Leilão de Arte tableau - Maio de 2010

001 - ALFREDO VOLPI - (1896 - 1988)
LL Mastro - ser. 67/150 - 48 x 70 - cid
Nascido em Lucca, na Itália, radicou-se em São Paulo desde a mais tenra idade. Autodidata, iniciou sua carreira como pintor decorativista e de paredes. Considerado pela crítica como um dos grandes coloristas do século XX. Foi integrante do Grupo Santa Helena. REIS JUNIOR, pág. 378; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 426 e 428; JULIO LOUZADA vol.13, pág.1048; MEC. vol.4, pág. 496; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 684; LEONOR AMARANTE, pág. 28, Acervo FIEO.

002 - ALBERTO SIMÃO - (1915)
LL Natureza morta - ose - 22 x 27 - cid e d - 1989
Ativo em São Paulo, participou do Salão Paulista de Belas Artes-SP em 1967, 1968 e 1970, obtendo menção honrosa no primeiro e medalha de bronze no segundo. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 954; MEC, vol. 4, pág. 285;

003 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Marinha - osm - 20 x 28 - cie
Nascido na Itália, radicou-se no Brasil. Seu estilo liga-se ao dos Macchiajoli oitocentistas (os equivalentes italianos dos impressionistas franceses) e ao de Pratella em especial. São especialmente notáveis suas paisagens e marinhas. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 168; JULIO LOUZADA vol.11, pág.54; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

004 - FANG, CHEN KONG - (1931)
LL Peixe - a - 30 x 40 - cid
Pintor, desenhista e gravador. Ativo em São Paulo, estudou com Y. Takaoka; expôs nos Salões de Belas Artes de São Paulo e do Rio de Janeiro, obtendo diversas premiações. Tem obras em coleções particulares e na Pinacoteca de São Paulo. MEC, vol. 2, pág. 124; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 366; TEIXEIRA LEITE, pág. 189; PONTUAL, pág. 201.; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

005 - BERTONI FILHO - (1892 - 1959)
LL Pescadores - ost - 50 x 70 - cid
Pintor paisagista, filho de Angelo Bertoni, e irmão de J. Bertoni. Como seu pai, fixou temas do Rio de Janeiro, de grande valor iconográfico. JULIO LOUZADA, vol. 1, pag. 120; ACERVO FIEO, pág. 329.

006 - CONSTÂNCIA NERY - (1936)
LL " Primeira Comunhão " - ost - 40 x 50 - cid e d - 1976
Com dedicatória, no dorso. -Pintora nascida em Ipiguá, SP, em 13 de maio de 1936. Inicia sua carreira artística em 1969, dedicando-se a partir de então 'a pintura. Seu trabalho recebe grande influência do folclore brasileiro, que vivenciou na infância e de ensinamentos que recebeu de Juliete Andrade e Rossini Tavares de Lima. Individuais a partir de 1991 e coletivas desde 1969, com premiações. Expôs nos EUA em diversas cidades. JULIO LOUZADA, vol. 12 pág. 287

007 - ADEVALDO MARAJÓ - (1942)
LL Aldeia Xingú - grav. 14/40 - 25 x 30 - cid - 1978
Pintor e gravador nascido na Ilha de Marajó, da qual adotou o nome, foi durante muitos anos o técnico de gravura do Atelier de Mario Gruber. JÚLIO LOUZADA, vol. 3, pág. 674.

008 - DILA (DILEUSA DINIS RODRIGUES) - (1939)
LL " Salve Iemanjá " - ast - 54 x 73 - cid - 1994
Pintora e gravadora, DILA se expressa plasticamente com esse olhar brasileiro que é a sua grande marca. Sua arte não tem referência entre os "naifs" nem entre os primitivistas do mundo inteiro. Ela é única." Trecho do crítico maranhense Ubiratan Teixeira. JULIO LOUZADA, vol. 7 - pág. 221; ITAÚ CULTURAL.

009 - ERNANI PAVANELI - (1942)
LL " Manhã de Primavera " - ost - 40 x 40 - cid - 1984
Nasceu em São João de Nepomuceno, MG. A partir de 1980 dedica-se exclusivamente à pintura. Expôs coletivamente em 1982, seguindo-se diversas outras e individualmente expõe a partir de 1983, inclusive na Espanha, com igual sucesso de público e de crítica. Sua técnica é o pontilhismo, à maneira de Seurat, mas com cores puras e meios-tons. Reside e é ativo na cidade do Rio de Janeiro ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 222

010 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Mulher sentada - ser. 76/120 - 50 x 40 - cid
Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo (Rio de Janeiro RJ 1897 - idem 1976). Pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Inicia sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, reside em São Paulo, onde freqüenta o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons (1865 - 1939). Convive com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Mário de Andrade (1893 - 1945), Guilherme de Almeida (1890 - 1969), entre outros. Em 1921, ilustra A Balada do Enforcado, de Oscar Wilde (1854 - 1900), e publica o álbum Fantoches da Meia-Noite, editado por Monteiro Lobato (1882 - 1948). É o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expõe 12 obras. Em 1923, faz sua primeira viagem à França, onde atua como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, freqüenta a Academia Ranson, instala ateliê e conhece obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso (1881 - 1973), Georges Braque (1882 - 1963), Fernand Léger (1881 - 1955), Henri Matisse (1869 - 1954), Jean Cocteau (1889 - 1963) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta a São Paulo em 1926, trabalha como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. A estada em Paris marca um novo direcionamento em sua obra. Em 1938 viaja a Paris, onde trabalha na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retorna ao Brasil em 1940, trabalha como ilustrador, e publica poemas e memórias de viagem. Em 1972, seu álbum 7 Xilogravuras de Emiliano Di Cavalcanti é editado pela Editora Chile. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.

011 - FRANCISCO PROHANE - (1921)
LL " Um dia no mês de Fevereiro " - ost - 70 x 120 - cid - 1987
Nascido no Piemonte, Itália, na cidade de Santa Vitória, Prohane imigrou para o Brasil em 1931, com a família. Recebeu orientação de Osvaldo Fuoco, Osvaldo L. Siqueira e Francisco Cuoco. Em agosto de 1983 recebeu a Comenda da Ordem do Mérito das Artes Plásticas e em dezembro do mesmo ano, a de Cavaleiro Oficial. Considerado pintor do campo, Prohane é remanescente do grupo de artistas que pintam ao natural. Também é conhecido como um dos maiores pesquisadores do folclore brasileiro. JULIO LOUZADA vol.10, pág.715; Acervo FIEO.

012 - HENRY VITOR - (1939)
LL Surreal - ost - 41 x 51 - cid - 1979
Pintor e gravador mineiro de Guaxupé, onde nasceu a 2 de abril de 1939. Reside e é ativo na cidade de São Paulo SP. Autodidata, fez cursos de Jornalismo, Propaganda e Comunicações. Expôs individualmente nos anos de 1972, 1973, 1984 e 1991 em São Paulo SP. Coletivas a partir de 1971, inclusive no exterior. "Há elementos que revelam o ingênuo mas nem sempre permitem ajuizar se a obra é crítica ou artesanal. O autodidatismo, como o de Vitor, é uma constante. Expressa uma visão pessoal da realidade ou configurações de sonho. Retrata a vida filtrada, livremente, pelos olhos de cada um e interpretada por um sentimento intrínseco. " Jorge Anthonio, in HENRY Vitor: pinturas. Apresentação de Jorge Anthonio. São Paulo: Galeria Jacques Ardies, 1991. HENRY Vitor: pinturas. Apresentação de Jorge Anthonio. São Paulo: Galeria Jacques Ardies, 1991. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.145, MEC,vol.4, pág.49; ITAÚ CULTURAL.

013 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL Descanso - g - 37 x 56 - cid
Ativo em São Paulo, foi também excepcional desenhista, aluno nesta capital, do pintor e professor alemão Georg Ficher Elpons; participou assiduamente do Salão Paulista de Belas Artes, desde sua inauguração em 1933, onde foi muito premiado. MEC, vol. 3, pág. 393; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 685; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

014 - INNOCÊNCIO BORGHESE - (1897 - 1985)
LL " Guarulhos " - ose - 20 x 30 - cid - 1970
Pintor e professor paulista, participante do Salão Paulista de Belas Artes, de 1935 a 1961. Diversas exposições individuais e coletivas, com muitas premiações. Pintou muitas paisagens tendo como tema a cidade de São Paulo. TEODORO BRAGA, pág 56; MEC, vol. 1, pág. 251; Acervo FIEO.

015 - JOSAFÁ NEVES - (1971)
LL " Maternidade " - ost - 70 x 90 - cid e d - 2003
Começou a desenhar no asfalto com giz, no papel, na parede do quarto e daí não parou mais. Em 1979 mudou-se com os seus pais e irmãos para Goiânia. Aos 12 anos, já trabalhava como arte-finalista em agência de comunicação e, aos 15, como ilustrador. Participou de performances e de exposições coletivas e individuais com óleo sobre tela, escultura e cerâmica. Foi selecionado em vários concursos e salões. Atualmente, dedica-se seu tempo integral à arte.

016 - ABELARDO ZALUAR - (1924 - 1987)
LL Composição - g - 28 x 20 - cid
Desenhista, pintor e professor. Frequentou a antiga ENBA, de 1944 a 1948. Participou do I ao XII e do XV SNAM (entre 1952 e 1966/ prêmio de viagem ao estrangeiro em 1963.). Realizou exposições individuais no MNBA (1947) e na Galeria Ambiente (São Paulo, 1960), Museu de Arte de Belo Horizonte (1960), Instituto de Belas Artes de Porto Alegre (1961), Petite Galerie-GB (1962). Sua obra experimentou uma simplificação de traços de tendência geometrizante, levando Frederico Morais a comentar a seu respeito em 1969; "Não se pensem que Zaluar, por ser um partidário da ordem, afaste deliberadamente o imprevisto, a contribuição do acaso, o vôo poético (...) seus últimos trabalhos fazem lembrar, na monumentalidade silenciosa da forma despojada, o mundo futuro do espaço cósmico, das estruturas moventes, das plataformas que se acoplam ou se dividem numa metamorfose constante". Encontra-se representado no acervo do MNBA, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e Museu de Arte de Belo Horizonte. WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 449/50; MEC, vol. 4, pág. 527; PONTUAL, pág. 556; TEIXEIRA LEITE, pág. 546; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 934; LEONOR AMARANTE, pág. 218.

017 - ROBERTO GABRIEL CRIVELLÉ - (1936)
LL Modelo - m em b 88/300 - h = 7 - as.
Importante escultor catalão, natural de Barcelona, radicado no Brasil. Criou e executou o Prêmio Miguel de Cervantes, concurso literário patrocinado pela Embaixada da Espanha. A partir de 1972 participa de importantes coletivas e, a partir de 1979 expõe individualmente em todo o País. Possui extenso e significativo curriculum de exposições e prêmios. Conquista em 2003 a Grande Medalha de Ouro, no 54º Salão Paulista de Belas Artes. JULIO LOUZADA vol. 10 pag. 246 e 247

018 - DAREL VALENÇA LINS - (1924)
LL Galo - a - 26 x 18 - cid
Este importante pintor, gravador, desenhista e professor, conquistou em 1957, no SNAM, o prêmio de viagem ao estrangeiro, voltando a ser contemplado na VII Bienal de São Paulo, como o melhor desenhista nacional. Foi aluno de Henrique Oswald e recebeu aconselhamento técnico de Goeldi. MEC vol.3, pág. 18; PONTUAL, pág.160/161; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 715; ARTE NO BRASIL, pág. 839; LEONOR AMARANTE, pág. 125; Acervo FIEO.

019 - GILDA LISBOA - (XX)
LL Barcos - ost - 80 x 60 - cid
Carioca, nascida de família tradicional, bisneta do almirante Tamandaré, Gilda Lisboa se projetou como artista plástica na década de 40, atuando principalmente no Rio de Janeiro. Estudou desenho com Eurico Alves e pintura na Sociedade Brasileira de Belas Artes. Nos anos 60 realizou importantes exposições individuais. Foi detentora de vários e significativos prêmios. JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 545 e 546

020 - SALVADOR SANTISTEBAN - (1919 - 1995)
LL Retrato de Angelo Simeone - dc - 43 x 30 - cid
Pintor e desenhista nascido em Sorocaba, SP. Foi aluno de Angelo Simeone na Associação Paulista de Belas Artes. Participou de diversas exposições coletivas, realizando outras tantas individuais. Recebeu premiações nos salões que participou a partir de 1948 até 1993. Em 1972 fez turnê artística pela Europa na companhia dos pintores: Omar Pellegatta, Giancarlo Zorlini, Salvador Rodrigues Junior, Carnelosso e Angelo Simeone. Possui obras em diversos museus paulistas. JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 1017; Acervo FIEO.

021 - ROBERTO DE LAMONICA - (1933 - 1995)
LL Composição - grav. - 91 x 60 - cid
Gravador, pintor e professor. Inicia seus estudos na Escola de Belas Artes de São Paulo. Trabalha no Museu de Arte de São Paulo sob orientação de Poty e Darel; mais tarde, estuda gravura com Renina Katz. Em 1958, muda-se para o Rio de Janeiro e estuda com Orlando da Silva no Liceu de Artes e Ofícios. No ano seguinte, aperfeiçoa-se com Johnny Friedlaender no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Em 1963, é convidado para lecionar na Escola de Belas Artes de Minneapolis, Estados Unidos. Em 1965, recebe a Bolsa Guggenheim e, no ano seguinte, vai para Nova York onde leciona gravura em várias instituições, como a New School for Social Research e a Art Students League. De 1982 a 1984, dirige o atelier de gravura da Universidade de Sydney. ITAÚ CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 521.

022 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Ouro Preto - ost - 40 x 50 - cid
Romeno da cidade de Hotin, Waidergorn veio para o Brasil em 1932, onde seus pais fixaram residência em São Paulo. Ingressou na APBA, onde conheceu Mecatti, que muito o estimulou e orientou, dele assimilando a luminosidade da pintura peninsular muito a gosto do ottocento italiano. Sua pintura aborda todos os gêneros, baseadas tanto nas recordações da infância pobre como nas lembranças das viagens que fez ao norte da Africa e Europa. Participou de diversos salões e coletivas, recebendo diversas premiações JULIO LOUZADA vol.11, pág. 330; Acervo FIEO.

023 - GUIMA - (1927 - 1993)
LL Figuras fantásticas - tm - 18 x 23 - cie - 1967
Pintor e desenhista de mérito invulgar, Guima era paulista de Taubaté, residiu por muitos anos no Rio de Janeiro e praticava o figurativismo expressionista, por vezes eivado de notas líricas, de outras descambando para o fantástico. MEC, vol. 2, pág. 306; PONTUAL, pág.257; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 377/8; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 407; ITAÚ CULTURAL.

024 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX -
LL Veneza - osm - 18 x 39 - n/as.

025 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL Igreja - dc - 45 x 32 - cid - 1965
Fez parte da Família Artística Paulista, grupo com o qual expôs. Notáveis foram suas paisagens, tendo José Geraldo Vieira afirmado ser ele "o pintor da paisagem paulistana". MEC, vol. 4, pág. 531; PONTUAL, pág. 557; TEODORO BRAGA, pág. 250; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 451; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 778; LEONOR AMARANTE, pág.38; Acervo FIEO.

026 - ANGELO CANTÚ - (1881 - 1955)
LL Mulher - ost - 63 x 50 - csd - 1910
Com estudo no dorso. -Italiano de Milão, onde nasceu a 3 de agosto de 1881. Frequentou a Academia de Brera, daquela cidade, sob a orientação de Cesar Tallone. Grande retratista, ganhou notoriedade face a esta sua especialização. Participou de 1908 endiante a todas as Bienais de Brera e 'as Quadrienais de Torino. Nos anos de 1913, 1914 e 1921, expôs com grande sucesso no Brasil, nas cidade de São Paulo, Santos e Rio de Janeiro. Lecionou pintura no Rio de Janeiro. TEODORO BRAGA, pág. 64; LAUDELINO FREIRE, pág. 518; REIS JR., pág. 377; MEC, vol. 1, pág. 336; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 394; JÚLIO LOUZADA, vol. 1, pág. 209; ITAÚ CULTURAL.

027 - SERGIO TELLES - (1936)
LL " Centro de SP " - ost - 46 x 38 - cid - 2007
Com certificado de autenticidade firmado pelo artista. -Pintor, professor e diplomata, estudou pintura na ENBA/Rio; foi discípulo de Levino Fanzeres, Paul Gagarin, Rodolpho Chambelland e Paschoal Valente. Artista de renome internacional, consagrou-se pela sua requintada técnica de composição e domínio da cor. Com exposição retrospectiva programada para o Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro em 2009. TEIXEIRA LEITE, pág. 503; MEC, vol. 4, pág. 380; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 319; ITAÚ CULTURAL. Acervo FIEO.

028 - JOHN GRAZ - (1891 - 1980)
LL Anunciação - dn - 20 x 14 - cid
Com certificado de autenticidade do Instituto John Graz. -Pintor suíço, estudou em Genebra, Munique e Paris. Casando-se com a brasileira Regina Gomide em 1920, fixou-se no Brasil, de onde não mais sairia. Foi um dos integrantes da Semana de Arte Moderna de 1922. Sua arte alia decorativismo e estilização. TEODORO BRAGA, pág. 112; PONTUAL, pág. 251; MEC, vol. 2, pág. 283; ITAU CULTURAL.; WALTER ZANINI, pág. 530; ARTE NO BRASIL, pág. 672; LEONOR AMARANTE, pág. 200, Acervo FIEO.

029 - ALICE GONSALVES - (1901 - 1987)
LL Natureza morta - osm - 37 x 46 - cid
Pintora paulista, com diversas participações em exposições coletivas nacionais. Recebeu menção honrosa no Salão Paulista de Belas Arte de 1949. MEC, vol. 2, pág. 276; JULIO LOUZADA, vol, 5 pág 447

030 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Paisagem - ost - 38 x 46 - cie e d
Nascido em Manaus, pioneiro mundial da arte não-figurativa (a qual já praticava desde 1916), Santiago estudou no RJ com Visconti, e foi o principal responsável pelo Núcleo Bernardelli, no qual se formaram tantos dos melhores artistas do Modernismo carioca. Sua arte é um neo-impressionismo de belo colorido e opulentos efeitos de textura. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, pág. 241; TEODORO BRAGA, pág. 211/212; Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, MEC-MNBA / /Rio/1944; MAYER/84, pág. 1158; REIS JR., pág. 378; PONTUAL, pág. 473; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 292; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

031 - DIONISIO DEL SANTO - (1925 - 1999)
LL Figuras - g - 16 x 11 - cid
Pintor, desenhista, gravador e serigrafista, nasceu em Colatina-ES, e faleceu em Vitória, naquele mesmo Estado. Autodidata. Em 1975, recebe o Prêmio de Melhor Exposição de Gravura do Ano, da APCA. Participou da 9ª Bienal Internacional de São Paulo, 1967 (Prêmio Itamarati Aquisição) e do Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1968 (Prêmio Isenção do Júri). JULIO LOUZADA vol.11, pág. 88; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 934.

032 - COLETTE PUJOL - (1913 - 1999)
LL Casario - ose - 33 x 24 - cie
Esta premiadíssima pintora e professora paulistana, recebeu as suas primeiras aulas de desenho e pintura de Antonio Rocco e de Lucília Fraga, ainda na capital paulista. Residindo em Salvador, freqüentou a Escola de Belas Artes, onde foi aluna de Presciliano Silva (1942 a 1944); a partir de 1946 até 1949, estudou na Europa. Possui obras em museus brasileiros. PONTUAL, pág. 440; MEC, vol. 3, pág. 438; TEODORO BRAGA, pág. 73; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

033 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gofinho - e em fib. - 63 x 20 - as. - 2006
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. -Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

034 - MARIA DA PAZ MECATTI - (1918 - 1976)
LL Natureza morta - ost - 100 x 70 - cid
Natural dos Açores, Portugal, onde nasceu a 11 de outubro de 1918, vindo a falecer em São Paulo, em 4 de setembro de 1976, onde foi ativa. Foi casada com o pintor Dario Mecatti. Disfrutou de reconhecimento nacional e internacional, com unanimidade de critica e de público. Expôs suas obras a partir de 1938, na Europa, e também nas cidades de Buenos Aires, Lisboa, Florença e São Paulo.

035 - WALDOMIRO DE DEUS - (1944)
LL Saci pererê - ast - 50 x 40 - cid e d - 1986
Com etiqueta do Atelier do artista, no dorso. -Baiano de Boa Nova, Waldomiro de Deus é pintor e gravador. Em São Paulo desde 1960, expunha seus trabalhos nas praças da capital. Expõe em espaços oficiais desde 1965, inclusive no exterior. Ao todo já realizou mais de 100 exposições, com sucesso de crítica e de público. O seu trabalho mescla o misticismo religioso afro-baiano com elementos do cotidiano. ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 239; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

036 - ANATOL WLADISLAW - (1913 - 2004)
LL Composição - tm - 35 x 49 - cid - 1975
Pintor e desenhista nascido em Varsóvia, Polonia; faleceu em São Paulo, aos 91 anos de idade. No Brasil desde 1930, fixou residência em São Paulo, naturalizando-se brasileiro. Dedicou-se à pintura e ao desenho a partir de 1946, participando da I à IX Bienal, recebendo diversas premiações. Formado em engenharia no Mackenzie, tornou-se um dos pioneiros da arte abstrata, participando ativamente do movimento Ruptura, ao lado de Valdemar Cordeiro, Lothar Charoux e Luiz Sacilotto. Figura no acervo do MAM-RJ e MNBA de Buenos Aires. JULIO LOUZADA, VOL, 4, pág, 1177. MEC, VOL, 4 pág, 512. TEIXEIRA LEITE, pág, 544. WALMIR AYALA, VOL 2. pág, 442; PONTUAL, pág. 553; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 921.

037 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL Paisagem - psa - 15 x 15 - cid e d - 1988
Considerado por muitos críticos e colecionadores como o mais típico dos nossos pintores ingênuos, Silva foi o intérprete da cena rural de São Paulo, num estilo expontâneo em que assomam, por vezes, soluções plásticas inesperadas. MEC, vol. 4, pág. 256; PONTUAL, pág. 493 e 494; TEIXEIRA LEITE, pág. 478; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 958; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 958; BENEZIT, vol. 9, pág. 602; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 227; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 171; Acervo FIEO.

038 - OSWALDO GOELDI - (1895 - 1961)
LL Puxando a rede - dn - 14 x 21 - cid
Desenhista, gravador e professor, nascido no Rio de Janeiro, filho de Emilio A Goeldi, naturalista suiço. A partir dos seis anos estudou na Suiça. Sua obra sofreu influência do expressionista austríaco Alfred Kubin. Retornando ao Brasil em 1919, realizou no Rio de Janeiro sua primeira exposição em 1921, no Liceu de Artes e Ofícios. Publicou albuns e ilustrou diversos e importantes livros. É artista altamente conceituado no País e no exterior, tendo merecido diversas homenagens póstumas, inclusive em filme. PONTUAL pág. 240; JULIO LOUZADA vol.11, pág130; MEC vol. 2, pág.271; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 521; ARTE NO BRASIL, pág. 672; Acervo FIEO.

039 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Mulheres - dn - 29 x 21 - cid
Reproduzido na pág. 91 no livro " Carybé - as sete portas da Bahia ", livraria Martins Editora - São Paulo. -Desenhista, gravador, pintor e escultor, radicado na Bahia. Sua arte é lírica, de boa técnica, baseada no povo, que lhe forneceu o melhor da sua temática. PONTUAL, pág. 116; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 180 e 181; TEIXEIRA LEITE, págs. 111 e 112; MEC, vol.1, pág. 355; BENEZIT, vol. 2, pág. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717;ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

040 - GENTIL GARCEZ - (1903 - 1992)
LL Mar revolto - ost - 80 x 120 - cid
Sua primeira individual deu-se em 1922. Participou assiduamente de certames artísticos realizados em São Paulo e em outras cidades do País. TEODORO BRAGA, pág. 105; MEC, vol. 2, pág. 240/241; JULIO LOUZADA, vol 1, pág. 410; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

041 - GUIOMAR FAGUNDES - (1893 - 1975)
LL Flores - ost - 45 x 65 - cie
Pintora e aquarelista natual de São Paulo, Capital. Seu primeiro mestre foi Oscar Pereira da Silva, em SP e depois Angelo Cantu, que a aconselhou a ir para Milão, aperfeiçoar-se. Também estudou na França e Portugal, onde fez exposição de suas obras, obtendo sucesso de público e de crítica. Exerceu a profissão e lecionou até os últimos anos de vida. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 381/382

042 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Egípcia - dn - 27 x 17 - cid
Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista. Realizou mais de cem mil desenhos, não se conhecendo um único ruim. Observador arguto, retratou com maestria e humor o cotidiano de sua cidade natal, da qual, consta, ausentou-se por duas únicas ocasiões. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646.

043 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Cão - e em b - h = 7 - n/as.

044 - ARLINDO CASTELANE DI CARLI - (1910 - 1985)
LL Natureza morta - ose - 20 x 30 - cid
Ex-coleção Lucydio Ceravolo - São Paulo. Com número 781 do Atelier do artista, no dorso. -Pintor e escultor. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, onde foi aluno de José Maria da Silva Neves e de Enrico Vio. Suas primeiras realizações foram na pintura. Mais tarde passou a dedicar-se também à escultura. Sofreu influência do pintor Armando Balloni. Em 1942, estreando no SPBA, recebeu prêmio de menção honrosa, seguindo-se nos anos posteriores, diversas premiações, inclusive de viagem ao estrangeiro. MEC, vol. 1, pág. 355; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 183 e 184; ITAÚ CULTURAL.

045 - TORQUATO BASSI - (1880 - 1967)
LL Pescador - ost - 50 x 65 - cie
Nascido em Ferrara / Itália, veio para o Brasil ainda muito jovem, fixando-se em São Paulo, onde desenvolveu sua vida artística. Participou durante anos do Salão de Belas Artes do Rio de Janeiro, Salão Paulista de Belas Artes e de mostras de pintores italianos. Tem obras na Pinacoteca do Estado de São Paulo e no Museu Paulista de Belas Artes. TEODORO BRAGA, pág. 47; PONTUAL, pág. 58; MEC, vol. 1, pág. 188; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 89; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

046 - JOSÉ MARQUES CAMPÃO - (1892 - 1949)
LL Vendedores de flores no Teatro Municipal - a - 45 x 59 - cie - 1936
Excelente paisagista paulistano, aluno de Oscar Pereira da Silva, da Academia Julian - Paris, e da Escola Nacional Superior de Belas Artes de Paris, entre 1912 e 1918. Foi membro da Comissão de Orientação Artística de São Paulo em 1944. Expôs no Salão dos Artistas Franceses e em diversas exposições coletivas e individuais. TEODORO BRAGA, pág. 61/62; PONTUAL, pág. 102; MEC, vol. 1, pág. 331; REIS JR., pág. 374; WALMIR AYALA, vol. 1,pág. 160; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

047 - ERICO DA SILVA - (1932 - 2004)
LL " Esperança " - ost - 130 x 80 - cid e d - 1976
Nascido em Itajaí, SC. Participou de diversos salões nacionais de arte moderna, recebendo diversas premiações, inclusive de aquisição. A partir de 1970 realiza pesquisas no campo do objeto. JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 299; PONTUAL pág. 491; MEC vol. 4, pág. 249; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

048 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL " São Francisco " - ast - 33 x 41 - cie e d - 1982
Com etiqueta de Oscar Seraphico Galeria de Arte - Brasília/DF, no dorso. -Natural de Carmópolis, SE. Pintor e desenhista. Radicado no Rio de Janeiro desde 1955. Em 1959 fez suas primeiras apresentações em coletivas. Estreou no SNAM, obtendo o prêmio de viagem ao exterior (1969). Pertencente àquele grupo de artistas que organizam seu trabalho em torno de valores culturais vindos da expressão popular, o artista assumiu como um dos temas de sua pintura a imagem do ex-voto., escultura religiosa de caráter popular e votivo. O ex-voto representa, para o artista, um ponto de partida na realização de uma paisagem brasileira sem conotações urbanas. É uma pintura em que o mundo dos homens é construído pelos homens e por suas criações. O artista empresta às figuras com que trabalha, os ex-votos, conotações de análise ideológica, e o faz sem palavras, apenas pela força da presença visual. Figurou em diversas coletivas nacionais e internacionais, conquistando prestigio de critica e público. MEC vol.3, pág.42; PONTUAL, pág. 330 e 331; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; Acervo FIEO.

049 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Mulheres - dn - 20 x 16 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 010 deste catálogo.

050 - SYLVIO PINTO - (1918 - 1997)
LL Pescadores - ose - 28 x 35 - cid
Reproduzido sob o n.° 131 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Freqüentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro, lá recebendo suas primeiras noções de desenho. Mais tarde, recebe lições do pai - o Pinto das Tintas. Conheceu Pancetti na casa paterna. Em 1938 estudou no Núcleo Bernardelli e a partir de 1940 dedica-se exclusivamente à pintura. Participou de vários Salões de Belas Artes, recebendo inúmeros prêmios. MEC, vol. 3, pág. 419, Acervo FIEO.

051 - BUSTAMANTE SÁ - (1907 - 1988)
LL Paisagem de Miguel Pereira - RJ - ost - 50 x 70 - cid e d
Reproduzido na pág. 91 do livro " A Pintura de Bustamante Sá " de autoria de Quirino Campofiorito. -Natural da cidade do Rio de Janeiro, estudou na ENBA naquela cidade, onde foi aluno de Rodolfo Amoedo e Rodolfo Chambelland. Participou do Núcleo Bernardelli, do qual foi um dos fundadores em 1931. Participou de sucessivas versões do SNBA a partir de 1928, recebendo diversas premiações. Excepcional pintor do gênero paisagem. TEODORO BRAGA, pág. 59; REIS JR. , pág. 385; MEC,vol. 4, pág. 127; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 145 e 147; TEIXEIRA LEITE, pág. 94; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 47; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763; Acervo FIEO.

052 - ARMANDO VIANNA - (1897 - 1988)
LL Gado - ostcc - 71 x 86 - cid - 1960
Este grande pintor carioca foi discípulo de Rodolfo Chambelland e Rodolfo Amoedo na antiga Escola Nacional de Belas Artes e de Eurico Alves e Stefano Cavalaro, no Liceu de Arte e Ofícios do Rio de Janeiro. É ainda hoje, considerado um dos maiores aquarelistas brasileiros. Realizou exposições individuais e em todas as principais capitais brasileiras. MEC vol.4, pág.470; JULIO LOUZADA vol.3, pág.186. PONTUAL pág. 538; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

053 - DOMINGOS DA TRINDADE LOPES - (XX)
LL Carranca - e em mad. - h = 54 - as. - 1980 - Petrolina
Domingos da Trindade Lopes, ou Lopes de Petrolina, é genro de Ana das Carrancas e começou a trabalhar, aos 12 anos, como ajudante de marceneiro. Em 1971, veio a inspiração para as carrancas em cedro e umburana. Em 1981, Lopes participou com Ubaldino, filho de Guarany, de uma exposição no Rio de Janeiro, no Serviço de Documentação da Marinha, organizada pelo engenheiro Paulo Pardal, autor do livro Carrancas do São Francisco, em homenagem aos 99 anos do escultor baiano de Santa Maria da Vitória, bisneto de índio, Francisco Biquiba dy Lafuente Guarany (1884 - 1985). Marceneiro das margens do rio Correntes, afluente do São Francisco, fez a primeira figura de proa, em 1901, para a Barca Tamandaré. Revista Continente - Companhia Editora de Pernambuco - CEPE.

054 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Crustáceo - dn e a - 23 x 27 - cid - 1962
Com dedicatória. Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins.- - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 033 deste catálogo.

055 - MANABU MABE - (1924 - 1997)
LL Composição - tm - 23 x 32 - cid - 1986
Reproduzido sob o n.° 129 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Pintor autodidata, veio para o Brasil com a família em 1934, fixando-se em Lins-SP, onde trabalhou na lavoura do café; ligado ao abstracionismo informal, até a metade dos anos 50 fez pintura figurativa, especialmente paisagens e naturezas mortas; dedicou-se ainda à tapeçaria. ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1050; TEIXEIRA LEITE, pág. 296; PONTUAL, pág. 325/6; MEC, vol. 3, pág. 13; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 644; LEONOR AMARANTE, pág. 83, Acervo FIEO.

