Leilão de Arte tableau - Junho de 2009

001 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Peixe - ser. P.A. 4/10 - 44 x 28 - cid - 1986
Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

002 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 10 x 13 - n/as.
Pintor húngaro, estudou em Paris com Jean Paul Laurenz. Expôs seus trabalhos na Europa e na América, tendo também participado de salões internacionais recebendo premiações. De 1924 a 1935 foi diretor do Museu de Budapeste e de 1935 a 1945 foi diretor do Museu das Artes Instrutivas da Hungria. O Museu Histórico Municipal de Budapeste possui mais de 700 aquarelas de sua autoria.

003 - ALFREDO VOLPI - (1896 - 1988)
LL Maternidade - ser. 65/100 - 32 x 24 - cid
Nascido em Lucca, na Itália, radicou-se em São Paulo desde a mais tenra idade. Autodidata, iniciou sua carreira como pintor decorativista e de paredes. Considerado pela crítica como um dos grandes coloristas do século XX. Foi integrante do Grupo Santa Helena. REIS JUNIOR, pág. 378; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 426 e 428; JULIO LOUZADA vol.13, pág.1048; MEC. vol.4, pág. 496; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 684; LEONOR AMARANTE, pág. 28, Acervo FIEO.

004 - IVALD GRANATO - (1949)
LL Cabeça vermelha - gic - 16 x 12 - n/as.
Pintor e desenhista. Natural de Campos, RJ, onde viveu até 1966. Estudou com Robert Newman, ingressando em 1967 na Escola de Belas Artes da Universidade do Rio de Janeiro. Em 1968 participa do grupo de vanguarda "Nova Figuração Brasileira". Sua atividade artística desde a década de 60 revela a influência do conceitualismo de Duchamp, mais cerebral do que pictórico, e da "body art", de Joseph Beyus. PONTUAL, pág. 248; TEIXEIRA LEITE, pág. 228; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.740; ARTE NO BRASIL, pág. 974; LEONOR AMARANTE, pág. 267; Acervo FIEO.

005 - ALBANO AGNER DE CARVALHO - (1899 - 1986)
LL Vista do Pão de Açucar - a - 11 x 20 - cid
Nasceu em Curitiba, PR, onde fez estudos de pintura com o mestre Alfredo Andersen. Indo para o Rio de Janeiro em 1929, integrou-se desde então nas atividades artísticas locais, lá expondo individualmente em 1930, 1943, 1950 e 1961. Expôs também em Curitiba, em 1950, 1952, 1966 e 1968. Recebeu menção honrosa no SNBA e medalha de prata no Salão Fluminense de Belas Artes. PONTUAL, pág. 113; MEC, vol. 1, pág. 361; TEODORO BRAGA, pág. 29; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 176/177; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO, pág. 925.

006 - IONALDO ANDRADE CAVALCANTI - (1933 - 2002)
LL Estudo - tm - 21 x 10 - cid - 1968
Com etiqueta da Galeria Uirapurú, no dorso. -Assina Ionaldo. Nasceu no Recife, PE e faleceu em São Paulo, SP. Autodidata, foi desenhista, artista gráfico e professor. Em 1952 funda, no Recife, o Ateliê Coletivo da Sociedade de Arte Moderna do Recife, ao lado de Abelardo da Hora e Wellington Virgolino entre outros. Fixa residência em São Paulo, SP em 1959. Exposições individuais: Recife, PE (1955, 1962, 1980); São Paulo, SP (1962 a 1965, 1967, 1968, 1972, 1974, 1975, 1985, 1986, 1992, 1998, 1999); Campinas, SP (1966); Rio de Janeiro, RJ (1990); São José dos Campos, SP (1997); Madri, Espanha (1999). Coletivas: Recife, PE (1949, 1951, 1954 a 1958, 1999); Goiânia, GO (1954); São Paulo, SP (1961, 1963, 1966 a 1972, 1976, 1978, 1982, 1983, 1986, 1994); Campinas, SP (1965 a 1969); Belo Horizonte, MG (1967, 1968); Curitiba, PR (1967); Londrina, PR (1968); Santos, SP (1969, 1973); Jundiaí, SP (1972, 1973); Goiânia, GO (1990); Cotia, SP (1996). Prêmios: Recife, PE (1955 a 1957); Campinas, SP (1965); Jundiaí, SP (1969); São Paulo, SP (1971). JULIO LOUZADA, vol.10, pág.439; vol.12, pág. 204. ITAU CULTURAL

007 - BARRICA - (1913)
LL " Alfândega do Crato " - ost - 33 x 41 - cid e d
Batizado CLIDENOR CAPIBARIBE. Um dos corifeus da arte moderna no Ceará, onde nasceu. Barrica é pintor e desenhista de tendência expressionista.MEC. Vol.1, pág, 184; PONTUAL, pág.55; WALMIR AYALA, vol.1, pág.84/85. TEIXEIRA LEITE, pág.57; JULIO LOUZADA, vol.10, pág.96; ITAU CULTURAL.

008 - ISABEL PONS - (1912)
LL " Grande personagem " - grav. 20/20 - 34 x 50 - cid
Nasceu em Barcelona, Espanha. Importante gravadora, desenhista e pintora. Estudou pintura na Escola de Belas Artes de Barcelona (1925-1930). Ilustrou poemas de Garcia Lorca. Fixou residencia no Rio de Janeiro a partir de 1948. Estudou gravura com Friedlaender, no MAM-RJ, em 1959. A partir de então dedica-se principalmente à atividade de gravadora em metal, técnica que domina como poucos e a consagrou no cenário nacional e internacional. Está representada em diversos museus brasileiros e estrangeiros, como o MNBA, MAM-RJ, MOMA-NY, etc MEC, vol. 3-pág. 425; PONTUAL-pág. 431; WALMIR AYALA, vol. 2, págs.203/4; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 707; ARTE NO BRASIL, pág. 853; LEONOR AMARANTE, pág. 126.

009 - FRANCISCO OSWALD - (1918 - 1985)
LL " Fazenda Santa Mariana " - ose - 60 x 40 - ci - Minas Gerais
Nascido e falecido na cidade do Rio de Janeiro, este brilhante pintor, foi filho do grande artista Carlos Oswald, e neto do festejado músico Henrique Oswald. Suas telas não deixam de traduzir a sensibilidade que o artista herdou de seus ancestrais, produzindo, numa técnica própria, paisagens de rara harmonia. Individuais na Galeria de Arte do Copacabana Palace, em 1971 e 1973. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 700.

010 - INGRES SPELTRI - (1940)
LL Vaso com flores - ost - 80 x 70 - cid e d
Nasceu em Jau, São Paulo, em 20/01/1940. Pintor, desenhista, escultor, gravador e professor. Apresentando uma pintura de fases bem demarcadas, onde as possibilidades plásticas do cubismo, do construtivismo e do concretismo foram exploradas com paixão e rigor de pesquisa, o autor tem percorrido um rico itinerário em sua incessante buscar de universo expressivo e de uma linguagem pictórica definitiva. O autor é professor titular da Escola Panamericana de Arte, SP. JULIO LOUZADA, vol 1, pág 937; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

011 - PEDRO BRUNO - (1888 - 1949)
LL Descida da cruz - dn - 35 x 45 - csd
Pintor e escultor nascido na Ilha de Paquetá, RJ, onde estudou com o pintor italiano Schettino. Foi aluno de João Batista da Costa na antiga ENBA. Em sua primeira participação no SBNA conquistou o prêmio viagem ao estrangeiro (déc. 1910). Recebeu ainda premios nas exposições de 1925 (medalha de ouro) e 1943 (medalha de honra). Foi incluído na mostra Um Século da Pintura Brasileira (1850-1950), organizada pelo MNBA em 1952. O referido museu possui diversas obras suas. Angione Costa o incluiu como um dos artistas entrevistados no seu clássico livro A Inquietação das Abelhas, de 1927. PONTUAL, pág. 92, JULIO LOUZADA vol.10, pág. 146; MEC vol.1, pág. 299; TEIXEIRA LEITE, pág. 89; ITAÚ CULTURAL, WALTER ZANINI, pág. 532; ARTE NO BRASIL, pág. 602.

012 - JAVIER ALVARO ASFADUROFF NIBBES - (1954)
LL Mulher e gato - ost - 100 x 70 - csd
Uruguaio de Montevideu, onde nasceu a 14 de novembro de 1954. Frequentou o Liceu Onze de Cerro Montevidéu, entre 1965 e 1967, sendo aluno de Torres Garcia. A partir de 1994 passou a figurar em bienais e várias exposições coletivas. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 637

013 - MENNA BARRETO - (1953)
LL Surreal - gic s/t - 46 x 61 - n/as.
Nascida Sônia Regina Gomes Menna Barreto de Barros Falcão, no dia 5 de novembro de 1953, na cidade de São Paulo-SP. Cursou desenho com Waldemar da Costa e pintura com Luiz Portinari, no Centro de Artes Cândido Portinari e, com Jorge Mori, assimila a técnica do óleo sobre linho e a veladura ou "glacis" utilizada pelos mestres clássicos do passado. Sobre a obra da artista, assim escreveu Flávio de Aquino, no catálogo da sua exposição na Galeria André, SP, 1989: "Sônia Regina Gomes Menna Barreto de Barros Falcão, ou simplesmente Menna Barreto - assina obras-primas em pequenos formatos, como miniaturas. Pouco conhecida, surge agora como a grande novidade da pintura fantástica brasileira. Menna Barreto dá uma conotação hiper-realista, mas sem colagens ou assemblagens. Sua arte tem um clima misterioso de castelos fantasmas ou de fragmentos de Paris, com suas ruas e casas. Seu valor reside no caráter arquipoético das obras. " ITAU CULTURAL

014 - LUIZ GUALBERTO - (1904 - 1963)
LL " Raio de Sol " - osc - 17 x 25 - cid e d - 1928
Natural da cidade de Bragança Paulista-SP, onde nasceu a 20 de fevereiro de 1904 e falecido em São Paulo, Capital, a 29 de novembro de 1963. Pintor desenhista, assinava suas obras LUIZ GUALBERTO. Foi aluno do festejado pintor Campos Ayres. Mudou-se para São João da Boa Vista-SP em 1930, a fim de lecionar desenho no antigo Ginásio do Estado. Lá conviveu com Araújo Lima. O artista retratou de forma poética a paisagem sanjoanense, com seus rios, montanhas e crepúsculos. JULIO LOUZADA, vol. 8 pág. 375; Acervo FIEO.

015 - MASANORI URAGAMI - (1918 - 2004)
LL " Oro y piedra " - ost - 91 x 64 - cid e d - 1974
Pintor. Inicia seus estudos de pintura, em Tóquio, Japão, na década de 30, onde é aluno do pintor Kojima e cursa a Escola de Belas Artes. Posteriormente forma-se pela Universidade de Arte Masalino, na mesma cidade. É um dos iniciadores da Escola de Arte para Criança, por ele organizada em Kyushu e o realizador da primeira exposição de arte infantil. Em 1959, viaja para Paris, França, onde recebe orientação artística de Georges Cheyssial e atua como copiador no Museu do Louvre. A partir de 1966, fixa residência no Brasil, onde realiza o painel Bandeira de Ontem e de Hoje em 1971, instalado no Supremo Tribunal Federal, em Brasília. Reside temporariamente na Costa Rica e em Israel, onde faz estudos sobre bíblia judaica e retrata festas religiosas e paisagens locais. ITAÚ CULTURAL; JÚLIO LOUZADA, vol. 3, pág. 1159.

016 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Composição surreal - lito. n°4 / ex.66 - 31 x 22 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte Mario Schenberg, São Paulo. -Pioneiro do surrealismo, o qual praticava desde que chegou ao Brasil, em 1937, fixando residência em São Paulo. Participou de Salões Nacionais e Bienais de São Paulo, entre 1951 e 1965, recebendo diversas premiações oficiais. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 497; MEC, vol. 2, pág. 474; TEODORO BRAGA, pág. 245; TEIXEIRA LEITE, pág. 286; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 630; LEONOR AMARANTE, pág. 142; Acervo FIEO.

017 - RENZO GORI - (1911 - 1999)
LL Cena Árabe - ost - 50 x 70 - cid e d
Pintor de estilo, participou de diversos Salões Nacionais, com premiações; muito apreciado por colecionadores de cenas árabes. TEODORO BRAGA, pág. 110; MEC, vol. 2, pág. 278; JULIO LOUZADA, vol. 9, pág. 390; Acervo FIEO.

018 - WILLARD DIAS BASÍLIO - (XX)
LL No parque - ost - 33 x 41 - cie e d
Assina Willard Basílio. Pintor que participou de várias exposições e Salões oficiais. JULIO LOUZADA, vol.4, pág. 119.

019 - AFIFI GERARD DABUS - (1949)
LL " Portal " - ost - 40 X 30 - cid e d
Pintor, assina AFIFI. Entrou para a Associação Paulista de Belas Artes e no ano seguinte cursava museologia . De 1968 a 1981 integrou o grupo Sabin. Nesse mesmo período estudou desenho e pintura na FAAP-SP, história da arte na Pinacoteca de SP, com Araci Amaral, e pintura popular brasileira com Julia Pedrosa Arias e Carlos Garcia Arias. AFIFI resgata as cores brasileiras, aliada ao convívio do homem com o campo na interpretação particular da harmonia e da quietude daqueles locais, nos trazendo o lirismo da sua ótica. Coletivas a partir de 1965. JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 28

020 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Leitura - lito. n°4 / ex.90 - 23 x 20 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte Mario Schenberg, São Paulo. -Estudou com Pedro Alexandrino (1923 a 1928) e aperfeiçoou-se na Itália. Integrou o Grupo Santa Helena, com Rebolo, Zanini, Rosa, Graciano, Pennacchi (1935) e participando em 1937 de exposições da Família Artística Paulista. Pintou paisagens e naturezas mortas, com composição estruturada no cubismo. MEC, vol. 1, pág. 247; PONTUAL, págs. 78/79; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1041; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 258; TEIXEIRA LEITE, pág. 79; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; LEONOR AMARANTE, pág. 72; Acervo FIEO.

021 - GALINA SHEETIKOFF - (1933)
LL Paisagem - a - 16 x 27 - cid - 1981
Nascida na Rússia e radicada no Brasil desde 1949, GALINA reproduz em sua extensa obra, paisagens, flores, arcadas e diáfanas figuras, com rigor técnico e suaves pinceladas. Ganhadora de diversas premiações nos diversos certames de que participou. JULIO LOUZADA, vol.11 - pág.123

022 - ANTONIO GODOY MOREIRA - (1899 - 1975)
LL Volta da pesca - ost - 50 x 70 - cid
Pintor e restaurador, ativo no Estado de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 386; Acervo FIEO.

023 - GLAUCO PINTO DE MORAES - (1928 - 1990)
LL Rolo compressor - ser. 6/10 - 40 x 32 - cid - 1986
Pintor, desenhista e gravador nascido em Passo Fundo, RS e falecido em São Paulo, em 5/5/1990. Em 1968 abandona a carreira jurídica para se dedicar somente à pintura. Para tanto muda-se para São Paulo, onde participa com sucesso na XIII BSP, através do tema Locomotivas. Artista engajado, participou de todos os movimentos nas décadas de 70 e 80. O festejado crítico Jacob Klintowitz assim se referiu ao artista e obra no seu livro O Oficio da Arte: A Pintura: "um dos casos raros de pintor tardio, oriundo de outra atividade. Talvez seja o que explique a repentina maturidade humana desta pintura já revelada pronta aos olhos do público brasileiro." TEIXEIRA LEITE, 408; JULIO LOUZADA, vol. 12, pág. 179; RGS, pág. 226; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 754; LEONOR AMARANTE, pág. 267.

024 - EDSON LIMA - (1936)
LL Paisagem - ost - 50 x 70 - cid
Nascido em Boa Nova, Bahia, teve no crítico de arte Mário Schemberg seu grande admirador e incentivador. Fez sua primeira mostra coletiva em 1967, na Galeria Artécnica, no mesmo ano em que realizou a sua primeira individual, na Galeria da Folha de São Paulo. É ativo em São Paulo, onde reside. ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 221; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

025 - EDGARD WALTER - (1917 - 1994)
LL Paisagem - osm - 37 x 45 - cie - 1946
Natural de Nova Lima MG, onde nasceu a 20 de novembro, e falecido na cidade de Teresópolis RJ, em 14 de maio. Pintor acadêmico, notabilizou-se pelas suas paisagens. Ativo no Rio de Janeiro, foi discípulo de Oswaldo Teixeira. Participou, recebendo premiações, de diversos certames oficiais. "O que sobressai neste moço, que se utiliza de formas ´antigas´ para nos transmitir sentimentos novos, é o esmero da técnica. Edgar Walter é, por excelência, um pintor de detalhes, de pequeninos nadas que muitas vezes - por que não reconhecê-lo ? - fazem de um quadro pequeno uma grande tela. Ele se compraz em reproduzir pormenores da natureza, dirão os austeros críticos. " H. Pereira da Silva (100 obras Itaú. Pietro Maria Bardi. São Paulo, Banco Itaú, MASP, 1985) JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 1065; ITAÚ CULTURAL; MEC, vol. 4, pág. 503.

026 - ARLINDO MUCCILLO - (XIX - XX)
LL Folhas e pássaros - g - 26 x 20 - cid - 1985 - Teresópolis
Desenhista e pintor ativo no Rio de Janeiro. Discípulo de Xavier Puente. Expositor do Salão da Sociedade dos Artistas Nacionais, medalha de prata (1968); do Salão Nacional de Belas Artes, menção honrosa e medalha de bronze (1968) e do Salão da Associação dos Artistas Brasileiros (1970), todos no Rio de Janeiro. MEC, vol. 3, pág. 225.

027 - GERTRUD FRIEDLAENDER - (XX)
LL Composição - tm - 60 x 43 - cid - 1978
Pintora que participou de diversas exposições, inclusive da Bienal Nacional de São Paulo, em 1976. bienalsaopaulo.globo.com/artes/artistas

028 - HEITOR DE PINHO - (1897 - 1968)
LL Paisagem - dc - 16 x 24 - cid
Nascido e falecido na cidade do Rio de Janeiro, onde estudou na antiga Escola Nacional de Belas Artes. Foi discípulo de Rodolfo Chambelland, Batista da Costa, Lucílio de Albuquerque e Modesto Brocos. Participa de Salões Oficiais a partir de 1924, recebendo diversas premiações. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.247; MEC. Vol.3, pág.400; WALMIR AYALA. Vol.2, pág.194; TEIXEIRA LEITE, pág.408; PONTUAL, pág.426.

029 - JU CORTE REAL - (1949)
LL " Dona Luiza no telefone " - ost - 40 x 50 - d
Renato Ferreira Corte Real Júnior é natural de Campinas, SP. Assina Jú (óleos) e Jú Corte Real (gravuras). Estudou pintura com Peticov e Alfredo Olianni; desenho com Nasser e Fajardo; gravura com Dudi Maia Rosa; freqüentou a Escola Panamericana de Arte, FAAP e a Escola de Arte Brasil. Exposições Individuais: São Paulo, SP (1968, 1981, 1984, 1987, 1994, 1996, 2001); Campinas, SP (1982); Campos do Jordão, SP (1982); Ubatuba, SP (2001). Coletivas: São Paulo, SP (1967, 1982, 1986 a 1989, 1991, 1994 a 1997, 2001, 2002); Campinas, SP (1982, 1983); Limeira, SP (1982); Ribeirão Preto, SP (1987); Cravinhos, SP (1987); Rio Claro, SP (1987); Taubaté, SP (1991). Prêmios: São Paulo, SP (1992); Rio de Janeiro, RJ (1992). JULIO LOUZADA, vol. 7, pág. 363; vol. 9, pág. 441. ITAU CULTURAL.

030 - CARLOS TAKAOKA - (1945)
LL " Peixes " - ast - 40 x 60 - cid - 1996
Pintor, poeta, escritor e teatrólogo paulistano, filho do pintor Yoshiya Takaoka. Interessou-se pela pintura quando estava como preso político na Casa de Detenção e no Presídio Tiradentes, em São Paulo. Estudou gravura em metal com Sara Goldman Belz. Em paralelo às artes plásticas, integrou vários grupos teatrais, dentre eles TUSP, Núcleo 2 Arena, Teatro Infantil Arena, Grupo Barraco, atuando como cenógrafo, auxiliar de produção e de direção. JULIO LOUZADA vol.3, pag 1108; ITAUCULTURAL

031 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Composição - a - 46 x 55 - cid
Pintor e desenhista austríaco, natural de Viena, transferiu-se para o Brasil em 1928, fixando residência em São Paulo, Estudou no Liceu de Artes e Ofícios da cidade, onde conheceu Valdemar da Costa, com ele fazendo aprendizado de pintura a partir de 1940. Artista estável, sua evolução não sofreu sobressaltos, uma vez formado numa linguagem linear de sensibilidade pessoal, despojada e exigente, rigorosamente artesanal. PONTUAL, pág. 131; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI pág. 645; ARTE NO BRASIL, pág. 798; Acervo FIEO.

032 - VICENTE COPPOLA - (1926 - 1998)
LL Paisagem - ost - 40 x 50 - cid
Autodidata, desde cedo dedicou-se ao desenho, e mais tarde à publicidade. Em 1975 voltou-se para a pintura à óleo, buscando maior realização. No início, pintou principalmente paisagens e marinhas, retratando a natureza com sensibilidade. Viu de imediato seu trabalho reconhecido, pois já no ano de 1979, foi convidado pela Sociarte para fazer parte de coletiva. Inicialmente recebeu orientação de Dario Mecatti. Foi no Regimento da Cavalaria, onde serviu, que começou a gostar de cavalos e conhecer profundamente as raças que retrata desde então, principalmente para criadores. Foi pintor exclusivo da Tableau, com Luiz Carlos Moreira, durante vários anos, tendo nesse período todos os seus quadros vendidos.Era membro da Associação Paulista de Belas Artes. JULIO LOUZADA vol.4, pág. 275.

033 - OSCAR PEREIRA DA SILVA - (1867 - 1939)
LL Caipira - dl e p - 30 x 23 - cid
Grande pintor brasileiro; prêmio de viagem à Europa em 1889, aperfeiçoou-se em Paris com Gérome e Leon Bonnat. "Sem ter revelado impulsos vigorosos que lhe evidenciassem poder emotivo, Oscar Pereira da Silva soube manter no transcorrer de bem cinquenta e sete anos de produção permanente e intensa, desde que retornou ao país, em 1896, todo o cuidado de um desenho severamente elaborado, sem num só instante voltar-se para o novo semblante que a pintura adquiria nessa transposição de tempo. " Quirino Campofiorito, in CAMPOFIORITO, Quirino. História da Pintura Brasileira no Século XIX. Ed.Pinakotheke-SP, 1983. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs. 245/281; TEODORO BRAGA, pág. 177/8; LAUDELINO FREIRE, pág. 383; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 185; MEC, vol. 4, pág.277; PONTUAL, pág. 419; TEIXEIRA LEITE, pág. 402; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 437; ARTE NO BRASIL, pág. 553, Acervo FIEO; F. ACQUARONE, pág. 187.

034 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Marinha - ose - 24 x 33 - n/as.
Nascido e falecido em São Paulo, DURVAL PEREIRA foi pintor e professor ativo em São Paulo. Premiado com a Menção Honrosa no SPBA em 1944, passou a viver exclusivamente da pintura. Pintava ao ar livre aos domingos com os pintores Salvador Rodrigues, Salvador Santisteban, Cirilo Agostinho, Jaime Dinis, Djalma Urban, Innocencio Borghese, e outros. Premiado praticamente em todos os Salões de que participou. Recebeu ao todo, 15 comendas das mais importantes do Brasil. Nos últimos três anos de sua vida, recebeu todos os Primeiros Prêmios e Medalhas de Ouro nas exposições de Paris, Rouen, Lyon, Roma, Miami e Milão. MEC, vol. 3, pág. 368; JULIO LOUZADA, vol. 1, págs. 749/750/751. ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

034A - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Marinha - ose - 24 x 33 - cie
Nascido e falecido em São Paulo, DURVAL PEREIRA foi pintor e professor ativo em São Paulo. Premiado com a Menção Honrosa no SPBA em 1944, passou a viver exclusivamente da pintura. Pintava ao ar livre aos domingos com os pintores Salvador Rodrigues, Salvador Santisteban, Cirilo Agostinho, Jaime Dinis, Djalma Urban, Innocencio Borghese, e outros. Premiado praticamente em todos os Salões de que participou. Recebeu ao todo, 15 comendas das mais importantes do Brasil. Nos últimos três anos de sua vida, recebeu todos os Primeiros Prêmios e Medalhas de Ouro nas exposições de Paris, Rouen, Lyon, Roma, Miami e Milão. MEC, vol. 3, pág. 368; JULIO LOUZADA, vol. 1, págs. 749/750/751. ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

035 - DECIO FERREIRA - (1932 - 2008)
LL " Orquídeas brancas " - ost - 50 x 60 - cid e d - 2007
Pintor, gravador e desenhista nascido em São Paulo, Capital. Formou-se no Liceu de Artes e Ofícios desta cidade e, mais tarde, frequentou o curso de desenho livre no MAM-SP. Aperfeiçoou-se em pintura com Alexandre Barrenechea e em gravura com Lívio Abramo. Expôs regularmente no SPAM-SP de 1959 a 1963, obtendo diversas e importantes premiações. Participou da V Bienal de SP; expôs em diversas coletivas e individuais, no País e no exterior. Trabalhou também como chargista da Revista Visão e em vários jornais de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol 1 - pág 379. Acervo FIEO. -

036 - REYNALDO FONSECA - (1925)
LL Menina - dl - 47 x 32 - cid - 1964
Pintor, desenhista, gravador e professor pernambucano, natural da cidade do Recife, onde é ativo. Estudou no Rio de Janeiro, pintura com Portinari e gravura em metal com Henrique Oswald. Conquistou diversos prêmios em pintura e gravura na Divisão Moderna do SNBA-RJ. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.263; MEC, vol.2, pág.184; PONTUAL, pág.220; TEIXEIRA LEITE, pág.205; WALMIR AYALA, vol.2, págs. 243 a 245; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 879.

037 - CLODOMIRO AMAZONAS - (1893 - 1953)
LL Ipê amarelo - osm - 40 x 27 - cid
Clodomiro Amazonas Monteiro, nasceu em Taubaté-SP, e faleceu na Capital-SP. Pintor e restaurador, iniciou-se em pintura aos 16 anos, realizando restaurações em telas e afrescos do Convento Santa Clara, em Taubaté. Fixa residência em São Paulo em 1906, quando entra em contato com a obra de Baptista da Costa e tem aulas com o pintor Carlo de Servi. Manteve contato com intelectuais, escritores e artistas como Monteiro Lobato, Menotti del Picchia, Lucílio e Georgina de Albuquerque e também Pedro Alexandrino, entre outros. É um dos fundadores do Salão Paulista de Belas Artes, em 1934. Amazonas foi artista de méritos, cuja pintura, vazada num desenho de grande solidez, e um colorido realista, não deixa de irradiar certa rústica poesia. MEC, vol. 1, pág. 75; TEIXEIRA LEITE, pág. 26; PONTUAL, pág. 24; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 42; TEODORO BRAGA, pág. 72; ITAU CULTURAL.

038 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Zebra - m em ac - h = 11 - n/as.
Artista cinético, pintor, desenhista, natural de Natal, RN. Em 1932, muda-se com a família para a região onde, atualmente, se localiza o Estado de Israel. Inicia seus estudos de arte no ateliê do pintor Haaron Avni e do escultor Sternshus e estuda estética com Shor. Freqüenta o Instituto Municipal de Arte de Tel Aviv. Retorna ao Brasil em 1948, e se instala no Rio de Janeiro. Convive com os artistas Ivan Serpa, Renina Katz e Almir Mavignier. Em 1954, integra o Grupo Frente, ao lado de Ivan Serpa, Ferreira Gullar, Mário Pedrosa, Franz Weissmann, Lygia Clark e outros. Desenvolve a partir de 1964 os Objetos Cinéticos, um desdobramento dos cinecromáticos, mostrando o mecanismo interno de funcionamento e suprimindo a projeção de luz. O rigor matemático é uma constante em sua obra, atuando como importante recurso de ordenação do espaço. É considerado internacionalmente um dos pioneiros da arte cinética. ITAUCULTURAL

039 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
LL Composição - psa - 20 x 20 - cid
Pintor, arquiteto-paisagista, desenhista, decorador, artesão de jóias, tapeceiro e litógrafo, nascido em São Paulo-SP. Em 1913 muda-se com a família para o Rio de Janeiro, estudando arquitetura a partir de 1927 na antiga Escola Nacional de Belas Artes. A partir de 1931 trava conhecimento e desfruta da amizade dos modernistas, como Mario de Andrade, Anibal Machado, Guignard, Murilo Mendes, Tarsila, Oswald de Andrade, entre outros. Artista de méritos, ocupa lugar de destaque na cultura nacional. PONTUAL, pág. 94; TEIXEIRA LEITE, pág. 93; MEC. vol.1, pág.303; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.564; ARTE NO BRASIL, pág. 738; LEONOR AMARANTE, pág. 98.

040 - JUAN MUZZI - (1949)
LL Composição - ast - 80 x 100 - cid
Pintor, desenhista e escultor, Juan Carlos Calabresse Muzzi nasceu no Uruguai. Na década de 1970 emigrou para o Brasil. Sempre desenvolvendo suas inúmeras habilidades técnicas tem participado de várias exposições: Punta Del Leste, Uruguai (1990 a 2000); Santo André, SP (2004, 2005, 2007); São Paulo, SP (2004 a 2007); Rio de Janeiro, RJ (2005); Campinas, SP (2006); Limeira, SP (2007). Prêmios: Santo André, SP (2004, 2005); Rio de Janeiro, RJ (2005); São Paulo, SP (2005, 2006, 2007). OSCAR D’AMBROSIO, “CONTANDO A ARTE DE JUAN MUZZI”, Nova América Editora, São Paulo, 2007.

041 - EMILE TUCHBAND - (1933 - 2006)
LL Paisagem - ast - 70 x 100 - csd e d - 1992
Natural de Paris, fixou residência no Brasil a partir de 1956. Cursou a Escola de Belas Artes e a Escola de Arquitetura em Paris. Foi auxiliar de Marc Chagall na elaboração do teto da Ópera de Paris. Em 1960 realizou o cartaz do filme Orfeu do Carnaval. Pintor adepto à escola francesa, levava para as suas telas paisagens e impressões do Brasil, em cores vivas e composição exótica. BENEZIT, 10/301; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 999 ; Acervo FIEO.

042 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL Casario - ose - 30 x 20 - cid
Italiano da Lombardia, PELLEGATTA foi pintor e gravador dedicado a temas sacros e casarios coloniais. Em sua obra, o ser humano é apresentado sempre de modo idealizado, na figura de ternas madonas, santos, coroinhas e cavaleiros. Participou de diversas coletivas e salões, a partir de 1957, recebendo premiações em sua maioria. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág.735; MEC vol.3, pág.363; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

043 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Rosto - dn - 23 x 16 - cid - 1946
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

044 - ARAUJO LIMA - (1886 - 1958)
LL Paisagem - ostcc - 20 x 26 - cid - 1931
Discípulo de Oswaldo Teixeira, foi menos pintor, porém decerto mais artista do que o mestre, produzindo abundante interpretações da paisagem brasileira TEODORO BRAGA, pág.40 e 141. Citado em Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, do Ministério da Educação e Saúde - MNBA/Rio/1944-n/nº149; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO, pág. 226.

045 - ANTONIO PESSOA - (1943)
LL Par de escultuas - e em b - as.
1) Torso feminino, h = 10; 2) Torso feminino, h = 9; -Escultor, assina Tonny. Radicado no Rio de Janeiro detentor de bom curriculo nacional e internacional com inumeras participações em Salões Oficiais,varias vezes premiado. Ótimo mercado.

046 - TOMIE OHTAKE - (1913)
LL Composição - ser. P.A. 6/10 - 60 x 60 - cid
Importantíssima pintora, nascida em Kyoto, Japão, e radicada no Brasil desde 1936, País que adotou inclusive a cidadania. Iniciou-se artisticamente a partir de 1950, com o pintor japonês visitante Keiya Sugano. Ligou-se ao Grupo Seibi, em cujos salões obteve diversas premiações. Participou ainda por várias vezes, com premiações, do SPAM e do SNAM. MEC, vol. 3, pág. 323; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 791; BENEZIT, vol. 7, pág. 791; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 140/141; PONTUAL, pág. 390; ART PRICE ANNUAL 1990, pág. 1464; TEIXEIRA LEITE, pág. 362/3/4; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 939; LEONOR AMARANTE, pág. 170; WALTER ZANINI, pág. 693; Acervo FIEO.

047 - RENOT - (1932)
LL Composição - tm e col. - 10 x 15 - csd
Tapeceiro, desenhista e pintor baiano, ativo em São Paulo desde 1978, com diversas premiações, exposições e leilões. Também atua no mercado de arte como "marchand". JULIO LOUZADA vol.1, pág. 816, Acervo FIEO.

048 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem antropofágica - dl - 11 x 13 - cie
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. -Monstro sagrado da pintura brasileira, Tarsila é a criadora de duas das principais tendências ou movimentos de nossa arte nacionalista: o Pau Brasil (1924) e o Antropofagia. Sua arte poderia ser definida como um Cubismo adaptado às condições e ao temperamento brasileiros. TEODORO BRAGA, págs. 220/21/22/23; REIS JR.-págs.388/89 ; WALMIR AYALA, vol. 2-págs. 365 e 367 ; MEC, vol. 4-págs. 370/71; PONTUAL, pág. 511; TEIXEIRA LEITE, pág. 492; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 389; ARTE NO BRASIL, pág. 577; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

049 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Figuras - ost - 25 x 30 - cid e d - 2007
Português de Braga, viveu em São Paulo e Minas Gerais, radicando-se definitivamente em Goiânia, desde 1967. O sobrenome artístico Poteiro vem das obras em barro e cerâmica que trabalhou por mais de 12 anos, até se transformar no pintor original e vigoroso de hoje. Amigo de Siron Franco, seu grande incentivador na pintura. WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 217; TEIXEIRA LEITE, págs 31 e 32; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 808; LEONOR AMARANTE, pág. 294, Acervo FIEO.

