Leilão de Arte tableau - Janeiro de 2009

001 - AÉCIO DE ANDRADE - (1935)
LL Produção de café - ast - 50 x 60 - cid
Pintor natural de São Paulo, Capital. Passou pelo gênero impressionista no inicio da carreira, e depois para uma fase mais pessoal. Aborda temas populares brasileiros. Possui obras nos Museus das cidades de Americana, Matão, Assis, Guararapes, e em Penápolis. Começou a expôr em 1968, tendo participado de diversas mostras no País e no exterior, conforme relaciona a bibliografia abaixo. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 33

002 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 16 x 20 - cid
Pintor húngaro, estudou em Paris com Jean Paul Laurenz. Expôs seus trabalhos na Europa e na América, tendo também participado de salões internacionais recebendo premiações. De 1924 a 1935 foi diretor do Museu de Budapeste e de 1935 a 1945 foi diretor do Museu das Artes Instrutivas da Hungria. O Museu Histórico Municipal de Budapeste possui mais de 700 aquarelas de sua autoria.

003 - ARMANDO BALLONI - (1901 - 1975)
LL Flores - mon. - 43 x 29 - cid - 1968
Italiano, o pintor foi ativo em São Paulo, onde participou do Salão Paulista de Belas Artes a partir de 1933. Foi premiado com medalha de bronze, do Salão de Arte Moderna (1954), e em outros Salões oficiais. Participou da I e II Bienal de São Paulo.Membro e expositor da Familia Artistica Paulista. MEC, vol. 1, pág.159; JULIO LOUZADA vol.10, pág. 87; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 582, Acervo FIEO.

004 - CAMILO EDUARDO TAVARES - (1932)
LL " O pediatra e o neonatalogista " - ast - 30 x 40 - cid e d
Paulistano, o pintor foi membro de juri da Associação dos Artistas Plásticos de São Paulo. Segundo depoimento do próprio artista: " Os meus quadros são carregados de humanismo, amor e realidade, uma verdadeira mensagem filosófica pois quem leva a vida com amor à arte, é feliz." Expõe individualmente desde 1971, inclusive MAM-RJ em 1974; e coletivamente a partir de 1970. Internacionalmente, expôs a partir de 1971, destacando-se Alemanha, EUA, México e Itália. JULIO LOUZADA, vol.4, pág. 1083. Acervo FIEO.

005 - DOMINGOS GEMELLI - (1903 - 1985)
LL Flores - ost - 38 x 46 - cie
Pintor, participou do Salão da Sociedade Brasileira de Belas Artes do Rio de Janeiro nos anos de 1935, 1948 e 1961. Figurou também no SNBA-RJ, onde recebeu Menção Honrosa. JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 414

006 - DENISE AZEVEDO - (1933)
LL Fundo de quintal - ost - 46 x 61 - cie e d - 1988
Denise Azevedo Bevilacqua, assina Denise Azevedo. Pintora, desenhista, ilustradora e professora nascida no Rio de Janeiro, RJ. Foi aluna de Oswaldo Teixeira entre 1949 e 1952, de Rodolfo Chambelland de 1953 a 1955 e de Aurélio D’Alincourt entre 1962 e 1964. Exposições individuais: Rio de Janeiro, RJ (1974, 1992). Coletivas: Rio de Janeiro, RJ (1957, 1960, 1974, 1975, 1976, 1977 e 1979). Prêmios: Rio de Janeiro, RJ (1957, 1960, 1963, 1974, 1975, 1976, 1977 e 1979). JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 75.

007 - ALBANO AGNER DE CARVALHO - (1899 - 1986)
LL Paisagem - a - 20 x 15 - cie
Nasceu em Curitiba, PR, onde fez estudos de pintura com o mestre Alfredo Andersen. Indo para o Rio de Janeiro em 1929, integrou-se desde então nas atividades artísticas locais, lá expondo individualmente em 1930, 1943, 1950 e 1961. Expôs também em Curitiba, em 1950, 1952, 1966 e 1968. Recebeu menção honrosa no SNBA e medalha de prata no Salão Fluminense de Belas Artes. PONTUAL, pág. 113; MEC, vol. 1, pág. 361; TEODORO BRAGA, pág. 29; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 176/177; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO, pág. 925.

008 - GUERINO GROSSO - (1907 - 1988)
LL Camponesa - ost - 48 x 40 - cid
Natural de Rio Claro, neste Estado, Guerino Grosso iniciou seu aprendizado artístico em 1917. Frequentou a Escola de Belas Artes de São Paulo. Artista de grande sensibilidade, dedicou-se à pintura de naturezas mortas com metais, confirmando-se como um dos melhores do gênero. JULIO LOUZADA, vol, 12 ,pág 189. MEC, vol, 2, pág, 284; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

009 - ALEXANDRE RAPOPORT - (1929)
LL Janela - xilo. 75/100 - 20 x 27 - cid - 1971
Arquiteto, pintor, gravador, desenhista industrial e professor, RAPOPORT nasceu no Rio de Janeiro, onde cursou a Faculdade Nacional de Arquitetura da antiga Universidade do Brasil. Fêz aprendizado de gravura na antiga ENBA em 1952. Conquistou menções honrosas em pintura e desenho no SNBA a partir de 1948. WALMIR AYALA,vol. 2, pág. 237; MEC, vol. 4, pág. 26; PONTUAL, pág. 447; TEIXEIRA LEITE, pág. 431; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 260; ITAU CULTURAL.

010 - JAVIER ALVARO ASFADUROFF NIBBES - (1954)
LL " Mulher e gato e jarro com flores " - tm - 60 x 50 - csd e d - 2009
Uruguaio de Montevideu, onde nasceu a 14 de novembro de 1954. Frequentou o Liceu Onze de Cerro Montevidéu, entre 1965 e 1967, sendo aluno de Torres Garcia. A partir de 1994 passou a figurar em bienais e várias exposições coletivas. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 637

011 - CLAUDIO TOZZI - (1944)
LL Composição - ser. 73/98 - 39 x 58 - cid
Pintor, arquiteto e gravador paulista com diversas exposições e participações em salões e bienais no Brasil e no exterior. Dedicou-se inicialmente à colagem e à gravura, numa utilização crítica das histórias em quadrinhos; numa fase posterior passou a criar múltiplos tridimensionais e a efetuar pesquisas em torno dos efeitos ópticos. WALMIR AYALA vol.2, pág.388/9; PONTUAL, pág.525/6; TEIXEIRA LEITE, pág. 512; ARTE NO BRASIL vol.2, pág.1059; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 740; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.

012 - JOSÉ ANTONIO MORETO - (1938)
LL Paisagem - ose - 24 x 40 - cie - 1986
Natural de Pederneiras, SP, onde nasceu em 14/7/1938. Seu principal mestre e orientador foi Aldo Cardarelli. Fixou-se em Campinas, onde seu talento paisagista é bem reconhecido. Sua pintura é neo-clássica, e produz paisagens, marinhas, naturezas-mortas e figuras. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 694; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

013 - DILA (DILEUSA DINIS RODRIGUES) - (1939)
LL " Conceição da praia " - lito. 18/49 - 17 x 15 - cid - 1978
Pintora e gravadora, DILA se expressa plasticamente com esse olhar brasileiro que é a sua grande marca. Sua arte não tem referência entre os "naifs" nem entre os primitivistas do mundo inteiro. Ela é única." Trecho do crítico maranhense Ubiratan Teixeira. JULIO LOUZADA, vol. 7 - pág. 221; ITAÚ CULTURAL.

014 - FRANCISCO CIMINO - (1904 - 1990)
LL " Farol da Barra " - dc - 21 x 30 - cid - 1966 - Bahia
Com dedicatória. -Pintor, desenhista, professor, literato e músico, natural de Araras, SP, onde nasceu a 27 de março de 1904. Em 1918 iniciou-se nas artes, passando a estudar desenho, pintura, escultura e entalhe com os mestres Rafael Falco e Jorge Barbato, na Escola Normal em São Carlos, cidade onde permaneceu até 1923. Aperfeiçoou-se posteriormente com Castellane. Participou de diversos certames oficiais, sendo que obras suas figuram nos acervos de diversos museus nacionais e coleções particulares. JULIO LOUZADA vol.4, pág. 265.; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

015 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Mulher com maçã - ost - 100 x 72 - cid - 1967 - Luiz Martins

016 - JOSÉ PAULO MOREIRA DA FONSECA - (1922 - 2004)
LL " Luz e tempo " - ost - 35 x 27 - ci e d - 1980
Com etiqueta de Oscar Seraphico Galeria de Arte Ltda - Brasília - DF, no dorso. -Carioca, advogado, filósofo, poeta e pintor. José Paulo dedicou-se à pintura desde 1950. Fez uso abundante da espátula, lançando luz e cor nos seus temas preferidos: fachadas, portas, janelas, marinhas e paisagens. MEC, vol. 2, pág. 183; WALMIR AYALA vol. 1, pág. 423 a 427; TEIXEIRA LEITE, pág. 268; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

017 - GUSTAVO ROSA - (1946)
LL Caixa de corações - ser. 17/100 - 40 x 50 - cid - 1983
Grande pintor paulistano, ganhador de muitos prêmios em Salões Oficiais. Tem exposto regularmente no Brasil e no exterior com grande sucesso. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 274; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

018 - JOSÉ QUIRINO - (1908 - 1998)
LL Preto velho - ost - 18 x 15 - cid - 1978
Nasceu em Nova Granada-SP e faleceu em São Paulo-SP, em novembro de 1998. O pintor estudou com o professor C. Biancardi, tendo cursado modelo vivo na APBA com Cymbelino de Freitas, Edmundo Migliaccio entre outros. Foi fundador da Academia Paulista de Belas Artes, juntamente com Arlindo Castellani, Vicente Caruso, Durval Pereira, Nicla Petti, Rio Pinto.. JULIO LOUZADA, vol. 12, pág. 331

019 - TRINAZ FOX (RUBENS FERREIRA TRINAZ FOX) - (1899 - 1964)
LL Figura - dn e a - 34 x 24 - cie
Pintor, desenhista e caricaturista. Viveu durante muitos anos na Europa. De volta ao Brasil, colaborou em diversas revistas e jornais cariocas na década de 1920, inclusive como redator, destacando-se: D. Quixote, O Tagarela e O Combate. entre 1930 e 1940 fixou-se na Argentina, publicando trabalhos na imprensa de Buenos Aires e Santa Fé. PONTUAL, pág. 526; MEC vol.2, pág. 188; HISTORIA DA CARICATURA NO BRASIL, pág. 1421;

020 - SALVADOR SANTISTEBAN - (1919 - 1995)
LL Cristo - ose - 35 x 27 - cid
Pintor e desenhista nascido em Sorocaba, SP. Foi aluno de Angelo Simeone na Associação Paulista de Belas Artes. Participou de diversas exposições coletivas, realizando outras tantas individuais. Recebeu premiações nos salões que participou a partir de 1948 até 1993. Em 1972 fez turnê artística pela Europa na companhia dos pintores: Omar Pellegatta, Giancarlo Zorlini, Salvador Rodrigues Junior, Carnelosso e Angelo Simeone. Possui obras em diversos museus paulistas. JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 1017; Acervo FIEO.