056 - RENOT - (1932)
LL " Vaso erótico " - ost - 50 x 65 - csd e d - 1995 - Bahia
Tapeceiro, desenhista e pintor baiano, ativo em São Paulo desde 1978, com diversas premiações, exposições e leilões. Também atua no mercado de arte como "marchand". JULIO LOUZADA vol.1, pág. 816, Acervo FIEO.

057 - OSCAR NIEMEYER - (1907)
LL Palácio da Alvorada - dn - 24 x 36 - cid
Oscar Niemeyer Soares Filho nasceu no Rio de Janeiro. Arquiteto, gravador e urbanista. Forma-se em arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes - ENBA, Rio de Janeiro, em 1934. Nesse ano, passa a freqüentar o escritório do arquiteto e urbanista Lucio Costa. Em 1936, integra a comissão criada para definir os planos da sede do Ministério da Educação e Saúde, no Rio de Janeiro, com a supervisão do arquiteto suíço Le Corbusier, a quem assiste como desenhista. Entre 1940 e 1944 projeta o conjunto arquitetônico da Pampulha, Belo Horizonte - MG, que se configura como um marco de sua obra, pois rompe com os conceitos rigorosos do funcionalismo e utiliza uma linguagem de formas novas, de superfícies curvas, explorando as possibilidades plásticas do concreto armado. Em 1947, é convidado pela Organização das Nações Unidas - ONU a participar da comissão de arquitetos encarregada de definir os planos de sua futura sede em Nova York. Seu projeto, associado ao de Le Corbusier, é escolhido como base do plano definitivo. No Rio de Janeiro, em 1955, funda a revista ‘Módulo’ e no ano seguinte começa a colaborar na construção da nova capital do Brasil, Brasília, cujo plano urbanístico é confiado a Lucio Costa. Participou da I e II Bienal Internacional de São Paulo. Em 1965 é realizada uma retrospectiva sua no Museu do Louvre, Paris, a primeira dedicada a um arquiteto. Projetou inúmeras obras pelo mundo e recebeu vários prêmios. O Parque Ibirapuera (1951), São Paulo, também foi um dos seus grandes projetos. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL.5, PÁG.744; VOL.6, PÁG.785; MEC, VOL.3, PÁG. 263; DICIONÁRIO OXFORD; www.niemeyer.org.br.

058 - THEODORO DE BONA - (1904 - 1990)
LL Flamboyant - osm - 18 x 24 - cid - 1949 - Rio
Natural de Morretes, PR, onde nasceu a 11 de junho de 1904, e falecido em Curitiba, PR, em 20/9/1990. Pintor e desenhista.Foi aluno de Gina Bianchi e Ercília Cecchi. Frequentou assiduamente o ateliê do pintor Alfredo Andersen, convivendo com Traple, Freyesleben, Augusto Perneta, Taborda Jr e outros artistas locais. Aperfeiçoou-se na Europa, para onde seguiu em 1927. Estudou na Real Academia de Belas Artes de Veneza, frequentando aulas de Ettore Tito e Vicenzo Stefani. No Brasil, a partir de 1936, expõe com sucesso as suas obras e leciona pintura e desenho na Escola de Belas Artes do Paraná. JULIO LOUZADA vol. 13 pág. 44; ITAÚ CULTURAL.

059 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Círculo - lito. P.A. 7/15 - 70 x 50 - cid - 1976
Pintor e desenhista austríaco, natural de Viena, transferiu-se para o Brasil em 1928, fixando residência em São Paulo, Estudou no Liceu de Artes e Ofícios da cidade, onde conheceu Valdemar da Costa, com ele fazendo aprendizado de pintura a partir de 1940. Artista estável, sua evolução não sofreu sobressaltos, uma vez formado numa linguagem linear de sensibilidade pessoal, despojada e exigente, rigorosamente artesanal. PONTUAL, pág. 131; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI pág. 645; ARTE NO BRASIL, pág. 798; Acervo FIEO.

060 - NONÊ DE ANDRADE - (1914 - 1972)
LL A despedida - ost - 65 x 92 - cie
Pintor, desenhista e escritor, nascido e falecido em São Paulo, Capital. O artista era filho de Oswald de Andrade, um dos idealizadores da Semana de Arte Moderna. Iniciou seus estudos em Paris, e, no Brasil, recebeu orientação de Portinari, Segall, Tarsila e Anita Malfatti, filiando-se desde então às tendências inovadoras das artes plásticas brasileiras. Expositor do SNBA-RJ e da Bienal de SP. São numerosas as referências críticas a respeito de sua obra. MEC, vol 1 pág. 100; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; LEONOR AMARANTE, pág. 75, Acervo FIEO.

061 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Mula sem cabeça - dn - 15 x 24 - cid - 1929
Ex coleção Ninoross Bastos Ribeiro - São Paulo. -Monstro sagrado da pintura brasileira, Tarsila é a criadora de duas das principais tendências ou movimentos de nossa arte nacionalista: o Pau Brasil (1924) e o Antropofagia. Sua arte poderia ser definida como um Cubismo adaptado às condições e ao temperamento brasileiros. TEODORO BRAGA, págs. 220/21/22/23; REIS JR.-págs.388/89 ; WALMIR AYALA, vol. 2-págs. 365 e 367 ; MEC, vol. 4-págs. 370/71; PONTUAL, pág. 511; TEIXEIRA LEITE, pág. 492; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 389; ARTE NO BRASIL, pág. 577; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

062 - ANTONIO HENRIQUE AMARAL - (1935)
LL Composição - dn e a - 13 x 21 - cid - 1962
Gravador, desenhista e pintor, foi aluno de Lívio Abramo no MAM / SP, e de Shiko Munakata, no Pratt Graphic Art, em Nova York. Artista consagrado nacional e internacionalmente. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 37; MEC, vol. 1, pág. 73; PONTUAL, pág. 21;TEIXEIRA LEITE, pág. 23 a 25; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 754; ARTE NO BRASIL, pág.903; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.

063 - MIGUEL DOS SANTOS - (1944)
LL Animal fantástico - cer. - 28 x 28 - cid e d - 1973
Pintor, desenhista e ceramista pernambucano da cidade de Caruaru. " ... é um ceramista ligado por raízes profundas 'a imagística popular. Suas formas (atropomorfas) e suas cores, são mais um estandarte contra a resignação e a indignidade. O onírico de suas cerâmicas é o grito mais alto dessa rica forma de arte do Nordeste" (catálogo da exposição do artista na Universidade da Bahia, em 1968) JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 793; ITAÚ CULTURAL.

064 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL Vênus e Pássaro - ost - 58 x 80 - cid
Obra reentelada. Ex-coleções Ibrahim Sued; José Maria Fonseca; Dr. Elviro Roque - Rio de Janeiro. -Esse grande pintor brasileiro, que estudou com Marques Júnior na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro, ingressando em seguida no Núcleo Bernardelli, onde se ligou de amizade a Pancetti, é hoje glória nacional. Sua carreira atravessou várias fases, desde a de cunho figurativo da déc. 30, ao construtivismo dos anos 50, para atingir afinal o figurativismo, das Vênus e Pássaros, passando pelas figuras esquematizadas da década de 1940. TEODORO BRAGA, pág. 163; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 229; MEC, vol. 2, pág. 13; BENEZIT, vol. 3, pág.315; ITAU CULTURAL; PONTUAL, pág. 155; WALTER ZANINI, pág. 573; ARTE NO BRASIL, pág. 763; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

065 - RODOLPHO CHAMBELLAND - (1879 - 1967)
LL Inverno - ost - 80 x 57 - cie - 1900
Pintor, professor, desenhista e decorador. Inicia seus estudos em artes no Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro (Rio de Janeiro RJ). Trabalha inicialmente realizando capas de partituras para a Casa Bevilacqua e retoques em fotografias para a Casa Bastos Dias. Em 1901, ingressa no curso livre da Escola Nacional de Belas Artes - Enba, onde é aluno de Rodolfo Amoedo (1857 - 1941), Zeferino da Costa (1840 - 1915) e Henrique Bernardelli (1858 - 1936). Em 1905, recebe o prêmio de viagem da Enba pelo quadro Bacantes em Festa e viaja para Paris no mesmo ano, onde permanece por dois anos. Em Paris, cursa a Académie Julien e estuda com Jean-Paul Laurens (1838 - 1921). Ao retornar ao Brasil realiza a primeira individual, no Rio de Janeiro, em 1908. Em 1911, viaja para Turim, Itália, acompanhado de Carlos Chambelland (1884 - 1950), seu irmão, e dos artistas João Timótheo da Costa (1879 - 1930) e do irmão Arthur Timótheo da Costa (1882 - 1922), entre outros, contratados pelo governo brasileiro para realizar a decoração do Pavilhão do Brasil na Exposição Internacional daquela cidade. Em 1916, assume a cadeira de professor de desenho de modelo vivo da Enba, cargo que exerce até 1946. Participa freqüentemente das Exposições Gerais de Belas Artes, entre 1896 e 1927, recebendo a pequena medalha de ouro, em 1912, pelo retrato de José Mariano Filho. Em colaboração com Carlos Chambelland, pinta oito painéis para a cúpula da sala de sessões do Palácio Tiradentes, no Rio de Janeiro em 1920.

066 - HENRI MATISSE - (1869 - 1954)
LL Mulher deitada - grav. 48/200 - 42 x 55 - cid
Desenhista, pintor, gravador, escultor e artista gráfico francês, Henri-Émile-Benoît Matisse nasceu em Le Cateau – Cambrésis e faleceu em Nice. Assinava Henri Matisse. Em 1891 abandonou o direito pela pintura, estudando com Bouguereau e Moreau, com quem permaneceu até 1896. Depois pintou com Marquet, conheceu Derain e Vlaminck, e, em 1905, com estes e outros amigos do estúdio de Moreau: Friesz, Manguin, Rouault e Dufy realizaram a exposição do ‘Salon d’Automne’ que deu origem ao nome ‘fauves’ (Fauvismo). Por volta de 1920, começou a ser considerado, ao lado de Picasso, como um dos maiores pintores vivos, e foi o mestre supremo das tendências artísticas que se caracterizaram pelo padrão caligráfico e pelo uso abstrato de cores puras. Trabalhou até o fim da vida com diferentes meios, sempre se adaptando à sua condição de saúde. Uma de suas obras mais importantes e originais foi a Capela do Rosário para o Convento Dominicano, em Vence, da qual Matisse projetou cada detalhe, incluindo as vestes dos sacerdotes. Sua obra está presente nos museus e na maior parte das grandes coleções de Arte Moderna do mundo. Em 2009, a Pinacoteca do Estado de São Paulo realizou a primeira exposição individual do artista em nosso país. BENEZIT VOL.7, PÁG. 259; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL.6, PÁG. 696; VOL. 10, PÁG.569; www.pinacoteca.org.br; DICIONÁRIO OXFORD DE ARTE – MARTINS FONTES.

067 - JOÃO BAPTISTA DA COSTA - (1865 - 1926)
LL " Teresópolis " - osm - 33 x 41 - cid e d
Com dedicatória. -Pintor e professor fluminense, de origem humilde, galgou com sabedoria e singular talento os degraus do sucesso no cenário das artes plásticas nacional. Aluno da Academia Imperial de Belas Artes-RJ, onde ingressou em 1885, já no ano seguinte obtinha, nessa condição, medalha de ouro. Foi aluno de Zeferino da Costa e Rodolfo Amoedo. Foi premiado diversas vezes, inclusive com viagem à Europa, onde desenvolveu a sua arte. Foi professor na ENBA até a sua morte. Sobre sua obra, escreveu Gonzaga Duque, no estudo que lhe dedicou, e publicado em 1929: "... A sua arte arrasta-nos ao seu cenário, prende-nos no seu ambiente, leva-nos a participar da emoção de seus tipos". JULIO LOUZADA, VOL 10, pág, 239; PONTUAL, págs. 61 e 62; TEIXEIRA LEITE, págs. 62 a 65; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 443; ARTE NO BRASIL, pág. 556; F. ACQUARONE, pág. 141.

068 - GIUSEPPE PERISSINOTTO - (1881 - 1965)
LL Natureza morta - ost - 50 x 62 - cid
Nascido em Musile, Veneza, Itália, veio para o Brasil ainda criança e cuja família radicou-se no interior de São Paulo. Fez estudos de pintura na Academia de Belas Artes de Veneza, para onde retornou aos dezoitos anos, prosseguindo para Florença e demais centros de arte da Itália onde se aperfeiçoou; retornou a cidade de São Paulo em 1912, dedicando-se exclusivamente a sua pintura que sempre teve como tema paisagens, marinhas naturezas mortas e figuras. Expôs em várias capitais do Brasil, com sucesso de crítica e público; foi um dos idealizadores do SPBA, ao lado de Souza Pereira e outros. ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

069 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Madona - a e g - 6 x 6 - cie - 1976
Nasceu em 27 de dezembro na cidade de Villa Collemandina, na Itália, e fixou-se no Brasil desde 1929, após ter estudado em Florença, e haver-se diplomado em pintura pela Academia Real de Pintura de Lucca. Pennacchi integrou a Familia Artística Paulista. Muralista de inspiração pré-renascentista, sua pintura é sensível e pessoal de modo especial na interpretação dos grandes temas bíblicos e da vida dos santos (mercê de uma infância marcada por sólida educação religiosa Católica), e na evocação do mundo caipira. Realizada em 1973, considerado o Ano de Pennacchi, importante retrospectiva da obra deste festejado artista no MAM de São Paulo. O artista fez exposições em Milão e foi homenageado em seu país natal. TEODORO BRAGA, pág. 192; MEC, vol, 3, pág. 365; WALMIR AYALA, vol, 2, pág. 182; PONTUAL, pág. 416; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 784; Acervo FIEO.

070 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Paisagem - osm - 30 x 33 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

071 - HÉLIOS SEELINGER - (1878 - 1965)
LL " Yarras - Amazônia " - ost - 136 x 186 - cie e d - 1937
Natural do Rio de Janeiro, seu pai era alemão e sua mãe brasileira, descendentes de franceses e gregos. O artista estudou na ENBA (1892-1896), onde foi aluno de Henrique Bernardelli. Recebeu influência do artista alemão Franz von Stuck, na Academia de Belas Artes de Munique, onde ali foram seus contemporâneos Kandinsky, Paul Klee e Franz Marc. SEELINGER decorou o salão nobre do Clube Naval do Rio de Janeiro, a convite do Ministério do Marinha (1910). PONTUAL, pág.481; TEIXEIRA LEITE, pág. 466; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 431; ARTE NO BRASIL, pág. 574.

072 - HEITOR DOS PRAZERES - (1898 - 1966)
LL Pierro com foliões - ose - 41 x 41 - cid - 1964 - Rio
Com autenticação da família do artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho. -Compositor e pintor, iniciou-se na pintura em 1937. São seus temas preferidos o samba, favelas cariocas, mulatas e malandros. Participou da I Bienal de SP (1951), sendo nela premiado. Mostrou a sua obra em diversas exposições, no Brasil e no exterior. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.247; MEC. Vol.3, pág.400; WALMIR AYALA. Vol.2, pág.194; TEIXEIRA LEITE, pág.408; PONTUAL, pag.439; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.810; LEONOR AMARANTE, pág. 266; 673; Acervo FIEO.

073 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Coruja - m em ac - h = 13 - as.
Artista cinético, pintor, desenhista, natural de Natal, RN. Em 1932, muda-se com a família para a região onde, atualmente, se localiza o Estado de Israel. Inicia seus estudos de arte no ateliê do pintor Haaron Avni e do escultor Sternshus e estuda estética com Shor. Freqüenta o Instituto Municipal de Arte de Tel Aviv. Retorna ao Brasil em 1948, e se instala no Rio de Janeiro. Convive com os artistas Ivan Serpa, Renina Katz e Almir Mavignier. Em 1954, integra o Grupo Frente, ao lado de Ivan Serpa, Ferreira Gullar, Mário Pedrosa, Franz Weissmann, Lygia Clark e outros. Desenvolve a partir de 1964 os Objetos Cinéticos, um desdobramento dos cinecromáticos, mostrando o mecanismo interno de funcionamento e suprimindo a projeção de luz. O rigor matemático é uma constante em sua obra, atuando como importante recurso de ordenação do espaço. É considerado internacionalmente um dos pioneiros da arte cinética. ITAUCULTURAL

074 - CARLOS FIGUEIRA - (XX)
LL Casario - a - 34 x 22 - cid - 1929 - Rio
Desenhista e pintor ativo no Rio de Janeiro onde participou do Salão Municipal de Belas Artes (1949) e do Salão do Mar (1968). MEC, VOL. 2; PÁG. 173.

075 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " Trabalhadores " - ose - 16 x 22 - cid - 1972
Estudou desenho na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro com Modesto Brocos, formando-se em arquitetura em 1932, nessa mesma escola. A partir de 1935, dedicou-se à pintura mural e, de 1937, à pintura de temas sociais, com predominância de motivos de operários em construção e trabalhadores rurais. Caracteriza-se por uma grande versatilidade técnica, sendo dos raros pintores brasileiros a utilizar, lado a lado, o óleo, a têmpera e a encáustica, além da aquarela e do guache. Participou do Núcleo Bernardelli. PONTUAL, pág. 489; MEC, vol. 4, pág. 243; TEIXEIRA LEITE, pág. 475 e 476; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 324 a 327; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763, Acervo FIEO.

076 - FRANCISCO COCULILO - (1895 - 1978)
LL Pedra da Gávea e Morro Dois Irmãos - osm - 33 x 41 - cid - Rio
Paisagista nascido no Rio de Janeiro, aluno de Luiz Graner. Realizou exposições individuais em várias cidades brasileiras. Catálogo de Exp. de Paisagem Brasileira - MEC-MNBA/Rio/1944; MEC, vol. 1, pág. 40; TEODORO BRAGA, pág. 73; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 208; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 74; Acervo FIEO.

077 - ARTHUR LUIS PIZA - (1928)
LL " Lucarne " - grav. 164/200 - 47 x 33 - cid
Reproduzido sob o n.° 168 do livro " Piza - catalogue général de l'oeuvre gravé ". -Gravador e pintor paulista, foi aluno de Gomide, está radicado em Paris desde 1953, mas tem exposto regularmente no Brasil e na Europa com grande sucesso de crítica e venda. MEC, vol. 3, pág. 422; PONTUAL, pág. 428/29; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 250; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 855; LEONOR AMARANTE, pág. 75; Acervo FIEO.

078 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Casario - ost - 92 x 61 - cid
Nascido e falecido em São Paulo, DURVAL PEREIRA foi pintor e professor ativo em São Paulo. Premiado com a Menção Honrosa no SPBA em 1944, passou a viver exclusivamente da pintura. Pintava ao ar livre aos domingos com os pintores Salvador Rodrigues, Salvador Santisteban, Cirilo Agostinho, Jaime Dinis, Djalma Urban, Innocencio Borghese, e outros. Premiado praticamente em todos os Salões de que participou. Recebeu ao todo, 15 comendas das mais importantes do Brasil. Nos últimos três anos de sua vida, recebeu todos os Primeiros Prêmios e Medalhas de Ouro nas exposições de Paris, Rouen, Lyon, Roma, Miami e Milão. MEC, vol. 3, pág. 368; JULIO LOUZADA, vol. 1, págs. 749/750/751. ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

079 - LIVRO -
LL -
MAYER - International Auction Records, 7 volumes de 1991 a 1996. -

080 - SALVADOR SANCHES BARBUDO - (1858 - 1917)
LL " Os primeiros passos " - osm - 28 x 50 - cid - 1909
- Reproduzido no convite deste leilão. - Moldura no estado. Reproduzido em catálogo de leilão da Sotheby's realizado em 24/10/2006 - Nova Iorque. -Espanhol de Sevilha, BARBUDO estudou com o pintor José Villegas. Após, fixou residência em Roma, Itália, onde foi ativo. Participou em 1895 do Salão de Artistas Franceses, e expôs no Salão de Munique, em 1909. Os museus de Barcelona e Triste tem obras suas em acervo. BÉNEZIT vol. 1 pág. 436 - Art Price 2000 pág. 2207

081 - CLAUDIO TOZZI - (1944)
LL " Papagalia " - ase - 60 x 40 - cid e d - 1982
Pintor, arquiteto e gravador paulista com diversas exposições e participações em salões e bienais no Brasil e no exterior. Dedicou-se inicialmente à colagem e à gravura, numa utilização crítica das histórias em quadrinhos; numa fase posterior passou a criar múltiplos tridimensionais e a efetuar pesquisas em torno dos efeitos ópticos. WALMIR AYALA vol.2, pág.388/9; PONTUAL, pág.525/6; TEIXEIRA LEITE, pág. 512; ARTE NO BRASIL vol.2, pág.1059; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 740; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.

082 - NERÃO - (ANTONIO JOAQUIM NERY) - (1903 - 1997)
LL " A Favela e o Jokei Club Cidade Jardim " - ost - 38 x 46 - cid - 1985
Pintor primitivo, de singular criatividade em seus temas, expôs no MASP, tendo sido apresentado em catálogo pelo saudoso P. M. Bardi, que o considerava depois de José Antonio da Silva, o melhor pintor primitivo brasileiro,tendo inclusive realizado uma exposição individual do autor no MASP - SP. JULIO LOUZADA, vol. 2 pág. 715, Acervo FIEO.

083 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Capa para Revista Para Todos - dn e g - 35 x 26 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

084 - EMANOEL ARAÚJO - (1940)
LL Composição - e em f - h = 32 - as. - 1990
Gravador e escultor, o baiano Emanuel Araújo estudou com Henrique Oswald e expõe individualmente desde 1960, já tendo mostrado sua obra em inúmeras cidades do Brasil, Europa, Estados Unidos e Extremo Oriente. Foi Diretor da PINACOTECA do Estado de São Paulo, cujo cargo exerceu com extrema competência. TEIXEIRA LEITE, pág. 190; MEC, vol. 2, pág. 143; PONTUAL, pág. 37; JULIO LOUZADA, vol 1, págs. 68/69 e vol. 11, pág. 18; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 846; WALTER ZANINI, pág. 770; Acervo FIEO.

085 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL Ex-voto - ast - 46 x 65 - d - 1969
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

086 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Nu - tm - 11 x 8 - n/as.
Com carimbo e declaração do Leilão do Espólio de Antonio Bandeira realizado no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, no período de 1 a 10 de Dezembro de 1969 pelo Leiloeiro Ernâni lote 78, assinado pelo Secretário Executivo do MAM/RJ Brandão Reis. -Grande pintor brasileiro, nascido em Fortaleza, Ceará e falecido em Paris onde viveu a maior parte de sua curta e rica vida. Começando figurativo, num estilo expressionista, adotou, já em França, um não figurativismo lírico, algo à maneira do grande Wols, seu amigo que iria manter até o precoce fim. É um dos pioneiros da arte abstrata no Brasil. BENEZIT, vol.1, pág.415; MEYER/87, pág.606; MEC, vol.1, págs.159,160 e 167; PONTUAL, págs. 48 e 49; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 71 a 74; TEIXEIRA LEITE, pág. 52 a 54; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 599; LEONOR AMARANTE, pág. 34; Acervo FIEO.

087 - ANATOL WLADISLAW - (1913 - 2004)
LL Composição - dn - 16 x 20 - cid - 1950
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 036 deste catálogo.

088 - SAMSON FLEXOR - (1907 - 1971)
LL Composição - g - 40 x 30 - cid - 1954
Pintor nascido na Romênia, estudou em Paris, onde fez em 1927 sua primeira individual, radicando-se em 1946 em São Paulo, onde faleceu. Foi um dos pioneiros do abstracionismo no Brasil, tendo criado em 1948 o Atelier Abstração. Em 1968 sua obra foi objeto de importante retrospectiva no MAM-RJ. BENEZIT vol. 4, pág. 402; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 313/4; TEIXEIRA LEITE, pág. 198; PONTUAL, pág. 217/8; MEC, vol. 2, pág. 179 e 180; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 917; LEONOR AMARANTE, pág. 75; WALTER ZANINI, pág. 643, Acervo FIEO.

089 - BAJADO - (1912 - 1996)
LL " Bumba meu boi " - ose - 33 x 57 - cid e d - 1977
Natural de Maraial-PE, onde nasceu a 9 de dezembro de 1912, falecendo na cidade de Olinda, no dia 15 de Novembro de 1996. Viveu e foi ativo nas cidades de Recife e Olinda, onde era Cartazista e Pintor de Alegorias para Carnavais. Expôs individualmente em 1990 e 1992. Coletivamente expôs em São Paulo (mostra Tradição e Ruptura), Rio de Janeiro e Paris. Postumamente foram realizadas outras mostras de sua obra. "A matéria-prima de Bajado é o povo de Olinda, com seus costumes, sofrimentos e alegrias; ele os interpreta com bom-humor, em meio a uma atmosfera carnavalesca a que nem sequer faltam, por vezes, a nota fescenina, mulheres de maiô e as sereias praianas, de anatomia desengonçada e tão pouca sensualidade a olhos não-sertanejos. E quando pinta para açougues, neles figura touros enormes, ´bichos que se desgastaram no caminho desde as grutas de Lascaux e Altamira até o sujo matadouro de Peixinhos, e que são mais parentes que propriamente consumo desta população pobre´. " José Roberto Teixeira Leite, na obra abaixo. TEIXEIRA LEITE, pág.51; JULIO LOUZADA, vol.2, pág.96.

090 - RAIMUNDO CELA - (1890 - 1954)
LL " Peixeiro - Canto do Rio - Niteroí/RJ " - osm - 39 x 34 - cid e d - 1947
- Reproduzido no convite deste leilão. - Estudo do quadro de mesmo título reproduzido na pág. 237 do livro " Raimundo Cela 1890-1954 " Edições Pinakotheke. Reproduzido na capa do catálogo do Grande Leilão de Agosto de 1988, Organização Paulo Puglisi Galeria de Arte - Leiloeiro Roberto Castelli-SP. Com a seguinte inscrição no dorso: " 'Estudo' Canto do Rio-Niteroí 1947 ". -Pintor, desenhista, gravador e professor, Raimundo Cela nasceu em 19/7/1890, na cidade cearense de Sobral, e faleceu em Niterói, RJ, no dia 6/6/1954. Sempre fiel a temática nordestina, suas telas retratam movimentadas cenas de pesca, jangadeiros, mares bravios e as luminosas praias de Fortaleza. JULIO LOUZADA, vol 13, pág. 80; MEC, vol. 1, pág. 395; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 837; F. ACQUARONE, pág. 215.

091 - AGUSTIN SALINAS Y TERUEL - (1862 - 1915)
LL Paisagem - osm - 14 x 24 - cie - Roma
Com inscrições no dorso. -Pintor espanhol, fez seus estudos em Madrid e Roma, esteve no Brasil no início do século. BENEZIT, vol. 9, pág. 249; BOLAFFI, vol. 12, pág. 305; MAYER/84, pág. 1156; TEODORO BRAGA, pág. 210; ANUAIRE DES COTES INTERNATIONAL, pág. 1728; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 2202.

092 - CARMÉLIO CRUZ - (1924)
LL Mulher e pássaro - tm - 26 x 20 - cid - 1976 - Rio
Natural de Canindé, CE. Pintor e desenhista iniciou suas atividades artísticas em sua terra natal. De 1947 a 1950 lecionou desenho no Rio, na Associação Brasileira de Desenho. Fixou-se em São Paulo a partir de então, participando de diversas Bienais até 1967 e nos SNAM, de 1959 a 1963, recebendo diversas premiações. Expôs individualmente em diversas cidades do País. Sobre sua obra, assim se referiu Theon Spanudis (1965): "Partindo de algumas experiências plásticas de Paul Klee, desenvolveu nos últimos anos uma pintura sui-generis, que se caracteriza pelo feliz casamento de dois elementos diferentes, senão opostos (...) Um elemento rítmico, linear que invade a tela e a subdivide em segmentos rítmicos, e um elemento cromático, difuso", encontrando nas suas obras "evocações poéticas de muros antigos, muros abandonados, muros com musgo, e a melancolia de cidadezinhas do interior (...) com seus humildes casebres ritmicamente seriados." MEC, vol. 1, pág. 498; PONTUAL, pág. 152; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 224/226; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

093 - MANUEL EUDÓCIO - (1931)
LL Bumba meu boi - e em br pol. - h = 78 - as.
Manuel Eudócio Rodrigues, natural de Alto do Moura, próximo a Caruaru, (PE). Começa a modelar o barro da mesma maneira como as demais crianças criadas em ambientes oleiros no Brasil: observando os parentes próximos e fazendo animaizinhos de brincadeira. Em 1949, conhece Mestre Vitalino quando este se transfere para o Alto do Moura, tornando-se então seu discípulo. Assim como Zé Caboclo, seu cunhado, inicialmente produzia esculturas em barro natural. Influenciado pelo mercado, passa a pintar parcialmente as peças com tintas fortes e coloridas. Apaixonado pela "arte de boneco", criou um grande repertório de figuras: cangaceiros, casais de noivos a cavalo, maracatus e Bumba-meu-boi. É considerado um dos primeiros ceramistas da localidade onde nasceu e vive até hoje. Casado, teve nove filhos, dos quais cinco seguiram-lhe o ofício.

094 - SAUL STEINBERG - (1914 - 1999)
LL Figura - dn - 30 x 20 - cid
Desenhista, pintor, gravador, ilustrador, cartunista, escultor, natural da Romênia. Estudou Filosofia em Bucareste, Romênia e Arquitetura em Milão, Itália. Nos anos 30 publicou seus cartuns na revista italiana Bertoldo. Em 1940, seus desenhos começam a aparecer nas revistas Life e Harper’s Bazaar. Vai para os Estados Unidos em 1941 e passa a publicar, regularmente, seus trabalhos na revista The New Yorker por quase 60 anos, além de se dedicar intensamente às diversas formas de expressão. A primeira exposição de seus trabalhos se deu em Nova York, em 1943. E várias outras aconteceram por museus da Europa e Estados Unidos, inclusive no Museu de Arte de São Paulo, São Paulo. Uma retrospectiva de sua obra foi realizada no Museu Whitney de Arte Americana, em Nova York (1978) e uma póstuma no Instituto de Arte Moderna, em Valencia - Espanha (2002). BENEZIT, VOL. 9, PÁG. 805; MEC, VOL. 4, PÁG. 341; www.saulsteinbergfoundation.org; www.artcyclopedia.com/artists; www.britannica.com.

095 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL " Emblema - 84 " - ast - 50 x 35 - d - 1984 - Brasília
Baiano de Salvador, autodidata, Rubem Valentin pinta desde meados de 1940. Sua primeira coletiva foi em 1949, no Salão Baiano de Belas Artes, do qual participaria outras vezes, recebendo premiações. Viveu no Rio de Janeiro e na Europa, fixando residência permanente em Brasil, DF, há mais de 20 anos. O artista assim explicava a sua arte: "Minha linguagem plástico-visual signográfica está ligada aos valores míticos profundos de uma cultura afro-brasileira (mestiça-animista-fetichista). Com o peso da Bahia sobre mim - a cultura vivenciada; com o sangue negro nas veias - o atavismo; com os olhos abertos para o que se faz no mundo - a contemporaneidade; criando os meus signos-símbolos procuro transformar em linguagem visual o mundo encantado, mágico, provavelmente místico que flui continuamente dentro de mim". PONTUAL, pág.532; WALMIR AYALA, vol.2, págs.395 a 397; TEIXEIRA LEITE, pág.517; MEC, vol.4, pág.443; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.330; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 257, Acervo FIEO.

096 - WEGA NERY - (1912 - 2007)
LL Paisagem - ost - 33 x 46 - cie - 1950
Natural de Corumbá-MT, estudou desenho e pintura na Escola de Belas Artes em São Paulo entre 1946 e 1949. Nos anos 50, aperfeiçoou estudos com Joaquim da Rocha Ferreira, Yoshiya Takaoka e Samson Flexor. Participou do Grupo Guanabara em 1952 e do Atelier-Abstração, liderado por Samson Flexor, em 1953. Expõs individualmente a partir de 1955. Recebeu o prêmio de melhor desenhista nacional em 1957 e o prêmio aquisição nacional em 1963. PONTUAL, pág. 551; TEIXEIRA LEITE, pág. 541, JULIO LOUZADA vol.9, pág. 919; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 942; LEONOR AMARANTE, pág. 57.

