Leilão de Arte tableau - Março de 2009

001 - CAMILO EDUARDO TAVARES - (1932)
LL Festa de São João - ast - 30 x 40 - cid
Paulistano, o pintor foi membro de juri da Associação dos Artistas Plásticos de São Paulo. Segundo depoimento do próprio artista: " Os meus quadros são carregados de humanismo, amor e realidade, uma verdadeira mensagem filosófica pois quem leva a vida com amor à arte, é feliz." Expõe individualmente desde 1971, inclusive MAM-RJ em 1974; e coletivamente a partir de 1970. Internacionalmente, expôs a partir de 1971, destacando-se Alemanha, EUA, México e Itália. JULIO LOUZADA, vol.4, pág. 1083. Acervo FIEO.

002 - AÉCIO DE ANDRADE - (1935)
LL Cenas da Bahia - ast - 60 x 60 - cie
Pintor natural de São Paulo, Capital. Passou pelo gênero impressionista no inicio da carreira, e depois para uma fase mais pessoal. Aborda temas populares brasileiros. Possui obras nos Museus das cidades de Americana, Matão, Assis, Guararapes, e em Penápolis. Começou a expôr em 1968, tendo participado de diversas mostras no País e no exterior, conforme relaciona a bibliografia abaixo. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 33

003 - CELSO DE OLIVEIRA - (1945)
LL Natureza morta - ost - 27 x 35 - cid e d
Natural de Belo Horizonte. Estudou com Inimá de Paula, Maria Helena Andrés e Sara Ávila, de 1965 a 1966, na Escola de Belas Artes daquela cidade. Participou de diversas exposições individuais e coletivas, destacando-se a da Escola de Guignard (1965). MEC vol.3, pág.295; ITAÚ CULTURAL.

004 - GERSON DE SOUZA - (1926 - 2008)
LL " Mulher de Maracatu II " - ost - 40 x 30 - cie e d
Pintor. Autodidata. Fixou-se no Rio de Janeiro, onde exerceu a profissão de carteiro dos Correios, e onde começou a pintar em 1950. Participou da V Bienal de São Paulo, de vários Salões Nacionais e exposições coletivas no exterior. Várias individuais e coletivas no País. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 127; PONTUAL, pág. 236/237; MEC, vol. 2, pág. 248; TEIXEIRA LEITE, pág. 220; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 347, Acervo FIEO.

005 - AGI STRAUS - (1926)
LL Pastor - tm - 50 x 40 - cid - 1972
Pintora, desenhista e gravadora. Vindo residir em São Paulo, aqui estudou com Darel e Poty, no Museu de Arte de São Paulo, dedicando-se, também, ao aperfeiçoamento na pintura e técnica do afresco com Gaetano Miani. Recebeu no SPAM diversas premiações. Desde 1955 vem realizando exposições individuais em São Paulo e no exterior. A respeito de seus trabalhos, por volta de 1964, disse José Geraldo Vieira serem eles realizados com "sensibilização prévia do suporte, seja pergaminho, tela ou duratex, para conseguir texturas de fundo, impregnação, relevo e matéria. Para tanto a artista suplica a superfície a fim de tranformá-la em bossagem adequada (...) resultam sugestões híbridas, espaciais e telúricas, mas sempre expressionistas por causa da desagregação cromática e dos efeitos de microgeografia ou siderais". JULIO LOUZADA,vol. 11, pág. 312; MEC, vol. 4, pág 343/44; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 355; PONTUAL, pág. 506; TEIXEIRA LEITE, pág. 488; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

006 - GLAUCO PINTO DE MORAES - (1928 - 1990)
LL Engate de composição - ser. H.C 5/10 - 54 x 49 - cid - 1979
Pintor, desenhista e gravador nascido em Passo Fundo, RS e falecido em São Paulo, em 5/5/1990. Em 1968 abandona a carreira jurídica para se dedicar somente à pintura. Para tanto muda-se para São Paulo, onde participa com sucesso na XIII BSP, através do tema Locomotivas. Artista engajado, participou de todos os movimentos nas décadas de 70 e 80. O festejado crítico Jacob Klintowitz assim se referiu ao artista e obra no seu livro O Oficio da Arte: A Pintura: "um dos casos raros de pintor tardio, oriundo de outra atividade. Talvez seja o que explique a repentina maturidade humana desta pintura já revelada pronta aos olhos do público brasileiro." TEIXEIRA LEITE, 408; JULIO LOUZADA, vol. 12, pág. 179; RGS, pág. 226; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 754; LEONOR AMARANTE, pág. 267.

007 - IGNÁCIO DA NEGA (IGNÁCIO RAMOS DA SILVA) - (1945)
LL " Paisagem com abacaxis " - ost - 40 x 60 - cid e d - 2002
Natural de Surubim, PE. Iniciou-se na decoração de andores de procissão, ajudando a sua mãe. Recebeu orientação de Alaerte Bandim. Em São Paulo, orienta-se com M. Boy e Iracema Arditi. Seu tema preferido são as cenas típicas do nordeste. Participou de diversas exposições coletivas e individuais. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 511. Acervo FIEO. -

008 - FRANCISCO FIORENTINO - (XX - 1993)
LL Natureza morta - ost - 50 x 45 - cid
Pintor com diversas participações em exposições coletivas e salões oficiais. JULIO LOUZADA, vol 13, pág 134.-

009 - LUCAS PENNACCHI - (1960)
LL Vilarejo - tm - 30 x 30 - csd - 2002
Pintor, gravador e desenhista paulistano, nascido em 20 de fevereiro de 1960. Filho do festejado artista Fulvio Pennacchi, Lucas dedica-se a retratar paisagens do interior brasileiro e do litoral paulista, de forma delicada e precisa e também peixes, tucanos e outros animais da fauna brasileira com uma leitura atual. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 678; ITAÚ CULTURAL.

010 - INGRES SPELTRI - (1940)
LL " Vaso com flores " - ost - 50 x 50 - cid e d
Nasceu em Jau, São Paulo, em 20/01/1940. Pintor, desenhista, escultor, gravador e professor. Apresentando uma pintura de fases bem demarcadas, onde as possibilidades plásticas do cubismo, do construtivismo e do concretismo foram exploradas com paixão e rigor de pesquisa, o autor tem percorrido um rico itinerário em sua incessante buscar de universo expressivo e de uma linguagem pictórica definitiva. O autor é professor titular da Escola Panamericana de Arte, SP. JULIO LOUZADA, vol 1, pág 937; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

011 - ANTONIO MEIRELLES - (1919)
LL Pescadores - ost - 52 x 63 - cid e d
Pintor natural da cidade do Recife-PE. Transferiu-se para o Rio de Janeiro em 1936, ingressando na Marinha de Guerra, sem deixar de trabalhar com a pintura, que mais tarde, seria sua dedicação exclusiva. Teve orientação artística de José Pancetti no Liceu de Artes e Ofícios e, também, cursou a antiga ENBA-RJ. Na década de 60 obteve vários prêmios no SNBA-RJ, com medalhas de bronze, prata e menção honrosa. Realizou individuais no Rio de Janeiro, além de participar de Salões Oficiais no Rio e em São Paulo recebendo premiações. JULIO LOUZADA, vol 1, pág 625

012 - ELISABETH CORTELA - (1950)
LL " Algum dia... " - lito. 156/200 - 33 x 23 - cid - 1996
Elizabeth Cortella Oliveira Lima. Assina Elizabeth Cortella. É natural de São Paulo, SP. Participou de diversas exposições e Salões oficiais como: em 1984 - São Paulo (Itu, Ribeirão Preto, São Paulo); Roma, Itália; em 1985 - Piracicaba, SP; Estocolmo, Suécia; em 1986 - São Paulo (Santo André, Ribeirão Preto, Prudente, Franca, Piracicaba), Paraná; em 1987 - Chile (Valparaiso), São Paulo (Santo André, Franca, Marília); em 1988 - São Paulo (Americana, Mococa, Santo André, São Paulo), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF); em 1990 - São Paulo (Ribeirão Preto, São Paulo), Paraná; em 1991 - São Paulo (SP); em 1992 - São Paulo (Jundiaí); em 1994 e 1995 - São Paulo (SP). Individuais: São Paulo, SP (1987,1993). Prêmios: Roma, Itália (1984); Prudente, SP; Franca, SP (1986); Franca, SP (1987); São Paulo, SP (1988); São Paulo, SP (1991). JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 291; vol. 4, pág.283; vol.13, pág. 92.

013 - JOSÉ EDUARDO CORBISIER - (1943)
LL Barco - ost - 40 x 60 - cid - 2006
Fotógrafo e artista plástico nascido em São Paulo , SP. Fez seus estudos no "Institut des Hautes Études Cinematographiques" de Paris, França. Atualmente, além da fotografia, dedica-se também à pintura. Exposições de fotografia em: São Paulo, SP (1985, 1986, 1988, 1990, 1994, 1995, 1999, 2001); Ubatuba, SP (1990, 1992); Guarujá, SP (1991); Londrina, PR (1991) e Campos do Jordão, SP (1991).. Exposições de pintura em: São Paulo, SP (2004, 2005, 2007); Ubatuba, SP (2007 2008); Ilhabela, SP (2008); Rio Claro, SP (2008); Catanduva, SP (2008) e Lorena, SP (2008). Prêmio Aquisição em Lorena, SP (2008). www.corbisier.com.br

014 - LUCAS PENNACCHI - (1960)
LL Paisagem - tm - 40 x 20 - cid - 2005
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 009 deste catálogo.

015 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Velho - osc - 29 x 23 - cie ileg. - 1953

016 - JOSÉ COSTA LEITE - (XX)
LL Multidão - xilo. - 45 x 44 - cid - Na matriz
Gravador e poeta de cordel. Ilustra suas poesias com xilogravuras populares de sua autoria. Teve trabalhos reunidos no álbum " Xilogravura Popular no Nordeste ", editado no Recife em 1968, com prefácio de Ariano Suassuna. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 571.

017 - JOSÉ PAULO MOREIRA DA FONSECA - (1922 - 2004)
LL Fachada - ost - 35 x 27 - cid e d - 1961
Carioca, advogado, filósofo, poeta e pintor. José Paulo dedicou-se à pintura desde 1950. Fez uso abundante da espátula, lançando luz e cor nos seus temas preferidos: fachadas, portas, janelas, marinhas e paisagens. MEC, vol. 2, pág. 183; WALMIR AYALA vol. 1, pág. 423 a 427; TEIXEIRA LEITE, pág. 268; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

018 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Mulher e Cavalo - dn - 16 x 22 - cid
Pintora e desenhista. Assina Noemia. Realizou sua primeira individual em 1934, no Rio de Janeiro. Residiu na Europa de 1934 a 1940, frequentando em Paris as academias de la Grande Chaumière e Ranson. Expôs em Montevideu e Buenos Aires. Foi citada por REIS JUNIOR e TEODORO BRAGA. Foi aluna (1932) e mulher (1933) de Di Cavalcanti. MEC vol.3, pág. 265; WALMIR AYALA vol.2, pág.135; PONTUAL, pág. 375; TEIXEIRA LEITE, pág. 356; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 684. Acervo FIEO.

019 - DECIO FERREIRA - (1932 - 2008)
LL " Volare " - tm - 50 x 60 - cid
Pintor, gravador e desenhista nascido em São Paulo, Capital. Formou-se no Liceu de Artes e Ofícios desta cidade e, mais tarde, frequentou o curso de desenho livre no MAM-SP. Aperfeiçoou-se em pintura com Alexandre Barrenechea e em gravura com Lívio Abramo. Expôs regularmente no SPAM-SP de 1959 a 1963, obtendo diversas e importantes premiações. Participou da V Bienal de SP; expôs em diversas coletivas e individuais, no País e no exterior. Trabalhou também como chargista da Revista Visão e em vários jornais de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol 1 - pág 379. Acervo FIEO. -

020 - ÉZIO MONARI - (1935)
LL " A Diz-puta " - ose - 30 x 40 - cie e d - 1991
Pintor ativo em São Paulo. Participou do Salão Paulista de Belas Artes de 1961, recebendo menção honrosa. JULIO LOUZADA vol.7, pág.483; MEC vol.3, pág.169, Acervo FIEO.

021 - KINYA IKOMA - (1918)
LL Composição - ost - 52 x 52 - cid e d - 1984
Japonês da cidade de Mieken, imigrou para o Brasil em 1931, tornando-se lavrador no interior do Estado de São Paulo. A partir de 1960 dedica-se integralmente à pintura, no gênero abstracionismo-lírico. Expõe coletivamente a partir de 1976 e individualmente desde 1975. JULIO LOUZADA , vol. 10, pág, 434; TEIXEIRA LEITE, pág, 252, Acervo FIEO.

022 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL Vênus e pássaro - lito. 11/100 - 62 x 52 - cid
Esse grande pintor brasileiro, que estudou com Marques Júnior na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro, ingressando em seguida no Núcleo Bernardelli, onde se ligou de amizade a Pancetti, é hoje glória nacional. Sua carreira atravessou várias fases, desde a de cunho figurativo da déc. 30, ao construtivismo dos anos 50, para atingir afinal o figurativismo, das Vênus e Pássaros, passando pelas figuras esquematizadas da década de 1940. TEODORO BRAGA, pág. 163; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 229; MEC, vol. 2, pág. 13; BENEZIT, vol. 3, pág.315; ITAU CULTURAL; PONTUAL, pág. 155; WALTER ZANINI, pág. 573; ARTE NO BRASIL, pág. 763; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

023 - MARCOS OLIVEIRA - (XX)
LL " Chamego no roçado " - ast - 100 x 80 - cid e d - 2004
Diretor de arte e artista plástico, Marcos Oliveira trabalha com a arte Naïf moderna. Ele também apresenta a cultura nordestina com cores intensas e mãos e pés destacados pelo tamanho. Para ele o Naïf representa o que o Brasil tem de melhor. A arte Naïf é o cartão postal do Brasil no exterior.-

024 - TATIANA LUKIANOV - (1907 - XX)
LL Paisagem - a - 52 x 34 - cie
Pintora natural de Leningrado, Rússia. Naturalizada brasileira teve sua formação artística na Academia de Belas Artes de Leningrado, completando seus estudos com Paulo Lukianov, na Rússia; Doriani, na Itália e Eberling, na Alemanha. Participou de inúmeras exposições e Salões oficiais em São Paulo, Rio de Janeiro, Rússia, Áustria, Alemanha e recebeu diversos prêmios em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Portugal e França. JULIO LOUZADA, vol.4, pág. 643. ITAU CULTURAL.

025 - FANG, CHEN KONG - (1931)
LL Flores - ostce - 19 x 25 - cid
Pintor, desenhista e gravador. Ativo em São Paulo, estudou com Y. Takaoka; expôs nos Salões de Belas Artes de São Paulo e do Rio de Janeiro, obtendo diversas premiações. Tem obras em coleções particulares e na Pinacoteca de São Paulo. MEC, vol. 2, pág. 124; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 366; TEIXEIRA LEITE, pág. 189; PONTUAL, pág. 201.; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

026 - RENINA KATZ - (1925)
LL Composição - tm - 20 x 16 - cid - 1974
Pintora, gravadora e professora, Renina Katz é paulista. Sua arte é dominada pelo vigor e pela imaginação. MEC vol.2, pág.403/4; PONTUAL, pág. 288/9; WALMIR AYALA vol.1, pág.441; JULIO LOUZADA vol.11, pág.262; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 606; ARTE NO BRASIL, pág. 834; LEONOR AMARANTE, pág. 98, Acervo FIEO.

027 - CARLOS EDUARDO ZIMMERMANN - (1952)
LL " Envelope " - tm - 40 x 40 - d - 1976 - Curitiba
Pintor, desenhista e gravador natural da cidade de Antonina, PR, onde nasceu a 12 de março de 1952. Estudou desenho com Guido Viaro em Curitiba. Em 1974 trabalhou sob a orientação de Carlos Scliar, em Cabo Frio-RJ. Em Londres, cursou gravura e desenho no Royal College of Art. Individuais desde 1973, e coletivas a partir de 1971, inclusive em salões oficiais. JULIO LOUZADA, vol. 3 pág. 1246

028 - LIBINDO FERRAZ - (1877 - 1951)
LL Paisagem - a - 24 x 35 - cid
Nasceu em Porto Alegre-RS, e faleceu no Rio de Janeiro-RJ. Pintor e professor. Realizou estudos artísticos na Itália. Foi um dos fundadores, em 1908, do Instituto de Belas Artes de Porto Alegre, onde lecionou até 1936. MEC, vol. 2 - pág. 150; PONTUAL-pág. 207; LAUDELINO FREIRE pág. 518.

029 - LUIZ SÁ - (1907 - 1979)
LL " Quando Chuvê eu volto " - a - 30 x 23 - cie e cid - 1978/1979
Com dedicatória. -Natural do Ceará, único caricaturista do país a realizar cartuns para cine-jornais nacionais, atuou em vários outros veículos de comunicação, tornando-se o primeiro caricaturista multimídia brasileiro. O artista também foi um dos precursores do desenho animado no Brasil, cartunista sanitário e o criador gráfico do bonequinho das críticas cinematográficas do jornal O Globo, criado em 1938, e que até hoje indica a cotação dos filmes. Teve seus primeiros desenhos publicados, em 1927, na imprensa cearense. Sua trajetória estendeu-se de 1930 a 1979, com um traço original, abrindo caminho para a modernidade do desenho de humor em nosso país. www.museuhistoriconacional.com.br; www.overmundo.com.br.

030 - GINO BRUNO - (1889 - 1977)
LL Dom Quixote - ost - 80 x 60 - cid
Nascido e falecido em São Paulo, este pintor foi especialista em figuras, interiores e naturezas-mortas. TEODORO BRAGA, pág. 108; MEC, vol. 1, pág. 299; PONTUAL, pág. 92; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 135; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 623; Acervo FIEO.

031 - GIUSEPPE PERISSINOTTO - (1881 - 1965)
LL Hortências - ost - 61 x 76 - cie
Nascido em Musile, Veneza, Itália, veio para o Brasil ainda criança e cuja família radicou-se no interior de São Paulo. Fez estudos de pintura na Academia de Belas Artes de Veneza, para onde retornou aos dezoitos anos, prosseguindo para Florença e demais centros de arte da Itália onde se aperfeiçoou; retornou a cidade de São Paulo em 1912, dedicando-se exclusivamente a sua pintura que sempre teve como tema paisagens, marinhas naturezas mortas e figuras. Expôs em várias capitais do Brasil, com sucesso de crítica e público; foi um dos idealizadores do SPBA, ao lado de Souza Pereira e outros. ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

032 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Zebra - m em ac - h = 15 - n/as.
Artista cinético, pintor, desenhista, natural de Natal, RN. Em 1932, muda-se com a família para a região onde, atualmente, se localiza o Estado de Israel. Inicia seus estudos de arte no ateliê do pintor Haaron Avni e do escultor Sternshus e estuda estética com Shor. Freqüenta o Instituto Municipal de Arte de Tel Aviv. Retorna ao Brasil em 1948, e se instala no Rio de Janeiro. Convive com os artistas Ivan Serpa, Renina Katz e Almir Mavignier. Em 1954, integra o Grupo Frente, ao lado de Ivan Serpa, Ferreira Gullar, Mário Pedrosa, Franz Weissmann, Lygia Clark e outros. Desenvolve a partir de 1964 os Objetos Cinéticos, um desdobramento dos cinecromáticos, mostrando o mecanismo interno de funcionamento e suprimindo a projeção de luz. O rigor matemático é uma constante em sua obra, atuando como importante recurso de ordenação do espaço. É considerado internacionalmente um dos pioneiros da arte cinética. ITAUCULTURAL

033 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Veado - ost - 46 x 19 - cid - Emilia

034 - EDMUNDO MIGLIACCIO - (1903 - 1983)
LL Florista - ost - 120 x 80 - cid - 1925
Pintor, natural do município de Caconde-SP. Filho de imigrantes italianos, batizado Edmundo Francisco Nicodemo Migliaccio, iniciou seus estudos no Liceu, com os mestres Enrico Vio, Angelo Cantu e Torquato Bassi. Acadêmico por formação e vocação, foi fundador da Associação Paulista de Belas Artes. Expositor fiel do Salão Paulista, foi ali várias vezes premiado. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 213; ARTE NO BRASIL, pág. 812.

035 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Ladeira Vira Saia " - ost - 50 x 70 - cie e d - 2008 - Ouro Preto
Paulistano, o pintor nasceu em 10/5/1965. Estudou na APBA-SP, onde desenvolveu curso de desenho e pintura, frequentado sessões de modelo vivo. Individuais desde 1989 e coletivas em Salões Oficiais, com sucesso de crítica. Recebeu diversos prêmios. JULIO LOUZADA, vol.13, pág. 304; Acervo FIEO.

036 - NISETE SAMPAIO - (1938)
LL Composição - tm - 24 x 67 - d - 1991
Nisete de Araújo Sampaio é natural de Belém, Pará. Autodidata, em 1957 passa a viver no Rio de Janeiro, RJ. Junto com Cid Oliveira organiza o Centro de Cultura Escolinha de Arte Girassol. São várias as participações em exposições e Salões oficiais como: Belo Horizonte, MG (1968); Brasília, DF (1968); Campinas, SP (1968,1969); Curitiba, PR (1968); São Paulo, SP (1968); Rio de Janeiro, RJ (1968 a 1974,1976 a 1978,1980,1985,1990,2003); Santiago, Chile (1970); Goiânia, GO (1975), Vitória, ES (1979). Individuais: Belém, PA (1969); Rio de Janeiro, RJ (1970,1986,1991,1992). ITAU CULTURAL. MEC, vol.2, pág. 157

037 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL Mulher - a e g - 24 x 17 - cie - 1978
Considerado por muitos críticos e colecionadores como o mais típico dos nossos pintores ingênuos, Silva foi o intérprete da cena rural de São Paulo, num estilo expontâneo em que assomam, por vezes, soluções plásticas inesperadas. MEC, vol. 4, pág. 256; PONTUAL, pág. 493 e 494; TEIXEIRA LEITE, pág. 478; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 958; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 958; BENEZIT, vol. 9, pág. 602; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 227; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 171; Acervo FIEO.