021 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Guerreiro - grav. 58/100 - 38 x 51 - cid
Grande desenhista e gravador, é sem dúvida um mestre de nível internacional. Tematicamente, habita um mundo de monstros e de cavaleiros andantes, íncubos e súcubos, animais fantásticos e rostos renascentistas, permanecendo deliberadamente arcaico, à sombra de seus queridos mestres alemães e italianos de fins da Idade Média. MEC, vol. 2, pág. 281/2; PONTUAL, pág. 249/50; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 645; ARTE NO BRASIL, pág. 803; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

022 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Feirinha " - ose - 27 x 20 - cid e d - 2006
Paulistano, o pintor nasceu em 10/5/1965. Estudou na APBA-SP, onde desenvolveu curso de desenho e pintura, frequentado sessões de modelo vivo. Individuais desde 1989 e coletivas em Salões Oficiais, com sucesso de crítica. Recebeu diversos prêmios. JULIO LOUZADA, vol.13, pág. 304; Acervo FIEO.

023 - MACIEJ ANTONI BABINSKI - (1931)
LL Paisagem - a - 26 x 39 - cid - 1975
Natural de Varsóvia, Polônia, viveu sucessivamente na Inglaterra e no Canadá, radicando-se em 1953 no Brasil. Antigo aluno de Maurice Denis em Paris, e expoente da pintura abstracionista canadense. Babinski foi colega de Goeldi, de quem adotou a linguagem expressionista. Esplêndido gravador. Atualmente vive é ativo no Ceará. TEIXEIRA LEITE, pág. 48; PONTUAL, págs. 46 e 47; MEC, vol. 1, pág. 157; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 69; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 24; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 903, Acervo FIEO.

024 - JOSÉ MARQUES CAMPÃO - (1892 - 1949)
LL Casario - a - 38 x 46 - cid - 1939
Excelente paisagista paulistano, aluno de Oscar Pereira da Silva, da Academia Julian - Paris, e da Escola Nacional Superior de Belas Artes de Paris, entre 1912 e 1918. Foi membro da Comissão de Orientação Artística de São Paulo em 1944. Expôs no Salão dos Artistas Franceses e em diversas exposições coletivas e individuais. TEODORO BRAGA, pág. 61/62; PONTUAL, pág. 102; MEC, vol. 1, pág. 331; REIS JR., pág. 374; WALMIR AYALA, vol. 1,pág. 160; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

025 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL " Itapema " - ose - 24 x 35 - cid e d
Ativo em São Paulo, foi também excepcional desenhista, aluno nesta capital, do pintor e professor alemão Georg Ficher Elpons; participou assiduamente do Salão Paulista de Belas Artes, desde sua inauguração em 1933, onde foi muito premiado. MEC, vol. 3, pág. 393; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 685; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

026 - CARLOS LEÃO - (1906 - 1982)
LL Figura masculina - dn e a - 28 x 21 - cid
Arquiteto, pintor e desenhista ativo no Rio de Janeiro. Participou com Lucio Costa no projeto do edifício sede do Ministério de Educação do Rio de Janeiro (1937). Excepcional desenhista, praticou igualmente a pintura, sempre fiel a uma só temática - "a mulher, seu corpo, seu mundo de amor, sexo e poesia". MEC, vol. 2, pág. 462/3; TEIXEIRA LEITE, pág. 281; PONTUAL, PÁG. 303; JULIO LOUZADA VOL.11, PÁG.171; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 602; ARTE NO BRASIL, pág. 746.

027 - MARIO MENDEZ - (1907 - 1996)
LL " Lamartine Babo e Ary Barroso " - dn - 20 x 20 - cid - 1954
Mário de Oliveira Mendes. Desenhista, caricaturista e pintor nascido em Baturité, Ceará. Residiu no Amazonas, Maranhão e Bahia, antes de fixar-se no Rio de Janeiro onde fez sua carreira de caricaturista, em 1927. Em 1950, publica o livro: "Aprenda a Desenhar Caricaturas". Exposições coletivas: Rio de Janeiro, RJ (1944 e 1965). Exposições póstumas: Belo Horizonte - MG, São Paulo - SP, Campinas - SP (1997); Brasília - DF e Penápolis - SP (1998); Fortaleza - CE (2001) e São Paulo - SP, Rio de Janeiro - RJ (2003). MEC, vol. 3, pág. 137; JULIO LOUZADA, vol. 6, pág. 719 e ITAÚ CULTURAL.

028 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Napoles - ost - 32 x 40 - cie e d
Nascido na Itália, radicou-se no Brasil. Seu estilo liga-se ao dos Macchiajoli oitocentistas (os equivalentes italianos dos impressionistas franceses) e ao de Pratella em especial. São especialmente notáveis suas paisagens e marinhas. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 168; JULIO LOUZADA vol.11, pág.54; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

029 - EDGARD OEHLMEYER - (1909 - 1967)
LL Leitura - dn - 10 x 7 - cid - 1964
Nasceu em Rio Claro, no dia 31 de maio e falecido em 4 de outubro de 1967. Nessa cidade cursou na Escola Profissional a seção de pintura com o prof. Carlos Hadler. Discípulo de Rocco, foi destacado paisagista e pintor de naturezas-mortas, tendo obtido diversas premiações nos SNBA e SPBA. TEODORO BRAGA, pág. 175; MEC. Vol.3, pág. 291; MAYER/1984, pag. 1070; TEIXEIRA LEITE, pág. 362; PONTUAL, pág. 389; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

030 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Zebra - m em ac - h = 8 - n/as.
Artista cinético, pintor, desenhista, natural de Natal, RN. Em 1932, muda-se com a família para a região onde, atualmente, se localiza o Estado de Israel. Inicia seus estudos de arte no ateliê do pintor Haaron Avni e do escultor Sternshus e estuda estética com Shor. Freqüenta o Instituto Municipal de Arte de Tel Aviv. Retorna ao Brasil em 1948, e se instala no Rio de Janeiro. Convive com os artistas Ivan Serpa, Renina Katz e Almir Mavignier. Em 1954, integra o Grupo Frente, ao lado de Ivan Serpa, Ferreira Gullar, Mário Pedrosa, Franz Weissmann, Lygia Clark e outros. Desenvolve a partir de 1964 os Objetos Cinéticos, um desdobramento dos cinecromáticos, mostrando o mecanismo interno de funcionamento e suprimindo a projeção de luz. O rigor matemático é uma constante em sua obra, atuando como importante recurso de ordenação do espaço. É considerado internacionalmente um dos pioneiros da arte cinética. ITAUCULTURAL

031 - FLORIANO TEIXEIRA - (1923 - 2000)
LL Nu - dn - 47 x 32 - cid - 1977
Nasceu em Cajapió, Maranhão. Foi pintor, desenhista, gravador e cenógrafo. Estudou desenho, ainda em São Luís (Maranhão), com Rubens Damasceno em 1935 e pintura com João Lázaro de Figueiredo em 1940. Em 1952, em Fortaleza (Ceará), participa da criação do Grupo dos Independentes, com Antonio Bandeira e J. Siqueira. Em 1962, organiza e dirige o Museu de Arte da UFC. Ilustra vários livros, destacando-se entre eles: Dona Flor e seus Dois Maridos, A Morte e a Morte de Quincas Berro D'Água, O Menino Grapiúna - todos de Jorge Amado - e A Terra dos Meninos Pelados, de Graciliano Ramos. Entre as exposições de que participa, destacam-se: Salão de Abril, várias edições entre 1950 e 1957 (Primeiro Prêmio, 1952, 1953, 1957); I ao III Salão dos Independentes, Fortaleza, 1952/1953/1954; I Bienal Nacional de Artes Plásticas, Salvador, 1966 (Grande Prêmio); Panorama da Arte Atual Brasileira, no MAM/SP, de São Paulo, várias edições entre 1969 e 1976; Os Ilustradores de Jorge Amado, na Fundação Casa de Jorge Amado, Salvador, 1988; SCAP: 50 Anos, na Sociedade Cearense de Artes Plásticas, Fortaleza, 1991. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 13 pág 328

032 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Figuras - xilo. 17/20 - 23 x 29 - cid - 1949
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 021 deste catálogo.

033 - GIOVANNI OPPIDO - (1907 - 1988)
LL Paisagem - ose - 50 x 40 - cid
Explorou com singular beleza e sensibilidade a fauna e paisagens do interior deste estado; figurou em diversas coletivas, tendo recebido prêmios e menções honrosas. O pintor foi ativo em São Paulo. MEC, vol.3 , pág. 301; JULIO LOUZADA, vol. 5, pág.768; Acervo FIEO.

034 - RODRIGO DE HARO - (1939)
LL Composição - grav. 22/50 - 32 x 48 - cid
Rodrigo de Haro nasceu em Paris-França. Pintor, desenhista e escritor. Divide suas atividades profissionais entre Florianópolis e São Paulo. Por volta de 1987, trabalha na decoração do Teatro Municipal de Florianópolis com 80 painéis Mandalas. Entre as mostras de que participa, destacam-se: Coletiva Artistas Catarinenses, Santa Catarina, 1955 (Prêmio Aquisição); Salão Nacional do Paraná, 1967; Arte Fantástica, no Paço das Artes de São Paulo, 1972; Destaques da Pintura Brasileira, no Museu de Arte Moderna de São Paulo, 1985; Mostra do Desenho Brasileiro, no Museu de Arte Contemporânea de Curitiba, Paraná, 1994. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 244; PONTUAL, pág. 260; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 143; WALTER ZANINI, pág. 805; ITAU CULTURAL.

035 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Tarde de chuva - ost - 35 x 28 - ci
Romeno da cidade de Hotin, Waidergorn veio para o Brasil em 1932, onde seus pais fixaram residência em São Paulo. Ingressou na APBA, onde conheceu Mecatti, que muito o estimulou e orientou, dele assimilando a luminosidade da pintura peninsular muito a gosto do ottocento italiano. Sua pintura aborda todos os gêneros, baseadas tanto nas recordações da infância pobre como nas lembranças das viagens que fez ao norte da Africa e Europa. Participou de diversos salões e coletivas, recebendo diversas premiações JULIO LOUZADA vol.11, pág. 330; Acervo FIEO.