097 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Guerreiro - dn e ag - 50 x 67 - cid - 2007
Desenhista, gravador, ilustrador, pintor, escultor e professor, nasceu em São Simão, SP. Estuda fundição, mecânica e entalhe em madeira na Escola Profissional Masculina do Brás, SP. Passa a realizar xilogravuras a partir de 1943. Atua como ilustrador do Suplemento Literário do ‘Diário de São Paulo’, do ‘O Estado de S. Paulo’ e do ‘Jornal do Estado da Guanabara’. Quando reside no Rio de Janeiro, a partir de 1949, freqüenta os cursos de gravura em metal, com Henrique Oswald e de litografia, com Poty, no Liceu de Artes e Ofícios. Em Salvador (1952), trabalha com Mario Cravo Júnior. .Recebe o prêmio de viagem ao exterior do Salão Nacional de Arte Moderna (1953) e vai para a Academia de Artes Aplicadas, em Viena. Passa a dedicar-se principalmente ao desenho, à litografia e à gravura em metal. Em 1969, sua obra completa é adquirida pelo governo do Estado de São Paulo, passando a integrar o acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo . Em 1978, a casa em que nasceu, em São Simão, é transformada em museu e tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo - Condephaat. Participou de muitas exposições e das Bienais de: São Paulo (1951 a 1961, 1967, 1969, 1979, 1985, 1989); Veneza (1950, 1956, 1958, 1962); Paris (1959). Principais prêmios: Bienal de São Paulo (1951, 1955, 1957, 1959, 1967); Bienal de Veneza (1950, 1956, 1958,1962); Bienal de Paris (1959). PONTUAL, PÁG. 249; MEC, VOL. 2, PÁG. 281 E 282; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL.1, PÁG. 439; VOL. 5, PÁG. 453; VOL. 9, PÁG. 383.

098 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Feira - v - 50 x 35 - cid - 1983
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 039 deste catálogo.

099 - NIOBE XANDÓ - (1915 - 2010)
LL Máscara - spray - 50 x 40 - csd
Pintora e desenhista natural de Campos Novos Paulista-SP. Foi ativa em São Paulo-SP. Autodidata, freqüentou o ateliê de Raphael Galvez a partir de 1946. Dentre as várias fases de sua obra merecem destaque as Flores Fantásticas, as Máscaras de origens africana e indígena, O Letrismo, o Mecanicismo e o Abstracionismo Geométrico. Participou de várias Bienais Nacionais e recebeu mais de 20 prêmios em Salões de Arte. Participou de mais de 100 exposições nacionais e internacionais e mereceu mais de 100 textos de críticos renomados. Em 2004 teve uma grande mostra antológica no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP). Em 2007 teve uma exposição retrospectiva fantástica e merecida na Pinacoteca do Estado de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol. 12, pág. 435; PONTUAL, pág. 554; WALTER ZANINI, pág. 717; Acervo FIEO; TEIXEIRA LEITE; BENÉZIT; BARDI, Pietro Maria. Profile of the New Brazilian Art. São Paulo. 1970; SCHENBERG, Mário. Pensando a Arte. São Paulo. 1988. Acervo FIEO.

100 - RUBENS GERCHMAN - (1942 - 2008)
LL " Ar " - osc - 61 x 46 - cid - 1967
- Reproduzido no convite deste leilão. - Participou de exposição individual do artista realizada na Galeria de Arte 'Arte' - São Paulo em 1967 , de Ralph Camargo e Giuseppe Baccaro. -Importante artista, foi representante da vanguarda da arte brasileira. Pintor, desenhista e gravador, frequentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro (1957/8) e a antiga ENBA (1959-1962), estudando xilogravura com Adir Botelho. Participou dos XIX e XXI SPar.BA (1962-1964 / com prêmios), XI, XIII, XIV, XV e XVI SNAM (entre 1962-1967), além de inúmeros outros salões e mostras oficiais no Brasil e no exterior. JULIO LOUZADA vol. 13 pág. 148; PONTUAL, pág. 235; TEIXEIRA LEITE, "in" A GRAVURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 974; LEONOR AMARANTE, pág. 143, Acervo FIEO.

101 - LIONELLO BERTI - (1927 - 1976)
LL Prédios - ost - 70 x 100 - cid
Natural de Florença, Itália, onde fez seu aprendizado com Ottone Rosai na Academia de Belas-Artes de Florença. No Brasil desde 1957 (Rio de Janeiro, depois Ribeirão Preto-SP, onde faleceu), participou de diversas coletivas, recebendo premiações. Sua obra tem estilo expressionista. TEIXEIRA LEITE, pág. 74; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 84.

102 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
LL Estudo para o Fuzileiro Naval - dn - 52 x 39 - cse - 1938
Reproduzido sob o n.° 120 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Pintor, arquiteto-paisagista, desenhista, decorador, artesão de jóias, tapeceiro e litógrafo, nascido em São Paulo-SP. Em 1913 muda-se com a família para o Rio de Janeiro, estudando arquitetura a partir de 1927 na antiga Escola Nacional de Belas Artes. A partir de 1931 trava conhecimento e desfruta da amizade dos modernistas, como Mario de Andrade, Anibal Machado, Guignard, Murilo Mendes, Tarsila, Oswald de Andrade, entre outros. Artista de méritos, ocupa lugar de destaque na cultura nacional. PONTUAL, pág. 94; TEIXEIRA LEITE, pág. 93; MEC. vol.1, pág.303; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.564; ARTE NO BRASIL, pág. 738; LEONOR AMARANTE, pág. 98.

103 - ALFREDO CESCHIATTI - (1918 - 1989)
LL Banhista - e em b - h = 150 - b - 1967
Com certificado de autenticidade. Peça com cachê da Fundição Zani, certificado do fundidor e nota fiscal de compra emitida em 1994. Ex-coleções: Alfredo Ceschiatti; B75 - Concorde Galeria de Arte Ltda - Rio de Janeiro; Fernando Hermanny - Rio de Janeiro. -Natural de Belo Horizonte. Escultor, desenhista e professor. Passou a frequentar a antiga ENBA em 1940, depois de uma viagem à Europa, especialmente Itália, iniciada em 1938. Na Divisão Moderna do SNBA recebeu, como escultor as medalhas de bronze (1943) e de prata (1944), bem como o prêmio de viagem ao estrangeiro (1945), com o baixo-relevo para a Igreja de São Francisco de Assis, da Pampulha, em Belo Horizonte e, como desenhista, a medalha de prata (1945). Esteve mais uma vez na Europa entre 1946 e 1948, anos em que realizou exposição individual no Instituto dos Arquitetos do Brasil (GB). Figurou na II BSP e no II SNAM, em 1953. Fazendo parte da equipe que, em 1956, venceu o concurso de projetos para o Monumento aos Mortos da II Guerra Mundial (GB), ali executou o conjunto alusivo às três forças armadas. Integrou a Comissão Nacional de Belas Artes em 1960 e 1961, e entre 1963 e 1965, lecionou escultura e desenho na Universidade de Brasília. Quirino Campofiorito citou-o no estudo Ëscultura Moderna no Brasil"(Revista Crítica de Arte, nº único 1962). De seus trabalhos mais conhecidos destacam-se as esculturas As Banhistas e A Justiça, que se encontram, respectivamente, no lago em frente ao Palácio da Alvorada e defronte ao Supremo Tribunal Federal (Praça dos Três Poderes), em Brasília. Há ainda, obras escultóricas de sua autoria, entre outras no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Ministério das Relações Exteriores (Brasília) e em um edifício que Oscar Niemeyer projetou no conjunto residencial Hansa (setor ocidental de Berlim), assim como na embaixada brasileira em Moscou. MEC, vol. 1, pág. 397; PONTUAL, pág. 127; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 70; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 609; ARTE NO BRASIL, pág. 872.

104 - HÉLIOS SEELINGER - (1878 - 1965)
LL Nossa Senhora - dl e g - 34 x 25 - cid - 1955 - Rio
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 071 deste catálogo.

105 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL Copos de leite - osc - 60 x 45 - cid - 1965
Com estudo no dorso. Com declaração de autoria firmado por Francisco Rebolo Gonsales. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

106 - JESUS FUERTES - (1938)
LL " Frutas com mesa " - ost - 50 x 70 - cie e d - 1987
Pintor e escultor espanhol. Expôs pela 1ª vez em Berlim, conquistando o 2º prêmio no Salão Internacional dos Jovens Surrealistas Europeus, em 1955. Várias exposições entre 1954 e 1972 em Paris, Bruxelas, Nova York, Genebra, Roma, Boston, Zaragoza, conquistando em 1962, o Grande Prêmio de Roma.JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 361; ITAU CULTURAL.

107 - BENNO TREIDLER - (1857 - 1931)
LL Pão de Açucar - a - 18 x 24 - cie - 1895 - Rio
Com etiqueta da Galeria Montmartre Jorge - Rio de Janeiro, no dorso. -Natural de Berlim, Alemanha, foi pintor e cenógrafo. Fixou-se no Rio de Janeiro desde 1885. Acadêmico, foi observador minucioso da natureza. O autor foi paisagista por excelência. LAUDELINO FREIRE, pág.388; THEODORO BRAGA, pág.232; REIS JR, pág.220; PONTUAL, pág.526; MEC. vol.4, pág.411; GONZAGA DUQUE CONTEMPORÂNEOS (1929), págs.91 a 94; TEIXEIRA LEITE, pás.512/513; ITAU CULTURAL.

108 - GEORGINA DE ALBUQUERQUE - (1885 - 1962)
LL Flores - ost - 55 x 66 - cid - 1941
Pintora e professora. Aos 15 anos, inicia sua formação artística com o pintor italiano Rosalbino Santoro (1858 - s.d.). Muda-se para o Rio de Janeiro em 1904, matricula-se na Escola Nacional de Belas Artes - Enba e estuda com Henrique Bernardelli. Em 1906, casa-se com o pintor Lucílio de Albuquerque e viaja para a França. Em Paris, frequenta a École Nationale Supérieure des Beaux-Arts e ainda a Académie Julian, onde é aluna de Henri Royer. Volta ao Brasil em 1911, expõe em São Paulo e, partir dessa data, participa regularmente da Exposição Geral de Belas Artes. De 1927 a 1948, leciona desenho artístico na Enba e, em 1935, é professora do curso de artes decorativas do Instituto de Artes da Universidade do Distrito Federal. Em 1940, em sua casa no bairro de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, funda o Museu Lucílio de Albuquerque, e institui um curso pioneiro de desenho e pintura para crianças. Entre 1952 e 1954, exerce o cargo de diretora da Enba. TEIXEIRA LEITE, págs. 15 e 16; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 22 a 26; TEODORO BRAGA, pág. 107; REIS JR., pág. 370; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs.17 e 141; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 455; ARTE NO BRASIL, pág 574; Acervo FIEO.

109 - ARLINDO CASTELANE DI CARLI - (1910 - 1985)
LL Interior - ost - 40 x 50 - cid
Ex-coleção Lucydio Ceravolo - São Paulo. Com número 888 do Atelier do artista, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 044 deste catálogo.

110 - CÂNDIDO PORTINARI - (1903 - 1962)
LL Abstrato - osm - 26 x 30 - cid - C. 1939
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 24/05/2010. - Assinado pelo Projeto Portinari. Com autenticação de Maria Victoria Portinari datada de Maio de 1980, no dorso. Registrado no Projeto Portinari sob o n.° 1073 FCO (82). Reproduzido na pág 85 do livro " Cândido Portinari: Catálogo Raisonné (Rio de Janeiro: Projeto Portinari-Petrobras, 2004), volume 2 ". Reproduzido na pág. 92 do livro " Sob um céu tropical ", edição James Lisboa Escritório de Arte 2009 - São Paulo. -Nasceu na cidade paulista de Brodósqui, e faleceu no Rio de Janeiro. Artista desde sua infância ( desenhava desde 5 anos), abraçou a arte pelo resto vida. Reconhecido nacional e internacionalmente, conheceu e desfrutou a glória ainda vivo. Desenhista, pintor e muralista, Portinari a exemplo dos grandes vultos da nossa história, deixa-nos um legado precioso de arte e cultura. BENEZIT, vol.8, págs. 440 e 441; REIS JUNIOR, págs. 383/386; TEODORO BRAGA, págs. 195/196; PONTUAL, págs. 432/433/434; MEC, vol.3, págs 427 a 429; MAYER.89, pág.1327; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 550; ARTE NO BRASIL, pág. 571; LEONOR AMARANTE, pág. 12; F. ACQUARONE, pág. 241.

111 - PENG BO - (XX)
LL " Composição " - ast - 40 x 50 - cie e d - 2008
Pintor com diversas participações em exposições individuais e coletivas. E participações em Salões Oficiais pelo Brasil.

112 - DAREL VALENÇA LINS - (1924)
LL Composição - grav. 33/50 - 50 x 35 - cid - 1962
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 018 deste catálogo.

113 - ALBERTO MATTERA - (1925)
LL Barcos - ostcm - 60 x 63 - cie
Pintor natural do Rio de Janeiro. Interessou-se pela pintura desde os treze anos de idade, época em que foi trabalhar na Casa Cavaliére, no Rio de Janeiro, local onde artistas se reuniam. Aos dezenove anos começava a esboçar, às escondidas, seus primeiros trabalhos, entusiasmado e influenciado pelos pintores com os quais convivia. Travou conhecimento com Portinari, Di Cavalcanti, Pancetti, Djanira e outros. Participou do Salão da Sociedade Brasileira de Belas Artes (1953); Salão Fluminense de Belas Artes, em Niterói-RJ (1966), tendo conquistado Medalha de Prata; Salão Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro (1968 e 1972), tendo sido premiado, no último, com Medalha de Bronze. Realizou uma exposição individual em Brasília, em 1987. JULIO LOUZADA, VOL. 3, PÁG. 713; VOL. 4, PÁG. 707; VOL. 13, PÁG. 217.

114 - ITAJAHY MARTINS - (XX)
LL " Cavalos de sonhos " - xilo. 23/50 - 46 x 46 - cid - 1979
Pintor e gravador paulistano. "O trabalho de Itajahy Martins tem assuntos simples, como peixes, casarios, cavalos, rinhas de galo. Tudo simples, do cotidiano, num registro figurativo onde aparece a meditação do artista, o seu longo domínio das formas e da composição." (Jacob Klintowitz). Começou a expor em São Paulo, no Salão Paulista de Belas Artes de 1955, quando recebeu a Grande Medalha de Prata, além de inúmeras Menções Honrosas; em 1965, expôs no Brazilian-American Cultural Institute, em Washington, EUA; e, em 1980, no MASP-SP. JULIO LOUZADA, vol. 3 pág. 699.

115 - JOSÉ QUIRINO - (1908 - 1998)
LL Preto velho - ost - 50 x 40 - cid - 1974
Nasceu em Nova Granada-SP e faleceu em São Paulo-SP, em novembro de 1998. O pintor estudou com o professor C. Biancardi, tendo cursado modelo vivo na APBA com Cymbelino de Freitas, Edmundo Migliaccio entre outros. Foi fundador da Academia Paulista de Belas Artes, juntamente com Arlindo Castellani, Vicente Caruso, Durval Pereira, Nicla Petti, Rio Pinto.. JULIO LOUZADA, vol. 12, pág. 331

116 - JOSÉ SABÓIA - (1949)
LL Colheita - ost - 40 x 60 - cid
Nascido em Almadina (BA). Indo para o Rio de Janeiro em 1967, começou a pintar no ano seguinte, passando a expor seus trabalhos na Feira Hippie de Ipanema. Sua primeira individual deu-se em Fortaleza em 1970; a partir de então, tem exposto com freqüência no Rio de Janeiro e em São Paulo. A pintura de Sabóia partiu de uma raiz eminentemente popular, tendo atingido depois um rebuscamento que se traduz no caprichoso desenho de linhas recurvas, na pincelada lisa, impessoal, no colorido reduzido a três ou quatro tons básicos e na composição, dotada daquele inconfundível horror vacui dos ingênuos. JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 278; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 228; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

117 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Ouro Preto - dn - 50 x 38 - cid - 1945
Pintora e desenhista. Assina Noemia. Realizou sua primeira individual em 1934, no Rio de Janeiro. Residiu na Europa de 1934 a 1940, frequentando em Paris as academias de la Grande Chaumière e Ranson. Expôs em Montevideu e Buenos Aires. Foi citada por REIS JUNIOR e TEODORO BRAGA. Foi aluna (1932) e mulher (1933) de Di Cavalcanti. MEC vol.3, pág. 265; WALMIR AYALA vol.2, pág.135; PONTUAL, pág. 375; TEIXEIRA LEITE, pág. 356; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 684. Acervo FIEO.

118 - LUCIA PY - (1923)
LL " Mulheres e potes série verde " - ost - 60 x 50 - cid e d - 1977
Pintora paulistana com diversas participações em exposições individuais e coletivas e com premiações em salões oficiais. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 793.

119 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Mariana " - ost - 40 x 50 - cie e d - 2007
Paulistano, o pintor nasceu em 10/5/1965. Estudou na APBA-SP, onde desenvolveu curso de desenho e pintura, frequentado sessões de modelo vivo. Individuais desde 1989 e coletivas em Salões Oficiais, com sucesso de crítica. Recebeu diversos prêmios. JULIO LOUZADA, vol.13, pág. 304; Acervo FIEO.

120 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL Venus e pássaro - ser. 95/100 - 38 x 50 - cid - 1977
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

121 - NAOTOSHI KINOSHITA - (XX)
LL Composição - ast - 50 x 65 - cid
Pintor japonês, formado no Japão, em Osaka, onde realizou exposições individuais e coletivas, como membro da Associação Nikka daquele país. Radicado no Brasil, realizou exposição individual na Galeria São Luis, em São Paulo (1961). MEC vol.2, pág.407; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 510.

122 - VANICE AYRES LEITE - (1947)
LL Banda - tm - 45 x 32 - cid - 2008
Mineira de Belo Horizonte, é graduada em desenho e artes gráficas pela Escola de Belas Artes da UF-MG. Participando de diversas coletivas, inclusive Bienais de pintura primitiva, recebeu premiações. Mestra em seu trabalho com nanquim, Vanice Ayres Leite oferece obras diferenciadas. Seus bares com alegria contagiante, trabalhadores rurais em integração ao meio e críticas sociais e de costumes bem-humoradas traçam um perfil do povo mineiro e brasileiro em cores predominantemente quentes e repletas de rostos que mostram, acima de tudo, alegria de viver, por mais difícil que a realidade se apresente.Sobre a sua obra assim se manifestou a premiada artista Yara Tupinambá: " ... o movimento da figura humana é o grande tema de Vanice ao abordá-lo na dança, na colheita do milho e da cana, no trabalho do campo, em cenas de alegria e cor.". ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 238

123 - RENATO CATALDI - (1909 - 1981)
LL Barcos - ose - 16 x 22 - cid e d
Pintor. Participou com freqüência de certames como o Salão Nacional de Belas Artes, onde obteve várias premiações. MEC, vol. 1, pág. 390; JULIO LOUZADA- vol. 1, pág. 237 e vol. 11, pág. 63

124 - WILSON VICENTE - (1951)
LL Paisagem - ost - 70 x 50 - cid - 1989
Pintor, natural de Cataguazes, MG, onde nasceu a 28/1/1951. Em 1991, 1992 e 1993, participa das X, XI e XII Exposições de Artistas Contemporâneos na Sociearte - SP. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 344.

125 - CLAUDIO TOZZI - (1944)
LL Paisagem - ser. 15/50 - 36 x 62 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 081 deste catálogo.

126 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Mulher - lito. 66/75 - 45 x 30 - cid - 1979
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 033 deste catálogo.

127 - ALBERTO SIMÃO - (1915)
LL Natureza morta - ost - 16 x 2 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 002 deste catálogo.

128 - ANA CASARINI - (XX)
LL " Cores do jardim " - ast - 80 x 60 - cid e d - 2003
Iniciou seus estudos de desenho e pintura aos 16 anos, cursou Educação Artística em Campinas, SP e História da Arte em Barcelona, Espanha. Exposições individuais: Brasília, DF (2001 a 2003); Rio de Janeiro (2003); Salvador, BA (2004). Coletivas: Brasília, DF (2001, 2002, 2007); Espanha: Barcelona (2003 - Prêmio), Lleida (2003) e Ilha de Gran Canária (2004). ITAU CULTURAL; www.anacasarini.com.br.

129 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL Figuras - dn - 30 x 24 - cid - 1961
Reproduzido no livro " Seara Vermelha " de autoria de Jorge Amado. -Pintor e gravador gaúcho, cuja carreira esteve intimamente ligada ao desenvolvimento da arte moderna e da gravura em seu estado natal e no Brasil. Começou a pintar em 1935, tendo sofrido de início a influência de Segall. Após uma fase realista, evoluiu, em anos mais recentes, para uma linguagem pessoal, fixado objetos com grande amor às transparências e às texturas, numa ânsia de transfiguração e de serenidade. MEC vol.4, pág. 214; TEODORO BRAGA, pág. 66; WALMIR AYALA vol.2, pág. 306 a 309; PONTUAL, págs 479 e 480; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 293; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 798; RGS, pág. 442; Acervo FIEO.

130 - BENEDITO LUIZI - (1933)
LL Curva do rio - ost - 50 x 70 - cid - 1984
Pintor ativo em São Paulo. Participou do SPBA de 1960, recebendo menção honrosa e grande medalha de prata, em 1963. MEC, vol.2, pág. 512.

131 - CLAUDINEI NUNES - (1948)
LL " Garça no lago " - ost - 20 x 50 - cid e d
Pintor que tem participado de várias exposições individuais e Salões oficiais, destacando-se: Galeria Rubayat, São Paulo; SESC, Maringá - PR; Galeria Funarte, Curitiba - PR; Galeria Portal, São Paulo; Museu de Arte de Joinville, SC; Galeria Maria Augusta, Rio de Janeiro. JULIO LOUZADA, VOL.2, PÁG. 731; VOL. 6, PÁG. 801.

132 - JUAREZ MACHADO - (1941)
LL Mulher - a - 41 x 28 - cie
Nasceu em Joinville, SC. Atualmente reside e trabalha em Paris, França, onde mantem ateliê. Pintor, escultor, desenhista, caricaturista, jornalista, cenógrafo, escritor e ator. Desenvolveu sólida carreira como desenhista de charges de humor. Sua arte essencialmente criativa, vai do lirismo à violência, da análise microscópica ao extravasamento onírico. Entre as exposições de que participa, destacam-se: 9ª Bienal Internacional de São Paulo, 1967; Zona Gallery, Nova Iorque (Estados Unidos), 1981; Retrospectiva Quatro Artistas da Geração 60, no MAC/PR, Curitiba, 1987; Châteaux Bordeaux, no Centro Georges Pompidou, Paris, 1988; Retrospectiva, no MAC/Joinville, 1990; Arte na América Latina: 100 Anos de Produção, no Instituto Estadual de Artes Plásticas da UFRGS, Porto Alegre, 1996. "Juarez Machado expõe a natureza humana, olha, registra, interpreta, ilumina, focaliza. É o mundo dos humanos, mas não é o mundo do juiz dos homens. Aqui não estamos no Juízo Final. Juarez é o artista contemporâneo, ele tem este olhar elaborado pela ciência, o grau de consciência reflexiva. Podemos dizer deste ponto de vista, que esta obra humanística e esta atitude de intensa pesquisa confere ao seu trabalho um caráter anti-medieval." Jacob Klintowitz in: "Juarez Machado - Copacabana 100 Anos, Ed. Simões de Assis, 1992." JULIO LOUZADA vol.11, pág. 186; PONTUAL, pág.284; Acervo FIEO; ITAU CULTURAL; MEC, vol. 3; TEIXEIRA LEITE, pág. 298. Acervo FIEO.

133 - DAMIANI - (XX)
LL Marinha - ost - 50 x 65 - cie
Pintor Paranaense com diversas participações em exposições individuais e coletivas. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 266.

134 - ERMES DE BERNARDI - (1934)
LL Barco - ost - 41 x 33 - cie
Pintor contemporâneo radicado em São Paulo, Capital, onde teve participação significativa no SPBA, conquistando com êxito a Medalha de Bronze. MEC, vol. 1, pág. 221; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 115; ITAU CULTURAL

135 - EMANOEL ARAÚJO - (1940)
LL Figura - xilo. 33/100 - 65 x 48 - cid - 1972
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 084 deste catálogo.

136 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL " Emblema " - ser. 101/140 - 83 x 60 - cid - 1981
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 095 deste catálogo.

137 - FRANCISCO FIORENTINO - (XX - 1993)
LL Natureza morta - ost - 60 x 70 - cid
Pintor com diversas participações em exposições coletivas e salões oficiais. JULIO LOUZADA, vol 13, pág 134.-

138 - GUIDO TOTOLI - (1937)
LL Casario - ost - 54 x 65 - cid
Italiano, radicado no Brasil, Totoli é acima de tudo ótimo paisagista e pintor de figuras, fazendo uso de uma cor e de uma pincelada vivas e truculentas. Tem se dedicado com muita felicidade às cerâmicas. MEC, vol.4, pág. 408; JULIO LOUZADA, vol.11, pág. 325, Acervo FIEO.

139 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL " Igrejinha " - a - 8 x 13 - cie - 1960
Com certificado de autenticidade da família de Nicola Petti, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 013 deste catálogo.

139A - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL Marinha - a - 8 x 13 - cid
Com certificado de autenticidade da família de Nicola Petti, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 013 deste catálogo.

140 - INÁCIO RODRIGUES - (1947)
LL " Marinha " - ose - 46 x 65 - cid - 1979
Pintor e desenhista cearense, natural de Fortaleza, fixou-se em 1966 no Rio de Janeiro. Participou do SNAM-RJ em 1968 e 1975, recebendo neste último, o prêmio de viagem ao País. JULIO LOUZADA , VOL, 12, pág 345. TEIXEIRA LEITE, pág, 450. WALMIR AYALA, VOL, 2, pág, 259; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

141 - J. NASCIMENTO SILVA - (XIX - XX)
LL Marinha - osc - 37 x 44 - cid
Pintor com diversas participações em exposições individuais e coletivas e com premiações em salões oficiais. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 1056.

142 - MIRA SCHENDEL - (1918 - 1988)
LL Linhas - mon. - 46 x 22 - cid - 1964
Suíça, Mira imigrou para o Brasil em 1949, fixando-se inicialmente em Porto Alegre, onde fez pinturas e esculturas em cerâmica, nas quais assinava Mirra Hargesheimer, seu nome de casada. Realizou a sua primeira exposição individual, em 1952. Expôs em 1954 em São Paulo (MAM), para onde se transferiu. Participou de diversos salões, tais como o SPAM e Bienais de São Paulo, Córdoba e Veneza, obtendo premiações. A principio exclusivamente desenhista, com a utilização de signos, índices e símbolos, dedicou-se posteriormente à pintura, dentro da vertente minimalista que norteou toda a sua carreira. TEIXEIRA LEITE, pág. 464; JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 304; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 688; LEONOR AMARANTE, pág. 187.

143 - DECIO FERREIRA - (1932 - 2008)
LL " Voyage " - tm - 50 x 70 - cid e d - 2004
Pintor, gravador e desenhista nascido em São Paulo, Capital. Formou-se no Liceu de Artes e Ofícios desta cidade e, mais tarde, frequentou o curso de desenho livre no MAM-SP. Aperfeiçoou-se em pintura com Alexandre Barrenechea e em gravura com Lívio Abramo. Expôs regularmente no SPAM-SP de 1959 a 1963, obtendo diversas e importantes premiações. Participou da V Bienal de SP; expôs em diversas coletivas e individuais, no País e no exterior. Trabalhou também como chargista da Revista Visão e em vários jornais de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol 1 - pág 379. Acervo FIEO. -

144 - GILDA PRIETO - (XX)
LL Nu - m em b - h = 12 - as.
Escultora com diversas participações em exposições coletivas, como a XXIV Exposição de Arte Contemporânea na Chapel Art Show/SP, e exposições em salões oficiais. JULIO LOUZADA vol 9, pág 701

145 - SALVADOR RODRIGUES JR - (1907 - 1995)
LL " Praia do Guarujá " - ose - 40 x 50 - cid e d - 1979
Nasceu em Cádiz, Espanha, a 8 de abril de 1907. Veio a falecer no dia 24 de julho de 1995, em São Paulo-SP. Pintor e professor. A sua pintura é toda poesia e sem artifícios. O artista não imita ninguém. Tem estilo e sentido próprios. Estas algumas das observações do crítico da Sociarte, José Cornelsen. O autor obteve mais de uma centena de medalhas e troféus em certames oficiais. JULIO LOUZADA vol.9, pág.741, Acervo FIEO.

146 - ROBERTO DE LAMONICA - (1933 - 1995)
LL Cabeças - grav. - 103 x 70 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 021 deste catálogo.

147 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Gado - ost - 40 x 50 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

148 - GUIMA - (1927 - 1993)
LL " Marinha ao Pôr do Sol " - ost - 40 x 50 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 023 deste catálogo.

149 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX -
LL Vesúvio - g - 16 x 22 - n/as.

149A - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX -
LL Vesúvio - g - 23 x 28 - n/as.

150 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL Figuras - xilo. 3/10 - 30 x 17 - cie - 1967
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

151 - ADELIO SARRO - (1950)
LL Figura - m em b 67/70 - h = 13 - as.
Com certificado de autenticidade firmado pelo artista. -Artista do interior paulista, nascido em Andradina, está radicado em São Paulo desde 1968. Sua pintura inicialmente é exprecionista e confessadamente inspirada nas obras de Portinari e Segall. Expôs no exterior e em divesos Salões Nacionais, recebendo excelente crítica. JULIO LOUZADA, vol.1 pág. 880, ITAÚ CULTURAL.

152 - LUDWIG NEUBERT - (1846 - 1892)
LL Paisagem - osm - 30 x 60 - ci - 1873
Com carimbo de August Leuck - Munique, no dorso. -Pintor da Escola Alemã que nasceu em Leipzig, Alemanha e faleceu em Piena. Foi aluno de Max Schmidt e de Kalkreuth na Escola de Belas Artes de Weimar, Alemanha. Estudou também na Suíça, Itália e França. Fixou-se em Munique, Alemanha, onde sofreu influência de Böcklin. Possui obras em muitos museus da Europa. BENEZIT, VOL.7, PÁG. 692; ART NET; ART PRICE; www.askart.com.

153 - MANOEL MARTINS - (1911 - 1979)
LL Namorados - grav.a P.A. - 33 x 24 - cie - 1971
Com dedicatória. -Natural de São Paulo, MANOEL MARTINS participou ativamente do Grupo Santa Helena, onde defendeu a necessidade de fazer da arte uma profissão, e ocupar com ela, um espaço na sociedade. Manoel Martins, a partir da exposição da Familia Artística Paulista em 1937, realizado pelos integrantes do Grupo, desenvolveu obras no âmbito do figurativo, buscando incorporar a vida, o movimento, as aglomerações do mundo urbano, substituindo a figuração pós-impressionistas por elementos racionais do cubismo com a valorização do expressionismo. TEIXEIRA LEITE, pág. 316; JULIO LOUZADA, vol.11, pág. 201; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 784, Acervo FIEO.

154 - GUIOMAR FAGUNDES - (1893 - 1975)
LL Pelourinho - ost - 65 x 54 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 041 deste catálogo.

155 - MANOEL FARIA - (1895 - XX)
LL " Cabo Frio " - ost - 81 x 117 - cid
Pintor e professor. Estudou com Eurico Alves no Liceu de Artes e Ofícios do RJ. Em 1915 tranferiu-se para antiga ENBA, onde foi aluno de João Baptista da Costa, Lucilio de Albuquerque e Rodolfo Chambelland. Manoel Faria é pintor fiel às cores da natureza, aceitando os caprichos do cromatismo da terra brasileira. JULIO LOUZADA vol.1, pág.371, Acervo FIEO.

156 - GUIDO VIARO - (1897 - 1971)
LL Parque - a - 33 x 48 - cie - 1969
Com dedicatória. - Pintor, desenhista, gravador e professor, nasceu em Badia Polesine, Itália. Fez estudos de formação artística em Veneza e Bolonha, naquele País, vindo para o Brasil em 1928. Radicou-se em Curitiba 1930, onde lecionou pintura e desenho. Participou, recebendo premiações, em diversos Salões nacionais. JULIO LOUZADA vol.aa, pág.335; TEIXEIRA LEITE, pág. 522, PONTUAL, pág. 539; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 449; ARTE NO BRASIL, pág. 883.

