pintura, litografia e gravura em metal. Em 1962, leciona desenho e pintura na recém-inaugurada Universidade de Brasília - UnB, na qual permanece até 1965, quando é afastado pelo regime militar. No início da década de 1970, colabora na criação do Museu de Arte de Brasília e participa de projetos voltados ao ensino artístico. Em 1988, é reintegrado à UnB. Entre 1996 e 1997, é organizada mostra retrospectiva do Grupo de Bagé com exposições em várias capitais. É homenageado com a retrospectiva dos seus 50 anos de carreira, em 1999, no Palácio do Itamaraty, em Brasília. ITAÚ CULTURAL.



067 - STELLA NAVES (1945)
Lance Livre - Aguardando oferta

Composição - óleo sobre tela - 32 x 40 cm - canto inferior esquerdo -

Pintora ativa no Estado de São Paulo. Suas cores são bem dosadas e a composição agrada aos olhos, pois traz harmonia e tranquilidade. A artista expõe regularmente, com sucesso de público e vendas.



068 - ARTE POPULAR BRASILEIRA (XX)
Lance Livre - Aguardando oferta

São Francisco - escultura - 32 x 12 x 12 cm - assinado -
Helô - 1976.



069 - GUITA CHARIFKER (1936)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

"Mangueiras - Itamaracá" - gravura - P.A. - 28 x 51,5 cm - canto inferior direito -
No estado (papel manchado).

Pintora, desenhista, gravadora e escultora. Em 1953, estuda desenho e escultura no Ateliê Coletivo da Sociedade de Arte Moderna, no Recife, ao lado do gravador Gilvan Samico e do pintor José Cláudio, entre outros, sob orientação de Abelardo da Hora. Colabora, em 1964, na fundação do Atelier da Ribeira, em Olinda, Pernambuco, do qual participa também o pintor João Câmara. Em 1966, cria e dirige a Galeria do Teatro Popular do Nordeste. Desde a década de 1970, realiza pesquisas em gravura em metal na Oficina do Ingá, Niterói, sob orientação da gravadora Anna Letycia. Em 1974, recebe o prêmio de viagem ao México no Salão Global de Pernambuco. Depois, trabalha no ateliê de João Câmara e freqüenta por algum tempo o ateliê do escultor Frans Krajcberg. Organiza o Ateliê Coletivo, em Olinda, com pintor Gil Vicente, José Cláudio e Gilvan Samico, entre outros, em 1985. Em 2001, é publicado o livro Viva a Vida! Guita Charifker: aquarelas, desenhos, pinturas, pela Secretaria de Educação e Cultura do Recife, e em 2003 são apresentadas exposições retrospectivas no Museu Nacional de Belas Artes - MNBA, Rio de Janeiro, e na Pinacoteca do Estado de São Paulo - Pesp. ITAÚ CULTURAL.



070 - FRANCISCO BRENNAND (1927)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 600,00.

Composição - óleo sobre tela - 80 x 60 cm - canto inferior direito e dorso - 1969 -

Pintor e ceramista. Estudou com André Lhote e Fernand Léger, em Paris. Participou de importantes bienais e salões, nacionais e internacionais. Realizou individuais de pintura e cerâmica no MAM-SP em 1960 e outras importantes salas de arte. Executou trabalhos murais em edifícios públicos e particulares no Recife e no estrangeiro. Suassuna considerou a sua pintura "bela, forte e brasileira". Brennand é referência mundial como artista puramente brasileiro. JULIO LOUZADA, VOL, 10, pág 141. PONTUAL, pág, 88. MEC, VOL , 1, pág, 294; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; ARTE NO BRASIL, pág. 879. Acervo FIEO. -



071 - JOAQUIM TENREIRO (1906 - 1992)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Pássaros - técnica mista sobre papel - 24 x 24 cm - canto inferior direito -

Designer, escultor, pintor, gravador e desenhista, Joaquim Albuquerque Tenreiro nasceu em Melo Guarda, Portugal e faleceu em Itapira, SP. Filho e neto de marceneiros, aos dois anos de idade mudou-se para o Brasil com a família. Retornou a Portugal em 1914 e ajudou o pai a realizar trabalhos em madeira. Iniciou aulas de pintura. Em 1928, transferiu-se definitivamente para o Rio de Janeiro, passando a frequentar o curso de desenho do Liceu Literário Português onde conquistou o prêmio Joaquim Alves Meira, a maior láurea daquele estabelecimento e fez cursos no Liceu de Artes e Ofícios. Em 1931, integrou o Núcleo Bernardelli. Na década de 1940, dedicou-se à pintura de retrato, de paisagem e de natureza-morta. Entre 1933 e 1943, trabalhou como designer de móveis nas empresas Laubissh & Hirth, Leandro Martins e Francisco Gomes. Em 1943, montou sua primeira oficina, a Langenbach & Tenreiro e, alguns anos depois, inaugurou duas lojas de móveis; primeiro no Rio de Janeiro e, posteriormente, em São Paulo. É o renovador do mobiliário brasileiro, responsável por toda uma linha de criação em que a funcionalidade se alia o bom gosto e o aproveitamento racional dos materiais do País. No final da década de 1960, Joaquim Tenreiro encerrou as atividades na área da concepção e fabricação de móveis para dedicar-se exclusivamente às artes plásticas, principalmente à escultura. Participou do Panorama da Arte Atual Brasileira, SP (1972, 1973, 1975, 1978, 1988), da Bienal Internacional de São Paulo (1965), entre outras, e realizou uma retrospectiva no MAM, RJ (1977). Tem pinturas suas figurando no MAM, SP, no MNBA e Museu Manchete, RJ. MEC, VOL.4, PÁGS.381 E 382; PONTUAL, PÁG.520; TEIXEIRA LEITE, PÁG.504; WALMIR AYALA, VOL.2, PÁG.376 E 377; JULIO LOUZADA, VOL.1, PÁG.973; VOL. 5, PÁG. 1042; VOL.6, PÁG. 1111; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 580; ARTE NO BRASIL, PÁG. 763; www.joaquimtenreiro.com; renome.com.br; pinturabrasileira.com; web.artprice.com.



072 - JOÃO ROSSI (1923 - 2000)
Lance Livre - Aguardando oferta

Composição - gravura - 37/50 - 33 x 50 cm - canto inferior direito - 1986 - São Paulo - SP -

Pintor, gravador, ceramista, escultor, muralista e professor nascido e falecido em São Paulo. Viajou para o Uruguai (1949) onde foi diretor (1950) da Associação Cristã de Moços de Montevidéu, foi professor de educação física e, paralelamente, de desenho e pintura. Foi para o Paraguai (1951) trabalhar na Associação Cristã de Moços de Assunção e ministrou conferências sobre arte e aulas de desenho, pintura e história da arte. Ensinou pintura ao ar livre e novas técnicas de emprego do pincel e da espátula e formou o Grupo Arte Nuevo. Voltou a São Paulo (1953) e lecionou na Escola de Artesanato do MAM, SP ao lado de Nelson Nóbrega, Lívio Abramo e Wolfgang Pfeiffer; na Escola de Arte da FAAP. Tornou-se diretor dessa escola em 1959 e da Faculdade de Artes Plásticas da mesma instituição em 1962. Foi professor da Faculdade de Artes Plásticas da Universidade Presbiteriana Mackenzie (1970). Executou com Caciporé Torres os murais "História e Evolução da Cidade de São Paulo", para a fachada do Palácio dos Bandeirantes (1968). Realizou exposições individuais em: São Paulo (1959, 1977, 1982, 1983 – Retrospectiva no MASP, 1990, 1992 – Retrospectiva na Pinacoteca, 1999, 2000); Curitiba, PR (1982, 1983, 1999); Florianópolis, SC (1982); Assunção, Paraguai (1975, 1979, 1992); La Habana, Cuba (1987); Bogotá, Colômbia (1991); Brasília, DF (1999); Rio de Janeiro (2000). Participou da 8ª Bienal Internacional de São Paulo (1965) e de outras mostras coletivas no Brasil, Paraguai, Uruguai, Argentina, Colômbia, Venezuela, Holanda, Itália, Cuba, Japão, China, Canadá, México e EUA. Recebeu o Prêmio – Melhor Gravador do Ano em 1990. TEIXEIRA LEITE PÁG. 452; PONTUAL PÁG. 462; WALTER ZANINI PÁG. 734; MEC VOL. 4, PÁG. 120; JULIO LOUZADA VOL. 3 PÁG. 991; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.joaorossi.com.br; www.artprice.com.



073 - JOSÉ SABÓIA (1949)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 800,00.

Trabalhadores - óleo sobre tela - 70 x 50 cm - canto inferior direito -

Pintor, José Sabóia do Nascimento nasceu em Almadina-BA. Artista autodidata foi para o Rio de Janeiro em 1967 e começou a pintar no ano seguinte, passando a expor seus trabalhos na feira hippie de Ipanema. Fez sua primeira exposição individual em Fortaleza, CE (1970). Entre as exposições de que participou, destacam-se: I e III Salão Nacional de Artes Plásticas do Ceará, Fortaleza, (1969, 1971 - Prêmio Aquisição); Dez Pintores no Rio de Janeiro, no MNBA, RJ (1983); ‘Brésil Naifs’, Paris (1986); ‘Salon d'Art Naif’- Marseilha, França (1987); ‘Pintura, Presença e Povo na Arte Brasileira’ no Museu da Casa Brasileira - São Paulo (1990); ‘Visões do Rio’ no MAM, RJ (1996). No exterior expôs individualmente em São Francisco, EUA e Munique, Alemanha, além de participar de coletivas em vários países e, principalmente na França, com exposições organizadas pela Galeria Jacqueline Bricard e uma presença cativa na ‘Galerie Naïfs du Monde Entier’ em Paris. José Sabóia participou do Concurso Internacional de Morges, quando seu quadro foi eleito pelo público, a melhor obra de 60 participantes de 22 países, premiação que originou o convite da Galeria Kasper para realizar uma exposição individual em 1997. JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 278; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 228; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO; www.artprice.com; www.nautilus.com.br; www.ardies.com.



074 - JOSÉ ROBERTO AGUILAR (1941)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

"Montanhas II" - serigrafia - 2/100 - 58 x 70 cm - canto inferior esquerdo - 1974 -
Com etiqueta de Oscar Seraphico Galeria de Arte Ltda - Brasília -DF. No estado (papel manchado).

Surgiu em 1963, quando expôs na VII Bienal de São Paulo. Autodidata. Participou de diversas e importantes exposições coletivas, ligado ao figurativismo expressionista e à pop-art. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág, 34. PONTUAL, pág, 6. MEC , vol 1, pág,40; TEIXEIRA LEITE, pág. 14; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág 734; ARTE NO BRASIL, pág 975; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.



075 - IGNÁCIO DA NEGA (1945)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 950,00.

"O cangaceiro no mato" - óleo sobre tela - 100 x 80 cm - canto inferior direito e dorso - 2016 -
Com inscrições do autor no dorso.

Pintor, Inácio Ramos da Silva (o "g" incluído no nome é para dar charme às telas) nasceu em Surubim, PE. Começou sua atividade artística ajudando a mãe a decorar andores de procissões e a fazer flores de papel. Aos 20 anos, mudou-se para São Paulo onde desempenhou várias atividades. Nas horas vagas, fazia desenhos a lápis, mas sem ainda pensar em viver de pintar. Voltou para Pernambuco (1970), estudou na Escola de Belas Artes de Recife e recebeu orientações de Alaerte Baudim. De volta a São Paulo (meados de 1970) orientou-se com M. Boy e Iracema Arditi. Foi convidado (1980) a realizar uma exposição no Museu do Sol, em Penápolis - SP e passou a assinar os quadros como Ignácio da Nega - homenagem à mãe, falecida em 1979 e conhecida como Nega em seu ofício de decoradora e costureira. Realizou exposições individuais em: Olinda, PE (1973); Penápolis, SP (1980). Participou de mostras coletivas e oficiais, destacando-se: Bienal Naïfs do Brasil, Piracicaba – SP (1996); POP Brasil: a arte popular e o popular na arte, CCBB – SP (2002); Arte Naïf, Galeria Jacques Ardies – SP (2004, 2005). JULIO LOUZADA, VOL. 2, PÁG. 511; VOL. 5, PÁG. 495; ACERVO FIEO; ITAU CULTURAL; artenaifrio.blogspot.com/2012/02/ignacio-da-nega.html.



076 - SIRON FRANCO (1947)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 400,00.

Visões rupestres - serigrafia - 198/200 - 47 x 67 cm - canto inferior direito - 1998 -

Pintor, escultor, ilustrador, desenhista, gravador e diretor de arte, Gessiron Alves Franco nasceu em Goiás, GO. Mudou-se para Goiânia (1950) onde estudou pintura (1960) com D. J. Oliveira e Cleber Gouvêa e também foi aluno-ouvinte da Escola de Belas Artes da Universidade Católica de Goiânia. Frequentou os ateliês de Bernardo Cid e Walter Levy, em São Paulo (1969 e 1971), integrando o grupo que fez a exposição 'Surrealismo e Arte Fantástica', na Galeria Seta. Em 1975, com o Prêmio Viagem ao Exterior (1975 – Salão Nacional de Arte Moderna, RJ) residiu entre capitais europeias e o Brasil. Iniciou o projeto 'Ver-A-Cidade' (1979) realizando diversas interferências no espaço urbano de Goiânia. Desde 1986 realiza monumentos públicos baseados na realidade social do país. Fez direção de arte para documentários de televisão (1985 a 1987) como 'Xingu', concebido por Washington Novaes, premiado com medalha de ouro no Festival Internacional de Televisão de Seul. Realizou exposições individuais e participou de inúmeras mostras coletivas e Salões oficiais, destacando-se: Bienal Nacional de Artes Plásticas, Salvador – BA (1968); Bienal Nacional, SP (1974); Bienal Internacional de São Paulo (1975 – Prêmio de Pintura, 1979, 1989, 1991); Panorama da Arte Atual Brasileira, SP (1976, 1983, 1989); Salão Nacional de Arte Contemporânea, Belo Horizonte – MG (1979); Bienal de Valparaíso, Chile (1981); Bienal de Medellín, Colômbia (1981); 'A Cor e o Desenho do Brasil' - Itália, São Paulo, Holanda, Portugal, França (1984); Bienal de Artes Visuais do MERCOSUL, Porto Alegre – RS (1997, 2005); 'Brasil+500 Mostra do Redescobrimento', São Paulo (2000); Bienal de Havana, Cuba (2003), entre outras. WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 343; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 206; JULIO LOUZADA VOL. 2, PÁG. 957; PONTUAL PÁG. 222; MEC VOL. 2, PÁG. 206; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 760; LEONOR AMARANTE PÁG. 240, ACERVO FIEO; www.pinturabrasileira.com; www.artprice.com.



077 - ANTONIO GARCIA PASCOAL (1939)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

"Paisagem" - óleo sobre tela - 30 x 40 cm - canto inferior direito e dorso - 1997 -

Assina Pascoal. Pintor nascido em Itapui, SP, em 17 de novembro. Participa de coletivas desde 1990, tendo recebido prêmio, dentre outros, Medalha de Bronze, no SA na CEF em São Caetano do Sul - 1991. JULIO LOUZADA vol.9, pág. 655.



078 - ADIR SODRÉ (1962)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.500,00.

Flores - óleo sobre tela - 30 x 24 cm - lado direito -

Pintor, desenhista, Adir Sodré de Souza nasceu em Rondonópolis, MT. Em 1977, freqüenta o Ateliê Livre da Fundação Cultural de Mato Grosso, onde é orientado por Humberto Espíndola e Dalva Maria de Barros. Nos dois anos seguintes, integra, com Gervane de Paula e outros artistas, um grupo que procura renovar a arte mato-grossense. Nessa época, participa de exposições coletivas organizadas pelo Museu de Arte e de Cultura Popular da Universidade Federal do Mato Grosso - MACP/UFMT. Participa também, entre muitas outras, das coletivas 'Como Vai Você, Geração 80 ?', na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, RJ, em 1984; 'Panorama da Pintura Brasileira' no Museu de Arte Moderna de São Paulo, em 1983; 'Modernidade, Arte Brasileira no Século XX', no Museu de Arte Moderna de Paris, em 1987. Recebeu prêmios em: Cuiabá, MT (1978, 1979); Goiânia, GO (1981); Presidente Prudente e Assis, SP (1981); Rio de Janeiro (1982, 1985). ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL. 3, PÁG. 1075; VOL. 4, PÁG. 1052; VOL. 6, PÁG. 1072; VOL. 7 PÁG. 667; VOL. 9; PÁG. 814; VOL. 10, PÁG.836.



079 - JOSÉ MORAES (1921 - 2003)
Lance Livre - Aguardando oferta

Vaso de flores - aquarela - 11,5 x 11,5 cm - canto inferior direito - 2001 -

Pintor, gravador, desenhista, escultor, ilustrador e professor, José Machado de Morais nasceu no Rio de Janeiro e faleceu em São Paulo. Assina José Moraes. Formou-se em pintura pela Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1941). Paralelamente aos estudos universitários, teve aulas de pintura com Quirino Campofiorito. Tornou-se assistente de Candido Portinari, em Brodosqui (1942) e trabalhou com o mesmo na execução do painel da capela de São Francisco de Assis, de Oscar Niemeyer, em Belo Horizonte (1945). Realizou exposições individuais no: Rio de Janeiro (1945, 1947, 1966, 1968, 1969, 1970); São Paulo (1962, 1965, 1967, 1970, 1979 – MAM, SP, 1982, 1983, 1984, 1986); Bagé, RS (1946, 1979); Pelotas, RS (1946); Porto Aiegre, RS (1948, 1980, 1988, 1992, 1995); Uberlândia, MG (1952, 1972, 1977, 1978, 1987); Belo Horizonte, MG (1964); Campinas, SP (1974); Cataguases, MG (1981); Goiânia, GO (1987); Brasília, DF (1989, 1995). Participou de várias mostras coletivas e Salões oficiais pelo Brasil como: Panorama da Arte Brasileira – MAM, São Paulo (1969, 1970, 1971, 1973, 1976, 1977) e no exterior. Foi premiado, nos anos de 1940, em quatro edições do Salão Nacional de Belas Artes – RJ. Com o prêmio Viagem ao Exterior recebido na 55ª edição (1949), viajou para Itália onde permaneceu estudando pintura mural (1950 a 1951). De volta ao Rio de Janeiro, dedicou-se à execução de mosaicos e afrescos até 1958, quando se mudou para São Paulo. Tornou-se professor na FAAP (1967). Aperfeiçoou-se em serigrafia (1971) com Michel Caza, em Paris, para onde retornou em outras três ocasiões, com a mesma finalidade. Fez também estágios em litografia com Michel Potier, na "École de Beaux-Arts", Paris, e com Eugène Shenker, no "Centre de Gravure Contemporaine", Genebra. MEC VOL. 3, PÁG. 196; Pontual pág. 369; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 646; VOL. 2, PÁG. 689; VOL. 5, PÁG. 706; VOL. 6, PÁG. 748; VOL. 8, PÁG. 586; VOL. 12, PÁG. 278; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 602, ACERVO FIEO.



080 - JOÃO CALIXTO (1922 - 1994)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 550,00.

"Banho de sol" - acrílico sobre tela - 73 x 100 cm - centro e dorso - 1976 -
Ex-coleção Antônio Maluf - Galeria Seta - São Paulo - SP.

Natural de São Paulo, Capital, João Batista Calixto de Jesus foi pintor, serígrafo, publicitário e professor. Freqüentou a Escola de Belas Artes de São Paulo, de 1947 a 1952; cursou história da estética no Museu de Arte de São Paulo em 1961, e serigrafia no Sesi em 1969. Realizou a sua primeira exposição individual em 1954. Decorou a Igreja Nossa Senhora do Paraíso, 1954. Especializou-se em artes gráficas. Atua como professor na Escola Panamericana de Arte e na Faculdade de Belas Artes de São Paulo, onde tornou-se professor-titular em 1971. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol 3- pag 196



081 - ALDEMIR MARTINS (1922 - 2006)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Melancia - serigrafia - 10/100 - 50 x 70 cm - canto inferior direito - 1986 -

Desenhista, pintor, gravador e ilustrador - nasceu em Ingazeiras, CE e faleceu em São Paulo. Em 1941, participou da criação do Centro Cultural de Belas Artes, em Fortaleza, com Antonio Bandeira, Raimundo Cela, Inimá de Paula e Mário Baratta, um espaço para exposições permanentes e cursos de arte. Três anos depois, a instituição passou a chamar-se Sociedade Cearense de Artes Plásticas - SCAP. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Realizou muitas individuais e participou de várias mostras e Salões oficiais pelo Brasil e exterior. Recebeu o prêmio de melhor desenhista na 3ª Bienal Internacional de São Paulo (1955), na Bienal de Veneza (1956), prêmio de viagem ao exterior no Salão Nacional de Arte Moderna – RJ (1959), permanecendo por dois anos na Itália e em muitos outros certames. MEC, VOL. 3, PÁG. 78, PONTUAL, PÁGS. 342/343; ARTE NO BRASIL, VOL 2, PÁG. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 637; LEONOR AMARANTE, PÁG. 18; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 591; VOL. 4, PÁG. 693; ACERVO FIEO; artprice.com.



082 - FRANCISCO BRENNAND (1927)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Composição e Flor - cerâmica - Cada 10 x 10 cm - não assinado -
Lote composto de duas obras.

Pintor e ceramista. Estudou com André Lhote e Fernand Léger, em Paris. Participou de importantes bienais e salões, nacionais e internacionais. Realizou individuais de pintura e cerâmica no MAM-SP em 1960 e outras importantes salas de arte. Executou trabalhos murais em edifícios públicos e particulares no Recife e no estrangeiro. Suassuna considerou a sua pintura "bela, forte e brasileira". Brennand é referência mundial como artista puramente brasileiro. JULIO LOUZADA, VOL, 10, pág 141. PONTUAL, pág, 88. MEC, VOL , 1, pág, 294; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; ARTE NO BRASIL, pág. 879. Acervo FIEO. -



083 - SAMSON FLEXOR (1907 - 1971)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

Bípede - aquarela e guache - 23 x 16 cm - canto inferior direito - 1971 -

Pintor nascido na Romênia, estudou em Paris, onde fez em 1927 sua primeira individual, radicando-se em 1946 em São Paulo, onde faleceu. Foi um dos pioneiros do abstracionismo no Brasil, tendo criado em 1948 o Atelier Abstração. Em 1968 sua obra foi objeto de importante retrospectiva no MAM-RJ. BENEZIT vol. 4, pág. 402; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 313/4; TEIXEIRA LEITE, pág. 198; PONTUAL, pág. 217/8; MEC, vol. 2, pág. 179 e 180; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 917; LEONOR AMARANTE, pág. 75; WALTER ZANINI, pág. 643, Acervo FIEO.



084 - JOSÉ FONSECA (XX - 1991)
Lance Livre - Aguardando oferta

Natureza morta - óleo sobre tela - 18 x 24 cm - canto inferior esquerdo e dorso -

Nasceu na cidade do Rio de Janeiro, e faleceu em São Paulo, no mês de abril de 1991. Pintor, participou dos SPBA, recebendo prêmios em 1974, 1976, 1977. JULIO LOUZADA, vol.8, pág.325



085 - HELENOS SILVA (1941)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

"Acordeonista" - óleo sobre tela - 60 x 40 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1992 - São Paulo -

Pintor, ilustrador, desenhista, gravador e publicitário, Edson Heleno da Silva nasceu em Recife, PE. Assina Helenos. Começou a pintar aos 19 anos de idade, ilustrando painéis de instrução para cursos militares internos em Recife. Na década de 1960, produziu faixas e cartazes para as campanhas políticas de Miguel Arraes, iniciou seus trabalhos no campo publicitário e de ilustração não deixando de se envolver nos movimentos de arte de Recife, Olinda, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Vem para São Paulo em 1969. Realizou exposições individuais em: Rio de Janeiro (1963, 1967, 1973, 1975, 1978); Recife, PE (1969 – Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco, 1981); São Paulo (1969, 1971, 1973, 1974, 1976, 1977, 1978, 1981, 1983, 1986); Campina Grande, PB (1971 – Museu de Arte Contemporânea de Campina Grande); Brasília, DF (1974); Santos, SP (1979, 1982, 1984); Salvador, BA (1980); Olinda, PE (1985); Goiânia, GO (1985); Fortaleza, CE (1985). Participou de muitas mostras coletivas e Salões oficiais como: Bienal Internacional de São Paulo (1965, 1969); Panorama da Arte Atual Brasileira, MAM – SP (1973, 1976|). Foi premiado em: Salvador, BA (1966 - I Bienal da Bahia); Recife, PE (1966, 1967); Rio de Janeiro (1968 – Salão Esso de Artistas Jovens, MAM-RJ); Brasília, DF (1968); Jundiaí, SP (1969); Campinas, SP (1970). Produziu documentários para a TV Cultura de Pernambuco e a de São Paulo (entre 1968 e 1974). MEC VOL. 2, PÁG. 334; WALMIR AYALA VOL. 1-PÁGS. 386; PONTUAL PÁG. 262; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 462, VOL.2, PÁG.492; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO.



086 - INOS CORRADIN (1929)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Soltando pipa - serigrafia - 98/100 - 59 x 40 cm - canto inferior direito -

Pintor, desenhista, gravador, escultor e cenógrafo, nascido em Vogogna, Itália. Por volta de 1932 mudou-se com a família para Castelbaldo - Padova, onde, em 1945, estudou pintura com professor Tardivello. Em 1947 colaborou com o pintor Pendin na execução de um mural referente aos mártires da resistência italiana em Castelbaldo. Veio, em 1950, para Jundiaí e São Paulo onde fez parte do núcleo artístico Cooperativa em São Paulo, dirigido pelo pintor argentino Oswaldo Gil Navarro. Executou cenários para o Ballet do IV Centenário de São Paulo, em 1954. Em 1979 foi contratado para pintar um cenário para o Teatro de Rovigo, Itália. Realizou diversas exposições individuais, participou de muitas mostras coletivas e Salões oficiais pelo Brasil e pelo mundo. Foi premiado em Paris (1975) e em Ferrara, Itália (1976). JULIO LOUZADA, VOL. 11, PÁG. 152; PONTUAL, PÁG. 143; MEC, VOL. 1, PÁG. 448; WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG. 215; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO; inoscorradin.com.br.



087 - TITO DE ALENCASTRO (1934 - 1999)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 400,00.

"Série Alegria" - óleo sobre tela - 92 x 73 cm -
Com resquícios de assinatura no canto inferior esquerdo e etiqueta no dorso. Ex-coleção Antônio Maluf - Galeria Seta - São Paulo - SP. No estado (pequeno furo e limpeza necessária).

Pintor, desenhista, gravador, mosaicista, cenógrafo, dramaturgo, poeta, ator e cantor nascido no Rio de Janeiro e falecido em São Paulo. Assina Tito de Alencastro. Ingressou na Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1956) onde estudou desenho com Zaluar e composição com Quirino Campofiorito e Santa Rosa. Paralelamente, estudou técnicas de mosaico com José Moraes e gravura em metal com Johnny Friedlaender no MAM, RJ. Formou-se em Museologia pelo Museu Nacional de Belas Artes, RJ, estudando com Gustavo Barroso. Atuou em numerosos concertos de câmara e óperas no Rio de Janeiro como ator e cantor. Fixou residência em São Paulo em 1961. Como cenógrafo, trabalhou no filme "Roleta Russa" e nas peças "O Grande Sonhador", "Você Pode Ser O Que Quiser", "Macho Beleza e Monólogo a Dois", as três de sua autoria. Executou os painéis "Os Imigrantes" e "O Trabalho e o Lazer" (1979). Realizou exposições individuais em: São Paulo (1966 – Galeria Seta, 1970, 1973, 1976, 1980 a 1985, 1995); Rio de janeiro (1967, 1978, 1983); Uberlândia, MG (1981); Brasília, DF (1980); Curitiba, PR (1984). Participou de inúmeros Salões e mostras coletivas. Recebeu o primeiro Prêmio Aquisição no I Salão da Jovem Gravura no MAM, RJ. WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG. 29; PONTUAL PÁG. 14; MEC VOL, 1, PÁG. 45; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 39, VOL. 2, PÁG. 43; VOL. 11, PÁG. 6; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; brasilartesenciclopedias.com.br; www.artprice.com.



088 - INGRES SPELTRI (1940)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Revivendo Miró" - óleo sobre tela - 75 x 60 cm - centro inferior e dorso -

Pintor, desenhista, escultor, gravador e professor nascido em Jau, SP. Filho do pintor Augusto Speltri com quem se iniciou na pintura, ainda criança. Em 1959 mudou-se para São Paulo onde estudou Música (1960-1964). Foi professor titular da Escola Panamericana de Arte, SP. Realizou exposições individuais, em São Paulo, nos anos de 1977, 1981, 1978, 1984. Participou de várias mostras e Salões oficiais, sendo premiado em: São Paulo (1963, 1966, 1970, 1971); Santo André, SP (1976). JULIO LOUZADA VOL. 5, PÁG. 1012; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; MEC VOL. 4, PÁG. 338; PONTUAL PÁG. 504; www.artprice.com; www.speltri.com.



089 - JURANDYR AGUIAR (XX - XX)
Lance Livre - Aguardando oferta

Paisagem - óleo sobre tela colada em cartão - 17 x 19 cm - canto inferior direito -

Pintor paisagista nascido em Taubaté,SP. Participante do SPBA em 1940, 1943 e 1952, recebendo menção honrosa. Expôs individualmente em diversas cidades paulistas JULIO LOUZADA, VOL, 1, pág, 30; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.



090 - MANOEL SANTIAGO (1897 - 1987)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 750,00.

Menina - óleo sobre eucatex - 44 x 36 cm - canto inferior direito e dorso -

Manoel Colafante Caledônio de Assumpção Santiago nasceu em Manaus, AM e faleceu no Rio de Janeiro. Pintor, desenhista e professor. Mudou-se para Belém em 1903 e iniciou estudos de pintura. Desde 1916 já praticava a arte não figurativa. Em 1919 transferiu-se para o Rio de Janeiro, cursou Direito e frequentou a Escola Nacional de Belas Artes, onde foi aluno de Rodolfo Chambelland e Baptista da Costa. Na época, teve aulas particulares com Eliseu Visconti. Foi casado com a pintora Haydeá Santiago. Participou em 1927 do Salão Nacional de Belas Artes e recebeu o prêmio viagem ao exterior, entre vários outros. Foi para Paris no ano seguinte, e lá permaneceu por cinco anos. De volta ao Rio de Janeiro, em 1932, tornou-se professor do Instituto de Belas Artes. Em 1934, passou a lecionar pintura e desenho no Núcleo Bernardelli, figurando entre seus alunos José Pancetti, Edson Motta, Bustamante Sá, Ado Malagoli, Rescála e Milton Dacosta. Participou da I Bienal Internacional de São Paulo (1951) e do 8º Panorama da Arte Brasileira (1976). PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, VOL. 1, PÁG. 241; TEODORO BRAGA, PÁG. 211; CATÁLOGO DA EXPOSIÇÃO DE PAISAGEM BRASILEIRA, MEC-MNBA /RIO/1944; MAYER/84, PÁG. 1158; REIS JR, PÁG. 378; PONTUAL, PÁG. 473; WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 292; ITAÚ CULTURAL, JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 865; ACERVO FIEO.



091 - CARYBÉ (1911 - 1997)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 500,00.

No bar - serigrafia - 161/200 - 32 x 42 cm - canto inferior direito -

Hector Julio Páride Bernabó nasceu em Lanús, Argentina e faleceu em Salvador, BA. Pintor, gravador, desenhista, ilustrador, mosaicista, ceramista, entalhador, muralista - naturalizado brasileiro desde 1957. Frequentou o ateliê de cerâmica de seu irmão, Arnaldo Bernabó, no Rio de Janeiro (1925) e, entre 1941 e 1942, viajou por países da América do Sul. De volta à Argentina, traduziu com Raul Brié, para o espanhol, o livro ‘Macunaíma’, de Mário de Andrade (1943). Nesse mesmo ano, realizou sua primeira individual em Buenos Aires. Em 1950, mudou-se para Salvador para realizar painéis para o Centro Educacional Carneiro Ribeiro, com recomendação feita pelo escritor Rubem Braga. Na Bahia, participou ativamente do movimento de renovação das artes plásticas, ao lado de Mario Cravo Júnior, Genaro e Jenner Augusto. Publicou, em 1981, Iconografia dos Deuses Africanos no Candomblé da Bahia, pela Editora Raízes. Ilustrou livros de Gabriel García Márquez, Jorge Amado e Pierre Verger, entre outros. Uma de suas obras mais conhecidas é o conjunto de painéis “Os povos afros”, os “Ibéricos” e “Libertadores” de 1988 que fazem parte da decoração do mural do Memorial da América Latina, SP. Recebeu o primeiro prêmio de Desenho na 3ª Bienal Internacional de São Paulo (1955) e salas especiais nas de 1961, 1971 e 1973, entre outras exposições e prêmios. Parte de sua produção encontra-se no Museu Afro-Brasileiro de Salvador. PONTUAL, PÁG. 116; WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG. 180 E 181; TEIXEIRA LEITE, PÁGS. 111 E 112; MEC, VOL.1, PÁG. 355; BENEZIT, VOL. 2, PÁG. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 717; ARTE NO BRASIL, PÁG. 874; LEONOR AMARANTE, PÁG. 63; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 222; ACERVO FIEO; infoescola.com; suapesquisa.com; pinturabrasileira.com.



092 - DEUZANI GOMES DOS SANTOS (XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 550,00.

Menina - escultura em terracota policromada - 23 x 24 x 13 cm - assinado - Coqueiro do Campo - MG -

Ceramista e poetisa que vive e trabalha em Coqueiro Campo, no município de Minas Novas, MG. Aprendeu a modelar com a mãe, que fazia peças utilitárias. Exerce o ofício de ceramista há muito tempo. Criou em sua casa uma biblioteca para as crianças do entorno que não tinham onde estudar. Suas obras integram importantes coleções e hoje são comercializadas nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e no Distrito Federal. Foi diretora da Associação de Ceramistas de Coqueiro Campo. www.museucasadopontal.com.br/pt-br/deuzani; institutotear.org.br/arte-do-barro-segundo-episodio/.



093 - JOSÉ LIMA (1910 - 1980)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.200,00.

"Sacristia da Igreja de São Pedro" - óleo sobre tela - 38 x 46 cm - canto inferior esquerdo e dorso - Recife -

Baiano de Salvador, onde foi discípuilo de Presciliano Silva, na Escola de Belas Artes da Bahia. Realizou a decoração da Igreja de São Januário, em São Cristóvão, RJ. JULIO LOUZADA, vol. 2 pág. 580



094 - LUDWIG VALENTA (1882 - 1943)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

Bica - óleo sobre tela - 50 x 65 cm - canto inferior direito -
No estado (limpeza necessária). (Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Pintor e desenhista austríaco com diversas participações em mostras e Salões oficiais. Suas obras têm sido comercializadas em leilões pelo mundo. www.artprice.com; artist.christies.com.



095 - GERARDO DE SOUSA (1950)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"O rio do Ciro" - óleo sobre tela - 129 x 84 cm - centro inferior e dorso - 2002 - Rio de Janeiro -
Reproduzido no convite deste Leilão.

Pintor, Gerardo Luiz de Sousa nasceu em Guaraciaba do Norte, CE. Assina Gerardo de Sousa. Ativo no Rio de Janeiro onde, em 1973, começou a expor seus trabalhos na Feirarte, Praça General Osório. Realizou exposições individuais no: Rio de Janeiro (1974 a 1978, 1980, 1985, 1987); Niterói, RJ (1979, 1983), Teresópolis, RJ (1982). Participou de várias mostras coletivas e Salões oficiais no Rio de Janeiro e pelo o Brasil. No exterior expôs em: Milão (1975); San Salvador, Caracas, Toronto e Nova York (1976); Nova Jersey e Genebra (1977); Santiago do Chile (1979); Paris (1986); Tóquio (1989); Eslováquia (1994). Foi premiado no Rio de Janeiro (1974) e em Piracicaba, SP (1992). MEC VOL. 4, PÁG. 313; JULIO LOUZADA VOL. 11, PÁG. 306.



096 - MANABU MABE (1924 - 1997)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.500,00.

Composição - serigrafia - P.A. 6/17 - 60 x 60 cm - canto inferior direito - 1977 -

Pintor, desenhista, gravador e ilustrador nascido no Japão e falecido em São Paulo. Assina Mabe. De Kobe, Japão, emigrou com a família para o Brasil (1934) para dedicar-se ao trabalho na lavoura de café no interior de São Paulo. Interessado em pintura, começou a pesquisar, como autodidata, em revistas japonesas e livros sobre arte. No fim da década de 1940, em São Paulo, conheceu o pintor Tomoo Handa e Yoshiya Takaoka. Integrou-se ao Grupo Seibi, Grupo 15, Grupo Guanabara. Mudou-se para São Paulo (1957) para dedicar-se exclusivamente à pintura. Realizou muitas exposições individuais e participou de várias mostras coletivas e oficiais no Brasil e exterior. Entre muitos prêmios recebidos, destacam-se: 1953 - Prêmio aquisição no Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro; 1957 - Pequena Medalha de Ouro no VI Salão Paulista de Arte Moderna, SP; 1958 - Grande Medalha de Ouro no VII Salão Paulista de Arte Moderna, São Paulo; 1959 - Prêmio Governador do Estado no VIII Salão Paulista de Arte Moderna, SP; Prêmio Leirner de Arte Contemporânea, SP; Melhor Pintor Nacional na 5ª Bienal Internacional de São Paulo; Prêmio Braun e Prêmio Bolsa de Estudos na I Bienal de Paris, França; Prêmio aquisição no ‘Dallas Museum of Fine Arts’, Dallas, Estados Unidos; 1960 - Prêmio Fiat na 30ª Bienal de Veneza, Itália; 1962 - Primeiro Prêmio na I Bienal Americana de Arte de Córdoba, Espanha. ARTE NO BRASIL, VOL. 2, PÁG. 1050; EIXEIRA LEITE, PÁG. 296; PONTUAL, PÁG. 325; MEC, VOL. 3, PÁG. 13; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 644; LEONOR AMARANTE, PÁG. 83, JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 561; ACERVO FIEO; www.mabe.com.br; www.pinturabrasileira.com; www.museumanabumabe.com.br; www.escritoriodearte.com; www.brasilescola.com; www.artprice.com.



097 - TORQUATO BASSI (1880 - 1967)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

Paisagem - óleo sobre tela colada em madeira - 25,5 x 33,5 cm - canto inferior direito -
No estado (limpeza necessária).

Nascido em Ferrara / Itália, veio para o Brasil ainda muito jovem, fixando-se em São Paulo, onde desenvolveu sua vida artística. Participou durante anos do Salão de Belas Artes do Rio de Janeiro, Salão Paulista de Belas Artes e de mostras de pintores italianos. Tem obras na Pinacoteca do Estado de São Paulo e no Museu Paulista de Belas Artes. TEODORO BRAGA, pág. 47; PONTUAL, pág. 58; MEC, vol. 1, pág. 188; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 89; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.



098 - OSWALDO GOELDI (1895 - 1961)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Figuras - xilogravura - 27/100 - 18 x 17 cm - não assinado -
Tiragem póstuma feita pelo Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. No estado (papel manchado).

Desenhista, gravador, ilustrador e professor nascido e falecido no Rio de Janeiro, filho de Emilio Goeldi, naturalista suíço. Com um ano de idade, mudou-se com a família para Belém, Pará e depois para Berna, Suíça (1905). Em Zurique, ingressou no curso de Engenharia e, em Genebra, matriculou-se na 'Ecole des Arts et Métiers' (1917) mas, abandonou ambos os cursos. A seguir, passou a ter aulas no ateliê de Serge Pahnke e Henri van Muyden. Realizou sua primeira exposição individual (1917), em Berna, quando conheceu a obra de Alfred Kubin, sua grande influência artística e com quem se correspondeu por vários anos. Retornou ao Brasil (1919), trabalhou como ilustrador e realizou sua primeira exposição individual no Rio de Janeiro (1921). Conheceu Ricardo Bampi (1923) que o iniciou na xilogravura. Fez desenhos e gravuras para periódicos e livros como 'Cobra Norato', de Raul Bopp (1937) com suas primeiras xilogravuras coloridas, entre outros. Foi professor na Escolinha de Arte do Brasil (1952) e na Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1955) onde abriu uma oficina de xilogravura. Exposições individuais em: Berna, Suíça (1917, 1930); Rio de Janeiro (1921); Belém, PA (1938); São Paulo (1951); Paris (1952). Participou de várias exposições coletivas e mostras oficiais, destacando-se: Exposição itinerante da 'International Business Machine Corporation', EUA (1941 a 1944); 'Exhibition of Modern Brazilian Paintings', Inglaterra (1943, 1944, 1945); Bienal Internacional de São Paulo (1951 - Prêmio de Gravura, 1953 - Sala Especial, 1955, 1961, 1969, 1971, 1979, 1985); Bienal de Veneza (1950, 1952, 1956, 1958); Bienal de Gravura, Checoslováquia (1950); Bienal Internacional de Xilogravura, Tóquio (1952); Bienal Interamericana do México, Cidade do México (1960 - I Prêmio Internacional de Gravura). PONTUAL PÁG.240; JULIO LOUZADA VOL.11, PÁG.130; MEC VOL.2, PÁG.271; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG.521; ARTE NO BRASIL PÁG. 672; ACERVO FIEO; www.oswaldogoeldi.org.br; www.centrovirtualgoeldi.com; www.pinacoteca.org.br; www.artprice.com.



099 - LIVIO ABRAMO (1903 - 1992)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Cavalos - litografia - 47/100 - 31 x 51,5 cm - canto inferior esquerdo -
No estado (papel manchado).

Gravador, desenhista, pintor, ilustrador, jornalista e professor, nasceu em Araraquara, SP e faleceu em Assunção, Paraguai. Mudou-se para São Paulo, onde, em 1909, estudou desenho com Enrico Vio no Colégio Dante Alighieri. No início dos anos de 1920, fez ilustrações para pequenos jornais e entrou em contato com a obra de Oswaldo Goeldi e de gravadores expressionistas alemães. Realizou as primeiras gravuras em 1926. Em 1947, ilustrou o livro ‘Pelo Sertão’, do escritor Afonso Arinos de Mello Franco, publicado em 1949. Com essa série de ilustrações, apresentadas no Salão Nacional de Belas Artes, obteve o prêmio de viagem ao exterior. Seguiu para a Europa em 1951. Em Paris frequentou o Atelier 17, aperfeiçoando-se em gravura em metal com Stanley William Hayter. De volta ao Brasil, foi premiado como o melhor gravador nacional na Bienal Internacional de São Paulo, nas edições de 1953 e de 1963. Deu aulas de xilogravura na Escola de Artesanato do Museu de Arte Moderna de São Paulo. Foram seus alunos, entre outros, Maria Bonomi e Antonio Henrique Amaral . Fundou o Estúdio Gravura, em 1960, com Maria Bonomi. Em 1962, foi convidado pelo Itamaraty a integrar a Missão Cultural Brasil-Paraguai, posteriormente Centro de Estudos Brasileiros. Mudou-se para o Paraguai e dirigiu até 1992, o Setor de Artes Plásticas e Visuais. Foi fundador do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Paraguai. PONTUAL, PÁG. 1, JULIO LOUZADA VOL. 3, PÁG. 19; MEC VOL.1, PÁG. 33; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 584; ARTE NO BRASIL, PÁG. 795; LEONOR AMARANTE, PÁG. 28; ACERVO FIEO.



100 - MARIO ZANINI (1907 - 1971)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Paisagem - óleo sobre tela - 16 x 22 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1964 -

Pintor, decorador, ceramista, professor, Mário Zanini nasceu e faleceu em São Paulo. Foi um dos integrantes de dois importantes movimentos artísticos considerados históricos na pintura paulista: o Grupo Santa Helena e a Família Artística Paulista. Sua formação artística se deu em São Paulo quando aos 13 anos iniciou curso de pintura da Escola Profissional Masculina do Brás e de 1924 a 1926, matriculou-se no curso de desenho e artes do Liceu de Artes e Ofícios. Conheceu Alfredo Volpi em 1927 e no ano seguinte estudou com o pintor Georg Elpons. Trabalhou no escritório de decoração de Francisco Rebolo entre 1933 e 1938. Em 1940 recebeu medalha de prata no 46º Salão Nacional de Belas Artes e foi convidado por Rossi Osir a trabalhar em seu ateliê de azulejos artísticos, o Osirarte. Em 1950, viajou por seis meses pela Itália, em companhia de Volpi e Osir. A partir de 1968 lecionou na Faculdade de Belas Artes de São Paulo. Participou de vários Salões oficiais e mostras coletivas no Brasil, como I e III Bienal Internacional de São Paulo e no exterior. Sua família doou 108 de suas obras ao Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo - MAC/USP em 1974. MEC, VOL. 4, PÁG. 531; PONTUAL, PÁG. 557; TEODORO BRAGA, PÁG. 250; WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 451; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 586; ARTE NO BRASIL, PÁG. 778; LEONOR AMARANTE, PÁG.38; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 1085; ACERVO FIEO.



101 - J. BORGES (1935)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Lua de mel de matuto" - xilogravura - 65 x 47 cm - canto inferior direito - 2009 -

Gravador e pintor, nasceu em Bezerros, PE, em 20/12/1935. Tinha sucesso com seus folhetos de cordel, mas foi a falta de material de ilustração para a capa de seu próximo trabalho que o levou para a xilogravura, passando a ser reconhecido nacional e internacionalmente. Em novembro de 1997 veio para São Paulo como um dos convidados do Encontro da Cultura Brasileira, na exposição O Cordel e a Arte dos Livros, que aconteceu no Salão Arco 2 da Estação Julio Prestes. JULIO LOUZADA, vol 10, pág 127; Acervo FIEO; ITAÚ CULTURAL.



102 - MENASE VAIDERGORN (1927)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Atelier" - óleo sobre tela colada em eucatex - 30 x 20 cm - canto inferior direito e dorso -

Pintor nascido em Hotin, Romênia. Assina MVAIDERGORN. Seus pais vieram para o Brasil (1932) fixando residência em São Paulo. Ingressou na Associação Paulista de Belas Artes (fim da década de 1940) onde conheceu Dario Mecatti que muito o estimulou. Viajou pelo norte da África e Europa. Realizou exposições individuais e participou de diversos salões e mostras coletivas oficiais, recebendo diversos prêmios, entre eles: os do Salão Paulista de Belas Artes, SP (1976 - Medalha de Bronze, 2000 – Prêmio Aquisição, 2001 – Grande Medalha de Prata). JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 1011; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.artprice.com.



103 - ESCOLA RUSSA, SÉC. XX
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Composição - desenho a lápis de cor - 20 x 30 cm - canto inferior direito -
A.W. (Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")



104 - MACIEJ ANTONI BABINSKI (1931)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 550,00.

Bacanal - gravura - 42/110 - 41 x 50 cm - canto inferior direito - 1967 -

Gravador, ilustrador, pintor, desenhista e professor nascido em Varsóvia, Polônia. Migrou com a família para a Inglaterra (1940), por causa da Segunda Guerra Mundial. Iniciou sua formação artística com o padre Raphael Williams O.S.B. Fixou-se com a família em Montreal, Canadá (1949) onde estudou pintura com John Goodwin Lyman, na "McGill University". Além disso, teve aulas de gravura com Eldon Grier e fez cursos de desenho e pintura com Goodrich Roberts na "Art Association of Montreal". Paralelamente, aproximou-se do grupo de vanguarda "Les Automatistes" reunido em torno de Paul-Émile Borduas e, juntos, expuseram no "Musée des Beaux-Arts de Montréal" (1952) e realizou sua primeira individual (1953). Mudou-se para o Brasil (1953) e permaneceu no Rio de Janeiro até 1965. Teve contato com Oswaldo Goeldi, Augusto Rodrigues e Darel. Realizou 24 águas-fortes para o livro "Cadernos de João", de Aníbal Machado, editado pelos Cem Bibliófilos do Brasil (1961). Em 1965 foi convidado a lecionar no Instituto Central de Artes da Universidade de Brasília - ICA/UnB, da qual se afastou um ano depois em virtude de perseguições políticas. Após viver oito anos em São Paulo (1966 a 1974), mudou-se para Minas Gerais e foi lecionar na Universidade Federal de Uberlândia (1979 a 1987). Com a anistia política foi reintegrado à UnB (1988), lá permanecendo até se aposentar (1991) quando passou a residir no interior do Ceará. Expôs na Bienal Internacional de São Paulo (1967, 1985). Participou de várias edições do Salão Nacional de Arte Moderna, do Salão Paulista e do Panorama da Arte Atual Brasileira, entre outros eventos de arte. Foi realizada a retrospectiva "Babinski: 50 Anos de Brasil", em Brasília (2004). TEIXEIRA LEITE PÁG. 48; PONTUAL PÁGS. 46 E 47; MEC VOL. 1, PÁG. 157; WALMIR AYALA VOL. 1, PÁG. 69; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 81; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 720; ARTE NO BRASIL PÁG. 903, ACERVO FIEO; www.iar.unicamp.br; www.artprice.com.



105 - CAMPOS AYRES (1881 - 1944)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Paisagem - óleo sobre madeira - 18 x 24 cm - canto inferior esquerdo -

Natural de Itapetininga, SP, Campos Ayres foi pensionista do Estado de São Paulo para estudar em Paris a partir de 1909, com Henry Royer, Fleury e Laurens. No SPBA obteve prêmios e menções. Dedicou-se especialmente à pintura de paisagem. A PINACOTECA-SP, possui duas telas de sua autoria. Expôs individualmente em São Paulo, nos anos de 1930, 1933 e 1938, com muito sucesso de público e crítica. TEODORO BRAGA, pág. 63; REIS JR., pág. 368; MEC, vol. 1,pág. 41; PONTUAL, pág. 105; WALMIR AYALA, vol. 1,pág. 167; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO, pág. 11, RUTH TARASANTCHI. ACERVO FIEO.



106 - MANOEL MARTINS (1911 - 1979)
Lance Livre - Aguardando oferta

Telhados - desenho a lápis - 20,5 x 30 cm - canto inferior direito -
No estado (papel manchado).

Pintor, desenhista, gravador, escultor, ilustrador e ourives nascido e falecido em São Paulo. Iniciou-se na carreira artística exercendo o ofício de ourives (1924), dedicou-se à relojoaria (1927) e ao comércio. Voltou a dedicar-se às artes frequentando as aulas (1931) ministradas pelo escultor Vicente Larocca. Frequentou também alguns cursos oferecidos pela Sociedade Pró-Arte Moderna - Spam, situada em uma rua próxima ao Edifício Santa Helena. Passou a dividir (1936) o ateliê com Mario Zanini e conheceu os demais integrantes do Grupo Santa Helena. No ano seguinte, integrou a Família Artística Paulista - FAP. Viajou a Salvador (1944) e ilustrou o livro "Bahia de Todos os Santos" de Jorge Amado. Foi o responsável, junto com o jornalista Odorico Tavares, pela primeira exposição de arte moderna naquela cidade. Realizou exposição individual em São Paulo (1963). Participou de mostras coletivas e Salões oficiais em: São Paulo (1937 a 1942, 1944, 1948, 1951 – Bienal Internacional, 1958, 1962 a 1969, 1972, 1975 a 1979 – Panorama da Arte Moderna, MAM); Rio de Janeiro (1940, 1941, 1949, 1950, 1952, 1953, 1962 e 1963 – Bienal de Arte Moderna); Porto Alegre, RS (1940); Salvador, BA (1949); Inglaterra (1944, 1945); Goiânia, GO (1954); Dresden, Alemanha (1967). TEIXEIRA LEITE PÁG. 316; MEC VOL. 3, PÁG. 97; PONTUAL PÁG. 344; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 596; VOL. 4, PÁG. 698; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 584; ARTE NO BRASIL PÁG. 784, ACERVO FIEO; www.artprice.com.



107 - VINCENZO CENCIN (1925 - 2010)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Barcos - óleo sobre tela - 50 x 73 cm - canto inferior direito -
No estado (pintura craquelada e desprendimento de tinta).

Pintor e engenheiro nascido em Veneza, Itália e falecido em São Paulo. Formou-se engenheiro eletromecânico na Itália. Iniciou-se na pintura sob a orientação de Francescchini (1941) na cidade de Tolmezzo. Durante a Segunda Guerra Mundial enfrentou os fascistas e foi preso por alemães, ficando um ano e meio em um campo de concentração. Terminada a guerra emigrou para o Brasil, fixando residência em São Paulo (1949). Nos anos de 1950, 1960 e 1970, sem abandonar a pintura, trabalhou como engenheiro eletrônico numa indústria de eletrodomésticos de São Paulo. Em 1980 aposentou-se para dedicar-se somente à pintura, montando em 1981 a Galeria Velha Europa. Realizou exposições individuais em: São Paulo (1981, 1982, 1992); Fortaleza, CE (1986); Rio de Janeiro (1986, 1987, 1988); Blumenau, SC (1990). Participou de diversas mostras coletivas e Salões oficiais, recebendo alguns prêmios. Em 1992 realizou-se exposição comemorativa dos 50 anos de sua pintura em São Paulo. JULIO LOUZADA, VOL.2, PÁG. 262; VOL. 6, PÁG. 239; ITAU CULTURAL; portalartes.com.br; oscardambrosio.com.br; www.artprice.com.



108 - WALDOMIRO DE DEUS (1944)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 950,00.

"Jovem Madona" - óleo sobre tela - 40 x 30 cm - canto inferior direito e dorso -

Pintor e desenhista, Waldomiro de Deus Souza nasceu em Itagibá, BA. De origem humilde, levou uma vida itinerante pelo sertão baiano e norte de Minas Gerais até vir para São Paulo (1959), quando trabalhou como engraxate. Começou a pintar em 1961, utilizando guache e cartolina encontrados na casa de um antiquário, onde trabalhou como jardineiro. Acusado de negligência, perdeu o emprego e levou seus trabalhos para exposição no Viaduto do Chá - acabou vendendo dois deles para um americano no primeiro dia. Em 1962, o decorador Terry Della Stuffa forneceu-lhe material e um lugar para pintar e, em 1966, fez a sua primeira exposição individual na Fundação Armando Álvares Penteado - FAAP. Expôs em vários países como a França, Inglaterra, Itália, Bélgica, Alemanha, Inglaterra, Estados Unidos. Vive em São Paulo e tem ateliê também em Goiânia. É considerado o maior primitivista brasileiro ao lado de José Antônio da Silva, Djanira e reconhecido internacionalmente como um dos mais criativos pintores naïfs. Em 1983 foi premiado com a ‘Awarding the Statue of Victory’ pelo Centro ‘Studi e Ricerche Delle Nazioni’ na Itália e, em 2000, teve uma sala própria na V Bienal Naïfs do Brasil. Possui obras em acervos importantes, como os da Pinacoteca do Estado (São Paulo, SP), do Museu de Arte Contemporânea de São Paulo (MAC-USP), da Galeria Nacional de Bolonha na Itália; entre outros. ARTE NAIF NO BRASIL PÁG. 239; ITAU CULTURAL, artepopularbrasil.blogspot.com.br; waldomirodedeus.wordpress.com; ACERVO FIEO.



109 - MARCIA GRONSTEIN (1949)
Lance Livre - Aguardando oferta

Composição - aquarela - 25 x 34 cm - canto inferior esquerdo - 1995 -
Acompanha cópia de Certificado de Autenticidade firmado pela Autora, datado de New York, 25 de setembro de 2017. No estado (papel manchado).

Pintora, escultora e cenógrafa paulistana, assina suas obras MARCIA GRONSTEIN. Seus estudos iniciais foram realizados entre 1963 e 1968, passando por instituições como o Instituto de Arte e Decoração, FAAP e MASP-SP. Frequentou a Royal Academy of Art-Londres, em 1969. Realizou diversas exposições individuais em São Paulo e Nova York, com sucesso de público e de crítica. "(...) A paulista Márcia Grostein expandiu vastamente o seu trabalho desde que se fixou em New York, em 1977. Chegava ali no momento de emergência da 'bad painting', a que aderiu com inteligência e entusiasmo. Com ela, foi construindo suas telas ardentes, onde a brasa de uma fantasia em que tudo se mistura e o fogo de uma cor jamais contida acendem o incêndio selvagem de cenas que são tanto as dos salões da realidade quanto as dos porões do sonho. Uma arte de magma, porões do sonho. Uma arte de magma, de mãos dadas com o inconsciente, bruta, de figuras atarantadas no turbilhão em torno, mas às vezes livre também para banhar-se na volúpia do calor matisseano, que é fogo sem queimadura." PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Prefácio de Gilberto Allard Chateaubriand e Antônio Houaiss. Apresentação de M. F. do Nascimento Brito. Rio de Janeiro: Jornal do Brasil, 1987. JULIO LOUZADA, vol. 9, pág. 387; ITAUCULTURAL.



110 - HEITOR DOS PRAZERES (1898 - 1966)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 2.400,00.

"Músicos e cantora" - óleo sobre eucatex - 38 x 46 cm - canto inferior direito -
Reproduzido no convite deste Leilão. Com Autenticação da família do Artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho.

Pintor, compositor, marceneiro, Heitor dos Prazeres nasceu e faleceu no Rio de Janeiro, RJ. Iniciou-se na pintura por volta de 1937, como autodidata, estimulado pelo jornalista e desenhista Carlos Cavalcanti. No período de 1937 a 1946, trabalhou em rádios do Rio de Janeiro e ingressou como ritmista na Rádio Nacional, em 1943. Recebeu o 3º lugar para artistas nacionais na 1ª Bienal Internacional de São Paulo (1951) e foi homenageado com sala especial na 2ª Bienal Internacional de São Paulo (1953). No ano seguinte, criou cenários e figurinos para o Balé do IV Centenário da Cidade de São Paulo. Realizou sua primeira exposição individual, em 1959, no Rio de Janeiro. Em 1965, Antônio Carlos Fontoura produziu um documentário sobre sua obra. Tornou-se um artista destacado, atuando como compositor, instrumentista e letrista de música popular brasileira. Participou da fundação das primeiras escolas de samba cariocas, entre elas a Estação Primeira de Mangueira. Em comemoração ao centenário de seu nascimento, em 1999, foi realizada mostra retrospectiva no Espaço BNDES e no Museu Nacional de Belas Artes. Em 2003, foi publicado o livro ‘Heitor dos Prazeres: Sua Arte e Seu Tempo’, da jornalista Alba Lírio. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL.11, PÁG.247; MEC. VOL.3, PÁG.400; WALMIR AYALA. VOL.2, PÁG.194; TEIXEIRA LEITE, PÁG.408; PONTUAL, PAG.439; WALTER ZANINI, PÁG.810; LEONOR AMARANTE, PÁG. 266; ACERVO FIEO.



111 - CARLOS SCLIAR (1920 - 2001)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Flores - técnica mista sobre papel - 68 x 49 cm - centro inferior - 1982 -

Desenhista, gravador, pintor, ilustrador, cenógrafo, roteirista e designer gráfico que nasceu em Santa Maria da Boca do Monte, RS e faleceu no Rio de Janeiro. Assina Scliar. Estudou com Gustav Epstein, em Porto Alegre, em 1934. Participou, em 1938, da fundação da Associação Riograndense de Artes Plásticas Francisco Lisboa. Entre 1939 e 1947, residindo em São Paulo, integrou a Família Artística Paulista - FAP. No Rio de Janeiro, escreveu e dirigiu em 1944 o documentário 'Escadas', sobre os pintores Arpad Szenes e Vieira da Silva com os quais conviveu desde 1941. Convocado pela Força Expedicionária Brasileira - FEB, participou da Segunda Guerra Mundial, na Itália. Morando em Paris de 1947 a 1950, cursou gravura com Galanis na Escola de Belas Artes e teve contato com o gravador mexicano Leopoldo Méndez. De volta ao Brasil, fundou com Vasco Prado o Clube de Gravura de Porto Alegre. Em 1956, passou a viver no Rio de Janeiro. Foi diretor do departamento de arte da revista 'Senhor' entre 1958 e 1960. Fundou a editora Ediarte, em 1962, com os colecionadores Gilberto Chateaubriand, Michel Loeb, Carlos Nicolaievski e o pintor José Paulo Moreira da Fonseca. Realizou durante toda sua vida exposições individuais e participou de inúmeras coletivas e Salões oficiais, recebendo muitos prêmios. Também foram realizadas várias exposições póstumas. MEC VOL.4, PÁG. 214; TEODORO BRAGA, PÁG. 66; WALMIR AYALA VOL.2, PÁG. 306 a 309; PONTUAL, PÁG. 479 e 480; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG.884; VOL.2, PÁG. 925; VOL.13, PÁG. 305; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 587; ARTE NO BRASIL, PÁG. 798; RGS, PÁG. 442; ACERVO FIEO.



112 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX
Lance Livre - Aguardando oferta

Marinha - óleo sobre eucatex - 10 x 21 cm - não assinado -
No estado. (Pintura arranhada).



113 - ABELARDO ZALUAR (1924 - 1987)
Lance Livre - Aguardando oferta

Composição - desenho a lápis - 21 x 29 cm - canto inferior esquerdo - 1964 -
No estado (papel manchado).

Pintor, desenhista, gravador, ilustrador, fotógrafo e professor nascido em Niterói, RJ e falecido no Rio de Janeiro. Frequentou as aulas da Escola Nacional de Belas Artes, RJ (entre 1944 e 1948) e, nessa mesma década, criou com outros colegas, a Escolinha de Arte do Brasil. Realizou exposições individuais no; Rio de Janeiro (1947, 1955, 1962, 1969, 1984, 1987); Belo Horizonte, MG (1959, 1969); São Paulo (1959, 1962, 1971, 1975 – Retrospectiva no MAM); Porto Alegre, RS (1961, 1980 – MARGS); Lisboa, Portugal (1964); Roma, Itália (1965); Londres, Inglaterra (1971); Santos, SP (1977); Resende, RJ (1978 – Retrospectiva no MAM); Curitiba, PR (1979 – Retrospectiva no MAC). Participou de diversas mostras coletivas, como a Bienal Internacional de São Paulo (1961, 11971, 1973, 1975), o Panorama de Arte Atual Brasileira - MAM, SP (1970, 1971, 1973, 1979, 1983, 1986). Conquistou o Prêmio Leirner de Arte Contemporânea - Desenho, em São Paulo (1959); o prêmio de viagem ao exterior no Salão Nacional de Arte Moderna, no Rio de Janeiro (1963); o prêmio aquisição no 4º Salão de Arte Moderna do Distrito Federal (1967) e menção honrosa na 1ª Bienal Ibero-Americana de Pintura, na Cidade do México (1978). WALMIR AYALA VOL. 2, PÁG. 449; MEC VOL. 4, PÁG. 527; PONTUAL PÁG. 556; TEIXEIRA LEITE PÁG. 546; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 682; ARTE NO BRASIL PÁG. 934; LEONOR AMARANTE PÁG. 218; JULIO LOUZADA VOL. 2, PÁG. 1079; www.brasilartesenciclopedias.com.br; www.artprice.com.