038 - MANOEL GRACIANO - (1926)
LL Lampião e Maria Bonita - e em mad. - b
Composto por 2 peças medindo 1) 75cm; 2) 72cm. -Manoel Graciano Cardoso, escultor, é natural de Santana do Cariri, Ceará. Participou de vários Salões e exposições: em 1996, 2003 e 2005 - Porto Alegre, RS; em 2001 - São Paulo, SP; Rio de Janeiro, RJ; em 2002 - São Paulo, SP. ITAU CULTURAL.

039 - ADOLFO DE ALVIM MENGE - (1880 - 1962)
LL Paisagem - osm - 12 x 19 - cid
Participou da Exposição Retrospectiva do Artista na Galeria de Arte BANERJ / 1983, Rio de Janeiro. TEODORO BRAGA, pág. 33; LAUDELINO FREIRE, PÁG. 512 E 519; GONZAGA DUQUE - CONTEMPORÂNEOS (1929), pág. 157; MEC, vol. 3, pág. 141; PONTUAL, pág. 358; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 87/88; TEIXEIRA LEITE, pág. 23; JÚLIO LOUZADA, vol. 6, pág. 50.

040 - THEODORE GAEDE - (1895 - XX)
LL " Na praia de Niteroi " - ost - 27 x 41 - cie e d - 1959
Pintor Alemão, natural de Altona, foi aluno de Schwatrz Alquist. Em 1914 veio para o Brasil, aqui ficando retido pela I Guerra Mundial. Em 1944 passou a residir de forma definitiva em São Paulo. Pintava paisagens, especialmente marinhas, tendo percorrido todo o Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 443.

041 - HÉLIOS SEELINGER - (1878 - 1965)
LL Músicos - ost - 17 x 39 - cie - 1956 - Rio
Natural do Rio de Janeiro, seu pai era alemão e sua mãe brasileira, descendentes de franceses e gregos. O artista estudou na ENBA (1892-1896), onde foi aluno de Henrique Bernardelli. Recebeu influência do artista alemão Franz von Stuck, na Academia de Belas Artes de Munique, onde ali foram seus contemporâneos Kandinsky, Paul Klee e Franz Marc. SEELINGER decorou o salão nobre do Clube Naval do Rio de Janeiro, a convite do Ministério do Marinha (1910). PONTUAL, pág.481; TEIXEIRA LEITE, pág. 466; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 431; ARTE NO BRASIL, pág. 574.

042 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Carranca - e em mad. - h = 16 - ld - Lopes

043 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 15 x 16 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. -Monstro sagrado da pintura brasileira, Tarsila é a criadora de duas das principais tendências ou movimentos de nossa arte nacionalista: o Pau Brasil (1924) e o Antropofagia. Sua arte poderia ser definida como um Cubismo adaptado às condições e ao temperamento brasileiros. TEODORO BRAGA, págs. 220/21/22/23; REIS JR.-págs.388/89 ; WALMIR AYALA, vol. 2-págs. 365 e 367 ; MEC, vol. 4-págs. 370/71; PONTUAL, pág. 511; TEIXEIRA LEITE, pág. 492; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 389; ARTE NO BRASIL, pág. 577; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

044 - JESUS FUERTES - (1938)
LL " Frutas com mesa " - ost - 50 x 70 - cie e d - 1987
Pintor e escultor espanhol. Expôs pela 1ª vez em Berlim, conquistando o 2º prêmio no Salão Internacional dos Jovens Surrealistas Europeus, em 1955. Várias exposições entre 1954 e 1972 em Paris, Bruxelas, Nova York, Genebra, Roma, Boston, Zaragoza, conquistando em 1962, o Grande Prêmio de Roma.JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 361; ITAU CULTURAL.

045 - ADOLF GUNTERT - (XX)
LL Paisagem - a - 25 x 21 - cid
Pintor, foi ativo em São Paulo na década de 1940, tendo realizado individual nessa cidade em Março de 1942. JULIO LOUZADA vol.3, pág. 501.

046 - RANCHINHO - (1923 - 2003)
LL Cidade - ose - 20 x 34 - cid - 1979
Seu verdadeiro nome era Sebastião Theodoro Paulino da Silva, nascido na cidade paulista de Oscar Bressane, no dia 7 de janeiro de 1923, mudando-se com a mãe, então viúva, para Assis, SP, onde viveu até morrer. Pintor ingênuo, hoje consagrado, comeu durante a sua vida " o pão que o diabo amassou", conforme narra, de forma pungente, R. Rugiero, no catálogo de exposição do artista no ano de 1988, de cujo texto, reproduzido no vol. 4, página 931, do dicionário JULIO LOUZADA, extraímos o seguinte texto: "... Com o tempo pôs-se a viver exclusivamente da catança de papéis, latas, garrafas - e de algumas famílias obtinha também comida e roupas velhas. Passou a habitar ranchos de beira de estrada, abandonados, donde lhe veio o apelido de Ranchinho, com a qual a garotada o atazanava, atirando-lhe pedras e gritando o nome que o punha fora de si. Por fim fixou-se num casebre, em uma granja abandonada, e alí viveu até 1962, em grande necessidade. E sempre desenhando obsessivamente em qualquer superfície branca que lhe caísse nas mãos." Foi descoberto pelo escritor José Nazareno Mimessi, que percebeu em Ranchinho um impressionante fenômeno artístico, no que não estava enganado. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 259; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

047 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Rosas - ost - 33 x 41 - cid - H. Robert

048 - NICOLAS VLAVIANOS - (1929)
LL Composição - e em f - h = 18 - b - 1983
Natural de Atenas, Grécia, veio para o Brasil em 1861, após breve passagem por Paris em 1956, para estudar pintura. Dedicou-se inicialmente à escultura com soldagem de objetos metálicos de uso comum, passando mais tarde a acentuar a " pictorização de sua escultura ", no dizer de Mario Pedrosa, em 1966. Possui obras em diversos museus nacionais e coleção particulares de importância. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 1118; MEC, vol, 4, pág. 496; PONTUAL, pág. 546; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 769; LEONOR AMARANTE, pág. 136.

049 - ANTONIO HENRIQUE AMARAL - (1935)
LL Composição - a - 13 x 21 - cid - 1962
Gravador, desenhista e pintor, foi aluno de Lívio Abramo no MAM / SP, e de Shiko Munakata, no Pratt Graphic Art, em Nova York. Artista consagrado nacional e internacionalmente. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 37; MEC, vol. 1, pág. 73; PONTUAL, pág. 21;TEIXEIRA LEITE, pág. 23 a 25; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 754; ARTE NO BRASIL, pág.903; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.

050 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Melindrosas - g - 13 x 21 - cid
-Reproduzido no convite deste leilão.Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista. Realizou mais de cem mil desenhos, não se conhecendo um único ruim. Observador arguto, retratou com maestria e humor o cotidiano de sua cidade natal, da qual, consta, ausentou-se por duas únicas ocasiões. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646.

051 - ARMANDO SENDIN - (1928)
LL Composição - a - 10 x 13 - csd
Pintor, desenhista, gravador, escultor e ceramista. Realizou estudos artísticos na Espanha e na França. Retornando ao Brasil, (após figurar em mostras coletivas no estrangeiro) e fixando-se em São Paulo, participou em 1967, do 1º SOP, XVI SPAM, I Salão de Arte Contemporânea de Santos (Prêmio Prefeitura). Ganhou o 1º Prêmio de pintura na mostra Roma e a Campanha Romana (Auditório-Itália, São Paulo). Ainda em 1967, expôs individualmente na Galeria F. Domingo, de São Paulo, voltando a fazê-lo nas galerias KLM (São Paulo, 1968), do Centro Cultural Brasil-Estados Unidos (São Paulo, 1968) e Goeldi (GB, 1968), também apresentado seus trabalhos, com Maria de Lourdes Novais e Vitor Décio Gerhard, na Galeria IBEU (GB, 1968). Figurou ainda no II SOP (1968). A respeito de suas obras, de caráter abstracionista, disse Samson Flexor, em 1968: "Considero os óleos e guaches de Armando Sendin como sendo lugares ideais de encontro e fusão dos elementos primordiais: a terra e o fogo. Fusão resultando em cinzas com focos de brasa que a frescura dos azuis-turquesa mal consegue apagar". Em 1965 publicou o livro Cerâmica Artística, especialidade que lecionou, entre 1959 e 1964, em escola por ele próprio fundada em São Paulo. TEIXEIRA LEITE, pág.472; WALMIR AYALA, vol.2, pág.316-317; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 754; LEONOR AMARANTE, pág. 196. Acervo FIEO.

052 - HEINZ BUDWEG - (1940)
LL " Menino Xavante da Aldeia Cristo Rei " - ost - 65 x 50 - cid - 1974
Pintor, desenhista, artista gráfico, ilustrador, cenógrafo e figurinista de teatro. Imigra para o Brasil em 1953, fixando-se em São Paulo. Nesta cidade, atua como ilustrador e artista gráfico, além de trabalhar como cenógrafo e figurinista. Em 1958, realiza sua primeira mostra Individual, no Colégio Visconde de Porto Seguro. Na década de 70, recebe o Prêmio Jabuti de Literatura Infantil pelas ilustrações dos doze primeiros volumes da série Lendas Brasileiras. Viaja várias vezes para a Amazônia, Alto Xingu e Ilha de Marajó, onde realiza desenhos retratando a paisagem natural, a população e os indígenas locais, além de reportagens e pesquisas sobre o folclore brasileiro registrados em Super 8. Sete anos depois, realiza as imagens que acompanham a apresentação da obra Xingu Simphonie, de Celia Ricci e Edson Leite, em São Paulo. ITAÚ CULTURAL.

053 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Lavagem do Bonfim - dn - 29 x 21 - cid
Desenhista, gravador, pintor e escultor, radicado na Bahia. Sua arte é lírica, de boa técnica, baseada no povo, que lhe forneceu o melhor da sua temática. PONTUAL, pág. 116; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 180 e 181; TEIXEIRA LEITE, págs. 111 e 112; MEC, vol.1, pág. 355; BENEZIT, vol. 2, pág. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717;ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

054 - WALDOMIRO DE DEUS - (1944)
LL Santa - ast - 50 x 30 - cid e d - 1979
Baiano de Boa Nova, Waldomiro de Deus é pintor e gravador. Em São Paulo desde 1960, expunha seus trabalhos nas praças da capital. Expõe em espaços oficiais desde 1965, inclusive no exterior. Ao todo já realizou mais de 100 exposições, com sucesso de crítica e de público. O seu trabalho mescla o misticismo religioso afro-baiano com elementos do cotidiano. ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 239; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

055 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Paisagem surreal - ost - 38 x 50 - cid - 1978
Pioneiro do surrealismo, o qual praticava desde que chegou ao Brasil, em 1937, fixando residência em São Paulo. Participou de Salões Nacionais e Bienais de São Paulo, entre 1951 e 1965, recebendo diversas premiações oficiais. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 497; MEC, vol. 2, pág. 474; TEODORO BRAGA, pág. 245; TEIXEIRA LEITE, pág. 286; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 630; LEONOR AMARANTE, pág. 142; Acervo FIEO.

056 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL " Composição " - ast - 33 x 41 - cie e d - 1981 - Rio de Janeiro
Com etiqueta da Galeria Toulouse - Rio de Janeiro. -Natural de Carmópolis, SE. Pintor e desenhista. Radicado no Rio de Janeiro desde 1955. Em 1959 fez suas primeiras apresentações em coletivas. Estreou no SNAM, obtendo o prêmio de viagem ao exterior (1969). Pertencente àquele grupo de artistas que organizam seu trabalho em torno de valores culturais vindos da expressão popular, o artista assumiu como um dos temas de sua pintura a imagem do ex-voto., escultura religiosa de caráter popular e votivo. O ex-voto representa, para o artista, um ponto de partida na realização de uma paisagem brasileira sem conotações urbanas. É uma pintura em que o mundo dos homens é construído pelos homens e por suas criações. O artista empresta às figuras com que trabalha, os ex-votos, conotações de análise ideológica, e o faz sem palavras, apenas pela força da presença visual. Figurou em diversas coletivas nacionais e internacionais, conquistando prestigio de critica e público. MEC vol.3, pág.42; PONTUAL, pág. 330 e 331; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; Acervo FIEO.

057 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Colheita - ost - 25 x 30 - cid e d - 2006
Português de Braga, viveu em São Paulo e Minas Gerais, radicando-se definitivamente em Goiânia, desde 1967. O sobrenome artístico Poteiro vem das obras em barro e cerâmica que trabalhou por mais de 12 anos, até se transformar no pintor original e vigoroso de hoje. Amigo de Siron Franco, seu grande incentivador na pintura. WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 217; TEIXEIRA LEITE, págs 31 e 32; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 808; LEONOR AMARANTE, pág. 294, Acervo FIEO.

058 - ANTONIO PESSOA - (1943)
LL Nu - e em b - h = 20 - as.
Escultor, assina Tonny. Radicado no Rio de Janeiro detentor de bom curriculo nacional e internacional com inumeras participações em Salões Oficiais,varias vezes premiado. Ótimo mercado.

059 - ANTONIO ROCCO - (1880 - 1944)
LL No atelier - ost - 95 x 120 - cid
Com etiqueta do 1° Salão Paulista de Belas Artes de 1934, no dorso. -Pintor italiano, natural de Amalfi. Frequentou o Instituto de Belas Artes de Nápoles. No Brasil, fixou-se em São Paulo. Participou do SNBA e no SPBA de 1933, recebendo importantes premiações. A PINACOTECA - SP possui obras de sua autoria. TEODORO BRAGA; JULIO LOUZADA, vol 13 pág. 286; ITAÚ CULTURAL.

060 - ARCÂNGELO IANELLI - (1922)
LL Composição - p - 67 x 50 - cid - 1988
-Reproduzido no convite deste leilão e no caderno Ilustrada da "Folha de São Paulo" de 26/02/2009. Com certificado do Instituto Arcângelo Ianelli, firmado por Katia Vaz Ianelli. -Pintor. Fez aprendizado de pintura com Valdemar da Costa, em São Paulo, a partir de 1942. Participou de diversos Salões no País, e no exterior, obtenções várias e importantes premiações. Seus trabalhos fazem parte do acervo de museus e coleções particulares no mundo todo. Inicialmente figurativo, passou a abstracionismo, trabalhando com blocos cromáticos distribuídos com certo rigor construtivo sobre o espaço plano. A seu respeito, disse o crítico Enrico Crispolti, em 1966: " Mas quais são, então, os temas expressivos próprios da pintura de Ianelli? Ele mesmo, falando-me de experiências já distantes, recorda-me anos de um naturalismo sumário pela vontade de síntese, sublinhado como hoje são propostos em sua pintura horizontes muito diferentes. Creio, no entanto, que uma matriz naturalista preside o intenso lirismo dessa telas recentes de Ianelli (...) ". PONTUAL, pág. 358; MEC vol.3, pág. 345; WALTER ZANINI, pág. 644; ARTE NO BRASIL, pág. 798; LEONOR AMARANTE, pág. 218. Acervo FIEO.

061 - HARRY ELSAS - (1925 - 1994)
LL Profeta - ost - 69 x 49 - cid - 1980
Nascido na Alemanha e radicado no Brasil desde 1936, Elsas desenvolveu suas aptidões artísticas com Lasar Segall, que muito o incentivou a ingressar na carreira das artes. Permaneceu no Nordeste brasileiro por oito anos, retratando com maestria e singularidade paisagens e aspectos da vida local, sempre com influência renascentista, com cor e desenhos fortíssimos. Participou de coletivas no Brasil e no exterior a partir de 1962, com excelente repercussão. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 99. MEC, vol, 2, pág, 111; TEIXEIRA LEITE, pág 176; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

062 - DÉCIO VILARES - (1851 - 1931)
LL Rosto - osc - 36 x 26 - cid
Pintor, retratista, fez da figura feminina o seu tema predileto. Criou a bandeira da República, substituindo o escudo pelo Cruzeiro do Sul e acrescentando o lema positivista " Ordem e Progresso" . Dedicou-se também à escultura. ARTE NO BRASIL vol.2, pág.1060; PONTUAL, pág.542; MEC vol.4, pág. 478; TEIXEIRA LEITE, pág. 526; ITAÚ CULTURAL.

063 - CLAUDIO TOZZI - (1944)
LL " Papagalia " - ast - 120 x 120 - cid e d - 1982
Com autenticação do artista. Este quadro participou de exposição no Museu Gelsenkirchen em 1984 - Alemanha, conforme etiqueta no dorso. -Pintor, arquiteto e gravador paulista com diversas exposições e participações em salões e bienais no Brasil e no exterior. Dedicou-se inicialmente à colagem e à gravura, numa utilização crítica das histórias em quadrinhos; numa fase posterior passou a criar múltiplos tridimensionais e a efetuar pesquisas em torno dos efeitos ópticos. WALMIR AYALA vol.2, pág.388/9; PONTUAL, pág.525/6; TEIXEIRA LEITE, pág. 512; ARTE NO BRASIL vol.2, pág.1059; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 740; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.

064 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Cena Árabe - dl - 11 x 14 - cie
Pintor nascido na Itália. Mecatti radicou-se no Brasil em 1940, após trabalhar por vários anos na Tripolitânia, no norte da África. É notável pela estilização de suas figuras e paisagens concebidas, em tons baixos e obedientes a uma composição pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 161/2; MEC, vol. 3, pág. 109; PONTUAL, pág. 352; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 72; TEIXEIRA LEITE, pág. 320; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

065 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Churchil - g - 16 x 19 - cid
No estado. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 050 deste catálogo.

066 - GERARDO DE SOUZA - (1950)
LL " O boiadeiro " - ost - 62 x 90 - cid e d - 1986
Natural de Guaraciaba do Norte, CE. Pintor ativo na cidade do Rio de Janeiro. Em 1973, começou a expor seus trabalhos na Feirarte, Pça Gal Osório-RJ. Participou de diversas coletivas naquela cidade. Por ocasião de sua individual, o crítico de arte Walmir Ayala fez-lhe esta apresentação: "A sociedade do boi é o seu terma principal. O boi manso, o boi espaço, o boi forma, o boi cor, os bois, o boi é o homem. O pontilhado no focinho do boi. As árvores e o casario modesto perto dos quais o boi rumina sua paciência. Uma pintura que fala de uma alma modesta e sincera." JULIO LOUZADA, vol 11 pág 306; MEC, vol 4 pág 313.

067 - FRANK SCHAEFFER - (1917 - 2008)
LL Marinha - tm - 50 x 70 - cid - 1988
Pintor, desenhista e professor. Realizou sua formação artística com Arpad Szenes no Brasil e, entre 1948 e 1949, com André Lhote e Fernand Léger em Paris. Participou de diversas edições da Bienal SP, do SNAM, e outras mostras importantes, tais como I Bienal Interamericana do México (1958), SAMDF (1964 e 1965), entre outras, todas com premiações. Pintor fiel ao seu estilo, pinta seus tema preferidos através de sua imaginação romântico-expressionista. TEODORO BRAGA, pág. 101; PONTUAL, pág. 477; MEC, vol. 4, págs. 192 e 209; Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, MEC-MNBA/Rio/1944.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717.

068 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato - ast - 40 x 40 - cie - 2002
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista.-Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

069 - JAIME NICOLA DE OLIVEIRA - (XX)
LL Querubins - e em m - h = 51 - cid - 1996
Jaime NICOLA de Oliveira, natural de Quipapá(PE), acostumado a desenhar e entalhar a madeira desde criança, aprendeu a esculpir observando o trabalho de um artista do Recife em seu Atelier. Conhecido por suas esculturas de cabeças de Santos e Anjos, tira proveito da textura da madeira para recriar com sua poderosa imaginção até mesmo anjos cangaceiros, além de também esculpir essas formas em pedra calcárea.

070 - FRANCISCO REBOLO GONSALES - (1903 - 1980)
LL Nu - osc - 50 x 40 - cid
-Reproduzido no convite deste leilão. Com certificado de autenticidade firmado por Lisbeth Rebollo Gonçalves.Grande pintor paulistano, um dos principais membros do Grupo Santa Helena e da Família Artística Paulista, Rebolo é acima de tudo um paisagista de colorido suave e desenho sensível. MEC, vol. 4, pág. 28/29; TEODORO BRAGA, pág. 202/3; PONTUAL, pág. 447/448; REIS JR., pág. 382; TEIXEIRA LEITE, pág. 433/434/435.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; LEONOR AMARANTE, pág. 13; ARTE NO BRASIL; Acervo FIEO.

071 - ORLANDO TERUZ - (1902 - 1984)
LL Flores - ost - 66 x 80 - cid
Natural do Rio de Janeiro, RJ, foi aluno de Rodolfo Chambelland e Batista da Costa na antiga ENBA. Participa do SNBA a partir de 1924, ganhando diversas premiações, inclusive o prêmio de viagem ao exterior. Diversos e importantes museus do mundo tem obras suas, inclusive o Hermitage de Moscou. TERUZ encanta pela sua apurada técnica e temas, seus personagens e suas cores. TEODORO BRAGA- pág. 226; PONTUAL- -págs. 520/1; WALMIR AYALA, vol. 2-págs. 379/81; MEC, vol. 4-pág. 383; TEIXEIRA LEITE, pág. 505; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 578, Acervo FIEO.