157 - COLETTE PUJOL - (1913 - 1999)
LL Ouro Preto - ost - 30 x 40 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

158 - FRANCISCO STOCKINGER - (1919 - 2009)
LL Mulher - m em b 6/27 - h = 22 - n/as.
Natural de Traum, Áustria, Xico Stockinger, como é conhecido, foi aluno de Bruno Giorgi e desde 1954, radicado em Porto Alegre, á um escultor da figura humana e do animal. Também é excelente desenhista e gravador. Começou a expor na década de 40, no Rio de Janeiro, recebendo premiações. Desempenhou importante papel no desenvolvimento das artes plástica gaúcha. Tem seu nome firmado no cenário nacional e internacional, como escultor expressivo e original. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.311; PONTUAL, pág.506; MEC., vol.4, pág.342/3.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 868; LEONOR AMARANTE, pág. 136.

159 - ELZA DE OLIVEIRA SOUZA - (1928 - 2006)
LL Noiva - ostcm - 62 x 47 - cie - 1976
Pernambucana do Recife. Esta importante pintora iniciou suas atividades com o prof. Ivan Serpa. Integrou o grupo de nordestinos que se apresentou na Galeria Giro, no RJ, em 1968. Seu interesse pelo registro da figura humana é praticamente exclusivo. Walmir Ayala afirma: " ... O biotipo que Elza repete obcessivamente, diz respeito ao povo de sua família conterrânea. São gente do povo, sem sofisticação, despojada do requinte civilizatório, mas embebida de um outro requinte, que diz respeito 'as latadas, trepadeiras em flor, animais domésticos, temáticas." JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 313, Acervo FIEO.

160 - GIOVANNI OPPIDO - (1907 - 1988)
LL Gado - ose - 35 x 40 - cie
Explorou com singular beleza e sensibilidade a fauna e paisagens do interior deste estado; figurou em diversas coletivas, tendo recebido prêmios e menções honrosas. O pintor foi ativo em São Paulo. MEC, vol.3 , pág. 301; JULIO LOUZADA, vol. 5, pág.768; Acervo FIEO.

161 - ANTONIO EUGÊNIO PASCOTTO - (1924)
LL Soltando balão - ose - 77 x 30 - cid - 1978
Natural de Mineiros do Tietê, SP, sua formação artística foi dada pelo pintor florentino, radicado no Brasil, Dario Mecatti. Foi moldureiro e restaurador de quadros, cuja técnica lhe foi ensinada por Renzo Gori. A partir de 1960 veio regularmente participando de diversas exposições coletivas e Salões oficiais no estado de São Paulo onde recebeu inúmeros prêmios, destacando-se: São Paulo, SP (1966, 1970, 1971, 1975, 1978, 1980, 1982, 1984, 1986); São Bernardo do Campo, SP (1970, 1976, 1986); Catanduva, SP (1981) e Ribeirão Pires, SP (1979). Exposições individuais em São Paulo, SP (1988 e 1990). JULIO LOUZADA, vol.13, pág. 432. ITAU CULTURAL.

162 - JOSÉ CLÁUDIO DA SILVA - (1932)
LL Descida da Cruz - ose - 110 x 62 - cid - 1970 - Olinda
Natural de Ipojuca-PE. Desenhista, gravador, escultor, crítico de arte e escritor, fixa residência em Recife- PE, onde em 1952 Funda o Ateliê Coletivo da Sociedade de Arte Moderna do Recife, ao lado de Abelardo da Hora (1924), Gilvan Samico (1928), Wellington Virgolino (1929 - 1988), entre outros. Primeira individual em 1956-São Paulo SP, no Clube dos Artistas e Amigos das Artes (Clubinho), e primeira coletiva em Recife-PE, 1954, na 1ª Exposição do Ateliê Coletivo. "José Cláudio é figurativista desde sempre, e pratica uma arte em que a emoção primeira sequer permite ou admite emendas e correções. Disso resulta certa impressão de desleixo e de mal-acabamento que por vezes inspira sua obra. No entanto, trata-se de efeitos deliberadamente obtidos, fruto de seu acentuado amor à matéria. Expressionista, fazendo uso de um desenho rigoroso, de uma pincelada larga e espontânea de um colorido profundo, do ponto de vista da temática José Cláudio debruçou-se sobre cenas e tipos regionais, sobre os costumes regionais e sobre a paisagem, as aves e as frutas do seu Nordeste, despojando-as, porém, de qualquer conteúdo pitoresco, para apenas se concentrar em sua expressão pictórica. Um sensual e um dionisíaco, hedonista que, segundo suas próprias palavras, diante de uma bela manga não sabe se deva pintá-la ou chupá-la, José Cláudio voltou-se também para a problemática da criação artística - como pintor, na série de grandes óleos que dedicou em começos da década de 1980 ao REPOUSO DO MODELO, de Almeida Júnior - desmembrado, rearticulado, reinterpretado em cada um de seus múltiplos aspectos formais e psicológicos -, e como escritor, historiador da arte pernambucana, num estilo tão pouco alambicado quanto sua pintura, (...)." José Roberto Teixeira Leite, na bibliografia abaixo. PONTUAL, pág. 283; JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 551/552; TEIXEIRA LEITE; ITAU CULTURAL.

163 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Estudo - dlc - 30 x 22 - cid
Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.

164 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Baianas - dn - 29 x 21 - cid
Reproduzido na pág. 192 no livro " Carybé - as sete portas da Bahia ", livraria Martins Editora - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 039 deste catálogo.

165 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Surreal - ost - 40 x 50 - cie - 1983
Pioneiro do surrealismo, o qual praticava desde que chegou ao Brasil, em 1937, fixando residência em São Paulo. Participou de Salões Nacionais e Bienais de São Paulo, entre 1951 e 1965, recebendo diversas premiações oficiais. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 497; MEC, vol. 2, pág. 474; TEODORO BRAGA, pág. 245; TEIXEIRA LEITE, pág. 286; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 630; LEONOR AMARANTE, pág. 142; Acervo FIEO.

166 - CAMPOS AYRES - (1881 - 1944)
LL Paisagem - ost - 60 x 85 - cie
Natural de Itapetininga, SP, Campos Ayres foi pensionista do Estado de São Paulo para estudar em Paris a partir de 1909, com Henry Royer, Fleury e Laurens. No SPBA obteve prêmios e menções. Dedicou-se especialmente à pintura de paisagem. A PINACOTECA-SP, possui duas telas de sua autoria. Expôs individualmente em São Paulo, nos anos de 1930, 1933 e 1938, com muito sucesso de público e crítica. TEODORO BRAGA, pág. 63; REIS JR., pág. 368; MEC, vol. 1,pág. 41; PONTUAL, pág. 105; WALMIR AYALA, vol. 1,pág. 167; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO, pág. 11.

167 - JAIME HORA - (1911 - 1977)
LL Igreja - ost - 41 x 24 - cie
Natural de Salvador, Bahia, desde criança demonstrava talento para as artes. Foi cartazista de cinema. Cursou a Escola de Belas Artes do Estado, consagrando-se na vida profissional como o "pintor dos casarios baianos". Carlos Chiacchio o descreveu como " ...o artista dos motivos regionais pitorescos. Ninguém como Jaime para surpreender uma rua, um beco, uma travessa, com fraldelins guardando nas janelas. A sua visão realista das coisas vai às maravilhas quanto lhe agrada ou lhe é possível trabalhar aspectos urbanos ou suburbanos". Individuais em 1940 e 1994, em Salvador-BA, e coletivas entre 1940 e 1967, com premiações. Obras nos acervos do Museu do Vaticano e MNBA-RJ. JULIO LOUZADA, vol. 7, pág. 334

168 - RICARDO CIPICCHIA - (1908 - XX)
LL Figura - e em mad. - h = 20 - as.
Escultor e professor, residiu em São Paulo, onde estudou no Liceu de Artes e Oficios. Trabalhou como entalhador, retratando tipos populares e lendas. Realizou individual no Rio de Janeiro em 1939. Recebeu diversas premiações nos salões oficiais: SPBA 1953; Prefeitura do Município de SP 1934, 1941, etc. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 272

169 - ARLINDO CASTELANE DI CARLI - (1910 - 1985)
LL Parque - ose - 15 x 20 - cid
Ex-coleção Lucydio Ceravolo - São Paulo. Com número 781 do Atelier do artista, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 044 deste catálogo.

170 - TORQUATO BASSI - (1880 - 1967)
LL Natureza morta - ost - 38 x 52 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 045 deste catálogo.

171 - ARCÂNGELO IANELLI - (1922 - 2009)
LL Composição - col. - 23 x 11 - cie - 1971/1972
Com dedicatória. -Pintor. Fez aprendizado de pintura com Valdemar da Costa, em São Paulo, a partir de 1942. Participou de diversos Salões no País, e no exterior, obtenções várias e importantes premiações. Seus trabalhos fazem parte do acervo de museus e coleções particulares no mundo todo. Inicialmente figurativo, passou a abstracionismo, trabalhando com blocos cromáticos distribuídos com certo rigor construtivo sobre o espaço plano. A seu respeito, disse o crítico Enrico Crispolti, em 1966: " Mas quais são, então, os temas expressivos próprios da pintura de Ianelli? Ele mesmo, falando-me de experiências já distantes, recorda-me anos de um naturalismo sumário pela vontade de síntese, sublinhado como hoje são propostos em sua pintura horizontes muito diferentes. Creio, no entanto, que uma matriz naturalista preside o intenso lirismo dessa telas recentes de Ianelli (...) ". PONTUAL, pág. 358; MEC vol.3, pág. 345; WALTER ZANINI, pág. 644; ARTE NO BRASIL, pág. 798; LEONOR AMARANTE, pág. 218. Acervo FIEO.

172 - ALCIDES SANTOS - (1945)
LL Figuras fantásticas - ose - 50 x 30 - cid - 1972
Pintor pernambucano que num linearismo sui-generis, e com auxílio de um colorido suave evoca cenas religiosas ou fantásticas, de forte acento popular. TEIXEIRA LEITE, pág. 462; MEC, vol. 4, pág. 180; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 296; JÚLIO LOUZADA, vol. 4, pág. 995; ITAÚ CULTURAL.

173 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " Carregando cimento " - enc. s/e - 33 x 41 - cse e d - 1975
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 075 deste catálogo.

174 - NELSON LEIRNER - (1932)
LL Homenagem a Picasso - ser. - 83 x 61 - cid - 1983
Paulista da Capital, o autor descende de uma família de artistas. Foi aluno de Joan Ponç e Samson Flexor. Participa de coletivas a partir de 1958, inclusive com premiações nas bienais de Tóquio e São Paulo. Sua trajetória artística merece ser melhor conhecida pelos admiradores de sua obra. TEIXEIRA LEITE, pág. 283; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 893; LEONOR AMARANTE, pág. 154.

175 - SÉRVULO ESMERALDO - (1929)
LL Composição - grav. - 58 x 44 - cid
Cearense de Crato, onde nasceu a 27 de fevereiro de 1929. Escultor e gravador. Importante representante da arte nacional. Expõe individualmente desde 1951, em São Paulo, Rio e Ceará. Participa de coletivas nacionais a partir de 1974 (MAC-SP) e internacionais a partir de 1956 (Cracóvia). É artista de extenso curriculum de exposições e premiações. Tem reconhecimento e cotação internacional. JULIO LOUZADA vol. 4 pág. 365; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 855; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 703; LEONOR AMARANTE, pág. 75.

176 - TIKASHI FUKUSHIMA - (1920 - 2001)
LL Baiana - osm - 30 x 22 - cie - 1956
Natural da cidade japonesa de Fukushima, onde nasceu em 19 de janeiro. Vem para o Brasil em 1940, fixando-se em Lins, SP. Recebendo influência de Manabu Mabe, começa a se interessar por pintura. Em 1946, segue para o Rio de Janeiro, onde estuda com Tadashi Kaminagai, que o orienta na execução de paisagens impressionistas. Participa da I à IX BSP. Seu trabalho sofre transformações mais na direção do cubismo, no período da I à III BSP. A partir de 1957 sua pintura é informal, transformando-se depois no estilo que viria consagrá-lo como um dos grandes pintores abstratos do Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 141; TEIXEIRA LEITE, pág. 210; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 644; LEONOR AMARANTE, pág. 383.

177 - ARMANDO PACHECO - (1913 - 1965)
LL Natureza morta - ost - 50 x 62 - cid - 1947
Pintor, gravador e desenhista, nascido e falecido na cidade do Rio de Janeiro. Ingressou no Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro em 1930, aos 17 anos de idade, ali tornando-se aluno de Isaltino Barbosa e aluno de Oswaldo Teixeira no ano seguinte. Na ENBA, foi aluno de Rodolpho Chambelland e Augusto Bracet. Participou regularmente do SNBA-RJ, conquistando prêmio viagem ao Exterior em 1950. Em 1968 o Museu Nacional de Belas Artes realizou um exposição com seus principais trabalhos. JULIO LOUZADA vol.1b, pág.705; TEXEIRA LEITE, pág. 372; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 766.

178 - G.T.O. (GERALDO TELES DE OLIVEIRA) - (1930 - 1990)
LL Roda - e em mad. - h = 36 - as.
Mineiro de Itapecerica, Geraldo Teles de Oliveira, dito GTO, foi escultor. Começa sua atividade artística, em 1965, a partir de sonhos - em um deles, Deus lhe mostra a madeira e as esculturas que deveria realizar. Assim, tendo seus sonhos como referência, realiza grande parte de suas obras; mais tarde, utiliza apenas sua criatividade nos seus trabalhos. Entre as exposições das quais participa, destacam-se: 1º e 2º Salão de Arte Contemporânea, Belo Horizonte, 1969/1970; Bienal Internacional de São Paulo, 1969/1975/1981; Bienale Formes Humaines, no Museu Rodin, Paris (França), 1974; II Festival Mundial e Africano de Arte e Cultura Negra, em Lagos (Nigéria), 1977; 42ª Bienal de Veneza (Itália), 1978. Após sua morte, suas obras são expostas na mostra: Exposição Cinco Anos sem Novos Sonhos de GTO, na Galeria Paulo Campos Guimarães, Belo Horizonte, 1995. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 763; LEONOR AMARANTE, pág. 294; ITAU CULTURAL.

179 - LEÓN FERRARI - (1920)
LL Multidão - ser. P.A. - 30 x 42 - cid - 1982
Gravador e escultor argentino, natural da cidade de Buenos Aires. Começou a fazer escultura em 1954, com diversos materiais e com arame de aço inoxidável. Em 1962, iniciou sua série de desenhos escritos. Em 1964 colaborou com Rafael Albertino no livro de poesias e desenhos "Escritos en el Aire", editado por Vanni Scheiwiller em Milão. Em 1965, abandonou a arte abstrata e participou do movimento cultural que acompanhou a atividade política argentina, colaborando na organização de diversas mostras coletivas. A partir de 1976 fixa residência no Brasil, em São Paulo, onde voltou a esculpir e experimentar outras técnicas, como fotocópias, etc. Desenvolveu uma série de esculturas sonoras que deram origem aos instrumentos lúdicos musicais com os quais deu 4 concertos-performance. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 403

180 - MANABU MABE - (1924 - 1997)
LL Composição - ser. 266/450 - 19 x 14 - cid - 1986
Com dedicatória para Paulo Mendes de Almeida. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 055 deste catálogo.

181 - OSCAR PEREIRA DA SILVA - (1867 - 1939)
LL Paisagem - osc - 29 x 21 - cid
Com resquícios de assinatura. -Grande pintor brasileiro; prêmio de viagem à Europa em 1889, aperfeiçoou-se em Paris com Gérome e Leon Bonnat. "Sem ter revelado impulsos vigorosos que lhe evidenciassem poder emotivo, Oscar Pereira da Silva soube manter no transcorrer de bem cinquenta e sete anos de produção permanente e intensa, desde que retornou ao país, em 1896, todo o cuidado de um desenho severamente elaborado, sem num só instante voltar-se para o novo semblante que a pintura adquiria nessa transposição de tempo. " Quirino Campofiorito, in CAMPOFIORITO, Quirino. História da Pintura Brasileira no Século XIX. Ed.Pinakotheke-SP, 1983. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs. 245/281; TEODORO BRAGA, pág. 177/8; LAUDELINO FREIRE, pág. 383; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 185; MEC, vol. 4, pág.277; PONTUAL, pág. 419; TEIXEIRA LEITE, pág. 402; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 437; ARTE NO BRASIL, pág. 553, Acervo FIEO; F. ACQUARONE, pág. 187.

182 - ISMAEL NERY - (1900 - 1934)
LL Autorretrato toureiro - d l cêra - 32 x 21 - cid
Ex-coleções: Marcio Noronha/Norberto Geyerhahn - Rio de Janeiro; José Roberto Barbosa - Rio de Janeiro. -Pintor e desenhista, considerado o precursor do surrealismo no Brasil; ainda criança fixou-se no Rio de Janeiro; posteriormente fez duas longas viagens à Europa; seus trabalhos iniciais são ligados ao expressionismo; seguem-se o período cubista - ao qual pertence a notável fase azul - e, a partir de 1927, o surrealista. Sua obra trata de temas de amor e poesia, centralizados na figura humana, muitas vezes sua mulher Adalgisa, abstraindo a paisagem e o ambiente. ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1052; MEC, vol. 3, pág. 257; TEIXEIRA LEITE, pág. 351/2; PONTUAL, pág. 381/2; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 531; LEONOR AMARANTE, pág. 142.

183 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL " Vênus " - ost - 24 x 18 - cid e d - 1980
Reproduzido sob o n.° 139 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

184 - FAYGA OSTROWER - (1920 - 2001)
LL Composição - xilo. 5/30 - 33 x 50 - cie - 1950
Reproduzido no Caderno Suplemento Literário do Jornal O Estado de S.Paulo de 1958, no dorso. -Gravadora, pintora, desenhista, ilustradora, teórica da arte e professora. Natural de Lodz, Polônia. No Brasil, Rio de Janeiro, desde a década de 1930. Cursa artes gráficas na Fundação Getúlio Vargas, em 1947, onde estuda xilogravura com Axl Leskoschek e gravura em metal com Carlos Oswald, entre outros. Em 1969, a Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro publica um álbum de gravuras realizadas entre 1954 e 1966. Dentre as muitas coletivas de que participou, no País e no exterior, destacamos as seguintes nacionais: 1ª Bienal Internacional de São Paulo (1951); Exposição Nacional de Arte Abstrata (1953) e, Salão Preto e Branco (1954). MEC. Vol.3, pág.303; JULIO LOUZADA, pág.234; PONTUAL, págs.395 e 396.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 606; ARTE NO BRASIL, pág. 840; LEONOR AMARANTE, pág. 28; Acervo FIEO.

185 - JOÃO CAMARA - (1944)
LL Figura - ostce - 51 x 41 - cie - 1970
Reproduzido sob o n.° 88 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Importantíssimo artista nacional, natural de João Pessoa, PB, e radicado em Olinda, PE. Pintor, desenhista e gravador, João Câmara conquistou os primeiros prêmios de pintura e de gravura nos SPMEP de 1962 E 1964. Neste último ano fundou, em companhia de artistas locais, o Atelier Coletivo de Ribeira, em Olinda. Exerceu o magistério entre 1967 e 1969, lecionando pintura no Setor de Arte da Universidade Federal da Paraíba. Suas obras, tratando de temas atuais, reúnem mensagens poéticas com uma dose de surrealismo, e que segundo o crítico Walmyr Ayala, " desmistifica toda e qualquer atitude romântica" . Walter Zanini, por sua vez, comenta (1967), que " Suas imagens encadeadas quase como um ´puzzle` parecem amalgamar deuses aztecas e ícones do baralho, assumindo ar de aquilina ´terribilitá` sobriamente derrisório." Participou de quase todas as mostras mais importantes do País, com sucesso de crítica. ITAU CULTURAL; PONTUAL, pág. 100; TEIXEIRA LEITE, pág. 100; WALTER ZANINI , pág. 754; ARTE NO BRASIL, pág. 688; Acervo FIEO.

186 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 12 x 18 - cie
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 061 deste catálogo.

187 - CARLOS OSWALD - (1882 - 1971)
LL " Palmeiras na Tijuca " - grav. - 20 x 28 - cid
Reproduzido sob o n° 108 do livro "Carlos Oswald", do Museu Nacional de Belas Artes - Rio de Janeiro. -Gravador e pintor, ativo no Rio de Janeiro, estudou na Europa; foi o primeiro a fazer gravura em metal com finalidade artística; dedicou-se a temas religiosos, paisagens, cenas de gêneros e retratos. PONTUAL, pág. 397; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1053; ITAÚ CULTURAL.; WALTER ZANINI, pág. 446; Acervo FIEO.

188 - VASO MURANO SEGUSSO VETRI ARTE -
LL Sommerso - - h = 21 - as. - Z. Zolur
Design Flavio Poli. -

189 - ISABEL CRUZ - (XX)
LL Feira - ose - 8 x 11 - cid
Pintora com diversas participações em exposições e Salões oficiais, dentre elas: 'Mulheres pintoras: a casa e o mundo' - realizada na Pinacoteca do Estado, São Paulo, de agosto a outubro de 2004, com textos de Marcelo Mattos Araujo e outros. JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG.295; ITAU CULTURAL.

190 - ROBERTO PARAGÓ - (1941 - 1996)
LL " Ilha da Conceição " - ose - 27 x 41 - cid e d - 1985 - Niteroí
Pintor ativo no Rio de Janeiro, foi discípulo de Aluísio Valle e Jair Picado. Participou do SNBA em 1968, e do Salão da Sociedade dos Artistas Nacionais no mesmo ano. Expôs individualmente em São Paulo, na Galeria Tableau, desfrutando de excelente acolhida de crítica e público. MEC, vol. 3, pág. 333; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 237; ITAÚ CULTURAL.

191 - BEATRIZ MILHAZES - (1960)
LL Copa do mundo Alemanha 2006 - poster 519/800 - 100 x 67 - cid
Pintora, gravadora, ilustradora e professora. Forma-se em comunicação social pela Faculdade Hélio Alonso, no Rio de Janeiro, em 1981. Inicia-se em artes plásticas ao ingressar na Escola de Artes Visuais do Parque Lage - EAV/Parque Lage, em 1980, onde mais tarde leciona e coordena atividades culturais. Além da pintura, dedica-se também à gravura e à ilustração. De 1995 a 1996, cursa gravura em metal e linóleo no Atelier 78, com Solange Oliveira e Valério Rodrigues e, em 1997, ilustra o livro As Mil e Uma Noites à Luz do Dia: Sherazade Conta Histórias Árabes, de Katia Canton. Beatriz Milhazes participa das exposições que caracterizam a Geração 80 - grupo de artistas que buscam retomar a pintura em contraposição à vertente conceitual dos anos de 1970, e tem por característica a pesquisa de novas técnicas e materiais. Sua obra faz referências ao barroco, à obra de Tarsila do Amaral e Burle Marx, à padrões ornamentais e à art deco. Entre 1997 e 1998, é artista visitante em algumas universidades dos Estados Unidos. A partir dos anos 1990, destaca-se em mostras internacionais nos Estados Unidos e Europa e integra acervos de museus como o MoMa, Guggenheim e Metropolitan, em Nova York. ITAÚ CULTURAL.

192 - ESCOLA EUROPÉIA, SÉC.XIX -
LL Paisagem invernal - osc - 15 x 23 - cid ileg.

193 - GIUSEPPE PERISSINOTTO - (1881 - 1965)
LL Flores - ost - 75 x 90 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

194 - ALBERTO DA VEIGA GUIGNARD - (1896 - 1962)
LL Ouro Preto - dn - 18 x 12 - cid - 1961
Pintor, desenhista, gravador e professor. No dizer de Rodrigo de Melo Franco de Andrade, no álbum de reproduções da obra do artista, em 1967: "Quando Guignard voltou da Europa, para onde tinha ido menino, só regressando com mais de 30 anos, redescobriu o Brasil, tomado de uma ternura e de uma admiração comovidas que conservou até os seus últimos dias. Toda a obra que produziu, desde então, ficou impregnada da emoção e da poesia sentidas naquele reencontro com a terra natal." PONTUAL, pág. 254 a 256; MEC, vol. 2, pag. 304; TEIXEIRA LEITE, pág. 236 a 240 ; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 404; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 1013; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 373/375/377; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 559; ARTE NO BRASIL, pág. 505; LEONOR AMARANTE, pág. 28.

195 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Paisagem - osm - 20 x 29 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

196 - DANILO DI PRETE - (1911 - 1985)
LL Natureza morta - ostcm - 46 x 60 - cid - 1945
Quadro adquirido no Leilão da Bolsa de Arte do Rio de Janeiro, em 15.7.1986, conforme etiqueta no dorso. -Nasceu em Pisa, Itália. Foi pintor e programador visual. Autodidata, iniciou a sua carreira na Itália. No Brasil desde 1946, participou de todas as Bienais de São Paulo, de 1951 a 1967, nelas recebendo o prêmio de Melhor Pintor Nacional em 1951 e 1965, dispondo de salas especiais para os seus trabalhos em 1961 e 1967. Foi o primeiro colocado no concurso internacional de cartazes para a VII BSP. Artista premiadíssimo. JULIO LOUZADA vol.10, pág.286; TEIXEIRA LEITE , pág. 163; PONTUAL, pág. 179; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 647; ARTE NO BRASIL, pág. 898; LEONOR AMARANTE, pág. 13.

197 - HEITOR DOS PRAZERES - (1898 - 1966)
LL Trabalho rural - ose - 40 x 46 - cid - 1964 - Rio
Com autenticação da família do artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 072 deste catálogo.

198 - JAIME NICOLA DE OLIVEIRA - (XX)
LL Anjos - e em mad. - h = 50 - as. - 1996
Jaime NICOLA de Oliveira, natural de Quipapá(PE), acostumado a desenhar e entalhar a madeira desde criança, aprendeu a esculpir observando o trabalho de um artista do Recife em seu Atelier. Conhecido por suas esculturas de cabeças de Santos e Anjos, tira proveito da textura da madeira para recriar com sua poderosa imaginção até mesmo anjos cangaceiros, além de também esculpir essas formas em pedra calcárea.

199 - REYNALDO FONSECA - (1925)
LL Menina - dl - 68 x 48 - cid - 1968
Pintor, desenhista, gravador e professor pernambucano, natural da cidade do Recife, onde é ativo. Estudou no Rio de Janeiro, pintura com Portinari e gravura em metal com Henrique Oswald. Conquistou diversos prêmios em pintura e gravura na Divisão Moderna do SNBA-RJ. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.263; MEC, vol.2, pág.184; PONTUAL, pág.220; TEIXEIRA LEITE, pág.205; WALMIR AYALA, vol.2, págs. 243 a 245; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 879.

200 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " Operários " - ose - 13 x 22 - cid - 1973
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 075 deste catálogo.

201 - CASEMIRO DO NASCIMENTO RAMOS FILHO - (1905 - 1976)
LL Paisagem - ost - 98 x 130 - cid - 1940
Freqüentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro, onde estudou com Adalberto Matto e Isaltino Barbosa. Teve como professores ainda Rodolpho Amoedo, Carlos Chambelland e Oswaldo Teixeira. Participou do Salão Nacional de Belas Artes, em diversas ocasiões, obtendo premiações e menções honrosas. TEODORO BRAGA, pags. 67 e 200; MEC, vol. 4, pág. 25; ITAU CULTURAL.

202 - JOSÉ ALVES PEDROSA - (1915 - 2002)
LL Nu - e em b - h = 16 - as.
Escultor e desenhista que nasceu em Rio Acima, MG e faleceu em Belo Horizonte, MG. Inicia estudos com Correia Lima no curso livre de escultura da ENBA do Rio de Janeiro em 1936. No período da II Guerra Mundial é auxiliar do escultor polonês August Zamoyski. Nos anos de 1946 a 1948, com bolsa concedida pelo governo francês, aperfeiçoa-se na França e faz um curso de talhe em pedra com Nicolussi. De volta ao Rio de Janeiro, filia-se ao grupo de arquitetos chefiado por Oscar Niemeyer, que lhe faz uma encomenda para os jardins do Museu de Arte de Belo Horizonte. Ilustra o livro de poesias: Romanceiro de Dona Bêja de Maria Lúcia Alvim, publicado em 1979. Exposições individuais: Rio de Janeiro (1955, 1964). Coletivas: Belo Horizonte (1936, 1998); Rio de Janeiro (1941, 1945, 1946, 1952, 1954, 1964, 1975, 1983, 1985, 1986, 2000, 2002); Buenos Aires (1945); Montevidéu (1945); São Paulo (1952, 1954, 1955 e 1957 – Bienais Internacionais, 1966, 1997); Brasília (1998); Penápolis, SP (1998). Prêmios: Rio de Janeiro (1940, 1945, 1954, 1957); São Paulo (1952, 1954, 1955). JULIO LOUZADA VOL. 1,PÁG. 733; ITAÚ CULTURAL; PONTUAL, PÁG. 413; MEC, VOL. 3, PÁG. 360.

203 - ARTUR BÁRRIO - (1945)
LL " Série Africana " - osp - 24 x 32 - d - 1981
Nascido Artur Alípio Barrio de Souza Lopes, na cidade do Porto, Portugal, no dia 1 de fevereiro de 1945. Pintor e desenhista. Jovem ainda fixou-se no Rio de Janeiro. Frequentou a Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, recebendo orientação artística do prof. Onofre Penteado. Trabalha com materiais recicláveis (papel, plástico, etc). Em 1969 participou da seleção da representação para a VI Bienal dos Jovens em Paris, com Ivald Granato e Luis Pires. JULIO LOUZADA vol. 1 pág. 96; ITAU CULTURAL.

204 - KILIM -
LL -
medindo 115 x 200 cm = 230 m². -

205 - VINCENZO CAPRILE - (1856 - 1936)
LL " O velho e o gato " - ost - 56 x 32 - cie
- Reproduzido no convite deste leilão.Pintor da Escola Italiana que nasceu em Nápoles, Itália. Foi aluno do Instituto de Belas Artes de Nápoles e participa de Salões e exposições oficiais, a partir de 1873. Possui obras em muitos museus da Europa. BENEZIT, VOL.2, PÁG. 509; ART PRICE; ARTNET.

206 - VALDEIR MACIEL - (1937 - 2005)
LL Composição - ost - 80 x 80 - d - 1974
Natural de Bacabal-MA, residiu e foi ativo em São Paulo. Participou de diversas exposições, destacando-se XI ao XVI Salão Paulista de Arte Moderna - Medalha de Bronze (1963 e 1965); 9ª Bienal Internacional de São Paulo. Segundo o crítico Theon Spanudis: "Ao contrário da pintura de Rubem Valentim, que emana sempre poderosas e vibrantes cargas mágicas, imperiosas e afirmativas, a pintura de Valdeir Maciel, nascido em São Luís do Maranhão e radicado em São Paulo, é mais introvertida, silenciosa, escondida em seu misticismo esotérico, mas de enorme amplitude metafísica e religiosa. Às vezes enigmática, mas raramente luminosa, prefere os coloridos sombrios, obscuros e abscônditos. Começando com um tachismo corriqueiro, foi sacudido em 1961 pela primeira exposição neoconcreta de São Paulo. De lá em diante ele virou geométrico. Mas seu construtivismo não tem nada a ver com o concretismo, ou o neoconcretismo, por causa do seu intenso misticismo e profundidade esotérica. No início ele pintava figurações geométricas no meio da tela, cercadas por toda a superfície vazia da tela, figurações como de objetos sacrais e preciosos de religiões e cultos desconhecidos. Mais tarde ele começou a expandir as suas formulações geométricas e construções esotéricas, até ocupar toda a superfície da tela." in SPANUDIS, Theon. Construtivistas brasileiros. São Paulo: o Autor, s.d. WALMIR AYALA, MEC, PONTUAL, pág. 327; TEIXEIRA LEITE, pág. 298; WALTER ZANINI, pág. 688; JULIO LOUZADA, vol. 12, pág. 245. ITAU CULTURAL.