114 - MARIA TEREZA VIEIRA (1932)
Lance Livre - Aguardando oferta

Paisagem - aquarela - 17 x 24 cm - canto inferior esquerdo - 1980 -
No estado (papel manchado).

Pintora e desenhista, Maria Tereza Vieira da Silva nasceu em Maceió, AL. Iniciou, aos 16 anos, estudos de pintura com Miguel Torres e com Lourenço Peixoto. Em 1949, realizou exposição individual na Câmara Municipal de Maceió, ocasião em que ganhou bolsa de estudos no Rio de Janeiro. Mudou-se para o Rio de Janeiro (1950) e ingressou na Escola Nacional de Belas Artes onde foi aluna de Henrique Cavalleiro, Edson Motta e Georgina de Albuquerque. Participou, entre outras mostras oficiais, das edições do Salão de Arte Moderna, RJ, em 1951, 1963, 1965 - Prêmio Viagem ao País, 1968, 1969, 1973, 1974. Realizou exposições individuais no Rio de Janeiro (1951, 1960 a 1968) e em Belo Horizonte, MG (1961). ITAU CULTURAL; MEC VOL. 4, PÁG. 476; JULIO LOUSADA VOL. 3 PÁG. 1189; VOL. 6, PÁG. 1168.



115 - CAROL KOSSAK (1895 - 1976)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 400,00.

Choupanas - óleo sobre cartão - 24 x 34 cm - canto inferior direito -

Pintor polonês ativo em São Paulo. Assinava C. Kossak e C. Kokott. Realizou exposição individual em 1941 em São Paulo e participou de várias exposições coletivas e Salões nas décadas de 30 e 40. MEC VOL.2 PÁG. 411; TEODORO BRAGA, PÁG. 134; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 512; VOL. 12, PÁG. 218; ACERVO FIEO; ITAU CULTURAL; www.artprice.com.



116 - HENFIL (1944 - 1988)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 550,00.

"Tiro ao alvo" - desenho a nanquim - 20 x 24 cm - centro inferior -

Mineiro de Ribeirão das Neves, onde nasceu em 5 de fevereiro de 1944, e faleceu na cidade do Rio de Janeiro-RJ, em 4 de janeiro de 1988. Iniciou sua carreira como cartunista, quadrinhista, foi colaborador de O Pasquim (1969). Em 1970 lançou a revista Os Fradinhos, seus personagens mais famosos e que possuem sua marca registrada: um desenho humorístico, crítico e satírico, com personagens tipicamente brasileiros e que retratavam a situação nacional da época. Sua importância na História em Quadrinhos no Brasil se deve à renovação que trouxe ao desenho humorístico nacional. Henfil atuou ainda em teatro, cinema, televisão e literatura, tendo sido marcante a sua atuação nos movimentos políticos e sociais do País.



117 - ALFI VIVERN (1948)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Composição - escultura em mármore - 12 x 13 x 02 cm - assinado -
No estado. (Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Escultor e professor argentino nascido em Buenos Aires onde se graduou em publicidade gráfica pela Escola Panamericana de Arte e frequentou o Instituto Di Tella. Após um período viajando pela América do Sul chegou ao Brasil em 1972 para estabelecer seu primeiro estúdio em Salvador, Bahia. No ano seguinte, teve a oportunidade de participar do Festival de Inverno de Ouro Preto, MG. Estudou escultura (1975) com Francisco Stockinger, litografia (1980) com Sonia Maria Tozatti da Rosa e Gilberto Gyarfi no Centro de Criatividade, em Curitiba, e deu aulas neste mesmo lugar. Montou seu estúdio em Curitiba, PR (1978). Participou de mostras coletivas e Salões oficiais como: Panorama da Arte Atual Brasileira, MAM – SP (1981); várias edições do Salão Paranaense, Curitiba – PR onde teve Sala Especial em 1981; Exposição Internacional da Pequena Escultura, Budapeste – Hungria (1981); entre outras. ITAU CULTURAL; alfivivern.com/about/; bienaldecuritiba.com.br/2018/2018/12/10/alfi-vivern/.



118 - MARTINS DE PORANGABA (1944)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Variações I" - técnica mista sobre papel - 24 x 33 cm - canto inferior direito - 2010 -
Com ficha técnica de Bel Galeria de Arte & Leilão, São Paulo - SP.

Pintor, desenhista, gravador e professor, José Carlos de Porangaba Martins nasceu em Porangaba, SP. Assina José Carlos Martins, J. Martins, Porangaba e Martins de Porangaba. Fixou residência em São Paulo e cursou desenho, pintura e modelo vivo na Associação Paulista de Belas Artes, entre 1967 e 1970. Na década de 70 estudou gravura com Paulo Mentem e modelagem com Olinda Dalma. Fundou o Atelier J. Martins em 1972. Em 1980, lecionou pintura na Escola Panamericana de Artes. Realizou exposições individuais em: São Paulo (1976, 1979, 1981, 1982 – MAC, 1984, 1987, 1990, 1991, 1994, 2000); Santo André, SP (1980, 1981); Guarujá, SP (1982); Rio de Janeiro (1982); Washington, EUA (1983); Brasília, DF (1988). Tem participado de muitas mostras coletivas e Salões oficiais, recebendo vários prêmios em: São Paulo (1979, 1980, 1982); Piracicaba, SP (1981); Embu, SP (1981); Marília, SP (1981); Rio Claro, SP (1982); Santo André, SP (1983, 1984); Rio de Janeiro (1985) ; Lisboa, Portugal (1985); Tampa, EUA (1986); Nice, França (1987). JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 828; VOL. 4, PÁG. 903; VOL. 6, PÁG. 901; VOL. 9, PÁG. 692; VOL. 13, PÁG. 269; ITAU CULTURAL; www.artprice.com; mporangaba.com.



119 - JEAN LURÇAT (1892 - 1966)
Lance Livre - Aguardando oferta

Galo - serigrafia - 67 x 40 cm - não assinado -
(Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Tapeceiro, pintor, desenhista, gravador, ilustrador e escritor nascido em Bruyères - Vosges, França e falecido em Saint-Paul, França. Foi aluno de Victor Prouvé em Nancy e de Bernard Naudin. Começou a pintar afrescos em murais a partir de 1913 e, em 1915, dedicou-se à recuperação e ao renascimento da tapeçaria, embora nunca tenha abandonado a pintura de cavalete. Expôs nos Salões dos Independentes e das Tulherias depois de 1920. Frequentou intimamente os círculos surrealistas os quais sempre preservou como uma de suas fontes de inspiração. Foi convocado para a primeira guerra mundial e esteve por um tempo preso devido aos seus poemas antimilitaristas. A influência decisiva e duradoura sobre sua obra veio das extensas viagens realizadas na década de 20 pela Espanha, Oriente Médio, África do Norte e Saara. Em 1939 foi nomeado projetista da fábrica de tapeçarias de Aubusson junto com Marcel Gromaire. É lembrado, sobretudo, por seu trabalho em favor da retomada da arte da tapeçaria, tanto em termos de projeto quanto de técnica. Participou da exposição "L’École de Paris", a primeira mostra internacional de arte contemporânea no Brasil que passou por Recife, Rio de Janeiro e São Paulo. Muitos museus da Europa e Estados Unidos possuem obras suas. BENEZIT VOL.7, PÁG. 23; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 557; VOL. 5, PÁG. 604; DICIONÁRIO OXFORD; www.britannica.com; web.artprice.com.



120 - MILTON DACOSTA (1915 - 1988)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 550,00.

Paisagem - óleo sobre cartão telado - 33,5 x 31 cm - canto inferior esquerdo - Rio de Janeiro - RJ -
Reproduzido no convite deste Leilão. Com a seguinte dedicatória: "Para Nildinha com afeto e carinho, Dacosta - Rio".

Pintor, desenhista, gravador, ilustrador. Milton Rodrigues da Costa nasceu em Niterói, RJ e faleceu no Rio de Janeiro. Iniciou estudos de desenho e pintura (1929) com o professor alemão August Hantv. No ano seguinte matriculou-se no curso livre de Marques Júnior, na Escola Nacional de Belas Artes. Junto com Edson Motta, Bustamante Sá e Ado Malagoli, entre outros, criou o Núcleo Bernardelli (1931). Viajou para Estados Unidos (1945), com o prêmio de viagem ao exterior do Salão Nacional de Belas Artes do ano anterior. Na cidade de Nova York, estudou na "Art's Students League". Foi para a Europa (1946) e após visita a vários países, fixou-se em Paris, onde estudou na "Académie de La Grande Chaumière". Conheceu Pablo Picasso, por intermédio de Cícero Dias, e frequentou os ateliês de Georges Braque e Georges Rouault. Expôs no "Salon d'Automne", Paris e regressou ao Brasil (1947). Casou-se com a pintora Maria Leontina (1949) e passou a residir em São Paulo. Realizou muitas exposições individuais, entre as quais, a "Homenagem a Milton Dacosta" na Galeria da Praça, RJ, com curadoria de Luiz Carlos Moreira (1973). Participou de inúmeros Salões e mostras coletivas, como: Bienal de Veneza (1950); Bienal Internacional de São Paulo (1951, 1955, 1957, 1979); Panorama de Arte Brasileira, MAM – SP (1971). Foi premiado, também, nas Bienais Internacionais de São Paulo (1955, 1957). TEODORO BRAGA, PÁG. 163; WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG. 229; MEC, VOL. 2, PÁG. 13; BENEZIT, VOL. 3, PÁG.315; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 302; VOL. 3, PÁG. 310; ITAU CULTURAL; PONTUAL, PÁG. 155; WALTER ZANINI, PÁG. 573; ARTE NO BRASIL, PÁG. 763; LEONOR AMARANTE, PÁG. 63; ACERVO FIEO; www.artprice.com.



121 - ALDEMIR MARTINS (1922 - 2006)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Pássaro - xilogravura - 16/25 - 25 x 32 cm - canto inferior direito - 1988 -

Desenhista, pintor, gravador e ilustrador - nasceu em Ingazeiras, CE e faleceu em São Paulo. Em 1941, participou da criação do Centro Cultural de Belas Artes, em Fortaleza, com Antonio Bandeira, Raimundo Cela, Inimá de Paula e Mário Baratta, um espaço para exposições permanentes e cursos de arte. Três anos depois, a instituição passou a chamar-se Sociedade Cearense de Artes Plásticas - SCAP. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Realizou muitas individuais e participou de várias mostras e Salões oficiais pelo Brasil e exterior. Recebeu o prêmio de melhor desenhista na 3ª Bienal Internacional de São Paulo (1955), na Bienal de Veneza (1956), prêmio de viagem ao exterior no Salão Nacional de Arte Moderna – RJ (1959), permanecendo por dois anos na Itália e em muitos outros certames. MEC, VOL. 3, PÁG. 78, PONTUAL, PÁGS. 342/343; ARTE NO BRASIL, VOL 2, PÁG. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 637; LEONOR AMARANTE, PÁG. 18; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 591; VOL. 4, PÁG. 693; ACERVO FIEO; artprice.com.



122 - YVES SERPA (1951)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

"Hexagrama 61" - óleo sobre tela - 53 x 41 cm - dorso - 10/2007 -
No estado (pequena mancha).

Pintor. É filho do pintor, gravador, desenhista e professor Ivan Serpa que influenciou grandes nomes da arte moderna brasileira como Décio Vieira, Hélio Oiticica, Lígia Clark e Rubem Ludolf, entre outros. Com carreira iniciada na escolinha de artes do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, sua primeira participação como pintor foi aos cinco anos de idade no Salão de Arte Infantil do Jornal do Brasil em 1956. Realizou exposição individual no Gabinete de Arte da Presidência da Câmara dos Deputados, Brasília – DF (2012). Além de vários prêmios durante sua carreira, também recebeu a Medalha de Mérito Cultural da Câmara de Vereadores de Niterói, por indicação da Associação Fluminense de Belas Artes. Foi eleito presidente (2012) da Academia de Ciências e Letras de Maricá, RJ, cidade na qual presta serviço à comunidade local. www2.camara.leg.br/a-camara/visiteacamara/cultura-na-camara/atividades-anteriores/ate-2012/exposicoes-artisticas/gadinete-de-artes-yves-serpa.



123 - MARINA CARAN (1925 - 2008)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Composição - gravura - P.A. - 54 x 64 cm - canto inferior direito - 1976 -

Pintora, escultora, desenhista, gravadora e ilustradora nascida em Sorocaba, SP e falecida em São Paulo. Inicia sua produção artística em Sorocaba. Em meados de 1950, em São Paulo, conhece Di Cavalcanti, que empresta seu ateliê para estudos e atividades. Viaja para Paris (França), como bolsista do governo francês, para estudar gravura entre 1951 e 1953. Expôs individualmente a partir de 1951 (SP - MASP). Figurando diversas vezes no Salão Paulista de Arte Moderna - SPAM, nele conquistou prêmios de aquisição entre 1954 e 1960. Participou também da Bienal Internacional de São Paulo (1953, 1955, 1965, 1967, 1969, 1985), do Panorama de Arte Atual Brasileira (1969, 1971, 1973) e de muitas outras mostras oficiais. Em 1985 foi realizada uma retrospectiva de sua obra no MASP - SP. PONTUAL, PÁG. 106; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 104; ITAU CULTURAL; MEC VOL. 1, PÁG.353; JULIO LOUZADA, VOL. 5 PÁG. 199/200; LEONOR AMARANTE, PÁG. 194, ACERVO FIEO.



124 - ELZA DE OLIVEIRA SOUZA (1928 - 2006)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.400,00.

Anjo - óleo sobre tela colada em eucatex - 19 x 24 cm - canto inferior esquerdo -

Pintora nascida em Recife, PE. Assina Elza O. S. Casada com o pintor Gerson de Souza, frequentou o curso de pintura de Ivan Serpa no MAM – RJ a partir de 1962. Realizou exposição individual em: São Paulo (1966, 1970, 1971, 1975); Recife, PE (1969); Rio de Janeiro (1967, 1968, 1987); Salvador, BA (1979). Participou de muitas mostras e Salões oficiais pelo Brasil e exterior. Recebeu a Medalha de Bronze (1968) no Salão Nacional de Arte Moderna, RJ. Também obteve isenção de júri no Salão Nacional de Arte Moderna, RJ (1964) e na IV de Artes Brasil-Japão (1979) no Rio de Janeiro e em São Paulo. Foi convidada especial (1994) na Bienal Brasileira de Arte Naïf no SESC de Piracicaba, SP. PONTUAL PÁG. 193; MEC VOL.2, PÁG. 111; JULIO LOUZADA VOL. 2, PÁG. 372, ACERVO FIEO.



125 - BRUNO GIORGI (1905 - 1993)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.100,00.

Composição - escultura em mármore - 13,5 x 17 x 2,5 cm - assinado -
Ex coleção Renato Antônio Brogiolo - Rio de Janeiro, RJ.

Escultor, desenhista e pintor paulista nascido em Mococa, SP e falecido no Rio de Janeiro. Mudou-se com a família para Itália, e fixou-se em Roma (1913). Iniciou estudos de desenho e escultura com o professor Loss (1920). Participou de movimentos antifascistas e foi preso (1931) por motivos políticos. Foi extraditado para o Brasil (1935) por intervenção do embaixador brasileiro na Itália. Em 1937, viajou para Paris e frequentou as academias ‘La Grand Chaumière’ e ‘Ranson’, onde estudou com Aristide Maillol e conviveu com Henry Moore, Marino Marini e Charles Despiau. Em 1939, retornou a São Paulo e junto com Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Sérgio Milliet, entre outros, participou do Movimento Modernista; foi um dos membros da Família Artística Paulista e do Grupo Santa Helena. Em 1943, transferiu-se para o Rio de Janeiro. A convite do ministro Gustavo Capanema instalou ateliê no antigo Hospício da Praia Vermelha, onde orientou jovens artistas como Francisco Stockinger. Possui obras em espaços públicos como ‘Monumento à Juventude Brasileira’ (1947), nos jardins do antigo Ministério da Educação e Saúde, atual Palácio Gustavo Capanema - RJ; ‘Candangos’ (1960), na Praça dos Três Poderes, e ‘Meteoro’ (1967), no lago do edifício do Ministério das Relações Exteriores, em Brasília; ‘Integração’ (1989), no Memorial da América Latina, em São Paulo. Participou das Bienais de Veneza (1950, 1952); participou das I, II, IV e IX Bienais de São Paulo, período em que recebeu o prêmio de melhor escultor brasileiro (1953) e sala especial (1967). MEC, VOL.2, PÁG. 250; PONTUAL, PÁG. 237; MAYER/84, PÁG. 1333; BENEZIT VOL. 5, PÁG. 14; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 587; ARTE NO BRASIL, PÁG. 715; LEONOR AMARANTE, PÁG. 18; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 422; www.artprice.com; www.pinturabrasileira.com; www.dec.ufcg.edu.br; www.monumentos.art.br.



126 - NELSON GODOY (1943)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Paraty - convite ao devaneio" - serigrafia - 97/100 - 49 x 69 cm - canto inferior direito -
No estado (papel manchado).

Paulista de Presidente Prudente. A carreira deste pintor e desenhista começa a ter destaque na década de 60, quando ele participa de exposições promovidas pela APBA, onde recebe premiações em 1965 e 1966. Ativo no interior do Estado de São Paulo, figura ainda em Salões oficiais de Campinas. JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 424, Acervo FIEO



127 - FERNANDA FRANGETTO (XX)
Lance Livre - Aguardando oferta

Composição - múltiplo em bronze - 13 x 10 x 05 cm - assinado -
Prêmio A.P.C.A. - 2005.

Escultora, desenhista e pintora brasileira nascida em São Paulo. Vive na Flórida, EUA. Em São Paulo, estudou na Faculdade de Belas Artes, especializou – se em escultura no Museu Brasileiro de Escultura e em outros cursos livres. Criou esculturas e troféus para a Associação de Críticos de Arte de São Paulo (2015), para a Sociedade Americana de Câncer (2017), entre outros. Realizou exposição individual em São Paulo (2000); Miami, EUA (2014); Brasília, DF (2015). Participou de mostras coletivas e oficiais, como: 3ª Mostra de Escultura João Turin, Curitiba – PR (1995); exposição "Contemporaneidade", São Paulo (2002); 24º Salão Bunkyo - Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa, São Paulo (1995 - Prêmio); "Arte con Vida Art Exhibition", AXS Law - Wynwood, Miami, EUA; e de outras no Brasil e Estados Unidos. ITAU CULTURAL; www.fernandafrangetto.com.



128 - CLAUDIO FACCIOLI (1955)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Imagens - acrílico sobre tela - 100 x 140 cm - canto inferior direito e dorso - 2011 - Rio de Janeiro -

Sua formação artística, na década de 1970, foi no Instituto de Belas Artes, atual Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Rio de Janeiro, e formou-se em Publicidade e Propaganda, em 1980. Exposições individuais: Rio de Janeiro (1991, 1994, 1998, 2000); Niterói, RJ (1986); Nova Friburgo, RJ (1986). Coletivas: Rio de Janeiro (1988, 1989, 1995 a 1997); Volta Redonda, RJ (1994); São Paulo (1996). Prêmios: Volta Redonda, RJ (1994); Rio de Janeiro (1997). JULIO LOUZADA VOL.10, PÁG. 327; VOL.13, PÁG. 125.



129 - ORLANDO DA SILVA (1923 - 2012)
Lance Livre - Aguardando oferta

Composição - serigrafia - 35 x 20 cm - canto inferior direito -
No estado (papel manchado).

Português da cidade do Porto, veio fixar-se no Rio de Janeiro, onde estudou gravura com Carlos Oswald. Participou das I e V Bienais de São Paulo e do SNAM (1954 a 1962). É reconhecido como verdadeiro continuador de seu mestre Carlos Oswald. PONTUAL, pág. 494; TEIXEIRA LEITE.



130 - MARIO GRUBER (1927 - 2011)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1400,00.

"Fantasiados" - óleo sobre madeira - 59,5 x 71,5 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1991 - São Paulo -
Reproduzido no convite deste Leilão. No estado (arranhado).

Pintor, desenhista, gravador, escultor, muralista - Mário Gruber Correia nasceu em Santos, SP. Autodidata, começou a pintar em 1943. Mudou-se para São Paulo em 1946 e matriculou-se na Escola de Belas Artes, onde foi aluno do escultor Nicolau Rollo. Em 1947, ganhou o primeiro prêmio de pintura na exposição do grupo ’19 Pintores’. No ano seguinte realizou sua primeira exposição individual e passou a estudar gravura com Poty e a trabalhar com Di Cavalcanti. Recebeu bolsa de estudo em 1949, foi morar em Paris, onde estudou na ‘École Nationale Supérieure des Beaux-Arts’ com o gravador Édouard Goerg e trabalhou com Candido Portinari. Retornou ao Brasil em 1951 e fundou o Clube de Gravura (posteriormente Clube de Arte) em sua cidade natal, onde voltou a residir. Foi professor de gravura no Museu de Arte Moderna de São Paulo em 1953 e na Fundação Armando Álvares Penteado entre 1961 e 1964. De 1974 a 1978, morou em Paris, depois, ao retornar ao Brasil, morou em Olinda, Pernambuco. Em 1979, montou ateliê em Nova York. De volta a São Paulo, realizou obras de grande porte em espaços públicos como a estação Sé do Metrô e o Memorial da América Latina. Além de ter realizado muitas exposições individuais, participou de várias mostras e salões oficiais: Salão Paulista de Arte Moderna; Panorama da Arte Moderna Brasileira; Bienal Internacional de São Paulo e na França, Espanha, Estados Unidos, Colômbia, Holanda, Finlândia, Alemanha. PONTUAL, PÁG. 253; WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG. 370; MEC, VOL. 1, PÁG. 466; JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG. 448; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG.649; ARTE NO BRASIL, PÁG. 803; LEONOR AMARANTE, PÁG. 376; ACERVO FIEO.



131 - HENRI CARRIERES (1947)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Marinha - óleo sobre tela - 30 x 40 cm - canto inferior direito -

Pintor, desenhista e escultor, Henri Laurent Yves nasceu em Valence, França. Autodidata, veio para o Brasil, fixou-se no Rio de Janeiro e se iniciou no campo da arte em 1966. Participou do Salão Nacional de Belas Artes - RJ (1968, 1971), do Salão Nacional de Arte Moderna - RJ, do I Salão de Belas Artes de Petrópolis (Medalha) e da exposição da Real Galeria de Arte - RJ (1971). JULIO LOUSADA VOL. 1, PÁG. 219; MEC VOL. 1, PÁG. 361; PONTUAL PÁG. 112.



132 - NICOLAS VLAVIANOS (1929)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Objeto - múltiplo em aço inoxidável - 18 x 18 x 04 cm - assinado -

Natural de Atenas, Grécia, veio para o Brasil em 1961, após breve passagem por Paris em 1956, para estudar pintura. Dedicou-se inicialmente à escultura com soldagem de objetos metálicos de uso comum, passando mais tarde a acentuar a " pictorização de sua escultura ", no dizer de Mario Pedrosa, em 1966. Possui obras em diversos museus nacionais e coleção particulares de importância. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 1118; MEC, vol, 4, pág. 496; PONTUAL, pág. 546; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 769; LEONOR AMARANTE, pág. 136.



133 - IVAN SERPA (1923 - 1973)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Cabeça de Cristo - desenho a nanquim e aquarela - 37 x 27 cm - canto inferior esquerdo - 08/08/1963 -
No estado (papel dobrado).

Pintor, desenhista, gravador e professor, Ivan Ferreira Serpa nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Estudou gravura e desenho com Axel Leskoschek (entre 1946 e 1948) no Rio de Janeiro. Em 1949, ministrou suas primeiras aulas no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, onde, a partir de 1952, exerceu sistemática atividade didática, em especial no ensino infantil. Foi um dos precursores do concretismo no Brasil, criando ao lado de Aluisio Carvão, Lígia Clark, Hélio Oiticica e outros o Grupo Frente, que se manteve ativo de 1954 a 1956, inclusive com exposições no Rio de Janeiro. Participou da Divisão Moderna do SNBA (1947-1951). Em 1957, recebeu o prêmio de viagem ao exterior no Salão Nacional de Arte Moderna, RJ. Participou da exposição ’Opinião 65’, evento que marca a difusão de uma nova arte de tendência figurativa, a neofiguração. Em 1970, fundou, com Bruno Tausz, o Centro de Pesquisa de Arte no Rio de Janeiro. Participou da Bienal Internacional de São Paulo (1951, 1955, 1957, 1961, 1963, 1965) e da Bienal de Veneza (1952, 1954, 1962, 1966). PONTUAL, PÁG 486; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 605; ARTE NO BRASIL, PÁG. 840; LEONOR AMARANTE, PÁG. 26; MEC VOL. 4, PÁG. 221; ACERVO FIEO; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 899.



134 - RAFAEL ABOUD PIOVANI (XX)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Iansã" - serigrafia - 1/3 - 42 x 29,5 cm - canto inferior direito - 2008 -

Batizado de ‘Pajé’, pintor e professor com bacharelado em Artes Visuais pelo Centro Universitário Belas Artes (2011). Participou de uma série de exposições na galeria Casa da Xiclet desde 2007, onde também trabalhou como montador e assistente de curadoria até 2009. Em 2010 participou do evento internacional ‘Feria del Chaco’ em Santiago do Chile com a mesma galeria e do trabalho de ocupação do prédio da Funarte - SP, Cabana Extemporânea, com o artista Rubens Espírito Santo. Em 2010 iniciou a carreira de professor de artes na rede estadual e aulas particulares de pintura no Ateliê Itápolis. Em 2011 abriu o Ateliê Pajé no bairro de Santa Cecília, SP, onde ministra aulas de história da arte, desenho, pintura, serigrafia, gravura e orientação de projetos artísticos. No Ateliê Pajé já apresentou exposições individuais em 2012 e 2013. https://br.portalprofes.com/rafael_paje; casadaxiclet.com; catracalivre.com.br.



135 - LEÓN FERRARI (1920 - 2013)
Base: R$ 4.000,00 - Aguardando oferta

Dormitório - litografia - 56/100 - 70 x 75,5 cm - canto inferior direito -

Pintor, gravador, escultor, artista multimídia argentino nascido e falecido em Buenos Aires. Iniciou seu trabalho como escultor na Itália (1954) onde residiu por três anos e realizou exposição individual em Milão (1955). Em sua prática artística, fez uso de distintas linguagens como a escultura, o desenho, a gravura, a caligrafia, a colagem, a "assemblage", a instalação e o vídeo. Mudou-se para São Paulo (1976 - 1990) e conviveu com Regina Silveira e Julio Plaza. Participou de mostras coletivas e Salões oficiais nacionais como: Panorama da Arte Atual Brasileira, MAM – SP (1978, 1980, 1981); Salão Nacional de Arte Contemporânea de Belo Horizonte, MG (1981, 1982); Mostra Internacional de Arte Postal, Porto Alegre – RS (1981); "León Ferrari: Poéticas e Políticas", Pinacoteca do Estado do São Paulo, SP (2006); entre outras. Internacionais, destacam-se: "Politiscripts, The Drawing Center" (TDC), Nova York - EUA, (2004); "León Ferrari: retrospectiva. Obras 1954-2004", Centro Cultural Recoleta (CCR), Buenos Aires, Argentina (2004); "Think with the Senses, Feel with the Mind: Art in the Present Tense" na 52ª Bienal de Veneza - Pavilhão da Itália e Arsenal (2007), recebendo o prêmio Leone D'Oro; "Tangled Alphabets: León Ferrari and Mira Schendel", Museu de Arte Moderna (MoMA), Nova York - EUA (2009); "León Ferrari - Brailles y Relecturas de la Biblia", Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires (MALBA), Buenos Aires – Argentina (2012). Recebeu prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte – APCA, SP, de melhor exposição do ano (1983). JULIO LOUZADA VOL. 3, PÁG. 403; ITAU CULTURAL; nararoesler.art; www.artprice.com.



136 - REGINA VATER (1943)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 950,00.

Vídeo art - fotografia off set - 163/1000 - 30 x 60 cm - canto inferior direito -
Vídeo art: "25/ Regina Vater/ Vídeo art/ Galeria Arte Global/ São Paulo".

Artista intermídia, ilustradora, desenhista, pintora, fotógrafa, professora, Regina Maria da Motta Vater nasceu no Rio de Janeiro. Estudou desenho e pintura no ateliê de Frank Schaeffer (1958 a 1962) e com Iberê Camargo (1962 a 1965), no Rio de Janeiro. Cursou por três anos, até 1964, a Faculdade Nacional de Arquitetura e nesse mesmo ano realizou sua primeira exposição individual. No início dos anos 1970, mudou-se para São Paulo e trabalhou nas agências de publicidade DPZ e MPM. Estudou silkscreen no Pratt Institute, em Nova York (1972) quando ganhou o prêmio de viagem ao exterior, concedido pela União Nacional de Arte Moderna. Morou em Paris entre 1974 e 1975. De volta ao Brasil, fez curso de filme super-8, na Escola Griffe, em São Paulo. É autora, entre outros, dos livros infantis ‘Tungo Tungo’ e ‘Uma Amizade Bem Temperada’, publicados no fim da década de 1970. Organizou a primeira exposição de arte contemporânea e experimental brasileira em Nova York: Contemporary Brazilian Works on Paper: 49 artistas, na Nobé Gallery, em 1979. Como bolsista da Fundação Guggenheim, retornou a Nova York, em 1980, para desenvolver pesquisas sobre instalações, iniciada em 1970. Em 1983, editou um número da revista ‘Flue’, publicada pelo Franklin Furnance Archives, dedicado à arte experimental produzida na América Latina. Três anos depois, passou a viver em Austin, Estados Unidos, com o marido, também artista, Bill Lundberg. Foi curadora da exposição Brazilian Visual Poetry, com participação de 51 artistas, no Mexic-Arte Museum, Austin, 2002. Participou da Bienal Internacional de São Paulo (1967, 1969, 1977); do Panorama da Arte Atual Brasileira (1973); da Bienal de Veneza (1976), entre as muitas exposições oficiais. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL. 13; PÁG. 344; MEC VOL. 4, PÁG. 447; PONTUAL PÁG. 535; www.imediata.com; web.artprice.com.



137 - INOS CORRADIN (1929)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 700,00.

"Malabarista com chapéu" - escultura em terracota - 33 x 19,5 x 15,5 cm - assinado - 2019 -
Com Certificado de Autenticidade firmado pelo Autor.

Pintor, desenhista, gravador, escultor e cenógrafo, nascido em Vogogna, Itália. Por volta de 1932 mudou-se com a família para Castelbaldo - Padova, onde, em 1945, estudou pintura com professor Tardivello. Em 1947 colaborou com o pintor Pendin na execução de um mural referente aos mártires da resistência italiana em Castelbaldo. Veio, em 1950, para Jundiaí e São Paulo onde fez parte do núcleo artístico Cooperativa em São Paulo, dirigido pelo pintor argentino Oswaldo Gil Navarro. Executou cenários para o Ballet do IV Centenário de São Paulo, em 1954. Em 1979 foi contratado para pintar um cenário para o Teatro de Rovigo, Itália. Realizou diversas exposições individuais, participou de muitas mostras coletivas e Salões oficiais pelo Brasil e pelo mundo. Foi premiado em Paris (1975) e em Ferrara, Itália (1976). JULIO LOUZADA, VOL. 11, PÁG. 152; PONTUAL, PÁG. 143; MEC, VOL. 1, PÁG. 448; WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG. 215; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO; inoscorradin.com.br.



138 - NEWTON CAVALCANTI (1930 - 2006)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

"O guitarrista" - óleo sobre tela - 80 x 100 cm - canto inferior esquerdo -
Com etiqueta do 5º Salão Brasileiro de Artes Plásticas, no dorso.

Gravador, pintor, aquarelista, ilustrador, natural de Bom Conselho-PE. Inicia seus estudos nos ateliês de Raimundo Cela e de Oswald Goeldi. Em 1954, ingressa na Escola de Belas Artes da Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Entre 1973 e 1975, viaja para a Europa, onde participa de cursos e estágios na Inglaterra, na Itália e na Alemanha, patrocinado pela Fundação Brasileira de Educação e pelo governo alemão. Participa de exposições como o Salão Nacional de Arte Moderna, várias edições entre 1958 e 1972; Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1963 e 1985; Bienal de Paris, 1963; Brazilian Art Today, na Noruega, Áustria, Suécia e Inglaterra, 1965 e Mostra Rio Gravura, Rio de Janeiro, 1999. JULIO LOUZADA vol.9, pág.192; TEXEIRA LEITE, pág. 115; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 850.



139 - REYNALDO FONSECA (1925 - 2019)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 550,00.

Mascarada - serigrafia - 85/100 - 47 x 38 cm - canto inferior direito -
No estado (papel manchado).

Pintor, desenhista, gravador e professor pernambucano, natural da cidade do Recife, onde foi ativo. Estudou no Rio de Janeiro, pintura com Portinari e gravura em metal com Henrique Oswald. Conquistou diversos prêmios em pintura e gravura na Divisão Moderna do SNBA-RJ. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.263; MEC, vol.2, pág.184; PONTUAL, pág.220; TEIXEIRA LEITE, pág.205; WALMIR AYALA, vol.2, págs. 243 a 245; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 879.



140 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA (1909 - 1996)
Base: R$ 8.000,00 - Aguardando oferta

"Graciete cavalgando nua numa noite de luar" - óleo sobre tela - 40 x 70 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1993 -
Reproduzido no convite deste Leilão e sob o n° 41 em catálogo de Leilão de Arte de James Lisboa, Leiloeiro Oficial, São Paulo - SP, realizado em agosto de 2019.

Pintor, desenhista, escritor, escultor, repentista nascido em Sales de Oliveira, SP e falecido em São Paulo. Trabalhador rural, de pouca formação escolar, foi autodidata. Em 1931, mudou-se para São José do Rio Preto, SP. Participou da exposição de inauguração da Casa de Cultura da cidade (1946), quando suas pinturas chamaram atenção dos críticos Lourival Gomes Machado, Paulo Mendes de Almeida e do filósofo João Cruz e Costa. Dois anos depois, realizou mostra individual na Galeria Domus, SP. Nessa ocasião Pietro Maria Bardi, diretor do MASP, adquiriu seus quadros e depositou parte deles no acervo do museu. O MAM, SP editou seu primeiro livro, ‘Romance de Minha Vida’ (1949). Na 1ª Bienal Internacional de São Paulo (1951), recebeu prêmio aquisição do ‘Museum of Modern Art’ (MoMA) de Nova York. Em 1966, o artista criou o Museu Municipal de Arte Contemporânea de São José do Rio Preto e gravou dois LPs, ambos chamados ‘Registro do Folclore Mais Autêntico do Brasil’, com composições de sua autoria. No mesmo ano, ganhou Sala Especial na 33ª Bienal de Veneza. Publicou ainda os livros ‘Maria Clara’ (1970), ‘Alice’ (1972); ‘Sou Pintor, Sou Poeta’ (1982); e ‘Fazenda da Boa Esperança’ (1987). Transferiu-se de São José do Rio Preto para São Paulo, em 1973. Em 1980, foi fundado o Museu de Arte Primitivista José Antônio da Silva (MAP), em São José do Rio Preto, com obras do artista e peças do antigo Museu Municipal de Arte Contemporânea. Realizou inúmeras exposições individuais e participou de muitos certames oficiais pelo Brasil e exterior recebendo muitos prêmios. MEC, vol. 4, pág. 256; PONTUAL, pág. 493 e 494; TEIXEIRA LEITE, pág. 478; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 958; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 958; BENEZIT, vol. 9, pág. 602; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 227; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 171; Acervo FIEO.



141 - ROMERO BRITTO (1963)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Natureza morta - off set - 34 x 34 cm - não assinado -

Romero Francisco da Silva Britto nasceu em Recife, PE. Pintor e gravador autodidata. Começou seu interesse pelas artes na infância, quando usava sucatas, papelões e jornais para exercitar a sua criatividade. Iniciou o curso de Direito na Universidade Católica de Pernambuco, mas depois viajou para os Estados Unidos e lá se estabeleceu. Criou três obras de arte para a ‘Absolut Vodka’ (1988), reproduzidas em mais de 60 publicações internacionais e, em 1995, seu trabalho foi estampado em 1,5 bilhões de latinhas de refrigerante Pepsi. Foi contratado para inserir os astros da Disney no contexto de sua arte pop em 1997. Entre as realizações, merecem destaque: a criação dos selos postais que levam o nome de Esportes para a paz, sobre as olimpíadas de Pequim - China; uma pirâmide que esteve instalada no Hide Park, em Londres, que deverá ser encaminhada para o museu da criança, na cidade do Cairo, Egito. Suas pinturas estão presentes em aeroportos pelo mundo como os de São Paulo, Washington DC, Nova York e Miami. Vale citar outros locais onde se pode ver e apreciar as suas obras: Montreux Jazz Raffles le Montreux Palace Hotel e Azul Basel Children’s Hospital, ambos na Suíça, e o Sheba Sheba Medical Center, Tel Aviv, em Israel. Realizou exposições Individuais a partir de 1991 e participou de mostras coletivas em São Paulo (1998, 2003, 2004); Rio de Janeiro (2003); Brasília (2012); Paris (2008, 2010). ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL. 12, PÁG. 65; www.britto.com; www.e-biografias.net; www.artprice.com.



142 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX
Lance Livre - Aguardando oferta

Estudo - desenho a carvão - 41 x 32 cm - não assinado -



143 - ALEX DOS SANTOS (1980)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"A prainha" - óleo sobre tela - 50 x 70 cm - canto inferior direito e dorso - 2018/2019 -

Alex Benedito dos Santos nasceu em Jaboticabal, SP, no dia 13 de fevereiro de 1980. Pintor autodidata, fez cursos de escultura com o prof. Silvio Scarpa e xilogravura com o prof. Saulo. Participou de "workshops" com o pintor Sigbert Franklin, em 2001. Tem participado regularmente dos diversos Salões Oficiais nas cidades do interior do Estado, destacando-se: I e II Bienal de Artes e Cultura de Jaboticabal, em 1999 e 2001, Salão de Artes Plásticas de Brodósqui, em 2003, quando foi selecionado para o Mapa Cultural Paulista, Salão de Artes Plásticas de Araraquara, em 2003, Salão de Artes Plásticas de Guarulhos, onde obteve Menção Honrosa, em 2004, Salão de Artes Plásticas de Santos, em 2004, Salão de Artes de Piracicaba, em 2005, Salão de Artes Plásticas de Sales de Oliveira, em 2005, onde obteve Menção Honrosa, Salão de Artes Plásticas de Catanduva, obtendo Menção Honrosa, em 2006. Foi premiado com o 1º lugar nos Salões de Artes de Mococa, em 2003, Sales de Oliveira, em 2003, Araraquara, em 2004 e Piracicaba, em 2006. Expõe individualmente desde 2004. Acervo FIEO. -



144 - RUBENS GERCHMAN (1942 - 2008)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

"O beijo" - serigrafia - 7/100 - 32 x 38 cm - canto inferior direito -

Pintor, desenhista, gravador, escultor nascido no Rio de Janeiro e falecido em São Paulo. Em 1957, freqüenta o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro, onde estuda desenho. Faz curso de xilogravura com Adir Botelho e freqüenta a Escola Nacional de Belas Artes - Enba, entre 1960 e 1961. Em 1967, é contemplado com o prêmio de viagem ao exterior no 16º Salão Nacional de Arte Moderna e viaja para os Estados Unidos. Reside em Nova York entre 1968 e 1972. Retorna ao Brasil e faz o roteiro, a cenografia e a direção do filme 'Triunfo Hermético' e os curtas 'ValCarnal' e 'Behind the Broken Glass'. De 1975 a 1979, assume a direção da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, RJ. É co-fundador e diretor da revista 'Malasartes'. Em 1978, viaja para os Estados Unidos com bolsa da Fundação John Simon Guggenheim. Em 1982, permanece por um ano em Berlim como artista residente, a convite do Deutscher Akademischer Austauch Dienst - DAAD [Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico]. Realizou diversas exposições individuais e participou de muitas mostras oficiais no Brasil e pelo mundo recendo prêmios na Bienal de São Paulo (1965), Bienal de Salvador, BA (1966), Bienal de Cali, Colômbia (1967, 1970). JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 417; PONTUAL, PÁG. 235; TEIXEIRA LEITE, "in" A GRAVURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 734; ARTE NO BRASIL, PÁG. 974; LEONOR AMARANTE, PÁG. 143, MEC VOL. 2, PÁG. 246; Acervo FIEO.



145 - YOSHIYA TAKAOKA (1909 - 1978)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Aterro do Flamengo - óleo sobre cartão colado em eucatex - 34,5 x 45,5 cm - canto inferior esquerdo - 1969 - Rio de Janeiro -
No estado (limpeza necessária).

Pintor, desenhista, caricaturista e cenógrafo nascido em Tóquio, Japão e falecido em São Paulo, SP. Aprendeu pintura com Shin Kurihara, em Tóquio (entre 1921 e 1925). Veio com a família para o Brasil (1925) para trabalhar na lavoura de café. Atuou como pintor de paredes e caricaturista. Em São Paulo (1926 a 1929) cursou a Escola Profissional Masculina do Brás e frequentou o Grupo Santa Helena (a partir de 1931). Transferiu-se para o Rio de Janeiro (1934) onde aperfeiçoou sua pintura com Bruno Lechowski e na Escola Nacional de Belas Artes. Integrou o Núcleo Bernardelli ao lado de José Pancetti, Edson Motta e Milton Dacosta, entre outros. Fez parte (1935) do Grupo Seibi, SP. Formou (1948) o Grupo 15 ou "do Jacaré" com Tomoo Handa, Tamaki, Flavio-Shiró, Antônio Carelli, Geraldo de Barros e outros. Integrou (1950 a 1959) o Grupo Guanabara, SP. Viveu em Paris (entre 1952 e 1954) onde frequentou a "Académie de la Grande Chaumière" e estudou mosaico com Gino Severini, no curso Leonardo da Vinci. Realizou exposições individuais no: Rio de Janeiro (1936, 1937); Curitiba, PR (1948); São Paulo (1948) e participou de muitas mostras coletivas e Salões oficiais, destacando-se: Bienal Internacional de São Paulo (1951 e 1959); da 1ª Bienal de Tóquio (1953); Salão Nacional de Belas Artes, RJ (1938); várias edições do Salão Paulista de Belas Artes, SP. Foi premiado no Salão Nacional de Belas Artes, RJ (1938); no Salão Paulista de Belas Artes, SP (1946, 1957, 1958, 1959, 1960, 1961, 1964, 1968). O Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand fez mostra em sua homenagem em 1955 e 1980. PONTUAL PÁG. 510; TEIXEIRA LEITE PÁG. 490; MEC VOL. 4, PÁG. 352; TEODORO BRAGA PÁG. 220; WALMIR AYALA VOL. 2, PÁG. 361; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 954; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 579; ARTE NO BRASIL; www.artprice.com.



146 - HEINZ KÜHN (1908 - 1987)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Composição - desenho a lápis de cor - 29,5 x 21 cm - dorso - 1980 -

Pintor nascido em Berlim, Alemanha, e falecido em São Paulo. Iniciou seus estudos em sua terra natal, expondo obras na Alemanha e na França. Transferiu-se para o Brasil em 1950, fixando residência em São Paulo. Realizou exposições individuais em São Paulo (1952, 1956 - MAM, 1959 a 1962). Participou de mostras e Salões oficiais, entre eles: II, III e VIII da Bienal Internacional de São Paulo; II, IX, X e XIV Salão Paulista de Arte Moderna onde conquistou a Medalha de Prata (1952), o Prêmio Aquisição (1955) e a Medalha de Ouro (1965); XVIII Salão Municipal de Belo Horizonte; I Concurso Nacional de Joias - Prêmio de Viagem a Brasília. MEC VOL. 2, PÁG. 430; PONTUAL PÁG. 295; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 688; www.artprice.com.



147 - FRANCISCO GRACIANO (1965)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Bicho - escultura em madeira - 19 x 34 x 11 cm - assinado -

Escultor, natural de Santana do Cariri - Ceará. Filho e discípulo do escultor Manoel Graciano (Itaú Cultural). Francisco Graciano desenvolveu interesse logo cedo pelos trabalhos manuais e, aos 16 anos, começou a fazer suas primeiras esculturas em madeira. Sua obra é conhecida hoje pelos animais e figuras do cotidiano, utilizando sempre texturas e cores fortes.



148 - YUTAKA TOYOTA (1931)
Lance Livre - Aguardando oferta

Composição - serigrafia - 51/60 - 50 x 62 cm - canto inferior direito - 2006 -

Pintor, escultor, desenhista, gravador e cenógrafo. Yutaka Toyota nasceu em Tendo - Yamagata, Japão. Estudou na Universidade de Artes de Tóquio e no Instituto de Pesquisas Industriais de Shizuoka. Neste último cursou ciências exatas e a técnica industrial de lidar com novos materiais. Transferiu-se para o Brasil em 1958. Entre 1965 e 1968, viveu em Milão, Itália, onde conheceu o designer Bruno Munari. Participou da Bienal Internacional de São Paulo (1963, 1965, 1967, 1969, 1987, 1989), do Panorama da Arte Atual Brasileira (1969, 1972, 1975, 1978, 1981, 1985, 1988). Recebeu prêmio na 10ª Bienal Internacional de São Paulo (1969), no 4º Panorama da arte Atual brasileira (1972), no 10º Salão Paulista de Arte Moderna (1963), no 1º Salão Esso de Jovens Artistas (1965); na 2ª Bienal de Artes Plásticas da Bahia, Salvador (1968). A partir da década de 1970, realizou esculturas para espaços públicos e edifícios no Brasil e no exterior: a Praça da Sé (1978), o Hotel Maksoud Plaza (1979), ambos em São Paulo; Parque Toyotomi em Hokkaido, Japão (1979), entre muitos outros. Realizou muitas exposições individuais pelo Brasil, Japão, Europa e Américas. Em 1991, foi eleito melhor escultor pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), em São Paulo. MEC VOL. 4, PÁG. 409; PONTUAL PÁG. 525; JULIO LOUZADA, VOL 11, PÁG. 325; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 510; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 682; ARTE NO BRASIL, PÁG. 933; LEONOR AMARANTE, PÁG. 171; www.yutakatoyota.com; www.pinturabrasileira.com; web.artprice.com.



149 - TOMÁS SANTA ROSA (1909 - 1956)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Carnaval - desenho a nanquim, aquarela e guache - 28 x 16 cm - centro inferior -
No estado (papel manchado).

Pintor, gravador, cenógrafo e professor autodidata, Tomás Santa Rosa Júnior nasceu em João Pessoa, PB e falecido em Nova Délhi, Índia. Fixou-se no Rio de Janeiro (1932), começou a trabalhar como auxiliar de Portinari e iniciou também sua carreira de ilustrador que se estenderia por longa série de obras de escritores brasileiros e estrangeiros, que incluiu, dentre outros, Graciliano Ramos, José Lins do Rêgo, Jorge Amado, Castro Alves, Dostoievski. É considerado o primeiro cenógrafo moderno brasileiro. Entre as exposições das quais participou destacam-se: o Salão Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro (1941 - Medalha de Prata); Um Século de Pintura Brasileira, no Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro (1952); II Bienal Internacional de São Paulo (1953); Salão Preto e Branco do III Salão Nacional de Arte Moderna do Rio de Janeiro (1954); 'Arts Primitifs et Modernes Brésiliennes', no Museu de Etnografia de Neuchâtel, Suíça (1955). Após sua morte, suas obras foram expostas nas seguintes mostras: Exposição de Artes Gráficas de Tomás Santa Rosa, na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro (1958); Retrospectiva no Teatro Municipal do Rio de Janeiro (1975); Santa Rosa, Carnaval e Figurinos na Fundação Nacional de Arte (Funarte) de São Paulo (1985); e Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal de São Paulo (1994). PONTUAL, PÁG. 472; MEC VOL. 4, PÁG. 177; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 460; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 572; LEONOR AMARANTE; www.funarte.gov.br; cpdoc.fgv.br; www.artprice.com.



150 - DJANIRA DA MOTTA E SILVA (1914 - 1979)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.000,00.

No ateliê - técnica mista sobre cartão - 70 x 50 cm - canto inferior direito -
Reproduzido no convite deste Leilão.

Pintora, desenhista, ilustradora, cartazista, cenógrafa e gravadora. Djanira da Motta e Silva nasceu em Avaré, SP e faleceu no Rio de Janeiro, RJ. No final da década de 1930, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde teve suas primeiras instruções de desenho no Liceu de Artes Ofícios e com o pintor Emeric Marcier, hóspede da pensão que Djanira instalou no bairro de Santa Teresa. Os contatos com os artistas Carlos Scliar, Milton Dacosta , Arpad Szenes , Vieira da Silva e Jean-Pierre Chabloz , frequentadores de sua pensão, proporcionaram um ambiente estimulador que a levou a expor no 48º Salão Nacional de Belas Artes, em 1942. No ano seguinte, realizou sua primeira mostra individual, na Associação Brasileira de Imprensa - ABI. Em 1945, viajou para Nova York. De volta ao Brasil, realizou o mural ‘Candomblé’ para a residência do escritor Jorge Amado, em Salvador, e painel para o Liceu Municipal de Petrópolis, no Rio de Janeiro. Entre 1953 e 1954, viajou a estudo para a União Soviética. De volta ao Rio de Janeiro, tornou-se uma das líderes do movimento pelo Salão Preto e Branco, um protesto de artistas contra os altos preços do material para pintura. Realizou em 1963, o painel de azulejos ‘Santa Bárbara’, para a capela do túnel Santa Bárbara, Laranjeiras, Rio de Janeiro. No ano de 1966, a editora Cultrix publicou um álbum com poemas e serigrafias de sua autoria. Realizou muitas exposições individuais e participou de várias mostras e Salões oficiais pelo Brasil, EUA e Europa. Foi premiada no Rio de Janeiro (1943, 1944, 1949, 1950 a 1953, 1955, 1963) e em São Paulo (1951, 1955). Participou da 1ª e da 2ª Bienal Internacional de São Paulo (1951, 1955). Em 1977, o Museu Nacional de Belas Artes - MNBA, realizou uma grande retrospectiva de sua obra. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 336; PONTUAL, PÁG. 181; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 164; MEC, VOL. 2, PÁG 58; WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG, 263; WALTER ZANINI, PÁG. 810; ARTE NO BRASIL, PÁG. 824; ACERVO FIEO.



151 - JOSÉ SILVEIRA D'AVILA (1924 - 1985)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Barcos" - água forte original - 15 x 20 cm - canto inferior direito -
No estado (papel manchado).

Pintor, gravador, escultor e vitralista natural de Florianópolis, SC. Estudou pintura e escultura na antiga ENBA, onde foi premiado diversas vezes. No SNAM alcançou inicialmente isenção de Juri e Prêmios Viagem ao País e ao Estrangeiro. Em 1950 organizou juntamente com Carlos Oswald, o Ateliê de Arte para incremento da gravura. Coletivas a partir de 1953, obtendo diversas premiações em Salões Oficiais. JULIO LOUZADA, vol 4 pág. 302. ITAÚ CULTURAL.



152 - JOSÉ SABÓIA (1949)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 850,00.

Trabalhador - óleo sobre tela - 50 x 60 cm - canto inferior direito -

Pintor, José Sabóia do Nascimento nasceu em Almadina-BA. Artista autodidata foi para o Rio de Janeiro em 1967 e começou a pintar no ano seguinte, passando a expor seus trabalhos na feira hippie de Ipanema. Fez sua primeira exposição individual em Fortaleza, CE (1970). Entre as exposições de que participou, destacam-se: I e III Salão Nacional de Artes Plásticas do Ceará, Fortaleza, (1969, 1971 - Prêmio Aquisição); Dez Pintores no Rio de Janeiro, no MNBA, RJ (1983); ‘Brésil Naifs’, Paris (1986); ‘Salon d'Art Naif’- Marseilha, França (1987); ‘Pintura, Presença e Povo na Arte Brasileira’ no Museu da Casa Brasileira - São Paulo (1990); ‘Visões do Rio’ no MAM, RJ (1996). No exterior expôs individualmente em São Francisco, EUA e Munique, Alemanha, além de participar de coletivas em vários países e, principalmente na França, com exposições organizadas pela Galeria Jacqueline Bricard e uma presença cativa na ‘Galerie Naïfs du Monde Entier’ em Paris. José Sabóia participou do Concurso Internacional de Morges, quando seu quadro foi eleito pelo público, a melhor obra de 60 participantes de 22 países, premiação que originou o convite da Galeria Kasper para realizar uma exposição individual em 1997. JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 278; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 228; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO; www.artprice.com; www.nautilus.com.br; www.ardies.com.



153 - FRANCISCO BRENNAND (1927)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 400,00.

Prêmio A.P.C.A - múltiplo em bronze - 17 x 09 x 09 cm - canto inferior direito - 2016 -

Pintor e ceramista. Estudou com André Lhote e Fernand Léger, em Paris. Participou de importantes bienais e salões, nacionais e internacionais. Realizou individuais de pintura e cerâmica no MAM-SP em 1960 e outras importantes salas de arte. Executou trabalhos murais em edifícios públicos e particulares no Recife e no estrangeiro. Suassuna considerou a sua pintura "bela, forte e brasileira". Brennand é referência mundial como artista puramente brasileiro. JULIO LOUZADA, VOL, 10, pág 141. PONTUAL, pág, 88. MEC, VOL , 1, pág, 294; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; ARTE NO BRASIL, pág. 879. Acervo FIEO. -



154 - J. CARLOS (1884 - 1950)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Dama - desenho a nanquim - 31 x 21 cm - canto inferior esquerdo -
No estado (papel manchado).

Chargista, caricaturista, desenhista, pintor, ilustrador, José Carlos de Brito Cunha nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi um dos formadores da tradição da charge brasileira ao lado de Raul Pederneiras e K.Lixto, e criador de tipos como a negrinha 'Lamparina', a 'Melindrosa' e o 'Almofadinha'. Autodidata, iniciou a carreira de caricaturista ainda estudante, quando publicou um de seus desenhos na revista 'O Tagarela' (1902). Em seguida, passou a colaborar regularmente com a revista e no ano seguinte desenhou sua primeira capa na publicação. Colaborou em muitos órgãos da imprensa carioca como 'O Tico Tico', 'Fon-Fon', 'Careta', 'A Cigarra', 'Vida Moderna', 'Eu Sei Tudo', 'Revista da Semana' e 'O Cruzeiro'. Entre 1922 e 1930, exerceu o cargo de diretor artístico das empresas 'O Malho', onde iniciou uma grande série de charges de caráter político, satirizando fatos e personalidades nacionais e estrangeiras. A vertente política foi explorada pelo artista desde o início de sua carreira, sendo ele o responsável pela execução de uma série de charges antibelicistas executadas no período abrangido pelas duas grandes guerras e principalmente durante os dois governos de Getúlio Vargas (1883 - 1954). Esses trabalhos foram publicados principalmente na revista 'A Careta'. Também fez esculturas, foi autor de teatro de revista e letrista de música popular. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646; ITAU CULTURAL; www.ims.com.br; www.dec.ufcg.edu.br; www.artprice.com.



155 - CHARLEY GARRY (1891 - 1973)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Dançarinas" - óleo sobre tela - 74 x 53 cm - canto inferior direito -
No estado (pequenos furos). (Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Pintor, ilustrador e muralista da Escola Francesa nascido em Paris. Frequentou a Escola de Belas Artes de Paris e foi discípulo de Gabriel Ferrier, François Flameng e de Jules Adler. Depois de 1912 participou regularmente de vários Salões, entre eles o Nacional e o dos Independentes. Decorou, entre outros, a Brasserie Lipp em Paris e a antiga sede da ’Mines de charbon de Faulquemont’ na região de Mosela - Lorena. Foi especialmente conhecido por suas representações de noites parisienses e cancan. BENEZIT VOL. 4, PÁG. 624; web.artprice.com; artnet.com; arcadja.com; www.lesdiagonalesdutemps.com/article-charley-garry; sylvain-post.blogspot.fr/2012/01/uvres-dart-en-conge-charbonnier-garry . html.



156 - RENINA KATZ (1925)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 800,00.

"E os habitantes" - litografia - 28/100 - 60 x 80 cm - canto inferior direito -

Gravadora, desenhista, ilustradora e professora, Renina Katz Pedreira nasceu no Rio de Janeiro. Assina Renina e Renina Katz. Cursou a Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1947 a 1950) e teve como professores, entre outros, Henrique Cavalleiro e Quirino Campofiorito. Licenciou-se em desenho pela Faculdade de Filosofia da Universidade do Brasil. Iniciou-se em xilogravura com Axl Leskoschek, em 1946. Incentivada por Poty, ingressou no curso de gravura em metal, oferecido por Carlos Oswald no Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro. Mudou-se para São Paulo em 1951, e lecionou gravura no Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand e, posteriormente, na Fundação Armando Álvares Penteado, até a década de 1960. Em 1956, publicou o primeiro álbum de gravuras, intitulado ‘Favela’. A partir dessa data, foi docente da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo por 28 anos. Realizou muitas exposições individuais pelo Brasil, EUA, Chile, Paraguai, Portugal, Itália, Holanda e participou, entre as diversas mostras e Salões oficiais, das: Bienal Internacional de São Paulo (1955, 1959, 1961, 1963, 1985, 1989); Bienal de Veneza, Itália (1956, 1986); Panorama da Arte Atual Brasileira - MAM, SP (1974, 1977, 1980, 1984). Foi premiada no Rio de Janeiro (1951, 1952) e em São Paulo (1955, 1984). MEC VOL.2, PÁG.403; PONTUAL, PÁG. 288; WALMIR AYALA VOL.1, PÁG.441; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG.15; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 606; ARTE NO BRASIL; www.artprice.com; www.catalogodasartes.com.br; www.editora.unicamp.br; www.laboratoriodasartes.com.br; artenaescola.org.br.



157 - MARIA LEONTINA (1917 - 1984)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Estandarte - pastel - 43 x 31 cm - canto inferior direito -

Pintora, gravadora e desenhista. Maria Leontina Mendes Franco da Costa nasceu em São Paulo, SP e faleceu no Rio de Janeiro, RJ. Iniciou estudos de desenho com Antônio Covello, em São Paulo (1938), e na primeira metade da década de 1940 estudou pintura com Waldemar da Costa. Em 1946, no Rio de Janeiro, frequentou o ateliê de Bruno Giorgi e fez curso de museologia no Museu Histórico Nacional, entre 1946 e 1948. Em 1947, participou da exposição ‘19 Pintores’, na Galeria Prestes Maia, em São Paulo, ao lado de Lothar Charoux, Marcelo Grassmann, Aldemir Martins, Luiz Sacilotto e Flavio-Shiró. Em 1951, foi convidada pelo psiquiatra e crítico de arte Osório César para orientar o setor de artes plásticas do Hospital Psiquiátrico do Juqueri. No mesmo ano, organizou uma mostra dos internos no Museu de Arte Moderna de São Paulo. Em 1952, com bolsa de estudo do governo francês, viajou para a Europa, acompanhada pelo marido, o pintor Milton Dacosta. Em Paris, entre 1952 e 1954, frequentou o ateliê de gravura de Johnny Friedlaender. Na década de 1960, realizou painel de azulejos para o Edifício Copan e vitrais para a Igreja Episcopal Brasileira da Santíssima Trindade, ambos em São Paulo. Realizou exposições individuais e participou de inúmeras mostras, Salões oficiais e Bienais como a Bienal de Veneza (1950, 1952, 1956). Foi premiada no Rio de Janeiro (1944, 1950, 1955, 1957, 1980); em São Paulo (1944; 1947; 1951; 1954; 1958; 1960; 1980; 1955, 1959, 1965 - Bienais Internacionais; 1969, 1970 - Panoramas da Arte Atual Brasileira; 1975 - prêmio pintura da Associação Paulista de Críticos de Artes - APCA); Brasília, DF (1980); Curitiba, PR (1980; Porto Alegre, RS (1980); Nova York (1960 - Fundação Guggenheim). ITAU CULTURAL; MEC, VOL. 2, PÁG. 471; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 309; PONTUAL, PÁG. 338; ARTE NO BRASIL, PÁG. 772; LEONOR AMARANTE, PÁG. 25; WALTER ZANINI, PÁG. 645; JULIO LOUZADA VOL. 2, PÁG. 572.



158 - WALTER LEWY (1905 - 1995)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

Paisagem surreal - óleo sobre tela - 75 x 100 cm - canto inferior direito - 1990 -

Gravador, pintor, ilustrador, paisagista, desenhista e publicitário nascido em Bad Oldesloe, Alemanha e falecido em São Paulo. Estudou na Escola de Artes e Ofícios de Dortmund, Alemanha (1923-1927). Nesse período, filiou-se à tendência do realismo mágico. Em 1928 participou de coletivas em Dortmund, Gelsenkirchen, Boclusim e outras cidades. Com a crise econômica de 1929, Lewy perdeu seu emprego de desenhista numa gráfica e foi viver com os pais no interior, tornando-se ilustrador de anedotas em jornais. Realizou sua primeira exposição individual em Bad Lippspringe (1932), mas foi fechada quando a Câmara de Arte Alemã proibiu a participação de judeus na vida artística. Escapando dessa situação opressora, o artista imigrou para o Brasil (1938), retomando profissionalmente a pintura. Deixou para trás centenas de trabalhos, que foram enviados para a Holanda e perdidos durante os bombardeios da Segunda Guerra Mundial (1939-1945). No Brasil, fixou-se em São Paulo. Nos primeiros anos fez desenho publicitário e mais tarde capas de livros e ilustrações para diversas editoras. Ilustrou obras de Bertrand Russell, Machado de Assis e Arnold Toynbee, entre outras. Mais tarde, empregou-se como diagramador, letrista e arte-finalista nas agências de propaganda De Carli, Lintas Publicidade, Martinelli, Santos & Santos e Thompson Propaganda. Participou de Salões Nacionais e Bienais de São Paulo, entre 1951 e 1965, recebendo diversas premiações oficiais. JULIO LOUZADA, VOL. 10, PÁG. 497; MEC, VOL. 2, PÁG. 474; TEODORO BRAGA, PÁG. 245; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 286; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 630; LEONOR AMARANTE, PÁG. 142; ACERVO FIEO.



159 - MARIO SILÉSIO (1913 - 1990)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 900,00.