050 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Figuras - g - 16 x 11 - csd ileg. - 1981

051 - TRINAZ FOX (RUBENS FERREIRA TRINAZ FOX) - (1899 - 1964)
LL Dançarina - dn e a - 34 x 20 - cid
Pintor, desenhista e caricaturista. Viveu durante muitos anos na Europa. De volta ao Brasil, colaborou em diversas revistas e jornais cariocas na década de 1920, inclusive como redator, destacando-se: D. Quixote, O Tagarela e O Combate. entre 1930 e 1940 fixou-se na Argentina, publicando trabalhos na imprensa de Buenos Aires e Santa Fé. PONTUAL, pág. 526; MEC vol.2, pág. 188; HISTORIA DA CARICATURA NO BRASIL, pág. 1421;

052 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL " Praia de Icaraí " - ostce - 27 x 40 - cid - 1971 - Rio
Nascido na Itália, radicou-se no Brasil. Seu estilo liga-se ao dos Macchiajoli oitocentistas (os equivalentes italianos dos impressionistas franceses) e ao de Pratella em especial. São especialmente notáveis suas paisagens e marinhas. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 168; JULIO LOUZADA vol.11, pág.54; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

053 - FANG, CHEN KONG - (1931)
LL Patos - ag. - 47 x 52 - cid - 1976
Pintor, desenhista e gravador. Ativo em São Paulo, estudou com Y. Takaoka; expôs nos Salões de Belas Artes de São Paulo e do Rio de Janeiro, obtendo diversas premiações. Tem obras em coleções particulares e na Pinacoteca de São Paulo. MEC, vol. 2, pág. 124; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 366; TEIXEIRA LEITE, pág. 189; PONTUAL, pág. 201.; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

054 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Noivos - e em br - h = 18 - b - Nici

055 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Galo - dn e a - 31 x 21 - cid - 1970/1971
Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

056 - GLYCÉRIO GERALDO CARNELOSSO - (1921)
LL Paisagem - ost - 65 x 50 - cie - 1984
Nasceu em Boa Esperança do Sul, SP, no dia 5 de dezembro. Pintor e escultor, estudou com José Barchita e Angelo Simeone, recebendo orientação de Laurindo Galante no campo da escultura. Segundo o crítico Paulo Mendes, "Carnelosso é doublé de escultor e pintor. Já por isso, é o sentido das massas, nas formas em sua plasticidade, o que prepondera em sua pintura, na qual o colorido é frequentemente surdo. Sua tendência é a do realismo poético (...)" . PONTUAL, pág. 111; MEC, vol. 1, pág. 359; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 172; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 213; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

057 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL Estudos - dl - 30 x 40 - cid - 1960
Estudou desenho na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro com Modesto Brocos, formando-se em arquitetura em 1932, nessa mesma escola. A partir de 1935, dedicou-se à pintura mural e, de 1937, à pintura de temas sociais, com predominância de motivos de operários em construção e trabalhadores rurais. Caracteriza-se por uma grande versatilidade técnica, sendo dos raros pintores brasileiros a utilizar, lado a lado, o óleo, a têmpera e a encáustica, além da aquarela e do guache. Participou do Núcleo Bernardelli. PONTUAL, pág. 489; MEC, vol. 4, pág. 243; TEIXEIRA LEITE, pág. 475 e 476; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 324 a 327; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763, Acervo FIEO.

058 - LAURO EZEQUIEL SA SILVA - (XX)
LL Polícia - e em br - h = 15 - b
Ceramista natural de Caruaru - PE, discípulo de Mestre Vitalino. -

059 - CARLOS LEÃO - (1906 - 1982)
LL Nu - dn - 32 x 21 - cid
Arquiteto, pintor e desenhista ativo no Rio de Janeiro. Participou com Lucio Costa no projeto do edifício sede do Ministério de Educação do Rio de Janeiro (1937). Excepcional desenhista, praticou igualmente a pintura, sempre fiel a uma só temática - "a mulher, seu corpo, seu mundo de amor, sexo e poesia". MEC, vol. 2, pág. 462/3; TEIXEIRA LEITE, pág. 281; PONTUAL, PÁG. 303; JULIO LOUZADA VOL.11, PÁG.171; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 602; ARTE NO BRASIL, pág. 746.

060 - FRANCISCO GOLDSCHMIDT - (XIX - XX)
LL Marinha - a - 13 x 18 - cid
JÚLIO LOUZADA, vol. 13 pág. 153.

061 - JANDYRA WATERS - (1921)
LL Composição - ast - 50 x 40 - d - 1999
Natural de Sertãozinho, neste Estado, viajou em 1945 para a Europa, para auxiliar as vítimas da II Grande Guerra. Em 1947, inicia seus estudos de pintura na Inglaterra. No Brasil estuda pintura com Y. Takaoka, gravura com Marcelo Grassmann e Darel, e pintura mural com Graciano. Diversas participações em salões paulistas (SPAM, 1957/1967), e muitos outros no País. LOUZADA vol. 3, pág. 1214; PONTUAL, pág. 550; TEIXEIRA LEITE, pág. 541 Acervo FIEO.

062 - DAREL VALENÇA LINS - (1924)
LL Cidade - grav. 91/110 - 25 x 30 - cid - 1965
Este importante pintor, gravador, desenhista e professor, conquistou em 1957, no SNAM, o prêmio de viagem ao estrangeiro, voltando a ser contemplado na VII Bienal de São Paulo, como o melhor desenhista nacional. Foi aluno de Henrique Oswald e recebeu aconselhamento técnico de Goeldi. MEC vol.3, pág. 18; PONTUAL, pág.160/161; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 715; ARTE NO BRASIL, pág. 839; LEONOR AMARANTE, pág. 125; Acervo FIEO.

063 - MANINHA - (XX)
LL Figuras - ase - 26 x 22 - cid
Natural do Estado do Amazonas, a pintora Maninha nunca teve a preocupação de agradar ou contrariar e usando de uma liberdade de expressão rara, suas produções são uma união explosiva de símbolos colhidos com naturalidade desconcertante. Realizou uma individual na Petite Galerie, RJ, em 1868, com crítica de Pietro Maria Bardi. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 574; MEC, vol. 3, pág. 47.

064 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Rostos - dn - 29 x 20 - cie - 1955
Cognominado enquanto viveu de o Patriarca da Pintura Moderna Brasileira, Di Cavalcanti foi o inspirador da Semana de 1922. Sua pintura é gorda, sensual, lasciva mesma, cheirando a carnaval, sexo e povo. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.

065 - FERNANDO IKOMA - (1934)
LL Colheira - ost - 50 x 70 - cid
Pintor e desenhista. Foi considerado um dos melhores desenhistas da América do Sul. Vive no Paraná. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 170; ITAÚ CULTURAL.

066 - PERCY DEANE - (1921 - 1994)
LL " Menina de cabelos curtos " - ostcm - 21 x 14 - cse e d - 1981
Percy de Mello Deane, nasceu em Manaus-AM, e faleceu na cidade do Rio de Janeiro. Pintor, desenhista, ilustrador e arquiteto. Estudou na Faculdade de Arquitetura da ENBA em 1938, mudando-se para o Rio de Janeiro. Foi amigo de Portinari. A partir de 1938, colabora regularmente, como ilustrador, para diversas publicações, tais como O Jornal, Dom Casmurro, Sombra, Cigarra, O Cruzeiro. Por encomenda de Oscar Niemeyer, realiza o mural do Iate Clube da Pampulha, Belo Horizonte (1942). Foi premiado no SNBA-RJ, em 1940, 1941 e 1943, recebendo neste último o prêmio de viagem ao país. Expõe em Londres, em 1943 e participa da mostra 20 Artistas Brasileños, itinerante pelo Uruguai, Argentina e Chile, em 1945. Realiza mural em mosaico para a Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro, em 1951. Faz ilustrações para vários livros, entre eles: O Feijão e o Sonho (1968), de Orígenes Lessa; A Ponte (1975), de Erico Veríssimo e Memórias do Cárcere (1969), de Graciliano Ramos. JULIO LOUZADA, vol 1 - pág 318; ITAUCULTURAL.

067 - GILVAN SAMICO - (1928)
LL " A queda do anjo " - xilo. 91/110 - 34 x 26 - cie - 1965
Reproduzido na pág. 85 do livro " Samico - 40 anos de gravura ". Batizado Gilvan José Meira Lins Samico, o artista nasceu em 15/6/1928, na capital pernambucana de Recife. Inicia-se na pintura como autodidata. Em 1948, freqüenta a Sociedade de Arte Moderna do Recife. Estuda xilogravura com Lívio Abramo, em 1957, na Escola de Artesanato do Museu de Arte Moderna de São Paulo. Em 1958 estuda gravura com Oswaldo Goeldi na Escola Nacional de Belas Artes-RJ. Em 1968, recebe o prêmio viagem ao exterior no 17º Salão Nacional de Arte Moderna-MAM-RJ. Em 1971, integra o Movimento Armorial, voltado à cultura popular nordestina e à literatura de cordel. Os quarenta anos de gravura do artista foram comemorados em 1997 com importante exposição no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro. JULIO LOUZADA vol.10, pág. 784; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 688.

068 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Gorila - m em ac - h = 11 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

069 - SILVIA DE LEON CHALREO - (1905 - 1991)
LL Vilarejo - ost - 60 x 45 - cid - 1964
Esta importante pintora, crítica de arte, escritora, tradutora e jornalista, nasceu na cidade do Rio de Janeiro. Autodidata, pinta o gênero figurativo primitivo, expondo pela primeira vez em 1941, na Divisão Moderna do SNBA. Possui extenso curriculum de exposições e premiações no País e no exterior. Segundo o crítico Teixeira Leite, "(...) Sua pintura, de caráter primitivista, representa as praias repletas de diminutas figurinhas, o morro carioca, os barracos na favela e os folguedos infantis, numa técnica rudimentar, mas com bom colorido, vívido movimento e inegável atmostera poética." . JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 921; ITAU CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 482.

070 - INOS CORRADIN - (1929)
LL Paisagem - ostce - 30 x 40 - cid e d - 1982
Um dos valores da pintura em São Paulo. Corradin expôs com frequência na Europa e nos Estados Unidos, onde seus quadros são muito apreciados. Também tem se dedicado com igual talento e sucesso a escultura. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 152; PONTUAL, pág. 143; MEC, vol. 1, pág. 448; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 215; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

071 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL " Bizarrona " - ost - 54 x 63 - cid ileg.

072 - HENRIQUE GOLDSHMIDT - (1865 - 1952)
LL Corcovado - a - 25 x 16 - cid
Pintor e desenhista nascido (24/2) e falecido no Rio de Janeiro-RJ. Especializou-se nas pequenas e delicadas aquarelas, privilegiando as localidades cariocas. Foi chamado de "...talentoso pintor miniaturista e fantasista" pelo jornal O Paíz do Rio de Janeiro. TEODORO BRAGA, pág. 109; LAUDELINO FREIRE, pág. 389; JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 442.

073 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Paisagem surreal - ost - 46 x 52 - cid - 1994
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 016 deste catálogo.

074 - ABERALDO SANDES COSTA LIMA - (1960)
LL Ex-voto - e em mad. - h = 24 - n/as. - Ilha do Ferro - AL
Nasceu no povoado da Ilha do Ferro, município de Pão de Açúcar/AL. Ali cresceu e vive até hoje porque gosta mesmo é do sertão. Um sertão mais do que especial, muito seco mas cercado de água e montanhas. " Aqui no mato me encontro. Gosto de sair, acampar a céu aberto e sentir a natureza como ela é ", diz ele. No fundo de sua casa, o lugar onde trabalha revela seu universo - galhos, papéis, casulos de todo tipo, folhas e raízes. "Aqui gosto de fazer minhas coisas. Tem uma parte da madeira que já diz para a gente o que quer ser. Não gosto de fazer coisas que já existem, como imagens de santos. Das coisas que existem, gosto de fazer só bichos e pássaros. E na forma de gente, gosto dos ex-votos. Eu sou feliz, porque sempre sobrevivi da arte", complementa.

075 - ERMANNO TOSO - (1903 - 1973)
LL Peça - vdm
Designer do estúdio de vidros Fratelli Toso em Murano, Itália, na década de 1960. Klein, Dan e Lloyd, Ward - THE HISTORY OF GLASS, pág. 256 e 257.

076 - SAMSON FLEXOR - (1907 - 1971)
LL Menino - a - 50 x 33 - cie - 1966
Pintor nascido na Romênia, estudou em Paris, onde fez em 1927 sua primeira individual, radicando-se em 1946 em São Paulo, onde faleceu. Foi um dos pioneiros do abstracionismo no Brasil, tendo criado em 1948 o Atelier Abstração. Em 1968 sua obra foi objeto de importante retrospectiva no MAM-RJ. BENEZIT vol. 4, pág. 402; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 313/4; TEIXEIRA LEITE, pág. 198; PONTUAL, pág. 217/8; MEC, vol. 2, pág. 179 e 180; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 917; LEONOR AMARANTE, pág. 75; WALTER ZANINI, pág. 643, Acervo FIEO.

077 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Paisagem - asc - 38 x 38 - cid - 2003
Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

078 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Caravela - e em mar - h = 50 - as.
Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.

079 - ALEX VALLAURI - (1949 - 1987)
LL Composição - col. - 50 x 70 - cid - 1975
Natural de Asmara, Etiópia, faleceu em São Paulo-SP. Grafiteiro, artista gráfico, pintor, desenhista, cenógrafo e gravador. Chegou ao Brasil com a família em 1965. Era residente e ativo na capital paulista. Iniciou-se em xilogravura, retratando personagens do porto de Santos. No começo da década de 1970, formou-se em comunicação visual pela FAAP-SP. Especializou-se em litografia no Litho Art Center de Estocolomo, em 1975. Retornou ao Brasil em 1978, realizando grafites em espaços públicos de São Paulo. Produzia silhuetas de figuras, com tinta spray sobre moldes de papelão. Residiu em Nova York entre 1982 e 1983, onde cursou artes gráficas no Pratt Institute. Nesse período, fez grafites nos muros da cidade. Além de usar o muro como suporte, seus trabalhos estampam camisetas, broches e adesivos. Voltou ao Brasil e começa a lecionar na Faap. Em sua produção destaca-se a série A Rainha do Frango Assado, que é também tema de instalação apresentada na 18ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1985. Retrospectiva Viva Vallauri, realizada no Museu da Imagem e do Som - MIS, em São Paulo, em 1998. JULIO LOUZADA, vol 3 pag 1170; ITAUCULTURAL.

080 - RODRIGO DE HARO - (1939)
LL Retrato - ose - 61 x 81 - cie - 1969
Com etiqueta de Galeria Seta - São Paulo, no dorso. -Rodrigo de Haro nasceu em Paris-França. Pintor, desenhista e escritor. Divide suas atividades profissionais entre Florianópolis e São Paulo. Por volta de 1987, trabalha na decoração do Teatro Municipal de Florianópolis com 80 painéis Mandalas. Entre as mostras de que participa, destacam-se: Coletiva Artistas Catarinenses, Santa Catarina, 1955 (Prêmio Aquisição); Salão Nacional do Paraná, 1967; Arte Fantástica, no Paço das Artes de São Paulo, 1972; Destaques da Pintura Brasileira, no Museu de Arte Moderna de São Paulo, 1985; Mostra do Desenho Brasileiro, no Museu de Arte Contemporânea de Curitiba, Paraná, 1994. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 244; PONTUAL, pág. 260; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 143; WALTER ZANINI, pág. 805; ITAU CULTURAL.

081 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Flores - dn e a - 43 x 31 - cie - 1984
Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

082 - AUGUSTO RODRIGUES - (1913 - 1993)
LL Namorados - dn - 30 x 21 - cid
Desenhista, caricaturista e educador, Augusto Rodrigues nasceu em Recife-PE, onde frequentou a partir de 1932, o ateliê de Percy Lau. Participou em 1934 da primeira exposição de arte moderna de Pernambuco. Desenhista e caricaturista por excelência, o artista destacou-se no Sul do País, participando de salões, coletivas e individuais, recebendo honrarias e premiações. Criou diversos personagens, amparado na visão do cotidiano das grandes cidades. MEC, vol. 4, pág. 89; PONTUAL, pág. 457; TEODORO BRAGA, pag. 43; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 602; ARTE NO BRASIL, pág. 517.

083 - NIOBE XANDÓ - (1915)
LL Composição - tm - 32 x 21 - cid
Pintora e desenhista natural de Campos Novos Paulista-SP e ativa em São Paulo-SP. Autodidata, freqüentou o ateliê de Raphael Galvez a partir de 1946. Dentre as várias fases de sua obra merecem destaque as Flores Fantásticas, as Máscaras de origens africana e indígena, O Letrismo, o Mecanicismo e o Abstracionismo Geométrico. Participou de várias Bienais Nacionais e recebeu mais de 20 prêmios em Salões de Arte. Participou de mais de 100 exposições nacionais e internacionais e mereceu mais de 100 textos de críticos renomados. Em 2004 teve uma grande mostra antológica no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP). Em 2007 teve uma exposição retrospectiva fantástica e merecida na Pinacoteca do Estado de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol. 12, pág. 435; PONTUAL, pág. 554; WALTER ZANINI, pág. 717; Acervo FIEO; TEIXEIRA LEITE; BENÉZIT; BARDI, Pietro Maria. Profile of the New Brazilian Art. São Paulo. 1970; SCHENBERG, Mário. Pensando a Arte. São Paulo. 1988. Acervo FIEO.

084 - ANTONIO HENRIQUE AMARAL - (1935)
LL Rosto - ost - 30 x 30 - cid
Gravador, desenhista e pintor, foi aluno de Lívio Abramo no MAM / SP, e de Shiko Munakata, no Pratt Graphic Art, em Nova York. Artista consagrado nacional e internacionalmente. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 37; MEC, vol. 1, pág. 73; PONTUAL, pág. 21;TEIXEIRA LEITE, pág. 23 a 25; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 754; ARTE NO BRASIL, pág.903; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.

085 - RAPHAEL BORDALO PINHEIRO - (1846 - 1905)
LL Figura - dn - 48 x 29 - cie
Raphael Augusto Bordalo Pinheiro é natural de Lisboa, Portugal. Pintor, desenhista, gravador, caricaturista e ceramista. Assinava B. P. e Raphael Bordallo Pinheiro. De família de artistas, inicia-se nas artes freqüentando a Escola de Artes Dramáticas e a Academia de Belas Artes de Lisboa. Em 1869 publica suas primeiras caricaturas no jornal A Revolução de Setembro e inicia a produção de seu primeiro álbum, O Calcanhar de Achilles, publicado em 1870. Funda os periódicos A Berlinda e O Binóculo. Em 1871, é premiado na Exposição Internacional de Madri. Em 1872, publica o álbum Apontamentos sobre a Picaresca Viagem do Imperador do Rasilb pela Europa, onde satiriza o imperador dom Pedro II (1825 - 1891). Em 1875, vem para o Brasil e funda o periódico Lanterna Mágica, no qual cria o personagem Zé Povinho. Colabora com O Mosquito, ao lado de Angelo Agostini (1843 - 1910). Em 1876, trabalha em O Fígaro com Cândido de Faria (1849 - 1911). Em 1877, funda o Psit! e no ano seguinte, O Besouro, no qual estampa uma série de caricaturas satirizando os políticos locais. Após sofrer dois atentados na cidade, retorna a Portugal em 1879. Em 1880 cria, com outros artistas portugueses, o Grupo do Leão. Em 1885, funda em Caldas da Rainha a Fábrica de Faianças que revitaliza a produção de cerâmicas dessa região. Em 1889, a produção da fábrica é premiada na Exposição Internacional de Paris. Como responsável pela construção do Pavilhão Português, recebe do governo francês o grau de Cavaleiro da Legião de Honra. Exposições coletivas: Lisboa, Portugal (1868, 1870, 1872, 1874, 1881); Madri, Espanha (1871); Rio de Janeiro, RJ (1876); Paris, França (1889). Exposições póstumas: Rio de Janeiro, RJ (1954, 1965, 2000); São Paulo, SP (1996, 2001, 2004). JULIO LOUZADA, vol. 6, pág. 888; vol. 8, pág. 658. ITAU CULTURAL.

086 - RENÉE LEFÈVRE - (1910 - 1996)
LL Igreja Nossa Senhora da Ajuda - a - 23 x 31 - cid - Bahia
Nasceu (17/julho) e faleceu (26/abril) em São Paulo. Foi aluna de desenho de Pedro Alexandrino. Freqüentou a Academia Julian e a Academia de La Grande Chaumiere em Paris. Pintora e ilustradora, integrou a Família Artística Paulista. Expôs individualmente pela primeira vez em 1941, e coletivamente a partir de 1934, inclusive no exterior, recebendo premiações. O crítico Geraldo Ferraz assim se referiu à sua obra, conforme consta em JULIO LOUZADA abaixo mencionado: "Renée Lefevre gosta de pintar e desenhar paisagens, pequenas cidades do interior, praças, ruas, igrejas, casarões. Às vezes é seduzida pelas cenas regionais com figuras humanas. Raramente pinta naturezas-mortas. Conscientemente evita composições panorâmicas. Em geral, está empenhada em simples transposições pictóricas de fragmentos da realidade brasileira, que hoje é histórica. Sem dúvida, essas vistas do Brasil antigo são submetidas a um processo de afeto pessoal, a uma validade de poetização lírica, onde a artista revela as ocultas seduções de formas ressuscitadas da arquitetura barroca, formas tão brasileiras, tão graciosas, tão cativantes, já tão esquecidas, ainda que presentes e vivas (...) Será difícil classificar seus quadros, pintados em gama de cores luminosas, apagadas; esses desenhos sutis, sensibilizados, de caligrafia arejada, dentro das correntes reconhecidas da pintura atual. Parecem surgidos de outra época, aliás como são também essas parcelas do Brasil colonial fontes de sua inspiração. " JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 532; MEC. vol.2,. pág.465; PONTUAL, pág.306; TEIXEIRA LEITE, pág.283; WALMIR AYALA, vol.1, págs.466 e 467; ITAÚ CULTURAL. Acervo FIEO.

087 - BIGIO GERARDENGHI - (1876 - 1957)
LL Barcos - ost - 27 x 52 - cie
Italiano de Dronero, Piemonte, onde nasceu em 7/8/1876. Pintor e professor, oriundo de família nobre, o autor sempre viveu em Nápoles, onde realizou estudos e concluiu sua formação artística. Reputado pintor de paisagens e marinhas, figurou em diversas exposições na Itália, onde ganhou a medalha de ouro na Exposição Internacional de Nápoles, e em 1916, quando o seu quadro Lã para os Soldados, foi escolhido pela Cruz Vermelha Italiana para ser reproduzido como propaganda de Socorros de Guerra. No Brasil sua obra foi muito bem recebida pela público e crítica, figurando em diversas exposições. BENEZIT, vol.4, pág. 681; MAYER/84, pág. 835; TEODORO BRAGA, pág. 107; JULIO LOUZADA vol.1, pág. 415; ITAÚ CULTURAL.

088 - VASCO PRADO - (1914)
LL Nu - e em b - h = 34 - d
Escultor, desenhista e gravador, VASCO PRADO abriu seu primeiro ateliê em 1941. Bolsista do governo francês, estudou na França na Escola de Belas Artes de Paris, tendo recebido ensinamentos de Fernand Léger. De volta ao Brasil em 1951, foi um dos fundadores do Clube de Gravura de Porto Alegre, ao lado de Scliar. Artista atuante, VASCO PRADO valoriza a sua arte pelo esmero e originalidade de suas obras. JULIO LOUZADA vol.9, pág. 699; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 711; ARTE NO BRASIL, pág. 842.

089 - AMILCAR DE CASTRO - (1920 - 2002)
LL Composição - ser. P.A. - 76 x 105 - cie e cid
Escultor e desenhista mineiro, nascido em Paraisópolis. Autodidata em escultura, estudou desenho e pintura com Guignard (BH, 1942-1950). Assinou o manifesto do movimento neoconcreto, participando das exposições do grupo no MAM-RJ (1959), MAM-SP (1961), MEC-RJ (1960). " ... o ponto comum de todas elas (as obras do autor) estava na expressão de uma fôrça interior contida pelos ritmos implacáveis e decisivos da estrutura." (Ferreira Gullar, referindo-se às obras do autor na época das exposições do Grupo). Amilcar participou das Bienais de SP de 1953 a 1965, nos SNAM, entre 1960 e 1967, além de tantas outras mostras de expressão internacional, que lhe trouxeram prestigio de público e de sempre elevada crítica. ITAÚ CULTURAL; PONTUAL, pág. 119; JULIO LOUZADA, VOL, 10 pág, 198; MEC, VOL, 1 pág, 386; WALTER ZANINI, pág. 656; ARTE NO BRASIL, pág. 872; LEONOR AMARANTE, pág. 136; Acervo FIEO.

090 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Capa para revista Fon-Fon - g - 37 x 24 - cie
- Reproduzido no convite deste leilão.Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista. Realizou mais de cem mil desenhos, não se conhecendo um único ruim. Observador arguto, retratou com maestria e humor o cotidiano de sua cidade natal, da qual, consta, ausentou-se por duas únicas ocasiões. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646.

091 - BUSTAMANTE SÁ - (1907 - 1988)
LL Barco - ost - 65 x 50 - cie
Natural da cidade do Rio de Janeiro, estudou na ENBA naquela cidade, onde foi aluno de Rodolfo Amoedo e Rodolfo Chambelland. Participou do Núcleo Bernardelli, do qual foi um dos fundadores em 1931. Participou de sucessivas versões do SNBA a partir de 1928, recebendo diversas premiações. Excepcional pintor do gênero paisagem. TEODORO BRAGA, pág. 59; REIS JR. , pág. 385; MEC,vol. 4, pág. 127; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 145 e 147; TEIXEIRA LEITE, pág. 94; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 47; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763; Acervo FIEO.

092 - ANTONIO PETICOV - (1946)
LL Marinha - dcry. - 50 x 70 - cid - 2007
Nasceu em Assis, SP. Desenhista, gravador e escultor. Autodidata. Integra os movimentos movimentos artísticos de vanguarda da segunda metade da década de 60. De produção diversificada, segue tendências variadas das vanguardas artísticas internacionais das últimas décadas. Participa de várias exposições entre elas, Bienal Internacional de São Paulo, 1967, 1969 e 1989; Panorama da Pintura Brasileira, no MAM/SP, São Paulo, 1983; Destaques da Arte Contemporânea Brasileira, no MAM/SP, 1985; Bienal Brasileira de Design, Curitiba, 1990; OFF Bienal, no MuBE, São Paulo, 1996; Arte Suporte Computador, na Casa das Rosas, São Paulo, 1997. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 757/758; WALTER ZANINI, pág. 760; LEONOR AMARANTE, pág. 185. Acervo FIEO.

093 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL " Jarra " - v e s/t - 37 x 26 - cid e d - 1979 - Cabo Frio
Pintor e gravador gaúcho, cuja carreira esteve intimamente ligada ao desenvolvimento da arte moderna e da gravura em seu estado natal e no Brasil. Começou a pintar em 1935, tendo sofrido de início a influência de Segall. Após uma fase realista, evoluiu, em anos mais recentes, para uma linguagem pessoal, fixado objetos com grande amor às transparências e às texturas, numa ânsia de transfiguração e de serenidade. MEC vol.4, pág. 214; TEODORO BRAGA, pág. 66; WALMIR AYALA vol.2, pág. 306 a 309; PONTUAL, págs 479 e 480; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 293; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 798; RGS, pág. 442; Acervo FIEO.

094 - MANUEL EUDÓCIO - (1931)
LL Mulher amamentando - e em br pol. - h = 14 - b
Reproduzido em catálogo de exposição do artista realizada na Feira Brasileira de Artesanato em Olinda - Pernambuco/2005. -Manuel Eudócio Rodrigues, natural de Alto do Moura, próximo a Caruaru, (PE). Começa a modelar o barro da mesma maneira como as demais crianças criadas em ambientes oleiros no Brasil: observando os parentes próximos e fazendo animaizinhos de brincadeira. Em 1949, conhece Mestre Vitalino quando este se transfere para o Alto do Moura, tornando-se então seu discípulo. Assim como Zé Caboclo, seu cunhado, inicialmente produzia esculturas em barro natural. Influenciado pelo mercado, passa a pintar parcialmente as peças com tintas fortes e coloridas. Apaixonado pela "arte de boneco", criou um grande repertório de figuras: cangaceiros, casais de noivos a cavalo, maracatus e Bumba-meu-boi. É considerado um dos primeiros ceramistas da localidade onde nasceu e vive até hoje. Casado, teve nove filhos, dos quais cinco seguiram-lhe o ofício.

095 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Velho - ost - 39 x 32 - n/as.
No estado. -

096 - CALISTO CORDEIRO, DITO K.LIXTO - (1877 - 1957)
LL Nobres - dn - 17 x 28 - cid
Desenhista, caricaturista e pintor. Estudou na ENBA. Desenhou o primeiro sêlo de impôsto de consumo impresso no Brasil. Sua atividade de caricaturista durou mais de 30 anos, com intensa colaboração em jornais e revistas do Rio de Janeiro, tais como O Riso, D. Quixote, Carêta, A Semana Ilustrada, Fon-Fon!, Ilustração Brasileira, A Caricatura, O Cruzeiro, O Tagarela, O Malho e tantas outras. Participou de diversos certames do gênero. Sua excepcional obra é até hoje objeto de estudo por especialistas, que não se cansam de lhe tecer elogiosas críticas. PONTUAL, pág. 291; JULIO LOUZADA vol 12 pág. 218; WALTER ZANINI, pág. 806; ARTE NO BRASIL; HISTÓRIA DA CARICATURA NO BRASIL, pág. 1014.

097 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Cena urbana - osm - 37 x 27 - cid
Pintor nascido na Itália. Mecatti radicou-se no Brasil em 1940, após trabalhar por vários anos na Tripolitânia, no norte da África. É notável pela estilização de suas figuras e paisagens concebidas, em tons baixos e obedientes a uma composição pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 161/2; MEC, vol. 3, pág. 109; PONTUAL, pág. 352; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 72; TEIXEIRA LEITE, pág. 320; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

098 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato vermelho - ast - 46 x 55 - cie e d
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista.- - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

099 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Caramujo - m em ac - h = 6 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

100 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL " Figura " - ostcc - 18 x 15 - d
- Reproduzido no convite deste leilão.Esse grande pintor brasileiro, que estudou com Marques Júnior na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro, ingressando em seguida no Núcleo Bernardelli, onde se ligou de amizade a Pancetti, é hoje glória nacional. Sua carreira atravessou várias fases, desde a de cunho figurativo da déc. 30, ao construtivismo dos anos 50, para atingir afinal o figurativismo, das Vênus e Pássaros, passando pelas figuras esquematizadas da década de 1940. TEODORO BRAGA, pág. 163; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 229; MEC, vol. 2, pág. 13; BENEZIT, vol. 3, pág.315; ITAU CULTURAL; PONTUAL, pág. 155; WALTER ZANINI, pág. 573; ARTE NO BRASIL, pág. 763; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

101 - CARLOS OSWALD - (1882 - 1971)
LL " O Gigante adormecido " - grav. 28 x 19 - cid
Reproduzido sob o n° 110 do livro "Carlos Oswald", do Museu Nacional de Belas Artes - Rio de Janeiro. -Gravador e pintor, ativo no Rio de Janeiro, estudou na Europa; foi o primeiro a fazer gravura em metal com finalidade artística; dedicou-se a temas religiosos, paisagens, cenas de gêneros e retratos. PONTUAL, pág. 397; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1053; ITAÚ CULTURAL.; WALTER ZANINI, pág. 446; Acervo FIEO.

102 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Embarcação - dn - 22 x 30 - cid
Desenhista, gravador, pintor e escultor, radicado na Bahia. Sua arte é lírica, de boa técnica, baseada no povo, que lhe forneceu o melhor da sua temática. PONTUAL, pág. 116; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 180 e 181; TEIXEIRA LEITE, págs. 111 e 112; MEC, vol.1, pág. 355; BENEZIT, vol. 2, pág. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717;ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

103 - GASTÃO FORMENTI - (1894 - 1974)
LL Flores - ose - 16 x 22 - cie
Pintor nascido em Guaratinguetá-SP. Após iniciar-se em arte com Pedro Strina, em São Paulo, foi residir no Rio de Janeiro, onde, com seu pai, dedicou-se à execução de vitrais. Recebeu medalhas de bronze e de prata no SNBA, do qual ainda participava em 1961. TEODORO BRAGA, pág. 98; WALMIR AYALA vol.1, pág.317; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

104 - CARLOS SÖRENSEN - (1928 - 2008)
LL " Girassóis " - tst - 65 x 50 - cid e d - 1999
Paulista de Baurú, Sorensen fez importantes estudos em Paris, onde a convite do governo francês, freqüenta o ateliê de André Lhote, onde conhece Picasso, Roonet e Fernand Léger e no ano seguinte freqüenta a Escola Superior de Belas Artes-Paris, estudando com Gleizes e André Lhote(1952-1953). Foi artista de múltiplas atividades, ceramista, tapeceiro, cenógrafo, ilustrador, arquiteto, designer e pintor, com sucesso de crítica e de público. Citado em Delta Larouse/1970, pág. 6406; MEC vol.4, pág. 309; PONTUAL, pág. 500, WALMIR AYALA vol.2, pág.347; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 306; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

105 - EDUARDO DALBONO - (1843 - 1915)
LL Menina - a - 20 x 13 - cid - 1878 - Paris
Pintor nascido em Nápoles, Itália. Sua formação artística foi em Roma com o pintor Marchetti. Ao retornar a Nápoles, aperfeiçoa-se com as orientações de Morelli e Mancinelli. Exposições: Parma (1871); Milão (1872); Turim (1880); Viena, Áustria (1874). Possui obra no Museu Revoltella, em Trieste. BENEZIT, vol.3, pág. 327. COMANDUCCI. ARTPRICE.

106 - ELISEU D´ANGELO VISCONTI - (1866 - 1944)
LL Velho - ost - 43 x 40 - cie - 1923 - Rio
Com carimbo da Galeria Jorge, no dorso. -Considerado o maior pintor que trabalhou no Brasil, nasceu na Itália, mas fez sua formação artística na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro e em Paris. Foi sucessivamente, realista, simbolista, adepto do Art Noveau e pós- impressionista, até chegar em algumas paisagens já quase no fim da vida, a uma síntese admirável de todos esses estilos e tendências. Sua obra-prima - e uma das obras- primas da arte brasileira de todos os tempos - é a decoração do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, principamente o friso do foyer, iniciado em 1914. TEODORO BRAGA, pág. 240/241; LAUDELINO FREIRE, págs. 515/ 133/ 151/ 510 e 512; BENEZIT, vol. 10, pág. 535; REIS JR., pág. 293 /300 /304 /371 /375/ 380/ 381/ 388/ 389; MEC, vol. 4, pág. 393; PONTUAL, pág. 543/544/545; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 422 e 423; MAYER/84, pág. 1252; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 420; ARTE NO BRASIL, pág. 553; LEONOR AMARANTE, pág. 42; Acervo FIEO; F. ACQUARONE, pág. 171.

107 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL Pássaro e ex-votos - ost - 73 x 50 - cie e d - 1980
Com dedicatória no dorso. -Natural de Carmópolis, SE. Pintor e desenhista. Radicado no Rio de Janeiro desde 1955. Em 1959 fez suas primeiras apresentações em coletivas. Estreou no SNAM, obtendo o prêmio de viagem ao exterior (1969). Pertencente àquele grupo de artistas que organizam seu trabalho em torno de valores culturais vindos da expressão popular, o artista assumiu como um dos temas de sua pintura a imagem do ex-voto., escultura religiosa de caráter popular e votivo. O ex-voto representa, para o artista, um ponto de partida na realização de uma paisagem brasileira sem conotações urbanas. É uma pintura em que o mundo dos homens é construído pelos homens e por suas criações. O artista empresta às figuras com que trabalha, os ex-votos, conotações de análise ideológica, e o faz sem palavras, apenas pela força da presença visual. Figurou em diversas coletivas nacionais e internacionais, conquistando prestigio de critica e público. MEC vol.3, pág.42; PONTUAL, pág. 330 e 331; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; Acervo FIEO.

108 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Dançarina - e em met - h = 140 - n/as.

109 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
LL Cavalgada - a - 23 x 28 - csd
Pintor, desenhista, gravador e professor, estudou com Axel Leskoschek no Rio de Janeiro. Participou da Divisão Moderna do SNBA (1947-1951). Foi um dos precursores do concretismo no Brasil, criando ao lado de Aluisio Carvão, Lígia Clark, Hélio Oitica e outros o Grupo Frente, que se manteve ativo de 1954 a 1956, inclusive com exposições no Rio de Janeiro. Ivan Serpa possui invejável e extenso curriculum de vida artística, passando de exposições coletivas, a grandes retrospectivas de sua obras. Há um reconhecimento nacional da importância de sua atividade, tratando-se de um dos grandes artistas nacionais. PONTUAL, pág 486; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 840; LEONOR AMARANTE, pág. 26; Acervo FIEO.