207 - NEWTON REZENDE - (1912 - 1994)
LL Trabalhador - g - 83 x 27 - cid - 1962
Natural de São Paulo, e falecido no Rio de Janeiro. Autodidata, recebeu influências de Cândido Portinari, Rebolo, Clovis Graciano e Mário Zanini. A partir de 1948 expõe individual e coletivamente. O crítico TEIXEIRA LEITE assim se refere à obra do artista em seu livro abaixo indicado: "Pintor figurativo que não pode a rigor ser reclamado por nenhum movimento ou tendência, Newton Rezende combina em sua obra acentuados dotes de lirismo a uma bem-humorada concepção dos seres e das coisas, inculcando-lhes ligeira nota surrealista. A sua é uma pintura livre, artesanalmente bem articulada, e que brinca, ao mesmo tempo em que mal dissimula a emoção com que enfrenta certos temas: arte verdadeira, descompromissada de teorias e de preconceitos de qualquer espécie, (...)" . PONTUAL, pág. 450; ITAÚ CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 444; WALTER ZANINI, pág. 755.

208 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Capa para revista Fon Fon - g - 30 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

209 - EMMANUELE VILLANIS - (1858 - 1914)
LL " Sapho " - e em b - h = 38 - as.
Escultor ativo na Itália. Figura no Salão de Paris onde obteve menção honrosa na Exposição Universal em 1889. Seguiu a Escola Italiana. BENEZIT, VOL. 10, PÁG. 511; JULIO LOUZADA, VOL. 2, PÁG. 1036; www.invaluable.com/auction ; bid.igavelauctions.com.

210 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL " Composição " - ast - 100 x 73 - cie - 1980
Com etiqueta da Galeria de Arte Atualidade - Rio de Janeiro, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

211 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Composição - a - 17 x 25 - cid - 1963
Reproduzido sob o n.° 86 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 086 deste catálogo.

212 - ANATOL WLADISLAW - (1913 - 2004)
LL Composição - g - 31 x 23 - cid - 1949
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 036 deste catálogo.

213 - ERNESTO DE FIORI - (1884 - 1945)
LL Rosto - dc - 50 x 34 - n/as.
Reproduzido sob n° 1 em catálogo de Leilão da Companhia das Artes - São Paulo. -Escultor e pintor nascido na Itália, cidadão alemão por naturalização, De Fiori radicou-se em São Paulo em 1936, aqui falecendo nove anos mais tarde. Artista de nível internacional, destacou-se como escultor, mas foi também extraordinário pintor, cuja influência marcou fundamente diversos artistas paulistanos, Zanini e Volpi, inclusive. Em Munique estudou desenho e pintura com Otto Breiner. Em 1909 segue para Londres em busca de outros mestres. De 1912 a 1914 viveu em Paris , onde se iniciou na escultura. Em 1914 estabeleceu-se em Berlim. Em 1918, residindo em Zurique, produziu a "Bagnarte", "Soldato", "Narciso"e outras esculturas que suscitaram admiração geral. Em 1919 voltou a Berlim e aí se destacou entre os artistas modernos. Veio para o Brasil em 1936 e faleceu em São Paulo em 1945. TEODORO BRAGA, pág. 80; MEC, vol. 2-pág. 22; WALMYR AYALA, vol. 1-pág. 312; ITAU CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 149 ; WALTER ZANINI, pág. 571; ARTE NO BRASIL, pág. 791.

214 - SILVESTRO LEGA - (1826 - 1895)
LL Paisagem - osm - 15 x 24 - cid
Pintor da Escola Italiana que nasceu em Modigliana e faleceu em Florença, ambas na Itália. Aos vinte anos vai para a Academia de Belas Artes de Florença onde foi aluno de Benedetto Servolini, Tommaso Gazzarini e Giuseppe Bezzuoli. É considerado, junto com Giovanni Fattori e Telemaco Signorini, o maior representante do Macchiaioli, movimento característico da pintura italiana da segunda metade do século XIX. Possui obras em vários museus da Europa. ART PRICE; ARTNET; BENEZIT, VOL.6, PÁG.539; www.answers.com.

215 - ANTONIO FERRIGNO - (1863 - 1940)
LL Veneza - ost - 82 x 36 - cid
- Reproduzido no convite deste leilão. - Reproduzido sob o n.° 106 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro. - Representou com maestria a chamada Escola de Amalfi. Estudou com Di Chirico e Morelli. Expôs em 1882 em Nápoles, imigrando para o Brasil em 1892, permanecendo em São Paulo até 05, quando retornou à Itália e fixou residência definitivamente em Salerno. No Brasil executou paisagens e marinhas, utilizando de técnica pictórica empastada e de um colorido cheio de vivacidade. Várias obras suas ficaram no Brasil, em importantes coleções particulares. BENEZIT, vol. 4, pág. 343; ANUAL ART SALES INDEX/82, vol.1, pág. 383; TEODORO BRAGA, pág. 94; MEC, vol. 2, pág. 156; LAUDELINO FREIRE, págs. 381 e 389; REIS JÚNIOR, pág. 365; PONTUAL, pág. 212. TEIXEIRA LEITE, pág. 192; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 535.

216 - ROSITA ADAMO - (XIX - XX)
LL Paisagem - ost - 72 x 91 - cie
Pintora ativa no Rio de Janeiro. Foi premiada com medalha de bronze no SNBA/ Rio, 1954. Em 1968 voltou a expor no referido salão e no XXI Salão da Sociedade dos Artista Nacionais, Rio de Janeiro. Em 1970 conquistou menção honrosa no Salão de Artes Plásticas de São Lourenço/MG. MEC, vol.1, pág.36.

217 - CARMÉLIO CRUZ - (1924)
LL " Madrugada " - ast - 38 x 46 - cie e d - 1981
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 092 deste catálogo.

218 - MESTRE VITALINO - (1909 - 1963)
LL Oleiro - e em br - h = 15 - as.
Autodidata, nascido em Pernambuco, aos 6 anos inicia-se na arte do artesanato de barro confeccionando miniaturas com as sobras de barro das cerâmicas utilitárias feitas por sua família de louceiros. A crescente popularidade alcançada pelo seu trabalho inovador faz com que se mude a cidade de Alto de Moura, tornando a aquisição de sua produção mais acessível à clientela urbana. De 1960 até 1963 viaja por todo o país, participando de exposições e mostrando sua técnica. ITAÚ CULTURAL

219 - AMEDEU MODIGLIANI - (1884 - 1920)
LL Menina - grav. 69/250 - 55 x 38 - cid
Pintor, desenhista e escultor nascido em Livorno, Itália. Foi aluno de Micheli, em Livorno, e se inscreveu na Escola de Belas Artes de Florença, Itália. A partir de 1906 se fixa em Paris, onde teve contato com as obras de Tolouse-Lautrec, Georges Rouault , Cézanne, André Derain e Pablo Picasso, desenvolvendo sua breve carreira. Em 1909 tornou-se amigo de Constantin Brancusi que o levou a se interessar pela escultura. Poucos estavam cientes da qualidade de seus trabalhos. Morreu em Paris lutando contra a pobreza, doenças crônicas, excesso de bebida e drogas. Inúmeros museus do mundo possuem obras suas. BENEZIT, VOL.7, PÁG. 446; ITAU CULTURAL; DICIONÁRIO OXFORD; ART PRICE; ARTNET; www.fineartsportugal.com.

220 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL " Emblema - 85 " - ast - 70 x 50 - d - 1985 - Brasília
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 095 deste catálogo.

221 - LEVINO FANZERES - (1884 - 1956)
LL Paisagem - osm - 38 x 61 - cid
Pintor e professor. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios e na antiga ENBA, ambas no Rio de Janeiro, recebendo nesta última, orientação de Zeferino da Costa e de João Batista da Costa. Excepcional colorista, interpreta com sentimento e honestidade o momento da natureza que se propõe a retratar, e sempre com admirável êxito. TEIXEIRA LEITE, pág.190; PONTUAL, pág.201; JULIO LOUZADA vol.2, pág.387; ITAU CULTURAL.

222 - OSCAR PEREIRA DA SILVA - (1867 - 1939)
LL " Brasil " - dn - 31 x 21 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 181 deste catálogo.

223 - GRAUBEM DO MONTE LIMA - (1889 - 1972)
LL Flores e borboletas - ost - 60 x 32 - cid - 1965
Pintora natural da cidade de Iguatu-CE. Faleceu na cidade do Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência no Rio de Janeiro em 1908, onde inicia-se na pintura como autodidata em 1958. Em 1960, prossegue seus estudos com Ivan Serpa, no MAM-RJ. Entre as exposições das quais participa, destacam-se: Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1962 e 1963; Bienal Internacional de São Paulo, de 1963 a 1967; Bienal Americana de Arte, Córdoba (Argentina), 1964; Oito Pintores Brasileiros, na Galeria Jacques Massol, Paris (França), 1965; Bienal Nacional de Artes Plásticas, Salvador, Bahia, 1966; Artistas Primitivos Brasileiros Contemporâneos, no Museu de Arte Moderna de Buenos Aires, Argentina, 1966; Arte/Brasil/Hoje - Cinqüenta Anos Depois, na Galeria Collectio, São Paulo, 1973. PONTUAL, pag. 250; ITAU CULTURAL

224 - J. CARVALHO - (1902 - XX)
LL Jangadeiros - ost - 37 x 55 - cie
Pintor contemporâneo, foi ativo em Fortaleza/CE. Participou de coletivas e expôs no Centro Cearense, Rio de Janeiro (1942). Fixa de preferencia marinhas. MEC, vol. 1, pág. 364.

225 - NIOBE XANDÓ - (1915 - 2010)
LL Composição - ost - 73 x 92 - cie e d
- Reproduzido no convite deste leilão. - Com etiqueta do 21° Salão Municipal de Belas Artes de Belo Horizonte de 1966, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 099 deste catálogo.

226 - MARIO GRUBER - (1927)
LL Fantasiado - ast - 80 x 80 - cid - 2009
Com certificado de autenticidade firmado pelo autor. -Pintor e gravador, Gruber é um dos principais artistas de São Paulo desde quando, ainda muito jovem, tomou parte no Grupo dos 19. PONTUAL, pág. 253; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 370; MEC, vol. 1, pág. 466; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 448; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.649; ARTE NO BRASIL, pág. 803; LEONOR AMARANTE, pág. 376; Acervo FIEO.

227 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
LL " Apipucos " - lito. 32/50 - 47 x 65 - cid - 1987
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 102 deste catálogo.

228 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Pássaro - m em ac - h = 9
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 073 deste catálogo.

229 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
LL Figura - dn - 24 x 20 - cid
Pintor, desenhista, gravador e professor, estudou com Axel Leskoschek no Rio de Janeiro. Participou da Divisão Moderna do SNBA (1947-1951). Foi um dos precursores do concretismo no Brasil, criando ao lado de Aluisio Carvão, Lígia Clark, Hélio Oitica e outros o Grupo Frente, que se manteve ativo de 1954 a 1956, inclusive com exposições no Rio de Janeiro. Ivan Serpa possui invejável e extenso curriculum de vida artística, passando de exposições coletivas, a grandes retrospectivas de sua obras. Há um reconhecimento nacional da importância de sua atividade, tratando-se de um dos grandes artistas nacionais. PONTUAL, pág 486; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 840; LEONOR AMARANTE, pág. 26; Acervo FIEO.

230 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL " Composição n° 1 " - ostcc - 30 x 40 - cid
Com etiqueta de Exposição na Associação Sambernardense de Belas Artes, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

231 - FRANCISCO COCULILO - (1895 - 1978)
LL Lagoa Rodrigo de Freitas - ostcc - 44 x 54 - cid - Rio
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 076 deste catálogo.

232 - CILDO MEIRELES - (1948)
LL " Cildo Meireles 1973 " - ser. 19/40 - 93 x 63 - cid - 1985
Com etiqueta de Paulo Figueiredo Galeria de Arte - São Paulo, no dorso. -Natural da cidade do Rio de Janeiro. Freqüenta a Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, em 1967. É um dos fundadores da Unidade Experimental do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, em 1969, na qual leciona entre 1969 e 1970. Seu trabalho se caracteriza pela diversidade de técnicas e suportes empregados - pintura, desenho, escultura, ambiente, happening, instalação, performance, fotografia, conjugando-os em múltiplas linguagens que discorrem sobre questões sociais e políticas JULIO LOUZADA vol. 11 pág . 207, ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 785; LEONOR AMARANTE, pág. 205.

233 - ALUIZIO VALLE - (1906 - 1988)
LL " Na lama da maré baixa " - ost - 60 x 81 - cie - 1948
Aluizio Albuquerque Silva do Valle nasceu na cidade de Paraíba do Sul-PB, e faleceu na capital fluminense de Niterói, onde foi ativo pintor e professor. Estudou na Escola Nacional de Belas Artes, onde foi aluno de Marques Júnior, Cunha Melo, Augusto Bracet e Rodolfo Chambelland. Posteriormente, atua como professor nesta mesma instituição. "A primeira sensação que se tem diante da pintura de Aluizio Valle é a de estar ´tocando´ com os olhos, uma possibilidade do real, que se apoiando em sensível visualidade não elimina a importância tátil da matéria pictórica. São quase sempre paisagens, e frequentemente cenas marinhas, de praias e cais, que nos tomam de surpresa a partir do pretexto puramente descritivo, para em seguida nos embalar no ritmo das pinceladas, na ordem das impressões fixadas, numa nitidez que valoriza mesmo a marca dos fios mais finos do pincel manipulado". Walmyr Ayala, em texto do MNBA. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 1016/1017; ITAU CULTURAL.

234 - ARLINDO CASTELANE DI CARLI - (1910 - 1985)
LL Paisagem - ost - 40 x 50 - n/as.
Ex-coleção Lucydio Ceravolo - São Paulo. Com número 791 do Atelier do artista, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 044 deste catálogo.

235 - ANITA MALFATTI - (1896 - 1964)
LL Vilarejo - ost - 38 x 46 - cie
Reproduzido no convite deste leilão. - Reproduzido na pág. 58 do livro " ANITA MALFATTI - Tomei a Liberdade de pinta ao meu modo " por Luzia Portinari Greggio - 2007 - São Paulo e na pág. 156 do livro " ANITA MALFATTI - A Festa da Cor " por Ani Perri Camargo - 2009 - São Paulo. -Proto-mártir do modernismo brasileiro, com sua mostra de 1917 em São Paulo, Anita Malfatti foi, no dizer de Dario da Silva Brito, o "estopim" da Semana de 1922. Recebeu prêmio de honra no Salão Paulista de 1934. Várias exposições coletivas e individuais como: Anita Malfatti no Museu de Arte Brasileira - FAAP. BENEZIT, vol. 7, pág. 118; TEODORO BRAGA, pag. 151/2; MEC, vol. 3, pág. 45; PONTUAL, pág. 332/3; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 33 e 35; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 478; ARTE NO BRASIL, pág. 652; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

236 - PENG BO - (XX)
LL " Composição " - ast - 33 x 61 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 111 deste catálogo.

237 - DAREL VALENÇA LINS - (1924)
LL Figuras - grav. 33/50 - 50 x 40 - cid - 1962
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 018 deste catálogo.

238 - ALBERTO LUME - (1944)
LL Mulher - osm - 20 x 40 - cid
Nascido José Alberto Nascimento Gomes Lume, natural da Ilha da Madeira, Portugal, em 6 de fevereiro de 1944. Formou-se artísticamente na Europa, onde conviveu com renomados pintores, tornando-se um colorista experimentado. Radicado no Brasil, usa o seu talento para fixar a beleza da cor brasileira. JULIO LOUZADA vol.11, pág. 184

239 - GUYER SALES - (1942)
LL " Fruteira em fundo violeta " - lito. 32/50 - 35 x 50 - cid - 1988
Pintor, desenhista e gravador. Sobre ele escreveu Quirino da Silva, em 1970: "Seu desenho, sua pintura e gravura tem o mesmo ímpeto emocional. O surrealismo é o seu vocabulário. Nos demorados passeios oníricos, Guyer Sales fixa, graficamente, pictoricamente, os instantes que tocam a sua sensibilidade. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 856; ITAÚ CULTURAL.

240 - JOSÉ MARIA DA SILVA NEVES - (1896 - XX)
LL Quintal - ose - 18 x 26 - cid - 1961
Pintor, arquiteto e professor ativo em São Paulo. Participou do São Paulista de Belas Artes, onde obteve prêmios por diversas vezes. Pintor de natureza morta, paisagem e retratos. É autor da decoração do teto da Capela-Mor da Igreja do antigo convento de Sta Tereza, nas Perdizes/SP. MEC, vol.3, pág.260; JULIO LOUZADA, vol.6, pág.1060, Acervo FIEO.

241 - JOSÉ SABÓIA - (1949)
LL Colheita - ost - 50 x 70 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 116 deste catálogo.

242 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Menina e cavalo - dn - 48 x 32 - cid
No estado. Com carimbo do Leilão do Espólio de Noêmia Mourão, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 117 deste catálogo.

243 - LEONID FRECHKOP - (1897 - 1982)
LL Mulher - ost - 57 x 49 - cie - 1938
Pintor Belga, catalogado em: ARTPRICE.COM.

244 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Estudo - São João Del Rey " - osc - 33 x 24 - cid - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 119 deste catálogo.

245 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL " Construtivo " - ser. 35/100 - 56 x 76 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

246 - MICHEL GORAYEB - (XX)
LL Natureza morta - ost - 50 x 60 - cid - 1991
Pintor que tem participado de diversas exposições e Salões oficiais em São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná. JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG. 430; VOL. 3, PÁG. 475; VOL. 10, PÁG. 394; VOL. 13, PÁG. 155.

247 - RAIMUNDO DE CUMBUCO - (XX)
LL Nu - e em mad. - h = 59 - b - 2006 - Ceará
Escultor. Natural de Cumbuco - CE, realizou diversas exposições individuais em Fortaleza e em outras capitais do Nordeste.

248 - OSCAR VALZACHI - (XX - XX)
LL Paisagem - ose - 11 x 19 - cie
Pintor, foi ativo em São Caetano do Sul, SP. Participou de diversas exposições coletivas e individuais. Participou também do Salão Paulista de Belas Artes de 1966. MEC, vol. 4, pág. 443.

249 - RENINA KATZ - (1925)
LL " Maio " - lito. 67/100 - 60 x 40 - cid
Pintora, gravadora e professora, Renina Katz é paulista. Sua arte é dominada pelo vigor e pela imaginação. MEC vol.2, pág.403/4; PONTUAL, pág. 288/9; WALMIR AYALA vol.1, pág.441; JULIO LOUZADA vol.11, pág.262; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 606; ARTE NO BRASIL, pág. 834; LEONOR AMARANTE, pág. 98, Acervo FIEO.

250 - DARCY PENTEADO - (1926 - 1987)
LL " Crianças no bosque " - grav. 58/75 - 40 x 30 - cid - 1980
Desenhista, pintor, cenógrafo, figurinista e escritor, Darcy Penteado foi a personalidade polimorfe, que buscava tornar a própria existência matéria de arte. Em 1948 passou a integrar em São Paulo o Grupo Novíssimos. Expôs individualmente a partir de 1949, participando de inúmeras exposições coletivas e individuais, no país e no exterior. MEC, vol. 3, pág. 365; PONTUAL, pág. 416; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 241. WALMIR AYALA, vol 2, pág 183; TEIXEIRA LEITE, pág 401; ITAÚ CULTURAL ; WALTER ZANINI, pág. 717; LEONOR AMARANTE, pág. 75.

251 - ALFREDO VOLPI - (1896 - 1988)
LL Bandeirinhas - lito. os 130/250 - 33 x 24 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

252 - ALOISIO LUCAS DE SIQUEIRA - (1938)
LL Marinha - ost - 50 x 60 - cie - 1982
Natural de Serra Talhada, PE. Transferindo-se para São Paulo em 1963, conheceu Mário Schemberg, que o incentivou a permanecer sempre fiel à sua maneira de ser como pintor, que transmite a pureza e o sentimento do sertanejo do nordeste. ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 215; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO.

253 - CARLOS ARTUR THIRÉ - (1917)
LL Composição - dn - 29 x 41 - cid - 1946
Desenhista e pintor. Paralelamente a seus estudos de direito, começou a desenhar histórias em quadrinhos para suplemento juvenil, correio da manhã e o jornal, todos no rio de janeiro. Colaborou como desenhista de a noite, dedicando-se em seguida a arte publicitária. Em Paris, no ano de 1947, estudou por breve tempo com André Lhote e realizou exposição de desenhos na Galerie Du Dragon. Além de participar do SBBA, expôs no instituto dos arquitetos do Brasil (RJ, 1948), no Museu de Arte Moderna de São Paulo (1950) . Já na década de 1960 e ao lado de Agnaldo Manuel dos Santos, expôs na Petite Galerie (São Paulo).

254 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Figuras - ost - 25 x 30 - cid e d - 2007
Português de Braga, viveu em São Paulo e Minas Gerais, radicando-se definitivamente em Goiânia, desde 1967. O sobrenome artístico Poteiro vem das obras em barro e cerâmica que trabalhou por mais de 12 anos, até se transformar no pintor original e vigoroso de hoje. Amigo de Siron Franco, seu grande incentivador na pintura. WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 217; TEIXEIRA LEITE, págs 31 e 32; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 808; LEONOR AMARANTE, pág. 294, Acervo FIEO.

255 - CARLO PICOLLI - (XIX - XX)
LL Ilha de Capri - ose - 20 x 27 - cid
Pintor com diversas participações em exposições individuais e coletivas e com premiações em salões oficiais. JULIO LOUZADA, vol. 6, pág. 884.

256 - HENRIQUE GOLDSHMIDT - (1865 - 1952)
LL Pensativa - a - 14 x 8 - cid
Pintor e desenhista nascido (24/2) e falecido no Rio de Janeiro-RJ. Especializou-se nas pequenas e delicadas aquarelas, privilegiando as localidades cariocas. Foi chamado de "...talentoso pintor miniaturista e fantasista" pelo jornal O Paíz do Rio de Janeiro. TEODORO BRAGA, pág. 109; LAUDELINO FREIRE, pág. 389; JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 442.

257 - CYLENE BITTENCOURT - (1929)
LL Barcos - ostce - 17 x 15 - cie
Pintora e desenhista carioca estudou de 1946 a 1950 com Carlos Chambelland, e de 1950 a 1955 na Escola de Belas Artes Dom Henrique Cavalleiro. Residiu em Paris de 1958 a 1968, ali se dedicando ao desenho industrial, com padrões de tecidos para firmas da França e Itália. Só recomeçou a pintar em 1974, passando por uma fase abstrata, antes de encenar de novo o figurativismo com nús, bailarinas, crianças. Após uma série de banhistas, em 1976, assumiu sua temática, atual, onde preponderam artesãs, operárias, gente humilde que usa as mãos para criar. JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 128.

258 - ADRIAN HENRY VAN EMELEN - (1886 - 1945)
LL Paisagem - osm - 25 x 40 - cid - 1928
Pintor e escultor ativo em São Paulo na primeira metade do Séc.XIX. Foi autor das figuras de bronze, dos bandeirantes: Manoel Preto e Francisco Brito Peixoto e da tela TROPEIROS À BEIRA DA ESTRADA (1830), atualmente no Museu Paulistano. MEC, vol.2, pág.111; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 1022, Acervo FIEO.

259 - DOMENICO LAZZARINI - (1920 - 1987)
LL Paisagem - ost - 55 x 46 - cid - 1976
Nasceu na cidade italiana de Viareggio, vindo a falecer na cidade do Rio de Janeiro. Em 1940, ainda na Itália, nas cidades de Lucca e Florença, realiza estudos com Rosai e Vedova. Já no Brasil, dá aulas de pintura na Escola de Belas Artes de Araraquara, São Paulo, em 1950. Em 1957, cria a Escola de Belas Artes de Ribeirão Preto e, em 1961, leciona no Museu de Arte do Rio de Janeiro. Em 1974, conquista o Prêmio Tetra d'Oro em Roma. Entre as exposições de que participa, destacam-se: Exposição de Lucca, Itália, 1946 a 1948; Bienal de Veneza, Itália, 1948; Jovens Pintores de Araraquara, no Museu de Arte Moderna de São Paulo, 1954; Salão Nacional de Arte Moderna (Isenção de Júri, 1959 e Prêmio Aquisição, 1962), Rio de Janeiro, 1958 a 1962; Bienal Internacional de São Paulo, 1959 e 1961; Galeria de Arte da Folha, São Paulo, 1959 e 1960; Domenico Lazzarini, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, 1963; 100 Obras Itaú, no Museu de Arte de São Paulo, 1985. BÉNÉZIT, vol. 6, pág. 499; JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 179; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 964; Acervo FIEO.

260 - CÍCERO DIAS - (1908 - 2003)
LL Repouso - lito. 51/200 - 90 x 69 - cie
Pintor e desenhista pernambucano; mesmo radicando-se por mais de 40 anos em Paris, Cícero Dias ainda assim permaneceu brasileiro, e mais nordestino. Em fins da década de 1920, foi ao lado de Ismael Nery um dos grandes vultos da vanguarda no Rio de Janeiro; mais tarde, já na Europa, aderiu ao não-figurativismo, como integrante do Grupo Espace. Tornou em anos recentes à figuração, mais uma vez evocando a terra natal. MEC, vol.2, pág.50; WALMIR AYALA, vol.1, págs.252 a 255; TEIXEIRA LEITE, págs. 157 a 159. PONTUAL, págs. 174/5; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 564; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 146; Acervo FIEO.

261 - FRANCISCO CASSIANI - (1921)
LL Igreja - ose - 20 x 15 - cid
Nasceu em Mogi Mirim/SP, em 22/9/1921. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios em São Paulo e na Associação Paulista de Belas Artes, estudando posteriormente com o professor e pintor Castellane. Dedicou-se especialmente às naturezas mortas e paisagens, encontrando na histórica e bela cidade de Paraty/RJ, sua maior fonte de inspiração. MEC, vol. 1, pág. 368; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 60; Acervo FIEO.

262 - GLAUCO CHAVES - (1921 - 1990)
LL Pescador - ost - 41 x 33 - cid e d - 1987
Natural de Petrópolis, RJ. A partir de 1967 dedicou-se ao desenho. Conquistou Medalha de Prata nos SNBA-RJ em 1968 e 1970, e Medalha de Ouro no Salão da Sociedade dos Artistas Naciuonais, RJ, em 1970. JULIO LOUZADA vol. 3 pág. 265

263 - MARIO TULIO - (1894)
LL Igreja - a - 34 x 23 - cid - 1949 - Recife
Pintor, cenógrafo, desenhista e professor, natural de Veneza, Itália, e falecido em Recife-PE. No Brasil a partir de 1911, residiu no Rio de Janeiro e em Recife. Naturalizou-se brasileiro em 1932. Publicou charges para o jornal "O Globo" no RJ. Aperfeiçoou-se na Itália em aquarela, com Ettore Tito e Ciardi. Participou de diversas edições do SNBA-RJ, com premiações, alem de outros salões oficiais. JULIO LOUZADA, vol 1 - pág 999

264 - I. LAVOISIER - (1924 - 1979)
LL Arando a terra - ost - 70 x 140 - cie
Pintor, Nicolas Lambiris nasceu na Grécia. Assinava I. Lavoisier. Participou de várias exposições e Salões oficiais. JULIO LOUZADA, VOL. 4, PÁG. 600.

265 - IVO BLASI - (1932 - 2008)
LL Barcos - ost - 40 x 60 - cid e d
Pintor atuante em São Paulo. Viveu na Itália por algum tempo, onde frequentou cursos de arte. No Brasil cursou a Escola Paulista de Belas Artes, tendo participado de diversas exposições. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 36; Acervo FIEO.

266 - GUSTAVO ROSA - (1946)
LL Pássaro - lito. 77/300 - 50 x 72 - cid - 1975
Grande pintor paulistano, ganhador de muitos prêmios em Salões Oficiais. Tem exposto regularmente no Brasil e no exterior com grande sucesso. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 274; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

267 - ROBERTO GABRIEL CRIVELLÉ - (1936)
LL Nu - m em b - h = 20 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 017 deste catálogo.

268 - DECIO FERREIRA - (1932 - 2008)
LL " Uma pena no chapéu " - tm - 50 x 60 - cid e d - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 143 deste catálogo.

269 - GILDA PRIETO - (XX)
LL Nu - m em b 19/50 - h = 14 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 144 deste catálogo.

270 - SALVADOR SANTISTEBAN - (1919 - 1995)
LL Nu - dc - 38 x 30 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

271 - ROBERTO DE LAMONICA - (1933 - 1995)
LL Composição - grav. - 56 x 78 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 021 deste catálogo.

272 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Baile - ost - 40 x 50 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

273 - GUIMA - (1927 - 1993)
LL Marinha - ost - 16 x 22 - cie e d - 1974
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 023 deste catálogo.

274 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Paisagem - a - 72 x 100 - cie ileg.

275 - MARTINHO DE HARO - (1907 - 1985)
LL Fachada - osp - 30 x 20 - cid
Martinho de Haro (São Joaquim SC 1907 - Florianópolis SC 1985). Pintor, desenhista e muralista. Inicia-se na pintura em Lages, Santa Catarina, em 1920 e expõe individualmente pela primeira vez no Conselho Municipal de Florianópolis, em 1926. Como bolsista do governo catarinense, estuda na Escola Nacional de Belas Artes - Enba, no Rio de Janeiro, de 1927 a 1937, tendo aulas com Cunha Melo e Rodolfo Chambeland. Trabalha como auxiliar de João Timóteo na decoração da Igreja de Nossa Senhora da Pompéia, em 1930, e de Eliseu Visconti na execução do panneau do Teatro Municipal, de 1930 a 1935. Ainda na década de 30, freqüenta o curso de pintura de Henrique Cavaleiro e o Núcleo Bernardelli; viaja à França, onde estuda com Otto Friez na Academia de La Grande Chaumiere de Paris, em 1938. Devido ao início da guerra, retorna a São Joaquim em 1939, ali permanecendo até 1944, quando muda-se para Florianópolis. ITAÚ CULTURAL.

276 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - g - 26 x 10 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 059 deste catálogo.

277 - NIOBE XANDÓ - (1915 - 2010)
LL Máscara - ost - 27 x 19
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 099 deste catálogo.

278 - GUIDO VIARO - (1897 - 1971)
LL Flores - g - 47 x 38 - cie
Com resquícios de assinatura. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 156 deste catálogo.

279 - LOUIS VAN HOORDE - (1886 - 1935)
LL Flores - ost - 65 x 78 - cid
Pintor e desenhista belga. Em Antuérpia, Bélgica, fez seu aprendizado artístico e trabalhou, participando de várias exposições e Salões oficiais. ARTNET; ARTPRICE; ARTGALLERY1946.COM.

280 - MANOEL FARIA - (1895 - XX)
LL Paisagem - ost - 40 x 60 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 155 deste catálogo.

281 - CARLOS CRUZ DIEZ - (1923)
LL " Cromointerferência manipulavel " - m em ac - 25 x 25 - 1989
Reproduzido em Convite de Exposição do artista, na Alemanha. -Pintor, ilustrador, escultor e professor, natural de Caracas - Venezuela. Sua formação artística foi em Caracas onde trabalhou como publicitário, ilustrador e professor. Em 1960 vai residir em Paris, mas viaja regularmente à Venezuela. Participou das Bienais de São Paulo (1953, 1957, 1963, 1967, 1969, 1979); da Bienal Americana de Arte em Córdoba - Argentina (1966), da Bienal de Veneza - Itália (1962) e de muitas outras exposições e Salões oficiais. Recebeu inúmeros prêmios, inclusive na Bienal Internacional de São Paulo (1967). Possui obras em vários museus e coleções de arte pelo mundo. BENEZIT, VOL.3, PÁG. 291; ITAU CULTURAL; ART PRICE; ARTNET; DICIONÁRIO OXFORD; www.cruz-diez.com.

282 - COLETTE PUJOL - (1913 - 1999)
LL Rosas - osc - 32 x 22 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

283 - DAREL VALENÇA LINS - (1924)
LL Composição - grav. 33/50 - 50 x 40 - cid - 1967
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 018 deste catálogo.

284 - GIORDANO ROSSI - (XX)
LL Marinha - ost - 70 x 100 - cid
Com nota fiscal e recibo de compra da Galeria de Arte 7 de Abril de 16/6/1956 - São Paulo. -Pintor italiano, radicado no Brasil. Sua especialidade foi marinhas e naturezas mortas. Realizou diversas exposições coletivas e individuais. JULIO LOUZADA, vol. 6, pág. 972.