072 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Uvas - osm - 62 x 82 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

073 - INOS CORRADIN - (1929)
LL Palafitas - ost - 42 x 120 - cid
Um dos valores da pintura em São Paulo. Corradin expôs com frequência na Europa e nos Estados Unidos, onde seus quadros são muito apreciados. Também tem se dedicado com igual talento e sucesso a escultura. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 152; PONTUAL, pág. 143; MEC, vol. 1, pág. 448; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 215; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

074 - JOHN NICHOLSON - (1951)
LL Nu - lito. os 41/50 - 34 x 49 - cid - 2005
Pintor. Muda-se para o Rio de Janeiro em 1977 depois de estudar artes plásticas na Universidade de Houston e na Universidade do Texas, nos Estados Unidos. Inicia a carreira de professor de pintura na Escola de Artes Visuais do Parque Lage em 1980, ano em que participa de diversas mostras coletivas no Rio de Janeiro e produz, em conjunto com Luiz Aquila e Claudio Kuperman, a Grande Tela, gigantesco painel que representa um claro manifesto de afirmação da pintura. Por causa de sua atuação como pintor e professor nesse período, Nicholson torna-se um dos mestres da chamada Geração 80, lançada no Brasil em exposição histórica realizada no Parque Lage, em 1984. Sua pintura, inicialmente figurativa, se transforma a partir da mudança para o Brasil e da convivência com Luiz Aquila, companheiro de ateliê durante alguns anos, que passa a apoiá-lo na criação abstrata. Suas obras, atualmente, expressam essa abstração através do uso da superposição de planos e das cores fortes da pop arte e do expressionismo abstrato. ITAÚ CULTURAL.

075 - LIVRO -
LL -
1) ADELIO SARRO, 102 págs.; ilustrado a cores, catálogo de exposição de Adelio Sarro no Museu de Pesquisas Científicas da Academia de Artes Russa, ST. Petersburg. 2) O NÁUFRAGO NEGRO por Aguinaldo Bastos, 39 págs., ilustrado por Inos Corradin; OUVINDO ESTRELAS por Aguinaldo de Bastos, 62 págs., ilustrado por Inos Corradin; 3) CHEN KONG FANG - SUMIÊ, álbum sobre a vida e obra de Fang por Enock Sacramento. -

076 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL Vênus e pássaro - g e col. - 29 x 42 - n/as.
Com declaração no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

077 - JOSÉ MARQUES CAMPÃO - (1892 - 1949)
LL Trapiche - osc - 24 x 33 - cie - 1924
Excelente paisagista paulistano, aluno de Oscar Pereira da Silva, da Academia Julian - Paris, e da Escola Nacional Superior de Belas Artes de Paris, entre 1912 e 1918. Foi membro da Comissão de Orientação Artística de São Paulo em 1944. Expôs no Salão dos Artistas Franceses e em diversas exposições coletivas e individuais. TEODORO BRAGA, pág. 61/62; PONTUAL, pág. 102; MEC, vol. 1, pág. 331; REIS JR., pág. 374; WALMIR AYALA, vol. 1,pág. 160; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

078 - ARTUR BÁRRIO - (1945)
LL Composição - tm - 113 x 77 - cie - 2001
Nascido Artur Alípio Barrio de Souza Lopes, na cidade do Porto, Portugal, no dia 1 de fevereiro de 1945. Pintor e desenhista. Jovem ainda fixou-se no Rio de Janeiro. Frequentou a Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, recebendo orientação artística do prof. Onofre Penteado. Trabalha com materiais recicláveis (papel, plástico, etc). Em 1969 participou da seleção da representação para a VI Bienal dos Jovens em Paris, com Ivald Granato e Luis Pires. JULIO LOUZADA vol. 1 pág. 96; ITAU CULTURAL.

079 - ÉLVIO BECHERONI - (1934 - 2000)
LL Composição - e em mad. - h = 66
Escultor e pintor natural de Florença, Itália, onde nasceu a 23/2/1934, e falecido em São Paulo-SP, onde residia e foi ativo. Iniciou suas atividades em 1962, participando no decorrer de sua carreira de diversas e importantes exposições nacionais e internacionais, tais como o Prêmio Juan Miró, em Barcelo, Espanha. Artista que alcançou renome internacional, constando inclusive de catálogo internacional de arte. JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 32

080 - AGOSTINHO BATISTA DE FREITAS - (1927)
LL Trem - ost - 50 x 70 - cie - 1992
-Reproduzido no convite deste leilão.Começou a pintar no início da década de 1950 (e ele próprio relatou que vendia seus trabalhos na Praça do Correio da capital paulista) sendo logo descoberto por Pietro Maria Bardi que organizou uma exposição de seus trabalhos no Museu de Arte de São Paulo, em 1952, mais tarde apresentados também, no Museu de Arte Moderna de São Paulo e da Bahia e no Museu de Arte Contemporânea de Campinas. Participou da XXXIII Bienal de Veneza (1966). MEC, vol. 2, pág. 210; PONTUAL, pág. 225; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 323; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 208; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 214; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 832; Acervo FIEO.

081 - RAUL CORDULA FILHO - (1943)
LL Composição - ost - 46 x 55 - cid - 1976
Com etiqueta da Galeria Arte Global - São Paulo, no dorso. -Pintor, desenhista e professor paraibano, natural de Campina Grande. Estudou com Domenico Lazzarini no MAM-RJ. Professor de desenho na Universidade Federal da Paraíba. Expõe individualmente a partir de 1961 e coletivamente desde 1965, tendo recebido diversos prêmios. JULIO LOUZADA, vol. 8, pág. 218

082 - HEINZ KUHN - (1908 - 1987)
LL Composição - ost - 61 x 51 - d - 1981
Nasceu em Berlim, Alemanha, e faleceu em São Paulo-SP. Inicia seus estudos em sua terra natal, expondo obras na Alemanha e na França. No Brasil em 1950, fixa-se em São Paulo. Nesse período sua pintura é figurativa, voltando-se aos poucos, para a abstração geométrica. Theon Spanudis considerava o autor como "um dos pintores mais conscientes, inquietos e produtivos de São Paulo (1964)". A partir dos anos 60 sua pintura se move no âmbito da abstração informal, com eventuais referências ao mundo real. Obra de sua autoria faz parte da Coleção Adolpho Leirner, participando do livro Arte Construtiva no Brasil, de Aracy Amaral (pág. 193) MEC, vol. 2 pág. 430; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 688.

083 - RENÉE LEFÈVRE - (1910 - 1996)
LL Flores - a - 62 x 47 - cie - 1961
Nasceu (17/julho) e faleceu (26/abril) em São Paulo. Foi aluna de desenho de Pedro Alexandrino. Freqüentou a Academia Julian e a Academia de La Grande Chaumiere em Paris. Pintora e ilustradora, integrou a Família Artística Paulista. Expôs individualmente pela primeira vez em 1941, e coletivamente a partir de 1934, inclusive no exterior, recebendo premiações. O crítico Geraldo Ferraz assim se referiu à sua obra, conforme consta em JULIO LOUZADA abaixo mencionado: "Renée Lefevre gosta de pintar e desenhar paisagens, pequenas cidades do interior, praças, ruas, igrejas, casarões. Às vezes é seduzida pelas cenas regionais com figuras humanas. Raramente pinta naturezas-mortas. Conscientemente evita composições panorâmicas. Em geral, está empenhada em simples transposições pictóricas de fragmentos da realidade brasileira, que hoje é histórica. Sem dúvida, essas vistas do Brasil antigo são submetidas a um processo de afeto pessoal, a uma validade de poetização lírica, onde a artista revela as ocultas seduções de formas ressuscitadas da arquitetura barroca, formas tão brasileiras, tão graciosas, tão cativantes, já tão esquecidas, ainda que presentes e vivas (...) Será difícil classificar seus quadros, pintados em gama de cores luminosas, apagadas; esses desenhos sutis, sensibilizados, de caligrafia arejada, dentro das correntes reconhecidas da pintura atual. Parecem surgidos de outra época, aliás como são também essas parcelas do Brasil colonial fontes de sua inspiração. " JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 532; MEC. vol.2,. pág.465; PONTUAL, pág.306; TEIXEIRA LEITE, pág.283; WALMIR AYALA, vol.1, págs.466 e 467; ITAÚ CULTURAL. Acervo FIEO.

084 - WALTER SHIGETO TANAKA - (1910 - 1970)
LL Paisagem - ost - 46 x 55 - cie - 1950
Natural de Kumamoto, Japão, este grande pintor e artista gráfico, viveu parte de sua infância no Peru, tendo se iniciado em pintura na sua terra natal. Imigrou em 1930, fixando-se em São Paulo, onde estudou durante quatro anos na Escola de Belas Artes de São Paulo (até 1935). Com Tomoo Handa (1906-1996), criou o Seibi-kai em 1935. Integrou os Grupos do Jacaré e Guanabara. Selecionado para a I e II Bienais de SP. Aceito para o I e II Salão de Arte Moderna-SP. Conquistou o segundo lugar do Prêmio Governador do Estado em 1951. Sua paisagem organiza-se composicionalmente, valendo-se de técnica apurada e constituindo parcela significativa de sua produção. JULIO LOUZADA, vol. 11; WALTER ZANINI, pág. 587.

085 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Composição - spray - 20 x 13 - d
Com declaração de autenticidade firmada por Érica Hauff, no dorso. -Pintor e desenhista austríaco, natural de Viena, transferiu-se para o Brasil em 1928, fixando residência em São Paulo, Estudou no Liceu de Artes e Ofícios da cidade, onde conheceu Valdemar da Costa, com ele fazendo aprendizado de pintura a partir de 1940. Artista estável, sua evolução não sofreu sobressaltos, uma vez formado numa linguagem linear de sensibilidade pessoal, despojada e exigente, rigorosamente artesanal. PONTUAL, pág. 131; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI pág. 645; ARTE NO BRASIL, pág. 798; Acervo FIEO.

086 - SERGIO TELLES - (1936)
LL Na praia - tm - 22 x 28 - cid
Pintor, professor e diplomata, estudou pintura na ENBA/Rio; foi discípulo de Levino Fanzeres, Paul Gagarin, Rodolpho Chambelland e Paschoal Valente. Artista de renome internacional, consagrou-se pela sua requintada técnica de composição e domínio da cor. Com exposição retrospectiva programada para o Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro em 2009. TEIXEIRA LEITE, pág. 503; MEC, vol. 4, pág. 380; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 319; ITAÚ CULTURAL. Acervo FIEO.

087 - ARTHUR TIMÓTHEO DA COSTA - (1882 - 1923)
LL Rosto - osc - 31 x 22 - csd
Pintor nascido no Rio de Janeiro, iniciou seus estudos, com o seu irmão João Timóteo, como aprendiz da casa da moeda, após estudou na ENBA e obteve prêmio de viagem ao exterior em 1907. Diversos museus brasileiros possuem obras de sua autoria. LAUDELINO FREIRE, pág. 512; TEODORO BRAGA, pág. 229; REIS JR., pág. 286; Primores da Pintura no Brasil, vol. 1, págs. 57, 153, 313 e vol. 2, pág. 89; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 217; PONTUAL, pág. 522; MEC, vol. 1, pág. 468; TEIXEIRA LEITE, pág. 508; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 532.

088 - MARIO CRAVO JR - (1923)
LL Composição - e em f - h = 40
Escultor. Após realizar seus estudos, primeiro com um santeiro baiano,e depois com Cozzo, seguiu para os Estados Unidos, aperfeiçoando-se ali com Mestrovic (1949). Teve o prêmio de escultura na II Bienal de São Paulo, e tem participações em várias exposições, dentro e fora do Brasil. Professor de gravura na Universidade da Bahia. Sua escultura, de cunho expressionista, divide-se em duas fases: a figurativa (santos e imagens na tradição barroca) e não figurativa (experiências formais). Mário Cravo trabalha a madeira e o metal com perícia idêntica. Permaneceu na Europa (Berlim e outros centros) entre 1963 e 1964. MEC,vol. 1, págs. 495 a 497; PONTUAL, págs. 150/1; JULIO LOUZADA, Ed./85, págs. 281/2; BENEZIT, vol. 3, pág. 261; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 638; ARTE NO BRASIL, pág. 846; LEONOR AMARANTE, pág. 23.

089 - AXEL LESKOSCHEK - (1889 - 1976)
LL Figura - xilo. - 6 x 9 - cs - Na matriz
Importante gravador, pintor e professor austríaco. Realizou sua formação artística na Áustria e ali publicou álbuns de xilogravuras e águas-fortes. Veio residir no Brasil em 1930, fugindo do nazismo, aqui ficando até 1950. Ilustrou diversas publicações nacionais, entre elas, e principalmente, as edições brasileiras dos romances de Dostoiévski (Ed. José Olimpio). Foi professor, entre outros, de Renina Katz, Fayga Ostrower e Ivan Serpa. MAYER/88, pág.494; JULIO LOUZADA, vol.1, pág.609; BENEZIT, vol.6, pág.612, ART PRICE ANNUAL/2000, pág.1464; PONTUAL, pág.309, TEIXEIRA LEITE, pág.284; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 840; Acervo FIEO.

090 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Pássaro - ast - 60 x 80 - cie e d - 2005
-Reproduzido no convite deste leilão e no caderno Ilustrada da "Folha de São Paulo" de 03/03/2009. Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista.- - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

091 - ELZA DE OLIVEIRA SOUZA - (1928 - 2006)
LL Menina - ose - 54 x 45 - cie
Pernambucana do Recife. Esta importante pintora iniciou suas atividades com o prof. Ivan Serpa. Integrou o grupo de nordestinos que se apresentou na Galeria Giro, no RJ, em 1968. Seu interesse pelo registro da figura humana é praticamente exclusivo. Walmir Ayala afirma: " ... O biotipo que Elza repete obcessivamente, diz respeito ao povo de sua família conterrânea. São gente do povo, sem sofisticação, despojada do requinte civilizatório, mas embebida de um outro requinte, que diz respeito 'as latadas, trepadeiras em flor, animais domésticos, temáticas." JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 313, Acervo FIEO.

092 - ELISEU D´ANGELO VISCONTI - (1866 - 1944)
LL Arbusto - dl - 30 x 20 - cid
Considerado o maior pintor que trabalhou no Brasil, nasceu na Itália, mas fez sua formação artística na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro e em Paris. Foi sucessivamente, realista, simbolista, adepto do Art Noveau e pós- impressionista, até chegar em algumas paisagens já quase no fim da vida, a uma síntese admirável de todos esses estilos e tendências. Sua obra-prima - e uma das obras- primas da arte brasileira de todos os tempos - é a decoração do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, principamente o friso do foyer, iniciado em 1914. TEODORO BRAGA, pág. 240/241; LAUDELINO FREIRE, págs. 515/ 133/ 151/ 510 e 512; BENEZIT, vol. 10, pág. 535; REIS JR., pág. 293 /300 /304 /371 /375/ 380/ 381/ 388/ 389; MEC, vol. 4, pág. 393; PONTUAL, pág. 543/544/545; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 422 e 423; MAYER/84, pág. 1252; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 420; ARTE NO BRASIL, pág. 553; LEONOR AMARANTE, pág. 42; Acervo FIEO; F. ACQUARONE, pág. 171.

093 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Marinha - osc - 31 x 39 - cie e d
Nascido em Manaus, pioneiro mundial da arte não-figurativa (a qual já praticava desde 1916), Santiago estudou no RJ com Visconti, e foi o principal responsável pelo Núcleo Bernardelli, no qual se formaram tantos dos melhores artistas do Modernismo carioca. Sua arte é um neo-impressionismo de belo colorido e opulentos efeitos de textura. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, pág. 241; TEODORO BRAGA, pág. 211/212; Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, MEC-MNBA / /Rio/1944; MAYER/84, pág. 1158; REIS JR., pág. 378; PONTUAL, pág. 473; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 292; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

094 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
LL Figura - tm - 24 x 15 - cid
Pintor, desenhista, gravador e professor, estudou com Axel Leskoschek no Rio de Janeiro. Participou da Divisão Moderna do SNBA (1947-1951). Foi um dos precursores do concretismo no Brasil, criando ao lado de Aluisio Carvão, Lígia Clark, Hélio Oitica e outros o Grupo Frente, que se manteve ativo de 1954 a 1956, inclusive com exposições no Rio de Janeiro. Ivan Serpa possui invejável e extenso curriculum de vida artística, passando de exposições coletivas, a grandes retrospectivas de sua obras. Há um reconhecimento nacional da importância de sua atividade, tratando-se de um dos grandes artistas nacionais. PONTUAL, pág 486; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 840; LEONOR AMARANTE, pág. 26; Acervo FIEO.

095 - SILVIO OPPENHEIM - (1941)
LL Composição - ost - 38 x 54 - cs - 1982
Nascido em São Paulo, formou-se pela faculdade de arquitetura da USP, em 1965. Inicialmente figurativo, passou para a abstração de forma muito natural. Perfeccionista, usa as cores de forma quase puras em requintado grafismo. Participa de exposições desde 1962 com sempre renovado sucesso de crítica e de público JULIO LOUZADA, vol.11, pág.233; MEC, vol.3, pág.301; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

096 - NEWTON RESENDE - (1912 - 1994)
LL Trabalhador - a e g - 83 x 27 - cid - 1962
Natural de São Paulo, e falecido no Rio de Janeiro. Autodidata, recebeu influências de Cândido Portinari, Rebolo, Clovis Graciano e Mário Zanini. A partir de 1948 expõe individual e coletivamente. O crítico TEIXEIRA LEITE assim se refere à obra do artista em seu livro abaixo indicado: "Pintor figurativo que não pode a rigor ser reclamado por nenhum movimento ou tendência, Newton Rezende combina em sua obra acentuados dotes de lirismo a uma bem-humorada concepção dos seres e das coisas, inculcando-lhes ligeira nota surrealista. A sua é uma pintura livre, artesanalmente bem articulada, e que brinca, ao mesmo tempo em que mal dissimula a emoção com que enfrenta certos temas: arte verdadeira, descompromissada de teorias e de preconceitos de qualquer espécie, (...)" . PONTUAL, pág. 450; ITAÚ CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 444; WALTER ZANINI, pág. 755.

097 - OLE RING - (1902 - 1972)
LL Paisagem - a - 29 x 39 - cid
ART PRICE ANNUAL 2000. pág 2116.

098 - ODON NOGUEIRA - (1980)
LL " Mecânico " - e em t - h = 17 - b - 2007
Escultor, natural de Bela Vista, Goiás. Atualmente reside e é ativo na cidade de Goiânia, naquele Estado. Iniciou seu trabalho com pedra sabão, passando para a argila, material com que vem se destacando. Realiza exposições desde 2003, com sucesso de público e critica.

099 - TAKASHI FUKUSHIMA - (1950)
LL Paisagem - tm - 39 x 39 - cid - 1976
Filho do pintor Tikashi Fukushima, nasceu em São Paulo, Capital. Estuda com Luiz Paulo Baravelli em 1970 e, no mesmo ano, ingressa na FAU-SP. Paralelamente aos estudos universitários, expõe nas Bienais Internacionais de São Paulo em 1973 e 1975, obtendo, nesta última, prêmio aquisição. Em 1990 estuda na Universidade Nacional de Artes e Música de Tóquio, Japão, com bolsa concedida pela Fundação Japão. No mesmo ano, recebe o prêmio de excelência na 1ª Bienal Brasileira de Design, em Curitiba. Desde 1992 leciona desenho no curso de arquitetura e urbanismo da Faculdade de Belas Artes de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 141; ITAÚ CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 231, Acervo FIEO.

100 - KARL ERNEST PAPF - (1838 - 1910)
LL Bebê - ostcm - 28 x 22 - cie - 1878
-Reproduzido no convite deste leilão.Natural de Dresden, Alemanha, veio para o Brasil em 1867 sob contrato do fotógrafo Albert Henschel. Residiu no Recife - Pernambuco, e Salvador-Bahia. Foi exímio retratista, paisagista e pintor de naturezas mortas, destacando-se aí as orquídeas, que o artista cultivava em um esplêndido orquidário, em sua casa de Petrópolis - RJ. BENEZIT, vol. 8, pág. 119; MAYER / 83, págs. 84/957/1081; MEC, vol. 3, pág. 333; PONTUAL, pág. 405; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 162 e 165. TEIXEIRA LEITE pág. 384; ITAÚ CULTURAL.

101 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
LL Composição - pspc - 20 x 20 - cie
Pintor, arquiteto-paisagista, desenhista, decorador, artesão de jóias, tapeceiro e litógrafo, nascido em São Paulo-SP. Em 1913 muda-se com a família para o Rio de Janeiro, estudando arquitetura a partir de 1927 na antiga Escola Nacional de Belas Artes. A partir de 1931 trava conhecimento e desfruta da amizade dos modernistas, como Mario de Andrade, Anibal Machado, Guignard, Murilo Mendes, Tarsila, Oswald de Andrade, entre outros. Artista de méritos, ocupa lugar de destaque na cultura nacional. PONTUAL, pág. 94; TEIXEIRA LEITE, pág. 93; MEC. vol.1, pág.303; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.564; ARTE NO BRASIL, pág. 738; LEONOR AMARANTE, pág. 98.

102 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL Buscando água - ost - 60 x 80 - cie
Italiano da Lombardia, PELLEGATTA foi pintor e gravador dedicado a temas sacros e casarios coloniais. Em sua obra, o ser humano é apresentado sempre de modo idealizado, na figura de ternas madonas, santos, coroinhas e cavaleiros. Participou de diversas coletivas e salões, a partir de 1957, recebendo premiações em sua maioria. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág.735; MEC vol.3, pág.363; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

103 - PEDRO SELLA JUNIOR - (1926)
LL Hortências - ost - 50 x 40 - cid e d - 1991
Natural da cidade paulista de Ribeirão Preto, onde nasceu a 28 de agôsto. É um pintor romântico, com grande sensibilidade para captar o que há de mais autêntico na paisagem clássica do campo. Estudou com Simão Popoff. Em traços e tons impressionistas, pintou Goiás Velho, a casa de Cora Coralina, as igrejas de Ouro Preto, e os bebedouros coloniais de Minas. JULIO LOUZADA, vol. 10 pág. 814

104 - SALVADOR SANTISTEBAN - (1919 - 1995)
LL Quiosque e lampião - osc - 15 x 10 - cid
Pintor e desenhista nascido em Sorocaba, SP. Foi aluno de Angelo Simeone na Associação Paulista de Belas Artes. Participou de diversas exposições coletivas, realizando outras tantas individuais. Recebeu premiações nos salões que participou a partir de 1948 até 1993. Em 1972 fez turnê artística pela Europa na companhia dos pintores: Omar Pellegatta, Giancarlo Zorlini, Salvador Rodrigues Junior, Carnelosso e Angelo Simeone. Possui obras em diversos museus paulistas. JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 1017; Acervo FIEO.

