Leilão de Arte tableau - Março de 2010

001 - ALFREDO VOLPI - (1896 - 1988)
LL Fachada - lito. 19/25 - 48 x 71 - cid
Nascido em Lucca, na Itália, radicou-se em São Paulo desde a mais tenra idade. Autodidata, iniciou sua carreira como pintor decorativista e de paredes. Considerado pela crítica como um dos grandes coloristas do século XX. Foi integrante do Grupo Santa Helena. REIS JUNIOR, pág. 378; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 426 e 428; JULIO LOUZADA vol.13, pág.1048; MEC. vol.4, pág. 496; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 684; LEONOR AMARANTE, pág. 28, Acervo FIEO.

002 - FRANCISCO BRENNAND - (1927)
LL Flor - psa - 10 x 10 - n/as.
Pintor e ceramista. Estudou com André Lhote e Fernand Léger, em Paris. Participou de importantes bienais e salões, nacionais e internacionais. Realizou individuais de pintura e cerâmica no MAM-SP em 1960 e outras importantes salas de arte. Executou trabalhos murais em edifícios públicos e particulares no Recife e no estrangeiro. Suassuna considerou a sua pintura "bela, forte e brasileira". Brennand é referência mundial como artista puramente brasileiro. JULIO LOUZADA, VOL, 10, pág 141. PONTUAL, pág, 88. MEC, VOL , 1, pág, 294; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; ARTE NO BRASIL, pág. 879. Acervo FIEO. -

003 - INNOCÊNCIO BORGHESE - (1897 - 1985)
LL " Bairro do Limão " - ose - 38 x 46 - cid e d - 1930
Pintor e professor paulista, participante do Salão Paulista de Belas Artes, de 1935 a 1961. Diversas exposições individuais e coletivas, com muitas premiações. Pintou muitas paisagens tendo como tema a cidade de São Paulo. TEODORO BRAGA, pág 56; MEC, vol. 1, pág. 251; Acervo FIEO.

004 - OLGA BELTRÃO - (1950)
LL "Rosas na madrugada" - ost - 60 x 50 - cid e d - 2001
Natural da cidade do Rio de Janeiro, onde nasceu a 7 de novembro de 1950. Pintora, estudou com Anna Cortázzio e Miguel Lopez Palas (1989 a 1992). "Ela manifesta, através das cores e formas, a beleza, poesia e espírito da natureza em conjuntura com a versatilidade, buscando sempre expressar o bom senso e a suavidade das pinceladas firmes e objetivas." conforme comentário da artista plástica Jení Selaide Ferrão sobre a obra da artista. JULIO LOUZADA, vol. 6, pág. 110/111

005 - RENZO GORI - (1911 - 1999)
LL Árabes - ose - 13 x 18 - cie
Pintor de estilo, participou de diversos Salões Nacionais, com premiações; muito apreciado por colecionadores de cenas árabes. TEODORO BRAGA, pág. 110; MEC, vol. 2, pág. 278; JULIO LOUZADA, vol. 9, pág. 390; Acervo FIEO.

006 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Família - grav. 7/50 - 17 x 7 - cid - 1950
Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

007 - ORLANDO TARQUINIO - (1894 - 1977)
LL Paisagem - osc - 36 x 55 - cie
Nasceu e faleceu em São Paulo-SP, onde foi ativo pintor, aluno de Zillani e de Antonio Parreiras. A seu respeito, Quirino da Silva escreveu: "Orlando Tarquinio era de uma finíssima sensibilidade, e durante toda a sua existência dourou com ela tudo o que idealizou, tudo o que fez. Era um excelente pintor, que conhecia o seu ofício; um notável artista que, em cada pincelada, deixava a sua fina sensibilidade; em cada tela o impulso de sua alma ..." Participou do SNBA, obtendo Menção Honrosa (1928) e Medalha de Bronze (1929); do SPBA (1934, 1939, 1951, 1959, 1966 e 1970), conquistando Medalhas de Prata (1939 e 1951) e Medalha de Ouro (1959). O MNBA-RJ e a Pinacoteca-SP, guardam obras de sua autoria. JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 957

008 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL Paisagem - osm - 10 x 13 - cie
Paulistano, o pintor nasceu em 10/5/1965. Estudou na APBA-SP, onde desenvolveu curso de desenho e pintura, frequentado sessões de modelo vivo. Individuais desde 1989 e coletivas em Salões Oficiais, com sucesso de crítica. Recebeu diversos prêmios. JULIO LOUZADA, vol.13, pág. 304; Acervo FIEO.

009 - OCTÁVIO ARAÚJO - (1926)
LL Adão e Eva - xilo. - 21 x 17 - cid
Este importante artista brasileiro nasceu em Terra Roxa, SP. Em São Paulo foi aluno de Edmundo Migliaccio e José Barchitta, e teve por colegas, dentre outros, Luiz Sacilotto e Marcelo Grassmann, ao lado de quem, no Rio de Janeiro, com 20 anos de idade, expôs pela primeira vêz. Em 1947 integrou o Grupo dos 19. Trabalhou para Portinari em Paris, na confecção do grande mural Pescadores, com quem aprendeu a disciplina e a consciência profissional. Expôs em viagens que fêz pela China, na então União Soviética e nos Estados Unidos. Na sua obra é destaque a figura da mulher, em leitura ora fantástica, ora mágica, mas sempre perturbadora. TEIXEIRA LEITE, pág. 34; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 71; ARTE NO BRASIL, pág. 803; WALTER ZANINI, pág. 645; Acervo FIEO.

010 - SALVADOR SANTISTEBAN - (1919 - 1995)
LL Gado - ost - 40 x 50 - cid
Pintor e desenhista nascido em Sorocaba, SP. Foi aluno de Angelo Simeone na Associação Paulista de Belas Artes. Participou de diversas exposições coletivas, realizando outras tantas individuais. Recebeu premiações nos salões que participou a partir de 1948 até 1993. Em 1972 fez turnê artística pela Europa na companhia dos pintores: Omar Pellegatta, Giancarlo Zorlini, Salvador Rodrigues Junior, Carnelosso e Angelo Simeone. Possui obras em diversos museus paulistas. JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 1017; Acervo FIEO.

011 - MARTINS DE PORANGABA - (1944)
LL Figuras - osp - 50 x 70 - cid - 1994
O crítico de arte José Neisten declarou a respeito do artista, em Washington: " O que define o significado de suas telas é a sintaxe: portanto, uma semântica pessoal, tal como evolui na dinâmica de composição, em seu complexo contraponto, e no uso da cor. Nem sempre é possível entender sua pintura com aferição puramente plástica; muitas vezes é preciso pedir ajuda dos critérios musicais, porque Martins frequentemente compõe suas formas e cores com energia e finura de composição musical, onde tom acima ou um quadro de tom abaixo fazem uma diferença enorme no resultado global ". JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 704; ITAU CULTURAL.

012 - REINALDO MANZKE - (1906 - 1980)
LL Paisagem - g - 21 x 29 - cie
Pintor, nascido em falecido em Blumenau, SC. Participou regularmente do Salão Paulista de Belas Artes, recebendo premiações diversas. JULIO LOUZADA, vol 9, pág, 529. MEC, VOL, 3,pág, 65. PONTUAL,pág,335; TEODORO BRAGA; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

013 - LYRIA PALOMBINI - (1939)
LL Árvores - lito. PI - 22 x 32 - cid - 1982
Mineira, é desenhista, gravadora e entalhadora. Iniciou seus estudos artísticos no Instituto de Belas Artes do Rio de Janeiro, sob a orientação de Deveza, Teruz e Aurélio D´Alincourt. Aperfeiçoou-se em xilo, ainda no Rio, com Maria de Lourdes Mader Pereira, Vitor Gerhard e José de Lima, cujos trabalhos tiveram grande sucesso nas exposições, levando Walmir Ayala fazer a seguinte observação sobre a artista: " Liria Palombini é a mais nova revelação de gravadora no Rio de Janeiro. Em seu trabalho define-se uma artista que sobrepõe à sensibilidade, sem descuidar-se dela, a inteligência." (1974). Participou de inúmeras coletivas e realizou diversas individuais. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 709.

014 - LUIZ LABOZETTO - (1934)
LL Paisagem de Minas Gerais - ostce - 33 x 46 - cie
Desenhista e pintor paulistano que iniciou seu aprendizado artístico em 1966 com Arlindo Castellani de Carli, Salvador Rodrigues Junior, Djalma Urban e Manoel Navarro. Participou de diversas exposições e Salões oficiais: São Paulo (1970, 1971, 1973, 1976, 1977, 1978, 1979); Piracicaba, SP (1981); Osasco, SP (1995); Ribeirão Preto, SP (2003). JULIO LOUZADA VOL. 6, PÁG. 569; ITAU CULTURAL; MEC VOL. 2, PÁG.435; www.casaartecanoas.com.br.

015 - PINTURA NAIF IUGOSLAVA - (XX)
LL Pequeno cavaleiro - ost - 26 x 44 - cid e d - J.Knjazovic

016 - REINALDO MANZKE - (1906 - 1980)
LL Marinha - g - 15 x 10 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 012 deste catálogo.

017 - JOZAN - (XX)
LL Casario e Igreja - ost - 80 x 50 - cid
Pintor de estilo expressionista, ativo na cidade de Embú-SP JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 498

018 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Paisagem - ost - 25 x 43 - n/as.

019 - LECY BOMFIM - (1927)
LL Natureza morta - ose - 16 x 22 - cid - 1984
Natural de Santos, SP, onde nasceu em 20 de maio de 1927. Iniciou seus estudos artísticos com o prof. José Roncolleto Lubra, em 1945. Em São Paulo, onde foi ativa até o ano de 2000, estudou com os profs. Joseph Trabulsi, Silvio Alves e Arlindo Castellane. Entre 1946 e 1978, expôs em Salões Oficiais no eixo Rio-São Paulo, recebendo muitas premiações, inclusive em Salões Internacionais de que participou de 1979 a 1987. Participou da Bienal Internacional de São Paulo em 1976. Expõe em coletivas e individuais a partir de 1974, entre elas 12, 13 e 14a. Exposição de Artistas Contemporâneos da Sociearte (1993-1994-1995), Galeria Clube Atlético Paulistano-SP (1979), entre outras. Suas obras constam de acervos particulares e de museus, tais como o de Santiago, no Chile, PINACOTECA-SP, Municipal de Taubaté-SP, etc. JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 138.

020 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL Natureza - osp - 14 x 10 - cid - 1960
Com certificado de autenticidade da família de Nicola Petti, no dorso. -Ativo em São Paulo, foi também excepcional desenhista, aluno nesta capital, do pintor e professor alemão Georg Ficher Elpons; participou assiduamente do Salão Paulista de Belas Artes, desde sua inauguração em 1933, onde foi muito premiado. MEC, vol. 3, pág. 393; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 685; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

021 - GINO BRUNO - (1889 - 1977)
LL Infância - ost - 65 x 50 - cid
Nascido e falecido em São Paulo, este pintor foi especialista em figuras, interiores e naturezas-mortas. TEODORO BRAGA, pág. 108; MEC, vol. 1, pág. 299; PONTUAL, pág. 92; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 135; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 623; Acervo FIEO.

022 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Quintal - ost - 20 x 30 - cid
Romeno da cidade de Hotin, Waidergorn veio para o Brasil em 1932, onde seus pais fixaram residência em São Paulo. Ingressou na APBA, onde conheceu Mecatti, que muito o estimulou e orientou, dele assimilando a luminosidade da pintura peninsular muito a gosto do ottocento italiano. Sua pintura aborda todos os gêneros, baseadas tanto nas recordações da infância pobre como nas lembranças das viagens que fez ao norte da Africa e Europa. Participou de diversos salões e coletivas, recebendo diversas premiações JULIO LOUZADA vol.11, pág. 330; Acervo FIEO.

023 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL Bois - grav. 14/75 - 29 x 39 - cid - 1979
Com a seguinte inscrição: " Minha jente venhão ver o que eu estou vendo aqui, o amanhecer do dia e o cantar do bente vi ". -Considerado por muitos críticos e colecionadores como o mais típico dos nossos pintores ingênuos, Silva foi o intérprete da cena rural de São Paulo, num estilo expontâneo em que assomam, por vezes, soluções plásticas inesperadas. MEC, vol. 4, pág. 256; PONTUAL, pág. 493 e 494; TEIXEIRA LEITE, pág. 478; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 958; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 958; BENEZIT, vol. 9, pág. 602; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 227; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 171; Acervo FIEO.

024 - VANICE AYRES LEITE - (1947)
LL Floresta - dn e a - 45 x 62 - cid - 2008
Mineira de Belo Horizonte, é graduada em desenho e artes gráficas pela Escola de Belas Artes da UF-MG. Participando de diversas coletivas, inclusive Bienais de pintura primitiva, recebeu premiações. Mestra em seu trabalho com nanquim, Vanice Ayres Leite oferece obras diferenciadas. Seus bares com alegria contagiante, trabalhadores rurais em integração ao meio e críticas sociais e de costumes bem-humoradas traçam um perfil do povo mineiro e brasileiro em cores predominantemente quentes e repletas de rostos que mostram, acima de tudo, alegria de viver, por mais difícil que a realidade se apresente.Sobre a sua obra assim se manifestou a premiada artista Yara Tupinambá: " ... o movimento da figura humana é o grande tema de Vanice ao abordá-lo na dança, na colheita do milho e da cana, no trabalho do campo, em cenas de alegria e cor.". ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 238

025 - NERÃO - (ANTONIO JOAQUIM NERY) - (1903 - 1997)
LL " Os plaqueiros e o movimento nas ruas " - ost - 38 x 46 - cid - 1987
Pintor primitivo, de singular criatividade em seus temas, expôs no MASP, tendo sido apresentado em catálogo pelo saudoso P. M. Bardi, que o considerava depois de José Antonio da Silva, o melhor pintor primitivo brasileiro,tendo inclusive realizado uma exposição individual do autor no MASP - SP. JULIO LOUZADA, vol. 2 pág. 715, Acervo FIEO.

026 - TOMOO HANDA - (1906 - 1996)
LL Estudante - ose - 40 x 33 - cie - 1951
Pintor, desenhista e historiador. Natural de Utsonomiya, Japão, imigrou para o Brasil no início do séc. passado.Foi o grande precursor dos artistas nipo-brasileiros em atividade no País, cuja obra praticou com finura e lirismo. Foi o mestre inconteste de duas gerações de artistas que nele tinham seu líder. PONTUAL, 259; JULIO LOUZADA, vol. 2, 489; TEIXEIRA LEITE, pág. 242; ITAU CULTURAL ; WALTER ZANINI, pág. 587.

027 - YUGO MABE - (1955)
LL Paisagem - ose - 33 x 27 - cid - 1990
Pintor nascido na cidade de Lins-SP. Formou-se em comunicação pela FIAM-São Paulo em 1977. Filho do pintor Manabu Mabe (1924-1997). Começa a participar de mostras coletivas no início da década de 70 e é premiado nos Salões Bunkyo, em 1972 e 1975, e Paulista de Belas Artes, em 1975 e 1982. Em 1980, realiza sua primeira exposição individual, na Documenta Galeria de Arte, em São Paulo. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 360

028 - ROSARIO MORENO - (1918)
LL " Les Temoins " - ost - 100 x 50 - cie e d - 1961
Artista com participação na Bienal Internacional de São Paulo e em Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro.

029 - BIGIO GERARDENGHI - (1876 - 1957)
LL Paisagem - ost - 35 x 42 - cie
Italiano de Dronero, Piemonte, onde nasceu em 7/8/1876. Pintor e professor, oriundo de família nobre, o autor sempre viveu em Nápoles, onde realizou estudos e concluiu sua formação artística. Reputado pintor de paisagens e marinhas, figurou em diversas exposições na Itália, onde ganhou a medalha de ouro na Exposição Internacional de Nápoles, e em 1916, quando o seu quadro Lã para os Soldados, foi escolhido pela Cruz Vermelha Italiana para ser reproduzido como propaganda de Socorros de Guerra. No Brasil sua obra foi muito bem recebida pela público e crítica, figurando em diversas exposições. BENEZIT, vol.4, pág. 681; MAYER/84, pág. 835; TEODORO BRAGA, pág. 107; JULIO LOUZADA vol.1, pág. 415; ITAÚ CULTURAL.

030 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Pássaro - m em ac - h = 9 - n/as.
Artista cinético, pintor, desenhista, natural de Natal, RN. Em 1932, muda-se com a família para a região onde, atualmente, se localiza o Estado de Israel. Inicia seus estudos de arte no ateliê do pintor Haaron Avni e do escultor Sternshus e estuda estética com Shor. Freqüenta o Instituto Municipal de Arte de Tel Aviv. Retorna ao Brasil em 1948, e se instala no Rio de Janeiro. Convive com os artistas Ivan Serpa, Renina Katz e Almir Mavignier. Em 1954, integra o Grupo Frente, ao lado de Ivan Serpa, Ferreira Gullar, Mário Pedrosa, Franz Weissmann, Lygia Clark e outros. Desenvolve a partir de 1964 os Objetos Cinéticos, um desdobramento dos cinecromáticos, mostrando o mecanismo interno de funcionamento e suprimindo a projeção de luz. O rigor matemático é uma constante em sua obra, atuando como importante recurso de ordenação do espaço. É considerado internacionalmente um dos pioneiros da arte cinética. ITAUCULTURAL

031 - FRANCISCO CUOCO - (1928 - 2006)
LL Igreja - ostce - 70 x 60 - cie - 1997
Pintor e professor, participou do Salão Paulista de Belas Artes onde obteve medalha de bronze e o 2º prêmio Governo do Estado-1956-1970; participou, também, do 1º Salão Panamericano de Arte-RGS-1958; 3º Salão de Arte de São Bernardo do Campo-1970 e do Salão Oficial de Belas Artes de Santos-1970/71. MEC, vol. 1, pág. 502; Acervo FIEO.

032 - VINCENZO CENCIN - (1925)
LL Marinha - ostcm - 30 x 50 - cid
Natural de Veneza, Itália, desde pequeno sente a feição mágica e iluminada de sua cidade natal e o mar que a rodeia. Após a II Grande Guerra vem para o Brasil, onde fixa a sua residência. Em 1981 inaugura a Galeria Velha Europa, em São Paulo. Sobre a sua obra, assim se manifestou o crítico José Roberto TEIXEIRA LEITE: "... para esse homem chegado já maduro às artes, depois de longa carreira em campo diametralmente oposto, o que importa é lançar, sobre o espaço da tela, reminicências do homem mediterrâneo..." JULIO LOUZADA, vol.11, pág. 69; ITAU CULTURAL.

033 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Casal - ostcm - 65 x 20 - csd
Pintor nascido na Itália. Mecatti radicou-se no Brasil em 1940, após trabalhar por vários anos na Tripolitânia, no norte da África. É notável pela estilização de suas figuras e paisagens concebidas, em tons baixos e obedientes a uma composição pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 161/2; MEC, vol. 3, pág. 109; PONTUAL, pág. 352; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 72; TEIXEIRA LEITE, pág. 320; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

034 - GUIDO TOTOLI - (1937)
LL Casario - ost - 25 x 34 - cie
Italiano, radicado no Brasil, Totoli é acima de tudo ótimo paisagista e pintor de figuras, fazendo uso de uma cor e de uma pincelada vivas e truculentas. Tem se dedicado com muita felicidade às cerâmicas. MEC, vol.4, pág. 408; JULIO LOUZADA, vol.11, pág. 325, Acervo FIEO.

035 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Banhista - dn e a - 41 x 30 - cie
Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista. Realizou mais de cem mil desenhos, não se conhecendo um único ruim. Observador arguto, retratou com maestria e humor o cotidiano de sua cidade natal, da qual, consta, ausentou-se por duas únicas ocasiões. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646.

036 - TOMIE OHTAKE - (1913)
LL Composição - ser. 7/70 - 65 x 47 - cid - 1970
Importantíssima pintora, nascida em Kyoto, Japão, e radicada no Brasil desde 1936, País que adotou inclusive a cidadania. Iniciou-se artisticamente a partir de 1950, com o pintor japonês visitante Keiya Sugano. Ligou-se ao Grupo Seibi, em cujos salões obteve diversas premiações. Participou ainda por várias vezes, com premiações, do SPAM e do SNAM. MEC, vol. 3, pág. 323; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 791; BENEZIT, vol. 7, pág. 791; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 140/141; PONTUAL, pág. 390; ART PRICE ANNUAL 1990, pág. 1464; TEIXEIRA LEITE, pág. 362/3/4; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 939; LEONOR AMARANTE, pág. 170; WALTER ZANINI, pág. 693; Acervo FIEO.

037 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Estaleiro - ose - 27 x 35 - cid
Nascido e falecido em São Paulo, DURVAL PEREIRA foi pintor e professor ativo em São Paulo. Premiado com a Menção Honrosa no SPBA em 1944, passou a viver exclusivamente da pintura. Pintava ao ar livre aos domingos com os pintores Salvador Rodrigues, Salvador Santisteban, Cirilo Agostinho, Jaime Dinis, Djalma Urban, Innocencio Borghese, e outros. Premiado praticamente em todos os Salões de que participou. Recebeu ao todo, 15 comendas das mais importantes do Brasil. Nos últimos três anos de sua vida, recebeu todos os Primeiros Prêmios e Medalhas de Ouro nas exposições de Paris, Rouen, Lyon, Roma, Miami e Milão. MEC, vol. 3, pág. 368; JULIO LOUZADA, vol. 1, págs. 749/750/751. ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

038 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 12 x 15 - cid
Pintor húngaro, estudou em Paris com Jean Paul Laurenz. Expôs seus trabalhos na Europa e na América, tendo também participado de salões internacionais recebendo premiações. De 1924 a 1935 foi diretor do Museu de Budapeste e de 1935 a 1945 foi diretor do Museu das Artes Instrutivas da Hungria. O Museu Histórico Municipal de Budapeste possui mais de 700 aquarelas de sua autoria.

039 - GLYCÉRIO GERALDO CARNELOSSO - (1921)
LL Barcos - ost - 33 x 46 - cie - 1958
Nasceu em Boa Esperança do Sul, SP, no dia 5 de dezembro. Pintor e escultor, estudou com José Barchita e Angelo Simeone, recebendo orientação de Laurindo Galante no campo da escultura. Segundo o crítico Paulo Mendes, "Carnelosso é doublé de escultor e pintor. Já por isso, é o sentido das massas, nas formas em sua plasticidade, o que prepondera em sua pintura, na qual o colorido é frequentemente surdo. Sua tendência é a do realismo poético (...)" . PONTUAL, pág. 111; MEC, vol. 1, pág. 359; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 172; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 213; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

040 - CONCEIÇÃO DOS BUGRES - (1914 - 1984)
LL Bugres -
Três esculturas em madeira revestidas por encáustica, assinadas, medindo cada: 1) 28 cm; 2) 21 cm e 3) 17 cm. -Natural de uma cidade do interior do Rio Grande do Sul, de onde saiu ainda criança com seus pais, em viagem de carroça até o Estado de Mato Grosso. Conceição Freitas da Silva, "Conceição dos Bugres", como é conhecida, inspirou-se na cepa de mandioca para a crição dos bugres, a alma de sua arte. Através do sonho encontrou a fórmula da cera que veste suas obras, dando-lhes especial efeito de roupagem. Reconhecida internacionalmente deixou sua arte como herança para a família. Fonte web: Portal de Notícias Regional de Mato Grosso do Sul - Unifolha.

041 - ALASTAIR MICHIE - (1921 - 2008)
LL " Spanish Bay 3 " - tm - 91 x 71 - cid
Com etiqueta do atelier do autor e carimbo de A Galeria - São Paulo, no dorso. -Pintor, escultor, designer e ilustrador nasceu em St Omer - França e faleceu em Waheram, Dorset - Inglaterra. Filho de Anne Redpath, importante pintora escocesa e do arquiteto James Michie. Sua dedicação à pintura e à escultura se deu a partir da década de 1960. Realizou uma exposição individual em São Paulo, em 1972; na década de 1990: na Academia Real Escocesa - Edimburgo, Escócia, na Mall Gallery e Archeus Fine Art - ambas em Londres. Os Museus de Arte Moderna de São Paulo e Rio de Janeiro possuem obras suas. www.independent.co.uk; www.nationalgalleries.org; www.artnet.com

042 - HUGO ADAMI - (1900 - 1999)
LL Corredeira - ost - 40 x 55 - cid
Pintor. Fez estudos artísticos em Florença e Paris. O artista participou da Bienal de Veneza e do Salão das Tulheries em Paris. Destacou-se como um dos nossos melhores paisagistas. TEODORO BRAGA, pág. 120; PONTUAL, pág. 3; REIS JUNIOR, pág. 380; MEC, vol. 1, pág. 36; WALMIR AYALA, vol. 1 , pág. 11; TEIXEIRA LEITE, pág. 13; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 580; ARTE NO BRASIL, pág. 777; ACERVO FIEO, pág. 998.

043 - HEITOR DOS PRAZERES - (1898 - 1966)
LL Lavadeiras - ost - 38 x 55 - cid - 11.8.1964 - Rio
Com autenticação da família do artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho. Este quadro participou da Exposição " Brasil 500 Anos - Artes Visuais " realizada na Fundação Bienal de São Paulo de 26 de Abril à 03 de Setembro de 2000. Participou também da Exposição " 100 Anos de Heitor dos Prazeres " no Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro. -Compositor e pintor, iniciou-se na pintura em 1937. São seus temas preferidos o samba, favelas cariocas, mulatas e malandros. Participou da I Bienal de SP (1951), sendo nela premiado. Mostrou a sua obra em diversas exposições, no Brasil e no exterior. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.247; MEC. Vol.3, pág.400; WALMIR AYALA. Vol.2, pág.194; TEIXEIRA LEITE, pág.408; PONTUAL, pag.439; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.810; LEONOR AMARANTE, pág. 266; 673; Acervo FIEO.

044 - CÂNDIDO PORTINARI - (1903 - 1962)
LL São João Batista - ser. - 24 x 13 - ci - 1957
Assinado na tela serigráfica. Registrado no Projeto Portinari. -Nasceu na cidade paulista de Brodósqui, e faleceu no Rio de Janeiro. Artista desde sua infância ( desenhava desde 5 anos), abraçou a arte pelo resto vida. Reconhecido nacional e internacionalmente, conheceu e desfrutou a glória ainda vivo. Desenhista, pintor e muralista, Portinari a exemplo dos grandes vultos da nossa história, deixa-nos um legado precioso de arte e cultura. BENEZIT, vol.8, págs. 440 e 441; REIS JUNIOR, págs. 383/386; TEODORO BRAGA, págs. 195/196; PONTUAL, págs. 432/433/434; MEC, vol.3, págs 427 a 429; MAYER.89, pág.1327; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 550; ARTE NO BRASIL, pág. 571; LEONOR AMARANTE, pág. 12; F. ACQUARONE, pág. 241.

045 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL Casario - ost - 40 x 50 - cie
Italiano da Lombardia, PELLEGATTA foi pintor e gravador dedicado a temas sacros e casarios coloniais. Em sua obra, o ser humano é apresentado sempre de modo idealizado, na figura de ternas madonas, santos, coroinhas e cavaleiros. Participou de diversas coletivas e salões, a partir de 1957, recebendo premiações em sua maioria. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág.735; MEC vol.3, pág.363; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

046 - JOSÉ INACIO - (1927)
LL Ciranda - ost - 46 x 55 - cid - 1968
Pintor primitivista assina ZÉ INÁCIO. Começou a pintar em 1961, foi irmão da pintora Iracema Arditi. Participou de coletivas na Galeria Seta, SP (1962); VII e VIII Bienal de São Paulo (1963 e 1965); Salão Esso de Artistas Jovens, RJ (1965); Galeria Voltaico, RJ (1969); Club Pueblo, em Madrid; e outras capitais européias (1970); Galeria Brasileira de Arte, SP e Salão Nacional de Arte Moderna. Individuais na Galeria Seta, SP. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 1087.

047 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
LL Composição - g - 18 x 29 - cid
Pintor, desenhista, gravador e professor, estudou com Axel Leskoschek no Rio de Janeiro. Participou da Divisão Moderna do SNBA (1947-1951). Foi um dos precursores do concretismo no Brasil, criando ao lado de Aluisio Carvão, Lígia Clark, Hélio Oitica e outros o Grupo Frente, que se manteve ativo de 1954 a 1956, inclusive com exposições no Rio de Janeiro. Ivan Serpa possui invejável e extenso curriculum de vida artística, passando de exposições coletivas, a grandes retrospectivas de sua obras. Há um reconhecimento nacional da importância de sua atividade, tratando-se de um dos grandes artistas nacionais. PONTUAL, pág 486; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 840; LEONOR AMARANTE, pág. 26; Acervo FIEO.

048 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL Senhora - dn e a - 28 x 20 - cie - 1945 - Itália
Com dedicatória a Rubem Braga. -Pintor e gravador gaúcho, cuja carreira esteve intimamente ligada ao desenvolvimento da arte moderna e da gravura em seu estado natal e no Brasil. Começou a pintar em 1935, tendo sofrido de início a influência de Segall. Após uma fase realista, evoluiu, em anos mais recentes, para uma linguagem pessoal, fixado objetos com grande amor às transparências e às texturas, numa ânsia de transfiguração e de serenidade. MEC vol.4, pág. 214; TEODORO BRAGA, pág. 66; WALMIR AYALA vol.2, pág. 306 a 309; PONTUAL, págs 479 e 480; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 293; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 798; RGS, pág. 442; Acervo FIEO.

049 - SALVADOR SANCHES BARBUDO - (1858 - 1917)
LL " L'abayeur " - ost - 71 x 50 - cie - Roma
Espanhol de Sevilha, BARBUDO estudou com o pintor José Villegas. Após, fixou residência em Roma, Itália, onde foi ativo. Participou em 1895 do Salão de Artistas Franceses, e expôs no Salão de Munique, em 1909. Os museus de Barcelona e Triste tem obras suas em acervo. BÉNEZIT vol. 1 pág. 436 - Art Price 2000 pág. 2207

050 - MIGUEL BERROCAL - (1933 - 2006)
LL " Torero " - m em f 1286/2000 - h = 22 - b
Desenhista, pintor e escultor. Miguel Ortiz Berrocal nasceu em Villanueva de Algaidas, Málaga - Espanha. Em Madri freqüentou a Academia de Belas Artes São Fernando, Academia de Artes Gráficas, Escola de Artes e Ofícios e foi aluno do escultor Angel Ferrant. Assinava Ortiz. Viveu também na França e na Itália, onde instalou uma fundição. A partir de 1960 dedica-se mais à escultura e passa a assinar Berrocal. De 1952 até 2006 participou de muitos Salões oficiais, Bienais e realizou diversas exposições individuais pela Europa e Estados Unidos. Recebeu vários prêmios, inclusive na Bienal Internacional de São Paulo, em 1973. BENEZIT VOL.1, PÁG.684; ART PRICE; www.berrocal.net

051 - CECCO PREVITALI - (1918 - 2003)
LL Natureza morta - osc - 30 x 50 - cid
Desenhista, pintor, escultor e professor nascido em Azzano San Paolo, Bérgamo - Itália. Foi aluno de Contardo Barbieri e Achile Funi na Academia de Carrara. Participou de inúmeras exposições e Salões oficiais na Itália. ART PRICE; www.auction.fr; www.comune.azzano.bg.it; www.ecodibergamo.it.

052 - LUIZ SACILOTTO - (1924 - 2003)
LL Composição - ser. P.A. - 40 x 40 - cid - 2001
Paulista de Santo André, veio a falecer em São Bernardo do Campo SP. Pintor, escultor, desenhista. Estuda pintura no Escola Profissional Masculina do Brás, entre 1938 e 1943, e desenho na Associação Brasileira de Belas Artes, de 1944 a 1947. Em 1952, integra o Grupo Ruptura, ao lado de Waldemar Cordeiro, Geraldo de Barros, Kazmer Fejer, Leopoldo Haar, Lothar Charoux e Anatol Wladyslaw. Considerado um dos precursores da arte concreta no Brasil, participa de eventos de arte concreta no país e no exterior. Em 1989, recebe o prêmio artes visuais da APCA e, em 2000, é eleito melhor artista pela APCA. "Sacilotto é um operário avançado da parcimônia pictórica e escultórica (...). Que coisa mais simples e primordialmente neoliticado que um pattern de triângulos negros sobre fundo branco que se trianguliza em signos ao mesmo tempo iguais e opostos? No entanto, uma obra como essa tem a fascinação mesmérica de um mandala ocidental. Diacronicamente, aí estão o objet trouvé, a op, a conceitual, a minimal; sincronicamente, quanto mais você olha para ela mais vê coisas e espaços em constantes e inconstantes mutações. É dessa forma que Sacilotto sabe preservar a expressão na construção. " Décio Pignatari, in: LOUZADA, Júlio. Artes plásticas Brasil 1985: seu mercado, seus leilões. São Paulo: vol. 1 1984. p. 853-854. JULIO LOUZADA, vol. 1 pag. 853; ITAU CULTURAL. Acervo FIEO.