110 - PEDRO ALEXANDRINO - (1864 - 1942)
LL Paisagem - ost - 33 x 27 - cse
- Reproduzido no convite deste leilão.Pintor acadêmico, especializou-se em naturezas mortas; aluno de Almeida Junior, foi professor, entre outros, de Tarsila do Amaral, Anita Malfati e Aldo Bonadei. Segundo a festejada crítica e historiadora de arte, Ruth Sprung Tarasantchi, "Pedro Alexandrino (...) demonstrou ser o artista que, em sua época, a nossa sociedade demandava. Vinha suprir as necessidades dos colecionadores, pois seus quadros, de fácil leitura, satisfaziam os sentidos, não tendo que recorrer à cultura artística que não possuíam. Pintava com realismo objetos e frutas que faziam parte da vida ou das aspirações da sociedade paulistana; por isso, através de sua obra temos uma idéia do nosso meio no fim do século passado e até quase meados deste. Foi ele, mais do que qualquer outro pintor, que nos fez entrever o nosso meio provinciano, de pouca cultura, ao mesmo tempo que pretensioso, procurando afrancesar-se. " in: TARASANTCHI, Ruth Sprung. A vida silenciosa na pintura de Pedro Alexandrino. 1981. Dissertação (Mestrado) - Escola de Comunicações e Artes - ECA/USP, São Paulo, 1981. ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1039; TEIXEIRA LEITE, pág. 391/2; MEC, vol. 1, pág. 46; ITAU CULTURAL.

111 - HÉLIOS SEELINGER - (1878 - 1965)
LL Carnaval - osc - 19 x 16 - cie
Natural do Rio de Janeiro, seu pai era alemão e sua mãe brasileira, descendentes de franceses e gregos. O artista estudou na ENBA (1892-1896), onde foi aluno de Henrique Bernardelli. Recebeu influência do artista alemão Franz von Stuck, na Academia de Belas Artes de Munique, onde ali foram seus contemporâneos Kandinsky, Paul Klee e Franz Marc. SEELINGER decorou o salão nobre do Clube Naval do Rio de Janeiro, a convite do Ministério do Marinha (1910). PONTUAL, pág.481; TEIXEIRA LEITE, pág. 466; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 431; ARTE NO BRASIL, pág. 574.

112 - FANG, CHEN KONG - (1931)
LL Menino e pássaro - ose - 35 x 45 - cid - 1971
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 053 deste catálogo.

113 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
LL Paisagem - xilo. 25/110 - 30 x 40 - cie - 1966 - Paraguai
Paulista de Araraquara, Lívio foi exímio gravador, desenhista, pintor, jornalista e professor. Autodidata, executou suas primeiras gravuras em madeira por volta de 1926. Sofreu influência de Lasar Segall, focalizando desde então de modo expressionista tipos e paisagens dos subúrbios paulistanos, inclusive temas de caráter social, como indicou Sérgio Milliet em sua obra de 1940. O autor, certa feita, assim falou de si próprio: "Geralmente persisto em um mesmo motivo por longo tempo: trabalho-o até que me pareça haver esgotado todas as possibilidades que ele oferece. Jamais pensei em fazer 'paisagens'. O que procuro é interpretar o sentido e a problemática da natureza de uma terra, a força dos sentimentos que ela provoca em mim, e assim, quanto mais de acordo com a minha própria natureza, tanto mais imediata surge a interpretaçãop plástica, como sucedeu, por exemplo, com meu 'encontro' com as 'arquiteturas' da realidade íntima da terra paraguaia. PONTUAL, pág. 1, JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 19; MEC vol.1, pág. 33; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 795; LEONOR AMARANTE, pág. 28; Acervo FIEO.

114 - ZÉ CABOCLO - (1921 - 1973)
LL Ladrão de porco - e em br - h = 12 - b
José Antonio da Silva, natural do Alto do Moura, PE. É conhecido como o primeiro discípulo de Vitalino. Filho de louceira, desde criança modelava brinquedos de barro. Foi o caminho inicial para se tornar um dos mais conceituados bonequeiros de Alto do Moura. Trabalhava junto com seu cunhado Manuel Eudócio, irmão de sua mulher. Há várias criações referentes ao cotidiano sertanejo atribuídas aos dois parceiros. Zé Caboclo têm peças no acervo de importantes museus e coleções particulares: Museu do Barro, também conhecido como Espaço Zé Caboclo em Caruaru, PE; Museu do Homem do Nordeste no Recife, PE; Museu Casa do Pontal no Rio de Janeiro, RJ; Museu do Folclore Edison Carneiro no Rio de Janeiro, RJ e Museu da Chácara do Céu (Fundação Raymundo Castro Maya) no Rio de Janeiro, RJ. www.ceramicanorio.com, www.cultura.gov.br.

115 - HEITOR DOS PRAZERES - (1898 - 1966)
LL Serenata - ose - 33 x 43 - cid - 1960 - Rio
Com autenticação da família do artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho. -Compositor e pintor, iniciou-se na pintura em 1937. São seus temas preferidos o samba, favelas cariocas, mulatas e malandros. Participou da I Bienal de SP (1951), sendo nela premiado. Mostrou a sua obra em diversas exposições, no Brasil e no exterior. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.247; MEC. Vol.3, pág.400; WALMIR AYALA. Vol.2, pág.194; TEIXEIRA LEITE, pág.408; PONTUAL, pag.439; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.810; LEONOR AMARANTE, pág. 266; 673; Acervo FIEO.

116 - JOSÉ FERRAZ DE ALMEIDA JR. - (1850 - 1899)
LL Senhora - ost - 35 x 29 - ld - 1882
Com carimbo da Galeria Jorge, no dorso. -Nasceu em Itú, SP, 8/5/1850, e faleceu, assassinado em Piracicaba, em 13/11/1899. Foi aluno de Vitor Meirelles (pintura) e de Jules Le Chevrel (desenho), a Academia Imperial de Belas Artes, do Rio de Janeiro. Seu curso foi brilhante, tendo obtido 9 premiações. Foi pensionista do Império, aperfeiçoando-se na Europa. Pinta com singular maestria temas ligados ao homem do campo, retratos e paisagens rurais. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 49; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 418; ARTE NO BRASIL, pág. 566; F. ACQUARONE, pág. 89.

117 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Baianas - rel. em b - 46 x 91 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 102 deste catálogo.

118 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Galo - dn e a - 39 x 30 - cie - 1987
Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

119 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - g - 25 x 10 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 031 deste catálogo.

120 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL " Lampeão, ferros de passar, bulê e frutas - v e c e s/t - 55 x 75 - cie e d - 1980
- Reproduzido no convite deste leilão. Com etiqueta de Oscar Seraphico Galeria de Arte Ltda - Brasília/DF, no dorso. Reproduzido sob o n.° 277 do livro "Arte Brasileira: Cortes e recortes" de autoria de Frederico Morais, edição Soraia Cals, Rio de Janeiro. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 093 deste catálogo.

121 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Guerreiro - grav. 10/100 - 50 x 33 - cid
Grande desenhista e gravador, é sem dúvida um mestre de nível internacional. Tematicamente, habita um mundo de monstros e de cavaleiros andantes, íncubos e súcubos, animais fantásticos e rostos renascentistas, permanecendo deliberadamente arcaico, à sombra de seus queridos mestres alemães e italianos de fins da Idade Média. MEC, vol. 2, pág. 281/2; PONTUAL, pág. 249/50; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 645; ARTE NO BRASIL, pág. 803; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

122 - LUCIANO MAURICIO - (1925)
LL Composição - g - 40 x 50 - n/as.
Natural da cidade do Rio de Janeiro, onde é ativo. Pintor, desenhista e cenógrafo. Formou-se em pintura pela antiga ENBA. Recebeu menção honrosa em desenho e medalha de prata em arte decorativa no SNBA. Figurou ainda nos III, XI, XII, XIV e XV SNAM (entre 1954 e 1966), na VIII BSP (1965). Em 1955 lecionou no MASP. JULIO LOUZADA, vol. 1; TEIXEIRA LEITE, pág 292; MEC, vol. 3 pág. 107; PONTUAL, pág. 350.

123 - TOMÁS SANTA ROSA - (1909 - 1956)
LL Dama - g - 35 x 26 - cid
Pintor, gravador, cenógrafo e professor. Oriundo da Paraíba, onde nasceu, fixou-se no Rio de Janeiro, iniciando em 1930 sua bem sucedida carreira de ilustrador de obras de autores estrangeiros e brasileiros, que inclui, dentre outros, Graciliano Ramos, José Lins do Rêgo, Jorge Amado, Castro Alves e muitos outros. Sua obra tem reconhecimento nacional e unanimidade de crítica, havendo se destacado em todas as áreas das artes que praticou. PONTUAL, pág. 472; TEIXEIRA LEITE, pág. 460; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 572; LEONOR AMARANTE.

124 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL Paisagem urbana (Gasometro - SP) - ost - 36 x 45 - cie
Fez parte da Família Artística Paulista, grupo com o qual expôs. Notáveis foram suas paisagens, tendo José Geraldo Vieira afirmado ser ele "o pintor da paisagem paulistana". MEC, vol. 4, pág. 531; PONTUAL, pág. 557; TEODORO BRAGA, pág. 250; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 451; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 778; LEONOR AMARANTE, pág.38; Acervo FIEO.

125 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Carlitos - dn - 31 x 22 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 090 deste catálogo.

126 - TOMOSHIGUE KUSUNO - (1935)
LL Composição - tm - 64 x 43 - cid - 1963
Natural de Yubari, Japão. Pintor, desenhista e gravador. A obra do autor situa-se no limiar entre o formalismo e o objeto. Individuais a partir de 1976, coletivas internacionais em 1982, e premiações diversas. JULIO LOUZADA, vol.4, pág.1101; MEC, vol.2, pág.430 e 431; PONTUAL, págs.295 e 296; TEIXEIRA LEITE, pág.274; WALMIR AYALA, vol.1, pág.452; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 968; LEONOR AMARANTE, pág. 171, Acervo FIEO.

127 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Camponês - dc e p - 47 x 31 - cid - E.Noyé - 1889

128 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Torso - e em mar - h = 45 - d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 078 deste catálogo.

129 - MODESTO BROCOS Y GOMES - (1852 - 1936)
LL Muro de pedras - ost - 34 x 52 - n/as. - No estado
Com recibo de compra do Leiloeiro Oficial Irineu Angulo, datado de 5/5/1981,no dorso. - Pintor, desenhista, gravador e professor, nascido em Santiago de Compostela, Espanha, a 9 de fevereiro de 1852, e falecido na cidade do Rio de Janeiro, onde era radicado e ativo, no dia 28 de novembro de 1936. Era brasileiro naturalizado. Estudou com Vitor Meireles e Zeferino da Costa, na Academia Imperial de Belas Artes-RJ (até 1875). Em Paris estudou com Henri Lehmann. Em 1952, o MNBA-RJ organizou importante retrospectiva de sua obra, por ocasião do centenário do seu nascimento. JULIO LOUZADA vol.10, pág. 144; MEC vol.1, pág. 297; PONTUAL, pág. 91; TEIXEIRA LEITE, pág. 88; WALMIR AYALA vol.1, pág.134; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 418; 602.

130 - JOSÉ PANCETTI - (1902 - 1958)
LL Barcos - ostcm - 27 x 41 - cie - 1937
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 24/06/2009.Nasceu em Campinas e faleceu no Rio de Janeiro. Filho de italianos chegados a Campinas em 1891. Foi marinheiro por longos anos, tendo aprendido a sua arte a bordo dos navios. Era conhecido como o Pintor Marinheiro. Participou do Núcleo Bernardelli, no Rio de Janeiro, onde conviveu com Milton Dacosta, Ado Malagoli e João José Rescala. Participou do SNBA durante vários anos, recebendo premiações. Sobre o artista assim se manifestou Medeiros de Lima: " ... Juntamente com Alberto da Veiga Guignard, Alfredo Volpi e Lasar Segall, Pancetti retoma na pintura a melhor tradição da paisagística brasileira (...) Mas, de todos, Pancetti foi o que melhor soube captar a fôrça, a exuberância e a luminosidade litorânea brasileira" . TEODORO BRAGA, pág. 130; PONTUAL, págs. 403 e 404; MEC, vol. 3, pág. 332; REIS JUNIOR, pág. 383; ITAU CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 380; WALTER ZANINI, pág. 573; ARTE NO BRASIL, pág. 597; LEONOR AMARANTE, pág. 28.

131 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL " Saveiros " - a - 38 x 28 - cid
Reproduzido sob o n° 14 do álbum " Bahia em quinze estampas por Noemia ", prefácio de Murilo Mendes. O álbum acompanha a obra. -Pintora e desenhista. Assina Noemia. Realizou sua primeira individual em 1934, no Rio de Janeiro. Residiu na Europa de 1934 a 1940, frequentando em Paris as academias de la Grande Chaumière e Ranson. Expôs em Montevideu e Buenos Aires. Foi citada por REIS JUNIOR e TEODORO BRAGA. Foi aluna (1932) e mulher (1933) de Di Cavalcanti. MEC vol.3, pág. 265; WALMIR AYALA vol.2, pág.135; PONTUAL, pág. 375; TEIXEIRA LEITE, pág. 356; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 684. Acervo FIEO.

132 - INOS CORRADIN - (1929)
LL " Equilibrista em fundo escuro " - ost - 100 x 40 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 070 deste catálogo.

133 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL " Emblema 89 " - ast - 22 x 27 - d - 1989
Baiano de Salvador, autodidata, Rubem Valentin pinta desde meados de 1940. Sua primeira coletiva foi em 1949, no Salão Baiano de Belas Artes, do qual participaria outras vezes, recebendo premiações. Viveu no Rio de Janeiro e na Europa, fixando residência permanente em Brasil, DF, há mais de 20 anos. O artista assim explicava a sua arte: "Minha linguagem plástico-visual signográfica está ligada aos valores míticos profundos de uma cultura afro-brasileira (mestiça-animista-fetichista). Com o peso da Bahia sobre mim - a cultura vivenciada; com o sangue negro nas veias - o atavismo; com os olhos abertos para o que se faz no mundo - a contemporaneidade; criando os meus signos-símbolos procuro transformar em linguagem visual o mundo encantado, mágico, provavelmente místico que flui continuamente dentro de mim". PONTUAL, pág.532; WALMIR AYALA, vol.2, págs.395 a 397; TEIXEIRA LEITE, pág.517; MEC, vol.4, pág.443; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.330; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 257, Acervo FIEO.

134 - MANUEL GRACIANO - (1926)
LL Jacaré - e em mad. - h = 86 - b
Manoel Graciano Cardoso, escultor, é natural de Santana do Cariri/CE. Participou de vários Salões e exposições: em 1996, 2003 e 2005 - Porto Alegre, RS; em 2001 - São Paulo, SP; Rio de Janeiro, RJ; em 2002 - São Paulo, SP. ITAU CULTURAL.

135 - MIRA SCHENDEL - (1918 - 1988)
LL Composição - mon. - 47 x 22 - cid - 1964
Suíça, Mira imigrou para o Brasil em 1949, fixando-se inicialmente em Porto Alegre, onde fez pinturas e esculturas em cerâmica, nas quais assinava Mirra Hargesheimer, seu nome de casada. Realizou a sua primeira exposição individual, em 1952. Expôs em 1954 em São Paulo (MAM), para onde se transferiu. Participou de diversos salões, tais como o SPAM e Bienais de São Paulo, Córdoba e Veneza, obtendo premiações. A principio exclusivamente desenhista, com a utilização de signos, índices e símbolos, dedicou-se posteriormente à pintura, dentro da vertente minimalista que norteou toda a sua carreira. TEIXEIRA LEITE, pág. 464; JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 304; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 688; LEONOR AMARANTE, pág. 187.

136 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Girassóis - ost - 90 x 100 - cid e d - 2006
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 049 deste catálogo.

137 - MARGARITA FARRÉ - (1939)
LL Nu - e em b - h = 30 - as.
Com certificado de autenticidade da Galeria de Arte André. -Iniciou sua formação artística em 1973, com curso de desenho na FAAP, ali também estudando escutura com sob a orientação do professor Juan Godiño. Frequenta os atelier de Calabrone e Becheroni (1983 e 1984). Participa e realiza mostras coletivas e individuais a partir de 1984. JULIO LOUZADA, vol. 3 pág. 397.

138 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato amarelo - ast - 60 x 80 - cie e d - 2003
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista.- - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

139 - PEDRO WEINGÄRTNER - (1856 - 1929)
LL Velho - dn e g - 30 x 20 - cid
Pintor gaúcho de origem alemã, Weingärtner estudou no Brasil, Alemanha e Itália, residindo por longos anos na Europa. Ao retornar ao Brasil, dedicou-se a temática gauchesca, que lhe motivou os trabalhos mais sensíveis. Um dos pioneiros da gravura de arte no Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 343; BENEZIT, vol. 10, pág. 675; TEODORO BRAGA, pág. 246; REIS JUNIOR, pág. 220/224; MEC, vol. 4, pág. 506/507; LAUDELINO FREIRE, pág. 386; PONTUAL, pág. 551/552; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 438/439; MAYER/84, pág. 1268; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 443; ARTE NO BRASIL, pág. 560; RGS, pág. 402.

140 - JOSÉ ROBERTO AGUILAR - (1941)
LL " Macunaíma " - ost - 130 x 160 - cie - 73/74
Complemento de título: " Ao fundo da mata virgem nasceu Macunaíma. O herói de nossa gente.... Ai, que preguiça! ". Reproduzido no convite deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 30/06/2009. - Surgiu em 1963, quando expôs na VII Bienal de São Paulo. Autodidata. Participou de diversas e importantes exposições coletivas, ligado ao figurativismo expressionista e à pop-art. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág, 34. PONTUAL, pág, 6. MEC , vol 1, pág,40; TEIXEIRA LEITE, pág. 14; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág 734; ARTE NO BRASIL, pág 975; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.

141 - SYLVIO PINTO - (1918 - 1997)
LL Marinha - ose - 33 x 41 - cid
Freqüentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro, lá recebendo suas primeiras noções de desenho. Mais tarde, recebe lições do pai - o Pinto das Tintas. Conheceu Pancetti na casa paterna. Em 1938 estudou no Núcleo Bernardelli e a partir de 1940 dedica-se exclusivamente à pintura. Participou de vários Salões de Belas Artes, recebendo inúmeros prêmios. MEC, vol. 3, pág. 419, Acervo FIEO.

142 - JUAN MUZZI - (1949)
LL Composição - ast - 70 x 60 - cid e d
Com dedicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 040 deste catálogo.

143 - LIVRO -
LL -
1) ARTE POPULAR DE ALAGOAS por Tânia de Maya Pedrosa, ilustrado a cores e em preto e branco, 220 págs., Ed. Grafitex - Maceió - 2000; 2) MITOPOÉTICA DE 9 ARTISTAS BRASILEIROS - vida, verdade e obra, por Leilia Coelho Frota, ilustrado a cores e em preto e branco, 127 págs. Ed. Funarte - Rio de Janeiro - 1978; 3) ARTE INGENUA BRASILEIRA por Jacob Klintowitz, ilustrado a cores, 118 págs., Ed. Banco Cidade de São Paulo - 1985

144 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
ponto de nó, feito a mão, de lã, Pakistan Boukhara, medindo 1,23m x 1,74m = 2,14m². -

145 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem antropofágica - dl - 11 x 13 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

146 - MANEZINHO ARAUJO - (1910 - 1993)
LL Paisagem - ost - 27 x 22 - cie - 1969
Com apenas dezesseis anos de idade mudou-se para Recife, a fim de concluir seus estudos. Após cursar a escola de comércio de Pernambuco, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde foi buscar fama através da música, sua primeira paixão. Destacou-se como compositor e intérprete de música popular nordestina, o que lhe valeu a possibilidade de montar um restaurante de comida nordestina em SP, muito famoso durante vários anos, o Cabeça Chata. Apesar de viver, em SP, suas raízes ainda permanecem em Pernambuco. De uma forma autodidata começou a dedicar-se à pintura, retratando o folclore nordestino, sua gente, suas vidas, fase que sustentou até o seu desaparecimento, com uma menção surrealista. Expôs individualmente nas Galerias Astreia e Capela (SP), e na Ranulfo em Recife (1969). Em 1968, apresentado por Aldemir Martins, teve publicado o álbum de serigrafias Meu Brasil. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 56; MEC, vol. 1, pág. 109; PONTUAL, pág. 38; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 18; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 832; Acervo FIEO.

147 - JOSÉ PROCOPIO DE MORAES - (1929)
LL Peixes - a e p - 30 x 44 - cie - 1979
Natural e ativo na cidade de Santana do Parnaíba, SP, onde nasceu em 28 de abril de 1929. Pintor e desenhista, é considerado um dos mais importantes intérpretes da paisagem brasileira. Sua fama é decorrência das belas composições de suas naturezas mortas e das solenes paisagens das cidades históricas mineiras. JULIO LOUZADA, vol. 13, Pág. 273, Acervo FIEO. -

148 - ANTONIO PESSOA - (1943)
LL Par de esculturas - e em b - as.
1) Torso masculino, h = 9; 2) Torso feminino, h = 10; - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 045 deste catálogo.

149 - ANITA MALFATTI - (1896 - 1964)
LL Ramalhete de flores rosas - a - 39 x 29 - cid - Déc. 40
Com certificado de autenticidade firmado por Elisabeth Cecília Malfatti. -Proto-mártir do modernismo brasileiro, com sua mostra de 1917 em São Paulo, Anita Malfatti foi, no dizer de Dario da Silva Brito, o "estopim" da Semana de 1922. Recebeu prêmio de honra no Salão Paulista de 1934. Várias exposições coletivas e individuais como: Anita Malfatti no Museu de Arte Brasileira - FAAP. BENEZIT, vol. 7, pág. 118; TEODORO BRAGA, pag. 151/2; MEC, vol. 3, pág. 45; PONTUAL, pág. 332/3; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 33 e 35; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 478; ARTE NO BRASIL, pág. 652; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

150 - JAIR GLASS - (1948)
LL Figura - tm - 18 x 21 - cse - 1977
Com etiqueta de Galeria Paulo Prado, no dorso. -Pintor e desenhista natural de São Paulo-SP. Estudou desenho e plástica na Faculdade de Belas Artes de São Paulo. Expõe individualmente desde 1977 e coletivamente a partir de 1973. JULIO LOUZADA vol. 3 pág. 461; ITAU CULTURAL.

151 - VINCENZO IROLLI - (1860 - 1942)
LL Natureza morta - ost - 45 x 56 - cid
Italiano, o pintor nasceu em Nápoles. Sua obra tem como temática principal os fatos históricos. Expôs em Nápoles, Milão e Veneza. Acervos: Palais de Beaux Arts em Paris e Museu de Mulhouse, França. JULIO LOUZADA vol.5, pág. 504; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 1203; BÉNÉZIT vol 5 pág 728

152 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
LL Rosto - dn - 60 x 40 - cid - 1961
Pintor e desenhista figurativo, integrou o Grupo Santa Helena, juntamente com Volpi, Zanini e outros, e foi um dos organizadores e expositores do I Salão da Família Artística Paulista; suas figuras seguem a disciplina cubista da organização do espaço, destacando-se uma série de Músicos; dedicou-se a pinturas murais e à ilustração de obras literárias. MEC, vol. 2, pág. 280; PONTUAL, pág. 247/8; TEIXEIRA LEITE, pág. 225 a 227; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 784; LEONOR AMARANTE, pág. 58; Acervo FIEO.

153 - GIANCARLO ZORLINI - (1931)
LL Paisagem - osm - 19 x 45 - cid - 1974
Médico de profissão, iniciou-se autodidaticamente na pintura, em 1962. É filho do escultor e pintor Ottone Zorlini. Participou diversas vezes do Salão Paulista de Belas Artes, nele recebendo diversas premiações. Sua pintura tem como tema predominante a paisagem. JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 124; MEC vol.4, pág.534; PONTUAL, pág. 559; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

154 - YUGO MABE - (1955)
LL Composição - ost - 60 x 50 - cie e d - 1987
Pintor nascido na cidade de Lins-SP. Formou-se em comunicação pela FIAM-São Paulo em 1977. Filho do pintor Manabu Mabe (1924-1997). Começa a participar de mostras coletivas no início da década de 70 e é premiado nos Salões Bunkyo, em 1972 e 1975, e Paulista de Belas Artes, em 1975 e 1982. Em 1980, realiza sua primeira exposição individual, na Documenta Galeria de Arte, em São Paulo. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 360

155 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Casario - ost - 49 x 65 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 034 deste catálogo.

156 - MACIEJ ANTONI BABINSKI - (1931)
LL Na janela - a - 24 x 16 - csd - 1970
Natural de Varsóvia, Polônia, viveu sucessivamente na Inglaterra e no Canadá, radicando-se em 1953 no Brasil. Antigo aluno de Maurice Denis em Paris, e expoente da pintura abstracionista canadense. Babinski foi colega de Goeldi, de quem adotou a linguagem expressionista. Esplêndido gravador. Atualmente vive é ativo no Ceará. TEIXEIRA LEITE, pág. 48; PONTUAL, págs. 46 e 47; MEC, vol. 1, pág. 157; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 69; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 24; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 903, Acervo FIEO.

157 - FRANCISCO MANNA - (1879 - 1943)
LL Pedra de Itapuca - ost - 22 x 25 - cie
Pintor e desenhista italiano, natural da Sicilia, onde nasceu a 15 de julho de 1879. Chegou ao Brasil com oito anos de idade, fixando-se com a família em Porto Alegre. Recebeu aulas de do artista italiano Romualdo Pratti. Seguiu para a Itália em 1901, onde cursou a Real Academia de Roma. No Rio de Janeiro, a partir de 1903, passou a frequentar como aluno livre as aulas de João Zeferino da Costa, Henrique Bernardelli e João Baptista da Costa, na Escola Nacional de Belas Artes. Recebeu o prêmio de viagem ao estrangeiro, mas não pode desfrutá-lo, haja vista sua condição de estrangeiro. MEC., vol.3, pág.47; PONTUAL, pág.334; WALMIR AYALA, vol.2, pág.37; TEIXEIRA LEITE, pág.306.; ITAÚ CULTURAL.

158 - PERCY LAU - (1908 - 1972)
LL Vendedor de frutas - dn - 23 x 15 - cid
Pintor e desenhista, Percy Lau foi artista sensível, mas não esqueceu o lado documental de sua profissão. BENEZIT, vol.6-pág.472; TEODORO BRAGA, pág. 192; PONTUAL- págs 300/01; MEC, vol. 2, pág. 443; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 602; ARTE NO BRASIL, pág. 879, Acervo FIEO.

159 - MARIA LUIZA LEÃO - (1932)
LL " Depois da chuva " - astce - 46 x 33 - cie e d - 1979
Pintora e desenhista, nasceu na cidade do Rio de Janeiro RJ, onde iniciou seus estudos de pintura e foi aluna de Rodolfo Chambelland. Em 1955 freqüentou o ateliê de Candido Portinari, estudando posteriormente desenho e pintura com Bianco e gravura em metal com Johnny Friedlaender e Rossini Perez no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ. Expõe individualmente a partir de 1965 (Galeria Goeldi-RJ), seguindo inúmeras mostras coletivas em salões oficiais. "As naturezas-mortas, os interiores, os barcos de Maria Luiza Leão Litsek, as suas cores e as suas pinceladas, apresentam por vezes ecos longínquos de grandes mestres de um passado ainda recente. Mas o mundo é dela, e a maneira de encará-lo. Não se trata - como tão frequentemente o vemos agora - da adaptação mais ou menos bem-sucedida de uma tendência e de um mundo frequente e completamente alheios ao temperamento e ao modo de pensar dos jovens artistas. Trata-se simplesmente de uma pintora com uma vocação autêntica, uma vocação disciplinada por conhecimento. Uma pintora que tem algo a dizer, sabe como dizê-lo, e fala com franqueza e sinceridade." BERKOWITZ, Marc. JULIO LOUZADA, vol. 7, pág. 390; ITAU CULTURAL.

160 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 10 x 17 - cie
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

161 - MANOEL MENACHO - (1926)
LL Paisagem - dl - 34 x 50 - cie - 1978
Com estudo no dorso. -Pintor e gravador ativo em São Paulo, SP, onde participa desde 1959 de vários Salões, entre eles SPBA (1959), Salão de Belas Artes de Santos (1970/1971) e tantos outros. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 223, Acervo FIEO.

162 - HUGO ADAMI - (1900 - 1999)
LL Composição - ost - 40 x 50 - cie e d - 1977
Pintor. Fez estudos artísticos em Florença e Paris. O artista participou da Bienal de Veneza e do Salão das Tulheries em Paris. Destacou-se como um dos nossos melhores paisagistas. TEODORO BRAGA, pág. 120; PONTUAL, pág. 3; REIS JUNIOR, pág. 380; MEC, vol. 1, pág. 36; WALMIR AYALA, vol. 1 , pág. 11; TEIXEIRA LEITE, pág. 13; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 580; ARTE NO BRASIL, pág. 777; ACERVO FIEO, pág. 998.

163 - MÁRIO CRAVO NETO - (1947)
LL São Francisco - grav. 12/50 - 40 x 30 - cid - 1970
Fotógrafo, escultor e desenhista natural de Salvador, Bahia. Recebeu as primeiras orientações no campo do desenho e da escultura de seu pai, Mario Cravo Júnior . Acompanhando o pai, viaja para Berlim em 1964, onde mantém contato com o artista italiano Emilio Vedova e com o fotógrafo Max Jakob. Em 1968, muda-se para Nova York e estuda na Arts Students League, com orientação de Jack Krueger. Nesse período, realiza a série de fotografias em cores On the Subway e produz suas primeiras esculturas de acrílico. Retorna ao Brasil em 1970, realizando trabalho fotográfico com temática relacionada ao candomblé e à religiosidade católica. Publica diversos livros ligados à sua arte. Recebeu o Prêmio Nacional de Fotografia da Fundação Nacional de Arte - Funarte, em 1996, o Price Waterhouse, no Panorama da Arte Brasileira do Museu de Arte Moderna de São Paulo - MAM/SP, em 1997; e o prêmio de melhor fotógrafo do ano da Associação Paulista dos Críticos de Arte - APCA, São Paulo, em 1980, 1995 e 2005. Expõe individualmente desde 1965 e coletivamente a partir do ano seguinte. JULIO LOUZADA, vol. 13I, pág. 97; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.787; ARTE NO BRASIL, pág. 972; LEONOR AMARANTE, pág. 206.

164 - JULIO CESAR BRIGATO - (XX)
LL " Bolinha de gude " - ost - 30 x 40 - cid e d - 2008
Assina Júlio. Natural de Rio Claro, SP. Aluno do artista plástico Delima Medeiros e do pintor Rocco Caputo. Participa de várias exposições pelo interior do estado de São Paulo. Ganhou o concurso Capa Listel – Listas Telefônicas S/A de Rio Claro e região em 1995 e 1996. Possui obras no acervo da Secretaria de da Cultura de Rio Claro, SP e na Embaixada Brasileira em Buenos Aires, Argentina. JULIO LOUZADA, vol.10, pág.457 e 458.

165 - MARIA GILKA - (1934)
LL Natureza morta - ost - 50 x 40 - cid - 1994
Pintora e ceramista natural de São Paulo, Capital. Foi aluna de desenho de B. Madureira, de cerâmica com Armando Sendin, de pintura em porcelana com Mário Watanabe, de tapeçaria com Adélia Schwartz e de óleo sobre tela com Jane Blumberg, Salvador Rodrigues Junior e Arlindo Castellani di Carli. Suas obras são figurativas, retratam pessoas com um estilo impressionista avançado e expontâneo, captando o espírito que está presente no modelo. É de temperamento irriquieto, mas perfeccionista dentro das regras clássicas do desenho. Individuais em 1992 e coletivas a partir de 1971, com diversas premiações. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág.679

166 - ROSSINI PEREZ - (1932)
LL Composição - grav. 1/20 - 5 x 23 - cid
Gravador e pintor, Rossini Quintas Perez nasceu em Macaíba-RN, mudando-se com a família para o Rio de Janeiro em 1940. Em 1951, freqüenta a Associação Brasileira de Desenho e tem aulas com o pintor Ado Malagoli. Após visita à 1ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1951, interessa-se pela gravura. Recebe orientação de Oswaldo Goeldi, Iberê Camargo e, em 1953, de Fayga Ostrower. É assistente de Johnny Friedlaender, com Edith Behring, no Ateliê de Gravura do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, no qual leciona entre 1959 e 1961. No ano seguinte, aperfeiçoa-se em litografia na Rijksakademie, em Amsterdã, como bolsista da Unesco. Reside em Paris de 1962 a 1972. De volta para o Brasil, leciona no Centro de Criatividade da Fundação Cultural do Distrito Federal em 1978. No Rio de Janeiro, entre 1983 e 1986, volta a dar aulas no Ateliê de Gravura do MAM/RJ. "Diante da guerra aberta entre o figurativo e o abstrato, Rossini Perez vai a São Paulo conhecer a 1ª Bienal, trocando, em seguida, a pintura pela gravura. Tal opção deve-se ao seu desejo de ingressar na arte abstrata. Nos anos em que ensina no MAM, resolve suas gravuras com ponta-seca ou combinando diversas técnicas do metal. Constrói composições, contrastando áreas claras e áreas escuras. Essas áreas são, a um tempo, afrontadas e fusionadas, já que cada uma delas tem na outra algo do seu próprio elemento gráfico. Assim, Rossini Perez dá ritmo às composições e as aplaina. Suas gravuras são planejadas; freqüentemente, todavia, são modificadas no processo por lance espontâneo e por acidentes da técnica. Segue esse procedimento mesmo nos trabalhos que faz na Europa, por mais de dez anos, após ter deixado o MAM." Leon Kossovitch e Mayra Laudanna, in: GRAVURA: arte brasileira do século XX. Apresentação Ricardo Ribenboim; texto Leon Kossovitch, Mayra Laudanna, Ricardo Resende. São Paulo: Itaú Cultural: Cosac & Naify, 2000. p. 18. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 807; ITAU CULTURAL.

167 - NILTON ZANOTTI - (1945)
LL Natureza morta com lampião - ast - 40 x 50 - cid e d - 1998
Natural de São Paulo, Capital, onde iniciou seus estudos artísticos com 17 anos. Cursou a APBA e foi desenhista publicitário. Obteve novos conhecimentos artísticos com o pintor Franulic. A partir de 1983, seus trabalhos adquiriram um estilo próprio e de formas definidas como " Luas" . Expõe regularmente, com sucesso de crítica e de público. JULIO LOUZADA vol.2, pág.1083, Acervo FIEO.