105 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Figuras - xilo. 197/200 - 60 x 40 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 053 deste catálogo.

106 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Surreal - lito. 29/46 - 30 x 40 - cid - 1976
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 055 deste catálogo.

107 - CABRAL, ANTONIO HÉLIO - (1948)
LL Figura - lito. 1/10 - 53 x 38 - cid - 2003
Formado em arquitetura pela USP em 1974. Foi professor de pintura e desenho em diversas instituições de 1973 a 1984, tendo organizado mostras de artes brasileiras no Museu Lasar Segall, cujo ateliê de artes plásticas também orientou por algum tempo. Como pintor é adepto do figurativismo expressionista. TEIXEIRA LEITE, pág. 96; JULIO LOUZADA vol.10, pág.159; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

108 - WALTER NATHER - (XX - 2004)
LL Paisagem - ost - 27 x 35 - cie
Pintor com diversas participações em exposições individuais e coletivas e com premiações em salões oficiais. JULIO LOUZADA, vol. 6 pág.771

109 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 10 x 16 - cid
Pintor húngaro, estudou em Paris com Jean Paul Laurenz. Expôs seus trabalhos na Europa e na América, tendo também participado de salões internacionais recebendo premiações. De 1924 a 1935 foi diretor do Museu de Budapeste e de 1935 a 1945 foi diretor do Museu das Artes Instrutivas da Hungria. O Museu Histórico Municipal de Budapeste possui mais de 700 aquarelas de sua autoria.

110 - JOSINALDO FERREIRA BARBOSA - (1951)
LL " Carro de boi chegando " - ast - 20 x 30 - cid e d - 2008
Pintor, assina Josinaldo. Com diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior. Tambem participou de Salões, entre eles o Salão de Piracicaba. JÚLIO LOUZADA vol. 12 pág. 214.

111 - CAMILO EDUARDO TAVARES - (1932)
LL " Carnaval do mela - mela " - ast - 30 x 40 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

112 - EDUARDO SUED - (1925)
LL Composição - grav. P.A. - 30 x 23 - cid - 1965
Natural da cidade do Rio de Janeiro-RJ, onde reside e é ativo. Pintor, desenhista, ilustrador e gravador. Formou-se na Escola Nacional de Engenharia do Rio de Janeiro em 1948. Foi aluno de desenho e pintura do pintor Henrique Boese. Trabalhou como desenhista no escritório do arquiteto Oscar Niemeyer (1950-1951). Freqüenta os ateliês de La Grande Chaumière e L'Académies Julian em Paris (1951), retornando ao Rio de Janeiro em 1953, onde estuda gravura em metal com Iberê Camargo. Diversas exposições coletivas e individuais. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 975/976; ARTE NO BRASIL, pág. 814; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

113 - BERNARDO LEMES DE ANDRADE - (1949)
LL Natureza morta - ost - 46 x 38 - cie
Pintor e gravador, natural de Campanha, MG, onde nasceu a 29 de maio de 1949. Autodidata, pinta desde 1975. Cursou a Escola Municipal de Belas Artes-RJ. Tem um toque original, contribuição criativa em cor discreta, traçando poéticas paisagens e naturezas-mortas. Expõe desde 1975, com diversas premiações (ver extensa lista de eventos de que participou na bibliografia abaixo). JULIO LOUZADA, vol. 9 pág. 107, Acervo FIEO.

114 - FRANCISCO COCULILO - (1895 - 1978)
LL Rio de Janeiro - ost - 40 x 50 - cid
Paisagista nascido no Rio de Janeiro, aluno de Luiz Graner. Realizou exposições individuais em várias cidades brasileiras. Catálogo de Exp. de Paisagem Brasileira - MEC-MNBA/Rio/1944; MEC, vol. 1, pág. 40; TEODORO BRAGA, pág. 73; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 208; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 74; Acervo FIEO.

115 - GERALDO ORTHOF - (1903 - 1990)
LL Paisagem - ost - 26 x 34 - cid e d
Pintor, cartazista e desenhista, nasceu em Viena, Áustria, e faleceu no Rio de Janeiro-RJ. Inicia seus estudos em sua cidade natal, entre 1917 e 1921, estudando com o pintor Windhager. Em 1922, na Alemanha, ingressa na Academia de Berlim, onde é aluno de Ferdinand Spiegel e Karh Hofer. No Brasil, atua como paginador artístico da revista O Cruzeiro (1928). Entre as exposições de que participa, destacam-se: Exposição da Academia de Belas Artes, Rio de Janeiro, 1926; Salão Nacional de Artes Plásticas, no Palácio da Cultura e no MNBA - Categoria Desenho, Rio de Janeiro, 1978; Exposição do Ministério da Aviação, Rio de Janeiro, 1980 (Medalha de Ouro). JULIO LOUZADA, vol. 2 pag. 746; ITAU CULTURAL.

116 - BONAVENTURA CARIOLATO - (1894 - 1989)
LL " Festa na Aldeia " - a - 33 x 40 - cie - 1965 - Franca
Radicado em São Paulo, este excelente pintor participou ativamente de salões oficiais e de outros realizados periodicamentre, obtendo prêmios significativos no SPBA (menção honrosa em 1934 e medalha de bronze, em 1941). JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 211

117 - GLAUCO PINTO DE MORAES - (1928 - 1990)
LL Engate - ser. H.C. 2/10 - 57 x 48 - cid - 1979
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 006 deste catálogo.

118 - HILÁRIO ZARZANA - (1934 - 1991)
LL Natureza morta - ose - 30 x 40 - cie - 1990
Paulistano, o pintor HILARIO era também odontólogo, profissão que exerceu paralelamente às artes até 1981, quando passou a dedicar-se integralmente à pintura. Cursou pintura na Faculdade Marcelo Tupinambá e desenho artístico no IUB. A partir de 1981 expõe suas obras, obtendo premiações. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 166, Acervo FIEO.

119 - HOLMES NEVES - (1925 - 2008)
LL Capoeira - dn - 32 x 23 - cie - 1959
Natural de Lima Duarte, MG. Pintor, desenhista e gravador. Fixou residência no Rio de Janeiro, após estudos com Guignard, Misabel Pedrosa e Edite Behring em Belo Horizonte. Sobre a sua obra, transcrevemos texto de Henrique Pongetti, na apresentação do artista no catálogo de sua mostra HOLMES Neves: pinturas, na Galeria de Arte e Pesquisa da UFES, 1978: ". . . Eu gosto muito da pintura de Holmes, dos seus quadros de Ouro Preto, motivo insistente e fascinante na sua obra. Se o tema e certa sutileza de feitura nos lembra o Mestre, há hoje na sua arte uma autonomia indiscutível, as marcas de uma inconfundível personalidade. Suas cidades mortas não surgem envoltas na melancolia acinzentada que parecia refletir nas paisagens a alma infantil e ao mesmo tempo infeliz de Guignard. Sobre a pátina do tempo suas casas e igrejas, transfiguradas pela luz montanhesa, recebem cores festivas, reconquistam a mocidade, revivem. " TEIXEIRA LEITE, pág. 352; JULIO LOUZADA, vol.10, pág. 425; ITAÚ CULTURAL; PONTUAL, pág. 383; Acervo FIEO.

120 - INGRES SPELTRI - (1940)
LL " Vaso com flores " - ose - 90 x 60 - cid e d - 1990
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 010 deste catálogo.

121 - JOSÉ EDUARDO CORBISIER - (1943)
LL Marinha - ost - 40 x 60 - cid - 2006
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 013 deste catálogo.

122 - MARILIA RODRIGUES - (1937)
LL Animal fantástico - grav. 2/25 - 73 x 49 - cid - 1976
Gravadora, desenhista e professora. Estuda desenho com Haroldo Mattos na Escola de Belas Artes, atual Escola Guignard, em Belo Horizonte, na qual, mais tarde, trabalha com xilogravura. Consegue bolsa para estudar gravura em metal no Ateliê de Gravura do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ, com Edith Behring, Anna Letycia e Rossini Perez, entre 1959 e 1962. Estuda também com Oswaldo Goeldi, na Escola Nacional de Belas Artes - Enba. Desde 1963, leciona gravura em metal na Universidade de Brasília, pela qual se aposenta em 1993. Em 1983, leciona na Escola Guignard e, entre 1985 e 1986, na Oficina de Gravura Sesc Tijuca, no Rio de Janeiro. ITAÚ CULTURAL.

123 - INOS CORRADIN - (1929)
LL Paisagem - ser. P.A. - 40 x 57 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 073 deste catálogo.

124 - JOSÉ MARIA DA SILVA NEVES - (1896 - XX)
LL Casebre - ose - 19 x 26 - cid - 1961
Pintor, arquiteto e professor ativo em São Paulo. Participou do São Paulista de Belas Artes, onde obteve prêmios por diversas vezes. Pintor de natureza morta, paisagem e retratos. É autor da decoração do teto da Capela-Mor da Igreja do antigo convento de Sta Tereza, nas Perdizes/SP. MEC, vol.3, pág.260; JULIO LOUZADA, vol.6, pág.1060, Acervo FIEO.

125 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Natureza morta - ost - 39 x 50 - cie ileg. - 1894

126 - ANTONIO MEIRELLES - (1919)
LL Marinha - ost - 43 x 61 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 011 deste catálogo.

127 - MILLAN HORVAT - (1946)
LL Peças de xadrez - ost - 60 x 80 - cie - 1997
Pintor iuguslavo, natural de Novi Sad, onde nasceu a 26 de maio de 1946. Residente e ativo em São Paulo, cuja obra foi assim apresentada por Pietro Maria Bardi: " ... sua arte pode ser inscrita na categoria que Ortega y Gasset reservava aos artífices que comunicam e são entendidos pelos apreciadores do figurativo. Pintura rica em percepções que transparecem num conceber geométrico, pacatas colorações justamente apropriadas às composições. As paisagens reconstroem idealmente as arquiteturas, harmonizando-as e as exaltando em sigulares sínteses formais." JULIO LOUZADA, vol. 12 pág. 275, Acervo FIEO.

128 - COLETTE PUJOL - (1913 - 1999)
LL Ouro Preto - ost - 46 x 55 - cie
Esta premiadíssima pintora e professora paulistana, recebeu as suas primeiras aulas de desenho e pintura de Antonio Rocco e de Lucília Fraga, ainda na capital paulista. Residindo em Salvador, freqüentou a Escola de Belas Artes, onde foi aluna de Presciliano Silva (1942 a 1944); a partir de 1946 até 1949, estudou na Europa. Possui obras em museus brasileiros. PONTUAL, pág. 440; MEC, vol. 3, pág. 438; TEODORO BRAGA, pág. 73; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

129 - DIRCE PIRES - (1930)
LL Paisagem - ost - 69 x 76 - cie e d - 2005
Nasceu em Tatuí, SP, no dia 24 de abril de 1930, assina suas obras DIRCE PIRES. Pintora ingênua, suas obras tem como tema cenas rurais e aspectos da vida interiorana. Viúva do pintor Walter Lewy. Autodidata, com participações em coletivas, inclusive no exterior JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 771, Acervo FIEO.

130 - JOSÉ SABÓIA - (1949)
LL Trabalhador - ost - 40 x 40 - cid
Nascido em Almadina (BA). Indo para o Rio de Janeiro em 1967, começou a pintar no ano seguinte, passando a expor seus trabalhos na Feira Hippie de Ipanema. Sua primeira individual deu-se em Fortaleza em 1970; a partir de então, tem exposto com freqüência no Rio de Janeiro e em São Paulo. A pintura de Sabóia partiu de uma raiz eminentemente popular, tendo atingido depois um rebuscamento que se traduz no caprichoso desenho de linhas recurvas, na pincelada lisa, impessoal, no colorido reduzido a três ou quatro tons básicos e na composição, dotada daquele inconfundível horror vacui dos ingênuos. JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 278; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 228; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

131 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL Vênus e pássaro - lito. 95/100 - 38 x 50 - cid - 1977
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

132 - MARCOS DUPRAT - (1944)
LL Composição - osm - 80 x 110 - cid
Marcos Borges Duprat Ribeiro, assina M. Duprat. Pintor, desenhista e escultor, é natural do Rio de Janeiro, RJ. Sua formação artística se iniciou no Rio de Janeiro, RJ, depois no Japão e Estados Unidos. Exposições individuais em: Washington DC, EUA (1977,1980); Lima, Peru (1979,1981); Rio de Janeiro, RJ (1982,1985,1988,1995,1996); São Paulo, SP (1983,1985,1988,1995,1998); Brasília, DF (1984,1985,1995); Londres, RU (1986); Lisboa, Portugal (1987); Paris, França (1988); Nova York, EUA (1988); Milão, Itália (1990); Budapeste, Hungria (1991,1992,1993); Buenos Aires, Argentina (1996) e Montevidéu, Uruguai (1999). Exposições coletivas: Tóquio, Japão (1983); Cidade do México, México (1984,1986); São Paulo, SP (1984) e Rio de Janeiro, RJ (1985). JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 362; vol.9, pág. 282. ITAÚ CULTURAL.

133 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL Igreja - dn - 28 x 20 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 102 deste catálogo.

134 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL " Sol no Itacolomi " - ose - 49 x 70 - cid - Ouro Preto
Ativo em São Paulo, foi também excepcional desenhista, aluno nesta capital, do pintor e professor alemão Georg Ficher Elpons; participou assiduamente do Salão Paulista de Belas Artes, desde sua inauguração em 1933, onde foi muito premiado. MEC, vol. 3, pág. 393; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 685; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

135 - HEINZ BUDWEG - (1940)
LL " Índio Waurá " - asp - 68 x 70 - cid - 1986
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 052 deste catálogo.

136 - FANG, CHEN KONG - (1931)
LL Cães - ostce - 20 x 30 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

137 - REYNALDO FONSECA - (1925)
LL Camponês - dl - 31 x 21 - cid - 1965
Pintor, desenhista, gravador e professor pernambucano, natural da cidade do Recife, onde é ativo. Estudou no Rio de Janeiro, pintura com Portinari e gravura em metal com Henrique Oswald. Conquistou diversos prêmios em pintura e gravura na Divisão Moderna do SNBA-RJ. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.263; MEC, vol.2, pág.184; PONTUAL, pág.220; TEIXEIRA LEITE, pág.205; WALMIR AYALA, vol.2, págs. 243 a 245; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 879.

138 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL Fruta - a e g - 31 x 42 - cid - 1968
Pintor e gravador gaúcho, cuja carreira esteve intimamente ligada ao desenvolvimento da arte moderna e da gravura em seu estado natal e no Brasil. Começou a pintar em 1935, tendo sofrido de início a influência de Segall. Após uma fase realista, evoluiu, em anos mais recentes, para uma linguagem pessoal, fixado objetos com grande amor às transparências e às texturas, numa ânsia de transfiguração e de serenidade. MEC vol.4, pág. 214; TEODORO BRAGA, pág. 66; WALMIR AYALA vol.2, pág. 306 a 309; PONTUAL, págs 479 e 480; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 293; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 798; RGS, pág. 442; Acervo FIEO.

139 - LÉON HAFFNER - (1881 - 1972)
LL Veleiro - g - 43 x 31 - cie
Desenhista, caricaturista e pintor de marinhas nascido em Paris, França. Participante do Salão dos Artistas Franceses, assina L.Haffner. O Museu da Marinha de Paris possui numerosas obras suas. BENEZIT, vol.5, pág.349; ARTNET.COM; ARTPRICE.COM.

140 - GIOVANNI OPPIDO - (1907 - 1988)
LL Paisagem - osm - 19 x 20 - cid
Explorou com singular beleza e sensibilidade a fauna e paisagens do interior deste estado; figurou em diversas coletivas, tendo recebido prêmios e menções honrosas. O pintor foi ativo em São Paulo. MEC, vol.3 , pág. 301; JULIO LOUZADA, vol. 5, pág.768; Acervo FIEO.

141 - EDMUNDO MIGLIACCIO - (1903 - 1983)
LL Paisagem - ost - 27 x 37 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 034 deste catálogo.

142 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Composição - tm e col. - 13 x 12 - cie ileg.

143 - DANILO DI PRETE - (1911 - 1985)
LL Composição - escultura em metal - 31 cm diâmetro - cid
Nasceu em Pisa, Itália. Foi pintor e programador visual. Autodidata, iniciou a sua carreira na Itália. No Brasil desde 1946, participou de todas as Bienais de São Paulo, de 1951 a 1967, nelas recebendo o prêmio de Melhor Pintor Nacional em 1951 e 1965, dispondo de salas especiais para os seus trabalhos em 1961 e 1967. Foi o primeiro colocado no concurso internacional de cartazes para a VII BSP. Artista premiadíssimo. JULIO LOUZADA vol.10, pág.286; TEIXEIRA LEITE , pág. 163; PONTUAL, pág. 179; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 647; ARTE NO BRASIL, pág. 898; LEONOR AMARANTE, pág. 13.

144 - GERSON DE AZEREDO COUTINHO - (1900 - 1967)
LL " Barracões " - osm - 30 x 28 - cie - 1934 - Rio
Pintor e arquiteto gaúcho (cidade de Jaguarão), estudou com Henrique Bernardelli e na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro. Foi paisagista, e por várias vezes mereceu prêmios no Salão Nacional de Belas Artes. TEODORO BRAGA, pág. 108; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 2, pág 133; Citado no Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, Ministério da Educação e Saúde-MNBA/Rio/1944; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 67; RGS, pág. 104. Acervo FIEO. -

145 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Ouro Preto " - ost - 20 x 80 - cie e d - 2007
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

146 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
LL Cidade - xilo. 226/250 - 16 x 14 - cie - 1981
Paulista de Araraquara, Lívio foi exímio gravador, desenhista, pintor, jornalista e professor. Autodidata, executou suas primeiras gravuras em madeira por volta de 1926. Sofreu influência de Lasar Segall, focalizando desde então de modo expressionista tipos e paisagens dos subúrbios paulistanos, inclusive temas de caráter social, como indicou Sérgio Milliet em sua obra de 1940. O autor, certa feita, assim falou de si próprio: "Geralmente persisto em um mesmo motivo por longo tempo: trabalho-o até que me pareça haver esgotado todas as possibilidades que ele oferece. Jamais pensei em fazer 'paisagens'. O que procuro é interpretar o sentido e a problemática da natureza de uma terra, a força dos sentimentos que ela provoca em mim, e assim, quanto mais de acordo com a minha própria natureza, tanto mais imediata surge a interpretaçãop plástica, como sucedeu, por exemplo, com meu 'encontro' com as 'arquiteturas' da realidade íntima da terra paraguaia. PONTUAL, pág. 1, JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 19; MEC vol.1, pág. 33; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 795; LEONOR AMARANTE, pág. 28; Acervo FIEO.

147 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL Crucificação - a e g - 32 x 24 - cie - 1978
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 037 deste catálogo.

148 - MANOEL GRACIANO - (1926)
LL Jacaré - e em mad. - h = 25 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

149 - JESUS FUERTES - (1938)
LL Nu - ost - 70 x 60 - cie - 1982
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 044 deste catálogo.

150 - THEODORE GAEDE - (1895 - XX)
LL Farol - ost - 27 x 41 - cid - 1958
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 040 deste catálogo.

151 - RUDOLF WEIGEL - (1939)
LL Ouro Preto - osc - 18 x 13 - cid
Pintor austríaco radicado no Brasil pintou com maestria as cidades de Olinda, Ouro Preto, Salvador, Angra dos Reis e outras, sempre fiel a sua temática do Brasil antigo. MEC vol. 4, pág. 505. JÚLIO LOUZADA vol.11, pág. 343.

152 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL São Francisco - e em mad. - h = 90 - b - JMM

153 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 10 x 15 - ci
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 043 deste catálogo.

154 - VITTÓRIO GOBBIS - (1894 - 1968)
LL Flores - ost - 60 x 50 - cid - 1959
Natural de Treviso, Itália. Iniciou seus estudos na terra de origem, tendo após fixado residência em São Paulo, onde foi pintor atuante. Obteve diversas premiações nos Salões Paulistas, no SNBA e no Salão Paulista de Arte Moderna. Participou da I e II Bienais de São Paulo. O MNBA e o MASP possuem obras deste festejado pintor. MEC, vol.2, pág.271; TEIXEIRA LEITE, pág. 220; PONTUAL, pág.240; WALMIR AYALA, vol.1, pág.350; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 777, Acervo FIEO.

155 - ADOLF GUNTERT - (XX)
LL Paisagem - a - 25 x 21 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 045 deste catálogo.

156 - ALCIDES CRUZ - (1913 - 1988)
LL Menina - ost - 44 x 36 - d
Este excepcional e importante pintor de paisagens e de figuras, é natural do Rio de Janeiro, onde estudou com Henrique Cavalleiro na ENBA. Participou por diversas vezes no SNBA e de outros Salões nacionais, obtendo o reconhecimento de público e crítica. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 224; TEIXEIRA LEITE, pág. 138; JÚLIO LOUZADA, vol. 9, pág. 230; ITAÚ CULTURAL.