053 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Série Futebol - dn - 61 x 48 - cid - 1965
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 006 deste catálogo.

054 - TOMOSHIGUE KUSUNO - (1935)
LL Composição - tm - 102 x 76 - cie e d - 1963
Natural de Yubari, Japão. Pintor, desenhista e gravador. A obra do autor situa-se no limiar entre o formalismo e o objeto. Individuais a partir de 1976, coletivas internacionais em 1982, e premiações diversas. JULIO LOUZADA, vol.4, pág.1101; MEC, vol.2, pág.430 e 431; PONTUAL, págs.295 e 296; TEIXEIRA LEITE, pág.274; WALMIR AYALA, vol.1, pág.452; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 968; LEONOR AMARANTE, pág. 171, Acervo FIEO.

055 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
Pakistan de oração, ponto de nó, feito a mão, de lã, medindo 1,28 x 0,82 m = 1,04 m². -

056 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Sambista - tm - 31 x 21 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

057 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - g - 26 x 10 - cid
Pintor e desenhista austríaco, natural de Viena, transferiu-se para o Brasil em 1928, fixando residência em São Paulo, Estudou no Liceu de Artes e Ofícios da cidade, onde conheceu Valdemar da Costa, com ele fazendo aprendizado de pintura a partir de 1940. Artista estável, sua evolução não sofreu sobressaltos, uma vez formado numa linguagem linear de sensibilidade pessoal, despojada e exigente, rigorosamente artesanal. PONTUAL, pág. 131; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI pág. 645; ARTE NO BRASIL, pág. 798; Acervo FIEO.

058 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Soltando balão - ose - 5 x 5 - cse
Reproduzido sob o nº 143 em catálogo de Lordello e Gobbi - Escritório de Arte - São Paulo. -Nasceu em 27 de dezembro na cidade de Villa Collemandina, na Itália, e fixou-se no Brasil desde 1929, após ter estudado em Florença, e haver-se diplomado em pintura pela Academia Real de Pintura de Lucca. Pennacchi integrou a Familia Artística Paulista. Muralista de inspiração pré-renascentista, sua pintura é sensível e pessoal de modo especial na interpretação dos grandes temas bíblicos e da vida dos santos (mercê de uma infância marcada por sólida educação religiosa Católica), e na evocação do mundo caipira. Realizada em 1973, considerado o Ano de Pennacchi, importante retrospectiva da obra deste festejado artista no MAM de São Paulo. O artista fez exposições em Milão e foi homenageado em seu país natal. TEODORO BRAGA, pág. 192; MEC, vol, 3, pág. 365; WALMIR AYALA, vol, 2, pág. 182; PONTUAL, pág. 416; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 784; Acervo FIEO.

059 - UBIRAJARA RIBEIRO - (1930 - 2002)
LL Figuras - dce - 22 x 31 - ci - 1983
Pintor, desenhista, gravador, artista gráfico, arquiteto e professor paulistano, nascido em 2 de outubro de 1930. Estudou pintura e gravura nas cidade de São Paulo e Salvador, com Pedro Corona, Waldemar da Costa e Mário Cravo Jr. Para o autor a arte é a corporificação de um processo de criatividade e percepção. Expôs individualmente pela primeira vez em 1964, na Galeria Seta-SP. Dentre as coletivas, destacam-se a da FAAP-SP, em 1965, I SPAC-SP, 1969. Foi escolhido como Melhor Gravador do Ano, em 1977, pela APCA. JULIO LOUZADA vol. 11 pág. 266; ITAÚ CULTURAL.

060 - ARTUR PEREIRA - (1920 - 2003)
LL Pássaro - e em mad. - h = 35 - b
Escutor autodidata, natural da cidade mineira de Cachoeira do Brumado, onde começou a produzir em 1960. Esculpia em madeira obras do imaginário, da lida das atividades rurais e da fauna. Expôs individualmente em 1989. PONTUAL, pág. 417.

061 - ALBERTO LIMA - (XX)
LL Cangaceira - dn e a - 22 x 10 - cid
Ex coleção Benjamim Steiner - São Paulo. -Desenhista, pintor e heraldista ativo no Rio de Janeiro. Estudou com Eurico Alves e Gaspar Teles no Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro. Especializou-se em brasões e ex-libris. Trabalhou no Serviço Cartográfico do Exército. Participou do Salão Municipal de Belas Artes, Rio de Janeiro (1948 a 1958), obtendo menção honrosa e medalha de bronze. Citado na ‘Pequena História das Artes Plásticas no Brasil’ de Carlos Rubens (1941) e na ‘Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro’, vol.265, folha 128, outubro / dezembro de 1964. JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG.544; MEC, VOL. 2, PÁG. 476.

062 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Paisagem do Rio de Janeiro - ose - 14 x 45 - cid
Nascido na Itália, radicou-se no Brasil. Seu estilo liga-se ao dos Macchiajoli oitocentistas (os equivalentes italianos dos impressionistas franceses) e ao de Pratella em especial. São especialmente notáveis suas paisagens e marinhas. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 168; JULIO LOUZADA vol.11, pág.54; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

063 - RAIMUNDO CELA - (1890 - 1954)
LL Figura - ost - 60 x 50 - cid - 1941
Pintor, desenhista, gravador e professor, Raimundo Cela nasceu em 19/7/1890, na cidade cearense de Sobral, e faleceu em Niterói, RJ, no dia 6/6/1954. Sempre fiel a temática nordestina, suas telas retratam movimentadas cenas de pesca, jangadeiros, mares bravios e as luminosas praias de Fortaleza. JULIO LOUZADA, vol 13, pág. 80; MEC, vol. 1, pág. 395; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 837; F. ACQUARONE, pág. 215.

064 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Composição - a - 16 x 10 - cid - 1965
Com carimbo de autenticidade do leilão do espólio do artista realizado no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. -Grande pintor brasileiro, nascido em Fortaleza, Ceará e falecido em Paris onde viveu a maior parte de sua curta e rica vida. Começando figurativo, num estilo expressionista, adotou, já em França, um não figurativismo lírico, algo à maneira do grande Wols, seu amigo que iria manter até o precoce fim. É um dos pioneiros da arte abstrata no Brasil. BENEZIT, vol.1, pág.415; MEYER/87, pág.606; MEC, vol.1, págs.159,160 e 167; PONTUAL, págs. 48 e 49; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 71 a 74; TEIXEIRA LEITE, pág. 52 a 54; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 599; LEONOR AMARANTE, pág. 34; Acervo FIEO.

065 - DOMENICO CALABRONE - (1928 - 1999)
LL Figura - m em b Ex. 68 - h = 32 - as.
Pintor, escultor, ceramista e joalheiro. Nascido na Calábria, Itália, completou seus estudos artísticos em Roma, no ano de 1951. Fixou-se em São Paulo em 1954, passando e frequentar a Escola de Arte do Museu de Arte Moderna. Sua escultura, hoje conhecida internacionalmente, destaca-se pelo vigor de suas mensagens e pela alta qualidade artística e técnica. JULIO LOUZADA vol.2, pág.194; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 336; WALTER ZANINI, pág. 770.

066 - BÉLA IVÁNYI GRÜNWALD - (1867 - 1940)
LL Mulheres - ost - 65 x 80 - cid
Adalbert ou Bela Iványl Grünwald - desenhista, pintor e gravador da Escola Húngara, nascido em Somogysom e falecido em Budapeste, Hungria. Freqüentou a Escola de Desenho de Budapeste, a Escola de Simon Hollósy em Munique - Alemanha e Academia Julien em Paris. Foi aluno de Szekely, Lotz, Hacke, Robert Fleury e Bouguereau. Participou de muitas exposições e Salões oficiais recebendo, em 1900, Medalha de Bronze. Possui obras no Museu de Belas Artes de Budapeste. BENEZIT, VOL. 5, PÁG. 248; ART PRICE; www.icollector.com; www.britannica.com.

067 - BAJADO - (1912 - 1996)
LL " Carnaval em Olinda " - tm - 33 x 57 - cie e d - 1974
Natural de Maraial-PE, onde nasceu a 9 de dezembro de 1912, falecendo na cidade de Olinda, no dia 15 de Novembro de 1996. Viveu e foi ativo nas cidades de Recife e Olinda, onde era Cartazista e Pintor de Alegorias para Carnavais. Expôs individualmente em 1990 e 1992. Coletivamente expôs em São Paulo (mostra Tradição e Ruptura), Rio de Janeiro e Paris. Postumamente foram realizadas outras mostras de sua obra. "A matéria-prima de Bajado é o povo de Olinda, com seus costumes, sofrimentos e alegrias; ele os interpreta com bom-humor, em meio a uma atmosfera carnavalesca a que nem sequer faltam, por vezes, a nota fescenina, mulheres de maiô e as sereias praianas, de anatomia desengonçada e tão pouca sensualidade a olhos não-sertanejos. E quando pinta para açougues, neles figura touros enormes, ´bichos que se desgastaram no caminho desde as grutas de Lascaux e Altamira até o sujo matadouro de Peixinhos, e que são mais parentes que propriamente consumo desta população pobre´. " José Roberto Teixeira Leite, na obra abaixo. TEIXEIRA LEITE, pág.51; JULIO LOUZADA, vol.2, pág.96.

068 - CARLOS OSWALD - (1882 - 1971)
LL " Leonardo " - grav. - 27 x 20 - cid
Reproduzido sob o n° 105 do livro "Carlos Oswald", do Museu Nacional de Belas Artes - Rio de Janeiro. -Gravador e pintor, ativo no Rio de Janeiro, estudou na Europa; foi o primeiro a fazer gravura em metal com finalidade artística; dedicou-se a temas religiosos, paisagens, cenas de gêneros e retratos. PONTUAL, pág. 397; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1053; ITAÚ CULTURAL.; WALTER ZANINI, pág. 446; Acervo FIEO.

069 - JUDITH LAUAND - (1922)
LL Composição - ost - 60 x 40 - cid - 1974
Com certificado de autenticidade firmado pela artista. -Nasceu na cidade paulista de Pontal. Em 1950 formou-se em artes plásticas na Escola de Belas Artes de Araraquara-SP. Em 1952, já em São Paulo, estuda pintura com Domênico Lazzarini e gravura com Lívio Abramo. Integra o grupo paulista do movimento de arte concreta em 1955. Participa da Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1955 e 1969; Exposição Nacional de Arte Concreta, São Paulo, 1956; Tendências Construtivas no Acervo do MAC/USP, Rio de Janeiro, 1996; Arte Construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leirner, São Paulo e Rio de Janeiro, 1998 e 1999. Na crítica de Mario Schenberg, ..." Judith Lauand permanece fiel a sua postura e trajetória concretista. Sua obra recente revela a densidade da composição, o apuramento do cromatismo, o equilíbrio do grafismo, conseguidos por constante pesquisa. Judith envereda agora por novos caminhos realizando obras que podem ser chamadas de assimétricas, onde o geometrismo da decomposição cromática destrói a ‘partição eqüilateral’ presente ao longo de sua obra, criando uma nova simetria. " (LAUAND, Judith. Judith Lauand : pinturas. Sao Paulo : Choice Galeria de Arte, 1986. p. 3). JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 479; ITAU CULTURAL.

070 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " Construção da ponte Rio - Niterói " - ost - 27 x 19 - cse e d - 1974
Estudou desenho na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro com Modesto Brocos, formando-se em arquitetura em 1932, nessa mesma escola. A partir de 1935, dedicou-se à pintura mural e, de 1937, à pintura de temas sociais, com predominância de motivos de operários em construção e trabalhadores rurais. Caracteriza-se por uma grande versatilidade técnica, sendo dos raros pintores brasileiros a utilizar, lado a lado, o óleo, a têmpera e a encáustica, além da aquarela e do guache. Participou do Núcleo Bernardelli. PONTUAL, pág. 489; MEC, vol. 4, pág. 243; TEIXEIRA LEITE, pág. 475 e 476; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 324 a 327; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763, Acervo FIEO.

071 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Dançarinas - dn - 23 x 14 - cs - 1929
Com as seguintes inscrições - " Projeto para o Painel do João Caetano - 1929. E. di Cavalcanti. " Com dedicatória. -Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo (Rio de Janeiro RJ 1897 - idem 1976). Pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Inicia sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, reside em São Paulo, onde freqüenta o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons (1865 - 1939). Convive com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Mário de Andrade (1893 - 1945), Guilherme de Almeida (1890 - 1969), entre outros. Em 1921, ilustra A Balada do Enforcado, de Oscar Wilde (1854 - 1900), e publica o álbum Fantoches da Meia-Noite, editado por Monteiro Lobato (1882 - 1948). É o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expõe 12 obras. Em 1923, faz sua primeira viagem à França, onde atua como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, freqüenta a Academia Ranson, instala ateliê e conhece obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso (1881 - 1973), Georges Braque (1882 - 1963), Fernand Léger (1881 - 1955), Henri Matisse (1869 - 1954), Jean Cocteau (1889 - 1963) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta a São Paulo em 1926, trabalha como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. A estada em Paris marca um novo direcionamento em sua obra. Em 1938 viaja a Paris, onde trabalha na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retorna ao Brasil em 1940, trabalha como ilustrador, e publica poemas e memórias de viagem. Em 1972, seu álbum 7 Xilogravuras de Emiliano Di Cavalcanti é editado pela Editora Chile. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.

072 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Flores - ost - 74 x 54 - cid e d
Nascido em Manaus, pioneiro mundial da arte não-figurativa (a qual já praticava desde 1916), Santiago estudou no RJ com Visconti, e foi o principal responsável pelo Núcleo Bernardelli, no qual se formaram tantos dos melhores artistas do Modernismo carioca. Sua arte é um neo-impressionismo de belo colorido e opulentos efeitos de textura. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, pág. 241; TEODORO BRAGA, pág. 211/212; Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, MEC-MNBA / /Rio/1944; MAYER/84, pág. 1158; REIS JR., pág. 378; PONTUAL, pág. 473; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 292; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

073 - HÉLIOS SEELINGER - (1878 - 1965)
LL Papagaios - ostce - 50 x 38 - cie - 1939 - Rio
Natural do Rio de Janeiro, seu pai era alemão e sua mãe brasileira, descendentes de franceses e gregos. O artista estudou na ENBA (1892-1896), onde foi aluno de Henrique Bernardelli. Recebeu influência do artista alemão Franz von Stuck, na Academia de Belas Artes de Munique, onde ali foram seus contemporâneos Kandinsky, Paul Klee e Franz Marc. SEELINGER decorou o salão nobre do Clube Naval do Rio de Janeiro, a convite do Ministério do Marinha (1910). PONTUAL, pág.481; TEIXEIRA LEITE, pág. 466; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 431; ARTE NO BRASIL, pág. 574.

074 - HENRIQUE BOESE - (1897 - 1982)
LL Composição - tm - 38 x 46 - cid
Com a seguinte dedicatória no dorso: " Para Wanda com toda amizade e admiração. Henrique. "Natural de Berlim, Alemanha. Pintor. Realizou seus estudos na sua cidade natal, onde foi discípulo de Kothe Kollwitz, entre os anos de 1918 e 1922. Fixou residência no Brasil em 1938, vivendo algum tempo em Caraguatatuba, no litoral paulista. Sua primeira fase foi dedicada 'a pintura expressionista, voltando-se mais tarde para o abstracionismo, gênero em que se fixou e o consagrou. Participou da II, III, V 'a IX Bienal de São Paulo, entre 1953 e 1967, premiado com Isenção do Júri. Realizou exposições individuais no MAM-SP, nas Galerias Seta, São Luiz e Astreia, todas em São Paulo. Participou de exposição em Hamburgo. na Alemanha. JULIO LOUZADA vol. 10 pág. 121; PONTUAL, pág. 78; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697.

075 - VASCO PRADO - (1914)
LL " Madona " - m em b P.A. - h = 48 - as.
Reproduzido na pág. 15 do livro " Vasco Prado ". Reproduzido em catálogo do Clube da Skultura, realizado pela Skultura Galeria de Arte de São Paulo. - Escultor, desenhista e gravador, VASCO PRADO abriu seu primeiro ateliê em 1941. Bolsista do governo francês, estudou na França na Escola de Belas Artes de Paris, tendo recebido ensinamentos de Fernand Léger. De volta ao Brasil em 1951, foi um dos fundadores do Clube de Gravura de Porto Alegre, ao lado de Scliar. Artista atuante, VASCO PRADO valoriza a sua arte pelo esmero e originalidade de suas obras. JULIO LOUZADA vol.9, pág. 699; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 711; ARTE NO BRASIL, pág. 842.

076 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Colombina - dn - 26 x 14 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

077 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL Fazenda - tm - 22 x 27 - cid - 1980
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 023 deste catálogo.

078 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Lavadeiras - ost - 26 x 30 - cid e d - 2007
Português de Braga, viveu em São Paulo e Minas Gerais, radicando-se definitivamente em Goiânia, desde 1967. O sobrenome artístico Poteiro vem das obras em barro e cerâmica que trabalhou por mais de 12 anos, até se transformar no pintor original e vigoroso de hoje. Amigo de Siron Franco, seu grande incentivador na pintura. WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 217; TEIXEIRA LEITE, págs 31 e 32; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 808; LEONOR AMARANTE, pág. 294, Acervo FIEO.

079 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Figuras - grav. 1/25 - 33 x 50 - cid
Desenhista, gravador, ilustrador, pintor, escultor e professor, nasceu em São Simão, SP. Estuda fundição, mecânica e entalhe em madeira na Escola Profissional Masculina do Brás, SP. Passa a realizar xilogravuras a partir de 1943. Atua como ilustrador do Suplemento Literário do ‘Diário de São Paulo’, do ‘O Estado de S. Paulo’ e do ‘Jornal do Estado da Guanabara’. Quando reside no Rio de Janeiro, a partir de 1949, freqüenta os cursos de gravura em metal, com Henrique Oswald e de litografia, com Poty, no Liceu de Artes e Ofícios. Em Salvador (1952), trabalha com Mario Cravo Júnior. .Recebe o prêmio de viagem ao exterior do Salão Nacional de Arte Moderna (1953) e vai para a Academia de Artes Aplicadas, em Viena. Passa a dedicar-se principalmente ao desenho, à litografia e à gravura em metal. Em 1969, sua obra completa é adquirida pelo governo do Estado de São Paulo, passando a integrar o acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo . Em 1978, a casa em que nasceu, em São Simão, é transformada em museu e tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo - Condephaat. Participou de muitas exposições e das Bienais de: São Paulo (1951 a 1961, 1967, 1969, 1979, 1985, 1989); Veneza (1950, 1956, 1958, 1962); Paris (1959). Principais prêmios: Bienal de São Paulo (1951, 1955, 1957, 1959, 1967); Bienal de Veneza (1950, 1956, 1958,1962); Bienal de Paris (1959). PONTUAL, PÁG. 249; MEC, VOL. 2, PÁG. 281 E 282; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL.1, PÁG. 439; VOL. 5, PÁG. 453; VOL. 9, PÁG. 383.

080 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Torso - e em mar - h = 47 - b
- Reproduzido no convite deste leilão.Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.

081 - NOEL ROSA - (1910 - 1937)
LL Retrato de Aracy de Almeida - dn - 44 x 30 - cie
Músico, letrista e caricaturista nascido no Rio de Janeiro. Foi responsável pela difusão e aceitação do samba como música de qualidade e nas suas composições realizou uma brilhante crônica social do Rio de Janeiro, deixando registrado o universo histórico-cultural do final dos anos 20 e meados dos 30. www.geocities.com

082 - MARIO GRUBER - (1927)
LL Estandarte - ost - 80 x 80 - cid - 2009
Com certificado de autenticidade firmado pelo artista. -Pintor e gravador, Gruber é um dos principais artistas de São Paulo desde quando, ainda muito jovem, tomou parte no Grupo dos 19. PONTUAL, pág. 253; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 370; MEC, vol. 1, pág. 466; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 448; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.649; ARTE NO BRASIL, pág. 803; LEONOR AMARANTE, pág. 376; Acervo FIEO.

083 - PIERRE ALECHINSKY - (1927)
LL Composição - lito. 418/500 - 59 x 68 - cid
Importante pintor e gravador nascido em Bruxelas, Bélgica, no dia 19/10/1927. Reside em Paris, França. Desde muito jovem, o artista estuda na École National Supérieure d`Architeture et des Arts Décoratifs, desenvolvendo ilustrações de livros e tipografia. Aos vinte anos, em 1947, se junta ao Jovem Pintura Belga, grupo que um ano depois se integra ao Grupo CoBrA. Assume a organização das exposições e da revista CoBrA, além de produzir obras de estilo vigoroso e espontâneo para várias mostras. Marcada pela espontaneidade e pelo estilo violento de criação, sua obra caminha pela abstração e pelas múltiplas formas de explorar a criatividade. Com a dissolução do grupo, em 1951, vai para Paris, onde explora o surrealismo de Max Ernst. Participa da última exposição internacional surrealista, organizada por André Breton, em 1963. Depois do CoBrA, o que mais desperta seu interesse é a gravura inspirada nas caligrafias chinesas e japonesas. Em viagem ao Japão, ainda nos anos 50, abandona cada vez mais a pintura à óleo para se dedicar a pintura acrílica. Principalmente depois de 65, sua obra difere muito da realizada na época do CoBrA, buscando sempre novas técnicas e novas experiências, sendo conhecido hoje em dia mais como um artista gráfico do que como pintor. Em qualquer uma das diferentes fases de Alechinsky, a busca pelas novas linguagens e o caráter eruptivo de suas obras estão presentes. BENEZIT, vol. 1 , pág. 99 e 100. ART PRICE ANNUAL 2000

084 - SOBRAGIL GOMES CARÔLLO - (1896 - 1974)
LL Nu - osc - 30 x 24 - cid - 1956 - Paris
Pintor, desenhista e cenógrafo gaúcho, falecido no Rio de Janeiro, onde fixou residência. Foi aluno de Eugênio Latour, em Porto Alegre. Participou de todas as edições do SNBA-RJ, ganhando diversos prêmios, inclusive o de viagem ao exterior 1954. MEC. vol. 1, pág. 360; JULIO LOUZADA, vol. 1 pág 214; RGS, pág. 452. Acervo FIEO. -

085 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Baianas - rel. em b - 46 x 90 - cie
Desenhista, gravador, pintor e escultor, radicado na Bahia. Sua arte é lírica, de boa técnica, baseada no povo, que lhe forneceu o melhor da sua temática. PONTUAL, pág. 116; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 180 e 181; TEIXEIRA LEITE, págs. 111 e 112; MEC, vol.1, pág. 355; BENEZIT, vol. 2, pág. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717;ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

086 - SIEGBERT FRANKLIN - (1957)
LL Índios - dn e a - 23 x 33 - cie - 1984, São Paulo
Pintor, gravador e desenhista, natural de Fortaleza, CE, onde nasceu a 2 de julho de 1957. Dedica-se integralmente à pintura a partir de 1977, trabalhando com instalações e multimídia, computação gráfica e infogravura. Participa de diversos salões oficiais e coletivas, onde ganha vários e importantes prêmios e menções. Sobre a sua obra, assim se manifestou o crítico Antonio Zago, quando da exposição das obras do artista na Galeria Paulo Prado, 1990: " Desta vez Siegbert Franklin nos chega mais urbano e sofisticado. Alguns elementos - característica pessoal da escrita do pintor - permanecem e até se aprofundam: texturas surpreendentes; sombras de objetos flutuantes (que nos levam a refletir sobre a bidimensionalidade da tela); clima de sonho. O amadurecimento do artista, porém, é mais que evidente. Ao transferir-se de sua terra natal para São Paulo (1982), Siegbert Franklin resolveu voltar-se para as cores fortes e elementos típicos da cultura popular nordestina. Era uma tentativa de afirmar sua especificidade na dispersiva megalópolis. Hoje ele assume a urbanidade, mergulhando nas sutilezas da cultura urbana. O referencial mudou. Ao invés dos símbolos típicos da cerâmica e da tapeçaria popular, o artista trabalha com formas arquitetônicas e máquinas, artifício que se tornou a natureza que envolve o homem contemporâneo. Siegbert Franklin passa a habitar a galáxia freqüentada por Miró, Klee e Torres-Garcia. A ambiguidade evoluiu. Às vezes temos a impressão de que o artista quer mais sugerir do que mostrar. A meio caminho entre a abstração e a figuração encontramos na presente mostra uma geometria rigorosa no fundo das telas, contrastando com formas caóticas, cores e texturas absolutamente rebeldes, que recusam a ordem estabelecida, transbordando o limite racional da linha. (...)" ITAU CULTURAL

087 - INOS CORRADIN - (1929)
LL " Noturno Veneziano " - ost - 60 x 80 - cie - 2009
Com certificado de autenticidade firmado pelo autor. -Um dos valores da pintura em São Paulo. Corradin expôs com frequência na Europa e nos Estados Unidos, onde seus quadros são muito apreciados. Também tem se dedicado com igual talento e sucesso a escultura. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 152; PONTUAL, pág. 143; MEC, vol. 1, pág. 448; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 215; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

088 - OSCAR PEREIRA DA SILVA - (1867 - 1939)
LL Natureza morta - ost - 41 x 64 - cid
Grande pintor brasileiro; prêmio de viagem à Europa em 1889, aperfeiçoou-se em Paris com Gérome e Leon Bonnat. "Sem ter revelado impulsos vigorosos que lhe evidenciassem poder emotivo, Oscar Pereira da Silva soube manter no transcorrer de bem cinquenta e sete anos de produção permanente e intensa, desde que retornou ao país, em 1896, todo o cuidado de um desenho severamente elaborado, sem num só instante voltar-se para o novo semblante que a pintura adquiria nessa transposição de tempo. " Quirino Campofiorito, in CAMPOFIORITO, Quirino. História da Pintura Brasileira no Século XIX. Ed.Pinakotheke-SP, 1983. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs. 245/281; TEODORO BRAGA, pág. 177/8; LAUDELINO FREIRE, pág. 383; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 185; MEC, vol. 4, pág.277; PONTUAL, pág. 419; TEIXEIRA LEITE, pág. 402; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 437; ARTE NO BRASIL, pág. 553, Acervo FIEO; F. ACQUARONE, pág. 187.

089 - ANGELO DE AQUINO - (1945 - 2007)
LL Coração - tm - 57 x 76 - ci
Reproduzido sob o n.° 298 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro. -Mineiro de Belo Horizonte, onde nasceu a 2 de agôsto de 1945. Pintor e gravador, assina ÂNGELO DE AQUINO. Seu trabalho tem um bom conceito em Paris, onde encontra mais incentivo e facilidade do que no Brasil. Em muitos de seus quadros aparece a figura do cão Rex, uma de suas criações. Expõe individualmente desde 1969. Coletivamente, desde 1965, inclusive com diversas e respeitadas criticas no exterior. JULIO LOUZADA vol. 13 pág. 19; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 743, Acervo FIEO.

090 - WEGA NERY - (1912 - 2007)
LL " Silêncio das horas " - ost - 92 x 60 - cid e d - 1989
- Reproduzido no convite deste leilão.Natural de Corumbá-MT, estudou desenho e pintura na Escola de Belas Artes em São Paulo entre 1946 e 1949. Nos anos 50, aperfeiçoou estudos com Joaquim da Rocha Ferreira, Yoshiya Takaoka e Samson Flexor. Participou do Grupo Guanabara em 1952 e do Atelier-Abstração, liderado por Samson Flexor, em 1953. Expõs individualmente a partir de 1955. Recebeu o prêmio de melhor desenhista nacional em 1957 e o prêmio aquisição nacional em 1963. PONTUAL, pág. 551; TEIXEIRA LEITE, pág. 541, JULIO LOUZADA vol.9, pág. 919; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 942; LEONOR AMARANTE, pág. 57.

091 - GERARD GASIOROWSKI - (1930 - 1986)
LL Composição - ser. 5/500 - 93 x 64 - cie
Após o treinamento na Escola de Artes Aplicadas entre 1947 e 1951, a obra de Gerard Gasiorowski gradualmente aparece na arte atual, entre 1964 e 1972. Pintor, ele fez um grande trabalho "Precision metal", que promove uma seleção de imagens coletadas com o editor Delpire onde é bibliotecário. Interessados em geral, o retorno da imagem na prática do seu tempo pintando, Pop Art, em particular, ele desenvolveu um trabalho original, sem ligação formal com a corrente. Após 1972, ele rejeita qualquer equação, muito ansioso para construir uma obra de uma "posição" radical. http://fr.wikipedia.org

092 - SERGIO TELLES - (1936)
LL " Barcos e paisagem na Póvoa de Varzim " - ostcc - 20 x 25 - ci e d - 1990
Pintor, professor e diplomata, estudou pintura na ENBA/Rio; foi discípulo de Levino Fanzeres, Paul Gagarin, Rodolpho Chambelland e Paschoal Valente. Artista de renome internacional, consagrou-se pela sua requintada técnica de composição e domínio da cor. Com exposição retrospectiva programada para o Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro em 2009. TEIXEIRA LEITE, pág. 503; MEC, vol. 4, pág. 380; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 319; ITAÚ CULTURAL. Acervo FIEO.

093 - MARIA LEONTINA - (1917 - 1984)
LL Estandarte - p - 32 x 21 - cid - 1965
Aluna de Waldemar da Costa, Maria Leontina é uma pintora que conquista o espectador pela finura de seus acostamentos cromáticos. Em 1947, integrava o Grupo dos 19, e, nos anos "50", passou por interessante fase geométrica. MEC, vol. 2, pág. 471; TEIXEIRA LEITE, pág. 309; PONTUAL, pág. 338; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 772; LEONOR AMARANTE, pág. 25; WALTER ZANINI, pág. 645.

094 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 11 x 20 - cie
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - Monstro sagrado da pintura brasileira, Tarsila é a criadora de duas das principais tendências ou movimentos de nossa arte nacionalista: o Pau Brasil (1924) e o Antropofagia. Sua arte poderia ser definida como um Cubismo adaptado às condições e ao temperamento brasileiros. TEODORO BRAGA, págs. 220/21/22/23; REIS JR.-págs.388/89 ; WALMIR AYALA, vol. 2-págs. 365 e 367 ; MEC, vol. 4-págs. 370/71; PONTUAL, pág. 511; TEIXEIRA LEITE, pág. 492; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 389; ARTE NO BRASIL, pág. 577; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

095 - MANUEL EUDÓCIO - (1931)
LL " Carro tartaruga " - e em br pol. - h = 23 - as. - 2009
Manuel Eudócio Rodrigues, natural de Alto do Moura, próximo a Caruaru, (PE). Começa a modelar o barro da mesma maneira como as demais crianças criadas em ambientes oleiros no Brasil: observando os parentes próximos e fazendo animaizinhos de brincadeira. Em 1949, conhece Mestre Vitalino quando este se transfere para o Alto do Moura, tornando-se então seu discípulo. Assim como Zé Caboclo, seu cunhado, inicialmente produzia esculturas em barro natural. Influenciado pelo mercado, passa a pintar parcialmente as peças com tintas fortes e coloridas. Apaixonado pela "arte de boneco", criou um grande repertório de figuras: cangaceiros, casais de noivos a cavalo, maracatus e Bumba-meu-boi. É considerado um dos primeiros ceramistas da localidade onde nasceu e vive até hoje. Casado, teve nove filhos, dos quais cinco seguiram-lhe o ofício.