168 - VERA SABINO - (1949)
LL " Justiça " - ose - 70 x 50 - cie
Desenhista e pintora, natural de Florianópolis, SC. Participou de cursos com Guido Viaro, em Curitiba, e com Catarina Baravelli, no Rio de Janeiro. Exposições individuais: Florianópolis, SC (1968 a 1970, 1973, 1980, 1981, 1983, 1988); Brasília, DF (1970); Rio de Janeiro, RJ (1973); Joinville, SC (1983); Curitiba, PR (1983, 1984). Coletivas: Curitiba, PR (1969, 1970, 1978, 1980, 1984); Campinas, SP (1970); São Paulo, SP (1971, 1984, 1993, 2003, 2004); Niterói, RJ (1972); Florianópolis, SC (1974, 1979, 1980, 1983 a 1988, 1991, 1993 1996, 1998, 1999, 2000, 2002, 2004, 2005); Brasília, DF (1974); Lages, SC (1984); Blumenau, SC (1975, 1985); Camboriú, SC (1977, 1979, 1998); Joinville, SC (1978); Buenos Aires, Argentina (1995); Juiz de Fora, MG (1998, 2002); Itajaí, SC (2002); São José, SC (2002); Arquipélago dos Açores (2004); Honfleur, França (2004); Toulon, França (2006). Prêmios: Brasília, DF (1964); Curitiba, PR (1969); Camboriú, SC (1979). JULIO LOUZADA, vol.3, pág. 1003; vol.5, pág.912; vol.10, pág. 778.

169 - ACAE - (1949 - 1989)
LL Menina - ostce - 50 x 37 - cid
Antonio Caetano nasceu em Jacuí, MG e faleceu no Embu, SP. Autodidata, participou de várias exposições coletivas. ITAU CULTURAL.

170 - DÁRCIO LIMA - (1951 - 1993)
LL Figura e cão - tm - 30 x 30 - cid - 1983
Nascido D. Raphael Leão de Bragança e Aragão dos Castro Lima, era original de São Paulo (27/7/1951), onde também faleceu (7/11/1993). Foi pintor, desenhista, gravador e fotógrafo. Participou de inúmeras exposições coletivas no Brasil e no estrangeiro, com imenso sucesso de público e de crítica. JULIO LOUZADA vol. 13 pág. 193; ITAÚ CULTURAL.

171 - ALOYZIO ZALUAR - (1937)
LL " Rio de areia " - ase - 31 x 34 - cie - 1982
Reproduzido sob o n.° 319 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro. -Natural da cidade do Rio de Janeiro. Passou a frequentar a antiga ENBA em 1956. Participou de diversos SNAM entre 1958 e 1967, recebendo a Certificado de Isenção em 1966. Expõe individualmente a partir de 1964. TEIXEIRA LEITE chamou atenção, em 1964, para a influência de Goeldi nos seus trabalhos que, mais tarde, abordaram a temática do carnaval carioca, levando o artista e poeta José Paulo Moreira da Fonseca a situá-lo na fronteira entre o desenho e a pintura. ITAÚ CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 349; MEC, vol. 4, pág. 528; PONTUAL, pág. 556; ACERVO FIEO, pág. 785. Acervo FIEO. -

172 - FRANCISCO REBOLO GONSALES - (1903 - 1980)
LL Paisagem - lito. 33/70 - 35 x 50 - cid
Grande pintor paulistano, um dos principais membros do Grupo Santa Helena e da Família Artística Paulista, Rebolo é acima de tudo um paisagista de colorido suave e desenho sensível. MEC, vol. 4, pág. 28/29; TEODORO BRAGA, pág. 202/3; PONTUAL, pág. 447/448; REIS JR., pág. 382; TEIXEIRA LEITE, pág. 433/434/435.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; LEONOR AMARANTE, pág. 13; ARTE NO BRASIL; Acervo FIEO.

173 - CELMO RODRIGUES - (1928)
LL Paisagem - ose - 16 x 27 - cid
Pintor nascido em Niterói -RJ, foi aluno de Bráulio Poiava, um dos fundadores do Núcleo Bernardelli ( 1931 a 1942 ) Expositor no Salão Nacional de Belas Artes, premiado nos anos de 1968 e 1972. JULIO LOUZADA vol. 1 pág. 832.

174 - JOSÉ MARIA DA SILVA NEVES - (1896 - XX)
LL " Ponta da praia - Santos " - a - 33 x 48 - cid - 1972
Pintor, arquiteto e professor ativo em São Paulo. Participou do São Paulista de Belas Artes, onde obteve prêmios por diversas vezes. Pintor de natureza morta, paisagem e retratos. É autor da decoração do teto da Capela-Mor da Igreja do antigo convento de Sta Tereza, nas Perdizes/SP. MEC, vol.3, pág.260; JULIO LOUZADA, vol.6, pág.1060, Acervo FIEO.

175 - GIOVANNI OPPIDO - (1907 - 1988)
LL Paisagem - ose - 50 x 40 - cid
Explorou com singular beleza e sensibilidade a fauna e paisagens do interior deste estado; figurou em diversas coletivas, tendo recebido prêmios e menções honrosas. O pintor foi ativo em São Paulo. MEC, vol.3 , pág. 301; JULIO LOUZADA, vol. 5, pág.768; Acervo FIEO.

176 - KASUO WAKABAYASHI - (1931)
LL " Flores no vermelho ' - ser. P.A. 2/10 - 50 x 50 - cid - 2004
Pintor natural da cidade japonesa de Kobe. Inicia seus estudos na Escola Técnica de Hikone, em Shiga (Japão), em 1944. Em 1946, inicia aprendizado de pintura a óleo. Torna-se membro do Grupo Babel, composto por Rokuichi, Kaibara, Ko Nishimura e outros. Em 1952 monta seu atelier. Em 1961, vem para o Brasil e radica-se em São Paulo, onde integra-se ao Grupo Seibi. Em 1966, é convidado para ser membro do júri do 10º Salão do Grupo Seibi de Artistas Plásticos, salão em que ganha a Grande Medalha de Ouro, na edição de 1963. Em 1968, naturaliza-se brasileiro. Entre 1963 e 1967, participa de várias edições da Bienal Internacional de São Paulo, recebendo o Prêmio Aquisição do Itamarati na 9ª edição. Em 1984, participa da exposição itinerante por Europa e América, Mestres do Abstracionismo Brasileiro; em 1994, participa da Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal de São Paulo. Em 2001, realiza exposição individual comemorativa dos seus 70 anos, na A Galeria em São Paulo. TEIXEIRA LEITE, pág. 540; PONTUAL, pág. 550; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 939, Acervo FIEO.

177 - JOSÉ MARIA BAÑOS - (XX)
LL Mulheres - ost - 50 x 40 - cid e d
JULIO LOUZADA, vol. 12 pág. 35

178 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Praia da Urca " - ost - 20 x 40 - cid e d - 2009
Paulistano, o pintor nasceu em 10/5/1965. Estudou na APBA-SP, onde desenvolveu curso de desenho e pintura, frequentado sessões de modelo vivo. Individuais desde 1989 e coletivas em Salões Oficiais, com sucesso de crítica. Recebeu diversos prêmios. JULIO LOUZADA, vol.13, pág. 304; Acervo FIEO.

179 - NEWTON CAVALCANTI - (1930 - 2006)
LL Figura - grav. P.A. - 36 x 20 - cie
Gravador, pintor, aquarelista, ilustrador, natural de Bom Conselho-PE. Inicia seus estudos nos ateliês de Raimundo Cela e de Oswald Goeldi. Em 1954, ingressa na Escola de Belas Artes da Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Entre 1973 e 1975, viaja para a Europa, onde participa de cursos e estágios na Inglaterra, na Itália e na Alemanha, patrocinado pela Fundação Brasileira de Educação e pelo governo alemão. Participa de exposições como o Salão Nacional de Arte Moderna, várias edições entre 1958 e 1972; Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1963 e 1985; Bienal de Paris, 1963; Brazilian Art Today, na Noruega, Áustria, Suécia e Inglaterra, 1965 e Mostra Rio Gravura, Rio de Janeiro, 1999. JULIO LOUZADA vol.9, pág.192; TEXEIRA LEITE, pág. 115; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 850.

180 - MILTON MARIANO DA SILVA - (1943)
LL " Boiadeiros " - ost - 38 x 46 - cid e d
Pintor, desenhista e artista gráfico, natural da cidade mineira de Varginha. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios no período de 1965 a 1968, época em que tornou-se desenhista publicitário e diagramador. Recebeu influência de Antonio Maia, Laerpe Motta e Sami Mattar, artistas com quem conviveu. Sua obra retrata paisagens da infância e adolescência, com cromatismos quentes, mostrando o movimento de montanhas e serras de Minas Gerais. Expôs individualmente em 1974 e participa de coletivas desde 1968. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 682

181 - JAMES CHRISTIAN - (XX)
LL Barcos - ost - 40 x 60 - cid - 2008
Com certificado de autenticidade do autor. -Pintor. Foi aluno de Durval Pereira e participou de diversas exposições coletivas e Salões oficiais. www.jameschristian.com.br.

182 - HELIO CASTRO - (XX)
LL Barcos - ost - 40 x 50 - cie
Excepcional pintor de paisagens e marinhas, dono de refinada técnica e composição, com inspiração nas escolas européias.

183 - FRANCISCO BRENNAND - (1927)
LL Carro - psa - 10 x 10 - n/as.
Pintor e ceramista. Estudou com André Lhote e Fernand Léger, em Paris. Participou de importantes bienais e salões, nacionais e internacionais. Realizou individuais de pintura e cerâmica no MAM-SP em 1960 e outras importantes salas de arte. Executou trabalhos murais em edifícios públicos e particulares no Recife e no estrangeiro. Suassuna considerou a sua pintura "bela, forte e brasileira". Brennand é referência mundial como artista puramente brasileiro. JULIO LOUZADA, VOL, 10, pág 141. PONTUAL, pág, 88. MEC, VOL , 1, pág, 294; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; ARTE NO BRASIL, pág. 879. Acervo FIEO. -

184 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 11 x 15 - cid - 1945
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 002 deste catálogo.

185 - ALFREDO VOLPI - (1896 - 1988)
LL Composição - ser. 73/200 - 34 x 50 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 003 deste catálogo.

186 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Peixes - ser. 87/1000 - 46 x 37 - cid - 1960
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

187 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 12 x 18 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 002 deste catálogo.

188 - ALFREDO VOLPI - (1896 - 1988)
LL Fachada - grav. 101/200 - 47 x 34 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 003 deste catálogo.

189 - IZIDRO URIACH LOPES - (XX)
LL Paisagem - ost - 60 x 80 - cid
Assina Uriach. Pintor que tem participado de inúmeras exposições e Salões oficiais. JULIO LOUZADA, vol. 6, pág. 1138.

190 - ADAM HENDLER - (1909 - 1981)
LL Estudo de nu - dl - 20 x 13 - cie e d - 1953 - Paris
Pintor polonês, radicou-se no Brasil, adquirindo a cidadania brasileira em 1977. Estudou com André Lhote. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 464, Acervo FIEO.

191 - GILBERTO TROMPOWISKY - (1912 - 1982)
LL Leitura - a - 32 x 23 - ci - 1931
Pintor, nascido provavelmente em Florianópolis, SC, foi muito cedo para o Rio, onde passou a frequentar posteriormente a antiga ENBA e aparticipar do SNBA. Executou diversos retratos de figuras da sociedade carioca. Coube-lhe criar, por diversas, a decoração para os bailes carnavalescos do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. JULIO LOUZADA, vol. 11 pág.326

192 - ATÍLIO BALDOCCHI - (1901 - 1984)
LL " Poça d' água " - osc - 17 x 25 - d - 1939
WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 70/71; MEC, vol. 1, pág. 159; PONTUAL, pág. 47; JÚLIO LOUZADA, vol. 3, pág. 81; ITAÚ CULTURAL.

193 - GUSTAVO ROSA - (1946)
LL " Árvore " - lito. 122/150 - 56 x 38 - cid - 1978
Grande pintor paulistano, ganhador de muitos prêmios em Salões Oficiais. Tem exposto regularmente no Brasil e no exterior com grande sucesso. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 274; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

194 - ERICO DA SILVA - (1932 - 2004)
LL " Amar o mar " - ost - 60 x 60 - cie e d - 1997
Nascido em Itajaí, SC. Participou de diversos salões nacionais de arte moderna, recebendo diversas premiações, inclusive de aquisição. A partir de 1970 realiza pesquisas no campo do objeto. JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 299; PONTUAL pág. 491; MEC vol. 4, pág. 249; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

195 - INGRES SPELTRI - (1940)
LL " Nove bandeirinhas vermelhas " - osm - 73 x 100 - cid e d - 1999
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 010 deste catálogo.

196 - PAULO EDUARDO SAYEG - (1960)
LL Composição - dn e a - 47 x 65 - cid - 1988
Pintor, desenhista e gravador paulistano. Ativo em São Paulo, onde realizou diversas exposições individuais e assíduas participações em coletivas. Em 1987, foi considerado pela APCA, como o Melhor Desenhista do Ano. JULIO LOUZADA vol.3, pág.1032, Acervo FIEO.

197 - IRISNEY BOSCO LUCAS DOS SANTOS - (1952)
LL " Lua de São Jorge " - ast - 72 x 91 - cie e d - 1989
Com etiqueta do 8° Salão de Artes Plásticas de Rio Claro. Este quadro recebeu menção honrosa (pintura contemporânea) no 6° Salão de Belas Artes de Mocóca no dia 15 de Outubro de 1989. -Natural de São Paulo, SP. Assina Irisney. Participou de diversos Salões e exposições oficiais em: São Paulo, SP (1994, 1996, 1997, 1999, 2000, 2001); Rio Pardo, RS (1989); Rio Claro, Bragança e Grande ABC, SP (1990); Praia Grande e Piracicaba, SP (1997). Individual: São Paulo, SP (1994). Prêmios: Mococa, SP (1989); São Paulo, SP (1994 a 1997, 1999, 2000). JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 440; vol.13, pág.172.

198 - MARIO GRUBER - (1927)
LL Figuras - lito. P.A. - 31 x 44 - cid
Pintor e gravador, Gruber é um dos principais artistas de São Paulo desde quando, ainda muito jovem, tomou parte no Grupo dos 19. PONTUAL, pág. 253; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 370; MEC, vol. 1, pág. 466; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 448; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.649; ARTE NO BRASIL, pág. 803; LEONOR AMARANTE, pág. 376; Acervo FIEO.

199 - LUIZ CASSEMIRO DE OLIVEIRA - (1942)
LL Paisagem rural - ast - 60 x 80 - cid
Natural de Conchas, SP, onde nasceu a 7 de setembro. É formado pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo. Sua temática alicerça-se em transparências e construções pictóricas, seccionadas por juções formais contrastantes, ... " manipulando a imagem campestre com firmeza, evidenciando numa forte construção pictórica, sua imaginação descontraída." (J. Henrique Fabre Rolim). Expõe desde 1972. JULIO LOUZADA, vol. 2 pág. 245

200 - MARIA TEREZA LOURO - (1963)
LL Composição - ost - 90 x 100 - cse e d
Maria Tereza Figueiredo das Neves Louro, nasceu na cidade de São Paulo-SP, a 10 de março de 1963. Pintora, desenhista e professora, fez curso de Licenciatura Plena em Educação Artística na FAAP-SP. Segundo observou Rejane Lassandro Cintrão, "... O desenho é o ponto de partida no trabalho de Maria Tereza. Desenho como meio de perceber a vida antes de representá-la." Individuais a partir de 1990 (Galeria do SESC-SP e Pinacoteca do Estado-SP); e coletivas a partir de 1983. Recebeu prêmio da II Bienal Nacional de Santos-SP (1993). Obras em acervo do Museu de Arte de Santos-SP, Fundação Nacional de Arte-RJ, Museu de Arte Nara-Japão, MAC-Japão, etc JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 508

201 - VITTÓRIO GOBBIS - (1894 - 1968)
LL " Mercado São João " - grav. 498/500 - 26 x 37 - cid - 1954
Natural de Treviso, Itália. Iniciou seus estudos na terra de origem, tendo após fixado residência em São Paulo, onde foi pintor atuante. Obteve diversas premiações nos Salões Paulistas, no SNBA e no Salão Paulista de Arte Moderna. Participou da I e II Bienais de São Paulo. O MNBA e o MASP possuem obras deste festejado pintor. MEC, vol.2, pág.271; TEIXEIRA LEITE, pág. 220; PONTUAL, pág.240; WALMIR AYALA, vol.1, pág.350; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 777, Acervo FIEO.

202 - PAULO PRADO NETO - (1919)
LL " Midi San IX " - ost - 80 x 100 - d - 1970
No estado. -Paulistano e autodidata. Recebeu a pequena medalha de prata no Salão Paulista de Arte Moderna de 1966, participando também dos I, II e III SACC (de 1965 a 1967), XVI SNAM (1967) e da IX Bienal de São Paulo. Realizou exposições individuais nas galerias Astréia (1965) e KLM (1967), de São Paulo, Geraldo Ferraz disse a respeito de sua pintura, em 1965: " No desenvolvimento técnico o pintor é principalmente um colorista, dado que seus desenhos são sumários - é a cor que os preenche e os faz viver, de uma vivência que adquire até o dificílimo tom da intimidade aconhegada." PONTUAL pág. 438; ARTE NO BRASIL, pág. 672.

203 - WALDOMIRO SANTANA - (1952)
LL Interior - ose - 72 x 88 - cid
Pintor e professor, Waldomiro de Freitas Sant'Anna nasceu na cidade paulista de Itápolis. Estudou na Escola de Belas Artes de São Paulo e na Escola de Artes Plásticas da Associação de Ensino de Ribeirão Preto, com Bassano Vaccarini e Pedro Manoel Gismondi. De 1977 a 1981, leciona desenho e pintura para os cursos de educação artística e arquitetura da Universidade Estadual de Londrina, no Paraná. É um dos fundadores da Vila dos Artistas de Osasco, em São Paulo. Entre as exposições de que participa, destacam-se: Salão de Arte Jovem, na União Cultural Brasil-Estados Unidos, Santos, 1973; Bienal Nacional, São Paulo, 1976; Exposição Ribeirão Preto, no Paço das Artes, São Paulo, 1984; Mostra Comemorativa do Cinqüentenário de Londrina - Sala Especial, Paraná, 1984, Mostra Individual, na Galeria Itaú Cultural, Ribeirão Preto, 1981; Mostra Coletiva, na Galeria Itaú Cultural, Ribeirão Preto, 1984/1986; Mostra Festa Junina, São Paulo, 1984/1987. ITAÚ CULTURAL.

204 - AÉCIO DE ANDRADE - (1935)
LL Bahia - ast - 60 x 60 - cie
Pintor natural de São Paulo, Capital. Passou pelo gênero impressionista no inicio da carreira, e depois para uma fase mais pessoal. Aborda temas populares brasileiros. Possui obras nos Museus das cidades de Americana, Matão, Assis, Guararapes, e em Penápolis. Começou a expôr em 1968, tendo participado de diversas mostras no País e no exterior, conforme relaciona a bibliografia abaixo. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 33

205 - BELMONTE, BENEDITO BASTOS BARRETO - (1887 - 1947)
LL Paisagem - a e p - 23 x 29 - cid - 1938
Com dedicatória. -Nascido em São Paulo. Desenhista, caricaturista e jornalista. Depois de estrear na imprensa ilustrada em 1912, popularizou-se com a criação do personagem Juca Pato, na Folha da Noite, de São Paulo. Na Folha da Manhã , de São Paulo, apresentou, de 1936 em diante, diversas caricaturas de campanha contra o nazismo. Além dos álbuns de desenhos que publicou - como Angústias do Juca Pato (1926), O Amor através dos Séculos (1928) e No Reino da Confusão (1939) - ilustrou livros infantis de Monteiro Lobato. TEODORO BRAGA, pág. 49 e 50; PONTUAL, pág. 67; MEC, vl. 1, pág. 213; TEIXEIRA LEITE, pág. 69; JULIO LOUZADA, vol.10, pág. 103; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 100; ARTE NO BRASIL, pág. 392; WALTER ZANINI, pág. 806; Acervo FIEO.

206 - ELZA DE OLIVEIRA SOUZA - (1928 - 2006)
LL Adoração - ose - 34 x 48 - cie - 1964
Pernambucana do Recife. Esta importante pintora iniciou suas atividades com o prof. Ivan Serpa. Integrou o grupo de nordestinos que se apresentou na Galeria Giro, no RJ, em 1968. Seu interesse pelo registro da figura humana é praticamente exclusivo. Walmir Ayala afirma: " ... O biotipo que Elza repete obcessivamente, diz respeito ao povo de sua família conterrânea. São gente do povo, sem sofisticação, despojada do requinte civilizatório, mas embebida de um outro requinte, que diz respeito 'as latadas, trepadeiras em flor, animais domésticos, temáticas." JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 313, Acervo FIEO.

207 - HÉLIOS SEELINGER - (1878 - 1965)
LL Macaco - dlc - 27 x 20 - cie - 1939 - Rio
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 111 deste catálogo.

208 - GIUSEPPE DE SANCTIS - (1858 - 1924)
LL Menina - p - 53 x 43 - cie
Pintor de gênero, retratista e paisagista que nasceu e morreu em Nápoles, Itália. Sua formação artística foi na Academia de Belas Artes de sua cidade natal. Em 1880, recebe o primeiro prêmio, aperfeiçoa-se com Morelli e passa alguns anos em Paris. Possui obras no Museu de Melbourne, Austrália; em galerias de Roma e de Nápoles. BENEZIT, vol. 9, pág. 269. ARTPRICE.

209 - JOEL CÂMARA - (1932)
LL Vilarejo - dn - 66 x 96 - cid - 1986
Nasceu na Capital, SP, onde foi discípulo de Fernando Odriozola. Especializou-se em temas históricos e na Guerra de Canudos, na República de Palmares e Tiradentes, que retratou com convicção e firmeza de traços. Participou de exposições coletivas no Teatro do Ceará e no Salão de Arte Popular da Cidade de Embú-SP (1966); e em Curitiba-PR, ao lado de Roberto Barros, Cremilson Soares da Silva e Genilson Soares da Silva. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 177

210 - LA FUENTE - (1931)
LL Na adega - ost - 32 x 18 - cid
Descrito no livro Artes Plásticas Brasil - 89 - Edição Julio Louzada, vol. 3, pág. 585. -

211 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
LL Cidade - xilo. 3/5 - 16 x 20 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 113 deste catálogo.

212 - TAKASHI FUKUSHIMA - (1950)
LL Composição - ost - 40 x 60 - cid e d - 1976
Filho do pintor Tikashi Fukushima, nasceu em São Paulo, Capital. Estuda com Luiz Paulo Baravelli em 1970 e, no mesmo ano, ingressa na FAU-SP. Paralelamente aos estudos universitários, expõe nas Bienais Internacionais de São Paulo em 1973 e 1975, obtendo, nesta última, prêmio aquisição. Em 1990 estuda na Universidade Nacional de Artes e Música de Tóquio, Japão, com bolsa concedida pela Fundação Japão. No mesmo ano, recebe o prêmio de excelência na 1ª Bienal Brasileira de Design, em Curitiba. Desde 1992 leciona desenho no curso de arquitetura e urbanismo da Faculdade de Belas Artes de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 141; ITAÚ CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 231, Acervo FIEO.

213 - SILVIA DE LEON CHALREO - (1905 - 1991)
LL Crianças - g - 13 x 9 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 069 deste catálogo.

214 - OSCAR PEREIRA DA SILVA - (1867 - 1939)
LL Crucificação - dl - 21 x 14 - cid
Com etiqueta de Dan Galeria, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 033 deste catálogo.

215 - CANDIDO DE OLIVEIRA, EDMILSON - (1961)
LL Paris - ost - 60 x 80 - cid - 1996
Natural de Pesqueira, Pernambuco, onde nasceu a 23 de julho de 1961. Pintor, assinava até 1985: EDMILSON (seu primeiro nome). Atualmente assina CANDIDO DE OLIVEIRA. Teve como mestres José Ismael e Gilberto Geraldo. Suas naturezas-mortas são hiperrealistas, suas composições são equilibradas. Participa de coletivas desde 1993, com premiações. JULIO LOUZADA vol.11, pág. 231.

216 - CARLOS MAGANO - (1921)
LL " Pintura I " - ost - 115 x 112 - cid e d - 1973
No estado. Com etiqueta do Salão Nacional de Belas Artes, no dorso. -Pintor paulista, radicado no Rio de Janeiro, onde também é professor, foi aluno de Túlio Mugnaini. Estudou na Europa à mercê de bolsa de estudos; dedica-se à pintura mural, técnica de afresco. Professor na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Participante de diversas Exposições Nacionais de Arte Moderna, com premiações. O Museu Nacional de Belas Artes, possui obras de sua autoria. MEC, vol. 3, pág. 40; PONTUAL, pág. 329; TEIXEIRA LEITE, pág. 300; JULIO LOUZADA, vol. 7, pág. 428; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697.

217 - ROBERTO MORICONI - (1932 - 1993)
LL " Homenagem a Marechal Deodoro " - a e col. - 34 x 30 - ci
No estado. -Pintor e escultor nascido em Perugia, Itália. Veio residir no Rio de Janeiro em 1953, onde, a partir de 1960 cria capas e ilustrações para a Livraria Freitas Bastos. Participou de algumas edições da Bienal de São Paulo, do SNAM e SEAJ. MEC, vol. 3, pág. 202; PONTUAL, pág. 372; JÚLIO LOUZADA, vol. 10, pág. 617; WALTER ZANINI, pág. 770.

218 - CLEBER MACHADO - (1937)
LL " Painel " - ase - 63 x 70 - cid - 1999
Com etiqueta do atelier do artista, no dorso. - Pintor escultor nascido em Porto Alegre, RS, mudou-se para o Rio em 1961, onde teve seus objetos exibidos na I Feira da Associação Internacional dos Artistas Plásticos. Expôs na XX Bienal de São Paulo, quando Pierre Restany escreveu sobre a sua exposição: "Machado é efetivamente um portador de mensagens, e por ser isto o encontrei em cada canto do mundo, ou, mais exatamente, nas duas Américas." O artista vive e trabalha, atualmente, em São Paulo. JULIO LOUZADA, 10 pág. 529; RGS, pág. 145, Acervo FIEO.

219 - RUBENS GERCHMAN - (1942 - 2008)
LL Rostos - g - 26 x 20 - cid
Importante artista, foi representante da vanguarda da arte brasileira. Pintor, desenhista e gravador, frequentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro (1957/8) e a antiga ENBA (1959-1962), estudando xilogravura com Adir Botelho. Participou dos XIX e XXI SPar.BA (1962-1964 / com prêmios), XI, XIII, XIV, XV e XVI SNAM (entre 1962-1967), além de inúmeros outros salões e mostras oficiais no Brasil e no exterior. JULIO LOUZADA vol. 13 pág. 148; PONTUAL, pág. 235; TEIXEIRA LEITE, "in" A GRAVURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 974; LEONOR AMARANTE, pág. 143, Acervo FIEO.

220 - DÉCIO SONCINI - (1953)
LL " Fim de linha " - ast - 60 x 50 - cid e d - 1987
Pintor, desenhista e gravador, nascido em São Paulo, no dia 11/2/1953. Pertencente à nova geração de pintores paulistas, o autor cursou a Faculdade de Belas Artes de São Paulo, onde estudou também gravura, obras com conotações expressionistas, que o artista tem mostrado desde a sua estréia em 1975. Em critica, Antônio Zago tece os seguintes comentários sobre a sua obra: "...Décio Soncini trabalha com a memória. Em seu fundamento psicológico a memória é altamente seletiva, deixando apenas alguns detalhes nítidos, envoltos em uma névoa: a névoa do tempo (...)" . Recebeu diversas premiações, inclusive o de aquisição, no I Salão Paulista de Artes Plásticas e Visuais-SP (1980). JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 928/929

221 - ANTONIO ROCCO - (1880 - 1944)
LL Paisagem - ostcm - 30 x 43 - cid
Pintor italiano, natural de Amalfi. Frequentou o Instituto de Belas Artes de Nápoles. No Brasil, fixou-se em São Paulo. Participou do SNBA e no SPBA de 1933, recebendo importantes premiações. A PINACOTECA - SP possui obras de sua autoria. TEODORO BRAGA; JULIO LOUZADA, vol 13 pág. 286; ITAÚ CULTURAL.

222 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Casario - ost - 60 x 40 - cid - 1980
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 034 deste catálogo.

223 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Pássaro - m em ac - h = 10 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

224 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Menina - a - 30 x 23 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 131 deste catálogo.

225 - FELISBERTO RANZINI - (1881 - 1976)
LL " Rua Tavares Bastos " - osm - 17 x 11 - cie
Arquiteto, desenhista e escritor, Felisberto Ranzini nasceu em Mântua, Itália e faleceu em São Paulo - SP. Sobresaiu-se principalmente na técnica de aquarela, na qual se especializou. Suas composições em óleo são claras e detalhadas, quase que miniaturistas. JULIO LOUZADA, vol 1, pág. 805; MEC vol.4, pág. 26.

226 - ALFREDO GALVÃO - (1900 - 1987)
LL Paisagem - a - 17 x 12 - cie
Pintor e professor de arte, ex-diretor do Museu Nacional de Belas Artes, Galvão foi aluno de Amoedo, Chambelland e Lucílio de Albuquerque, tendo conquistado o prêmio de viagem ao estrangeiro no Salão Nacional de Belas Artes de 1927. Cultivou todos os gêneros, fiel ao estilo de sua mocidade. TEODORO BRAGA, págs. 30 e 105; Catálogo da Exp. De Paisagem Brasileira - Min. da Educ. e Saúde - MNBA / Rio / 1944 - n/nº P. 149; REIS JR. ,pág. 380; MEC, vol. 2, pág. 237; PONTUAL, pág. 231; TEIXEIRA LEITE, pág. 214.

227 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL Paisagem - ost - 80 x 60 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

228 - GUSTAVO DALL'ARA - (1865 - 1923)
LL Índia - osm - 21 x 13 - cie - 1907
Pintor italiano, ilustrador e caricaturista. Realizou sua formação artística na Academia de Belas Artes de Veneza, estudando com Villa, Franco Dall'ara e Deslandes. Por volta de 1889, veio radicar-se no Rio de Janeiro, como convidado para ilustrar um dos jornais cariocas da época e também por motivos de saúde. Paisagista e marinhista, dedicou-se a fixar aspectos do Rio antigo. Nogueira da Silva chamou-o o pintor da cidade, "tanto se entregara ele, o bizarro e macambúzio, Gustavo Dall'ara, ao urbanismo pictural da metrópole. MEC, vol. 2, pág. 14; REIS JR., pág. 270; PONTUAL, pág. 157; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 234; Catálogo da Exp. De Paisagem Brasileira - Min. Da Educ. e Saúde - MNBA/Rio/1944 ; LAUDELINO FREIRE, pág. 388; TEODORO BRAGA, pág. 78; TEIXEIRA LEITE, pág. 144; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 84; ITAÚ CULTURAL.; ARTE NO BRASIL, pág. 839.

229 - ARAUJO LIMA - (1886 - 1958)
LL Paisagem - osm - 19 x 26 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 044 deste catálogo.

230 - ANTONIO PESSOA - (1943)
LL Par de esculturas - e em b - as.
1) Torso feminino, h = 9; 2) Torso feminino, h = 10; - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 045 deste catálogo.

231 - TITO DE ALENCASTRO - (1934 - 1999)
LL Composição - lito. P.A. - 60 x 60 - cid
Pintor, desenhista, gravador e mosaicista, radicou-se em 1961 em São Paulo, após ter estudado no Rio de Janeiro com Abelardo Zaluar, José Morais e Johnny Friedlaender. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 29; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 6; PONTUAL, pág. 14; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

232 - RENOT - (1932)
LL " Três baianas na festa " - tm - 17 x 12 - csd - 2007
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 047 deste catálogo.

233 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem antropofágica - dl - 11 x 15 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

234 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Flores - ost - 25 x 30 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 049 deste catálogo.

235 - ANGELO SIMEONE - (1899 - 1963)
LL Paisagem - ost - 34 x 48 - cie
Pintor italiano, veio com a família para o Brasil em 1901, fixando-se em São Paulo, onde, aos dezessete anos, passou a freqüentar o Liceu de Artes e Ofícios como aluno de José Perissinoto. Participando regularmente do SPBA, nele obteve o prêmio Prefeitura de São Paulo, 1934,1953 e 1956, medalha de bronze,1935, pequena e grande medalhas de prata 1941 e 1944, primeiro prêmio Governo do Estado 1957, prêmios de aquisição 1957, 1959, 1961 e 1962, prêmio Caixa Econômica Federal de São Paulo, 1963 e prêmio Polifix, 1964. Conquistou, ainda, medalha de prata no Salão Santista de Belas Artes do Rio Grande do Sul. Foi incluído na mostra 50 Anos da Paisagem Brasileira, organizada por Sergio Miliet, em São Paulo . Há obras de sua autoria na Pinacoteca e no Palácio do Governo desse último Estado. Quirino da Silva focalizou-o na sua coluna do Diário da Noite (São Paulo, 20 de junho de 1968). TEODORO BRAGA, pág. 216; MEC, vol.4, pág. 285; PONTUAL, pág. 497; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 340; TEIXEIRA LEITE, pág. 483; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO, pág. 388.

236 - TRINAZ FOX (RUBENS FERREIRA TRINAZ FOX) - (1899 - 1964)
LL Na floresta - dn e a - 37 x 55 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 051 deste catálogo.

237 - CARLOS PRADO - (1908 - 1992)
LL Procissão - dn - 48 x 34 - cie - 1955
Arquiteto, pintor, gravador e ceramista paulistano. Recebeu menção honrosa no SPBA de 1935, participando também na I e II BSP e na exposição de Arte Moderna no Brasil, realizada em Buenos Aires, Rosário, Santiago do Chile e Valparaíso, em 1957. No dizer de TEIXEIRA LEITE, em sua obra A Gravura Brasileira Contemporânea, Carlos Prado utilizava por vezes a gravura como meio expressivo, subordinando-a, porém, a interesses maiores. TEIXEIRA LEITE, pág. 421; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 254. PONTUAL, pág. 438; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 582; ARTE NO BRASIL, pág. 781. Acervo FIEO.

238 - FANG, CHEN KONG - (1931)
LL Cavalo e pássaro - a - 11 x 17 - cie - 1976
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 053 deste catálogo.

239 - JOAQUIM DUTRA - (1864 - 1930)
LL Garças - ost - 53 x 30 - cie - 1926
No estado. -Pintor nascido e falecido em Piracicaba. Notabilizou-se pela paisagens documentárias locais, realizando ainda trabalhos em São Paulo, Limeira, Caconde, São Carlos e Capivari. Foi pai dos pintores Alipio, Antonio de Pádua, Archimedes e João Dutra. PONTUAL, pág.186; MEC, vol.2, pág.84; TEIXEIRA LEITE, pág.171; ITAU CULTURAL.

240 - DIONISIO DEL SANTO - (1925 - 1999)
LL Figuras - g - 17 x 11 - cid
Pintor, desenhista, gravador e serigrafista, nasceu em Colatina-ES, e faleceu em Vitória, naquele mesmo Estado. Autodidata. Em 1975, recebe o Prêmio de Melhor Exposição de Gravura do Ano, da APCA. Participou da 9ª Bienal Internacional de São Paulo, 1967 (Prêmio Itamarati Aquisição) e do Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1968 (Prêmio Isenção do Júri). JULIO LOUZADA vol.11, pág. 88; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 934.

241 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Paisagem - osc - 26 x 18 - cie e d
Nascido em Manaus, pioneiro mundial da arte não-figurativa (a qual já praticava desde 1916), Santiago estudou no RJ com Visconti, e foi o principal responsável pelo Núcleo Bernardelli, no qual se formaram tantos dos melhores artistas do Modernismo carioca. Sua arte é um neo-impressionismo de belo colorido e opulentos efeitos de textura. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, pág. 241; TEODORO BRAGA, pág. 211/212; Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, MEC-MNBA / /Rio/1944; MAYER/84, pág. 1158; REIS JR., pág. 378; PONTUAL, pág. 473; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 292; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

242 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL Figura - ser. P.A. - 32 x 26 - cid - 1974
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 057 deste catálogo.