036 - ABELARDO ZALUAR - (1924 - 1987)
LL Figura mística - dn - 29 x 21 - cid - 1949
Desenhista, pintor e professor. Frequentou a antiga ENBA, de 1944 a 1948. Participou do I ao XII e do XV SNAM (entre 1952 e 1966/ prêmio de viagem ao estrangeiro em 1963.). Realizou exposições individuais no MNBA (1947) e na Galeria Ambiente (São Paulo, 1960), Museu de Arte de Belo Horizonte (1960), Instituto de Belas Artes de Porto Alegre (1961), Petite Galerie-GB (1962). Sua obra experimentou uma simplificação de traços de tendência geometrizante, levando Frederico Morais a comentar a seu respeito em 1969; "Não se pensem que Zaluar, por ser um partidário da ordem, afaste deliberadamente o imprevisto, a contribuição do acaso, o vôo poético (...) seus últimos trabalhos fazem lembrar, na monumentalidade silenciosa da forma despojada, o mundo futuro do espaço cósmico, das estruturas moventes, das plataformas que se acoplam ou se dividem numa metamorfose constante". Encontra-se representado no acervo do MNBA, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e Museu de Arte de Belo Horizonte. WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 449/50; MEC, vol. 4, pág. 527; PONTUAL, pág. 556; TEIXEIRA LEITE, pág. 546; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 934; LEONOR AMARANTE, pág. 218.

037 - LIVRO -
LL -
1) UN SIGLO DE PINTURA MODERNA, por Joseph-Émile Muller e Frank Elgar, 192 págs., ilustrado a cores, Ed. Gustavo Gili, S/A - Barcelona.; 2) MESTRES, ARTÍFICES, OFICIAIS E APRENDIZES NO BRASIL, por Pierto Maria Bardi, 170 págs., ilustrado a cores e em preto e branco, Ed. Banco Sudameris Brasil S/A - 1981; 3) HISTÓRIA GERAL DA ARTE, por Walter Zanini, 490 págs., ilustrado a cores e em preto e branco, Ed. Instituto Walter Moreira Sales - 1983, composto por dois volumes. -

038 - LUCILIA FRAGA - (1895 - 1979)
LL Flores - ost - 69 x 49 - cid
Importante pintora que foi ativa na cidade de São Paulo. Participou regularmente do SPBA, recebendo premiações em 1938, 1939, 1960. Quatro de suas obras constam do acervo da PINACOTECA-SP. REIS JUNIOR, pág. 387; THEODORO BRAGA, pág. 145 a 147; PONTUAL, pág. 222; MEC, vol, 2, pág. 188; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

039 - CARLOS OSWALD - (1882 - 1971)
LL " Chopin " - grav. - 36 x 20 - cie - 1919
Reproduzido sob o n° 61 do livro "Carlos Oswald", do Museu Nacional de Belas Artes - Rio de Janeiro. -Gravador e pintor, ativo no Rio de Janeiro, estudou na Europa; foi o primeiro a fazer gravura em metal com finalidade artística; dedicou-se a temas religiosos, paisagens, cenas de gêneros e retratos. PONTUAL, pág. 397; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1053; ITAÚ CULTURAL.; WALTER ZANINI, pág. 446; Acervo FIEO.

040 - RAIMUNDO DE CUMBUCO - (XX)
LL Família - e em mad. - h = 48 - b - 2006 - Ceará
Escultor. Natural de Cumbuco - CE, realizou diversas exposições individuais em Fortaleza e em outras capitais do Nordeste.

041 - HAYDEA SANTIAGO - (1896 - 1980)
LL Nu - ost - 55 x 46 - csd
Reproduzido sob o n.° 11 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Natural da cidade do Rio de Janeiro, onde veio a falecer. Estudou na Escola Nacional de Belas Artes. Foi aluna de Modesto Brocos e Amoedo. Aperfeiçoou seus estudos com Eliseu Visconti. Residiu em Paris com o marido, Manoel Santiago, de 1928 a 1932, participando do Salão de Artistas Franceses. No Brasil recebu diversas premiações no SNBA, bem como nos diversos Salões Oficiais de que participou, tais como SPBA, SMBA-RJ, SNAM e na I BSP. Teve como temas a paisagem, a figura, a natureza morta e o gênero. REIS JUNIOR, vol. 1, pág. 146; TEODORO BRAGA, pág. 211; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 290 e 292; TEIXEIRA LEITE, pág. 460; ITAÚ CULTURAL..

042 - SYLVIO ALVES - (1926)
LL Na praia - ose - 50 x 65 - cid
Formado e ativo em São Paulo, foi expositor do Salão Paulista de Belas Artes. Especializou-se na Academia de Belas Artes de Roma e na Escola Superior de Belas Artes, na Academia Julien e na Grande Chaumièrè, na França. MEC, vol. 1, pág. 72; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág.55; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

043 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Senhor - p - 32 x 26 - n/as.

044 - SILVIO AZAMOR - (1925 - 1997)
LL Barcos - ose - 33 x 24 - cid - 1975
Pintor ativo no Rio de Janeiro, foi aluno de Agenor César de Barros. Participou do SNBA-RJ (1948, 1965 e 1968). JULIO LOUZADA vol.11, pág.23

045 - ANTONIO HENRIQUE AMARAL - (1935)
LL Maternidade - ser. - 24 x 14 - cid - 1961 - ass. na tela
Gravador, desenhista e pintor, foi aluno de Lívio Abramo no MAM / SP, e de Shiko Munakata, no Pratt Graphic Art, em Nova York. Artista consagrado nacional e internacionalmente. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 37; MEC, vol. 1, pág. 73; PONTUAL, pág. 21;TEIXEIRA LEITE, pág. 23 a 25; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 754; ARTE NO BRASIL, pág.903; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.

046 - ALOYZIO ZALUAR - (1937)
LL " Bem te vi do bico chato " - ose - 29 x 39 - cid e d - 1982
Natural da cidade do Rio de Janeiro. Passou a frequentar a antiga ENBA em 1956. Participou de diversos SNAM entre 1958 e 1967, recebendo a Certificado de Isenção em 1966. Expõe individualmente a partir de 1964. TEIXEIRA LEITE chamou atenção, em 1964, para a influência de Goeldi nos seus trabalhos que, mais tarde, abordaram a temática do carnaval carioca, levando o artista e poeta José Paulo Moreira da Fonseca a situá-lo na fronteira entre o desenho e a pintura. ITAÚ CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 349; MEC, vol. 4, pág. 528; PONTUAL, pág. 556; ACERVO FIEO, pág. 785. Acervo FIEO. -

047 - HENRIQUE CAVALLEIRO - (1892 - 1975)
LL Nu - p - 51 x 31 - cie e cid - 1938
Pintor, desenhista e professor. Foi aluno de Eliseu Visconti, tendo recebido em 1918 o prêmio de viagem à Europa. Participou de diversos salões e exposições. REIS JR., pág. 375; TEODORO BRAGA, pág. 117; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 2, pág. 45 e 275; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 187 e 190; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; ARTE NO BRASIL, pág. 556; Acervo FIEO.

048 - JOSÉ BENEVENUTO MADUREIRA - (1903 - 1976)
LL Natureza morta - ost - 40 x 55 - cie
Nascido em Sorocaba / SP, radicou-se em Santos onde foi ativo em sua arte. Estudou com Campos Ayres e Enrico Vio. Participou de coletivas no Salão Paulista de Belas Artes / SP, Salão Nacional de Belas Artes / RJ e Salão de Belas Artes / Santos/SP, tendo recebido diversos prêmios. Tem obras na Pinacoteca do Estado de São Paulo, Palácio e Prefeitura de São Paulo. MEC, vol. 3, pág. 36; JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 566, Acervo FIEO.

049 - ANTONIO ROCCO - (1880 - 1944)
LL Paisagem - ostcm - 29 x 42 - cid
Pintor italiano, natural de Amalfi. Frequentou o Instituto de Belas Artes de Nápoles. No Brasil, fixou-se em São Paulo. Participou do SNBA e no SPBA de 1933, recebendo importantes premiações. A PINACOTECA - SP possui obras de sua autoria. TEODORO BRAGA; JULIO LOUZADA, vol 13 pág. 286; ITAÚ CULTURAL.

050 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
LL Figuras - xilo. - 30 x 22 - cie - 1983
Paulista de Araraquara, Lívio foi exímio gravador, desenhista, pintor, jornalista e professor. Autodidata, executou suas primeiras gravuras em madeira por volta de 1926. Sofreu influência de Lasar Segall, focalizando desde então de modo expressionista tipos e paisagens dos subúrbios paulistanos, inclusive temas de caráter social, como indicou Sérgio Milliet em sua obra de 1940. O autor, certa feita, assim falou de si próprio: "Geralmente persisto em um mesmo motivo por longo tempo: trabalho-o até que me pareça haver esgotado todas as possibilidades que ele oferece. Jamais pensei em fazer 'paisagens'. O que procuro é interpretar o sentido e a problemática da natureza de uma terra, a força dos sentimentos que ela provoca em mim, e assim, quanto mais de acordo com a minha própria natureza, tanto mais imediata surge a interpretaçãop plástica, como sucedeu, por exemplo, com meu 'encontro' com as 'arquiteturas' da realidade íntima da terra paraguaia. PONTUAL, pág. 1, JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 19; MEC vol.1, pág. 33; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 795; LEONOR AMARANTE, pág. 28; Acervo FIEO.

051 - HEINZ BUDWEG - (1940)
LL Flores - tm - 58 x 40 - cid - 2008
Pintor, desenhista, artista gráfico, ilustrador, cenógrafo e figurinista de teatro. Imigra para o Brasil em 1953, fixando-se em São Paulo. Nesta cidade, atua como ilustrador e artista gráfico, além de trabalhar como cenógrafo e figurinista. Em 1958, realiza sua primeira mostra Individual, no Colégio Visconde de Porto Seguro. Na década de 70, recebe o Prêmio Jabuti de Literatura Infantil pelas ilustrações dos doze primeiros volumes da série Lendas Brasileiras. Viaja várias vezes para a Amazônia, Alto Xingu e Ilha de Marajó, onde realiza desenhos retratando a paisagem natural, a população e os indígenas locais, além de reportagens e pesquisas sobre o folclore brasileiro registrados em Super 8. Em 1981, adota o nome artístico Budweg Brasil, após descobrir a existência de vários sobrenomes Budwegs. Sete anos depois, realiza as imagens que acompanham a apresentação da obra Xingu Simphonie, de Celia Ricci e Edson Leite, em São Paulo. ITAÚ CULTURAL.

052 - BENEDITO JOSÉ DE ANDRADE - (1906 - 1979)
LL Natureza morta - ost - 60 x 80 - cid e d - 1965
Através de sua arte obteve destaques e prêmio nas exposições em que participou, como o SPBA, onde foi agraciado com o Prêmio Costa Ribeiro. Recebeu Medalha de Bronze em 1948 e Pequena Medalha de Prata em 1949. Mais tarde em 1951, conquistou o Prêmio Prefeitura de São Paulo. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, onde foi aluno de Viggiani, Panelli e Enrico Vio. Além do SPBA, participou e também obteve premiações no Salão de Belas Artes e no Salão de Santos. Colecionadores particulares do Brasil e do exterior possuem obras suas. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 57; MEC, vol. 1, pág. 80; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

053 - FELISBERTO RANZINI - (1881 - 1976)
LL Paisagem - ost - 38 x 55 - cid - 1953
Arquiteto, desenhista e escritor, Felisberto Ranzini nasceu em Mântua, Itália e faleceu em São Paulo - SP. Sobresaiu-se principalmente na técnica de aquarela, na qual se especializou. Suas composições em óleo são claras e detalhadas, quase que miniaturistas. JULIO LOUZADA, vol 1, pág. 805; MEC vol.4, pág. 26.