Composição - guache - 31 x 50 cm - canto inferior direito - 1958 -

Pintor, desenhista, muralista e vitralista. Cursa direito na Universidade de Minas Gerais - UMG (atual Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG), em Belo Horizonte, entre 1930 e 1935. Estuda desenho e pintura na Escola de Belas Artes de Belo Horizonte (Escola Guignard), sob a orientação de Alberto da Veiga Guignard, entre 1943 e 1949. Em 1953 viaja para Paris, como bolsista do governo francês, e ingressa no curso de André Lhote. De volta ao Brasil, entre 1957 e 1960 executa diversos painéis em edifícios públicos e privados de Belo Horizonte, como Banco Mineiro de Produção, Condomínio Retiro das Pedras, Inspetoria de Trânsito, Teatro Marília, Escola de Direito da UFMG e Departamento Estadual de Trânsito. É também de Silésio o mural feito para o Clube dos Engenheiros, em Araruama, Rio de Janeiro. Executa os vitrais da Igreja dos Ferros em 1964. ITAÚ CULTURAL.



160 - ALDO BONADEI (1906 - 1974)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 3.200,00.

Paisagem - óleo sobre eucatex - 49 x 59 cm - canto inferior direito - 1972 -
Reproduzido no convite deste Leilão. Ex coleção Roberto Mansur, São Paulo - SP.

Pintor, designer, gravador, figurinista e professor - Aldo Cláudio Felipe Bonadei nasceu e faleceu em São Paulo, SP. Entre 1923 e 1928 foi aluno de Pedro Alexandrino, período em que também frequentou o ateliê de Antonio Rocco. Viajou para a Itália, entre 1930 e 1931, e frequentou a Academia de Belas Artes de Florença, onde teve aulas com Felice Carena e seu assistente Ennio Pozzi, ambos ligados ao movimento ‘novecento’. Nesse período, dedicou-se ao desenho da figura humana, principalmente ao nu. Retornou a São Paulo no início da década de 1930 e participou ativamente do Grupo Santa Helena, da Família Artística Paulista - FAP e do Sindicato dos Artistas Plásticos. Em 1949 lecionou na Escola Livre de Artes Plásticas, primeira escola de arte moderna de São Paulo e participou do Grupo Teatro de Vanguarda. No ano seguinte, fundou a Oficina de Arte - O. D. A., com Odetto Guersoni e Bassano Vaccarini. No fim da década de 1950 atuou como figurinista nas peças ‘Vestido de Noiva’, de Nelson Rodrigues, e ‘Casamento Suspeitoso’, de Ariano Suassuna. Também desenhou alguns figurinos para dois filmes dirigidos por Walter Hugo Khoury: ‘Fronteiras do Inferno’ (1958) e ‘Na Garganta do Diabo’(1959). Realizou muitas exposições individuais e participou de vários Salões oficiais destacando-se: Bienal Internacional de São Paulo (1ª, 2ª, 3ª, 6ª, 7ª); Bienal de Veneza (1952); Panorama da Arte Moderna Brasileira (1970). MEC, VOL. 1, PÁG. 247; PONTUAL, PÁGS. 78/79; ARTE NO BRASIL, VOL. 2, PÁG. 1041; ART PRICE ANNUAL 2000, PÁG. 258; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 79; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 586; LEONOR AMARANTE, PÁG. 72; ACERVO FIEO.



161 - HÉRCULES BARSOTTI (1914 - 2010)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.400,00.

Composição - gravura - 28/50 - 52 x 53 cm - canto inferior esquerdo - 1990 -

Pintor, desenhista, programador visual, gravador, nascido e falecido em São Paulo, SP. Iniciou-se nas artes em 1926, estudando desenho e composição com o pintor Enrico Vio. Começou a pintar em 1940 e, na década seguinte, realizou as primeiras pinturas concretas, além de trabalhar como desenhista têxtil e projetar figurino para o teatro. Em 1954, com Willys de Castro, fundou o Estúdio de Projetos Gráficos, elaborou ilustrações para várias revistas e desenvolveu estampas de tecidos produzidos em sua tecelagem. Foi para a Europa (1958) com o intuito de estudar novas tendências e aprimorar suas técnicas. Foi premiado no Salão Paulista de Arte Moderna (1958, 1959), no Salão Nacional de Arte Moderna – RJ (1960) e realizou diversas exposições individuais. Na década de 1960, foi convidado por Ferreira Gullar a integrar-se ao Grupo Neoconcreto do Rio de Janeiro e participou das exposições de arte do grupo realizadas no Ministério da Educação e Cultura, RJ e no Museu de Arte Moderna de São Paulo. Em 1960, expôs na mostra 'Konkrete Kunst' (Arte Concreta), organizada por Max Bill, em Zurique. Entre 1963 e 1965, colaborou na fundação e participou do Grupo Novas Tendências, em São Paulo. Participou da IV, V, VI e VIII Bienal Internacional de São Paulo; do Panorama da Arte Atual Brasileira – MAM, SP, entre outras exposições oficiais. Em 2004, o MAM - SP organizou uma retrospectiva do artista. JULIO LOUZADA, VOL. 1, PAG. 98; VOL. 2, PÁG. 108; ITAU CULTURAL; PONTUAL PÁG. 57; MEC VOL. 1; PÁG. 187; www.pinturabrasileira.com; www.macvirtual.usp.br; www.pinacoteca.org.br; www.artprice.com.



162 - NANDO RIBEIRO (1963)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

Menino com pipa - óleo sobre tela colada em eucatex - 35 x 20 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 2019 -

Pintor e desenhista, Fernando Ferreira Ribeiro nasceu em Pires Ferreira, Ceará. É autodidata em pintura e desenho. Assinava Ferferi até 1993. Atualmente assina Nando Ribeiro. Tem participado de mostras coletivas e Salões oficiais em: Embu, SP (1983 a 1985, 1989, 1992, 1993, 1998); Guarujá, SP (1987); São Paulo (1988, 1990, 1991, 2004); Sorocaba, SP (1988, 1992); Bruxelas, Bélgica (1988); Avignon, França (1990); Três Fronteiras, SP (1994); Itanhaém, SP (1995); Poços de Caldas, MG (1997); Campinas, SP (1999, 2000); Campo Grande, MS (2002). Recebeu Menção Honrosa (1985) no Espaço Cultural IBM Brasil, SP e em Três Fronteiras, SP (1994). JULIO LOUZADA VOL. 8, PÁG 698; www.artmajeur.com/pt/nandoribeiro/presentation.



163 - LUIZ ANTONIO DA SILVA (1935)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Fotógrafo - escultura em terracota policromada - 18 x 07 x 08 cm - assinado -

Escultor, natural de Alto do Moura/PE. Conviveu diretamente com Mestre Vitalino que o orientou por toda vida. Luiz Antonio diz que modela "as coisas que vê por aqui, nas revistas e na televisão". Essa temática o diferencia hoje dos demais artesãos de Alto do Moura e explica a grande procura pelos seus trabalhos. Hoje o artista atingiu um nível de esmero em suas peças, com cores vibrantes, e orgulha-se em mostrar a peça "Fábrica de Telhas", com a qual ganhou o concurso da comemoração dos 145 anos de Caruaru.



164 - HELENA PEREIRA DA SILVA OHASHI (1895 - XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Paisagem - óleo sobre tela colada em madeira - 24,5 x 33 cm - canto inferior direito - Japão -

Paulistana, Helena era filha do pintor Oscar Pereira da Silva, de quem recebeu seus primeiros conhecimentos artísticos. Em 1929 seguiu para Paris, onde aperfeiçoou-se em pintura com Jean Paul Laurens. Casou-se com o pintor Kai Ohashi, em Paris, passando a residir em Kobe, Japão. Expôs em Paris (1933), no SNBA-RJ (1936), e no SPBA (1940), e individualmente no Brasil, em 1940, apresentando trabalhos executados no Japão. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 689, RUTH TARASANTCHI.



165 - INÁCIO RODRIGUES (1946)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Paisagem - óleo sobre tela - 60 x 40 cm - canto inferior direito e dorso - 2019 - São Paulo -
Reproduzido no convite deste Leilão.

Pintor, desenhista, entalhador e gravador, natural de Acaraú, CE. Iniciou-se em pintura como autodidata (1957). Viajou para diversos países da América Latina (1960-1965) com o objetivo de participar de exposições e acabou se fixando, em 1966, no Rio de Janeiro. Pintou a cúpula da Catedral Municipal e o Hotel Porto Velho em Porto Velho, RO (1962 e 1965). Expôs individualmente em diversas capitais brasileiras e também no exterior. Participou de muitas mostras e Salões oficiais e foi premiado em: Curitiba, PR (1971); Rio de Janeiro (1970, 1973, 1975, 1977, 1978); Belo Horizonte, MG (1970, 1971); Campinas, SP (1971, 1972); Florianópolis, SC (1972); Niterói, RJ (1974); Embu, SP (1974); Amparo, SP (1994, 1996); São José dos Campos, SP (1983). JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 834; VOL. 4, PÁG. 959; VOL. 12, PÁG. 345; TEIXEIRA LEITE PÁG. 450. WALMIR AYALA VOL. 2, PÁG. 259; MEC VOL. 4, PÁG. 91; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.artprice.com.



166 - MANABU MABE (1924 - 1997)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 750,00.

Composição - serigrafia e pastel - 346/440 - 16 x 21 cm - canto inferior direito - 1983 -
Com a seguinte dedicatória: "Para Olney Kruse".

Pintor, desenhista, gravador e ilustrador nascido no Japão e falecido em São Paulo. Assina Mabe. De Kobe, Japão, emigrou com a família para o Brasil (1934) para dedicar-se ao trabalho na lavoura de café no interior de São Paulo. Interessado em pintura, começou a pesquisar, como autodidata, em revistas japonesas e livros sobre arte. No fim da década de 1940, em São Paulo, conheceu o pintor Tomoo Handa e Yoshiya Takaoka. Integrou-se ao Grupo Seibi, Grupo 15, Grupo Guanabara. Mudou-se para São Paulo (1957) para dedicar-se exclusivamente à pintura. Realizou muitas exposições individuais e participou de várias mostras coletivas e oficiais no Brasil e exterior. Entre muitos prêmios recebidos, destacam-se: 1953 - Prêmio aquisição no Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro; 1957 - Pequena Medalha de Ouro no VI Salão Paulista de Arte Moderna, SP; 1958 - Grande Medalha de Ouro no VII Salão Paulista de Arte Moderna, São Paulo; 1959 - Prêmio Governador do Estado no VIII Salão Paulista de Arte Moderna, SP; Prêmio Leirner de Arte Contemporânea, SP; Melhor Pintor Nacional na 5ª Bienal Internacional de São Paulo; Prêmio Braun e Prêmio Bolsa de Estudos na I Bienal de Paris, França; Prêmio aquisição no ‘Dallas Museum of Fine Arts’, Dallas, Estados Unidos; 1960 - Prêmio Fiat na 30ª Bienal de Veneza, Itália; 1962 - Primeiro Prêmio na I Bienal Americana de Arte de Córdoba, Espanha. ARTE NO BRASIL, VOL. 2, PÁG. 1050; EIXEIRA LEITE, PÁG. 296; PONTUAL, PÁG. 325; MEC, VOL. 3, PÁG. 13; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 644; LEONOR AMARANTE, PÁG. 83, JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 561; ACERVO FIEO; www.mabe.com.br; www.pinturabrasileira.com; www.museumanabumabe.com.br; www.escritoriodearte.com; www.brasilescola.com; www.artprice.com.



167 - LEON LEHMANN (1873 - 1953)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Flores - óleo sobre cartão - 49,5 x 41 cm - canto inferior direito -
No estado (arranhado). (Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Pintor e desenhista alemão nascido e falecido em Altkirch, Alsácia, quando a Alsácia ainda não pertencia à França. Decidiu viver na França. Começou a se preparar para a Escola de Belas Artes e, por causa de sua saúde, retirou-se para Trappe-d'acey onde permaneceu por dois anos. Foi muito amigo da família de Georges Rouault, a quem ele conheceu no ateliê de Gustave Moreau, e viveu com eles por quatorze anos. Conheceu também Matisse, Dufy, Asselin e Marquet. A Primeira Guerra veio testar sua saúde e só voltou a pintar no seu término. Faleceu quando tinha acabado as decorações da Capela de Voirons. Em Paris, participou do "Salons des Artistes Français", "des Indépendants" e "d'Automne" onde uma sala foi dedicada aos seus trabalhos em 1936. Exposições retrospectivas de suas obras foram realizadas no "Musée des Beaux-Arts", em Besançon (1958) e na "Parisian gallery" (1963). BENEZIT; www.artprice.com.



168 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 850,00.

Composição - técnica mista sobre tela - 95 x 95 cm - dorso -
D.M.H. e a seguinte dedicatória: "Homenagem à Victoria Ocampo". Buenos Aires, primavera, 80. No estado (limpeza necessária).



169 - NOEMIA MOURÃO (1912 - 1992)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Rosto - desenho a nanquim - 29,5 x 22,5 cm - centro inferior -
No estado (papel manchado).

Pintora e desenhista. Assina Noemia. Realizou sua primeira individual em 1934, no Rio de Janeiro. Residiu na Europa de 1934 a 1940, frequentando em Paris as academias de la Grande Chaumière e Ranson. Expôs em Montevideu e Buenos Aires. Foi citada por REIS JUNIOR e TEODORO BRAGA. Foi aluna (1932) e mulher (1933) de Di Cavalcanti. MEC vol.3, pág. 265; WALMIR AYALA vol.2, pág.135; PONTUAL, pág. 375; TEIXEIRA LEITE, pág. 356; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 684. Acervo FIEO.



170 - MARIO ZANINI (1907 - 1971)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

"Viaduto do Chá" - óleo sobre tela - 70 x 50 cm - canto inferior direito -
Reproduzido no convite deste Leilão e sob o n° 137 em catálogo de leilão de Aloisio Cravo, São Paulo - SP, realizado em outubro de 2007. No estado (limpeza necessária).

Pintor, decorador, ceramista, professor, Mário Zanini nasceu e faleceu em São Paulo. Foi um dos integrantes de dois importantes movimentos artísticos considerados históricos na pintura paulista: o Grupo Santa Helena e a Família Artística Paulista. Sua formação artística se deu em São Paulo quando aos 13 anos iniciou curso de pintura da Escola Profissional Masculina do Brás e de 1924 a 1926, matriculou-se no curso de desenho e artes do Liceu de Artes e Ofícios. Conheceu Alfredo Volpi em 1927 e no ano seguinte estudou com o pintor Georg Elpons. Trabalhou no escritório de decoração de Francisco Rebolo entre 1933 e 1938. Em 1940 recebeu medalha de prata no 46º Salão Nacional de Belas Artes e foi convidado por Rossi Osir a trabalhar em seu ateliê de azulejos artísticos, o Osirarte. Em 1950, viajou por seis meses pela Itália, em companhia de Volpi e Osir. A partir de 1968 lecionou na Faculdade de Belas Artes de São Paulo. Participou de vários Salões oficiais e mostras coletivas no Brasil, como I e III Bienal Internacional de São Paulo e no exterior. Sua família doou 108 de suas obras ao Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo - MAC/USP em 1974. MEC, VOL. 4, PÁG. 531; PONTUAL, PÁG. 557; TEODORO BRAGA, PÁG. 250; WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 451; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 586; ARTE NO BRASIL, PÁG. 778; LEONOR AMARANTE, PÁG.38; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 1085; ACERVO FIEO.



171 - DAREL VALENÇA LINS (1924 - 2017)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 750,00.

"Da série TV III" - litografia - 21/60 - 50 x 70 cm - canto inferior direito -

Gravador, pintor, desenhista, ilustrador e professor nascido em Palmares, PE. Estudou na Escola de Belas Artes do Recife, atual Universidade Federal de Pernambuco (entre 1941 e 1942). Mudou-se para o Rio de Janeiro (1946); estudou gravura em metal com Henrique Oswald (1948) e recebeu aconselhamento técnico de Oswaldo Goeldi. Atuou como ilustrador em diversos periódicos: revista 'Manchete'; jornais 'Última Hora' e 'Diário de Notícias'; diversos livros: 'Memórias de um Sargento de Milícias' (1957), de Manuel Antônio de Almeida; 'Poranduba Amazonense' (1961), de Barbosa Rodrigues; 'São Bernardo' (1992), de Graciliano Ramos e 'A Polaquinha' (2002), de Dalton Trevisan. Encarregou-se das publicações da Sociedade dos Cem Bibliófilos do Brasil (entre 1953 e 1966). Lecionou gravura em metal no Museu de Arte de São Paulo - Masp (1951); litografia na Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro (entre 1955 e 1957) e na FAAP, São Paulo (1961 a 1964). Realizou painéis para o Palácio dos Arcos, em Brasília (1968-1969) e para a IBM do Brasil, no Rio de Janeiro (1979). Realizou muitas exposições individuais, destacando-se: Rio de Janeiro (1949, 1963, 1964, 1966, 1968, 1973, 1995); Recife, PE (1951); Itália (1952 – Milão, 1958 - Roma); São Paulo (1953 – MASP, 1960, 1967). Participou de várias mostras e Salões oficiais, entre as quais: Salão Nacional de Arte Moderna (1952 a 1960) onde recebeu Prêmio de Viagem ao País (1952) e Prêmio de Viagem ao Estrangeiro (1957); Bienal Internacional de São Paulo (1961 a 1967) recebendo Prêmio Melhor Desenhista Nacional (1963) e Sala Especial (1965); Gravadores Brasileiros Contemporâneos, EUA (1966); Bienal de Tóquio, Japão (1964); Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa (1988, 1993). MEC VOL.3, PÁG. 18; PONTUAL, PÁG.160; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 313; VOL. 8, PÁG. 246; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 715; ARTE NO BRASIL, PÁG. 839; LEONOR AMARANTE, PÁG. 125; ACERVO FIEO; www.graphias.com.br; www.artprice.com.



172 - ABRAHAN PALATNIK (1928)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 550,00.

Baleia - múltiplo em acrílico - 10 x 16 x 03 cm - assinado -

Artista cinético, pintor, desenhista, escultor, natural de Natal, RN. Em 1932, muda-se com a família para a região onde, atualmente, se localiza o Estado de Israel. Inicia seus estudos de arte no ateliê do pintor Haaron Avni e do escultor Sternshus e estuda estética com Shor. Freqüenta o Instituto Municipal de Arte de Tel Aviv. Retorna ao Brasil em 1948 e se instala no Rio de Janeiro. Convive com os artistas Ivan Serpa, Renina Katz e Almir Mavignier. Por volta de 1949, inicia estudos no campo da luz e do movimento, que resultam no Aparelho Cinecromático, exposto em 1951 na I Bienal Internacional de São Paulo, onde recebe menção honrosa do júri internacional. Em 1954, integra o Grupo Frente, ao lado de Ivan Serpa, Ferreira Gullar, Mário Pedrosa, Franz Weissmann, Lygia Clark e outros. Desenvolve a partir de 1964 os Objetos Cinéticos, um desdobramento dos cinecromáticos e é considerado, internacionalmente, um dos pioneiros da arte cinética. Participou também das II, III, V, VI, VIII, IX Bienais de São Paulo, do IX Salão Nacional de Arte Moderna, RJ, e da XXII Bienal de Veneza, entre muitas outras no Brasil e no exterior. BENEZIT VOL. 8, PÁG. 89; PONTUAL, PÁG. 401; MEC VOL.3, PÁG. 329; ITAUCULTURAL.



173 - MENASE VAIDERGORN (1927)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

"Saída para pesca" - óleo sobre tela colada em eucatex - 30 x 40 cm - canto inferior direito -

Pintor nascido em Hotin, Romênia. Assina MVAIDERGORN. Seus pais vieram para o Brasil (1932) fixando residência em São Paulo. Ingressou na Associação Paulista de Belas Artes (fim da década de 1940) onde conheceu Dario Mecatti que muito o estimulou. Viajou pelo norte da África e Europa. Realizou exposições individuais e participou de diversos salões e mostras coletivas oficiais, recebendo diversos prêmios, entre eles: os do Salão Paulista de Belas Artes, SP (1976 - Medalha de Bronze, 2000 – Prêmio Aquisição, 2001 – Grande Medalha de Prata). JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 1011; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.artprice.com.



174 - INGRES SPELTRI (1940)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

"Olhando o mundo a noite" - óleo sobre tela - 74 x 80 cm - canto inferior direito -

Pintor, desenhista, escultor, gravador e professor nascido em Jau, SP. Filho do pintor Augusto Speltri com quem se iniciou na pintura, ainda criança. Em 1959 mudou-se para São Paulo onde estudou Música (1960-1964). Foi professor titular da Escola Panamericana de Arte, SP. Realizou exposições individuais, em São Paulo, nos anos de 1977, 1981, 1978, 1984. Participou de várias mostras e Salões oficiais, sendo premiado em: São Paulo (1963, 1966, 1970, 1971); Santo André, SP (1976). JULIO LOUZADA VOL. 5, PÁG. 1012; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; MEC VOL. 4, PÁG. 338; PONTUAL PÁG. 504; www.artprice.com; www.speltri.com.



175 - GEORGINA DE ALBUQUERQUE (1885 - 1962)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.100,00.

"Retrato de Jenny Pimentel de Borba" - óleo sobre tela - 81 x 65 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 19-11-1939 -
Com carimbo do Salão Nacional de Belas Artes de 1941.

Pintora e professora. Aos 15 anos, inicia sua formação artística com o pintor italiano Rosalbino Santoro (1858 - s.d.). Muda-se para o Rio de Janeiro em 1904, matricula-se na Escola Nacional de Belas Artes - Enba e estuda com Henrique Bernardelli. Em 1906, casa-se com o pintor Lucílio de Albuquerque e viaja para a França. Em Paris, frequenta a École Nationale Supérieure des Beaux-Arts e ainda a Académie Julian, onde é aluna de Henri Royer. Volta ao Brasil em 1911, expõe em São Paulo e, partir dessa data, participa regularmente da Exposição Geral de Belas Artes. De 1927 a 1948, leciona desenho artístico na Enba e, em 1935, é professora do curso de artes decorativas do Instituto de Artes da Universidade do Distrito Federal. Em 1940, em sua casa no bairro de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, funda o Museu Lucílio de Albuquerque, e institui um curso pioneiro de desenho e pintura para crianças. Entre 1952 e 1954, exerce o cargo de diretora da Enba. TEIXEIRA LEITE, págs. 15 e 16; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 22 a 26; TEODORO BRAGA, pág. 107; REIS JR., pág. 370; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs.17 e 141; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 455; ARTE NO BRASIL, pág 574; Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.



176 - J. BORGES (1935)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Os filhos famintos" - xilogravura - 24 x 33 cm - canto inferior direito - 2016 -

Gravador e pintor, nasceu em Bezerros, PE, em 20/12/1935. Tinha sucesso com seus folhetos de cordel, mas foi a falta de material de ilustração para a capa de seu próximo trabalho que o levou para a xilogravura, passando a ser reconhecido nacional e internacionalmente. Em novembro de 1997 veio para São Paulo como um dos convidados do Encontro da Cultura Brasileira, na exposição O Cordel e a Arte dos Livros, que aconteceu no Salão Arco 2 da Estação Julio Prestes. JULIO LOUZADA, vol 10, pág 127; Acervo FIEO; ITAÚ CULTURAL.



177 - IVAN MORAES (1936)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 600,00.

Baiana - óleo sobre tela colada em eucatex - 34 x 28 cm - canto inferior esquerdo - 1972 -

Pintor natural da cidade do Rio de Janeiro. Estudou com Ivan Serpa, no MAM-RJ. Participou do IX ao XII SNAM, da VI BSP e II Bienal de Paris. Quirino Campofiorito sobre o temas de seus quadros escreveu: "Tira-os do popular, denuncia afinidades, respeita-lhes a autenticidade. Candomblé, memória de ritos, visões religiosas, gente na rua. O mundo da imagem anedódita, sim, mas a que não falta, em expressão rigorosa, a comunicação artística." PONTUAL, pág. 368;



178 - MARIA MARTINS (1894 - 1973)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

Estudo - desenho - 32 x 21,5 cm - canto inferior direito -
No estado (papel manchado).

Escultora, desenhista, gravadora e escritora, nascida em Minas Gerais e falecida no Rio de Janeiro. Desenvolve grande parte de sua carreira no exterior em virtude das atividades do marido, o embaixador Carlos Martins. Inicia-se na escultura em 1926 e aperfeiçoa-se, na Bélgica, com o escultor Oscar Jespers em 1936. Em 1939, muda-se com Carlos Martins para Washington D.C. Posteriormente, aluga um apartamento em Nova York onde estuda escultura com Jacques Lipchitz, realizando trabalhos em bronze. Em 1941, faz sua primeira exposição individual, na Corcoran Art Gallery, em Nova York. Conhece André Breton (1896 - 1966), que a apresenta a artistas europeus ligados ao surrealismo e ao dadaísmo, como Michel Tapiè, André Masson, Yves Tanguy, Max Ernst e Marcel Duchamp. Em 1947, André Breton assina o prefácio do catálogo de sua mostra individual, realizada na Julien Lery Gallery, em Nova York. Em 1948, muda-se para Paris, onde seu ateliê torna-se local de encontro de intelectuais e artistas. Volta definitivamente ao Brasil em 1950. Colabora na organização das primeiras Bienais Internacionais de São Paulo e na fundação do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ. Como escritora, assina coluna no Correio da Manhã e publica entre outros livros, A Índia e o Mundo Novo, A Ásia Maior e o Planeta China. ITAÚ CULTURAL.



179 - MANEZINHO ARAUJO (1910 - 1993)
Lance Livre - Aguardando oferta

Pescador - serigrafia - 27/150 - 27 x 38 cm - canto inferior direito -
No estado (papel manchado).

Com apenas dezesseis anos de idade mudou-se para Recife, a fim de concluir seus estudos. Após cursar a escola de comércio de Pernambuco, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde foi buscar fama através da música, sua primeira paixão. Destacou-se como compositor e intérprete de música popular nordestina, o que lhe valeu a possibilidade de montar um restaurante de comida nordestina em SP, muito famoso durante vários anos, o Cabeça Chata. Apesar de viver, em SP, suas raízes ainda permanecem em Pernambuco. De uma forma autodidata começou a dedicar-se à pintura, retratando o folclore nordestino, sua gente, suas vidas, fase que sustentou até o seu desaparecimento, com uma menção surrealista. Expôs individualmente nas Galerias Astreia e Capela (SP), e na Ranulfo em Recife (1969). Em 1968, apresentado por Aldemir Martins, teve publicado o álbum de serigrafias Meu Brasil. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 56; MEC, vol. 1, pág. 109; PONTUAL, pág. 38; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 18; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 832; Acervo FIEO.



180 - VICENTE DO REGO MONTEIRO (1899 - 1970)
Base: R$ 12.000,00 - Temos oferta de: R$ 17.500,00.

Gato - óleo sobre madeira - 40 x 40 cm - canto superior direito -
Reproduzido na quarta capa do catálogo deste Leilão. Com e-mail do Sr. Carlos Ranulpho de Albuquerque, que foi Marchand do autor, confirmando a autoria da obra. Esta obra participou da "Exposição Vicente do Rego Monteiro", realizada na Galeria Vernisage, Rua Hilário de Gouvêia, 57A - Rio de Janeiro - RJ em 1974, conforme etiqueta no dorso.

Pintor, escultor, desenhista, ilustrador, artista gráfico, professor e poeta nascido e falecido na cidade do Recife, PE. Iniciou seus estudos artísticos em 1908, em cursos da ENBA-RJ. Em 1911 foi para Paris onde frequentou as Academias: ‘Colarossi’, ‘Julien’ e ‘La Grande Chaumière’ e também participou do ‘Salon des Indépendants’ (1913), do qual se tornou membro societário. Em Paris conheceu Modigliani, Léger, Braque, Miró, entre outros expoentes de sua época. Em São Paulo expôs pela primeira vez (1920) e conheceu Di Cavalcanti, Anita Malfatti, Pedro Alexandrino e Victor Brecheret. Viajou em seguida para França deixando oito óleos e aquarelas para serem expostos na Semana de Arte Moderna de 1922, em São Paulo. Em 1923, fez desenhos de máscaras e figurinos para o balé ‘Legendes Indiennes de L'Amazonie’. Trouxe ao Brasil a exposição ‘A Escola de Paris’ (1930), exibida no Recife, São Paulo e Rio de Janeiro. Decorou a Capela do Brasil no Pavilhão Vaticano da Exposição Internacional de Paris, em 1937. Realizou muitas exposições individuais, participou de inúmeras mostras e Salões oficiais e recebeu diversos prêmios no Brasil, Europa e EUA. PONTUAL, PÁG. 366; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 522; MEC VOL. 3, PÁG. 174; JULIO LOUZADA VOL.2, PÁG.261; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 520; ARTE NO BRASIL, PÁG. 672; pitoresco.com; pinturabrasileira.com; e-biografias.net; educacao.uol.com.br; mac.usp.br; web.artprice.com.



181 - FERNANDO ODRIOZOLA (1921 - 1986)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Composição - gravura - 20/100 - 51 x 71 cm - canto inferior direito - 1978 -
No estado (papel manchado).

Fernando Pascual Odriozola nasceu em Oviedo, Espanha e faleceu em São Paulo. Pintor, desenhista e gravador. Começou a pintar em 1936. Veio para o Brasil em 1953 e fixou residência em São Paulo. No ano seguinte, realizou sua primeira exposição individual na Galeria Portinari. O Museu de Arte Moderna de São Paulo dedicou-lhe outra individual, em 1955. Na década de 1960, lecionou no Instituto de Arte Contemporânea da Fundação Armando Álvares Penteado e colaborou como ilustrador nos jornais O Estado de S. Paulo e Diário de S. Paulo, e na revista Habitat. Em 1964, integrou, com Wesley Duke Lee , Yo Yoshitome e Bin Kondo , o Grupo Austral, ligado ao movimento internacional Phases. Participou das 7ª, 8ª, 9ª, 12ª, 13ª, 14ª, 15ª e 18ª Bienais Internacionais de São Paulo onde foi premiado na 7ª, 8ª, e 14ª edição; da 7ª Bienal de Tóquio; dos 2º e 5º Panoramas da Arte Atual Brasileira, entre outras. No ano de seu falecimento, o Centro Cultural São Paulo (CCSP) realizou uma exposição retrospectiva póstuma em sua homenagem. JULIO LOUZADA VOL.11, PÁG. 231; MEC VOL.3, PÁG.291; PONTUAL PÁG. 389; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 737; ARTE NO BRASIL PÁG.907; LEONOR AMARANTE PÁG. 143; ACERVO FIEO.



182 - MANOEL SANTIAGO (1897 - 1987)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Cascudas - óleo sobre eucatex - 22 x 18 cm - canto inferior esquerdo e dorso -
No estado (limpeza necessária).

Manoel Colafante Caledônio de Assumpção Santiago nasceu em Manaus, AM e faleceu no Rio de Janeiro. Pintor, desenhista e professor. Mudou-se para Belém em 1903 e iniciou estudos de pintura. Desde 1916 já praticava a arte não figurativa. Em 1919 transferiu-se para o Rio de Janeiro, cursou Direito e frequentou a Escola Nacional de Belas Artes, onde foi aluno de Rodolfo Chambelland e Baptista da Costa. Na época, teve aulas particulares com Eliseu Visconti. Foi casado com a pintora Haydeá Santiago. Participou em 1927 do Salão Nacional de Belas Artes e recebeu o prêmio viagem ao exterior, entre vários outros. Foi para Paris no ano seguinte, e lá permaneceu por cinco anos. De volta ao Rio de Janeiro, em 1932, tornou-se professor do Instituto de Belas Artes. Em 1934, passou a lecionar pintura e desenho no Núcleo Bernardelli, figurando entre seus alunos José Pancetti, Edson Motta, Bustamante Sá, Ado Malagoli, Rescála e Milton Dacosta. Participou da I Bienal Internacional de São Paulo (1951) e do 8º Panorama da Arte Brasileira (1976). PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, VOL. 1, PÁG. 241; TEODORO BRAGA, PÁG. 211; CATÁLOGO DA EXPOSIÇÃO DE PAISAGEM BRASILEIRA, MEC-MNBA /RIO/1944; MAYER/84, PÁG. 1158; REIS JR, PÁG. 378; PONTUAL, PÁG. 473; WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 292; ITAÚ CULTURAL, JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 865; ACERVO FIEO.



183 - MESTRE PAQUINHA (1957)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 2.000,00.

"Múltiplo" - escultura em madeira - 60 x 63 x 09 cm - assinado - 2005 -

Escultor, Marcos Fernando Rodrigues da Silva nasceu em Teresina, PI. Começou a trabalhar na oficina do Mestre Cometi. A partir dessa iniciação passou a dedicar-se à arte da escultura em madeira. Participou de feiras de artesanato e salões de arte em Teresina, Brasília e São Paulo. Em 1983 recebeu o primeiro prêmio no IV Salão de Arte Santeira, promovida pela Universidade Federal do Piauí. www.galeriapontes.com.br/?portfolio=paquinha; www.artedobrasil.com.br; pontosolidario.org.br.



184 - GERARDO DE SOUSA (1950)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Composição - o vaqueiro" - óleo sobre tela - 67 x 136 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 2005 - Rio de Janeiro -

Pintor, Gerardo Luiz de Sousa nasceu em Guaraciaba do Norte, CE. Assina Gerardo de Sousa. Ativo no Rio de Janeiro onde, em 1973, começou a expor seus trabalhos na Feirarte, Praça General Osório. Realizou exposições individuais no: Rio de Janeiro (1974 a 1978, 1980, 1985, 1987); Niterói, RJ (1979, 1983), Teresópolis, RJ (1982). Participou de várias mostras coletivas e Salões oficiais no Rio de Janeiro e pelo o Brasil. No exterior expôs em: Milão (1975); San Salvador, Caracas, Toronto e Nova York (1976); Nova Jersey e Genebra (1977); Santiago do Chile (1979); Paris (1986); Tóquio (1989); Eslováquia (1994). Foi premiado no Rio de Janeiro (1974) e em Piracicaba, SP (1992). MEC VOL. 4, PÁG. 313; JULIO LOUZADA VOL. 11, PÁG. 306.



185 - ÉLON BRASIL (1957)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 550,00.

"Menina Kalapalo" - óleo sobre tela - 81 x 61 cm - canto superior esquerdo e dorso - 2018 - São Paulo -

Artista plástico autodidata nascido na praia de Jurujuba, em Niterói-RJ, onde aos seis anos de idade começou a rabiscar seus primeiros crayons. Mudando-se para São Paulo (1968), ganhou sua primeira medalha de ouro na II PINARTE de Pinheiros. Em 1970, juntamente com os artistas Aldemir Martins, Clóvis Graciano e Carlos Scliar, ilustrou o livro de poesias "Cantando os Gols" de Tito Battine. Morou na Suíça por seis meses. Realizou exposições individuais em: São Paulo (1993, 1998, 1999, 2002, 2006, 2008); Toronto, Canadá (1993); Basiléia, Suíça (1993, 1995, 1997, 1999); Bahia (1993, 1995); Berna, Suíça (1995); Bruxelas, Bélgica (1996); Blumenau, SC (1998); Rio de Janeiro (1999); Paris, França (2004); Londres, Inglaterra (2005); Los Angeles, EUA (2006). Tem participado de mostras coletivas e oficiais. ITAU CULTURAL; www.elon.brasil.nom.br.



186 - GUIDO TOTOLI (1937)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Casario - óleo sobre tela - 50 x 60 cm - canto inferior esquerdo -
No estado (pintura craquelada).

Italiano, radicado no Brasil, Totoli é acima de tudo ótimo paisagista e pintor de figuras, fazendo uso de uma cor e de uma pincelada vivas e truculentas. Tem se dedicado com muita felicidade às cerâmicas. MEC, vol.4, pág. 408; JULIO LOUZADA, vol.11, pág. 325, Acervo FIEO.



187 - MANUEL CARGALEIRO (1927)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 2000,00.

Composição - técnica mista sobre cartão - 24 x 24 cm - canto inferior direito - 1994 -
(Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Pintor, ceramista, azulejista nascido em Vila Velha do Ródão - Beira Baixa - Portugal. Estudou na Escola de Belas Artes de Lisboa e depois de decidir dedicar-se à cerâmica, estudou com Jorge Barradas na Escola de Artes Decorativas de Lisboa. Conhecido, sobretudo como pintor ceramista, a partir de 1952 participou de várias exposições em Portugal e Paris, recebendo muitos prêmios internacionais por suas criações. Em 1957 ganhou bolsa de estudos e seguiu para a Itália, onde trabalhou. Em 1958 dedicou-se à faiança de Gien. Mudou-se para Paris e começou a trabalhar com pintura. Em 1964 veio ao Brasil e expôs no Rio, Brasília, Porto Alegre e São Paulo. Depois seguiu para a Alemanha, Itália e Japão. Possui obras nos museus de Genebra, Haifa, Jerusalém, Lisboa, Porto, Rabat e Rio de Janeiro. Em 1990 foi criada, em Lisboa, a Fundação Manuel Cargaleiro para a qual ele doou um grande número e uma grande variedade de suas próprias obras e de sua coleção. BENEZIT VOL. 2, PÁG. 524; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL. 3, PÁG. 217; VOL. 8, PÁG. 170; infopedia.pt; insideportugaltravel.com; arcadja.com; lisboapatrimoniocultural.pt; artnet.com; web.artprice.com.



188 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Colhendo flores - óleo sobre eucatex - 39 x 30 cm - canto inferior direito -
Ely, 77.



189 - HANSEN BAHIA (1915 - 1978)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

No quarto - xilogravura - 40 x 30 cm - canto inferior direito -

Gravador, escultor, pintor, ilustrador, poeta, escritor, cineasta e professor, Karl Heinz Hansen nasceu em Hamburgo, Alemanha e faleceu em São Paulo. Serviu como soldado (entre 1936 e 1945) na Segunda Guerra Mundial e atuou como ilustrador de histórias infantis. Autodidata, realizou suas primeiras xilogravuras entre 1946 e 1948. Fixando-se sucessivamente na Itália, Suécia, Inglaterra, emigrou para o Brasil em 1950 residindo de início em São Paulo e a partir de 1955 em Salvador. Ilustrou a publicação 'Flor de São Miguel' (1957), com textos de Jorge Amado, Vinicius de Moraes e de sua autoria; 'Navio Negreiro' (1958), de Castro Alves. Em homenagem à Bahia passou a assinar seus trabalhos como Hansen-Bahia a partir de sua volta à terra natal em 1959. Lá permaneceu até 1963, enquanto trabalhou no ateliê de gravura fundado por ele mesmo no castelo Tittmoning. Viveu na Etiópia (entre 1963 e 1966) onde ajudou a estabelecer a Escola de Belas Artes na cidade de Addis Abeba. Retornou a Salvador e naturalizou-se. Tornou-se professor de artes gráficas da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia (1967). Dois anos antes de sua morte, doou em testamento sua produção artística para a cidade de Cachoeira, Bahia, onde foi criada a Fundação Hansen Bahia que recebeu seu acervo artístico de xilogravuras, matrizes, livros, pinturas, prensas e ferramentas de trabalho. Realizou exposições individuais no: Museu de Arte de São Paulo (1950, 1953, 1966); Museu Nacional de Belas Artes, RJ (1952); Museu de Arte Moderna de São Paulo (1954, 1956); Buenos Aires, Argentina (1954, 1955, 1958), entre outras. Participou de muitas mostras coletivas e oficiais como: Bienal Internacional de São Paulo (1951, 1961); Salão Nacional de Arte Moderna (1954, 1955). PONTUAL PÁG. 260; MEC VOL. 1, PÁG. 157; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 81; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 720; ARTE NO BRASIL, PÁG. 842; ACERVO FIEO, PÁG. 251; www.hansenbahia.com.br; www.artprice.com.



190 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA (1909 - 1996)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 500,00.

Fazenda - óleo sobre tela - 30 x 40 cm - centro inferior e dorso - 1979 -
No estado (desprendimento de tinta).

Pintor, desenhista, escritor, escultor, repentista nascido em Sales de Oliveira, SP e falecido em São Paulo. Trabalhador rural, de pouca formação escolar, foi autodidata. Em 1931, mudou-se para São José do Rio Preto, SP. Participou da exposição de inauguração da Casa de Cultura da cidade (1946), quando suas pinturas chamaram atenção dos críticos Lourival Gomes Machado, Paulo Mendes de Almeida e do filósofo João Cruz e Costa. Dois anos depois, realizou mostra individual na Galeria Domus, SP. Nessa ocasião Pietro Maria Bardi, diretor do MASP, adquiriu seus quadros e depositou parte deles no acervo do museu. O MAM, SP editou seu primeiro livro, ‘Romance de Minha Vida’ (1949). Na 1ª Bienal Internacional de São Paulo (1951), recebeu prêmio aquisição do ‘Museum of Modern Art’ (MoMA) de Nova York. Em 1966, o artista criou o Museu Municipal de Arte Contemporânea de São José do Rio Preto e gravou dois LPs, ambos chamados ‘Registro do Folclore Mais Autêntico do Brasil’, com composições de sua autoria. No mesmo ano, ganhou Sala Especial na 33ª Bienal de Veneza. Publicou ainda os livros ‘Maria Clara’ (1970), ‘Alice’ (1972); ‘Sou Pintor, Sou Poeta’ (1982); e ‘Fazenda da Boa Esperança’ (1987). Transferiu-se de São José do Rio Preto para São Paulo, em 1973. Em 1980, foi fundado o Museu de Arte Primitivista José Antônio da Silva (MAP), em São José do Rio Preto, com obras do artista e peças do antigo Museu Municipal de Arte Contemporânea. Realizou inúmeras exposições individuais e participou de muitos certames oficiais pelo Brasil e exterior recebendo muitos prêmios. MEC, vol. 4, pág. 256; PONTUAL, pág. 493 e 494; TEIXEIRA LEITE, pág. 478; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 958; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 958; BENEZIT, vol. 9, pág. 602; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 227; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 171; Acervo FIEO.



191 - CLAUDIO TOZZI (1944)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Papagaio - serigrafia - P.A. - 61 x 41 cm - canto inferior direito -
No estado (papel dobrado).

Pintor, arquiteto e gravador, Claudio José Tozzi nasceu em São Paulo. É mestre em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Realizou diversas exposições individuais. Participou, entre várias mostras e Salões oficiais, da Bienal Internacional de São Paulo em 1967, 1969, 1977, 1985, 1989, 1991; do Panorama da Arte Atual Brasileira em 1971, 1973, 1976, 1977, 1979, 1980, 1983; da Bienal de Veneza em 1976; da Bienal de Paris em 1980. Criou painéis para espaços públicos de São Paulo, como: ‘Zebra’, colocado na lateral de um prédio da Praça da República; na Estação Sé do Metrô, em 1979; na Estação Barra Funda do Metrô, em 1989; no edifício da Cultura Inglesa, em 1995 e, no Rio de Janeiro, na Estação Maracanã do Metrô Rio, em 1998. WALMIR AYALA VOL.2, PÁG.388; PONTUAL PÁG.525; TEIXEIRA LEITE PÁG. 512; ARTE NO BRASIL VOL.2, PÁG.1059; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 740; LEONOR AMARANTE PÁG. 170; ACERVO FIEO; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 992; www.eca.usp.br; www.pinacoteca.org.br.



192 - YVES SERPA (1951)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

"Hexagrama 11" - óleo sobre tela - 53 x 40 cm - dorso - 09/2007 -

Pintor. É filho do pintor, gravador, desenhista e professor Ivan Serpa que influenciou grandes nomes da arte moderna brasileira como Décio Vieira, Hélio Oiticica, Lígia Clark e Rubem Ludolf, entre outros. Com carreira iniciada na escolinha de artes do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, sua primeira participação como pintor foi aos cinco anos de idade no Salão de Arte Infantil do Jornal do Brasil em 1956. Realizou exposição individual no Gabinete de Arte da Presidência da Câmara dos Deputados, Brasília – DF (2012). Além de vários prêmios durante sua carreira, também recebeu a Medalha de Mérito Cultural da Câmara de Vereadores de Niterói, por indicação da Associação Fluminense de Belas Artes. Foi eleito presidente (2012) da Academia de Ciências e Letras de Maricá, RJ, cidade na qual presta serviço à comunidade local. www2.camara.leg.br/a-camara/visiteacamara/cultura-na-camara/atividades-anteriores/ate-2012/exposicoes-artisticas/gadinete-de-artes-yves-serpa.



193 - EDUARDO ARRANZ BRAVO (1941)
Lance Livre - Aguardando oferta

Composição - desenho a nanquim e aquarela - 12 x 07 cm - canto inferior esquerdo - 1992 -
(Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Pintor, desenhista, escultor, ilustrador, cenógrafo e gravador nascido em Barcelona, Espanha. Motivado pela viagem que fez a Paris e à Itália (1958-1959) matriculou-se na Escola Superior de Belas Artes de São Jorge (1959-1962) e na Escola Internacional de Pintura Mural Contemporânea – Sant Cugat del Vallés, ambas em Barcelona. Realizou exposição individual em: Barcelona, Espanha (1961, 1984, 1996, 1999); Madri, Espanha (1980); Bad Honnef, Alemanha (1991, 1997); Cadaqués, Espanha (1995); Nova York, EUA (1997, 1998); Coral Gables, FL – EUA (2002); Saragoça, Espanha (2002). Participou de mostras coletivas em instituições como: Museu Reina Sofía - Madri, Arte Espanhola em Genebra – Suíça (1969), Bienal de Veneza – Itália (1980), Exposição Universal de Sevilha (1992), Museu de Arte Moderna de São Paulo, entre outras. É o único artista espanhol vivo a ter sua própria fundação, uma plataforma que ele usa generosamente para apresentar e apoiar artistas contemporâneos emergentes. BENEZIT; https://www.franklinbowlesgallery.com/eduardo-arranz-bravo; www.artprice.com.



194 - GUSTAVO ROSA (1946 - 2013)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

"O chefe" - litografia - 27/30 - 43 x 32 cm - canto inferior direito - 1978 -

Pintor, desenhista e gravador, Gustavo Machado Rosa nasceu e faleceu em São Paulo. Realizou a sua primeira exposição individual em São Paulo em 1970, tendo já ganho no ano anterior a medalha de ouro e o prêmio de viagem ao exterior no 1º Festival de Artes Interclubes, no Clube Monte Líbano. Em 1974, estudou gravura com o norte-americano Rudy Pozzati, no Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Álvares Penteado. Em 1979 e 1980 participou da Exposição Brasil-Japão em Tóquio. Expôs, em 1979, no Salão Nacional de Artes Plásticas e, em 1980 e 1983, no Panorama da Arte Atual Brasileira, no MAM - SP. Realizou painéis externos, em 1984, na Rua Bela Cintra e, em 1987, na Rua Mario Ferraz, para Tereza Gureg. Em 1990 participou de exposição coletiva no ‘International Museum of 20th Century Arts’, em Los Angeles, Estados Unidos. Lançou, em 1994, uma grife com o seu nome em Nova York. Em 1998, desenvolveu as capas de cadernos escolares da marca Tilibra. Neste mesmo ano executou uma escultura em homenagem a Maria Esther Bueno, na Praça Califórnia, em São Paulo. Em 2000, montou escultura de um gato, sob o Viaduto Santa Efigênia. Recebeu vários prêmios, expôs e participou de eventos em cidades do Brasil e no exterior como também em Nova York, Massachusetts, Tel-Aviv, Lisboa, Berlim, Hamburgo, Barcelona e Paris. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 274; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO; www.artprice.com; www.mercadoarte.com.br.



195 - DA PAZ (1944)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 300,00.

Composição - óleo sobre tela - 60 x 80 cm - canto inferior direito - 1975 -

Pintora e professora nascida em São Paulo. Assina R.Maria da Paz (até 1988) e Da Paz. Estudou com Anita Vinocour, Ari Saponara, Jean Luis Pierre Blanc, José Urrutia Rocha. Realizou exposições individuais em Santo André (1985), Mauá (1986). Tem participado de várias mostras e Salões oficiais onde recebeu muitos prêmios, de 1983 a 1986, em: São Paulo, Mirandópolis, Guararapes, Rio de Janeiro, Lisboa, Casa Branca, Estados Unidos. Possui obras na Pinacoteca do Estado de São Paulo e no Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro. JULIO LOUZADA VOL. 4, PÁG. 303.



196 - FRANCISCO CUOCO (1928)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Paisagem - óleo sobre tela - 63 x 80 cm - canto inferior direito - 1974 -

Pintor e professor, participou do Salão Paulista de Belas Artes onde obteve medalha de bronze e o 2º prêmio Governo do Estado-1956-1970; participou, também, do 1º Salão Panamericano de Arte-RGS-1958; 3º Salão de Arte de São Bernardo do Campo-1970 e do Salão Oficial de Belas Artes de Santos-1970/71. MEC, vol. 1, pág. 502; Acervo FIEO.



197 - OSWALDO GOELDI (1895 - 1961)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Pescador - xilogravura - 2/12 - 22,5 x 18,5 cm - canto inferior direito -
No estado (papel manchado e rasgado).

Desenhista, gravador, ilustrador e professor nascido e falecido no Rio de Janeiro, filho de Emilio Goeldi, naturalista suíço. Com um ano de idade, mudou-se com a família para Belém, Pará e depois para Berna, Suíça (1905). Em Zurique, ingressou no curso de Engenharia e, em Genebra, matriculou-se na 'Ecole des Arts et Métiers' (1917) mas, abandonou ambos os cursos. A seguir, passou a ter aulas no ateliê de Serge Pahnke e Henri van Muyden. Realizou sua primeira exposição individual (1917), em Berna, quando conheceu a obra de Alfred Kubin, sua grande influência artística e com quem se correspondeu por vários anos. Retornou ao Brasil (1919), trabalhou como ilustrador e realizou sua primeira exposição individual no Rio de Janeiro (1921). Conheceu Ricardo Bampi (1923) que o iniciou na xilogravura. Fez desenhos e gravuras para periódicos e livros como 'Cobra Norato', de Raul Bopp (1937) com suas primeiras xilogravuras coloridas, entre outros. Foi professor na Escolinha de Arte do Brasil (1952) e na Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1955) onde abriu uma oficina de xilogravura. Exposições individuais em: Berna, Suíça (1917, 1930); Rio de Janeiro (1921); Belém, PA (1938); São Paulo (1951); Paris (1952). Participou de várias exposições coletivas e mostras oficiais, destacando-se: Exposição itinerante da 'International Business Machine Corporation', EUA (1941 a 1944); 'Exhibition of Modern Brazilian Paintings', Inglaterra (1943, 1944, 1945); Bienal Internacional de São Paulo (1951 - Prêmio de Gravura, 1953 - Sala Especial, 1955, 1961, 1969, 1971, 1979, 1985); Bienal de Veneza (1950, 1952, 1956, 1958); Bienal de Gravura, Checoslováquia (1950); Bienal Internacional de Xilogravura, Tóquio (1952); Bienal Interamericana do México, Cidade do México (1960 - I Prêmio Internacional de Gravura). PONTUAL PÁG.240; JULIO LOUZADA VOL.11, PÁG.130; MEC VOL.2, PÁG.271; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG.521; ARTE NO BRASIL PÁG. 672; ACERVO FIEO; www.oswaldogoeldi.org.br; www.centrovirtualgoeldi.com; www.pinacoteca.org.br; www.artprice.com.



198 - VITALINO FILHO (XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 300,00.

Sertanejo - escultura em terracota - 12 x 06 x 06 cm - assinado -

Ceramista de Caruaru-PE, o autor é filho e primeiro herdeiro da arte do pai, o grande Mestre Vitalino. Citado no livro O REINADO DA LUA, Escultores Populares do Nordeste, de Silvia Rodrigues Coimbra e Outros, Ed. Salamdra, 1980.



199 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD (1889 - 1979)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Estudo - desenho a lápis de cera - 28 x 38 cm - canto inferior direito -
No estado (pequenos furos).

Pintor, gravador, artista gráfico, ilustrador, cenógrafo, crítico, professor, arquiteto e poeta nascido em Santo Antônio de Carangola, RJ e falecido no Rio de Janeiro. Assinava E. P. Sigaud. Formou-se em engenharia agronômica em Belo Horizonte (1920). Frequentou o curso livre da Escola Nacional de Belas Artes (1921) onde foi aluno de Modesto Brocos e, mais tarde, cursou arquitetura (1927 – 1932) na mesma escola. Formou, ao lado de Quirino Campofiorito, Milton Dacosta, Joaquim Tenreiro e José Pancetti, o Núcleo Bernardelli (1931). Ingressou no Grupo Portinari (1935), agremiação informal que se reunia em torno de Candido Portinari e tendo como uma de suas principais linhas de atuação a pintura mural. Tornou-se um dos principais porta-vozes do muralismo ao publicar, no mesmo ano, o artigo "Por que É Esquecida entre Nós a Pintura Mural?", no Jornal de Belas Artes. A convite de seu irmão, o bispo dom Geraldo Sigaud, projetou e decorou a Catedral Metropolitana de Jacarezinho, PR (1954 – 1957). Realizou exposição individual no Rio de Janeiro em 1941. Participou da Exposição Geral de Belas Artes, RJ (1924 a 1927, 1929, 1930); do Salão Nacional de Belas Artes, RJ (1934, 1936, 1942); do Salão Paulista de Belas Artes, SP (1937, 1939); da Bienal Internacional de São Paulo (1951); do Salão Nacional de Arte Moderna, RJ (1962, 1967); entre outras mostras coletivas. PONTUAL PÁG. 489; MEC VOL. 4, PÁG. 243; TEIXEIRA LEITE PÁG. 475 E 476; WALMIR AYALA VOL. 2, PÁG. 324 A 327; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 903; WALTER ZANINI PÁG. 579; ARTE NO BRASIL PÁG. 763, ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.pinturabrasileira.com/artistas_bio.asp?cod=132&in=1; www.artprice.com.



200 - DARIO MECATTI (1909 - 1976)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Flores - óleo sobre tela - 48 x 60 cm - canto inferior direito -

Pintor e desenhista nascido em Florença, Itália e falecido em São Paulo, SP. Na Itália recebeu orientação artística de Camillo Innocenti, trabalhou em um banco e pintou cartazes para a sala de cinema de seu primo. Em 1933, mudou-se para a África, onde permaneceu por aproximadamente sete anos viajando pelo norte do continente. Neste período conheceu a Líbia, Ilha de Malta, Tunísia, Turquia, Argélia, Marrocos, além de Portugal e Espanha. Durante a viagem retratou cenas destes países e realizou algumas exposições com o pintor florentino Renzo Gori, com quem residiu por pouco tempo em Paris. Em 1939, conheceu a Ilha de São Miguel, nos Açores e lá encontrou Maria da Paz com quem posteriormente se casou. No ano de 1940, mudou-se para o Brasil, passou pouco tempo no Rio de Janeiro e depois um período em Minas Gerais, onde visitou as cidades de Belo Horizonte, Juiz de Fora e Ouro Preto. Mudou-se no final do ano para São Paulo, onde entre 1941 e 1945, trabalhou na Galeria Fiorentina, na Rua Barão de Itapetininga, de propriedade de Malho Benedetti. Em 1945 conheceu Nicolino Bianco que passou a adquirir os quadros do artista para serem expostos na Loja de Móveis Paschoal Bianco. Apresentou-o para clientes e amigos que passaram a encomendar retratos. Neste período entrou em contato com Ezio Barbini, dono da Galeria Internacional que vendeu regularmente suas obras, além de apresenta-lo a um grupo de jovens artistas a quem orientou. Em 1946 construiu na Rua Feliciano Maia a sua casa estúdio, onde realizou exposições individuais anuais, sendo a última no ano de 1976, data de seu falecimento.Também pintou sob os pseudônimos de: Felice, G. Felice, Giordano Felice, Giord, N. Giordane, N. Giordani, Nizza e A. Gelli. TEODORO BRAGA, PÁG. 161/2; MEC, VOL. 3, PÁG. 109; PONTUAL, PÁG. 352; WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 72; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 320; ITAÚ CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 611; ACERVO FIEO.



201 - THOMAS KITCHIN (1718 - 1784)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

"South America" - litografia - 17 x 20 cm - não assinado -
No estado (papel manchado). (Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Gravador, cartógrafo e escritor nascido em St Olave, Southwark, Inglaterra. Foi ativo por volta de 1750. BENEZIT; www.oxforddnb.com; www.artprice.com.



202 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Festa de Santo Antônio - acrílico sobre tela - 38 x 45,5 cm - canto inferior direito -
Sadi - 2008.



203 - IVAN SERPA (1923 - 1973)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

Composição - técnica mista sobre cartão - 22 x 18 cm - canto inferior direito - 1959 -
No estado (papel manchado).

Pintor, desenhista, gravador e professor, Ivan Ferreira Serpa nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Estudou gravura e desenho com Axel Leskoschek (entre 1946 e 1948) no Rio de Janeiro. Em 1949, ministrou suas primeiras aulas no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, onde, a partir de 1952, exerceu sistemática atividade didática, em especial no ensino infantil. Foi um dos precursores do concretismo no Brasil, criando ao lado de Aluisio Carvão, Lígia Clark, Hélio Oiticica e outros o Grupo Frente, que se manteve ativo de 1954 a 1956, inclusive com exposições no Rio de Janeiro. Participou da Divisão Moderna do SNBA (1947-1951). Em 1957, recebeu o prêmio de viagem ao exterior no Salão Nacional de Arte Moderna, RJ. Participou da exposição ’Opinião 65’, evento que marca a difusão de uma nova arte de tendência figurativa, a neofiguração. Em 1970, fundou, com Bruno Tausz, o Centro de Pesquisa de Arte no Rio de Janeiro. Participou da Bienal Internacional de São Paulo (1951, 1955, 1957, 1961, 1963, 1965) e da Bienal de Veneza (1952, 1954, 1962, 1966). PONTUAL, PÁG 486; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 605; ARTE NO BRASIL, PÁG. 840; LEONOR AMARANTE, PÁG. 26; MEC VOL. 4, PÁG. 221; ACERVO FIEO; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 899.



204 - VALDIR FÉLIX SABINO (1960)
Lance Livre - Aguardando oferta

Barcos - óleo sobre tela - 35 x 50 cm - canto inferior direito e dorso - 10/1993 - Bélgica -
No estado (limpeza necessária).

Pintor, assina V. FELIX SABINO. Aos 17 anos começou a pintar os lugarejos e paisagens onde morava. Estudou pintores clássicos autodidaticamente e se pôs a elaborar de formas diversas suas naturezas mortas, paisagens e retratos. Sua preocupação é retratar a natureza de forma sutil e elegante, aproveitando os temas naturais da região mineira. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 911



205 - ELEONORA DE FIGUEIREDO (XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

Moça com véu - óleo sobre tela colada em cartão - 26 x 21 cm - canto inferior direito - 1946 -
No estado (limpeza necessária).

Pintora e desenhista ativa no Rio de Janeiro. Estudou com Gastar Coelho de Magalhães e Rodolfo Chambelland. Participou de diversas mostras coletivas oficiais sendo premiada no: Salão Nacional de Belas Artes, RJ (1957,1965); Salão da Academia Valenciana de Letras, Valença - RJ (1961, 1964, 1968, 1969, 1971, 1973); Salão Feminino da Sociedade Brasileira de Belas Artes, RJ (1966, 1971); Salão de São Lourenço, MG (1967, 1971, 1972); Salão da Sociedade de Belas Artes Antonio Parreiras, Juiz de Fora – MG (1967, 1970); Salão da Sociedade dos Artistas Nacionais, RJ (1968, 1970); I Salão da Maçonaria do Rio de Janeiro (1973). MEC VOL. 2, PÁG. 174.



206 - SELMA DAFFRÉ (1951)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Dia dos namorados" - óleo sobre tela - 32 x 41 cm - canto inferior direito e dorso - 1987 -

Pintora e gravadora. Estudou desenho e gravura com Savério Castellano (1934), cursa artes plásticas na Fundação Armando Álvares Penteado - Faap e freqüenta a San Martin School, em Londres, Inglaterra. Publicou um álbum de gravuras em metal, juntamente com José Tarantino (1951), Fábio Magalhães (1942) e Guyer Salles (1942), além de estudar aquarela com Nelson Nóbrega (1900-1997). Edita a imagem da gravura Terra Brasilis, ao lado de artistas da Cooperativa de São Paulo; e lança o livro O Desenho como Instrumento. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 324; ITAU CULTURAL.



207 - VITTÓRIO GOBBIS (1894 - 1968)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Marinha - aquarela - 24 x 32 cm - canto inferior direito - 1950 -

Pintor, desenhista, gravador e restaurador nascido em Motta di Livrenza, Itália e falecido em São Paulo. Filho e neto de pintor e decorador, frequentou academias em Veneza e Roma, contrariando a opinião do pai que desejava que ele seguisse carreira no comércio. Trabalhou como pintor e restaurador em Veneza até 1923 quando resolveu abandonar a profissão e partir para o Brasil, fixando-se em São Paulo. Em 1931 participou do Salão Revolucionário, realizado por Lucio Costa na Escola Nacional de Belas Artes, RJ. No decorrer da década participou ativamente da cena artística paulistana - tornou-se sócio-fundador da Sociedade Pró-Arte Moderna e do Clube dos Artistas Modernos, criados em 1932; realizou sua primeira mostra individual (1933). Participou, ao lado de Candido Portinari, da "International Exhibition of Painting" (1935) no "Carnegie Institute", Pittsburgh - Estados Unidos. Destaca-se também sua participação como idealizador e membro da Família Artística Paulista; seu envolvimento na criação do Salão de Maio e a proximidade com os artistas do Grupo Santa Helena. Organizou o 1º Salão de Arte da Feira Nacional de Indústrias (1941). Nas décadas de 1930 e 1940, seu próprio ateliê funcionou como um núcleo disseminador de arte. Participou de inúmeras mostras coletivas e oficiais como a I e II Bienal Internacional de São Paulo, entre outras. Foi premiado no Salão Nacional de Belas Artes, RJ (1933, 1935, 1965); Salão Paulista de Belas Artes, SP (1933, 1936, 1956). Em 1965, em função de sua experiência no campo do restauro, foi incumbido de transportar e restaurar o afresco da "Santa Ceia", de Antonio Gomide, que foi doado ao Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo. MEC VOL.2, PÁG.271; TEIXEIRA LEITE PÁG. 220; PONTUAL PÁG.240; WALMIR AYALA VOL.1, PÁG.350; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 423; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 579; ARTE NO BRASIL PÁG. 777, ACERVO FIEO; www.artprice.com.



208 - ALIBERTO BARONI (1911 - 1994)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 750,00.