157 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Composição - ost - 60 x 73 - cid ileg. - 1978

158 - NICOLAS VLAVIANOS - (1929)
LL Vasos - e em b - b
Composto por três vasos medindo: 1) 20 cm; 2) 22cm; 3) 27 cm. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

159 - ARTHUR LUIS PIZA - (1928)
LL Composição - grav. 6/50 - 17 x 10 - cid
Gravador e pintor paulista, foi aluno de Gomide, está radicado em Paris desde 1953, mas tem exposto regularmente no Brasil e na Europa com grande sucesso de crítica e venda. MEC, vol. 3, pág. 422; PONTUAL, pág. 428/29; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 250; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 855; LEONOR AMARANTE, pág. 75; Acervo FIEO.

160 - ANTÔNIO PARREIRAS - (1860 - 1937)
LL Cavalo - osc - 51 x 70 - cid
Com dedicatória. -Um dos maiores paisagistas do Brasil, autor também de imponentes nus, Antonio Parreiras estudou com Grimm, mas adquiriu em seguida um estilo próprio, que se traduziu numa cor e numa textura violentas, quase fauves. BENEZIT, vol. 8, pág. 136; MAYER/84, pág. 1082; MEC, vol, 3, págs. 335/6; PONTUAL, págs. 406/7; LAUDELINO FREIRE, pág. 382; WALMIR AYALA, vol. 2, págs. 168 e 170; TEIXEIRA LEITE, pág.386/388; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 416; ARTE NO BRASIL, pág. 532; LEONOR AMARANTE, pág. 42; F. ACQUARONE, pág. 155.

161 - DIONISIO DEL SANTO - (1925 - 1999)
LL " Máscara " - ser. 5/9 - 20 x 17 - cid - 1980
Pintor, desenhista, gravador e serigrafista, nasceu em Colatina-ES, e faleceu em Vitória, naquele mesmo Estado. Autodidata. Em 1975, recebe o Prêmio de Melhor Exposição de Gravura do Ano, da APCA. Participou da 9ª Bienal Internacional de São Paulo, 1967 (Prêmio Itamarati Aquisição) e do Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1968 (Prêmio Isenção do Júri). JULIO LOUZADA vol.11, pág. 88; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 934.

162 - HEINZ BUDWEG - (1940)
LL Bananeiras - p - 38 x 48 - cid - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 052 deste catálogo.

163 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Na feira - dn - 29 x 21 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 053 deste catálogo.

164 - ANTONIO PEDRO - (1946)
LL " Tudo ou nada " - ost - 137 x 108 - d - 1985
Pintor e desenhista, com diversas exposições individuais e coletivas. ITAÚ CULTURAL

165 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Paisagem Surreal - g - 27 x 15 - cie - 1962
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 055 deste catálogo.

166 - ARLINDO CASTELANE DI CARLI - (1910 - 1985)
LL Derrubada - ose - 61 x 91 - cid - 1969
Pintor e escultor. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, onde foi aluno de José Maria da Silva Neves e de Enrico Vio. Suas primeiras realizações foram na pintura. Mais tarde passou a dedicar-se também à escultura. Sofreu influência do pintor Armando Balloni. Em 1942, estreando no SPBA, recebeu prêmio de menção honrosa, seguindo-se nos anos posteriores, diversas premiações, inclusive de viagem ao estrangeiro. MEC, vol. 1, pág. 355; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 183 e 184; ITAÚ CULTURAL.

167 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Colheita - ost - 25 x 30 - cid e d - 2006
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 057 deste catálogo.

168 - ANTONIO PESSOA - (1943)
LL Par de esculturas - e em b - as.
1) Nu, h = 8; 2) Mulher, h= 15. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 058 deste catálogo.

169 - GASTÃO FORMENTI - (1894 - 1974)
LL Paisagem - ose - 14 x 20 - cie - 1972
Pintor nascido em Guaratinguetá-SP. Após iniciar-se em arte com Pedro Strina, em São Paulo, foi residir no Rio de Janeiro, onde, com seu pai, dedicou-se à execução de vitrais. Recebeu medalhas de bronze e de prata no SNBA, do qual ainda participava em 1961. TEODORO BRAGA, pág. 98; WALMIR AYALA vol.1, pág.317; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

170 - SERGIO TELLES - (1936)
LL " Lavandières à Bali " - ost - 80 x 60 - cie e d - 1996
-Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 086 deste catálogo.

171 - FLÁVIO DE CARVALHO - (1899 - 1973)
LL Figuras - dn - 60 x 48 - csd
Pintor, desenhista, escultor, cenógrafo, engenheiro civil, arquiteto e escritor. Educou-se na Inglaterra. Foi um dos pioneiros da arquitetura moderna no Brasil. Figura polêmica e provocativa, teve vida cultural bastante agitada. Participou em diversas bienais e exposições nacionais e internacionais. TEODORO BRAGA, pág. 95/96/97; REIS JR., pág. 379; PONTUAL, pág. 113/114; MEC, vol.1, pág. 363; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 177.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 478; ARTE NO BRASIL, pág. 746; LEONOR AMARANTE, pág. 28; Acervo FIEO.

172 - DÉCIO VILARES - (1851 - 1931)
LL Cena da Divina Comédia - ost - 40 x 29 - cid - 1891
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 062 deste catálogo.

173 - CARLOS SÖRENSEN - (1928 - 2008)
LL Flores e frutas - ost - 35 x 22 - cie
Paulista de Baurú, Sorensen fez importantes estudos em Paris, onde a convite do governo francês, freqüenta o ateliê de André Lhote, onde conhece Picasso, Roonet e Fernand Léger e no ano seguinte freqüenta a Escola Superior de Belas Artes-Paris, estudando com Gleizes e André Lhote(1952-1953). Foi artista de múltiplas atividades, ceramista, tapeceiro, cenógrafo, ilustrador, arquiteto, designer e pintor, com sucesso de crítica e de público. Citado em Delta Larouse/1970, pág. 6406; MEC vol.4, pág. 309; PONTUAL, pág. 500, WALMIR AYALA vol.2, pág.347; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 306; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

174 - JOAQUIM TENREIRO - (1906 - 1992)
LL Figura - dn - 22 x 15 - cid - 1949
Português da cidade de Melo, Serra da Estrela, foi discípulo do Núcleo Bernardelli e de Quirino Campofiorito, no Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência definitiva no Brasil no ano de 1929. Fez o Curso de Desenho do Liceu Português, onde conquista o prêmio Joaquim Alves Meira, a maior láurea daquele estabelecimento. Tem pinturas suas figurando no MAM-SP, no MNBA e Museu Manchete-RJ. Mário Barata escreve a seu respeito: " Depois de uma fatura limpa, de acabamento preciso e claro, Tenreiro, mesmo prosseguindo com certo rigor estilistico, cedeu, ultimamente, 'a tentação das densidades de matéria e ao cromatismo baixo, 'as vezes terroso, cinza, que o informal bastante generalizou." É o renovador do mobiliário brasileiro, responsável por toda uma linha de criação em que a funcionalidade se alia o bom gosto e o aproveitamento racional dos materais do País. MEC, vol.4, págs.381 E 382; PONTUAL, pág.520,; TEIXEIRA LEITE, pág.504; WALMIR AYALA, vol.2, pág.376 e 377 ; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.320; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 580; ARTE NO BRASIL, pág. 763.

175 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL " Viciados " - g - 36 x 32 - n/as.
Com etiqueta de exposição do artista realizada no Escritório de Arte Renato Magalhães Gouvêa em Abril de 1991 - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 050 deste catálogo.

176 - HARRY ELSAS - (1925 - 1994)
LL Menina - ostce - 46 x 37 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 061 deste catálogo.

177 - MÁRIO CRAVO NETO - (1947)
LL São Francisco - grav. 12/50 - 40 x 30 - cid - 1970
Fotógrafo, escultor e desenhista natural de Salvador, Bahia. Recebeu as primeiras orientações no campo do desenho e da escultura de seu pai, Mario Cravo Júnior . Acompanhando o pai, viaja para Berlim em 1964, onde mantém contato com o artista italiano Emilio Vedova e com o fotógrafo Max Jakob. Em 1968, muda-se para Nova York e estuda na Arts Students League, com orientação de Jack Krueger. Nesse período, realiza a série de fotografias em cores On the Subway e produz suas primeiras esculturas de acrílico. Retorna ao Brasil em 1970, realizando trabalho fotográfico com temática relacionada ao candomblé e à religiosidade católica. Publica diversos livros ligados à sua arte. Recebeu o Prêmio Nacional de Fotografia da Fundação Nacional de Arte - Funarte, em 1996, o Price Waterhouse, no Panorama da Arte Brasileira do Museu de Arte Moderna de São Paulo - MAM/SP, em 1997; e o prêmio de melhor fotógrafo do ano da Associação Paulista dos Críticos de Arte - APCA, São Paulo, em 1980, 1995 e 2005. Expõe individualmente desde 1965 e coletivamente a partir do ano seguinte. JULIO LOUZADA, vol. 13I, pág. 97; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.787; ARTE NO BRASIL, pág. 972; LEONOR AMARANTE, pág. 206.

178 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Galo - dn e e s/t - 27 x 22 - cid e d - 1965
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista.- - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

179 - JORGE DE SALLES - (XX)
LL Figura - e em f - h = 93 - as.
Pintor, desenhista, escultor e curador teve sua formação em Artes na PUC-Rio e na Escola de Artes Visuais do Parque Lage no Rio de Janeiro, RJ.. Desde jovem vem participando de inúmeras exposições e movimentos culturais. www.circuitoculturalrio.multiply.c; www.bairrodaslaranjeiras.com.br.

180 - SAMSON FLEXOR - (1907 - 1971)
LL Senhora - ost - 61 x 46 - csd - 1953
-Reproduzido no convite deste leilão.Pintor nascido na Romênia, estudou em Paris, onde fez em 1927 sua primeira individual, radicando-se em 1946 em São Paulo, onde faleceu. Foi um dos pioneiros do abstracionismo no Brasil, tendo criado em 1948 o Atelier Abstração. Em 1968 sua obra foi objeto de importante retrospectiva no MAM-RJ. BENEZIT vol. 4, pág. 402; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 313/4; TEIXEIRA LEITE, pág. 198; PONTUAL, pág. 217/8; MEC, vol. 2, pág. 179 e 180; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 917; LEONOR AMARANTE, pág. 75; WALTER ZANINI, pág. 643, Acervo FIEO.

181 - JOSÉ MARQUES CAMPÃO - (1892 - 1949)
LL Marinha - osc - 27 x 35 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 077 deste catálogo.

182 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Caravana - ose - 24 x 32 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

183 - NEWTON MESQUITA - (1948)
LL Ferro a carvão - tm - 30 x 40 - ci
Pintor e gravador paulistano, Newton Mesquita é inquieto; provoca a sua arte com novos experimentos e técnicas. Desenhista de mão cheia, solta o traço com habilidade, recriando imagens, cores e texturas. JULIO LOUZADA, vol. 9, pág. 578; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

184 - NELSON FELIX - (1954)
LL Composição - tm - 24 x 22 - cid - 1996
Desenhos sobre folha de chumbo sob papel. - Escultor, desenhista, professor. Inicia estudos de pintura com Ivan Serpa em 1971. Forma-se em arquitetura em 1977. Dedica-se inicialmente ao desenho e, posteriormente, à escultura. Em 1989, recebe bolsa do Ministério da Cultura da França, por exposição ocorrida na Galeria Charles Sablon, em Paris. Recebe, em 1991, a bolsa Vitae de Artes Plásticas. A partir da década de 1990, realiza esculturas de mármore com base em órgãos ou aspectos do corpo humano. Em 1994, é artista residente na Curtin University, em Perth, e no Karratha College, em Karratha, ambas na Austrália. Também nessa data idealiza as Mesas, esculturas em granito, nas quais faz referências às interações entre a natureza e os objetos culturais. Ao retornar ao Brasil, realiza, em 1995, com Luiz Felipe Sá, o vídeo O Oco, sobre sua produção artística. Sua obra é analisada nas publicações Nelson Felix, com texto de Rodrigo Naves, pela editora Cosac & Naify, em 1998; Nelson Felix, com textos de Glória Ferreira, Nelson Brissac e Sônia Salzstein, pela editora Casa da Palavra, em 2001; e Trilogias: Conversas entre Nelson Felix e Glória Ferreira, pela editora Pinakotheke, em 2005. ITAÚ CULTURAL.

185 - LIVRO -
LL -
1) THE INTERNATIONAL YEARBOOK OF SALES por E. Mayer, 607 págs. ilustrado em preto e branco; 2) ART PRICE INTERNATIONAL 1995, 2 volumes. -

186 - NIOBE XANDÓ - (1915)
LL Composição - dn - 27 x 16 - cid - 1962
Registrado sob o n° NX02I00/0843 da catalogação da obra de Niobe Xandó. -Pintora e desenhista natural de Campos Novos Paulista-SP e ativa em São Paulo-SP. Autodidata, freqüentou o ateliê de Raphael Galvez a partir de 1946. Dentre as várias fases de sua obra merecem destaque as Flores Fantásticas, as Máscaras de origens africana e indígena, O Letrismo, o Mecanicismo e o Abstracionismo Geométrico. Participou de várias Bienais Nacionais e recebeu mais de 20 prêmios em Salões de Arte. Participou de mais de 100 exposições nacionais e internacionais e mereceu mais de 100 textos de críticos renomados. Em 2004 teve uma grande mostra antológica no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP). Em 2007 teve uma exposição retrospectiva fantástica e merecida na Pinacoteca do Estado de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol. 12, pág. 435; PONTUAL, pág. 554; WALTER ZANINI, pág. 717; Acervo FIEO; TEIXEIRA LEITE; BENÉZIT; BARDI, Pietro Maria. Profile of the New Brazilian Art. São Paulo. 1970; SCHENBERG, Mário. Pensando a Arte. São Paulo. 1988. Acervo FIEO.

187 - PAOLO RISSONE - (1925)
LL Velas - ost - 46 x 55 - cid - 1963
Pintor natural de Reggio Calabria-Itália. No Brasil por volta de 1948, residiu nas cidades de Santos e Rio de Janeiro. Retornou definitivamente para Itália, em 1968. Participa de várias exposições e executa diversos desenhos para ilustrar o Suplemento Literário, entre 1956 e 1967. Entre as exposições de que participa, destacam-se: I à 7ª Bienal Internacional de São Paulo, de 1951 a 1963 (Prêmio Aquisição,1953; Isenção de Júri, 1961); I Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1952; 27ª Bienal de Veneza, Itália, 1954; 47 Artistas do Prêmio Leirner de Arte Contemporânea, na Galeria de Arte das Folhas, São Paulo, 1959; Obras para ilustração do Suplemento Literário 1956-1967, no MAM/SP, São Paulo, 1993. . JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 965; MEC, vol. 4; PONTUAL, pág. 453; ITAU CULTURAL

188 - ARTUR BÁRRIO - (1945)
LL Composição - tm - 115 x 77 - cse - 2001
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 078 deste catálogo.

189 - NINO (JOÃO COSMO FÉLIX) - (1921 - 2002)
LL Ave - e em mad.pol. - h = 93 - b
Natural de Juazeiro do Norte, este expressivo mestre popular Cearense, participou da Mostra do Redescobrimento em 2001 realizada na Bienal de São Paulo, e no ano seguinte expôs individualmente na Pinacoteca do Estado de São Paulo. A curadora da exposição Dodora Guimarães comenta sobre o artista: "...sua obra ultrapassa o conceito de arte popular ao desenvolver naturalmente, sem nenhuma intenção pré-definida, uma escultura extremamente autoral e de uma simplicidade quase brancusiana, que não parte de outras matrizes e referências além de seu imaginário pessoal". Foi ativo desde os anos 50, começou a produzir pequenas esculturas em madeira e vendendo de porta em porta. Daí passou para as grandes toras de madeira, que esculpe até hoje, entalhando a madeira até encontrar a forma que ali estava escondida. A importância que sua assinatura assume no conjunto da peça (por ser analfabeto, ele aprendeu a fazer seu nome desenhando cinco pauzinhos, cortando os dois primeiros e os dois últimos e arrematando com uma rodinha no final) é outro indício da profunda coerência e integridade de sua obra. Fonte: O ESTADO DE SÃO PAULO (10/9/2001).

190 - LUIS PAULO BARAVELLI - (1942)
LL " Humoresque " - tm - 48 x 72 - d - 2004
Reproduzido no convite deste leilão. - Paulistano, BARAVELLI é pintor, desenhista, escultor, arquiteto e artista gráfico, formado em desenho e pintura na FAAP-SP, e em arquitetura na USP. Aperfeiçoou-se em pintura com Wesley Duke Lee. Fundos a Escola de Arte Brasil, juntamente com Carlos Alberto Fajardo, José Resende e Frederico Nasser. É um pesquisador de múltiplas técnicas e materiais, desde o desenho e a pintura até a escultura e o objeto, desde o ferro e a madeira até o acrílico e a fórmica. É artista contemporâneo de expressão e reconhecimento da crítica especializada. JULIO LOUZADA vol.2, pág. 98; TEIXEIRA LEITE, pág. 55; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 908; LEONOR AMARANTE, pág. 154; Acervo FIEO.

191 - PEDRO BRUNO - (1888 - 1949)
LL Na praia - osm - 35 x 27 - cie
Pintor e escultor nascido na Ilha de Paquetá, RJ, onde estudou com o pintor italiano Schettino. Foi aluno de João Batista da Costa na antiga ENBA. Em sua primeira participação no SBNA conquistou o prêmio viagem ao estrangeiro (déc. 1910). Recebeu ainda premios nas exposições de 1925 (medalha de ouro) e 1943 (medalha de honra). Foi incluído na mostra Um Século da Pintura Brasileira (1850-1950), organizada pelo MNBA em 1952. O referido museu possui diversas obras suas. Angione Costa o incluiu como um dos artistas entrevistados no seu clássico livro A Inquietação das Abelhas, de 1927. PONTUAL, pág. 92, JULIO LOUZADA vol.10, pág. 146; MEC vol.1, pág. 299; TEIXEIRA LEITE, pág. 89; ITAÚ CULTURAL, WALTER ZANINI, pág. 532; ARTE NO BRASIL, pág. 602.

192 - HEINZ KUHN - (1908 - 1987)
LL Composição - ostce - 52 x 25 - cid - 1985
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 082 deste catálogo.

193 - PAULO CLÁUDIO ROSSI OSIR - (1890 - 1959)
LL " Noturno mineiro " - dl - 18 x 13 - cid - 1921
Pintor e arquiteto nascido e falecido em São Paulo. Estudou na Europa, e em 1921 expõe individualmente em sua cidade natal. Integrou, mais tarde, a Família Artística Paulista. Seu estilo combina elementos impressionistas e cubistas. Criou a OSIRARTE, firma especializada no fabrico de azulejos artísticos. TEODORO BRAGA, pág. 208; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 268; PONTUAL, pág. 462; MEC, vol, 3, pág. 303; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 128; ARTE NO BRASIL; WALTER ZANINI, pág. 579, Acervo FIEO.

194 - YUGO MABE - (1955)
LL Composição - ost - 60 x 50 - cid e d - 1990
Pintor nascido na cidade de Lins-SP. Formou-se em comunicação pela FIAM-São Paulo em 1977. Filho do pintor Manabu Mabe (1924-1997). Começa a participar de mostras coletivas no início da década de 70 e é premiado nos Salões Bunkyo, em 1972 e 1975, e Paulista de Belas Artes, em 1975 e 1982. Em 1980, realiza sua primeira exposição individual, na Documenta Galeria de Arte, em São Paulo. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 360

195 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Composição - g - 26 x 10 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 085 deste catálogo.

196 - RUBEM GRILO - (1946)
LL " Matou a família e foi ao cimena " - lito. 37/100 - 42 x 64 - cid
O autor é natural da cidade de Pouso Alegre, MG, onde nasceu a 28/8/1946. Desenhista, gravador e professor, Rubens Grilo iniciou-se na escultura, passando para a xilogravura, nos anos de 1971. Cursou gravura no ateliê de Iberê Camargo. A colocação angulosa das figuras remete a uma linguaem cinematográfica com toda a sua dinâmica de cortes espaciais. Expôs individualmente pela primeira vez em 1972. A partir do ano seguinte tornou-se fiel colaborador de diversos jornais da imprensa carioca, tais como O Pasquim, O Globo, etc. Participa desde 1974 em exposições coletivas e salões de arte, inclusive internacionais, com diversas premiações. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 457/458

197 - CADMO FAUSTO - (1901 - XX)
LL Paisagem - ost - 36 x 44 - cid
Natural da cidade do Rio de Janeiro-RJ. Pintor e professor, iniciou sua formação artística na antiga ENBA, ali estudando com Rodolfo Amoedo, Rodolfo Chambelland e Lucílio de Albuquerque. Obteve diversas e importantes premiações nos SNBA. Aperfeiçoou-se em Paris, mercê de prêmio recebido em um desses Salões. Foi vencedor de concursos de alegorias destinadas a papel moeda brasileiros. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 2, pág. 41; TEODORO BRAGA, pág. 60; MEC, vol. 2, pág. 144; PONTUAL, pág. 97/98; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 297; JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 175.

198 - FRANCISCO BRENNAND - (1927)
LL Cubo - objeto em cer. - 10 x 10 x 10 - as.
Pintor e ceramista. Estudou com André Lhote e Fernand Léger, em Paris. Participou de importantes bienais e salões, nacionais e internacionais. Realizou individuais de pintura e cerâmica no MAM-SP em 1960 e outras importantes salas de arte. Executou trabalhos murais em edifícios públicos e particulares no Recife e no estrangeiro. Suassuna considerou a sua pintura "bela, forte e brasileira". Brennand é referência mundial como artista puramente brasileiro. JULIO LOUZADA, VOL, 10, pág 141. PONTUAL, pág, 88. MEC, VOL , 1, pág, 294; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; ARTE NO BRASIL, pág. 879. Acervo FIEO. -

199 - ANTONIO HENRIQUE AMARAL - (1935)
LL Composição - a - 13 x 21 - cid - 1962
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 049 deste catálogo.