054 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
LL Composição - g - 17 x 18 - cid
Pintor, desenhista, gravador e professor, estudou com Axel Leskoschek no Rio de Janeiro. Participou da Divisão Moderna do SNBA (1947-1951). Foi um dos precursores do concretismo no Brasil, criando ao lado de Aluisio Carvão, Lígia Clark, Hélio Oitica e outros o Grupo Frente, que se manteve ativo de 1954 a 1956, inclusive com exposições no Rio de Janeiro. Ivan Serpa possui invejável e extenso curriculum de vida artística, passando de exposições coletivas, a grandes retrospectivas de sua obras. Há um reconhecimento nacional da importância de sua atividade, tratando-se de um dos grandes artistas nacionais. PONTUAL, pág 486; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 840; LEONOR AMARANTE, pág. 26; Acervo FIEO.

055 - CLAUDIO FACCIOLI - (XX)
LL Composição - ost - 60 x 80 - cid e d - 1995
Artista que teve sua formação artística na cidade do Rio de Janeiro e participou de diversos Salões e exposições oficiais. Individuais: Niterói, RJ e Nova Friburgo, RJ (1986); Rio de Janeiro, RJ (1991, 1994, 1998 e 2000). Coletivas: Rio de Janeiro, RJ (1988,1995 e 1996); Volta Redonda, RJ (1994); São Paulo, SP (1996). Prêmios: Volta Redonda, RJ (1994) e Rio de Janeiro, RJ (1997). JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 125.

056 - ANATOL WLADISLAW - (1913 - 2004)
LL Composição - ose - 55 x 40 - cie - 1960
Com etiqueta de Paulo Figueiredo Galeria de Arte - São Paulo, no dorso. -Pintor e desenhista nascido em Varsóvia, Polonia; faleceu em São Paulo, aos 91 anos de idade. No Brasil desde 1930, fixou residência em São Paulo, naturalizando-se brasileiro. Dedicou-se à pintura e ao desenho a partir de 1946, participando da I à IX Bienal, recebendo diversas premiações. Formado em engenharia no Mackenzie, tornou-se um dos pioneiros da arte abstrata, participando ativamente do movimento Ruptura, ao lado de Valdemar Cordeiro, Lothar Charoux e Luiz Sacilotto. Figura no acervo do MAM-RJ e MNBA de Buenos Aires. JULIO LOUZADA, VOL, 4, pág, 1177. MEC, VOL, 4 pág, 512. TEIXEIRA LEITE, pág, 544. WALMIR AYALA, VOL 2. pág, 442; PONTUAL, pág. 553; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 921.

057 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Carnaval - dn - 33 x 24 - cid
Pintora e desenhista. Assina Noemia. Realizou sua primeira individual em 1934, no Rio de Janeiro. Residiu na Europa de 1934 a 1940, frequentando em Paris as academias de la Grande Chaumière e Ranson. Expôs em Montevideu e Buenos Aires. Foi citada por REIS JUNIOR e TEODORO BRAGA. Foi aluna (1932) e mulher (1933) de Di Cavalcanti. MEC vol.3, pág. 265; WALMIR AYALA vol.2, pág.135; PONTUAL, pág. 375; TEIXEIRA LEITE, pág. 356; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 684. Acervo FIEO.

058 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 8 x 18 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. -Monstro sagrado da pintura brasileira, Tarsila é a criadora de duas das principais tendências ou movimentos de nossa arte nacionalista: o Pau Brasil (1924) e o Antropofagia. Sua arte poderia ser definida como um Cubismo adaptado às condições e ao temperamento brasileiros. TEODORO BRAGA, págs. 220/21/22/23; REIS JR.-págs.388/89 ; WALMIR AYALA, vol. 2-págs. 365 e 367 ; MEC, vol. 4-págs. 370/71; PONTUAL, pág. 511; TEIXEIRA LEITE, pág. 492; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 389; ARTE NO BRASIL, pág. 577; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

059 - SYLVIO PINTO - (1918 - 1997)
LL Marinha - ost - 50 x 61 - cid
Com certificado do Projeto Sylvio Pinto, firmado por Ubirajara Pinto Carreras, em 15/08/2005. -Freqüentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro, lá recebendo suas primeiras noções de desenho. Mais tarde, recebe lições do pai - o Pinto das Tintas. Conheceu Pancetti na casa paterna. Em 1938 estudou no Núcleo Bernardelli e a partir de 1940 dedica-se exclusivamente à pintura. Participou de vários Salões de Belas Artes, recebendo inúmeros prêmios. MEC, vol. 3, pág. 419, Acervo FIEO.

060 - ARCÂNGELO IANELLI - (1922)
LL Composição - p - 50 x 37 - cid - 1982
Com certificado do Projeto Arcangelo Ianelli. -Reproduzido no convite deste leilão.Pintor. Fez aprendizado de pintura com Valdemar da Costa, em São Paulo, a partir de 1942. Participou de diversos Salões no País, e no exterior, obtenções várias e importantes premiações. Seus trabalhos fazem parte do acervo de museus e coleções particulares no mundo todo. Inicialmente figurativo, passou a abstracionismo, trabalhando com blocos cromáticos distribuídos com certo rigor construtivo sobre o espaço plano. A seu respeito, disse o crítico Enrico Crispolti, em 1966: " Mas quais são, então, os temas expressivos próprios da pintura de Ianelli? Ele mesmo, falando-me de experiências já distantes, recorda-me anos de um naturalismo sumário pela vontade de síntese, sublinhado como hoje são propostos em sua pintura horizontes muito diferentes. Creio, no entanto, que uma matriz naturalista preside o intenso lirismo dessa telas recentes de Ianelli (...) ". PONTUAL, pág. 358; MEC vol.3, pág. 345; WALTER ZANINI, pág. 644; ARTE NO BRASIL, pág. 798; LEONOR AMARANTE, pág. 218. Acervo FIEO.

061 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Figura Índigena - e em mad. - h = 41 - n/as.

062 - HEINZ KUHN - (1908 - 1987)
LL Composição - tm - 62 x 47 - d - 1978
Nasceu em Berlim, Alemanha, e faleceu em São Paulo-SP. Inicia seus estudos em sua terra natal, expondo obras na Alemanha e na França. No Brasil em 1950, fixa-se em São Paulo. Nesse período sua pintura é figurativa, voltando-se aos poucos, para a abstração geométrica. Theon Spanudis considerava o autor como "um dos pintores mais conscientes, inquietos e produtivos de São Paulo (1964)". A partir dos anos 60 sua pintura se move no âmbito da abstração informal, com eventuais referências ao mundo real. Obra de sua autoria faz parte da Coleção Adolpho Leirner, participando do livro Arte Construtiva no Brasil, de Aracy Amaral (pág. 193) MEC, vol. 2 pág. 430; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 688.

063 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Senhora - dn - 22 x 16 - cid
Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista. Realizou mais de cem mil desenhos, não se conhecendo um único ruim. Observador arguto, retratou com maestria e humor o cotidiano de sua cidade natal, da qual, consta, ausentou-se por duas únicas ocasiões. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646.

064 - CAROL KOSSAK - (1895 - 1976)
LL Caipira - ost - 46 x 38 - n/as.
Excepcional pintor ativo em São Paulo, onde realizou exposição individual em 1941. Consta ainda em sua bibliografia, ter participado de várias exposições nas décadas de 30 e 40. Pintou marinhas, animais, principalmente cavalos e figuras. Reputado como grande retratista. MEC vol.2 pág. 411; TEODORO BRAGA, pág. 134.; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 512, Acervo FIEO.

065 - ARLINDO CASTELANE DI CARLI - (1910 - 1985)
LL Marinha - ost - 60 x 80 - cie - 1978
Pintor e escultor. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, onde foi aluno de José Maria da Silva Neves e de Enrico Vio. Suas primeiras realizações foram na pintura. Mais tarde passou a dedicar-se também à escultura. Sofreu influência do pintor Armando Balloni. Em 1942, estreando no SPBA, recebeu prêmio de menção honrosa, seguindo-se nos anos posteriores, diversas premiações, inclusive de viagem ao estrangeiro. MEC, vol. 1, pág. 355; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 183 e 184; ITAÚ CULTURAL.

066 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL Figuras - psa - 15 x 15 - cie
Fez parte da Família Artística Paulista, grupo com o qual expôs. Notáveis foram suas paisagens, tendo José Geraldo Vieira afirmado ser ele "o pintor da paisagem paulistana". MEC, vol. 4, pág. 531; PONTUAL, pág. 557; TEODORO BRAGA, pág. 250; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 451; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 778; LEONOR AMARANTE, pág.38; Acervo FIEO.

067 - LIVRO -
LL -
1) RUA J. CARLOS, por Jorge de Sales, 76 págs., ilustrado em preto e branco; 2) SEMANA DE 22 - Museu de Arte de São Paulo, 150 págs., ilustrado a cores e em preto e branco, Exposição comemorativa do cinquentenário da Semana de 22; 3) DICIONÁRIO DAS ARTES PLÁSTICAS NO BRASIL, por Roberto Pontual, 560 págs., ilustrado em preto e branco, Ed. Civilização Brasileira - 1969; 4) TRADIÇÃO E RUPTURA - Síntese da Arte e Cultura Brasileiras, 308 págs., ilustrado a cores e em preto e branco, Fundação Bienal de São Paulo - 1984. -

068 - ELZA DE OLIVEIRA SOUZA - (1928 - 2006)
LL Cena Sacra - ost - 26 x 21 - cid
Pernambucana do Recife. Esta importante pintora iniciou suas atividades com o prof. Ivan Serpa. Integrou o grupo de nordestinos que se apresentou na Galeria Giro, no RJ, em 1968. Seu interesse pelo registro da figura humana é praticamente exclusivo. Walmir Ayala afirma: " ... O biotipo que Elza repete obcessivamente, diz respeito ao povo de sua família conterrânea. São gente do povo, sem sofisticação, despojada do requinte civilizatório, mas embebida de um outro requinte, que diz respeito 'as latadas, trepadeiras em flor, animais domésticos, temáticas." JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 313, Acervo FIEO.