243 - FRANCISCO STOCKINGER - (1919 - 2009)
LL Guerreiro - m em b 3/25 - h = 33 - as.
Natural de Traum, Áustria, Xico Stockinger, como é conhecido, foi aluno de Bruno Giorgi e desde 1954, radicado em Porto Alegre, á um escultor da figura humana e do animal. Também é excelente desenhista e gravador. Começou a expor na década de 40, no Rio de Janeiro, recebendo premiações. Desempenhou importante papel no desenvolvimento das artes plástica gaúcha. Tem seu nome firmado no cenário nacional e internacional, como escultor expressivo e original. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.311; PONTUAL, pág.506; MEC., vol.4, pág.342/3.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 868; LEONOR AMARANTE, pág. 136.

244 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Mulata na janela - ser. 131/200 - 33 x 22 - cid
Serigrafia original do álbum " Mestres do desenho - Di Cavalcanti " , com introdução de Vinícius de Moraes, Ed. Cultrix. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

245 - FRANCISCO DA SILVA - (1910 - 1985)
LL Galos de briga - tst - 50 x 70 - cid e d - 1979
Com declaração de autenticidade firmado pelo autor , no dorso. -Natural de Alto Tejo, Acre, foi o pintor FRANCISCO DA SILVA um primitivista, fabulista das lendas amazonenses, ativo no Ceará. Filho de índio peruano com brasileira, fixou-se ainda criança em Fortaleza. Foi descoberto artista em 1943, pelo também artista o suiço Jean Pierre Chabloz, que bancou suas primeiras tintas. O mesmo Jean Pierre, nove anos depois, lança-o em Paris. O crítico Rubens Navarra assim escreveu sobre a obra desse artista acreano: " ... os guaches desse artista indígena são qualquer coisa de muito sério. Esse índio é uma espécie de Dali em estado de natureza. Ao lado do seu surrealismo primitivo, chamemos assim, há um lado arte-aplicada que podia servir excelentemente para ornamentos de cerâmicas , lembrando estampas chinesas de pássaros ou antigos vasos de civilizações passadas." Já André Malraux qualifica-o de " um artista primitivo dentre os maiores do mundo." Expôs individualmente no Brasil a partir de 1943 e em diversas mostras coletivas no exterior, com premiações, destacando-se aquela recebida na XXXIII Bienal de Veneza, 1966. JULIO LOUZADA, vol. 3 pág. 1056; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE; ARTE NO BRASIL, Acervo FIEO; TEIXEIRA LEITE, pág. 478.

246 - PAULO CLÁUDIO ROSSI OSIR - (1890 - 1959)
LL Flores - osm - 50 x 40 - le - 1938
Com etiqueta do atelier do artista, no dorso. Reproduzido sob o n.° 125 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Pintor e arquiteto nascido e falecido em São Paulo. Estudou na Europa, e em 1921 expõe individualmente em sua cidade natal. Integrou, mais tarde, a Família Artística Paulista. Seu estilo combina elementos impressionistas e cubistas. Criou a OSIRARTE, firma especializada no fabrico de azulejos artísticos. TEODORO BRAGA, pág. 208; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 268; PONTUAL, pág. 462; MEC, vol, 3, pág. 303; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 128; ARTE NO BRASIL; WALTER ZANINI, pág. 579, Acervo FIEO.

247 - ANTÔNIO GARCIA BENTO - (1897 - 1929)
LL Marinha - ost - 35 x 50 - cie
Pintava inicialmente ao ar livre, aos domingos, na Quinta da Boa Vista (Rio de Janeiro), sob a orientação de Levino Fanzeres. Posteriormente passou a dedicar-se às marinhas, gênero a que mais se ligou. Trabalhava a espátula e o pincel conjuntamente, com técnica e maestria. PONTUAL, pág. 232; JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 145

248 - GIUSEPPE PERISSINOTTO - (1881 - 1965)
LL " Jardim Botânico e Corcovado " - osm - 27 x 19 - cid - Rio de Janeiro
Com carimbo do Mirante das Artes de Pietro Maria Bardi - São Paulo. -Nascido em Musile, Veneza, Itália, veio para o Brasil ainda criança e cuja família radicou-se no interior de São Paulo. Fez estudos de pintura na Academia de Belas Artes de Veneza, para onde retornou aos dezoitos anos, prosseguindo para Florença e demais centros de arte da Itália onde se aperfeiçoou; retornou a cidade de São Paulo em 1912, dedicando-se exclusivamente a sua pintura que sempre teve como tema paisagens, marinhas naturezas mortas e figuras. Expôs em várias capitais do Brasil, com sucesso de crítica e público; foi um dos idealizadores do SPBA, ao lado de Souza Pereira e outros. ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

249 - SANTE SCALDAFERRI - (1928)
LL " Amanhecer " - ost - 50 x 60 - cid e d - 1997
Natural de Salvador, BA, este importante pintor brasileiro estudou na Escola de Belas Artes da Universidade da Bahia, onde realizou sua primeira exposição individual, em 1957. Foi um dos fundadores da Organização Nacional dos Estudantes de Arte, em 1953. Participou de diversos salões oficiais com premiações e expôs individualmente, nas galeria Domus (Salvador), Goeldi (RJ), Atrium (SP), etc. A seu respeito disse Paulo Gil, em 1965: "... optou pela documentação de aspectos da cultura popular brasileira, mas conferindo-lhe um tratamento erudito (...) é um pintor de ateliê que buscou nas manifestações do povo da Bahia, na sua própria cultura baiana, a magia que marca seus quadros". PONTUAL, pág. 477; JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 1010; Acervo FIEO.

250 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Composição - ost - 53 x 46 - cid ileg.

251 - ISABEL DE JESUS - (1938)
LL Florista - a e g - 50 x 64 - cie - 1993
Mineira de Cabo Verde, é pintora e desenhista. Começou a pintar em 1965, já em São Paulo. Estudou anteriormente desenho com Iracema Arditi. Participou do setor de desenho do XXIII SPar.BA, 1966, realizando exposições individuais no mesmo ano em São Paulo e Rio. MEC, vol.2, pág.374; PONTUAL, pág.280; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.158; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 226; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

252 - WALDOMIRO DE DEUS - (1944)
LL Vida na roça - ast - 50 x 50 - cid e d - 1998
Baiano de Boa Nova, Waldomiro de Deus é pintor e gravador. Em São Paulo desde 1960, expunha seus trabalhos nas praças da capital. Expõe em espaços oficiais desde 1965, inclusive no exterior. Ao todo já realizou mais de 100 exposições, com sucesso de crítica e de público. O seu trabalho mescla o misticismo religioso afro-baiano com elementos do cotidiano. ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 239; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

253 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Coruja - m em ac - h = 18 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

254 - RENÉE LEFÈVRE - (1910 - 1996)
LL Flores - a - 62 x 47 - cie - 1961
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 086 deste catálogo.

255 - FERNANDO CALDERARI - (1939)
LL Recanto das bruxas - ost - 93 x 80 - cid - 2006
Nascido na cidade da Lapa, Paraná, recebeu orientação de Guido Viaro na Escola de Belas Artes daquele Estado. Cursou gravura no MAM, tendo como mestres Edith Behring e De Lamonica. A partir de temas figurativos, como garrafas de ontem, e as paisagens de hoje, o artista obedece a um processo interior de depuração, na busca de reduzir ao máximo o detalhe incidental. Expõe individualmente desde 1963, e participa de coletivas desde 1961.

256 - BRUNO LECHOWSKY - (1889 - 1941)
LL No parque - ostcc - 30 x 36 - cid - 1932
Com carimbo do Museu Nacional de Belas Artes - Rio de Janeiro, no dorso. -Natural da Polônia, este grande pintor e professor veio para o Brasil em 1926, fixando-se inicialmente no Paraná, para depois vir a residir de forma permanente no Rio de Janeiro, o qual pintou com todas as cores e luzes. Integrou o Núcleo Bernardelli, onde orientou mestres como Tamaki, Takaoka, e principalmente Pancetti, a quem chegaria a marcar, inclusive nas cores chapadas. TEODORO BRAGA, pág. 139; PONTUAL, pág. 305; MEC, vol. 2, pág. 465; TEIXEIRA LEITE, pág. 281/282; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 449; ARTE NO BRASIL, pág. 764.

257 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL " Auto retrato do pintor Silva " - dch - 38 x 30 - cie - 1985
Considerado por muitos críticos e colecionadores como o mais típico dos nossos pintores ingênuos, Silva foi o intérprete da cena rural de São Paulo, num estilo expontâneo em que assomam, por vezes, soluções plásticas inesperadas. MEC, vol. 4, pág. 256; PONTUAL, pág. 493 e 494; TEIXEIRA LEITE, pág. 478; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 958; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 958; BENEZIT, vol. 9, pág. 602; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 227; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 171; Acervo FIEO.

258 - BUSTAMANTE SÁ - (1907 - 1988)
LL " Campos de Jordão " - ost - 46 x 61 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 091 deste catálogo.

259 - LUIZ ANTONIO DA SILVA - (1935)
LL Cangaceiro - e em br - h = 15 - b
No estado. -Escultor, natural de Alto do Moura/PE. Conviveu diretamente com Mestre Vitalino que o orientou por toda vida. Luiz Antonio diz que modela "as coisas que vê por aqui, nas revistas e na televisão". Essa temática o diferencia hoje dos demais artesãos de Alto do Moura e explica a grande procura pelos seus trabalhos. Hoje o artista atingiu um nível de esmero em suas peças, com cores vibrantes, e orgulha-se em mostrar a peça "Fábrica de Telhas", com a qual ganhou o concurso da comemoração dos 145 anos de Caruaru.

260 - ERMANNO TOSO - (1903 - 1973)
LL Peça - vdm
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 075 deste catálogo.

261 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - g - 26 x 11 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 031 deste catálogo.

262 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Paisagem - asc - 38 x 38 - le - 2003
Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

263 - VERA TORRES - (1962)
LL Torso - e em b p - h = 28 - as.
Com certificado de autenticidade firmado pela artista. -Escultora, nasceu na cidade do Rio de Janeiro no dia 15 de julho de 1962. Orientada por Bruno Giorgi, dedica-se interamente à escultura a partir dos 18 anos de idade. Expôs individualmente aos 22 anos, na B-75 Concorde Galeria de Arte-RJ, merecendo a seguinte crítica de Oscar Niemeyer: "Sinto o inegável talento de suas esculturas. Às vezes abstratas, outras figurativas. Mulheres belas e barrocas, cheias de graça e movimento. E fico à vontade em elogiar seus trabalhos e o entusiasmo com que tão bem se integra no campo da escultura." Austregésilo de Athayde diz que "Vera Torres transpõe para o bronze e mármore, matéria inerte, uma amoroso sopro de vida, como um poema de beleza e graça imortais." Individual em 1986, no Rio de Janeiro-RJ. JULIO LOUZADA, vol 6 pág. 1125

264 - CLAUDIO TOZZI - (1944)
LL Paisagem - ase - 46 x 65 - cid
Reproduzido sob o n.° 336 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro. -Pintor, arquiteto e gravador paulista com diversas exposições e participações em salões e bienais no Brasil e no exterior. Dedicou-se inicialmente à colagem e à gravura, numa utilização crítica das histórias em quadrinhos; numa fase posterior passou a criar múltiplos tridimensionais e a efetuar pesquisas em torno dos efeitos ópticos. WALMIR AYALA vol.2, pág.388/9; PONTUAL, pág.525/6; TEIXEIRA LEITE, pág. 512; ARTE NO BRASIL vol.2, pág.1059; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 740; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.

265 - RODRIGO DE HARO - (1939)
LL Figuras - dn - 20 x 13 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 080 deste catálogo.

266 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Figura - dl e ag - 28 x 32 - cid - 97/98
Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

267 - AUGUSTO RODRIGUES - (1913 - 1993)
LL Rosto - dce e a - 45 x 31 - cs - 1977
Com dedicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 082 deste catálogo.

268 - ANA ANDRADE - (1953)
LL Paisagem - a - 45 x 60 - cid - 1996
Ana Cristina Andrade Moreira é pintora, gravadora, desenhista, professora e designer vidreira. Iniciou sua formação artística na Escola Superior de Arte Santa Marcelina, SP (1972-1975). Aprendeu gravura em metal (1980-1990) com Iole Di Natale; técnicas de gravura na Scuola Internazionale di Gráfica em Veneza, Itália (1983); Gravura Especial com Evandro Carlos Jardim, no MAC-SP (1991); Técnica Calcográfica Experimental com Mario Benedetti, na FASM-SP (1997); Vitrofusão com Roberto Bonino. Exposições individuais: São Paulo, SP (1984, 1987, 1995, 2003); Bauru, SP (1989); “Projeto Interior com Arte” – Museu Banespa (1998 – Exposição itinerante pelo interior do Estado de São Paulo). Coletivas: Epinal, França (1975); São Paulo, SP (1974,1982,1984,1985,1986,1988,1994,1995,2000,2002 a 2004); Santo André,SP (1982); Novo Hamburgo, RS (1982); Taiwan, China (1983,1985); San Juan, Porto Rico (1983); Santos, SP (1983); Cabo Frio, RJ (1983); Ribeirão Preto,SP (1984); Curitiba, PR (1984); Piracicaba,SP (1984); Veneza, Itália (1984,1985); Campinas, SP (1985); São José do Rio Preto, SP (1986); Limeira, SP (1986); Washington D.C.,EUA (1991); Campos do Jordão, SP (1991); Kanagawa, Japão (1992); Maastricht, Holanda (1993); Illinois, EUA (1994); Cidade do México, México (1996); Jacareí, SP (1998); Budapeste, Hungria (1996); Uzice, Yuguslávia (1997); Ourense, Espanha (1994,2006). Prêmios: São Paulo, SP (1974); Novo Hamburgo, RS (1982); Santos, SP (1983); Ribeirão Preto, SP (1984); Curitiba, PR (1984); Piracicaba, SP (1984); Campinas, SP (1985); São José do Rio Preto, SP (1986). JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 62; vol.2, pág. 66; Acervo FIEO. ITAU CULTURAL.

269 - DARIO VILLARES BARBOSA - (1880 - 1952)
LL Flores - ost - 46 x 38 - cie
Nasceu em Campinas, SP e faleceu em Paris, França, em 3 de setembro de 1952. Junto com o seu irmão gêmeo e também pintor, Mário Villares Barbosa, iniciou seu aprendizado artístico no atelier de Oscar Pereira da Silva. Especializou-se na Europa, retornando ao Brasil em 1934, tornando-se além de pintor de história e de gênero, professor de paisagismo realístico e crítico, denunciando em suas obras a desumanização da paisagem. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 28; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 601; ACERVO FIEO, pág. 602.

270 - RAUL DEVEZA - (1891 - 1952)
LL Paisagem - ost - 33 x 41 - cid e d - 1949 - Bahia
Pintor, cenógrafo, decorador e professor, natural do Rio de Janeiro. Estuda no Liceu de Artes e Ofícios, tendo aulas com J. Santos e Isaltino Barbosa, e na Escola Nacional de Belas Artes, Enba, em 1914, com Batista da Costa (1865-1926), no Rio de Janeiro. Em 1920, vai para Paris, França, onde estuda na "Académie Julian" e trabalha para a Revista Rio-Paris. Várias são as exposições e Salões oficiais que participou: Rio de janeiro, RJ (1915, 1918, 1919, 1921, 1922, 1929, 1944, 1945, 1946, 1948); São Paulo, SP (1939, 1945, 1949, 1952); Nova York, EUA (1939); Porto Alegre, RS (1940) e Niterói, RJ (1942, 1950). Prêmios: Rio de Janeiro, RJ (1915, 1918, 1919, 1922, 1948); Porto Alegre, RS (!940); Niterói, RJ (1950); São Paulo, SP (1952). Exposições póstumas: São Paulo, SP (1952); Goiânia, GO (1954) e Belém, PA (2000). Possui obras no Museu Antonio Parreiras em Niterói, RJ e no Museu Nacional de Belas Artes no Rio de Janeiro, RJ. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 341; vol. 5, pág. 306. ITAU CULTURAL.

271 - ANTÔNIO PARREIRAS - (1860 - 1937)
LL Corredeira - a - 32 x 23 - cie - 1933
Um dos maiores paisagistas do Brasil, autor também de imponentes nus, Antonio Parreiras estudou com Grimm, mas adquiriu em seguida um estilo próprio, que se traduziu numa cor e numa textura violentas, quase fauves. BENEZIT, vol. 8, pág. 136; MAYER/84, pág. 1082; MEC, vol, 3, págs. 335/6; PONTUAL, págs. 406/7; LAUDELINO FREIRE, pág. 382; WALMIR AYALA, vol. 2, págs. 168 e 170; TEIXEIRA LEITE, pág.386/388; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 416; ARTE NO BRASIL, pág. 532; LEONOR AMARANTE, pág. 42; F. ACQUARONE, pág. 155.

272 - EDGARD OEHLMEYER - (1909 - 1967)
LL Flores - ose - 65 x 80 - csd - 1962
Nasceu em Rio Claro, no dia 31 de maio e falecido em 4 de outubro de 1967. Nessa cidade cursou na Escola Profissional a seção de pintura com o prof. Carlos Hadler. Discípulo de Rocco, foi destacado paisagista e pintor de naturezas-mortas, tendo obtido diversas premiações nos SNBA e SPBA. TEODORO BRAGA, pág. 175; MEC. Vol.3, pág. 291; MAYER/1984, pag. 1070; TEIXEIRA LEITE, pág. 362; PONTUAL, pág. 389; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

273 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Nu - e em b - h = 21 - n/as.

274 - CÂNDIDO PORTINARI - (1903 - 1962)
LL Obito do autor - grav. - 27 x 19 - cid
Registrado no Projeto Cândido Portinari. -Nasceu na cidade paulista de Brodósqui, e faleceu no Rio de Janeiro. Artista desde sua infância ( desenhava desde 5 anos), abraçou a arte pelo resto vida. Reconhecido nacional e internacionalmente, conheceu e desfrutou a glória ainda vivo. Desenhista, pintor e muralista, Portinari a exemplo dos grandes vultos da nossa história, deixa-nos um legado precioso de arte e cultura. BENEZIT, vol.8, págs. 440 e 441; REIS JUNIOR, págs. 383/386; TEODORO BRAGA, págs. 195/196; PONTUAL, págs. 432/433/434; MEC, vol.3, págs 427 a 429; MAYER.89, pág.1327; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 550; ARTE NO BRASIL, pág. 571; LEONOR AMARANTE, pág. 12; F. ACQUARONE, pág. 241.

275 - AUGUSTIN SALINAS Y TERUEL - (1862 - 1915)
LL Barcos - osm - 12 x 20 - cie
- Reproduzido no convite deste leilão.Pintor espanhol, estudou em Madri, na Escola Superior de Pintura, e na Academia Espanhola de Roma. Viveu muitos anos na Itália, para onde se transferiu em 1883 e onde mais tarde manteve ateliê com o irmão Pablo Salinas. Segundo José Roberto Teixeira Leite, era um boêmio "despreocupado com os bens materiais e levando vida desorganizada". Obsessivo por viagens, esteve várias vezes na Holanda e mais de uma vez no Brasil, tendo aqui participado da Exposição Geral de Belas Artes de 1910. Consta que também realizou exposições em São Paulo e Rio de Janeiro. Sua obra integra diversos museus da Europa e, no Brasil, o acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo e de coleções particulares. BENEZIT, vol. 9, pág. 249; BOLAFFI, vol. 12, pág. 305; MAYER/84, pág. 1156; TEODORO BRAGA, pág. 210; ANUAIRE DES COTES INTERNATIONAL, pág. 1728; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 2202.

276 - GASTÃO FORMENTI - (1894 - 1974)
LL " Guarujá " - osm - 33 x 41 - cie - 1952
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 103 deste catálogo.

277 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL Figuras - dn - 30 x 24 - cid - 1961
Reproduzido na pág. 37 do livro Seara vermelha de Jorge Amando. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 093 deste catálogo.

278 - HÉLIOS SEELINGER - (1878 - 1965)
LL Figuras - ostcc - 19 x 14 - cie - 1937
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 111 deste catálogo.

279 - RITA FERREIRA - (1959)
LL Noiva - e em c pol - h = 53 - d - Coqueiro do campo - MG
Vale do Jequitinhonha. -Rita Gomes Ferreira nasceu no dia 26 de junho de 1959, em Coqueiro Campo, Minas Novas, em Minas Gerais. Aprendeu a trabalhar no barro com sua tia Rosa, quando tinha aproximadamente 11 anos. Mais velha, foi morar em outra cidade e só voltou a trabalhar com barro em 2000, já com 39 anos, quando retornou a Coqueiro Campo. Recomeçou fazendo peças pequenas, como galinhas e flores, mas agora já desenvolve bonecas, segundo ela, as peças mais difíceis. Ela diz que trabalha com cerâmica por necessidade, pois é uma fonte de renda, embora goste de criar sempre peças novas. Membro da Associação dos Artesãos de Coqueiro Campo, já participou de feiras em Montes Claros e em Minas Novas. Fonte: Museu Casa do Pontal/RJ.

280 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Colheita - ost - 60 x 70 - cid e d - 2004
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 049 deste catálogo.

281 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Mulheres - dn - 30 x 22 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

282 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL Fazenda - ost - 46 x 55 - cie e d - 1979
Reproduzido sob o n.° 145 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 257 deste catálogo.

283 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato azul - ast - 46 x 55 - cie e d - 2000
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista.- - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

284 - JACQUELINE DELL´AGNESE - (1962)
LL Figuras - e em b - h = 16 - as.
Escultora. Jacqueline Marjos Simão Dell’ Agnese foi aluna de Maria Ruth Garcia Guimarães. Participou do 21º Salão de Arte da Associação Comercial de São Paulo - Distrital Pinheiros, SP.

285 - RUBENS GERCHMAN - (1942 - 2008)
LL Ciclistas - osc - 40 x 50 - cid
- Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 219 deste catálogo.

286 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Capoeira - lito. 64/100 - 51 x 36 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 102 deste catálogo.

287 - JAGUAR - (1932)
LL Adão e Eva - tm - 23 x 27 - cid
Sérgio de Magalhães Gomes Jaguaribe começou sua carreira em 1952 na revista Manchete onde, por influência de Borjalo passou a assinar somente Jaguar. No início da década de 1960 passa a ser um dos principais cartunistas da revista Senhor, colaborando também na Revista Civilização Brasileira, na Revista da Semana, no semanário Pif-Paf e nos jornais Última Hora e Tribuna da Imprensa. Em 1969, funda o jornal O Pasquim com Tarso de Castro e Sérgio Cabral. É o único a permanecer até o fim da publicação, em 1991, quando passa a editar o jornal A Notícia. Obras publicadas: Átila, você é bárbaro; Nadie es perfecto; Confesso que bebi; Ipanema, se não me falha a memória. http://pt.wikipedia.org

288 - LUCIANO MAURICIO - (1925)
LL Composição - g - 39 x 49 - d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 122 deste catálogo.

289 - CARLOS TAKAOKA - (1945)
LL Ouro Preto - ast - 60 x 50 - cie - 1998
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

290 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Banhista - dn e a - 41 x 29 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 090 deste catálogo.

291 - NAIR DE CARVALHO - (XX)
LL " Encontro dos Rios " - ser. 21/100 - 60 x 49 - cid - 1978
Natural de Lençóis, BA. Sua formação artística foi em Paris, França. Foi casada com o pintor e tapeceiro Genaro de Carvalho. Exposições individuais: Salvador, BA (1975, 1977, 1982, 1990, 1994); Londres, Inglaterra (1976); Estocolmo, Suécia (1976); Viena, Áustria (1977, 1980); Cidade da Guatemala, Guatemala (1978); Nova York, EUA (1978, 1982, 1986);Gstaad, Suíça (1980, 1981, 1985, 1990); Copenhague, Dinamarca (1980); São Paulo, SP (1981); Bissen, Suíça (1984); Rio de Janeiro, RJ (1978, 1987); Campinas, SP (1983); Miami, EUA (1986). Coletivas: São Paulo, SP (1972, 1975, 1978 a 1980, 1982, 1983, 1985); Paris, França (1973, 1974, 1977); Rio de Janeiro, RJ (1975, 1980); Salvador, BA (1975, 1977 a 1980, 1982, 1994); São Francisco, EUA (1980); Dacar, Senegal (1975, 1980); Utrecht, Holanda (1976, 1978); Trausdorf / Burgenland, Áustria (1977); Dallas, EUA (1978); Quebec, Canadá (1980); Genebra, Suíça (1980);Morges, Suíça (1984, 1985); São Caetano do Sul, SP (1985); Tóquio, Japão (1988); Bancoc, Tailândia (1990); Tunis, Tunísia (1990). Prêmios: Paris, França (1973); São Paulo, SP (1978, 1983); Salvador, BA (1983). ITAU CULTURAL

292 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Mercado - a - 38 x 26 - cid - R.Boccia - 1947

293 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL " Três amuletos " - ast - 61 x 46 - ci e d - 1987 - Rio
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 107 deste catálogo.

294 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Raposa - m em ac - h = 10 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

295 - KARL ERNEST PAPF - (1838 - 1910)
LL Flores e borboleta - osc - 26 x 32 - cid
- Reproduzido no convite deste leilão.Natural de Dresden, Alemanha, veio para o Brasil em 1867 sob contrato do fotógrafo Albert Henschel. Residiu no Recife - Pernambuco, e Salvador-Bahia. Foi exímio retratista, paisagista e pintor de naturezas mortas, destacando-se aí as orquídeas, que o artista cultivava em um esplêndido orquidário, em sua casa de Petrópolis - RJ. BENEZIT, vol. 8, pág. 119; MAYER / 83, págs. 84/957/1081; MEC, vol. 3, pág. 333; PONTUAL, pág. 405; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 162 e 165. TEIXEIRA LEITE pág. 384; ITAÚ CULTURAL.

296 - LUIZ GRANER Y ARRUFI - (1863 - 1929)
LL Flores - osm - 27 x 19 - cie
Nasceu e faleceu em Barcelona-Espanha. Pintor de gênero, especialmente devotado à evocação em termos pictóricos das camadas mais baixas da humanidade - mendigos, estropiados e bêbados, anciãos e megeras de todo o tipo - , Graner fixou-os em obediência a um forte realismo. Mas foi também notável paisagista, tendo ficado famosos seus efeitos de luz, tais como procissões noturnas, lugares, incêndios, pescarias vespertinas, etc. Frequentou a Academia de Belas Artes da sua cidade, na qual se matriculou aos 21 anos, aperfeiçoando-se posteriormente, entre 1886 e 1891, em Paris e Roma, onde fez estudos e aprendizado artístico, inclusive recebendo menção honrosa em 1889 no Salon de la Societé Nationale des Beaux Arts. Residiu em Nova York e realizou numerosas individuais nessa cidade, Nova Orleans e Boston. Viajou pelo Brasil de Norte a Sul promovendo exposições no Pará, Rio de Janeiro e São Paulo. JULIO LOUZADA, vol 1 - pág 438; ITAUCULTURAL.

297 - FANG, CHEN KONG - (1931)
LL Menino - ost - 64 x 54 - cie e d - 1990
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 053 deste catálogo.

298 - UBIRAJARA RIBEIRO - (1930 - 2002)
LL Composição - a - 70 x 50 - ci - 1991
Pintor, desenhista, gravador, artista gráfico, arquiteto e professor paulistano, nascido em 2 de outubro de 1930. Estudou pintura e gravura nas cidade de São Paulo e Salvador, com Pedro Corona, Waldemar da Costa e Mário Cravo Jr. Para o autor a arte é a corporificação de um processo de criatividade e percepção. Expôs individualmente pela primeira vez em 1964, na Galeria Seta-SP. Dentre as coletivas, destacam-se a da FAAP-SP, em 1965, I SPAC-SP, 1969. Foi escolhido como Melhor Gravador do Ano, em 1977, pela APCA. JULIO LOUZADA vol. 11 pág. 266; ITAÚ CULTURAL.

299 - MIGUEL DOS SANTOS - (1944)
LL Composição - e em c - h = 35 - cid - 1999
Pintor, desenhista e ceramista pernambucano da cidade de Caruaru. " ... é um ceramista ligado por raízes profundas 'a imagística popular. Suas formas (atropomorfas) e suas cores, são mais um estandarte contra a resignação e a indignidade. O onírico de suas cerâmicas é o grito mais alto dessa rica forma de arte do Nordeste" (catálogo da exposição do artista na Universidade da Bahia, em 1968) JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 793; ITAÚ CULTURAL.

300 - HEITOR DOS PRAZERES - (1898 - 1966)
LL " Pierrô da Lapa " - ose - 18 x 24 - cid - 1964
Com autenticação da família do artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 115 deste catálogo.

301 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL Paisagem com barcos - ostcc - 37 x 55 - cid - 1966
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 124 deste catálogo.

302 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Labareda - e em mar - h = 27 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 078 deste catálogo.

303 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Frutas - tm - 33 x 40 - cie
Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

304 - ANGELO AGOSTINI - (1843 - 1910)
LL Conversa - dn - 34 x 26 - cid
Angelo Agostini nasceu em Vercelli, Itália e faleceu na cidade do Rio de Janeiro, onde residia e era ativo. Caricaturista, ilustrador, desenhista, crítico, pintor, gravador. Estudou desenho em 1858 em Paris, Fixa residência em São Paulo a partir de 1860, e quatro anos depois funda, com Luís Gonzaga Pinto da Gama e Sizenando Barreto Nabuco de Araújo, o semanário liberal Diabo Coxo. Em 1866, cria, com Américo de Campos e Antônio Manuel Reis, o jornal O Cabrião, periódico semanal, no qual publica sátiras sobre a Guerra do Paraguai. Muda-se para o Rio de Janeiro e passa a colaborar no periódico O Arlequim e na revista Vida Fluminense, além de outros periódicos. Durante a campanha abolicionista, Agostini publica na revista a série de caricaturas Cenas da Escravidão, em que, fazendo referência aos passos da paixão, apresenta, em 14 ilustrações, diversas formas de tortura a que eram submetidos os negros cativos. TEODORO BRAGA, pág. 35; LAUDELINO FREIRE, pág. 155; REIS JR., pág. 206; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 17; PONTUAL, pág. 6; TEIXEIRA LEITE,pág. 14; ITAÚ CULTURAL.

305 - TIKASHI FUKUSHIMA - (1920 - 2001)
LL Composição - ost - 61 x 46 - cid
- Reproduzido no convite deste leilão.Natural da cidade japonesa de Fukushima, onde nasceu em 19 de janeiro. Vem para o Brasil em 1940, fixando-se em Lins, SP. Recebendo influência de Manabu Mabe, começa a se interessar por pintura. Em 1946, segue para o Rio de Janeiro, onde estuda com Tadashi Kaminagai, que o orienta na execução de paisagens impressionistas. Participa da I à IX BSP. Seu trabalho sofre transformações mais na direção do cubismo, no período da I à III BSP. A partir de 1957 sua pintura é informal, transformando-se depois no estilo que viria consagrá-lo como um dos grandes pintores abstratos do Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 141; TEIXEIRA LEITE, pág. 210; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 644; LEONOR AMARANTE, pág. 383.

306 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Guerreiro - grav. P.A. - 30 x 40 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 121 deste catálogo.

307 - NEWTON MESQUITA - (1948)
LL Composição - ose - 55 x 76 - cs
Pintor e gravador paulistano, Newton Mesquita é inquieto; provoca a sua arte com novos experimentos e técnicas. Desenhista de mão cheia, solta o traço com habilidade, recriando imagens, cores e texturas. JULIO LOUZADA, vol. 9, pág. 578; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

308 - CRISALDO MORAIS - (1932 - 1997)
LL No campo - g - 20 x 12 - cie
Pintor e ilustrador, Crisaldo d'Assunção Morais nasceu na cidade do Recife-PE 1932, iniciando-se na pintura como autodidata por volta de 1968, em São Paulo, onde é um dos organizadores do Movimento de Arte da Praça da República. Em 1975, organiza a mostra Festa das Cores no Masp. Ilustra os livros Les Proverbs Vus Par Les Peintres Naifs, de Anatole Jakovsky, e Le Chanson Traditionnelle et Les Peintres Naifs, de Roger Blanchard. Entre as exposições de que participa, destacam-se: Naive Painters of São Paulo, Washington DC (Estados Unidos), 1971; I Salão Internacional de Arte Contemporânea, Paris (França), 1974; Salon Mondial de la Peinture Naive, Levallois-Perret (França), 1975; Le Génie des Naifs, no Grand Palais, Paris (França), 1980; Arte Naif Brasileira, no MAC/Campinas, 1983; Bienal Naifes do Brasil, Sesc, Piracicaba, 1996. ITAU CULTURAL.

309 - PIERRE CHALITA - (1930)
LL Rostos - ost - 53 x 73 - cid e d - 1976
Pintor, decorador, músico, arquiteto e professor alagoano com diversas exposições e premiações Nacionais e Internacionais. JULIO LOUZADA vol. 3 pág. 259

310 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL O baile - dn - 37 x 29 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 090 deste catálogo.

311 - NORBERTO NICOLA - (1930 - 2007)
LL " Desenvolvimento " - comp art 1/1 - 70 x 100 - cid e d - 2003
Participou da exposição 450 anos de São Paulo, realizada na Fundação Bienal - São Paulo. -Pintor e tapeceiro. Foi aluno de pintura de Samson Flexor, no Atelier Abstração, em 1954. Em 1959, estudou nos centros tapeceiros europeus e cria, com Jacques Douchez, o Ateliê Douchez-Nicola de Tapeçaria. Entre as exposições de que participou, destacam-se: Salão Paulista de Arte Moderna, São Paulo, de 1956 a 1960 (várias vezes premiado); Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1963 e 1975; Mostra de Tapeçaria Brasileira, no MAB/Faap, São Paulo, 1974 (1º prêmio); Trienal de Tapeçaria, no MAM/SP, 1979 (Hors Concours); Arte Plumária do Brasil, no Smithsonian Institute e no Museu de Antropologia, Washington (Estados Unidos) e Cidade do México, México, 1982; Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal, São Paulo, 1994. JULIO LOUZADA vol, 4 pág, 800; MEC, vol, 3, pág, 261 e 262; WALMIR AYALA, vol 2, pág, 132; TEIXEIRA LEITE, pág 354. PONTUAL, pág, 384; ITAÚ CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 207.

312 - ZÉLIO ALVES PINTO - (1938)
LL Rostos - ost - 50 x 50 - cie - 1991
Pintor, desenhista, escultor, tapeceiro, publicitário, programador visual, artista gráfico, pesquisador, cartunista, escritor e professor, natural da cidade mineira de Conselheiro Pena. Estuda pintura na Academie La Grande Chaumière, em Paris, cidade onde realiza sua primeira individual, na Maison du Brésil, em 1962. Colabora em diversas publicações, tais como A Cigarra, Senhor, Revista da Semana, Jornal do Brasil e O Pasquim. Participa do 22º Salão Nacional de Arte Moderna, no Rio de Janeiro, em 1973, e da exposição Creativité dans l’art bresilien contemporain, nos Museés Royaux des Beaux Arts de Belgique, em Bruxelas (Bélgica), em 1980. Em 1990, realiza a exposição individual Zélio: Ruptura Exposta, no Masp, e, no ano seguinte, Ruptura em Observação, no Museu Municipal de Arte/Central Cultural Portão, em Curitiba. JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 1201; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 806, Acervo FIEO.