200 - RODOLPHO AMOÊDO - (1857 - 1941)
LL Cigana - a - 24 x 18 - cie
-Reproduzido no convite deste leilão. Com etiqueta de Irineu Angulo Leiloeiro Oficial - São Paulo, no dorso. - Natural da cidade de Salvador, o artista chegou ao Rio de Janeiro no ano de 1868, ingressando, cinco anos depois, no Liceu de Artes e Ofícios e, em 1874, na Academia Imperial de Belas Artes, onde teria Vitor Meirelles, Agostinho da Mota e João Zeferino da Costa como mestres. Na Escola de Belas Artes de Paris, já estudante bolsista da Academia, aperfeiçoou-se com Cabanel e Puvis de Chavanes. De volta ao Rio de Janeiro, onde viria a falecer, destacou-se no exercício do magistério, como professor honorário e, posteriormente, como diretor da antiga Escola Nacional de Belas Artes. Dono de grande preciosismo técnico, Amoedo aborda com despojamento os mais delicados matizes nos seus temas, geralmente a figura humana. O MNBA possui em seu acervo mais de 300 obras do artista TEIXEIRA LEITE, 26/29; PONTUAL, pág. 24; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 411; ARTE NO BRASIL, pág. 566.; JULIO LOUZADA, VOL. 1 PÁGS. 58/59/60; F. ACQUARONE, pág. 101.

201 - IVALD GRANATO - (1949)
LL " Os incredulos " - ost - 70 x 57 - cid - 1985
Pintor e desenhista. Natural de Campos, RJ, onde viveu até 1966. Estudou com Robert Newman, ingressando em 1967 na Escola de Belas Artes da Universidade do Rio de Janeiro. Em 1968 participa do grupo de vanguarda "Nova Figuração Brasileira". Sua atividade artística desde a década de 60 revela a influência do conceitualismo de Duchamp, mais cerebral do que pictórico, e da "body art", de Joseph Beyus. PONTUAL, pág. 248; TEIXEIRA LEITE, pág. 228; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.740; ARTE NO BRASIL, pág. 974; LEONOR AMARANTE, pág. 267; Acervo FIEO.

202 - AXEL LESKOSCHEK - (1889 - 1976)
LL Figura - xilo. - 7 x 6 - cse - Na matriz
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 089 deste catálogo.

203 - FERNANDO ODRIOZOLA - (1921 - 1986)
LL Composição - ostce - 40 x 50 - cie - 1969
Pintor e desenhista espanhol, Odriozola radicou-se no Brasil em 1953, e em 1965 mereceu o prêmio de Melhor Desenhista Nacional da Bienal de São Paulo, que em 1967 lhe dedicou sala especial. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 231; MEC vol, 3, pág. 291; PONTUAL, pág. 389.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 737; ARTE NO BRASIL, pág. 907; LEONOR AMARANTE, pág. 143; Acervo FIEO.

204 - EDSON MOTTA - (1910 - 1981)
LL Porto - a - 27 x 38 - cid
Mineiro de Juiz de Fora, estudou na ENBA no Rio de Janeiro, onde foi aluno de Rodolfo Chambelland, Marques Junior e Outros. Foi um dos fundadores do Núcleo Bernardelli, que dirigiu por alguns anos. Expositor nas diversas versões do SNBA. Em 1939 ganhou o premio viagem à Europa, onde estudou Conservação e Restauro, ofício que lhe renderia prestígio e respeito no País, PONTUAL, 374; TEIXEIRA LEITE, 336; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579.

205 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - m em ac P.A. 11/15 - 100 x 34 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 085 deste catálogo.

206 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Teresópolis - osm - 27 x 23 - cie e d - 1948
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 093 deste catálogo.

207 - GUIMA - (1927 - 1993)
LL Figuras - tm - 18 x 24 - cie - 1967
Pintor e desenhista de mérito invulgar, Guima era paulista de Taubaté, residiu por muitos anos no Rio de Janeiro e praticava o figurativismo expressionista, por vezes eivado de notas líricas, de outras descambando para o fantástico. MEC, vol. 2, pág. 306; PONTUAL, pág.257; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 377/8; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 407; ITAÚ CULTURAL.

208 - SONIA EBLING - (1926 - 2006)
LL Nu - m em b 86/250 - h = 23 - d
Nascida em Taquara, RS, SONIA EBLING consagrou-se como escultora e pintora. Participou da I Bienal de São Paulo. Premiada com viagem ao exterior no I SNAM. Morou em Paris 15 anos, onde frenquentou ateliês de artistas importantes e onde aperfeiçoou a sua importante e bela obra. MEC, vol. 2, pág. 89; PONTUAL, pág. 187; JULIO LOUZADA, vol 13, pág. 119; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 868; RGS, pág. 454.

209 - WILLY JOHANN GUTBROD - (XX)
LL " Barcos em reparo " - ose - 46 x 38 - cid e d - 1987
Pintor expressionista natural de Wurtemberg, Alemanha, transferindo-se para o Brasil em 1922. Foi premiado com a Medalhas de Bronze no SNBA-RJ em 1969, e de Prata em 1972. Recebeu também o Prêmio Viagem ao Estrangeiro em 1973. "Dedicado a revelar a vida do povo, não se desgasta num esquema socializante de protesto, ou pelo menos não sacrifica a inocência de sua pintura a uma pretenciosa posição de crítica. A realidade do cotidiano popular surge vertido de limpesa, alegria e decisão, servindo de pretexto, como nos sambas de partido alto, a um rico jogo de formas a cores, à luz do dia, com saúde e garra." - Walmir Ayala, Rio de Janeiro, abril de 1979.

210 - BENEDITO CALIXTO DE JESUS - (1853 - 1927)
LL Praia com pedras negras - ost - 23 x 29 - cid - 1911
-Reproduzido no convite deste leilão. Com certificado de autenticidade firmado por Celso Calixto Rios. -Pintor paulista, depois de apresentar seus trabalhos em São Paulo, no ano de 1881, fixou-se por algum tempo em Santos. Tendo executado a decoração do Teatro Guarani, partiu para Paris em 1883, estudando na Academia Julian; retornou ao Brasil em 1885 e passou a residir em São Vicente, cuja paisagem fixou em diversos quadros. Existem obras suas nos acervos de diversos museus brasileiros. TEODORO BRAGA, pág.51; REIS JR, pág. 214; LAUDELINO FREIRE, pág. 387; PONTUAL, pág.68/69; MEC, vol.1, págs.326/327; WALMIR AYALA, vol.1, pág.153; MAYER/83, pág,601; TEIXEIRA LEITE, pág. 97; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 505; ARTE NO BRASIL, pág. 599.

211 - OSWALDO GOELDI - (1895 - 1961)
LL Paisagem - xilo. 2/12 - 20 x 20 - n/as.
Primeira tiragem postuma de Oswaldo Goeldi.Beatrix Reynal. -Desenhista, gravador e professor, nascido no Rio de Janeiro, filho de Emilio A Goeldi, naturalista suiço. A partir dos seis anos estudou na Suiça. Sua obra sofreu influência do expressionista austríaco Alfred Kubin. Retornando ao Brasil em 1919, realizou no Rio de Janeiro sua primeira exposição em 1921, no Liceu de Artes e Ofícios. Publicou albuns e ilustrou diversos e importantes livros. É artista altamente conceituado no País e no exterior, tendo merecido diversas homenagens póstumas, inclusive em filme. PONTUAL pág. 240; JULIO LOUZADA vol.11, pág130; MEC vol. 2, pág.271; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 521; ARTE NO BRASIL, pág. 672; Acervo FIEO.

212 - WALT DISNEY PRODUCTIONS -
LL Mickey e Donald - tm - 42 x 30 - n/as. - 1958
Com carimbo de Walt Disney Productions, no dorso. -

213 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 12 x 17 - cie
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 043 deste catálogo.

214 - PEDRO SELLA JUNIOR - (1926)
LL " Goiás velho ' - ost - 40 x 50 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 103 deste catálogo.

215 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Cajus - lito. 12/70 - 25 x 26 - cid - 1999
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

216 - SALVADOR RODRIGUES JR - (1907 - 1995)
LL " Recanto do Ibirapuera " - ost - 50 x 40 - cid e d - 1989
Nasceu em Cádiz, Espanha, a 8 de abril de 1907. Veio a falecer no dia 24 de julho de 1995, em São Paulo-SP. Pintor e professor. A sua pintura é toda poesia e sem artifícios. O artista não imita ninguém. Tem estilo e sentido próprios. Estas algumas das observações do crítico da Sociarte, José Cornelsen. O autor obteve mais de uma centena de medalhas e troféus em certames oficiais. JULIO LOUZADA vol.9, pág.741, Acervo FIEO.

217 - ROSSINI PEREZ - (1932)
LL Composição - ser. 18/50 - 70 x 90 - cid
Gravador e pintor, Rossini Quintas Perez nasceu em Macaíba-RN, mudando-se com a família para o Rio de Janeiro em 1940. Em 1951, freqüenta a Associação Brasileira de Desenho e tem aulas com o pintor Ado Malagoli. Após visita à 1ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1951, interessa-se pela gravura. Recebe orientação de Oswaldo Goeldi, Iberê Camargo e, em 1953, de Fayga Ostrower. É assistente de Johnny Friedlaender, com Edith Behring, no Ateliê de Gravura do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, no qual leciona entre 1959 e 1961. No ano seguinte, aperfeiçoa-se em litografia na Rijksakademie, em Amsterdã, como bolsista da Unesco. Reside em Paris de 1962 a 1972. De volta para o Brasil, leciona no Centro de Criatividade da Fundação Cultural do Distrito Federal em 1978. No Rio de Janeiro, entre 1983 e 1986, volta a dar aulas no Ateliê de Gravura do MAM/RJ. "Diante da guerra aberta entre o figurativo e o abstrato, Rossini Perez vai a São Paulo conhecer a 1ª Bienal, trocando, em seguida, a pintura pela gravura. Tal opção deve-se ao seu desejo de ingressar na arte abstrata. Nos anos em que ensina no MAM, resolve suas gravuras com ponta-seca ou combinando diversas técnicas do metal. Constrói composições, contrastando áreas claras e áreas escuras. Essas áreas são, a um tempo, afrontadas e fusionadas, já que cada uma delas tem na outra algo do seu próprio elemento gráfico. Assim, Rossini Perez dá ritmo às composições e as aplaina. Suas gravuras são planejadas; freqüentemente, todavia, são modificadas no processo por lance espontâneo e por acidentes da técnica. Segue esse procedimento mesmo nos trabalhos que faz na Europa, por mais de dez anos, após ter deixado o MAM." Leon Kossovitch e Mayra Laudanna, in: GRAVURA: arte brasileira do século XX. Apresentação Ricardo Ribenboim; texto Leon Kossovitch, Mayra Laudanna, Ricardo Resende. São Paulo: Itaú Cultural: Cosac & Naify, 2000. p. 18. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 807; ITAU CULTURAL.

218 - SONIA VON BRUSKI - (1938)
LL Carta - ost - 30 x 30 - cse e d - 1985
Esta importantissima pintora, desenhista e escultora, nasceu na cidade do Rio de Janeiro-RJ. Estudou com Ivan Serpa. Tem como tema central de sua obra a mulher. No dizer do crítico Walmir Ayala, em texto de 1968: " ... a mulher e sua casca, a mulher e seu rosto frio, dual, impessoal e mártir. O corpo da mulher, que tem sido o altar de todos os louvores do erotismo em sua longa história..." PONTUAL, pág.548; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

219 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 15 x 22 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 109 deste catálogo.

220 - JOSINALDO FERREIRA BARBOSA - (1951)
LL " Sertanejos do Agreste " - ast - 20 x 30 - cid e d - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 110 deste catálogo.

221 - ALFREDO VOLPI - (1896 - 1988)
LL Bandeirinhas - lito. os 8/120 - 32 x 48 - cid
Nascido em Lucca, na Itália, radicou-se em São Paulo desde a mais tenra idade. Autodidata, iniciou sua carreira como pintor decorativista e de paredes. Considerado pela crítica como um dos grandes coloristas do século XX. Foi integrante do Grupo Santa Helena. REIS JUNIOR, pág. 378; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 426 e 428; JULIO LOUZADA vol.13, pág.1048; MEC. vol.4, pág. 496; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 684; LEONOR AMARANTE, pág. 28, Acervo FIEO.

222 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL Bulê em movimento - ser. 61/120 - 65 x 43 - cid - 1975
Com certificado de autenticidade de Lithos Edições de Arte Ltda - Rio de Janeiro, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 138 deste catálogo.

223 - ARMANDO BALLONI - (1901 - 1975)
LL Palhaço - ose - 60 x 39 - cie - 1954
Italiano, o pintor foi ativo em São Paulo, onde participou do Salão Paulista de Belas Artes a partir de 1933. Foi premiado com medalha de bronze, do Salão de Arte Moderna (1954), e em outros Salões oficiais. Participou da I e II Bienal de São Paulo.Membro e expositor da Familia Artistica Paulista. MEC, vol. 1, pág.159; JULIO LOUZADA vol.10, pág. 87; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 582, Acervo FIEO.

224 - FRANCISCO PROHANE - (1921)
LL " Serenidade " - ose - 40 x 50 - cid - 1984
Nascido no Piemonte, Itália, na cidade de Santa Vitória, Prohane imigrou para o Brasil em 1931, com a família. Recebeu orientação de Osvaldo Fuoco, Osvaldo L. Siqueira e Francisco Cuoco. Em agosto de 1983 recebeu a Comenda da Ordem do Mérito das Artes Plásticas e em dezembro do mesmo ano, a de Cavaleiro Oficial. Considerado pintor do campo, Prohane é remanescente do grupo de artistas que pintam ao natural. Também é conhecido como um dos maiores pesquisadores do folclore brasileiro. JULIO LOUZADA vol.10, pág.715; Acervo FIEO.

225 - CLAUDIO FACCIOLI - (XX)
LL Composição - ost - 72 x 80 - cid e d - 1990
Artista que teve sua formação artística na cidade do Rio de Janeiro e participou de diversos Salões e exposições oficiais. Individuais: Niterói, RJ e Nova Friburgo, RJ (1986); Rio de Janeiro, RJ (1991, 1994, 1998 e 2000). Coletivas: Rio de Janeiro, RJ (1988,1995 e 1996); Volta Redonda, RJ (1994); São Paulo, SP (1996). Prêmios: Volta Redonda, RJ (1994) e Rio de Janeiro, RJ (1997). JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 125.

226 - EMANOEL ARAÚJO - (1940)
LL Figura - grav. P.A. - 32 x 30 - cid
Gravador e escultor, o baiano Emanuel Araújo estudou com Henrique Oswald e expõe individualmente desde 1960, já tendo mostrado sua obra em inúmeras cidades do Brasil, Europa, Estados Unidos e Extremo Oriente. Foi Diretor da PINACOTECA do Estado de São Paulo, cujo cargo exerceu com extrema competência. TEIXEIRA LEITE, pág. 190; MEC, vol. 2, pág. 143; PONTUAL, pág. 37; JULIO LOUZADA, vol 1, págs. 68/69 e vol. 11, pág. 18; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 846; WALTER ZANINI, pág. 770; Acervo FIEO.

227 - GINA WALTER - (1922)
LL Flores - ost - 12 x 9 - cid
Com etiqueta de 6° Seleção de Artistas Contemporâneos da Sociarte - 1987. -Virgelina Oliveira Walter, pintora portuguesa. Assina G. Walter. Veio para o Brasil em1939, fixando-se no Rio de Janeiro, RJ e passou a freqüentar a Sociedade Brasileira de Belas Artes. Em 1951 foi morar em Belo Horizonte, MG e recebeu orientação artística de Guignard. Em 1956 mudou-se para São Paulo, tornando-se aluna de Edgard Oehlmeyer por vários anos. Participou de várias exposições e Salões oficiais desde a década de 1960. Prêmios: 1968 no Rio de Janeiro, RJ e em São Paulo, SP. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 1055; vol. 6, pág. 1183; vol. 13, pág. 354. ITAU CULTURAL.

228 - ALFREDO CANDIDO - (1879 - 1960)
LL Velho muro - tm - 29 x 23 - cid - 1941
Desenhista, caricaturista e pintor português. Veio para o Brasil em 1895 onde se iniciou na imprensa carioca como chargista. Em 1903, fundou com Manuel Vitorino a revista ilustrada “A Lavra”. Participa, em Portugal, das duas primeiras exposições dos Humoristas (1912 e 1913) e de outras que se realizam entre Lisboa e Porto. Em 1923, realiza uma exposição de aquarelas no Rio de Janeiro e obtém Prêmio da Sociedade Nacional de Belas Artes. Continua expondo seus trabalhos, aqui no Brasil, até 1951. Falece em Portugal. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 54. http://opataco.blogs.sapo.pt.

229 - JEAN XANTHAKOS - (1936)
LL Natureza morta - ost - 30 x 40 - cid
Pintor e escritor nascido em Atenas, Grécia, onde viveu até 1965. Estudou pintura e filosofia por mais de 10 anos. No Brasil desde 1965. Viveu no Rio de Janeiro mas radicou-se em São Paulo. Especialista em naturezas-mortas. JULIO LOUZADA vol.2, pág. 1065, Acervo FIEO.

230 - INGRES SPELTRI - (1940)
LL " Série Fosseis " - ose - 64 x 75 - cid e d - 2004
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 010 deste catálogo.

231 - MARIE LOISE MATTOS - (1916)
LL Paisagem - ost - 55 x 46 - cie e d - 1990
Nascida em Paris, França, filha do escultor Antônio Pinto de Mattos. Pintora, cresceu em ambiente de intensa produção artística, tomando gosto pela arte desde muito criança. Transferiu-se para o Brasil na dec. de 40, passou a frequentar o Liceu de Artes e Ofícios do RJ, onde foi aluna de Armando Viana (1946). Já no ano seguinte recebia Menção Honrosa no SNBA. Nesse mesmo salão conquistou ainda a Medalha de Prata (1951). Ganhadora de prêmio viagem 'a Europa (1960), participou de salões na capital da França. Algumas de suas obras encontram-se no MNBA-RJ. JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 610, Acervo FIEO.

232 - INOS CORRADIN - (1929)
LL Gato - ser. P.A. - 42 x 60 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 073 deste catálogo.

233 - JOSÉ LUIZ MESSINA - (1930)
LL Costa Amalfitana - ost - 80 x 140 - cid
Pintor atuante em São Paulo, foi aluno de Mecatti e Vicente Mecozzi. Expõe desde 1976, com sucesso de público. MEC, vol. 3, pág. 36; JULIO LOUZADA Ed./85, pág. 566; ACERVO FIEO.

234 - FERDINAND MEIRAN - (1901 - 1989)
LL " Ilha dos pescadores " - osm - 11 x 26 - cid
Pintor e escultor natural de Cannes, França, onde nasceu a 2 de julho de 1901. Seu pai, também pintor, era muito amigo do professor e pintor Louis Pastour, que mais tarde viria a ser seu mestre e orintador artístico. Fixou residência no Brasil a partir de 1937, filiando-se no Rio de Janeiro à Associação dos Artistas Brasileiros, onde fez sua primeira exposição no País. Transferiu-se posteriormente para São Paulo onde expôs suas pinturas nas seguintes galerias paulistas: TABLEAU, Dan, Pátio, Aliança Francesa, etc. Em sua pintura, preocupava-se sempre com o sol, não em si mesmo, mas a influência dele sobre a paisagem. Realizou diversos e importantes trabalhos iconográficos da cidade de São Paulo. JULIO LOUZADA,vol. 1-pág. 622, Acervo FIEO.

235 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Fumando cachimbo - ose - 23 x 17 - cid ileg.

236 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL " Paris " - ost - 25 x 35 - cid e d
Romeno da cidade de Hotin, Waidergorn veio para o Brasil em 1932, onde seus pais fixaram residência em São Paulo. Ingressou na APBA, onde conheceu Mecatti, que muito o estimulou e orientou, dele assimilando a luminosidade da pintura peninsular muito a gosto do ottocento italiano. Sua pintura aborda todos os gêneros, baseadas tanto nas recordações da infância pobre como nas lembranças das viagens que fez ao norte da Africa e Europa. Participou de diversos salões e coletivas, recebendo diversas premiações JULIO LOUZADA vol.11, pág. 330; Acervo FIEO.

237 - JOSÉ PINTO - (1932)
LL Paisagem - ost - 70 x 20 - cie
José Wense Pinto é natural de Ilhéus, BA. Assina José Pinto. Autodidata, veio para o Rio de Janeiro em 1951. Em 1953 freqüenta a Associação Brasileira de Desenho e começa a pintar profissionalmente em1969. Participou de diversas exposições e Salões oficiais: 1969,1970 a 1974 - Rio de Janeiro, RJ; 1970; Milão e Espoleto, Itália; Nova York, EUA; Londres, Inglaterra; 1971 - Recife,PE. Individuais: 1969 e 1971 - Rio de Janeiro, RJ; 1970 - Bahia; 1971 - São Paulo, SP e 1973 - Brasília, DF. Prêmios: 1972 - Rio de Janeiro, RJ. Possui obras em: Museu Regional de Feira de Santana, BA; Museu Laval - Henri Rousseau, França; Museu de Viçosa, MG; Agências do Banco do Brasil em São Francisco, EUA; acervo da Cia. Shell e Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro, RJ. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág.769; vol. 8, pág. 660. ITAU CULTURAL.

238 - DECIO FERREIRA - (1932 - 2008)
LL " Ode to Modigliani " - ost - 50 x 60 - cid e d - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 019 deste catálogo.

239 - JOSÉ SABÓIA - (1949)
LL Figuras - ost - 27 x 35 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 130 deste catálogo.