069 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
LL Flautista - mon. - 31 x 21 - cid - 1965
Pintor e desenhista figurativo, integrou o Grupo Santa Helena, juntamente com Volpi, Zanini e outros, e foi um dos organizadores e expositores do I Salão da Família Artística Paulista; suas figuras seguem a disciplina cubista da organização do espaço, destacando-se uma série de Músicos; dedicou-se a pinturas murais e à ilustração de obras literárias. MEC, vol. 2, pág. 280; PONTUAL, pág. 247/8; TEIXEIRA LEITE, pág. 225 a 227; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 784; LEONOR AMARANTE, pág. 58; Acervo FIEO.

070 - FERRIGNAC - (1892 - 1958)
LL Figura - tm - 30 x 18 - cid
Com a seguinte dedicatória: " Para o amigo Paulo C. Rossi, off. Ferrignac ". -Reproduzido no convite deste leilão. -Batizado Inácio da Costa Ferreira, dito FERRIGNAC, nasceu na cidade de Rio Claro, SP e faleceu na Capital. Desenhista, caricaturista e ilustrador. Também usava, por vezes, o pseudônimo de Can Girref. Formou-se em Direito pela Faculdade de São Paulo. Desde cedo militou na imprensa, com artigos, crônicas, charges e caricaturas. Foi participante da Semana de Arte Moderna de 1922. MEC vol.2, pág.156; WALTER ZANINI, pág. 536; ARTE NO BRASIL, pág. 647; LEONOR AMARANTE, pág. 200.

071 - JEAN GUILLAUME - (1912 - 1985)
LL Composição - ost - 115 x 80 - cie - 1962
Nascido em Bayonne, França, em 26/5/1912 e falecido em Cabo Frio, Brasil, onde era ativo desde 1961, em 25/8/1985. Estudou em Bordeaux e Paris. Frequentou a Académie de la Grande Chaumière, onde torna-se amigo de Bernard Buffet, dentre outros mestres da época. No Brasil desde 1951, expõe regularmente no Rio de Janeiro e outras cidade da América do Sul. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 480; ITAU CULTURAL.

072 - WALDOMIRO DE DEUS - (1944)
LL Vida na roça - ost - 50 x 100 - cid e d
Baiano de Boa Nova, Waldomiro de Deus é pintor e gravador. Em São Paulo desde 1960, expunha seus trabalhos nas praças da capital. Expõe em espaços oficiais desde 1965, inclusive no exterior. Ao todo já realizou mais de 100 exposições, com sucesso de crítica e de público. O seu trabalho mescla o misticismo religioso afro-baiano com elementos do cotidiano. ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 239; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

073 - FERNANDO MARTINS - (1911 - 1965)
LL " Cascata dos Amores " - ost - 110 x 90 - cie e d - 1956 - Teresópolis
Fernando Martins nasceu em Rio Tinto, Porto - Portugal e faleceu em Teresópolis,RJ. Pintor, desenhista, caricaturista, modelador e jornalista. Emigra com a família para o Brasil em 1921, fixando residência no Rio de Janeiro. Nessa cidade, sete anos depois, estuda no Liceu Literário Português, onde começa a interessar-se por desenho. Aprende modelagem com Modestino Kanto (1889-1967) no Liceu de Artes e Ofícios, inicia-se em pintura com Armando Vianna (1897-1992) e integra o Núcleo Bernardelli. Realiza, em 1949, cinco painéis decorativos para o Palácio da Reta, em Teresópolis, onde funda a Academia Cultural e Artística, lecionando desenho e pintura, além de organizar o Salão de Belas Artes local. Individuais: Rio de Janeiro, RJ (1937, 1944, 1947, 1950, 1955); Teresópolis, RJ (1946, 1964); Porto Alegre, RS (1952, 1957, 1961); Petrópolis, RJ (1956); Pelotas, RS (1958); Torres, RS (1962); Capão da Canoa, RS (1962) e Tramandaí, RS (1962). Coletivas: Rio de janeiro, RJ (1932 a 1935, 1938, 1939, 1940, 1945, 1948, 1950 e 1955); Porto Alegre, RS (1935, 1939, 1942, 1952 e 1957); São Paulo, SP (1940, 1942, 1947, 1948 e 1949) e Teresópolis, RJ (1956). Prêmios: Rio de Janeiro, RJ (1938, 1939, 1940, 1945, 1950): Porto Alegre, RS (1935, 1939) e São Paulo, SP (1941, 1942). Exposições póstumas: Teresópolis, RJ (1984 e 1990) e São Paulo, SP (2004). JULIO LOUZADA, vol.3, pág.698; vol.5, pág. 656; ITAÚ CULTURAL.

074 - SERGIO TELLES - (1936)
LL Marinha - ost - 33 x 55 - cie
Pintor, professor e diplomata, estudou pintura na ENBA/Rio; foi discípulo de Levino Fanzeres, Paul Gagarin, Rodolpho Chambelland e Paschoal Valente. Artista de renome internacional, consagrou-se pela sua requintada técnica de composição e domínio da cor. Com exposição retrospectiva programada para o Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro em 2009. TEIXEIRA LEITE, pág. 503; MEC, vol. 4, pág. 380; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 319; ITAÚ CULTURAL. Acervo FIEO.

075 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL " Interior Árabe " - ost - 50 x 70 - cid - 2005
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

076 - JOÃO BAPTISTA DA COSTA - (1865 - 1926)
LL Paisagem - osm - 24 x 36 - cie
Pintor e professor fluminense, de origem humilde, galgou com sabedoria e singular talento os degraus do sucesso no cenário das artes plásticas nacional. Aluno da Academia Imperial de Belas Artes-RJ, onde ingressou em 1885, já no ano seguinte obtinha, nessa condição, medalha de ouro. Foi aluno de Zeferino da Costa e Rodolfo Amoedo. Foi premiado diversas vezes, inclusive com viagem à Europa, onde desenvolveu a sua arte. Foi professor na ENBA até a sua morte. Sobre sua obra, escreveu Gonzaga Duque, no estudo que lhe dedicou, e publicado em 1929: "... A sua arte arrasta-nos ao seu cenário, prende-nos no seu ambiente, leva-nos a participar da emoção de seus tipos". JULIO LOUZADA, VOL 10, pág, 239; PONTUAL, págs. 61 e 62; TEIXEIRA LEITE, págs. 62 a 65; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 443; ARTE NO BRASIL, pág. 556; F. ACQUARONE, pág. 141.

077 - JOSÉ MARQUES CAMPÃO - (1892 - 1949)
LL Paisagem - ose - 27 x 35 - cie - 1945
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 024 deste catálogo.

078 - YOLANDA MOHALYI - (1909 - 1978)
LL Composição - mon. - 33 x 32 - cid
Pintora, desenhista e professora. Formação artística na Academia Real de Belas Artes de Budapest. Ativa em São Paulo a partir de 1931. Fez parte do Grupo dos Sete, juntamente com Victor Brecheret, Gomide e outros. Participante de diversas Bienais de São Paulo, entre 1951 e 1967, recebendo diversas premiações TEIXEIRA LEITE, pág. 331; PONTUAL, pág. 363; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 937; LEONOR AMARANTE, pág. 75; Acervo FIEO.

079 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Menino - dn - 40 x 28 - cid - 1946
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 021 deste catálogo.

080 - GONÇALO IVO - (1958)
LL " O ateliê do pintor italiano '' - tst - 35 x 24 - d - 2000
Com etiqueta de Dan Galeria - São Paulo, no dorso. - Reproduzido sob o n° 54 em catalogo de Leilão James Lisboa - São Paulo. Reproduzido no convite deste leilão. -Pintor, aquarelista, desenhista, ilustrador, gravador. Filho do escritor Lêdo Ivo (1924), o que possibilita sua convivência com escritores e artistas desde a infância. Em 1973, frequenta os ateliês dos astistas Augusto Rodrigues, Abelardo Zaluar (1924 - 1987) e Iberê Camargo (1914 - 1994). Estuda pintura no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ, em 1975, sob orientação de Aluísio Carvão (1920 - 2001) e Sérgio Campos Melo. Arquiteto, formado pela Universidade Federal Fluminense - UFF, exerce atividades como professor do Departamento de Atividades Educativas do MAM/RJ, entre 1984 e 1986, e como professor visitante da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro - EBA/UFRJ, em 1986. Trabalha também como ilustrador e programador visual para as editoras Global, Record e Pine Press. No decorrer de sua carreira, vem realizando diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior. Em 2000, faz cenário para o programa Metrópolis da TV Cultura. Nesse ano, muda-se com a familia para Paris, onde monta ateliê.

081 - ANTONIO PESSOA - (1943)
LL Gestante - e em b - h = 25 - as.
Escultor, assina Tonny. Radicado no Rio de Janeiro detentor de bom curriculo nacional e internacional com inumeras participações em Salões Oficiais,varias vezes premiado. Ótimo mercado.

082 - MOBY - (1922 - 1978)
LL Figura - ost - 100 x 80 - csd - 1975
Moby, nome artístico de Mogns Osterbie, natural de Copenhagem, Dinamarca. Pintor e desenhista, frequentou na sua cidade natal a Escola de Arte Decorativa e a Real Academia de Belas Artes. No Brasil, fixou-se em São Paulo, onde realizou diversas individuais, cuja crítica, principalmente de Quirino da Silva, lhe foram favoráveis, transcrevendo comentários de Mário Schenberg. PONTUAL, pág. 363; MEC, vol. 3, pág. 1; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

083 - JOSÉ FERRAZ DE ALMEIDA JR. - (1850 - 1899)
LL Retrato de Prudente de Moraes - ost - 72 x 57 - ld - 1879
Procedente da coleção Sra. Olga Heydt - São Paulo. -Nasceu em Itú, SP, 8/5/1850, e faleceu, assassinado em Piracicaba, em 13/11/1899. Foi aluno de Vitor Meirelles (pintura) e de Jules Le Chevrel (desenho), a Academia Imperial de Belas Artes, do Rio de Janeiro. Seu curso foi brilhante, tendo obtido 9 premiações. Foi pensionista do Império, aperfeiçoando-se na Europa. Pinta com singular maestria temas ligados ao homem do campo, retratos e paisagens rurais. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 49; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 418; ARTE NO BRASIL, pág. 566; F. ACQUARONE, pág. 89.

084 - VINCENZO CENCIN - (1925)
LL Barcos - ost - 19 x 33 - cie
Natural de Veneza, Itália, desde pequeno sente a feição mágica e iluminada de sua cidade natal e o mar que a rodeia. Após a II Grande Guerra vem para o Brasil, onde fixa a sua residência. Em 1981 inaugura a Galeria Velha Europa, em São Paulo. Sobre a sua obra, assim se manifestou o crítico José Roberto TEIXEIRA LEITE: "... para esse homem chegado já maduro às artes, depois de longa carreira em campo diametralmente oposto, o que importa é lançar, sobre o espaço da tela, reminicências do homem mediterrâneo..." JULIO LOUZADA, vol.11, pág. 69; ITAU CULTURAL.