Fim da jornada - óleo sobre tela colada em eucatex - 44 x 32 cm - canto inferior direito -

Pintor ativo em São Paulo. Discípulo de Antonio Rocco, participou várias vezes do Salão Paulista de Belas Artes, premiado com menção honrosa (1935), medalha de prata (1959), pequena medalha de ouro (1960), prêmio Prefeitura de São Paulo (1962), Assembléia Legislativa (1965). Figurou no Salão de Belas Artes / Rio de Janeiro (1931 e 1941) e na Exposição de Belas Artes da Muse Italiche, SP (1928). Realizou individuais em São Paulo e outros estados. MEC, vol. 1, pág. 182; JÚLIO LOUZADA/1985, pág. 95 e vol. 6, pág. 103; PONTUAL, pág. 54; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



209 - SERGIO VIDAL (1945)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

"Salva vidas" - óleo sobre eucatex - 19,5 x 25,5 cm - canto inferior direito e dorso - 12/1976 - Rio de Janeiro -
No estado (limpeza necessária).

Pintor, gravador, escultor e músico, nascido na cidade do Rio de Janeiro-RJ. O consagrado crítico de arte, Quirino Campofiorito, assim escreveu sobre o autor: " ... Vidal encontra sua temática na convivência popular, e a traduz (gente e ambiente) com a eloquência poética de quem realmente sente o assunto e sabe dar-lhe proporção justa". Vidal realizou exposição individual e coletivas, com sucesso de crítica e de público. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 1033. Acervo FIEO.



210 - CLODOMIRO AMAZONAS (1893 - 1953)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Natureza morta - óleo sobre tela - 37 x 54 cm - canto superior direito - 1916 -
No estado (limpeza necessária).

Pintor e restaurador, Clodomiro Amazonas Monteiro nasceu em Taubaté, SP e faleceu em São Paulo. Iniciou-se em pintura aos 16 anos, realizando restaurações em telas e afrescos do Convento Santa Clara, em Taubaté. Estudou com o pintor Augusto Luís de Freitas no fim da década de 1890. Interessado em promover atividades culturais, fundou na cidade, em 1905, a Associação Artística e Literária. Passou a viver em São Paulo em 1906, quando entrou em contato com a obra de Baptista da Costa e teve aulas com o pintor Carlo de Servi. Paralelamente às atividades artísticas, trabalhou em repartições públicas e atuou como ilustrador para publicações como a Revista da Semana. A partir de 1924 dedicou-se exclusivamente à pintura. Manteve contato com intelectuais, escritores e artistas como Monteiro Lobato, Menotti del Picchia, Lucílio de Albuquerque,Georgina de Albuquerque e Pedro Alexandrino, entre outros. Foi um dos fundadores do Salão Paulista de Belas Artes, em 1934. Realizou exposições individuais em: São Paulo (1912, 1918, 1921); Taubaté, SP (1919); Juiz de Fora, MG (1918); Rio de Janeiro (1922, 1926); Recife, PE (1925); Belém do Pará, PA (1925); Fortaleza, CE (1926). MEC, vol. 1, pág. 75; TEIXEIRA LEITE, pág. 26; PONTUAL, pág. 24; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 42; TEODORO BRAGA, pág. 72; ITAU CULTURAL, RUTH TARASANTCHI; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 56; MEC VOL. 1, PÁG. 75; www.artprice.com.



211 - PABLO PICASSO (1881 - 1973)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.000,00.

Flores - serigrafia - 66/150 - 56 x 37,5 cm - não assinado -
(Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Pintor, desenhista, escultor, gravador, ceramista, artista gráfico e designer, Pablo Ruiz Picasso nasceu em Málaga, Espanha e faleceu em Mougins, França. Filho de um pintor e mestre de desenho, foi extraordinariamente precoce dominando o desenho acadêmico ainda na infância. Em 1904 estabeleceu-se em Paris tornando-se o centro de um círculo de artistas e escritores de vanguarda como André Breton, Guillaume Apollinaire e Gertrude Stein. Revolucionário, genial, vanguardista, visionário são elogios que definiram Picasso como um dos mestres da pintura. Sua ampla biografia e sua obra representam a arte do século XX. Embora sua obra seja convencionalmente dividida em fases, Picasso trabalhava numa grande variedade de temas e estilos ao mesmo tempo. Sua pintura “Les Demoiselles d’Avignon” (1906-7) é tida como o marco mais importante no desenvolvimento da pintura contemporânea e o primeiro prenúncio do cubismo que desenvolveu em íntima associação com Braque e depois com Gris. Sua obra mais famosa “Guernica” (1937), pintada para o pavilhão espanhol da Exposição Universal de Paris de 1937, expressa toda sua revolta e horror à destruição de Guernica, capital do país basco, durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939). No campo da escultura foi um dos primeiros artistas a compor esculturas a partir da montagem de materiais variados (e não por modelagem ou entalhe) e fez uso brilhante de objetos encontrados. Também como artista gráfico inclui-se entre os maiores do século. Existem museus consagrados à sua obra em Paris e Barcelona, e outros exemplos de sua inigualável produção distribuem-se por museus do mundo inteiro. Foi o primeiro artista vivo a expor suas obras no Museu do Louvre, quando completou 90 anos. BENEZIT VOL.8, PÁG. 297; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 763; ITAÚ CULTURAL; COLEÇÃO FOLHA GRANDES MESTRES DA PINTURA VOL. 6; infoescola.com; guggenheim.org; moma.org; a rtprice.com; arcadja.com; christies.com.



212 - ANTONIO PESSOA (1943)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Nu - escultura em bronze - 15 x 07 x 07 cm - assinado -

Escultor, assina Tonny. Radicado no Rio de Janeiro detentor de bom curriculo nacional e internacional com inumeras participações em Salões Oficiais,varias vezes premiado. Ótimo mercado.



213 - MARCIO SCHIAZ (1965)
Lance Livre - Aguardando oferta

Natureza morta - técnica mista sobre papel - 19 x 24,5 cm - canto inferior direito -

Pintor e desenhista, Márcio Bueno de Souza nasceu em São Paulo. Assina M. Schiaz. Estudou na APBA, SP onde cursou desenho e pintura, frequentado sessões de modelo vivo. Realizou exposições individuais em: São Paulo (1989, 1992, 1993, 1995, 1999); Araraquara, SP (1990); Santos, SP (1994, 1996, 1999, 2000); Campinas, SP (1996). Tem participado de inúmeras mostras coletivas e Salões oficiais. Foi premiado em: São Paulo (1989, 1992, 1994); Araraquara, SP (1989); Rio de Janeiro (1989). JULIO LOUZADA VOL.5, PÁG. 963; VOL. 6, PÁG. 1028; VOL. 8, PÁG. 764; VOL. 10, PÁG. 802; VOL. 13, PÁG. 304. ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.artprice.com.



214 - NOEMIA MOURÃO (1912 - 1992)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Figurinos - desenho a caneta esferográfica e carvão - 23 x 29 cm - não assinado -
Figurinos com inscrições de montagem da peça "Anígona", encenada pela Companhia Ruth Escobar. No estado (papel manchado).

Pintora e desenhista. Assina Noemia. Realizou sua primeira individual em 1934, no Rio de Janeiro. Residiu na Europa de 1934 a 1940, frequentando em Paris as academias de la Grande Chaumière e Ranson. Expôs em Montevideu e Buenos Aires. Foi citada por REIS JUNIOR e TEODORO BRAGA. Foi aluna (1932) e mulher (1933) de Di Cavalcanti. MEC vol.3, pág. 265; WALMIR AYALA vol.2, pág.135; PONTUAL, pág. 375; TEIXEIRA LEITE, pág. 356; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 684. Acervo FIEO.



215 - CLAUDIO GONÇALVES (1958)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Modelo no espelho" - óleo sobre tela - 50 x 40 cm - canto inferior direito e dorso - 2015 -

Desenhista, pintor e professor nascido em Ourinhos, SP. Teve aulas de desenho no Ateliê Leandro Frediani em Amparo, SP (1966). Em 1968 mudou-se para São Paulo. Frequentou a Escola Panamericana de Artes (1978) onde teve aulas com Paulo Nesadal (1980); aulas de desenho com Círton Genaro (1981) e aulas de gravura com Romildo Paiva (1987) no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo. Estudou também no ateliê de Manoel M. Menacho (1989 a 1999). Realizou exposições individuais em São Paulo (1997, 2001, 2004, 2007, 2008, 2010) e participou de mostras e Salões oficiais em: Marília, SP (1983); Santo André, SP (1985); Presidente Prudente, SP (1988); São João da Boa Vista, SP (1998); São Paulo (2001, 2003, 2012); Santa Bárbara D’Oeste, SP (2008); Guarulhos, SP (2013); Atibaia, SP (2014). Foi premiado em: Marília, SP (1983); Santo André, SP (1985); Prêmio Paleta Internacional Brasil/Extremo Oriente (1986); Arceburgo, MG (2012, 2013). ITAU CULTURAL; www.claudiogoncalves.com.



216 - PEDRO BIRKENSTEIN (1924)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Composição - óleo sobre tela - 55 x 45 cm - canto inferior direito - 1976 -

Pintor e desenhista nascido em São Paulo. Dedicou-se totalmente à arte a partir dos anos 50, sob a orientação de Edmundo Migliaccio, E. Federighi, Castellane e Zanotto (FAAP). Realizou diversas exposições individuais e participou de mostras coletivas e oficiais pelo Brasil e no exterior, recebendo diversos prêmios no Salão Paulista de Belas Artes, SP (1966, 1970, 1972, 1973, 1977, 1978); em Rio Claro, SP (1976, 1977, 1978); em Paris, França (1984); em Lisboa, Portugal (1985); em Tampa, EUA (1986); em Nice, França (1987); em Pequim, China (1988). JULIO LOUZADA, VOL 2 - PÁG 136; ITAU CULTURAL; www.birkenstein.art.br.



217 - LUIZ FERNANDES DE ALMEIDA JR. (1894 - 1970)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 500,00.

Lago - óleo sobre tela colada em cartão - 30 x 40 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1952 -

Nascido e falecido na cidade do Rio de Janeiro, foi aluno de Baptista da Costa, figurou em diversos salões, com premiações, inclusive prêmio de viagem ao estrangeiro/1920. Foi professor de pintura e membro da Sociedade Brasileira de Arte do Rio de Janeiro. TEODORO BRAGA, pág. 31; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 2 pág. 1; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 35; MEC, vol. 1, pág. 68; ITAÚ CULTURAL.



218 - LUPÉRCIO FERRAZ (XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Rosas - óleo sobre tela - 27,5 x 35,5 cm - canto inferior esquerdo - 1954 -
No estado (limpeza necessária).

Pintor e desenhista ativo no Rio de Janeiro. Iniciou-se nas artes sob orientação de Eurico Alves e Guttman Bicho. Participou da Exposição Geral de Belas Artes - RJ em: 1925, 1926 (Menção Honrosa), 1927 (Menção Honrosa), 1928 (medalha de Bronze), 1930. MEC VOL. 2, PÁG. 150; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 379; ITAU CULTURAL.



219 - NEY TECÍDIO (1929)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Retrato de José Vieira" - óleo sobre eucatex - 61 x 37 cm - canto inferior esquerdo - 1984 -
No estado (arranhado).

Pintor, desenhista e professor nascido na cidade do Rio de Janeiro, no dia 16 de julho de 1929. O crítico Mário Margutti discutiu sobre as obras do artista dizendo que " No princípio, ele desenvolvida o tracejado puro, criando jogos de linhas sobre o papel. O desejo de plasmar volumes trouxe o sombreado, as meias-tintas e um curioso contradesenho: sobre fundo negro. Ney construia figuras realistas para estruturas vazadas em branco. A seguir veio o mergulho no mundo enfeitiçante das cores, através da difícil arte da aquarela. Daí para a pintura foi um passo natural ..." JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 1084



220 - FRANCISCO DA SILVA (1910 - 1985)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Ave - têmpera sobre tela - 44 x 67 cm - canto inferior esquerdo - 1975 -
No estado (restauro necessário).

Pintor e desenhista, Francisco Domingos da Silva nasceu em Alto Tejo, AC e faleceu em Fortaleza, CE. Filho de índio peruano com brasileira, ainda criança se fixou em Fortaleza, por volta de 1937, onde começou a desenhar a carvão e giz sobre muros e paredes de casebres de pescadores. Na década de 40, sob o incentivo do crítico e pintor suíço Jean Pierre Chabloz, iniciou-se na pintura a guache juntamente com Chabloz, Antônio Bandeira e Inimá de Paula. O mesmo Jean Pierre lança-o em Paris. Entre 1961 e 1963, trabalhou no recém-criado Museu de Arte da UFCE. Expôs individualmente no Brasil a partir de 1943 e em diversas mostras coletivas no Brasil e exterior, com premiações, destacando-se a recebida na XXXIII Bienal de Veneza (1966). JULIO LOUZADA, VOL. 1 PÁG. 909; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE; ARTE NO BRASIL, ACERVO FIEO; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 478.



221 - OMAR PELLEGATTA (1925 - 2000)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Pescadores - óleo sobre eucatex - 31 x 21 cm - canto inferior esquerdo -

Pintor, desenhista e gravador nascido em Busto Arsizio, Itália. Assina Pellegata. Veio para o Brasil em 1927, estudou na Associação Paulista de Belas Artes, foi aluno de Ettore Federighi e Durval Pereira, Takaoka, Mário Zanini, Otone Zorlini. Viveu e trabalhou em Santos, SP. Fez parte do Grupo Tapir (1970) com Giancarlo Zorlini, João Simeone, José Procópio de Moraes, Glicério Geraldo Canelosso e do Grupo Chácara Flora com Emídio Dias de Carvalho, Arlindo Ortolani, Heitor Carilo, Glicério Geraldo Canelosso. Realizou exposições individuais e participou de várias mostras e Salões oficiais pelo Brasil como: Salão Paulista de Belas Artes (desde 1958), Salão Municipal de Belas Artes de Belo Horizonte, MG (1960), entre outros, recebendo muitos prêmios. JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG.735; MEC VOL.3, PÁG.363; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.brasilartesenciclopedias.com.br; www.artprice.com.



222 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Nu - óleo sobre tela - 46 x 38 cm - canto inferior direito -
Talita - 1948.



223 - CID SERRA NEGRA (1924)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Namorados - óleo sobre eucatex - 60 x 45 cm - canto inferior direito -
No estado (limpeza necessária).

Pintor nascido em 28 de janeiro de 1924 na cidade paulista de SERRA NEGRA, cujo nome adotou artísticamente. Seu verdadeiro nome é Cid de Abreu. Executou pinturas decorativas da Igreja de São Benedito, em sua cidade natal. JULIO LOUZADA vol.4, pág. 264.



224 - YASUICHI KOJIMA (1934)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Casa de pau a pique" - óleo sobre tela - 44 x 53 cm - canto inferior direito e dorso - 2003 -

Pintor e ceramista nascido em Tajimi, Japão - cuja população vive de cerâmica e porcelana. Seu pseudônimo artístico é Kojima. Recebeu influência de seu pai, Shigueo Kojima - tradicional artista e ceramista japonês conhecido pelo nome artístico Juho Kojima. Formou-se na Escola de Cerâmica Industrial de Tajimi - Gifu, Japão. Veio para o Brasil em 1953, trabalhou por cinco anos em São Caetano e transferiu-se para Mauá onde, como seu pai, montou sua própria fábrica de cerâmicas e porcelanas que está em atividade até hoje. Naturalizou-se brasileiro e estudou pintura com Manabu Mabe, Takaoka e Nakajima. Realizou exposição individual em Poá, SP (2009) e no Museu de Arte do Parlamento de São Paulo (2013). Participou de diversas mostras e Salões oficiais em: São Bernardo do Campo, SP (1967); São Paulo (1968, 1969, 2001 a 2010); Poá, SP (2009-como convidado); Embu, SP (2012 - Prêmio Prata). www.mauamemoria.com.br; www.radaroficial.com.br/d/31498914; issuu.com/shinzenbi/docs/makoto_5/27.



225 - ANTONIO GARCIA PASCOAL (1939)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Cidade Peruana" - óleo sobre tela - 40 x 30 cm - canto inferior direito e dorso - 1997 -

Assina Pascoal. Pintor nascido em Itapui, SP, em 17 de novembro. Participa de coletivas desde 1990, tendo recebido prêmio, dentre outros, Medalha de Bronze, no SA na CEF em São Caetano do Sul - 1991. JULIO LOUZADA vol.9, pág. 655.



226 - ALEX DOS SANTOS (1980)
Lance Livre - Aguardando oferta

"O folclore brasileiro" - óleo sobre tela - 30 x 40 cm - canto inferior direito e dorso - 2019 -

Alex Benedito dos Santos nasceu em Jaboticabal, SP, no dia 13 de fevereiro de 1980. Pintor autodidata, fez cursos de escultura com o prof. Silvio Scarpa e xilogravura com o prof. Saulo. Participou de "workshops" com o pintor Sigbert Franklin, em 2001. Tem participado regularmente dos diversos Salões Oficiais nas cidades do interior do Estado, destacando-se: I e II Bienal de Artes e Cultura de Jaboticabal, em 1999 e 2001, Salão de Artes Plásticas de Brodósqui, em 2003, quando foi selecionado para o Mapa Cultural Paulista, Salão de Artes Plásticas de Araraquara, em 2003, Salão de Artes Plásticas de Guarulhos, onde obteve Menção Honrosa, em 2004, Salão de Artes Plásticas de Santos, em 2004, Salão de Artes de Piracicaba, em 2005, Salão de Artes Plásticas de Sales de Oliveira, em 2005, onde obteve Menção Honrosa, Salão de Artes Plásticas de Catanduva, obtendo Menção Honrosa, em 2006. Foi premiado com o 1º lugar nos Salões de Artes de Mococa, em 2003, Sales de Oliveira, em 2003, Araraquara, em 2004 e Piracicaba, em 2006. Expõe individualmente desde 2004. Acervo FIEO. -



227 - ANTONIO CARLOS ESTEFNO (1934)
Lance Livre - Aguardando oferta

Paisagem - óleo sobre tela - 20 x 30 cm - canto inferior direito -
No estado. (Limpeza necessária)

Pintor nascido em São Paulo. Assinava A. C. Estefno e, atualmente, Estefno. Foi incentivado às artes plásticas pelo pintor Vicente Mecozzi, seu professor de desenho no Colégio São Luís, SP. Estudou pintura com Edith Pfister e com Castellane. Realizou exposições individuais em São Paulo (1980, 1983, 1985) e participou de mostras coletivas e oficiais. Foi premiado em: São Paulo (1969); Rio de Janeiro (1980); Tampa, EUA (1985); São Lourenço, MG (1985). JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 358; VOL. 2, PÁG. 374; VOL. 3, PÁG. 379; VOL. 8, PÁG. 296; VOL. 13, PÁG. 122; ITAU CULTURAL.



228 - JESUALDO (1940)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Banho de lua" - acrílico sobre tela - 30 x 20 cm - canto inferior direito e dorso - 2015 -

Pintor nascido em Santa Rosa, RS. Autodidata no início de sua carreira, teve aulas com Colete Pujol. Participou de vários Salões e exposições oficiais em: Canoas, RS (1960); Aparecida do Norte, SP (1961); São Carlos, SP (1964); São Paulo (1966 a 1968, 1985). Foi premiado, em 1966, no Salão da Escola de Belas Artes de São Paulo.



229 - ANTONIO GODOY MOREIRA (1899 - 1975)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Natureza morta - óleo sobre tela - 45 x 59 cm - canto inferior esquerdo -

Pintor e restaurador, que foi ativo no Estado de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 386; Acervo FIEO.



230 - ALDEMIR MARTINS (1922 - 2006)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Galo - serigrafia - 20/100 - 40 x 34 cm - canto inferior direito - 1985 -
Paspatour no estado.

Desenhista, pintor, gravador e ilustrador - nasceu em Ingazeiras, CE e faleceu em São Paulo. Em 1941, participou da criação do Centro Cultural de Belas Artes, em Fortaleza, com Antonio Bandeira, Raimundo Cela, Inimá de Paula e Mário Baratta, um espaço para exposições permanentes e cursos de arte. Três anos depois, a instituição passou a chamar-se Sociedade Cearense de Artes Plásticas - SCAP. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Realizou muitas individuais e participou de várias mostras e Salões oficiais pelo Brasil e exterior. Recebeu o prêmio de melhor desenhista na 3ª Bienal Internacional de São Paulo (1955), na Bienal de Veneza (1956), prêmio de viagem ao exterior no Salão Nacional de Arte Moderna – RJ (1959), permanecendo por dois anos na Itália e em muitos outros certames. MEC, VOL. 3, PÁG. 78, PONTUAL, PÁGS. 342/343; ARTE NO BRASIL, VOL 2, PÁG. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 637; LEONOR AMARANTE, PÁG. 18; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 591; VOL. 4, PÁG. 693; ACERVO FIEO; artprice.com.

24 de Setembro de 2019
(Terça) Lotes 231 a 460



231 - ALDEMIR MARTINS (1922 - 2006)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Cangaceiro - serigrafia - 8/100 - 40 x 26 cm - canto inferior direito - 1960 -

Desenhista, pintor, gravador e ilustrador - nasceu em Ingazeiras, CE e faleceu em São Paulo. Em 1941, participou da criação do Centro Cultural de Belas Artes, em Fortaleza, com Antonio Bandeira, Raimundo Cela, Inimá de Paula e Mário Baratta, um espaço para exposições permanentes e cursos de arte. Três anos depois, a instituição passou a chamar-se Sociedade Cearense de Artes Plásticas - SCAP. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Realizou muitas individuais e participou de várias mostras e Salões oficiais pelo Brasil e exterior. Recebeu o prêmio de melhor desenhista na 3ª Bienal Internacional de São Paulo (1955), na Bienal de Veneza (1956), prêmio de viagem ao exterior no Salão Nacional de Arte Moderna – RJ (1959), permanecendo por dois anos na Itália e em muitos outros certames. MEC, VOL. 3, PÁG. 78, PONTUAL, PÁGS. 342/343; ARTE NO BRASIL, VOL 2, PÁG. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 637; LEONOR AMARANTE, PÁG. 18; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 591; VOL. 4, PÁG. 693; ACERVO FIEO; artprice.com.



232 - ALFREDO VOLPI (1896 - 1988)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 600,00.

Fachada - serigrafia - 41/50 - 42 x 29 cm - canto inferior direito -

Pintor, desenhista, gravador e ceramista nascido em Lucca, Itália e falecido em São Paulo. Muda-se com os pais para São Paulo em 1897 e, ainda criança, estuda na Escola Profissional Masculina do Brás. Mais tarde trabalha como marceneiro, entalhador e encadernador. Em 1911, torna-se pintor decorador e começa a pintar sobre madeiras e telas. Na década de 1930 passa a fazer parte do Grupo Santa Helena com vários artistas como Mário Zanini e Francisco Rebolo. Em 1936, participa da formação do Sindicato dos Artistas Plásticos de São Paulo e integra, em 1937, a Família Artística Paulista - FAP. Em 1940, ganha o concurso promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN, com trabalhos realizados com base nos monumentos das cidades de São Miguel e Embu. Realiza trabalhos para a Osirarte, empresa de azulejaria criada em 1940, por Rossi Osir. Sua primeira exposição individual ocorre em São Paulo, em 1944. Em 1950, viaja para a Europa acompanhado de Rossi Osir e Mario Zanini. É convidado a participar, em 1956 e 1957, das Exposições Nacionais de Arte Concreta e mantém contato com artistas e poetas do grupo concreto. Recebe o prêmio Aquisição na Bienal de Veneza (1952), Melhor Pintor Nacional da Bienal Internacional de São Paulo (1953), dividido com Di Cavalcanti; o prêmio Guggenheim (1958); Melhor Pintor Brasileiro pela crítica de arte do Rio de Janeiro (1962 e 1966), Melhor Pintor Nacional no Panorama da Arte Brasileira MAM - SP (1970), entre outros. REIS JUNIOR, PÁG. 378; WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 426 e 428; JULIO LOUZADA VOL.1, pág.1048; MEC. VOL.4, PÁG. 496; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 584; ARTE NO BRASIL, PÁG. 684; LEONOR AMARANTE, PÁG. 28, Acervo FIEO; BENEZIT VOL. 10, PÁG. 567; PONTUAL PÁG.546. NTE, pág. 28, Acervo FIEO.



233 - CID SERRA NEGRA (1924)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

Flores - óleo sobre eucatex - 59 x 42 cm - canto inferior direito -

Pintor nascido em 28 de janeiro de 1924 na cidade paulista de SERRA NEGRA, cujo nome adotou artísticamente. Seu verdadeiro nome é Cid de Abreu. Executou pinturas decorativas da Igreja de São Benedito, em sua cidade natal. JULIO LOUZADA vol.4, pág. 264.



234 - CARLOS SILVÉRIO (1957)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Ladeira Juvenal Carneiro em 1836" - óleo sobre tela - 20 x 30 cm - canto inferior esquerdo e dorso - São Paulo - SP -

Autodidata, o artista pinta belas paisagens, figuras, marinhas e cenas árabes com um estilo figurativo admirável. Sua sensibilidade para os efeitos cromáticos, sua versão pessoal dos céus cinzentos e sua coragem de pintar releituras de grandes artistas europeus em pequenas dimensões, tem sido essencial para lhe garantir sucesso de crítica e de público para as suas obras. Participou, recebendo premiações de diversos certames na Capital e interior.



235 - DJALMA URBAN (1917 - 2010)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Rio Guaiba" - óleo sobre tela - 35 x 50 cm - canto inferior direito e dorso - 1991 - Porto Alegre - RS -

Pintor, ilustrador, desenhista, jornalista e professor, nascido na cidade paulista de Leme, no dia 9 de outubro de 1917. Estudou desenho e pintura com Torquato Bassi, Waldemar da Costa, Pedro Alexandrino, Paulo do Vale Júnior, Teodoro Braga e Marques de Leão. Realizou ilustrações e desenhos para o jornal O Estado de S. Paulo. Segundo crítica de Julio Louzada: "Impressionista, a paisagem, a natureza, a marinha e o folclore brasileiros são os seus temas preferidos. Dono de um estilo vigoroso e espontâneo, seus quadros se destacam pela riqueza composicional e cromática. A cor, aliás, sempre em tonalidades quentes, é o forte de sua pintura, assim como os jogos de luz que domina com perfeição. " Expôs individualmente a partir de 1951. JULIO LOUZADA, vol.2, pág.1014; MEC, vol.4, pág.436; THEODORO BRAGA, pág.82; ITAÚ CULTURAL; 37, Acervo FIEO.



236 - CLÓVIS GRACIANO (1907 - 1988)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

São João Batista - serigrafia - 24 x 14 cm - não assinado -
Obra impressa por Ateliê Mário Della Parra - Serigrafias - Rio de Janeiro, RJ. No estado (papel manchado).

Pintor, desenhista, cenógrafo, gravador, ilustrador, nasceu em Araras - SP e faleceu em São Paulo. Em São Paulo, a partir de 1934, realizou estudos com o pintor Waldemar da Costa, entre 1935 e 1937. Em 1937, integrou o Grupo Santa Helena com Francisco Rebolo, Mario Zanini, Bonadei e outros. Frequentou o curso de desenho da Escola Paulista de Belas Artes até 1938. Membro da Família Artística Paulista - FAP, em 1939 foi eleito presidente do grupo. Participou regularmente dos Salões do Sindicato dos Artistas Plásticos e, em 1941, realizou sua primeira individual. Em 1948, foi sócio-fundador do Museu de Arte Moderna de São Paulo - MAM/SP. Viajou para a Europa em 1949, com o prêmio recebido no Salão Nacional de Belas Artes. Permaneceu dois anos em Paris, onde estudou pintura mural e gravura. A partir dos anos 1950, dedicou-se principalmente à pintura mural. Em 1971, assumiu o cargo de diretor da Pinacoteca do Estado de São Paulo. De 1976 a 1978, exerceu a função de adido cultural em Paris. Participou por toda sua vida de muitas mostras e Salões oficiais pelo o Brasil e pelo mundo. MEC, VOL. 2, PÁG. 280; PONTUAL, PÁG. 247/8; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 225 A 227; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 586; ARTE NO BRASIL, PÁG. 784; LEONOR AMARANTE, PÁG. 58; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 433; VOL. 4, PÁG.483; VOL. 5, NPÁG. 450; ACERVO FIEO.



237 - EMANOEL ARAÚJO (1940)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 550,00.

Composição - litografia - P.A. - 43 x 52 cm - canto inferior direito -

Escultor, desenhista, ilustrador, figurinista, gravador, cenógrafo, pintor, curador e museólogo, Emanoel Alves de Araújo nasceu em Santo Amaro da Purificação, BA. Aprendeu marcenaria com Eufrásio Vargas e trabalhou com linotipia e composição gráfica na Imprensa Oficial em sua cidade natal. Na década de 1960, mudou-se para Salvador e ingressou na Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia, onde estudou gravura com Henrique Oswald. Em 1972, foi premiado com Medalha de Ouro na 3ª Bienal Gráfica de Florença, Itália. Recebeu, no ano seguinte, o prêmio de Melhor Gravador, e, em 1983, o de Melhor Escultor, da Associação Paulista de Críticos de Arte, entre muitos outros prêmios. Entre 1981 e 1983, instalou e dirigiu o Museu de Arte da Bahia, em Salvador. Realizou muitas exposições individuais (desde 1959) e participou de inúmeras mostras coletivas, Salões oficiais nacionais e internacionais. Em 1988, foi convidado a lecionar artes gráficas e escultura no 'Arts College', na 'The City University of New York'. De 1992 a 2002, exerceu o cargo de diretor da Pinacoteca do Estado de São Paulo e foi responsável pela revitalização da instituição. Foi, entre 1995 e 1996, membro convidado da Comissão dos Museus e do Conselho Federal de Política Cultural, instituídos pelo Ministério da Cultura. Fundou o Museu Afro Brasil, em 2004, onde é Diretor Curador. Em 2007 foi homenageado pelo Instituto Tomie Ohtake com a exposição 'Autobiografia do Gesto – Cosmogonia dos Símbolos', que reuniu obras de 45 anos de sua carreira. TEIXEIRA LEITE, PÁG. 190; MEC, VOL. 2, PÁG. 143; PONTUAL, PÁG. 37; JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG. 68; VOL. 2, PÁG. 64; VOL. 4, PÁG. 75; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, PÁG. 846; WALTER ZANINI, PÁG. 770; ACERVO FIEO; www.emanoelaraujo.com.br; www.museuafrobrasil.org.br; www.pinturabrasileira.com; www.museuhistoriconacional.com.br; www.artprice.com.



238 - HEZIR GOMES (1916 - 1993)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.400,00.

"Festa do Chico Rei - Ouro Preto" - óleo sobre tela - 46 x 61 cm - canto inferior direito e dorso - LXXI -
Com resquícios de etiqueta de participação no Salão Nacional de Belas Artes de Piracicaba, no dorso.

Pintor, desenhista e músico nascido em São Paulo e falecido em Minas Gerais. Foi escrivão da polícia em São Paulo. Mudou-se para Ouro Preto, um ano após sua filha ter ingressado na Escola de Minas de Ouro Preto para graduar-se (1970) como a primeira Engenheira Geóloga do Brasil, onde adquiriu o gosto pela pintura e deu vazão a seus dotes musicais. www.wikiwand.com/pt/Hezir_Gomes.



239 - GENTIL ANDRADE (1960)
Lance Livre - Aguardando oferta

Figura - técnica mista sobre cartão - 50 x 70 cm - canto inferior esquerdo - 1982 -

Pintor e gravador nascido em São Paulo, SP. Participou do Salão de Arte Contemporânea de Piracicaba, Piracicaba – SP (1981); exposição "Artistas Premiados do interior de São Paulo", Paço das Artes - São Paulo (1982); Salão de Arte Contemporânea de Santo André, Santo André – SP (1982); "Premio Internazionale Biella per L'Incisione", Biella – Itália (1983); exposição "Primeira Mão – X Salão de Arte Jovem", Santos – SP (1983 - Prêmio); entre outras mostras. ITAU CULTURAL.



240 - FERNANDO VIEIRA DA SILVA (1939)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Procurando" - acrílico sobre tela colada em eucatex - 50 x 60 cm - canto inferior direito e dorso - 1981 - Rio de Janeiro -

Antônio Fernando Vieira da Silva nasceu no Rio de Janeiro. É autodidata em sua formação artística. Recebeu o Prêmio Funarte, no II Salão de Artes Plásticas da Universidade Federal Fluminense (1977); o Prêmio de Referências Especiais, no II Salão Luiz Teixeira, Minas Gerais (1980) e o Prêmio de Coordenadoria de Cultura do Estado de Minas Gerais, na terceira edição deste mesmo Salão (1981). Realizou exposições individuais no Rio de Janeiro (1970, 1977); em São Paulo (1972); em Brasília (1977); em Niterói (1996). Entre as exposições coletivas das quais participou, destacam-se: Musée D'Art Naif de France (1973); Museu da Imagem e do Som, RJ (1976); Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (1978); ‘The Selden Rodman’, EUA (1983); Centre Cultural Français Alger, Argélia (1985); Galeria Adriana Thorn, Holanda (1987), Arte Brasil 93, Portugal. Foi selecionado para participar da 3ª Bienal de Gravura de Santo André em 2005. Possui obras na coleção Roberto Marinho; no acervo do Musée D'Art Naif de L'lle de France; Fundação Nacional de Arte - FUNARTE; Museu Metropolitano de Curitiba; Museu de Arte Moderna e Primitiva de Guimarães, Portugal e no MEC. ITAU CULTURAL; fernandovdasilva.blogspot.com.br; culturaniteroi.com.br; www.cantogravura.com.br.



241 - EMILIANO DI CAVALCANTI (1897 - 1976)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 850,00.

Mulata - serigrafia - 60/100 - 65 x 47 cm - canto inferior direito -

Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Iniciou sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, residiu em São Paulo, onde frequentou o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons. Conviveu com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade, Mário de Andrade, Guilherme de Almeida, entre outros. Foi o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expôs 12 obras. Em 1923, fez sua primeira viagem à França, onde atuou como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, frequentou a Academia Ranson, instalou ateliê e conheceu obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso, Georges Braque, Fernand Léger, Henri Matisse, Jean Cocteau e Blaise Cendrars. Voltou a São Paulo em 1926, trabalhou como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. Em 1931, participou do Salão Revolucionário e, no ano seguinte, fundou em São Paulo, com Flávio de Carvalho, Antonio Gomide e Carlos Prado, o Clube dos Artistas Modernos (CAM). Em 1938 viajou a Paris, onde trabalhou na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retornou ao Brasil em 1940, trabalhou como ilustrador, e publicou poemas e memórias de viagem. Realizou muitas exposições individuais e participou de inúmeras mostras e Salões oficiais, entre os quais: Bienal de Veneza (1950, 1956), Bienal Internacional de São Paulo (1951, 1953, 1963, 1971). Foi premiado em: Paris (1937), Trieste, Itália (1956), México (1960 - Bienal Interamericana). Muitas exposições póstumas também já foram realizadas. REIS JR., PÁGS. 378/379; TEODORO BRAGA, PÁG 82; MEC, VOL 2, PÁGS 53 E 54; PONTUAL, PÁGS 176 A 178; WALMIR AYALA, VOL 1, PÁGS 256 E 257; ART SALES, VOL 1, PÁG 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG 446; LEONOR AMARANTE, PÁG 12, ACERVO FIEO; artprice.com.



242 - FRANCISCO SEVERINO (1952)
Lance Livre - Aguardando oferta

Paisagem - acrílico sobre tela - 20 x 30 cm - canto inferior direito e dorso - 1986 -

Pintor natural da cidade mineira de Descoberto, onde nasceu a 10/2/1952. Autodidata, inicia-se nas artes em 1975. Comentando a obra do artista, Olney Kruse, da Associação Brasileira de Críticos de Arte, assim escreveu: "... Muitas vezes confundida, indevidamente, com a arte ingênua, primitiva, naif, insita rótulos congêneres que recebe essa pintura à qual Severino pertence: é preciso que se diga, dele: Não se trata mesmo de um primitivo. Deve ser visto como um pintor intimista, visceralmente oriental e quase um miniaturista. O ante-muralista." Exposições individuais a partir de 1978 e coletivas desde 1975, inclusive internacionais. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 940 e 941.



243 - BEATRIZ POMPEU (1887 - 1980)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Paisagem - óleo sobre tela colada em eucatex - 12 x 20,5 cm - canto inferior direito - 1914 -

Pintora e desenhista nascida e falecida em Campinas, SP. Foi aluna de Rodolfo Amoedo. Realizou exposição individual em: São Paulo (1905, 1909); Campinas, SP (1913). Participou, entre outras, da 1ª Exposição Brasileira de Belas Artes, São Paulo (1911); da Exposição Geral de Belas Artes, Rio de Janeiro (1906 a 1908, 1911, 1916 a 1919) onde recebeu Menção Honrosa na edição de 1907 e 1916. ITAU CULTURAL.



244 - HILÁRIO ZARZANA (1934 - 1991)
Lance Livre - Aguardando oferta

Flores - óleo sobre eucatex - 15 x 10 cm - canto inferior esquerdo - 1987 -

Paulistano, o pintor HILARIO era também odontólogo, profissão que exerceu paralelamente às artes até 1981, quando passou a dedicar-se integralmente à pintura. Cursou pintura na Faculdade Marcelo Tupinambá e desenho artístico no IUB. A partir de 1981 expõe suas obras, obtendo premiações. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 166, Acervo FIEO.



245 - YVES SERPA (1951)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 300,00.

"Hexagrama 43" - óleo sobre tela - 53 x 41 cm - dorso - 09/2007 -

Pintor. É filho do pintor, gravador, desenhista e professor Ivan Serpa que influenciou grandes nomes da arte moderna brasileira como Décio Vieira, Hélio Oiticica, Lígia Clark e Rubem Ludolf, entre outros. Com carreira iniciada na escolinha de artes do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, sua primeira participação como pintor foi aos cinco anos de idade no Salão de Arte Infantil do Jornal do Brasil em 1956. Realizou exposição individual no Gabinete de Arte da Presidência da Câmara dos Deputados, Brasília – DF (2012). Além de vários prêmios durante sua carreira, também recebeu a Medalha de Mérito Cultural da Câmara de Vereadores de Niterói, por indicação da Associação Fluminense de Belas Artes. Foi eleito presidente (2012) da Academia de Ciências e Letras de Maricá, RJ, cidade na qual presta serviço à comunidade local. www2.camara.leg.br/a-camara/visiteacamara/cultura-na-camara/atividades-anteriores/ate-2012/exposicoes-artisticas/gadinete-de-artes-yves-serpa.



246 - INGRES SPELTRI (1940)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 300,00.

"Construtivo" - óleo sobre eucatex - 70 x 50 cm - canto inferior direito e dorso - 1985 -

Pintor, desenhista, escultor, gravador e professor nascido em Jau, SP. Filho do pintor Augusto Speltri com quem se iniciou na pintura, ainda criança. Em 1959 mudou-se para São Paulo onde estudou Música (1960-1964). Foi professor titular da Escola Panamericana de Arte, SP. Realizou exposições individuais, em São Paulo, nos anos de 1977, 1981, 1978, 1984. Participou de várias mostras e Salões oficiais, sendo premiado em: São Paulo (1963, 1966, 1970, 1971); Santo André, SP (1976). JULIO LOUZADA VOL. 5, PÁG. 1012; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; MEC VOL. 4, PÁG. 338; PONTUAL PÁG. 504; www.artprice.com; www.speltri.com.



247 - FRANCISCO OSWALD (1918 - 1985)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 300,00.

Fachada - óleo sobre eucatex - 32 x 24 cm - canto inferior direito -

Pintor nascido e falecido na cidade do Rio de Janeiro. Filho do pintor e gravador Carlos Oswald e neto do músico Henrique Oswald. Assinava Fco Oswald. Produziu encomendas para o Banco do Brasil, agências de Londres, Milão e São Francisco – EUA. Realizou exposições individuais no Rio de Janeiro (1971, 1973); Belo Horizonte, MG (1972); São Paulo (1972); Brasília, DF (1973); Campinas, SP (1982). MEC VOL. 3, PÁG. 304; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 700; VOL. 3, PÁG. 835; www.artprice.com.



248 - HENRIQUE CAVALLEIRO (1892 - 1975)
Lance Livre - Aguardando oferta

Paisagem - desenho a nanquim e aguada - 30 x 20,5 cm - canto inferior esquerdo -
No estado (papel manchado).

Pintor, desenhista e professor. Foi aluno de Eliseu Visconti, tendo recebido em 1918 o prêmio de viagem à Europa. Participou de diversos salões e exposições. REIS JR., pág. 375; TEODORO BRAGA, pág. 117; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 2, pág. 45 e 275; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 187 e 190; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; ARTE NO BRASIL, pág. 556; Acervo FIEO.



249 - JANY M. RUCK (1939)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Al mare" - óleo sobre tela - 40 x 50 cm - canto inferior direito e dorso - 2017 -

Pintora, professora e restauradora, Jany Marylene Ruck nasceu em Agudos, SP. Assinava Jany até 1984. Atualmente assina JM. Ruck. Em Campinas fez cursos livres de desenho e pintura com Elenice Menegon, Aldo Cardarelli, Djalma Urban e Álvaro de Batista. Participou de muitas mostras coletivas e Salões oficiais. Foi premiada em: São José do Rio Preto, SP (1984, 1985, 1991); Campinas, SP (1985, 1996); São João da Boa Vista, SP (1985); Itatiba, SP (1985,1987, 1988); Mogi Mirim, SP (1987); Poços de Caldas, MG (1987); Piracicaba, SP (1988); Limeira, SP (1989); Araras, SP (1991); Ribeirão Preto, SP (2003). ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL. 7 PÁG. 614; VOL. 9, PÁG. 750.



250 - ALDO CARDARELLI (1915 - 1986)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 300,00.

"Paisagem rural" - óleo sobre eucatex - 24 x 33 cm - canto inferior esquerdo - 1975 -
Com Certificado de Autenticidade do Ateliê Aldo Cardarelli, firmado por Thelma Cardarelli.

Pintor, desenhista e professor nascido e falecido em Campinas, SP. Iniciou seus estudos ainda criança com o pintor veneziano Luís Franco, em Campinas. Mais tarde, frequentou o ateliê de Bernardino de Souza Pereira e de Orlando Tarquínio. Tornou-se membro da Academia Brasileira de Belas Artes e da Academia Paulista de Belas-Artes. Lecionou desenho e pintura na Faculdade de Arquitetura Mackenzie e na Pontifícia Universidade Católica de Campinas, SP. Realizou exposições individuais em: Santos, SP (1938); Porto Alegre, RS; Campinas, SP e no MASP, SP. Participou do: Salão Paulista de Belas-Artes, SP (1940 – Menção Honrosa, 1942, 1943, 1947 – Medalha de Prata e 2º Prêmio Prefeitura de São Paulo, 1948 – Prêmio Lino Morganti, 1949 – Prêmio Prefeitura de São Paulo, 1951, 1952, 1957 – Medalha de Prata e Prêmio Prefeitura de São Paulo, 1959 – Medalha de Ouro, 1960 – Prêmio Viagem ao País, 1963 – Prêmio Caixa Econômica Federal de São Paulo, 1965 – Prêmio Pinacoteca do Estado, 1969 – Medalha de Ouro, 1970 – Prêmio Governador do Estado); Salão Nacional de Belas Artes, RJ (1951 – Medalha de Bronze, 1952 – Medalha de Prata, 1958 – Medalha da Academia Brasileira de Belas Artes); Salão de Belas Artes de Piracicaba, Piracicaba – SP (1963, 1965, 1979 – 1º Prêmio). TEODORO BRAGA PÁG. 64, MEC VOL. 1, PÁG. 353; WALMIR AYALA VOL. 1, PÁG. 170; PONTUAL PÁG. 107; JÚLIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 210; VOL.6, PÁG. 202; ITAU CULTURAL, ACERVO FIEO.



251 - SILVIA ALVES (1947)
Lance Livre - Aguardando oferta

"São Paulo no inverno tropical" - óleo sobre tela - 50 x 60 cm - canto inferior direito e dorso - 2019 -

Pintora, desenhista, escultora, gravadora, ilustradora, professora, poetiza e atriz Silvia Ferraro Alves nasceu em São Paulo. Estudou desenho e escultura com Alvaro de Bauptista (1980 a 1984) na Universidade de Campinas; formou-se em Pintura na Faculdade de Belas Artes (1986); mestrado em Aquarela na Faculdade Santa Marcelina (1998); frequentou o ateliê de Gravura do Museu Lasar Segall (1985 a 1988); os ateliês de pintura e desenho dos professores Lecy Bomfim, Salvador Rodrigues, Deusdedith Campanelli, Colette Pujol, Djalma Urban, Francisco Cuoco, Fang, o ateliê de escultura no Museu Brasileiro de Escultura (1980 a 1994) e aquarela com Iole Di Natale (1994 a 1998). Participou de muitas mostras coletivas e Salões oficiais. Foi premiada em 1983, 1989, 1991, 1993, 1994, 1997, 1999, 2000, em São Paulo. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL, 10, PÁG, 49; www.silviaalves.art.br.



252 - LUÍS CLÁUDIO MORGILLI (1955)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Jogando cartas - óleo sobre eucatex - 51 x 60 cm - canto inferior direito -

Pintor e desenhista com diversas participações em Salões Nacionais tais como em 1997, no XVI Exp. de Artistas Contemporâneos da SOCIARTE / SP, em 1998 na Galeria Ranulpho em Recife. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág.219.



253 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Composição - múltiplo em bronze - 13,5 x 07 x 04 cm - não assinado -



254 - NESTOR PERES (1920 - 2004)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Ouro Preto" - óleo sobre tela - 50 x 65 cm - canto inferior direito e dorso - 1995 -
No estado (limpeza necessária).

Natural de Jundiaí, SP. Pintor, professor, desenhista e gravador, assinava NESTOR PERES. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, diplomando-se em 1947, ocasião em que recebeu Medalha de Honra ao Mérito. Aprimorou-se com Waldemar da Costa, Mario Zanini, Felisberto Ranzini entre outros. Expôs coletiva e individualmente em diversos salões, conforme extensa lista copilada por Julio Louzada, abaixo citado. JULIO LOUZADA vol. 2, pág.800; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



255 - BUSTAMANTE SÁ (1907 - 1988)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 500,00.

"Campo Grande" - óleo sobre tela - 61 x 51 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1975 -

Natural da cidade do Rio de Janeiro, estudou na ENBA naquela cidade, onde foi aluno de Rodolfo Amoedo e Rodolfo Chambelland. Participou do Núcleo Bernardelli, do qual foi um dos fundadores em 1931. Participou de sucessivas versões do SNBA a partir de 1928, recebendo diversas premiações. Excepcional pintor do gênero paisagem. TEODORO BRAGA, pág. 59; REIS JR. , pág. 385; MEC,vol. 4, pág. 127; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 145 e 147; TEIXEIRA LEITE, pág. 94; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 47; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763; Acervo FIEO.



256 - BERNHARD HUYS (1896 - 1973)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

Paisagem - óleo sobre tela colada em cartão - 49 x 65 cm - canto inferior direito e dorso - 1954 -
No estado (arranhado). (Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Pintor e desenhista alemão com participações em mostras coletivas e Salões oficiais. www.artprice.com; www.artnet.com.



257 - PIETRO SCOPPETTA (1863 - 1920)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Jovem - óleo sobre madeira - 40 x 40 cm - canto superior direito -
(Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Pintor, desenhista e ilustrador italiano nascido em Amalfi e falecido em Nápoles. Foi aluno de Giacomo Di Chirico; estudou em Roma, Paris e Londres. Como ilustrador, trabalhou para Treves ("Illustrazione Italiana"). digilander.libero.it/trombealvento/vari/scopetta.htm; www.artprice.com.



258 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX
Lance Livre - Aguardando oferta

Carnaval - óleo sobre tela colada em cartão - 15 x 14 cm - canto inferior direito ilegível -



259 - VERA CANTO (1953)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Caçador - acrílico sobre tela - 40 x 20 cm - centro inferior -

Pintora, escultora, ceramista e tapeceira nascida em Salvador, BA. Sua formação artística se iniciou na Faculdade de Artes Plásticas no México, depois em Santiago do Chile e na FAAP em São Paulo. Também teve aulas com Durval Pereira. Desde a década de 1970, dedica-se à pintura primitiva. Realizou exposição individual na Cidade do México, México (1979) e participou de muitas mostras coletivas e oficiais no Brasil e exterior como a "Bienalle Internazionale de Milão", Itália (1985, 1988). JULIO LOUZADA VOL. 3, PÁG. 210; VOL. 4, PÁG. 214; VOL. 6, PÁG. 201.



260 - ALCIDES SANTOS (1945)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 3.000,00.

Anjos - óleo sobre eucatex - 39 x 36 cm - canto inferior direito - 1990 -

Pintor pernambucano que num linearismo sui-generis, e com auxílio de um colorido suave evoca cenas religiosas ou fantásticas, de forte acento popular. TEIXEIRA LEITE, pág. 462; MEC, vol. 4, pág. 180; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 296; JÚLIO LOUZADA, vol. 4, pág. 995; ITAÚ CULTURAL.



261 - ANTONIO POTEIRO (1925 - 2010)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

Cavalhada - serigrafia - 46/140 - 47 x 54 cm - canto inferior direito -

Escultor, pintor e ceramista, Antonio Batista de Souza nasceu em Aldeia de Santa Cristina da Pousa, Braga - Portugal e faleceu em Goiânia, GO. Imigrou com a família para o Brasil em 1926. Fixaram-se em Araguari, no Triângulo Mineiro. Autodidata, herdou do pai a técnica e a sensibilidade iniciando suas atividades como ceramista. Em 1958, já com sua família constituída, passou a viver definitivamente em Goiás. Adotou o apelido de "Poteiro", por sugestão da folclorista Regina Lacerda, que o orientou a assinar seus bonecos de barro. Mais tarde foi estimulado a pintar telas por Siron Franco e Cleber Gouvêa. Lecionou cerâmica no Centro de Atividades do SESC e nas cidades de Hannover e Düsseldorf, na Alemanha. Realizou exposições individuais e participou de muitas mostras coletivas e oficiais pelo Brasil e exterior, como: Bienal Internacional de São Paulo (1981 e 1991); Biennalle Internazionale "NAIF", Cittá di Como, Itália (1976); V Bienalle Internazionale "NAIFS", entre Fiera e Lombardia, Itália (1980); III Bienal de Havana, Cuba (1989); III Bienal de Artes de Goiás (1993) e Bienal Brasileira de Arte "NAIF", SESC Piracicaba (1994). Recebeu o prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte - APCA, na categoria escultura (1985), Menção Honrosa na I Bienal Internacional de Óbidos – Portugal (1987); Grande Prêmio no XIV Salão Nacional de Arte de Belo Horizonte, MG (1982); entre outros. Em 1997, foi homenageado com a Comenda da Ordem do Mérito Cultural, do Ministério da Cultura, Brasil. WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 217; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 31; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 808; LEONOR AMARANTE, PÁG. 294, MEC VOL. 3, PÁG. 432; ACERVO FIEO; JULIO LOUZADA VOL. 3, PÁG. 925; VOL. 4, PÁG. 907; www.antoniopoteiro.com; artepopularbrasil.blogspot.com.br; www.artprice.com.



262 - MENASE VAIDERGORN (1927)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

"No terraço" - óleo sobre tela - 40 x 30 cm - canto inferior direito -

Pintor nascido em Hotin, Romênia. Assina MVAIDERGORN. Seus pais vieram para o Brasil (1932) fixando residência em São Paulo. Ingressou na Associação Paulista de Belas Artes (fim da década de 1940) onde conheceu Dario Mecatti que muito o estimulou. Viajou pelo norte da África e Europa. Realizou exposições individuais e participou de diversos salões e mostras coletivas oficiais, recebendo diversos prêmios, entre eles: os do Salão Paulista de Belas Artes, SP (1976 - Medalha de Bronze, 2000 – Prêmio Aquisição, 2001 – Grande Medalha de Prata). JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 1011; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.artprice.com.



263 - EMILE OTHON FRIESZ (1879 - 1949)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

Natureza morta - óleo sobre tela - 40 x 40 cm - canto inferior esquerdo -
(Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Pintor, desenhista e professor francês nascido em Le Havre. Incentivado por seus pais, começou sua formação na ‘Ecole des Beaux-Arts, em Le Havre, e trabalhou em Charles-Marie Lhullier. Recebeu uma bolsa de estudos (1897 até 1903) na ‘École Nationale Supérieure des Beaux-Arts’ de Paris onde estudou com Léon Bonnat. Conviveu com Raoul Dufy, George Braque, Charles Henri Manguin, Albert Marquet, Henri Matisse e Charles Camoin. Fez sua estreia artística em 1900 no Salão da ‘Société des Artistes Français’. Em seguida, expôs no ‘Salon d’Automne’ (1903, 1904), no ‘Salon des Indépendants’ (1906), no ‘Armory Show’ em Nova Iorque, em Chicago, na ‘Berlin Secession’. Viajou a Portugal (1911), Bélgica (1912), Munique e Düsseldorf. Lecionou na ‘Académie Moderne’ em Paris (entre 1912 e 1921), na Academia ‘Scandinave’ (1925) e na ‘Académie da la Grande Chaumière’ (a partir de 1944). Realizou, com Raoul Dufy, a decoração para o ‘Palais de Chaillot’, por ocasião da Feira Mundial em Paris (1937). BENEZIT; www.emileothon-friesz.com; www.artprice.com; www.christies.com.



264 - EDELWEISS DE ALMEIDA DIAS (1917)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Domingo de ramos - óleo sobre tela - 65 x 81 cm - canto inferior direito -

Baiana de Feira de Santana. Pintora, estudou com Santa Rosa, seguindo depois para os EUA. Dedicou-se a temas religiosos e regionais, e a retratos. Sua primeira individual ocorreu em São Paulo (1957). Participou da Bienal de São Paulo e do SNAM-RJ. MEC. vol. 2, pág. 90



265 - ALBERTO DA VEIGA GUIGNARD (1896 - 1962)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

Sagrada Família - desenho a lápis e aquarela - 17 x 16,5 cm - canto inferior direito - 1954 -
Com a seguinte dedicatória: "Ao Nilson com afeto". No estado (papel manchado).

Pintor, professor, desenhista, ilustrador e gravador, Alberto da Veiga Guignard nasceu em Nova Friburgo, RJ e faleceu em Belo Horizonte, MG. Mudou-se com a família para a Europa em 1907. Em dois períodos, entre 1917 e 1918 e entre 1921 e 1923, frequentou a Real Academia de Belas Artes de Munique, onde estudou com Hermann Groeber e Adolf Hengeler. Aperfeiçoou-se em Florença e em Paris, onde participou do Salão de Outono. Retornou para o Rio de Janeiro em 1929 e integrou-se ao cenário cultural por meio do contato com Ismael Nery. Participou do Salão Revolucionário de 1931, e foi destacado por Mário de Andrade como uma das revelações da mostra. Em 1941, integrou a Comissão Organizadora da Divisão de Arte Moderna do Salão Nacional de Belas Artes, com Oscar Niemeyer e Aníbal Machado. Em 1943, passou a orientar alunos em seu ateliê e criou o Grupo Guignard. A única exposição do grupo, realizada no Diretório Acadêmico da Escola Nacional de Belas Artes, foi fechada por alunos conservadores e reinaugurada na Associação Brasileira de Imprensa. Em 1944, a convite do prefeito Juscelino Kubitschek, transferiu-se para Belo Horizonte e começou a lecionar e dirigir o curso livre de desenho e pintura da Escola de Belas Artes, por onde passaram Amilcar de Castro, Farnese de Andrade e Lygia Clark, entre outros. Permaneceu à frente da escola até 1962, quando, em sua homenagem, esta passou a chamar-se Escola Guignard. Participou da Bienal de Veneza (1928, 1952); da Bienal Internacional de São Paulo (1951) e outras. PONTUAL, PÁG. 254; MEC, VOL. 2, PAG. 304; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 236; JULIO LOUZADA, VOL. 10, PÁG. 404; ART PRICE ANNUAL 2000, PÁG. 1013; WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG. 373; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 559; ARTE NO BRASIL, PÁG. 505; LEONOR AMARANTE, PÁG. 28; www.pinturabrasileira.com; www.brasilescola.com; web.artprice.com.



266 - DOROTHY BASTOS (1933)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 600,00.

Composição - xilogravura - 14,5 x 19,5 cm - canto inferior direito - 17/08/1955 -

Pintora, desenhista e gravadora que nasceu em São Paulo, SP, onde também fez seu aprendizado artístico. Exposições individuais: São Paulo (1958, 1961, 1966); Campinas, SP (1960); Santos, SP (1965). Coletivas: São Paulo (entre 1955 e 1967 – Salões Paulistas de Arte Moderna e Bienais Internacionais, entre 1969 e 1987 – Panoramas da Arte Atual Brasileira); Rio de Janeiro (entre 1958 e 1962 – Salões Nacionais de Arte Moderna); Argentina (1960); Portugal (1960); México (1960, 1961 – Bienal); França (1961 – Bienal de Paris); Curitiba (1962, 1965); Ribeirão Preto (1964); Florianópolis (1965); Brasília (1964, 1965); EUA (1961); Peru (1965); Belo Horizonte (entre 1960 e 1965). Prêmios: São Paulo (1957, 1959, 1962, 1964); EUA (1961); Belo Horizonte (1964). JULIO LOUZADA VOL. 7, PÁG. 77; ITAU CULTURAL; PONTUAL, PÁG. 59; MEC VOL. 1, PÁG. 190.



267 - SALVADOR RODRIGUES JR (1907 - 1995)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 550,00.

Flores - óleo sobre tela - 80 x 60 cm - canto inferior direito -

Nasceu em Cádiz, Espanha, a 8 de abril de 1907. Veio a falecer no dia 24 de julho de 1995, em São Paulo-SP. Pintor e professor. A sua pintura é toda poesia e sem artifícios. O artista não imita ninguém. Tem estilo e sentido próprios. Estas algumas das observações do crítico da Sociarte, José Cornelsen. O autor obteve mais de uma centena de medalhas e troféus em certames oficiais. JULIO LOUZADA vol.9, pág.741, Acervo FIEO.



268 - INÁCIO RODRIGUES (1946)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Composição - óleo sobre tela - 13 x 69 cm - canto inferior direito e dorso - 2018 - SP -

Pintor, desenhista, entalhador e gravador, natural de Acaraú, CE. Iniciou-se em pintura como autodidata (1957). Viajou para diversos países da América Latina (1960-1965) com o objetivo de participar de exposições e acabou se fixando, em 1966, no Rio de Janeiro. Pintou a cúpula da Catedral Municipal e o Hotel Porto Velho em Porto Velho, RO (1962 e 1965). Expôs individualmente em diversas capitais brasileiras e também no exterior. Participou de muitas mostras e Salões oficiais e foi premiado em: Curitiba, PR (1971); Rio de Janeiro (1970, 1973, 1975, 1977, 1978); Belo Horizonte, MG (1970, 1971); Campinas, SP (1971, 1972); Florianópolis, SC (1972); Niterói, RJ (1974); Embu, SP (1974); Amparo, SP (1994, 1996); São José dos Campos, SP (1983). JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 834; VOL. 4, PÁG. 959; VOL. 12, PÁG. 345; TEIXEIRA LEITE PÁG. 450. WALMIR AYALA VOL. 2, PÁG. 259; MEC VOL. 4, PÁG. 91; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.artprice.com.



269 - INOS CORRADIN (1929)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Músico - serigrafia - 77/100 - 39 x 26 cm - canto inferior direito -

Pintor, desenhista, gravador, escultor e cenógrafo, nascido em Vogogna, Itália. Por volta de 1932 mudou-se com a família para Castelbaldo - Padova, onde, em 1945, estudou pintura com professor Tardivello. Em 1947 colaborou com o pintor Pendin na execução de um mural referente aos mártires da resistência italiana em Castelbaldo. Veio, em 1950, para Jundiaí e São Paulo onde fez parte do núcleo artístico Cooperativa em São Paulo, dirigido pelo pintor argentino Oswaldo Gil Navarro. Executou cenários para o Ballet do IV Centenário de São Paulo, em 1954. Em 1979 foi contratado para pintar um cenário para o Teatro de Rovigo, Itália. Realizou diversas exposições individuais, participou de muitas mostras coletivas e Salões oficiais pelo Brasil e pelo mundo. Foi premiado em Paris (1975) e em Ferrara, Itália (1976). JULIO LOUZADA, VOL. 11, PÁG. 152; PONTUAL, PÁG. 143; MEC, VOL. 1, PÁG. 448; WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG. 215; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO; inoscorradin.com.br.



270 - ANTONIO MAIA (1928 - 2008)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 950,00.

Ex voto - tinta acrílica s/tela colada em aglomerado - 27 x 19 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1978 - Rio de Janeiro -
Com dedicatória no dorso.

Natural de Carmópolis, SE. Pintor e desenhista. Radicado no Rio de Janeiro desde 1955. Em 1959 fez suas primeiras apresentações em coletivas. Estreou no SNAM, obtendo o prêmio de viagem ao exterior (1969). Pertencente àquele grupo de artistas que organizam seu trabalho em torno de valores culturais vindos da expressão popular, o artista assumiu como um dos temas de sua pintura a imagem do ex-voto., escultura religiosa de caráter popular e votivo. O ex-voto representa, para o artista, um ponto de partida na realização de uma paisagem brasileira sem conotações urbanas. É uma pintura em que o mundo dos homens é construído pelos homens e por suas criações. O artista empresta às figuras com que trabalha, os ex-votos, conotações de análise ideológica, e o faz sem palavras, apenas pela força da presença visual. Figurou em diversas coletivas nacionais e internacionais, conquistando prestigio de critica e público. MEC vol.3, pág.42; PONTUAL, pág. 330 e 331; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; Acervo FIEO.



271 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD (1889 - 1979)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Ex-libres" - gravura - 10,5 x 9,5 cm - canto inferior direito - 1949 -

Pintor, gravador, artista gráfico, ilustrador, cenógrafo, crítico, professor, arquiteto e poeta nascido em Santo Antônio de Carangola, RJ e falecido no Rio de Janeiro. Assinava E. P. Sigaud. Formou-se em engenharia agronômica em Belo Horizonte (1920). Frequentou o curso livre da Escola Nacional de Belas Artes (1921) onde foi aluno de Modesto Brocos e, mais tarde, cursou arquitetura (1927 – 1932) na mesma escola. Formou, ao lado de Quirino Campofiorito, Milton Dacosta, Joaquim Tenreiro e José Pancetti, o Núcleo Bernardelli (1931). Ingressou no Grupo Portinari (1935), agremiação informal que se reunia em torno de Candido Portinari e tendo como uma de suas principais linhas de atuação a pintura mural. Tornou-se um dos principais porta-vozes do muralismo ao publicar, no mesmo ano, o artigo "Por que É Esquecida entre Nós a Pintura Mural?", no Jornal de Belas Artes. A convite de seu irmão, o bispo dom Geraldo Sigaud, projetou e decorou a Catedral Metropolitana de Jacarezinho, PR (1954 – 1957). Realizou exposição individual no Rio de Janeiro em 1941. Participou da Exposição Geral de Belas Artes, RJ (1924 a 1927, 1929, 1930); do Salão Nacional de Belas Artes, RJ (1934, 1936, 1942); do Salão Paulista de Belas Artes, SP (1937, 1939); da Bienal Internacional de São Paulo (1951); do Salão Nacional de Arte Moderna, RJ (1962, 1967); entre outras mostras coletivas. PONTUAL PÁG. 489; MEC VOL. 4, PÁG. 243; TEIXEIRA LEITE PÁG. 475 E 476; WALMIR AYALA VOL. 2, PÁG. 324 A 327; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 903; WALTER ZANINI PÁG. 579; ARTE NO BRASIL PÁG. 763, ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.pinturabrasileira.com/artistas_bio.asp?cod=132&in=1; www.artprice.com.