313 - OXANA - (1946)
LL Nu - e em b - h = 22 - as.
Com certificado de autenticidade da Galeria de Arte André. -Filha de pais ucranianos, a escultora nasceu na Alemanha e veio aos quatro anos com a família para o Brasil. Sua formação artística foi em Nova York, EUA, onde reside atualmente. Várias foram as exposições individuais, destacando-se: Rio de Janeiro, RJ (1975, 2002, 2009); São Paulo, SP (MASP- 1982). http://jbonline.terra.com.br www.artfacts.net.

314 - PEDRO WEINGÄRTNER - (1856 - 1929)
LL Menina - dc - 46 x 36 - cie - 1880
No estado. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 139 deste catálogo.

315 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Lavadeiras - osm - 33 x 23 - cid e d - 1944
- Reproduzido no convite deste leilão. Com etiqueta de Dan Galeria - São Paulo, no dorso. -Nasceu em 27 de dezembro na cidade de Villa Collemandina, na Itália, e fixou-se no Brasil desde 1929, após ter estudado em Florença, e haver-se diplomado em pintura pela Academia Real de Pintura de Lucca. Pennacchi integrou a Familia Artística Paulista. Muralista de inspiração pré-renascentista, sua pintura é sensível e pessoal de modo especial na interpretação dos grandes temas bíblicos e da vida dos santos (mercê de uma infância marcada por sólida educação religiosa Católica), e na evocação do mundo caipira. Realizada em 1973, considerado o Ano de Pennacchi, importante retrospectiva da obra deste festejado artista no MAM de São Paulo. O artista fez exposições em Milão e foi homenageado em seu país natal. TEODORO BRAGA, pág. 192; MEC, vol, 3, pág. 365; WALMIR AYALA, vol, 2, pág. 182; PONTUAL, pág. 416; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 784; Acervo FIEO.

316 - DANIEL CARRANZA - (1955)
LL Paisagem surreal - osm - 185 x 81 - cie
Pintor e desenhista natural de Buenos Aires, Argentina. Assina CZA. Suas primeiras orientações de desenho, ainda criança, são dadas por Alfredo Carracedo. Em 1982 muda-se para o Brasil. Autodidata, ingressa nos estudos da técnica do óleo e realiza uma exposição individual em São Paulo no ano de 1986. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 305.

317 - INOS CORRADIN - (1929)
LL Criança - ostce - 35 x 27 - cse e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 070 deste catálogo.

318 - FUKUDA (ROBERTO KENJI FUKUDA) - (1943)
LL Composição - ost - 100 x 100 - cie e d - 2009
Pintor, gravador e escultor nascido em Indiana, SP, e ativo na Capital. Filho de artista (seu pai é o pintor Tamotsu Fukuda), pinta desde cedo. Suas telas não passam desapercebidas, sejam pelas cores harmoniosas, vivas e vibrantes, sejam pela suavidade das composições, que tranquilizam o expectador. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 120; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

319 - ELONI (JOSÉ ELONI DA SILVA) - (1971)
LL Elefante - e em mad.pol. - h = 100 - as.
Eloni nasceu no interior do Ceará onde sua família lutou pela sobrevivência trabalhando no campo. Cresceu com as dificuldades do sertão nordestino. Em 1992, seu pai falece. Pouco depois, ele e sua mãe mudaram-se para Juazeiro do Norte, em busca de novas perspectivas. Por artimanhas do destino, Eloni e sua mãe se mudaram para uma pequena casa na mesma rua em que vivia um grande artista, José Cosmo Félix, conhecido na cidade como Nino. Eloni acabou por conhecer o trabalho de seu vizinho. Vendo Nino modelar a madeira, foi lhe despertado o interesse pela arte. O jovem carroceiro começa a trabalhar com o Mestre. Em seu atelier ajudava a lixar, limpar e pintar as figuras que Nino tão sinteticamente esculpia, ajudando-o por toda sua vida, mas, paralelamente, desenvolvendo um trabalho autoral, sendo considerado seu único e fiel discípulo.Trabalhando sob supervisão do Mestre e aprendendo com um dos maiores artistas de Juazeiro, Eloni tornou-se hábil na arte de esculpir madeira, criando um trabalho autônomo anos depois. Pela obra de Eloni, podemos ver Nino pulsar. Assim como podemos ver os olhos do pai no rosto do filho. Dessa forma Eloni subverte a arte. Em 2007 participa junto com outros 14 importantes artistas cearenses da I Mostra Sesc de Arte Naif realizada em Fortaleza. MUSEU VIRTUAL DE ARTE POPULAR.

320 - MIRA SCHENDEL - (1918 - 1988)
LL Composição - dn - 46 x 22 - cid - 1964
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 135 deste catálogo.

321 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Animais - ost - 60 x 70 - ci e d - 2007
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 049 deste catálogo.

322 - MARIO BETTINELLI - (1880 - 1953)
LL Mulher - ost - 63 x 50 - cid
Pintor e caricaturista, natural de Treviglio, Itália. Assinava M. Bettinelli. Estudou na Scuola d’Arte de Bréscia, Itália. Trabalhou alguns anos pela América do Sul, inclusive no Brasil, onde comercializou muitas de suas telas. Exposições coletivas na Itália: Bréscia; Milão (1906); Florença (1912). Exposição póstuma em Treviglio, Itália, em 2000.. Prêmios na Itália: Bréscia; Florença (1912). JULIO LOUZADA, vol.5, pág.116. www.askart.com.

323 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gatos - ast - 60 x 81 - cid e d - 2003
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista.- - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

324 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL Paisagem - ose - 30 x 20 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

325 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL " Emblema - 85 " - ast - 70 x 50 - d - 1985 - Brasília
- Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 133 deste catálogo.

326 - SYLVIO ALVES - (1926)
LL Infância - ose - 65 x 50 - cid
Formado e ativo em São Paulo, foi expositor do Salão Paulista de Belas Artes. Especializou-se na Academia de Belas Artes de Roma e na Escola Superior de Belas Artes, na Academia Julien e na Grande Chaumièrè, na França. MEC, vol. 1, pág. 72; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág.55; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

327 - JUAN MUZZI - (1949)
LL Composição - ast - 70 x 90 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 040 deste catálogo.

328 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL Vênus e pássaro - col. - 29 x 42 - n/as.
Com declaração de autenticidade de Marcelo Grassmann, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 100 deste catálogo.

329 - VICENTE LEITE - (1900 - 1941)
LL Paisagem do Rio de Janeiro - osm - 35 x 27 - cie - 1936 - Rio
Com dedicatória. -Vicente Rosal Ferreira Leite nasceu no estado do Ceará, onde servia na guarda do Palácio do Governo, quando o então governador João Tomé de Sabóia e Silva lhe ofereceu uma bolsa de estudos no Rio de Janeiro, em virtude de seus dotes como desenhista. Na antiga Escola Nacional de Belas-Artes, no Rio, teve Cândido Portinari e Orlando Teruz, entre outros, como seus condiscípulos. De 1920 a 1926 estudou sob a orientação de Lucílio de Albuquerque, Rodolfo Chambelland e João Batista da Costa - de quem sofreu grande influência em sua dedicação às paisagens. Reconhecido e condecorado com menções honrosas em todo país, realizou exposições em diversos estados brasileiros, e também participou de salões em países como Argentina e Estados Unidos. Executou ainda, no Palácio do Governo do Ceará, uma alegoria da Revolução de 1930 - obra onde empregou a técnica pontilhista da última fase dos impressionistas franceses. Suas obras podem ser encontradas no Museu Nacional de Belas-Artes, na Pinacoteca do Estado de São Paulo e no Museu Mariano Procópio, em Juiz de Fora. JULIO LOUZADA, VOL ,10, pág, 487. PONTUAL, pág, 308. MEC, VOL, 2, pág, 468; TEIXEIRA LEITE.pág, 284; ITAÚ CULTURAL.

330 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 10 x 18 - cie
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

331 - RENÉE LEFÈVRE - (1910 - 1996)
LL Conjunto do Unhão - a - 33 x 48 - cid - Salvador
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 086 deste catálogo.

332 - JOSÉ PROCOPIO DE MORAES - (1929)
LL Peixes - a e p - 27 x 40 - cid - 1979
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 147 deste catálogo.

333 - WLADIMIR KRIVOUTZ - (1904 - 1972)
LL Paisagem - ost - 54 x 65 - cid
Pintor, decorador. Estuda na Escola de Belas Artes de Petrogrado. Viaja a Paris, e em 1922 forma-se na École Nationale Superieure des Beaux-Arts. De volta à sua cidade natal, estuda com Soudeikine e Bakst. Em paralelo, atua como representante especial do governo francês na Indochina, em 1925. Entre 1927 e 1930, trabalha como cenógrafo dos teatros L'Opera e Champs Elysées; do Ballet de Boris Kniaseff, todos em Paris, e realiza uma série de desenhos para o balé de Anna Pavlova. Também trabalha como cenógrafo para produções cinematográficas, entre 1936 e 1943. É especialista em arte bizantina. Em 1946, vem para o Brasil; reside no Rio de Janeiro e posteriormente em Porto Alegre, em 1950. No ano seguinte, fixa residência em São Paulo, onde faz a decoração da Catedral Ortodoxa. ITAU CULTURAL

334 - RONALDO NORONHA - (1938)
LL Fachada - ose - 58 x 49 - cie
Pintor e desenhista, o autor interpreta a natureza com sentimento poético próprio, afetivo e persuasivo, incisivo nos contrastes formais, porém com toques delicados e, revelando o mundo de modo único e inimitável. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 642.

335 - JAIR GLASS - (1948)
LL Composição - tm - 27 x 19 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 150 deste catálogo.

336 - ALEX DOS SANTOS - (1980)
LL " Casamento de gato " - ast - 120 x 120 - cie e d - 2009
Alex Benedito dos Santos nasceu em Jaboticabal, SP, no dia 13 de fevereiro de 1980. Pintor autodidata, fez cursos de escultura com o prof. Silvio Scarpa e xilogravura com o prof. Saulo. Participou de "workshops" com o pintor Sigbert Franklin, em 2001. Tem participado regularmente dos diversos Salões Oficiais nas cidades do interior do Estado, destacando-se: I e II Bienal de Artes e Cultura de Jaboticabal, em 1999 e 2001, Salão de Artes Plásticas de Brodósqui, em 2003, quando foi selecionado para o Mapa Cultural Paulista, Salão de Artes Plásticas de Araraquara, em 2003, Salão de Artes Plásticas de Guarulhos, onde obteve Menção Honrosa, em 2004, Salão de Artes Plásticas de Santos, em 2004, Salão de Artes de Piracicaba, em 2005, Salão de Artes Plásticas de Sales de Oliveira, em 2005, onde obteve Menção Honrosa, Salão de Artes Plásticas de Catanduva, obtendo Menção Honrosa, em 2006. Foi premiado com o 1º lugar nos Salões de Artes de Mococa, em 2003, Sales de Oliveira, em 2003, Araraquara, em 2004 e Piracicaba, em 2006. Expõe individualmente desde 2004. Acervo FIEO. -

337 - ÉLON BRASIL - (1957)
LL Índias - tm - 75 x 52 - cse
Artista plástico autodidata, nasceu em 1957, na praia de Jurujuba, em Niterói-RJ, onde aos seis anos de idade começou a rabiscar seus primeiros crayons. Mudando-se em 1968 para São Paulo, aos 12 anos, ganhou sua primeira medalha de ouro na II PINARTE de Pinheiros. Em 1970, juntamente com os artista Aldemir Martins, Clóvis Graciano e Carlos Scliar, Élon ilustrou o livro de poesias "Cantando os Gols" de Tito Battine. Hoje, sua obra figurativa e abstrata é composta por imagens da terra: índios, negros e caboclos, cercados por textura e cores marcantes. Sua temática busca ressaltar e preservar a cultura brasileira e suas próprias raízes. Filho de baianos - mãe negra, neta de índios, e pai (o artista Milton Brasil), neto de imigrantes italianos e portugueses - Élon resgata em sua história e origem, a fonte de inspiração . Ao morar na Suíça por seis meses, obteve a oportunidade de expor o seu trabalho em diversas ocasiões, tornando-se conhecido internacionalmente, principalmente com encomendas para colecionadores europeus.

338 - GIANCARLO ZORLINI - (1931)
LL Ouro Preto - ost - 50 x 65 - cid e d - 1965
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 153 deste catálogo.

339 - ANA BERTHET - (1949)
LL Mulheres - ost - 60 x 80 - cid - 1978
Com carimbo do Mirante das Artes de Pietro Maria Bardi, no dorso. -Pintora paulista, iniciou seus estudos na Associação Paulista de Belas Artes e na Fundação Armando Alvares Penteado, participou de diversas exposições coletivas e individuais. Expôs na Galeria Aliança Francesa. Em suas obras Ana Berthet demonstra toda a sua simplicidade em tons claros e pastéis, retratando figuras disformes e fortes, explicando: é assim que vejo o ser humano, forte e vigoroso. Cada pessoa possui dentro de si uma força, que nunca coloca para fora".

340 - FRANCISCO BRENNAND - (1927)
LL Flor - psa - 10 x 10 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 183 deste catálogo.

341 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Família - lito. P.A. 1/30 - 50 x 35 - cid - 1979
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 315 deste catálogo.

342 - EDGARD MENEZES - (XX)
LL " Mariana " - ostce - 22 x 32 - cid e d - 1982
Pintor com atividades artísticas concentradas no Rio de Janeiro. Figurou no Salão Nacional de Belas Artes de 1970 e 1971, tendo conquistado, no último, a Menção Honrosa. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 631.

343 - MADELEINE COLAÇO - (1907 - 2001)
LL Flores - t - 50 x 37 - cid
Nasceu em Tanger, Marrocos. Casou-se em 1928 com o escritor e jornalista português Thomaz Ribeiro Colaço. Em 1940 o casal transferiu-se para o Brasil, fugindo da ditadura de Salazar. Estudou a arte da tapeçaria no Marrocos, na França, na Inglaterra e em Portugal criando um ponto bordado, batizado por Marie Cutolie de Ponto Brasileiro. Os "sambas" bordados de Madeleine Colaço, utilizando uma frase que ela mesma inventou, são dominados pelos ritmos pulsantes alcançados através de uma justaposição de cor e texturas sutis. Ela consegue este efeito em parte com a mistura de fios de diversos materiais: lã, seda, algodão e fios metálicos e também com uma mistura de pontos: o Ponto Brasileiro (criado por ela) o "point coulée" (ponto usado na célebre tapeçaria da Reine Matilde no séc. XI) e arraiolos. Exposições: Rio de Janeiro, RJ (1953, 1964, 1965, 1968, 1970, 1973, 1974, 1978); Estados Unidos (1963); São Paulo, SP (1965, 1973 a 1975, 1981); França (1967, !974, 1983); Canadá (1969); Porto Alegre, RS (1971, 1973); Curitiba, PR (1972); Belo Horizonte, MG (1972); Brasília, DF (1975); Suíça (1976, 1979, 1984); Alemanha (1962, 1963, 1979). Prêmios: Rio de Janeiro, RJ (1955). JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 290. http://www.colaco.art.br. http://www.ardies.com.

344 - ERNESTINA - (XX)
LL Campones - e em br - h = 29 - b
Ceramista natural do Alto do Moura, Caruaru - PE, onde é ativa. Foi aprendiz e colaboradora de Mestre Vitalino. -

345 - GUIDO TOTOLI - (1937)
LL Paisagem - ost - 50 x 60 - cid
Italiano, radicado no Brasil, Totoli é acima de tudo ótimo paisagista e pintor de figuras, fazendo uso de uma cor e de uma pincelada vivas e truculentas. Tem se dedicado com muita felicidade às cerâmicas. MEC, vol.4, pág. 408; JULIO LOUZADA, vol.11, pág. 325, Acervo FIEO.

346 - MANEZINHO ARAUJO - (1910 - 1993)
LL Jangadas - ser. 135/150 - 22 x 33 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 146 deste catálogo.

347 - JOSINALDO FERREIRA BARBOSA - (1951)
LL " Navio Epitácio Pessoa e Ribeirinhos " - ast - 60 x 80 - cid e d - 2009
Pintor, assina Josinaldo. Com diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior. Tambem participou de Salões, entre eles o Salão de Piracicaba. JÚLIO LOUZADA vol. 12 pág. 214.

348 - MARCOS OLIVEIRA - (XX)
LL " Francisco III " - ast - 50 x 60 - cid e d - 2008
Diretor de arte e artista plástico, Marcos Oliveira trabalha com a arte Naïf moderna. Ele também apresenta a cultura nordestina com cores intensas e mãos e pés destacados pelo tamanho. Para ele o Naïf representa o que o Brasil tem de melhor. A arte Naïf é o cartão postal do Brasil no exterior.-

349 - ROBERTO DE LAMONICA - (1933 - 1995)
LL Composição - grav. 91/110 - 25 x 20 - cid - 1965
Gravador, pintor e professor. Inicia seus estudos na Escola de Belas Artes de São Paulo. Trabalha no Museu de Arte de São Paulo sob orientação de Poty e Darel; mais tarde, estuda gravura com Renina Katz. Em 1958, muda-se para o Rio de Janeiro e estuda com Orlando da Silva no Liceu de Artes e Ofícios. No ano seguinte, aperfeiçoa-se com Johnny Friedlaender no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Em 1963, é convidado para lecionar na Escola de Belas Artes de Minneapolis, Estados Unidos. Em 1965, recebe a Bolsa Guggenheim e, no ano seguinte, vai para Nova York onde leciona gravura em várias instituições, como a New School for Social Research e a Art Students League. De 1982 a 1984, dirige o atelier de gravura da Universidade de Sydney. ITAÚ CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 521.

350 - ORLANDO DA SILVA - (1923)
LL Coruja - lito. 10/30 - 25 x 18 - cid - 1971
Português da cidade do Porto, veio fixar-se no Rio de Janeiro, onde estudou gravura com Carlos Oswald. Participou das I e V Bienais de São Paulo e do SNAM (1954 a 1962). É reconhecido como verdadeiro continuador de seu mestre Carlos Oswald. PONTUAL, pág. 494; TEIXEIRA LEITE.

351 - RUBEN ESMANHOTO - (1954)
LL Fachada - v e s/t - 50 x 60 - cie e d - 1986
Nasceu em Curitiba, PR, no dia 16 de fevereiro de 1954. Sobre a sua obra, assim se manifestou o consagrado e saudoso pintor Carlos Scliar, apresentando a exposição do autor na Galeria Paulo Prado, SP, em 1987: " O clima de cada pintor é estruturado lentamente no seu processo natural de amadurecer. Isso implica toda a sua vivência - tenha ou não consciência desse processo que é irrecorrível e irreversível. Mas tudo isso não basta se o artista não é alguém que saiba que talento não é suficiente e que o exercício de sua profissão se faz ao longo das 28 horas de cada dia. Ruben Esmanhotto sabe disso e vem trabalhando conscientemente com todas as certezas e dúvidas e teimosias necessárias. O resultado parcial aí está, pois é jovem. É mais do que um pintor novo que aponta. É sério e tem todos os elementos para se tornar um de nossos importantes artistas." JULIO LOUZADA. VOL, 10, pág, 768; ITAÚ CULTURAL.

352 - ALBERTO LUME - (1944)
LL " Final de férias " - ost - 80 x 100 - cid e d - 1998
Nascido José Alberto Nascimento Gomes Lume, natural da Ilha da Madeira, Portugal, em 6 de fevereiro de 1944. Formou-se artísticamente na Europa, onde conviveu com renomados pintores, tornando-se um colorista experimentado. Radicado no Brasil, usa o seu talento para fixar a beleza da cor brasileira. JULIO LOUZADA vol.11, pág. 184

353 - BIBIANA CALDERON - (XX)
LL Rosto - dl - 28 x 19 - cid - 1978
Pintora e gravadora argentina ativa no Rio de Janeiro. A figura feminina é o enfoque principal de sua obra. Recebeu excelente critica de Geraldo Edson de Andrade, por ocasião de sua segunda individual naquela cidade (outubro de 1977). JULIO LOUZADA, vol 9 pág. 157

354 - ALOISIO LUCAS DE SIQUEIRA - (1938)
LL Baiana - ost - 100 x 60 - cid e d - 1979
Natural de Serra Talhada, PE. Transferindo-se para São Paulo em 1963, conheceu Mário Schemberg, que o incentivou a permanecer sempre fiel à sua maneira de ser como pintor, que transmite a pureza e o sentimento do sertanejo do nordeste. ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 215; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO.

355 - ENRICO BIANCO - (1918)
LL Jangada - lito. 30/60 - 48 x 33 - cid
Nascido na Itália, é hoje considerado um de nossos melhores pintores. Atingiu um estilo pessoal, figurativo, eminentemente lírico, baseado em um desenho livre e numa cor sensível. THEODORO BRAGA, pág. 54; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 99, 110 e 104; MEC, vol. 1, pág. 242; PONTUAL, pág. 76; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 594. Acervo FIEO. -

356 - CAROL KOSSAK - (1895 - 1976)
LL Negro - ost - 46 x 38 - cid
Excepcional pintor ativo em São Paulo, onde realizou exposição individual em 1941. Consta ainda em sua bibliografia, ter participado de várias exposições nas décadas de 30 e 40. Pintou marinhas, animais, principalmente cavalos e figuras. Reputado como grande retratista. MEC vol.2 pág. 411; TEODORO BRAGA, pág. 134.; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 512, Acervo FIEO.

357 - JOSÉ ANTONIO VAN ACKER - (1931 - 2000)
LL " A prostituta adormecida " - dn e a - 21 x 31 - cie - 1956
No estado. -Pintor, escultor, desenhista, gravador e professor nascido em São Paulo, SP, em 4 de dezembro de 1931. Estudou na Escola de Belas-Artes de São Paulo, entre 1951 e 1954, e escultura em madeira com Lazlo Zinner. Sobre a sua obra assim se manifestou Inácio da Silva Telles: " Os quadros de van Acker ferem-nos de maneira estranha. Subitamente nos encontramos cindidos, cada parte de nós atinada em campos antagônicos, e não apenas para uma interessante e cordial discussão, mas para uma guerra aberta, uma guerra total, que ameaça destruir, ganhe quem ganhar, nossas antigas e acomodadas habitações... " O artista expõe individualmente desde 1962, participando de coletivas desde 1954, sempre com premiações. JULIO LOUZADA, vol. 9 págs.887 e 888; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 966, Acervo FIEO.

358 - GIOVANNI OPPIDO - (1907 - 1988)
LL Favela - ose - 45 x 60 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 175 deste catálogo.

359 - JUDITH LAUAND - (1922)
LL Composição - ser. 19/100 - 35 x 35 - cid
Nasceu na cidade paulista de Pontal. Em 1950 formou-se em artes plásticas na Escola de Belas Artes de Araraquara-SP. Em 1952, já em São Paulo, estuda pintura com Domênico Lazzarini e gravura com Lívio Abramo. Integra o grupo paulista do movimento de arte concreta em 1955. Participa da Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1955 e 1969; Exposição Nacional de Arte Concreta, São Paulo, 1956; Tendências Construtivas no Acervo do MAC/USP, Rio de Janeiro, 1996; Arte Construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leirner, São Paulo e Rio de Janeiro, 1998 e 1999. Na crítica de Mario Schenberg, ..." Judith Lauand permanece fiel a sua postura e trajetória concretista. Sua obra recente revela a densidade da composição, o apuramento do cromatismo, o equilíbrio do grafismo, conseguidos por constante pesquisa. Judith envereda agora por novos caminhos realizando obras que podem ser chamadas de assimétricas, onde o geometrismo da decomposição cromática destrói a ‘partição eqüilateral’ presente ao longo de sua obra, criando uma nova simetria. " (LAUAND, Judith. Judith Lauand : pinturas. Sao Paulo : Choice Galeria de Arte, 1986. p. 3). JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 479; ITAU CULTURAL.

360 - JOSÉ BENEVENUTO MADUREIRA - (1903 - 1976)
LL Igreja - osm - 29 x 41 - cid
Nascido em Sorocaba / SP, radicou-se em Santos onde foi ativo em sua arte. Estudou com Campos Ayres e Enrico Vio. Participou de coletivas no Salão Paulista de Belas Artes / SP, Salão Nacional de Belas Artes / RJ e Salão de Belas Artes / Santos/SP, tendo recebido diversos prêmios. Tem obras na Pinacoteca do Estado de São Paulo, Palácio e Prefeitura de São Paulo. MEC, vol. 3, pág. 36; JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 566, Acervo FIEO.

361 - MANOEL BRITTO - (1950)
LL Sanfoneiro - ost - 50 x 40 - cid - 1988
Nasceu em São Paulo, Capital, onde estudou na Faculdade de Jornalismo Cásper Líbero e na Faculdade de Comunicação Social Anhembi. Fez curso de litografia com João Câmara, em Olinda-PE. Participou de estudos de pintura abstracionista com Raya Perez. Individuais em 1986 e 1987. Coletivas desde 1975, inclusive no exterior. JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 178. Acervo FIEO.

362 - NEWTON CAVALCANTI - (1930 - 2006)
LL Figuras - xilo. P.A. - 26 x 28 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 179 deste catálogo.

363 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL A carta de amor - ost - 50 x 40 - cid
Romeno da cidade de Hotin, Waidergorn veio para o Brasil em 1932, onde seus pais fixaram residência em São Paulo. Ingressou na APBA, onde conheceu Mecatti, que muito o estimulou e orientou, dele assimilando a luminosidade da pintura peninsular muito a gosto do ottocento italiano. Sua pintura aborda todos os gêneros, baseadas tanto nas recordações da infância pobre como nas lembranças das viagens que fez ao norte da Africa e Europa. Participou de diversos salões e coletivas, recebendo diversas premiações JULIO LOUZADA vol.11, pág. 330; Acervo FIEO.

364 - ALBERTO ADANS - (1942)
LL Flores - ost - 70 x 50 - cie - 1987
Pintor natural de São Paulo, onde é ativo. Médico, iniciou-se nas artes em 1980. Teve como orientador o artista plástico Rolando Scurzio, discípulo de Castellane. A partir de 1984 passa a integrar o Grupo Matisse, de Francesco Gallotti e Miguel Lopez Pallas. Com intensa participação nos salões oficiais a partir de 1981, conforme extensa e lista constante da bibliografia abaixo, onde também constam as muitas premiações recebidas por este brinlhante artista. Acervo FIEO; JULIO LOUZADA, vol. 2 pag 27 e 28

365 - SOU KIT GOM - (1973)
LL " Noite entre as árvores " - ost - 54 x 65 - cie e d - 2001
Iniciou na arte em 1986, no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo. Estudou Publicidade na Fundação Armando Álvares Penteado, e em 1992 foi aluno do pintor Fang. Cursou gravura com Romildo Paiva em 1995. Participa de coletivas desde 1994, recebendo diversas premiações. Expõe individualmente desde 1995. Sobre a sua obra, assim tem se manifestado a crítica especializada: "Observar as obras de Sou Kit é um prazer para os olhos e um deleite para a alma que mergulha na energia criativa e se renova na renovação de cada pincelada, ritmo das linhas e pureza das formas". (Ivanir Pineda Sanches/1997); "A arte de Sou Kit Gom se caracteriza pelo equilibrio e harmonia de traços e cores e através dela ele é capaz de dar abundante vida à sua inspiração. "(Darcy Valente/1999). JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 841

366 - JAMES CHRISTIAN - (XX)
LL Casario - ost - 40 x 60 - cie - 2008
Com certificado de autenticidade do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 181 deste catálogo.

367 - HELENOS (EDSON HELENO DA SILVA) - (1941)
LL Paisagem - ose - 34 x 50 - ld
Pintor pernambucano, há longos anos em São Paulo, já participou da Bienal de São Paulo e realizou inúmeras individuais. MEC, vol. 2-pág. 334; WALMIR AYALA, vol. 1-págs. 386/7; PONTUAL, pág. 262; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 462, ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO.

368 - FRANCISCO BRENNAND - (1927)
LL Flor - psa - 10 x 10 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 183 deste catálogo.

369 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 12 x 18 - cie - 1946
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 002 deste catálogo.

370 - ALFREDO VOLPI - (1896 - 1988)
LL Fachada - ser. 58/200 - 63 x 42 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 003 deste catálogo.

371 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato - grav. - 19 x 12 - cid - 1967
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

372 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 14 x 11 - cid - 1947
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 002 deste catálogo.

373 - ALFREDO VOLPI - (1896 - 1988)
LL Bandeirinhas - ser. P.A. 14/30 - 56 x 38 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 003 deste catálogo.

374 - IVALD GRANATO - (1949)
LL Cabeça verde - gic - 16 x 12 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 004 deste catálogo.

375 - AUGUSTO RODRIGUES - (1913 - 1993)
LL Mulheres - lito. P.A. - 46 x 31 - cid - 1974
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 082 deste catálogo.

376 - GEJO - (XX)
LL Animais - spray - 20 x 40 - cid - 2009
Com etiqueta de Monica Filgueiras - Galeria de Arte, no dorso. -Grafiteiro de São Paulo. Iniciou nas ruas em 1989, com pixos , grapixos e frases de protesto. Nesta época também começava a se identificar com a cultura hip-hop, que desde 86 já começava se interessar, com o passar do tempo absorveu outras formas de intervenção dentro da ''Street Art'', como stencil, lambe-lambe, stickers, nos mais variados suportes, como carros abandonados muros, casas, sucata, poste, tela e tudo que a tinta se adere.

377 - ANTONIO MEIRELLES - (1919)
LL " Olinda " - ost - 22 x 16 - cid e d - 1968
Pintor natural da cidade do Recife-PE. Transferiu-se para o Rio de Janeiro em 1936, ingressando na Marinha de Guerra, sem deixar de trabalhar com a pintura, que mais tarde, seria sua dedicação exclusiva. Teve orientação artística de José Pancetti no Liceu de Artes e Ofícios e, também, cursou a antiga ENBA-RJ. Na década de 60 obteve vários prêmios no SNBA-RJ, com medalhas de bronze, prata e menção honrosa. Realizou individuais no Rio de Janeiro, além de participar de Salões Oficiais no Rio e em São Paulo recebendo premiações. JULIO LOUZADA, vol 1, pág 625

378 - GLAUCO PINTO DE MORAES - (1928 - 1990)
LL Locomotiva - ser. 2/100 - 58 x 39 - cid - 1979
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 023 deste catálogo.

379 - ERICO DA SILVA - (1932 - 2004)
LL " Arranjo no atelier " - ost - 80 x 80 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 194 deste catálogo.

380 - INGRES SPELTRI - (1940)
LL Vaso com flores - ose - 80 x 60 - cid e d - 1995
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 010 deste catálogo.

381 - PAGAL - (1925 - 1996)
LL Gato - dc - 35 x 50 - cid - 1973
Pintor, natural desta Capital-SP, onde nasceu a 9/10/1925. Foi para o Canadá em 1946, onde fez curso de arte no Art Course of the Museum of Fine Arts. Foi locutor e comentarista de arte e história do Canadá, na CBC-Canadian Broadcasting Co. Frequentou o ateliê de Waldemar da Costa, quando também eram participantes Aldemir Martins, Milton da Costa, Clóvis Graciano, Maria Leontina e Outros destacados artistas (1950-1953). Após sua primeira exposição individual em 1969, dedica-se integralmente à pintura profissional. O critico Olney Kruse destacava: "... Nas telas atuais, de colorido forte e intenso e ainda psicodélico ele exibe em seu estúdio o que restou de uma recente exposição de mini-quadros, feitos como se fossem fragmentos de uma astronave reingressando na atmosfera....No Pagal de hoje são muito evidentes os sinais de um homem místico, voltado para o Cosmos, de onde parece extrair inesgotáveis sinais, signos e símbolos que incomodam porque aguçam nossa imaginação e também nos tranquilizam porque eles próprios parecem dizer: não adianta indagar porque a vida é isto e assim." JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 846

382 - IMELDA CAMPOS - (1923)
LL " Itanhaém " - ost - 20 x 40 - cid e d - 1990
Natural de Graz, Áustria, onde nasceu a 28 de outubro de 1923. Pintora, está radicada desde 1974 em Itanhaém, SP. Foi incentivada pelo professor e pintor Francisco Prohane, de quem recebeu orientação. Coletivas desde 1950, com premiação em 1989 - Medalha de Prata - no Clube Náutico de Itanhaém. JULIO LOUZADA, vol 04 - pág 204

383 - MÁRIO CRAVO NETO - (1947)
LL Namorados - grav. 12/50 - 40 x 30 - cid - 1970
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 163 deste catálogo.

384 - LEONEL MATTOS - (1955)
LL "O palco " - ast - 50 x 60 - cid e d
Leonel Rocha Mattos é natural de Coaraci, BA. Assina Leonel Mattos. Autodidata, começa a pintar em1971, tendo executado cartazes para peças de teatro, murais e painéis. Transferiu-se para São Paulo em 1984. Exposições individuais: Salvador, BA (, 1974, 1977, 1980, 1983, 1987, 1991, 1993, 1997, 1998, 2001 a 2004); São Paulo, SP (1986, 1987); Rio de Janeiro, RJ (1987). Coletivas: Salvador, BA (1971, 1977, 1979, 1980, 1982, 1983, 1984, 1985, 1988, 1989, 1994, 1997 a 1999, 2002); Londres, Inglaterra (1977); Recife, PE (1984, 1986); Rio de Janeiro, RJ (1985, 1988, 1989); São Paulo, SP (1985, 1986, 1987, 1988, 1989, 1995, 1996); Presidente Prudente, SP (1985, 1986); Paraná (1985, 1986); Paris, França (1987, 1988); Goiânia,GO (1985, 1988, 1989); Belém, PA (1986); Belo Horizonte, MG (1985, 1986, 1987); São Félix, BA (1995). Prêmios: Salvador, BA (1975, 1977, 2004); Presidente Prudente, SP (1985, 1986); São Paulo, SP (1975, 1985); São Félix, BA (1995). JULIO LOUZADA, vol.3, pág. 713; vol.4, pág. 711. ITAU CULTURAL.

385 - MARIA TEREZA LOURO - (1963)
LL Composição - ost - 60 x 100 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 200 deste catálogo.

386 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL Emblema - ser. 79/130 - 61 x 41 - cid - 1989
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 133 deste catálogo.

387 - PAULO PENNA - (1949 - 1988)
LL Paisagem - ostce - 49 x 49 - cie e d
Com etiqueta n° 5601 de Renot Art Dealer - São Paulo. -Pintor, desenhista e gravador, natural de Rio Grande, RS. Fez figurinos e cenários para teatro e dança, decoração e ilustração. Foi aluno de Ornella Anselmi, Ida Vidal e Nestro Marques Rodrigues. Foi ativo em São Paulo, onde residia. Participou da mostra Os Artistas pelas Diretas, na Folha de São Paulo, em 1984, mesmo ano que expôs na Galeria Paulo Prado-SP, e também recebeu prêmios de aquisição no III Salão de Artes Plásticas de Araraquara e I Salão de Alphaville, SP. JULIO LOUZADA, VOL,5 pág, 797; ITAÚ CULTURAL; RGS, pág. 398.

388 - VITTÓRIO GOBBIS - (1894 - 1968)
LL Caminho - osm - 41 x 33 - cie - 1944
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 201 deste catálogo.

389 - ADRIAN HENRY VAN EMELEN - (1886 - 1945)
LL Figura - osm - 32 x 22 - cid - 1927
Pintor e escultor ativo em São Paulo na primeira metade do Séc.XIX. Foi autor das figuras de bronze, dos bandeirantes: Manoel Preto e Francisco Brito Peixoto e da tela TROPEIROS À BEIRA DA ESTRADA (1830), atualmente no Museu Paulistano. MEC, vol.2, pág.111; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 1022, Acervo FIEO.