240 - ALBA SANTISTEBAN - (1937)
LL Flores - ose - 11 x 15 - cie
Com etiqueta de 6° Seleção de Artistas Contemporâneos da Sociarte - 1987. -Esta excepcional gravadora, ativa em São Paulo, nasceu em Santa Catarina no dia 7/10/1937. Estudou desenho e pintura na APBA (1963-1967). Fez curso de xilografia com Mário Zanini. A partir de 1965 expõe coletivamente, recebendo diversos prêmios, tais como: Menção Honrosa - ASBA-SBC; APBA; Medalha de Bronze, APBA; Prêmio Secretaria de Estado da Cultura, SP, 45º SPBA-SP, e tantos outros. MEC, vol. 1, pág. 107; JÚLIO LOUZADA, vol. 3, pág. 34.

241 - MARIA LEONTINA - (1917 - 1984)
LL Lençois - grav. P.A. - 17 x 23 - cid
Reproduzida no livro "Gravura em metal" de autoria de Marcos Burti e Anna Letycia. -Aluna de Waldemar da Costa, Maria Leontina é uma pintora que conquista o espectador pela finura de seus acostamentos cromáticos. Em 1947, integrava o Grupo dos 19, e, nos anos "50", passou por interessante fase geométrica. MEC, vol. 2, pág. 471; TEIXEIRA LEITE, pág. 309; PONTUAL, pág. 338; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 772; LEONOR AMARANTE, pág. 25; WALTER ZANINI, pág. 645.

242 - MARCO GIANNOTTI - (1966)
LL Composição - asc - 108 x 73 - cid - 2003
Participou da Exposição 450 anos São Paulo realizada na Bienal - São Paulo. -Pintor, gravador, tradutor e professor. Entre 1977 e 1980, freqüenta o ateliê de gravura em metal e desenho de Sérgio Fingermann (1953), em São Paulo. Mora em Nova York entre 1980 e 1982, onde participa de cursos de arte no The Metropolitan Museum of Art - MET. Ganha o prêmio aquisição do Salão Nacional de Artes Plásticas, no Rio de Janeiro, em 1986 e 1988. Em 1987, recebe a Bolsa Ivan Serpa, da Fundação Nacional de Arte - Funarte, no Rio de Janeiro. No ano seguinte, forma-se em filosofia na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo - FFLCH/USP. Ainda em 1988, realiza suas primeiras exposições individuais em São Paulo e no Rio de Janeiro e recebe o prêmio aquisição no 2° Salão da Bahia. Conquista o prêmio aquisição no Salão de Brasília, em 1989. Defende, em 1993, mestrado em filosofia na FFLCH/USP com a tradução e introdução crítica da Doutrina das Cores, de Goethe (1749 - 1832). Em 1994, Carmela Gross (1946) é sua orientadora no doutorado em artes plásticas, concluído em 1998 na Escola de Comunicações e Artes da USP - ECA/USP, com a exposição Circuitos e o texto Desvio para a Pintura. Em 1997, recebe o prêmio de pintura da Associação Paulista dos Críticos de Arte - APCA. É professor do Departamento de Artes Plásticas da ECA/USP desde 1998.

243 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Figura - dce - 47 x 32 - n/as.
Com carimbo do leilão do espólio de Noemia Mourão, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 018 deste catálogo.

244 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL Quiosque - ose - 12 x 18 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 134 deste catálogo.

245 - FANG, CHEN KONG - (1931)
LL Flores - ser. 168/190 - 40 x 50 - cid - 1989
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

246 - CARLOS OSWALD - (1882 - 1971)
LL Trecho de Procissão - grav. 29/100 - 20 x 27 - cid
Reproduzido sob o n° 141 do livro "Carlos Oswald", do Museu Nacional de Belas Artes - Rio de Janeiro. -Gravador e pintor, ativo no Rio de Janeiro, estudou na Europa; foi o primeiro a fazer gravura em metal com finalidade artística; dedicou-se a temas religiosos, paisagens, cenas de gêneros e retratos. PONTUAL, pág. 397; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1053; ITAÚ CULTURAL.; WALTER ZANINI, pág. 446; Acervo FIEO.

247 - JOSÉ WASTH RODRIGUES - (1891 - 1957)
LL Paisagem - a - 34 x 29 - cid
Pintor, desenhista e historiador paulistano, foi pensionado pelo Estado de São Paulo, estudando no Jean-Paul Laurens, em Paris, de cujo salão oficial participou em 1914. Dedicou-se com intensidade ao desenho a bico de pena. Executou os desenhos e aquarelas do livro Uniformes do Exército Brasileiro, de Gustavo Barroso. JULIO LOUZADA, VOL ,12, pág, 347. MEC, VOL, 4, pág, 92; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, Acervo FIEO.

248 - LIBINDO FERRAZ - (1877 - 1951)
LL Paisagem - a - 29 x 39 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 028 deste catálogo.

249 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 13 x 16 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 043 deste catálogo.

250 - GINO BRUNO - (1889 - 1977)
LL Pescadores - ost - 50 x 80 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

251 - ALUISIO CARVÃO - (1920 - 2001)
LL Composição - dn - 32 x 23 - cid
Importante pintor, escultor, Ilustrador, ator e cenógrafo brasileiro, natural de Belém-PA. Em 1952 estuda pintura com Ivan Serpa, no MAM-RJ, participando, entre 1954 e 1956, Grupo Frente e, entre 1960 e 1961, integra o Grupo Neoconcreto. Nos anos seguintes viaja para a Europa com o prêmio de viagem recebido no SNAM-RJ. No fim dos anos 60 passa a empregar materiais não tradicionais, como tampinhas metálicas de garrafa, pregos e barbante agrupados em suportes de madeira. Em 1996 ocorre retrospectiva de sua obra no Museu Metropolitano de Arte, em Curitiba, no Museu de Arte Moderna - MAM/BA e no MAM/RJ. "A preocupação inicial de Aluísio Carvão era com a forma: reduzir a obra a estruturas elementares, gestálticas. A partir da dissidência neoconcreta, da qual fez parte, é a cor que irá se impor, envolvendo a estrutura, ou melhor, a cor é, ela mesma, espaço. Carvão não é um pintor metafísico. Através da cor ele revela sua relação sensual com o mundo. Como ele diz: ´Vermelhos-guarás, araras, aroma das flores de manacá, o som do vento terral, o calor equatorial, o amarelo-laranja do sol, ressonâncias atávicas de Van Gogh e Mondrian, em trânsito pela Península Ibérica, Nordeste, Amazônia e nosso litoral daqui´. Nas pinturas da ´série cromativa´ ou no ´cubocor´ da fase neoconcreta, Carvão dá à cor sua máxima concretude e fisicalidade, mas, feito isto, ocorre a retração da cor, que se mutiplica em complementares, abrindo caminho para a caracterização como espaço lírico, território da memória. Sua linguagem e seus motivos são aéreos: sóis, luas, pipas, bandeirolas, mastros, arcos. Enfim, são formas que voam e ascendem, sem contudo perder o vínculo com a terra. " Frederico Morais, in MORAIS, Frederico. Vertente construtiva. In: DACOLEÇÃO: os caminhos da arte brasileira. São Paulo: Júlio Bogoricin, 1986. p. 131-132. JULIO LOUZADA, vol. 5 pág. 210/211; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, 655; LEONOR AMARANTE, 75; ARTE NO BRASIL, 921; Acervo FIEO.

252 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Paisagem - ost - 25 x 43 - n/as.

253 - DOMENICO CALABRONE - (1928 - 1999)
LL Composição - e em b - h = 14 - d
Pintor, escultor, ceramista e joalheiro. Nascido na Calábria, Itália, completou seus estudos artísticos em Roma, no ano de 1951. Fixou-se em São Paulo em 1954, passando e frequentar a Escola de Arte do Museu de Arte Moderna. Sua escultura, hoje conhecida internacionalmente, destaca-se pelo vigor de suas mensagens e pela alta qualidade artística e técnica. JULIO LOUZADA vol.2, pág.194; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 336; WALTER ZANINI, pág. 770.

254 - ALCIDES CRUZ - (1913 - 1988)
LL Paisagem com barcos - ost - 37 x 45 - d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 156 deste catálogo.

255 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " São Paulo " - osm - 18 x 25 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

256 - AXEL LESKOSCHEK - (1889 - 1976)
LL Paisagem - a - 24 x 34 - cie - 1951
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 089 deste catálogo.

257 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL Auto Retrato - g - 32 x 23 - cid - 1977
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 037 deste catálogo.

258 - MANUEL EUDÓCIO - (1931)
LL " Casamento forçado " - e em c pol - h = 20 - b - 2001
Reproduzido em catálogo de exposição do artista realizada na Feira Brasileira de Artesanato em Olinda - Pernambuco/2005. -Manuel Eudócio Rodrigues, natural de Alto do Moura, próximo a Caruaru, (PE). Começa a modelar o barro da mesma maneira como as demais crianças criadas em ambientes oleiros no Brasil: observando os parentes próximos e fazendo animaizinhos de brincadeira. Em 1949, conhece Mestre Vitalino quando este se transfere para o Alto do Moura, tornando-se então seu discípulo. Assim como Zé Caboclo, seu cunhado, inicialmente produzia esculturas em barro natural. Influenciado pelo mercado, passa a pintar parcialmente as peças com tintas fortes e coloridas. Apaixonado pela "arte de boneco", criou um grande repertório de figuras: cangaceiros, casais de noivos a cavalo, maracatus e Bumba-meu-boi. É considerado um dos primeiros ceramistas da localidade onde nasceu e vive até hoje. Casado, teve nove filhos, dos quais cinco seguiram-lhe o ofício.

259 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL " Ex votos " - ast - 41 x 33 - cse e d - 1980 - Rio de Janeiro
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 056 deste catálogo.

260 - TORQUATO BASSI - (1880 - 1967)
LL " Lagoa Rodrigo de Freitas " - ost - 52 x 75 - cie - Rio
Nascido em Ferrara / Itália, veio para o Brasil ainda muito jovem, fixando-se em São Paulo, onde desenvolveu sua vida artística. Participou durante anos do Salão de Belas Artes do Rio de Janeiro, Salão Paulista de Belas Artes e de mostras de pintores italianos. Tem obras na Pinacoteca do Estado de São Paulo e no Museu Paulista de Belas Artes. TEODORO BRAGA, pág. 47; PONTUAL, pág. 58; MEC, vol. 1, pág. 188; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 89; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

261 - DIONISIO DEL SANTO - (1925 - 1999)
LL Composição - g - 19 x 18 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 161 deste catálogo.

262 - NICOLAS VLAVIANOS - (1929)
LL Caixa - e em a i - 11 x 17 x 6 - as. - 1973
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

263 - FERNANDO LEMOS - (1926)
LL " Em 450 anos São Paulo cresceu..." - dce - 73 x 108 - cid - 2003
Participou da Exposição 450 anos São Paulo realizada na Bienal - São Paulo. -José Fernandes de Lemos nasceu em Lisboa, Portugal. Pintor, desenhista, fotógrafo, gravador, artista gráfico, muralista, poeta. Estuda pintura e litografia na Escola de Artes Decorativas Antonio Arroio, e pintura na Sociedade Nacional de Belas Artes, em Lisboa. Cedo identifica-se e define-se como "surrealista, pintando, desenhando, escrevendo poesia" e fotografando. Os poucos anos dedicados à fotografia, entre 1949 e 1951, possibilitou-lhe realizar uma série de exposições individuais no Brasil e na Europa e ganhar o Prêmio Anual de Fotografia, concedido pelo Centro Português de Fotografia, na cidade do Porto, em 2001. Em 1953, muda-se para São Paulo, naturalizando-se brasileiro por volta de 1960. Em 1955, vai a Portugal, Suíça, Holanda e França com o prêmio viagem ao exterior recebido da Fundação Bienal de São Paulo e, em 1962, recebe bolsa de estudos para o Japão, patrocinada pela Fundação Calouste Gulbenkian. Participa, entre outras exposições coletivas, da Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1953 e 1967; Salão Paulista de Arte Moderna, São Paulo, 1958; Panorama da Arte Brasileira, no MAM/SP, em 1970, 1973 e 1979; Tradição e Ruptura: síntese de arte e cultura brasileiras, na Fundação Bienal, São Paulo, em 1984; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 1 págs. 536/537. Acervo FIEO.

264 - ANTONIO PETICOV - (1946)
LL " The Captain " - ost - 50 x 60 - d - 2006
Nasceu em Assis, SP. Desenhista, gravador e escultor. Autodidata. Integra os movimentos movimentos artísticos de vanguarda da segunda metade da década de 60. De produção diversificada, segue tendências variadas das vanguardas artísticas internacionais das últimas décadas. Participa de várias exposições entre elas, Bienal Internacional de São Paulo, 1967, 1969 e 1989; Panorama da Pintura Brasileira, no MAM/SP, São Paulo, 1983; Destaques da Arte Contemporânea Brasileira, no MAM/SP, 1985; Bienal Brasileira de Design, Curitiba, 1990; OFF Bienal, no MuBE, São Paulo, 1996; Arte Suporte Computador, na Casa das Rosas, São Paulo, 1997. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 757/758; WALTER ZANINI, pág. 760; LEONOR AMARANTE, pág. 185. Acervo FIEO.

265 - JEAN COCTEAU - (1889 - 1963)
LL " Orpheu com a Lira " - lito. 32/90 - 53 x 40 - cid - 1960
Artista, pintor, ceramista e escritor francês, mundialmente conhecido pela sua poesia, ficção, filmes, balets, etc. A obra de Cocteau reflete a influência recebida e a experiência do artista como: o surrealismo, a psicanálise, o cubismo, a religião católica, etc . No seu tempo Cocteau promoveu uma vanguarda de estilo e moda. Foi amigo de Pablo Picasso, do compositor Erik Satie, do escritor Marcel Proust, e do diretor russo Serge Diaghilev. Jean Cocteau nasceu em Maisons-Lafitte. Seu pai suicidou-se quando Jean tinha somente nove anos, era advogado e amante da pintura, influenciando muito o jovem Jean. JULIO LOUZADA, vol 9 - pág 214; BENEZIT, vol 3 - pág 89

266 - ELZA DE OLIVEIRA SOUZA - (1928 - 2006)
LL Jesus entre anjos - ose - 24 x 33 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 091 deste catálogo.

267 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Garimpeiro - e em t - h = 21 - as. - Manoel Antônio

268 - ANTONIO PESSOA - (1943)
LL Par de esculturas - e em b - as.
1) Nu, h = 9; 2) Nu, h = 15. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 058 deste catálogo.

269 - MÁRIO CRAVO NETO - (1947)
LL Casal - grav. 12/50 - 40 x 30 - cid - 1970
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 177 deste catálogo.

270 - RUBENS GERCHMAN - (1942 - 2008)
LL Figura - tm - 90 x 43 - cid - 1982
-Reproduzido no convite deste leilão.Importante artista, foi representante da vanguarda da arte brasileira. Pintor, desenhista e gravador, frequentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro (1957/8) e a antiga ENBA (1959-1962), estudando xilogravura com Adir Botelho. Participou dos XIX e XXI SPar.BA (1962-1964 / com prêmios), XI, XIII, XIV, XV e XVI SNAM (entre 1962-1967), além de inúmeros outros salões e mostras oficiais no Brasil e no exterior. JULIO LOUZADA vol. 13 pág. 148; PONTUAL, pág. 235; TEIXEIRA LEITE, "in" A GRAVURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 974; LEONOR AMARANTE, pág. 143, Acervo FIEO.

271 - NIOBE XANDÓ - (1915)
LL Composição - col. - 35 x 27 - cid - 1979
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 186 deste catálogo.

272 - HEINZ BUDWEG - (1940)
LL " Chefe e grande Pajé dos índios Kamayurá " - asp - 102 x 70 - cid - 1986
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 052 deste catálogo.

273 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Mulheres - dn - 29 x 21 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 053 deste catálogo.

274 - GERARDO DE SOUZA - (1950)
LL " Boiada " - ost - 54 x 81 - cie e d - 1980
Com etiqueta do 1° Salão Nacional de Montes Claros - MG, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 066 deste catálogo.

275 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Paisagem Surreal - ost - 60 x 80 - cid - 1971
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 055 deste catálogo.

276 - GRAUBEM DO MONTE LIMA - (1889 - 1972)
LL Flores e borboletas - ost - 60 x 32 - cid - 1965
Pintora natural da cidade de Iguatu-CE. Faleceu na cidade do Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência no Rio de Janeiro em 1908, onde inicia-se na pintura como autodidata em 1958. Em 1960, prossegue seus estudos com Ivan Serpa, no MAM-RJ. Entre as exposições das quais participa, destacam-se: Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1962 e 1963; Bienal Internacional de São Paulo, de 1963 a 1967; Bienal Americana de Arte, Córdoba (Argentina), 1964; Oito Pintores Brasileiros, na Galeria Jacques Massol, Paris (França), 1965; Bienal Nacional de Artes Plásticas, Salvador, Bahia, 1966; Artistas Primitivos Brasileiros Contemporâneos, no Museu de Arte Moderna de Buenos Aires, Argentina, 1966; Arte/Brasil/Hoje - Cinqüenta Anos Depois, na Galeria Collectio, São Paulo, 1973. PONTUAL, pag. 250; ITAU CULTURAL

277 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Pássaros - ost - 60 x 70 - cid e d - 2006
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 057 deste catálogo.

278 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Composição - e em mar - h = 22 - as.
Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.

279 - IVAN FREITAS - (1931)
LL Relógio - ose - 26 x 28 - cid
Pintor e muralista, nasceu em João Pessoa-PB. Realiza sua primeira mostra individual na Biblioteca Pública, em 1957. Reside em Paris (1962 e 1963), com bolsa de estudos da Maison de France, e, de 1969 a 1972, em Nova Iorque, Estados Unidos, comissionado pela International Telephone and Telegraph Corporation. De volta ao Brasil, pinta mural de mais de 1000 metros quadrados na parede externa da Escola Nacional de Música, no Rio de Janeiro, em 1984 - o primeiro do Projeto Arte nos Muros. Participa de diversas coletivas, tais como: SNAM-RJ (1959/1961); Bienal Internacional de São Paulo (1961/1975), dentre tantas outras. JULIO LOUZADA vol.11, pág.117; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 764; LEONOR AMARANTE, pág. 239.

280 - CLAUDIO TOZZI - (1944)
LL Composição - astcm - 120 x 120 - cid e d - 1990
-Reproduzido no convite deste leilão. Com autenticação do artista. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 063 deste catálogo.

281 - PINO MANOS - (1920)
LL Composição - tm s/t - 80 x 50 - d - 1963 - Milão
Pintor, escultor e arquiteto natural de Sassari, Sardenha - Itália. Sua formação artística se dá na década de 50 na Academia de Belas Artes Cimabue e Brera junto com Enrico Castellani e Vincenzo Agnetti. Com Lucio Fontana, adere ao Espacialismo. Exposições: Paris, França (1961); Londres, Inglaterra e Copenhague, Dinamarca (1962); Barcelona, Espanha e São Paulo, Brasil (1966); Nova York, EUA (1967); Milão, Itália (1994); Tóquio, Japão (2001); Kyoto, Japão (1992); Milão, Itália (2005-2006); Sassari, Sardenha - Itália (2008). Prêmios: Barcelona, Espanha (1966); Veneza, Itália (1977). ARTNET.COM; www.faap.br/museuhistorico/historico;www.culturaitalia.it; www.albaeditrice.com.

282 - DÉCIO VILARES - (1851 - 1931)
LL Marechal Floriano Peixoto - ost - 80 x 65 - le - 1894
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 062 deste catálogo.

283 - PAULO GAGARIN - (1885 - 1980)
LL Paisagem - ost - 50 x 60 - cie
Pintor natural de Leningrado - anteriormente São Petesburgo. Estudou na Universidade daquela cidade, vindo para o Brasil em 1921, onde se naturalizou. Fixou-se no Rio de Janeiro, onde no ano seguinte realizou a sua primeira exposição. Recebeu medalha de ouro no SNBA, com participação também no SPBA, com premiações (1940 e 1941). Sobre a sua obra, assim se manifestou o autor: " ... Acredite, nunca estudei pintura. Não tive mestres. O meu mestre foi a natureza opulenta do Brasil" (´in´ A Inquietação das Abelhas, de Angione Costa, 1927) JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 123; PONTUAL, pág. 230; MEC, vol.2, pág. 219; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 2, pág. 146; TEODORO BRAGA, pág. 186; REIS JR., pág. 370.

284 - SERGIO TELLES - (1936)
LL Figuras - tm - 22 x 30 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 086 deste catálogo.

285 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Melindrosa - g - 30 x 13 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 050 deste catálogo.

286 - RONI BRANDÃO - (1935 - 1991)
LL Surreal - ost - 33 x 46 - cid e d - 1973
Pintor e desenhista, nascido em Pirajú-SP. Começa a dedicar-se às artes a partir de 1967. Iniciando com desenhos em preto e branco, depois veio a cor, o óleo, trazendo as grandes figuras femininas. Depois de 1978 as paisagens se expandiam, silenciosas, infinitas, como se fossem de outros planetas. Participou de exposições e salões nacionais e internacionais a partir de 1967, recebendo diversos prêmios. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 150; MEC, VOL 1, pág, 291; ITAÚ CULTURAL.

287 - MARIA POLO - (1937 - 1983)
LL Composição - ose - 67 x 38 - cid - 1960
Natural de Veneza, Itália. Ainda em Roma, frequentou de 1955 a 1959 o ateliê de De Pisis. Residiu no Brasil a partir de 1962, fixando-se no Rio de Janeiro. Realizou diversas exposições individuais em algumas das principais capitais do País e no exterior. MEC, vol. 3, pág. 424; PONTUAL, pág. 430; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 776; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697.