272 - JOSÉ PAULO MOREIRA DA FONSECA (1922 - 2004)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

"Casas no areal" - óleo sobre tela - 22 x 27 cm - canto inferior direito e dorso - 1988 -
Com etiqueta de Exposição do Autor, na D'Bieler Galeria de Arte, Rio de Janeiro - RJ, realizada de 09-08-1989 a 21-08-1989, conforme informação da Enciclopédia Itaú Cultural.

Pintor, advogado, filósofo e poeta, nascido e falecido no Rio de Janeiro. Autodidata, dedicou-se à pintura a partir de 1950. Realizou várias exposições individuais em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Alemanha, Portugal, Inglaterra, Áustria, Estados Unidos, México e participou de muitas mostras e Salões oficiais pelo Brasil e Europa. MEC, VOL. 2, PÁG. 183; WALMIR AYALA VOL. 1, PÁG. 423 A 427; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 268; ITAU CULTURAL, ACERVO FIEO.



273 - ARTUR BÁRRIO (1945)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

Composição - óleo sobre madeira - 46 x 38 cm - centro, canto inferior direito e dorso - 1987 -
No estado (desprendimento de tinta).

Nascido Artur Alípio Barrio de Souza Lopes, na cidade do Porto, Portugal, no dia 1 de fevereiro de 1945. Pintor e desenhista. Jovem ainda fixou-se no Rio de Janeiro. Frequentou a Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, recebendo orientação artística do prof. Onofre Penteado. Trabalha com materiais recicláveis (papel, plástico, etc). Em 1969 participou da seleção da representação para a VI Bienal dos Jovens em Paris, com Ivald Granato e Luis Pires. JULIO LOUZADA vol. 1 pág. 96; ITAU CULTURAL.



274 - HENFIL (1944 - 1988)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.000,00.

"Orelhão" - desenho a nanquim - 24 x 20 cm - canto superior esquerdo -

Mineiro de Ribeirão das Neves, onde nasceu em 5 de fevereiro de 1944, e faleceu na cidade do Rio de Janeiro-RJ, em 4 de janeiro de 1988. Iniciou sua carreira como cartunista, quadrinhista, foi colaborador de O Pasquim (1969). Em 1970 lançou a revista Os Fradinhos, seus personagens mais famosos e que possuem sua marca registrada: um desenho humorístico, crítico e satírico, com personagens tipicamente brasileiros e que retratavam a situação nacional da época. Sua importância na História em Quadrinhos no Brasil se deve à renovação que trouxe ao desenho humorístico nacional. Henfil atuou ainda em teatro, cinema, televisão e literatura, tendo sido marcante a sua atuação nos movimentos políticos e sociais do País.



275 - ARLINDO CASTELLANE DI CARLI (1910 - 1985)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Maçã verde" - óleo sobre eucatex - 39 x 49 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1974 - São Paulo - SP -

Pintor e escultor. Assina Castellane. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo (1925) onde foi aluno de José Maria da Silva Neves, Enrico Vio e Avelino Najara. Trabalhou (1928) como aprendiz de modelador, na Casa Francesa e na Oficina Nicola & Sala, em Santos, SP. Entre 1938 e 1940, viveu em Ribeirão Preto, SP, e teve contato com a obra do pintor Armando Balloni, pela qual foi fortemente influenciado. Realizou exposição individual no Museu Nacional de Belas Artes, RJ, em 1949. Participou do Salão Paulista de Belas Artes - SPBA, SP (1942 a 1945, 1947, 1949, 1951, 1952, 1953, 1957, 1958, 1960, 1964, 1965); do Salão Nacional de Belas Artes - SNBA, RJ (1942, 1944, 1947, 1953, 1957); da exposição "Um século de Pintura Brasileira" no Museu Nacional de Belas Artes, RJ (1952); entre outras. Foi premiado no SPBA, SP (1942, 1943, 1947, 1949, 1952, 1953, 1957, 1958, 1960, 1964 – Prêmio Viagem pelo País, 1965); no SNBA, RJ (1942, 1947, 1953 – Prêmio Viagem ao Estrangeiro, 1957). MEC, VOL. 1, PÁG. 355; WALMIR AYALA, VOL.1, PÁGS. 183; PONTUAL PÁG. 118; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 229; ITAU CULTURAL.



276 - JOSÉ LOURENÇO (1964)
Lance Livre - Aguardando oferta

Cozinhando - xilogravura - 42/100 - 12,5 x 11,5 cm - canto inferior esquerdo - 1992 - Juazeiro - CE -

José Lourenço Gonzaga nasceu em Juazeiro do Norte, CE. Iniciou-se na gravura no ano de 1985 levado pelo avô, gráfico, para a Tipografia São Francisco, hoje, Lira Nordestina. Fez sua primeira gravura para a capa do cordel "O casamento matuto". Além das capas para folhetos, produziu álbuns, entre eles: "Lira Nordestina", "Via Sacra" e "A Vida do Padre Cícero". Exposições: Fortaleza, Juazeiro do Norte, Pacajús – CE (1990); Fortaleza, CE (1991); São Paulo, SP (1991); Campos do Jordão, SP (1992). Prêmios: Fortaleza, CE (1989, 1991). Mostra no Centro Cultural do Banco do Nordeste, em Fortaleza "Minha Vida na Xilogravura: Gravadores de Juazeiro" reúne dez xilogravuristas cearenses, naturais de Juazeiro do Norte (região do Cariri, sul do Estado). A mostra apresenta gravuras que expressam as trajetórias desses artistas, mostrando temas diferentes das tradicionais imagens daquela região. Participam da exposição Abrahão Batista, Ailton Laurino, Cícero Lourenço, Cosmo Braz, Francorli, José Lourenço, Manoel, Naldo, Nilo e Stênio Diniz (de 01/04/09 a 30/05/09).http://www.mauc.ufc.br/expo/2002/03/lourenco1.htm; http://fotolog.terra.com.br/filosofiadofutebol:1423



277 - ARTE POPULAR BRASILEIRA (XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Caboclo - escultura em terracota - 12,5 x 5,5 x 5,5 cm - assinado -
Carminha.



278 - NANDO RIBEIRO (1963)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Palhaço - óleo sobre tela - 50 x 30 cm - canto inferior direito - 1998 -

Pintor e desenhista, Fernando Ferreira Ribeiro nasceu em Pires Ferreira, Ceará. É autodidata em pintura e desenho. Assinava Ferferi até 1993. Atualmente assina Nando Ribeiro. Tem participado de mostras coletivas e Salões oficiais em: Embu, SP (1983 a 1985, 1989, 1992, 1993, 1998); Guarujá, SP (1987); São Paulo (1988, 1990, 1991, 2004); Sorocaba, SP (1988, 1992); Bruxelas, Bélgica (1988); Avignon, França (1990); Três Fronteiras, SP (1994); Itanhaém, SP (1995); Poços de Caldas, MG (1997); Campinas, SP (1999, 2000); Campo Grande, MS (2002). Recebeu Menção Honrosa (1985) no Espaço Cultural IBM Brasil, SP e em Três Fronteiras, SP (1994). JULIO LOUZADA VOL. 8, PÁG 698; www.artmajeur.com/pt/nandoribeiro/presentation.



279 - MANEZINHO ARAUJO (1910 - 1993)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Roda de samba - serigrafia - 28/150 - 27 x 38 cm - canto inferior direito -

Com apenas dezesseis anos de idade mudou-se para Recife, a fim de concluir seus estudos. Após cursar a escola de comércio de Pernambuco, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde foi buscar fama através da música, sua primeira paixão. Destacou-se como compositor e intérprete de música popular nordestina, o que lhe valeu a possibilidade de montar um restaurante de comida nordestina em SP, muito famoso durante vários anos, o Cabeça Chata. Apesar de viver, em SP, suas raízes ainda permanecem em Pernambuco. De uma forma autodidata começou a dedicar-se à pintura, retratando o folclore nordestino, sua gente, suas vidas, fase que sustentou até o seu desaparecimento, com uma menção surrealista. Expôs individualmente nas Galerias Astreia e Capela (SP), e na Ranulfo em Recife (1969). Em 1968, apresentado por Aldemir Martins, teve publicado o álbum de serigrafias Meu Brasil. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 56; MEC, vol. 1, pág. 109; PONTUAL, pág. 38; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 18; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 832; Acervo FIEO.



280 - BIGIO GERARDENGHI (1876 - 1957)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 300,00.

Barcos - óleo sobre tela - 26 x 51 cm - canto inferior direito -
No estado (limpeza necessária).

Italiano de Dronero, Piemonte, onde nasceu em 7/8/1876. Pintor e professor, oriundo de família nobre, o autor sempre viveu em Nápoles, onde realizou estudos e concluiu sua formação artística. Reputado pintor de paisagens e marinhas, figurou em diversas exposições na Itália, onde ganhou a medalha de ouro na Exposição Internacional de Nápoles, e em 1916, quando o seu quadro Lã para os Soldados, foi escolhido pela Cruz Vermelha Italiana para ser reproduzido como propaganda de Socorros de Guerra. No Brasil sua obra foi muito bem recebida pela público e crítica, figurando em diversas exposições. BENEZIT, vol.4, pág. 681; MAYER/84, pág. 835; TEODORO BRAGA, pág. 107; JULIO LOUZADA vol.1, pág. 415; ITAÚ CULTURAL, RUTH TARASANTCHI.



281 - ANNA LETYCIA (1929 - 2018)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Cubos - gravura - 6/12 - 35 x 75 cm - canto inferior direito -
No estado (papel manchado).

Gravadora, desenhista, pintora, professora, cenógrafa, figurinista e ilustradora, Anna Letycia Quadros nasceu em Teresópolis, RJ e faleceu no Rio de Janeiro. Iniciou estudos de desenho e pintura com Bustamante Sá, na Associação Brasileira de Desenho, RJ e, na década de 1950, frequentou vários cursos de gravura, tendo como professores André Lhote, Darel, na Escola Nacional de Belas Artes e Iberê Camargo, no Instituto Municipal de Belas Artes. Realizou curso de xilogravura com Oswaldo Goeldi, na Escolinha de Arte do Brasil e de pintura com Ivan Serpa, com quem participou da criação do Grupo Frente. Nessa década, passou a trabalhar exclusivamente com gravura em metal. Frequentou o ateliê do MAM, RJ (1959), coordenado pela artista Edith Behring, e lecionou gravura nesse mesmo ateliê (entre 1960 e 1966). Dentro desse período, deu aulas de gravura em Santiago onde recebeu o título de "Professor Honoris causa" da Pontifícia Universidade Católica do Chile (1961). Em 1977, instalou em Niterói a Oficina de Gravura, no Museu do Ingá, que coordenou até 1998. Em 1998, foi publicado o livro Anna Letycia, de Angela Ancora da Luz, pela Editora da Universidade de São Paulo. Realizou exposições individuais e participou de mostras, Salões e Bienais no Brasil e exterior. Recebeu diversos prêmios, destacando-se: Prêmio de Viagem ao País no Salão Nacional de Arte Moderna, RJ (1962); Prêmio Aquisição na Bienal Internacional de São Paulo (1957, 1967); "Prix Malraux" na Bienal de Paris (1965). PONTUAL PÁG. 28; MEC VOL. 2, PÁG. 473; WALTER ZANINI PÁG. 703; LEONOR AMARANTE; ARTE NO BRASIL; JULIO LOUZADA VOL. 2, PÁG. 71; VOL. 7, PÁG. 42; ITAU CULTURAL; www.artprice.com.



282 - JEAN XANTHAKOS (1936)
Lance Livre - Aguardando oferta

Natureza morta - óleo sobre tela - 18 x 24 cm - canto inferior esquerdo -

Pintor e escritor nascido em Atenas, Grécia, onde viveu até 1965. Estudou pintura e filosofia por mais de 10 anos. No Brasil desde 1965. Viveu no Rio de Janeiro mas radicou-se em São Paulo. Especialista em naturezas-mortas. JULIO LOUZADA vol.2, pág. 1065, Acervo FIEO.



283 - WALTER LEWY (1905 - 1995)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 300,00.

Paisagem surreal - óleo sobre tela - 80 x 108 cm - canto inferior direito - 1991 -
No estado (pintura craquelada).

Gravador, pintor, ilustrador, paisagista, desenhista e publicitário nascido em Bad Oldesloe, Alemanha e falecido em São Paulo. Estudou na Escola de Artes e Ofícios de Dortmund, Alemanha (1923-1927). Nesse período, filiou-se à tendência do realismo mágico. Em 1928 participou de coletivas em Dortmund, Gelsenkirchen, Boclusim e outras cidades. Com a crise econômica de 1929, Lewy perdeu seu emprego de desenhista numa gráfica e foi viver com os pais no interior, tornando-se ilustrador de anedotas em jornais. Realizou sua primeira exposição individual em Bad Lippspringe (1932), mas foi fechada quando a Câmara de Arte Alemã proibiu a participação de judeus na vida artística. Escapando dessa situação opressora, o artista imigrou para o Brasil (1938), retomando profissionalmente a pintura. Deixou para trás centenas de trabalhos, que foram enviados para a Holanda e perdidos durante os bombardeios da Segunda Guerra Mundial (1939-1945). No Brasil, fixou-se em São Paulo. Nos primeiros anos fez desenho publicitário e mais tarde capas de livros e ilustrações para diversas editoras. Ilustrou obras de Bertrand Russell, Machado de Assis e Arnold Toynbee, entre outras. Mais tarde, empregou-se como diagramador, letrista e arte-finalista nas agências de propaganda De Carli, Lintas Publicidade, Martinelli, Santos & Santos e Thompson Propaganda. Participou de Salões Nacionais e Bienais de São Paulo, entre 1951 e 1965, recebendo diversas premiações oficiais. JULIO LOUZADA, VOL. 10, PÁG. 497; MEC, VOL. 2, PÁG. 474; TEODORO BRAGA, PÁG. 245; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 286; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 630; LEONOR AMARANTE, PÁG. 142; ACERVO FIEO.



284 - ROBERTO BURLE MARX (1909 - 1994)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 750,00.

Composição - técnica mista sobre cartão - 18 x 22 cm - canto inferior direito -
Ex coleção Renato Antônio Brogiolo, Rio de Janeiro - RJ.

Nasceu em São Paulo e faleceu no Rio de Janeiro. Pintor, paisagista, arquiteto, desenhista,gravador, litógrafo, escultor, tapeceiro, ceramista, designer de jóias, decorador. Durante a infância viveu no Rio de Janeiro. Foi com a família para a Alemanha, em 1928. Em 1929, freqüentou o ateliê de pintura de Degner Klemn. Nos jardins e museus botânicos de Dahlen, em Berlim, entusiasmou-se ao encontrar exemplares da flora brasileira. De volta ao Brasil, fez curso de pintura e arquitetura na Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1930 - 1934), onde foi aluno de Leo Putz , Augusto Bracet e Celso Antônio. Seu primeiro projeto paisagístico foi para a arquitetura de Lúcio Costa e Gregori Warchavchik, em 1932. Entre 1934 e 1937, ocupou o cargo de diretor de parques e jardins do Recife, PE, onde passou a residir. Nesse período, foi com freqüência ao Rio de Janeiro e teve aulas com Candido Portinari e com o escritor Mário de Andrade. Em 1937, retornou ao Rio de Janeiro e trabalhou como assistente de Candido Portinari. Foi em 1949, conforme sua paixão por plantas e seu interesse por botânica e jardinagem, que Burle Marx adquiriu um sítio em Barra de Guaratiba, RJ. Com auxílio de botânicos, viajou, coletou, catalogou exemplares de plantas do Brasil e reproduziu em seu sítio a diversidade fitogeográfica brasileira. Em 1985 doou esse sítio, com todo o seu acervo, à extinta Fundação Nacional Pró Memória, atual Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN.Realizou muitas exposições individuais e projetos paisagísticos, participou de diversas mostras oficiais coletivas pelo Brasil e no exterior. PONTUAL, PÁG. 94; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 93; MEC. VOL.1, PÁG.303; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG.564; ARTE NO BRASIL, PÁG. 738; LEONOR AMARANTE, PÁG. 98; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 179; artnet.com. ACERVO FIEO.



285 - CLAUDIO TOZZI (1944)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.700,00.

"Mulher comendo maçã depois do amor" - serigrafia - 15/50 - 43,5 x 34 cm - canto inferior direito - 1971 -

Pintor, arquiteto e gravador, Claudio José Tozzi nasceu em São Paulo. É mestre em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Realizou diversas exposições individuais. Participou, entre várias mostras e Salões oficiais, da Bienal Internacional de São Paulo em 1967, 1969, 1977, 1985, 1989, 1991; do Panorama da Arte Atual Brasileira em 1971, 1973, 1976, 1977, 1979, 1980, 1983; da Bienal de Veneza em 1976; da Bienal de Paris em 1980. Criou painéis para espaços públicos de São Paulo, como: ‘Zebra’, colocado na lateral de um prédio da Praça da República; na Estação Sé do Metrô, em 1979; na Estação Barra Funda do Metrô, em 1989; no edifício da Cultura Inglesa, em 1995 e, no Rio de Janeiro, na Estação Maracanã do Metrô Rio, em 1998. WALMIR AYALA VOL.2, PÁG.388; PONTUAL PÁG.525; TEIXEIRA LEITE PÁG. 512; ARTE NO BRASIL VOL.2, PÁG.1059; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 740; LEONOR AMARANTE PÁG. 170; ACERVO FIEO; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 992; www.eca.usp.br; www.pinacoteca.org.br.



286 - RICARDO ZANZAL (1968)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Sintonia 1" - óleo sobre tela - 30 x 30 cm - canto inferior direito e dorso - 2019 -

Pintor e desenhista nascido em Maringá, PR. Autodidata. É filho do artista plástico paulista e radicado no Paraná - Zanzal Mattar que dentre as milhares de obras que executou, estão as pinturas internas da Catedral Nossa Senhora da Glória, em Maringá. Formou-se em engenharia, atuou durante muitos anos em grandes obras e em vários segmentos até se dedicar integralmente à pintura a partir de 2014. Tem participado de várias mostras coletivas pelo Brasil e Estados Unidos. www.guiadasartes.com.br/ricardo-zanzal.



287 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX
Lance Livre - Aguardando oferta

Paisagem - aquarela - 21 x 26 cm - não assinado -



288 - JOÃO BOSCO CAMPOS (1964)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.100,00.

"Tropeiro II" - óleo sobre tela - 70 x 100 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 2000 -

Mineiro de Itamarandiba, onde nasceu no dia 5 de março. Estudou como aluno ouvinte na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, fazendo também outros cursos de aperfeiçoamento naquela cidade. Frequentou os ateliês de Edgar Walter, Jayme Cavalcante, Cláudio Teixeira, Roberto Leal, Roberto Paragó, Jorge Guinle, entre outros. Participou de diversas coletivas, recebendo premiações. JULIO LOUZADA, vol. 4 pág. 205.



289 - EDGAR COGNAT (1919 - 1994)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

"Modelo em repouso" - gravura - 28 x 23 cm - canto inferior direito - 1993 -

Pintor, desenhista e gravador nascido no Rio de Janeiro. Começou seus estudos aos dezessete anos na classe de desenho, pintura e artes decorativas com o Professor Carlos Chambelland. Aprofundou-se por conta própria na arte da gravura, produzindo obras com o amigo e gravador Hans Steiner. Em 1967, assumiu a direção da Oficina de Gravuras do Liceu de Artes e Ofícios, sucedendo Carlos Oswald, considerado o pai da gravura no Brasil. Participou, entre outros, do Salão Nacional de Belas Artes - RJ; onde obteve medalhas de bronze, prata e de ouro; da I Exposição do Auto-Retrato no Museu Nacional de Belas Artes - RJ (1944); do Salão Paulista de Belas Artes - SP (1942); do Salão Municipal de Belas Artes - RJ (1954). MEC VOL. 1 PÁG. 442; PONTUAL PÁG. 139; ITAU CULTURAL; www.opapeldaarte.com.br.



290 - BENEDITO CALIXTO DE JESUS (1853 - 1927)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

"Natureza morta" - óleo sobre cartão - 21,1 x 32,1 cm - canto inferior esquerdo - 1909 -
Com Expertise firmada por Celso Calixto Rios em 30 de julho de 2019. No estado (pequeno rasgo).

Pintor, professor, historiador, ensaísta, nascido em Conceição de Itanhaém, SP e falecido em São Paulo. Transferiu-se para Brotas, SP, onde adquiriu noções de pintura com o tio Joaquim Pedro de Jesus, ao auxiliá-lo na restauração de imagens sacras de uma igreja local. Realizou sua primeira individual em São Paulo, no ano de 1881. Fixou-se por algum tempo em Santos e depois de ter executado a decoração do Teatro Guarani, partiu para Paris em 1883, estudando na Academia Julian e no ateliê de Jean François Raffaëlli. Retornou ao Brasil em 1885 e passou a residir em São Vicente. Produziu inúmeras marinhas em que representa o litoral paulista; realizou diversos painéis de temas religiosos para igrejas na capital e interior do Estado de São Paulo; pintou vistas de antigos trechos das cidades de São Paulo, Santos e São Vicente para o Museu Paulista da Universidade de São Paulo, por encomenda do diretor do museu o historiador Afonso d´Escragnolle Taunay. Dedicou-se também a estudos históricos da região e à preservação de seu patrimônio e publicou, entre outros, os livros 'A Vila de Itanhaém' (1895) e 'Capitanias Paulistas' (1924). Existem obras suas nos acervos de diversos museus brasileiros. TEODORO BRAGA PÁG. 51; REIS JR PÁG. 214; LAUDELINO FREIRE PÁG. 387; PONTUAL PÁG. 68/69; MEC VOL.1, PÁG. 326/327; WALMIR AYALA VOL.1, PÁG.153; MAYER/83 PÁG. 601; TEIXEIRA LEITE PÁG. 97; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 505; ARTE NO BRASIL PÁG. 599, RUTH TARASANTCHI; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 172. ACERVO FIEO.



291 - FUKUDA (1943)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Composição - serigrafia - 15/100 - 34 x 44 cm - canto inferior direito - 1996 -
Paspatour no estado.

Pintor, gravador e escultor, Roberto Kenji Fukuda nasceu em Indiana, SP. Iniciou-se na pintura com orientação de seu pai, o pintor Tamotsu Fukuda, um dos imigrantes japoneses pioneiros no Brasil. Como escultor foi o responsável pela criação do monumento comemorativo aos Jogos Pan-Americanos, do Rio de Janeiro (2007). Realizou exposições individuais em: Lins, SP (1963); Rio de Janeiro (1988, 1989); São Paulo (1988,1991); Curitiba, PR (1989); Brasília, DF (1989); Belo Horizonte, MG (1991). Participou de várias mostras coletivas pelo Brasil, Alemanha, França e Estados Unidos. JULIO LOUZADA, VOL. 11, PÁG. 120; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO; www.galeriamaradolzan.com.br.



292 - MENASE VAIDERGORN (1927)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Burrinhos de Ouro Preto" - óleo sobre tela colada em eucatex - 30 x 40 cm - canto inferior direito e dorso -

Pintor nascido em Hotin, Romênia. Assina MVAIDERGORN. Seus pais vieram para o Brasil (1932) fixando residência em São Paulo. Ingressou na Associação Paulista de Belas Artes (fim da década de 1940) onde conheceu Dario Mecatti que muito o estimulou. Viajou pelo norte da África e Europa. Realizou exposições individuais e participou de diversos salões e mostras coletivas oficiais, recebendo diversos prêmios, entre eles: os do Salão Paulista de Belas Artes, SP (1976 - Medalha de Bronze, 2000 – Prêmio Aquisição, 2001 – Grande Medalha de Prata). JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 1011; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.artprice.com.



293 - JESUÍNO LEITE RIBEIRO (1935 - 2012)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

No bordel - óleo sobre eucatex - 56 x 76 cm - canto inferior direito - 1984 -

Jesuíno Leite Ribeiro nasceu e faleceu em Guaxupé, MG. Foi pintor, desenhista, gravador e professor. Assinava Jesuíno e era, na família, conhecido como Zino. Estudou na Escola de Belas Artes de Belo Horizonte e na antiga Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, onde se aperfeiçoou em gravura com Oswaldo Goeldi. Foi professor de desenho no Instituto Central de Artes da Universidade de Brasília. Exposições individuais: Rio de Janeiro (1960, 1969, 1970, 1977, 1979); São Paulo (1963, 1966, 1980, 1983, 1986); Salvado, BA (1963); Roma, Itália (1971, 1972); Campinas, SP (1983); Guaxupé, MG (2010, 2011). Participou de várias mostras oficiais e foi premiado em: Belo Horizonte, MG (1957, 1959); Salvador, BA (1963). JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 495; VOL. 2, PÁG. 535; VOL. 10, PÁG 451; MEC VOL. 2, PÁG. 374; PONTUAL PÁG. 279; ITAU CULTURAL.



294 - GILVAN SAMICO (1928 - 2013)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Menino - xilogravura - P.A. - 12 x 12 cm - canto inferior esquerdo - 1958 -

Batizado Gilvan José Meira Lins Samico, o artista nasceu em 15/6/1928, na capital pernambucana de Recife. Inicia-se na pintura como autodidata. Em 1948, freqüenta a Sociedade de Arte Moderna do Recife. Estuda xilogravura com Lívio Abramo, em 1957, na Escola de Artesanato do Museu de Arte Moderna de São Paulo. Em 1958 estuda gravura com Oswaldo Goeldi na Escola Nacional de Belas Artes-RJ. Em 1968, recebe o prêmio viagem ao exterior no 17º Salão Nacional de Arte Moderna-MAM-RJ. Em 1971, integra o Movimento Armorial, voltado à cultura popular nordestina e à literatura de cordel. Os quarenta anos de gravura do artista foram comemorados em 1997 com importante exposição no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro. JULIO LOUZADA vol.10, pág. 784; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 688.



295 - HERMANN TRAUGOTT RÜDISÜHLI (1864 - 1944)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 500,00.

Paisagem - óleo sobre cartão - 45 x 60 cm - canto inferior direito -
(Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Pintor e desenhista suiço com participações em mostras coletivas. www.artprice.com.



296 - GUILHERME DE FARIA (1942)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Silêncio!..." - litografia - 20/30 - 69 x 49 cm - canto inferior direito - 1979 -

Pintor, gravador, desenhista e poeta, Guilherme Caiuby de Faria nasceu em São Paulo. Teve formação autodidata. Iniciou carreira artística em 1962, dedicando-se à produção de desenhos, gravuras e pinturas. Realizou viagem ao interior da Bahia e de Pernambuco, entrando em contato com artistas populares (por volta de 1970). Realizou exposições individuais em: São Paulo (1964, 1966, 1967, 1971, 1974, 1984, 1996, 1997, 2010); Toronto, Canadá (1975); Assunção, Paraguai (1976); Porto Alegre, RS (1978); Ribeirão Preto, SP (1980); Marília, SP (1980); Munique, Alemanha (1983); Quito, Equador (1986); Penápolis, SP (1987); entre outras. Participou de mostras coletivas e oficiais como: I Exposição do Jovem Desenho Nacional, MAC – SP (1965); Panorama da Arte Atual Brasileira, MAM – SP (1969, 1971, 1974, 1977, 1980); Bienal Internacional de São Paulo (1967); I Bienal Latino-Americana, SP (1978); "25 Contemporary Brazilian Artists", Tóquio – Japão (1979); Bienal Internacional de Artes Gráficas, Liubliana – Eslovênia (1989). A partir de 2001 passou a compor cordéis de cunho sertanejo, publicando-os em folhetos ilustrados com xilogravuras de sua autoria. Iniciou carreira de cordelista e declamador em São Paulo, dedicando-se também à divulgação de contos e poemas atribuídos à escritora Alma Welt. MEC VOL.2, PÁG. 142; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 371; VOL. 13, PÁG. 126; PONTUAL PÁG. 202; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.brasilartesenciclopedias.com.br; biografias.netsaber.com.br; www.bcb.gov.br; www.artprice.com.



297 - SYLVIO ALVES (1926)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Paisagem - óleo sobre madeira - 38 x 49 cm - canto inferior direito -

Formado e ativo em São Paulo, foi expositor do Salão Paulista de Belas Artes. Especializou-se na Academia de Belas Artes de Roma e na Escola Superior de Belas Artes, na Academia Julien e na Grande Chaumièrè, na França. MEC, vol. 1, pág. 72; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág.55; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



298 - ARTE POPULAR BRASILEIRA (XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Cristo - entalhe em madeira - 55 x 29 x 11 cm - assinado -
A.B. - Ribeira, Olinda - PE, 1968.



299 - IUR SERAVAT FULAM (1959)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Insinuação" - guache - 20 x 29 cm - dorso - 2019 -

Pseudônimo do autor. Natural de São Paulo (SP), filho primogênito de um casal ligado à atividade cultural (pai artista gráfico e plástico e mãe escritora). Autodidata neste campo, embora tenha tido grande estímulo para o desenho e a pintura acompanhando a atividade artística de seu pai, que também foi marchand a partir da década de 60, permitindo que tivesse estreito contato e pudesse realizar uma grande experimentação ao longo dos anos tanto para a linguagem figurativa com temas ligados ao cotidiano, como para a geométrica. É professor universitário e consultor na área de assuntos públicos e instituições políticas.



300 - HEITOR DOS PRAZERES (1898 - 1966)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

"Chorinho nos Arcos" - óleo sobre eucatex - 32 x 42 cm - canto inferior direito -
Com Autenticação da família do Artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho.

Pintor, compositor, marceneiro, Heitor dos Prazeres nasceu e faleceu no Rio de Janeiro, RJ. Iniciou-se na pintura por volta de 1937, como autodidata, estimulado pelo jornalista e desenhista Carlos Cavalcanti. No período de 1937 a 1946, trabalhou em rádios do Rio de Janeiro e ingressou como ritmista na Rádio Nacional, em 1943. Recebeu o 3º lugar para artistas nacionais na 1ª Bienal Internacional de São Paulo (1951) e foi homenageado com sala especial na 2ª Bienal Internacional de São Paulo (1953). No ano seguinte, criou cenários e figurinos para o Balé do IV Centenário da Cidade de São Paulo. Realizou sua primeira exposição individual, em 1959, no Rio de Janeiro. Em 1965, Antônio Carlos Fontoura produziu um documentário sobre sua obra. Tornou-se um artista destacado, atuando como compositor, instrumentista e letrista de música popular brasileira. Participou da fundação das primeiras escolas de samba cariocas, entre elas a Estação Primeira de Mangueira. Em comemoração ao centenário de seu nascimento, em 1999, foi realizada mostra retrospectiva no Espaço BNDES e no Museu Nacional de Belas Artes. Em 2003, foi publicado o livro ‘Heitor dos Prazeres: Sua Arte e Seu Tempo’, da jornalista Alba Lírio. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL.11, PÁG.247; MEC. VOL.3, PÁG.400; WALMIR AYALA. VOL.2, PÁG.194; TEIXEIRA LEITE, PÁG.408; PONTUAL, PAG.439; WALTER ZANINI, PÁG.810; LEONOR AMARANTE, PÁG. 266; ACERVO FIEO.



301 - JORGE GUINLE FILHO (1947 - 1987)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 550,00.

Composição - técnica mista sobre papel - 20 x 29 cm - canto inferior esquerdo - 1980 -

Pintor, desenhista e gravador nascido e falecido em Nova York, EUA. Mudou-se com a família para o Brasil ainda no ano de seu nascimento e permaneceu no Rio de Janeiro até 1955. Desse ano até 1962, acompanhando a mãe, morou em Paris e, em seguida, em Nova York, onde residiu até 1965. Na França, em paralelo a sua formação regular, iniciou, como autodidata, estudos de pintura e frequentou museus e galerias de arte, prática que manteve quando se transferiu para os Estados Unidos. De 1965 a 1974 viveu no Rio de Janeiro e passou temporadas em Londres e Paris, cidade para onde retornou nesse último ano e se estabeleceu por mais três anos. Em 1977, voltou a residir no Rio de Janeiro. Seu trabalho ganhou repercussão e, na década de 1980, integrou as principais exposições de arte do país. A produção do artista, concentrada em seus últimos sete anos de vida, foi dedicada, sobretudo à pintura. Jorge Guinle foi um importante incentivador da revalorização da pintura promovida pelo grupo de jovens artistas conhecido como Geração 80. Participou da mostra ‘Como Vai Você, Geração 80?’, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage - EAV/Parque Lage, Rio de Janeiro, 1984, escreveu um texto para a edição especial da revista ‘Módulo’ dedicada a essa mostra, participou de várias exposições e eventos realizados por esses artistas e escreveu sobre suas obras. Participou também da 17ª e 18ª Bienal Internacional de São Paulo (1983 e 1985). Em 1985 recebeu o Prêmio de Viagem ao Estrangeiro no 8º Salão Nacional de Artes Plásticas, MAM-RJ. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL. 2, PÁG.482; LEONOR AMARANTE, PÁG. 312. ACERVO FIEO.



302 - JOSÉ BARBOSA (1948)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Profeta - gravura - 75/100 - 18,5 x 30 cm - canto inferior direito - 1967 -

Pernambucano de Olinda, onde nasceu em agosto de 1948. Pintor, desenhista, entalhador, escultor, ilustrador e gravador. Filho de marceneiro, iniciou sua carreira em 1963, como escultor-talhador, incentivado pelo pintor Adão Pinheiro. Integrou e organizou o movimento de Arte Ribeira, que tinha a participação dos artistas João Câmara, Vicente do Rego Monteiro e Guita Charifker - movimento dissolvido pouco tempo depois pela repressão militar. No Rio de Janeiro envolveu-se com a elite artística carioca, participando do progresso da vanguarda com suas talhas e gravuras em metal com imagerns exuberantes inspiradas na sua terra natal. Residiu na Alemanha, expondo seus trabalhos na França, Alemanha, Suiça e Inglaterra. Individuais a partir de 1964 e coletivas desde 1965. JULIO LOUZADA, vol. 12, pág. 36; ITAU CULTURAL.



303 - JOSÉ SABÓIA (1949)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 750,00.

Torcida do flamengo - óleo sobre tela - 40 x 70 cm - canto inferior direito -

Pintor, José Sabóia do Nascimento nasceu em Almadina-BA. Artista autodidata foi para o Rio de Janeiro em 1967 e começou a pintar no ano seguinte, passando a expor seus trabalhos na feira hippie de Ipanema. Fez sua primeira exposição individual em Fortaleza, CE (1970). Entre as exposições de que participou, destacam-se: I e III Salão Nacional de Artes Plásticas do Ceará, Fortaleza, (1969, 1971 - Prêmio Aquisição); Dez Pintores no Rio de Janeiro, no MNBA, RJ (1983); ‘Brésil Naifs’, Paris (1986); ‘Salon d'Art Naif’- Marseilha, França (1987); ‘Pintura, Presença e Povo na Arte Brasileira’ no Museu da Casa Brasileira - São Paulo (1990); ‘Visões do Rio’ no MAM, RJ (1996). No exterior expôs individualmente em São Francisco, EUA e Munique, Alemanha, além de participar de coletivas em vários países e, principalmente na França, com exposições organizadas pela Galeria Jacqueline Bricard e uma presença cativa na ‘Galerie Naïfs du Monde Entier’ em Paris. José Sabóia participou do Concurso Internacional de Morges, quando seu quadro foi eleito pelo público, a melhor obra de 60 participantes de 22 países, premiação que originou o convite da Galeria Kasper para realizar uma exposição individual em 1997. JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 278; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 228; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO; www.artprice.com; www.nautilus.com.br; www.ardies.com.



304 - JOSEF ALBERS (1888 - 1976)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

"Formulation Articulation" - serigrafia - 33/1000 - 34 x 39 cm - não assinado -
Com autenticação do Centro de Pesquisa de Arte, datada de 05 de maio de 1980, firmada por Bruno Silvio Tausz - Rua Paul Redfern 48, Ipanema - RJ, no dorso. (Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Pintor, poeta, escultor, professor, e teórico da arte. Nasceu em Bottrop, Alemanha e faleceu em Connecticut, EUA. Sua formação artística se deu na Alemanha: Berlim, Essen, Munique e na Bauhaus (Weimar) onde se torna professor. Em 1933, migra para os Estados Unidos e dá continuidade às suas atividades artísticas e teóricas. Em 1971 é realizada uma retrospectiva de seu trabalho no Metropolitan Museum, em Nova York. Possui obras em museus da Europa, EUA e Brasil. BENEZIT, VOL.1, PÁG. 81; ITAU CULTURAL; www.albersfoundation.org; www.mac.usp.br; www.britannica.com.



305 - IGNÁCIO DA NEGA (1945)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

"Romaria" - óleo sobre tela - 45 x 50 cm - canto inferior direito e dorso - 1981 -
Ex-coleção Antônio Maluf - Galeria Seta - São Paulo - SP.

Pintor, Inácio Ramos da Silva (o "g" incluído no nome é para dar charme às telas) nasceu em Surubim, PE. Começou sua atividade artística ajudando a mãe a decorar andores de procissões e a fazer flores de papel. Aos 20 anos, mudou-se para São Paulo onde desempenhou várias atividades. Nas horas vagas, fazia desenhos a lápis, mas sem ainda pensar em viver de pintar. Voltou para Pernambuco (1970), estudou na Escola de Belas Artes de Recife e recebeu orientações de Alaerte Baudim. De volta a São Paulo (meados de 1970) orientou-se com M. Boy e Iracema Arditi. Foi convidado (1980) a realizar uma exposição no Museu do Sol, em Penápolis - SP e passou a assinar os quadros como Ignácio da Nega - homenagem à mãe, falecida em 1979 e conhecida como Nega em seu ofício de decoradora e costureira. Realizou exposições individuais em: Olinda, PE (1973); Penápolis, SP (1980). Participou de mostras coletivas e oficiais, destacando-se: Bienal Naïfs do Brasil, Piracicaba – SP (1996); POP Brasil: a arte popular e o popular na arte, CCBB – SP (2002); Arte Naïf, Galeria Jacques Ardies – SP (2004, 2005). JULIO LOUZADA, VOL. 2, PÁG. 511; VOL. 5, PÁG. 495; ACERVO FIEO; ITAU CULTURAL; artenaifrio.blogspot.com/2012/02/ignacio-da-nega.html.



306 - SIRON FRANCO (1947)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

No bordel - desenho a caneta esferográfica - 19 x 08 cm - canto inferior direito -
Com a seguinte dedicatória: "Para o amigo Glauco P.M. com abraço do amigo Siron". No estado (papel manchado e dobrado).

Pintor, escultor, ilustrador, desenhista, gravador e diretor de arte, Gessiron Alves Franco nasceu em Goiás, GO. Mudou-se para Goiânia (1950) onde estudou pintura (1960) com D. J. Oliveira e Cleber Gouvêa e também foi aluno-ouvinte da Escola de Belas Artes da Universidade Católica de Goiânia. Frequentou os ateliês de Bernardo Cid e Walter Levy, em São Paulo (1969 e 1971), integrando o grupo que fez a exposição 'Surrealismo e Arte Fantástica', na Galeria Seta. Em 1975, com o Prêmio Viagem ao Exterior (1975 – Salão Nacional de Arte Moderna, RJ) residiu entre capitais europeias e o Brasil. Iniciou o projeto 'Ver-A-Cidade' (1979) realizando diversas interferências no espaço urbano de Goiânia. Desde 1986 realiza monumentos públicos baseados na realidade social do país. Fez direção de arte para documentários de televisão (1985 a 1987) como 'Xingu', concebido por Washington Novaes, premiado com medalha de ouro no Festival Internacional de Televisão de Seul. Realizou exposições individuais e participou de inúmeras mostras coletivas e Salões oficiais, destacando-se: Bienal Nacional de Artes Plásticas, Salvador – BA (1968); Bienal Nacional, SP (1974); Bienal Internacional de São Paulo (1975 – Prêmio de Pintura, 1979, 1989, 1991); Panorama da Arte Atual Brasileira, SP (1976, 1983, 1989); Salão Nacional de Arte Contemporânea, Belo Horizonte – MG (1979); Bienal de Valparaíso, Chile (1981); Bienal de Medellín, Colômbia (1981); 'A Cor e o Desenho do Brasil' - Itália, São Paulo, Holanda, Portugal, França (1984); Bienal de Artes Visuais do MERCOSUL, Porto Alegre – RS (1997, 2005); 'Brasil+500 Mostra do Redescobrimento', São Paulo (2000); Bienal de Havana, Cuba (2003), entre outras. WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 343; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 206; JULIO LOUZADA VOL. 2, PÁG. 957; PONTUAL PÁG. 222; MEC VOL. 2, PÁG. 206; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 760; LEONOR AMARANTE PÁG. 240, ACERVO FIEO; www.pinturabrasileira.com; www.artprice.com.



307 - ANTONIO GARCIA PASCOAL (1939)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Estrada Santa Rita" - óleo sobre tela - 30 x 40 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1996 -
No estado (limpeza necessária).

Assina Pascoal. Pintor nascido em Itapui, SP, em 17 de novembro. Participa de coletivas desde 1990, tendo recebido prêmio, dentre outros, Medalha de Bronze, no SA na CEF em São Caetano do Sul - 1991. JULIO LOUZADA vol.9, pág. 655.



308 - ARMANDO BALLONI (1901 - 1975)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

O rabino - óleo sobre madeira - 32 x 23 cm - canto inferior esquerdo - 1945 -

Italiano, o pintor foi ativo em São Paulo, onde participou do Salão Paulista de Belas Artes a partir de 1933. Foi premiado com medalha de bronze, do Salão de Arte Moderna (1954), e em outros Salões oficiais. Participou da I e II Bienal de São Paulo.Membro e expositor da Familia Artistica Paulista. MEC, vol. 1, pág.159; JULIO LOUZADA vol.10, pág. 87; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 582, Acervo FIEO.



309 - JOSÉ MORAES (1921 - 2003)
Lance Livre - Aguardando oferta

Árvores - desenho a lápis de cor - 21 x 15 cm - canto inferior esquerdo - 1992 -

Pintor, gravador, desenhista, escultor, ilustrador e professor, José Machado de Morais nasceu no Rio de Janeiro e faleceu em São Paulo. Assina José Moraes. Formou-se em pintura pela Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1941). Paralelamente aos estudos universitários, teve aulas de pintura com Quirino Campofiorito. Tornou-se assistente de Candido Portinari, em Brodosqui (1942) e trabalhou com o mesmo na execução do painel da capela de São Francisco de Assis, de Oscar Niemeyer, em Belo Horizonte (1945). Realizou exposições individuais no: Rio de Janeiro (1945, 1947, 1966, 1968, 1969, 1970); São Paulo (1962, 1965, 1967, 1970, 1979 – MAM, SP, 1982, 1983, 1984, 1986); Bagé, RS (1946, 1979); Pelotas, RS (1946); Porto Aiegre, RS (1948, 1980, 1988, 1992, 1995); Uberlândia, MG (1952, 1972, 1977, 1978, 1987); Belo Horizonte, MG (1964); Campinas, SP (1974); Cataguases, MG (1981); Goiânia, GO (1987); Brasília, DF (1989, 1995). Participou de várias mostras coletivas e Salões oficiais pelo Brasil como: Panorama da Arte Brasileira – MAM, São Paulo (1969, 1970, 1971, 1973, 1976, 1977) e no exterior. Foi premiado, nos anos de 1940, em quatro edições do Salão Nacional de Belas Artes – RJ. Com o prêmio Viagem ao Exterior recebido na 55ª edição (1949), viajou para Itália onde permaneceu estudando pintura mural (1950 a 1951). De volta ao Rio de Janeiro, dedicou-se à execução de mosaicos e afrescos até 1958, quando se mudou para São Paulo. Tornou-se professor na FAAP (1967). Aperfeiçoou-se em serigrafia (1971) com Michel Caza, em Paris, para onde retornou em outras três ocasiões, com a mesma finalidade. Fez também estágios em litografia com Michel Potier, na "École de Beaux-Arts", Paris, e com Eugène Shenker, no "Centre de Gravure Contemporaine", Genebra. MEC VOL. 3, PÁG. 196; Pontual pág. 369; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 646; VOL. 2, PÁG. 689; VOL. 5, PÁG. 706; VOL. 6, PÁG. 748; VOL. 8, PÁG. 586; VOL. 12, PÁG. 278; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 602, ACERVO FIEO.



310 - MARIO ZANINI (1907 - 1971)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 750,00.

Lavadeiras - óleo sobre madeira - 50 x 40 cm - canto inferior direito - 1969 -

Pintor, decorador, ceramista, professor, Mário Zanini nasceu e faleceu em São Paulo. Foi um dos integrantes de dois importantes movimentos artísticos considerados históricos na pintura paulista: o Grupo Santa Helena e a Família Artística Paulista. Sua formação artística se deu em São Paulo quando aos 13 anos iniciou curso de pintura da Escola Profissional Masculina do Brás e de 1924 a 1926, matriculou-se no curso de desenho e artes do Liceu de Artes e Ofícios. Conheceu Alfredo Volpi em 1927 e no ano seguinte estudou com o pintor Georg Elpons. Trabalhou no escritório de decoração de Francisco Rebolo entre 1933 e 1938. Em 1940 recebeu medalha de prata no 46º Salão Nacional de Belas Artes e foi convidado por Rossi Osir a trabalhar em seu ateliê de azulejos artísticos, o Osirarte. Em 1950, viajou por seis meses pela Itália, em companhia de Volpi e Osir. A partir de 1968 lecionou na Faculdade de Belas Artes de São Paulo. Participou de vários Salões oficiais e mostras coletivas no Brasil, como I e III Bienal Internacional de São Paulo e no exterior. Sua família doou 108 de suas obras ao Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo - MAC/USP em 1974. MEC, VOL. 4, PÁG. 531; PONTUAL, PÁG. 557; TEODORO BRAGA, PÁG. 250; WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 451; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 586; ARTE NO BRASIL, PÁG. 778; LEONOR AMARANTE, PÁG.38; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 1085; ACERVO FIEO.



311 - ALDEMIR MARTINS (1922 - 2006)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Pássaro - serigrafia - 145/150 - 54 x 74 cm - canto inferior direito - 2003 -

Desenhista, pintor, gravador e ilustrador - nasceu em Ingazeiras, CE e faleceu em São Paulo. Em 1941, participou da criação do Centro Cultural de Belas Artes, em Fortaleza, com Antonio Bandeira, Raimundo Cela, Inimá de Paula e Mário Baratta, um espaço para exposições permanentes e cursos de arte. Três anos depois, a instituição passou a chamar-se Sociedade Cearense de Artes Plásticas - SCAP. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Realizou muitas individuais e participou de várias mostras e Salões oficiais pelo Brasil e exterior. Recebeu o prêmio de melhor desenhista na 3ª Bienal Internacional de São Paulo (1955), na Bienal de Veneza (1956), prêmio de viagem ao exterior no Salão Nacional de Arte Moderna – RJ (1959), permanecendo por dois anos na Itália e em muitos outros certames. MEC, VOL. 3, PÁG. 78, PONTUAL, PÁGS. 342/343; ARTE NO BRASIL, VOL 2, PÁG. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 637; LEONOR AMARANTE, PÁG. 18; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 591; VOL. 4, PÁG. 693; ACERVO FIEO; artprice.com.



312 - FRANCISCO BRENNAND (1927)
Lance Livre - Aguardando oferta

Composição e Caju - cerâmica - Cada 10 x 10 cm - não assinado -
Lote composto de duas obras.

Pintor e ceramista. Estudou com André Lhote e Fernand Léger, em Paris. Participou de importantes bienais e salões, nacionais e internacionais. Realizou individuais de pintura e cerâmica no MAM-SP em 1960 e outras importantes salas de arte. Executou trabalhos murais em edifícios públicos e particulares no Recife e no estrangeiro. Suassuna considerou a sua pintura "bela, forte e brasileira". Brennand é referência mundial como artista puramente brasileiro. JULIO LOUZADA, VOL, 10, pág 141. PONTUAL, pág, 88. MEC, VOL , 1, pág, 294; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; ARTE NO BRASIL, pág. 879. Acervo FIEO. -



313 - SAMI MATTAR (1930 - 2016)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 850,00.

Primavera - óleo sobre tela - 73 x 92 cm - canto inferior direito - 1972 -

Artista intermídia, desenhista, programador visual, publicitário, nascido em Mejdlaia, Líbano. Chega com a família no Brasil em 1936. Filho de pais conservadores, que não aceitam sua atividade como artista plástico, desenha às escondidas, até que, em 1947, muda-se para o Rio de Janeiro, onde trabalha como pintor de paredes e lava carros. Autodidata, realizou sua primeira mostra individual em 1954, na Galeria Minarte, Belo Horizonte. Passa a fazer histórias em quadrinhos e chega a ser diretor de arte e criação em publicidade. Em 1969, participa do Manifesto Expansão, realizado no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ e, no ano seguinte, do lançamento do poster Barraca - Arte na Praia de Ipanema, no mesmo museu. Atuou como colaborador das revistas Tico-Tico e O Malho, além de produzir capas para a revista Veja (1972) e Shell em Revista (1980). Ilustra o livro O Menino mais Bonito do Mundo, de Ziraldo. Exposições individuais: Rio de Janeiro, RJ (1962, 1970, 1973, 1974, 1976, 1979, 1983, 1985, 1995, 2001, 2002); São Paulo, SP (1968, 1981); Líbano (1975); Brasília, DF (1975, 1979, 1984); Salvador BA (1982); Estados Unidos (1994); Teresópolis, RJ (1996, 2000); Vitória, ES (1999). Coletivas: Belo Horizonte, MG (1954, 1966); Rio de Janeiro, RJ (1965, 1967 a 1979, 1981, 1984, 1985, 1990); Salvador, BA (1966); Brasília, DF (1967, 1968, 1984); São Paulo, SP (1967 – 9ª Bienal Internacional, 1968, 1969, 1971); Líbano (1975); Alemanha (1980);Estados Unidos (1992, 1993, 1996, 1997). Prêmios: Belo Horizonte, MG (1966); São Paulo, SP (1969); Líbano (1975); Estados Unidos (1992, 1996, 1997). ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL. 3, PÁG. 709; Pontual, Roberto – DICIONÁRIO DE ARTES PLÁSTICAS NO BRASIL, PÁG. 349.



314 - JOSÉ OSMAR DALLABONA (1949)
Lance Livre - Aguardando oferta

Árabes - óleo sobre tela - 40 x 30 cm - canto inferior direito e dorso - 1986 - São Paulo - SP -

Pintor autodidata, natural da cidade catarinense de Rio das Pedras, onde nasceu a 26/12/1949. Fixou residência em São Paulo a partir de 1973, quando passou a dedicar-se à pintura. Expressou em suas telas o romantismo e, desde 1983, produz exclusivamente temas árabes. Participou de diversas exposições, recebendo premiações, a partir de 1977. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 326



315 - HELENOS SILVA (1941)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 750,00.

"À espera amanhece" - óleo sobre tela - 59 x 49 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1990 - São Paulo - SP -

Pintor, ilustrador, desenhista, gravador e publicitário, Edson Heleno da Silva nasceu em Recife, PE. Assina Helenos. Começou a pintar aos 19 anos de idade, ilustrando painéis de instrução para cursos militares internos em Recife. Na década de 1960, produziu faixas e cartazes para as campanhas políticas de Miguel Arraes, iniciou seus trabalhos no campo publicitário e de ilustração não deixando de se envolver nos movimentos de arte de Recife, Olinda, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Vem para São Paulo em 1969. Realizou exposições individuais em: Rio de Janeiro (1963, 1967, 1973, 1975, 1978); Recife, PE (1969 – Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco, 1981); São Paulo (1969, 1971, 1973, 1974, 1976, 1977, 1978, 1981, 1983, 1986); Campina Grande, PB (1971 – Museu de Arte Contemporânea de Campina Grande); Brasília, DF (1974); Santos, SP (1979, 1982, 1984); Salvador, BA (1980); Olinda, PE (1985); Goiânia, GO (1985); Fortaleza, CE (1985). Participou de muitas mostras coletivas e Salões oficiais como: Bienal Internacional de São Paulo (1965, 1969); Panorama da Arte Atual Brasileira, MAM – SP (1973, 1976|). Foi premiado em: Salvador, BA (1966 - I Bienal da Bahia); Recife, PE (1966, 1967); Rio de Janeiro (1968 – Salão Esso de Artistas Jovens, MAM-RJ); Brasília, DF (1968); Jundiaí, SP (1969); Campinas, SP (1970). Produziu documentários para a TV Cultura de Pernambuco e a de São Paulo (entre 1968 e 1974). MEC VOL. 2, PÁG. 334; WALMIR AYALA VOL. 1-PÁGS. 386; PONTUAL PÁG. 262; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 462, VOL.2, PÁG.492; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO.



316 - INOS CORRADIN (1929)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Vaso de flores - serigrafia - 86/100 - 59 x 40 cm - canto inferior direito -

Pintor, desenhista, gravador, escultor e cenógrafo, nascido em Vogogna, Itália. Por volta de 1932 mudou-se com a família para Castelbaldo - Padova, onde, em 1945, estudou pintura com professor Tardivello. Em 1947 colaborou com o pintor Pendin na execução de um mural referente aos mártires da resistência italiana em Castelbaldo. Veio, em 1950, para Jundiaí e São Paulo onde fez parte do núcleo artístico Cooperativa em São Paulo, dirigido pelo pintor argentino Oswaldo Gil Navarro. Executou cenários para o Ballet do IV Centenário de São Paulo, em 1954. Em 1979 foi contratado para pintar um cenário para o Teatro de Rovigo, Itália. Realizou diversas exposições individuais, participou de muitas mostras coletivas e Salões oficiais pelo Brasil e pelo mundo. Foi premiado em Paris (1975) e em Ferrara, Itália (1976). JULIO LOUZADA, VOL. 11, PÁG. 152; PONTUAL, PÁG. 143; MEC, VOL. 1, PÁG. 448; WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG. 215; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO; inoscorradin.com.br.



317 - TITO DE ALENCASTRO (1934 - 1999)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Jogador santista - óleo sobre tela - 100 x 40 cm - canto inferior esquerdo -
Com carimbo de Caribé Escritório de Arte, no dorso.

Pintor, desenhista, gravador, mosaicista, cenógrafo, dramaturgo, poeta, ator e cantor nascido no Rio de Janeiro e falecido em São Paulo. Assina Tito de Alencastro. Ingressou na Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1956) onde estudou desenho com Zaluar e composição com Quirino Campofiorito e Santa Rosa. Paralelamente, estudou técnicas de mosaico com José Moraes e gravura em metal com Johnny Friedlaender no MAM, RJ. Formou-se em Museologia pelo Museu Nacional de Belas Artes, RJ, estudando com Gustavo Barroso. Atuou em numerosos concertos de câmara e óperas no Rio de Janeiro como ator e cantor. Fixou residência em São Paulo em 1961. Como cenógrafo, trabalhou no filme "Roleta Russa" e nas peças "O Grande Sonhador", "Você Pode Ser O Que Quiser", "Macho Beleza e Monólogo a Dois", as três de sua autoria. Executou os painéis "Os Imigrantes" e "O Trabalho e o Lazer" (1979). Realizou exposições individuais em: São Paulo (1966 – Galeria Seta, 1970, 1973, 1976, 1980 a 1985, 1995); Rio de janeiro (1967, 1978, 1983); Uberlândia, MG (1981); Brasília, DF (1980); Curitiba, PR (1984). Participou de inúmeros Salões e mostras coletivas. Recebeu o primeiro Prêmio Aquisição no I Salão da Jovem Gravura no MAM, RJ. WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG. 29; PONTUAL PÁG. 14; MEC VOL, 1, PÁG. 45; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 39, VOL. 2, PÁG. 43; VOL. 11, PÁG. 6; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; brasilartesenciclopedias.com.br; www.artprice.com.



318 - INGRES SPELTRI (1940)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Revivendo Miró" - óleo sobre tela - 74 x 60 cm - centro inferior -

Pintor, desenhista, escultor, gravador e professor nascido em Jau, SP. Filho do pintor Augusto Speltri com quem se iniciou na pintura, ainda criança. Em 1959 mudou-se para São Paulo onde estudou Música (1960-1964). Foi professor titular da Escola Panamericana de Arte, SP. Realizou exposições individuais, em São Paulo, nos anos de 1977, 1981, 1978, 1984. Participou de várias mostras e Salões oficiais, sendo premiado em: São Paulo (1963, 1966, 1970, 1971); Santo André, SP (1976). JULIO LOUZADA VOL. 5, PÁG. 1012; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; MEC VOL. 4, PÁG. 338; PONTUAL PÁG. 504; www.artprice.com; www.speltri.com.



319 - KINYA IKOMA (1918)
Lance Livre - Aguardando oferta

Composição - óleo sobre tela - 51 x 51 cm - canto inferior direito e dorso - 1985 -
No estado (pintura craquelada e pequeno furo).

Japonês da cidade de Mieken, imigrou para o Brasil em 1931, tornando-se lavrador no interior do Estado de São Paulo. A partir de 1960 dedica-se integralmente à pintura, no gênero abstracionismo-lírico. Expõe coletivamente a partir de 1976 e individualmente desde 1975. JULIO LOUZADA , vol. 10, pág, 434; TEIXEIRA LEITE, pág, 252, Acervo FIEO.



320 - MANOEL SANTIAGO (1897 - 1987)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 300,00.

Volta da pesca - óleo sobre cartão - 18 x 22 cm - canto inferior esquerdo - 1962 - Rio de Janeiro -
No estado (desprendimento de tinta).

Manoel Colafante Caledônio de Assumpção Santiago nasceu em Manaus, AM e faleceu no Rio de Janeiro. Pintor, desenhista e professor. Mudou-se para Belém em 1903 e iniciou estudos de pintura. Desde 1916 já praticava a arte não figurativa. Em 1919 transferiu-se para o Rio de Janeiro, cursou Direito e frequentou a Escola Nacional de Belas Artes, onde foi aluno de Rodolfo Chambelland e Baptista da Costa. Na época, teve aulas particulares com Eliseu Visconti. Foi casado com a pintora Haydeá Santiago. Participou em 1927 do Salão Nacional de Belas Artes e recebeu o prêmio viagem ao exterior, entre vários outros. Foi para Paris no ano seguinte, e lá permaneceu por cinco anos. De volta ao Rio de Janeiro, em 1932, tornou-se professor do Instituto de Belas Artes. Em 1934, passou a lecionar pintura e desenho no Núcleo Bernardelli, figurando entre seus alunos José Pancetti, Edson Motta, Bustamante Sá, Ado Malagoli, Rescála e Milton Dacosta. Participou da I Bienal Internacional de São Paulo (1951) e do 8º Panorama da Arte Brasileira (1976). PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, VOL. 1, PÁG. 241; TEODORO BRAGA, PÁG. 211; CATÁLOGO DA EXPOSIÇÃO DE PAISAGEM BRASILEIRA, MEC-MNBA /RIO/1944; MAYER/84, PÁG. 1158; REIS JR, PÁG. 378; PONTUAL, PÁG. 473; WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 292; ITAÚ CULTURAL, JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 865; ACERVO FIEO.



321 - CARYBÉ (1911 - 1997)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

"Os acrobatas" - serigrafia - 129/180 - 69 x 94 cm - canto inferior direito -
Reproduzido no catálogo da Mostra Itinerante do artista realizada em treze galerias em 1995, realização Galvão Bueno Marketing Cultural e patrocínio da Galeria de Arte André - São Paulo - SP.

Hector Julio Páride Bernabó nasceu em Lanús, Argentina e faleceu em Salvador, BA. Pintor, gravador, desenhista, ilustrador, mosaicista, ceramista, entalhador, muralista - naturalizado brasileiro desde 1957. Frequentou o ateliê de cerâmica de seu irmão, Arnaldo Bernabó, no Rio de Janeiro (1925) e, entre 1941 e 1942, viajou por países da América do Sul. De volta à Argentina, traduziu com Raul Brié, para o espanhol, o livro ‘Macunaíma’, de Mário de Andrade (1943). Nesse mesmo ano, realizou sua primeira individual em Buenos Aires. Em 1950, mudou-se para Salvador para realizar painéis para o Centro Educacional Carneiro Ribeiro, com recomendação feita pelo escritor Rubem Braga. Na Bahia, participou ativamente do movimento de renovação das artes plásticas, ao lado de Mario Cravo Júnior, Genaro e Jenner Augusto. Publicou, em 1981, Iconografia dos Deuses Africanos no Candomblé da Bahia, pela Editora Raízes. Ilustrou livros de Gabriel García Márquez, Jorge Amado e Pierre Verger, entre outros. Uma de suas obras mais conhecidas é o conjunto de painéis “Os povos afros”, os “Ibéricos” e “Libertadores” de 1988 que fazem parte da decoração do mural do Memorial da América Latina, SP. Recebeu o primeiro prêmio de Desenho na 3ª Bienal Internacional de São Paulo (1955) e salas especiais nas de 1961, 1971 e 1973, entre outras exposições e prêmios. Parte de sua produção encontra-se no Museu Afro-Brasileiro de Salvador. PONTUAL, PÁG. 116; WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG. 180 E 181; TEIXEIRA LEITE, PÁGS. 111 E 112; MEC, VOL.1, PÁG. 355; BENEZIT, VOL. 2, PÁG. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 717; ARTE NO BRASIL, PÁG. 874; LEONOR AMARANTE, PÁG. 63; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 222; ACERVO FIEO; infoescola.com; suapesquisa.com; pinturabrasileira.com.



322 - DICINHO (1945)
Lance Livre - Aguardando oferta

Tucanos - escultura em cerâmica policromada - Cada 11 x 27 x 12 cm - assinados -
No estado.

Artista plástico nascido em Jequié, BA. Realizou exposições individuais em São Paulo (1975 – MASP, 1983 - SESC Pompéia e Vila Nova, Galeria Seta), Salvador (1975), Jequié, BA (2009) e participou de mostras coletivas em São Paulo, Salvador, Tóquio – Japão. Foi premiado pelo SESC Pompéia. www.processoedecisao.com.br.