096 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Conversando - dn e a - 23 x 36 - cid
Com inscrição no dorso: " O anônimo - era o telefone que chamava. Do outro lado da linha o engraçadinho avisou-me: seu marido tem uma secretária nova. Corri aflita. - E então ? - Realmente era uma secretária nova: um móvel com três gavetas. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

097 - TIKASHI FUKUSHIMA - (1920 - 2001)
LL Composição - ost - 50 x 60 - cid
Natural da cidade japonesa de Fukushima, onde nasceu em 19 de janeiro. Vem para o Brasil em 1940, fixando-se em Lins, SP. Recebendo influência de Manabu Mabe, começa a se interessar por pintura. Em 1946, segue para o Rio de Janeiro, onde estuda com Tadashi Kaminagai, que o orienta na execução de paisagens impressionistas. Participa da I à IX BSP. Seu trabalho sofre transformações mais na direção do cubismo, no período da I à III BSP. A partir de 1957 sua pintura é informal, transformando-se depois no estilo que viria consagrá-lo como um dos grandes pintores abstratos do Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 141; TEIXEIRA LEITE, pág. 210; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 644; LEONOR AMARANTE, pág. 383.

098 - OSWALDO GOELDI - (1895 - 1961)
LL " Os vencidos " - dn - 24 x 35 - cid
Desenhista, gravador e professor, nascido no Rio de Janeiro, filho de Emilio A Goeldi, naturalista suiço. A partir dos seis anos estudou na Suiça. Sua obra sofreu influência do expressionista austríaco Alfred Kubin. Retornando ao Brasil em 1919, realizou no Rio de Janeiro sua primeira exposição em 1921, no Liceu de Artes e Ofícios. Publicou albuns e ilustrou diversos e importantes livros. É artista altamente conceituado no País e no exterior, tendo merecido diversas homenagens póstumas, inclusive em filme. PONTUAL pág. 240; JULIO LOUZADA vol.11, pág130; MEC vol. 2, pág.271; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 521; ARTE NO BRASIL, pág. 672; Acervo FIEO.

099 - SALVADOR DALI - (1904 - 1989)
LL " Princess of the Blossoming Valley " - xilo. 62/150 - 33 x 25 - cid
Com certificado de autenticidade de Studio 57 Fine Arts - New York e reproduzido sob o n° 1079 no catálogo Raisonné do artista. -Pintor, gravador e cartazista. Grande mestre Catalão. Personagem extravagante, louco, irreverente, apocalíptico, são alguns dos adjetivos mais frequentes dados à sua pessoa, mas foi, sobretudo, um gênio. ART PRICE ANNUAL, 2000, págs.582 a 585: BENEZIT, vol.3, págs. 329 a 331; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 309

100 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
LL Musicos - g - 29 x 24 - cie - 1972
- Reproduzido no convite deste leilão.Pintor e desenhista figurativo, integrou o Grupo Santa Helena, juntamente com Volpi, Zanini e outros, e foi um dos organizadores e expositores do I Salão da Família Artística Paulista; suas figuras seguem a disciplina cubista da organização do espaço, destacando-se uma série de Músicos; dedicou-se a pinturas murais e à ilustração de obras literárias. MEC, vol. 2, pág. 280; PONTUAL, pág. 247/8; TEIXEIRA LEITE, pág. 225 a 227; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 784; LEONOR AMARANTE, pág. 58; Acervo FIEO.

101 - ALUIZIO VALLE - (1906 - 1988)
LL Paisagem - ost - 32 x 46 - cie
Aluizio Albuquerque Silva do Valle nasceu na cidade de Paraíba do Sul-PB, e faleceu na capital fluminense de Niterói, onde foi ativo pintor e professor. Estudou na Escola Nacional de Belas Artes, onde foi aluno de Marques Júnior, Cunha Melo, Augusto Bracet e Rodolfo Chambelland. Posteriormente, atua como professor nesta mesma instituição. "A primeira sensação que se tem diante da pintura de Aluizio Valle é a de estar ´tocando´ com os olhos, uma possibilidade do real, que se apoiando em sensível visualidade não elimina a importância tátil da matéria pictórica. São quase sempre paisagens, e frequentemente cenas marinhas, de praias e cais, que nos tomam de surpresa a partir do pretexto puramente descritivo, para em seguida nos embalar no ritmo das pinceladas, na ordem das impressões fixadas, numa nitidez que valoriza mesmo a marca dos fios mais finos do pincel manipulado". Walmyr Ayala, em texto do MNBA. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 1016/1017; ITAU CULTURAL.

102 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Surreal - ost - 54 x 65 - cid - 1969
Pioneiro do surrealismo, o qual praticava desde que chegou ao Brasil, em 1937, fixando residência em São Paulo. Participou de Salões Nacionais e Bienais de São Paulo, entre 1951 e 1965, recebendo diversas premiações oficiais. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 497; MEC, vol. 2, pág. 474; TEODORO BRAGA, pág. 245; TEIXEIRA LEITE, pág. 286; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 630; LEONOR AMARANTE, pág. 142; Acervo FIEO.

103 - ALDIR MENDES DE SOUZA - (1914 - 2007)
LL " Planos agrícolas " - ost - 90 x 140 - d - 1987
Pintor, desenhista, gravador e escultor. Ativo em São Paulo, onde participou da I BNAP (1966), SPAM (1966/7), SACC (1996/7), IX BSP (1967), com premiações. "A cor é o conteúdo e a forma na pintura de Aldir. A geometria ajuda-o a construir a cor, enquanto sua temática, seja ela a Geometria da Terra (o campo) ou a Geometria da Urbe (os edifícios), são formas, meros pretextos e, às vezes, intertextos, para a arquitetura de sua linguagem iconográfica. Se é com a cor que Aldir traça sua geometria, o produto obtido é uma geometria da cor". Alberto Beutenmüller, in18 CONTEMPORÂNEOS. Apresentação de J. Peter Cohn. São Paulo: Dan Galeria, 1987. PONTUAL, pág. 501; MEC, vol. 4, pág. 310/11; CATÁLOGO DA EXPOSIÇÃO PANORAMA DE ARTE ATUAL BRASILEIRA - MUSEU DE ARTE MODERNA / 1976; TEIXEIRA LEITE, pág. 18; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 349; JÚLIO LOUZADA, vol. 10, pág. 40; ITAÚ CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 252; Acervo FIEO.

104 - SAUL STEINBERG - (1914 - 1999)
LL Figura e pássaro - dn e a - 30 x 20 - cid
Desenhista, pintor, gravador, ilustrador, cartunista, escultor, natural da Romênia. Estudou Filosofia em Bucareste, Romênia e Arquitetura em Milão, Itália. Nos anos 30 publicou seus cartuns na revista italiana Bertoldo. Em 1940, seus desenhos começam a aparecer nas revistas Life e Harper’s Bazaar. Vai para os Estados Unidos em 1941 e passa a publicar, regularmente, seus trabalhos na revista The New Yorker por quase 60 anos, além de se dedicar intensamente às diversas formas de expressão. A primeira exposição de seus trabalhos se deu em Nova York, em 1943. E várias outras aconteceram por museus da Europa e Estados Unidos, inclusive no Museu de Arte de São Paulo, São Paulo. Uma retrospectiva de sua obra foi realizada no Museu Whitney de Arte Americana, em Nova York (1978) e uma póstuma no Instituto de Arte Moderna, em Valencia - Espanha (2002). BENEZIT, VOL. 9, PÁG. 805; MEC, VOL. 4, PÁG. 341; www.saulsteinbergfoundation.org; www.artcyclopedia.com/artists; www.britannica.com.

105 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
Nain, ponto de nó, feito a mão, de lã, medindo 1,60 x 0,94 m = 1,50 m². -

106 - ÉLON BRASIL - (1957)
LL " Criança Kamayurá " - ost - 130 x 100 - cse e d - 2008
Artista plástico autodidata, nasceu em 1957, na praia de Jurujuba, em Niterói-RJ, onde aos seis anos de idade começou a rabiscar seus primeiros crayons. Mudando-se em 1968 para São Paulo, aos 12 anos, ganhou sua primeira medalha de ouro na II PINARTE de Pinheiros. Em 1970, juntamente com os artista Aldemir Martins, Clóvis Graciano e Carlos Scliar, Élon ilustrou o livro de poesias "Cantando os Gols" de Tito Battine. Hoje, sua obra figurativa e abstrata é composta por imagens da terra: índios, negros e caboclos, cercados por textura e cores marcantes. Sua temática busca ressaltar e preservar a cultura brasileira e suas próprias raízes. Filho de baianos - mãe negra, neta de índios, e pai (o artista Milton Brasil), neto de imigrantes italianos e portugueses - Élon resgata em sua história e origem, a fonte de inspiração . Ao morar na Suíça por seis meses, obteve a oportunidade de expor o seu trabalho em diversas ocasiões, tornando-se conhecido internacionalmente, principalmente com encomendas para colecionadores europeus.

107 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato azul - ast - 46 x 55 - cie e d - 2003
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 006 deste catálogo.

108 - ROGERIO TERUZ - (1938)
LL Borboleta vermelha - ost - 81 x 65 - cid e d - 1972 - Rio
Pintor e arquiteto, natural do Rio de Janeiro, RJ, filho do pintor Orlando Teruz. Autodidata em pintura. Inicia sua carreira artística em 1969 apresentando seus trabalhos junto com o pai no Copacabana Palace, Rio de Janeiro, RJ. Exposições coletivas: Rio de Janeiro, RJ (1969, 1970, 1973), São Paulo, SP (1969), Salvador, BA (1970) e Curitiba, PR (1987). JULIO LOUZADA, vol.6, pág. 1113 e vol.10, pág.872.

109 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Estudo para escultura - d l cêra - 30 x 21 - cid - 1965
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 080 deste catálogo.

110 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Saudade - ostcm - 76 x 95 - cie - 1937
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 17/03/2010.Estudou com Pedro Alexandrino (1923 a 1928) e aperfeiçoou-se na Itália. Integrou o Grupo Santa Helena, com Rebolo, Zanini, Rosa, Graciano, Pennacchi (1935) e participando em 1937 de exposições da Família Artística Paulista. Pintou paisagens e naturezas mortas, com composição estruturada no cubismo. MEC, vol. 1, pág. 247; PONTUAL, págs. 78/79; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1041; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 258; TEIXEIRA LEITE, pág. 79; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; LEONOR AMARANTE, pág. 72; Acervo FIEO.

111 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Paisagem - ose - 33 x 24 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

112 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Barcos - ose - 15 x 40 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 062 deste catálogo.

113 - FRANCESCO GALLOTTI - (1916 - 1982)
LL Paisagem - ose - 35 x 23 - cid
Pintor italiano residente no Rio de Janeiro. Participando do SNBA, nele recebeu a medalha de ouro. Figurou ainda em outras coletivas, tais como na IX Bienal de São Paulo. Expôs individualmente no Rio de Janeiro, São Paulo e Nova York. Seus trabalhos mantem o carater figurativo, em paisagens, marinhas, figuras e cenas de carnaval, mesclando influências impressionistas e expressionistas. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 429; MEC, vol.2, pág. 237; PONTUAL, pág. 231.

114 - JOAQUIM LOPES FIGUEIRA JUNIOR - (1904 - 1943)
LL Bebê dormindo - dl - 16 x 21 - cid
Reproduzido sob o n.° 294 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões, Rio de Janeiro. -Escultor e pintor, participante do Salão Paulista de Belas Artes em 1934 e 1936, quando recebeu as pequenas medalhas de prata e de ouro. Na Divisão Moderna do SNBA recebeu o prêmio viagem ao País, em 1941. Integrou a Família Artística Paulista, participando de suas mostras entre 1937 e 1940. Quirino Campofiorito, artista e festejado crítico de arte, assim disse a seu respeito: "Faleceu prematuramente Figueira, quando sua obra confirmava um rigor estético que tinha sua medida na simplicidade do modelado e na espontaneidade da objetividade figurativa." MEC, vol.2, PÁG.173; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 348; PONTUAL, pág. 212; TEIXEIRA LEITE, pág.193; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL; WALTER ZANINI, pág. 586.

115 - FELIPE NATHER - (1975)
LL Fundo do mar - ostcc - 46 x 36 - cid
Natural da cidade paulista de Ribeirão Preto, o autor descende de uma família pintores, sendo o pai e o avô artistas já consagrados (Walther Nather e Walther Nather Junior). A obra de Felipe Nather se destaca pela firmeza de suas linhas, que dá formas originais aos seus desenhos, sempre alegres e coloridos, como as cores dos trópicos, que fixa nas telas, para a alegria de todos nós. O artista expõe com regularidade nos EUA, onde é sucesso de crítica e de público.

116 - EDUARDO MORI - (1943)
LL Composição - ost - 30 x 30 - cid
Nascido em São Paulo, iniciou seus estudo artísticos em Paris, onde residiu por longos anos, realizando algumas exposições de desenhos e óleos, retratando cenas do cotidiano. Posteriormente radicou-se em Los Angeles-EUA onde, mais liberto da influência acadêmica, se fixou no abstracionismo, buscando apenas na cor a forma de expressar toda a sua arte, com a qual se consagrou. JULIO LOUZADA vol.11, pág.219

117 - CÍCERO MONTEIRO - (1939)
LL " Carranca " - ost - 40 x 50 - cid - 1983
Alagoano de União dos Palmares, aos dezoito anos foi para o Recife-PE, ingressando na Marinha. Radicou-se em São Paulo, onde produziu intensamente, sendo considerado por Ciccilio Matarazzo, famoso mecenas, um dos mais importantes e originais pintores primitivos brasileiros. JULIO LOUZADA vol.3, pág. 754; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

118 - DAREL VALENÇA LINS - (1924)
LL " O anúncio " - lito. 33/110 - 38 x 30 - cid
Este importante pintor, gravador, desenhista e professor, conquistou em 1957, no SNAM, o prêmio de viagem ao estrangeiro, voltando a ser contemplado na VII Bienal de São Paulo, como o melhor desenhista nacional. Foi aluno de Henrique Oswald e recebeu aconselhamento técnico de Goeldi. MEC vol.3, pág. 18; PONTUAL, pág.160/161; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 715; ARTE NO BRASIL, pág. 839; LEONOR AMARANTE, pág. 125; Acervo FIEO.

119 - SILVIO OPPENHEIM - (1941)
LL Flores - lito. 53/70 - 50 x 70 - cie - 1992
Nascido em São Paulo, formou-se pela faculdade de arquitetura da USP, em 1965. Inicialmente figurativo, passou para a abstração de forma muito natural. Perfeccionista, usa as cores de forma quase puras em requintado grafismo. Participa de exposições desde 1962 com sempre renovado sucesso de crítica e de público JULIO LOUZADA, vol.11, pág.233; MEC, vol.3, pág.301; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

120 - JOSÉ SABÓIA - (1949)
LL Trabalhador - ost - 50 x 40 - cid
Nascido em Almadina (BA). Indo para o Rio de Janeiro em 1967, começou a pintar no ano seguinte, passando a expor seus trabalhos na Feira Hippie de Ipanema. Sua primeira individual deu-se em Fortaleza em 1970; a partir de então, tem exposto com freqüência no Rio de Janeiro e em São Paulo. A pintura de Sabóia partiu de uma raiz eminentemente popular, tendo atingido depois um rebuscamento que se traduz no caprichoso desenho de linhas recurvas, na pincelada lisa, impessoal, no colorido reduzido a três ou quatro tons básicos e na composição, dotada daquele inconfundível horror vacui dos ingênuos. JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 278; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 228; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

121 - ALBERTO LUME - (1944)
LL Marinha - ost - 50 x 100 - cid
No estado. -Nascido José Alberto Nascimento Gomes Lume, natural da Ilha da Madeira, Portugal, em 6 de fevereiro de 1944. Formou-se artísticamente na Europa, onde conviveu com renomados pintores, tornando-se um colorista experimentado. Radicado no Brasil, usa o seu talento para fixar a beleza da cor brasileira. JULIO LOUZADA vol.11, pág. 184

122 - ARNALDO BARBIERI - (1913)
LL Paisagem - ost - 19 x 25 - cid - 1989
Pintor contemporâneo ativo em São Paulo. Ainda muito jovem fez curso de desenho na Escola Profissional de Franca. Transferiu-se mais tarde para a Capital e frequentou por vários anos o ateliê de Aliberto Baroni. A partir de 1959 participou regularmente do Salão Paulista de Belas Artes, onde conquistou inúmeras premiações, inclusive prêmio de aquisição. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 91; MEC, vol, 1, pág. 179; Acervo FIEO.

123 - B.J. TOBIAS - (1894 - 1976)
LL Figura - ost - 65 x 50 - cid
Participou do Salão Paulista de Belas Artes, tendo obtido os prêmios: Prefeitura de São Paulo, Valentim Amaral e I. Dinis, respectivamente em 1934, 1935, 1958, 1961 e 1962. MEC, vol.4, pág.404; THEODORO BRAGA, pág.230; JULIO LOUZADA, vol.4, pág.1098.

124 - CARLOS BORGES - (1959)
LL Paisagem - ostce - 31 x 41 - cie
Pintor e escultor, natural de Itumbiara, GO. Formou-se em Desenho e Artes Plásticas na UNB, Brasília - DF, em 1982. Exposição individual em Brasília (1992). Coletivas em Brasília, Goiânia, GO e Cuiabá, MT (1991). Prêmios: Brasília, DF (1991, 1992). JULIO LOUZADA, VOL. 6, PÁG.142.

125 - MACIEJ ANTONI BABINSKI - (1931)
LL Surreal - grav. 52/80 - 12 x 16 - cid
Natural de Varsóvia, Polônia, viveu sucessivamente na Inglaterra e no Canadá, radicando-se em 1953 no Brasil. Antigo aluno de Maurice Denis em Paris, e expoente da pintura abstracionista canadense. Babinski foi colega de Goeldi, de quem adotou a linguagem expressionista. Esplêndido gravador. Atualmente vive é ativo no Ceará. TEIXEIRA LEITE, pág. 48; PONTUAL, págs. 46 e 47; MEC, vol. 1, pág. 157; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 69; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 24; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 903, Acervo FIEO.

126 - EVANDRO CARLOS JARDIM - (1935)
LL Composição - grav. - 14 x 18 - cid
Excepcional gravador e pintor, diplomado pela Escola de Belas Artes de São Paulo, em 1958. Suas obras são sensíveis, tem apuro artesanal e invenção formal; buscam o insólito da paisagem, transformando em arte quase surreal. PONTUAL, pág. 277; MEC, vol. 2, pág. 372; TEIXEIRA LEITE, pág. 264.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 764; ARTE NO BRASIL, pág. 966; LEONOR AMARANTE, pág. 240. Acervo FIEO. -

127 - FRANCISCO BRENNAND - (1927)
LL Flor - psa - 10 x 10 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 002 deste catálogo.

128 - INGRES SPELTRI - (1940)
LL " Peixe - Opus 18608 " - ost - 50 x 70 - cid e d - 1985
Nasceu em Jau, São Paulo, em 20/01/1940. Pintor, desenhista, escultor, gravador e professor. Apresentando uma pintura de fases bem demarcadas, onde as possibilidades plásticas do cubismo, do construtivismo e do concretismo foram exploradas com paixão e rigor de pesquisa, o autor tem percorrido um rico itinerário em sua incessante buscar de universo expressivo e de uma linguagem pictórica definitiva. O autor é professor titular da Escola Panamericana de Arte, SP. JULIO LOUZADA, vol 1, pág 937; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

129 - OLGA BELTRÃO - (1950)
LL "A magia das hortências" - ost - 80 x 60 - cid e d - 1992
Com dedicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 004 deste catálogo.

130 - RENZO GORI - (1911 - 1999)
LL Rua Árabe - ose - 18 x 13 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 005 deste catálogo.

131 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Flor - ser. - 40 x 40 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 006 deste catálogo.

132 - NILSON PIMENTA DA COSTA - (1957)
LL Índios - asp - 23 x 32 - ci - 1987
Baiano de Caravelas, o autor aprende desenho de forma autodidata, aprimorando-se nesta técnica e iniciando-se na pintura, em ateliê sob orientação de Aline Figueiredo e Humberto Espíndola. Desde o início de sua carreira destaca-se como artista naïf, recebendo diversos prêmios em salões. Participa de várias exposições importantes, entre elas a Bienal Naïfs do Brasil em suas 2ª, 4ª e 5ª edições, organizadas pelo Sesc de São Paulo e do segmento Arte Popular, da Brasil + 500, Mostra do Redescobrimento, na Fundação Bienal em 2000. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 812; ITAU CULTURAL.

133 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Garrafão de vinho " - ost - 60 x 50 - cie e d - 2006
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 008 deste catálogo.

134 - MÁRIO CRAVO NETO - (1947 - 2009)
LL " Animal alado " - ser. - 14 x 23 - 1960
Serigrafia " Mário de La Parra ", assinado na tela serigráfica. -Fotógrafo, escultor e desenhista natural de Salvador, Bahia. Recebeu as primeiras orientações no campo do desenho e da escultura de seu pai, Mario Cravo Júnior . Acompanhando o pai, viaja para Berlim em 1964, onde mantém contato com o artista italiano Emilio Vedova e com o fotógrafo Max Jakob. Em 1968, muda-se para Nova York e estuda na Arts Students League, com orientação de Jack Krueger. Nesse período, realiza a série de fotografias em cores On the Subway e produz suas primeiras esculturas de acrílico. Retorna ao Brasil em 1970, realizando trabalho fotográfico com temática relacionada ao candomblé e à religiosidade católica. Publica diversos livros ligados à sua arte. Recebeu o Prêmio Nacional de Fotografia da Fundação Nacional de Arte - Funarte, em 1996, o Price Waterhouse, no Panorama da Arte Brasileira do Museu de Arte Moderna de São Paulo - MAM/SP, em 1997; e o prêmio de melhor fotógrafo do ano da Associação Paulista dos Críticos de Arte - APCA, São Paulo, em 1980, 1995 e 2005. Expõe individualmente desde 1965 e coletivamente a partir do ano seguinte. JULIO LOUZADA, vol. 13I, pág. 97; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.787; ARTE NO BRASIL, pág. 972; LEONOR AMARANTE, pág. 206.

135 - SALVADOR SANTISTEBAN - (1919 - 1995)
LL Paisagem - ost - 40 x 50 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 010 deste catálogo.

136 - MARIA GUADALUPE - (1914)
LL Paisagem - ose - 20 x 28 - cid - 1972
Seu nome de batismo é Maria Guadalupe Mundin da Costa Canedo, e nasceu na cidade mineira de Monte Carmelo. Atualmente reside em São Paulo-SP, onde é ativa. Pinta profissionalmente a partir de 1969. A partir de 1978 expõe coletivamente a sua obra, que no dizer de Luiz de Almeida Salles " ... Esta arte, arrancada da duração infantil, passa a ser tão natural como as árvores, as tardes, o canto dos pássaros. Maria Guadalupe não nos oferece quadros, mas um mundo coerente e íntegro." ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 232. Acervo FIEO. -

137 - LUIZ PINTO - (1939)
LL " Curva de rio " - ost - 35 x 27 - cid e d
Mineiro de Sete Lagoas, onde nasceu a 19 de agôsto de 1939. Pintor, desenhista, ilustrador e professor. Assina as suas obras: LUIZ PINTO. Foi aluno de Guignard, com quem iniciou seus estudos de pintura, de 1957 a 1960 (Belo Horizonte). Recebeu aulas de Edgard Walter, no Rio de Janeiro (1968-1969). Ativo em São Paulo a partir de 1984, quando aqui se radicou. Artista de méritos, suas obras são muito apreciadas pelos colecionadores do estilo academico. JULIO LOUZADA vol. 13 pág. 265, Acervo FIEO

138 - LYRIA PALOMBINI - (1939)
LL "Sob a chuva" - grav. 18/50 - 41 x 50 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 013 deste catálogo.

139 - LORIS FOGGIATTO - (1913)
LL " Igrejinha Indaiá " - ostce - 59 x 80 - cie - 1973
Natural de Curitiba, PR, onde nasceu em 1 de março, o pintor é ativo em São Paulo. Foi discípulo de Innocêncio Borghese e Aurélia Cavalcanti, na Associação Paulista de Belas Artes.Especializou-se em pintura com Durval Pereira, Colette Pujol e Valdemar da Costa.Pintor diversas vezes premiado, Loris conseguiu se impor como artista desde suas primeiras exibições, pois geralmente seus trabalhos estão classificados entre os melhores nas exposições em que figura. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 550, Acervo FIEO.

140 - PAULO CALAZANS - (1947)
LL " Varal da Francisco Leitão " - ast - 100 x 130 - cid e d - 2009
Mineiro de Caratinga, onde nasceu a 25 de maio de 1947. Gravador, desenhista, fotógrafo e poeta. Dos 15 aos 30 anos executou trabalhos na área visual (pintura, ilustração, gravura, fotografia, cenografia, entre outros), o que gerou a sua formação atual. Sua obra reflete várias tendências, ora passando uma releitura na História da Arte no período 1300/1950, ora desenvolvendo imagens a partir do inconsciente racionalizado. Individuais e coletivas a partir de 1983, com premiações. JULIO LOUZADA vol.11, pág. 49.

141 - REINALDO MANZKE - (1906 - 1980)
LL Paisagem - g - 15 x 10 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 012 deste catálogo.

142 - JOSINALDO FERREIRA BARBOSA - (1951)
LL " Chegada do Gaiola Vapor São Francisco " - ast - 50 x 70 - cid e d - 2008
Pintor, assina Josinaldo. Com diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior. Tambem participou de Salões, entre eles o Salão de Piracicaba. JÚLIO LOUZADA vol. 12 pág. 214.

143 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Velho - osc - 29 x 23 - cie ileg. - 1953

144 - SYLVIO PINTO - (1918 - 1997)
LL " Ponta d'areia " - ost - 60 x 130 - cid - 1989
Com certificado do Projeto Sylvio Pinto, firmado por Ubirajara Pinto Carreras. -Freqüentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro, lá recebendo suas primeiras noções de desenho. Mais tarde, recebe lições do pai - o Pinto das Tintas. Conheceu Pancetti na casa paterna. Em 1938 estudou no Núcleo Bernardelli e a partir de 1940 dedica-se exclusivamente à pintura. Participou de vários Salões de Belas Artes, recebendo inúmeros prêmios. MEC, vol. 3, pág. 419, Acervo FIEO.

145 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL " Marinha " - ose - 10 x 20 - cid - 1970
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

146 - LADÁRIO TELES - (1924)
LL Trem - ost - 50 x 60 - cie - 1977
Pintor, reside e é ativo na cidade de São Paulo. Recebeu orientação dos pintores Américo Mondañez e Cassio M´Boy. "...Possuindo estilo marcante, muito personalístico, Teles pinta cenas reais ou imaginárias do seu sertão baiano, porém de um regionalismo que não descura valores universais." - texto de Américo Pellegrini Filho. JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 1088

147 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Namorados - ost - 35 x 25 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

148 - GERSON DE SOUZA - (1926 - 2008)
LL Família - osm - 11 x 18 - cid
Pintor. Autodidata. Fixou-se no Rio de Janeiro, onde exerceu a profissão de carteiro dos Correios, e onde começou a pintar em 1950. Participou da V Bienal de São Paulo, de vários Salões Nacionais e exposições coletivas no exterior. Várias individuais e coletivas no País. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 127; PONTUAL, pág. 236/237; MEC, vol. 2, pág. 248; TEIXEIRA LEITE, pág. 220; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 347, Acervo FIEO.

149 - NORI FIGUEIREDO - (1949)
LL " Pombo " - grav. 22/26 - 27 x 38 - cid - 1985
Gravador, pintor e desenhista, natural desta Capital. Expõe individualmente em 2005 na Graphias Casa da Gravura (São Paulo, SP), e coletivamente em 1994, na Pinacoteca-SP; 1999 - Rio de Janeiro - Mostra Rio Gravura. São Paulo: gravura hoje no Palácio Gustavo Capanema; 2000 Investigações. A Gravura Brasileira - Itaú Cultural (São Paulo, SP) e 2001 - Investigações. A Gravura Brasileira (2001 : Brasília, DF) - Itaugaleria (Brasília, DF) ITAUCULTURAL.

150 - NERÃO - (ANTONIO JOAQUIM NERY) - (1903 - 1997)
LL " Fulia de reis chegando em uma fazenda " - ost - 38 x 46 - cid - 1987
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

151 - FRANCISCO CASSIANI - (1921)
LL Paisagem - ost - 40 x 50 - cie - 1985
Nasceu em Mogi Mirim/SP, em 22/9/1921. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios em São Paulo e na Associação Paulista de Belas Artes, estudando posteriormente com o professor e pintor Castellane. Dedicou-se especialmente às naturezas mortas e paisagens, encontrando na histórica e bela cidade de Paraty/RJ, sua maior fonte de inspiração. MEC, vol. 1, pág. 368; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 60; Acervo FIEO.

152 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Nu - dlc - 40 x 33 - cid - 1972 - Rio
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 062 deste catálogo.

153 - FERRACIOLI - (1949)
LL " Janela " - ost - 30 x 40 - cie e d - 1978
Nascido em Mococa, SP, FERRACIOLI é um artista com linguagem própria, apresentando um misto feliz de erotismo, misticismo e ficção científica. Dedica-se exclusivamente à pintura desde 1970. Em sua pintura atual, síntese de suas diversas fases, predominam texturas, além da busca de efeitos cromáticos num disciplinado rigor geométrico. Expõe individualmente com sucesso desde 1974, e participa de coletivas desde 1969, inclusive no exterior: Itália, Japão e USA. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.110; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

154 - ROBERTO DE ALMEIDA - (1940)
LL Mulheres - ost - 60 x 63 - cid e d - 1971
Pernambucano do Recife, este artista foi aluno do curso regular da Escola de Belas Artes da Universidade de Munique, Alemanha. Em 1964 participa da fundação do Atelier e Galeria do Mercado da Ribeira, em Olinda, onde também lecionava História da arte. Exposições individuais e coletivas no Rio de Janeiro e coletivas em Salvador e Recife. JULIO LOUZADA, vol.1 pág. 51.

155 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Peixe - m em ac - h = 8 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

156 - MANABU MABE - (1924 - 1997)
LL Composição - ser. 24/100 - 40 x 50 - cid - 1983
Pintor autodidata, veio para o Brasil com a família em 1934, fixando-se em Lins-SP, onde trabalhou na lavoura do café; ligado ao abstracionismo informal, até a metade dos anos 50 fez pintura figurativa, especialmente paisagens e naturezas mortas; dedicou-se ainda à tapeçaria. ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1050; TEIXEIRA LEITE, pág. 296; PONTUAL, pág. 325/6; MEC, vol. 3, pág. 13; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 644; LEONOR AMARANTE, pág. 83, Acervo FIEO.

157 - WALDOMIRO DE DEUS - (1944)
LL Homem de duas caras - ase - 44 x 32 - cid - 2006
Baiano de Boa Nova, Waldomiro de Deus é pintor e gravador. Em São Paulo desde 1960, expunha seus trabalhos nas praças da capital. Expõe em espaços oficiais desde 1965, inclusive no exterior. Ao todo já realizou mais de 100 exposições, com sucesso de crítica e de público. O seu trabalho mescla o misticismo religioso afro-baiano com elementos do cotidiano. ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 239; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

158 - YUGO MABE - (1955)
LL Composição - ost - 50 x60 - cid e d - 1995
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 027 deste catálogo.

159 - GUIDO TOTOLI - (1937)
LL Flores - ost - 65 x 54 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 034 deste catálogo.

160 - CÂNDIDO PORTINARI - (1903 - 1962)
LL " Carneirinhos " - - 112 x 132 - n/as.
Painel artístico impresso a mão, por AdríaticaTextil. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 044 deste catálogo.

161 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Dança - dn - 28 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

162 - HELENOS (EDSON HELENO DA SILVA) - (1941)
LL Figuras - tm - 35 x 50 - cie
Pintor pernambucano, há longos anos em São Paulo, já participou da Bienal de São Paulo e realizou inúmeras individuais. MEC, vol. 2-pág. 334; WALMIR AYALA, vol. 1-págs. 386/7; PONTUAL, pág. 262; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 462, ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO.