390 - ARMANDO VIANNA - (1897 - 1988)
LL Paisagem do Rio de Janeiro - osm - 24 x 34 - cid - 1965 - Rio
Este grande pintor carioca foi discípulo de Rodolfo Chambelland e Rodolfo Amoedo na antiga Escola Nacional de Belas Artes e de Eurico Alves e Stefano Cavalaro, no Liceu de Arte e Ofícios do Rio de Janeiro. É ainda hoje, considerado um dos maiores aquarelistas brasileiros. Realizou exposições individuais e em todas as principais capitais brasileiras. MEC vol.4, pág.470; JULIO LOUZADA vol.3, pág.186. PONTUAL pág. 538; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

391 - ALBERTO DA VEIGA GUIGNARD - (1896 - 1962)
LL Ouro Preto - sang. - 20 x 30 - ld
Reproduzido sob o n.° 63 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Pintor, desenhista, gravador e professor. No dizer de Rodrigo de Melo Franco de Andrade, no álbum de reproduções da obra do artista, em 1967: "Quando Guignard voltou da Europa, para onde tinha ido menino, só regressando com mais de 30 anos, redescobriu o Brasil, tomado de uma ternura e de uma admiração comovidas que conservou até os seus últimos dias. Toda a obra que produziu, desde então, ficou impregnada da emoção e da poesia sentidas naquele reencontro com a terra natal." PONTUAL, pág. 254 a 256; MEC, vol. 2, pag. 304; TEIXEIRA LEITE, pág. 236 a 240 ; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 404; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 1013; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 373/375/377; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 559; ARTE NO BRASIL, pág. 505; LEONOR AMARANTE, pág. 28.

392 - ELZA DE OLIVEIRA SOUZA - (1928 - 2006)
LL Menino - osp - 47 x 32 - cie - 1964
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 206 deste catálogo.

393 - BENJAMIN SILVA - (1927)
LL " Estudo... " - tm - 22 x 15 - ci e d - 1965
Complemento de título: " Estudo para São Miguel defendendo uma cidade ". -Cearense de Juazeiro, Benjamin Silva antes de se mudar para o Rio de Janeiro, então com 20 anos, foi seringueiro no Amazonas. Foi aluno de Inimá de Paula na Escola do Povo, nos idos de 1950. Inicialmente figurativista, após 1963 adota uma linha de expressionismo agressivo. Sua pintura passeou também pelo surrealismo. MEC, vol.4, pág.246; TEIXEIRA LEITE, pág.70; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 943.

394 - GUERINO GROSSO - (1907 - 1988)
LL Natureza morta - ost - 54 x 73 - cie
Natural de Rio Claro, neste Estado, Guerino Grosso iniciou seu aprendizado artístico em 1917. Frequentou a Escola de Belas Artes de São Paulo. Artista de grande sensibilidade, dedicou-se à pintura de naturezas mortas com metais, confirmando-se como um dos melhores do gênero. JULIO LOUZADA, vol, 12 ,pág 189. MEC, vol, 2, pág, 284; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

395 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Figuras - dce - 20 x 10 - cie - 1985
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 315 deste catálogo.

396 - HARRY ELSAS - (1925 - 1994)
LL Figura - ostce - 66 x 47 - cid - 1969
Nascido na Alemanha e radicado no Brasil desde 1936, Elsas desenvolveu suas aptidões artísticas com Lasar Segall, que muito o incentivou a ingressar na carreira das artes. Permaneceu no Nordeste brasileiro por oito anos, retratando com maestria e singularidade paisagens e aspectos da vida local, sempre com influência renascentista, com cor e desenhos fortíssimos. Participou de coletivas no Brasil e no exterior a partir de 1962, com excelente repercussão. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 99. MEC, vol, 2, pág, 111; TEIXEIRA LEITE, pág 176; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

397 - HÉLIOS SEELINGER - (1878 - 1965)
LL Tropeiros - dl e a - 28 x 24 - cid - 1956
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 111 deste catálogo.

398 - LEOPOLDO GOTUZZO - (1887 - 1983)
LL Paisagem - ost - 22 x 35 - cie - 1931 - Rio Grande do Sul
Gaúcho de Pelotas, Gotuzzo foi pintor e desenhista. Estudou em Roma com Joseph Noel a partir de 1909. Permaneceu na Europa por vários anos, aperfeiçoando a sua arte em diversas cidades. Enviava suas obras para os Salões Nacionais, conquistando diversas premiações. Pintor de paisagens e nús, dedicou-se também ao retrato, inclusive a crayon. É artista que teve seu talendo reconhecido por todos os críticos de sua época, figurando em publicações especializadas. JULIO LOUZADA vol.10, pág. 395; PONTUAL, pág. 247; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 601.

399 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
LL Composição - grav. 25/110 - 35 x 23 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 109 deste catálogo.

400 - CANDIDO DE OLIVEIRA, EDMILSON - (1961)
LL Veneza - ost - 60 x 80 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 215 deste catálogo.

401 - MARTINHO DE HARO - (1907 - 1985)
LL Figura - ost - 49 x 40 - cie
Com dedicatória. -Martinho de Haro (São Joaquim SC 1907 - Florianópolis SC 1985). Pintor, desenhista e muralista. Inicia-se na pintura em Lages, Santa Catarina, em 1920 e expõe individualmente pela primeira vez no Conselho Municipal de Florianópolis, em 1926. Como bolsista do governo catarinense, estuda na Escola Nacional de Belas Artes - Enba, no Rio de Janeiro, de 1927 a 1937, tendo aulas com Cunha Melo e Rodolfo Chambeland. Trabalha como auxiliar de João Timóteo na decoração da Igreja de Nossa Senhora da Pompéia, em 1930, e de Eliseu Visconti na execução do panneau do Teatro Municipal, de 1930 a 1935. Ainda na década de 30, freqüenta o curso de pintura de Henrique Cavaleiro e o Núcleo Bernardelli; viaja à França, onde estuda com Otto Friez na Academia de La Grande Chaumiere de Paris, em 1938. Devido ao início da guerra, retorna a São Joaquim em 1939, ali permanecendo até 1944, quando muda-se para Florianópolis. ITAÚ CULTURAL.

402 - YOLANDA MOHALYI - (1909 - 1978)
LL Plantas - dc - 60 x 47 - cie
Pintora, desenhista e professora. Formação artística na Academia Real de Belas Artes de Budapest. Ativa em São Paulo a partir de 1931. Fez parte do Grupo dos Sete, juntamente com Victor Brecheret, Gomide e outros. Participante de diversas Bienais de São Paulo, entre 1951 e 1967, recebendo diversas premiações TEIXEIRA LEITE, pág. 331; PONTUAL, pág. 363; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 937; LEONOR AMARANTE, pág. 75; Acervo FIEO.

403 - VALDEIR MACIEL - (1937 - 2005)
LL Composição - ost - 60 x 60 - d - 1980
Natural de Bacabal-MA, residiu e foi ativo em São Paulo. Participou de diversas exposições, destacando-se XI ao XVI Salão Paulista de Arte Moderna - Medalha de Bronze (1963 e 1965); 9ª Bienal Internacional de São Paulo. Segundo o crítico Theon Spanudis: "Ao contrário da pintura de Rubem Valentim, que emana sempre poderosas e vibrantes cargas mágicas, imperiosas e afirmativas, a pintura de Valdeir Maciel, nascido em São Luís do Maranhão e radicado em São Paulo, é mais introvertida, silenciosa, escondida em seu misticismo esotérico, mas de enorme amplitude metafísica e religiosa. Às vezes enigmática, mas raramente luminosa, prefere os coloridos sombrios, obscuros e abscônditos. Começando com um tachismo corriqueiro, foi sacudido em 1961 pela primeira exposição neoconcreta de São Paulo. De lá em diante ele virou geométrico. Mas seu construtivismo não tem nada a ver com o concretismo, ou o neoconcretismo, por causa do seu intenso misticismo e profundidade esotérica. No início ele pintava figurações geométricas no meio da tela, cercadas por toda a superfície vazia da tela, figurações como de objetos sacrais e preciosos de religiões e cultos desconhecidos. Mais tarde ele começou a expandir as suas formulações geométricas e construções esotéricas, até ocupar toda a superfície da tela." in SPANUDIS, Theon. Construtivistas brasileiros. São Paulo: o Autor, s.d. WALMIR AYALA, MEC, PONTUAL, pág. 327; TEIXEIRA LEITE, pág. 298; WALTER ZANINI, pág. 688; JULIO LOUZADA, vol. 12, pág. 245. ITAU CULTURAL.

404 - TIKASHI FUKUSHIMA - (1920 - 2001)
LL Bonde em Santa Teresa - a - 17 x 29 - cid - 1948 - Rio
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 305 deste catálogo.

405 - DECIO FERREIRA - (1932 - 2008)
LL " The king " - ost - 70 x 50 - ci - 2007
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

406 - DANILO DI PRETE - (1911 - 1985)
LL Natureza morta - ost - 78 x 67 - cid e d
Nasceu em Pisa, Itália. Foi pintor e programador visual. Autodidata, iniciou a sua carreira na Itália. No Brasil desde 1946, participou de todas as Bienais de São Paulo, de 1951 a 1967, nelas recebendo o prêmio de Melhor Pintor Nacional em 1951 e 1965, dispondo de salas especiais para os seus trabalhos em 1961 e 1967. Foi o primeiro colocado no concurso internacional de cartazes para a VII BSP. Artista premiadíssimo. JULIO LOUZADA vol.10, pág.286; TEIXEIRA LEITE , pág. 163; PONTUAL, pág. 179; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 647; ARTE NO BRASIL, pág. 898; LEONOR AMARANTE, pág. 13.

407 - OTTO BÜNGNER - (1890 - 1965)
LL " Paineira em flor " - ostcc - 27 x 22 - cie - 1923 - Petrópolis
Pintor alemão, radicado no Brasil, participou de diversos Salões Nacionais de Belas Artes/RJ conquistando Medalha de Prata em 1915 e Menção Honrosa de Primeiro Grau em 1918; e da Exposição Flamboyant, organizada pela Sociedade Brasileira de Belas Artes/RJ em 1940. JÚLIO LOUZADA, vol. 5, pág. 169; ITAÚ CULTURAL.

408 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Pássaro - m em ac - h = 6 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

409 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Paisagem - ost - 80 x 100 - cid - 1975
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 034 deste catálogo.

410 - ROBERTO MORICONI - (1932 - 1993)
LL Nu - dn - 40 x 30 - cid - 1962 - Rio
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 217 deste catálogo.

411 - FARNESE DE ANDRADE - (1926 - 1996)
LL Figuras - tm - 50 x 60 - cse - 1978
Mineiro de Araguari. Pintor e gravador. Foi discípulo de Guignard, e se tornou destacado aluno pela sua criatividade. Mais tarde mudou-se para o Rio de Janeiro, onde aperfeiçoou-se no curso de Friedlander no MAM. No principio suas obras eram compostas de objetos que eram devolvidos pelo mar, bonecos mutilados e corroídos, madeiras e imagens de gesso. Com o passar do tempo, desenvolveu seu processo de criação, voltando-se para as suas raízes, memórias, tabus familiares e morais. Assim, chegou aos " bric-à-bracs" , antiquários, o kitsch e o sacral. JULIO LOUZADA vol.1B, pág. 64.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 760; ARTE NO BRASIL, pág. 911; Acervo FIEO.

412 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL Paisagem com figuras - ose - 28 x 18 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

413 - JOSÉ JULIO DE SOUZA PINTO - (1855 - 1939)
LL Casal - dl - 12 x 17 - cid
Pintor de gênero, retratista e paisagista, natural da Ilha de Terceira, Açores - Portugal. Cursou a Academia de Belas Artes do Porto e foi aluno de João Correia. Ganhando Prêmio de Viagem, residiu muitos anos em Paris, onde acabou permanecendo, encerrada a bolsa, por um longo período de sua vida, tornando-se discípulo de Cabanel e Yvon. Participou de inúmeras exposições, ganhando prêmios em 1883, 1889, 1895 e Hors Concours, em 1900, na Exposição Universal. Possui obras em vários museus. Faleceu na cidade do Porto, Portugal. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 936.

414 - ARAUJO LIMA - (1886 - 1958)
LL Paisagem - osc - 19 x 22 - cie - 1923
No estado. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 044 deste catálogo.

415 - ANTONIO PESSOA - (1943)
LL Par de esculturas - e em b - as.
1) Torso feminino, h = 8; 2) Torso feminino, h = 9; - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 045 deste catálogo.

416 - TOMIE OHTAKE - (1913)
LL Composição - ser. 83/100 - 50 x 50 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 046 deste catálogo.

417 - RENOT - (1932)
LL " Baiana no zoológico " - tm - 17 x 12 - csd
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 047 deste catálogo.

418 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 10 x 17 - cie
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

419 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Crucificação - ost - 25 x 30 - cid e d - 2007
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 049 deste catálogo.

420 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Tirando bicho de pé - e em br - h = 12 - n/as.

421 - TRINAZ FOX (RUBENS FERREIRA TRINAZ FOX) - (1899 - 1964)
LL Galo - dn e a - 50 x 35 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 051 deste catálogo.

422 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Marinha - ose - 20 x 30 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 052 deste catálogo.

423 - JOÃO JOSÉ RESCALA - (1910 - 1986)
LL Paisagem - ost - 45 x 60 - cid - 1944 - México
Ex-coleção Luiz Antônio de Rescala. - Natural do Rio de Janeiro, Rescala é pintor, desenhista e professor. Frequentou o Liceu de Artes e Ofícios e a antiga ENBA daquela cidade. Foi um dos fundadores do Núcleo Bernardelli. Paisagista e pintor de cenas de costumes, conquistou diversas medalhas e premios, inclusive de viagem, nos diversos SNBA que participou. Restaurou diversas obras de arte pertencentes a instituições religiosas da Bahia e Pernambuco, inclusive do Museu de Arte Sacra. MEC vol.4, pág. 54; PONTUAL, pág. 449; WALTER ZANINI, pág. 579, Acervo FIEO.

424 - FANG, CHEN KONG - (1931)
LL Cavalo e cão - a - 14 x 18 - cie - 1976
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 053 deste catálogo.

425 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Noiva - dn - 28 x 20 - cid - 1967
Reproduzido na pág. 117 do livro " Os pastores da noite " de Jorge Amado. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

426 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Figura - e em br - h = 11 - b - Caitana
No estado. -

427 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " Construção da ponte Rio - Niterói " - ost - 27 x 19 - cse e d - 1974
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 057 deste catálogo.

428 - LYGIA CLARK - (1920 - 1988)
LL Dobradura - m em pl - h = 15 - n/as.
Pintora e escultora; vinda do concretismo, integrou o movimento de arte neoconcreta; com "Bichos" (1960) - figuras geométricas articuladas no espaço - procurou motivar a participação do espectador através do movimento; em 1968, elaborou os espaços vivenciais , chamados "A Casa e o Corpo"; fez pesquisas no campo das sensações tácteis. ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1043; MEC, vol. 1, pág. 438; PONTUAL, pág. 136; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 207; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 655; LEONOR AMARANTE, pág. 74.

429 - OSWALDO GOELDI - (1895 - 1961)
LL Figuras na noite - xilo. 4/5 - 16 x 18 - cid
Ex-coleção Pascoal Carlos Magno. -Desenhista, gravador e professor, nascido no Rio de Janeiro, filho de Emilio A Goeldi, naturalista suiço. A partir dos seis anos estudou na Suiça. Sua obra sofreu influência do expressionista austríaco Alfred Kubin. Retornando ao Brasil em 1919, realizou no Rio de Janeiro sua primeira exposição em 1921, no Liceu de Artes e Ofícios. Publicou albuns e ilustrou diversos e importantes livros. É artista altamente conceituado no País e no exterior, tendo merecido diversas homenagens póstumas, inclusive em filme. PONTUAL pág. 240; JULIO LOUZADA vol.11, pág130; MEC vol. 2, pág.271; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 521; ARTE NO BRASIL, pág. 672; Acervo FIEO.

430 - FRANCISCO DA SILVA - (1910 - 1985)
LL Peixes - tst - 50 x 70 - cie - 1973
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 245 deste catálogo.

431 - MANUEL PEREIRA MADRUGA FILHO - (1882 - 1951)
LL Marinha com Pão de Açucar - ost - 44 x 69 - cid
Pintor e desenhista, de formação francesa; abordou temas nacionais em paisagens e composições históricas; fez também retratos e pintura decorativa. ARTE NO BRASIL vol.2, pág.1050; LAUDELINO FREIRE, pág. 515; THEODORO BRAGA, pág. 150 e 151; MEC vol.e, pág. 35; PONTUAL, pág. 327; WALMIR AYALA vol.2, pág. 15 e 16.

432 - ALFREDO VOLPI - (1896 - 1988)
LL Nu - dn - 48 x 31 - cie
Com etiqueta de Irineu Angulo Leiloeiro Oficial, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 003 deste catálogo.

433 - NIOBE XANDÓ - (1915)
LL Composição - ost - 55 x 45 - ci e d - 1960
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 083 deste catálogo.

434 - CARLOS PRADO - (1908 - 1992)
LL Figuras - tm - 38 x 62 - cid - 1963
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 237 deste catálogo.

435 - TADASHI KAMINAGAI - (1899 - 1982)
LL Casarão - ost - 46 x 38 - cid e d - 1970 - Paris
Com etiqueta de Renot Galeria de Arte - São Paulo, no dorso. -Grande pintor japonês da Escola de Paris, amigo de Marquet, Vlaminch e Déiran, entre outros, passou no Brasil praticamente toda a década de 1940, aqui se ligando de amizades a pintores como Portinari, Pancetti e Djanira, e iniciando na arte vários jovens pintores de ascendência nipônica, como Flávio Shiró Tanaka, por exemplo. Autor de paisagem, naturezas mortas e retratos de excelente qualidade pictórica, Kaminagai veio freqüentes vezes ao Brasil, onde expôs com enorme sucesso. TEODORO BRAGA, pág.134; BENEZIT, vol.6, pág.152; WALMIR AYALA, vol.1, pág.435 e 437; MEC, vol.2, pág.401; PONTUAL, pág.287; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 643; ARTE NO BRASIL; Acervo FIEO.

436 - DJANIRA DA MOTTA E SILVA - (1914 - 1979)
LL Conversa - ser. - 27 x 23 - cid
Com dedicatória. - Pintora, desenhista e gravadora, natural de Avaré, SP. Foi aluna de Marcier. A partir de 1942 participa do SNBA, recebendo premiação em 1943, 1944 e 1950. Realizou exposições individuais. Participou de diversas coletivas e salões de arte, nacionais e internacionais, com excelente recepção da crítica especializada. Diz-se que sua pintura é ingênua, mas ela declarava que ingênua, era ela mesma. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 336; PONTUAL, pág. 181; TEIXEIRA LEITE, pág. 164; MEC, vol. 2, pág 58; WALMIR AYALA, vol. 1, pág, 263; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 810; ARTE NO BRASIL, pág. 824; Acervo FIEO.

437 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Surreal - ost - 20 x 30 - cie - 1971
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 016 deste catálogo.

438 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Elefante - m em ac - h = 10 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

439 - HANS STEINER - (1910 - 1974)
LL " Baiana " - af - 18 x 12 - cid
Natural da Áustria, veio ainda jovem para o Brasil. Pintor, desenhista e gravador, estudou no Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro. Foi discípulo de Eurico Alves e Carlos Oswald, que teve influência decisiva na sua vida. Participou de numerosas exposições coletivas no Rio de Janeiro, de 1937 a 1941. Expôs em Viena, na Áustria. MEC. vol. 4, pág. 341

440 - INOS CORRADIN - (1929)
LL Mulher e pássaro - ost - 105 x 41 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 070 deste catálogo.

441 - ANITA MALFATTI - (1896 - 1964)
LL Nu - ostcm - 50 x 40 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 149 deste catálogo.

442 - RENÉE LEFÈVRE - (1910 - 1996)
LL Casa senhorial - a - 23 x 31 - cid - Bahia
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 086 deste catálogo.

443 - GENARO DE CARVALHO - (1926 - 1971)
LL " Série dos peixes " - t - 120 x 184 - cid e d
No estado. -Tapeceiro, pintor, desenhista. Genaro Antônio Dantas de Carvalho era natural da cidade de Salvador-BA, onde também faleceu. Em 1944, vai para o Rio de Janeiro, e estuda desenho com Henrique Cavalleiro na Sociedade Brasileira de Belas Artes. É considerado um dos principais ativistas pela renovação da arte na Bahia, ao lado de Carlos Bastos, Caribé e Mario Cravo Jr. Com bolsa de estudos do governo francês, Genaro embarca para Paris em 1949, lá estuda com André Lhote e Fernand Léger na École Nationale de Beaux-Arts. Participa, em 1950, dos Salões de Outono, de Maio e dos Independentes. No ano de 1955, cria o primeiro ateliê de tapeçaria no Brasil, na cidade de Salvador, Bahia. Seu trabalho de maior destaque é o mural realizado para o salão interno do Hotel da Bahia, obra com 200 metros quadrados, intitulada Festejos Regionais Bahianos. Em 1967, a Divisão de Cultura do Departamento de Estado Americano realiza o documentário Genaro e a Tapeçaria Brasileira. Expõe na Bienal Internacional de São Paulo, 1951 e 1955; Bienal Internacional de Tapeçaria, Suiça, 1965; e 1º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM, São Paulo, 1969. Postumamente sua obra figura na 1ª Mostra Brasileira de Tapeçaria, no MAB/FAAP, 1974; Tradição e Ruptura, São Paulo, 1984; e 100 Artistas Plásticos da Bahia, no Museu de Arte Sacra, Salvador, 1999. JULIO LOUZADA vol.3, pág. 231; WALTER ZANINI, pág. 638; LEONOR AMARANTE, pág. 75; ITAU CULTURAL.

444 - FERNANDO ODRIOZOLA - (1921 - 1986)
LL Composição - tm - 52 x 34 - cie - 1966
Pintor e desenhista espanhol, Odriozola radicou-se no Brasil em 1953, e em 1965 mereceu o prêmio de Melhor Desenhista Nacional da Bienal de São Paulo, que em 1967 lhe dedicou sala especial. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 231; MEC vol, 3, pág. 291; PONTUAL, pág. 389.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 737; ARTE NO BRASIL, pág. 907; LEONOR AMARANTE, pág. 143; Acervo FIEO.

445 - ERMANNO TOSO - (1903 - 1973)
LL Peça - vdm
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 075 deste catálogo.

446 - BIGIO GERARDENGHI - (1876 - 1957)
LL Mulher - ost - 58 x 52 - cie - 1924
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 087 deste catálogo.

447 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Bumba meu boi - ag. - 12 x 9 - cid - 1998
Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

448 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Mulher - e em b - h = 50 - d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 078 deste catálogo.

449 - JOAQUIM TENREIRO - (1906 - 1992)
LL Paisagem - dn - 34 x 20 - cid - 1942
Português da cidade de Melo, Serra da Estrela, foi discípulo do Núcleo Bernardelli e de Quirino Campofiorito, no Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência definitiva no Brasil no ano de 1929. Fez o Curso de Desenho do Liceu Português, onde conquista o prêmio Joaquim Alves Meira, a maior láurea daquele estabelecimento. Tem pinturas suas figurando no MAM-SP, no MNBA e Museu Manchete-RJ. Mário Barata escreve a seu respeito: " Depois de uma fatura limpa, de acabamento preciso e claro, Tenreiro, mesmo prosseguindo com certo rigor estilistico, cedeu, ultimamente, 'a tentação das densidades de matéria e ao cromatismo baixo, 'as vezes terroso, cinza, que o informal bastante generalizou." É o renovador do mobiliário brasileiro, responsável por toda uma linha de criação em que a funcionalidade se alia o bom gosto e o aproveitamento racional dos materais do País. MEC, vol.4, págs.381 E 382; PONTUAL, pág.520,; TEIXEIRA LEITE, pág.504; WALMIR AYALA, vol.2, pág.376 e 377 ; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.320; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 580; ARTE NO BRASIL, pág. 763.

450 - RODRIGO DE HARO - (1939)
LL Casal - dn - 31 x 21 - cie - 1967
Com dedicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 080 deste catálogo.

451 - AUGUSTO RODRIGUES - (1913 - 1993)
LL Rosto - dn - 33 x 43 - cid - 1988
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 082 deste catálogo.

452 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Paisagem - osm - 18 x 26 - cid ileg.

453 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Frutas - a - 28 x 38 - cid - 1994
Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

454 - CARDOSINHO (JOSÉ BERNARDO CARDOSO JUNIOR) - (1861 - 1947)
LL Marinha - osm - 19 x 47 - cid - 1942
Com etiqueta e carimbo do Mirante das Artes de Pietro Maria Bardi, no dorso. -Nasceu em Coimbra, Portugal e faleceu no Rio de Janeiro. Filho de pai brasileiro, viveu e foi ativo no Estado do Rio de Janeiro. Começou a pintar depois de aposentado, por influência de Portinari e Foujita. A partir de 1922 participa do SNBA - RJ e figurou na Exposição de Pintores Modernos Brasileiros em Londres em 1944. Tem obras na Galeria Tate em Londres, no MNBA - RJ e no MOMA - Nova York. Rubem Braga focalizou-o em seu livro "Três Primitivos", em 1953, chamando-o "um inocente surrealista lírico". JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 214; MEC; ITAU CULTURAL.

455 - RAPHAEL BORDALO PINHEIRO - (1846 - 1905)
LL Figuras - dn - 42 x 32 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 085 deste catálogo.

456 - LEÓN FERRARI - (1920)
LL Multidão - lito. - 30 x 42 - cid - 1982
Gravador e escultor argentino, natural da cidade de Buenos Aires. Começou a fazer escultura em 1954, com diversos materiais e com arame de aço inoxidável. Em 1962, iniciou sua série de desenhos escritos. Em 1964 colaborou com Rafael Albertino no livro de poesias e desenhos "Escritos en el Aire", editado por Vanni Scheiwiller em Milão. Em 1965, abandonou a arte abstrata e participou do movimento cultural que acompanhou a atividade política argentina, colaborando na organização de diversas mostras coletivas. A partir de 1976 fixa residência no Brasil, em São Paulo, onde voltou a esculpir e experimentar outras técnicas, como fotocópias, etc. Desenvolveu uma série de esculturas sonoras que deram origem aos instrumentos lúdicos musicais com os quais deu 4 concertos-performance. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 403

457 - CLAUDIO TOZZI - (1944)
LL " Papagalia " - ast - 40 x 40 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 264 deste catálogo.

458 - DOMENICO CALABRONE - (1928 - 1999)
LL Composição - m em b - h = 5 - as.
Pintor, escultor, ceramista e joalheiro. Nascido na Calábria, Itália, completou seus estudos artísticos em Roma, no ano de 1951. Fixou-se em São Paulo em 1954, passando e frequentar a Escola de Arte do Museu de Arte Moderna. Sua escultura, hoje conhecida internacionalmente, destaca-se pelo vigor de suas mensagens e pela alta qualidade artística e técnica. JULIO LOUZADA vol.2, pág.194; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 336; WALTER ZANINI, pág. 770.

459 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - g - 26 x 10 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 031 deste catálogo.

460 - NINO (JOÃO COSMO FÉLIX) - (1921 - 2002)
LL Meninos - e em mad.pol. - h = 118 - d
- Reproduzido no convite deste leilão.Natural de Juazeiro do Norte, este expressivo mestre popular Cearense, participou da Mostra do Redescobrimento em 2001 realizada na Bienal de São Paulo, e no ano seguinte expôs individualmente na Pinacoteca do Estado de São Paulo. A curadora da exposição Dodora Guimarães comenta sobre o artista: "...sua obra ultrapassa o conceito de arte popular ao desenvolver naturalmente, sem nenhuma intenção pré-definida, uma escultura extremamente autoral e de uma simplicidade quase brancusiana, que não parte de outras matrizes e referências além de seu imaginário pessoal". Foi ativo desde os anos 50, começou a produzir pequenas esculturas em madeira e vendendo de porta em porta. Daí passou para as grandes toras de madeira, que esculpe até hoje, entalhando a madeira até encontrar a forma que ali estava escondida. A importância que sua assinatura assume no conjunto da peça (por ser analfabeto, ele aprendeu a fazer seu nome desenhando cinco pauzinhos, cortando os dois primeiros e os dois últimos e arrematando com uma rodinha no final) é outro indício da profunda coerência e integridade de sua obra. Fonte: O ESTADO DE SÃO PAULO (10/9/2001).

461 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Flores - osc - 50 x 35 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 097 deste catálogo.

462 - MICHEL DEVERNE - (1927)
LL Construtivo - col. - 46 x 38 - cie
Com etiqueta de Paulo Figueiredo Galeria de Arte, no dorso. -Pintor e escultor da escola francesa, nascido em 8 de agosto de 1927 em Villeneuve-la-Garenne, Foi aluno de Gimond e Gromaire. A partir de 1955 expõem com regularidade em Paris, Lyon, Dakar. Seu trabalho se dirige mais a murais que a escultura. Realiza vários usando a repetição de elementos simples. BENEZIT Vol. 3 pág. 548.

463 - EMIDIO DIAS DE SOUZA - (1863 - 1949)
LL Igreja - osc - 16 x 27 - cie - 1938
Natural da cidade paulista de Itanhaém, e falecido em Santos SP . Estudou pintura com Benedito Calixto, a quem auxiliou na decoração e pintura para os festejos comemorativos da Lei Áurea. Sobre a sua obra, assim se manifestou Aracy Amaral: "Um artista que não fazia ´Arte Primitiva´, mas um pintor popular que pintava sua gente e seus costumes, assim era Emídio de Souza (...). Daí porque os tipos populares são retratados com tanta acuidade pelo artista que desenha com a cor, apesar da ´mancha´ hábil do pincel, e consegue, assim, fixar também com fidelidade a acolhedora atitude de respeito dos moradores da casa visitada pela Bandeira (A propósito de ´BANDEIRA DO DIVINO´). " in PINACOTECA do Estado - São Paulo. Apresentação de Fábio Magalhães. Texto de Aracy Amaral. Rio de Janeiro: FUNARTE; São Paulo: Secretaria Estadual de Cultura, 1982. (Museus brasileiros, 6). JULIO LOUZADA vol.5, pág. 1006; ITAU CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pag. 176; PONTUAL, pag. 501; WALTER ZANINI, pág. 810.

464 - MANUEL EUDÓCIO - (1931)
LL " Polícia " - e em br pol. - h = 21 - b
Reproduzido em catálogo de exposição do artista realizada na Feira Brasileira de Artesanato em Olinda - Pernambuco/2005. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 094 deste catálogo.

465 - ANGELO AGOSTINI - (1843 - 1910)
LL Dom Pedro II - dc - 48 x 35 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 304 deste catálogo.

466 - GEORGINA DE ALBUQUERQUE - (1885 - 1962)
LL Procissão - dch - 15 x 24 - cid
Pintora e professora. Aos 15 anos, inicia sua formação artística com o pintor italiano Rosalbino Santoro (1858 - s.d.). Muda-se para o Rio de Janeiro em 1904, matricula-se na Escola Nacional de Belas Artes - Enba e estuda com Henrique Bernardelli. Em 1906, casa-se com o pintor Lucílio de Albuquerque e viaja para a França. Em Paris, frequenta a École Nationale Supérieure des Beaux-Arts e ainda a Académie Julian, onde é aluna de Henri Royer. Volta ao Brasil em 1911, expõe em São Paulo e, partir dessa data, participa regularmente da Exposição Geral de Belas Artes. De 1927 a 1948, leciona desenho artístico na Enba e, em 1935, é professora do curso de artes decorativas do Instituto de Artes da Universidade do Distrito Federal. Em 1940, em sua casa no bairro de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, funda o Museu Lucílio de Albuquerque, e institui um curso pioneiro de desenho e pintura para crianças. Entre 1952 e 1954, exerce o cargo de diretora da Enba. TEIXEIRA LEITE, págs. 15 e 16; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 22 a 26; TEODORO BRAGA, pág. 107; REIS JR., pág. 370; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs.17 e 141; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 455; ARTE NO BRASIL, pág 574; Acervo FIEO.

467 - ANTONIO HENRIQUE AMARAL - (1935)
LL Composição - p - 50 x 70 - cid - 1980
Com resquícios de etiqueta da Galeria Luisa Strina, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 084 deste catálogo.

468 - IVAN MORAES - (1936)
LL Baianas - ost - 60 x 20 - cid - 1970
Pintor natural da cidade do Rio de Janeiro. Estudou com Ivan Serpa, no MAM-RJ. Participou do IX ao XII SNAM, da VI BSP e II Bienal de Paris. Quirino Campofiorito sobre o temas de seus quadros escreveu: "Tira-os do popular, denuncia afinidades, respeita-lhes a autenticidade. Candomblé, memória de ritos, visões religiosas, gente na rua. O mundo da imagem anedódita, sim, mas a que não falta, em expressão rigorosa, a comunicação artística." PONTUAL, pág. 368;

469 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Búfalo - m em ac - h = 7 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

470 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Cangaceiro - ost - 35 x 27 - cie e d - 1989
Reproduzido no convite deste leilão. Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista.- - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

471 - CALISTO CORDEIRO, DITO K.LIXTO - (1877 - 1957)
LL Leitura - dl - 29 x 22 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 096 deste catálogo.

472 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Baiana - dn - 42 x 29 - cid - 1973
Com dedicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 102 deste catálogo.

473 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Paisagem - ost - 54 x 65 - cid ileg.

474 - CARLOS SÖRENSEN - (1928 - 2008)
LL " Luz " - tst - 65 x 50 - cie e d - 1999
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 104 deste catálogo.

475 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Casal - g - 30 x 22 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 090 deste catálogo.

476 - JOSÉ ROBERTO AGUILAR - (1941)
LL " Estudo dos profetas de aleijadinho " - ost - 73 x 60 - cie - 1970
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 140 deste catálogo.

477 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL " Tuesday - Oct 5 " - ast - 26 x 36 - cs - 1971
Com etiqueta da Galeria Ipanema - Rio de Janeiro, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 107 deste catálogo.

478 - CACIPORÉ TORRES - (1932)
LL Composição - e em f - h = 50 - b
Nascido CACIPORÉ de Sá Coutinho de Lamare TÔRRES, na cidade de Araçatuba, SP. É escultor e professor. Participou do I SPAM (1951) e da I, II, III, VI, VIII e IX Bienal de São Paulo. Recebeu diversos prêmios, inclusive de viagem à Europa em 1951. MEC, vol. 4, pág. 406; PONTUAL, pág. 524; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 156; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 769; ARTE NO BRASIL, pág. 899; LEONOR AMARANTE, pág. 23.

479 - CLAUDIO TOZZI - (1944)
LL " Moça " - ser. 30/50 - 43 x 57 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 264 deste catálogo.