323 - GERARDO DE SOUSA (1950)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Floresta brasileira" - óleo sobre tela - 50 x 70 cm - canto inferior direito e dorso - Rio de Janeiro - RJ -

Pintor, Gerardo Luiz de Sousa nasceu em Guaraciaba do Norte, CE. Assina Gerardo de Sousa. Ativo no Rio de Janeiro onde, em 1973, começou a expor seus trabalhos na Feirarte, Praça General Osório. Realizou exposições individuais no: Rio de Janeiro (1974 a 1978, 1980, 1985, 1987); Niterói, RJ (1979, 1983), Teresópolis, RJ (1982). Participou de várias mostras coletivas e Salões oficiais no Rio de Janeiro e pelo o Brasil. No exterior expôs em: Milão (1975); San Salvador, Caracas, Toronto e Nova York (1976); Nova Jersey e Genebra (1977); Santiago do Chile (1979); Paris (1986); Tóquio (1989); Eslováquia (1994). Foi premiado no Rio de Janeiro (1974) e em Piracicaba, SP (1992). MEC VOL. 4, PÁG. 313; JULIO LOUZADA VOL. 11, PÁG. 306.



324 - LIA MITTARAKIS (1934 - 1998)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

"Paquetá" - óleo sobre eucatex - 73 x 54 cm - canto inferior esquerdo - 1988 - RJ -
Reproduzido sob o n° 321 em catálogo de Leilão de Arte de James Lisboa, Leiloeiro Oficial, São Paulo - SP, realizado em agosto de 2019.

Pintora e professora nascida no Rio de Janeiro e falecida na Ilha de Paquetá, RJ. Autodidata em pintura ensinou a sua técnica na Escolinha de Arte, na Ilha de Paquetá onde vivia. Expôs individualmente no Rio de Janeiro em 1964, 1965, 1969, 1970, 1972, 1974, 1982. Entre as mostras e salões dos quais participou, destacam-se: Salão Nacional de Arte Moderna, RJ; "Naifs del Brasile, Naifs di Haiti" no Festival Mundial de Spoleto, Itália; "Artistas Brasileiros" em Bratislava, Tchecoslováquia (1969); Encontro Carioca de Pintura Ingênua, RJ (1977); “O mundo fascinante dos Pintores Naïfs” no Paço Imperial (1988 e 1989); Naïfs em Coletiva, na Villa Riso Tradição - Arte Cultura (Sala Especial), RJ (1997); além de outras coletivas no Rio de Janeiro, Itália, Estados Unidos, Alemanha, Suíça, Portugal, Inglaterra, Argentina, Tchecoslováquia e Cidade do México. ITAU CULTURAL; www.ardies.com; artenaifrio.blogspot.com; www.artprice.com.



325 - JOSÉ LIMA (1910 - 1980)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.100,00.

"Portaria do Convento de São Francisco" - óleo sobre tela - 38 x 46 cm - canto inferior esquerdo e dorso - Olinda - PE -

Baiano de Salvador, onde foi discípuilo de Presciliano Silva, na Escola de Belas Artes da Bahia. Realizou a decoração da Igreja de São Januário, em São Cristóvão, RJ. JULIO LOUZADA, vol. 2 pág. 580



326 - MANABU MABE (1924 - 1997)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 750,00.

Composição - serigrafia - 230/375 - 24 x 17,5 cm - canto inferior direito - 1993 -
Com a seguinte dedicatória: "Para Olney".

Pintor, desenhista, gravador e ilustrador nascido no Japão e falecido em São Paulo. Assina Mabe. De Kobe, Japão, emigrou com a família para o Brasil (1934) para dedicar-se ao trabalho na lavoura de café no interior de São Paulo. Interessado em pintura, começou a pesquisar, como autodidata, em revistas japonesas e livros sobre arte. No fim da década de 1940, em São Paulo, conheceu o pintor Tomoo Handa e Yoshiya Takaoka. Integrou-se ao Grupo Seibi, Grupo 15, Grupo Guanabara. Mudou-se para São Paulo (1957) para dedicar-se exclusivamente à pintura. Realizou muitas exposições individuais e participou de várias mostras coletivas e oficiais no Brasil e exterior. Entre muitos prêmios recebidos, destacam-se: 1953 - Prêmio aquisição no Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro; 1957 - Pequena Medalha de Ouro no VI Salão Paulista de Arte Moderna, SP; 1958 - Grande Medalha de Ouro no VII Salão Paulista de Arte Moderna, São Paulo; 1959 - Prêmio Governador do Estado no VIII Salão Paulista de Arte Moderna, SP; Prêmio Leirner de Arte Contemporânea, SP; Melhor Pintor Nacional na 5ª Bienal Internacional de São Paulo; Prêmio Braun e Prêmio Bolsa de Estudos na I Bienal de Paris, França; Prêmio aquisição no ‘Dallas Museum of Fine Arts’, Dallas, Estados Unidos; 1960 - Prêmio Fiat na 30ª Bienal de Veneza, Itália; 1962 - Primeiro Prêmio na I Bienal Americana de Arte de Córdoba, Espanha. ARTE NO BRASIL, VOL. 2, PÁG. 1050; EIXEIRA LEITE, PÁG. 296; PONTUAL, PÁG. 325; MEC, VOL. 3, PÁG. 13; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 644; LEONOR AMARANTE, PÁG. 83, JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 561; ACERVO FIEO; www.mabe.com.br; www.pinturabrasileira.com; www.museumanabumabe.com.br; www.escritoriodearte.com; www.brasilescola.com; www.artprice.com.



327 - TÚLIO MUGNAINI (1895 - 1975)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Antigo Convento" - óleo sobre madeira - 16 x 19,5 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1962 -
Conceição de Itanhaém.

Pintor, Mugnaini realizou sua formação artística na Itália e na França. No SPBA conquistou as pequenas medalhas de prata (1933) e de ouro (1943), o segundo prêmio Fernando Costa (1943), o primeiro prêmio Governo do Estado (1957) e os prêmios Assembléia Legislativa do Estado (1960) e Prefeitura de São Paulo (1961). Recebeu ainda medalha de prata no SNBA de 1936. Pintor de paisagens, figuras e naturezas-mortas, coube-lhe realizar os trabalhos decorativos da Basílica de Nossa Senhora do Carmo-SP. De 1945 a 1965, ocupou a diretoria da Pinacoteca do Estado SP, onde se encontra sua tela "Outono", que exibiu no Salão de Paris de 1934. Recebeu consagradoras premiações nos salões nacionais. PONTUAL, pág. 375; TEODORO BRAGA, pág. 165; MEC, vol. 3, pág. 226; REIS JUNIOR, pág. 376; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 615, Acervo FIEO; ITAUCULTURAL, RUTH TARASANTCHI.



328 - OSWALDO GOELDI (1895 - 1961)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Pescadores - xilogravura - 23 x 29 cm - não assinado -
Edição póstuma. Impressa pelo Gabinete de Gravura do Museu Nacional de Belas Artes.

Desenhista, gravador, ilustrador e professor nascido e falecido no Rio de Janeiro, filho de Emilio Goeldi, naturalista suíço. Com um ano de idade, mudou-se com a família para Belém, Pará e depois para Berna, Suíça (1905). Em Zurique, ingressou no curso de Engenharia e, em Genebra, matriculou-se na 'Ecole des Arts et Métiers' (1917) mas, abandonou ambos os cursos. A seguir, passou a ter aulas no ateliê de Serge Pahnke e Henri van Muyden. Realizou sua primeira exposição individual (1917), em Berna, quando conheceu a obra de Alfred Kubin, sua grande influência artística e com quem se correspondeu por vários anos. Retornou ao Brasil (1919), trabalhou como ilustrador e realizou sua primeira exposição individual no Rio de Janeiro (1921). Conheceu Ricardo Bampi (1923) que o iniciou na xilogravura. Fez desenhos e gravuras para periódicos e livros como 'Cobra Norato', de Raul Bopp (1937) com suas primeiras xilogravuras coloridas, entre outros. Foi professor na Escolinha de Arte do Brasil (1952) e na Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1955) onde abriu uma oficina de xilogravura. Exposições individuais em: Berna, Suíça (1917, 1930); Rio de Janeiro (1921); Belém, PA (1938); São Paulo (1951); Paris (1952). Participou de várias exposições coletivas e mostras oficiais, destacando-se: Exposição itinerante da 'International Business Machine Corporation', EUA (1941 a 1944); 'Exhibition of Modern Brazilian Paintings', Inglaterra (1943, 1944, 1945); Bienal Internacional de São Paulo (1951 - Prêmio de Gravura, 1953 - Sala Especial, 1955, 1961, 1969, 1971, 1979, 1985); Bienal de Veneza (1950, 1952, 1956, 1958); Bienal de Gravura, Checoslováquia (1950); Bienal Internacional de Xilogravura, Tóquio (1952); Bienal Interamericana do México, Cidade do México (1960 - I Prêmio Internacional de Gravura). PONTUAL PÁG.240; JULIO LOUZADA VOL.11, PÁG.130; MEC VOL.2, PÁG.271; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG.521; ARTE NO BRASIL PÁG. 672; ACERVO FIEO; www.oswaldogoeldi.org.br; www.centrovirtualgoeldi.com; www.pinacoteca.org.br; www.artprice.com.



329 - LIVIO ABRAMO (1903 - 1992)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

Cavalos - litografia - 3/50 - 47 x 61 cm - canto inferior esquerdo - 1979 -
No estado (papel manchado).

Gravador, desenhista, pintor, ilustrador, jornalista e professor, nasceu em Araraquara, SP e faleceu em Assunção, Paraguai. Mudou-se para São Paulo, onde, em 1909, estudou desenho com Enrico Vio no Colégio Dante Alighieri. No início dos anos de 1920, fez ilustrações para pequenos jornais e entrou em contato com a obra de Oswaldo Goeldi e de gravadores expressionistas alemães. Realizou as primeiras gravuras em 1926. Em 1947, ilustrou o livro ‘Pelo Sertão’, do escritor Afonso Arinos de Mello Franco, publicado em 1949. Com essa série de ilustrações, apresentadas no Salão Nacional de Belas Artes, obteve o prêmio de viagem ao exterior. Seguiu para a Europa em 1951. Em Paris frequentou o Atelier 17, aperfeiçoando-se em gravura em metal com Stanley William Hayter. De volta ao Brasil, foi premiado como o melhor gravador nacional na Bienal Internacional de São Paulo, nas edições de 1953 e de 1963. Deu aulas de xilogravura na Escola de Artesanato do Museu de Arte Moderna de São Paulo. Foram seus alunos, entre outros, Maria Bonomi e Antonio Henrique Amaral . Fundou o Estúdio Gravura, em 1960, com Maria Bonomi. Em 1962, foi convidado pelo Itamaraty a integrar a Missão Cultural Brasil-Paraguai, posteriormente Centro de Estudos Brasileiros. Mudou-se para o Paraguai e dirigiu até 1992, o Setor de Artes Plásticas e Visuais. Foi fundador do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Paraguai. PONTUAL, PÁG. 1, JULIO LOUZADA VOL. 3, PÁG. 19; MEC VOL.1, PÁG. 33; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 584; ARTE NO BRASIL, PÁG. 795; LEONOR AMARANTE, PÁG. 28; ACERVO FIEO.



330 - MARIO ZANINI (1907 - 1971)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Ponte - óleo sobre cartão - 28 x 33 cm - canto inferior direito - 1952 -
Com certificado de autenticidade firmado por Walter Zanini, datado de 23 de setembro de 2002. Reproduzido sob o nº 392 em catálogo de leilão de Evandro Carneiro, Rio de Janeiro - RJ, realizado em abril de 2004. No estado (limpeza necessária).

Pintor, decorador, ceramista, professor, Mário Zanini nasceu e faleceu em São Paulo. Foi um dos integrantes de dois importantes movimentos artísticos considerados históricos na pintura paulista: o Grupo Santa Helena e a Família Artística Paulista. Sua formação artística se deu em São Paulo quando aos 13 anos iniciou curso de pintura da Escola Profissional Masculina do Brás e de 1924 a 1926, matriculou-se no curso de desenho e artes do Liceu de Artes e Ofícios. Conheceu Alfredo Volpi em 1927 e no ano seguinte estudou com o pintor Georg Elpons. Trabalhou no escritório de decoração de Francisco Rebolo entre 1933 e 1938. Em 1940 recebeu medalha de prata no 46º Salão Nacional de Belas Artes e foi convidado por Rossi Osir a trabalhar em seu ateliê de azulejos artísticos, o Osirarte. Em 1950, viajou por seis meses pela Itália, em companhia de Volpi e Osir. A partir de 1968 lecionou na Faculdade de Belas Artes de São Paulo. Participou de vários Salões oficiais e mostras coletivas no Brasil, como I e III Bienal Internacional de São Paulo e no exterior. Sua família doou 108 de suas obras ao Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo - MAC/USP em 1974. MEC, VOL. 4, PÁG. 531; PONTUAL, PÁG. 557; TEODORO BRAGA, PÁG. 250; WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 451; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 586; ARTE NO BRASIL, PÁG. 778; LEONOR AMARANTE, PÁG.38; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 1085; ACERVO FIEO.



331 - J. BORGES (1935)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Faisão dourado" - xilogravura - 28 x 22 cm - canto inferior direito - 2016 -

Gravador e pintor, nasceu em Bezerros, PE, em 20/12/1935. Tinha sucesso com seus folhetos de cordel, mas foi a falta de material de ilustração para a capa de seu próximo trabalho que o levou para a xilogravura, passando a ser reconhecido nacional e internacionalmente. Em novembro de 1997 veio para São Paulo como um dos convidados do Encontro da Cultura Brasileira, na exposição O Cordel e a Arte dos Livros, que aconteceu no Salão Arco 2 da Estação Julio Prestes. JULIO LOUZADA, vol 10, pág 127; Acervo FIEO; ITAÚ CULTURAL.



332 - MENASE VAIDERGORN (1927)
Lance Livre - Aguardando oferta

Na feira - óleo sobre eucatex - 22 x 17 cm - canto inferior direito -
Paspatour no estado.

Pintor nascido em Hotin, Romênia. Assina MVAIDERGORN. Seus pais vieram para o Brasil (1932) fixando residência em São Paulo. Ingressou na Associação Paulista de Belas Artes (fim da década de 1940) onde conheceu Dario Mecatti que muito o estimulou. Viajou pelo norte da África e Europa. Realizou exposições individuais e participou de diversos salões e mostras coletivas oficiais, recebendo diversos prêmios, entre eles: os do Salão Paulista de Belas Artes, SP (1976 - Medalha de Bronze, 2000 – Prêmio Aquisição, 2001 – Grande Medalha de Prata). JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 1011; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.artprice.com.



333 - BELMIRO DE ALMEIDA (1858 - 1935)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Almanak 1897 da Gazeta de Notícias" - desenho a nanquim - 28,5 x 20 cm - canto inferior esquerdo - 1897-Rio de Janeiro - RJ -
No estado (papel manchado).

Esse grande pintor brasileiro, cuja carreira artística começou pela caricatura, viveu em Paris quase toda a sua existência. Ao fim da vida, abeirou-se dos novos estilos artísticos em voga na Europa, praticando incursões até no campo do Futurismo. Luciano Migliaccio, assim se refere `a obra do mestre: " Belmiro (...) punha fim à época em que a arte brasileira ainda era prisioneira da retórica dos gêneros e se fundamentava na transposição em chave nacional da tradição européia. Dava início a uma arte nova, inspirada na realidade social urbana contemporânea, falando da transformação dos costumes no interior da família e da condição da mulher na sociedade moderna. Era uma pintura que objetivava a educação moral do público, imitando o exemplo da pintura vitoriana inglesa, mas adotando a estética do naturalismo francês. O artista deixava de ser uma espécie de sumo sacerdote do culto da nação, passando a recusar a idéia de uma pintura celebrativa, promovida pelo Estado e distante da representação da atualidade. Assim, como Amoedo e Aurélio Figueiredo, Belmiro tentava encarnar o modelo do artista dandy, o intelectual urbano que fazia de sua arte um estilo e um modo de vida (...)" in: MOSTRA DO REDESCOBRIMENTO (2000: SÃO PAULO, SP), AGUILAR, Nelson (org. ), SASSOUN, Suzanna (coord. ). Arte do século XIX. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo: Associação Brasil 500 anos Artes Visuais, 2000. p. 148. REIS JR, pág.224; THEODORO BRAGA, pág.49; Primores da Pint, no Brasil, vol.1, pág.229; LAUDELINO FREIRE, págs.382/383; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 30/31; TEIXEIRA LEITE, pág. 68/69; PONTUAL, págs.66/67; MEC, vol.1, pág.48; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 420; ARTE NO BRASIL, pág. 553; F. ACQUARONE, pág. 117.



334 - MACIEJ ANTONI BABINSKI (1931)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Composição surreal - gravura - 40/80 - 14 x 17 cm - canto inferior direito -

Gravador, ilustrador, pintor, desenhista e professor nascido em Varsóvia, Polônia. Migrou com a família para a Inglaterra (1940), por causa da Segunda Guerra Mundial. Iniciou sua formação artística com o padre Raphael Williams O.S.B. Fixou-se com a família em Montreal, Canadá (1949) onde estudou pintura com John Goodwin Lyman, na "McGill University". Além disso, teve aulas de gravura com Eldon Grier e fez cursos de desenho e pintura com Goodrich Roberts na "Art Association of Montreal". Paralelamente, aproximou-se do grupo de vanguarda "Les Automatistes" reunido em torno de Paul-Émile Borduas e, juntos, expuseram no "Musée des Beaux-Arts de Montréal" (1952) e realizou sua primeira individual (1953). Mudou-se para o Brasil (1953) e permaneceu no Rio de Janeiro até 1965. Teve contato com Oswaldo Goeldi, Augusto Rodrigues e Darel. Realizou 24 águas-fortes para o livro "Cadernos de João", de Aníbal Machado, editado pelos Cem Bibliófilos do Brasil (1961). Em 1965 foi convidado a lecionar no Instituto Central de Artes da Universidade de Brasília - ICA/UnB, da qual se afastou um ano depois em virtude de perseguições políticas. Após viver oito anos em São Paulo (1966 a 1974), mudou-se para Minas Gerais e foi lecionar na Universidade Federal de Uberlândia (1979 a 1987). Com a anistia política foi reintegrado à UnB (1988), lá permanecendo até se aposentar (1991) quando passou a residir no interior do Ceará. Expôs na Bienal Internacional de São Paulo (1967, 1985). Participou de várias edições do Salão Nacional de Arte Moderna, do Salão Paulista e do Panorama da Arte Atual Brasileira, entre outros eventos de arte. Foi realizada a retrospectiva "Babinski: 50 Anos de Brasil", em Brasília (2004). TEIXEIRA LEITE PÁG. 48; PONTUAL PÁGS. 46 E 47; MEC VOL. 1, PÁG. 157; WALMIR AYALA VOL. 1, PÁG. 69; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 81; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 720; ARTE NO BRASIL PÁG. 903, ACERVO FIEO; www.iar.unicamp.br; www.artprice.com.



335 - CASEMIRO RAMOS FILHO (1905 - 1976)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

"Mangueiras Estação Riachuelo" - óleo sobre tela colada em cartão - 19 x 27 cm - dorso -

Freqüentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro, onde estudou com Adalberto Matto e Isaltino Barbosa. Teve como professores ainda Rodolpho Amoedo, Carlos Chambelland e Oswaldo Teixeira. Participou do Salão Nacional de Belas Artes, em diversas ocasiões, obtendo premiações e menções honrosas. TEODORO BRAGA, pags. 67 e 200; MEC, vol. 4, pág. 25; ITAU CULTURAL.



336 - MARCELO GRASSMANN (1925 - 2013)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.000,00.

Guerreiro - gravura - 54/60 - 23 x 31 cm - canto inferior direito -

Desenhista, gravador, ilustrador, pintor, escultor e professor, nasceu em São Simão, SP. Estuda fundição, mecânica e entalhe em madeira na Escola Profissional Masculina do Brás, SP. Passa a realizar xilogravuras a partir de 1943. Atua como ilustrador do Suplemento Literário do ‘Diário de São Paulo’, do ‘O Estado de S. Paulo’ e do ‘Jornal do Estado da Guanabara’. Quando reside no Rio de Janeiro, a partir de 1949, freqüenta os cursos de gravura em metal, com Henrique Oswald e de litografia, com Poty, no Liceu de Artes e Ofícios. Em Salvador (1952), trabalha com Mario Cravo Júnior. .Recebe o prêmio de viagem ao exterior do Salão Nacional de Arte Moderna (1953) e vai para a Academia de Artes Aplicadas, em Viena. Passa a dedicar-se principalmente ao desenho, à litografia e à gravura em metal. Em 1969, sua obra completa é adquirida pelo governo do Estado de São Paulo, passando a integrar o acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo . Em 1978, a casa em que nasceu, em São Simão, é transformada em museu e tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo - Condephaat. Participou de muitas exposições e das Bienais de: São Paulo (1951 a 1961, 1967, 1969, 1979, 1985, 1989); Veneza (1950, 1956, 1958, 1962); Paris (1959). Principais prêmios: Bienal de São Paulo (1951, 1955, 1957, 1959, 1967); Bienal de Veneza (1950, 1956, 1958,1962); Bienal de Paris (1959). PONTUAL, PÁG. 249; MEC, VOL. 2, PÁG. 281 E 282; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL.1, PÁG. 439; VOL. 5, PÁG. 453; VOL. 9, PÁG. 383.



337 - WALDEMAR DA COSTA (1904 - 1982)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

Figura - técnica mista sobre papel - 22,5 x 19 cm - canto inferior direito -
Ex coleção Antonio de Souza Naves Filho - Campinas - SP.

Paraense de Belém, onde nasceu em 11 de junho de 1904. Faleceu em Curitiba, no ano de 1982. Foi pintor e professor. Estudou na Escola de Belas Artes de Lisboa, em 1910. Foi para Paris, lá permanecendo de 1928 a 1931, quando retornou para o Brasil, integrando-se no meio artístico. Foi professor de Maria Leontina, Charoux e Clovis Graciano. JULIO LOUZADA vol. 12 pág. 115; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.584; ARTE NO BRASIL, pág. 795; Acervo FIEO.



338 - WALDOMIRO DE DEUS (1944)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 950,00.

"Na frente da casa" - óleo sobre tela - 30 x 30 cm - canto inferior direito e dorso - 2003 -

Pintor e desenhista, Waldomiro de Deus Souza nasceu em Itagibá, BA. De origem humilde, levou uma vida itinerante pelo sertão baiano e norte de Minas Gerais até vir para São Paulo (1959), quando trabalhou como engraxate. Começou a pintar em 1961, utilizando guache e cartolina encontrados na casa de um antiquário, onde trabalhou como jardineiro. Acusado de negligência, perdeu o emprego e levou seus trabalhos para exposição no Viaduto do Chá - acabou vendendo dois deles para um americano no primeiro dia. Em 1962, o decorador Terry Della Stuffa forneceu-lhe material e um lugar para pintar e, em 1966, fez a sua primeira exposição individual na Fundação Armando Álvares Penteado - FAAP. Expôs em vários países como a França, Inglaterra, Itália, Bélgica, Alemanha, Inglaterra, Estados Unidos. Vive em São Paulo e tem ateliê também em Goiânia. É considerado o maior primitivista brasileiro ao lado de José Antônio da Silva, Djanira e reconhecido internacionalmente como um dos mais criativos pintores naïfs. Em 1983 foi premiado com a ‘Awarding the Statue of Victory’ pelo Centro ‘Studi e Ricerche Delle Nazioni’ na Itália e, em 2000, teve uma sala própria na V Bienal Naïfs do Brasil. Possui obras em acervos importantes, como os da Pinacoteca do Estado (São Paulo, SP), do Museu de Arte Contemporânea de São Paulo (MAC-USP), da Galeria Nacional de Bolonha na Itália; entre outros. ARTE NAIF NO BRASIL PÁG. 239; ITAU CULTURAL, artepopularbrasil.blogspot.com.br; waldomirodedeus.wordpress.com; ACERVO FIEO.



339 - MARCIO SCHIAZ (1965)
Lance Livre - Aguardando oferta

Nu - técnica mista sobre papel - 39 x 29 cm - canto inferior direito -

Pintor e desenhista, Márcio Bueno de Souza nasceu em São Paulo. Assina M. Schiaz. Estudou na APBA, SP onde cursou desenho e pintura, frequentado sessões de modelo vivo. Realizou exposições individuais em: São Paulo (1989, 1992, 1993, 1995, 1999); Araraquara, SP (1990); Santos, SP (1994, 1996, 1999, 2000); Campinas, SP (1996). Tem participado de inúmeras mostras coletivas e Salões oficiais. Foi premiado em: São Paulo (1989, 1992, 1994); Araraquara, SP (1989); Rio de Janeiro (1989). JULIO LOUZADA VOL.5, PÁG. 963; VOL. 6, PÁG. 1028; VOL. 8, PÁG. 764; VOL. 10, PÁG. 802; VOL. 13, PÁG. 304. ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.artprice.com.



340 - DARIO MECATTI (1909 - 1976)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 500,00.

Praça - óleo sobre tela - 50 x 65 cm - canto inferior esquerdo -
Reproduzido no convite deste Leilão. No estado (pintura craquelada).

Pintor e desenhista nascido em Florença, Itália e falecido em São Paulo, SP. Na Itália recebeu orientação artística de Camillo Innocenti, trabalhou em um banco e pintou cartazes para a sala de cinema de seu primo. Em 1933, mudou-se para a África, onde permaneceu por aproximadamente sete anos viajando pelo norte do continente. Neste período conheceu a Líbia, Ilha de Malta, Tunísia, Turquia, Argélia, Marrocos, além de Portugal e Espanha. Durante a viagem retratou cenas destes países e realizou algumas exposições com o pintor florentino Renzo Gori, com quem residiu por pouco tempo em Paris. Em 1939, conheceu a Ilha de São Miguel, nos Açores e lá encontrou Maria da Paz com quem posteriormente se casou. No ano de 1940, mudou-se para o Brasil, passou pouco tempo no Rio de Janeiro e depois um período em Minas Gerais, onde visitou as cidades de Belo Horizonte, Juiz de Fora e Ouro Preto. Mudou-se no final do ano para São Paulo, onde entre 1941 e 1945, trabalhou na Galeria Fiorentina, na Rua Barão de Itapetininga, de propriedade de Malho Benedetti. Em 1945 conheceu Nicolino Bianco que passou a adquirir os quadros do artista para serem expostos na Loja de Móveis Paschoal Bianco. Apresentou-o para clientes e amigos que passaram a encomendar retratos. Neste período entrou em contato com Ezio Barbini, dono da Galeria Internacional que vendeu regularmente suas obras, além de apresenta-lo a um grupo de jovens artistas a quem orientou. Em 1946 construiu na Rua Feliciano Maia a sua casa estúdio, onde realizou exposições individuais anuais, sendo a última no ano de 1976, data de seu falecimento.Também pintou sob os pseudônimos de: Felice, G. Felice, Giordano Felice, Giord, N. Giordane, N. Giordani, Nizza e A. Gelli. TEODORO BRAGA, PÁG. 161/2; MEC, VOL. 3, PÁG. 109; PONTUAL, PÁG. 352; WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 72; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 320; ITAÚ CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 611; ACERVO FIEO.



341 - CÍCERO DIAS (1908 - 2003)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.100,00.

Personagens - serigrafia - P.A. - 76 x 59 cm - canto inferior esquerdo -
Paspatour no estado.

Pintor, gravador, desenhista, ilustrador, cenógrafo e professor - Cícero dos Santos Dias nasceu em Escada, PE e faleceu em Paris. Iniciou estudos de desenho em sua terra natal e mudou-se para o Rio de Janeiro, onde se matriculou, em 1925, nos cursos de arquitetura e pintura da Escola Nacional de Belas Artes, mas não os concluiu. Entrou em contato com o grupo modernista e, em 1929, colaborou com a ‘Revista de Antropofagia’. Em 1931, no Salão Revolucionário, na Enba, expôs o polêmico painel, tanto por sua dimensão quanto pela temática: ‘Eu Vi o Mundo... Ele Começava no Recife’. Ilustrou, em 1933, ‘Casa Grande & Senzala’, de Gilberto Freyre. Em 1937 foi preso no Recife quando da decretação do Estado Novo. A seguir, incentivado por Di Cavalcanti, viajou para Paris onde conheceu Georges Braque, Henri Matisse, Fernand Léger e Pablo Picasso, de quem se tornou amigo. Em 1942, foi preso pelos nazistas e enviado a Baden-Baden, na Alemanha. Entre 1943 e 1945, viveu em Lisboa como Adido Cultural da Embaixada do Brasil. Retornou a Paris onde integrou o grupo abstrato Espace. Em 1948, realizou o mural do edifício da Secretaria das Finanças do Estado de Pernambuco, considerado o primeiro trabalho abstrato do gênero na América Latina. Em 1965, foi homenageado com sala especial na Bienal Internacional de São Paulo. Inaugurou, em 1991, painel de 20 metros na Estação Brigadeiro do Metrô de São Paulo. No Rio de Janeiro, foi inaugurada a Sala Cícero Dias no Museu Nacional de Belas Artes - MNBA. Recebeu do governo francês a Ordem Nacional do Mérito da França, em 1998, aos 91 anos. MEC, VOL.2, PÁG.50; WALMIR AYALA, VOL.1, PÁG.252; TEIXEIRA LEITE, PÁGS. 157, PONTUAL, PÁGS. 174; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 564; ARTE NO BRASIL, PÁG. 715; LEONOR AMARANTE, PÁG. 146; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 334; ACERVO FIEO; web.artprice.com.



342 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX
Lance Livre - Aguardando oferta

Barqueiro - óleo sobre madeira - 16 x 43 cm - canto inferior direito ilegível -



343 - ANTONIO PAIM VIEIRA (1895 - 1988)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

Paisagem - desenho a nanquim e guache - 32,5 x 22 cm - canto inferior direito -
No estado (papel manchado).

Paulistano, foi ceramista, caricaturista e desenhista. Executou as capas dos livros A Boneca Vestida de Arlequim, de Álvaro Moreira, e Senhora da Melancolia, de Pereira da Silva. Foi um dos fundados da revista Para-Todos, Ariel e Brasil-Social, nas quais colaborou como desenhista e iniciador da nossa cerâmica artística. Citado por Teodoro Braga, Herman Lima, em História da Caricatura no Brasil (1963). MEC, vol. 3, pág. 327; JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 250



344 - MARIA BONOMI (1935)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 950,00.

"All abont me" - litografia - 80 x 60 cm - centro inferior - 1980 -
No estado (papel manchado).

Gravadora, pintora, figurinista, cenógrafa, muralista e escultora nascida em Meina, Itália. Mudou-se para o Rio de Janeiro ainda criança. Em São Paulo (década de 1950), estudou inicialmente com Yolanda Mohalyi, Karl Plattner e Livio Abramo. Na 'Columbia University', Nova York - EUA estudou artes gráficas com Hans Muller e História da Arte Comparada com Meyer Schapiro. Obteve bolsa de estudos no Pratt Institute, Nova York - EUA onde trabalhou com Seong Moy e Fritz Eichenberg, entre outros. De volta ao Brasil (1959) continuou seu aperfeiçoamento na gravura com Friedlaender no MAM, RJ. Fundou com Lívio Abramo o 'Estudio Gravura' (década de 1960), em São Paulo. Realizou várias exposições individuais e tem participado de muitas mostras coletivas e oficiais, no Brasil e no exterior. Recebeu, entre outros, o Prêmio de Melhor Gravador da VIII Bienal de São Paulo (1965); o Prêmio de Gravura na V Bienal de Paris (1968); o Prêmio de Gravura da VIII Exposição Internacional Ljubljana, modalidade xilogravura; o Prêmio de Aquisição na IX Bienal de mesmo nome (1971), culminando com o Prêmio Internacional de Gravura, modalidade litografia (1983). Como cenógrafa vale destacar o Prêmio de Revelação de Cenógrafa e Melhor Figurinista com a peça 'As feiticeiras de Salém' de Arthur Miller. O Prêmio Revelação dado pela APCT – Associação Paulista de Críticos Teatrais se repetiu nos anos de 1962, 1965 e 1967. Em 1965, recebeu o Prêmio Molière como melhor cenógrafa da peça "A megera domada”, de Shakespeare. Desde 1975 tem realizado numerosos painéis em concreto, de grandes dimensões, como os do Saguão do Maksoud Hotel e do Banco Sudameris do Brasil, as fachadas laterais do Esporte Clube Sírio e do Edifício J. Riskallah Joye, todos em São Paulo e, em Santiago do Chile, os painéis do Banco Exterior da Espanha. JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG.142; PONTUAL PÁG.80; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG.692; ARTE NO BRASIL PÁG.837; LEONOR AMARANTE PÁG.75, ACERVO FIEO; www.memorial.org.br; www.pinacoteca.org.br; www.bcb.gov.br; www.artprice.com.



345 - CAROL KOSSAK (1895 - 1976)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 500,00.

Pão de Açúcar - óleo sobre tela - 38 x 55 cm - canto inferior direito -

Pintor polonês ativo em São Paulo. Assinava C. Kossak e C. Kokott. Realizou exposição individual em 1941 em São Paulo e participou de várias exposições coletivas e Salões nas décadas de 30 e 40. MEC VOL.2 PÁG. 411; TEODORO BRAGA, PÁG. 134; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 512; VOL. 12, PÁG. 218; ACERVO FIEO; ITAU CULTURAL; www.artprice.com.



346 - HEINZ BUDWEG (1940)
Lance Livre - Aguardando oferta

Paisagem - aquarela - 26,5 x 17 cm - canto inferior direito - 1970 -
No estado (papel manchado).

Pintor, desenhista, artista gráfico, ilustrador, cenógrafo e figurinista de teatro. Imigra para o Brasil em 1953, fixando-se em São Paulo. Nesta cidade, atua como ilustrador e artista gráfico, além de trabalhar como cenógrafo e figurinista. Em 1958, realiza sua primeira mostra Individual, no Colégio Visconde de Porto Seguro. Na década de 70, recebe o Prêmio Jabuti de Literatura Infantil pelas ilustrações dos doze primeiros volumes da série Lendas Brasileiras. Viaja várias vezes para a Amazônia, Alto Xingu e Ilha de Marajó, onde realiza desenhos retratando a paisagem natural, a população e os indígenas locais, além de reportagens e pesquisas sobre o folclore brasileiro registrados em Super 8. Sete anos depois, realiza as imagens que acompanham a apresentação da obra Xingu Simphonie, de Celia Ricci e Edson Leite, em São Paulo. ITAÚ CULTURAL.



347 - ALFREDO CESCHIATTI (1918 - 1989)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 750,00.

Justiça - múltiplo em bronze - 18 x 10 x 08 cm - assinado -

Natural de Belo Horizonte. Escultor, desenhista e professor. Passou a frequentar a antiga ENBA em 1940, depois de uma viagem à Europa, especialmente Itália, iniciada em 1938. Na Divisão Moderna do SNBA recebeu, como escultor as medalhas de bronze (1943) e de prata (1944), bem como o prêmio de viagem ao estrangeiro (1945), com o baixo-relevo para a Igreja de São Francisco de Assis, da Pampulha, em Belo Horizonte e, como desenhista, a medalha de prata (1945). Esteve mais uma vez na Europa entre 1946 e 1948, anos em que realizou exposição individual no Instituto dos Arquitetos do Brasil (GB). Figurou na II BSP e no II SNAM, em 1953. Fazendo parte da equipe que, em 1956, venceu o concurso de projetos para o Monumento aos Mortos da II Guerra Mundial (GB), ali executou o conjunto alusivo às três forças armadas. Integrou a Comissão Nacional de Belas Artes em 1960 e 1961, e entre 1963 e 1965, lecionou escultura e desenho na Universidade de Brasília. Quirino Campofiorito citou-o no estudo Ëscultura Moderna no Brasil"(Revista Crítica de Arte, nº único 1962). De seus trabalhos mais conhecidos destacam-se as esculturas As Banhistas e A Justiça, que se encontram, respectivamente, no lago em frente ao Palácio da Alvorada e defronte ao Supremo Tribunal Federal (Praça dos Três Poderes), em Brasília. Há ainda, obras escultóricas de sua autoria, entre outras no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Ministério das Relações Exteriores (Brasília) e em um edifício que Oscar Niemeyer projetou no conjunto residencial Hansa (setor ocidental de Berlim), assim como na embaixada brasileira em Moscou. MEC, vol. 1, pág. 397; PONTUAL, pág. 127; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 70; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 609; ARTE NO BRASIL, pág. 872.



348 - NICOLA PETTI (1904 - 1983)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Vila de pescadores - óleo sobre eucatex - 17 x 23 cm - canto inferior direito -

Pintor, desenhista, jornalista e escritor, Nicola Verdi Petti nasceu em Rio Claro, SP e faleceu em São Paulo. Iniciou suas atividades artísticas em Rio Claro, estudando pintura e desenho com Lúcia Cereda de Lima. Mais tarde, em São Paulo, teve aulas com o escultor português Fernandes Caldas no Liceu de Artes e Ofícios. Retornou a Rio Claro (1920) e na recém-criada Escola de Artes Ofícios estudou pintura com Carlos Hadler e escultura com Angelo Laterza e Gustavo Biancalana. Em São Paulo novamente (1926) aperfeiçoou suas técnicas com o pintor Georg Fischer Elpons. Fundou a Pinacoteca Municipal Pimentel Jr., em Rio Claro (1966). Publicou o álbum "Pintores Contemporâneos de São Paulo"; fundou a revista "Resenha Artística" e colaborou para o jornal "Diário de Rio Claro", no setor de arte. Participou assiduamente do Salão Paulista de Belas Artes, desde sua inauguração em 1933, onde foi premiado em: 1944,1945, 1949,1960, 1962, 1966, 1968 a 1971, 1973, 1974. Também recebeu prêmios: no Salão de Artes Plásticas de Piracicaba, SP (1962, 1965 a 1968); no Salão Santista de Belas Artes, Santos – SP (1970); no Salão Nacional de Belas Artes, RJ (1971). PONTUAL PÁG. 422; MEC VOL. 3, PÁG. 393; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 759; ITAU CULTURAL, ACERVO FIEO; www.artprice.com.



349 - JEAN DEYROLLE (1911 - 1967)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Composição - serigrafia - 46/300 - 57 x 35 cm - canto inferior direito -
No estado (papel manchado). (Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Pintor, desenhista, ilustrador, litógrafo e professor francês nascido em Nogent-sur-Marne e falecido em Toulon. Seu avô era pintor. Após a morte de seu pai (1923) foi morar com sua avó em Concarneau. Foi aluno da Escola de Arte e Publicidade em Paris (1928) ode aprendeu gravura e, a partir de 1932, passou a pintar por conta própria. Uma obra sua foi aceita no "Salon des Artistes Français" em 1933. Recebeu uma bolsa de viagem (1934) e viajou para o Marrocos entre 1935 e 1938. Pertenceu (1946) ao grupo formado, ao redor de Denise Rene em Paris, de pintores abstratos chamado de segunda geração com: Dewasne, Marie Raymond, Schneider, Hartung, Gilioli, Poliakoff e Vasarely. Mudou-se para Gordes, Provence (1947). Foi professor da Academia de Fernand Léger - Paris (1953), da "Academy of the Art schools of Munich"- Alemanha (1959-1967). Expôs em: Bourges, França (1942); Paris (1947, 1948, 1951, 1953, 1959, 1965, 1966 - retrospectiva); Copenhagen, Dinamarca (1949, 1954, 1956, 1960, 1962, 1965) entre outras. Participou do "Salon d'Automne de la Libération" (1944); “Salon des Surindependents” (1945); Bienal de Menton, França (1955 – Prêmio, 1964 – convidado de honra); Bienal Internacional de São Paulo (1957, 1961); Trienal de Milão, Itália (1957); Exposição Internacional de Bruxelas, Bélgica (1958 – Medalha de Prata); Bienal de Veneza, Itália (1960); Bienal de Tóquio, Japão (1961); do "Salon de Mai"; do "Salon des Réalités Nouvelles". BENEZIT; www.mchampetier.com/biography-Jean-Deyrolle; www.artprice.com.



350 - RITA LOUREIRO (1952)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 2.400,00.

"Bumba-meu-boi / Boi-Bumbá" - óleo sobre tela - 80 x 190 cm - canto inferior direito - 1982 -
Reproduzido no convite deste Leilão e no Livro "Macunaíma o herói sem nenhum caráter", de Mário de Andrade, com ilustrações de Rita Loureiro, Editora Itatiaia, Belo Horizonte - MG. (Atenção clientes que não residem em São Paulo: transporte especial devido ao tamanho. Consulte-nos antes de dar seu lance) .

Pintora autodidata nascida em Manaus, AM. Viveu no Rio de Janeiro, de 1976 a 1979, onde começou a pintar. Voltou para Manaus. Foi incluída no livro ‘Le Rêve et Les Naifs’ publicado pela Editora Max Fourny - Paris, França (1982) e ilustrou uma edição para bibliófilos do livro ‘Macunaíma’ de Mário de Andrade no Rio de Janeiro (1984). Realizou várias exposições individuais no Brasil, Alemanha e Inglaterra. Participou também de mostras e Salões oficiais. ITAU CULTURAL; www.artprice.com; www.amazonas.am.gov.br; animaelibri.blogspot.com.br.



351 - ABELARDO ZALUAR (1924 - 1987)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

"Permutação ocre" - serigrafia - P.A. - 61 x 59 cm - canto inferior direito - 1977 -
No estado (restauro evidente).

Pintor, desenhista, gravador, ilustrador, fotógrafo e professor nascido em Niterói, RJ e falecido no Rio de Janeiro. Frequentou as aulas da Escola Nacional de Belas Artes, RJ (entre 1944 e 1948) e, nessa mesma década, criou com outros colegas, a Escolinha de Arte do Brasil. Realizou exposições individuais no; Rio de Janeiro (1947, 1955, 1962, 1969, 1984, 1987); Belo Horizonte, MG (1959, 1969); São Paulo (1959, 1962, 1971, 1975 – Retrospectiva no MAM); Porto Alegre, RS (1961, 1980 – MARGS); Lisboa, Portugal (1964); Roma, Itália (1965); Londres, Inglaterra (1971); Santos, SP (1977); Resende, RJ (1978 – Retrospectiva no MAM); Curitiba, PR (1979 – Retrospectiva no MAC). Participou de diversas mostras coletivas, como a Bienal Internacional de São Paulo (1961, 11971, 1973, 1975), o Panorama de Arte Atual Brasileira - MAM, SP (1970, 1971, 1973, 1979, 1983, 1986). Conquistou o Prêmio Leirner de Arte Contemporânea - Desenho, em São Paulo (1959); o prêmio de viagem ao exterior no Salão Nacional de Arte Moderna, no Rio de Janeiro (1963); o prêmio aquisição no 4º Salão de Arte Moderna do Distrito Federal (1967) e menção honrosa na 1ª Bienal Ibero-Americana de Pintura, na Cidade do México (1978). WALMIR AYALA VOL. 2, PÁG. 449; MEC VOL. 4, PÁG. 527; PONTUAL PÁG. 556; TEIXEIRA LEITE PÁG. 546; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 682; ARTE NO BRASIL PÁG. 934; LEONOR AMARANTE PÁG. 218; JULIO LOUZADA VOL. 2, PÁG. 1079; www.brasilartesenciclopedias.com.br; www.artprice.com.



352 - YVES SERPA (1951)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

"Hexagrama 34" - óleo sobre tela - 53 x 40 cm - dorso - 09/2007 -

Pintor. É filho do pintor, gravador, desenhista e professor Ivan Serpa que influenciou grandes nomes da arte moderna brasileira como Décio Vieira, Hélio Oiticica, Lígia Clark e Rubem Ludolf, entre outros. Com carreira iniciada na escolinha de artes do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, sua primeira participação como pintor foi aos cinco anos de idade no Salão de Arte Infantil do Jornal do Brasil em 1956. Realizou exposição individual no Gabinete de Arte da Presidência da Câmara dos Deputados, Brasília – DF (2012). Além de vários prêmios durante sua carreira, também recebeu a Medalha de Mérito Cultural da Câmara de Vereadores de Niterói, por indicação da Associação Fluminense de Belas Artes. Foi eleito presidente (2012) da Academia de Ciências e Letras de Maricá, RJ, cidade na qual presta serviço à comunidade local. www2.camara.leg.br/a-camara/visiteacamara/cultura-na-camara/atividades-anteriores/ate-2012/exposicoes-artisticas/gadinete-de-artes-yves-serpa.



353 - MILTON DACOSTA (1915 - 1988)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Alexandre - serigrafia - P.I. - 43 x 31 cm - canto inferior direito -

Pintor, desenhista, gravador, ilustrador. Milton Rodrigues da Costa nasceu em Niterói, RJ e faleceu no Rio de Janeiro. Iniciou estudos de desenho e pintura (1929) com o professor alemão August Hantv. No ano seguinte matriculou-se no curso livre de Marques Júnior, na Escola Nacional de Belas Artes. Junto com Edson Motta, Bustamante Sá e Ado Malagoli, entre outros, criou o Núcleo Bernardelli (1931). Viajou para Estados Unidos (1945), com o prêmio de viagem ao exterior do Salão Nacional de Belas Artes do ano anterior. Na cidade de Nova York, estudou na "Art's Students League". Foi para a Europa (1946) e após visita a vários países, fixou-se em Paris, onde estudou na "Académie de La Grande Chaumière". Conheceu Pablo Picasso, por intermédio de Cícero Dias, e frequentou os ateliês de Georges Braque e Georges Rouault. Expôs no "Salon d'Automne", Paris e regressou ao Brasil (1947). Casou-se com a pintora Maria Leontina (1949) e passou a residir em São Paulo. Realizou muitas exposições individuais, entre as quais, a "Homenagem a Milton Dacosta" na Galeria da Praça, RJ, com curadoria de Luiz Carlos Moreira (1973). Participou de inúmeros Salões e mostras coletivas, como: Bienal de Veneza (1950); Bienal Internacional de São Paulo (1951, 1955, 1957, 1979); Panorama de Arte Brasileira, MAM – SP (1971). Foi premiado, também, nas Bienais Internacionais de São Paulo (1955, 1957). TEODORO BRAGA, PÁG. 163; WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG. 229; MEC, VOL. 2, PÁG. 13; BENEZIT, VOL. 3, PÁG.315; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 302; VOL. 3, PÁG. 310; ITAU CULTURAL; PONTUAL, PÁG. 155; WALTER ZANINI, PÁG. 573; ARTE NO BRASIL, PÁG. 763; LEONOR AMARANTE, PÁG. 63; ACERVO FIEO; www.artprice.com.



354 - EUGÊNIO ACOSTA (1896 - XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Marinha - óleo sobre tela - 60 x 120 cm - canto inferior direito -
No estado (limpeza necessária).

Nascido EUGÊNIO ACOSTA MEDINA. Pintor espanhol que foi ativo no Rio de Janeiro. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 274; TEODORO BRAGA; ACERVO FIEO, pág. 143.



355 - BRUNO GIORGI (1905 - 1993)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.500,00.

Casal - escultura em bronze - 28 x 13 x 07 cm - assinado -
Ex coleção Renato Antônio Brogiolo - Rio de Janeiro, RJ.

Escultor, desenhista e pintor paulista nascido em Mococa, SP e falecido no Rio de Janeiro. Mudou-se com a família para Itália, e fixou-se em Roma (1913). Iniciou estudos de desenho e escultura com o professor Loss (1920). Participou de movimentos antifascistas e foi preso (1931) por motivos políticos. Foi extraditado para o Brasil (1935) por intervenção do embaixador brasileiro na Itália. Em 1937, viajou para Paris e frequentou as academias ‘La Grand Chaumière’ e ‘Ranson’, onde estudou com Aristide Maillol e conviveu com Henry Moore, Marino Marini e Charles Despiau. Em 1939, retornou a São Paulo e junto com Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Sérgio Milliet, entre outros, participou do Movimento Modernista; foi um dos membros da Família Artística Paulista e do Grupo Santa Helena. Em 1943, transferiu-se para o Rio de Janeiro. A convite do ministro Gustavo Capanema instalou ateliê no antigo Hospício da Praia Vermelha, onde orientou jovens artistas como Francisco Stockinger. Possui obras em espaços públicos como ‘Monumento à Juventude Brasileira’ (1947), nos jardins do antigo Ministério da Educação e Saúde, atual Palácio Gustavo Capanema - RJ; ‘Candangos’ (1960), na Praça dos Três Poderes, e ‘Meteoro’ (1967), no lago do edifício do Ministério das Relações Exteriores, em Brasília; ‘Integração’ (1989), no Memorial da América Latina, em São Paulo. Participou das Bienais de Veneza (1950, 1952); participou das I, II, IV e IX Bienais de São Paulo, período em que recebeu o prêmio de melhor escultor brasileiro (1953) e sala especial (1967). MEC, VOL.2, PÁG. 250; PONTUAL, PÁG. 237; MAYER/84, PÁG. 1333; BENEZIT VOL. 5, PÁG. 14; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 587; ARTE NO BRASIL, PÁG. 715; LEONOR AMARANTE, PÁG. 18; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 422; www.artprice.com; www.pinturabrasileira.com; www.dec.ufcg.edu.br; www.monumentos.art.br.



356 - OCTÁVIO ARAÚJO (1926 - 2015)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Figuras fantásticas - xilogravura - P.A. - 27,5 x 20 cm - canto inferior direito -

Pintor, desenhista, ilustrador, gravador e artista gráfico, Octávio Ferreira de Araújo nasceu em Terra Roxa, SP e faleceu em São Paulo. Estudou pintura na Escola Profissional Masculina do Brás, SP com Edmundo Migliaccio e José Barchitta (1939 e 1943). Integrou o Grupo dos 19 (1947). Dois anos depois, viajou para Paris onde estudou gravura na "École National Supérieure des Beaux-Arts" e frequentou o Gabinete de Estampas do Museu do Louvre. Retornou ao Brasil (1951) e, no ano seguinte, passou a residir no Rio de Janeiro. Indicado pelo pintor Clóvis Graciano, trabalhou como auxiliar de Candido Portinari. Com o prêmio de gravura do Salão Para Todos, realizado no Rio de Janeiro (1959), viajou para a China. Recebeu uma bolsa de estudos (1960) do Instituto Répin, em Leningrado, atual São Petersburgo, patrocinada pelo Ministério da Cultura da União Soviética (atual Rússia). Frequentou o Instituto Poligráfico em Moscou (1961). Permaneceu nessa cidade por oito anos, e trabalhou como ilustrador de livros latino-americanos, tradutor e dublador de documentários. Foi realizada a mostra "Octávio Araújo: 20 Anos Depois" (1972) no MASP, SP, e foi publicado o livro "Octávio Ferreira de Araújo: 10 Anos de Pintura" (1979) de José Roberto Teixeira Leite. Participou do Panorama da Arte Atual Brasileira, MAM – SP (1971, 1974); da Bienal Nacional, SP (1974); entre outras exposições no Brasil e no exterior.TEIXEIRA LEITE PÁG. 34; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 71; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL PÁG. 803; WALTER ZANINI PÁG. 645; ACERVO FIEO; www.pinturabrasileira.com; www.artprice.com.



357 - FRANCISCO GRACIANO (1965)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Mulher com flores - escultura em madeira - 38 x 09 x 10 cm - assinado -

Escultor, natural de Santana do Cariri - Ceará. Filho e discípulo do escultor Manoel Graciano (Itaú Cultural). Francisco Graciano desenvolveu interesse logo cedo pelos trabalhos manuais e, aos 16 anos, começou a fazer suas primeiras esculturas em madeira. Sua obra é conhecida hoje pelos animais e figuras do cotidiano, utilizando sempre texturas e cores fortes.



358 - CLAUDIO KUPERMAN (1943)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 550,00.

Composição - óleo sobre papel colado em eucatex - 32,5 x 47,5 cm - canto inferior direito - 1973 -
No estado (arranhado).

Pintor, desenhista, escultor, gravador e professor nascido em São Paulo. Estudou gravura em metal e litografia com Marcelo Grassmann, Mário Gruber, Darel e Eduardo Sued na FAAP (1960); pintura e desenho com Joan Ponç no ateliê L'Espai, em São Paulo (1962). Recebeu bolsa de estudos em artes plásticas do governo francês (1965). Mudou-se para a Holanda (1969) e fez estágio no "Stedelijk Museum", em Amsterdã, realizando duas grandes esculturas que participaram de exposições no próprio museu e, posteriormente, em Paris. Passou a residir em Milão (1970) e, no ano seguinte, retornou ao Brasil, residindo em Angra dos Reis, Petrópolis e no Rio de Janeiro (1975). Realizou "A Grande Tela" (1984), obra em parceria de Luiz Aquila e John Nicholson, exposta no Centro Cultural Cândido Mendes - Rio de Janeiro. Realizou exposições individuais em: São Paulo (1964, 1965, 1968, 1981, 1982, 1986); Rio de Janeiro (1979, 1982, 1986) e participou de diversas mostras coletivas e Salões oficiais pelo Brasil e exterior. Foi premiado em Paris (1965) e no Salão do Paraná (1980). Foi lançado o livro "Claudio Kuperman", com texto de Frederico Morais, pela Editora Salamandra (1997). MEC VOL. 2, PÁG. 430; PONTUAL PÁG. 295; JULIO LOUZADA VOL. 2, PÁG. 553; VOL. 4, PÁG. 582; ITAU CULTURAL; www.artprice.com.



359 - PAULA KADUNC (1954)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Composição - serigrafia - 23/30 - 32 x 22,5 cm - canto inferior direito - 2017 -

Paula Kadunc, pseudônimo artístico de Maria Paula Kadunc, nasceu em São Paulo. Frequentou um curso clássico de arte e comunicação na época de colégio. Formou-se em historia (1975) e nos anos seguintes realizou viagens de estudo pela Europa, Japão, China e Filipinas. No inicio da década de 80 trabalhou no Museu de Arte de São Paulo como assessora de imprensa e relações publicas auxiliando ainda na curadoria de diversas exposições. Na década de 90 frequentou o ateliê do escultor Paulo Tadee onde trabalhou com desenhos e pinturas geométricas e passou a fundir esculturas em bronze. Estudou técnica de pintura com Marysia Portinari. Tem participado com suas obras de várias exposições coletivas e leilões de arte. Possui obras em diversas coleções particulares e no Museu de Arte do Parlamento de São Paulo. www.artemaisnet.com.br/artistas/paula-kadunc.html; www.catalogodasartes.com.br; www.al.sp.gov.br; www.artprice.com; www.askart.com.



360 - FRANCISCO BRENNAND (1927)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.400,00.

Composição - cerâmica - 40 x 60 cm - canto inferior esquerdo - 1984 -
Reproduzido no convite deste Leilão.

Pintor e ceramista. Estudou com André Lhote e Fernand Léger, em Paris. Participou de importantes bienais e salões, nacionais e internacionais. Realizou individuais de pintura e cerâmica no MAM-SP em 1960 e outras importantes salas de arte. Executou trabalhos murais em edifícios públicos e particulares no Recife e no estrangeiro. Suassuna considerou a sua pintura "bela, forte e brasileira". Brennand é referência mundial como artista puramente brasileiro. JULIO LOUZADA, VOL, 10, pág 141. PONTUAL, pág, 88. MEC, VOL , 1, pág, 294; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; ARTE NO BRASIL, pág. 879. Acervo FIEO. -



361 - HELENA PEREIRA DA SILVA OHASHI (1895 - XX)
Lance Livre - Aguardando oferta

Flores - técnica mista sobre papel - 28 x 23 cm - canto inferior direito - 27/05/1960 -
No estado (papel manchado).

Paulistana, Helena era filha do pintor Oscar Pereira da Silva, de quem recebeu seus primeiros conhecimentos artísticos. Em 1929 seguiu para Paris, onde aperfeiçoou-se em pintura com Jean Paul Laurens. Casou-se com o pintor Kai Ohashi, em Paris, passando a residir em Kobe, Japão. Expôs em Paris (1933), no SNBA-RJ (1936), e no SPBA (1940), e individualmente no Brasil, em 1940, apresentando trabalhos executados no Japão. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 689, RUTH TARASANTCHI.



362 - RAMÓN CASAS Y CARBO (1866 - 1932)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 500,00.

"Dama con sombrero" - desenho a carvão e lápis de cor - 55,5 x 37 cm - canto inferior direito -
No estado (pequeno rasgo). (Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Pintor, desenhista e ilustrador espanhol nascido e falecido em Barcelona. Tinha dezesseis anos quando foi para Paris estudar com Carolus Duran (1882) e depois, na Espanha, estudou com os mestres no Prado. Ficou em Paris até 1894 e teve contato com Utrillo, Rusiñol e Zuloaga, entre outros. Expôs retratos de crianças no "Salon de la Société Nationale des Beaux-Arts" que era membro desde 1903; recebeu a comenda do "Cavaleiro da Legião de Honra"; na "Exposición Nacional de Bellas Artes" ganhou a medalha de terceiro lugar (1892) e a do primeiro lugar (1904) e teve uma sala com suas obras em homenagem ao centenário de seu nascimento. Participou de outras coletivas oficiais e recebeu medalhas de ouro em Berlim, Munique e Viena. BENEZIT; www.artprice.com; art-now-and-then.blogspot.com.br/2013/10/ramon-casas-y-carbo.html.



363 - IVAN SERPA (1923 - 1973)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 300,00.

Figuras - técnica mista sobre papel - 27 x 19 cm - canto inferior direito - 1959 -

Pintor, desenhista, gravador e professor, Ivan Ferreira Serpa nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Estudou gravura e desenho com Axel Leskoschek (entre 1946 e 1948) no Rio de Janeiro. Em 1949, ministrou suas primeiras aulas no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, onde, a partir de 1952, exerceu sistemática atividade didática, em especial no ensino infantil. Foi um dos precursores do concretismo no Brasil, criando ao lado de Aluisio Carvão, Lígia Clark, Hélio Oiticica e outros o Grupo Frente, que se manteve ativo de 1954 a 1956, inclusive com exposições no Rio de Janeiro. Participou da Divisão Moderna do SNBA (1947-1951). Em 1957, recebeu o prêmio de viagem ao exterior no Salão Nacional de Arte Moderna, RJ. Participou da exposição ’Opinião 65’, evento que marca a difusão de uma nova arte de tendência figurativa, a neofiguração. Em 1970, fundou, com Bruno Tausz, o Centro de Pesquisa de Arte no Rio de Janeiro. Participou da Bienal Internacional de São Paulo (1951, 1955, 1957, 1961, 1963, 1965) e da Bienal de Veneza (1952, 1954, 1962, 1966). PONTUAL, PÁG 486; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 605; ARTE NO BRASIL, PÁG. 840; LEONOR AMARANTE, PÁG. 26; MEC VOL. 4, PÁG. 221; ACERVO FIEO; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 899.



364 - LUIZ AQUILA (1943)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 400,00.

Composição - técnica mista sobre cartão colado em eucatex - 74 x 108 cm - canto inferior direito - 1976 -
No estado (arranhado).

Nascido no Rio de Janeiro, pintor, desenhista, gravador, professor. Em 1959 e 1960, tem aulas de pintura com Aluísio Carvão (1920 - 2001) e de xilogravura com Oswaldo Goeldi (1895 - 1961). Muda-se para Brasília em 1962, e freqüenta cursos no Instituto de Arte e Arquitetura da Universidade de Brasília - UnB como aluno livre. Em 1965, recebe bolsa do governo francês e reside na Cité International des Arts [Cidade Internacional das Artes], em Paris. Nesse ano, viaja para Lisboa, e trabalha na Sociedade de Gravadores Portugueses. Permanece na Europa até 1968, quando volta ao Brasil e torna-se professor de desenho e plástica da UnB, função que exerce até 1972. Em seguida, vai a Londres e estuda gravura na Slade School of Fine Arts. Em 1978, coordena o Centro de Criatividade de Brasília, um projeto da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura - Unesco, e expõe na 27ª Bienal de Veneza. De 1979 a 1986, leciona pintura na Escola de Artes Visuais do Parque Lage - EAV/Parque Lage, Rio de Janeiro, período em que exerce importante papel na formação dos jovens artistas da Geração 80. ITAÚ CULTURAL



365 - LOUIS VICTOR MARIE BILLIARD (1864 - 1952)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.400,00.

"Albertini" - aquarela - 16 x 24 cm - canto inferior direito - 1891 - Petrópolis - RJ -
Reproduzido sob o n° 96 em catálogo de Leilão da Bolsa de Arte do Rio de Janeiro, realizado em julho de 2010, em São Paulo. (Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Pintor e desenhista francês nascido em Caen e falecido em Bordeaux. Estudou com Cabanel e François Cormon na Escola de Belas Artes e se tornou membro vitalício da Sociedade dos Artistas Franceses onde expôs até 1933. Executou uma pintura para a prefeitura de Le Chesnay. BENEZIT; www.artprice.com.



366 - ROBERTO BURLE MARX (1909 - 1994)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 950,00.

Composição - serigrafia - P.A. - 34 x 49 cm - canto inferior direito - 1972 -

Nasceu em São Paulo e faleceu no Rio de Janeiro. Pintor, paisagista, arquiteto, desenhista,gravador, litógrafo, escultor, tapeceiro, ceramista, designer de jóias, decorador. Durante a infância viveu no Rio de Janeiro. Foi com a família para a Alemanha, em 1928. Em 1929, freqüentou o ateliê de pintura de Degner Klemn. Nos jardins e museus botânicos de Dahlen, em Berlim, entusiasmou-se ao encontrar exemplares da flora brasileira. De volta ao Brasil, fez curso de pintura e arquitetura na Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1930 - 1934), onde foi aluno de Leo Putz , Augusto Bracet e Celso Antônio. Seu primeiro projeto paisagístico foi para a arquitetura de Lúcio Costa e Gregori Warchavchik, em 1932. Entre 1934 e 1937, ocupou o cargo de diretor de parques e jardins do Recife, PE, onde passou a residir. Nesse período, foi com freqüência ao Rio de Janeiro e teve aulas com Candido Portinari e com o escritor Mário de Andrade. Em 1937, retornou ao Rio de Janeiro e trabalhou como assistente de Candido Portinari. Foi em 1949, conforme sua paixão por plantas e seu interesse por botânica e jardinagem, que Burle Marx adquiriu um sítio em Barra de Guaratiba, RJ. Com auxílio de botânicos, viajou, coletou, catalogou exemplares de plantas do Brasil e reproduziu em seu sítio a diversidade fitogeográfica brasileira. Em 1985 doou esse sítio, com todo o seu acervo, à extinta Fundação Nacional Pró Memória, atual Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN.Realizou muitas exposições individuais e projetos paisagísticos, participou de diversas mostras oficiais coletivas pelo Brasil e no exterior. PONTUAL, PÁG. 94; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 93; MEC. VOL.1, PÁG.303; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG.564; ARTE NO BRASIL, PÁG. 738; LEONOR AMARANTE, PÁG. 98; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 179; artnet.com. ACERVO FIEO.