163 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 15 x 19 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

164 - GIANCARLO ZORLINI - (1931)
LL " Campus da USP " - ost - 40 x 50 - cid e d - 1990
Médico de profissão, iniciou-se autodidaticamente na pintura, em 1962. É filho do escultor e pintor Ottone Zorlini. Participou diversas vezes do Salão Paulista de Belas Artes, nele recebendo diversas premiações. Sua pintura tem como tema predominante a paisagem. JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 124; MEC vol.4, pág.534; PONTUAL, pág. 559; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

165 - DOMENICO CALABRONE - (1928 - 1999)
LL Abridor de cartas - m em b - 26 x 7 x 3 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 065 deste catálogo.

166 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Composição - ost - 41 x 24 - cid - 1964
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

167 - HUGO ADAMI - (1900 - 1999)
LL Bosque - ost - 55 x 46 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

168 - BIGIO GERARDENGHI - (1876 - 1957)
LL Dama - ost - 58 x 52 - cie - 1924
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 029 deste catálogo.

169 - YOLANDA MOHALYI - (1909 - 1978)
LL " Filho Pródigo " - xilo. - 30 x 23 - cid
Pintora, desenhista e professora. Formação artística na Academia Real de Belas Artes de Budapest. Ativa em São Paulo a partir de 1931. Fez parte do Grupo dos Sete, juntamente com Victor Brecheret, Gomide e outros. Participante de diversas Bienais de São Paulo, entre 1951 e 1967, recebendo diversas premiações TEIXEIRA LEITE, pág. 331; PONTUAL, pág. 363; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 937; LEONOR AMARANTE, pág. 75; Acervo FIEO.

170 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL Dia chuvoso - ose - 35 x 27 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 045 deste catálogo.

171 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Casario - ost - 33 x 46 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 037 deste catálogo.

172 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
LL Fase negra - tm - 20 x 17 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 047 deste catálogo.

173 - ADELSON DO PRADO - (1944)
LL Colheita - ost - 33 x 55 - cse - 1972
Baiano, Adelson do Prado recria, num ambiente singelo, costumes, paisagens e crenças de sua paisagem natal. PONTUAL, pág. 14; TEIXEIRA LEITE, pág. 14; WALMIR AYALA vol.2, pág.221; ITAÚ CULTURAL..

174 - FREDERICO BRACHER JUNIOR - (1920 - 1984)
LL Ouro Preto - ost - 60 x 81 - cid - 1970
Natural da cidade do Rio de Janeiro e falecido em BH, MG. Pintor, desenhista, escultor, gravador, ceramista, violinista, professor de pintura e de violino. Inicia seus estudos de pintura com Amilcar Agretti (1931). Sua pintura, durante toda sua carreira, é realizada dentro do modelo acadêmico. Funda a Associação dos Artistas Plásticos de Minas Gerais. Casa-se com Lélia Lenz, com quem tem quatro filhos: Amarilis, Amíriam, Alexandre e Alcione, dos quais os três primeiros tornam-se artistas plásticos. A partir de 1935 realiza várias exposições individuais no Automóvel Clube de Montes Claros MG e no de Belo Horizonte. Em 1938 recebe o Prêmio de Pintura do jornal Estado de Minas. Inaugura, em Montes Claros, sua primeira escola de artes para o ensino de pintura e música, em 1939. Em 1980 realiza no Palácio das Artes de Belo Horizonte uma retrospectiva em comemoração aos seus 50 anos de vida artística. Em 1986, dois anos após sua morte, o Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro realiza uma ampla retrospectiva da sua obra, numa mostra que segue para o Museu de Arte de São Paulo, e outras cidades. JULIO LOUZADA, vol. 2 pág. 159; ITAU CULTURAL.

175 - JOSÉ BEZERRA - (1952)
LL Figura - e em mad. - h = 48 - as.
Escultor, poeta e músico. Nasceu em Buíque, Pernambuco, vive e trabalha na Reserva Ecológica do Vale do Catimbau, sertão de Pernambuco. Trabalhou na roça até final de 2002 quando iniciou uma nova profissão: a de artesão em madeira. Realizou uma exposição individual em São Paulo, em 2009. ITAU CULTURAL; www.galeriaestacao.combr; www.flickr.com.

176 - CECCO PREVITALI - (1918 - 2003)
LL Paisagem - a - 30 x 40 - cid - 1978
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 051 deste catálogo.

177 - BORJALO - (1925 - 2004)
LL " Protesto " - dn - 40 x 30 - cid
Caricaturista, Mauro Borja Lopes nasceu em Pitangui, MG. Em 1947 começou a trabalhar, na Folha de Minas, com caricaturas esportivas; a seguir , no Diário de Minas, com caricaturas políticas; no Rio de Janeiro, a partir de 1953, nas revistas: O Cruzeiro, A Cigarra e Manchete. Figurou também nas publicações estrangeiras: Washington Post, Sport Life, Stag, Picture Post, Sport et Vie, Sétimo Giorno, Aptonbladet e Combate. Participou do álbum Seis Desenhistas Brasileiros de Humor (1962) e foi premiado no Festival de Bordighere. Exposições coletivas: em 1997: São Paulo, Belo Horizonte e Campinas; em 1998: Brasília e Penápolis, SP. ITAÚ CULTURAL; MEC VOL.1, PÁG. 252.

178 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Cartão de Natal - asp - 26 x 34 - cid - 1977/1978
Com a seguinte dedicatória: Córa, meu amor, este 27° Natal próximo dos 30° só desejo toda felicidade que esperamos e acreditamos. Meu amor etermo e querido beijos do Aldemir. Reproduzido na pág. 91 do livro " Aldemir Martins - 50 anos depois de Veneza ". - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 006 deste catálogo.

179 - HENRIQUE BERNARDELLI - (1858 - 1936)
LL Alegoria - ostcc - 47 x 32 - cid - 1932
Natural de Valparaíso, Chile, Henrique Bernardelli faleceu no Rio de Janeiro, cidade brasileira que adotou, inclusive a nacionalidade na década de 1870. Frequentou a Academia Imperial de Belas Artes, inclusive como aluno de Zeferino da Costa. Em 1878 viajou para a Itália, encontrando-se com o irmão, Rodolfo, escultor, que gozava merecido prêmio de viagem conquistado na Academia. Foi professor da ENBA-RJ. Os seus trabalhos inculcam um temperamento irriquieto, nervoso, sôfrego de impressões. A sua obra é original, vigorosa, cheia de calor e de ousadia. MEC, vol.1, pág.217/218; WALMIR AYALA, vol.1, pág.96/7; TEIXEIRA LEITE, pág.71, ARTE NO BRASIL, vol.1, pág.32; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 411; ARTE NO BRASIL, pág. 392; F. ACQUARONE.

180 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
Pakistan Bukhara, ponto de nó, feito a mão, de lã, medindo 1,70 x 0,98 m = 1,66 m². -

181 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Flores Art Deco - dn - 25 x 15 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

182 - CARLOS FIGUEIRA - (XX)
LL Viela - a - 27 x 18 - cid - Ilha da Madeira
Desenhista e pintor ativo no Rio de Janeiro onde participou do Salão Municipal de Belas Artes (1949) e do Salão do Mar (1968). MEC, VOL. 2; PÁG. 173.

183 - JOSÉ MORAES - (1921 - 2003)
LL Vaso de flores - osm - 60 x 49 - cid - 1962
Carioca, nascido José Machado de Morais, em 10/5/1921. Pintor, gravador, desenhista e professor. Aluno rebelde da antiga Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, foi figura importante no embate entre conservadores e modernos na década de 40, concorrendo com o seu trabalho e militância, para a difusão do modernismo pelo país, e na conquista da "Divisão Moderna", no Salão Nacional de Belas Artes. Foi aluno de Quirino Campofiorito, Portinari, com quem trabalhou na execução de diversas obras. Participou de diversos Salões com merecido reconhecimento. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 230; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 602, Acervo FIEO.

184 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Figura de Candomblé - a - 34 x 50 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 085 deste catálogo.

185 - NICOLAS VLAVIANOS - (1929)
LL Composição - e em f - h = 19 - n/as.
Natural de Atenas, Grécia, veio para o Brasil em 1961, após breve passagem por Paris em 1956, para estudar pintura. Dedicou-se inicialmente à escultura com soldagem de objetos metálicos de uso comum, passando mais tarde a acentuar a " pictorização de sua escultura ", no dizer de Mario Pedrosa, em 1966. Possui obras em diversos museus nacionais e coleção particulares de importância. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 1118; MEC, vol, 4, pág. 496; PONTUAL, pág. 546; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 769; LEONOR AMARANTE, pág. 136.

186 - CARLOS PAEZ VILARÓ - (1923)
LL Pássaro - tm e col. - 69 x 50 - cid - 1965
Importante artista uruguaio, nascido em Montevideo, em 1/11/1923. Desde cedo envolveu-se com as artes gráficas, trabalhando na imprensa em Barracas e Avellaneda, em Buenos Aires. Com paixão desenfreada, o autor passou a dedicar-se inteiramente nos temas do Candomblé e da dança afro-oriental. Esses mesmos temas o motivaram a fazer uma longa viagem aos países onde a raça negra predomina, tais como Senegal, Liberia, Congo, etc, com uma produtiva passagem pelo Brasil. Conheceu Picasso, Dali, De Chirico e Calder em seus ateliês. Participou de diversas exposições e realizou muitos murais por onde andou, sempre com muito sucesso de público e crítica.

187 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Paisagem - osm - 10 x 20 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 062 deste catálogo.

188 - MANABU MABE - (1924 - 1997)
LL Retrato de Shiro Imoto - ost - 46 x 38 - n/as.
Amigo de Mabe que trabalhou com ele na fazenda em Lins. O quadro não está assinado porque ficou em um depósito na fazenda, sendo posteriormente resgatado por seu irmão Satoru Mabe, que trouxe para São Paulo. Registrado sob o n° 1539 no Instituto Manabu Mabe, conforme carimbo no dorso. Registrado sob o n° 1539 no Instituto Manabu Mabe, conforme carimbo no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 156 deste catálogo.

189 - ELISEU D´ANGELO VISCONTI - (1866 - 1944)
LL Flor - dlc - 30 x 20 - cid
Considerado o maior pintor que trabalhou no Brasil, nasceu na Itália, mas fez sua formação artística na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro e em Paris. Foi sucessivamente, realista, simbolista, adepto do Art Noveau e pós- impressionista, até chegar em algumas paisagens já quase no fim da vida, a uma síntese admirável de todos esses estilos e tendências. Sua obra-prima - e uma das obras- primas da arte brasileira de todos os tempos - é a decoração do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, principamente o friso do foyer, iniciado em 1914. TEODORO BRAGA, pág. 240/241; LAUDELINO FREIRE, págs. 515/ 133/ 151/ 510 e 512; BENEZIT, vol. 10, pág. 535; REIS JR., pág. 293 /300 /304 /371 /375/ 380/ 381/ 388/ 389; MEC, vol. 4, pág. 393; PONTUAL, pág. 543/544/545; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 422 e 423; MAYER/84, pág. 1252; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 420; ARTE NO BRASIL, pág. 553; LEONOR AMARANTE, pág. 42; Acervo FIEO; F. ACQUARONE, pág. 171.

190 - ADÃO DE LOURDES CASSIANO - (1956)
LL Pássaros - e em mad. - h = 35 - b
Escultor, natural da cidade mineira de Cachoeira do Brumado. Esculpe em madeira obras do imaginário, da lida das atividades rurais e da fauna. Foi discípulo do escultor Artur Pereira.

191 - ANTONIO DE PÁDUA DUTRA - (1906 - 1939)
LL Paisagem - ostcc - 26 x 35 - cie
Integrante da famosa família de artistas Dutra, o autor também nasceu em Piracicaba-SP. Faleceu em Nápoles, Itália. Era bisneto do pintor Miguelzinho Dutra, filho do pintor, escultor e musicista Joaquim Miguel Dutra e irmão dos artistas João, Alípio e Archimedes Dutra. Em 1926 e 1928 participou da Exposição Geral de Belas Artes recebendo, respectivamente, menção honrosa e medalha de bronze. Desenha com seu irmão Archimedes Dutra a capa do manual de Campanha do Voluntário Constitucionalista em 1932. Em 1937, ganha o prêmio de viagem à Europa do Conselho de Orientação Artística de São Paulo e vai a Florença, Itália. Freqüenta a Real Academia de Florença até 1938, como aluno de Fellice Carena. TEODORO BRAGA, pág.84; REIS JUNIOR, pág.290; WALMIR AYALA, vol.1, pág.275; PONTUAL, pág. 186; MEC, vol.2, pág. 84; TEIXEIRA LEITE, pág. 171; ITAU CULTURAL. Acervo FIEO.

192 - ESTER GRINSPUM - (1955)
LL Composição - tm - 132 x 80 - cid - 1970
Desenhista, escultora, gravadora, pintora e ilustradora nascida na cidade do Recife--PE. Estuda com Baravelli e Marcello Nitsche no Instituto de Arte e Decoração, com Renina Katz, Flávio Império, Cláudio Tozzi, Flávio Motta, Aracy Amaral e Luis Carlos Daher no decorrer da década de 1970. Cursa arquitetura na FAU/USP de 1973 a 1977. Na década de 90, recebe bolsa de pesquisa para artistas da Fundacion Helena Segy, Paris, bolsa de trabalho do European Ceramic Work Center, em s'Hertogenbosch, Holanda, e bolsa de residência no Cité des Arts, Paris. Expõe individual e coletivamente desde 1981, com sucesso de crítica e de público. ITAUCULTURAL; Acervo FIEO. -

193 - IBERÊ CAMARGO - (1914 - 1994)
LL Crianças - dn - 30 x 22 - cid - 1954
Reproduzido no Livro " Resumo " de Antonio Olinto, publicado pela editora José Olympio em 1954. -Natural da cidade de Restinga Seca, RS, e falecido na capital gaúcha. Foi aluno de Salvador Parlagreco e João Fahrion. No Rio de Janeiro, a partir de 1942, estudou pouco tempo na Escola Nacional de Belas Artes, trocando-a pelos ensinamentos de Guignard. Recebeu o prêmio viagem ao estrangeiro em 1947, na Divisão Moderna do Salão Nacional de Belas Artes. Morou dois anos em Paris e Roma, aperfeiçoando-se com De Chirico, Lhote, Achille e Rosa em pintura e Petrucci em gravura. Foi considerado o Melhor Pintor Nacional na VI Bienal de São Paulo, em 1961. MEC, vol.1, pág.328 e 329; WALMIR AYALA, vol.1, pág.156 a 158; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.51; TEIXEIRA LEITE, pág.101; PONTUAL, pág.100 e 101; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 573; ARTE NO BRASIL, pág. 853; LEONOR AMARANTE, pág. 127.

194 - TÚLIO MUGNAINI - (1895 - 1975)
LL Copos de leite - osm - 25 x 20 - cie - 1952
Pintor, Mugnaini realizou sua formação artística na Itália e na França. No SPBA conquistou as pequenas medalhas de prata (1933) e de ouro (1943), o segundo prêmio Fernando Costa (1943), o primeiro prêmio Governo do Estado (1957) e os prêmios Assembléia Legislativa do Estado (1960) e Prefeitura de São Paulo (1961). Recebeu ainda medalha de prata no SNBA de 1936. Pintor de paisagens, figuras e naturezas-mortas, coube-lhe realizar os trabalhos decorativos da Basílica de Nossa Senhora do Carmo-SP. De 1945 a 1965, ocupou a diretoria da Pinacoteca do Estado SP, onde se encontra sua tela "Outono", que exibiu no Salão de Paris de 1934. Recebeu consagradoras premiações nos salões nacionais. PONTUAL, pág. 375; TEODORO BRAGA, pág. 165; MEC, vol. 3, pág. 226; REIS JUNIOR, pág. 376; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 615, Acervo FIEO; ITAUCULTURAL.

195 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL Estaleiro - ost - 113 x 72 - cid - 1939
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 070 deste catálogo.

196 - JOSÉ PANCETTI - (1902 - 1958)
LL Na praia - ag. - 14 x 21 - cie
Nasceu em Campinas e faleceu no Rio de Janeiro. Filho de italianos chegados a Campinas em 1891. Foi marinheiro por longos anos, tendo aprendido a sua arte a bordo dos navios. Era conhecido como o Pintor Marinheiro. Participou do Núcleo Bernardelli, no Rio de Janeiro, onde conviveu com Milton Dacosta, Ado Malagoli e João José Rescala. Participou do SNBA durante vários anos, recebendo premiações. Sobre o artista assim se manifestou Medeiros de Lima: " ... Juntamente com Alberto da Veiga Guignard, Alfredo Volpi e Lasar Segall, Pancetti retoma na pintura a melhor tradição da paisagística brasileira (...) Mas, de todos, Pancetti foi o que melhor soube captar a fôrça, a exuberância e a luminosidade litorânea brasileira" . TEODORO BRAGA, pág. 130; PONTUAL, págs. 403 e 404; MEC, vol. 3, pág. 332; REIS JUNIOR, pág. 383; ITAU CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 380; WALTER ZANINI, pág. 573; ARTE NO BRASIL, pág. 597; LEONOR AMARANTE, pág. 28.

197 - EDÉSIO ESTEVES - (1916)
LL " Largo do circo " - ost - 66 x 80 - cid e d - 1970 - Ouro Preto
Pintor, desenhista e caricaturista. Estudou História da Arte na Sorbonne, Paris, em 1930. No Brasil frequentou a ENBA. Fixou-se em Ouro Preto-MG, quando colaborou intensamente com a imprensa. Sua obra teve influência de Takaoka, a quem frequentou. "Por muitos anos, Esteves pintou Ouro Preto, suas paisagens barrocas tão cheias de matizes intercaladas de luzes e sombras quentes e tão ricas pela variedade de sua beleza. Esteves é realmente um pintor, pois pinta com o coração. Seus figurativos também, tão cheios de cores violentas como os fauvistas, fazem um contraste violento com a delicadeza de suas aquarelas". Inimá de Paula, in E. ESTEVES: Brasilidades III. Apresentação de Mari´Stella Tristão e Inimá de Paula. Ouro Preto: Centro de Cultura Integrada, 1990. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 375; ITAU CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág.180; MEC, vol. 2, pág. 115.

198 - LOIO PÉRSIO - (1927)
LL Composição - g - 21 x 27 - cid - 1972
Loio-Pérsio Navarro Vieira de Magalhães, nasceu em Tapiratiba-SP. Pintor, desenhista, gravador, ilustrador, artista gráfico e publicitário. Estudou pintura com Guido Viaro e fez sua primeira exposição individual, em 1947, no Centro Cultural Interamericano, em Curitiba, PR. No Rio de Janeiro, cursou pintura com Aldo Malagoli e cenografia com Santa Rosa, no Serviço Nacional de Teatro, entre 1949 e 1950. Em 1951, funda o Centro de Gravura do Paraná e trabalha com o pintor alemão Gunther Schierz em ateliê comum. Viajou para a Europa com o prêmio concedido pelo SNAM em 1963. MEC. vol. 3, pág. 391; ITAUCULTURAL.

199 - MARIA FREIRE - (1919)
LL " Composição em quatro tons " - g - 29 x 41 - cid - 1963
Artista do Uruguai que tem realizado inúmeras exposições individuais: Uruguai (1970, 1975, 1977, 1987, 1990, 1992, 1998); São Paulo (1956 - MAM, 1976); Rio de Janeiro (1957 - MAM); Espanha (1958); Bélgica (1959); Argentina (1967). Coletivas: Uruguai (1982, 1983, 1990, 1996, 2006); EUA (1992, 2001); Inglaterra (1994, 1996); Espanha (1997), México (2002); Porto Alegre (2005 - Bienal do Mercosul); Suíça (2005). www.fundacaobienal.art.br; www.artnet.com; artprice.com; www.artinfo.com

200 - JOAQUIM TENREIRO - (1906 - 1992)
LL " Fita Amarela n.° 27 " - e em mad. - 128 x 65 - as. - 1977
Português da cidade de Melo, Serra da Estrela, foi discípulo do Núcleo Bernardelli e de Quirino Campofiorito, no Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência definitiva no Brasil no ano de 1929. Fez o Curso de Desenho do Liceu Português, onde conquista o prêmio Joaquim Alves Meira, a maior láurea daquele estabelecimento. Tem pinturas suas figurando no MAM-SP, no MNBA e Museu Manchete-RJ. Mário Barata escreve a seu respeito: " Depois de uma fatura limpa, de acabamento preciso e claro, Tenreiro, mesmo prosseguindo com certo rigor estilistico, cedeu, ultimamente, 'a tentação das densidades de matéria e ao cromatismo baixo, 'as vezes terroso, cinza, que o informal bastante generalizou." É o renovador do mobiliário brasileiro, responsável por toda uma linha de criação em que a funcionalidade se alia o bom gosto e o aproveitamento racional dos materais do País. MEC, vol.4, págs.381 E 382; PONTUAL, pág.520,; TEIXEIRA LEITE, pág.504; WALMIR AYALA, vol.2, pág.376 e 377 ; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.320; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 580; ARTE NO BRASIL, pág. 763.

201 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Dama - dn - 30 x 18 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

202 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Mulher - dn e a - 27 x 20 - cid - 1946
Pintora e desenhista. Assina Noemia. Realizou sua primeira individual em 1934, no Rio de Janeiro. Residiu na Europa de 1934 a 1940, frequentando em Paris as academias de la Grande Chaumière e Ranson. Expôs em Montevideu e Buenos Aires. Foi citada por REIS JUNIOR e TEODORO BRAGA. Foi aluna (1932) e mulher (1933) de Di Cavalcanti. MEC vol.3, pág. 265; WALMIR AYALA vol.2, pág.135; PONTUAL, pág. 375; TEIXEIRA LEITE, pág. 356; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 684. Acervo FIEO.

203 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Batalha - ost - 45 x 50 - cid e d - 2009
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 078 deste catálogo.

204 - PAOLO RISSONE - (1925)
LL Composição - tm - 48 x 68 - cid - 1962
Pintor natural de Reggio Calabria-Itália. No Brasil por volta de 1948, residiu nas cidades de Santos e Rio de Janeiro. Retornou definitivamente para Itália, em 1968. Participa de várias exposições e executa diversos desenhos para ilustrar o Suplemento Literário, entre 1956 e 1967. Entre as exposições de que participa, destacam-se: I à 7ª Bienal Internacional de São Paulo, de 1951 a 1963 (Prêmio Aquisição,1953; Isenção de Júri, 1961); I Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1952; 27ª Bienal de Veneza, Itália, 1954; 47 Artistas do Prêmio Leirner de Arte Contemporânea, na Galeria de Arte das Folhas, São Paulo, 1959; Obras para ilustração do Suplemento Literário 1956-1967, no MAM/SP, São Paulo, 1993. . JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 965; MEC, vol. 4; PONTUAL, pág. 453; ITAU CULTURAL

205 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Crianças - ost - 50 x 40 - cie - 1973
Reproduzido no convite deste leilão. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 033 deste catálogo.

206 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
LL Composição - ser. 92/100 - 56 x 75 - cid
Pintor, arquiteto-paisagista, desenhista, decorador, artesão de jóias, tapeceiro e litógrafo, nascido em São Paulo-SP. Em 1913 muda-se com a família para o Rio de Janeiro, estudando arquitetura a partir de 1927 na antiga Escola Nacional de Belas Artes. A partir de 1931 trava conhecimento e desfruta da amizade dos modernistas, como Mario de Andrade, Anibal Machado, Guignard, Murilo Mendes, Tarsila, Oswald de Andrade, entre outros. Artista de méritos, ocupa lugar de destaque na cultura nacional. PONTUAL, pág. 94; TEIXEIRA LEITE, pág. 93; MEC. vol.1, pág.303; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.564; ARTE NO BRASIL, pág. 738; LEONOR AMARANTE, pág. 98.

207 - ELZA DE OLIVEIRA SOUZA - (1928 - 2006)
LL Anjo - ostce - 25 x 18 - cid
Pernambucana do Recife. Esta importante pintora iniciou suas atividades com o prof. Ivan Serpa. Integrou o grupo de nordestinos que se apresentou na Galeria Giro, no RJ, em 1968. Seu interesse pelo registro da figura humana é praticamente exclusivo. Walmir Ayala afirma: " ... O biotipo que Elza repete obcessivamente, diz respeito ao povo de sua família conterrânea. São gente do povo, sem sofisticação, despojada do requinte civilizatório, mas embebida de um outro requinte, que diz respeito 'as latadas, trepadeiras em flor, animais domésticos, temáticas." JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 313, Acervo FIEO.

208 - TOMÁS SANTA ROSA - (1909 - 1956)
LL " Pirangi " - g - 27 x 37 - cid
Reproduzido no livro Cacau de Jorge Amado, Editora Martins - São Paulo. -Pintor, gravador, cenógrafo e professor. Oriundo da Paraíba, onde nasceu, fixou-se no Rio de Janeiro, iniciando em 1930 sua bem sucedida carreira de ilustrador de obras de autores estrangeiros e brasileiros, que inclui, dentre outros, Graciliano Ramos, José Lins do Rêgo, Jorge Amado, Castro Alves e muitos outros. Sua obra tem reconhecimento nacional e unanimidade de crítica, havendo se destacado em todas as áreas das artes que praticou. PONTUAL, pág. 472; TEIXEIRA LEITE, pág. 460; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 572; LEONOR AMARANTE.

209 - GILBERTO SALVADOR - (1946)
LL " Greencycle for a love " - ost - 120 x 130 - cid e d - 1987
Paulistano, Gilberto Salvador é pintor e desenhista, desfrutando de reconhecidos méritos pela critica especializada. Participou da IX Bienal de São Paulo (1967) e de outros Salões Oficiais a partir desse mesmo ano, recebendo diversas premiações. MEC, vol. 4, pág. 153; PONTUAL, pág. 469; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 740; ARTE NO BRASIL, pág. 971; LEONOR AMARANTE, pág. 185; Acervo FIEO.

210 - RICARDO CIPICCHIA - (1908 - XX)
LL Mulher - e em mad. - h = 30 - b
Escultor e professor, residiu em São Paulo, onde estudou no Liceu de Artes e Oficios. Trabalhou como entalhador, retratando tipos populares e lendas. Realizou individual no Rio de Janeiro em 1939. Recebeu diversas premiações nos salões oficiais: SPBA 1953; Prefeitura do Município de SP 1934, 1941, etc. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 272

211 - ANGEL BOTELLO - (1913 - 1986)
LL Composição - p - 30 x 44 - cid
Pintor, desenhista, escultor e artista gráfico. Nasceu em Cangas de Morrazo, Galícia, Espanha. De 1920 a 1935 viveu em Bordeaux, França, onde estudou na Escola de Belas Artes. Voltou para a Espanha, lutou na Guerra Civil Espanhola, vai para a França e República Dominicana (1939), Cuba (1940), Haiti (1944 a 1953). Em 1953, muda-se com sua família para San Juan, Puerto Rico, até vir a falecer depois de intensa atividade artística e viagens de estudo à Paris e Itália. Exposições: República Dominicana (1940); Haiti (1944); EUA (1972, 1980, 1987), Puerto Rico (1977); Inglaterra (1990); Espanha (2005). en.wikipedia.org; artbrokerage.com; web.artprice.com; www.christies.co.uk; www.artnet.

212 - IVAN MARQUETTI - (1941)
LL " Flores " - ost - 43 x 67 - cid e d - 1965
Ivan João Alvarez Marquetti, desenhista e pintor, nasceu no Rio de Janeiro. Assina Marchetti. Sua formação artística foi no Rio de Janeiro, Ouro Preto - MG e França. Participou de inúmeras exposições e Salões oficiais. Individuais: Brasília, DF (1986); Rio de Janeiro (1971, 1974); Recife, PE (1972, 1973). Coletivas: Rio de Janeiro (1961, 1967, 1971, 1974, 1978, 1982, 1983); Brasília, DF (1971, 1976, 1981, 1986, 1988); Recife, PE (1973); São Paulo (1977), Belo Horizonte, MG (1992, 1995). JULIO LOUZADA, VOL. 3, PÁG.690; VOL. 4, PÁG. 690; VOL. 6, PÁG. 681; VOL. 8, PÁG. 535; PONTUAL, PÁG. 342; MEC, VOL.3, PÁG. 76, ITAU CULTURAL.

213 - JOÃO ALVES - (1905 - 1970)
LL Capoeira - ost - 31 x 36 - cid
Pintor ingênuo, autodidata, cuja obra tem como tema a paisagem urbana de Salvador, capital de seu Estado natal. Expôs individualmente no Museu de Arte Moderna de Salvador em 1961, e na Galeria Montmartre - RJ em 1965, com apresentação de Jorge Amado. JULIO LOUZADA vol. 9 pág 38; TEIXEIRA LEITE, pág. 22; ITAU CULTURAL; MEC, vol. 1, pág. 71; PONTUAL, pág. 20. Acervo FIEO.

214 - ANTONIO RECALCATI - (1938)
LL Composição - lito. 7/500 - 76 x 57 - cid
Pintor italiano viveu entre Milão e Paris, tendo participado de exposições individuais em praticamente todas as cidades da Europa e nos Estados Unidos. Também ganhador de inúmeros prêmios em salões europeus e americanos. BENEZIT, vol. 8, pág. 638.

215 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Mulheres - dn e a - 16 x 22 - cid
- Reproduzido no convite deste leilão. - Com etiqueta da 4° Exposição " Pequeno Formato " realizada pela Villa Bernini Objetos de Arte - Rio de Janeiro, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 071 deste catálogo.

216 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL Paisagem - a e p - 24 x 18 - cid - 1942
Fez parte da Família Artística Paulista, grupo com o qual expôs. Notáveis foram suas paisagens, tendo José Geraldo Vieira afirmado ser ele "o pintor da paisagem paulistana". MEC, vol. 4, pág. 531; PONTUAL, pág. 557; TEODORO BRAGA, pág. 250; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 451; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 778; LEONOR AMARANTE, pág.38; Acervo FIEO.

217 - SERGIO TELLES - (1936)
LL Figuras - tm - 23 x 30 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 092 deste catálogo.

218 - HERMELINDO FIAMINGHI - (1920 - 2004)
LL Composição - g - 47 x 31 - cid
Nasceu em São Paulo, a 22 de outubro de 1920. Pintor e artista gráfico. Dedicou-se regularmente à pintura a partir de 1950, com seu mestre Volpi. Foi um dos pioneiros do concretismo, com o qual rompeu anos mais tarde, para fazer uma pintura mais solta, através de seu diálogo com a cor e da interação com a luz em contato com a natureza. Expõs individualmente a partir de 1961 e coletivamente desde 1955, sempre com premiações. JULIO LOUZADA, vol. 4 pág. 401; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 928; LEONOR AMARANTE, pág. 75.

219 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Cisnes - dn - 14 x 24 - cid
Procedente da coleção de Ninoross Bastos Ribeiro - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 094 deste catálogo.

220 - DEMÓSTENES FIDELIS - (XX)
LL " Xadrez de cangaceiros " - - as.
Tabuleiro de xadrez com com 32 peças, medindo 40 x 40, feito com goma de mandioca. -

221 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Figura - dn e a - 41 x 29 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

222 - QUIRINO DA SILVA - (1902 - 1981)
LL Paisagem de São Paulo - osm - 35 x 22 - cie - 1934
Nasceu no Rio de Janeiro e faleceu em São Paulo. Pintor, gravador, escultor e crítico de arte. É considerado como uma das mais legítimas expressões nas artes plásticas do Brasil. Muito dinâmico e dotado de espírito inquieto, fez de São Paulo o campo de suas aspirações, onde participou de vários movimentos artísticos locais, tendo sido o crítico de arte responsável do Diário de São Paulo e dos Diários Associados. Foi então que, por sua iniciativa e insistência junto a Assis Chateaubriand, foi criado o MASP. Integrou-se no movimento que já vinha da Semana de 22. JULIO LOUZADA vol.9, pág. 708; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 545; ARTE NO BRASIL, pág. 795.

223 - ROSINA BECKER DO VALLE - (1914 - 2000)
LL " Colombina " - dch - 40 x 15 - cid - 1978
Foi aluna de Ivan Serpa, no Atelier Livre de Pintura do MAM-RJ. Pintora ingênua ou naif, Rosina tem como principais temas as manifestações populares, como carnaval, capoeira, etc. Participa de coletivas oficiais desde 1957 (Salão Nacional de Arte Moderna-RJ). Diversas instituições possuem obras suas em acervo, tais como MAM-RJ, MAM-SP, Museu de Buenos Aires, Museu de Hamburgo, Alemanha, Fundação Castro Maia-RJ. etc WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 401; MEC, vol. 4, pág. 441; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 330; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 810.