085 - FARNESE DE ANDRADE - (1926 - 1996)
LL " Linguagem " - dn - 33 x 48 - csd - 1965
Mineiro de Araguari. Pintor e gravador. Foi discípulo de Guignard, e se tornou destacado aluno pela sua criatividade. Mais tarde mudou-se para o Rio de Janeiro, onde aperfeiçoou-se no curso de Friedlander no MAM. No principio suas obras eram compostas de objetos que eram devolvidos pelo mar, bonecos mutilados e corroídos, madeiras e imagens de gesso. Com o passar do tempo, desenvolveu seu processo de criação, voltando-se para as suas raízes, memórias, tabus familiares e morais. Assim, chegou aos " bric-à-bracs" , antiquários, o kitsch e o sacral. JULIO LOUZADA vol.1B, pág. 64.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 760; ARTE NO BRASIL, pág. 911; Acervo FIEO.

086 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Flor - dn - 36 x 9 - cid - 1957
Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. -Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

087 - ALCIDES SANTOS - (1945)
LL Crucificação - ose - 49 x 34 - cid - 1986
Com etiqueta da Galeria de Arte Ipanema - Rio de Janeiro, no dorso. -Pintor pernambucano que num linearismo sui-generis, e com auxílio de um colorido suave evoca cenas religiosas ou fantásticas, de forte acento popular. TEIXEIRA LEITE, pág. 462; MEC, vol. 4, pág. 180; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 296; JÚLIO LOUZADA, vol. 4, pág. 995; ITAÚ CULTURAL.

088 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL Trabalhadores - osc - 16 x 31 - cid e d - 1944 - Rio
Estudou desenho na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro com Modesto Brocos, formando-se em arquitetura em 1932, nessa mesma escola. A partir de 1935, dedicou-se à pintura mural e, de 1937, à pintura de temas sociais, com predominância de motivos de operários em construção e trabalhadores rurais. Caracteriza-se por uma grande versatilidade técnica, sendo dos raros pintores brasileiros a utilizar, lado a lado, o óleo, a têmpera e a encáustica, além da aquarela e do guache. Participou do Núcleo Bernardelli. PONTUAL, pág. 489; MEC, vol. 4, pág. 243; TEIXEIRA LEITE, pág. 475 e 476; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 324 a 327; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763, Acervo FIEO.

089 - ALUISIO CARVÃO - (1920 - 2001)
LL Composição - a - 17 x 16 - cid
Importante pintor, escultor, Ilustrador, ator e cenógrafo brasileiro, natural de Belém-PA. Em 1952 estuda pintura com Ivan Serpa, no MAM-RJ, participando, entre 1954 e 1956, Grupo Frente e, entre 1960 e 1961, integra o Grupo Neoconcreto. Nos anos seguintes viaja para a Europa com o prêmio de viagem recebido no SNAM-RJ. No fim dos anos 60 passa a empregar materiais não tradicionais, como tampinhas metálicas de garrafa, pregos e barbante agrupados em suportes de madeira. Em 1996 ocorre retrospectiva de sua obra no Museu Metropolitano de Arte, em Curitiba, no Museu de Arte Moderna - MAM/BA e no MAM/RJ. "A preocupação inicial de Aluísio Carvão era com a forma: reduzir a obra a estruturas elementares, gestálticas. A partir da dissidência neoconcreta, da qual fez parte, é a cor que irá se impor, envolvendo a estrutura, ou melhor, a cor é, ela mesma, espaço. Carvão não é um pintor metafísico. Através da cor ele revela sua relação sensual com o mundo. Como ele diz: ´Vermelhos-guarás, araras, aroma das flores de manacá, o som do vento terral, o calor equatorial, o amarelo-laranja do sol, ressonâncias atávicas de Van Gogh e Mondrian, em trânsito pela Península Ibérica, Nordeste, Amazônia e nosso litoral daqui´. Nas pinturas da ´série cromativa´ ou no ´cubocor´ da fase neoconcreta, Carvão dá à cor sua máxima concretude e fisicalidade, mas, feito isto, ocorre a retração da cor, que se mutiplica em complementares, abrindo caminho para a caracterização como espaço lírico, território da memória. Sua linguagem e seus motivos são aéreos: sóis, luas, pipas, bandeirolas, mastros, arcos. Enfim, são formas que voam e ascendem, sem contudo perder o vínculo com a terra. " Frederico Morais, in MORAIS, Frederico. Vertente construtiva. In: DACOLEÇÃO: os caminhos da arte brasileira. São Paulo: Júlio Bogoricin, 1986. p. 131-132. JULIO LOUZADA, vol. 5 pág. 210/211; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, 655; LEONOR AMARANTE, 75; ARTE NO BRASIL, 921; Acervo FIEO.

090 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Frutas - ost - 38 x 46 - cie e d - 1981
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista. -Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 086 deste catálogo.

091 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 12 x 15 - cie
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 058 deste catálogo.

092 - OSCAR PEREIRA DA SILVA - (1867 - 1939)
LL Cigana - ost - 51 x 41 - cid - 1907
Com carimbo da Galeria Jorge - Rio de Janeiro, no dorso. -Grande pintor brasileiro; prêmio de viagem à Europa em 1889, aperfeiçoou-se em Paris com Gérome e Leon Bonnat. "Sem ter revelado impulsos vigorosos que lhe evidenciassem poder emotivo, Oscar Pereira da Silva soube manter no transcorrer de bem cinquenta e sete anos de produção permanente e intensa, desde que retornou ao país, em 1896, todo o cuidado de um desenho severamente elaborado, sem num só instante voltar-se para o novo semblante que a pintura adquiria nessa transposição de tempo. " Quirino Campofiorito, in CAMPOFIORITO, Quirino. História da Pintura Brasileira no Século XIX. Ed.Pinakotheke-SP, 1983. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs. 245/281; TEODORO BRAGA, pág. 177/8; LAUDELINO FREIRE, pág. 383; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 185; MEC, vol. 4, pág.277; PONTUAL, pág. 419; TEIXEIRA LEITE, pág. 402; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 437; ARTE NO BRASIL, pág. 553, Acervo FIEO; F. ACQUARONE, pág. 187.

093 - ANTONIO CARPENTIERI - (1930 - 1987)
LL Marinha - ose - 14 x 18 - cie
Com etiqueta Galeria Uirapuru - São Paulo, no dorso. -Natural de Nápoles, Itália, Carpentieri foi descendente de família abastada, há três gerações ligadas às artes plásticas. No Brasil desde 1952, tornou-se aluno de Angelo Cannone, Briante e De Corsi. Expôs diversas vezes com excelente crítica na Itália, cujas galerias e museus possuem obras suas. JULIO LOUZADA, vol.1, pág.215; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 176; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

094 - MARIO GRUBER - (1927)
LL Figura - tm - 48 x 66 - cid - 1982
Pintor e gravador, Gruber é um dos principais artistas de São Paulo desde quando, ainda muito jovem, tomou parte no Grupo dos 19. PONTUAL, pág. 253; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 370; MEC, vol. 1, pág. 466; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 448; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.649; ARTE NO BRASIL, pág. 803; LEONOR AMARANTE, pág. 376; Acervo FIEO.

095 - ADRIEN THIERS - (XIX - XX)
LL " Constantinopla " - a - 29 x 20 - cie - 1913
Art Price.com

096 - BIGIO GERARDENGHI - (1876 - 1957)
LL Marinha - ost - 53 x 41 - cie
Italiano de Dronero, Piemonte, onde nasceu em 7/8/1876. Pintor e professor, oriundo de família nobre, o autor sempre viveu em Nápoles, onde realizou estudos e concluiu sua formação artística. Reputado pintor de paisagens e marinhas, figurou em diversas exposições na Itália, onde ganhou a medalha de ouro na Exposição Internacional de Nápoles, e em 1916, quando o seu quadro Lã para os Soldados, foi escolhido pela Cruz Vermelha Italiana para ser reproduzido como propaganda de Socorros de Guerra. No Brasil sua obra foi muito bem recebida pela público e crítica, figurando em diversas exposições. BENEZIT, vol.4, pág. 681; MAYER/84, pág. 835; TEODORO BRAGA, pág. 107; JULIO LOUZADA vol.1, pág. 415; ITAÚ CULTURAL.

097 - LIVRO -
LL -
1) A ARTE MAIOR DA GRAVURA, por Orlando da Silva, 103 págs; 2) MESTRES DO DESENHO BRASILEIRO - 27 artistas Representativos, por Jacob Klintovitz, 220 págs., ilustrado a cores, Ed. Volkswagen do Brasil S/A - 1983. -

098 - KARL PLATTNER - (1919 - 1989)
LL " Paisagem Urbana " - tm - 13 x 31 - cid e d
Com etiqueta da Galeria de Arte Documenta - São Paulo, no dorso. -Pintor, desenhista e professor , natural de Valle Venosta (Itália), iníciou seus estudos em Florença em 1946, logo mudou-se para Milão. Viajou para Paris e estudou na Académie de la Grande Chaumière. E foi convidado a realizar uma exposição individual em São Paulo em 1952. Foi o vencedor de um concurso para realização de um painel em Bolzano. Em Paris elabora os estudos para essa encomenda e executa painel decorativo para o jornal a Folha de S. Paulo. ITÁU CULTURAL, MEC, Vol. 3 - pág. 423; ART SALES, vol. 2, pág. 969; PONTUAL, págs. 429 e 430; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; ARTE NO BRASIL, pág. 908; LEONOR AMARANTE, pág. 168.

099 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Barcos - ost - 20 x 40 - cie
Nascido e falecido em São Paulo, DURVAL PEREIRA foi pintor e professor ativo em São Paulo. Premiado com a Menção Honrosa no SPBA em 1944, passou a viver exclusivamente da pintura. Pintava ao ar livre aos domingos com os pintores Salvador Rodrigues, Salvador Santisteban, Cirilo Agostinho, Jaime Dinis, Djalma Urban, Innocencio Borghese, e outros. Premiado praticamente em todos os Salões de que participou. Recebeu ao todo, 15 comendas das mais importantes do Brasil. Nos últimos três anos de sua vida, recebeu todos os Primeiros Prêmios e Medalhas de Ouro nas exposições de Paris, Rouen, Lyon, Roma, Miami e Milão. MEC, vol. 3, pág. 368; JULIO LOUZADA, vol. 1, págs. 749/750/751. ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

100 - THOMAZ IANELLI - (1932 - 2001)
LL Composição - ost - 100 x 70 - cid
Reproduzido sob o nº 112 em catálogo de Aloisio Cravo - São Paulo. -Reproduzido no convite deste leilão.Natural de São Paulo, estudou com Angelo Simeone na Associação Paulista de Belas Artes (1953). Participou de coletivas do Grupo Guanabara. Expôs individualmente desde 1960, em diversas cidade do País e no exterior (Madrid, Paris, Bilbao e Lima), e particpou de coletivas nacionais e estrangeiras, sendo presença constante em mostras antológicas de pintura brasileira no país e no estrangeiro. Sobre sua obra mais recente, já se disse pertencer a um mundo de suavidades carinhosas, poéticas, sem se tornar adocicado, monótono e cansativo. Um mundo feérico, aberto, fluído. Viveu no Paraná, com grande sucesso de público e crítica. TEIXERIA LEITE, pág. 507; MEC, vol. 2, pág. 345; WALTER ZANINI, pág. 755; ARTE NO BRASIL, pág.914, Acervo FIEO.