367 - ROQUE ADOGLIO (XX)
Base: R$ 1.800,00 - Aguardando oferta

Onça - escultura em madeira - 23 x 49 x 13 cm - assinado -

Escultor. Foi aluno de Ricardo Cipicchia. Participou de mostras coletivas e de Salões oficiais como: Salão Paulista de Belas Artes, SP (1943, 1953, 1954, 1980); Salão Paulista de Arte Moderna, SP (1960); Salão de Belas Artes de Piracicaba, SP (1979). Foi premiado no Salão Paulista de Belas Artes (1954), no Salão de Belas Artes de Piracicaba (1979) e recebeu o prêmio Tomás Melo Cruz em 1966. MEC VOL. 1, PÁG. 37; ITAU CULTURAL.



368 - RANCHINHO (1923 - 2003)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.400,00.

Paisagem - óleo sobre papel colado em eucatex - 32,5 x 47 cm - canto inferior direito - 1979 -

Pintor e desenhista, Sebastião Theodoro Paulino da Silva nasceu em Oscar Bressane, SP e faleceu em Assis, SP. Filho de agricultores mudou-se com a família para Assis, após a morte do pai em 1925. Analfabeto e apresentando desvios comportamentais, somente aos 24 anos conseguiu o primeiro trabalho auxiliando na produção de garapa. Com a morte do seu patrão e protetor, João Romero, conhecido como João Garapeiro, passou a sobreviver como catador de papéis, latas e garrafas, morando em ranchos abandonados, o que lhe valeu o apelido de Ranchinho. Foi incentivado pelo escritor José Nazareno Mimessi, fundador do Museu de Arte Primitiva de Assis, a aprender técnicas de guache e acrílica sobre aglomerado de madeira. Realizou exposições individuais em: Assis, SP (1974 a 1976); Bauru, SP (1981); São Paulo (1982, 1988, 1998). Entre as diversas mostras coletivas e oficiais, destacam-se: 12ª Bienal Internacional de São Paulo (1973), Bienal Nacional, SP (1976), Bienal Brasileira de Arte Naïf, Piracicaba – SP (1994, 1998, 2000, 2002); Cidade do México, México (1980). Foi premiado em: Assis, SP (1971, 1980); Piracicaba, SP (1987, 1994 e 1998 - Bienal Brasileira de Arte Naïf, SESC). JULIO LOUZADA VOL. 4, PÁG. 931; VOL. 10, PÁG. 729; VOL. 11, PÁG. 259; VOL. 13, PÁG. 276; ITAU CULTURAL, ACERVO FIEO; artepopularbrasil.blogspot.com.br.



369 - ROBERTO MORICONI (1932 - 1993)
Lance Livre - Aguardando oferta

Figura - desenho a caneta esferográfica - 30 x 44 cm - centro inferior -
No estado (papel manchado).

Pintor e escultor nascido em Perugia, Itália. Veio residir no Rio de Janeiro em 1953, onde, a partir de 1960 cria capas e ilustrações para a Livraria Freitas Bastos. Participou de algumas edições da Bienal de São Paulo, do SNAM e SEAJ. MEC, vol. 3, pág. 202; PONTUAL, pág. 372; JÚLIO LOUZADA, vol. 10, pág. 617; WALTER ZANINI, pág. 770.



370 - JOSÉ PANCETTI (1902 - 1958)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 3.400,00.

Mulheres - óleo sobre tela - 27 x 35 cm - canto inferior direito e dorso - 1954 -
Reproduzido no convite deste Leilão. Com a seguinte dedicatória no dorso: "Para Jorge e esposa, lembrança amiga de J. Pancetti - Bahia,1954".

Giuseppe Gianinni Pancetti nasceu em Campinas, SP e faleceu no Rio de Janeiro. Filho de imigrantes italianos foi mandado aos dez anos de idade para a Itália, onde trabalhou em diversos ofícios até entrar para a marinha mercante italiana. De volta ao Brasil, em 1920, trabalhou na Oficina Beppe, São Paulo (1921), especializada em decoração de pintura de parede, como cartazista, pintor de parede e auxiliar do pintor Adolfo Fonzari. Em 1922 ingressou na Marinha de Guerra Brasileira, viajando pelo país e exterior, transferindo-se para a reserva em 1946, no posto de Segundo Tenente. Começou a pintar, auto didaticamente em 1924 e, em 1925, servindo no encouraçado Minas Gerais, pintou suas primeiras obras. No ano seguinte, para progredir na carreira, integrou o quadro de pintores dentro da "Companhia de Praticantes e Especialistas em Convés". Passou a frequentar, a partir de 1932, o Núcleo Bernardelli, no Rio de Janeiro, onde recebeu orientação de Manoel Santiago, Edson Motta, Rescála e Bruno Lechowski. Participou do Salão Nacional de Belas Artes, sendo premiado em 1934, 1936, 1939 e, já na Divisão Moderna, recebeu o Prêmio Viagem ao Estrangeiro (1941), o Prêmio Viagem ao País (1947) e a Medalha de Ouro (1948). Figurou na Bienal de Veneza em 1950; ano em que passa a residir em Salvador, BA. Integrou a mostra "Um Século de Pintura Brasileira", realizada no Museu Nacional de Belas Artes (1952) e a exposição "Arte Moderna no Brasil" que percorreu as cidades de Buenos Aires, Rosário, Santiago e Lima, todas em 1957. Participou duas vezes da Bienal de São Paulo, em 1951 e 1955. Mereceu Sala Especial na Bienal da Bahia - Salvador, em 1966. O Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro realizou, em 1962, exposição retrospectiva de sua obra. TEODORO BRAGA, PÁG. 130; PONTUAL, PÁGS. 403 E 404; MEC, VOL. 3, PÁG. 332; REIS JUNIOR, PÁG. 383; ITAU CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 380; WALTER ZANINI, PÁG. 573; ARTE NO BRASIL, PÁG. 597; LEONOR AMARANTE, PÁG. 28; www.mamcampinas.com.br.



371 - RUBEM VALENTIM (1922 - 1991)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 550,00.

"Emblema" - serigrafia - 19/40 - 42 x 29 cm - canto inferior direito - 1980 - DF -
No estado (papel manchado).

Escultor, pintor, gravador, professor nascido em Salvador, BA e falecido em São Paulo. Iniciou-se nas artes visuais na década de 1940, como pintor autodidata. Entre 1946 e 1947 participou do movimento de renovação das artes plásticas na Bahia, com Mario Cravo Júnior, Carlos Bastos e outros artistas. Em 1953 formou-se em jornalismo pela Universidade da Bahia e publicou artigos sobre arte. Residiu no Rio de Janeiro entre 1957 e 1963, onde se tornou professor assistente de Carlos Cavalcanti no curso de história da arte do Instituto de Belas Artes. Residiu em Roma entre 1963 e 1966, com o prêmio viagem ao exterior, obtido no Salão Nacional de Arte Moderna. Em 1966 participou do Festival Mundial de Artes Negras em Dacar, Senegal. Ao retornar ao Brasil, residiu em Brasília e lecionou pintura no Ateliê Livre do Instituto de Artes da Universidade de Brasília - UnB. Em 1972, fez um mural de mármore para o edifício-sede da Novacap em Brasília, considerado sua primeira obra pública. Em 1979, Valentim realizou escultura de concreto aparente, instalada na Praça da Sé, em São Paulo, definindo-a como o Marco Sincrético da Cultura Afro-Brasileira e, no mesmo ano e foi designado, por uma comissão de críticos, para executar cinco medalhões de ouro, prata e bronze, para a Casa da Moeda do Brasil. Em 1998 o Museu de Arte Moderna da Bahia inaugurou a Sala Especial Rubem Valentim no Parque de Esculturas. Foi premiado nas Bienais Internacionais de São Paulo de 1967 e 1973, entre outros. PONTUAL, PÁG.532; WALMIR AYALA, VOL.2, PÁGS.395; TEIXEIRA LEITE, PÁG.517; MEC, VOL.4, PÁG.443; JULIO LOUZADA, VOL.11, PÁG.330; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 682; ARTE NO BRASIL, PÁG. 874; LEONOR AMARANTE, PÁG. 257, ACERVO FIEO; web.artprice.com.



372 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX
Lance Livre - Aguardando oferta

Estudo - desenho a carvão - 36 x 31 cm - não assinado -



373 - AMADEU LUCIANO LORENZATO (1900 - 1995)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 500,00.

Ave - técnica mista sobre papel - 21 x 30 cm - canto inferior direito - 1982 -
Ex coleção Antonio de Souza Naves Filho - Campinas - SP.

Pintor nascido em Belo Horizonte, MG. Era caiador de paredes. Aos vintes anos, foi para a Europa com o amigo Cornélio Heissman. Visitou grande número de cidades, percorreu vários museus e se dedicou ao artesanato de tecidos pintados. Regressando ao Brasil, passou a pintar. Realizou exposições individuais em Belo Horizonte em 1964, 1988, 1990 e 1991. Participou de diversas mostras coletivas e oficiais. MEC VOL. 2, PÁG. 508; JULIO LOUSADA VOL. 1, PÁG. 550; VOL.5, PÁG. 588.



374 - SONIA MENNA BARRETO (1953)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

"Janela discreta" - giclée - 150/200 - 50 x 71 cm - canto inferior direito -

Nascida Sônia Regina Gomes Menna Barreto de Barros Falcão, no dia 5 de novembro de 1953, na cidade de São Paulo-SP. Cursou desenho com Waldemar da Costa e pintura com Luiz Portinari, no Centro de Artes Cândido Portinari e, com Jorge Mori, assimila a técnica do óleo sobre linho e a veladura ou "glacis" utilizada pelos mestres clássicos do passado. Sobre a obra da artista, assim escreveu Flávio de Aquino, no catálogo da sua exposição na Galeria André, SP, 1989: "Sônia Regina Gomes Menna Barreto de Barros Falcão, ou simplesmente Menna Barreto - assina obras-primas em pequenos formatos, como miniaturas. Pouco conhecida, surge agora como a grande novidade da pintura fantástica brasileira. Menna Barreto dá uma conotação hiper-realista, mas sem colagens ou assemblagens. Sua arte tem um clima misterioso de castelos fantasmas ou de fragmentos de Paris, com suas ruas e casas. Seu valor reside no caráter arquipoético das obras. " ITAU CULTURAL



375 - RODOLFO WEIGEL (1907 - 1987)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 750,00.

Tropeiro - óleo sobre tela - 46 x 33 cm - canto inferior esquerdo -
No estado (desprendimento de tinta).

Pintor e fotógrafo nascido na Áustria e falecido no Rio de Janeiro. Radicado no Brasil. Participou do Salão Paulista de Belas Artes, SP (1937) onde foi premiado com Medalha de Bronze e da Bienal de Arte Fotográfica Brasileira, Volta Redonda – RJ (1974) MEC VOL. 4, PÁG. 505; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 1070; ITAU CULTURAL; www.artprice.com.



376 - INOS CORRADIN (1929)
Lance Livre - Aguardando oferta

Músico - desenho a nanquim - 29 x 20 cm - canto inferior direito -
No estado (pequenas manchas).

Pintor, desenhista, gravador, escultor e cenógrafo, nascido em Vogogna, Itália. Por volta de 1932 mudou-se com a família para Castelbaldo - Padova, onde, em 1945, estudou pintura com professor Tardivello. Em 1947 colaborou com o pintor Pendin na execução de um mural referente aos mártires da resistência italiana em Castelbaldo. Veio, em 1950, para Jundiaí e São Paulo onde fez parte do núcleo artístico Cooperativa em São Paulo, dirigido pelo pintor argentino Oswaldo Gil Navarro. Executou cenários para o Ballet do IV Centenário de São Paulo, em 1954. Em 1979 foi contratado para pintar um cenário para o Teatro de Rovigo, Itália. Realizou diversas exposições individuais, participou de muitas mostras coletivas e Salões oficiais pelo Brasil e pelo mundo. Foi premiado em Paris (1975) e em Ferrara, Itália (1976). JULIO LOUZADA, VOL. 11, PÁG. 152; PONTUAL, PÁG. 143; MEC, VOL. 1, PÁG. 448; WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG. 215; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO; inoscorradin.com.br.



377 - JOÃO ZANIN TURIN (1877 - 1949)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

"Eu vos abençoo" - placa em cerâmica - 30 x 23 x 02 cm - canto superior direito -

Escultor e pintor nascido em Porto de Cima, PR e falecido em Curitiba, PR. Estudou modelagem na Escola de Artes e Indústrias de Curitiba e frequentou a Escola Nacional de Belas Artes. Partiu para a Europa, foi estudar na Academia Real de Bruxelas onde foi aluno de Pierre-Charles Van der Stappen e de Julio Contam. Depois de deixar a Academia Real (1909) permaneceu por mais dois anos em Bruxelas e visitou a Itália, Holanda, Espanha e Portugal, até se transferir para Paris (1911). Na capital francesa, onde viveu os próximos dez anos, expôs algumas vezes no 'Salon des Artistes Français' (1912 – Menção Honrosa, 1913). Executou um relevo em pedra destinado a uma igreja de Loireau, na Normandia (1917). Em fins de 1922 o artista retorna ao Brasil e se fixa em Curitiba. Participou das mostras oficiais: 'Exposição Geral de Belas Artes', RJ (1922 – Menção Honrosa, 1933, 1948 – Medalha de Ouro); 'Viaro e Turim', Curitiba – PR (1934, 1936); 'Salão de Arte', Curitiba – PR (1938); 'Salão Paranaense de Belas Artes, Curitiba – PR (1947 – Medalha de Ouro, 1948); 'Salão Paulista de Belas Artes, São Paulo (1947 – Medalha de Prata). MEC. VOL. 4, PÁG. 415; ITAU CULTURAL; joaoturin.com.br/sobre/; www.gazetadopovo.com.br.



378 - VASCO PRADO (1914 - 1998)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Composição - litografia - 95/100 - 16 x 19 cm - canto inferior direito - 1998 -
Com relevo seco do autor no dorso. No estado (papel manchado).

Gravador, escultor, tapeceiro, ilustrador, desenhista e professor, Vasco Prado Gomes da Silva nasceu em Uruguaiana, RS e faleceu em Porto Alegre, RS. Estudou por um breve período na Escola de Belas Artes de Porto Alegre (1940). Iniciou pesquisas em escultura como autodidata. Construiu seu primeiro ateliê (1941) e foi assistido pelo pintor Oscar Boeira. Estudou em Paris (1947 e 1948) como bolsista do governo francês. Foi aluno de Fernand Léger e frequentou por um curto período o ateliê de gravura da "École Nationale Supérieure des Beaux-Arts". Em Paris, entrou em contato com o artista mexicano Leopoldo Mendez, dirigente do "Taller de Gráfica Popular". Retornou ao Brasil (1949) e fundou o Clube de Gravura de Porto Alegre (1950) com Carlos Scliar. Lecionou escultura no Ateliê Livre da Prefeitura Municipal de Porto Alegre (1966). Fez estágio como artista convidado (entre 1968 e 1969) viajando pela Europa. Integrou a equipe de direção do Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli - Margs (1987 - 1991). Possui esculturas e painéis murais instalados em espaços públicos no Brasil e no exterior. Foi realizada a retrospectiva "Vasco Prado, 80 Anos" (1994) na Usina do Gasômetro, Porto Alegre. Realizou exposições individuais em: Porto Alegre, RS (1949, 1966, 1980, 1984, 1987); Rio de Janeiro (1965, 1988); Salvador, BA (1965); São Paulo (1965, 1984, 1985 – retrospectiva no MAB); Córdoba, Argentina (1966); Montevidéu, Uruguai (1966); Varsóvia, Polônia (1968); Munique, Alemanha (1969); Pelotas, RS (1989); entre outras. Participou de muitas mostras coletivas e oficiais pelo Brasil e exterior como: Bienal Internacional de São Paulo (1967, 1985); Bienal de Varsóvia, Polônia (1968); Panorama da Arte Atual Brasileira, MAM – SP (1972, 1973, 1978). Recebeu diversos prêmios. PONTUAL PÁG. 534; MEC VOL. 3, PÁG. 435; WALTER ZANINI, PÁG. 711; ARTE NO BRASIL, PÁG. 842; JULIO LOUZADA VOL.4, PÁG. 913; ITAU CULTURAL; www.artprice.com.



379 - TOMÁS SANTA ROSA (1909 - 1956)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 750,00.

Lavadeira - guache - 29 x 18 cm - canto inferior direito -

Pintor, gravador, cenógrafo e professor autodidata, Tomás Santa Rosa Júnior nasceu em João Pessoa, PB e falecido em Nova Délhi, Índia. Fixou-se no Rio de Janeiro (1932), começou a trabalhar como auxiliar de Portinari e iniciou também sua carreira de ilustrador que se estenderia por longa série de obras de escritores brasileiros e estrangeiros, que incluiu, dentre outros, Graciliano Ramos, José Lins do Rêgo, Jorge Amado, Castro Alves, Dostoievski. É considerado o primeiro cenógrafo moderno brasileiro. Entre as exposições das quais participou destacam-se: o Salão Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro (1941 - Medalha de Prata); Um Século de Pintura Brasileira, no Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro (1952); II Bienal Internacional de São Paulo (1953); Salão Preto e Branco do III Salão Nacional de Arte Moderna do Rio de Janeiro (1954); 'Arts Primitifs et Modernes Brésiliennes', no Museu de Etnografia de Neuchâtel, Suíça (1955). Após sua morte, suas obras foram expostas nas seguintes mostras: Exposição de Artes Gráficas de Tomás Santa Rosa, na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro (1958); Retrospectiva no Teatro Municipal do Rio de Janeiro (1975); Santa Rosa, Carnaval e Figurinos na Fundação Nacional de Arte (Funarte) de São Paulo (1985); e Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal de São Paulo (1994). PONTUAL, PÁG. 472; MEC VOL. 4, PÁG. 177; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 460; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 572; LEONOR AMARANTE; www.funarte.gov.br; cpdoc.fgv.br; www.artprice.com.



380 - BENEDITO CALIXTO DE JESUS (1853 - 1927)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 3.900,00.

"Flores e uma pequena marinha" - óleo sobre madeira - 46 x 33 cm - não assinado -
Reproduzido no convite deste Leilão. Com Expertise firmada por Celso Calixto Rios em 27 de setembro de 2018. Reproduzido sob o n° 241 em catálogo de Leilão de Arte de James Lisboa, Leiloeiro Oficial, São Paulo - SP, realizado em março de 2019.

Pintor, professor, historiador, ensaísta, nascido em Conceição de Itanhaém, SP e falecido em São Paulo. Transferiu-se para Brotas, SP, onde adquiriu noções de pintura com o tio Joaquim Pedro de Jesus, ao auxiliá-lo na restauração de imagens sacras de uma igreja local. Realizou sua primeira individual em São Paulo, no ano de 1881. Fixou-se por algum tempo em Santos e depois de ter executado a decoração do Teatro Guarani, partiu para Paris em 1883, estudando na Academia Julian e no ateliê de Jean François Raffaëlli. Retornou ao Brasil em 1885 e passou a residir em São Vicente. Produziu inúmeras marinhas em que representa o litoral paulista; realizou diversos painéis de temas religiosos para igrejas na capital e interior do Estado de São Paulo; pintou vistas de antigos trechos das cidades de São Paulo, Santos e São Vicente para o Museu Paulista da Universidade de São Paulo, por encomenda do diretor do museu o historiador Afonso d´Escragnolle Taunay. Dedicou-se também a estudos históricos da região e à preservação de seu patrimônio e publicou, entre outros, os livros 'A Vila de Itanhaém' (1895) e 'Capitanias Paulistas' (1924). Existem obras suas nos acervos de diversos museus brasileiros. TEODORO BRAGA PÁG. 51; REIS JR PÁG. 214; LAUDELINO FREIRE PÁG. 387; PONTUAL PÁG. 68/69; MEC VOL.1, PÁG. 326/327; WALMIR AYALA VOL.1, PÁG.153; MAYER/83 PÁG. 601; TEIXEIRA LEITE PÁG. 97; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 505; ARTE NO BRASIL PÁG. 599, RUTH TARASANTCHI; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 172. ACERVO FIEO.



381 - GUIDO VIARO (1897 - 1971)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Adoração - gravura - 16,5 x 12 cm - canto inferior direito -
Com dedicatória, datada de dezembro de 1954. No estado (papel amassado e rasgado).

Pintor, desenhista, gravador e professor, nasceu em Badia Polesine, Itália. Fez estudos de formação artística em Veneza e Bolonha, naquele País, vindo para o Brasil em 1928. Radicou-se em Curitiba 1930, onde lecionou pintura e desenho. Participou, recebendo premiações, em diversos Salões nacionais. JULIO LOUZADA vol.aa, pág.335; TEIXEIRA LEITE, pág. 522, PONTUAL, pág. 539; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 449; ARTE NO BRASIL, pág. 883.



382 - KURT SCHIERING (1885 - 1918)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Cachoeira - técnica mista sobre papel - 51 x 70 cm - canto inferior direito - 1914 -
Paspatour no estado. (Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Pintor e desenhista alemão nascido em Markranstadt, perto de Leipzig e falecido em Banos del Toro, próximo a Coquimbo, Chile. Ativo na Argentina e Chile desde 1913. Estudou na Academia de Belas Artes de Leipzig, Alemanha. Em 1929 o Museu de Etnografia de Leipzig organizou uma exposição póstuma de suas obras intitulada: "Tropical Landscapes". BENEZIT; www.artprice.com.



383 - FRANCISCO BRENNAND (1927)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Ovo - cerâmica - 17 x 10 x 10 cm - não assinado -
Com marca da Oficina Cerâmica Francisco Brennand.

Pintor e ceramista. Estudou com André Lhote e Fernand Léger, em Paris. Participou de importantes bienais e salões, nacionais e internacionais. Realizou individuais de pintura e cerâmica no MAM-SP em 1960 e outras importantes salas de arte. Executou trabalhos murais em edifícios públicos e particulares no Recife e no estrangeiro. Suassuna considerou a sua pintura "bela, forte e brasileira". Brennand é referência mundial como artista puramente brasileiro. JULIO LOUZADA, VOL, 10, pág 141. PONTUAL, pág, 88. MEC, VOL , 1, pág, 294; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; ARTE NO BRASIL, pág. 879. Acervo FIEO. -



384 - J. CARLOS (1884 - 1950)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 850,00.

Na loja - técnica mista sobre papel - 40 x 28 cm - centro -

Chargista, caricaturista, desenhista, pintor, ilustrador, José Carlos de Brito Cunha nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi um dos formadores da tradição da charge brasileira ao lado de Raul Pederneiras e K.Lixto, e criador de tipos como a negrinha 'Lamparina', a 'Melindrosa' e o 'Almofadinha'. Autodidata, iniciou a carreira de caricaturista ainda estudante, quando publicou um de seus desenhos na revista 'O Tagarela' (1902). Em seguida, passou a colaborar regularmente com a revista e no ano seguinte desenhou sua primeira capa na publicação. Colaborou em muitos órgãos da imprensa carioca como 'O Tico Tico', 'Fon-Fon', 'Careta', 'A Cigarra', 'Vida Moderna', 'Eu Sei Tudo', 'Revista da Semana' e 'O Cruzeiro'. Entre 1922 e 1930, exerceu o cargo de diretor artístico das empresas 'O Malho', onde iniciou uma grande série de charges de caráter político, satirizando fatos e personalidades nacionais e estrangeiras. A vertente política foi explorada pelo artista desde o início de sua carreira, sendo ele o responsável pela execução de uma série de charges antibelicistas executadas no período abrangido pelas duas grandes guerras e principalmente durante os dois governos de Getúlio Vargas (1883 - 1954). Esses trabalhos foram publicados principalmente na revista 'A Careta'. Também fez esculturas, foi autor de teatro de revista e letrista de música popular. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646; ITAU CULTURAL; www.ims.com.br; www.dec.ufcg.edu.br; www.artprice.com.



385 - ANA CRISTINA ANDRADE (1953)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 550,00.

"Composição I" - técnica mista de impressões - Obra única - 50 x 79 cm - canto inferior direito e dorso - 2014 -

Ana Cristina Andrade Moreira é pintora, gravadora, desenhista, professora e designer vidreira. Iniciou sua formação artística na Escola Superior de Arte Santa Marcelina, SP (1972-1975). Aprendeu gravura em metal (1980-1990) com Iole Di Natale; técnicas de gravura na Scuola Internazionale di Gráfica em Veneza, Itália (1983); Gravura Especial com Evandro Carlos Jardim, no MAC-SP (1991); Técnica Calcográfica Experimental com Mario Benedetti, na FASM-SP (1997); Vitrofusão com Roberto Bonino. Exposições individuais: São Paulo, SP (1984, 1987, 1995, 2003); Bauru, SP (1989); “Projeto Interior com Arte” – Museu Banespa (1998 – Exposição itinerante pelo interior do Estado de São Paulo). Coletivas: Epinal, França (1975); São Paulo, SP (1974, 1982, 1984, 1985, 1986, 1988, 1994, 1995, 2000, 2002 a 2004, 2012 – SP ESTAMPA); Santo André, SP (1982); Novo Hamburgo, RS (1982); Taiwan, China (1983, 1985); San Juan, Porto Rico (1983); Santos, SP (1983); Cabo Frio, RJ (1983); Ribeirão Preto,SP (1984); Curitiba, PR (1984); Piracicaba,SP (1984); Veneza, Itália (1984, 1985); Campinas, SP (1985); São José do Rio Preto, SP (1986); Limeira, SP (1986); Washington D.C.,EUA (1991); Campos do Jordão, SP (1991); Kanagawa, Japão (1992); Maastricht, Holanda (1993); Illinois, EUA (1994); Cidade do México, México (1996); Jacareí, SP (1998); Budapeste, Hungria (1996); Uzice, Yuguslávia (1997); Ourense, Espanha (1994, 2006). Prêmios: São Paulo, SP (1974); Novo Hamburgo, RS (1982); Santos, SP (1983); Ribeirão Preto, SP (1984); Curitiba, PR (1984); Piracicaba, SP (1984); Campinas, SP (1985); São José do Rio Preto, SP (1986). JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 62; vol.2, pág. 66; Acervo FIEO. ITAU CULTURAL.



386 - RENINA KATZ (1925)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Composição - litografia - 5/30 - 28 x 28 cm - canto inferior direito -

Gravadora, desenhista, ilustradora e professora, Renina Katz Pedreira nasceu no Rio de Janeiro. Assina Renina e Renina Katz. Cursou a Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1947 a 1950) e teve como professores, entre outros, Henrique Cavalleiro e Quirino Campofiorito. Licenciou-se em desenho pela Faculdade de Filosofia da Universidade do Brasil. Iniciou-se em xilogravura com Axl Leskoschek, em 1946. Incentivada por Poty, ingressou no curso de gravura em metal, oferecido por Carlos Oswald no Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro. Mudou-se para São Paulo em 1951, e lecionou gravura no Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand e, posteriormente, na Fundação Armando Álvares Penteado, até a década de 1960. Em 1956, publicou o primeiro álbum de gravuras, intitulado ‘Favela’. A partir dessa data, foi docente da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo por 28 anos. Realizou muitas exposições individuais pelo Brasil, EUA, Chile, Paraguai, Portugal, Itália, Holanda e participou, entre as diversas mostras e Salões oficiais, das: Bienal Internacional de São Paulo (1955, 1959, 1961, 1963, 1985, 1989); Bienal de Veneza, Itália (1956, 1986); Panorama da Arte Atual Brasileira - MAM, SP (1974, 1977, 1980, 1984). Foi premiada no Rio de Janeiro (1951, 1952) e em São Paulo (1955, 1984). MEC VOL.2, PÁG.403; PONTUAL, PÁG. 288; WALMIR AYALA VOL.1, PÁG.441; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG.15; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 606; ARTE NO BRASIL; www.artprice.com; www.catalogodasartes.com.br; www.editora.unicamp.br; www.laboratoriodasartes.com.br; artenaescola.org.br.



387 - MARIA LEONTINA (1917 - 1984)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

Composição - pastel - 19 x 22 cm - canto inferior esquerdo -

Pintora, gravadora e desenhista. Maria Leontina Mendes Franco da Costa nasceu em São Paulo, SP e faleceu no Rio de Janeiro, RJ. Iniciou estudos de desenho com Antônio Covello, em São Paulo (1938), e na primeira metade da década de 1940 estudou pintura com Waldemar da Costa. Em 1946, no Rio de Janeiro, frequentou o ateliê de Bruno Giorgi e fez curso de museologia no Museu Histórico Nacional, entre 1946 e 1948. Em 1947, participou da exposição ‘19 Pintores’, na Galeria Prestes Maia, em São Paulo, ao lado de Lothar Charoux, Marcelo Grassmann, Aldemir Martins, Luiz Sacilotto e Flavio-Shiró. Em 1951, foi convidada pelo psiquiatra e crítico de arte Osório César para orientar o setor de artes plásticas do Hospital Psiquiátrico do Juqueri. No mesmo ano, organizou uma mostra dos internos no Museu de Arte Moderna de São Paulo. Em 1952, com bolsa de estudo do governo francês, viajou para a Europa, acompanhada pelo marido, o pintor Milton Dacosta. Em Paris, entre 1952 e 1954, frequentou o ateliê de gravura de Johnny Friedlaender. Na década de 1960, realizou painel de azulejos para o Edifício Copan e vitrais para a Igreja Episcopal Brasileira da Santíssima Trindade, ambos em São Paulo. Realizou exposições individuais e participou de inúmeras mostras, Salões oficiais e Bienais como a Bienal de Veneza (1950, 1952, 1956). Foi premiada no Rio de Janeiro (1944, 1950, 1955, 1957, 1980); em São Paulo (1944; 1947; 1951; 1954; 1958; 1960; 1980; 1955, 1959, 1965 - Bienais Internacionais; 1969, 1970 - Panoramas da Arte Atual Brasileira; 1975 - prêmio pintura da Associação Paulista de Críticos de Artes - APCA); Brasília, DF (1980); Curitiba, PR (1980; Porto Alegre, RS (1980); Nova York (1960 - Fundação Guggenheim). ITAU CULTURAL; MEC, VOL. 2, PÁG. 471; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 309; PONTUAL, PÁG. 338; ARTE NO BRASIL, PÁG. 772; LEONOR AMARANTE, PÁG. 25; WALTER ZANINI, PÁG. 645; JULIO LOUZADA VOL. 2, PÁG. 572.



388 - WALTER LEWY (1905 - 1995)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Paisagem surreal - óleo sobre tela - 75 x 100 cm - canto inferior direito - 1991 -
No estado (arranhado).

Gravador, pintor, ilustrador, paisagista, desenhista e publicitário nascido em Bad Oldesloe, Alemanha e falecido em São Paulo. Estudou na Escola de Artes e Ofícios de Dortmund, Alemanha (1923-1927). Nesse período, filiou-se à tendência do realismo mágico. Em 1928 participou de coletivas em Dortmund, Gelsenkirchen, Boclusim e outras cidades. Com a crise econômica de 1929, Lewy perdeu seu emprego de desenhista numa gráfica e foi viver com os pais no interior, tornando-se ilustrador de anedotas em jornais. Realizou sua primeira exposição individual em Bad Lippspringe (1932), mas foi fechada quando a Câmara de Arte Alemã proibiu a participação de judeus na vida artística. Escapando dessa situação opressora, o artista imigrou para o Brasil (1938), retomando profissionalmente a pintura. Deixou para trás centenas de trabalhos, que foram enviados para a Holanda e perdidos durante os bombardeios da Segunda Guerra Mundial (1939-1945). No Brasil, fixou-se em São Paulo. Nos primeiros anos fez desenho publicitário e mais tarde capas de livros e ilustrações para diversas editoras. Ilustrou obras de Bertrand Russell, Machado de Assis e Arnold Toynbee, entre outras. Mais tarde, empregou-se como diagramador, letrista e arte-finalista nas agências de propaganda De Carli, Lintas Publicidade, Martinelli, Santos & Santos e Thompson Propaganda. Participou de Salões Nacionais e Bienais de São Paulo, entre 1951 e 1965, recebendo diversas premiações oficiais. JULIO LOUZADA, VOL. 10, PÁG. 497; MEC, VOL. 2, PÁG. 474; TEODORO BRAGA, PÁG. 245; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 286; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 630; LEONOR AMARANTE, PÁG. 142; ACERVO FIEO.



389 - MARIO ZANINI (1907 - 1971)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 850,00.

Lavadeiras - monotipia - 31 x 22 cm - canto inferior direito - 1966 -
No estado (papel dobrado).

Pintor, decorador, ceramista, professor, Mário Zanini nasceu e faleceu em São Paulo. Foi um dos integrantes de dois importantes movimentos artísticos considerados históricos na pintura paulista: o Grupo Santa Helena e a Família Artística Paulista. Sua formação artística se deu em São Paulo quando aos 13 anos iniciou curso de pintura da Escola Profissional Masculina do Brás e de 1924 a 1926, matriculou-se no curso de desenho e artes do Liceu de Artes e Ofícios. Conheceu Alfredo Volpi em 1927 e no ano seguinte estudou com o pintor Georg Elpons. Trabalhou no escritório de decoração de Francisco Rebolo entre 1933 e 1938. Em 1940 recebeu medalha de prata no 46º Salão Nacional de Belas Artes e foi convidado por Rossi Osir a trabalhar em seu ateliê de azulejos artísticos, o Osirarte. Em 1950, viajou por seis meses pela Itália, em companhia de Volpi e Osir. A partir de 1968 lecionou na Faculdade de Belas Artes de São Paulo. Participou de vários Salões oficiais e mostras coletivas no Brasil, como I e III Bienal Internacional de São Paulo e no exterior. Sua família doou 108 de suas obras ao Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo - MAC/USP em 1974. MEC, VOL. 4, PÁG. 531; PONTUAL, PÁG. 557; TEODORO BRAGA, PÁG. 250; WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 451; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 586; ARTE NO BRASIL, PÁG. 778; LEONOR AMARANTE, PÁG.38; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 1085; ACERVO FIEO.



390 - ROBERTO BURLE MARX (1909 - 1994)
Base: R$ 40.000,00 - Aguardando oferta

Composição - óleo sobre tela - 60 x 80 cm - canto inferior direito - 1984 -
Com Declaração de Autenticidade firmada pelo Autor, datada de 22 de março de 1992.

Nasceu em São Paulo e faleceu no Rio de Janeiro. Pintor, paisagista, arquiteto, desenhista,gravador, litógrafo, escultor, tapeceiro, ceramista, designer de jóias, decorador. Durante a infância viveu no Rio de Janeiro. Foi com a família para a Alemanha, em 1928. Em 1929, freqüentou o ateliê de pintura de Degner Klemn. Nos jardins e museus botânicos de Dahlen, em Berlim, entusiasmou-se ao encontrar exemplares da flora brasileira. De volta ao Brasil, fez curso de pintura e arquitetura na Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1930 - 1934), onde foi aluno de Leo Putz , Augusto Bracet e Celso Antônio. Seu primeiro projeto paisagístico foi para a arquitetura de Lúcio Costa e Gregori Warchavchik, em 1932. Entre 1934 e 1937, ocupou o cargo de diretor de parques e jardins do Recife, PE, onde passou a residir. Nesse período, foi com freqüência ao Rio de Janeiro e teve aulas com Candido Portinari e com o escritor Mário de Andrade. Em 1937, retornou ao Rio de Janeiro e trabalhou como assistente de Candido Portinari. Foi em 1949, conforme sua paixão por plantas e seu interesse por botânica e jardinagem, que Burle Marx adquiriu um sítio em Barra de Guaratiba, RJ. Com auxílio de botânicos, viajou, coletou, catalogou exemplares de plantas do Brasil e reproduziu em seu sítio a diversidade fitogeográfica brasileira. Em 1985 doou esse sítio, com todo o seu acervo, à extinta Fundação Nacional Pró Memória, atual Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN.Realizou muitas exposições individuais e projetos paisagísticos, participou de diversas mostras oficiais coletivas pelo Brasil e no exterior. PONTUAL, PÁG. 94; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 93; MEC. VOL.1, PÁG.303; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG.564; ARTE NO BRASIL, PÁG. 738; LEONOR AMARANTE, PÁG. 98; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 179; artnet.com. ACERVO FIEO.



391 - IBERÊ CAMARGO (1914 - 1994)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.800,00.

"O rebelde - Luiz sentado..." - verniz mole e água-tinta - 26,5 x 20 cm - canto inferior direito -
Complemento do título: "O rebelde - Luiz sentado lendo na sua sala de visitas e o galo". Reproduzida na página 307 do "Catálogo Raisonné Iberê Camargo - vol 1/ gravuras - Mônica Zielinsky".

Pintor, gravador, desenhista, escritor e professor, natural da cidade de Restinga Seca, RS, e falecido em Porto Alegre. Foi aluno de Salvador Parlagreco e João Fahrion. No Rio de Janeiro, a partir de 1942, estudou pouco tempo na Escola Nacional de Belas Artes, trocando-a pelos ensinamentos de Guignard. Fundou com outros artistas o 'Grupo Guignard' (1943). Recebeu o prêmio viagem ao estrangeiro em 1947. Morou dois anos em Paris e Roma, aperfeiçoando-se com De Chirico, Lhote, Achille e Rosa em pintura e com Petrucci, em gravura. Voltou ao Brasil (1950) e tornou-se membro da Comissão Nacional de Artes Plásticas (1952). Fundou o curso de gravura do Instituto Municipal de Belas Artes do Rio de Janeiro (1953), hoje Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Executou painel de 49 metros quadrados (1966) oferecido pelo Brasil à Organização Mundial de Saúde (OMS), em Genebra. Realizou inúmeras exposições individuais e participou de mostras coletivas e Salões oficiais pelo Brasil e exterior como Bienal Internacional de São Paulo, Bienal de Arte Hispano-Americana em Madri, Bienal de Veneza, Bienal de Gravuras em Tóquio, entre outras exposições importantes. Foi considerado o Melhor Pintor Nacional na VI Bienal de São Paulo (1961) e conquistou inúmeros prêmios. Entre suas publicações, constam o artigo 'Tratado sobre Gravura em Metal' (1964), o livro técnico 'A Gravura' (1992) e o livro de contos 'No Andar do Tempo: 9 contos e um esboço autobiográfico' (1988). MEC, VOL.1, PÁG.328; WALMIR AYALA, VOL.1, PÁG.156; JULIO LOUZADA, VOL.11, PÁG.51; TEIXEIRA LEITE, PÁG.101; PONTUAL, PÁG.100; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 573; ARTE NO BRASIL, PÁG. 853; LEONOR AMARANTE, PÁG. 127; www.iberecamargo.org.br; brasilescola.uol.com.br; www.pinacoteca.org.br; www.artprice.com.



392 - NANDO RIBEIRO (1963)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

Músico - óleo sobre tela - 50 x 35 cm - canto inferior direito e dorso - 2019 -

Pintor e desenhista, Fernando Ferreira Ribeiro nasceu em Pires Ferreira, Ceará. É autodidata em pintura e desenho. Assinava Ferferi até 1993. Atualmente assina Nando Ribeiro. Tem participado de mostras coletivas e Salões oficiais em: Embu, SP (1983 a 1985, 1989, 1992, 1993, 1998); Guarujá, SP (1987); São Paulo (1988, 1990, 1991, 2004); Sorocaba, SP (1988, 1992); Bruxelas, Bélgica (1988); Avignon, França (1990); Três Fronteiras, SP (1994); Itanhaém, SP (1995); Poços de Caldas, MG (1997); Campinas, SP (1999, 2000); Campo Grande, MS (2002). Recebeu Menção Honrosa (1985) no Espaço Cultural IBM Brasil, SP e em Três Fronteiras, SP (1994). JULIO LOUZADA VOL. 8, PÁG 698; www.artmajeur.com/pt/nandoribeiro/presentation.



393 - LUIZ ANTONIO DA SILVA (1935)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Cinegrafista - escultura em terracota policromada - 29 x 12 x 09 cm - assinado -

Escultor, natural de Alto do Moura/PE. Conviveu diretamente com Mestre Vitalino que o orientou por toda vida. Luiz Antonio diz que modela "as coisas que vê por aqui, nas revistas e na televisão". Essa temática o diferencia hoje dos demais artesãos de Alto do Moura e explica a grande procura pelos seus trabalhos. Hoje o artista atingiu um nível de esmero em suas peças, com cores vibrantes, e orgulha-se em mostrar a peça "Fábrica de Telhas", com a qual ganhou o concurso da comemoração dos 145 anos de Caruaru.



394 - INÁCIO RODRIGUES (1946)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Paisagem - óleo sobre tela - 50 x 50 cm - canto inferior direito e dorso - 2008 - São Paulo -

Pintor, desenhista, entalhador e gravador, natural de Acaraú, CE. Iniciou-se em pintura como autodidata (1957). Viajou para diversos países da América Latina (1960-1965) com o objetivo de participar de exposições e acabou se fixando, em 1966, no Rio de Janeiro. Pintou a cúpula da Catedral Municipal e o Hotel Porto Velho em Porto Velho, RO (1962 e 1965). Expôs individualmente em diversas capitais brasileiras e também no exterior. Participou de muitas mostras e Salões oficiais e foi premiado em: Curitiba, PR (1971); Rio de Janeiro (1970, 1973, 1975, 1977, 1978); Belo Horizonte, MG (1970, 1971); Campinas, SP (1971, 1972); Florianópolis, SC (1972); Niterói, RJ (1974); Embu, SP (1974); Amparo, SP (1994, 1996); São José dos Campos, SP (1983). JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 834; VOL. 4, PÁG. 959; VOL. 12, PÁG. 345; TEIXEIRA LEITE PÁG. 450. WALMIR AYALA VOL. 2, PÁG. 259; MEC VOL. 4, PÁG. 91; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.artprice.com.



395 - HELENA PEREIRA DA SILVA OHASHI (1895 - XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Paisagem - óleo sobre tela colada em madeira - 24 x 32 cm - canto inferior direito - 1948 - Japão -

Paulistana, Helena era filha do pintor Oscar Pereira da Silva, de quem recebeu seus primeiros conhecimentos artísticos. Em 1929 seguiu para Paris, onde aperfeiçoou-se em pintura com Jean Paul Laurens. Casou-se com o pintor Kai Ohashi, em Paris, passando a residir em Kobe, Japão. Expôs em Paris (1933), no SNBA-RJ (1936), e no SPBA (1940), e individualmente no Brasil, em 1940, apresentando trabalhos executados no Japão. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 689, RUTH TARASANTCHI.



396 - CARLOS OSWALD (1882 - 1971)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

"Richard Wagner" - gravura - 28,5 x 19,5 cm - canto inferior direito -
Reproduzido na página 55 do livro "Carlos Oswald" editado pelo Museu Nacional de Belas Artes - Rio de Janeiro, RJ. No estado (papel manchado).

Gravador, pintor, desenhista, decorador, professor e escritor. Nasceu em Florença, Itália e faleceu em Petrópolis, RJ. Graduou-se como físico-matemático em 1902, pelo Instituto Galileo Galilei, em Florença. No ano seguinte, ingressou na ‘Accademia di Belle Arti di Firenze’. Viajou para o Brasil pela primeira vez em 1906 e realizou no Rio de Janeiro a primeira exposição individual no país. Retornou à Europa em 1908, estudou gravura com o americano Carl Strauss em Florença e viajou para Munique, onde aprendeu a técnica da água-forte. Em 1911, participou da decoração do pavilhão do Brasil, na Exposição Internacional de Turim. Fez a segunda viagem ao Rio de Janeiro em 1913 e realizou uma exposição com Eugênio Latour na Escola Nacional de Belas Artes . Foi nomeado, em 1914, professor de gravura e desenho no Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro e é considerado o introdutor da gravura no Brasil. No ano de 1930, fez o desenho final do ‘Monumento ao Cristo Redentor’. A obra foi executada na França pelo escultor Paul Landowski e instalada no Morro do Corcovado, Rio de Janeiro, em 1931. Publicou, em 1957, a autobiografia ‘Como Me Tornei Pintor’. Em 1963, o Museu Nacional de Belas Artes - RJ adquiriu quase todas as suas obras em gravuras. Participou de muitas mostras coletivas e Salões oficiais e foi premiado no Rio de Janeiro em 1904, 1906, 1909, 1912, 1913, 1916 e realizou diversas exposições individuais. PONTUAL, PÁG. 397; ARTE NO BRASIL, VOL. 2, PÁG. 1053; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 446; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 699; MEC VOL. 3, PÁG. 304; ACERVO FIEO.



397 - LÉOPOLD SURVAGE (1879 - 1968)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.100,00.

Namorados - óleo sobre tela - 75 x 44 cm - centro inferior -
No estado (limpeza necessária e pequeno furo). (Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Pintor, desenhista, gravador, ilustrador, decorador de teatro nascido em Moscou, Rússia e falecido em Paris. Filho de pai finlandês e mãe dinamarquesa. Estudou na Escola de Belas Artes de Moscou com Larionov, Robert Falk, Soudéikine, Archipenko, Pevsner. Começou a expor junto ao grupo 'La Rose Bleue' (1905). Foi para Paris em 1908, matriculou-se na Academia de Matisse e frequentou o 'Salon de Helen d'Ottinger' onde Picasso, Braque, Modigliani e Marcoussis eram visitantes regulares. Expôs no Salão dos Independentes, Paris (1914) e junto com Gleizes e Archipenko reorganizou o 'Salon de La Section d'Or' (1919). Realizou uma série de exposições individuais, em Paris, na Galeria Bougard (1917), na Galeria 'L’Effort Moderne' de Léonce Rosenberg (anos de 1920): 'L’Effort Moderne'; 'Les Maîtres du Cubisme'; 'Synthèse et Construction'; e no exterior, destacando-se: 'Chicago Arts Club' (1925); 'Kraushaar Gallery', Nova York (1927); 'Modern French Painting', Moscou (1928); 'Knoedler Gallery', Nova York (1929); 'Painting in Paris', MOMA Nova York (1930); 'Avant-Garde Artists', Tókio (1933). Em seus principais prêmios, incluem-se: Medalha de Ouro na Exposição Internacional de Paris (1937), Medalha de Ouro na Trienal de Milão (1928), Prêmio da Fundação Solomon Guggenheim (1960), 'Légion d’Honneur' (1963). Colaborou com Stravinsky e Diaghilev para o projeto de decoração do ballet Mavra. BENEZIT VOL. 10, PÁG. 15; www.whitfordfineart.com; www.moma.org; www.artprice.com; www.artnet.com; artist.christies.com.



398 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Flores - óleo sobre tela - 47 x 55 cm - não assinado -
No estado (pintura craquelada).



399 - NOEMIA MOURÃO (1912 - 1992)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 650,00.

Moça - aquarela - 30 x 22 cm - canto inferior direito -

Pintora e desenhista. Assina Noemia. Realizou sua primeira individual em 1934, no Rio de Janeiro. Residiu na Europa de 1934 a 1940, frequentando em Paris as academias de la Grande Chaumière e Ranson. Expôs em Montevideu e Buenos Aires. Foi citada por REIS JUNIOR e TEODORO BRAGA. Foi aluna (1932) e mulher (1933) de Di Cavalcanti. MEC vol.3, pág. 265; WALMIR AYALA vol.2, pág.135; PONTUAL, pág. 375; TEIXEIRA LEITE, pág. 356; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 684. Acervo FIEO.



400 - MARIO ZANINI (1907 - 1971)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 550,00.

Paisagem - óleo sobre tela - 54 x 80 cm - canto inferior esquerdo - 1953 -
Reproduzido na quarta capa do catálogo deste Leilão. Com carimbo do Salão Nacional de Belas Artes de 1953, no dorso.

Pintor, decorador, ceramista, professor, Mário Zanini nasceu e faleceu em São Paulo. Foi um dos integrantes de dois importantes movimentos artísticos considerados históricos na pintura paulista: o Grupo Santa Helena e a Família Artística Paulista. Sua formação artística se deu em São Paulo quando aos 13 anos iniciou curso de pintura da Escola Profissional Masculina do Brás e de 1924 a 1926, matriculou-se no curso de desenho e artes do Liceu de Artes e Ofícios. Conheceu Alfredo Volpi em 1927 e no ano seguinte estudou com o pintor Georg Elpons. Trabalhou no escritório de decoração de Francisco Rebolo entre 1933 e 1938. Em 1940 recebeu medalha de prata no 46º Salão Nacional de Belas Artes e foi convidado por Rossi Osir a trabalhar em seu ateliê de azulejos artísticos, o Osirarte. Em 1950, viajou por seis meses pela Itália, em companhia de Volpi e Osir. A partir de 1968 lecionou na Faculdade de Belas Artes de São Paulo. Participou de vários Salões oficiais e mostras coletivas no Brasil, como I e III Bienal Internacional de São Paulo e no exterior. Sua família doou 108 de suas obras ao Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo - MAC/USP em 1974. MEC, VOL. 4, PÁG. 531; PONTUAL, PÁG. 557; TEODORO BRAGA, PÁG. 250; WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 451; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 586; ARTE NO BRASIL, PÁG. 778; LEONOR AMARANTE, PÁG.38; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 1085; ACERVO FIEO.



401 - DAREL VALENÇA LINS (1924 - 2017)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

Maternidade - litografia - 13/42 - 44 x 30 cm - canto inferior direito -

Gravador, pintor, desenhista, ilustrador e professor nascido em Palmares, PE. Estudou na Escola de Belas Artes do Recife, atual Universidade Federal de Pernambuco (entre 1941 e 1942). Mudou-se para o Rio de Janeiro (1946); estudou gravura em metal com Henrique Oswald (1948) e recebeu aconselhamento técnico de Oswaldo Goeldi. Atuou como ilustrador em diversos periódicos: revista 'Manchete'; jornais 'Última Hora' e 'Diário de Notícias'; diversos livros: 'Memórias de um Sargento de Milícias' (1957), de Manuel Antônio de Almeida; 'Poranduba Amazonense' (1961), de Barbosa Rodrigues; 'São Bernardo' (1992), de Graciliano Ramos e 'A Polaquinha' (2002), de Dalton Trevisan. Encarregou-se das publicações da Sociedade dos Cem Bibliófilos do Brasil (entre 1953 e 1966). Lecionou gravura em metal no Museu de Arte de São Paulo - Masp (1951); litografia na Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro (entre 1955 e 1957) e na FAAP, São Paulo (1961 a 1964). Realizou painéis para o Palácio dos Arcos, em Brasília (1968-1969) e para a IBM do Brasil, no Rio de Janeiro (1979). Realizou muitas exposições individuais, destacando-se: Rio de Janeiro (1949, 1963, 1964, 1966, 1968, 1973, 1995); Recife, PE (1951); Itália (1952 – Milão, 1958 - Roma); São Paulo (1953 – MASP, 1960, 1967). Participou de várias mostras e Salões oficiais, entre as quais: Salão Nacional de Arte Moderna (1952 a 1960) onde recebeu Prêmio de Viagem ao País (1952) e Prêmio de Viagem ao Estrangeiro (1957); Bienal Internacional de São Paulo (1961 a 1967) recebendo Prêmio Melhor Desenhista Nacional (1963) e Sala Especial (1965); Gravadores Brasileiros Contemporâneos, EUA (1966); Bienal de Tóquio, Japão (1964); Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa (1988, 1993). MEC VOL.3, PÁG. 18; PONTUAL, PÁG.160; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 313; VOL. 8, PÁG. 246; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 715; ARTE NO BRASIL, PÁG. 839; LEONOR AMARANTE, PÁG. 125; ACERVO FIEO; www.graphias.com.br; www.artprice.com.



402 - ADRIANA XAVIER (XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 850,00.

Meninas - escultura em terracota policromada -
Lote composto de duas esculturas. Medidas: 1ª) 27 x 10 x 10 cm - assinada. 2ª) 26 x 09 x 09 cm - não assinada (no estado).

Artesã da Comunidade de Campo Buriti do Vale do Jequitinhonha, MG com participações em mostras coletivas.



403 - MENASE VAIDERGORN (1927)
Lance Livre - Aguardando oferta

Barco no estaleiro - óleo sobre eucatex - 15 x 23 cm - canto inferior direito -

Pintor nascido em Hotin, Romênia. Assina MVAIDERGORN. Seus pais vieram para o Brasil (1932) fixando residência em São Paulo. Ingressou na Associação Paulista de Belas Artes (fim da década de 1940) onde conheceu Dario Mecatti que muito o estimulou. Viajou pelo norte da África e Europa. Realizou exposições individuais e participou de diversos salões e mostras coletivas oficiais, recebendo diversos prêmios, entre eles: os do Salão Paulista de Belas Artes, SP (1976 - Medalha de Bronze, 2000 – Prêmio Aquisição, 2001 – Grande Medalha de Prata). JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 1011; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.artprice.com.



404 - INGRES SPELTRI (1940)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 300,00.

"Revivendo Miró" - óleo sobre tela - 80 x 74 cm - canto inferior direito -

Pintor, desenhista, escultor, gravador e professor nascido em Jau, SP. Filho do pintor Augusto Speltri com quem se iniciou na pintura, ainda criança. Em 1959 mudou-se para São Paulo onde estudou Música (1960-1964). Foi professor titular da Escola Panamericana de Arte, SP. Realizou exposições individuais, em São Paulo, nos anos de 1977, 1981, 1978, 1984. Participou de várias mostras e Salões oficiais, sendo premiado em: São Paulo (1963, 1966, 1970, 1971); Santo André, SP (1976). JULIO LOUZADA VOL. 5, PÁG. 1012; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; MEC VOL. 4, PÁG. 338; PONTUAL PÁG. 504; www.artprice.com; www.speltri.com.



405 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD (1889 - 1979)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 400,00.

Porto - óleo sobre tela colada em eucatex - 34,5 x 26,5 cm - canto inferior esquerdo - 1972 -

Pintor, gravador, artista gráfico, ilustrador, cenógrafo, crítico, professor, arquiteto e poeta nascido em Santo Antônio de Carangola, RJ e falecido no Rio de Janeiro. Assinava E. P. Sigaud. Formou-se em engenharia agronômica em Belo Horizonte (1920). Frequentou o curso livre da Escola Nacional de Belas Artes (1921) onde foi aluno de Modesto Brocos e, mais tarde, cursou arquitetura (1927 – 1932) na mesma escola. Formou, ao lado de Quirino Campofiorito, Milton Dacosta, Joaquim Tenreiro e José Pancetti, o Núcleo Bernardelli (1931). Ingressou no Grupo Portinari (1935), agremiação informal que se reunia em torno de Candido Portinari e tendo como uma de suas principais linhas de atuação a pintura mural. Tornou-se um dos principais porta-vozes do muralismo ao publicar, no mesmo ano, o artigo "Por que É Esquecida entre Nós a Pintura Mural?", no Jornal de Belas Artes. A convite de seu irmão, o bispo dom Geraldo Sigaud, projetou e decorou a Catedral Metropolitana de Jacarezinho, PR (1954 – 1957). Realizou exposição individual no Rio de Janeiro em 1941. Participou da Exposição Geral de Belas Artes, RJ (1924 a 1927, 1929, 1930); do Salão Nacional de Belas Artes, RJ (1934, 1936, 1942); do Salão Paulista de Belas Artes, SP (1937, 1939); da Bienal Internacional de São Paulo (1951); do Salão Nacional de Arte Moderna, RJ (1962, 1967); entre outras mostras coletivas. PONTUAL PÁG. 489; MEC VOL. 4, PÁG. 243; TEIXEIRA LEITE PÁG. 475 E 476; WALMIR AYALA VOL. 2, PÁG. 324 A 327; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 903; WALTER ZANINI PÁG. 579; ARTE NO BRASIL PÁG. 763, ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.pinturabrasileira.com/artistas_bio.asp?cod=132&in=1; www.artprice.com.



406 - J. BORGES (1935)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Engenho puxado a escravos" - xilogravura - 47 x 66 cm - canto inferior direito - 2010 -

Gravador e pintor, nasceu em Bezerros, PE, em 20/12/1935. Tinha sucesso com seus folhetos de cordel, mas foi a falta de material de ilustração para a capa de seu próximo trabalho que o levou para a xilogravura, passando a ser reconhecido nacional e internacionalmente. Em novembro de 1997 veio para São Paulo como um dos convidados do Encontro da Cultura Brasileira, na exposição O Cordel e a Arte dos Livros, que aconteceu no Salão Arco 2 da Estação Julio Prestes. JULIO LOUZADA, vol 10, pág 127; Acervo FIEO; ITAÚ CULTURAL.



407 - INOS CORRADIN (1929)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 750,00.

"IL turista" - óleo e colagem sobre tela - 80 x 100 cm - canto superior direito e dorso - 2005 -
Esta obra participou da Mostra Due Visioni em Venezia, conforme inscrição no dorso. No estado (pequeno restauro evidente).

Pintor, desenhista, gravador, escultor e cenógrafo, nascido em Vogogna, Itália. Por volta de 1932 mudou-se com a família para Castelbaldo - Padova, onde, em 1945, estudou pintura com professor Tardivello. Em 1947 colaborou com o pintor Pendin na execução de um mural referente aos mártires da resistência italiana em Castelbaldo. Veio, em 1950, para Jundiaí e São Paulo onde fez parte do núcleo artístico Cooperativa em São Paulo, dirigido pelo pintor argentino Oswaldo Gil Navarro. Executou cenários para o Ballet do IV Centenário de São Paulo, em 1954. Em 1979 foi contratado para pintar um cenário para o Teatro de Rovigo, Itália. Realizou diversas exposições individuais, participou de muitas mostras coletivas e Salões oficiais pelo Brasil e pelo mundo. Foi premiado em Paris (1975) e em Ferrara, Itália (1976). JULIO LOUZADA, VOL. 11, PÁG. 152; PONTUAL, PÁG. 143; MEC, VOL. 1, PÁG. 448; WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG. 215; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO; inoscorradin.com.br.



408 - TOMIE OHTAKE (1913 - 2015)
Base: R$ 2.000,00 - Aguardando oferta

Composição - gravura - P.A. - 49 x 70 cm - canto inferior direito - 1989 -

Pintora, gravadora, escultora nascida em Kyoto, Japão e radicada no Brasil desde 1936, país que adotou, inclusive, a cidadania. Fixou-se em São Paulo. Em 1952, iniciou-se em pintura com o artista Keisuke Sugano. No ano seguinte, integrou o Grupo Seibi, do qual participavam Manabu Mabe, Tikashi Fukushima, Flavio - Shiró, Tadashi Kaminagai , entre outros. A partir dos anos 1970, trabalhou com serigrafia, litogravura e gravura em metal. Dedicou-se também à escultura e realizou algumas delas para espaços públicos. Realizou muitas exposições individuais em todo o Brasil e exterior, além de ter participado de diversas mostras e Salões oficiais como: Bienal Internacional de São Paulo (1961, 1963, 1965, 1985, 1989, 1996, 1998); Bienal de Veneza, Itália (1972); Panorama da Arte Atual Brasileira - MAM, SP (1969, 1970, 1973, 1976, 1983, 1986, 1989, 1993). Recebeu, em Brasília, o Prêmio Nacional de Artes Plásticas do Ministério da Cultura - Minc, em 1995 e muitos outros. Em 2000 foi criado o Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo. MEC, VOL. 3, PÁG. 323; JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG. 690; BENEZIT, VOL. 7, PÁG. 791; WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 140; PONTUAL, PÁG. 390; ART PRICE ANNUAL 1990, PÁG. 1464; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 362; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, PÁG. 939; LEONOR AMARANTE, PÁG. 170; WALTER ZANINI, PÁG. 693; ACERVO FIEO.



409 - MANEZINHO ARAUJO (1910 - 1993)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Candomblé - serigrafia - 199/300 - 44 x 59 cm - canto inferior direito -

Com apenas dezesseis anos de idade mudou-se para Recife, a fim de concluir seus estudos. Após cursar a escola de comércio de Pernambuco, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde foi buscar fama através da música, sua primeira paixão. Destacou-se como compositor e intérprete de música popular nordestina, o que lhe valeu a possibilidade de montar um restaurante de comida nordestina em SP, muito famoso durante vários anos, o Cabeça Chata. Apesar de viver, em SP, suas raízes ainda permanecem em Pernambuco. De uma forma autodidata começou a dedicar-se à pintura, retratando o folclore nordestino, sua gente, suas vidas, fase que sustentou até o seu desaparecimento, com uma menção surrealista. Expôs individualmente nas Galerias Astreia e Capela (SP), e na Ranulfo em Recife (1969). Em 1968, apresentado por Aldemir Martins, teve publicado o álbum de serigrafias Meu Brasil. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 56; MEC, vol. 1, pág. 109; PONTUAL, pág. 38; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 18; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 832; Acervo FIEO.



410 - ANTONIO BANDEIRA (1922 - 1967)
Base: R$ 60.000,00 - Temos oferta de: R$ 88.000,00.

Composição - óleo sobre tela - 38,5 x 48,5 cm - canto inferior direito e dorso - 1962 -
Reproduzido na capa do catálogo e no convite deste Leilão. Com Certificado de Autenticidade nº IAB - 1076 do Instituto Antonio Bandeira. Declaração de Autenticidade firmada pela Galeria Paulo Prado e, por Pietro Maria Bardi, Fundador do MASP - Museu de Arte de São Paulo - , datada de 30 de agosto de 1983. Ficha técnica nº 1241/83 da Galeria Paulo Prado, na qual constam as procedências da obra. Com carimbos da Petite Galerie - Praça General Ozório 53, Rio de Janeiro - RJ, da Galeria Mirante das Artes e etiqueta da Galeria Paulo Prado - São Paulo - SP, no dorso.

Pintor, desenhista, gravador, nascido em Fortaleza, CE e falecido em Paris, onde viveu a maior parte de sua vida. É um dos pioneiros da arte abstrata no Brasil. Iniciou-se na pintura como autodidata. Em 1941, em Fortaleza, participou, ao lado de Mário Baratta, entre outros, da criação do Centro Cultural de Belas Artes depois, Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Em 1945, transferiu-se para o Rio de Janeiro e, no ano seguinte, realizou sua primeira exposição individual. Contemplado pelo governo francês com bolsa de estudos, permaneceu em Paris de 1946 a 1950 onde frequentou a Escola Nacional Superior de Belas Artes e a ‘Académie de la Grande Chaumière’. Entre 1947 e 1948 participou do ‘Salon d'Automne’ e do ‘Salon d'Art Libre’. Tomou parte em reuniões de artistas e formou o Grupo Banbryols (ban de Bandeira; bry de Camille Bryen; e ols de Wols), que durou de 1949 a 1951. Voltou ao Brasil em 1951 e apresentou-se na 1ª Bienal Internacional de São Paulo. Em 1952, criou um mural para o Instituto dos Arquitetos do Brasil, em São Paulo. Retornou a Paris em 1954 em razão do Prêmio Fiat, obtido na 2ª Bienal Internacional de São Paulo, mas não deixou de expor no Brasil. Permaneceu na Europa até 1959, passando pela Inglaterra e Bélgica, onde, em 1958, realizou um painel para o ‘Palais des Beaux-Arts’. Ao retornar ao Brasil teve uma atividade artística intensa, participou de importantes exposições, em paralelo a mostras em Paris, Munique, Verona, Londres e Nova York. Voltou a Paris em 1965, onde permaneceu até sua morte. BENEZIT, VOL.1, PÁG.415; MEYER/87, PÁG.606; MEC, VOL.1, PÁGS.159,160 E 167; PONTUAL, PÁGS. 48 E 49; WALMIR AYALA, VOL.1, PÁGS. 71 A 74; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 52 A 54; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 637; ARTE NO BRASIL, PÁG. 599; LEONOR AMARANTE, PÁG. 34; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 86; ACERVO FIEO; web.artprice.com; pitoresco.com; pinturabrasileira.com.