224 - SAMSON FLEXOR - (1907 - 1971)
LL Composição - g - 40 x 30 - cid - 1954
Pintor nascido na Romênia, estudou em Paris, onde fez em 1927 sua primeira individual, radicando-se em 1946 em São Paulo, onde faleceu. Foi um dos pioneiros do abstracionismo no Brasil, tendo criado em 1948 o Atelier Abstração. Em 1968 sua obra foi objeto de importante retrospectiva no MAM-RJ. BENEZIT vol. 4, pág. 402; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 313/4; TEIXEIRA LEITE, pág. 198; PONTUAL, pág. 217/8; MEC, vol. 2, pág. 179 e 180; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 917; LEONOR AMARANTE, pág. 75; WALTER ZANINI, pág. 643, Acervo FIEO.

225 - JUDITH LAUAND - (1922)
LL Composição - ost - 60 x 92 - cid e d - 1976
- Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 069 deste catálogo.

226 - AGI STRAUS - (1926)
LL Plantas - tm s/m - 110 x 160 - cid
Pintora, desenhista e gravadora. Vindo residir em São Paulo, aqui estudou com Darel e Poty, no Museu de Arte de São Paulo, dedicando-se, também, ao aperfeiçoamento na pintura e técnica do afresco com Gaetano Miani. Recebeu no SPAM diversas premiações. Desde 1955 vem realizando exposições individuais em São Paulo e no exterior. A respeito de seus trabalhos, por volta de 1964, disse José Geraldo Vieira serem eles realizados com "sensibilização prévia do suporte, seja pergaminho, tela ou duratex, para conseguir texturas de fundo, impregnação, relevo e matéria. Para tanto a artista suplica a superfície a fim de tranformá-la em bossagem adequada (...) resultam sugestões híbridas, espaciais e telúricas, mas sempre expressionistas por causa da desagregação cromática e dos efeitos de microgeografia ou siderais". JULIO LOUZADA,vol. 11, pág. 312; MEC, vol. 4, pág 343/44; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 355; PONTUAL, pág. 506; TEIXEIRA LEITE, pág. 488; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

227 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Surreal - ost - 70 x 90 - cid - 1972
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 102 deste catálogo.

228 - TADASHI KAMINAGAI - (1899 - 1982)
LL Figura - ost - 40 x 28 - cid e d - 1955
Grande pintor japonês da Escola de Paris, amigo de Marquet, Vlaminch e Déiran, entre outros, passou no Brasil praticamente toda a década de 1940, aqui se ligando de amizades a pintores como Portinari, Pancetti e Djanira, e iniciando na arte vários jovens pintores de ascendência nipônica, como Flávio Shiró Tanaka, por exemplo. Autor de paisagem, naturezas mortas e retratos de excelente qualidade pictórica, Kaminagai veio freqüentes vezes ao Brasil, onde expôs com enorme sucesso. TEODORO BRAGA, pág.134; BENEZIT, vol.6, pág.152; WALMIR AYALA, vol.1, pág.435 e 437; MEC, vol.2, pág.401; PONTUAL, pág.287; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 643; ARTE NO BRASIL; Acervo FIEO.

229 - LEÓN FERRARI - (1920)
LL Sala de aula - lito. 46/70 - 50 x 35 - cid - 1984
Gravador e escultor argentino, natural da cidade de Buenos Aires. Começou a fazer escultura em 1954, com diversos materiais e com arame de aço inoxidável. Em 1962, iniciou sua série de desenhos escritos. Em 1964 colaborou com Rafael Albertino no livro de poesias e desenhos "Escritos en el Aire", editado por Vanni Scheiwiller em Milão. Em 1965, abandonou a arte abstrata e participou do movimento cultural que acompanhou a atividade política argentina, colaborando na organização de diversas mostras coletivas. A partir de 1976 fixa residência no Brasil, em São Paulo, onde voltou a esculpir e experimentar outras técnicas, como fotocópias, etc. Desenvolveu uma série de esculturas sonoras que deram origem aos instrumentos lúdicos musicais com os quais deu 4 concertos-performance. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 403

230 - OZIEL DIAS COUTINHO - (1960)
LL Cão - e em mad. - h = 40
Nasceu em Itabaiana, Paraíba. Vive na comunidade do Alto da Boa Esperança, região do agreste, Paraíba. Trabalhou como marceneiro numa fábrica de móveis por seis anos. Hoje, como autônomo, continua fazendo móveis e essa profissão o levou a se interessar em esculpir bichos e pessoas. LIMA, BETH E VALFRIDO " EM NOME DO AUTOR " ED. PROPOSTA EDITORIAL; www.galeriabrasiliana.com.br

231 - MITSUTAKA KOGURE - (1938)
LL " Cidade Potosi Pelú " - ost - 74 x 104 - cid - 1972
Natural de Gunmaken, Japão. Formou-se na Escola de Belas Artes de Tóquio. Participou de coletivas naquela cidade até 1960, quando fixa residência em São Paulo. Figurou desde então na BSP (1963) e dos VII e VIII salões de Artes Plásticas do Grupo Seibi, com premiações. Participou também dos salões organizados pelo MAM-RJ e do SPAM-SP. Conforme texto do pintor Tikashi Fukushima, Kogure "pinta becos e cantos obscuros, dando-lhes colorido mágico, modernizando a estrutura." JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 512; MEC, vol. 2-pág. 410; ROBERTO PONTUAL, pág.292; Acervo FIEO.

232 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Peixe - dn e a - 24 x 26 - le - 1968
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 006 deste catálogo.

233 - CYLENE BITTENCOURT - (1929)
LL " Lavadeira " - ost - 46 x 55 - cid e d - 1982
Pintora e desenhista carioca estudou de 1946 a 1950 com Carlos Chambelland, e de 1950 a 1955 na Escola de Belas Artes Dom Henrique Cavalleiro. Residiu em Paris de 1958 a 1968, ali se dedicando ao desenho industrial, com padrões de tecidos para firmas da França e Itália. Só recomeçou a pintar em 1974, passando por uma fase abstrata, antes de encenar de novo o figurativismo com nús, bailarinas, crianças. Após uma série de banhistas, em 1976, assumiu sua temática, atual, onde preponderam artesãs, operárias, gente humilde que usa as mãos para criar. JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 128.

234 - ALUISIO CARVÃO - (1920 - 2001)
LL Composição - dn - 30 x 20 - cid
Importante pintor, escultor, Ilustrador, ator e cenógrafo brasileiro, natural de Belém-PA. Em 1952 estuda pintura com Ivan Serpa, no MAM-RJ, participando, entre 1954 e 1956, Grupo Frente e, entre 1960 e 1961, integra o Grupo Neoconcreto. Nos anos seguintes viaja para a Europa com o prêmio de viagem recebido no SNAM-RJ. No fim dos anos 60 passa a empregar materiais não tradicionais, como tampinhas metálicas de garrafa, pregos e barbante agrupados em suportes de madeira. Em 1996 ocorre retrospectiva de sua obra no Museu Metropolitano de Arte, em Curitiba, no Museu de Arte Moderna - MAM/BA e no MAM/RJ. "A preocupação inicial de Aluísio Carvão era com a forma: reduzir a obra a estruturas elementares, gestálticas. A partir da dissidência neoconcreta, da qual fez parte, é a cor que irá se impor, envolvendo a estrutura, ou melhor, a cor é, ela mesma, espaço. Carvão não é um pintor metafísico. Através da cor ele revela sua relação sensual com o mundo. Como ele diz: ´Vermelhos-guarás, araras, aroma das flores de manacá, o som do vento terral, o calor equatorial, o amarelo-laranja do sol, ressonâncias atávicas de Van Gogh e Mondrian, em trânsito pela Península Ibérica, Nordeste, Amazônia e nosso litoral daqui´. Nas pinturas da ´série cromativa´ ou no ´cubocor´ da fase neoconcreta, Carvão dá à cor sua máxima concretude e fisicalidade, mas, feito isto, ocorre a retração da cor, que se mutiplica em complementares, abrindo caminho para a caracterização como espaço lírico, território da memória. Sua linguagem e seus motivos são aéreos: sóis, luas, pipas, bandeirolas, mastros, arcos. Enfim, são formas que voam e ascendem, sem contudo perder o vínculo com a terra. " Frederico Morais, in MORAIS, Frederico. Vertente construtiva. In: DACOLEÇÃO: os caminhos da arte brasileira. São Paulo: Júlio Bogoricin, 1986. p. 131-132. JULIO LOUZADA, vol. 5 pág. 210/211; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, 655; LEONOR AMARANTE, 75; ARTE NO BRASIL, 921; Acervo FIEO.

235 - AMILCAR DE CASTRO - (1920 - 2002)
LL Composição - ost - 90 x 120 - d - 1988
- Reproduzido no convite deste leilão.Escultor e desenhista mineiro, nascido em Paraisópolis. Autodidata em escultura, estudou desenho e pintura com Guignard (BH, 1942-1950). Assinou o manifesto do movimento neoconcreto, participando das exposições do grupo no MAM-RJ (1959), MAM-SP (1961), MEC-RJ (1960). " ... o ponto comum de todas elas (as obras do autor) estava na expressão de uma fôrça interior contida pelos ritmos implacáveis e decisivos da estrutura." (Ferreira Gullar, referindo-se às obras do autor na época das exposições do Grupo). Amilcar participou das Bienais de SP de 1953 a 1965, nos SNAM, entre 1960 e 1967, além de tantas outras mostras de expressão internacional, que lhe trouxeram prestigio de público e de sempre elevada crítica. ITAÚ CULTURAL; PONTUAL, pág. 119; JULIO LOUZADA, VOL, 10 pág, 198; MEC, VOL, 1 pág, 386; WALTER ZANINI, pág. 656; ARTE NO BRASIL, pág. 872; LEONOR AMARANTE, pág. 136; Acervo FIEO.

236 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Fundo de quintal - ost - 40 x 50 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

237 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Lago - ose - 24 x 30 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 062 deste catálogo.

238 - RONI BRANDÃO - (1935 - 1991)
LL Figuras - ost - 80 x 60 - cie e d - 1971
Pintor e desenhista, nascido em Pirajú-SP. Começa a dedicar-se às artes a partir de 1967. Iniciando com desenhos em preto e branco, depois veio a cor, o óleo, trazendo as grandes figuras femininas. Depois de 1978 as paisagens se expandiam, silenciosas, infinitas, como se fossem de outros planetas. Participou de exposições e salões nacionais e internacionais a partir de 1967, recebendo diversos prêmios. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 150; MEC, VOL 1, pág, 291; ITAÚ CULTURAL.

239 - SANTE SCALDAFERRI - (1928)
LL " Diogenes procura um palhaço " - ost - 65 x 50 - cid e d - 1967 - Bahia
Natural de Salvador, BA, este importante pintor brasileiro estudou na Escola de Belas Artes da Universidade da Bahia, onde realizou sua primeira exposição individual, em 1957. Foi um dos fundadores da Organização Nacional dos Estudantes de Arte, em 1953. Participou de diversos salões oficiais com premiações e expôs individualmente, nas galeria Domus (Salvador), Goeldi (RJ), Atrium (SP), etc. A seu respeito disse Paulo Gil, em 1965: "... optou pela documentação de aspectos da cultura popular brasileira, mas conferindo-lhe um tratamento erudito (...) é um pintor de ateliê que buscou nas manifestações do povo da Bahia, na sua própria cultura baiana, a magia que marca seus quadros". PONTUAL, pág. 477; JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 1010; Acervo FIEO.

240 - TIDE HELLMEISTER - (1942 - 2009)
LL Composição - tm - 41 x 31 - cid
Artista plástico, pintor, desenhista paulistano, com participações em diversas exposições coletivas em São Paulo e Rio de Janeiro. É hoje um dos mestres da colagem no Brasil. ITAÚ CULTURAL.

241 - AUGUSTO PEIXOTO - (XX - XX)
LL Paisagem - ost - 44 x 34 - cid - 1971
Nos anos 50 criou e iniciou a Feira de Arte da Praça da República em São Paulo, movimento intitulado "Arte para o Povo". Pintor primitivo, é um dos mais autênticos representantes da temática nacional. Em 1963, Geraldo Ferraz escreveu no jornal O Estado de São Paulo: "Sua pintura possui uma poesia própria e se afirma como grande provocadora de choque". Individuais a partir de 1959 por diversas cidades do País, participando de Coletivas desde 1961, inclusive no exterior, sempre com sucesso de crítica, público e vendas. JULIO LOUZADA, vol.4 pág 860 e 861.

242 - CARL BRUSSELL - (1915)
LL Mulheres - ost - 40 x 30 - cie e d - 1981 - Bahia
Desenhista e pintor, Carl Didrich Brussell nasceu em Salvador, BA. Assina C. Brussell .Filho de pais suecos, aos dez anos viajou para a Europa e iniciou sua formação artística com Beskowska Skolan, em Estocolmo, Suécia. Aos vinte anos voltou para o Brasil e continuou seu aprendizado com o prof. Manoel Mendonça Filho. Exposições individuais: Salvador, BA (1970 a 1973, 1976, 1977, 1979); São Paulo (1977, 1981); Rio de Janeiro (1983, 1984, 1986); Estocolmo, Suécia (1983); Campinas, SP (1985). Coletivas: São Paulo (1948, 1977, 1978, 1980, 1981, 1984, 1985, 1988); Salvador, BA (1950, 1974, 1976 a 1979, 1982); Nova York, EUA (1969); Rio de Janeiro (1972, 1973, 1979, 1982, 1983); Recife, PE (1977, 1978); Londrina, PR (1981, 1985); Vitória, ES (1986). Em 1950, foi premiado em São Paulo. JULIO LOUZADA, VOL. 3, PÁG. 170; VOL. 4, PÁG. 183; ITAU CULTURAL.

243 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL Figura - lin. g - 24 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

244 - CÍCERO MONTEIRO - (1939)
LL " Bumba meu boi " - ost - 50 x 40 - cie - 1983
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 117 deste catálogo.

245 - JOSÉ SABÓIA - (1949)
LL Colheita - ost - 30 x 60 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 120 deste catálogo.

246 - EDITH PFISTER - (1925)
LL Marinha - ost - 38 x 55 - cid - 1944
Pintora e professora, nasceu em Zurich, Suiça. Radicada no Brasil a partir de 1926, fixando residência com a família em São Paulo. O pai, Eugen Pfister, pintor, iniciou-a na pintura. Recebeu orientação dos mestres Castellani, Mecatti, Nestor Peres e Collete Pujol. Concorreu com regularidade nos Salões da APBA e no SP; a artista também participou de diversas coletivas no Brasil e no Exterior, sempre com premiações. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 762

247 - ARNALDO BARBIERI - (1913)
LL Carro de bois - ostce - 16 x 22 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 122 deste catálogo.

248 - F. IZIDRO MONTEIRO - (1893 - 1965)
LL Autorretrato - osm - 25 x 12 - cie e d - 1936
Pintor, desenhista e professor nascido na cidade do Rio de Janeiro, cidade onde inciou a sua carreira artística, através do Liceu de Artes e Ofícios e, mais tarde, na antiga ENBA, onde teve como professores Rodolfo Chambelland, Lucilio de Albuquerque e Baptista da Costa. Participou de diversos Salões oficiais, a partir de 1948. Era formado em Farmacologia. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 643

249 - JANOS VISKI - (1891 - 1969)
LL Barcos - a - 27 x 29 - cid
Realizou seus estudos em Budapeste. Pintou cenas da vida dos pastores da Hungria e dos pampas da Argentina, país para o qual se transferiu em 1936. Após, realizou diversas exposições em Buenos Aires e mudou-se para o Brasil, fixando-se no Rio Grande do Sul. Participou de diversas exposições em Porto Alegre durante os anos em que ali morou, regressando algum tempo depois para Budapeste, onde veio a falecer. JULIO LOUZADA vol.5, pág.1116.

250 - MACIEJ ANTONI BABINSKI - (1931)
LL Surreal - grav. 44/80 - 17 x 14 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 125 deste catálogo.

251 - EVANDRO CARLOS JARDIM - (1935)
LL Cavaleiro - grav. - 14 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 126 deste catálogo.

252 - FRANCISCO BRENNAND - (1927)
LL Cinzeiro - e em c - 15 x 15 x 3 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 002 deste catálogo.

253 - IGNÁCIO DA NEGA (IGNÁCIO RAMOS DA SILVA) - (1945)
LL " A casa do piriquito " - ost - 40 x 50 - cid e d - 2009
Natural de Surubim, PE. Iniciou-se na decoração de andores de procissão, ajudando a sua mãe. Recebeu orientação de Alaerte Bandim. Em São Paulo, orienta-se com M. Boy e Iracema Arditi. Seu tema preferido são as cenas típicas do nordeste. Participou de diversas exposições coletivas e individuais. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 511. Acervo FIEO. -

254 - OLGA BELTRÃO - (1950)
LL "Renascimento" - ost - 40 x 20 - cid e d - 1996
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 004 deste catálogo.

255 - RENZO GORI - (1911 - 1999)
LL Rua Árabe - ose - 13 x 18 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 005 deste catálogo.

256 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Índia - grav. 17/20 - 14 x 8 - cid - 1951
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 006 deste catálogo.

257 - RODOLPHO TAMANINI NETTO - (1951)
LL Quintal - ost - 33 x 46 - cie - 1969
No estado. -Nasceu em São Paulo. Pintor urbano, soube captar o ambiente de sua cidade natal, essa cidade tão complexa, tão imensa, tão feia, mas que a gente ama, ficando com jeito de explicar as razões dessa paixão para quem não vive aqui (Jacques Ardies). JULIO LOUZADA vol.9, pág. 834; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 235.

258 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Av. Paulista às 23:00h " - ost - 40 x 55 - cid e d - 2009
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 008 deste catálogo.

259 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
LL Composição - psa - 30 x 30 - n/as.
No estado. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 206 deste catálogo.

260 - SALVADOR SANTISTEBAN - (1919 - 1995)
LL " Mário Zanini pintando no campo " - ost - 50 x 61 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 010 deste catálogo.

261 - ROSSINI PEREZ - (1932)
LL Composição - grav. 7/30 - 60 x 39 - cid
Gravador e pintor, Rossini Quintas Perez nasceu em Macaíba-RN, mudando-se com a família para o Rio de Janeiro em 1940. Em 1951, freqüenta a Associação Brasileira de Desenho e tem aulas com o pintor Ado Malagoli. Após visita à 1ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1951, interessa-se pela gravura. Recebe orientação de Oswaldo Goeldi, Iberê Camargo e, em 1953, de Fayga Ostrower. É assistente de Johnny Friedlaender, com Edith Behring, no Ateliê de Gravura do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, no qual leciona entre 1959 e 1961. No ano seguinte, aperfeiçoa-se em litografia na Rijksakademie, em Amsterdã, como bolsista da Unesco. Reside em Paris de 1962 a 1972. De volta para o Brasil, leciona no Centro de Criatividade da Fundação Cultural do Distrito Federal em 1978. No Rio de Janeiro, entre 1983 e 1986, volta a dar aulas no Ateliê de Gravura do MAM/RJ. "Diante da guerra aberta entre o figurativo e o abstrato, Rossini Perez vai a São Paulo conhecer a 1ª Bienal, trocando, em seguida, a pintura pela gravura. Tal opção deve-se ao seu desejo de ingressar na arte abstrata. Nos anos em que ensina no MAM, resolve suas gravuras com ponta-seca ou combinando diversas técnicas do metal. Constrói composições, contrastando áreas claras e áreas escuras. Essas áreas são, a um tempo, afrontadas e fusionadas, já que cada uma delas tem na outra algo do seu próprio elemento gráfico. Assim, Rossini Perez dá ritmo às composições e as aplaina. Suas gravuras são planejadas; freqüentemente, todavia, são modificadas no processo por lance espontâneo e por acidentes da técnica. Segue esse procedimento mesmo nos trabalhos que faz na Europa, por mais de dez anos, após ter deixado o MAM." Leon Kossovitch e Mayra Laudanna, in: GRAVURA: arte brasileira do século XX. Apresentação Ricardo Ribenboim; texto Leon Kossovitch, Mayra Laudanna, Ricardo Resende. São Paulo: Itaú Cultural: Cosac & Naify, 2000. p. 18. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 807; ITAU CULTURAL.

262 - MILTON PEREIRA - (1923)
LL Paisagem - ose - 40 x 30 - cid
Impressionista, este pintor paulistano, premiado em várias de suas apresentações no Salão Paulista de Belas Artes, pinta sobretudo paisagens, marinhas e casario, destacando-se os seus óleos "in loco" de Embú, a cidade das artes. JULIO LOUZADA, vol. 11 pág. 243, Acervo FIEO.

263 - MARIA LEONTINA - (1917 - 1984)
LL Estandarte - grav. 20/40 - 17 x 23 - cid
Reproduzido no livro "Gravura em metal" de autoria de Marcos Buti e Anna Letycia. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 093 deste catálogo.

264 - MARIE LOUISE MATTOS - (1916)
LL Viela - ostce - 30 x 22 - cid - 1998
Nascida em Paris, França, filha do escultor Antônio Pinto de Mattos. Pintora, cresceu em ambiente de intensa produção artística, tomando gosto pela arte desde muito criança. Transferiu-se para o Brasil na dec. de 40, passou a frequentar o Liceu de Artes e Ofícios do RJ, onde foi aluna de Armando Viana (1946). Já no ano seguinte recebia Menção Honrosa no SNBA. Nesse mesmo salão conquistou ainda a Medalha de Prata (1951). Ganhadora de prêmio viagem 'a Europa (1960), participou de salões na capital da França. Algumas de suas obras encontram-se no MNBA-RJ. JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 610, Acervo FIEO.

265 - PINTURA NAIF IUGOSLAVA - (XX)
LL Briga - ost - 60 x 47 - cid ileg.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 015 deste catálogo.

266 - LUIZ PINTO - (1939)
LL " Paisagem " - ost - 35 x 27 - cid e d - Nova Lima - MG
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 137 deste catálogo.

267 - JOSÉ SIMEONE - (1930 - 2009)
LL Natureza morta - ost - 43 x 56 - cie
Pintor paulistano ligado à arte figurativa, com características impressionistas. Seu estilo se aproxima dos oitocentistas italianos e franceses, sendo que o crítico Pietro Maria Bardi também identificava em sua obra influências do grupo Santa Helena. Proveniente de família de artistas pintores (Angelo e João Simeone). Participa de coletivas a partir de 1962 (já com premiação). MEC, vol. 4, pág. 285; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 923; TEIXEIRA LEITE, pág. 482; Acervo FIEO.

268 - GEORGES VAN DER STRAETEN - (1856 - 1941)
LL Dama - e em b e marf - h = 21 - b
Escultuor Belga, com diversas obras em Museus Europeus. BENEZIT, vol. 9, pág. 857; ARTPRICE e ARTNET.

269 - KASUO WAKABAYASHI - (1931)
LL " Kabuki " - ser. P.E. - 24 x 27 - cid - 2008
Pintor natural da cidade japonesa de Kobe. Inicia seus estudos na Escola Técnica de Hikone, em Shiga (Japão), em 1944. Em 1946, inicia aprendizado de pintura a óleo. Torna-se membro do Grupo Babel, composto por Rokuichi, Kaibara, Ko Nishimura e outros. Em 1952 monta seu atelier. Em 1961, vem para o Brasil e radica-se em São Paulo, onde integra-se ao Grupo Seibi. Em 1966, é convidado para ser membro do júri do 10º Salão do Grupo Seibi de Artistas Plásticos, salão em que ganha a Grande Medalha de Ouro, na edição de 1963. Em 1968, naturaliza-se brasileiro. Entre 1963 e 1967, participa de várias edições da Bienal Internacional de São Paulo, recebendo o Prêmio Aquisição do Itamarati na 9ª edição. Em 1984, participa da exposição itinerante por Europa e América, Mestres do Abstracionismo Brasileiro; em 1994, participa da Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal de São Paulo. Em 2001, realiza exposição individual comemorativa dos seus 70 anos, na A Galeria em São Paulo. TEIXEIRA LEITE, pág. 540; PONTUAL, pág. 550; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 939, Acervo FIEO.

270 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL Calmaria - p - 10 x 14 - cie - 1962
Com certificado de autenticidade da família de Nicola Petti, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

271 - LILIA COSTA - (1945)
LL Paisagem - ost - 55 x 73 - cid e d - 1977
Pintora e tapeceira natural de São Paulo, SP. Foi aluna de Aldo Bonadei, Ronaldo Cavalcanti, Carlos Giachieri e Hebe Carvalho. Exposições individuais: São Paulo (1969, 1970); Belo Horizonte, MG. Em 1989 participou de exposição coletiva em São Paulo. JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG. 279; VOL. 4, PÁG. 286; MEC, VOL. 1, PÁG. 472.

272 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Velho - ost - 30 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

273 - MIRELLA ANDREOTTI - (XX)
LL Composição - tm - 140 x 110 - cid - 1972
Escultora, ilustradora e muralista. Nasceu em Livorno, Itália e veio para o Brasil em 1950, radicando-se em Pernambuco. Naturalizou-se brasileira em 1965. Estudou pintura em Nova York (EUA) e Anatomia e Modelo Vivo na Escola de Belas Artes do Recife, PE. Executou murais na Prefeitura Municipal, na Refinaria do Açúcar do Nordeste, no Edifício sede da Construtora Guarantã, em Recife. Exposições individuais: Olinda, PE (1968); Recife, PE (1975); São Paulo (1970). Coletivas: Recife, PE (1966, 1968, 1969, 1970, 1975); São Paulo (1971, 1973, 1974, 1978); Santos, SP (1972); Chicago, EUA (1973); Rio de Janeiro (1974); Olinda, PE (1966, 1983); Brasília, DF (2001). Prêmios: Recife, PE (1966, 1969, 1972). ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL. 3, PÁG. 745; MEC, VOL. 1, PÁG. 100.

274 - JOSÉ PINTO - (1932)
LL Orquidea - ose - 56 x 40 - cid - 1984
José Wense Pinto é natural de Ilhéus, BA. Assina José Pinto. Autodidata, veio para o Rio de Janeiro em 1951. Em 1953 freqüenta a Associação Brasileira de Desenho e começa a pintar profissionalmente em1969. Participou de diversas exposições e Salões oficiais: 1969,1970 a 1974 - Rio de Janeiro, RJ; 1970; Milão e Espoleto, Itália; Nova York, EUA; Londres, Inglaterra; 1971 - Recife,PE. Individuais: 1969 e 1971 - Rio de Janeiro, RJ; 1970 - Bahia; 1971 - São Paulo, SP e 1973 - Brasília, DF. Prêmios: 1972 - Rio de Janeiro, RJ. Possui obras em: Museu Regional de Feira de Santana, BA; Museu Laval - Henri Rousseau, França; Museu de Viçosa, MG; Agências do Banco do Brasil em São Francisco, EUA; acervo da Cia. Shell e Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro, RJ. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág.769; vol. 8, pág. 660. ITAU CULTURAL.

275 - NERÃO - (ANTONIO JOAQUIM NERY) - (1903 - 1997)
LL "Exposição de gado zebu em Uberaba" - ost - 38 x 46 - cid - 1984
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

276 - GERARDO DE SOUZA - (1950)
LL " O boiadeiro " - ost - 64 x 91 - cid e d - 1986 - Rio
Natural de Guaraciaba do Norte, CE. Pintor ativo na cidade do Rio de Janeiro. Em 1973, começou a expor seus trabalhos na Feirarte, Pça Gal Osório-RJ. Participou de diversas coletivas naquela cidade. Por ocasião de sua individual, o crítico de arte Walmir Ayala fez-lhe esta apresentação: "A sociedade do boi é o seu terma principal. O boi manso, o boi espaço, o boi forma, o boi cor, os bois, o boi é o homem. O pontilhado no focinho do boi. As árvores e o casario modesto perto dos quais o boi rumina sua paciência. Uma pintura que fala de uma alma modesta e sincera." JULIO LOUZADA, vol 11 pág 306; MEC, vol 4 pág 313.

277 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Nu - p - 48 x 36 - cie - 1962 - Rio
Com estudo no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 062 deste catálogo.

278 - RUBEN ESMANHOTO - (1954)
LL Casa - v e - 40 x 50 - cid e d - 2003
Nasceu em Curitiba, PR, no dia 16 de fevereiro de 1954. Sobre a sua obra, assim se manifestou o consagrado e saudoso pintor Carlos Scliar, apresentando a exposição do autor na Galeria Paulo Prado, SP, em 1987: " O clima de cada pintor é estruturado lentamente no seu processo natural de amadurecer. Isso implica toda a sua vivência - tenha ou não consciência desse processo que é irrecorrível e irreversível. Mas tudo isso não basta se o artista não é alguém que saiba que talento não é suficiente e que o exercício de sua profissão se faz ao longo das 28 horas de cada dia. Ruben Esmanhotto sabe disso e vem trabalhando conscientemente com todas as certezas e dúvidas e teimosias necessárias. O resultado parcial aí está, pois é jovem. É mais do que um pintor novo que aponta. É sério e tem todos os elementos para se tornar um de nossos importantes artistas." JULIO LOUZADA. VOL, 10, pág, 768; ITAÚ CULTURAL.

279 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Barcos - ost - 50 x 70 - cid - 1976
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 037 deste catálogo.

280 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Pássaro - m em ac - h = 9 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

281 - DJANIRA DA MOTTA E SILVA - (1914 - 1979)
LL Circo - ser. - 24 x 13
Assinado na tela serigráfica. Reproduzido sob o n.° 131 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Pintora, desenhista e gravadora, natural de Avaré, SP. Foi aluna de Marcier. A partir de 1942 participa do SNBA, recebendo premiação em 1943, 1944 e 1950. Realizou exposições individuais. Participou de diversas coletivas e salões de arte, nacionais e internacionais, com excelente recepção da crítica especializada. Diz-se que sua pintura é ingênua, mas ela declarava que ingênua, era ela mesma. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 336; PONTUAL, pág. 181; TEIXEIRA LEITE, pág. 164; MEC, vol. 2, pág 58; WALMIR AYALA, vol. 1, pág, 263; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 810; ARTE NO BRASIL, pág. 824; Acervo FIEO.

282 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Surreal - ost - 40 x 50 - cid - 1979
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 102 deste catálogo.

283 - HENRIQUE CAVALLEIRO - (1892 - 1975)
LL Natureza morta - ostcc - 47 x 54 - cie
Pintor, desenhista e professor. Foi aluno de Eliseu Visconti, tendo recebido em 1918 o prêmio de viagem à Europa. Participou de diversos salões e exposições. REIS JR., pág. 375; TEODORO BRAGA, pág. 117; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 2, pág. 45 e 275; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 187 e 190; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; ARTE NO BRASIL, pág. 556; Acervo FIEO.

284 - GUIDO TOTOLI - (1937)
LL Natureza morta - ost - 54 x 65 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 034 deste catálogo.

285 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Na praia - dn - 15 x 18 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

286 - FRANCIS BERNARD - (1943)
LL Composição - ost - 100 x 81 - cid - 1973
Pintor residente em Brasilia DF. Muito bem conhecido e com bom mercado. JULIO LOUZADA Vol. 4 pág. 139.; ITAÚ CULTURAL.

287 - HELENOS (EDSON HELENO DA SILVA) - (1941)
LL Figuras - ost - 65 x 54 - cid - 1975
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 162 deste catálogo.

288 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 15 x 22 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

289 - GIANCARLO ZORLINI - (1931)
LL Marinha - a - 24 x 39 - cid - 1983
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 164 deste catálogo.

290 - DOMENICO CALABRONE - (1928 - 1999)
LL Pássaro - m em b Ex. 8 - h = 12 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 065 deste catálogo.

291 - DARCY PENTEADO - (1926 - 1987)
LL Figuras - dn e ag - 27 x 19 - cid - 1949
Desenhista, pintor, cenógrafo, figurinista e escritor, Darcy Penteado foi a personalidade polimorfe, que buscava tornar a própria existência matéria de arte. Em 1948 passou a integrar em São Paulo o Grupo Novíssimos. Expôs individualmente a partir de 1949, participando de inúmeras exposições coletivas e individuais, no país e no exterior. MEC, vol. 3, pág. 365; PONTUAL, pág. 416; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 241. WALMIR AYALA, vol 2, pág 183; TEIXEIRA LEITE, pág 401; ITAÚ CULTURAL ; WALTER ZANINI, pág. 717; LEONOR AMARANTE, pág. 75.