288 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato vermelho com vaso de flores - ast - 80 x 100 - cie e d - 2002
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

289 - JOSEPH BEUYS - (1921 - 1986)
LL Cartão Postal - m em m - 10 x 15 x 3 - n/as.
Pintor, desenhista, escultor e professor alemão que produziu em vários meios e técnicas incluindo performance, vídeo e instalação. Sua formação artística foi com o escultor Achiles Moorgat e na Academia de Arte Nacional de Dusseldorf, Alemanha. Na década de 1960 se integra ao grupo FLUXUS onde se torna seu membro mais significativo e famoso. Em 1979 teve uma retrospectiva no Museu Guggenheim de Nova York, EUA. Exposições: Alemanha (1953,1961,1965,1966,1967,1970 a 1973,1975,1976,1980,1981,1983,1991,1993,1994,1998,2004); Áustria (1966); Suíça (1969,1992,1995,1996,2007); Itália e Guiné Equatorial (1971); Inglaterra (1974,1983,2005); Bélgica (1977); EUA (1979,2007); Japão (1984); Holanda (1985); Brasil (1993,1994,2002,2003)); Lituânia e Coréia do Sul (1997); República Checa (2000); França (2006,2008). BENEZIT, vol.2, pág.3; ITAU CULTURAL; ARTNET.COM; ARTPRICE.COM; WIKIPÉDIA.ORG.

290 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL " Figura de negro " - osm - 34 x 23 - cid e d - 1935 - Rio
-Reproduzido no convite deste leilão. Com etiqueta do Mirante da Artes de Pietro Maria Bardi - São Paulo, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

291 - WALDOMIRO DE DEUS - (1944)
LL Refeição - ost - 38 x 55 - cid - 1973
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 054 deste catálogo.

292 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Guerreiros - ostcm - 63 x 83 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

293 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL " Fruta " - v e col s/c - 27 x 18 - d - 1967 - Cabo Frio
Com etiqueta da 19° Seleção de Artistas :Contemporâneos da Sociarte, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 138 deste catálogo.

294 - ARCÂNGELO IANELLI - (1922)
LL Composição - p - 30 x 22 - cid - 1978
Com certificado do Instituto Arcângelo Ianelli, firmado por Katia Vaz Ianelli. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 060 deste catálogo.

295 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
medindo 3,50 x 2,47 = 8,65 m². Peça única este antigo e raro exemplar de tapete persa Kashan na variação Kork - desenho que remete aos tapetes nômades de séculos atrás - é uma celebração a vida e a cultura persa em quarenta diferentes tons de vermelho dentro os quais predomina o vermelho vivo que cobre quase a totalidade dos 3,50 m de comprimento por 2,47 m de largura ( formato galeria e próximo de 9 metros, medida muito rara de se encontrar no tapete persa ). Com sete bordas, precedidas do arremate vermelho sangue, a peça destaca o azul- do cobalto ao marinho - e as tonalidades mais suaves de beje. É incomum encontrar um Kork com desenho Kashan com medalhlhão central. É exuberante o medalhão que está ao centro desta peça na forma da coroa estliizada do Xá Abbas contornado pelos delicados desenhos florais - rosáces, árvores da vida e flores muídas como no desenho do Kirmann. A pelagem é altíssima e as franjas são alongadas como a valorizar o desenho das bordas. Minaretes, símbolos de reprodução e peças da antiga Pérsia retirada de escavações trazem ânforas, vasos e adornos da realeza antes das cantoneiras. O tapete é uma celebração a vida, característica dos tapetes desta região mais próxima do Cáucaso. Os contornos são em seda pura valorizando o brilho e a luz que diferentes tonalidades de vermelho - inclusive o vermelho vinho mais encontratado em tapetes de temas corâmicos - o que faz desta peça o ponto central de grandes ambiente.

296 - BRUNO LECHOWSKY - (1889 - 1941)
LL Paisagem do Rio de Janeiro - a - 19 x 27 - cid - 1932 - Rio
Natural da Polônia, este grande pintor e professor veio para o Brasil em 1926, fixando-se inicialmente no Paraná, para depois vir a residir de forma permanente no Rio de Janeiro, o qual pintou com todas as cores e luzes. Integrou o Núcleo Bernardelli, onde orientou mestres como Tamaki, Takaoka, e principalmente Pancetti, a quem chegaria a marcar, inclusive nas cores chapadas. TEODORO BRAGA, pág. 139; PONTUAL, pág. 305; MEC, vol. 2, pág. 465; TEIXEIRA LEITE, pág. 281/282; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 449; ARTE NO BRASIL, pág. 764.

297 - GALDINO GUTTMANN BICHO - (1888 - 1955)
LL Paisagem - ostcc - 12 x 19 - cid - 1919
Nascido em Petrópolis, passou sua infância em Sergipe, transferindo-se para o Rio de Janeiro, onde iniciou seus estudos. Foi aluno de Zeferino da Costa e de Rodolpho Amoedo. Recebeu diversos prêmios pelas suas participações em Salões Nacionais, inclusive o de Viagem à Europa em 1921. De espírito inquieto e temperamento polêmico, foi elemento ativo na vida artística carioca, sobretudo antes do predomínio das tendências modernas de que fora um dos precursores, pelo gosto nas pesquisas de luz dos impressionistas. LAUDELINO FREIRE, pág. 512; TEODORO BRAGA, pág. 114; REIS JUNIOR, pág. 372; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 104; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 2, pág. 248; ARTE NO BRASIL, pág. 602.

298 - ARTUR BÁRRIO - (1945)
LL " Sons mais ruídos " - tm - 77 x 113 - cse
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 078 deste catálogo.

299 - NINO (JOÃO COSMO FÉLIX) - (1921 - 2002)
LL Ave - e em mad.pol. - h = 96 - b
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 189 deste catálogo.

300 - JOHN GRAZ - (1891 - 1980)
LL Carnaval - a - 50 x 70 - cid - 1968 - Rio
-Reproduzido no convite deste leilão. Com certificado do Instituto John Graz. -Pintor suíço, estudou em Genebra, Munique e Paris. Casando-se com a brasileira Regina Gomide em 1920, fixou-se no Brasil, de onde não mais sairia. Foi um dos integrantes da Semana de Arte Moderna de 1922. Sua arte alia decorativismo e estilização. TEODORO BRAGA, pág. 112; PONTUAL, pág. 251; MEC, vol. 2, pág. 283; ITAU CULTURAL.; WALTER ZANINI, pág. 530; ARTE NO BRASIL, pág. 672; LEONOR AMARANTE, pág. 200, Acervo FIEO.

301 - HEITOR DOS PRAZERES - (1898 - 1966)
LL " Dança de salão " - ose - 31 x 41 - cid - 17/8/1960 - Rio
Com autenticação da família do artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho. -Compositor e pintor, iniciou-se na pintura em 1937. São seus temas preferidos o samba, favelas cariocas, mulatas e malandros. Participou da I Bienal de SP (1951), sendo nela premiado. Mostrou a sua obra em diversas exposições, no Brasil e no exterior. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.247; MEC. Vol.3, pág.400; WALMIR AYALA. Vol.2, pág.194; TEIXEIRA LEITE, pág.408; PONTUAL, pag.439; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.810; LEONOR AMARANTE, pág. 266; 673; Acervo FIEO.

302 - HEINZ KUHN - (1908 - 1987)
LL Composição - ost - 100 x 70 - cid e d - 1985
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 082 deste catálogo.

303 - DJANIRA DA MOTTA E SILVA - (1914 - 1979)
LL Anjo músico - tm - 18 x 12 - cid - 1970
Pintora, desenhista e gravadora, natural de Avaré, SP. Foi aluna de Marcier. A partir de 1942 participa do SNBA, recebendo premiação em 1943, 1944 e 1950. Realizou exposições individuais. Participou de diversas coletivas e salões de arte, nacionais e internacionais, com excelente recepção da crítica especializada. Diz-se que sua pintura é ingênua, mas ela declarava que ingênua, era ela mesma. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 336; PONTUAL, pág. 181; TEIXEIRA LEITE, pág. 164; MEC, vol. 2, pág 58; WALMIR AYALA, vol. 1, pág, 263; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 810; ARTE NO BRASIL, pág. 824; Acervo FIEO.

304 - MARIA LEONTINA - (1917 - 1984)
LL Composição - ost - 23 x 20 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 241 deste catálogo.

305 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Composição - spray - 20 x 13 - d
Com declaração de autenticidade firmada por Érica Hauff, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 085 deste catálogo.

306 - FRANCISCO DA SILVA - (1910 - 1985)
LL Animais - tst - 98 x 148 - cid - 1984
Com autenticação do artista, no dorso. -Natural de Alto Tejo, Acre, foi o pintor FRANCISCO DA SILVA um primitivista, fabulista das lendas amazonenses, ativo no Ceará. Filho de índio peruano com brasileira, fixou-se ainda criança em Fortaleza. Foi descoberto artista em 1943, pelo também artista o suiço Jean Pierre Chabloz, que bancou suas primeiras tintas. O mesmo Jean Pierre, nove anos depois, lança-o em Paris. O crítico Rubens Navarra assim escreveu sobre a obra desse artista acreano: " ... os guaches desse artista indígena são qualquer coisa de muito sério. Esse índio é uma espécie de Dali em estado de natureza. Ao lado do seu surrealismo primitivo, chamemos assim, há um lado arte-aplicada que podia servir excelentemente para ornamentos de cerâmicas , lembrando estampas chinesas de pássaros ou antigos vasos de civilizações passadas." Já André Malraux qualifica-o de " um artista primitivo dentre os maiores do mundo." Expôs individualmente no Brasil a partir de 1943 e em diversas mostras coletivas no exterior, com premiações, destacando-se aquela recebida na XXXIII Bienal de Veneza, 1966. JULIO LOUZADA, vol. 3 pág. 1056; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE; ARTE NO BRASIL, Acervo FIEO; TEIXEIRA LEITE, pág. 478.

307 - G.T.O. (GERALDO TELES DE OLIVEIRA) - (1930 - 1990)
LL Figuras - e em mad. - h = 46 - as.
Mineiro de Itapecerica, Geraldo Teles de Oliveira, dito GTO, foi escultor. Começa sua atividade artística, em 1965, a partir de sonhos - em um deles, Deus lhe mostra a madeira e as esculturas que deveria realizar. Assim, tendo seus sonhos como referência, realiza grande parte de suas obras; mais tarde, utiliza apenas sua criatividade nos seus trabalhos. Entre as exposições das quais participa, destacam-se: 1º e 2º Salão de Arte Contemporânea, Belo Horizonte, 1969/1970; Bienal Internacional de São Paulo, 1969/1975/1981; Bienale Formes Humaines, no Museu Rodin, Paris (França), 1974; II Festival Mundial e Africano de Arte e Cultura Negra, em Lagos (Nigéria), 1977; 42ª Bienal de Veneza (Itália), 1978. Após sua morte, suas obras são expostas na mostra: Exposição Cinco Anos sem Novos Sonhos de GTO, na Galeria Paulo Campos Guimarães, Belo Horizonte, 1995. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 763; LEONOR AMARANTE, pág. 294; ITAU CULTURAL.

308 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Cangaceiro - dn e a - 31 x 16 - cid - 1976
Com etiqueta da Galeria de Arte Uirapuru - São Paulo, no dorso. Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

309 - GEORGES WAMBACH - (1901 - 1965)
LL Paquetá - a - 31 x 27 - cid - 1934
Belga de nascimento, veio a falecer no Rio de Janeiro. Excepcional aquarelista, que retratou o Brasil em suas inúmeras incursões. "Georges Wambach (1901-1965) talvez tenha sido um dos últimos exemplares de uma espécie em extinção, ou já extinta, quem sabe: a dos artistas viajantes de que o século XIX foi pródigo. Artistas com cavalete, paleta, tintas e pincéis na mochila, que vararam o mundo em busca do fantástico, do erótico, e, sobretudo, do excitante desconhecido, aventura que até custou a vida de alguns como Adrien Taunay, que viu a morte aos 25 anos em pleno Mato Grosso." Fernando Cerqueira Lemos, in AQUARELAS de Georges Wambach: impressões do Brasil. Ed. Marca d´Água-SP, 1988. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 343; TEIXEIRA LEITE, pág. 540; ITAÚ CULTURAL.

310 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Paisagem - osm - 30 x 40 - cid - 1973
-Reproduzido no convite deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 03/03/2009.Com etiqueta n° 4362 da Galeria Cosme Velho, no dorso. -Estudou com Pedro Alexandrino (1923 a 1928) e aperfeiçoou-se na Itália. Integrou o Grupo Santa Helena, com Rebolo, Zanini, Rosa, Graciano, Pennacchi (1935) e participando em 1937 de exposições da Família Artística Paulista. Pintou paisagens e naturezas mortas, com composição estruturada no cubismo. MEC, vol. 1, pág. 247; PONTUAL, págs. 78/79; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1041; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 258; TEIXEIRA LEITE, pág. 79; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; LEONOR AMARANTE, pág. 72; Acervo FIEO.

311 - OSCAR PEREIRA DA SILVA - (1867 - 1939)
LL " Forro da Sala da Congregação... " - osm - 25 x 36 - cie
Complemento de título: " Forro da Sala da Congregação da Escola Politechnica de São Paulo ". -Grande pintor brasileiro; prêmio de viagem à Europa em 1889, aperfeiçoou-se em Paris com Gérome e Leon Bonnat. "Sem ter revelado impulsos vigorosos que lhe evidenciassem poder emotivo, Oscar Pereira da Silva soube manter no transcorrer de bem cinquenta e sete anos de produção permanente e intensa, desde que retornou ao país, em 1896, todo o cuidado de um desenho severamente elaborado, sem num só instante voltar-se para o novo semblante que a pintura adquiria nessa transposição de tempo. " Quirino Campofiorito, in CAMPOFIORITO, Quirino. História da Pintura Brasileira no Século XIX. Ed.Pinakotheke-SP, 1983. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs. 245/281; TEODORO BRAGA, pág. 177/8; LAUDELINO FREIRE, pág. 383; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 185; MEC, vol. 4, pág.277; PONTUAL, pág. 419; TEIXEIRA LEITE, pág. 402; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 437; ARTE NO BRASIL, pág. 553, Acervo FIEO; F. ACQUARONE, pág. 187.

312 - MIRA SCHENDEL - (1918 - 1988)
LL Composição - mon. - 46 x 22 - cid - 1964
Suíça, Mira imigrou para o Brasil em 1949, fixando-se inicialmente em Porto Alegre, onde realizou a sua primeira exposição individual, em 1952. Expôs em 1954 em São Paulo (MAM), para onde se transferiu. Participou de diversos salões, tais como o SPAM e Bienais de São Paulo, Córdoba e Veneza, obtendo premiações. A principio exclusivamente desenhista, com a utilização de signos, índices e símbolos, dedicou-se posteriormente à pintura, dentro da vertente minimalista que norteou toda a sua carreira. TEIXEIRA LEITE, pág. 464; JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 304; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 688; LEONOR AMARANTE, pág. 187.

313 - PAULO PRADO NETO - (1919)
LL " A chocolateira " - ost - 100 x 30 - cid e d - 1966
No estado. -Paulistano e autodidata. Recebeu a pequena medalha de prata no Salão Paulista de Arte Moderna de 1966, participando também dos I, II e III SACC (de 1965 a 1967), XVI SNAM (1967) e da IX Bienal de São Paulo. Realizou exposições individuais nas galerias Astréia (1965) e KLM (1967), de São Paulo, Geraldo Ferraz disse a respeito de sua pintura, em 1965: " No desenvolvimento técnico o pintor é principalmente um colorista, dado que seus desenhos são sumários - é a cor que os preenche e os faz viver, de uma vivência que adquire até o dificílimo tom da intimidade aconhegada." PONTUAL pág. 438; ARTE NO BRASIL, pág. 672.

314 - NOEL ROSA - (1910 - 1937)
LL Figuras - dn - 29 x 21 - cie
Músico, letrista e caricaturista nascido no Rio de Janeiro. Foi responsável pela difusão e aceitação do samba como música de qualidade e nas suas composições realizou uma brilhante crônica social do Rio de Janeiro, deixando registrado o universo histórico-cultural do final dos anos 20 e meados dos 30. www.geocities.com

315 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Capa da Revista Para Todos - g - 33 x 23 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 050 deste catálogo.

316 - VITTÓRIO GOBBIS - (1894 - 1968)
LL " Arraial do Cabo " - osc - 34 x 47 - cid - 1949
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 154 deste catálogo.

317 - UBIRAJARA RIBEIRO - (1930 - 2002)
LL " Natureza morta com uma pena " - a - 37 x 28 - cid - 1990
Pintor, desenhista, gravador, artista gráfico, arquiteto e professor paulistano, nascido em 2 de outubro de 1930. Estudou pintura e gravura nas cidade de São Paulo e Salvador, com Pedro Corona, Waldemar da Costa e Mário Cravo Jr. Para o autor a arte é a corporificação de um processo de criatividade e percepção. Expôs individualmente pela primeira vez em 1964, na Galeria Seta-SP. Dentre as coletivas, destacam-se a da FAAP-SP, em 1965, I SPAC-SP, 1969. Foi escolhido como Melhor Gravador do Ano, em 1977, pela APCA. JULIO LOUZADA vol. 11 pág. 266; ITAÚ CULTURAL.

318 - SONIA EBLING - (1926 - 2006)
LL Rinoceronte - e em b - h = 20 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 208 deste catálogo.

319 - CARLOS OSWALD - (1882 - 1971)
LL Construção da Catedral da Sé - ostcm - 32 x 24 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 246 deste catálogo.

320 - HÉLIOS SEELINGER - (1878 - 1965)
LL " A Dança do Bode " - ost - 148 x 106 - cid - 1929 - Rio
-Reproduzido no convite e na capa do catálogo deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 26/02/2009. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 041 deste catálogo.

321 - VIRGILIO LOPES RODRIGUES - (1863 - 1944)
LL Marinha - osm - 30 x 39 - cie
Natural da cidade do Recife-PE, foi para o Rio de Janeiro em 1882, trabalhando com o leiloeiro J. Dias, onde encantou-se pela arte. Incentivado por Santa-Olalla, frequentou o Liceu de Artes da mesma cidade. Expôs em 1926, juntamente com Manuel Faria, Vicente Leite e outros. São belas as suas marinhas, e muito disputadas pelos colecionadores do gênero. MEC, vol. 4, págs. 94 e 95; PONTUAL, pág. 458; TEODORO BRAGA, pág. 240; TEIXEIRA LEITE, pág. 528; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

322 - WESLEY DUKE LEE - (1931)
LL " A Paisagem " - a - 24 x 30 - cid - 1964
Com etiqueta da Galeria São Paulo, no dorso. -Pintor, desenhista, gravador e artista gráfico. Iniciou seus estudos de desenho em 1950, no MASP. Em 1952 viajou para os USA para dedicar-se ao aprendizado de artes gráficas na Parson's School of Design (Nova York). De volta ao Brasil trabalhou no campo da pintura e do desenho, aperfeiçoando-se com Karl Plattner, em São Paulo, em 1957. Em seguida transferiu-se para Paris, onde estudou gravura com Johnny Friedlaender. Participou de diversas exposições coletivas e Bienais no Brasil e no exterior, realizando individuais por todo o Brasil. No catálogo da mostra "O Artista e a Máquina", de 1966, foi dito à seu respeito: "Inquieto, sofisticado, cosmopolita e dotado de um vivaz senso de humor (...) representa no Brasil a vanguarda internacional de pesquisa estética que enfeixa sobre o título de "realismo mágico". MEC, vol.2, pág.465; WALMIR AYALA, vol.1, pág.466; TEIXEIRA LEITE, pág. 282; PONTUAL, pág.305 e 306; JULIO LOUZADA, vol.8, pág.459; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 815; LEONOR AMARANTE, pág. 143. Acervo FIEO.

323 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
LL Construtivo - pspc - 30 x 30 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 101 deste catálogo.

324 - PAULO PENNA - (1949 - 1988)
LL Paisagem - osc - 24 x 30 - cid e d - 1981
Pintor, desenhista e gravador, natural de Rio Grande, RS. Fez figurinos e cenários para teatro e dança, decoração e ilustração. Foi aluno de Ornella Anselmi, Ida Vidal e Nestro Marques Rodrigues. Foi ativo em São Paulo, onde residia. Participou da mostra Os Artistas pelas Diretas, na Folha de São Paulo, em 1984, mesmo ano que expôs na Galeria Paulo Prado-SP, e também recebeu prêmios de aquisição no III Salão de Artes Plásticas de Araraquara e I Salão de Alphaville, SP. JULIO LOUZADA, VOL,5 pág, 797; ITAÚ CULTURAL; RGS, pág. 398.

325 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Frutas - ser. 30 x 40 - 30 x 40 - cid - 2003
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

326 - RAYMOND BESSE - (1889 - 1969)
LL Paris - ost - 46 x 39 - cie
Pintor francês, nascido em Niort em 26 de dezembro e falecido em Condé-sur-Beuvron, a 5 de março. Fixou residência em Paris em 1916, participando do Salon des Indépendants em 1923, no Salõn des Tuileries, de 1926 a 1931, além de no Salon d´Automne em 1926/1927/1928 e de 1941/1942 e 1943. Suas obras foram expostas na Exposição Internacional de Tokyo, em 1924. Pintou como poucos os canais da Cidade Luz. BÉNÉZIT, vol. 1, pág. 712

327 - RENINA KATZ - (1925)
LL " Hai - Kai " - ser. 17/30 - 40 x 53 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 026 deste catálogo.

328 - SERGIO RICARDO - (XX)
LL Marinha - ost - 35 x 30 - cid
Pintor com diversas participações em exposições coletivas e salões oficiais. - JULIO LOUZADA,vol 2 - pág 939.

329 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Celeiro - a - 12 x 16 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 109 deste catálogo.

330 - JOSINALDO FERREIRA BARBOSA - (1951)
LL " Ribeirinhos ao amanhecer " - ast - 40 x 50 - cid e d - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 110 deste catálogo.