285 - WALDOMIRO DE DEUS - (1944)
LL Paisagem - ost - 50 x 100 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

286 - YOSHIYA TAKAOKA - (1909 - 1978)
LL Cavalos - a - 35 x 50 - cid - 1974
Pintor e desenhista nascido em Tóquio, Japão, veio para o Brasil em 1925, fixando-se no interior de São Paulo, trabalhando na lavoura. Mudou-se para São Paulo, onde ganhava a vida vendendo pastéis, fazendo caricaturas e como pintor de paredes. Foi aluno de Bruno Lechowsky no Rio de Janeiro. Foi um dos fundadores do Grupo Seibi, que reuniu artistas plásticos da colônia japonesa em São Paulo (1935). Fundou em 1948, juntamente com Geraldo de Barros e Antonio Carelli, o Grupo dos Quinze. Viveu em Paris de 1952 a 1953, estudando técnica de mosaico; Freqüentou o Núcleo Bernardelli, onde se ligou de amizade a Pancetti. Participou de diversos salões e exposições, nacionais e estrangeiras, recebendo diversas premiações. PONTUAL, pág. 510; TEIXEIRA LEITE, pág. 490; MEC, vol. 4, pág. 352; TEODORO BRAGA, pág. 220; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 361; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL.

287 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL Queimada - ost - 37 x 23 - ci e d - 1984
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 037 deste catálogo.

288 - ARCÂNGELO IANELLI - (1922 - 2009)
LL Composição - col. - 22 x 12 - cie
Com dedicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 171 deste catálogo.

289 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Jangadeiros - dn - 29 x 21 - cid
Reproduzido na pág. 213 no livro " Carybé - as sete portas da Bahia ", livraria Martins Editora - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 039 deste catálogo.

290 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Composição - g - 27 x 15 - cie - 1962
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 165 deste catálogo.

291 - EDY GOMES CAROLLO - (1921)
LL Vaso de flores - ost - 60 x 73 - cid e d - 1948
Com carimbo do Salão Fluminense de Belas Artes, no dorso. -Filho e discípulo de Sobragil Gomes Carollo, participou do Salão Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, com diversas premiações. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 173 e 174.

292 - JESUS FUERTES - (1938)
LL " Frutas sugestivas " - lito. g 1/15 - 30 x 35 - cid - 1968
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 106 deste catálogo.

293 - FRANCISCO STOCKINGER - (1919 - 2009)
LL Cavaleiro - m em b - h = 19 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 158 deste catálogo.

294 - ARLINDO CASTELANE DI CARLI - (1910 - 1985)
LL Natureza morta - ose - 20 x 30 - cid
Ex-coleção Lucydio Ceravolo - São Paulo. Com número 851 do Atelier do artista, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 044 deste catálogo.

295 - TORQUATO BASSI - (1880 - 1967)
LL Pedra da Gávea - ostcc - 16 x 25 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 045 deste catálogo.

296 - MARIA FREIRE - (1919)
LL Composição - dn - 33 x 28 - cid
Artista do Uruguai que tem realizado inúmeras exposições individuais: Uruguai (1970, 1975, 1977, 1987, 1990, 1992, 1998); São Paulo (1956 - MAM, 1976); Rio de Janeiro (1957 - MAM); Espanha (1958); Bélgica (1959); Argentina (1967). Coletivas: Uruguai (1982, 1983, 1990, 1996, 2006); EUA (1992, 2001); Inglaterra (1994, 1996); Espanha (1997), México (2002); Porto Alegre (2005 - Bienal do Mercosul); Suíça (2005). www.fundacaobienal.art.br; www.artnet.com; artprice.com; www.artinfo.com

297 - CAMPOS AYRES - (1881 - 1944)
LL Paisagem - osm - 35 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 166 deste catálogo.

298 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL Ex voto - ast - 36 x 26 - ld e d - 1971
Com etiqueta da Galeria de Arte Ipanema - Rio de Janeiro, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

299 - JUDITH LAUAND - (1922)
LL Composição - dcf - 21 x 29 - cid
Registrado sob o n° 236 do Acervo de Judith Lauand. -Nasceu na cidade paulista de Pontal. Em 1950 formou-se em artes plásticas na Escola de Belas Artes de Araraquara-SP. Em 1952, já em São Paulo, estuda pintura com Domênico Lazzarini e gravura com Lívio Abramo. Integra o grupo paulista do movimento de arte concreta em 1955. Participa da Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1955 e 1969; Exposição Nacional de Arte Concreta, São Paulo, 1956; Tendências Construtivas no Acervo do MAC/USP, Rio de Janeiro, 1996; Arte Construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leirner, São Paulo e Rio de Janeiro, 1998 e 1999. Na crítica de Mario Schenberg, ..." Judith Lauand permanece fiel a sua postura e trajetória concretista. Sua obra recente revela a densidade da composição, o apuramento do cromatismo, o equilíbrio do grafismo, conseguidos por constante pesquisa. Judith envereda agora por novos caminhos realizando obras que podem ser chamadas de assimétricas, onde o geometrismo da decomposição cromática destrói a ‘partição eqüilateral’ presente ao longo de sua obra, criando uma nova simetria. " (LAUAND, Judith. Judith Lauand : pinturas. Sao Paulo : Choice Galeria de Arte, 1986. p. 3). JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 479; ITAU CULTURAL.

300 - SYLVIO PINTO - (1918 - 1997)
LL Marinha - ost - 65 x 81 - cid
Com certificado do Projeto Sylvio Pinto, firmado por Ubirajara Pinto Carreras. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 050 deste catálogo.

301 - ALCIDES SANTOS - (1945)
LL Figuras fantásticas - ose - 56 x 55 - cid - 1977
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 172 deste catálogo.

302 - ARMANDO VIANNA - (1897 - 1988)
LL Paisagem - ost - 35 x 27 - cie e d - 1981
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 052 deste catálogo.

303 - MESTRE EXPEDITO - (1933)
LL Oratório - e em mad. - h = 50 - as. - 1976 - Teresina/PI
Expedito Antonino dos Santos, o Mestre Expedito, é um grande nome da arte santeira piauiense. Suas peças entalhadas na madeira, são admiradas no Brasil e no exterior, contribuindo para a valorização do Piauí pela criatividade de seus artesãos e qualidade de suas criações.

304 - INIMÁ DE PAULA - (1918 - 1999)
LL Casario - dn - 30 x 23 - cid
Mineiro de Itanhomi, Inimá, depois de prestar o serviço militar em Juiz de Fora, passou a frequentar o Núcleo Antônio Parreiras (que no início dispunha de professores, mas logo se transformou em ateliê livre), da mesma cidade, em 1938. Integrou-se ao grupo de Bandeira e Aldemir Martins na cidade de Fortaleza (1941). No Rio frequentou o ateliê de Portinari e realizou a sua primeira individual (1948). Recebeu o prêmio viagem ao estrangeiro no I SNAM (1952), certame do qual participou por diversas vêzes até 1960. Em Paris estudou com Lothe. É um de nossos artistas mais completos. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.152; PONTUAL, pág. 271; MEC, vol.3, pág.355; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 401 1 404; TEIXEIRA LEITE, pág.260; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 870; Acervo FIEO.

305 - MANABU MABE - (1924 - 1997)
LL Composição - ser. 223/400 - 13 x 19 - cid - 1983
Com dedicatória para Paulo Mendes de Almeida. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 055 deste catálogo.

306 - VINCENT JACHINK - (1876 - 1942)
LL Paisagem outonal - ost - 52 x 70 - cie
Pintor austríaco. Trabalhou em Lienz, Spittal, Bischofshofen e Viena, Áustria, participando das várias exposições e Salões oficiais da efervescente atividade cultural do país. Foi um dos destaques do apogeu pictórico de 1900 na Áustria.

307 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Cavaleiro - grav. 38/60 - 30 x 44 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 097 deste catálogo.

308 - PIETRINA CHECCACCI - (1941)
LL " Amanhã talvez " - osm - 29 x 20 - cid e d - 1967 - Rio
Nasceu em Taranto, Itália. Pintora e desenhista. Vindo para o Brasil em 1954, fixou-se no Rio de Janeiro. Formou-se no curso de pintura da antiga ENBA em 1964. Apresentando seus trabalhos desde 1961, participou, entre outras mostras coletivas, dos XII, XIII, XIV, XV, XVII, XVIII SNAM (entre 1963 e 1969), Exposição Geral de Belas Artes do IV Centenário (GB, 1965), Prêmio Homenagem a Dante (Piccola Galeria, GB, 1965) I e II SEAJ (1965 e 1968), I Salão de Abril (Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, 1966), XXIV Spar. BA (1967 / segundo prêmio de pintura) e XXII e XXIII SMBABH (1967 e 1968). Expôs individualmente no Instituto de Belas Artes (GB, 1961), nas galerias Varanda (GB, 1966), Grupiara (Belo Horizonte, 1966), Celina (Juiz de Fora, 1966), Concivivium (Salvador, 1967), da Cultura Francesa (Porto Alegre, 1968) e Atelier de Arte (Belo Horizonte, 1969), bem como na Petite Galerie (GB, 1968), apresentando nesta última seus estandartes. PONTUAL, pág. 133; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 203; MEC, vol. 1, pág. 435; WALTER ZANINI, pág. 740; ITAÚ CULTURAL. Acervo FIEO.

309 - EURIDYCE BRESSANI - (1906 - 1992)
LL Interior - dn e a - 32 x 17 - cid - 1981
Desenhista natural da cidade do Rio de Janeiro, onde nasceu a 5/11/1906. Autodidata, começou a desenhar em 1957, depois de aposentada, pois segundo ela o desenho lhe fazia companhia. Evoca cenas e tipos de sua infância. Em 1961 foi premiada pela melhor ilustração de livros obtida com o romance Memórias de um Sargento de Milícias. Ilustrou diversos outros importantes livros de autores nacionais. Possui obras em vários museus, como MAM-RJ e MAM-Bahia. Julio Louzada lista as diversas e importantes exposições de que participou. JULIO LOUZADA, vol. 2 pág. 377

310 - MARIO CAMPELLO - (1941 - 2000)
LL Figura - ost - 60 x 40 - cie e d - 1977
Baiano de Salvador, Mario Campello adquiriu orientação na EBA da Universidade da Bahia. Transferiu-se posteriormente para São Paulo, onde passou a se dedicar, além da pintura, a projetos para murais, tapeçaria e estamparia. Sua primeira exposição ocorreu em 1962. Artista muito apreciado pela delicadesa de seus temas e telas, revelando profundo domínio técnico. JULIO LOUZADA, vol 13 pág. 64; ITAÚ CULTURAL.

311 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Antropofagia - dn - 12 x 20 - cid - 1929
Ex coleção Ninoross Bastos Ribeiro - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 061 deste catálogo.

312 - CARLOS FIGUEIRA - (XX)
LL Paisagem do Rio - a - 24 x 16 - cid - 1939
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 074 deste catálogo.

313 - SERGIO RODRIGUES - (1927)
LL Poltrona mole - - déc. 1970
Medindo L=103 x A=80 x P=90 cm.Designer de móveis, arquiteto. Ingressa em 1947 na Faculdade Nacional de Arquitetura da Universidade do Brasil - FNA, no Rio de Janeiro. Em 1949, atua como professor assistente de David Xavier de Azambuja, que, em 1951, o convida a participar da elaboração do projeto do Centro Cívico de Curitiba, com os arquitetos Olavo Redig de Campos e Flávio Regis do Nascimento, por intermédio de quem conhece Lucio Costa. Rodrigues forma-se em arquitetura em 1951. Transfere-se para Curitiba, onde cria a Móveis Artesanal Paranaense, em sociedade com os irmãos Hauner, que em 1954 contratam-no para comandar o setor de criação de arquitetura de interiores de sua nova empresa, a Forma S.A., em São Paulo. Nesse período, entra em contato com a produção de diversos designers europeus, conhece Gregori Warchavchik e Lina Bo Bardi. Em 1955, pede demissão da Forma, e volta ao Rio de Janeiro. Alimenta a idéia de criar um espaço de produção e comercialização o do design brasileiro, que se concretiza com a abertura da Oca, em 1955. Cria na década de 1950 as poltronas Mole, Laércio Costa e Oscar Niemeyer. De 1959 a 1960, faz os primeiros estudos do SR2 - Sistema de Industrialização de Elementos Modulados Pré-Fabricados para Construção de Arquitetura Habitacional em Madeira. Os protótipos das construções são expostos no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ. Com o objetivo de comercializar móveis produzidos em série a preços acessíveis, cria em 1963 a empresa Meia-Pataca, que se mantém no mercado até 1968. Nesse ano, vende a Oca e monta ateliê no Rio de Janeiro, onde trabalha com arquitetura de interiores para residências, escritórios e hotéis e realiza projetos para o Banco Central em Brasília e a sede da Editora Bloch, no Rio de Janeiro. Participa da exposição Mobiliário Brasileiro - Premissas e Realidade, no Museu de Arte de São Paulo - Masp. Participa, com Lucio Costa e Zanine Caldas, da Mostra Brasile 93 - La Costruzione de una Identitá Culturale [Brasil 93 - A Construção de uma Identidade Cultural], em Brescia, Itália. ITÁU C

314 - JOÃO BAPTISTA DE PAULA FONSECA JR - (1917 - XX)
LL Paisagem do Rio de Janeiro - ost - 46 x 55 - cid e d - 1957
Pintor e desenhista nascido no Rio de Janeiro, filho do pintor João Baptista de Paula Fonsêca que foi o seu maior incentivador. Cursou a antiga Escola Nacional de Belas Artes (1950 a 1955) onde mais tarde se tornou professor. Apresentou-se várias vezes no Salão Nacional de Belas Artes, RJ, obtendo Prêmio de Viagem ao Exterior (1988) e no Salão Paulista de Belas Artes – SP (1939, 1949) também premiado em 1939. JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 389; VOL. 6, PÁG. 405; ITAÚ CULTURAL.

315 - REINALDO MANZKE - (1906 - 1980)
LL Paisagem - ost - 71 x 98 - cid - 1945
Pintor, nascido em falecido em Blumenau, SC. Participou regularmente do Salão Paulista de Belas Artes, recebendo premiações diversas. JULIO LOUZADA, vol 9, pág, 529. MEC, VOL, 3,pág, 65. PONTUAL,pág,335; TEODORO BRAGA; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

316 - BELMIRO BARBOSA DE ALMEIDA - (1858 - 1935)
LL Paisagem - a - 16 x 11 - cid
Esse grande pintor brasileiro, cuja carreira artística começou pela caricatura, viveu em Paris quase toda a sua existência. Ao fim da vida, abeirou-se dos novos estilos artísticos em voga na Europa, praticando incursões até no campo do Futurismo. Luciano Migliaccio, assim se refere `a obra do mestre: " Belmiro (...) punha fim à época em que a arte brasileira ainda era prisioneira da retórica dos gêneros e se fundamentava na transposição em chave nacional da tradição européia. Dava início a uma arte nova, inspirada na realidade social urbana contemporânea, falando da transformação dos costumes no interior da família e da condição da mulher na sociedade moderna. Era uma pintura que objetivava a educação moral do público, imitando o exemplo da pintura vitoriana inglesa, mas adotando a estética do naturalismo francês. O artista deixava de ser uma espécie de sumo sacerdote do culto da nação, passando a recusar a idéia de uma pintura celebrativa, promovida pelo Estado e distante da representação da atualidade. Assim, como Amoedo e Aurélio Figueiredo, Belmiro tentava encarnar o modelo do artista dandy, o intelectual urbano que fazia de sua arte um estilo e um modo de vida (...)" in: MOSTRA DO REDESCOBRIMENTO (2000: SÃO PAULO, SP), AGUILAR, Nelson (org. ), SASSOUN, Suzanna (coord. ). Arte do século XIX. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo: Associação Brasil 500 anos Artes Visuais, 2000. p. 148. REIS JR, pág.224; THEODORO BRAGA, pág.49; Primores da Pint, no Brasil, vol.1, pág.229; LAUDELINO FREIRE, págs.382/383; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 30/31; TEIXEIRA LEITE, pág. 68/69; PONTUAL, págs.66/67; MEC, vol.1, pág.48; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 420; ARTE NO BRASIL, pág. 553; F. ACQUARONE, pág. 117.

317 - TETSUO NOMURA - (1928)
LL Borboleta - ose - 55 x 46 - cid
Natural de Tóquio, Japão, onde realizou seus estudos artísticos na Universidade de Arte daquela cidade. No Brasil desde 1956, engajou-se desde logo no Grupo Seibi, participando de diversos certames oficiais a partir de 1966, recebendo diversas premiações. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 679.

318 - GIUSEPPE PERISSINOTTO - (1881 - 1965)
LL Leitura - osm - 24 x 33 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

319 - ALICE BRILL - (1920)
LL Fachada - tm - 70 x 54 - cid - 1979
No Brasil desde os 14 anos, esta artista alemã, nascida em Colônia, radicou-se em São Paulo, onde estudou com Osir, Bonadei e Yolanda Mohalyi, aperfeiçoando-se com bolsa de estudos nos Estados Unidos. Estudou gravura em São Paulo com Karl-Heinz Hansen, voltando a fazê-lo com Potty Lazzarotto em 1950, no MASP.Como pintora, a primeira exposição de que participou, em 1944, foi o Salão do Sindicato dos Artistas Plásticos de São Paulo, desde então, este sempre presente em diversas coletivas nacionais e estrangeiras. Sua pintura traz a cidade em suas telas. JULIO LOUZADA, vol. 8, pág. 134; MEC, vol. 1, pág. 296; PONTUAL, pág. 90; TEIXEIRA LEITE, pág. 88; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; Acervo FIEO.

320 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Marinha - osm - 24 x 35 - cid e d - 1956 - Rio
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

321 - INOS CORRADIN - (1929)
LL " Vilarejo de pescadores " - ost - 50 x 70 - cie e d
Um dos valores da pintura em São Paulo. Corradin expôs com frequência na Europa e nos Estados Unidos, onde seus quadros são muito apreciados. Também tem se dedicado com igual talento e sucesso a escultura. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 152; PONTUAL, pág. 143; MEC, vol. 1, pág. 448; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 215; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

322 - HEITOR DOS PRAZERES - (1898 - 1966)
LL Samba - ose - 32 x 44 - cid - 1964 - Rio
Com autenticação da família do artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 072 deste catálogo.

323 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Carranca - e em mad. - h = 65 - n/as.

324 - ABELARDO ZALUAR - (1924 - 1987)
LL Composição - g - 24 x 17 - cid - 1961
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 016 deste catálogo.

325 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " O carvoeiro de bordo " - ost - 41 x 33 - csd e d - 1974
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 075 deste catálogo.

326 - ESCOLA EUROPÉIA, SÉC.XIX -
LL Cena de batalha - osm - 46 x 70 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 192 deste catálogo.

327 - RENATO SOTTOMAYOR - (1921 - 1958)
LL Projeto para painel - g - 24 x 41 - cid - 1951
Pintor, desenhista, ilustrador e decorador nascido no Rio de Janeiro onde estuda na Escola Nacional de Belas Artes. Faleceu em Santos, SP. Em 1950, transfere-se para São Paulo e passa a lecionar no MAM. Também estuda com André Lhote e Gino Severini, em Paris. Como decorador, colaborou com o arquiteto Sérgio Bernardes e também se destacou como ilustrador de obras literárias. Exposição individual em Roma (1952). Participou, em São Paulo, da 1ª Bienal e do Salão de Arte Moderna (1951); em Paris (1956) da exposição do Museu de Arte Moderna. MEC, VOL. 4, PÁG. 310; PONTUAL, PÁG. 500; JULIO LOUZADA, VOL. 11, PÁG. 306.

328 - DANILO DI PRETE - (1911 - 1985)
LL Vaso de flores - ost - 61 x 46 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 196 deste catálogo.

329 - KILIM -
LL -
medindo 115 x 190 cm = 218 m². -

330 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Labareda - e em mar - h = 55 - as.
- Reproduzido no convite deste leilão. - Ex-coleção Donato José Veloso - Rio de Janeiro. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 163 deste catálogo.

331 - CARLOS PRADO - (1908 - 1992)
LL Casarão - osm - 29 x 35 - cid - 1941
Arquiteto, pintor, gravador e ceramista paulistano. Recebeu menção honrosa no SPBA de 1935, participando também na I e II BSP e na exposição de Arte Moderna no Brasil, realizada em Buenos Aires, Rosário, Santiago do Chile e Valparaíso, em 1957. No dizer de TEIXEIRA LEITE, em sua obra A Gravura Brasileira Contemporânea, Carlos Prado utilizava por vezes a gravura como meio expressivo, subordinando-a, porém, a interesses maiores. TEIXEIRA LEITE, pág. 421; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 254. PONTUAL, pág. 438; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 582; ARTE NO BRASIL, pág. 781. Acervo FIEO.

332 - NERÃO - (ANTONIO JOAQUIM NERY) - (1903 - 1997)
LL " Primavera em flôr " - ost - 38 x 46 - cid - 1985
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 082 deste catálogo.

333 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Capa para Revista Fon fon - g - 38 x 28 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

334 - NICOLAS VLAVIANOS - (1929)
LL Composição - e em a i - h = 104 - as. - 1974
Natural de Atenas, Grécia, veio para o Brasil em 1961, após breve passagem por Paris em 1956, para estudar pintura. Dedicou-se inicialmente à escultura com soldagem de objetos metálicos de uso comum, passando mais tarde a acentuar a " pictorização de sua escultura ", no dizer de Mario Pedrosa, em 1966. Possui obras em diversos museus nacionais e coleção particulares de importância. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 1118; MEC, vol, 4, pág. 496; PONTUAL, pág. 546; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 769; LEONOR AMARANTE, pág. 136.

335 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL " Ex-voto " - ast - 40 x 40 - cie e d - 2005
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

336 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Composição - pspc - 30 x 30 - cse - 1966
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 086 deste catálogo.

337 - ANATOL WLADISLAW - (1913 - 2004)
LL Composição - g - 27 x 37 - cid - 1952
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 036 deste catálogo.

338 - JOAN MIRÓ - (1893 - 1980)
LL Composição - grav. 279/400 - 35 x 46 - cid - 1950
Pintor, desenhista, gravador, ilustrador, ceramista e escultor. Assinava Joan Miró e Miró. Nasceu em Montroig, Espanha e faleceu em Palma de Mallorca - Ilhas Baleares, Espanha. Entrou para Escola de Belas Artes de Barcelona com quinze anos, aperfeiçoando-se com o arquiteto Gali. Começou a expor em 1918 na sua terra natal e pouco depois, transfere-se para Paris. Assinou o manifesto surrealista em 1924. Em 1940 voltou à Espanha - Mallorca. Trabalhou com o ceramista Llorens Artigas. Em 1947 realizou um mural em Cincinnati, EUA, e um para a Universidade de Harvard, em 1950 (hoje substituído por uma cópia cerâmica, cujo original se encontra no MOMA de Nova York). Em 1958 trabalhou em dois gigantescos murais em cerâmica para a UNESCO, em Paris. A Fundação Joan Miró foi inaugurada em Montjuic, Barcelona, em 1975. Outras obras suas podem ser vistas na maioria dos museus e coleções de arte moderna espalhados pelo mundo. JULIO LOUZADA, VOL.1, PÁG.638; VOL. 4, PÁG. 746; VOL. 6, PÁG. 735; VOL.8, PÁG. 576; BENEZIT, VOL. 7, PÁG. 435; ITAU CULTURAL; DICIONÁRIO OXFORD DE ARTE – MARTINS FONTES.

339 - ANTONIO ROCCO - (1880 - 1944)
LL Paisagem - ostcc - 28 x 35 - cid - 1929
Pintor italiano, natural de Amalfi. Frequentou o Instituto de Belas Artes de Nápoles. No Brasil, fixou-se em São Paulo. Participou do SNBA e no SPBA de 1933, recebendo importantes premiações. A PINACOTECA - SP possui obras de sua autoria. TEODORO BRAGA; JULIO LOUZADA, vol 13 pág. 286; ITAÚ CULTURAL.

340 - MANABU MABE - (1924 - 1997)
LL Composição - ost - 60 x 130 - cie - Déc. 1960
- Reproduzido no convite deste leilão. - Registrado sob o n° 1583 no Instituto Manabu Mabe, conforme carimbo, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 055 deste catálogo.

341 - VALDEIR MACIEL - (1937 - 2005)
LL Composição - ost - 30 x 80 - d - 1978
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 206 deste catálogo.

342 - CARMÉLIO CRUZ - (1924)
LL " Ao vento " - ost - 50 x 61 - cid e d - 1982
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 092 deste catálogo.

343 - PIERRE-JULES MENE - (1810 - 1879)
LL Cachorro - e em b - h = 4 - as.
Escultor. Nasceu e morreu em Paris. Discípulo de René Compaire. Figurou nos Salões de Paris de 1838 a 1879. Conquistou Medalha de Terceira Classe em 1855, de Décima Classe em 1878 e de Primeira Classe em 1852 e 1861. Possui obras nos Museus de La Rochelle e de Rouen. BENEZIT, VOL.7, PÁG.330; JULIO LOUZADA, VOL. 4, PÁG. 732; ART PRICE; ARTNET; www.artcyclopedia.com; www.artfact.com.

344 - ELISEU D´ANGELO VISCONTI - (1866 - 1944)
LL Modelo - p - 37 x 28 - cid
Considerado o maior pintor que trabalhou no Brasil, nasceu na Itália, mas fez sua formação artística na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro e em Paris. Foi sucessivamente, realista, simbolista, adepto do Art Noveau e pós- impressionista, até chegar em algumas paisagens já quase no fim da vida, a uma síntese admirável de todos esses estilos e tendências. Sua obra-prima - e uma das obras- primas da arte brasileira de todos os tempos - é a decoração do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, principamente o friso do foyer, iniciado em 1914. TEODORO BRAGA, pág. 240/241; LAUDELINO FREIRE, págs. 515/ 133/ 151/ 510 e 512; BENEZIT, vol. 10, pág. 535; REIS JR., pág. 293 /300 /304 /371 /375/ 380/ 381/ 388/ 389; MEC, vol. 4, pág. 393; PONTUAL, pág. 543/544/545; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 422 e 423; MAYER/84, pág. 1252; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 420; ARTE NO BRASIL, pág. 553; LEONOR AMARANTE, pág. 42; Acervo FIEO; F. ACQUARONE, pág. 171.

345 - RUBENS SACRAMENTO - (1920)
LL Jangadeiros - ost - 57 x 85 - cid
Pintor e professor. Rubens Manoel do Sacramento é natural de Salvador, Bahia. Formado pela Escola de Belas Artes de Salvador, estudou com Prisciliano Silva, Mendonça Filho, George Ziata e Carol Cossak. É contemporâneo de Mário Nunes, Baltazar da Câmara e Elezier Xavier. Em 1960, recebeu Menção Honrosa no Museu do Estado de Pernambuco e Medalha de Prata no Salão de Belas Artes do Rio de Janeiro. JULIO LOUZADA, VOL.13, PÁG. 293; www.artemaior.com.br; www.itaucultural.org.br.

346 - SERGIO MILLIET - (1898 - 1966)
LL Paisagem - ose - 40 x 30 - cse
Nascido e falecido em São Paulo, Capital. Poeta, ensaísta, crítico literário e de arte, e pintor. Ao lado de suas múltiplas atividades de poeta, crítico e estudioso das artes plásticas, Sergio Milliet também foi assíduo pintor de domingo, especialmente das praias de Santos. Foi diretor artístico do MAM-SP, o qual organizou em 1969, uma exposição de sua pintura, comentada no Jornal do Brasill, de 22/9/1969. PONTUAL, pág. 361; JULIO LOUZADA vol.10, pág. 598; ITAÚ CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 325. Acervo FIEO.

347 - AMILCAR DE CASTRO - (1920 - 2002)
LL Composição - asp - 70 x 100 - cid - 1986
Escultor e desenhista mineiro, nascido em Paraisópolis. Autodidata em escultura, estudou desenho e pintura com Guignard (BH, 1942-1950). Assinou o manifesto do movimento neoconcreto, participando das exposições do grupo no MAM-RJ (1959), MAM-SP (1961), MEC-RJ (1960). " ... o ponto comum de todas elas (as obras do autor) estava na expressão de uma fôrça interior contida pelos ritmos implacáveis e decisivos da estrutura." (Ferreira Gullar, referindo-se às obras do autor na época das exposições do Grupo). Amilcar participou das Bienais de SP de 1953 a 1965, nos SNAM, entre 1960 e 1967, além de tantas outras mostras de expressão internacional, que lhe trouxeram prestigio de público e de sempre elevada crítica. ITAÚ CULTURAL; PONTUAL, pág. 119; JULIO LOUZADA, VOL, 10 pág, 198; MEC, VOL, 1 pág, 386; WALTER ZANINI, pág. 656; ARTE NO BRASIL, pág. 872; LEONOR AMARANTE, pág. 136; Acervo FIEO.

348 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Baianas - dn e a - 37 x 27 - cid - 1967
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 039 deste catálogo.

349 - JOSÉ MARIA DE SOUZA - (1935 - 1987)
LL " Marinha " - ost - 39 x 46 - cid e d - 1975 - Bahia
Baiano de Valença, Bahia. Diplomou-se na Escola de Belas Artes da Bahia, onde teve como prof. Mario Cravo em gravura e Juarez Paraíso, em desenho. Realizou várias individuais no Rio de Janeiro, cidade onde se fixou por algum tempo, retornando para a Bahia. Sua figuração é pessoal e o limite profundo de sua obra está povoado de algo cuja definição se coloca entre o humilde e o grotesco. Realizou individuais a partir de 1960 (entre elas: Galeria Bonino, RJ-1965 e 1967); e coletivas (SNAM-RJ 1959, 1962 e 1963, entre outras). JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 498; ITAÚ CULTURAL.

350 - CÍCERO DIAS - (1908 - 2003)
LL Lembrança de Recife - ost - 92 x 74 - cie
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 19/05/2010. - Ex-coleções: Dr. Antonio Paiva - Rio de Janeiro; Dr. Elviro Roque - Rio de Janeiro. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 260 deste catálogo.

351 - IVAN MARQUETTI - (1941)
LL " Portas " - ost - 33 x 46 - cid e d - 1964
Ivan João Alvarez Marquetti, desenhista e pintor, nasceu no Rio de Janeiro. Assina Marchetti. Sua formação artística foi no Rio de Janeiro, Ouro Preto - MG e França. Participou de inúmeras exposições e Salões oficiais. Individuais: Brasília, DF (1986); Rio de Janeiro (1971, 1974); Recife, PE (1972, 1973). Coletivas: Rio de Janeiro (1961, 1967, 1971, 1974, 1978, 1982, 1983); Brasília, DF (1971, 1976, 1981, 1986, 1988); Recife, PE (1973); São Paulo (1977), Belo Horizonte, MG (1992, 1995). JULIO LOUZADA, VOL. 3, PÁG.690; VOL. 4, PÁG. 690; VOL. 6, PÁG. 681; VOL. 8, PÁG. 535; PONTUAL, PÁG. 342; MEC, VOL.3, PÁG. 76, ITAU CULTURAL.

352 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
LL Composição - ser. 97/100 - 55 x 74 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 102 deste catálogo.

353 - VERA TORRES - (1962)
LL Composição - e em b - h = 23 - as.
Escultora, nasceu na cidade do Rio de Janeiro no dia 15 de julho de 1962. Orientada por Bruno Giorgi, dedica-se interamente à escultura a partir dos 18 anos de idade. Expôs individualmente aos 22 anos, na B-75 Concorde Galeria de Arte-RJ, merecendo a seguinte crítica de Oscar Niemeyer: "Sinto o inegável talento de suas esculturas. Às vezes abstratas, outras figurativas. Mulheres belas e barrocas, cheias de graça e movimento. E fico à vontade em elogiar seus trabalhos e o entusiasmo com que tão bem se integra no campo da escultura." Austregésilo de Athayde diz que "Vera Torres transpõe para o bronze e mármore, matéria inerte, uma amoroso sopro de vida, como um poema de beleza e graça imortais." Individual em 1986, no Rio de Janeiro-RJ. JULIO LOUZADA, vol 6 pág. 1125

354 - MARIA LEONTINA - (1917 - 1984)
LL Composição - a - 22 x 28 - cid - 1951
Aluna de Waldemar da Costa, Maria Leontina é uma pintora que conquista o espectador pela finura de seus acostamentos cromáticos. Em 1947, integrava o Grupo dos 19, e, nos anos "50", passou por interessante fase geométrica. MEC, vol. 2, pág. 471; TEIXEIRA LEITE, pág. 309; PONTUAL, pág. 338; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 772; LEONOR AMARANTE, pág. 25; WALTER ZANINI, pág. 645.