292 - HUGO ADAMI - (1900 - 1999)
LL Paisagem - ost - 46 x 55 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

293 - JORGE CRESTA GUINLE - (1943 - XX)
LL " Momento Cósmico II " - ost - 80 x 65 - cie e d - 1988 - Rio de Janeiro
Pintor nascido no Rio de Janeiro, RJ. Assinava J. Cresta Guinle e Cresta Guinle. Depois de uma primeira exposição, resultado de um autodidatismo sem conseqüência, voltou a expor, com excelentes resultados, 1973, em mostra coletiva. A esta altura já tinha recebido orientações de Roberto Magalhães. Desde então vem participando de inúmeras exposições e Salões oficiais. Individuais: Rio de Janeiro (1976 a 1979, 1984); São Paulo (1977); França (1977, 1978, 1983); Salvador, BA (1978); Cataguases, MG (1978); Niterói, RJ (1979). Coletivas: Rio de Janeiro (1973, 1977 a 1980, 1983, 1995); São Paulo ( 1977 - Bienal Internacional; 1978- I Bienal Latino Americana); França (1979); Canadá (1982, 1983). Prêmios: Rio de Janeiro (1977 a 1980, 1983). DICIONÁRIO DE PINTORES BRASILEIROS - BOZANO SIMONSEN, VOL. 1, PÁG. 38; JULIO LOUZADA, VOL. 3, PÁG. 498, VOL. 8, PÁG. 379; VOL. 10, PÁG. 407.

294 - GEORGINA DE ALBUQUERQUE - (1885 - 1962)
LL Flores - a - 42 x 54 - cid
Pintora e professora. Aos 15 anos, inicia sua formação artística com o pintor italiano Rosalbino Santoro (1858 - s.d.). Muda-se para o Rio de Janeiro em 1904, matricula-se na Escola Nacional de Belas Artes - Enba e estuda com Henrique Bernardelli. Em 1906, casa-se com o pintor Lucílio de Albuquerque e viaja para a França. Em Paris, frequenta a École Nationale Supérieure des Beaux-Arts e ainda a Académie Julian, onde é aluna de Henri Royer. Volta ao Brasil em 1911, expõe em São Paulo e, partir dessa data, participa regularmente da Exposição Geral de Belas Artes. De 1927 a 1948, leciona desenho artístico na Enba e, em 1935, é professora do curso de artes decorativas do Instituto de Artes da Universidade do Distrito Federal. Em 1940, em sua casa no bairro de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, funda o Museu Lucílio de Albuquerque, e institui um curso pioneiro de desenho e pintura para crianças. Entre 1952 e 1954, exerce o cargo de diretora da Enba. TEIXEIRA LEITE, págs. 15 e 16; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 22 a 26; TEODORO BRAGA, pág. 107; REIS JR., pág. 370; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs.17 e 141; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 455; ARTE NO BRASIL, pág 574; Acervo FIEO.

295 - OTTONE ZORLINI - (1891 - 1967)
LL Figuras - dn e a - 24 x 33 - cid - 1960
Pintor e escultor nascido na Itália e falecido em São Paulo, onde se radicou na década de 1920. Ottoni Zorlini destacou-se como paisagista e pintor de figuras, num estilo afim ao de Volpi e ao de outros ilustres componentes da hoje célebre Família Artística Paulista, cuja obra muito ajudou a difundir. MEC, vol. 4, págs. 534 e 535; PONTUAL, pág. 559; Catálogo de Pintores Italianos no Brasil, SOCIARTE/82; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 623.

296 - RENZO GORI - (1911 - 1999)
LL Cena Árabe - ost - 50 x 70 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 005 deste catálogo.

297 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
LL Cavaleiro - a - 24 x 28 - csd
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 047 deste catálogo.

298 - JOAQUIM TENREIRO - (1906 - 1992)
LL " Estudo " - g - 22 x 17 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 200 deste catálogo.

299 - VALDEIR MACIEL - (1937 - 2005)
LL Composição - ast - 60 x 60 - d - 1994
Natural de Bacabal-MA, residiu e foi ativo em São Paulo. Participou de diversas exposições, destacando-se XI ao XVI Salão Paulista de Arte Moderna - Medalha de Bronze (1963 e 1965); 9ª Bienal Internacional de São Paulo. Segundo o crítico Theon Spanudis: "Ao contrário da pintura de Rubem Valentim, que emana sempre poderosas e vibrantes cargas mágicas, imperiosas e afirmativas, a pintura de Valdeir Maciel, nascido em São Luís do Maranhão e radicado em São Paulo, é mais introvertida, silenciosa, escondida em seu misticismo esotérico, mas de enorme amplitude metafísica e religiosa. Às vezes enigmática, mas raramente luminosa, prefere os coloridos sombrios, obscuros e abscônditos. Começando com um tachismo corriqueiro, foi sacudido em 1961 pela primeira exposição neoconcreta de São Paulo. De lá em diante ele virou geométrico. Mas seu construtivismo não tem nada a ver com o concretismo, ou o neoconcretismo, por causa do seu intenso misticismo e profundidade esotérica. No início ele pintava figurações geométricas no meio da tela, cercadas por toda a superfície vazia da tela, figurações como de objetos sacrais e preciosos de religiões e cultos desconhecidos. Mais tarde ele começou a expandir as suas formulações geométricas e construções esotéricas, até ocupar toda a superfície da tela." in SPANUDIS, Theon. Construtivistas brasileiros. São Paulo: o Autor, s.d. WALMIR AYALA, MEC, PONTUAL, pág. 327; TEIXEIRA LEITE, pág. 298; WALTER ZANINI, pág. 688; JULIO LOUZADA, vol. 12, pág. 245. ITAU CULTURAL.

300 - JOSÉ BEZERRA - (1952)
LL Figura - e em mad. - h = 41 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 175 deste catálogo.

301 - CECCO PREVITALI - (1918 - 2003)
LL Paisagem - a - 30 x 45 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 051 deste catálogo.

302 - JORGE DEL VALLE - (1928)
LL Floresta - tm - 35 x 25 - cid
Artista Argentino, que junto com Quinquela Martin. Kantor, Riganelli e outros ficou muito conhecido por retratar cenas de La Boca, reduto boemio de Buenos Aires. Possui obras em diversos museus argentinos e internacionais.

303 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Cangaceiro - m em b 1/12 - h = 21 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 006 deste catálogo.

304 - MANEZINHO ARAUJO - (1910 - 1993)
LL Casario - ost - 80 x 64 - cid - 1967
Com apenas dezesseis anos de idade mudou-se para Recife, a fim de concluir seus estudos. Após cursar a escola de comércio de Pernambuco, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde foi buscar fama através da música, sua primeira paixão. Destacou-se como compositor e intérprete de música popular nordestina, o que lhe valeu a possibilidade de montar um restaurante de comida nordestina em SP, muito famoso durante vários anos, o Cabeça Chata. Apesar de viver, em SP, suas raízes ainda permanecem em Pernambuco. De uma forma autodidata começou a dedicar-se à pintura, retratando o folclore nordestino, sua gente, suas vidas, fase que sustentou até o seu desaparecimento, com uma menção surrealista. Expôs individualmente nas Galerias Astreia e Capela (SP), e na Ranulfo em Recife (1969). Em 1968, apresentado por Aldemir Martins, teve publicado o álbum de serigrafias Meu Brasil. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 56; MEC, vol. 1, pág. 109; PONTUAL, pág. 38; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 18; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 832; Acervo FIEO.

305 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
Belouch, ponto de nó, feito a mão, de lã, medindo 1,28 x 0,80 m = 1,02 m². -

306 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Capa para Revista Para Todos - dn e g - 31 x 23 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

307 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - g - 26 x 10 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 057 deste catálogo.

308 - TOMOSHIGUE KUSUNO - (1935)
LL Composição - tm - 90 x 122 - cid - 1962
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 054 deste catálogo.

309 - MACIEJ ANTONI BABINSKI - (1931)
LL Figuras - dn - 24 x 24 - cid - 1966
Ex. coleção Benjamin Steiner - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 125 deste catálogo.

310 - SONIA EBLING - (1926 - 2006)
LL Nu - e em b - h = 34 - as.
Nascida em Taquara, RS, SONIA EBLING consagrou-se como escultora e pintora. Participou da I Bienal de São Paulo. Premiada com viagem ao exterior no I SNAM. Morou em Paris 15 anos, onde frenquentou ateliês de artistas importantes e onde aperfeiçoou a sua importante e bela obra. MEC, vol. 2, pág. 89; PONTUAL, pág. 187; JULIO LOUZADA, vol 13, pág. 119; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 868; RGS, pág. 454.

311 - ANATOL WLADISLAW - (1913 - 2004)
LL Composição - dn - 17 x 17 - cid - 1951
Pintor e desenhista nascido em Varsóvia, Polonia; faleceu em São Paulo, aos 91 anos de idade. No Brasil desde 1930, fixou residência em São Paulo, naturalizando-se brasileiro. Dedicou-se à pintura e ao desenho a partir de 1946, participando da I à IX Bienal, recebendo diversas premiações. Formado em engenharia no Mackenzie, tornou-se um dos pioneiros da arte abstrata, participando ativamente do movimento Ruptura, ao lado de Valdemar Cordeiro, Lothar Charoux e Luiz Sacilotto. Figura no acervo do MAM-RJ e MNBA de Buenos Aires. JULIO LOUZADA, VOL, 4, pág, 1177. MEC, VOL, 4 pág, 512. TEIXEIRA LEITE, pág, 544. WALMIR AYALA, VOL 2. pág, 442; PONTUAL, pág. 553; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 921.

312 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Panorama di Napoli - osm - 15 x 24 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 062 deste catálogo.

313 - CAMPOS AYRES - (1881 - 1944)
LL Paisagem - ose - 21 x 25 - cie
Natural de Itapetininga, SP, Campos Ayres foi pensionista do Estado de São Paulo para estudar em Paris a partir de 1909, com Henry Royer, Fleury e Laurens. No SPBA obteve prêmios e menções. Dedicou-se especialmente à pintura de paisagem. A PINACOTECA-SP, possui duas telas de sua autoria. Expôs individualmente em São Paulo, nos anos de 1930, 1933 e 1938, com muito sucesso de público e crítica. TEODORO BRAGA, pág. 63; REIS JR., pág. 368; MEC, vol. 1,pág. 41; PONTUAL, pág. 105; WALMIR AYALA, vol. 1,pág. 167; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO, pág. 11.

314 - ANITA MALFATTI - (1896 - 1964)
LL Flores - a - 11 x 18 - cid
Com certificado de autenticidade firmado por Elisabeth Cecília Malfatti. -Proto-mártir do modernismo brasileiro, com sua mostra de 1917 em São Paulo, Anita Malfatti foi, no dizer de Dario da Silva Brito, o "estopim" da Semana de 1922. Recebeu prêmio de honra no Salão Paulista de 1934. Várias exposições coletivas e individuais como: Anita Malfatti no Museu de Arte Brasileira - FAAP. BENEZIT, vol. 7, pág. 118; TEODORO BRAGA, pag. 151/2; MEC, vol. 3, pág. 45; PONTUAL, pág. 332/3; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 33 e 35; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 478; ARTE NO BRASIL, pág. 652; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

315 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Torso - e em mar - h = 20 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 080 deste catálogo.

316 - ETTORE FEDERIGHI - (1909 - 1979)
LL Natureza morta - ost - 80 x 120 - cie - 1959
Pintor ativo em São Paulo, participou do SPBA, conquistando menção honrosa (1952), pequena medalha de prata (1957), prêmio aquisição (1958 / 59 / 60), grande medalha de prata (1961) e várias outras, bem como várias participações em Salões. MEC, vol. 2, pág. 145; JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 387.; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

317 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL " Emblema - 87 " - ast - 70 x 50 - d - 1987
Baiano de Salvador, autodidata, Rubem Valentin pinta desde meados de 1940. Sua primeira coletiva foi em 1949, no Salão Baiano de Belas Artes, do qual participaria outras vezes, recebendo premiações. Viveu no Rio de Janeiro e na Europa, fixando residência permanente em Brasil, DF, há mais de 20 anos. O artista assim explicava a sua arte: "Minha linguagem plástico-visual signográfica está ligada aos valores míticos profundos de uma cultura afro-brasileira (mestiça-animista-fetichista). Com o peso da Bahia sobre mim - a cultura vivenciada; com o sangue negro nas veias - o atavismo; com os olhos abertos para o que se faz no mundo - a contemporaneidade; criando os meus signos-símbolos procuro transformar em linguagem visual o mundo encantado, mágico, provavelmente místico que flui continuamente dentro de mim". PONTUAL, pág.532; WALMIR AYALA, vol.2, págs.395 a 397; TEIXEIRA LEITE, pág.517; MEC, vol.4, pág.443; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.330; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 257, Acervo FIEO.

318 - ANTONIO GOMIDE - (1895 - 1967)
LL Nu - dc - 47 x 32 - cid
Pintor nascido em Itapetininga e falecido em São Paulo. Gomide estudou com o grande Hodler em Genebra, 1915 a 1918, e mais tarde, já em Paris, ligou-se a Picasso e aos cubistas que iriam influenciá-lo. Voltando ao Brasil em 1926, integrou-se ao movimento de renovação de nossas artes plásticas, conservando-se até morrer fiel aos postulados e cubistas de sua mocidade. Em 1968 o Museu de Arte Contemporânea dedicou-lhe importante retrospectiva. THEODORO BRAGA, pág.110, REIS JUNIOR, pág.377; PONTUAL, pags 244/245; MEC, vol.2, pág.275; WALMIR AYALA, vol.1, págs.353 a 355, ART PRINCE ANNUAL 2000, pág.955; TEIXEIRA LEITE, pág.222; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 548; ARTE NO BRASIL, pág. 694; Acervo FIEO.

319 - ELZA DE OLIVEIRA SOUZA - (1928 - 2006)
LL Orando - osp - 35 x 49 - cie - 1964
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 207 deste catálogo.

320 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL Trabalhadores - ose - 11 x 15 - cid - 1960
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 070 deste catálogo.

321 - CARLOS PRADO - (1908 - 1992)
LL Composição - dce - 48 x 33 - cid - 1986
Arquiteto, pintor, gravador e ceramista paulistano. Recebeu menção honrosa no SPBA de 1935, participando também na I e II BSP e na exposição de Arte Moderna no Brasil, realizada em Buenos Aires, Rosário, Santiago do Chile e Valparaíso, em 1957. No dizer de TEIXEIRA LEITE, em sua obra A Gravura Brasileira Contemporânea, Carlos Prado utilizava por vezes a gravura como meio expressivo, subordinando-a, porém, a interesses maiores. TEIXEIRA LEITE, pág. 421; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 254. PONTUAL, pág. 438; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 582; ARTE NO BRASIL, pág. 781. Acervo FIEO.

322 - GILBERTO SALVADOR - (1946)
LL " O cocar vermelho " - ost - 100 x 150 - cie e d - 1987
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 209 deste catálogo.

323 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Mulata - ser. H.C. - 25 x 15 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 071 deste catálogo.

324 - JOSÉ DE DOME - (1921 - 1982)
LL Paisagem - dc e p - 25 x 47 - cid - 1972 - Cabo Frio
José de Dome nasceu em Estância, SE. Autodidata, firmou-se como pintor na década de 60. Um amarelo sempre solar e luminoso sobressai em suas telas e a imprecisão nos contornos das figuras, o empastelamento das formas, é um dos recursos utilizados pelo autor para dar aos seus personagens e temas feições dramáticas atenuadas. Foi ativo em Cabo Frio, RJ; o artista expôs individualmente a partir da década de 50. PONTUAL, pág. 183; JULIO LOUZADA, vol 1 pág, 339; ITAU CULTURAL.

325 - ÉMILE FRANÇOIS CARLIER - (1827 - 1879)
LL " Busto de Lamartine " - e em b - h = 20 - as.
Nasceu e morreu em Paris. Foi aluno de J. Feuchère. Escultor da Escola Francesa que participou dos Salões a partir de 1859. Muitos leilões da Europa têm apresentado suas obras. BENEZIT, VOL. 2, PÁG. 527; ART PRICE; www.askart.com; www.arcadja.com.

326 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Figuras - dn - 16 x 22 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

327 - MARIA LEONTINA - (1917 - 1984)
LL Composição - g - 36 x 27 - cid - 1956
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 093 deste catálogo.

328 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Pássaros - ost - 45 x 50 - cid e d - 2000
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 078 deste catálogo.

329 - CARLOS FIGUEIRA - (XX)
LL Paisagem - a - 24 x 33 - cid - 1919 - Lisboa
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 182 deste catálogo.

330 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Briga de galos - v - 35 x 50 - cid - 1986
- Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 085 deste catálogo.

331 - ORLANDO TERUZ - (1902 - 1984)
LL Menino e cavalos - dn - 27 x 21 - cid - 1975 - Rio
Natural do Rio de Janeiro, RJ, foi aluno de Rodolfo Chambelland e Batista da Costa na antiga ENBA. Participa do SNBA a partir de 1924, ganhando diversas premiações, inclusive o prêmio de viagem ao exterior. Diversos e importantes museus do mundo tem obras suas, inclusive o Hermitage de Moscou. TERUZ encanta pela sua apurada técnica e temas, seus personagens e suas cores. TEODORO BRAGA- pág. 226; PONTUAL- -págs. 520/1; WALMIR AYALA, vol. 2-págs. 379/81; MEC, vol. 4-pág. 383; TEIXEIRA LEITE, pág. 505; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 578, Acervo FIEO.

332 - LUCILIA FRAGA - (1895 - 1979)
LL Marinha - ostcc - 24 x 40 - cid
Importante pintora que foi ativa na cidade de São Paulo. Participou regularmente do SPBA, recebendo premiações em 1938, 1939, 1960. Quatro de suas obras constam do acervo da PINACOTECA-SP. REIS JUNIOR, pág. 387; THEODORO BRAGA, pág. 145 a 147; PONTUAL, pág. 222; MEC, vol, 2, pág. 188; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

333 - PAOLO RISSONE - (1925)
LL Composição - tm - 47 x 66 - cid - 1964
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 204 deste catálogo.

334 - JUDITH LAUAND - (1922)
LL Composição - ost - 60 x 73 - cid e d - 1979
Com certificado de autenticidade firmado pela artista. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 069 deste catálogo.

335 - YUTAKA TOYOTA - (1931)
LL Espaço Cósmico - m em a i 4/15 - h - 25 - d - 2008
Natural de Yamagata, Japão. Pintor, desenhista e escultor. No Brasil desde 1962, Estudou na Universidade de Artes de Tóquio e no Instituto de Pesquisas Industriais de Shizuoka. Neste último cursou ciências exatas e a técnica industrial de lidar com novos materiais. Todo esse know-how o artista vem utilizando e adaptando à sua visão de arte. Fórmica, alumínio e aço inoxidável polido tem sido os suportes escolhidos por Yutaka para expressar-se fazendo uma escultura "como criação ambiental". Os volumes que constrói em alumínio, modulados com exatidão, excluem a rigidez e referem-se, poeticamente, à busca de diferentes existências de espaço em suas superfícies que refletem e deformam o entorno, constituindo para o artista a própria apreensão do mundo. JULIO LOUZADA, vol 11, pág. 325.; TEIXEIRA LEITE, pág. 510; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 933; LEONOR AMARANTE, pág. 171.

336 - ROBERTO RODRIGUES - (1906 - 1929)
LL Lamento - dn - 42 x 29 - cie - 1929
Com carimbo do Jornal " Crítica " datado 1929, no dorso. -Desenhista, caricaturista, pintor e escultor nascido em Recife, PE e falecido no Rio de Janeiro. Era irmão do jornalista e teatrólogo Nelson Rodrigues. Trabalhou em A Manhã, A Crítica, no Para Todos e no Jazz. Foi premiado no Salão Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro de 1926 e de 1928. Em 1930 houve uma exposição póstuma, no Rio de Janeiro, de seus desenhos, caricaturas, pinturas e esculturas. MEC VOL. 4, PÁG. 94.

337 - IVAN MARQUETTI - (1941)
LL " Interior " - ost - 46 x 61 - cid e d - 1964 - Ouro Preto
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 212 deste catálogo.

338 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Rosto - ostce - 45 x 37 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 072 deste catálogo.

339 - SIRON FRANCO - (1947)
LL "Jose Carlos visto por Siron" - ag. - 31 x 46 - cie - 15/06/1977 - Madrid
Com estudos no dorso. -Batizado GESSIRON FRANCO, o artista nasceu em Goiás, GO. Um dos mais elogiados pintores e desenhista brasileiros pela crítica, a partir da década de 70, quando alcançou a maturidade em seus trabalhos. Seus trabalhos transmitem de forma muito pessoal e original, todo o sentimento humano com relação ao cotidiano da sociedade e seus integrantes emocionais; traz denúncia, inconformismo, medo, conflitos, imagens fortes e decisivas. WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 343/344; TEIXEIRA LEITE, pág. 206/207; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 957; PONTUAL, pág. 222; ITAU CULTURAL ; WALTER ZANINI, pág. 760; LEONOR AMARANTE, pág. 240, Acervo FIEO.

340 - ALFREDO VOLPI - (1896 - 1988)
LL Paisagem - osm - 19 x 32 - cie
- Reproduzido no convite deste leilão. - Com etiqueta n° 8108 do Leiloeiro Oficial Florestano - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

341 - ANTONIO SAURA - (1930 - 1998)
LL Composição - lito. 315/500 - 72 x 52 - cie
Artista espanhol, irmão do diretor de cinema Carlos Saura e tio do produtor cinematográfico Antonio Saura. Foi considerado um dos maiores artistas da Espanha nos últimos 50 anos. WIKIPEDIA.

342 - SERGIO TELLES - (1936)
LL Orquídeas - ostcc - 50 x 40 - cie - 2009
Com certificado de autenticidade firmado pelo artista. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 092 deste catálogo.

343 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Casario - osc - 26 x 36 - cie - 1962
Com etiqueta de A Galeria - São Paulo, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 110 deste catálogo.

344 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 11 x 20 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 094 deste catálogo.

345 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Nu - e em b - h = 23 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 085 deste catálogo.

346 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Casal - dn e g - 48 x 23 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

347 - NEWTON CAVALCANTI - (1930 - 2006)
LL " O Guitarrista " - ost - 80 x 100 - cie - 1988
Com etiqueta do 5° Salão Brasileiro de Artes Plásticas, no dorso. -Gravador, pintor, aquarelista, ilustrador, natural de Bom Conselho-PE. Inicia seus estudos nos ateliês de Raimundo Cela e de Oswald Goeldi. Em 1954, ingressa na Escola de Belas Artes da Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Entre 1973 e 1975, viaja para a Europa, onde participa de cursos e estágios na Inglaterra, na Itália e na Alemanha, patrocinado pela Fundação Brasileira de Educação e pelo governo alemão. Participa de exposições como o Salão Nacional de Arte Moderna, várias edições entre 1958 e 1972; Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1963 e 1985; Bienal de Paris, 1963; Brazilian Art Today, na Noruega, Áustria, Suécia e Inglaterra, 1965 e Mostra Rio Gravura, Rio de Janeiro, 1999. JULIO LOUZADA vol.9, pág.192; TEXEIRA LEITE, pág. 115; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 850.

348 - IONE SALDANHA - (1921 - 2001)
LL Composição - g - 22 x 29 - cid
Gaúcha de Alegrete, faleceu na cidade do Rio de Janeiro-RJ, onde residiu e foi ativa. Pintora, escultora e desenhista, realizou seus primeiros estudos no Rio de Janeiro, no ateliê de Pedro Luís Corrêa de Araújo, em 1948. Estudou a técnica de afresco em Paris, na Académie Julian, e em Florença, na Itália (1951). Inicialmente, produz obras figurativas, como cenas cotidianas e retratos. Realiza também uma série de pinturas de casarios, em que enfatiza a geometria. Posteriormente, sua produção adquire um caráter abstrato. No fim da década de 1960, passa utilizar novos suportes, abandonando a superfície bidimensional, e pintando sobre ripas, carretéis (bobinas de madeira para cabos elétricos) e bambus. Participa de várias edições da Bienal de São Paulo, com prêmio aquisição em 1967, e sala especial em 1975 e 1979. Em 2001, ano de seu falecimento, é realizada a retrospectiva Ione Saldanha e a Simplicidade da Cor, no Museu de Arte Contemporânea de Niterói - MAC/Niterói. "O que logo impressiona no desdobramento da pintura de Ione Saldanha, a partir da segunda metade dos anos 40, é a coerência interna do percurso, o rumo ordenado e lógico que a tem feito deslocar-se de um a outro ponto sem abandonar a concentração do interesse em alguns poucos problemas básicos (...). Na obra dos últimos 20 anos, Ione Saldanha, sem sair de seu casulo, alinhou-se numa via frequente da pintura contemporânea". PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 916, 917 e 918; ITAUCULTURAL; RGS, pág. 263/264

349 - TADASHI KAMINAGAI - (1899 - 1982)
LL Baiana - ostcm - 40 x 33 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 228 deste catálogo.

350 - JOÃO TIMÓTHEO DA COSTA - (1879 - 1930)
LL Bosque - osm - 40 x 30 - cid - 1928
- Reproduzido no convite deste leilão. - Com carimbo da Galeria Jorge - Rio de Janeiro, no dorso. -Pintor e decorador ativo no Rio de Janeiro, onde nasceu e faleceu. Ingresou na ENBA-RJ em 1894, onde foi aluno de Rodolfo Amoedo e João Zeferino da Costa. Expôs no SNBA-RJ entre 1906-1913, tendo obtido todos os prêmios, exceto o de viagem, que nunca pleiteou. Além de retratos, marinhas, cenas de gênero e gravuras em metal, deixou decorações em diversos edifícios públicos e particulares, como por exemplo no Copacabana Palace-RJ. O MNBA possui diversas obras suas. MEC, vol. 1, pág. 471; TEIXEIRA LEITE, pág. 508. ITAÚ CULTURAL, ARTE NO BRASIL, PONTUAL, pág. 522; ARTE NO BRASIL, pág. 556.

351 - MIRA SCHENDEL - (1918 - 1988)
LL Linhas - mon. - 46 x 22 - cid
Suíça, Mira imigrou para o Brasil em 1949, fixando-se inicialmente em Porto Alegre, onde fez pinturas e esculturas em cerâmica, nas quais assinava Mirra Hargesheimer, seu nome de casada. Realizou a sua primeira exposição individual, em 1952. Expôs em 1954 em São Paulo (MAM), para onde se transferiu. Participou de diversos salões, tais como o SPAM e Bienais de São Paulo, Córdoba e Veneza, obtendo premiações. A principio exclusivamente desenhista, com a utilização de signos, índices e símbolos, dedicou-se posteriormente à pintura, dentro da vertente minimalista que norteou toda a sua carreira. TEIXEIRA LEITE, pág. 464; JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 304; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 688; LEONOR AMARANTE, pág. 187.

352 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Surreal - ost - 60 x 80 - cid - 1971
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 102 deste catálogo.

353 - TOBIAS MARCIER - (1948 - 1982)
LL Surreal - ost - 33 x 24 - cid - 1976
Natural de Minas Gerais, o autor é ativo no Rio de Janeiro, onde começou a expor em 1964. Filho de Emeric Marcier, teria herdado do pai o apuro técnico, o exercício obstinado e o desejo de profissionalizar-se. Expôs individualmente na Galeria Bonino, RJ, em 1969. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 979.

354 - RUBENS GERCHMAN - (1942 - 2008)
LL " Garrincha " - ser. 33/150 - 50 x 22 - ci
Importante artista, foi representante da vanguarda da arte brasileira. Pintor, desenhista e gravador, frequentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro (1957/8) e a antiga ENBA (1959-1962), estudando xilogravura com Adir Botelho. Participou dos XIX e XXI SPar.BA (1962-1964 / com prêmios), XI, XIII, XIV, XV e XVI SNAM (entre 1962-1967), além de inúmeros outros salões e mostras oficiais no Brasil e no exterior. JULIO LOUZADA vol. 13 pág. 148; PONTUAL, pág. 235; TEIXEIRA LEITE, "in" A GRAVURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 974; LEONOR AMARANTE, pág. 143, Acervo FIEO.

355 - MANUEL EUDÓCIO - (1931)
LL " Casamento no boi manso " - e em br pol. - h = 28 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 095 deste catálogo.

356 - SAMSON FLEXOR - (1907 - 1971)
LL Composição - a - 37 x 25 - cid - 1963
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 224 deste catálogo.

357 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gatos - ast - 60 x 80 - cid e d - 2000
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 006 deste catálogo.

358 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL Flores - mon. - 38 x 25 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 216 deste catálogo.

359 - RUBENS GERCHMAN - (1942 - 2008)
LL " Boch folha " - tm - 26 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 354 deste catálogo.

360 - PEDRO ALEXANDRINO - (1864 - 1942)
LL Paisagem - ost - 42 x 54 - cid
- Reproduzido no convite deste leilão.Pintor acadêmico, especializou-se em naturezas mortas; aluno de Almeida Junior, foi professor, entre outros, de Tarsila do Amaral, Anita Malfati e Aldo Bonadei. Segundo a festejada crítica e historiadora de arte, Ruth Sprung Tarasantchi, "Pedro Alexandrino (...) demonstrou ser o artista que, em sua época, a nossa sociedade demandava. Vinha suprir as necessidades dos colecionadores, pois seus quadros, de fácil leitura, satisfaziam os sentidos, não tendo que recorrer à cultura artística que não possuíam. Pintava com realismo objetos e frutas que faziam parte da vida ou das aspirações da sociedade paulistana; por isso, através de sua obra temos uma idéia do nosso meio no fim do século passado e até quase meados deste. Foi ele, mais do que qualquer outro pintor, que nos fez entrever o nosso meio provinciano, de pouca cultura, ao mesmo tempo que pretensioso, procurando afrancesar-se. " in: TARASANTCHI, Ruth Sprung. A vida silenciosa na pintura de Pedro Alexandrino. 1981. Dissertação (Mestrado) - Escola de Comunicações e Artes - ECA/USP, São Paulo, 1981. ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1039; TEIXEIRA LEITE, pág. 391/2; MEC, vol. 1, pág. 46; ITAU CULTURAL.

361 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Cena árabe - ost - 30 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

362 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL " Sta Lucia " - osm - 26 x 20 - cid e d - Napole
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 062 deste catálogo.

363 - ALBERTO LUME - (1944)
LL Bailarina - ost - 50 x 40 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 121 deste catálogo.

364 - FERNANDO LOPES - (1936)
LL Rosto - ostce - 16 x 22 - cie - 1982
Nasceu em São Miguel dos Campos, AL. Autodidata, é pintor, gravador e professor, assina suas obras FERNANDO LOPES. São dele estas palavras sobre a sua profissão : " ...É um grande desespero viver e pintar. É uma grande alegria viver e pintar" . JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 195; ITAÚ CULTURAL.

365 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Composição - ost - 60 x 73 - cid ileg. - 1978

366 - GILVAN - (1930)
LL Crucificação - tm - 47 x 43 - cid - 1971
Batizado como Paulo Gilvan Duarte Bezerril, o artista nasceu na cidade do Recife-PE, em 20 de outubro de 1930. Autodidata. Usa técnica especial, misturando tinta plástica com esmalte e acrílico. Segundo o crítico Walmir Ayala, o autor " ... sem a decantada cor tropical, nivela seu cromatismo sob uma luz baixa que condensa a vibração da tonalidade." Expôs individualmente no Rio de Janeiro, São Paulo, EUA, Paraguai e em outros importantes centros urbanos do País e do exterior, sempre com sucesso de público e crítica. Recebeu diversas premiações. JULIO LOUZADA, vol 2 pág 445

367 - ESCOLA RUSSA, SÉC. XIX -
LL Santos - ost - 65 x 43 - n/as.