411 - FERNANDO ODRIOZOLA (1921 - 1986)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

Composição - xilogravura - 33 x 23 cm - canto inferior direito - 1962 -

Fernando Pascual Odriozola nasceu em Oviedo, Espanha e faleceu em São Paulo. Pintor, desenhista e gravador. Começou a pintar em 1936. Veio para o Brasil em 1953 e fixou residência em São Paulo. No ano seguinte, realizou sua primeira exposição individual na Galeria Portinari. O Museu de Arte Moderna de São Paulo dedicou-lhe outra individual, em 1955. Na década de 1960, lecionou no Instituto de Arte Contemporânea da Fundação Armando Álvares Penteado e colaborou como ilustrador nos jornais O Estado de S. Paulo e Diário de S. Paulo, e na revista Habitat. Em 1964, integrou, com Wesley Duke Lee , Yo Yoshitome e Bin Kondo , o Grupo Austral, ligado ao movimento internacional Phases. Participou das 7ª, 8ª, 9ª, 12ª, 13ª, 14ª, 15ª e 18ª Bienais Internacionais de São Paulo onde foi premiado na 7ª, 8ª, e 14ª edição; da 7ª Bienal de Tóquio; dos 2º e 5º Panoramas da Arte Atual Brasileira, entre outras. No ano de seu falecimento, o Centro Cultural São Paulo (CCSP) realizou uma exposição retrospectiva póstuma em sua homenagem. JULIO LOUZADA VOL.11, PÁG. 231; MEC VOL.3, PÁG.291; PONTUAL PÁG. 389; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 737; ARTE NO BRASIL PÁG.907; LEONOR AMARANTE PÁG. 143; ACERVO FIEO.



412 - MANOEL SANTIAGO (1897 - 1987)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.400,00.

Marinha - óleo sobre tela - 38 x 55 cm - canto inferior direito e dorso -

Manoel Colafante Caledônio de Assumpção Santiago nasceu em Manaus, AM e faleceu no Rio de Janeiro. Pintor, desenhista e professor. Mudou-se para Belém em 1903 e iniciou estudos de pintura. Desde 1916 já praticava a arte não figurativa. Em 1919 transferiu-se para o Rio de Janeiro, cursou Direito e frequentou a Escola Nacional de Belas Artes, onde foi aluno de Rodolfo Chambelland e Baptista da Costa. Na época, teve aulas particulares com Eliseu Visconti. Foi casado com a pintora Haydeá Santiago. Participou em 1927 do Salão Nacional de Belas Artes e recebeu o prêmio viagem ao exterior, entre vários outros. Foi para Paris no ano seguinte, e lá permaneceu por cinco anos. De volta ao Rio de Janeiro, em 1932, tornou-se professor do Instituto de Belas Artes. Em 1934, passou a lecionar pintura e desenho no Núcleo Bernardelli, figurando entre seus alunos José Pancetti, Edson Motta, Bustamante Sá, Ado Malagoli, Rescála e Milton Dacosta. Participou da I Bienal Internacional de São Paulo (1951) e do 8º Panorama da Arte Brasileira (1976). PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, VOL. 1, PÁG. 241; TEODORO BRAGA, PÁG. 211; CATÁLOGO DA EXPOSIÇÃO DE PAISAGEM BRASILEIRA, MEC-MNBA /RIO/1944; MAYER/84, PÁG. 1158; REIS JR, PÁG. 378; PONTUAL, PÁG. 473; WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 292; ITAÚ CULTURAL, JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 865; ACERVO FIEO.



413 - VÉIO (1948)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 700,00.

Mulher rendeira - escultura em madeira - 9,5 x 6,5 x 07 cm - assinado -

Escultor, Cícero Alves dos Santos nasceu em Nossa Senhora da Glória, SE. Começou a brincar com formas aos seis anos. Construía a partir da sua imaginação utilizando cera de abelha. Ganhou o apelido ainda criança, por estar sempre na companhia de pessoas mais velhas, a quem dava atenção e ouvia suas histórias. Preocupado em conservá-las, criou em seu sítio, em Feira Nova, SE – o Museu do Sertão. Realizou exposições individuais em: Natal, RN (1986); Belo Horizonte, MG (1991); Aracaju, SE (1999, 2003); Rio de janeiro (2006, 2017); Diadema, SP (2010); Veneza, Itália (2015); Londres, Inglaterra (2016); São Paulo (2010, 2014, 2015, 2017, 2018). Participou de diversas mostras coletivas. ITAU CULTURAL; www.galeriaestacao.com.br/artista/7; cultura.estadao.com.br/noticias/artes,veio-traz-demonios-do-sertao-para-exposicao-em-sao-paulo,70002225464.



414 - GERARDO DE SOUSA (1950)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

"Repentistas - violeiros" - óleo sobre tela - 101 x 148 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 2004 - Rio de Janeiro -
(Atenção clientes que não residem em São Paulo: transporte especial devido ao tamanho. Consulte-nos antes de dar seu lance) . No estado (arranhado).

Pintor, Gerardo Luiz de Sousa nasceu em Guaraciaba do Norte, CE. Assina Gerardo de Sousa. Ativo no Rio de Janeiro onde, em 1973, começou a expor seus trabalhos na Feirarte, Praça General Osório. Realizou exposições individuais no: Rio de Janeiro (1974 a 1978, 1980, 1985, 1987); Niterói, RJ (1979, 1983), Teresópolis, RJ (1982). Participou de várias mostras coletivas e Salões oficiais no Rio de Janeiro e pelo o Brasil. No exterior expôs em: Milão (1975); San Salvador, Caracas, Toronto e Nova York (1976); Nova Jersey e Genebra (1977); Santiago do Chile (1979); Paris (1986); Tóquio (1989); Eslováquia (1994). Foi premiado no Rio de Janeiro (1974) e em Piracicaba, SP (1992). MEC VOL. 4, PÁG. 313; JULIO LOUZADA VOL. 11, PÁG. 306.



415 - ERNESTO QUISSAK (1891 - 1960)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Na praia - óleo sobre eucatex - 48 x 61 cm - canto inferior esquerdo - 1959 -
No estado (limpeza necessária).

Pintor, desenhista, fotógrafo, professor, poeta e jornalista - Ernesto Leme Barbosa nasceu e faleceu em Guaratinguetá, SP. Seu pai tinha o apelido de Quiçaça, de onde mais tarde, tirou seu Quissak. Fez seus estudos primários na terra natal. Viajou para o Rio de Janeiro (1906) em busca de aperfeiçoamento no estudo da pintura onde teve aulas com Baptista da Costa e Rodolfo Amoedo. Passou a alternar a residência entre o Rio de Janeiro e Guaratinguetá trabalhando como fotógrafo. Abriu um ateliê fotográfico e deu aulas de pintura. Realizou exposição individual em Guaratinguetá, SP (1917, 1922). Participou de mostras coletivas e oficiais como: Exposição Geral de Belas Artes, Rio de Janeiro (1918, 1921, 1922, 1923 – Menção Honrosa, 1924, 1926, 1927); Salão Paulista de Belas Artes, SP (1934 – Menção Honrosa, 1935 – Menção Honrosa, 1936, 1937, 1939, 1940, 1942 – Medalha de Bronze, 1943); Salão do Instituto de Belas Artes do Rio Grande do Sul (1940 – Medalha de Bronze), entre outros. Foi o primeiro professor de desenho pedagógico oficialmente nomeado no Brasil. Pintou sete telas (1935) para a Igreja Nossa Senhora das Graças, em Guaratinguetá. PONTUAL PÁG. 442; MEC VOL. 4, PÁG. 18; JULIO LOUZADA VOL. 2, PÁG. 848; ITAU CULTURAL; www.brasilartesenciclopedias.com.br/nacional/quissak_ernesto.htm.



416 - FRANS KRAJCBERG (1921 - 2017)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 500,00.

Composição - relevo em papel artesanal - 80 x 60 cm - canto inferior direito - 1982 -
No estado (papel manchado).

Escultor, pintor, gravador e fotógrafo nascido em Kozienice, Polônia. Estudou engenharia e artes na Universidade de Leningrado, Rússia. Durante a Segunda Guerra Mundial perdeu toda a família em um campo de concentração. Mudou-se para a Alemanha, ingressando na Academia de Belas Artes de Stuttgart, onde foi aluno de Willy Baumeister. Chegou ao Brasil em 1948. Em 1951, participou da 1ª Bienal Internacional de São Paulo com duas pinturas. Residiu por um breve período no Paraná, isolando-se na floresta para pintar. Em 1956, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde dividiu o ateliê com o escultor Franz Weissmann. Naturalizou-se brasileiro no ano seguinte. A partir de 1958, alternou residência entre o Rio de Janeiro, Paris e Ibiza. Desde 1972, reside em Nova Viçosa, no litoral sul da Bahia. Ampliou o trabalho com escultura, iniciado em Minas Gerais, utilizando troncos e raízes, sobre os quais realiza intervenções. Viaja constantemente para a Amazônia e Mato Grosso e fotografa os desmatamentos e queimadas, revelando imagens dramáticas. Na década de 1980, iniciou a série ‘Africana’, utilizando raízes, cipós e caules de palmeiras associados a pigmentos minerais. O Instituto Frans Krajcberg, em Curitiba, foi inaugurado em 2003 recebendo a doação de mais de uma centena de obras do artista. No fim de 2008 realizou sua primeira grande exposição individual em São Paulo - 65 esculturas e 40 fotos de queimadas, exibidas no pavilhão da Oca, no Parque do Ibirapuera. TEIXEIRA LEITE, PÁG. 272; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 645; ARTE NO BRASIL, PÁG. 778; LEONOR AMARANTE, PÁG. 18; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 514; VOL. 6, PÁG. 559; MEC VOL. 2, PÁG. 411; PONTUAL PÁG. 293; www.artprice.com; www.eca.usp.br; www.macniteroi.com.br; planetasustentavel.abril.com.br.



417 - MARYSIA PORTINARI (1937)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 400,00.

Menina com boneca - óleo sobre tela - 80 x 50 cm - canto inferior direito -
No estado (limpeza necessária).

Pintora, desenhista, gravadora e escultora, Maria Marysia Portinari Greggio nasceu em Araçatuba, SP. Assina Marysia. Estudou desenho e pintura com Waldemar da Costa e teve aulas sobre história da arte com Flávio Motta, no MASP (1955). Expôs pela primeira vez em São Paulo (1957). No mesmo ano, teve obras expostas em Lisboa e Madri. Vivendo entre São Paulo e Rio de Janeiro, tornou-se assistente e aluna de seu tio, o pintor Candido Portinari. Em 1959, pintou um mural para o Lloyd Seguros Gerais em São Paulo. Foi eleita presidente do Clube dos Artistas e Amigos da Arte, o "Clubinho" (1974). Realizou exposições individuais em: Salvador, BA (1962); São Paulo (1957, 1963, 1964, 1966, 1971, 1976, 1978, 1988, 1989,1990 a 1995, 1999, 2000, 2008); Santos, SP (1978); Londrina, PR (1995); Brasília, DF (2011). Participou de diversas mostras coletivas e Salões oficiais, sendo premiada em São Paulo (1957, 1962 – Salão Paulista de Arte Moderna, 1970). Recebeu, também, o prêmio de "Melhor Pintor do Ano" (1963), concedido pela TV Excelsior e, mais tarde, pela Associação de Imprensa de São Paulo (1971). JULIO LOUZADA, VOL. 1 PÁG. 501; VOL. 4, PÁG. 700; VOL.6, PÁG. 692; VOL. 8, PÁG. 542; VOL. 12, PÁG. 266; ITAU CULTURAL, ACERVO FIEO; brasilartesenciclopedias.com.br; www.artprice.com.



418 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX
Lance Livre - Aguardando oferta

Mulheres - pastel - 29 x 23 cm - canto inferior direito ilegível -



419 - HANSEN BAHIA (1915 - 1978)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

No quarto - xilogravura - 40 x 30 cm - canto inferior direito -

Gravador, escultor, pintor, ilustrador, poeta, escritor, cineasta e professor, Karl Heinz Hansen nasceu em Hamburgo, Alemanha e faleceu em São Paulo. Serviu como soldado (entre 1936 e 1945) na Segunda Guerra Mundial e atuou como ilustrador de histórias infantis. Autodidata, realizou suas primeiras xilogravuras entre 1946 e 1948. Fixando-se sucessivamente na Itália, Suécia, Inglaterra, emigrou para o Brasil em 1950 residindo de início em São Paulo e a partir de 1955 em Salvador. Ilustrou a publicação 'Flor de São Miguel' (1957), com textos de Jorge Amado, Vinicius de Moraes e de sua autoria; 'Navio Negreiro' (1958), de Castro Alves. Em homenagem à Bahia passou a assinar seus trabalhos como Hansen-Bahia a partir de sua volta à terra natal em 1959. Lá permaneceu até 1963, enquanto trabalhou no ateliê de gravura fundado por ele mesmo no castelo Tittmoning. Viveu na Etiópia (entre 1963 e 1966) onde ajudou a estabelecer a Escola de Belas Artes na cidade de Addis Abeba. Retornou a Salvador e naturalizou-se. Tornou-se professor de artes gráficas da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia (1967). Dois anos antes de sua morte, doou em testamento sua produção artística para a cidade de Cachoeira, Bahia, onde foi criada a Fundação Hansen Bahia que recebeu seu acervo artístico de xilogravuras, matrizes, livros, pinturas, prensas e ferramentas de trabalho. Realizou exposições individuais no: Museu de Arte de São Paulo (1950, 1953, 1966); Museu Nacional de Belas Artes, RJ (1952); Museu de Arte Moderna de São Paulo (1954, 1956); Buenos Aires, Argentina (1954, 1955, 1958), entre outras. Participou de muitas mostras coletivas e oficiais como: Bienal Internacional de São Paulo (1951, 1961); Salão Nacional de Arte Moderna (1954, 1955). PONTUAL PÁG. 260; MEC VOL. 1, PÁG. 157; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 81; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 720; ARTE NO BRASIL, PÁG. 842; ACERVO FIEO, PÁG. 251; www.hansenbahia.com.br; www.artprice.com.



420 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA (1909 - 1996)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 600,00.

Bois - óleo sobre madeira - 32 x 42 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1979 -
No estado (limpeza necessária).

Pintor, desenhista, escritor, escultor, repentista nascido em Sales de Oliveira, SP e falecido em São Paulo. Trabalhador rural, de pouca formação escolar, foi autodidata. Em 1931, mudou-se para São José do Rio Preto, SP. Participou da exposição de inauguração da Casa de Cultura da cidade (1946), quando suas pinturas chamaram atenção dos críticos Lourival Gomes Machado, Paulo Mendes de Almeida e do filósofo João Cruz e Costa. Dois anos depois, realizou mostra individual na Galeria Domus, SP. Nessa ocasião Pietro Maria Bardi, diretor do MASP, adquiriu seus quadros e depositou parte deles no acervo do museu. O MAM, SP editou seu primeiro livro, ‘Romance de Minha Vida’ (1949). Na 1ª Bienal Internacional de São Paulo (1951), recebeu prêmio aquisição do ‘Museum of Modern Art’ (MoMA) de Nova York. Em 1966, o artista criou o Museu Municipal de Arte Contemporânea de São José do Rio Preto e gravou dois LPs, ambos chamados ‘Registro do Folclore Mais Autêntico do Brasil’, com composições de sua autoria. No mesmo ano, ganhou Sala Especial na 33ª Bienal de Veneza. Publicou ainda os livros ‘Maria Clara’ (1970), ‘Alice’ (1972); ‘Sou Pintor, Sou Poeta’ (1982); e ‘Fazenda da Boa Esperança’ (1987). Transferiu-se de São José do Rio Preto para São Paulo, em 1973. Em 1980, foi fundado o Museu de Arte Primitivista José Antônio da Silva (MAP), em São José do Rio Preto, com obras do artista e peças do antigo Museu Municipal de Arte Contemporânea. Realizou inúmeras exposições individuais e participou de muitos certames oficiais pelo Brasil e exterior recebendo muitos prêmios. MEC, vol. 4, pág. 256; PONTUAL, pág. 493 e 494; TEIXEIRA LEITE, pág. 478; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 958; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 958; BENEZIT, vol. 9, pág. 602; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 227; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 171; Acervo FIEO.



421 - CLAUDIO TOZZI (1944)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.000,00.

Composição - serigrafia - 75/100 - 47 x 67 cm - canto inferior direito -

Pintor, arquiteto e gravador, Claudio José Tozzi nasceu em São Paulo. É mestre em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Realizou diversas exposições individuais. Participou, entre várias mostras e Salões oficiais, da Bienal Internacional de São Paulo em 1967, 1969, 1977, 1985, 1989, 1991; do Panorama da Arte Atual Brasileira em 1971, 1973, 1976, 1977, 1979, 1980, 1983; da Bienal de Veneza em 1976; da Bienal de Paris em 1980. Criou painéis para espaços públicos de São Paulo, como: ‘Zebra’, colocado na lateral de um prédio da Praça da República; na Estação Sé do Metrô, em 1979; na Estação Barra Funda do Metrô, em 1989; no edifício da Cultura Inglesa, em 1995 e, no Rio de Janeiro, na Estação Maracanã do Metrô Rio, em 1998. WALMIR AYALA VOL.2, PÁG.388; PONTUAL PÁG.525; TEIXEIRA LEITE PÁG. 512; ARTE NO BRASIL VOL.2, PÁG.1059; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 740; LEONOR AMARANTE PÁG. 170; ACERVO FIEO; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 992; www.eca.usp.br; www.pinacoteca.org.br.



422 - WALTER LEWY (1905 - 1995)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Paisagem surreal - óleo sobre tela - 110 x 100 cm - canto inferior direito - 1991 -
No estado (limpeza necessária).

Gravador, pintor, ilustrador, paisagista, desenhista e publicitário nascido em Bad Oldesloe, Alemanha e falecido em São Paulo. Estudou na Escola de Artes e Ofícios de Dortmund, Alemanha (1923-1927). Nesse período, filiou-se à tendência do realismo mágico. Em 1928 participou de coletivas em Dortmund, Gelsenkirchen, Boclusim e outras cidades. Com a crise econômica de 1929, Lewy perdeu seu emprego de desenhista numa gráfica e foi viver com os pais no interior, tornando-se ilustrador de anedotas em jornais. Realizou sua primeira exposição individual em Bad Lippspringe (1932), mas foi fechada quando a Câmara de Arte Alemã proibiu a participação de judeus na vida artística. Escapando dessa situação opressora, o artista imigrou para o Brasil (1938), retomando profissionalmente a pintura. Deixou para trás centenas de trabalhos, que foram enviados para a Holanda e perdidos durante os bombardeios da Segunda Guerra Mundial (1939-1945). No Brasil, fixou-se em São Paulo. Nos primeiros anos fez desenho publicitário e mais tarde capas de livros e ilustrações para diversas editoras. Ilustrou obras de Bertrand Russell, Machado de Assis e Arnold Toynbee, entre outras. Mais tarde, empregou-se como diagramador, letrista e arte-finalista nas agências de propaganda De Carli, Lintas Publicidade, Martinelli, Santos & Santos e Thompson Propaganda. Participou de Salões Nacionais e Bienais de São Paulo, entre 1951 e 1965, recebendo diversas premiações oficiais. JULIO LOUZADA, VOL. 10, PÁG. 497; MEC, VOL. 2, PÁG. 474; TEODORO BRAGA, PÁG. 245; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 286; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 630; LEONOR AMARANTE, PÁG. 142; ACERVO FIEO.



423 - ELISEU D'ANGELO VISCONTI (1866 - 1944)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

"Nu feminino" - sangüínea - 22,5 x 16 cm - canto inferior direito -
Registrado no Projeto Eliseu Visconti sob número "D584". No estado (papel manchado).

Considerado o maior pintor que trabalhou no Brasil, nasceu na Itália, mas fez sua formação artística na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro e em Paris. Foi sucessivamente, realista, simbolista, adepto do Art Noveau e pós- impressionista, até chegar em algumas paisagens já quase no fim da vida, a uma síntese admirável de todos esses estilos e tendências. Sua obra-prima - e uma das obras- primas da arte brasileira de todos os tempos - é a decoração do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, principamente o friso do foyer, iniciado em 1914. TEODORO BRAGA, pág. 240/241; LAUDELINO FREIRE, págs. 515/ 133/ 151/ 510 e 512; BENEZIT, vol. 10, pág. 535; REIS JR., pág. 293 /300 /304 /371 /375/ 380/ 381/ 388/ 389; MEC, vol. 4, pág. 393; PONTUAL, pág. 543/544/545; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 422 e 423; MAYER/84, pág. 1252; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 420; ARTE NO BRASIL, pág. 553; LEONOR AMARANTE, pág. 42; Acervo FIEO; F. ACQUARONE, pág. 171.



424 - GUSTAVO ROSA (1946 - 2013)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 300,00.

Pássaro - serigrafia - 136/200 - 27 x 37 cm - não assinado -
Edição póstuma com relevo seco do Instituto Gustavo Rosa.

Pintor, desenhista e gravador, Gustavo Machado Rosa nasceu e faleceu em São Paulo. Realizou a sua primeira exposição individual em São Paulo em 1970, tendo já ganho no ano anterior a medalha de ouro e o prêmio de viagem ao exterior no 1º Festival de Artes Interclubes, no Clube Monte Líbano. Em 1974, estudou gravura com o norte-americano Rudy Pozzati, no Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Álvares Penteado. Em 1979 e 1980 participou da Exposição Brasil-Japão em Tóquio. Expôs, em 1979, no Salão Nacional de Artes Plásticas e, em 1980 e 1983, no Panorama da Arte Atual Brasileira, no MAM - SP. Realizou painéis externos, em 1984, na Rua Bela Cintra e, em 1987, na Rua Mario Ferraz, para Tereza Gureg. Em 1990 participou de exposição coletiva no ‘International Museum of 20th Century Arts’, em Los Angeles, Estados Unidos. Lançou, em 1994, uma grife com o seu nome em Nova York. Em 1998, desenvolveu as capas de cadernos escolares da marca Tilibra. Neste mesmo ano executou uma escultura em homenagem a Maria Esther Bueno, na Praça Califórnia, em São Paulo. Em 2000, montou escultura de um gato, sob o Viaduto Santa Efigênia. Recebeu vários prêmios, expôs e participou de eventos em cidades do Brasil e no exterior como também em Nova York, Massachusetts, Tel-Aviv, Lisboa, Berlim, Hamburgo, Barcelona e Paris. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 274; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO; www.artprice.com; www.mercadoarte.com.br.



425 - DJANIRA DA MOTTA E SILVA (1914 - 1979)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.200,00.

Figura de Candomblé - óleo sobre tela - 41 x 33 cm - canto superior direito -
No estado (pintura craquelada).

Pintora, desenhista, ilustradora, cartazista, cenógrafa e gravadora. Djanira da Motta e Silva nasceu em Avaré, SP e faleceu no Rio de Janeiro, RJ. No final da década de 1930, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde teve suas primeiras instruções de desenho no Liceu de Artes Ofícios e com o pintor Emeric Marcier, hóspede da pensão que Djanira instalou no bairro de Santa Teresa. Os contatos com os artistas Carlos Scliar, Milton Dacosta , Arpad Szenes , Vieira da Silva e Jean-Pierre Chabloz , frequentadores de sua pensão, proporcionaram um ambiente estimulador que a levou a expor no 48º Salão Nacional de Belas Artes, em 1942. No ano seguinte, realizou sua primeira mostra individual, na Associação Brasileira de Imprensa - ABI. Em 1945, viajou para Nova York. De volta ao Brasil, realizou o mural ‘Candomblé’ para a residência do escritor Jorge Amado, em Salvador, e painel para o Liceu Municipal de Petrópolis, no Rio de Janeiro. Entre 1953 e 1954, viajou a estudo para a União Soviética. De volta ao Rio de Janeiro, tornou-se uma das líderes do movimento pelo Salão Preto e Branco, um protesto de artistas contra os altos preços do material para pintura. Realizou em 1963, o painel de azulejos ‘Santa Bárbara’, para a capela do túnel Santa Bárbara, Laranjeiras, Rio de Janeiro. No ano de 1966, a editora Cultrix publicou um álbum com poemas e serigrafias de sua autoria. Realizou muitas exposições individuais e participou de várias mostras e Salões oficiais pelo Brasil, EUA e Europa. Foi premiada no Rio de Janeiro (1943, 1944, 1949, 1950 a 1953, 1955, 1963) e em São Paulo (1951, 1955). Participou da 1ª e da 2ª Bienal Internacional de São Paulo (1951, 1955). Em 1977, o Museu Nacional de Belas Artes - MNBA, realizou uma grande retrospectiva de sua obra. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 336; PONTUAL, PÁG. 181; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 164; MEC, VOL. 2, PÁG 58; WALMIR AYALA, VOL. 1, PÁG, 263; WALTER ZANINI, PÁG. 810; ARTE NO BRASIL, PÁG. 824; ACERVO FIEO.



426 - FERNANDO P (1917 - 2005)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 300,00.

Pássaro - óleo sobre tela colada em eucatex - 40 x 32 cm - canto inferior direito -
No estado (limpeza necessária).

Nascido FERNANDO Clóvis Pereira, em São Luis do Maranhão, MA. Assina suas obras Fernando P. Realizou exposição em 1938 em sua cidade natal, transferindo-se após para o Rio de Janeiro, onde foi discípulo de Santa Rosa. Aperfeiçoou seus estudos em Paris, com André Lothe (pintura) e Gino Severini (mosaico). Expôs regularmente no SNAM-RJ, a partir de 1943, com um grande numero de premiações. JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 377; ITAÚ CULTURAL.



427 - OSWALDO GOELDI (1895 - 1961)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 300,00.

Conversando - xilogravura - 8/12 - 20 x 13,5 cm - canto inferior direito -

Desenhista, gravador, ilustrador e professor nascido e falecido no Rio de Janeiro, filho de Emilio Goeldi, naturalista suíço. Com um ano de idade, mudou-se com a família para Belém, Pará e depois para Berna, Suíça (1905). Em Zurique, ingressou no curso de Engenharia e, em Genebra, matriculou-se na 'Ecole des Arts et Métiers' (1917) mas, abandonou ambos os cursos. A seguir, passou a ter aulas no ateliê de Serge Pahnke e Henri van Muyden. Realizou sua primeira exposição individual (1917), em Berna, quando conheceu a obra de Alfred Kubin, sua grande influência artística e com quem se correspondeu por vários anos. Retornou ao Brasil (1919), trabalhou como ilustrador e realizou sua primeira exposição individual no Rio de Janeiro (1921). Conheceu Ricardo Bampi (1923) que o iniciou na xilogravura. Fez desenhos e gravuras para periódicos e livros como 'Cobra Norato', de Raul Bopp (1937) com suas primeiras xilogravuras coloridas, entre outros. Foi professor na Escolinha de Arte do Brasil (1952) e na Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1955) onde abriu uma oficina de xilogravura. Exposições individuais em: Berna, Suíça (1917, 1930); Rio de Janeiro (1921); Belém, PA (1938); São Paulo (1951); Paris (1952). Participou de várias exposições coletivas e mostras oficiais, destacando-se: Exposição itinerante da 'International Business Machine Corporation', EUA (1941 a 1944); 'Exhibition of Modern Brazilian Paintings', Inglaterra (1943, 1944, 1945); Bienal Internacional de São Paulo (1951 - Prêmio de Gravura, 1953 - Sala Especial, 1955, 1961, 1969, 1971, 1979, 1985); Bienal de Veneza (1950, 1952, 1956, 1958); Bienal de Gravura, Checoslováquia (1950); Bienal Internacional de Xilogravura, Tóquio (1952); Bienal Interamericana do México, Cidade do México (1960 - I Prêmio Internacional de Gravura). PONTUAL PÁG.240; JULIO LOUZADA VOL.11, PÁG.130; MEC VOL.2, PÁG.271; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG.521; ARTE NO BRASIL PÁG. 672; ACERVO FIEO; www.oswaldogoeldi.org.br; www.centrovirtualgoeldi.com; www.pinacoteca.org.br; www.artprice.com.



428 - VITALINO NETO (XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 500,00.

Rumo ao mercado - escultura em terracota - 13 x 16 x 10 cm - assinado -

Ceramista de Caruaru-PE, o autor é neto e herdeiro da arte do grande Mestre Vitalino. Citado no livro O REINADO DA LUA, Escultores Populares do Nordeste, de Silvia Rodrigues Coimbra e Outros, Ed. Salamdra, 1980.



429 - EUNICE FIGUEIRA (XX)
Lance Livre - Aguardando oferta

Nus - guache - 30 x 22 cm - canto inferior direito - 2006 -

Filha do escultor e pintor Joaquim Lopes Figueira, que fez parte do Grupo Santa Helena. Cumpriu seus estudos artísticos com os professores Nico Rossa / Luigi Neviani na Escola Panamericana de Arte no ano de 1971 / 73.Continuou seus estudos de desenho e pintura com o professor Menacho Martins. Contemporaneamente freqüentou o curso de Modelagem - Escultura no Liceu de Artes e Ofícios com o professor Reidan. Em 1987, participou da Exposição na II Expo Brasil Portugal.



430 - DARIO MECATTI (1909 - 1976)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

Rua Árabe - óleo sobre tela - 47 x 34 cm - canto inferior direito -
No estado (limpeza necessária).

Pintor e desenhista nascido em Florença, Itália e falecido em São Paulo, SP. Na Itália recebeu orientação artística de Camillo Innocenti, trabalhou em um banco e pintou cartazes para a sala de cinema de seu primo. Em 1933, mudou-se para a África, onde permaneceu por aproximadamente sete anos viajando pelo norte do continente. Neste período conheceu a Líbia, Ilha de Malta, Tunísia, Turquia, Argélia, Marrocos, além de Portugal e Espanha. Durante a viagem retratou cenas destes países e realizou algumas exposições com o pintor florentino Renzo Gori, com quem residiu por pouco tempo em Paris. Em 1939, conheceu a Ilha de São Miguel, nos Açores e lá encontrou Maria da Paz com quem posteriormente se casou. No ano de 1940, mudou-se para o Brasil, passou pouco tempo no Rio de Janeiro e depois um período em Minas Gerais, onde visitou as cidades de Belo Horizonte, Juiz de Fora e Ouro Preto. Mudou-se no final do ano para São Paulo, onde entre 1941 e 1945, trabalhou na Galeria Fiorentina, na Rua Barão de Itapetininga, de propriedade de Malho Benedetti. Em 1945 conheceu Nicolino Bianco que passou a adquirir os quadros do artista para serem expostos na Loja de Móveis Paschoal Bianco. Apresentou-o para clientes e amigos que passaram a encomendar retratos. Neste período entrou em contato com Ezio Barbini, dono da Galeria Internacional que vendeu regularmente suas obras, além de apresenta-lo a um grupo de jovens artistas a quem orientou. Em 1946 construiu na Rua Feliciano Maia a sua casa estúdio, onde realizou exposições individuais anuais, sendo a última no ano de 1976, data de seu falecimento.Também pintou sob os pseudônimos de: Felice, G. Felice, Giordano Felice, Giord, N. Giordane, N. Giordani, Nizza e A. Gelli. TEODORO BRAGA, PÁG. 161/2; MEC, VOL. 3, PÁG. 109; PONTUAL, PÁG. 352; WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 72; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 320; ITAÚ CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 611; ACERVO FIEO.



431 - TARSILA DO AMARAL (1890 - 1973)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.100,00.

Paisagem - desenho a nanquim - 14 x 20 cm - canto inferior direito -
No estado (papel manchado).

Pintora e desenhista, Tarsila do Amaral nasceu em Capivari, SP e faleceu em São Paulo. Estudou escultura com William Zadig e com Mantovani, em 1916, na capital paulista. No ano seguinte teve aulas de pintura e desenho com Pedro Alexandrino, onde conheceu Anita Malfatti. Ambas tiveram aulas com o pintor Georg Elpons. Em 1920 viajou para Paris e estudou na ‘Académie Julian’ e com Émile Renard. Ao retornar ao Brasil formou em 1922, em São Paulo, o Grupo dos Cinco, com Anita Malfatti, Mário de Andrade, Menotti del Picchia e Oswald de Andrade. Em 1923, novamente em Paris, frequentou o ateliê de André Lhote, Albert Gleizes e Fernand Léger. Foi a criadora de duas das principais tendências ou movimentos de nossa arte nacionalista: o Pau Brasil e o Antropofagia. A convite da Comissão do IV Centenário de São Paulo fez, em 1954, o painel ‘Procissão do Santíssimo’ e, em 1956, entregou ‘O Batizado de Macunaíma’, sobre a obra de Mário de Andrade, para a Livraria Martins Editora. A retrospectiva Tarsila: 50 Anos de Pintura, organizada pela crítica de arte Aracy Amaral e apresentada no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo , em 1969, ajudou a consolidar a importância da artista. TEODORO BRAGA, PÁG. 220; REIS JR., PÁG.388; WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 365; MEC, VOL. 4, PÁG. 370; PONTUAL, PÁG. 511; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 492; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 389; ARTE NO BRASIL, PÁG. 577; LEONOR AMARANTE, PÁG. 24; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 958.



432 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 450,00.

Paisagem - óleo sobre tela colada em eucatex - 47 x 64 cm - canto inferior direito -
Ivonet, 1977.



433 - J. CARLOS (1884 - 1950)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 850,00.

"Capa da revista Para Todos" - técnica mista sobre cartão - 36 x 27 cm - canto inferior esquerdo -

Chargista, caricaturista, desenhista, pintor, ilustrador, José Carlos de Brito Cunha nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi um dos formadores da tradição da charge brasileira ao lado de Raul Pederneiras e K.Lixto, e criador de tipos como a negrinha 'Lamparina', a 'Melindrosa' e o 'Almofadinha'. Autodidata, iniciou a carreira de caricaturista ainda estudante, quando publicou um de seus desenhos na revista 'O Tagarela' (1902). Em seguida, passou a colaborar regularmente com a revista e no ano seguinte desenhou sua primeira capa na publicação. Colaborou em muitos órgãos da imprensa carioca como 'O Tico Tico', 'Fon-Fon', 'Careta', 'A Cigarra', 'Vida Moderna', 'Eu Sei Tudo', 'Revista da Semana' e 'O Cruzeiro'. Entre 1922 e 1930, exerceu o cargo de diretor artístico das empresas 'O Malho', onde iniciou uma grande série de charges de caráter político, satirizando fatos e personalidades nacionais e estrangeiras. A vertente política foi explorada pelo artista desde o início de sua carreira, sendo ele o responsável pela execução de uma série de charges antibelicistas executadas no período abrangido pelas duas grandes guerras e principalmente durante os dois governos de Getúlio Vargas (1883 - 1954). Esses trabalhos foram publicados principalmente na revista 'A Careta'. Também fez esculturas, foi autor de teatro de revista e letrista de música popular. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646; ITAU CULTURAL; www.ims.com.br; www.dec.ufcg.edu.br; www.artprice.com.



434 - VALDIR FÉLIX SABINO (1960)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Porto Árabe" - óleo sobre tela - 40 x 50 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 11/1993 -
No estado (limpeza necessária).

Pintor, assina V. FELIX SABINO. Aos 17 anos começou a pintar os lugarejos e paisagens onde morava. Estudou pintores clássicos autodidaticamente e se pôs a elaborar de formas diversas suas naturezas mortas, paisagens e retratos. Sua preocupação é retratar a natureza de forma sutil e elegante, aproveitando os temas naturais da região mineira. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 911



435 - ELEONORA DE FIGUEIREDO (XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

Cebolas - óleo sobre tela - 33 x 41 cm - canto inferior esquerdo - 1958 -
No estado (desprendimento de tinta).

Pintora e desenhista ativa no Rio de Janeiro. Estudou com Gastar Coelho de Magalhães e Rodolfo Chambelland. Participou de diversas mostras coletivas oficiais sendo premiada no: Salão Nacional de Belas Artes, RJ (1957,1965); Salão da Academia Valenciana de Letras, Valença - RJ (1961, 1964, 1968, 1969, 1971, 1973); Salão Feminino da Sociedade Brasileira de Belas Artes, RJ (1966, 1971); Salão de São Lourenço, MG (1967, 1971, 1972); Salão da Sociedade de Belas Artes Antonio Parreiras, Juiz de Fora – MG (1967, 1970); Salão da Sociedade dos Artistas Nacionais, RJ (1968, 1970); I Salão da Maçonaria do Rio de Janeiro (1973). MEC VOL. 2, PÁG. 174.



436 - SILVIA DE LEON CHALREO (1905 - 1991)
Lance Livre - Aguardando oferta

Mulheres - desenho a lápis de cor e guache - 11,5 x 15 cm - canto inferior direito -
Com dedicatória no dorso.

Pintora, crítica de arte, professora, escritora, ilustradora, tradutora e jornalista nascida e falecida no Rio de Janeiro. Assina Silvia. Autodidata. Seu interesse pela pintura de temática popular começou nos anos 40, e já em 1943 suas telas eram aceitas pelo júri do Salão Nacional de Belas Artes, RJ, na sua Divisão Moderna, obtendo Menção Honrosa (1943), Medalha de Bronze (1947), Medalha de Prata (1948), bem como Isenção de Júri, entre outros prêmios. Expôs individualmente em: São Paulo (1945, 1972); Rio de Janeiro (1978, 1984); Curitiba, PR (1979); Brasília, DF (1979). Participou de mostras coletivas e oficiais como: Salão Nacional de Belas Artes, RJ (1941, 1943 a 1950); Salão Municipal de Belas Artes, RJ (1949, 1950, 1954, 1955); "Bienal Interamericana de Pintura y Grabado", Cidade do México – México (1958); Grande Exposição de Arte Naïf Brasileira, SP (1994); Bienal Naïfs do Brasil, Piracicaba – SP (2002); e outras, inclusive nos EUA e Europa. TEIXEIRA LEITE, PÁG. 482; JULIO LOUZADA, VOL. 1 PÁG. 921; VOL. 2, PÁG. 953; ITAU CULTURAL; www.ardies.com; www.artprice.com.



437 - VITTÓRIO GOBBIS (1894 - 1968)
Lance Livre - Aguardando oferta

Ave - técnica mista sobre papel - 32 x 44 cm - centro inferior - 1959 -
No estado (papel manchado).

Pintor, desenhista, gravador e restaurador nascido em Motta di Livrenza, Itália e falecido em São Paulo. Filho e neto de pintor e decorador, frequentou academias em Veneza e Roma, contrariando a opinião do pai que desejava que ele seguisse carreira no comércio. Trabalhou como pintor e restaurador em Veneza até 1923 quando resolveu abandonar a profissão e partir para o Brasil, fixando-se em São Paulo. Em 1931 participou do Salão Revolucionário, realizado por Lucio Costa na Escola Nacional de Belas Artes, RJ. No decorrer da década participou ativamente da cena artística paulistana - tornou-se sócio-fundador da Sociedade Pró-Arte Moderna e do Clube dos Artistas Modernos, criados em 1932; realizou sua primeira mostra individual (1933). Participou, ao lado de Candido Portinari, da "International Exhibition of Painting" (1935) no "Carnegie Institute", Pittsburgh - Estados Unidos. Destaca-se também sua participação como idealizador e membro da Família Artística Paulista; seu envolvimento na criação do Salão de Maio e a proximidade com os artistas do Grupo Santa Helena. Organizou o 1º Salão de Arte da Feira Nacional de Indústrias (1941). Nas décadas de 1930 e 1940, seu próprio ateliê funcionou como um núcleo disseminador de arte. Participou de inúmeras mostras coletivas e oficiais como a I e II Bienal Internacional de São Paulo, entre outras. Foi premiado no Salão Nacional de Belas Artes, RJ (1933, 1935, 1965); Salão Paulista de Belas Artes, SP (1933, 1936, 1956). Em 1965, em função de sua experiência no campo do restauro, foi incumbido de transportar e restaurar o afresco da "Santa Ceia", de Antonio Gomide, que foi doado ao Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo. MEC VOL.2, PÁG.271; TEIXEIRA LEITE PÁG. 220; PONTUAL PÁG.240; WALMIR AYALA VOL.1, PÁG.350; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 423; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 579; ARTE NO BRASIL PÁG. 777, ACERVO FIEO; www.artprice.com.



438 - ANGEL CESTAC (1948)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

"Dos mujeres" - óleo sobre tela - 80 x 65 cm - canto inferior direito e dorso - 1989 -

Argentino da cidade de Azul, Província de Buenos Aires, onde nasceu a 4 de agôsto de 1948. Começou a estudar na ENBA Rogério Irurtina, na sua cidade natal. A partir de 1969 estuda na ENBA de Buenos Aires, recebendo o certificado de Mestre Nacional de Artes Plásticas e Professor Nacional de Pintura. Ativo em São Paulo, SP, onde reside e expõe individualmente a partir de 1980, e coletivamente desde 1979. JULIO LOUZADA, vol. 5, PÁG. 233



439 - PEDRO TORT (1916 - 2006)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Composição - óleo sobre tela - 54 x 65 cm - canto inferior direito -
No estado (pintura craquelada e desprendimento de tinta.).

Pintor espanhol, natural de Barcelona. Fixou residência em São Paulo-SP, em 1952, participando desde logo no SPAM, no qual recebeu premiações (1963 e 1966). Figurou também no SNAM, na 7ª e 9ª Bienal de São Paulo e no SACC. Expôs individualmente em galerias paulistanas (1957, 1962, 1963 e 1965). Tem obras no Museu de Arte Contemporânea de Barcelona e no Museu Paul Klee. PONTUAL, pág. 525; ITAÚ CULTURAL.



440 - EUGÊNIO LATOUR (1874 - 1942)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 1.100,00.

Natureza morta - óleo sobre tela - 48 x 56 cm - canto inferior direito - 1936 - Rio de Janeiro -

Nascido e falecido na cidade do Rio de Janeiro, onde frequentou a ENBA a partir de 1894. Foi aluno de Rodolfo Amoedo, Zeferino da Costa e H. Bernardelli. Expôs no SNBA em diversas oportunidades, recebendo premiações, inclusive de viagem ao exterior. Latour é um pintor da expressão humana, e feminina sobretudo. Cada cabeça sua representa um estado de alma. Aqui tristeza, dor concentrada; ali a despreocupação e o coquetismo. Sua obra é graciosa, sensível e elegante. JULIO LOUZADA, Vol. pág.522, TEIXEIRA LEITE, pág. 278, PONTUAL, pág. 300, ITAÚ CULTURAL, ARTE NO BRASIL, pág. 556.



441 - PABLO PICASSO (1881 - 1973)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 900,00.

Tourada - serigrafia - 38 x 36 cm - não assinado -
(Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Pintor, desenhista, escultor, gravador, ceramista, artista gráfico e designer, Pablo Ruiz Picasso nasceu em Málaga, Espanha e faleceu em Mougins, França. Filho de um pintor e mestre de desenho, foi extraordinariamente precoce dominando o desenho acadêmico ainda na infância. Em 1904 estabeleceu-se em Paris tornando-se o centro de um círculo de artistas e escritores de vanguarda como André Breton, Guillaume Apollinaire e Gertrude Stein. Revolucionário, genial, vanguardista, visionário são elogios que definiram Picasso como um dos mestres da pintura. Sua ampla biografia e sua obra representam a arte do século XX. Embora sua obra seja convencionalmente dividida em fases, Picasso trabalhava numa grande variedade de temas e estilos ao mesmo tempo. Sua pintura “Les Demoiselles d’Avignon” (1906-7) é tida como o marco mais importante no desenvolvimento da pintura contemporânea e o primeiro prenúncio do cubismo que desenvolveu em íntima associação com Braque e depois com Gris. Sua obra mais famosa “Guernica” (1937), pintada para o pavilhão espanhol da Exposição Universal de Paris de 1937, expressa toda sua revolta e horror à destruição de Guernica, capital do país basco, durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939). No campo da escultura foi um dos primeiros artistas a compor esculturas a partir da montagem de materiais variados (e não por modelagem ou entalhe) e fez uso brilhante de objetos encontrados. Também como artista gráfico inclui-se entre os maiores do século. Existem museus consagrados à sua obra em Paris e Barcelona, e outros exemplos de sua inigualável produção distribuem-se por museus do mundo inteiro. Foi o primeiro artista vivo a expor suas obras no Museu do Louvre, quando completou 90 anos. BENEZIT VOL.8, PÁG. 297; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 763; ITAÚ CULTURAL; COLEÇÃO FOLHA GRANDES MESTRES DA PINTURA VOL. 6; infoescola.com; guggenheim.org; moma.org; a rtprice.com; arcadja.com; christies.com.



442 - ANTONIO PESSOA (1943)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Casal - escultura em bronze - 22 x 09 x 08 cm - assinado -

Escultor, assina Tonny. Radicado no Rio de Janeiro detentor de bom curriculo nacional e internacional com inumeras participações em Salões Oficiais,varias vezes premiado. Ótimo mercado.



443 - MARCIO SCHIAZ (1965)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 250,00.

Paisagem - óleo sobre eucatex - 24 x 33 cm - canto inferior direito e dorso - 2019 - Ouro Preto -

Pintor e desenhista, Márcio Bueno de Souza nasceu em São Paulo. Assina M. Schiaz. Estudou na APBA, SP onde cursou desenho e pintura, frequentado sessões de modelo vivo. Realizou exposições individuais em: São Paulo (1989, 1992, 1993, 1995, 1999); Araraquara, SP (1990); Santos, SP (1994, 1996, 1999, 2000); Campinas, SP (1996). Tem participado de inúmeras mostras coletivas e Salões oficiais. Foi premiado em: São Paulo (1989, 1992, 1994); Araraquara, SP (1989); Rio de Janeiro (1989). JULIO LOUZADA VOL.5, PÁG. 963; VOL. 6, PÁG. 1028; VOL. 8, PÁG. 764; VOL. 10, PÁG. 802; VOL. 13, PÁG. 304. ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.artprice.com.



444 - PAULO GAGARIN (1885 - 1980)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 350,00.

Paisagem - técnica mista sobre papel - 34 x 21 cm - canto inferior direito -
No estado (pequeno rasgo).

Pintor autodidata natural de Leningrado, atualmente São Petersburgo, e falecido no Rio de Janeiro. Era filho do governador do Cáucaso, estudou na Universidade de sua cidade natal. Ao eclodir a I Guerra Mundial alistou-se no exército de seu país como oficial de artilharia pesada. Terminada a guerra, emigrou para a França e depois para o Brasil chegando ao Rio de Janeiro em 1921. Naturalizou-se brasileiro. No ano seguinte realizou a sua primeira exposição individual. Participou de muitas edições de Salões oficiais. Foi premiado no Salão Nacional de Belas Artes (1925, 1926, 1927, 1928), no Salão Paulista de Belas Artes (1940, 1941) e recebeu o Prêmio Prefeitura de São Paulo (1944). JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG. 405; PONTUAL PÁG. 230; MEC, VOL.2, PÁG. 219; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, VOL. 2, PÁG. 146; TEODORO BRAGA, PÁG. 186; REIS JR, PÁG. 370; ITAU CULTURAL; www.pintoresdorio.com; www.artprice.com; www.arcadja.com.



445 - CLARA WELKER (XIX - XX)
Lance Livre - Aguardando oferta

Galinheiro - óleo sobre tela - 19 x 26 cm - canto inferior direito -

Pintora, natural da cidade de São Paulo-SP. Participante do Salão Nacional de Belas Artes-RJ em suas versões de 1916, 1917 e 1918, e do II Salão da Primavera no Liceu de Artes e Ofícios daquela mesma cidade (1924). MEC, vol. 4, pág. 507; JULIO LOUZADA, vol. 7, pág. 747/748



446 - PEDRO BIRKENSTEIN (1924)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Composição - óleo sobre tela - 55 x 45 cm - canto inferior direito - 1977 -

Pintor e desenhista nascido em São Paulo. Dedicou-se totalmente à arte a partir dos anos 50, sob a orientação de Edmundo Migliaccio, E. Federighi, Castellane e Zanotto (FAAP). Realizou diversas exposições individuais e participou de mostras coletivas e oficiais pelo Brasil e no exterior, recebendo diversos prêmios no Salão Paulista de Belas Artes, SP (1966, 1970, 1972, 1973, 1977, 1978); em Rio Claro, SP (1976, 1977, 1978); em Paris, França (1984); em Lisboa, Portugal (1985); em Tampa, EUA (1986); em Nice, França (1987); em Pequim, China (1988). JULIO LOUZADA, VOL 2 - PÁG 136; ITAU CULTURAL; www.birkenstein.art.br.



447 - LUIZ VERRI (1912 - 1990)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

"Natureza morta" - óleo sobre tela - 38 x 46 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1982 -
No estado (pequenos furos e limpeza necessária).

Natural de Pirassununga - SP, cursou a partir de 1932 a Escola de Belas Artes de São Paulo, travou amizade com Francisco Rebolo, Volpi, Penacchi , Zanini e todos os demais integrantes do histórico grupo Santa Helena. Participou de diversas coletivas a partir de 1945, inclusive do SNBA - RJ, em 1954 e 1958 recebendo medalhas de bronze e de prata, respectivamente. Sua pincelada impetuosa, traz emoção e arrojo. Uma pintura exprecionista. MEC, vol. 4, pág. 470; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 1033; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.



448 - M. MATTOS (XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

Paisagem - óleo sobre eucatex - 22 x 16 cm - canto inferior direito - Parati - RJ -

Pintor e desenhista com diversas participações em mostras coletivas. JULIO LOUZADA VOL. 5, PÁG. 665; VOL. 6, PÁG. 706.



449 - OMAR PELLEGATTA (1925 - 2000)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Casario - óleo sobre cartão colado em eucatex - 21 x 26 cm - canto inferior direito -

Pintor, desenhista e gravador nascido em Busto Arsizio, Itália. Assina Pellegata. Veio para o Brasil em 1927, estudou na Associação Paulista de Belas Artes, foi aluno de Ettore Federighi e Durval Pereira, Takaoka, Mário Zanini, Otone Zorlini. Viveu e trabalhou em Santos, SP. Fez parte do Grupo Tapir (1970) com Giancarlo Zorlini, João Simeone, José Procópio de Moraes, Glicério Geraldo Canelosso e do Grupo Chácara Flora com Emídio Dias de Carvalho, Arlindo Ortolani, Heitor Carilo, Glicério Geraldo Canelosso. Realizou exposições individuais e participou de várias mostras e Salões oficiais pelo Brasil como: Salão Paulista de Belas Artes (desde 1958), Salão Municipal de Belas Artes de Belo Horizonte, MG (1960), entre outros, recebendo muitos prêmios. JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG.735; MEC VOL.3, PÁG.363; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.brasilartesenciclopedias.com.br; www.artprice.com.



450 - FRANCISCO DA SILVA (1910 - 1985)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 950,00.

Aranha - têmpera sobre cartão colado em eucatex - 55 x 76,5 cm - canto inferior direito - 1971 -
Com carimbo da Galeria Mirante das Artes que foi de propriedade do Professor Pietro Maria Bardi, Fundador e Diretor do Museu de Arte de São Paulo, MASP, no dorso . No estado (papel manchado).

Pintor e desenhista, Francisco Domingos da Silva nasceu em Alto Tejo, AC e faleceu em Fortaleza, CE. Filho de índio peruano com brasileira, ainda criança se fixou em Fortaleza, por volta de 1937, onde começou a desenhar a carvão e giz sobre muros e paredes de casebres de pescadores. Na década de 40, sob o incentivo do crítico e pintor suíço Jean Pierre Chabloz, iniciou-se na pintura a guache juntamente com Chabloz, Antônio Bandeira e Inimá de Paula. O mesmo Jean Pierre lança-o em Paris. Entre 1961 e 1963, trabalhou no recém-criado Museu de Arte da UFCE. Expôs individualmente no Brasil a partir de 1943 e em diversas mostras coletivas no Brasil e exterior, com premiações, destacando-se a recebida na XXXIII Bienal de Veneza (1966). JULIO LOUZADA, VOL. 1 PÁG. 909; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE; ARTE NO BRASIL, ACERVO FIEO; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 478.



451 - NIWA SHIRO (1934)
Lance Livre - Aguardando oferta

Composição - óleo sobre tela - 70 x 50 cm - centro inferior - 1973 -
No estado (pintura craquelada).

Pintor nascido em Okazaki - Honshu, Japão. Veio para o Brasil em 1958, fixando-se em São Paulo onde integrou o Grupo Sakai do Embu. Exposições individuais: São Paulo (1970, 1973, 1974); Teresópolis, RJ (1972); Ystad, Suécia (1974); Paris, França (1974). Participou de mostras e Salões oficiais em São Paulo nos anos de 1974, 1975, 1976, 1977 a 1979. Foi premiado, em 1978, no VII Salão Bunkyo, SP. MEC VOL. 4, PÁG. 242; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL. 6, PÁG. 792.



452 - AYRES AUGUSTO (XX)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

"Rua Visconde do Rosário" - óleo sobre tela - 33 x 24 cm - canto inferior esquerdo - 1970 - Salvador - BA -
No estado (limpeza necessária).

Pintor, desenhista e professor do Instituto de Belas Artes do Rio de Janeiro. Participou de Salões e coletivas nacionais como: Salão da Sociedade Brasileira de Belas Artes, RJ obtendo Menção Honrosa (1968) e Medalha de Prata (1970) e Salão da Associação dos Artistas Nacionais, RJ obtendo Medalha de Bronze (1969, 1971).



453 - ANTONIO GARCIA PASCOAL (1939)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Serra da Bocaina" - óleo sobre tela - 40 x 60 cm - canto inferior direito e dorso - 1997 -
No estado (limpeza necessária).

Assina Pascoal. Pintor nascido em Itapui, SP, em 17 de novembro. Participa de coletivas desde 1990, tendo recebido prêmio, dentre outros, Medalha de Bronze, no SA na CEF em São Caetano do Sul - 1991. JULIO LOUZADA vol.9, pág. 655.



454 - YASUICHI KOJIMA (1934)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Flor do céu" - óleo sobre tela - 46 x 55 cm - canto inferior direito e dorso - 1967 -
Com etiqueta da 10ª Exposição de Arte da Associação Sambernardense de Belas Artes de São Bernardo do Campo, São Paulo - SP, no dorso. No estado (pintura craquelada).

Pintor e ceramista nascido em Tajimi, Japão - cuja população vive de cerâmica e porcelana. Seu pseudônimo artístico é Kojima. Recebeu influência de seu pai, Shigueo Kojima - tradicional artista e ceramista japonês conhecido pelo nome artístico Juho Kojima. Formou-se na Escola de Cerâmica Industrial de Tajimi - Gifu, Japão. Veio para o Brasil em 1953, trabalhou por cinco anos em São Caetano e transferiu-se para Mauá onde, como seu pai, montou sua própria fábrica de cerâmicas e porcelanas que está em atividade até hoje. Naturalizou-se brasileiro e estudou pintura com Manabu Mabe, Takaoka e Nakajima. Realizou exposição individual em Poá, SP (2009) e no Museu de Arte do Parlamento de São Paulo (2013). Participou de diversas mostras e Salões oficiais em: São Bernardo do Campo, SP (1967); São Paulo (1968, 1969, 2001 a 2010); Poá, SP (2009-como convidado); Embu, SP (2012 - Prêmio Prata). www.mauamemoria.com.br; www.radaroficial.com.br/d/31498914; issuu.com/shinzenbi/docs/makoto_5/27.



455 - JAVIER ALVARO ASFADUROFF NIBBES (1954)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 200,00.

Composição musical - óleo e encáustica sobre tela - 67,5 x 100 cm - canto superior direito e dorso - 1997 -
(Obra de artista estrangeiro vendida como "atribuída")

Uruguaio de Montevideu, onde nasceu a 14 de novembro de 1954. Frequentou o Liceu Onze de Cerro Montevidéu, entre 1965 e 1967, sendo aluno de Torres Garcia. A partir de 1994 passou a figurar em bienais e várias exposições coletivas. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 637



456 - ALEX DOS SANTOS (1980)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 100,00.

"Colhendo girassóis" - óleo sobre tela - 30 x 40 cm - canto inferior direito e dorso - 2019 -

Alex Benedito dos Santos nasceu em Jaboticabal, SP, no dia 13 de fevereiro de 1980. Pintor autodidata, fez cursos de escultura com o prof. Silvio Scarpa e xilogravura com o prof. Saulo. Participou de "workshops" com o pintor Sigbert Franklin, em 2001. Tem participado regularmente dos diversos Salões Oficiais nas cidades do interior do Estado, destacando-se: I e II Bienal de Artes e Cultura de Jaboticabal, em 1999 e 2001, Salão de Artes Plásticas de Brodósqui, em 2003, quando foi selecionado para o Mapa Cultural Paulista, Salão de Artes Plásticas de Araraquara, em 2003, Salão de Artes Plásticas de Guarulhos, onde obteve Menção Honrosa, em 2004, Salão de Artes Plásticas de Santos, em 2004, Salão de Artes de Piracicaba, em 2005, Salão de Artes Plásticas de Sales de Oliveira, em 2005, onde obteve Menção Honrosa, Salão de Artes Plásticas de Catanduva, obtendo Menção Honrosa, em 2006. Foi premiado com o 1º lugar nos Salões de Artes de Mococa, em 2003, Sales de Oliveira, em 2003, Araraquara, em 2004 e Piracicaba, em 2006. Expõe individualmente desde 2004. Acervo FIEO. -



457 - ARMANDO ROMANELLI (1945)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 150,00.

Baianas - serigrafia - 95/100 - 60 x 60 cm - canto inferior direito -
No estado (papel manchado).

Fluminense de Duque de Caxias, Romanelli começou a pintar em 1958, sofrendo influências de Manuel Santiago e Edgard Walter. Em 1960 ingressou no IBA-RJ. Participou do SNBA-RJ, conquistando Menção Honrosa. JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 838; ITAU CULTURAL.



458 - JESUALDO (1940)
Lance Livre - Aguardando oferta

"Peixe surreal" - acrílico sobre tela - 50 x 70 cm - canto inferior direito e dorso - 2015 -

Pintor nascido em Santa Rosa, RS. Autodidata no início de sua carreira, teve aulas com Colete Pujol. Participou de vários Salões e exposições oficiais em: Canoas, RS (1960); Aparecida do Norte, SP (1961); São Carlos, SP (1964); São Paulo (1966 a 1968, 1985). Foi premiado, em 1966, no Salão da Escola de Belas Artes de São Paulo.



459 - ALFREDO VOLPI (1896 - 1988)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 700,00.

Bandeirinhas - serigrafia - 1/100 - 36 x 50 cm - canto inferior direito -

Pintor, desenhista, gravador e ceramista nascido em Lucca, Itália e falecido em São Paulo. Muda-se com os pais para São Paulo em 1897 e, ainda criança, estuda na Escola Profissional Masculina do Brás. Mais tarde trabalha como marceneiro, entalhador e encadernador. Em 1911, torna-se pintor decorador e começa a pintar sobre madeiras e telas. Na década de 1930 passa a fazer parte do Grupo Santa Helena com vários artistas como Mário Zanini e Francisco Rebolo. Em 1936, participa da formação do Sindicato dos Artistas Plásticos de São Paulo e integra, em 1937, a Família Artística Paulista - FAP. Em 1940, ganha o concurso promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN, com trabalhos realizados com base nos monumentos das cidades de São Miguel e Embu. Realiza trabalhos para a Osirarte, empresa de azulejaria criada em 1940, por Rossi Osir. Sua primeira exposição individual ocorre em São Paulo, em 1944. Em 1950, viaja para a Europa acompanhado de Rossi Osir e Mario Zanini. É convidado a participar, em 1956 e 1957, das Exposições Nacionais de Arte Concreta e mantém contato com artistas e poetas do grupo concreto. Recebe o prêmio Aquisição na Bienal de Veneza (1952), Melhor Pintor Nacional da Bienal Internacional de São Paulo (1953), dividido com Di Cavalcanti; o prêmio Guggenheim (1958); Melhor Pintor Brasileiro pela crítica de arte do Rio de Janeiro (1962 e 1966), Melhor Pintor Nacional no Panorama da Arte Brasileira MAM - SP (1970), entre outros. REIS JUNIOR, PÁG. 378; WALMIR AYALA, VOL. 2, PÁG. 426 e 428; JULIO LOUZADA VOL.1, pág.1048; MEC. VOL.4, PÁG. 496; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 584; ARTE NO BRASIL, PÁG. 684; LEONOR AMARANTE, PÁG. 28, Acervo FIEO; BENEZIT VOL. 10, PÁG. 567; PONTUAL PÁG.546. NTE, pág. 28, Acervo FIEO.



460 - ALDEMIR MARTINS (1922 - 2006)
Lance Livre - Temos oferta de: R$ 300,00.

Galo - serigrafia - 50/100 - 58 x 41 cm - canto inferior direito - 1967 -

Desenhista, pintor, gravador e ilustrador - nasceu em Ingazeiras, CE e faleceu em São Paulo. Em 1941, participou da criação do Centro Cultural de Belas Artes, em Fortaleza, com Antonio Bandeira, Raimundo Cela, Inimá de Paula e Mário Baratta, um espaço para exposições permanentes e cursos de arte. Três anos depois, a instituição passou a chamar-se Sociedade Cearense de Artes Plásticas - SCAP. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Realizou muitas individuais e participou de várias mostras e Salões oficiais pelo Brasil e exterior. Recebeu o prêmio de melhor desenhista na 3ª Bienal Internacional de São Paulo (1955), na Bienal de Veneza (1956), prêmio de viagem ao exterior no Salão Nacional de Arte Moderna – RJ (1959), permanecendo por dois anos na Itália e em muitos outros certames. MEC, VOL. 3, PÁG. 78, PONTUAL, PÁGS. 342/343; ARTE NO BRASIL, VOL 2, PÁG. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 637; LEONOR AMARANTE, PÁG. 18; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 591; VOL. 4, PÁG. 693; ACERVO FIEO; artprice.com.