480 - BELMIRO BARBOSA DE ALMEIDA - (1858 - 1935)
LL Conversando - ost - 53 x 40 - cie - 1898
- Reproduzido no convite deste leilão. Com dedicatória: " Ao amigo R.Bernadelli. Março 1898. -Esse grande pintor brasileiro, cuja carreira artística começou pela caricatura, viveu em Paris quase toda a sua existência. Ao fim da vida, abeirou-se dos novos estilos artísticos em voga na Europa, praticando incursões até no campo do Futurismo. Luciano Migliaccio, assim se refere `a obra do mestre: " Belmiro (...) punha fim à época em que a arte brasileira ainda era prisioneira da retórica dos gêneros e se fundamentava na transposição em chave nacional da tradição européia. Dava início a uma arte nova, inspirada na realidade social urbana contemporânea, falando da transformação dos costumes no interior da família e da condição da mulher na sociedade moderna. Era uma pintura que objetivava a educação moral do público, imitando o exemplo da pintura vitoriana inglesa, mas adotando a estética do naturalismo francês. O artista deixava de ser uma espécie de sumo sacerdote do culto da nação, passando a recusar a idéia de uma pintura celebrativa, promovida pelo Estado e distante da representação da atualidade. Assim, como Amoedo e Aurélio Figueiredo, Belmiro tentava encarnar o modelo do artista dandy, o intelectual urbano que fazia de sua arte um estilo e um modo de vida (...)" in: MOSTRA DO REDESCOBRIMENTO (2000: SÃO PAULO, SP), AGUILAR, Nelson (org. ), SASSOUN, Suzanna (coord. ). Arte do século XIX. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo: Associação Brasil 500 anos Artes Visuais, 2000. p. 148. REIS JR, pág.224; THEODORO BRAGA, pág.49; Primores da Pint, no Brasil, vol.1, pág.229; LAUDELINO FREIRE, págs.382/383; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 30/31; TEIXEIRA LEITE, pág. 68/69; PONTUAL, págs.66/67; MEC, vol.1, pág.48; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 420; ARTE NO BRASIL, pág. 553; F. ACQUARONE, pág. 117.

481 - LOURENÇO - (1945 - 1997)
LL " Circo Lilian " - ostcm - 80 x 100 - cid - 1982
Pintor, desenhista, artista gráfico, o artista José Toledo Piza Lourenço Júnior nasceu e faleceu em São Paulo - SP. Estudou desenho com Nelson Nóbrega na Fundação Armando Álvares Penteado, FAAP-SP, entre 1962 e 1965. Neste mesmo ano viaja à Bahia, onde executa a série de desenhos Lavadeiras. Entre 1965 e 1967, trabalha como diagramador para a Editora Abril nas revistas Realidade e Conhecer. Em 1987, é escolhido o melhor pintor do ano por alunos da Chapel School, em São Paulo. Entre as exposições das quais participa, destacam-se: Salão de Belas Artes de São Bernardo do Campo, São Paulo, 1967; Salão Paulista de Arte Moderna, São Paulo, 1969; Panorama de Arte Brasileira, no Hotel Nacional, Brasília, 1970; Image du Brésil, no Manhattan Center, Bruxelas (Bélgica), 1973; Panorama de Arte Atual Brasileira, no Museu de Arte Moderna, MAM/SP, 1973; Mostra Realismo, no Paço das Artes, São Paulo, 1976; José Lourenço, na Galeria Allan Ko, Paris (França), 1978; José Lourenço, na Galeria de Arte André, São Paulo, 1980/1985; Exposição de Pinturas de Lourenço, na Ranulpho Galeria de Arte, Recife, 1989; A Música na Pintura, na Ranulpho Galeria de Arte, São Paulo,1992; 4º Stúdio Unesp, Sesc e Senai de Tecnologia de Imagens, no Sesc/Pompéia, São Paulo, 1996. JULIO LOUZADA, vol 11, pág. 179; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO.

482 - FANG, CHEN KONG - (1931)
LL " Reflexo " - ostcc - 28 x 36 - cie e d - 1992
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 053 deste catálogo.

483 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Estudo - dl - 50 x 37 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

484 - ZÉ CABOCLO FILHO - (1952)
LL Bumba meu boi - e em br pol. - h = 20 - as.
Filho e discípulo de Zé Caboclo, José Antonio da Silva (1921-1973), que pertenceu ao grupo de artistas populares do Alto do Moura, Caruaru, PE. http://www.cnfcp.gov.br/pdf/CatalogoSAP/catCaboSAP143.pdfhttp://www.cnfcp.gov.br/pdf/CatalogoSAP/catCaboSAP143.pdf.

485 - HEITOR DOS PRAZERES - (1898 - 1966)
LL Lida na roça - ose - 52 x 65 - cid - 1964 - Rio
Com autenticação da família do artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 115 deste catálogo.

486 - LUIZ SACILOTTO - (1924 - 2003)
LL Natureza morta - osc - 34 x 28 - csd - 1945
Registrado no Projeto Sacilotto. -Paulista de Santo André, veio a falecer em São Bernardo do Campo SP. Pintor, escultor, desenhista. Estuda pintura no Escola Profissional Masculina do Brás, entre 1938 e 1943, e desenho na Associação Brasileira de Belas Artes, de 1944 a 1947. Em 1952, integra o Grupo Ruptura, ao lado de Waldemar Cordeiro, Geraldo de Barros, Kazmer Fejer, Leopoldo Haar, Lothar Charoux e Anatol Wladyslaw. Considerado um dos precursores da arte concreta no Brasil, participa de eventos de arte concreta no país e no exterior. Em 1989, recebe o prêmio artes visuais da APCA e, em 2000, é eleito melhor artista pela APCA. "Sacilotto é um operário avançado da parcimônia pictórica e escultórica (...). Que coisa mais simples e primordialmente neoliticado que um pattern de triângulos negros sobre fundo branco que se trianguliza em signos ao mesmo tempo iguais e opostos? No entanto, uma obra como essa tem a fascinação mesmérica de um mandala ocidental. Diacronicamente, aí estão o objet trouvé, a op, a conceitual, a minimal; sincronicamente, quanto mais você olha para ela mais vê coisas e espaços em constantes e inconstantes mutações. É dessa forma que Sacilotto sabe preservar a expressão na construção. " Décio Pignatari, in: LOUZADA, Júlio. Artes plásticas Brasil 1985: seu mercado, seus leilões. São Paulo: vol. 1 1984. p. 853-854. JULIO LOUZADA, vol. 1 pag. 853; ITAU CULTURAL. Acervo FIEO.

487 - INOS CORRADIN - (1929)
LL Menina - e em b - h = 14 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 070 deste catálogo.

488 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Flor e borboletas - dn e a - 38 x 56 - ci - 1978
Com dedicatória. Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

489 - JENNER AUGUSTO - (1924 - 2003)
LL " Invasão de Ondina " - g - 36 x 47 - cid - 1970
Natural de Aracajú, SE, fixou-se em Salvador a partir de 1949. Juntamente com Mario Cravo Júnior, Carybé e Genaro de Carvalho, trabalhou pela renovação das artes plásticas da Bahia (1950). Seus temas preferidos são os alagados, marinhas e sacros. MEC vol.1, pág.148; PONTUAL, pág. 279; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 157; WALTER ZANINI, pág. 717; ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 75, Acervo FIEO.

490 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Composição - ost - 27 x 41 - cid - 1956
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 24/06/2009. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

491 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Figuras - grav. - 32 x 50 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 121 deste catálogo.

492 - NICOLA DE CORSI - (1882 - 1956)
LL Porto a noite - osc - 16 x 19 - cie
Embora tenha nascido na Rússia, a ascendência de Nicola de Corsi era espanhola, e toda a sua formação se deu em Nápoles, Itália, para onde se transferiu com toda a família ainda quando pequeno. Foi discípulo de Giacinto Gigante. Expôs na Bienal de Veneza em 1910. Esteve duas vezes no Brasil, onde mostrou o seu precioso trabalho. O jornal O Estado de São Paulo o chamou de Pintor das Multidões. JULIO LOUZADA vol.1, pág.315; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 539.

493 - WESLEY DUKE LEE - (1931)
LL " Guarujá a tarde " - dn e g - 21 x 31 - cid - 1969
Pintor, desenhista, gravador e artista gráfico. Iniciou seus estudos de desenho em 1950, no MASP. Em 1952 viajou para os USA para dedicar-se ao aprendizado de artes gráficas na Parson's School of Design (Nova York). De volta ao Brasil trabalhou no campo da pintura e do desenho, aperfeiçoando-se com Karl Plattner, em São Paulo, em 1957. Em seguida transferiu-se para Paris, onde estudou gravura com Johnny Friedlaender. Participou de diversas exposições coletivas e Bienais no Brasil e no exterior, realizando individuais por todo o Brasil. No catálogo da mostra "O Artista e a Máquina", de 1966, foi dito à seu respeito: "Inquieto, sofisticado, cosmopolita e dotado de um vivaz senso de humor (...) representa no Brasil a vanguarda internacional de pesquisa estética que enfeixa sobre o título de "realismo mágico". MEC, vol.2, pág.465; WALMIR AYALA, vol.1, pág.466; TEIXEIRA LEITE, pág. 282; PONTUAL, pág.305 e 306; JULIO LOUZADA, vol.8, pág.459; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 815; LEONOR AMARANTE, pág. 143. Acervo FIEO.

495 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Banhistas - dn - 41 x 29 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 090 deste catálogo.

496 - OSCAR PEREIRA DA SILVA - (1867 - 1939)
LL Imigrante - dl e p - 30 x 23 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 033 deste catálogo.

497 - MANEZINHO ARAUJO - (1910 - 1993)
LL " Casas do Rio Negro " - ost - 70 x 100 - cid e d - 1976
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 146 deste catálogo.

498 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Composição - e em mar - h = 16 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 078 deste catálogo.

499 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
LL Composição - dn e a - 22 x 30 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 039 deste catálogo.

500 - MANABU MABE - (1924 - 1997)
LL Paisagem de São Paulo - oscce - 38 x 46 - cie - 1958
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 30/06/2009.Pintor autodidata, veio para o Brasil com a família em 1934, fixando-se em Lins-SP, onde trabalhou na lavoura do café; ligado ao abstracionismo informal, até a metade dos anos 50 fez pintura figurativa, especialmente paisagens e naturezas mortas; dedicou-se ainda à tapeçaria. ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1050; TEIXEIRA LEITE, pág. 296; PONTUAL, pág. 325/6; MEC, vol. 3, pág. 13; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 644; LEONOR AMARANTE, pág. 83, Acervo FIEO.

501 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Soltando balão - ose - 19 x 27 - cie e d - 1974
Com etiqueta de Dan Galeria, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 315 deste catálogo.

502 - INOS CORRADIN - (1929)
LL " Dois equilibristas " - ost - 60 x 80 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 070 deste catálogo.

503 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Parque - dlc - 34 x 42 - cid ileg. - 1982

504 - MESTRE EXPEDITO - (XX)
LL Nossa Senhora - e em mad. - h = 45 - as. - 1982
Expedito Antonino dos Santos, o Mestre Expedito, é um grande nome da arte santeira piauiense. Suas peças entalhadas na madeira, são admiradas no Brasil e no exterior, contribuindo para a valorização do Piauí pela criatividade de seus artesãos e qualidade de suas criações.

505 - MIRA SCHENDEL - (1918 - 1988)
LL Paisagem - a - 15 x 10 - n/as.
Com certificado de autenticidade da Galeria Millan - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 135 deste catálogo.

506 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Anjos - ost - 90 x 100 - cid e d - 2007
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 049 deste catálogo.

507 - ANGELO TACCARI - (1924 - 2004)
LL Mulher - e em c - h = 69 - as.
Com certificado de autenticidade da Galeria de Arte André. -Escultor, ceramista e pintor italiano, nascido em Roma, a 16 de janeiro de 1924. Suas obras guardam extraordinãria intimidade na relação entre o artista e o material, transformada em arte pura, de infinita delicadeza. JÚLIO LOUZADA, vol. 10, pág. 857.

508 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato - asc - 38 x 38 - cie - 2003
Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

509 - ANTONIO DIAS - (1944)
LL Composição - dn - 17 x 18 x 3 - c
Artista multimídia. Aprende com o avô as técnicas elementares do desenho. No final da década de 1950, no Rio de Janeiro, trabalha como desenhista de arquitetura e gráfico. Estuda com Oswaldo Goeldi (1895 - 1961) no Atelier Livre de Gravura da Escola Nacional de Belas Artes - Enba. Na década de 1960, incorpora palavras ou frases às obras. Em 1965, recebe bolsa do governo francês e reside até 1968 em Paris. Depois, transfere-se para Milão, onde mantém ateliê. Em 1971, edita o disco Record: The Space Between e inicia a série The Illustration of Art. Recebe, em 1972, bolsa da Simon Guggenheim Foundation para trabalhar em Nova York. Em 1977, viaja para a Índia e o Nepal, onde estuda técnicas de produção de papel. Inicia uma série de trabalhos que têm como suporte o papel artesanal, o qual se integra às obras pela textura e mistura de pigmentos que contém. Publica em Katmandu o álbum Tramas, de xilografias. Em 1988, reside em Berlim como bolsista do Daad (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico). Em 1992, torna-se professor da Sommerakademie für bildende Kunst, em Salzburgo, Áustria, e, no ano seguinte da Staatliche Akademie der bildenden Künste, em Karlsruhe, Alemanha. ITAÚ CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 3, pág.332.

510 - ANTONIO PETICOV - (1946)
LL " The Frugal Repast " - ost - 198 x 137 - d - 1989 - New York
- Reproduzido no convite e na capa do catálogo deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 092 deste catálogo.

511 - SYLVIO PINTO - (1918 - 1997)
LL Marinha - ost - 50 x 100 - cid
Com certificado do Projeto Sylvio Pinto, firmado por Ubirajara Pinto Carreras. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 141 deste catálogo.

512 - JUAN MUZZI - (1949)
LL Muldidão - ost - 74 x 25 - cid e d
Com dedicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 040 deste catálogo.

513 - LIVRO -
LL -
1) GRASSMANN por Marcos A. Marcondes, ilustrado em preto e branco, Ed. Art Editora Ltda - São Paulo - 1984; 2) HEITOR DOS PRAZERES - SUA ARTE E SEU TEMPO por Alba Lirio e Heitor dos Prazeres Filho, ilustrado a cores e em preto e branco, 204 págs. Ed. ND Comunicação - Rio de Janeiro - 2003; 3) ASPECTOS DA PINTURA PRIMITIVA BRASILEIRA por Flávio de Aquino, ilustrado a cores, 195 págs., Ed.Spala Ltda - Rio de Janeiro. -

514 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
ponto de nó, feito a mão, de lã, Pakistan Boukhara, medindo 3,13m x 4,20m = 13,14m². -

515 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem antropofágica - dl - 10 x 16 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

516 - MARIO MAREL AGOSTINELLI - (1915 - 2000)
LL Paisagem - osm - 41 x 33 - cid
Nasceu em Arequipa, Peru. Pintor e escultor. Ativo no Rio de Janeiro, cidade onde se radicou. Estudou na Escola Nacional de Belas Artes de Lima, Peru, com Daniel Hernandes. Fez cursos de aperfeiçoamento na Argentina, França, Itália e Brasil. Expôs individualmente em 1946 e 1966, na Galeria BoninoRJ e coletivamente a partir de 1943. Suas pinturas de cenas e tipos populares, revela virtuosismo de execução e vivacidade de colorido que assume aspecto suntuoso, particularidade acentuada pelo cronista Rubem Braga, na apresentação que fez do artista (1966). WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 15; MEC, vol 1, pág. 38; PONTUAL, págs. 5 e 6; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 31; ITAU CULTURAL.

517 - JOSÉ PROCOPIO DE MORAES - (1929)
LL Paraty - dch - 27 x 37 - cid - 1967
Reproduzido na capa de catálogo de Leilão da Bolsa de Arte do Rio de Janeiro, de 4 e 5 de Setembro de 1979. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 147 deste catálogo.

518 - MARIA JAHI - (1933)
LL Homenagem - e em b - h = 33 - as. - 1986
Esta peça participou do 49° Salão Paulista de Belas Artes. Com certificado de autenticidade da Galeria de Arte André. -Maria Jahi Oliveira de Carvalho Almeida, escultora, nasceu em Ribeirópolis, SE. Assina Jahi. Em 1982 iniciou sua formação artística com Antonio Santos Lopes. Em 1986, no Liceu de Artes e Ofícios - SP, recebe orientação de Beatriz Correa e, no ano seguinte, de Danilo Mariano de Moraes. Participa de inúmeras exposições e salões oficiais. Individuais: São Paulo, SP (1989, 1991, 1992). Coletivas: São Paulo, SP (1984 a 1988, 1994, 1995); Penápolis, SP (1985); Curitiba, PR (1986); Araraquara, SP (1986, 1987); Santos,SP (1987); Matão, SP (1987); Santo André, SP (1990). Prêmios: Araras, SP (1985, 1987); São José do Rio Preto, SP (1986, 1987); Juiz de Fora, MG (1987); São Paulo, SP (1988). JULIO LOUZADA, vol.4, pág. 546; vol.5, pág. 513; vol.9, pág.432. ITAU CULTURAL.

519 - WALDOMIRO DE DEUS - (1944)
LL " Não chore por mim Argentina " - ast - 70 x 50 - cid e d - 2001
Reproduzido na pág. 377, do livro Brasil ArtShow - livro de arte brasileira. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 252 deste catálogo.

520 - JAIR GLASS - (1948)
LL Figuras - tm - 28 x 24 - cse - 1979
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 150 deste catálogo.

521 - DAREL VALENÇA LINS - (1924)
LL Composição - dn - 20 x 33 - cid - 1960
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 062 deste catálogo.

522 - WEGA NERY - (1912 - 2007)
LL " Abstrato " - ost - 50 x 70 - cid - 1982
Natural de Corumbá-MT, estudou desenho e pintura na Escola de Belas Artes em São Paulo entre 1946 e 1949. Nos anos 50, aperfeiçoou estudos com Joaquim da Rocha Ferreira, Yoshiya Takaoka e Samson Flexor. Participou do Grupo Guanabara em 1952 e do Atelier-Abstração, liderado por Samson Flexor, em 1953. Expõs individualmente a partir de 1955. Recebeu o prêmio de melhor desenhista nacional em 1957 e o prêmio aquisição nacional em 1963. PONTUAL, pág. 551; TEIXEIRA LEITE, pág. 541, JULIO LOUZADA vol.9, pág. 919; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 942; LEONOR AMARANTE, pág. 57.

523 - GINO BRUNO - (1889 - 1977)
LL Objetos e maçãs - ost - 65 x 50 - cid - 1967
Nascido e falecido em São Paulo, este pintor foi especialista em figuras, interiores e naturezas-mortas. TEODORO BRAGA, pág. 108; MEC, vol. 1, pág. 299; PONTUAL, pág. 92; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 135; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 623; Acervo FIEO.

524 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL Casario - a - 22 x 32 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 124 deste catálogo.

525 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL Paisagem - ose - 30 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

526 - PERCY LAU - (1908 - 1972)
LL Marinha com figuras - dn e a - 24 x 17 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 158 deste catálogo.

527 - EDIR ESCARIÃO - (1948)
LL " Violinista " - dlc - 45 x 32 - cid
Pintor, desenhista e gravador, natural de Caruaru, PE. Edir Mai Escarião assinava, até 1995, Edir Escarião e E. Escarião, atualmente. Passou a sua infância em Santos, SP. Estudou desenho na Associação Paulista de Belas Artes e pintura com o professor Guido, em São Paulo. Dedica-se à xilogravura a partir de 1977. Exposições individuais: São Paulo, SP (1979, 1987). Coletivas: São Paulo, SP (1973 a 1977, 1982, 1983, 1986, 1987, 1989, 1991, 1992, 1994, 1995); Jundiaí, SP (1975); Brasília, DF (1976); Embu, SP (1977); Santos, SP (1977); Curitiba, PR (1977); Salvador, BA (1980, 1991); Campinas, SP (1981, 1989, 1990, 1991); Americana, SP (1984); Ilhabela, SP (1995); Suíça (1993, 1994). Prêmios: São Paulo, SP (1986, 1987, 1992); Suíça (1992). JULIO LOUZADA, vol.5, pág. 342; vol. 9, pág.294.

528 - ALUIZIO VALLE - (1906 - 1988)
LL " Baia de Guanabara " - osm - 22 x 41 - cid
Aluizio Albuquerque Silva do Valle nasceu na cidade de Paraíba do Sul-PB, e faleceu na capital fluminense de Niterói, onde foi ativo pintor e professor. Estudou na Escola Nacional de Belas Artes, onde foi aluno de Marques Júnior, Cunha Melo, Augusto Bracet e Rodolfo Chambelland. Posteriormente, atua como professor nesta mesma instituição. "A primeira sensação que se tem diante da pintura de Aluizio Valle é a de estar ´tocando´ com os olhos, uma possibilidade do real, que se apoiando em sensível visualidade não elimina a importância tátil da matéria pictórica. São quase sempre paisagens, e frequentemente cenas marinhas, de praias e cais, que nos tomam de surpresa a partir do pretexto puramente descritivo, para em seguida nos embalar no ritmo das pinceladas, na ordem das impressões fixadas, numa nitidez que valoriza mesmo a marca dos fios mais finos do pincel manipulado". Walmyr Ayala, em texto do MNBA. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 1016/1017; ITAU CULTURAL.

529 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Pescadores - grav. 10/30 - 30 x 20 - cid - 1978
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 315 deste catálogo.

530 - COLETTE PUJOL - (1913 - 1999)
LL Ouro Preto - ost - 35 x 27 - cie
Esta premiadíssima pintora e professora paulistana, recebeu as suas primeiras aulas de desenho e pintura de Antonio Rocco e de Lucília Fraga, ainda na capital paulista. Residindo em Salvador, freqüentou a Escola de Belas Artes, onde foi aluna de Presciliano Silva (1942 a 1944); a partir de 1946 até 1949, estudou na Europa. Possui obras em museus brasileiros. PONTUAL, pág. 440; MEC, vol. 3, pág. 438; TEODORO BRAGA, pág. 73; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

531 - JULIO VIEIRA - (1933 - 2000)
LL Figuras - tm - 34 x 23 - cid - 1969
Natural da cidade do Rio de Janeiro, foi pintor, gravador e desenhista. Fez curso na antiga Escola Nacional de Belas Artes, entre 1952 e 1956, estudando gravura com Goeldi entre 1954 e 1956. Um trecho da lavra do crítico e pintor Quirino Campofiorito sobre a arte única do artista: " ..A vantagem de Júlio Vieira era sua fidelidade ao transe terrestre. Sua pintura foi sempre um gesto doloroso. Muitas águas rolaram, desde então. Oficializou-se o concretismo e o neoconcretismo. Júlio sempre marginal e sempre um excelente artista. MEC vol. 4 pág. 475 - JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 1034; ITAU CULTURAL

532 - GLENIO BIANCHETTI - (1928)
LL Bananas - ostce - 26 x 23 - cid - 1971
Gravador, pintor, ilustrador, tapeceiro, professor e desenhista. Inicia estudos artísticos em Bagé, na década de 1940, junto com Glauco Rodrigues (1929 - 2004), sob orientação de José Moraes (1921 - 2003). Em 1949, ingressa no Instituto de Belas Artes de Porto Alegre. Funda, em 1951, ao lado de Glauco Rodrigues e Danúbio Gonçalves (1925), o Clube de Gravura de Bagé, posteriormente incorporado ao Clube de Gravura de Porto Alegre, grupo que realiza uma produção artística de caráter social, do qual participam também Carlos Scliar (1920 - 2001) e Vasco Prado (1914 - 1998). Na década de 1950, Bianchetti produz xilografia e linoleogravura com temas relacionados ao trabalho e aos costumes regionais. A partir dos anos 1960, trabalha principalmente com pintura, litografia e gravura em metal. Em 1962, leciona desenho e pintura na recém-inaugurada Universidade de Brasília - UnB, na qual permanece até 1965, quando é afastado pelo regime militar. No início da década de 1970, colabora na criação do Museu de Arte de Brasília e participa de projetos voltados ao ensino artístico. Em 1988, é reintegrado à UnB. Entre 1996 e 1997, é organizada mostra retrospectiva do Grupo de Bagé com exposições em várias capitais. É homenageado com a retrospectiva dos seus 50 anos de carreira, em 1999, no Palácio do Itamaraty, em Brasília. ITAÚ CULTURAL.

533 - MANEZINHO ARAUJO - (1910 - 1993)
LL Forte - ser. 135/150 - 22 x 33 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 146 deste catálogo.

534 - JOSÉ SABÓIA - (1949)
LL Jogador de futebol - ost - 50 x 30 - cid
Nascido em Almadina (BA). Indo para o Rio de Janeiro em 1967, começou a pintar no ano seguinte, passando a expor seus trabalhos na Feira Hippie de Ipanema. Sua primeira individual deu-se em Fortaleza em 1970; a partir de então, tem exposto com freqüência no Rio de Janeiro e em São Paulo. A pintura de Sabóia partiu de uma raiz eminentemente popular, tendo atingido depois um rebuscamento que se traduz no caprichoso desenho de linhas recurvas, na pincelada lisa, impessoal, no colorido reduzido a três ou quatro tons básicos e na composição, dotada daquele inconfundível horror vacui dos ingênuos. JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 278; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 228; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

535 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Estudo para São João Del Rey " - osc - 33 x 24 - cid - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 178 deste catálogo.

536 - PAULO GARCEZ - (1945 - 1989)
LL Planta - lito. a. - 28 x 20 - cie - 1984
Pintor, gravador, desenhista, artista intermídia. Em 1970, estuda no Centro de Pesquisa de Arte, no Rio de Janeiro, com Bruno Tausz (1939) e Ivan Serpa (1923 - 1973), de quem Garcez recebe convite para trabalhar e estudar em seu ateliê, entre 1971 e 1972. Nesse ano participa da exposição 11º Premi International Dibuix Joan Miro, em Barcelona, Espanha. Recebe uma bolsa de estudo do governo alemão, por meio do Deutscher Akademischer Austauschdienst - DAAD, para freqüentar, durante o biênio 1975-1976, a Escola de Arte de Hamburgo, onde estuda com Almir Mavignier (1925). Durante esse mesmo biênio, realiza sua primeira exposição individual na Galeria Bonino, no Rio de Janeiro, em 1975, e outra coletiva, na Crearco Gallery, em Lausanne, Suíça, em 1976. Expõe na Bienal de Veneza, em 1978 e no ano seguinte, no Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - Masp. Postumamente, em 1993, tem ocasião a mostra Visions from Brazil: the Drawings of Paulo Gomes Garcez, no Lowe Art Museum, em Coral Gables, Estados Unidos.

537 - NEZINHO DUDA - (XX)
LL Tropeiro - ose - 65 x 33 - cie
Pintor alagoano autodidata com estilo autêntico e destituído de qualquer maneirismo. A pintura popular brasileira não tem tido acréscimo nem renovação nos últimos 10 anos, ao contrário da escultura e do artesanato artístico. Um dos poucos talentos surgidos no limiar do Sec. XXI é o alagoano Nezinho Duda. De formação simples, já entrando na chamada "terceira idade", Nezinho é um pintor autodidata da periferia de Maceió que vem desenvolvendo devagar, porém com vigor, sua pintura. Fugindo da temática folclórica e da mera descrição dos costumes, Nezinho mostra autoconfiança ao abordar temas do cotidiano e por vezes cenas bíblicas. Seu estilo é original e o artista tem fôlego temático e desenvoltura técnica, ingredientes básicos para se tornar um pintor de muita expressão com o correr do tempo.

538 - SANSÃO CAMPOS PEREIRA - (1926)
LL Marinha - ost - 20 x 20 - cid
Ativo no Rio de Janeiro, foi membro da Academia Brasileira de Artes, e da Academia Brasileira de Belas Artes. Artista várias vezes premiado, participou de diversas coletivas e salões, recebendo premiações várias. Seu tema preferido é a marinha. MEC vol.3, pág.389; JULIO LOUZADA vol.11, pág.243, Acervo FIEO.

539 - ARNALDO PEDROSO D'HORTA - (1914 - 1973)
LL Flores - g - 45 x 32 - cid - 1951 - Pedregulho
Gravador e crítico de arte, o autor nasceu e faleceu em São Paulo-SP. Iniciou a sua carreira no jornalismo em 1931, escrevendo para vários jornais, revistas e emissoras de rádio. Começa a pintar aos 34 anos. Entre 1954 e 1955, elabora a capa do álbum para o Ballet do 4º Centenário e o catálogo da Bienal Internacional de São Paulo. Dedica-se à gravura em metal e à xilogravura. É o primeiro artista brasileiro premiado na Bienal de Veneza, em 1954. Participa do Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, várias edições entre 1952 e 1970 (isenção de júri, 1955, e prêmio viagem ao estrangeiro, 1960); Individual, no MAM/SP, 1952 e 1956; Bienal Internacional de São Paulo, várias edições, entre 1953 e 1961; Artistas Latino-Americanos, no Musée d?Art Moderne de la Ville de Paris, 1962. Postumamente suas obras figuram em Arnaldo Pedroso D'Horta: desenhos, incisões, xilogravuras, no Centro Cultural São Paulo, 1983; Obras para Ilustração do Suplemento Literário: 1956 - 1967, no MAM/SP, 1993; Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal, São Paulo, 1994. "Na recusa oposta a todas as soluções da moda, na procura contraditória de ritmos (que ousaríamos chamar, por sua vez, antidecorativos, desde que podem envolver uma corajosa opção em favor do feio), define-se esta exigência intelectual, que é básica em Arnaldo. Assim, o inédito das formas empresta-lhe autonomia suficiente para se impor como expressão. (...) Arnaldo Pedroso D´Horta gosta dos modos de expressão que, por meio de conquistas lentas, contínuas, laboriosas, tendem a um efeito que comove também a própria mente, a uma geometria da desordem alcançada através de sensíveis vibrações. (...) O que nos parece importante é o conflito, a teimosia, a aplicação sem tréguas que transparece dos seus trabalhos, a luta dramática, sempre renovada, com o traço." Armando B. Ferrari Críticas sobre Arnaldo Pedroso D´Horta para catálogo da XV Bienal - SP (Curriculum do artista). ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

540 - ALEX LUIZI - (1964)
LL Paisagem - ose - 38 x 46 - cid - 1990
Pintor, Alexandre Luizi Campos é natural de Poços de Caldas, MG. Assina Alex Luigi. Inicia-se na vida artística aos 15 anos com desenhos sob a orientação de seu avô materno De Luizi. Tem participado de diversas exposições e Salões oficiais onde recebeu inúmeros prêmios. Individuais: Poços de Caldas, MG (1988); São Paulo, SP (1990); Campinas, SP (1989, 1990); Campestre, MG (1989); Taubaté, SP (1989); Joinville, SC (1990); Ribeirão Preto, SP (1991); Itajubá, MG (1992).. Coletivas: Poços de Caldas, MG (1986, 1987); Santos, SP (1986); São Paulo, SP (1987 a 1996); Campinas, SP (1987, 1988 a 1996); Curitiba, PR (1988, 1990 a 1994); Joinville, SC (1988 a 1996); Blumenau, SC (1988, 1996); Ribeirão Preto, SP (1990 a 1992); Mogi Mirim, SP (1990 a 1994); Itajubá, MG (1990 a 1996); Camboriú, SC (1992); Porto Alegre, RS (1991 a 1994); Lages e Florianópolis, SC (1991 a 1996); Campos do Jordão, SP (1994). JULIO LOUZADA, vol.5, pág. 600; vol. 6, pág. 619; vol. 9, pág.499.

541 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL Figura - lito. N° 1 / Ex. 96 - 32 x 23 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 093 deste catálogo.

542 - CAROL KOSSAK - (1895 - 1976)
LL Marinha - ost - 60 x 120 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 356 deste catálogo.

543 - JORGE DEL VALLE - (1928)
LL Bosque - tm - 35 x 25 - cid
Artista Argentino, que junto com Quinquela Martin. Kantor, Riganelli e outros ficou muito conhecido por retratar cenas de La Boca, reduto boemio de Buenos Aires. Possui obras em diversos museus argentinos e internacionais.

544 - GILDA LISBOA - (XX)
LL Paisagem - ostce - 37 x 27 - cid
Carioca, nascida de família tradicional, bisneta do almirante Tamandaré, Gilda Lisboa se projetou como artista plástica na década de 40, atuando principalmente no Rio de Janeiro. Estudou desenho com Eurico Alves e pintura na Sociedade Brasileira de Belas Artes. Nos anos 60 realizou importantes exposições individuais. Foi detentora de vários e significativos prêmios. JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 545 e 546

545 - JOSÉ ROBERTO AGUILAR - (1941)
LL Igreja - xilo. P.A. - 39 x 26 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 140 deste catálogo.

546 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA SOUZA - (1958)
LL Bar - ost - 50 x 61 - cid
Assina J. Souza. Pintor natural de Itu, SP, tem participado de várias exposições oficiais e coletivas. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 843.

547 - LUIZ JASMIN - (1940)
LL Figura - ose - 50 x 60 - csd - 1980 - Itamaracá
Baiano de Salvador, JASMIM é pintor e ilustrador. Assina suas obras LUIZ JASMIN. Ativo no Rio de Janeiro, é autor de capas de livros, de discos e ilustrador de revistas, premiado aqui e no exterior. Formou-se na França e nos Estados Unidos. Em Paris, cursou a Escola de Belas Artes e a Academia de la Grand Chaumiére, e em Nova York o Pratt Institute, onde estudou gravura. Expôs individualmente em diversas galerias no exterior, e no país, com sucesso de critica e de público. JULIO LOUZADA vol.3, pág.545; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

548 - NEIDE FERREIRA TURRA - (1940)
LL " Interlúdio I " - xilo. 20/30 - 32 x 21 - cid
Nasceu em Juiz de Fora, MG. Assina Neide F. Turra. Em 1972 iniciou sua formação artística, em São Paulo, na Escola Rudolf Steiner, sob a orientação de Ulrich Blaich e Kirsten Baloni. Também estudou com Collete Pujol, Hélio Becherini e Habuba Farah Ricetti. Participou de várias exposições, Salões oficiais e em muitas como membro de júri. Exposições: São Paulo, SP (1977 a 1980, 1984); Itu, SP (1977); Rio Claro, SP (1977); Limeira, SP (1977); Rio de Janeiro, RJ (1977, 1978, 1980); Amparo, SP (1978); Valença, RJ (1978); São Lourenço, MG (1979); Jundiaí, SP (1979); Saint-Lô, França (1979); Santa Fé, Argentina (1979); Belo Horizonte, MG (1979); Salvador, BA (1979); Santos, SP (1979); Bauru, SP (1979); Matão, SP (1980). Prêmios: Rio Claro, SP (1977); Rio de Janeiro, RJ (1978 a 1980); Poá, SP (1979). JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 1000; vol..2, pág. 1008. Acervo FIEO.

549 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Cozinha caipira - ost - 40 x 30 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 363 deste catálogo.

550 - ROBERTO DE ALMEIDA - (1940)
LL Mulheres - ase - 22 x 27 - cid
Pernambucano do Recife, este artista foi aluno do curso regular da Escola de Belas Artes da Universidade de Munique, Alemanha. Em 1964 participa da fundação do Atelier e Galeria do Mercado da Ribeira, em Olinda, onde também lecionava História da arte. Exposições individuais e coletivas no Rio de Janeiro e coletivas em Salvador e Recife. JULIO LOUZADA, vol.1 pág. 51.

551 - JAMES CHRISTIAN - (XX)
LL Casario - ost - 40 x 60 - cid e d - 2008
Com certificado de autenticidade do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 181 deste catálogo.

552 - HELIO CASTRO - (XX)
LL Barcos - ost - 40 x 50 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 182 deste catálogo.

553 - FRANCISCO BRENNAND - (1927)
LL Flor - psa - 10 x 10 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 183 deste catálogo.

554 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 14 x 10 - cid - 1947
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 002 deste catálogo.

555 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Índia - ser. 32/100 - 70 x 50 - cid - 1993
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.