RENZO GORI (1911 - 1999)

Pintor, desenhista, restaurador e músico nascido em Florença, Itália. Assina Gori. Era filho de renomado pintor e restaurador. Exímio violinista passou a estudar saxofone e clarineta, tornando-se hábil instrumentista. Foi para a África com vinte e dois anos, formou um conjunto musical com músicos italianos para tocar em festas e casamentos. Depois foi para Túnis, Malta, voltou para Túnis e depois para o Marrocos francês. Desenhava nas horas de folga. Data dessa época seu encontro com Dario Mecatti, também músico e competente violinista que tinha ido para a África em 1933. Com tantas identificações na arte e na música, ficaram muito amigos, tornando-se seu inseparável discípulo. Apaixonou-se pela pintura e produziu dia e noite. Foi para Paris e Açores onde realizou várias exposições com êxito. Embarcou como marinheiro e veio para o Brasil, junto com Mecatti, aportando no Rio de Janeiro. Sempre expondo, percorreu várias cidades até se instalar em São Paulo. Abriu seu ateliê de restauro em 1945. Exposições individuais: Brasília, DF (1977); São Paulo (1977). Participou de muitas mostras e Salões oficiais no: Marrocos – Fez, Rabat, Casablanca (1936, 1937, 1939); Açores, São Miguel (1939); Rio de Janeiro (1940); Belo Horizonte, MG (1940); São Paulo (1940, 1941 a 1944, 1946, 1949, 1975, 1976, 1978, 1979); Curitiba, PR (1943); Petrópolis, RJ (1945). Foi premiado no Salão Paulista de Belas Artes em 1943. TEODORO BRAGA PÁG. 110; MEC VOL. 2, PÁG. 278; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 430; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO; www.artprice.com.