355 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL Flores - osc - 57 x 45 - cie
Com etiqueta de Collectio São Paulo, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

356 - FRANCISCO REBOLO GONSALES - (1903 - 1980)
LL Figuras na praia - ost - 33 x 46 - cid e d - 1977
Com certificado de autenticidade do Intituto Rebolo, firmado por Lisbeth Rebolo. Reproduzido sob o n.° 385 do livro "Arte Brasileira: Cortes e Recortes - Segunda parte: 1912-1936" de autoria de Frederico Morais, edição Soraia Cals, Rio de Janeiro. Com etiqueta de Oscar Seraphico Galeria de Arte Ltda - Brasília, no dorso. -Grande pintor paulistano, um dos principais membros do Grupo Santa Helena e da Família Artística Paulista, Rebolo é acima de tudo um paisagista de colorido suave e desenho sensível. MEC, vol. 4, pág. 28/29; TEODORO BRAGA, pág. 202/3; PONTUAL, pág. 447/448; REIS JR., pág. 382; TEIXEIRA LEITE, pág. 433/434/435.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; LEONOR AMARANTE, pág. 13; ARTE NO BRASIL; Acervo FIEO.

357 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
LL Rosto - dn e a - 16 x 10 - cid - 1948
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 229 deste catálogo.

358 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Paisagem - ast - 60 x 80 - cie e d - 2000
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 033 deste catálogo.

359 - ARLINDO CASTELANE DI CARLI - (1910 - 1985)
LL Cachoeira - ost - 40 x 50 - cid
Ex-coleção Lucydio Ceravolo - São Paulo. Com número 860 do Atelier do artista, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 044 deste catálogo.

360 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Paisagem - ost - 54 x 74 - cie - 1964
- Reproduzido no convite deste leilão. - Com etiqueta da Exposição " 40 anos do Grupo Santa Helena " realizada pela Secretaria da Cultura, Ciência e Tecnologia no Paço das Artes - São Paulo -1975. Reproduzido sob o n° 71 em Catálogo de Leilão da Companhia das Artes - São Paulo. -Estudou com Pedro Alexandrino (1923 a 1928) e aperfeiçoou-se na Itália. Integrou o Grupo Santa Helena, com Rebolo, Zanini, Rosa, Graciano, Pennacchi (1935) e participando em 1937 de exposições da Família Artística Paulista. Pintou paisagens e naturezas mortas, com composição estruturada no cubismo. MEC, vol. 1, pág. 247; PONTUAL, págs. 78/79; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1041; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 258; TEIXEIRA LEITE, pág. 79; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; LEONOR AMARANTE, pág. 72; Acervo FIEO.

361 - PENG BO - (XX)
LL " Composição " - a - 59 x 40 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 111 deste catálogo.

362 - SANSÃO CAMPOS PEREIRA - (1926)
LL Marinha - ose - 22 x 27 - cid
Ativo no Rio de Janeiro, foi membro da Academia Brasileira de Artes, e da Academia Brasileira de Belas Artes. Artista várias vezes premiado, participou de diversas coletivas e salões, recebendo premiações várias. Seu tema preferido é a marinha. MEC vol.3, pág.389; JULIO LOUZADA vol.11, pág.243, Acervo FIEO.

363 - ALBERTO LUME - (1944)
LL Mulher - osm - 20 x 80 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 238 deste catálogo.

364 - CARLOS OSWALD - (1882 - 1971)
LL Trecho de procissão - grav. 29/100 - 19 x 27 - cid
Reproduzido sob o n° 86 do livro "Carlos Oswald", do Museu Nacional de Belas Artes - Rio de Janeiro. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 187 deste catálogo.

365 - VITTÓRIO CUTTIN - (1918 - XX)
LL Flores - ose - 60 x 120 - cid
Pintor e professor nascido em Florença, Itália. Estudou em Trieste com o professor Falzari. Participou da II Guerra Mundial. Logo depois da guerra, emigrou para Buenos Aires, Argentina, onde fez várias exposições individuais. Veio para o Brasil em 1952 e passou a residir em São Paulo realizando também algumas individuais. Transferindo-se para Santos, SP, manteve em sua casa uma exposição permanente. Participou do XI Salão Oficial de Belas Artes de Santos, em 1970 e 1971, do XXXV Salão Paulista de Belas Artes, em 1970, entre outros. Depois morou em Campinas e Bauru onde viveu por quase vinte anos até falecer. JULIO LOUZADA, VOL.1, PÁG. 297; MEC, VOL. 1, PÁG. 503; www.casaartecanoas.com.br; www.redebomdia.com.br.

366 - JOSÉ DOS SANTOS - (XIX - XX)
LL Pão de Açucar - osm - 14 x 19 - cid
Com dedicatória. -Pintor e professor português, foi discípulo de Rodolfo Amoêdo, Rodolfo Chambelland e Baptista da Costa. Lecionou no Liceu de Artes e Ofícios, Rio de Janeiro. Coletivas: II Salão da Primavera/RJ (1924), I Salão de Outono/RJ (1926), IV Salão Municipal/RJ (1952). Prêmios: Menção Honrosa, Medalha de Bronze e Pequena Medalha de Prata respectivamente nos SNBA/RJ de 1924, 1925 e 1930. Medalha de Prata no Salão do Instituto de Belas-Artes em Porto Alegre/RS em 1940 e Pequena Medalha de Prata no SPBA/SP em 1941. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 793.

367 - JOSÉ SABÓIA - (1949)
LL Flamenguistas - ost - 30 x 30 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 116 deste catálogo.

368 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Mulher - dn - 27 x 16 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 117 deste catálogo.

369 - LADÁRIO TELES - (1924)
LL Trabalhador - ose - 35 x 35 - cid - 1980
Pintor, reside e é ativo na cidade de São Paulo. Recebeu orientação dos pintores Américo Mondañez e Cassio M´Boy. "...Possuindo estilo marcante, muito personalístico, Teles pinta cenas reais ou imaginárias do seu sertão baiano, porém de um regionalismo que não descura valores universais." - texto de Américo Pellegrini Filho. JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 1088

370 - MANOEL BONFIM - (XX)
LL Atabaque - ost - 30 x 50 - cid
Manoel Augusto Bonfim, pintor e escultor com participação em diversas Exposições e Salões oficiais como: Salvador, BA (1967, 1984 e 1985). ITAÚ CULTURAL.

371 - MARIO GRUBER - (1927)
LL " Mangueira n° 1 " - grav. - 60 x 30 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 226 deste catálogo.

372 - MARYSIA PORTINARI - (1937)
LL Menina com boneca - ost - 92 x 73 - cie e d
Natural de Araçatuba, SP, onde nasceu em 14 de março. Estudou desenho, composição, preparação das tintas e dos suportes, no ateliê de Copacabana de Candido Portinari. Sobre sua obra assim se manifestou Manuel Bandeira: "Marysia é uma aurora, e pinta com as cores da aurora. Oxalá, quando seu talento alcançar a meridiana força, não se esqueça ela destas suas cores de agora, não se esqueça da frescura, ingenuidade, inocência e graça dos seus anjos e santos de hoje". Em São Paulo (1955), vai morar com a família no Bixiga, pintando garotos e orfãos, figuras da rua, parentes e amigos. A figura fascina e o retrato é sua principal forma de expressão. Pinta também marinhas e naturezas mortas com igual maestria. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 215; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

373 - RAIMUNDO DE CUMBUCO - (XX)
LL Bailarina - e em mad. - h = 69 - b - 2006 - Ceará
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 247 deste catálogo.

374 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL " O cabelo de fogo " - ose - 17 x 12 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 013 deste catálogo.

375 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL Telhados - ser. 187/200 - 36 x 55 - cid - 1977
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 129 deste catálogo.

376 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Marinha - xilo. 5/50 - 27 x 40 - cid - 1983
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 033 deste catálogo.

377 - ALOISIO LUCAS DE SIQUEIRA - (1938)
LL Maternidade - ost - 73 x 60 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 252 deste catálogo.

378 - ANTONIO FEDERIGHI - (1937)
LL Natureza morta - ost - 30 x 40 - cid - 1986
Pintor ativo em Embú das Artes-SP. Participou do Salão Paulista de Belas Artes em 1967. JULIO LOUZADA, vol. 1, pag. 374

379 - ANTONIO MEIRELLES - (1919)
LL " Praia de Maricá " - ost - 61 x 50 - cid e d
Pintor natural da cidade do Recife-PE. Transferiu-se para o Rio de Janeiro em 1936, ingressando na Marinha de Guerra, sem deixar de trabalhar com a pintura, que mais tarde, seria sua dedicação exclusiva. Teve orientação artística de José Pancetti no Liceu de Artes e Ofícios e, também, cursou a antiga ENBA-RJ. Na década de 60 obteve vários prêmios no SNBA-RJ, com medalhas de bronze, prata e menção honrosa. Realizou individuais no Rio de Janeiro, além de participar de Salões Oficiais no Rio e em São Paulo recebendo premiações. JULIO LOUZADA, vol 1, pág 625

380 - CAMILO EDUARDO TAVARES - (1932)
LL " Festa de Iemanjá " - ast - 30 x 40 - cid e d
Paulistano, o pintor foi membro de juri da Associação dos Artistas Plásticos de São Paulo. Segundo depoimento do próprio artista: " Os meus quadros são carregados de humanismo, amor e realidade, uma verdadeira mensagem filosófica pois quem leva a vida com amor à arte, é feliz." Expõe individualmente desde 1971, inclusive MAM-RJ em 1974; e coletivamente a partir de 1970. Internacionalmente, expôs a partir de 1971, destacando-se Alemanha, EUA, México e Itália. JULIO LOUZADA, vol.4, pág. 1083. Acervo FIEO.

381 - HENK KAMPS - (1935)
LL Menino com cães - a - 20 x 25 - cid - 1980
Henricus Bernardus Maria Kamps nasceu em Gouda, Holanda. Foi aluno de Wim Brouwer em Amsterdã, Holanda (1954). Assinava H. Kamps até 1999. Atualmente assina Henricus. Ativo no Brasil desde 1957 foi aluno de João Quaglia e frequentou o ateliê de Eugenio Sigaud (1975). Exposições individuais: Rio de Janeiro (1972, 1975, 1980, 1981, 1999, 2004); São Paulo (1980, 1983); Juiz de Fora, MG (1982, 1999); Teresópolis, RJ (1974, 1983). Nova Iguaçu, RJ (1983). Coletivas: Rio de Janeiro (1998); Egito (1986); Holanda (1987). Prêmios: Rio de Janeiro (1997). JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG. 508; VOL. 12, PÁG. 197; ITAU CULTURAL; MEC, VOL. 2, PÁG. 401.

382 - CRISTINA ROSSI - (1954)
LL Fachada - ose - 90 x 68 - cid - 1984
Batizada Maria CRISTINA ROSSI dos Santos, nasceu no dia 12 de agosto de 1954. Reside e é ativa na cidade de São Paulo. Cursou pintura sob orientação de Leda de Lucca (1975-1977) e Ligia Franchese (1981-1982). Fez curso de desenho no Atelier Livre de Modelo Vivo na Pinacoteca-SP, sob orientação de Marcelo Nitsche (1981/2). Cursou pintura "Paisagem" também na Pinacoteca-SP, sob orientação de Antonio Cabral, de quem também teria orientação no curso de Historia da Arte no Museu Lasar Segall-SP, em 1984, e de pintura e desenho de 1984 a 1985. Individual em 1985, e coletivas desde 1982.

383 - DILA (DILEUSA DINIS RODRIGUES) - (1939)
LL Baianas - ost - 50 x 70 - cid - 1972
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 008 deste catálogo.

384 - ALMIR MAVIGNIER - (1925)
LL Composição - ser. 10/200 - 70 x 50 - ci - 1973
Pintor, artista gráfico, programador visual e professor natural do Rio de Janeiro. Inicia seus estudos com Arpad Szenes , Axl Leskoschek e Henrique Boese . Participa do primeiro grupo de arte abstrata do Rio de Janeiro (1949) com Ivan Serpa , Abraham Palatnik e Mário Pedrosa. Freqüenta a Académie de La Grande Chaumière, Paris, em 1951. Na Alemanha (1953 a 1958), estuda com Max Bense e Josef Albers na Hochschule für Gestaltung [Escola Superior da Forma] em Ulm, e mantém contato com Max Bill. Participa do Grupo Zero, entre 1958 e 1964, com Heinz Mack ,Otto Piene ,Yves Klein, Jean Tinguely. Foi professor de pintura na Hochschule für Bildende Kunste, em Hamburgo, Alemanha, entre 1965 e 1990. Realizou muitas exposições individuais (1950 a 2000) e diversas foram suas participações em Salões oficiais e Bienais (1947 a 2004) tanto no Brasil quanto na Europa, Ásia e EUA. Foi premiado na Polônia (1966) e Japão (1968). ITAU CULTURAL; PONTUAL, PÁG. 350; MEC VOL. 3, PÁG.107.

385 - FLORA MASTRIA - (1938)
LL Interior - ost - 33 x 41 - cid e d - 1989
Natural de Campinas, SP, assinava F. Takeuti até 1982. Seus temas preferidos são naturezas mortas, interiores, paisagens e nus delicados. Foi aluna de Arlindo Castellani. Lecionou no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo. Artistas bastante premiada em Salões e mostras coletivas. JULIO LOUZADA vol. 1 pág. 606.

386 - FRANCISCO PROHANE - (1921)
LL " Ataque a Akaba " - ost - 40 x 80 - cie - 1991
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 011 deste catálogo.

387 - JULIO VILLANI - (1956)
LL Composição - tm - 31 x 44 - cid - 2001
Pintor natural de Marília/SP. Vem para São Paulo em 1974, onde cursa a Faculdade de Artes Plásticas da Faap. Quatro anos mais tarde, em 1978, viaja para Londres (Inglaterra), e aperfeiçoa seus estudos na Watford School of Arts, lá permanecendo até 1980. Muda-se para Paris (França), em 1982, onde permanece durante um ano, estudando na École Nationale des Beaux-Arts. Realizou diversas coletivas e individuais no Brasil e no exterior, inclusive em 2002 na Pinacoteca do Estado de São Paulo. ITAÚ CULTURAL.

388 - HISAMATSU MITAKE - (1916)
LL Jaqueira - ost - 46 x 33 - cie e d - 1976
Pintor com participações nas seguintes mostras: II Salão de Paisagem Paulista, em 1969; Salão de Belas Artes de Santos-SP, em 1971 e Salão de Belas Artes de Piracicaba-SP, em 1972. JULIO LOUZADA, vol.3, pág. 746.

389 - INNOCÊNCIO BORGHESE - (1897 - 1985)
LL " Itanhaém " - ose - 11 x 21 - cid - 1950
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 014 deste catálogo.

390 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL São Francisco - lito. 92/180 - 97 x 70 - cid - 1988
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 069 deste catálogo.

391 - JOSÉ CARLOS DE LIMA JUNIOR - (1965)
LL " São Francisco com cão " - ost - 80 x 20 - cie e d
Pintor e escultor. Seu trabalho revela um universo fantástico, que é facilmente compreendido porque faz parte da vida das pessoas, ainda que inconscientemente. Pinta paisagens, seres, acontecimentos e outras percepções. Nasceu em Jundiaí, SP, em 2 de setembro de 1965. JULIO LOUZADA Vol. 13 pág. 193

392 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Maternidade - e em b - h = 47 - b
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 039 deste catálogo.

393 - DAREL VALENÇA LINS - (1924)
LL Composição - grav. 33/50 - 50 x 40 - cid - 1962
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 018 deste catálogo.

394 - GILDA PRIETO - (XX)
LL Nu - m em b 22/99 - h = 18 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 144 deste catálogo.

395 - SALVADOR SANTISTEBAN - (1919 - 1995)
LL Barcos - ost - 50 x 65 - cid - 1972
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

396 - ROBERTO DE LAMONICA - (1933 - 1995)
LL Composição - grav. - 77 x 52 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 021 deste catálogo.

397 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Nu - ostce - 20 x 30 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

398 - GUIMA - (1927 - 1993)
LL Marinha - ost - 16 x 22 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 023 deste catálogo.

399 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Ilha de Capri - ost - 40 x 50 - cid - 1915
No estado, assinado Alfario de Medeiros Coimbra. -

400 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL Nu - dc e p - 63 x 48 - cid - 1965
Com estudo no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

401 - MAURICIO NOGUEIRA LIMA - (1930 - 1999)
LL Composição - g - 17 x 12 - cid - 1952
Natural da cidade do Recife, PE, o autor foi pintor, arquiteto, desenhista e professor. Frequentou o Instituto de Belas Artes de Porto Alegre, o MAM-SP e diplomou-se em arquitetura pela Faculdade Mackenzie-SP. Ligado ao grupo Ruptura, Maurício tornou-se um artista de acentuados princípios racionais, sendo o autor de algumas introduções no campo da animação ótica dos espaços, na seriação das construções e ainda na busca específica de retículas coloridas.Participou do Salão Paulista de Arte Moderna, onde obteve, dentre outros, o 1º Prêmio em Cartaz (1951 e 1957). Participou também do movimento de arte concreta, figurando nas exposições do MAM-SP (1956), no MEC-RJ (1957), na Exposição Internacional de Arte Concreta, em Zurique (1960), etc JULIO LOUZADA, vol 1, pags 678 e 679; ITAU CULTURAL.

402 - SERGIO TELLES - (1936)
LL Veleiros - ost - 35 x 27 - cie - 2010 - Ilha Bela
Com certificado de autenticidade firmado pelo autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 027 deste catálogo.

403 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - g - 52 x 15 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 059 deste catálogo.

404 - NEWTON REZENDE - (1912 - 1994)
LL Menino e pássaro - ostce - 30 x 30 - cie - 1986
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 207 deste catálogo.

405 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Marinha - ost - 46 x 61 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

406 - GENARO DE CARVALHO - (1926 - 1971)
LL Composição - lito. 170/200 - 39 x 46 - n/as.
Tiragem postuma assinada por Nair de Carvalho, Clarival de Prado Valadares e Emanoel Aráujo. -Tapeceiro, pintor, desenhista. Genaro Antônio Dantas de Carvalho era natural da cidade de Salvador-BA, onde também faleceu. Em 1944, vai para o Rio de Janeiro, e estuda desenho com Henrique Cavalleiro na Sociedade Brasileira de Belas Artes. É considerado um dos principais ativistas pela renovação da arte na Bahia, ao lado de Carlos Bastos, Caribé e Mario Cravo Jr. Com bolsa de estudos do governo francês, Genaro embarca para Paris em 1949, lá estuda com André Lhote e Fernand Léger na École Nationale de Beaux-Arts. Participa, em 1950, dos Salões de Outono, de Maio e dos Independentes. No ano de 1955, cria o primeiro ateliê de tapeçaria no Brasil, na cidade de Salvador, Bahia. Seu trabalho de maior destaque é o mural realizado para o salão interno do Hotel da Bahia, obra com 200 metros quadrados, intitulada Festejos Regionais Bahianos. Em 1967, a Divisão de Cultura do Departamento de Estado Americano realiza o documentário Genaro e a Tapeçaria Brasileira. Expõe na Bienal Internacional de São Paulo, 1951 e 1955; Bienal Internacional de Tapeçaria, Suiça, 1965; e 1º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM, São Paulo, 1969. Postumamente sua obra figura na 1ª Mostra Brasileira de Tapeçaria, no MAB/FAAP, 1974; Tradição e Ruptura, São Paulo, 1984; e 100 Artistas Plásticos da Bahia, no Museu de Arte Sacra, Salvador, 1999. JULIO LOUZADA vol.3, pág. 231; WALTER ZANINI, pág. 638; LEONOR AMARANTE, pág. 75; ITAU CULTURAL.

407 - COLETTE PUJOL - (1913 - 1999)
LL Casario - ose - 33 x 24 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

408 - NICOLAS VLAVIANOS - (1929)
LL Composição - m em a i 2/10 - h = 38 - as. - 1975
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 334 deste catálogo.

409 - MARIA DA PAZ MECATTI - (1918 - 1976)
LL Casario - ost - 70 x 50 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 034 deste catálogo.

410 - WALDOMIRO DE DEUS - (1944)
LL Dançarinos - ast - 60 x 50 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

411 - UBIRAJARA RIBEIRO - (1930 - 2002)
LL Composição - tm - 33 x 21 - ci - 1983
Pintor, desenhista, gravador, artista gráfico, arquiteto e professor paulistano, nascido em 2 de outubro de 1930. Estudou pintura e gravura nas cidade de São Paulo e Salvador, com Pedro Corona, Waldemar da Costa e Mário Cravo Jr. Para o autor a arte é a corporificação de um processo de criatividade e percepção. Expôs individualmente pela primeira vez em 1964, na Galeria Seta-SP. Dentre as coletivas, destacam-se a da FAAP-SP, em 1965, I SPAC-SP, 1969. Foi escolhido como Melhor Gravador do Ano, em 1977, pela APCA. JULIO LOUZADA vol. 11 pág. 266; ITAÚ CULTURAL.

412 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL Bois - ost - 23 x 37 - cie e d - 1982
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 037 deste catálogo.

413 - CÂNDIDO PORTINARI - (1903 - 1962)
LL " Velho Montado a Cavalo " - grav. - 36 x 28 - cid
Registrado sob o código FCO 828 no Projeto Portinari. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 110 deste catálogo.

414 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Capoeira - dn - 29 x 21 - cid
Reproduzido na pág. 100 no livro " Carybé - as sete portas da Bahia ", livraria Martins Editora - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 039 deste catálogo.

415 - WALTER SHIGETO TANAKA - (1910 - 1970)
LL Tempestade - a - 70 x 100 - cid
Natural de Kumamoto, Japão, este grande pintor e artista gráfico, viveu parte de sua infância no Peru, tendo se iniciado em pintura na sua terra natal. Imigrou em 1930, fixando-se em São Paulo, onde estudou durante quatro anos na Escola de Belas Artes de São Paulo (até 1935). Com Tomoo Handa (1906-1996), criou o Seibi-kai em 1935. Integrou os Grupos do Jacaré e Guanabara. Selecionado para a I e II Bienais de SP. Aceito para o I e II Salão de Arte Moderna-SP. Conquistou o segundo lugar do Prêmio Governador do Estado em 1951. Sua paisagem organiza-se composicionalmente, valendo-se de técnica apurada e constituindo parcela significativa de sua produção. JULIO LOUZADA, vol. 11; WALTER ZANINI, pág. 587.

416 - GERSON DE SOUZA - (1926 - 2008)
LL " A Família Silva no carnaval " - ost - 46 x 61 - cie e d - 1986
Com etiqueta da Galeria de Arte Jean-Jacques - Rio de Janeiro, no dorso. -Pintor. Autodidata. Fixou-se no Rio de Janeiro, onde exerceu a profissão de carteiro dos Correios, e onde começou a pintar em 1950. Participou da V Bienal de São Paulo, de vários Salões Nacionais e exposições coletivas no exterior. Várias individuais e coletivas no País. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 127; PONTUAL, pág. 236/237; MEC, vol. 2, pág. 248; TEIXEIRA LEITE, pág. 220; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 347, Acervo FIEO.

417 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL No carnaval - dn - 25 x 15 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

418 - LOUCO - BOAVENTURA DA SILVA FILHO - (1932 - 1992)
LL Anjo - e em mad. - h = 73 - d - 1979
O autor, conhecido como Louco, é natural de Cachoeira, histórica cidade baiana, às margens do rio Paraguaçu. Foi aí que começou seu trabalho. Pouco a pouco suas esculturas tornaram-se amplamente conhecidas, garantindo, para Boaventura, um lugar de destaque entre os artistas populares brasileiros. A partir do reconhecimento de sua obra, participou de exposições significativas como a mostra do Centro Domus, em Milão, Itália; o Espírito Criador do Povo Brasileiro, através da coleção de Abelardo Rodrigues, e Sete Brasileiros e seu Universo, em Brasília. É dele a seguinte explicação para o seu novo nome: "É porque sou louco pra trabalhar! Fui o primeiro artista da cidade. Trabalho com inspiração e amor. Às vezes me afasto de tudo - vou pro mato, fico lá sozinho, sem zuada, só com o meu radinho e os troncos de madeira, despreocupado, longe da mulher, dos dez filhos, dos fregueses. eles conversam muito e atrapalham. E a mulher quer muita coisa, Mulher é como criança, nada chega." (texto extraído do livro O Reinado da Lua - Escultores Populares do Nordeste, de Silvia Rodrigues Coimbra, Flávia Martins e Maria Letícia Duarte - Ed. Salamandra, 1980, págs. 112, 113 e 114).

419 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX -
LL Paisagem - ost - 90 x 65 - cid ileg.

420 - TRAN MINH THO - (1922 - 1993)
LL Rosto - osm - 48 x 50 - cid
Vietnamita da cidade de Cholon, onde nasceu a 15 de maio. Adotando o gênero figurativo-abstrato, o artista possui uma técnica exótica, mas não um exótico que depende de um esforço de atenção, erudito ou cultivado, e sim uma pintura onde a natureza, o homem e as implicações da natureza e das relações sociais da produção transparecem e se fundem numa sucessão de imagens e de registros da vida cotidiana, em todos o seu colorido, ritmo e movimento. Expõe individual e coletivamente a partir de 1965, inclusive no exterior, obtendo diversas premiações. JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 978

421 - ARNALDO PEDROSO D'HORTA - (1914 - 1973)
LL Igreja - dn - 32 x 23 - cid - 1962
Santiago de Compostela. Ex-coleção Benjamim Steiner. -Gravador e crítico de arte, o autor nasceu e faleceu em São Paulo-SP. Iniciou a sua carreira no jornalismo em 1931, escrevendo para vários jornais, revistas e emissoras de rádio. Começa a pintar aos 34 anos. Entre 1954 e 1955, elabora a capa do álbum para o Ballet do 4º Centenário e o catálogo da Bienal Internacional de São Paulo. Dedica-se à gravura em metal e à xilogravura. É o primeiro artista brasileiro premiado na Bienal de Veneza, em 1954. Participa do Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, várias edições entre 1952 e 1970 (isenção de júri, 1955, e prêmio viagem ao estrangeiro, 1960); Individual, no MAM/SP, 1952 e 1956; Bienal Internacional de São Paulo, várias edições, entre 1953 e 1961; Artistas Latino-Americanos, no Musée d?Art Moderne de la Ville de Paris, 1962. Postumamente suas obras figuram em Arnaldo Pedroso D'Horta: desenhos, incisões, xilogravuras, no Centro Cultural São Paulo, 1983; Obras para Ilustração do Suplemento Literário: 1956 - 1967, no MAM/SP, 1993; Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal, São Paulo, 1994. "Na recusa oposta a todas as soluções da moda, na procura contraditória de ritmos (que ousaríamos chamar, por sua vez, antidecorativos, desde que podem envolver uma corajosa opção em favor do feio), define-se esta exigência intelectual, que é básica em Arnaldo. Assim, o inédito das formas empresta-lhe autonomia suficiente para se impor como expressão. (...) Arnaldo Pedroso D´Horta gosta dos modos de expressão que, por meio de conquistas lentas, contínuas, laboriosas, tendem a um efeito que comove também a própria mente, a uma geometria da desordem alcançada através de sensíveis vibrações. (...) O que nos parece importante é o conflito, a teimosia, a aplicação sem tréguas que transparece dos seus trabalhos, a luta dramática, sempre renovada, com o traço." Armando B. Ferrari Críticas sobre Arnaldo Pedroso D´Horta para catálogo da XV Bienal - SP (Curriculum do artista). ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

422 - EDY GOMES CAROLLO - (1921)
LL " Burros " - ost - 38 x 46 - cid e d - 1975 - Ouro Preto
Com etiqueta de Exposição do artista realizada na Galeria de Arte Centro America - São Paulo assinada pelo autor, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 291 deste catálogo.

423 - GRAUBEM DO MONTE LIMA - (1889 - 1972)
LL Pássaros e borboletas - ost - 80 x 45 - cid - 1968
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 223 deste catálogo.

424 - MOBY - (1922 - 1978)
LL Maternidade - tm - 60 x 37 - cid - 1953
Moby, nome artístico de Mogns Osterbie, natural de Copenhagem, Dinamarca. Pintor e desenhista, frequentou na sua cidade natal a Escola de Arte Decorativa e a Real Academia de Belas Artes. No Brasil, fixou-se em São Paulo, onde realizou diversas individuais, cuja crítica, principalmente de Quirino da Silva, lhe foram favoráveis, transcrevendo comentários de Mário Schenberg. PONTUAL, pág. 363; MEC, vol. 3, pág. 1; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

425 - SYLVIO PINTO - (1918 - 1997)
LL " Marinha " - ost - 50 x 61 - cie e d - 1960 - Cabo Frio
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 050 deste catálogo.

426 - CARLOS BRACHER - (1940)
LL " Jarro com flores " - ost - 73 x 54 - cid e d - 1984 - Ouro Preto
Com etiqueta de Oscar Seraphico Galeria de Arte - Brasília/DF, no dorso. -Natural de Juiz de Fora / MG, onde fez seus primeiros estudos. Orientou-se com Faiga Ostrower, Frederico Moraes, Inimá de Paula e Orlandino Seitas Fernandes. Grande retratista, excelente pintor de flores, mestre do intimismo mineiro, sabe lidar com brilhantismo, como poucos, com o desafio da paisagem mineira. Catálogo da Panorama de Arte Atual Brasileira - Museu de Arte Moderna de São Paulo/1976; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 118/ 120/ 123; PONTUAL, pág. 83; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 41; MEC, vol. 1, pág. 255; TEIXEIRA LEITE, pág. 83; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 802.

427 - ARMANDO VIANNA - (1897 - 1988)
LL Paisagem - ost - 38 x 47 - cie e d - 1960
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 052 deste catálogo.

428 - PAULO ROBERTO LEAL - (1946 - 1991)
LL " Des-mov-em " - - 10 x 20 x 10 - as. - 1971
Fita metalizada em caixa de acrílico. -Paulo Roberto Leal nasceu no Rio de Janeiro, RJ. Pintor, desenhista, gravador, escultor, professor, artista gráfico e curador. Realizou muitas exposições individuais, sendo a primeira em 1955, no Rio de Janeiro. Funcionário do Banco Central desde 1967, realiza os primeiros trabalhos de programação visual em 1969, produzindo catálogos de exposições de artes plásticas no Rio de Janeiro. Participou de diversos Salões oficiais destacando-se as Bienais Internacionais de São Paulo, em 1970, 1971, 1979, 1985, sendo premiado na de 1971. Participou da Bienal de Veneza, Itália, em 1972 e 1980; do Panorama Atual da Arte Brasileira, São Paulo, em 1972, 1976 e 1979. Por ocasião da mostra O Gesto Criador, Olívio Tavares de Araújo realiza filme sobre sua obra em 1977. Trabalha como curador do Museu de Valores do Banco Central até 1980. É projetado em 1995 o Centro de Referência Iconográfica e Textual PRL no MAM, Rio de Janeiro, com a documentação deixada pelo artista. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL.3, PÁG. 602; VOL.4, PÁG. 602; VOL. 7, PÁG. 390; VOL. 12, PÁG. 225; MEC, VOL. 2, PÁG. 461.

429 - LEOPOLDO RAIMO - (1912 - 2001)
LL Composição - dn e a - 26 x 20 - cid - 1954
Pintor e gravador, nascido em Botucatu/SP, com diversas participações em Salões e Exposições, tais como: Salão Paulista de Arte Moderna, Salão Baiano de Belas Artes, Bienal de São Paulo e Salão Nacional de Arte Moderna, entre outros. MEC. VOL. 4, PÁG. 22

430 - MANABU MABE - (1924 - 1997)
LL Composição - ost - 38 x 46 - cid e d - 1978
Registrado sob o n° 1499 no Instituto Mabe, conforme carimbo no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 055 deste catálogo.