101 - GUIMA - (1927 - 1993)
LL Paisagem e pássaros - ost - 50 x 65 - cie - 1969
Pintor e desenhista de mérito invulgar, Guima era paulista de Taubaté, residiu por muitos anos no Rio de Janeiro e praticava o figurativismo expressionista, por vezes eivado de notas líricas, de outras descambando para o fantástico. MEC, vol. 2, pág. 306; PONTUAL, pág.257; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 377/8; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 407; ITAÚ CULTURAL.

102 - HELIOS SEELINGER - (1878 - 1965)
LL " Carnaval no Hotel Glória " - osc - 19 x 16 - cie
Reproduzido sob o n.°151 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro. -Natural do Rio de Janeiro, seu pai era alemão e sua mãe brasileira, descendentes de franceses e gregos. O artista estudou na ENBA (1892-1896), onde foi aluno de Henrique Bernardelli. Recebeu influência do artista alemão Franz von Stuck, na Academia de Belas Artes de Munique, onde ali foram seus contemporâneos Kandinsky, Paul Klee e Franz Marc. SEELINGER decorou o salão nobre do Clube Naval do Rio de Janeiro, a convite do Ministério do Marinha (1910). PONTUAL, pág.481; TEIXEIRA LEITE, pág. 466; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 431; ARTE NO BRASIL, pág. 574.

103 - PAULO VALLE JÚNIOR - (1889 - 1958)
LL Marinha - ost - 37 x 55 - cie
Paisagista e marinhista extremamente sensível, Valle Júnior postou-se à parte da renovação determinada pela Semana de Arte Moderna, tendo sido porém artista autêntico e pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 187; REIS JUNIOR, pág. 373; MEC, vol 4, págs 441/442; PONTUAL, pág. 531; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

104 - DAREL VALENÇA LINS - (1924)
LL Em Olinda - tm - 43 x 67 - cie
Este importante pintor, gravador, desenhista e professor, conquistou em 1957, no SNAM, o prêmio de viagem ao estrangeiro, voltando a ser contemplado na VII Bienal de São Paulo, como o melhor desenhista nacional. Foi aluno de Henrique Oswald e recebeu aconselhamento técnico de Goeldi. MEC vol.3, pág. 18; PONTUAL, pág.160/161; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 715; ARTE NO BRASIL, pág. 839; LEONOR AMARANTE, pág. 125; Acervo FIEO.

105 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato vermelho com vaso - ast - 60 x 81 - cid e d - 2001
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista.- - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 086 deste catálogo.

106 - TADASHI KAMINAGAI - (1899 - 1982)
LL Dedo de Deus - ose - 41 x 58 - cie
Reproduzido sob o n.° 102 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Grande pintor japonês da Escola de Paris, amigo de Marquet, Vlaminch e Déiran, entre outros, passou no Brasil praticamente toda a década de 1940, aqui se ligando de amizades a pintores como Portinari, Pancetti e Djanira, e iniciando na arte vários jovens pintores de ascendência nipônica, como Flávio Shiró Tanaka, por exemplo. Autor de paisagem, naturezas mortas e retratos de excelente qualidade pictórica, Kaminagai veio freqüentes vezes ao Brasil, onde expôs com enorme sucesso. TEODORO BRAGA, pág.134; BENEZIT, vol.6, pág.152; WALMIR AYALA, vol.1, pág.435 e 437; MEC, vol.2, pág.401; PONTUAL, pág.287; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 643; ARTE NO BRASIL; Acervo FIEO.

107 - UBI BAVA - (1905 - 1988)
LL Florista - ost - 64 x 53 - cid - 1948
Natural da cidade paulista de Santos. Faleceu em São Paulo. Arquiteto, professor e pintor. Foi aluno de Lucilio de Albuquerque e de Henrique Cavalleiro. Foi professor de desenho artístico da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, FAU/UFRJ. Entre as exposições de que participa, destacam-se: Salão Nacional de Belas Artes - Divisão Moderna, Rio de Janeiro, 1949; Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1951 e 1975; Salão Preto e Branco (3º Salão Nacional de Arte Moderna), Rio de Janeiro, 1954; Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP, São Paulo, 1976. Após sua morte, suas obras participam da seguintes exposições: Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal de São Paulo, 1994; Espelho da Bienal, no MAC/Niterói, 1998. Segundo TEIXEIRA LEITE "Ubi Bava pode ser considerado um precursor e um pioneiro de certo tipo de pintura que tem nos efeitos óticos e nos recursos cinéticos sua razão maior de ser. Introduzindo em suas superfícies espelhos, ao mesmo tempo introduz, no cerne mesmo de sua obra, a imagem refletida do espectador. Também fez uso de tubos de plástico e de movimentos mecanicamente produzidos, subordinando todos esses elementos a uma evidente vontade construtivista. Em certo momento de sua evolução, o que produzia tinha certo parentesco com o concretismo..." TEIXEIRA LEITE; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 5 pág. 98; WALTER ZANINI, pág. 676; LEONOR AMARANTE; ARTE NO BRASIL, pág. 933.

108 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " Operários de demolição " - osm - 12 x 12 - cid e d - 1968
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 088 deste catálogo.

109 - BERNARDO CID - (1925 - 1982)
LL Composição - ost - 81 x 60 - cid - 1975
Autodidata, o artista foi natural da cidade de São Paulo, onde também veio a falecer. O crítico Mario Schenberg, em sua obra ´Pensando a arte´. Ed. Nova Stella-SP, 1988, assim comentou a obra do artista: "Nas fases figurativas anteriores a 1960, Bernardo Cid experimentou várias técnicas. De um modo geral, o grafismo desempenhou o papel mais importante nesse período, se bem que tenha empregado também uma técnica de esmaltes. A partir de 1960 iniciou sua fase abstrata informal, que se prolongou até o fim de 1964, quando voltou de novo ao figurativismo. A pintura informal de Cid apresenta um interesse considerável. Algumas obras desse período se aproximam do expressionismo abstrato, revelando um senso cósmico acentuado, adequadamente comunicado por uma linguagem pictórica rica de sensibilidade cromática. A visão cósmica de Cid tem uma dramaticidade contida mas forte. Ela reapareceu combinada com outros elementos em alguns dos seus quadros neo-realistas de 1965. A passagem pelo informalismo enriqueceu consideravelmente a pintura de Cid, combatendo uma predominância excessiva de grafismo, evidenciada nas fases precedentes. Aprimorou o seu senso espacial e deu-lhe musicalidade." MEC, vol.1, pág.437; PONTUAL, pág.73; Catálogo Da Exposição Panorama da Arte Atual Brasileira- Museu de Arte Moderna de São Paulo/1976; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 205/206; BENEZIT, vol.3, pág.31; TEIXEIRA LEITE, pág.74; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 737; ARTE NO BRASIL, pág. 910.

110 - BENEDITO CALIXTO DE JESUS - (1853 - 1927)
LL Vila de pescadores - osc - 18 x 24 - cid - 1888
Com a seguinte dedicatória no dorso: " Ao amigo Nascimento, oferece o B. Calixto. Santos 9/12/1888 ". Com certificado de autenticidade firmado por Celso Calixto Rios. Reproduzido no convite deste leilão e no Caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 26/1/2009. - Pintor paulista, depois de apresentar seus trabalhos em São Paulo, no ano de 1881, fixou-se por algum tempo em Santos. Tendo executado a decoração do Teatro Guarani, partiu para Paris em 1883, estudando na Academia Julian; retornou ao Brasil em 1885 e passou a residir em São Vicente, cuja paisagem fixou em diversos quadros. Existem obras suas nos acervos de diversos museus brasileiros. TEODORO BRAGA, pág.51; REIS JR, pág. 214; LAUDELINO FREIRE, pág. 387; PONTUAL, pág.68/69; MEC, vol.1, págs.326/327; WALMIR AYALA, vol.1, pág.153; MAYER/83, pág,601; TEIXEIRA LEITE, pág. 97; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 505; ARTE NO BRASIL, pág. 599.

111 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Pássaro - m em ac - h = 6 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

112 - MIRA SCHENDEL - (1918 - 1988)
LL " Janela " - mon. - 46 x 23 - cid - 1965
Suíça, Mira imigrou para o Brasil em 1949, fixando-se inicialmente em Porto Alegre, onde realizou a sua primeira exposição individual, em 1952. Expôs em 1954 em São Paulo (MAM), para onde se transferiu. Participou de diversos salões, tais como o SPAM e Bienais de São Paulo, Córdoba e Veneza, obtendo premiações. A principio exclusivamente desenhista, com a utilização de signos, índices e símbolos, dedicou-se posteriormente à pintura, dentro da vertente minimalista que norteou toda a sua carreira. TEIXEIRA LEITE, pág. 464; JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 304; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 688; LEONOR AMARANTE, pág. 187.

113 - CAROL KOSSAK - (1895 - 1976)
LL Caipira - ost - 24 x 19 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

114 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL Paisagem do Rio de Janeiro - ost - 30 x 70 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

115 - PEDRO LOBIANCO - (1939)
LL " Memórias do Elefante Branco " - lito. color. 4/25 - 38 x 29 - cid - 1963
Desenhista, gravador, artista gráfico e pintor, LOBIANCO nasceu no Rio de Janeiro, RJ, tendo ali cursado desenho e artes gráficas na antiga ENBA. Participa de coletivas desde 1963, e em salões internacionais desde 1967. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 583

116 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Pequeno fumante - ost - 40 x 30 - cid ileg.
Procedente da coleção do pintor Felisberto Ranzini - São Paulo. -

117 - ARLINDO CASTELANE DI CARLI - (1910 - 1985)
LL Casario - osm - 27 x 20 - cie - 1951
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 065 deste catálogo.

118 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL Trabalhadores - ost - 35 x 27 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 088 deste catálogo.