368 - DOMENICO LAZZARINI - (1920 - 1987)
LL Paisagem - ost - 20 x 30 - cid - 1985
Nasceu na cidade italiana de Viareggio, vindo a falecer na cidade do Rio de Janeiro. Em 1940, ainda na Itália, nas cidades de Lucca e Florença, realiza estudos com Rosai e Vedova. Já no Brasil, dá aulas de pintura na Escola de Belas Artes de Araraquara, São Paulo, em 1950. Em 1957, cria a Escola de Belas Artes de Ribeirão Preto e, em 1961, leciona no Museu de Arte do Rio de Janeiro. Em 1974, conquista o Prêmio Tetra d'Oro em Roma. Entre as exposições de que participa, destacam-se: Exposição de Lucca, Itália, 1946 a 1948; Bienal de Veneza, Itália, 1948; Jovens Pintores de Araraquara, no Museu de Arte Moderna de São Paulo, 1954; Salão Nacional de Arte Moderna (Isenção de Júri, 1959 e Prêmio Aquisição, 1962), Rio de Janeiro, 1958 a 1962; Bienal Internacional de São Paulo, 1959 e 1961; Galeria de Arte da Folha, São Paulo, 1959 e 1960; Domenico Lazzarini, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, 1963; 100 Obras Itaú, no Museu de Arte de São Paulo, 1985. BÉNÉZIT, vol. 6, pág. 499; JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 179; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 964; Acervo FIEO.

369 - CARLOS BORGES - (1959)
LL Balão - ostce - 20 x 16 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 124 deste catálogo.

370 - JOSÉ SABÓIA - (1949)
LL Torcida do Flamengo - ost - 40 x 40 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 120 deste catálogo.

371 - FANG, CHEN KONG - (1931)
LL Cavalo - a - 15 x 20 - cse - 1976
Pintor, desenhista e gravador. Ativo em São Paulo, estudou com Y. Takaoka; expôs nos Salões de Belas Artes de São Paulo e do Rio de Janeiro, obtendo diversas premiações. Tem obras em coleções particulares e na Pinacoteca de São Paulo. MEC, vol. 2, pág. 124; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 366; TEIXEIRA LEITE, pág. 189; PONTUAL, pág. 201.; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

372 - ARNALDO BARBIERI - (1913)
LL Carroça - ostce - 22 x 16 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 122 deste catálogo.

373 - BUSTAMANTE SÁ - (1907 - 1988)
LL " Ouro Preto " - ost - 33 x 55 - cid e d
Natural da cidade do Rio de Janeiro, estudou na ENBA naquela cidade, onde foi aluno de Rodolfo Amoedo e Rodolfo Chambelland. Participou do Núcleo Bernardelli, do qual foi um dos fundadores em 1931. Participou de sucessivas versões do SNBA a partir de 1928, recebendo diversas premiações. Excepcional pintor do gênero paisagem. TEODORO BRAGA, pág. 59; REIS JR. , pág. 385; MEC,vol. 4, pág. 127; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 145 e 147; TEIXEIRA LEITE, pág. 94; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 47; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763; Acervo FIEO.

374 - ANTONIO CARPENTIERI - (1930 - 1987)
LL Paisagem - osc - 11 x 26 - cie
Natural de Nápoles, Itália, Carpentieri foi descendente de família abastada, há três gerações ligadas às artes plásticas. No Brasil desde 1952, tornou-se aluno de Angelo Cannone, Briante e De Corsi. Expôs diversas vezes com excelente crítica na Itália, cujas galerias e museus possuem obras suas. JULIO LOUZADA, vol.1, pág.215; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 176; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

375 - MACIEJ ANTONI BABINSKI - (1931)
LL Figuras - grav. 80/80 - 12 x 16 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 125 deste catálogo.

376 - EVANDRO CARLOS JARDIM - (1935)
LL Bananeira - grav. - 14 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 126 deste catálogo.

377 - FRANCISCO BRENNAND - (1927)
LL Flor - psa - 10 x 10 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 002 deste catálogo.

378 - INNOCÊNCIO BORGHESE - (1897 - 1985)
LL " Rua São João de 1920 " - ose - 18 x 10 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 003 deste catálogo.

379 - OLGA BELTRÃO - (1950)
LL "Paz e magia nos crisântemos" - ost - 40 x 50 - cid e d - 1996
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 004 deste catálogo.

380 - RENZO GORI - (1911 - 1999)
LL Paisagem Árabe - ose - 13 x 18 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 005 deste catálogo.

381 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Natureza morta - lito. 11/50 - 37 x 50 - cid - 1985
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 006 deste catálogo.

382 - RITA RABELO - (1926)
LL Interior - ost - 30 x 40 - cie - 1987
Nasceu em São Paulo, Capital, em 25 de outubro de 1926. Teve algumas aulas de desenho com Bonadei (1961). Participa de coletiva na Sociarte (1987), com grande aceitação. JULIO LOUZADA vol.11, pág. 258.

383 - MARCOS OLIVEIRA - (XX)
LL " O boemio do nordeste " - ast - 70 x 60 - cid e d - 2005
Diretor de arte e artista plástico, Marcos Oliveira trabalha com a arte Naïf moderna. Ele também apresenta a cultura nordestina com cores intensas e mãos e pés destacados pelo tamanho. Para ele o Naïf representa o que o Brasil tem de melhor. A arte Naïf é o cartão postal do Brasil no exterior.-

384 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
LL Composição - psa - 20 x 20 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 206 deste catálogo.

385 - SALVADOR SANTISTEBAN - (1919 - 1995)
LL " Draga " - ost - 40 x 50 - cid - 1957
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 010 deste catálogo.

386 - MILTON MARIANO DA SILVA - (1943)
LL " Colheita de flores " - ost - 38 x 45 - cid e d
Pintor, desenhista e artista gráfico, natural da cidade mineira de Varginha. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios no período de 1965 a 1968, época em que tornou-se desenhista publicitário e diagramador. Recebeu influência de Antonio Maia, Laerpe Motta e Sami Mattar, artistas com quem conviveu. Sua obra retrata paisagens da infância e adolescência, com cromatismos quentes, mostrando o movimento de montanhas e serras de Minas Gerais. Expôs individualmente em 1974 e participa de coletivas desde 1968. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 682

387 - MARIA BONOMI - (1935)
LL Composição - ser.s/tec. 149/200 - 101 x 101 - 2004
Assinada na tela serigráfica. -Gravadora, pintora, figurinista, cenógrafa, muralista e escultora. No Brasil desde os nove anos de idade, residiu no Rio de Janeiro, com o seu avô, o construtor Conde Martinelli. Em 1950, já em São Paulo, estudou inicialmente com Yolanda Mohalyi, em seguida, a partir 1953, com Karl Plattner e Livio Abramo. Fez estudos de aperfeiçoamento no exterior, estudando com grandes mestres. Participante assídua de exposições coletivas, salões e mostras nacionais e internacionais, com muitas premiações. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 142; PONTUAL, pág. 80; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI,pág. 692; ARTE NO BRASIL, pág. 837; LEONOR AMARANTE, pág. 75, Acervo FIEO.

388 - LUIZ VERRI - (1912 - 1990)
LL " Paisagem de Outono em Campos de Jordão " - ost - 50 x 65 - cie - 1985
Com etiqueta n. 5034 de Renot Art Dealer - São Paulo. -Natural de Pirassununga - SP, cursou a partir de 1932 a Escola de Belas Artes de São Paulo, travou amizade com Francisco Rebolo, Volpi, Penacchi , Zanini e todos os demais integrantes do histórico grupo Santa Helena. Participou de diversas coletivas a partir de 1945, inclusive do SNBA - RJ, em 1954 e 1958 recebendo medalhas de bronze e de prata, respectivamente. Sua pincelada impetuosa, traz emoção e arrojo. Uma pintura exprecionista. MEC, vol. 4, pág. 470; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 1033; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

389 - LUIZ LABOZETTO - (1934)
LL " Casa abandonada " - ostce - 30 x 40 - cid - Paranapiacaba
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 014 deste catálogo.

390 - PINTURA NAIF IUGOSLAVA - (XX)
LL Festa - ost - 68 x 50 - cid ileg.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 015 deste catálogo.

391 - OCTÁVIO ARAÚJO - (1926)
LL Casal - xilo. - 25 x 10 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 009 deste catálogo.

392 - JOSÉ SIMEONE - (1930 - 2009)
LL Paisagem - osc - 22 x 31 - cie - 1972
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 267 deste catálogo.

393 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Brinde - osm - 22 x 16 - n/as.

394 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL Carro de bois - grav. col. 37/75 - 29 x 38 - cid - 1979
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 023 deste catálogo.

395 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL " Lagoinha " - ose - 33 x 46 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

396 - LEVINO FANZERES - (1884 - 1956)
LL Vista do Rio de Janeiro - osm - 32 x 43 - cid
Pintor e professor. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios e na antiga ENBA, ambas no Rio de Janeiro, recebendo nesta última, orientação de Zeferino da Costa e de João Batista da Costa. Excepcional colorista, interpreta com sentimento e honestidade o momento da natureza que se propõe a retratar, e sempre com admirável êxito. TEIXEIRA LEITE, pág.190; PONTUAL, pág.201; JULIO LOUZADA vol.2, pág.387; ITAU CULTURAL.

397 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Quintal - ostce - 30 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

398 - JORGE RACHID BUSSAB - (1927)
LL Composição - g - 13 x 11 - cid
Pintor, gravador, ceramista, escultor e tapeceiro, natural da cidade de São Paulo, onde nasceu a 28 de fevereiro. Estudou com Aldo Bonadei por cinco anos. Segundo o renomado crítico Jacob Klintowitz, " A aproximação de Bussab com os elementos naturais, a sua discrição e pouco convívio com os movimentos internacionais da arte, o seu recolhimento, o tornaram distante das correntes e modas de arte. Os seus motivos são constantes, a sua maneira de pintar e o tratamento que ele dá aos seus motivos, o seu sistema, é inventivo." JULIO LOUZADA vol.10, pág. 153

399 - JOÃO BERTONI - (1889 - 1980)
LL Teresópolis - ostce - 28 x 36 - cie
Pintor nascido em Madaloni, Itália e falecido no Rio de Janeiro. Assina J. Bertoni. Filho do pintor e professor Ângelo Bertoni e irmão do artista plástico Bertoni Filho. Mencionado pela Imprensa de Curitiba (1941 e 1942) e por Theodoro Braga em ‘Artistas Pintores do Brasil’(1942). JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG. 120; MEC, VOL. 1, PÁG. 222; ITAU CULTURAL.

400 - NERÃO - (ANTONIO JOAQUIM NERY) - (1903 - 1997)
LL " Praia com banhistas " - ost - 38 x 46 - cid - 1987
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

401 - GENTIL GARCEZ - (1903 - 1992)
LL Pescadores - ost - 30 x 40 - cid
Sua primeira individual deu-se em 1922. Participou assiduamente de certames artísticos realizados em São Paulo e em outras cidades do País. TEODORO BRAGA, pág. 105; MEC, vol. 2, pág. 240/241; JULIO LOUZADA, vol 1, pág. 410; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

402 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Figuras - ost - 55 x 40 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 033 deste catálogo.

403 - DAREL VALENÇA LINS - (1924)
LL Cidade - grav. - 11 x 15 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 118 deste catálogo.

404 - LEOPOLDO RAIMO - (1912 - 2001)
LL Composição - ost - 91 x 65 - cie - 1968
Pintor e gravador, nascido em Botucatu/SP, com diversas participações em Salões e Exposições, tais como: Salão Paulista de Arte Moderna, Salão Baiano de Belas Artes, Bienal de São Paulo e Salão Nacional de Arte Moderna, entre outros. MEC. VOL. 4, PÁG. 22

405 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Coruja - m em ac - h = 22 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

406 - FRANCIS BERNARD - (1943)
LL Composição - ost - 81 x 100 - cid - 1993
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 286 deste catálogo.

407 - VINCENZO CENCIN - (1925)
LL Marinha - ostcm - 30 x 50 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

408 - LEOPOLDO GOTUZZO - (1887 - 1983)
LL Camponês - osm - 25 x 21 - cid - 1928 - Portugal
Gaúcho de Pelotas, Gotuzzo foi pintor e desenhista. Estudou em Roma com Joseph Noel a partir de 1909. Permaneceu na Europa por vários anos, aperfeiçoando a sua arte em diversas cidades. Enviava suas obras para os Salões Nacionais, conquistando diversas premiações. Pintor de paisagens e nús, dedicou-se também ao retrato, inclusive a crayon. É artista que teve seu talendo reconhecido por todos os críticos de sua época, figurando em publicações especializadas. JULIO LOUZADA vol.10, pág. 395; PONTUAL, pág. 247; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 601.

409 - GUIDO TOTOLI - (1937)
LL Natureza morta - ost - 55 x 65 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 034 deste catálogo.

410 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Banhista - dn - 18 x 30 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

411 - CARLOS LEÃO - (1906 - 1982)
LL Nu - dn e ag - 30 x 50 - cie
No estado. -Arquiteto, pintor e desenhista ativo no Rio de Janeiro. Participou com Lucio Costa no projeto do edifício sede do Ministério de Educação do Rio de Janeiro (1937). Excepcional desenhista, praticou igualmente a pintura, sempre fiel a uma só temática - "a mulher, seu corpo, seu mundo de amor, sexo e poesia". MEC, vol. 2, pág. 462/3; TEIXEIRA LEITE, pág. 281; PONTUAL, PÁG. 303; JULIO LOUZADA VOL.11, PÁG.171; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 602; ARTE NO BRASIL, pág. 746.

412 - HENRIQUE TRIBOLET - (1862 - XX)
LL Casario - ost - 18 x 13 - cie
Pintor ativo no Rio de Janeiro. Foi discípulo de Fachinetti. Participou do Salão Nacional de Belas Artes de 1896. No Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro, obras suas foram apresentadas na Exposição de Marinhas (1959) e na exposição 150 anos de Pintura de Marinha na História da Arte Brasileira (1982). JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG.996; VOL. 5, PÁG. 1066; VOL. 12, PÁG. 409; MEC, VOL. 4, PÁG. 411; ART PRICE.

413 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 14 x 18 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

414 - GEZA HELLER - (1902 - 1992)
LL Paisagem - ose - 34 x 48 - cid - 1965
Natural da cidade húngara de Kecskemer, e falecido no Rio de Janeiro, em 20/3/1992, cidade onde fixou residência. Pintor, desenhista, ilustrador, gravador e arquiteto. Integrou o grupo de sete artistas que em torno de Guignard desenvolvem uma visão introspectiva da natureza. Entre eles Iberê Camargo, Milton Risuro, e outros. Foi premiado com o 1º lugar no concurso de priojetos para a remodelação do Jockey Club de São Paulo. Participou, com premiações, de diversos salões oficiais. TEIXEIRA LEITE, pág. 244; JULIO LOUZADA vol 13 pág. 165; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 598.

415 - LOUCO - BOAVENTURA DA SILVA FILHO - (1932 - 1992)
LL Anjo - e em mad. - h = 73 - d
O autor, conhecido como Louco, é natural de Cachoeira, histórica cidade baiana, às margens do rio Paraguaçu. Foi aí que começou seu trabalho. Pouco a pouco suas esculturas tornaram-se amplamente conhecidas, garantindo, para Boaventura, um lugar de destaque entre os artistas populares brasileiros. A partir do reconhecimento de sua obra, participou de exposições significativas como a mostra do Centro Domus, em Milão, Itália; o Espírito Criador do Povo Brasileiro, através da coleção de Abelardo Rodrigues, e Sete Brasileiros e seu Universo, em Brasília. É dele a seguinte explicação para o seu novo nome: "É porque sou louco pra trabalhar! Fui o primeiro artista da cidade. Trabalho com inspiração e amor. Às vezes me afasto de tudo - vou pro mato, fico lá sozinho, sem zuada, só com o meu radinho e os troncos de madeira, despreocupado, longe da mulher, dos dez filhos, dos fregueses. eles conversam muito e atrapalham. E a mulher quer muita coisa, Mulher é como criança, nada chega." (texto extraído do livro O Reinado da Lua - Escultores Populares do Nordeste, de Silvia Rodrigues Coimbra, Flávia Martins e Maria Letícia Duarte - Ed. Salamandra, 1980, págs. 112, 113 e 114).

416 - SAUL STEINBERG - (1914 - 1999)
LL Figura - dn - 24 x 20 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 104 deste catálogo.

417 - HUGO ADAMI - (1900 - 1999)
LL Paisagem - ost - 60 x 50 - cid e d
No estado . - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

418 - EDGARD OEHLMEYER - (1909 - 1967)
LL Hortências - ose - 81 x 65 - csd - 1958
Nasceu em Rio Claro, no dia 31 de maio e falecido em 4 de outubro de 1967. Nessa cidade cursou na Escola Profissional a seção de pintura com o prof. Carlos Hadler. Discípulo de Rocco, foi destacado paisagista e pintor de naturezas-mortas, tendo obtido diversas premiações nos SNBA e SPBA. TEODORO BRAGA, pág. 175; MEC. Vol.3, pág. 291; MAYER/1984, pag. 1070; TEIXEIRA LEITE, pág. 362; PONTUAL, pág. 389; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

419 - CLAUDIO TOZZI - (1944)
LL Parafuso - grav. - 20 x 20 - cid - 1971
Pintor, arquiteto e gravador paulista com diversas exposições e participações em salões e bienais no Brasil e no exterior. Dedicou-se inicialmente à colagem e à gravura, numa utilização crítica das histórias em quadrinhos; numa fase posterior passou a criar múltiplos tridimensionais e a efetuar pesquisas em torno dos efeitos ópticos. WALMIR AYALA vol.2, pág.388/9; PONTUAL, pág.525/6; TEIXEIRA LEITE, pág. 512; ARTE NO BRASIL vol.2, pág.1059; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 740; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.

420 - OTTONE ZORLINI - (1891 - 1967)
LL São Francisco - e em b - h = 29 - as. - 1964
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 295 deste catálogo.

421 - DAREL VALENÇA LINS - (1924)
LL Figuras - ostce - 20 x 27 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 118 deste catálogo.

422 - ISABEL DE JESUS - (1938)
LL Composição - g - 50 x 35 - cid - 1965
Mineira de Cabo Verde, é pintora e desenhista. Começou a pintar em 1965, já em São Paulo. Estudou anteriormente desenho com Iracema Arditi. Participou do setor de desenho do XXIII SPar.BA, 1966, realizando exposições individuais no mesmo ano em São Paulo e Rio. MEC, vol.2, pág.374; PONTUAL, pág.280; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.158; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 226; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

423 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL Autorretrato - dn - 47 x 33 - cid - 1965
Reproduzido sob o n.° 168 do livro "O colecionismo no sistema da arte" de autoria de Frederico Morais, edição Soraia Cals, Rio de Janeiro. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 023 deste catálogo.

424 - GEORGINA DE ALBUQUERQUE - (1885 - 1962)
LL Feira - ost - 24 x 30 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 294 deste catálogo.

425 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Girafas - e em b - h = 20 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 094 deste catálogo.

426 - CECCO PREVITALI - (1918 - 2003)
LL Paisagem - a - 30 x 45 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 051 deste catálogo.

427 - PEDRO WEINGÄRTNER - (1856 - 1929)
LL Igreja - a - 23 x 16 - cid
Pintor gaúcho de origem alemã, Weingärtner estudou no Brasil, Alemanha e Itália, residindo por longos anos na Europa. Ao retornar ao Brasil, dedicou-se a temática gauchesca, que lhe motivou os trabalhos mais sensíveis. Um dos pioneiros da gravura de arte no Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 343; BENEZIT, vol. 10, pág. 675; TEODORO BRAGA, pág. 246; REIS JUNIOR, pág. 220/224; MEC, vol. 4, pág. 506/507; LAUDELINO FREIRE, pág. 386; PONTUAL, pág. 551/552; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 438/439; MAYER/84, pág. 1268; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 443; ARTE NO BRASIL, pág. 560; RGS, pág. 402.

428 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Cangaceiro - tm - 46 x 32 - cid - 1970/1971
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 006 deste catálogo.

429 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
LL Vaqueiro - ost - 33 x 41 - cie - 1977
Com certificado de autenticidade n° 0294/0679 do Projeto Graciano. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 100 deste catálogo.

430 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
Nain, ponto de nó, feito a mão, de lã, medindo 1,25 x 0,85 m = 1,06 m². -

431 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Capa para revista Fon Fon - g - 40 x 27 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

432 - JUAREZ MACHADO - (1941)
LL Interior - dn - 40 x 29 - cid - 1970
Nasceu em Joinville, SC. Atualmente reside e trabalha em Paris, França, onde mantem ateliê. Pintor, escultor, desenhista, caricaturista, jornalista, cenógrafo, escritor e ator. Desenvolveu sólida carreira como desenhista de charges de humor. Sua arte essencialmente criativa, vai do lirismo à violência, da análise microscópica ao extravasamento onírico. Entre as exposições de que participa, destacam-se: 9ª Bienal Internacional de São Paulo, 1967; Zona Gallery, Nova Iorque (Estados Unidos), 1981; Retrospectiva Quatro Artistas da Geração 60, no MAC/PR, Curitiba, 1987; Châteaux Bordeaux, no Centro Georges Pompidou, Paris, 1988; Retrospectiva, no MAC/Joinville, 1990; Arte na América Latina: 100 Anos de Produção, no Instituto Estadual de Artes Plásticas da UFRGS, Porto Alegre, 1996. "Juarez Machado expõe a natureza humana, olha, registra, interpreta, ilumina, focaliza. É o mundo dos humanos, mas não é o mundo do juiz dos homens. Aqui não estamos no Juízo Final. Juarez é o artista contemporâneo, ele tem este olhar elaborado pela ciência, o grau de consciência reflexiva. Podemos dizer deste ponto de vista, que esta obra humanística e esta atitude de intensa pesquisa confere ao seu trabalho um caráter anti-medieval." Jacob Klintowitz in: "Juarez Machado - Copacabana 100 Anos, Ed. Simões de Assis, 1992." JULIO LOUZADA vol.11, pág. 186; PONTUAL, pág.284; Acervo FIEO; ITAU CULTURAL; MEC, vol. 3; TEIXEIRA LEITE, pág. 298. Acervo FIEO.

433 - YOSHIYA TAKAOKA - (1909 - 1978)
LL " Natureza em silêncio " - ost - 46 x 55 - cid e d - 1969
Reproduzido sob o n.° 116 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Pintor e desenhista nascido em Tóquio, Japão, veio para o Brasil em 1925, fixando-se no interior de São Paulo, trabalhando na lavoura. Mudou-se para São Paulo, onde ganhava a vida vendendo pastéis, fazendo caricaturas e como pintor de paredes. Foi aluno de Bruno Lechowsky no Rio de Janeiro. Foi um dos fundadores do Grupo Seibi, que reuniu artistas plásticos da colônia japonesa em São Paulo (1935). Fundou em 1948, juntamente com Geraldo de Barros e Antonio Carelli, o Grupo dos Quinze. Viveu em Paris de 1952 a 1953, estudando técnica de mosaico; Freqüentou o Núcleo Bernardelli, onde se ligou de amizade a Pancetti. Participou de diversos salões e exposições, nacionais e estrangeiras, recebendo diversas premiações. PONTUAL, pág. 510; TEIXEIRA LEITE, pág. 490; MEC, vol. 4, pág. 352; TEODORO BRAGA, pág. 220; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 361; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL.

434 - RODOLPHO AMOÊDO - (1857 - 1941)
LL A visita - dn - 27 x 24 - cid
Natural da cidade de Salvador, o artista chegou ao Rio de Janeiro no ano de 1868, ingressando, cinco anos depois, no Liceu de Artes e Ofícios e, em 1874, na Academia Imperial de Belas Artes, onde teria Vitor Meirelles, Agostinho da Mota e João Zeferino da Costa como mestres. Na Escola de Belas Artes de Paris, já estudante bolsista da Academia, aperfeiçoou-se com Cabanel e Puvis de Chavanes. De volta ao Rio de Janeiro, onde viria a falecer, destacou-se no exercício do magistério, como professor honorário e, posteriormente, como diretor da antiga Escola Nacional de Belas Artes. Dono de grande preciosismo técnico, Amoedo aborda com despojamento os mais delicados matizes nos seus temas, geralmente a figura humana. O MNBA possui em seu acervo mais de 300 obras do artista TEIXEIRA LEITE, 26/29; PONTUAL, pág. 24; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 411; ARTE NO BRASIL, pág. 566.; JULIO LOUZADA, VOL. 1 PÁGS. 58/59/60; F. ACQUARONE, pág. 101.

435 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Meteoro - e em mar - h = 20 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 080 deste catálogo.

436 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - g - 25 x 10 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 057 deste catálogo.

437 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL " O caminho " - ose - 20 x 30 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 062 deste catálogo.

438 - PABLO SALINAS Y TERUEL - (1871 - 1946)
LL Galanteio - osm - 18 x 20 - cid - Roma
Pintor de gênero, nascido em Madri, Espanha. Representante da Escola Espanhola de pintura, suas obras sempre são desatque nos leilões internacionais. Era irmão de Augustin Salinas y Teruel. BÉNÉZIT vol. 9, pág. 248; ART PRICE ANNUAL 2000 pág. 2202.

439 - TAKASHI FUKUSHIMA - (1950)
LL Composição - tm - 39 x 39 - cid - 1976
Filho do pintor Tikashi Fukushima, nasceu em São Paulo, Capital. Estuda com Luiz Paulo Baravelli em 1970 e, no mesmo ano, ingressa na FAU-SP. Paralelamente aos estudos universitários, expõe nas Bienais Internacionais de São Paulo em 1973 e 1975, obtendo, nesta última, prêmio aquisição. Em 1990 estuda na Universidade Nacional de Artes e Música de Tóquio, Japão, com bolsa concedida pela Fundação Japão. No mesmo ano, recebe o prêmio de excelência na 1ª Bienal Brasileira de Design, em Curitiba. Desde 1992 leciona desenho no curso de arquitetura e urbanismo da Faculdade de Belas Artes de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 141; ITAÚ CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 231, Acervo FIEO.

440 - DÉCIO VILARES - (1851 - 1931)
LL Modelo - e em b - h = 19 - as.
Pintor, retratista, fez da figura feminina o seu tema predileto. Criou a bandeira da República, substituindo o escudo pelo Cruzeiro do Sul e acrescentando o lema positivista " Ordem e Progresso" . Dedicou-se também à escultura. ARTE NO BRASIL vol.2, pág.1060; PONTUAL, pág.542; MEC vol.4, pág. 478; TEIXEIRA LEITE, pág. 526; ITAÚ CULTURAL.

441 - CASSIO M'BOY - (1903 - 1986)
LL " São Roque " - ose - 61 x 50 - cie
Com carimbo do Mirante da Artes de Pietro Maria Bardi - São Paulo, no dorso. - Pintor, escultor, decorador, tapeceiro, desenhista e vitrilalista, o autor nasceu na cidade paulista de Mineiros do Tietê-SP 1986). Estudou desenho e anatomia com Georg Elpons em São Paulo. Foi ligado ao Grupo Modernista (1922). Suas pinturas dão preferência a uma temática rural e caipira. Na cidade de São Paulo, participa da exposição organizada por Flávio de Carvalho (1934) e executa um grande vitral com uma equipe ligada à Fundação Armando Álvares Penteado/Faap. Realiza sua primeira individual em 1950, no Museu de Arte de São Paulo. Entre as mostras de que participa, destacam-se: Exposição Internacional de Artes e Técnicas de Paris, França, 1937 (Medalha de Ouro); Salão de Maio, São Paulo, 1938; Bienal de Veneza, Itália, 1952. "Insiste-se ainda em incluir Cássio M´Boy entre os pintores ingênuos ou primitivos. Tal lenda decorre mais do seu ambiente doméstico bem caipira e dos processos toscos que usa em temas singelos do que da sua arte propriamente individual (...). A verdade é que Cássio M´Boy se firmou como pintor de assuntos hagiológicos e folclóricos, dos quais nunca se afastou em seu atelier de hibernação bucólica. Inicialmente desenhista de figurinos e escultor de tarimba artesanal, não demorou a adquirir virtuosismo quanto a linhas, formas, volumes, cores e composição. Mas as cenas, as figuras humanas bem como os episódios, complementarmente os bichos, as flores, os montes, as estradas, as cachoeiras; tudo é desenhado e colorido mediante mentalidade populista e singela. " José Geraldo Vieira, in PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Apresentação de Antônio Houaiss. Textos de Mário Barata et al. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969. WALMIR AYALA, vol.1, pág.181; MEC vol.3, pág.109; JULIO LOUZADA vol.4, pág. 649; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 631; PONTUAL; TEIXEIRA LEITE; ACERVO FIEO, pág. 496, Acervo FIEO.

442 - GEORGES WAMBACH - (1901 - 1965)
LL " Paquetá " - a - 32 x 24 - cid - 1939
Belga de nascimento, veio a falecer no Rio de Janeiro. Excepcional aquarelista, que retratou o Brasil em suas inúmeras incursões. "Georges Wambach (1901-1965) talvez tenha sido um dos últimos exemplares de uma espécie em extinção, ou já extinta, quem sabe: a dos artistas viajantes de que o século XIX foi pródigo. Artistas com cavalete, paleta, tintas e pincéis na mochila, que vararam o mundo em busca do fantástico, do erótico, e, sobretudo, do excitante desconhecido, aventura que até custou a vida de alguns como Adrien Taunay, que viu a morte aos 25 anos em pleno Mato Grosso." Fernando Cerqueira Lemos, in AQUARELAS de Georges Wambach: impressões do Brasil. Ed. Marca d´Água-SP, 1988. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 343; TEIXEIRA LEITE, pág. 540; ITAÚ CULTURAL.

443 - ANA ANDRADE - (1953)
LL " O vaso " - grav. P.A. 1/2 - 40 x 40 - cid - 2008
Complemento de técnica: água tinta e maneira negra. -Ana Cristina Andrade Moreira é pintora, gravadora, desenhista, professora e designer vidreira. Iniciou sua formação artística na Escola Superior de Arte Santa Marcelina, SP (1972-1975). Aprendeu gravura em metal (1980-1990) com Iole Di Natale; técnicas de gravura na Scuola Internazionale di Gráfica em Veneza, Itália (1983); Gravura Especial com Evandro Carlos Jardim, no MAC-SP (1991); Técnica Calcográfica Experimental com Mario Benedetti, na FASM-SP (1997); Vitrofusão com Roberto Bonino. Exposições individuais: São Paulo, SP (1984, 1987, 1995, 2003); Bauru, SP (1989); “Projeto Interior com Arte” – Museu Banespa (1998 – Exposição itinerante pelo interior do Estado de São Paulo). Coletivas: Epinal, França (1975); São Paulo, SP (1974,1982,1984,1985,1986,1988,1994,1995,2000,2002 a 2004); Santo André,SP (1982); Novo Hamburgo, RS (1982); Taiwan, China (1983,1985); San Juan, Porto Rico (1983); Santos, SP (1983); Cabo Frio, RJ (1983); Ribeirão Preto,SP (1984); Curitiba, PR (1984); Piracicaba,SP (1984); Veneza, Itália (1984,1985); Campinas, SP (1985); São José do Rio Preto, SP (1986); Limeira, SP (1986); Washington D.C.,EUA (1991); Campos do Jordão, SP (1991); Kanagawa, Japão (1992); Maastricht, Holanda (1993); Illinois, EUA (1994); Cidade do México, México (1996); Jacareí, SP (1998); Budapeste, Hungria (1996); Uzice, Yuguslávia (1997); Ourense, Espanha (1994,2006). Prêmios: São Paulo, SP (1974); Novo Hamburgo, RS (1982); Santos, SP (1983); Ribeirão Preto, SP (1984); Curitiba, PR (1984); Piracicaba, SP (1984); Campinas, SP (1985); São José do Rio Preto, SP (1986). JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 62; vol.2, pág. 66; Acervo FIEO. ITAU CULTURAL.

444 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " A barreira " - osm - 38 x 45 - cie e d - 1957 - Jacarezinho/PR
Com etiqueta de Marisa Savoia restauração e conservação de telas. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 070 deste catálogo.

445 - HENRIQUE BOESE - (1897 - 1982)
LL " Ritual das Lamparinas " - osm - 120 x 160 - cid - 1972/1973
Esta obra representa a cerimônia de entrada da noiva para o casamento religioso judeu ortodoxo. Ex-coleção Felipe Arno - São Paulo. Com etiqueta do Museu Lasar Segall - São Paulo, no dorso. - Reproduzido no convite deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 17/03/2010. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 074 deste catálogo.