431 - AGOSTINHO BATISTA DE FREITAS - (1927 - 1997)
LL Colheita - ost - 80 x 143 - cid - 1980
Começou a pintar no início da década de 1950 (e ele próprio relatou que vendia seus trabalhos na Praça do Correio da capital paulista) sendo logo descoberto por Pietro Maria Bardi que organizou uma exposição de seus trabalhos no Museu de Arte de São Paulo, em 1952, mais tarde apresentados também, no Museu de Arte Moderna de São Paulo e da Bahia e no Museu de Arte Contemporânea de Campinas. Participou da XXXIII Bienal de Veneza (1966). MEC, vol. 2, pág. 210; PONTUAL, pág. 225; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 323; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 208; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 214; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 832; Acervo FIEO.

432 - HERMELINDO FIAMINGHI - (1920 - 2004)
LL Composição - a - 40 x 30 - cid - Dec. 50
Nasceu em São Paulo, a 22 de outubro de 1920. Pintor e artista gráfico. Dedicou-se regularmente à pintura a partir de 1950, com seu mestre Volpi. Foi um dos pioneiros do concretismo, com o qual rompeu anos mais tarde, para fazer uma pintura mais solta, através de seu diálogo com a cor e da interação com a luz em contato com a natureza. Expõs individualmente a partir de 1961 e coletivamente desde 1955, sempre com premiações. JULIO LOUZADA, vol. 4 pág. 401; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 928; LEONOR AMARANTE, pág. 75.

433 - VITTÓRIO GOBBIS - (1894 - 1968)
LL Natureza morta - ost - 64 x 81 - cie - 1930
Esta obra participou da Exposição " Eram Brasileiros os que ficaram " realizada na Pinacoteca do Estado de São Paulo em 1930, conforme etiqueta no dorso. Ex-coleção Mateus D'Aprille Filho - São Paulo. -Natural de Treviso, Itália. Iniciou seus estudos na terra de origem, tendo após fixado residência em São Paulo, onde foi pintor atuante. Obteve diversas premiações nos Salões Paulistas, no SNBA e no Salão Paulista de Arte Moderna. Participou da I e II Bienais de São Paulo. O MNBA e o MASP possuem obras deste festejado pintor. MEC, vol.2, pág.271; TEIXEIRA LEITE, pág. 220; PONTUAL, pág.240; WALMIR AYALA, vol.1, pág.350; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 777, Acervo FIEO.

434 - FERNANDO ODRIOZOLA - (1921 - 1986)
LL Composição - tm - 25 x 31 - cid - 1957
Pintor e desenhista espanhol, Odriozola radicou-se no Brasil em 1953, e em 1965 mereceu o prêmio de Melhor Desenhista Nacional da Bienal de São Paulo, que em 1967 lhe dedicou sala especial. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 231; MEC vol, 3, pág. 291; PONTUAL, pág. 389.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 737; ARTE NO BRASIL, pág. 907; LEONOR AMARANTE, pág. 143; Acervo FIEO.

435 - RAIMUNDO DE OLIVEIRA - (1930 - 1966)
LL Fuga para o Egito - osc - 20 x 29 - cid - 1964
Nasceu RAIMUNDO Falcão DE OLIVEIRA, em Feira de Santana, BA. Recebeu da mãe os primeiros rudimentos de pintura e desenho. Autodidata, apresenta os seus trabalhos a partir de 1951. Reside em São Paulo a partir de 1958, aprofundando-se na sua experiência expressionista, com o aproveitamento transfigurador de imagens de velhos santos. Na sua última fase, bem distinta das anteriores, dedicou-se à narração de temas bíblicos, seguindo um estilo que alguns erroneamente ligaram à arte primitiva. TEIXEIRA LEITE, 365; PONTUAL, 394; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; ARTE NO BRASIL, pág. 798; Acervo FIEO.

436 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 11 x 17 - cie
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 061 deste catálogo.

437 - CARLOS OSWALD - (1882 - 1971)
LL Pianista - a - 46 x 63 - cid - 1932
Com dedicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 187 deste catálogo.

438 - CACIPORÉ TORRES - (1932)
LL Composição - e em f - 125 x 40 x 15 - as.
Nascido CACIPORÉ de Sá Coutinho de Lamare TÔRRES, na cidade de Araçatuba, SP. É escultor e professor. Participou do I SPAM (1951) e da I, II, III, VI, VIII e IX Bienal de São Paulo. Recebeu diversos prêmios, inclusive de viagem à Europa em 1951. MEC, vol. 4, pág. 406; PONTUAL, pág. 524; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 156; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 769; ARTE NO BRASIL, pág. 899; LEONOR AMARANTE, pág. 23.

439 - MIRIAN - (1939 - 1996)
LL Figuras - osm - 23 x 38 - cid - 1992
Pintado em gamela de madeira. -Natural deTrindade-GO e falecida no Rio de Janeiro-RJ, cidade onde foi residente e ativa. Pintora e gravadora primitiva, estudou na Escola de Belas Artes de Goiás, bem como frequentou os cursos ministrados por Ivan Serpa no MAM/RJ. Realizou individuais em 1966, 1972, 1974, 1984, participando de coletivas a partir de 1963. Segundo o crítico José Roberto Teixeira Leite, na bibliografia abaixo indicada, "Sua arte evoca, via de regra sobre pequenos suportes de madeira, num desenho cru e de contornos vigorosos e em meio a um colorido esmaltado, de cores chapadas, cenas populares, passistas, tipos circenses, santos, violeiros e brincadeiras infantis, traduzindo um rico mundo de idéias e com evidentes qualidades plásticas. Em obras mais recentes, nas quais retratou com intenção caricata os idolos da música popular brasileira, Mirian revela nova faceta de sua personalidade - a ironia, certa branda pitada de crítica social e de costumes." TEIXEIRA LEITE, pág. 327; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 638; Acervo FIEO.

440 - REINALDO MANZKE - (1906 - 1980)
LL Marinha - ostcm - 43 x 65 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 315 deste catálogo.

441 - BAJADO - (1912 - 1996)
LL Autorretratro - dn e a - 41 x 57 - cid - 1974
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 089 deste catálogo.

442 - JORGE DE MENDONÇA - (1879 - 1933)
LL Paisagem - ost - 65 x 82 - cid
Com etiqueta de Marisa Savoia - São Paulo, no dorso. -Jorge Drumond Furtado de Mendonça nasceu em Valença, RJ e faleceu no Rio de Janeiro, RJ. Assinava J. de Mendonça, Jorge de Mendonça e Jorge Drumond de Mendonça. Estudou na antiga Escola Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro, onde foi aluno de Eduardo de Sá, Antonio Parreiras e João Baptista da Costa. Participou de exposições e Salões oficiais no Rio de Janeiro de 1902 a 1905, em 1911, 1921 e 1922. Foi premiado em 1904, 1905, 1911 e 1921. Exposições póstumas foram realizadas em São Paulo: 1984 (Tradição e Ruptura Fundação Bienal), 1986 e 2003. ITAU CULTURAL; MEC, VOL. 3, PÁG. 138; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 630; VOL. 2, PÁG. 669; PONTUAL, PÁG. 358; TEODORO BRAGA; REIS JR.

443 - GIUSEPPE PERISSINOTTO - (1881 - 1965)
LL " Jardim Botanico e Corcovado " - osm - 17 x 19 - cid
Com carimbo do Mirante da Artes de Pietro Maria Bardi - São Paulo, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

444 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Formiga - dn - 49 x 36 - cid
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. Reproduzido no livro " Elegias " de autoria de Cecília Meireles, com desenhos de Aldemir Martins, Edições Alumbramento - 1974. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 033 deste catálogo.

445 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL " Arlequinada " - osm - 40 x 33 - cie e d - 1962
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

446 - HARRY ELSAS - (1925 - 1994)
LL Nu - ost - 150 x 76 - cid - 1989
Nascido na Alemanha e radicado no Brasil desde 1936, Elsas desenvolveu suas aptidões artísticas com Lasar Segall, que muito o incentivou a ingressar na carreira das artes. Permaneceu no Nordeste brasileiro por oito anos, retratando com maestria e singularidade paisagens e aspectos da vida local, sempre com influência renascentista, com cor e desenhos fortíssimos. Participou de coletivas no Brasil e no exterior a partir de 1962, com excelente repercussão. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 99. MEC, vol, 2, pág, 111; TEIXEIRA LEITE, pág 176; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

447 - HAYDEA SANTIAGO - (1896 - 1980)
LL " Ringue de patinação " - osm - 14 x 18 - cid - Teresópolis
Natural da cidade do Rio de Janeiro, onde veio a falecer. Estudou na Escola Nacional de Belas Artes. Foi aluna de Modesto Brocos e Amoedo. Aperfeiçoou seus estudos com Eliseu Visconti. Residiu em Paris com o marido, Manoel Santiago, de 1928 a 1932, participando do Salão de Artistas Franceses. No Brasil recebu diversas premiações no SNBA, bem como nos diversos Salões Oficiais de que participou, tais como SPBA, SMBA-RJ, SNAM e na I BSP. Teve como temas a paisagem, a figura, a natureza morta e o gênero. REIS JUNIOR, vol. 1, pág. 146; TEODORO BRAGA, pág. 211; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 290 e 292; TEIXEIRA LEITE, pág. 460; ITAÚ CULTURAL..

448 - SONIA EBLING - (1926 - 2006)
LL " Daniela " - e em b - h = 72 - as.
Ex-coleção Vera do Amaral Andrade - Rio de Janeiro. -Nascida em Taquara, RS, SONIA EBLING consagrou-se como escultora e pintora. Participou da I Bienal de São Paulo. Premiada com viagem ao exterior no I SNAM. Morou em Paris 15 anos, onde frenquentou ateliês de artistas importantes e onde aperfeiçoou a sua importante e bela obra. MEC, vol. 2, pág. 89; PONTUAL, pág. 187; JULIO LOUZADA, vol 13, pág. 119; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 868; RGS, pág. 454.

449 - OSWALDO GOELDI - (1895 - 1961)
LL Paisagem - xilo. P.A. - 21 x 24 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

450 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " Os lenhadores " - ost - 40 x 30 - cid e d - 1974
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 075 deste catálogo.

451 - ESCOLA DE MURILO, SÉC. XVII - (? - ?)
LL Madona com menino - ost - 120 x 80 - n/as.
Original encontra-se no Museu do Prado - Espanha. -

452 - JOHN GRAZ - (1891 - 1980)
LL " Rhodes " - a e g - 40 x 50 - cid - 1977 - Rhodes
Com certificado de autenticidade do Instituto John Graz. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 028 deste catálogo.

453 - DAKIR PARREIRAS - (1893 - 1967)
LL Paisagem - ostce - 37 x 45 - cid - 1938
Filho e discípulo do grande Antonio Parreiras, aperfeiçoou-se em Paris com Laurens, destacando-se como paisagista e retratista de méritos. LAUDELINO FREIRE, pág. 519; TEODORO BRAGA, pág. 184; MEC, vol.3, pág. 336; PONTUAL, pág. 407; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 170; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

454 - LIVRO -
LL -
HISTÓRIA DA PINTURA NO BRASIL; por José Maria Reis Junior, 397 págs., 312 ilustrações em preto e branco, Ed. Leia, 1954 - SP. -

455 - BERNHARD WIEGANDT - (1851 - 1918)
LL Paisagem do Rio de Janeiro - a - 33 x 47 - cid - 1879 - Rio
- Reproduzido no convite deste leilão. - Reproduzido na página 277 do livro " Um Século de Pintura - 1816-1916 " de autoria de Laudelino Freire. -Pintor e gravador da Escola Alemã que nasceu em Colônia. Foi inicialmente pintor de cenários em Berlim e Hannover. Esteve no Brasil, em 1875, trabalhando na Província do Pará onde ilustrou o cartaz comemorativo da fundação da cidade de Belém. Dois anos depois, executou uma série de aquarelas com vistas e paisagens do Amazonas e Pará. Em 1877 foi para Vitória, no Espírito Santo, fixou residência no Rio de Janeiro, em1878, excursionou por Teresópolis, sempre pintando. Apresentou-se publicamente pela primeira vez em 1879, na Exposição Geral de Belas Artes, organizada pela Academia Imperial das Belas Artes, no Rio de Janeiro, com quinze aquarelas. A comissão julgadora deste certame propôs que o artista fosse agraciado com a medalha de ouro pelas suas excelentes e belíssimas vistas e estudos a aquarela. Em 1880 retornou à Alemanha, aperfeiçoando-se com Julius de Benczur e Ludwig von Loefftz. A partir de 1890 passou a residir em Bremen e realizou uma série de gravuras representando aspectos da cidade. Faleceu em Ellen - Bremen. O Museu Nacional de Belas Artes possui alguns de seus trabalhos. BENEZIT, VOL. 10, PÁG.725; PONTUAL, PÁG. 552; LAUDELINO FREIRE; TEODORO BRAGA; MEC, VOL.4, PÁG. 509; www.artedata.com.

456 - CÍCERO DIAS - (1908 - 2003)
LL " O sonho " - ast - 81 x 65 - cie e d
Reproduzido em Catálogo de Exposição do artista realizada em 1996 por Renot - Escritório de Prestação de Serviço para o Mercado de Arte - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 260 deste catálogo.

457 - NERÃO - (ANTONIO JOAQUIM NERY) - (1903 - 1997)
LL " É feira de peixe na praia " - ost - 38 x 46 - cid - 1984
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 082 deste catálogo.

458 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Capa da Revista Careta - Tempos de Guerra - g - 32 x 24 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

459 - MANUEL EUDÓCIO - (1931)
LL " Dotor " - e em br pol. - h = 26 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 093 deste catálogo.

460 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL " Madona " - ast - 73 x 50 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

461 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Composição - a - 16 x 22 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 086 deste catálogo.

462 - ANATOL WLADISLAW - (1913 - 2004)
LL Composição - dlc - 14 x 22 - cid - 1956
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 036 deste catálogo.

463 - DIONISIO DEL SANTO - (1925 - 1999)
LL Figuras - g - 20 x 26 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 031 deste catálogo.

464 - CLAUDIO TOZZI - (1944)
LL " Papagalia " - astce - 90 x 90 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 081 deste catálogo.

465 - RAIMUNDO CELA - (1890 - 1954)
LL Concertando a rede - osm - 50 x 70 - cid
- Reproduzido no convite deste leilão. - Versão dos quadros reproduzidos na pág. 236 do livro " " Raimundo Cela 1890-1954 " Edições Pinakotheke. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 090 deste catálogo.

466 - WIM L. VAN DIJK - (1915 - 1990)
LL " Barcos de Recife " - ost - 96 x 130 - cid e d - 1961 - Pernambuco
Pintor, desenhista e gravador holandês natural de Westmass, onde nasceu em 1/6/1915, e falecido em Petropolis, RJ, a 27/11/1990. JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 344

467 - CARMÉLIO CRUZ - (1924)
LL " Construção " - ast - 46 x 38 - cid e d - 1982
No estado. Participou da exposição " Carmélio Cruz " realizada no Tableau Artes Plásticas, Rua Inácio Pereira da Rocha, 520 - São Paulo, de 6 a 20 de Junho de 1983. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 092 deste catálogo.

468 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Coruja - m em ac - h = 18 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 073 deste catálogo.

469 - ANTONIO GOMIDE - (1895 - 1967)
LL Figuras - dn - 41 x 28 - cid
Reproduzido na pág. 3 da Revista de Antropofágia de 1928. -Pintor nascido em Itapetininga e falecido em São Paulo. Gomide estudou com o grande Hodler em Genebra, 1915 a 1918, e mais tarde, já em Paris, ligou-se a Picasso e aos cubistas que iriam influenciá-lo. Voltando ao Brasil em 1926, integrou-se ao movimento de renovação de nossas artes plásticas, conservando-se até morrer fiel aos postulados e cubistas de sua mocidade. Em 1968 o Museu de Arte Contemporânea dedicou-lhe importante retrospectiva. THEODORO BRAGA, pág.110, REIS JUNIOR, pág.377; PONTUAL, pags 244/245; MEC, vol.2, pág.275; WALMIR AYALA, vol.1, págs.353 a 355, ART PRINCE ANNUAL 2000, pág.955; TEIXEIRA LEITE, pág.222; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 548; ARTE NO BRASIL, pág. 694; Acervo FIEO.

470 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL " Emblema-84 " - ast - 70 x 50 - d - 1984 - Brasília
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 095 deste catálogo.

471 - TOMOSHIGUE KUSUNO - (1935)
LL Composição - tm - 88 x 120 - cie - 1962
Com etiqueta de exposição no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, no dorso. -Natural de Yubari, Japão. Pintor, desenhista e gravador. A obra do autor situa-se no limiar entre o formalismo e o objeto. Individuais a partir de 1976, coletivas internacionais em 1982, e premiações diversas. JULIO LOUZADA, vol.4, pág.1101; MEC, vol.2, pág.430 e 431; PONTUAL, págs.295 e 296; TEIXEIRA LEITE, pág.274; WALMIR AYALA, vol.1, pág.452; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 968; LEONOR AMARANTE, pág. 171, Acervo FIEO.

472 - PEDRO WEINGÄRTNER - (1856 - 1929)
LL Paisagem - dl - 13 x 17 - cid
Pintor gaúcho de origem alemã, Weingärtner estudou no Brasil, Alemanha e Itália, residindo por longos anos na Europa. Ao retornar ao Brasil, dedicou-se a temática gauchesca, que lhe motivou os trabalhos mais sensíveis. Um dos pioneiros da gravura de arte no Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 343; BENEZIT, vol. 10, pág. 675; TEODORO BRAGA, pág. 246; REIS JUNIOR, pág. 220/224; MEC, vol. 4, pág. 506/507; LAUDELINO FREIRE, pág. 386; PONTUAL, pág. 551/552; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 438/439; MAYER/84, pág. 1268; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 443; ARTE NO BRASIL, pág. 560; RGS, pág. 402.

473 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Bordel - v - 35 x 50 - cid - 1983
Reproduzido sob o n.° 71 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 039 deste catálogo.

474 - JORDÃO DE OLIVEIRA - (1900 - 1980)
LL Paisagem - ost - 46 x 38 - cid - 1947
Natural de Aracajú, Sergipe. Foi pintor e professor. Iniciou sua carreira artística sob a orientação do mestre Quintino Marques. Fixou residência no Rio de Janeiro, onde estudou na antiga ENBA, tendo Baptista da Costa, Lucilio de Albuquerque e Rodolpho Chambelland como professores. Posteriormente, como livre docente, assumiu a cadeira de pintura da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do RJ. A partir de 1924 participa de coletivas, recebendo premiações. As suas obras traduzem um equilibrio de cor e massas, que dão as características do seu trabalho. Obras suas se encontram no MNBA, Pinacoteca-SP, e em outros museus importantes do Pa~is. JULIO LOUZADA, vol 1 pág. 691.

475 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL " Vênus " - ost - 38 x 46 - d
Reproduzido no convite deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 19/05/2010. - Reproduzido na capa do catálogo do Grande Leilão de Agosto de 1988, Organização Paulo Puglisi Galeria de Arte - Leiloeiro Roberto Castelli-SP. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

476 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Soltando balão - ose - 25 x 32 - cie - 1978
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 069 deste catálogo.

477 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
LL Composição - a - 25 x 30 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 102 deste catálogo.

478 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Tensão - e em b - h = 26 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 163 deste catálogo.

479 - JOAQUIM TORRES GARCIA - (1874 - 1949)
LL Inscrições - dn - 21 x 13 - cid
Pintor e teórico de arte. Nasceu e faleceu em Montevidéu, Uruguai. Assinava J. Torres-Garcia. Passou grande parte de sua vida na Espanha, para onde se mudou em 1891. Lá estuda pintura e desenho com Vindarelli, além de freqüentar a Academia Baixos e a Escola de Belas Artes de Barcelona. De 1903 a 1907 trabalha com o arquiteto espanhol Antonio Gaudí. Em 1920 começa um período que o levará a Nova York, Itália e Paris, onde se estabelece em 1928. Relaciona-se com os principais expoentes da vanguarda e junto a Seuphort e outros artistas abstratos, cria o grupo e a revista “Cercle et Carré”. Elabora seu sistema estético-filosófico, o Universalismo Construtivo. Em 1934 regressa ao Uruguai com o ideal de impulsionar uma arte própria e inédita para o continente americano. Realizou muitas conferências sobre arte e estética e, em 1942, criou o Ateliê Torres-Garcia: um ateliê de trabalho e ensino coletivo. Assim formou-se a “A Escola do Sul”, uma escola pictórica uruguaia e americana com identidade própria que permanece como um dos mais consistentes movimentos artísticos do século XX. Há um Museu Torres-Garcia em Montevidéu. BENEZIT, VOL. 10, PÁG.236; DICIONÁRIO OXFORD; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL.13, PÁG. 336; www.torresgarcia.org.uy; www.artcyclopedia.com.

480 - MANINHA - (XX)
LL Dançarina - osm - 45 x 42 - cid - 1966
No estado. -Natural do Estado do Amazonas, a pintora Maninha nunca teve a preocupação de agradar ou contrariar e usando de uma liberdade de expressão rara, suas produções são uma união explosiva de símbolos colhidos com naturalidade desconcertante. Realizou uma individual na Petite Galerie, RJ, em 1868, com crítica de Pietro Maria Bardi. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 574; MEC, vol. 3, pág. 47.

481 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Marinha - ast - 46 x 55 - cie - 2002
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 033 deste catálogo.

482 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
LL O chamado - dc - 35 x 30 - cid
Pintor e desenhista figurativo, integrou o Grupo Santa Helena, juntamente com Volpi, Zanini e outros, e foi um dos organizadores e expositores do I Salão da Família Artística Paulista; suas figuras seguem a disciplina cubista da organização do espaço, destacando-se uma série de Músicos; dedicou-se a pinturas murais e à ilustração de obras literárias. MEC, vol. 2, pág. 280; PONTUAL, pág. 247/8; TEIXEIRA LEITE, pág. 225 a 227; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 784; LEONOR AMARANTE, pág. 58; Acervo FIEO.

483 - IVALD GRANATO - (1949)
LL " Os Incrédulos " - ost - 70 x 57 - cid - 1985
Pintor e desenhista. Natural de Campos, RJ, onde viveu até 1966. Estudou com Robert Newman, ingressando em 1967 na Escola de Belas Artes da Universidade do Rio de Janeiro. Em 1968 participa do grupo de vanguarda "Nova Figuração Brasileira". Sua atividade artística desde a década de 60 revela a influência do conceitualismo de Duchamp, mais cerebral do que pictórico, e da "body art", de Joseph Beyus. PONTUAL, pág. 248; TEIXEIRA LEITE, pág. 228; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.740; ARTE NO BRASIL, pág. 974; LEONOR AMARANTE, pág. 267; Acervo FIEO.

484 - ATTILIO PRATELLA - (1856 - 1932)
LL Barcos - osm - 14 x 20 - cie
Com carimbo, no dorso. -Este excepcional pintor italiano nasceu em Lugo, na Romagni no dia 11 de abril de 1856. Ativo na cidade de Nápolis onde pintou fantásticas paisagens e marinhas de uma realidade sensível, suas obras muito apreceiadas, são disputadas em leilões realizados nas principais cidades da Europa. O autor consta do acervo de museus da Itália e outro países europeus. BENEZIT, vol. 8, pág. 472; MAYER/83, pág. 987; BOLAFFI, nº 12, pág. 280; ART PRICE ANNUAL/2000, pág. 2020.

485 - DOMINGOS GARCIA Y VASQUEZ - (1859 - 1912)
LL Casa do pintor no Canto do Rio - Icarahy - ost - 37 x 61 - cid
- Reproduzido no convite, na capa do catálogo deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 24/05/2010. - Com etiqueta de Marisa Savoia - Restauração e Conservação de telas, no dorso. -Nasceu em Vigo, Espanha e faleceu em Niterói-RJ. Fixou residência no Rio de Janeiro, onde estudou pintura de paisagem com Jorge Grimm (1877). Em texto extraído de TEODORO BRAGA, em comentário póstumo (1929), assim se referiu Gonzaga Duque sobre a obra desse grande artista: " Êsse pintor, que por tão longo tempo persistiu na obscuridade de uma voluntária existência humilde, é das melhores organizações artísticas que contamos entre contemporâneos. A sua visão apreende sinteticamente, o seu colorido é quente e ao mesmo tempo sóbrio, a suja maneira original. Não reproduz unicamente, interpreta, entra na expressão da natureza, funde-a com a sua alma." PONTUAL, pág. 535; MEC vol. 4, pág. 447; ARTE NO BRASIL, pág. 532..

486 - PENG BO - (XX)
LL " Flores " - ast - 55 x 38 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 111 deste catálogo.

487 - DAREL VALENÇA LINS - (1924)
LL Composição - grav. 33/50 - 50 x 36 - cid - 1967
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 018 deste catálogo.

488 - ALBERTO LUME - (1944)
LL Menina - ost - 70 x 50 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 238 deste catálogo.

489 - PIETRINA CHECCACCI - (1941)
LL Nu - ser. 11/99 - 29 x 29 - cid - 1986
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 308 deste catálogo.

490 - VITORINO - (1955)
LL " Casas " - ost - 30 x 40 - cid e d - 1989
Batizado Wilson Roberto Vitorino, o autor nasceu em Pacaembú, SP, no dia 17 de agôsto. Cursou pintura com Miguel Lopes Palla (1978-1980) e com Franulic (1980-1982), concluindo curso de Educação Artística em Artes Plásticas pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo (1982). Foi aluno de Collete Pujol (1983). Participa de coletivas a partir de 1979, recebendo premiações em 1980 (pequena medalha de ouro), 1982 e 1984. JULIO LOUZADA vol.11, pág. 340, Acervo FIEO.

491 - JOSÉ RIERA SICART - (1911 - 2007)
LL Gaúchos - ose - 30 x 40 - cid - 1981
Pintor e ilustrador. Nasceu em Barcelona, Espanha e faleceu em Porto Alegre, Brasil. Diplomado pela Escola de Belas Artes de Barcelona, fez estudos de aperfeiçoamento e realizou algumas exposições na Alemanha e França (1934 a 1939). Em 1950 transferiu-se para o Brasil e se fixou em Porto Alegre, onde foi contratado pela Editora Globo como ilustrador. Também se dedicou à pintura de retratos, paisagens, naturezas mortas, arte sacra e especialmente pinturas com temário gauchesco sendo considerado um especialista no assunto. Participou de várias exposições pelo Rio Grande do Sul e, em São Paulo, foi premiado de 1961 a 1966. JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 902; MEC, VOL.4, PÁG. 242. www.saladearte.com.br.

492 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL Paisagem - a - 9 x 14 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 013 deste catálogo.

493 - JOSEF STOITZNER - (1884 - 1951)
LL Paisagem - osc - 33 x 41 - cie
Pintor, gravador e professor da Escola Austríaca. Nasceu em Viena e faleceu em Bramberg - Pinzgau, Áustria. Era filho do pintor paisagista Konstantin Stoitzner. Estudou na Escola de Belas Artes de Viena onde foi aluno de Anton Ritter von Kenner, e na Academia de Viena, discípulo de Franz Rumpler. Lecionou em Viena até 1934 quando se mudou para Pinzgau, Salzburg. Participou de muitas exposições e Salões oficiais, sendo premiado em Leipzig, em 1914. Possui obras no Museu de Viena. BENEZIT, VOL. 9, PÁG. 843; ARTNET; ART PRICE; www.austrian-paintings.at.

494 - JOSÉ SILVEIRA D'AVILA - (1924 - 1985)
LL " São Paulo " - grav. - 20 x 15 - cid - 1951
Pintor, gravador, escultor e vitralista natural de Florianópolis, SC. Estudou pintura e escultura na antiga ENBA, onde foi premiado diversas vezes. No SNAM alcançou inicialmente isenção de Juri e Prêmios Viagem ao País e ao Estrangeiro. Em 1950 organizou juntamente com Carlos Oswald, o Ateliê de Arte para incremento da gravura. Coletivas a partir de 1953, obtendo diversas premiações em Salões Oficiais. JULIO LOUZADA, vol 4 pág. 302. ITAÚ CULTURAL.

495 - MARCOS OLIVEIRA - (XX)
LL " Caboclo solitário " - ast - 60 x 50 - ld e d - 2006
Diretor de arte e artista plástico, Marcos Oliveira trabalha com a arte Naïf moderna. Ele também apresenta a cultura nordestina com cores intensas e mãos e pés destacados pelo tamanho. Para ele o Naïf representa o que o Brasil tem de melhor. A arte Naïf é o cartão postal do Brasil no exterior.-

496 - PITA HIRS - (1950)
LL Composição - m em b 15/20 - h = 35 - as.
Escultora. Maria Aparecida Hirs nasceu em São Paulo, SP. Assina Pita até 1989 e atualmente Pita Hirs. Sua formação artística foi em São Paulo, onde foi aluna de Vlavianos, Carlos Arias e Juliana Pedrazza. Exposições individuais: São Paulo (1989, 1992, 2002); Santo André, SP (1995). Coletivas: São Paulo (1981, 1982, 1984, 1990 a 1995); Santo André, SP (1979, 1980); Washington, EUA (1991). Prêmios: Itu, SP (1983). ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL. 7, 334; VOL. 8, PÁG. 394.

497 - NERIVAL RODRIGUES - (1942)
LL Cavalos - ost - 50 x 70 - cie e d - 1989
Pintor criado no interior do País, prova que o primitivismo do Brasil se faz na busca constante, na pesquisa consciente do ambiente telúrico do sertão, da magia do Pantanal e das belezas naturais desta nação. Nordestino de origem, soube captar os elementos naturais em suas viagens ao sul, fixando-se em São Paulo-SP, onde participou de várias exposições. Individuais desde 1982 e coletivas a partir de 1976, com premiações. JULIO LOUZADA, vol. 4 pág. 794

498 - NAIR DE CARVALHO - (XX)
LL " Beija - flores " - ser. 64/100 - 50 x 60 - cid - 1989
Natural de Lençóis, BA. Sua formação artística foi em Paris, França. Foi casada com o pintor e tapeceiro Genaro de Carvalho. Exposições individuais: Salvador, BA (1975, 1977, 1982, 1990, 1994); Londres, Inglaterra (1976); Estocolmo, Suécia (1976); Viena, Áustria (1977, 1980); Cidade da Guatemala, Guatemala (1978); Nova York, EUA (1978, 1982, 1986);Gstaad, Suíça (1980, 1981, 1985, 1990); Copenhague, Dinamarca (1980); São Paulo, SP (1981); Bissen, Suíça (1984); Rio de Janeiro, RJ (1978, 1987); Campinas, SP (1983); Miami, EUA (1986). Coletivas: São Paulo, SP (1972, 1975, 1978 a 1980, 1982, 1983, 1985); Paris, França (1973, 1974, 1977); Rio de Janeiro, RJ (1975, 1980); Salvador, BA (1975, 1977 a 1980, 1982, 1994); São Francisco, EUA (1980); Dacar, Senegal (1975, 1980); Utrecht, Holanda (1976, 1978); Trausdorf / Burgenland, Áustria (1977); Dallas, EUA (1978); Quebec, Canadá (1980); Genebra, Suíça (1980);Morges, Suíça (1984, 1985); São Caetano do Sul, SP (1985); Tóquio, Japão (1988); Bancoc, Tailândia (1990); Tunis, Tunísia (1990). Prêmios: Paris, França (1973); São Paulo, SP (1978, 1983); Salvador, BA (1983). ITAU CULTURAL

499 - LUIZ PINTO - (1939)
LL Paisagem - ostcm - 30 x 45 - cie
Mineiro de Sete Lagoas, onde nasceu a 19 de agôsto de 1939. Pintor, desenhista, ilustrador e professor. Assina as suas obras: LUIZ PINTO. Foi aluno de Guignard, com quem iniciou seus estudos de pintura, de 1957 a 1960 (Belo Horizonte). Recebeu aulas de Edgard Walter, no Rio de Janeiro (1968-1969). Ativo em São Paulo a partir de 1984, quando aqui se radicou. Artista de méritos, suas obras são muito apreciadas pelos colecionadores do estilo academico. JULIO LOUZADA vol. 13 pág. 265, Acervo FIEO

500 - ALFREDO VOLPI - (1896 - 1988)
LL Bandeirinhas - lito. os 55/100 - 32 x 23 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.