446 - MARIO NAVARRO DA COSTA - (1883 - 1931)
LL " Lembrança Saudosa " - a - 23 x 15 - cie - 1916
Com diversas assinaturas. -Nascido no Rio de Janeiro, este pintor marinhista teve suas obras inicialmente notadas no Salão de 1907. Após sua consolidação no gênero, ingressa na carreira diplomática, sendo enviado a Nápoles, onde se torna aluno de Attilio Pratella, o último dos marinhistas notáveis. Expõe na Europa, por onde viaja mercê do ofício. É considerado pelos críticos pátrios como o melhor marinhista de todos os tempos. TEIXEIRA LEITE, pág. 346; PONTUAL, pág.379; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 532; ARTE NO BRASIL, pág. 602; ACERVO FIEO.

447 - HENRIQUE ALVIM CORREA - (1876 - 1910)
LL Fuga do Padre - osc - 27 x 19 - cie - 1896
Trata-se simplesmente de um dos mais extraordinários desenhistas brasileiros do século passado. Rico, inteligente, culto e rebelde, instalou-se em Paris na adolecência, começando sua vida artística pintando academicas cenas de batalha, que logo abandona. Ingressa numa fase feminista que mais tarde se torna erótica, e depois pornográfica, utilizando a própria mulher como modelo. Ilustrou o livro "Guerra dos Mundos", de H. G. Well. Tornou-se precursor mundial do desenho de ficção científica, do design do séc. XXI, em plena virada do séc. XIX. JULIO LOUZADA, vol. 4 pág. 279/ 280; WALTER ZANINI, pág. 446; ARTE NO BRASIL, pág. 593.

448 - BELMIRO BARBOSA DE ALMEIDA - (1858 - 1935)
LL Dançarinos - osm - 20 x 14 - cie e d - 1916
Esse grande pintor brasileiro, cuja carreira artística começou pela caricatura, viveu em Paris quase toda a sua existência. Ao fim da vida, abeirou-se dos novos estilos artísticos em voga na Europa, praticando incursões até no campo do Futurismo. Luciano Migliaccio, assim se refere `a obra do mestre: " Belmiro (...) punha fim à época em que a arte brasileira ainda era prisioneira da retórica dos gêneros e se fundamentava na transposição em chave nacional da tradição européia. Dava início a uma arte nova, inspirada na realidade social urbana contemporânea, falando da transformação dos costumes no interior da família e da condição da mulher na sociedade moderna. Era uma pintura que objetivava a educação moral do público, imitando o exemplo da pintura vitoriana inglesa, mas adotando a estética do naturalismo francês. O artista deixava de ser uma espécie de sumo sacerdote do culto da nação, passando a recusar a idéia de uma pintura celebrativa, promovida pelo Estado e distante da representação da atualidade. Assim, como Amoedo e Aurélio Figueiredo, Belmiro tentava encarnar o modelo do artista dandy, o intelectual urbano que fazia de sua arte um estilo e um modo de vida (...)" in: MOSTRA DO REDESCOBRIMENTO (2000: SÃO PAULO, SP), AGUILAR, Nelson (org. ), SASSOUN, Suzanna (coord. ). Arte do século XIX. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo: Associação Brasil 500 anos Artes Visuais, 2000. p. 148. REIS JR, pág.224; THEODORO BRAGA, pág.49; Primores da Pint, no Brasil, vol.1, pág.229; LAUDELINO FREIRE, págs.382/383; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 30/31; TEIXEIRA LEITE, pág. 68/69; PONTUAL, págs.66/67; MEC, vol.1, pág.48; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 420; ARTE NO BRASIL, pág. 553; F. ACQUARONE, pág. 117.

449 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Paisagem - a - 8 x 29 - cid - 1964
Reproduzido sob o nº 270 em catálogo de Lordello e Gobbi - Escritório de Arte - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

450 - FRANCISCO STOCKINGER - (1919 - 2009)
LL Guerreiro - m em b 11/30 - h = 40 - as.
Natural de Traum, Áustria, Xico Stockinger, como é conhecido, foi aluno de Bruno Giorgi e desde 1954, radicado em Porto Alegre, á um escultor da figura humana e do animal. Também é excelente desenhista e gravador. Começou a expor na década de 40, no Rio de Janeiro, recebendo premiações. Desempenhou importante papel no desenvolvimento das artes plástica gaúcha. Tem seu nome firmado no cenário nacional e internacional, como escultor expressivo e original. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.311; PONTUAL, pág.506; MEC., vol.4, pág.342/3.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 868; LEONOR AMARANTE, pág. 136.

451 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Casal - dn - 17 x 17 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

452 - LIBINDO FERRAZ - (1877 - 1951)
LL Paisagem - a - 28 x 38 - cid
Nasceu em Porto Alegre-RS, e faleceu no Rio de Janeiro-RJ. Pintor e professor. Realizou estudos artísticos na Itália. Foi um dos fundadores, em 1908, do Instituto de Belas Artes de Porto Alegre, onde lecionou até 1936. MEC, vol. 2 - pág. 150; PONTUAL-pág. 207; LAUDELINO FREIRE pág. 518.

453 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Pássaros - ost - 100 x 100 - cid e d - 2009
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 078 deste catálogo.

454 - ARMANDO PACHECO - (1913 - 1965)
LL " Parati " - a - 23 x30 - cid - 1944
Pintor, gravador e desenhista, nascido e falecido na cidade do Rio de Janeiro. Ingressou no Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro em 1930, aos 17 anos de idade, ali tornando-se aluno de Isaltino Barbosa e aluno de Oswaldo Teixeira no ano seguinte. Na ENBA, foi aluno de Rodolpho Chambelland e Augusto Bracet. Participou regularmente do SNBA-RJ, conquistando prêmio viagem ao Exterior em 1950. Em 1968 o Museu Nacional de Belas Artes realizou um exposição com seus principais trabalhos. JULIO LOUZADA vol.1b, pág.705; TEXEIRA LEITE, pág. 372; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 766.

455 - FRANZ WEISSMANN - (1911 - 2005)
LL Composição - e em f - h = 110 - as.
- Reproduzido no convite deste leilão.Franz Joseph Weissmann nasceu em Knittelfeld, Áustria e faleceu no Rio de Janeiro. Escultor, desenhista, pintor e professor. Vem para o Brasil em 1921. No Rio de Janeiro, entre 1939 e 1941, freqüenta cursos de arquitetura, escultura, pintura e desenho na Escola Nacional de Belas Artes. De 1942 a 1944, estuda desenho, escultura, modelagem e fundição com August Zamoyski. Em 1945, transfere-se para Belo Horizonte, onde ministra aulas particulares de desenho e escultura. Três anos depois, Guignard o convida a lecionar escultura na Escola do Parque, que mais tarde recebe o nome de Escola Guignard. Integra o Grupo Frente, em 1955. No ano seguinte, volta a residir no Rio de Janeiro e participa da Exposição Nacional de Arte Concreta, em 1957. É um dos fundadores do Grupo Neoconcreto, em 1959. Nesse ano viaja para a Europa e o Extremo Oriente, retornando ao Brasil em 1965. Participa das Bienais Internacionais (1965,1967,1979 ,1987) e dos Panoramas de Arte Moderna (1972, 1975, 1981), em São Paulo. Nos anos de 1970 recebe o prêmio de melhor escultor da Associação Paulista de Críticos de Artes - APCA, participa da Bienal Internacional de Escultura ao Ar Livre, em Antuérpia, Bélgica, e da Bienal de Veneza. Realiza esculturas monumentais para espaços públicos de diversas cidades brasileiras, como na Praça da Sé, em São Paulo; no Parque da Catacumba, no Rio de Janeiro; e no Palácio das Artes, em Belo Horizonte. ITAU CULTURAL; MEC, VOL. 4, PÁG. 507; PONTUAL, PÁG. 552; JULIO LOUZADA , VOL. 2, PÁG. 1058; VOL.5, PÁG. 1130; VOL. 9, PÁG. 920; VOL. 11, PÁG. 344; www.franzweissmann.com.br.

456 - VICENTE LEITE - (1900 - 1941)
LL Pedra da Gávea - a - 18 x 24 - cid - 1940 - Rio
Vicente Rosal Ferreira Leite nasceu no estado do Ceará, onde servia na guarda do Palácio do Governo, quando o então governador João Tomé de Sabóia e Silva lhe ofereceu uma bolsa de estudos no Rio de Janeiro, em virtude de seus dotes como desenhista. Na antiga Escola Nacional de Belas-Artes, no Rio, teve Cândido Portinari e Orlando Teruz, entre outros, como seus condiscípulos. De 1920 a 1926 estudou sob a orientação de Lucílio de Albuquerque, Rodolfo Chambelland e João Batista da Costa - de quem sofreu grande influência em sua dedicação às paisagens. Reconhecido e condecorado com menções honrosas em todo país, realizou exposições em diversos estados brasileiros, e também participou de salões em países como Argentina e Estados Unidos. Executou ainda, no Palácio do Governo do Ceará, uma alegoria da Revolução de 1930 - obra onde empregou a técnica pontilhista da última fase dos impressionistas franceses. Suas obras podem ser encontradas no Museu Nacional de Belas-Artes, na Pinacoteca do Estado de São Paulo e no Museu Mariano Procópio, em Juiz de Fora. JULIO LOUZADA, VOL ,10, pág, 487. PONTUAL, pág, 308. MEC, VOL, 2, pág, 468; TEIXEIRA LEITE.pág, 284; ITAÚ CULTURAL.

457 - TEMISTOCLE LAMESI - (1870 - 1957)
LL Nu - ost - 42 x 45 - cid
Com etiqueta de Renato Magalhães Gouvea - Escritório de Arte - São Paulo, no dorso. -Desenhista e pintor italiano. Suas obras têm sido apresentadas em diversos leilões da Europa, América do Sul e Oriente. ART PRICE; www.artnet.com; www.askart.com; www.arcadja.com; www.pintores.ws.

458 - CÂNDIDO PORTINARI - (1903 - 1962)
LL Grupo de homens - grav. H.C - 24 x 17 - cid
Registrado no Projeto Portinari. Ilustração original do livro " O Alienista " de Machado de Assis. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 044 deste catálogo.

459 - VALDEIR MACIEL - (1937 - 2005)
LL Composição - ost - 80 x 80 - d - 1990
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 299 deste catálogo.

460 - YUTAKA TOYOTA - (1931)
LL Espaço Cósmico - m em a i 5/15 - h = 29 - d - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 335 deste catálogo.

461 - CARLOS VERGARA - (1941)
LL Figuras - a - 33 x 49 - cid - 1964
Carlos Augusto Caminha Vergara dos Santos, importantíssimo artista plástico brasileiro, nasceu na cidade gaúcha de Santa Maria-RS. Gravador, fotógrafo e pintor, transfere-se para o Rio de Janeiro na déc. de 50. Dedicou-se ao artesanato de jóias, que são expostas na 7ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1963. Estudou desenho e pintura com Iberê Camargo. Participou das mostras Opinião 65 e 66, no MAM-RJ. Em 1967 produz pinturas figurativas, que revelam afinidades com o expressionismo e a Arte Pop. Atua ainda em colaboração com arquitetos, realizando painéis para diversos edifícios, empregando materiais e técnicas do artesanato popular. Durante os anos 1980, volta à pintura, produzindo quadros abstratos geométricos, nos quais explora, principalmente, tramas de losangos que determinam campos cromáticos. Desde o fim dos anos 1980, emprega pigmentos naturais e minérios, com os quais produz a base para trabalhos em superfícies diversas. Em 1997, realiza a série Monotipias do Pantanal, na qual explora o contato direto com o meio natural, transferindo para a tela texturas de pedras ou folhas, entre outros procedimentos. MEC., vol.4, pág.469; JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 1030; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 966; LEONOR AMARANTE, pág. 168.

462 - INOS CORRADIN - (1929)
LL Figuras - ost - 56 x 42 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 087 deste catálogo.

463 - JUDITH LAUAND - (1922)
LL Composição - ost - 54 x 81 - d
Com certificado de autenticidade firmado pela artista. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 069 deste catálogo.

464 - JOÃO ZEFERINO DA COSTA - (1840 - 1915)
LL Figuras Biblícas - g - 26 x 19 - cid - 1873 - Roma
Pintor, desenhista, decorador, professor. Em 1857, ingressa na Academia Imperial de Belas Artes - Aiba. É orientado em pintura histórica por Victor Meirelles (1832 - 1903). Em 1868 recebe, pela composição Moisés Recebendo as Tábuas da Lei, ca.1870, o prêmio de viagem ao exterior. Parte para Roma, onde estuda com mestres renomados na Accademia di San Luca. Torna-se aluno de Cesare Mariani (1826 - 1901), autor de pintura histórica e decorador de igrejas. Retorna ao Brasil em 1877. É nomeado professor da Aiba, atividade que exerce até o fim da vida, tendo lecionado pintura histórica e paisagem até fixar-se definitivamente na cadeira de desenho. Em 1879 envia para a Exposição Geral de Belas Artes, 17 obras, entre as quais a tela A Pompeiana, 1879, que é duramente criticada por Gonzaga Duque (1863 - 1911). Talvez por esse motivo, após esta data nunca mais participa de exposições públicas. Em 1878, é escolhido pelo imperador dom Pedro II (1825 - 1891) para elaborar as pinturas da Igreja da Candelária, no Rio de Janeiro, consideradas sua principal obra. Na cúpula pinta o tema da Virgem rodeada pelas virtudes da Fé, Esperança, Caridade, Prudência, Justiça, Fortaleza e Temperança e, na capela-mor, diferentes cenas da vida da Virgem. Viaja novamente a Roma para realizar estudos para os painéis que compõem a nave central da Candelária. Para esse trabalho, tem a colaboração de diversos alunos, entre eles Castagneto (1851 - 1900), Oscar Pereira da Silva (1867 - 1939), Pinto Bandeira (1863 - 1896), Augusto Rodrigues Duarte (1848 - 1888). Em 1890, torna-se vice-diretor e professor de desenho de modelo-vivo da Escola Nacional de Belas Artes - Enba. Em 1917, dois anos após a sua morte, é publicado Mecanismos e Proporções da Figura Humana, livro de sua autoria ilustrado com diversos de seus desenhos.

465 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL Menina - g - 28 x 20 - cid - 1953
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 22/03/2010. - Com etiqueta n° 4453F de Documenta Galeria de Arte - São Paulo, no dorso. -Esse grande pintor brasileiro, que estudou com Marques Júnior na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro, ingressando em seguida no Núcleo Bernardelli, onde se ligou de amizade a Pancetti, é hoje glória nacional. Sua carreira atravessou várias fases, desde a de cunho figurativo da déc. 30, ao construtivismo dos anos 50, para atingir afinal o figurativismo, das Vênus e Pássaros, passando pelas figuras esquematizadas da década de 1940. TEODORO BRAGA, pág. 163; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 229; MEC, vol. 2, pág. 13; BENEZIT, vol. 3, pág.315; ITAU CULTURAL; PONTUAL, pág. 155; WALTER ZANINI, pág. 573; ARTE NO BRASIL, pág. 763; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

466 - DIONISIO DEL SANTO - (1925 - 1999)
LL Composição - g - 24 x 18 - cid - 1987
Pintor, desenhista, gravador e serigrafista, nasceu em Colatina-ES, e faleceu em Vitória, naquele mesmo Estado. Autodidata. Em 1975, recebe o Prêmio de Melhor Exposição de Gravura do Ano, da APCA. Participou da 9ª Bienal Internacional de São Paulo, 1967 (Prêmio Itamarati Aquisição) e do Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1968 (Prêmio Isenção do Júri). JULIO LOUZADA vol.11, pág. 88; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 934.

467 - SERGIO TELLES - (1936)
LL " Rua Santa Efigênia " - ost - 63 x 41 - cid e d - 2005
Reproduzido no catálogo da exposição " Sérgio Telles " realizada na Galeria - Arte 57 - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 092 deste catálogo.

468 - MIRIAN - (1939 - 1996)
LL Namoro na festa - osm - 27 x 40 - cid - 1992
Com etiqueta n° 6745 da Galeria de Arte Jean Jacques - Rio de Janeiro, no dorso. Reproduzido sob o nº 183 em catálogo de Lordello e Gobbi - Escritório de Arte - São Paulo. -Natural deTrindade-GO e falecida no Rio de Janeiro-RJ, cidade onde foi residente e ativa. Pintora e gravadora primitiva, estudou na Escola de Belas Artes de Goiás, bem como frequentou os cursos ministrados por Ivan Serpa no MAM/RJ. Realizou individuais em 1966, 1972, 1974, 1984, participando de coletivas a partir de 1963. Segundo o crítico José Roberto Teixeira Leite, na bibliografia abaixo indicada, "Sua arte evoca, via de regra sobre pequenos suportes de madeira, num desenho cru e de contornos vigorosos e em meio a um colorido esmaltado, de cores chapadas, cenas populares, passistas, tipos circenses, santos, violeiros e brincadeiras infantis, traduzindo um rico mundo de idéias e com evidentes qualidades plásticas. Em obras mais recentes, nas quais retratou com intenção caricata os idolos da música popular brasileira, Mirian revela nova faceta de sua personalidade - a ironia, certa branda pitada de crítica social e de costumes." TEIXEIRA LEITE, pág. 327; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 638; Acervo FIEO.

469 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 13 x 17 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 094 deste catálogo.

470 - MANUEL GRACIANO - (1926)
LL Família de jacarés - e em mad. - as.
Composto por 4 esculturas. -Manoel Graciano Cardoso, escultor, é natural de Santana do Cariri/CE. Participou de vários Salões e exposições: em 1996, 2003 e 2005 - Porto Alegre, RS; em 2001 - São Paulo, SP; Rio de Janeiro, RJ; em 2002 - São Paulo, SP. ITAU CULTURAL.

471 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Na sala do trono - dn e a - 48 x 32 - cid
Ex. coleção Benjamin Steiner - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

472 - RENZO GORI - (1911 - 1999)
LL Cena Árabe - ost - 50 x 70 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 005 deste catálogo.

473 - MARIO GRUBER - (1927)
LL Porta estandarte - ost - 80 x 60 - cid - 2009
Com certificado firmado pelo artista. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 082 deste catálogo.

474 - OSWALDO GOELDI - (1895 - 1961)
LL Figuras - xilo. 10/15 - 24 x 30 - n/as. - 1974
Com a seguinte declaração: " Primeira tiragem póstuma de Oswaldo Goeldi. Beatrix Reynal. ". - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 098 deste catálogo.

475 - SIRON FRANCO - (1947)
LL " Cabeça de motoqueiro " - ose - 40 x 35 - cid e d - 1983
- Reproduzido no convite deste leilão. - Reproduzido sob o n° 87 em catálogo de Leilão das Galerias - São Paulo. Com etiqueta da Galeria Arte Antiga - Goiania, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 339 deste catálogo.

476 - JOÃO BAPTISTA CASTAGNETO - (1862 - 1900)
LL Paisagem - dn - 21 x 30 - cid - 1898
Pintor especializado em marinhas, foi aluno de Georg Grimm, exímio colorista, fez impressionismo institivamente; pintou em geral pequenos quadros a óleo, usando como suporte até tampas de caixas de charuto; fez também aquarelas e desenhos. MEC vol.1, pág. 368; PONTUAL, págs. 117/118; TEIXEIRA LEITE, pág. 112; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 416; LEONOR AMARANTE, pág. 42.

477 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Paisagem surreal - ost - 73 x 92 - cie - 1982
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 102 deste catálogo.

478 - WIM L. VAN DIJK - (1915 - 1990)
LL " Manhã em Paranaguá " - ost - 65 x 100 - cid e d
Pintor, desenhista e gravador holandês natural de Westmass, onde nasceu em 1/6/1915, e falecido em Petropolis, RJ, a 27/11/1990. JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 344

479 - NIOBE XANDÓ - (1915 - 2010)
LL Composição - tm - 21 x 31 - cid
Pintora e desenhista natural de Campos Novos Paulista-SP. Foi ativa em São Paulo-SP. Autodidata, freqüentou o ateliê de Raphael Galvez a partir de 1946. Dentre as várias fases de sua obra merecem destaque as Flores Fantásticas, as Máscaras de origens africana e indígena, O Letrismo, o Mecanicismo e o Abstracionismo Geométrico. Participou de várias Bienais Nacionais e recebeu mais de 20 prêmios em Salões de Arte. Participou de mais de 100 exposições nacionais e internacionais e mereceu mais de 100 textos de críticos renomados. Em 2004 teve uma grande mostra antológica no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP). Em 2007 teve uma exposição retrospectiva fantástica e merecida na Pinacoteca do Estado de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol. 12, pág. 435; PONTUAL, pág. 554; WALTER ZANINI, pág. 717; Acervo FIEO; TEIXEIRA LEITE; BENÉZIT; BARDI, Pietro Maria. Profile of the New Brazilian Art. São Paulo. 1970; SCHENBERG, Mário. Pensando a Arte. São Paulo. 1988. Acervo FIEO.

480 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
Mood Birjand, ponto de nó, feito a mão, de lã, assinado no centro superior, medindo 2,45 x 1,70 m = 4,15 m². -

481 - ANITA MALFATTI - (1896 - 1964)
LL Paisagem - dc e p - 25 x 33 - cid - 1917
Com a seguinte dedicatória: " Para Georgina, com carinho da amiga e irmã Anitta Malfatti ". - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 314 deste catálogo.

482 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Família de gatos - ast - 60 x 80 - cie e d - 2002
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 006 deste catálogo.

483 - EUGÊNIO LATOUR - (1874 - 1942)
LL Paisagem - osc - 22 x 16 - cid - Paris
Nascido e falecido na cidade do Rio de Janeiro, onde frequentou a ENBA a partir de 1894. Foi aluno de Rodolfo Amoedo, Zeferino da Costa e H. Bernardelli. Expôs no SNBA em diversas oportunidades, recebendo premiações, inclusive de viagem ao exterior. Latour é um pintor da expressão humana, e feminina sobretudo. Cada cabeça sua representa um estado de alma. Aqui tristeza, dor concentrada; ali a despreocupação e o coquetismo. Sua obra é graciosa, sensível e elegante. JULIO LOUZADA, Vol. pág.522, TEIXEIRA LEITE, pág. 278, PONTUAL, pág. 300, ITAÚ CULTURAL, ARTE NO BRASIL, pág. 556.

484 - FRANCISCO AURÉLIO DE FIGUEIREDO E MELO - (1856 - 1916)
LL Igreja - g - 20 x 30 - cie - 1891
Este excepcional pintor, desenhista, caricaturista, escultor e escritor brasileiro, nasceu na Paraíba, na cidade de Areia, e faleceu na cidade do Rio de Janeiro. Estudou com Le Chevrel e com seu irmão, o pintor Pedro Américo, na Academia Imperial das Belas Artes, do Rio de Janeiro. Aperfeiçoou-se em Florença, Itália, ainda orientado pelo irmão, que lá também se fixara em 1874. De retorno ao Brasil, depois de visitar outros países do velho mundo, realizou exposições no Rio de Janeiro e no Norte do País, bem como nas capitais das repúblicas do Prata, sempre com retumbante sucesso de crítica e de público. THEODORO BRAGA, pág. 44; Primores da Pintura no Brasil, vol. 1, pág. 97; REIS JR, págs. 214-220 e 246; LAUDELINO FREIRE, pág. 293; PONTUAL, págs. 213 e 214; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 310; ARTE NO BRASIL, pág. 599. MEC, vol.1, pág. 149.

485 - HIPÓLITO BOAVENTURA CARON - (1862 - 1892)
LL " A lavadeira " - ost - 35 x 50 - cid - 1890
- Reproduzido no convite, na capa do catálogo deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 22/03/2010. - Reproduzido na página 463 do livro " Um Século de Pintura - 1816-1916 " de autoria de Laudelino Freire.Pintor e professor. Assina H. Caron. Nasceu em Resende, RJ e faleceu em Juiz de Fora, MG. Sua formação se iniciou em Juiz de Fora e em 1880, no Rio de Janeiro, para onde se transferiu e passou a freqüentar as aulas do paisagista Georg Grimm, na Academia Imperial de Belas Artes. Mudou-se para Niterói em 1884 e viajou para a França, onde aprofundou seus conhecimentos paisagísticos com Hector Charles Hanoteau. Retornou ao Brasil em 1888. Exposição individual em Juiz de Fora, MG (1883). Coletivas: Rio de Janeiro (1884, 1889, 1890). Prêmios: Rio de Janeiro (1884, 1890, 1891). Póstumas: Rio de Janeiro (1948); São Paulo (1953 Sala Especial na Bienal Internacional). Possui obras no Museu Nacional de Belas Artes, RJ e na Pinacoteca do Estado de São Paulo, SP. Encontram-se referências a seu respeito em ‘A História da Arte’, de Pais Barreto; ‘A Arte Brasileira’ (1888) de Gonzaga Duque; ‘Um Século de Pintura’ (1916) de Laudelino Freire; ‘Artistas Pintores no Brasil (1942) de Teodoro Braga; a ‘A Pintura no Brasil’ (1944) de José Maria Reis Junior. JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG. 215; PONTUAL, PÁG. 112; MEC, VOL. 1, PÁG. 360.

486 - MÁXIMO PUGLISI - (XX)
LL Veleiros - ost - 91 x 73 - cid
Pintor ativo no Rio de Janeiro, onde participou do V Salão Municipal, da Sociedade Brasileira de Belas Artes (1953). MEC, vol. 3 pág. 437

487 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL " Costiera Amalfitana " - ose - 20 x 30 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 062 deste catálogo.

488 - VITTÓRIO GOBBIS - (1894 - 1968)
LL Flores - ost - 47 x 34 - cid
Natural de Treviso, Itália. Iniciou seus estudos na terra de origem, tendo após fixado residência em São Paulo, onde foi pintor atuante. Obteve diversas premiações nos Salões Paulistas, no SNBA e no Salão Paulista de Arte Moderna. Participou da I e II Bienais de São Paulo. O MNBA e o MASP possuem obras deste festejado pintor. MEC, vol.2, pág.271; TEIXEIRA LEITE, pág. 220; PONTUAL, pág.240; WALMIR AYALA, vol.1, pág.350; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 777, Acervo FIEO.

489 - AGI STRAUS - (1926)
LL Planta - ostce - 31 x 23 - cie e cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 226 deste catálogo.

490 - RUDOLF WEIGEL - (1939)
LL Ponte quebrada - ost - 55 x 46 - cie
Pintor austríaco radicado no Brasil pintou com maestria as cidades de Olinda, Ouro Preto, Salvador, Angra dos Reis e outras, sempre fiel a sua temática do Brasil antigo. MEC vol. 4, pág. 505. JÚLIO LOUZADA vol.11, pág. 343.

491 - FERNANDO IKOMA - (1934)
LL Paisagem - ose - 25 x 35 - cid
Pintor e desenhista. Foi considerado um dos melhores desenhistas da América do Sul. Vive no Paraná. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 170; ITAÚ CULTURAL.

492 - GILBERTO GUIMARÃES BASTOS - (1930)
LL Figuras - tm - 19 x 27 - cid - 1978
Artista carioca autodidata, reside em São Paulo desde 1998. Participa de sua primeira exposição coletiva no 1º Salão de Artes Plásticas FNFi, no Rio de Janeiro em 1960. Desde então já expôs suas obras em diversas galerias do Rio de Janeiro em mostras individuais e coletivas. Tem participação ativa em mostras e salões como o 3º Salão Nacional de Arte Plástica, em 1980, realizado também no Rio de Janeiro. Quatro anos depois, em 1984, recebe o Prêmio da Secretaria da Cultura e do Esporte na 6ª Mostra do Desenho Brasileiro, em Curitiba, Paraná. Tem suas obras apresentadas internacionalmente, em 2003 e 2004, no Museum of Latin American Art, Long Beach, na Califórnia, assim como no Connecticut College, New London, em Connecticut. Em 2005 participou da SParte, na Mônica Filgueiras Galeria de Arte, na capital paulistana. MEC. vol. 1, pág. 190.

493 - ERNESTO LACERDA - (1926)
LL Frutas - osc - 38 x 56 - cid
Pintor, desenhista e gravador nascido no Recife-PE e ativo no Rio de Janeiro, para onde se transferiu em 1946. Autodidata, frequentou depois a Universidade Temple, em Filadélfia, USA (1946/1947). Regressando ao Brasil cursa a ENBA (1948 e 1952) e estuda Litografia com Darel. Participou de coletivas: SNAM-RJ obtendo a medalha de bronze, prêmio aquisição e isenção de júri (1949, 1950, 1951 e 1956), além de ter realizado individual em 1966. MEC. vol. 2, pág. 435

494 - CLAUBER CAMPOS CECCONI - (1939)
LL Marinha - ost - 65 x 92 - cie e d
Nasceu em Sorocaba, SP, em 17/7/1939. Pintor, desenhista e ilustrador. Sua formação profissional se deu na área da propaganda e da publicidade. Seus temas preferidos são as paisagens e cenas da vida cotidiana das pessoas. Participa ativamente de exposições coletivas pelas principais capitais do País, com sucesso de críica e premiações. JULIO LOUZADA, vol. 5 , pág. 227

495 - JOSÉ SABÓIA - (1949)
LL Trabalhadores - ost - 40 x 50 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 120 deste catálogo.

496 - CARLOS BORGES - (1959)
LL Flores e borboleta - ostce - 16 x 20 - cse
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 124 deste catálogo.

497 - ARNALDO BARBIERI - (1913)
LL No pasto - ostce - 22 x 16 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 122 deste catálogo.

498 - CHANINA LUWISZ SZEJNBEJN - (1927)
LL Maternidade - a - 50 x 35 - cie - 1960
Pintor, desenhista, gravador, ilustrador e professor, Chanina Luwisz Szejnbejn é natural de Zofjowce, Polônia. Assina Chanina. Veio para o Brasil em 1936. Cursa gravura em metal com Anna Letycia, litografia com João Quaglia e composição com Fayga Ostrower, em Belo Horizonte, em meados de 1940. Em 1946, estuda com Guignard e Franz Weissman no Instituto de Belas Artes de Belo Horizonte, hoje Escola Guignard. Nesse mesmo ano, ingressa no curso de medicina da Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, formando-se em 1955. Em paralelo ao exercício da medicina, dedica-se às atividades artísticas e ao ensino, tornando-se professor de pintura na Escola Guignard. Exposições individuais: Belo Horizonte (1961, 1965, 1972, 1975, 1977, 1979, 1982, 1988, 2004); Rio de Janeiro (1971). Coletivas: Belo Horizonte (1952 a 1954, 1964, 1966 a 1970, 1972 a 1974, 1976, 1977, 1979, 1982, 1987); São Paulo (1964, 1967 – Bienal Internacional, 1969 e 1977 – Panorama da Arte Atual Brasileira, MAM; 1970, 1981, 1990); Rio de Janeiro (1967 a 1970, 1974, 1976, 1977, 1981, 1997); Ouro Preto (1970, 1989); Brasília (1966); Barcelona, Espanha (1969, 1970, 1972); Curitiba (1966, 1967, 1971); Salvador (1966); Vitória (1966); Estados Unidos (1967). Prêmios: Belo Horizonte (1953, 1954, 1966, 1967, 1969, 1979); Barcelona, Espanha (1969, 1970, 1972); Vitória (1966); Rio de Janeiro (1976). JULIO LOUZADA VOL. 3, PÁG. 263; VOL. 4, PÁG. 256; VOL. 9, PÁG. 206; VOL. 10, PÁG. 223; PONTUAL, PÁG.130; MEC, VOL.1, PÁG. 400.

499 - BÁRBARA ROCHLITZ - (1941)
LL Crianças - ost - 40 x 30 - cie - 1979
A autora nasceu na cidade poloneza de Drohokycz. Reside em São Paulo desde 1947 e estuda pintura a óleo no ateliê de Lise Forell. Inicia sua atividade artística numa exposição coletiva na Galeria 167, em São Paulo, em 1976. Participa de diversas coletivas no País e no exterior, com premiações, inclusive internacionais. JULIO LOUZADA, vol.10, pág.750; ITAU CULTURAL; ARTE NAIF NO BRASIL.

500 - MACIEJ ANTONI BABINSKI - (1931)
LL Surreal - grav. 11/80 - 12 x 16 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 125 deste catálogo.