119 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Marinha - ost - 38 x 46 - cie e d
Nascido em Manaus, pioneiro mundial da arte não-figurativa (a qual já praticava desde 1916), Santiago estudou no RJ com Visconti, e foi o principal responsável pelo Núcleo Bernardelli, no qual se formaram tantos dos melhores artistas do Modernismo carioca. Sua arte é um neo-impressionismo de belo colorido e opulentos efeitos de textura. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, pág. 241; TEODORO BRAGA, pág. 211/212; Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, MEC-MNBA / /Rio/1944; MAYER/84, pág. 1158; REIS JR., pág. 378; PONTUAL, pág. 473; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 292; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

120 - MICK CARNICELLI - (1893 - 1967)
LL Porto - a - 68 x 49 - csd - 1955
Pintor ativo em São Paulo. Participou da coletiva 50 Anos de Paisagem Brasileira, São Paulo (1956), representado por obras em coleções paulistas; Paisagem Urbana, na Biblioteca Municipal de São Paulo;Santo André (1951), coleção João Amoroso Neto; e Coração de Jesus, coleção Lourdes Milliet. Participou, também, da I Bienal de São Paulo(1951) com as obras: Pátio de Manobras da Sorocabana e Subúrbio. MEC ,vol. 1, pág.359; JULIO LOUZADA, vol. 10 , pág. 595; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 630. Acervo FIEO.

121 - GERARDO DE SOUZA - (1950)
LL Violeiros - ost - 69 x 98 - cid e d - 2005
Natural de Guaraciaba do Norte, CE. Pintor ativo na cidade do Rio de Janeiro. Em 1973, começou a expor seus trabalhos na Feirarte, Pça Gal Osório-RJ. Participou de diversas coletivas naquela cidade. Por ocasião de sua individual, o crítico de arte Walmir Ayala fez-lhe esta apresentação: "A sociedade do boi é o seu terma principal. O boi manso, o boi espaço, o boi forma, o boi cor, os bois, o boi é o homem. O pontilhado no focinho do boi. As árvores e o casario modesto perto dos quais o boi rumina sua paciência. Uma pintura que fala de uma alma modesta e sincera." JULIO LOUZADA, vol 11 pág 306; MEC, vol 4 pág 313.

122 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Reunião - dn - 8 x 14 - cid
Nasceu em 27 de dezembro na cidade de Villa Collemandina, na Itália, e fixou-se no Brasil desde 1929, após ter estudado em Florença, e haver-se diplomado em pintura pela Academia Real de Pintura de Lucca. Pennacchi integrou a Familia Artística Paulista. Muralista de inspiração pré-renascentista, sua pintura é sensível e pessoal de modo especial na interpretação dos grandes temas bíblicos e da vida dos santos (mercê de uma infância marcada por sólida educação religiosa Católica), e na evocação do mundo caipira. Realizada em 1973, considerado o Ano de Pennacchi, importante retrospectiva da obra deste festejado artista no MAM de São Paulo. O artista fez exposições em Milão e foi homenageado em seu país natal. TEODORO BRAGA, pág. 192; MEC, vol, 3, pág. 365; WALMIR AYALA, vol, 2, pág. 182; PONTUAL, pág. 416; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 784; Acervo FIEO.

123 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Mulher - a - 18 x 14 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 063 deste catálogo.

124 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Composição - tm - 21 x 14 - cid
Pintor e desenhista austríaco, natural de Viena, transferiu-se para o Brasil em 1928, fixando residência em São Paulo, Estudou no Liceu de Artes e Ofícios da cidade, onde conheceu Valdemar da Costa, com ele fazendo aprendizado de pintura a partir de 1940. Artista estável, sua evolução não sofreu sobressaltos, uma vez formado numa linguagem linear de sensibilidade pessoal, despojada e exigente, rigorosamente artesanal. PONTUAL, pág. 131; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI pág. 645; ARTE NO BRASIL, pág. 798; Acervo FIEO.

125 - MANABU MABE - (1924 - 1997)
LL Composição - g - 13 x 18 - cie - 1965/1966
Pintor autodidata, veio para o Brasil com a família em 1934, fixando-se em Lins-SP, onde trabalhou na lavoura do café; ligado ao abstracionismo informal, até a metade dos anos 50 fez pintura figurativa, especialmente paisagens e naturezas mortas; dedicou-se ainda à tapeçaria. ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1050; TEIXEIRA LEITE, pág. 296; PONTUAL, pág. 325/6; MEC, vol. 3, pág. 13; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 644; LEONOR AMARANTE, pág. 83, Acervo FIEO.

126 - ANTONIO HENRIQUE AMARAL - (1935)
LL Composição - a - 13 x 22 - cie - 1962
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 045 deste catálogo.

127 - MANOEL MARTINS - (1911 - 1979)
LL Namorados - grav.a P.A. - 32 x 24 - cie - 1971
Com dedicatória. -Natural de São Paulo, MANOEL MARTINS participou ativamente do Grupo Santa Helena, onde defendeu a necessidade de fazer da arte uma profissão, e ocupar com ela, um espaço na sociedade. Manoel Martins, a partir da exposição da Familia Artística Paulista em 1937, realizado pelos integrantes do Grupo, desenvolveu obras no âmbito do figurativo, buscando incorporar a vida, o movimento, as aglomerações do mundo urbano, substituindo a figuração pós-impressionistas por elementos racionais do cubismo com a valorização do expressionismo. TEIXEIRA LEITE, pág. 316; JULIO LOUZADA, vol.11, pág. 201; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 784, Acervo FIEO.

128 - JOUBERT PANTANERO - (1946)
LL Figura - osc - 91 x 60 - cie - 1992
Pintor, escultor, gravador e tapeceiro, natural de Corumbá, MS, onde nasceu a 4 de fevereiro de 1946. O colecionador Samuel Senna comenta sua obra: " ... Profundo conhecedor das formas anatômicas multicoloridas dos elementos que compõem o seu habitat ( o Pantanal Matogrossense), Joubert é um expressionista das artes plásticas." Individuais em 1994, no Espaço Cultural Banco do Brasil de Dourados-MS e no Hilton Hotel-SP. JULIO LOUZADA, vol 8 pág 635

129 - LUIZ SACILOTTO - (1924 - 2003)
LL Composição - ser. 29/160 - 45 x 65 - cid
Paulista de Santo André, veio a falecer em São Bernardo do Campo SP. Pintor, escultor, desenhista. Estuda pintura no Escola Profissional Masculina do Brás, entre 1938 e 1943, e desenho na Associação Brasileira de Belas Artes, de 1944 a 1947. Em 1952, integra o Grupo Ruptura, ao lado de Waldemar Cordeiro, Geraldo de Barros, Kazmer Fejer, Leopoldo Haar, Lothar Charoux e Anatol Wladyslaw. Considerado um dos precursores da arte concreta no Brasil, participa de eventos de arte concreta no país e no exterior. Em 1989, recebe o prêmio artes visuais da APCA e, em 2000, é eleito melhor artista pela APCA. "Sacilotto é um operário avançado da parcimônia pictórica e escultórica (...). Que coisa mais simples e primordialmente neoliticado que um pattern de triângulos negros sobre fundo branco que se trianguliza em signos ao mesmo tempo iguais e opostos? No entanto, uma obra como essa tem a fascinação mesmérica de um mandala ocidental. Diacronicamente, aí estão o objet trouvé, a op, a conceitual, a minimal; sincronicamente, quanto mais você olha para ela mais vê coisas e espaços em constantes e inconstantes mutações. É dessa forma que Sacilotto sabe preservar a expressão na construção. " Décio Pignatari, in: LOUZADA, Júlio. Artes plásticas Brasil 1985: seu mercado, seus leilões. São Paulo: vol. 1 1984. p. 853-854. JULIO LOUZADA, vol. 1 pag. 853; ITAU CULTURAL. Acervo FIEO.

130 - MARCIO PETRONI - (1968)
LL Curva do rio - ost - 20 x 30 - cid
Natural de São Paulo, SP, esse artista e professor, dentro da formação artística, também foi aluno de: Avaro Lima, Alexandre Reider, Nelson Screnci, Rubens Matuk e Marcus Cláudio. Participou de diversos Salões e exposições oficiais: São Paulo, SP (1996, 1997); Piracicaba, SP (2003); Rio Claro, SP (2004, 2005 e 2006); Vinhedo, SP (2006). Individuais: São Paulo, SP (1999) e Rio Claro, SP (2006). Prêmios: Piracicaba, SP (2003); Rio Claro, SP (2004, 2005 e 2006) e Vinhedo, SP (2006).

131 - MITSUTAKA KOGURE - (1938)
LL Marinha - ose - 28 x 24 - cie - 1988
Natural de Gunmaken, Japão. Formou-se na Escola de Belas Artes de Tóquio. Participou de coletivas naquela cidade até 1960, quando fixa residência em São Paulo. Figurou desde então na BSP (1963) e dos VII e VIII salões de Artes Plásticas do Grupo Seibi, com premiações. Participou também dos salões organizados pelo MAM-RJ e do SPAM-SP. Conforme texto do pintor Tikashi Fukushima, Kogure "pinta becos e cantos obscuros, dando-lhes colorido mágico, modernizando a estrutura." JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 512; MEC, vol. 2-pág. 410; ROBERTO PONTUAL, pág.292; Acervo FIEO.

132 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL Ouro Preto - ose - 31 x 21 - cie
Italiano da Lombardia, PELLEGATTA foi pintor e gravador dedicado a temas sacros e casarios coloniais. Em sua obra, o ser humano é apresentado sempre de modo idealizado, na figura de ternas madonas, santos, coroinhas e cavaleiros. Participou de diversas coletivas e salões, a partir de 1957, recebendo premiações em sua maioria. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág.735; MEC vol.3, pág.363; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

133 - MASAYOSHI OGASAWARA - (1933)
LL Vaso - tm - 38 x 26 - cid - 1970
Pintor e decorador, radicou-se em São Paulo, onde é ativo. Participou do XXXV SPBA (1970), e do VIII Salão Bunkyo, na Sociedade de Cultura Japonesa (1979), entre outros. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 689

134 - ARTUR BÁRRIO - (1945)
LL " Série Africana " - osp - 24 x 32 - d - 1981
Nascido Artur Alípio Barrio de Souza Lopes, na cidade do Porto, Portugal, no dia 1 de fevereiro de 1945. Pintor e desenhista. Jovem ainda fixou-se no Rio de Janeiro. Frequentou a Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, recebendo orientação artística do prof. Onofre Penteado. Trabalha com materiais recicláveis (papel, plástico, etc). Em 1969 participou da seleção da representação para a VI Bienal dos Jovens em Paris, com Ivald Granato e Luis Pires. JULIO LOUZADA vol. 1 pág. 96; ITAU CULTURAL.

135 - ROBERTO DE ALMEIDA - (1940)
LL Pescadores - ost - 37 x 46 - cie
Pernambucano do Recife, este artista foi aluno do curso regular da Escola de Belas Artes da Universidade de Munique, Alemanha. Em 1964 participa da fundação do Atelier e Galeria do Mercado da Ribeira, em Olinda, onde também lecionava História da arte. Exposições individuais e coletivas no Rio de Janeiro e coletivas em Salvador e Recife. JULIO LOUZADA, vol.1 pág. 51.

136 - ROSEMARY BRUNELI LUCON - (1945)
LL "Orquídea I" - ost - 80 x 80 - cid e d - Mogi-Guaçu
Artista plástica de Mogi-Guaçu/SP, inicia sua carreira profissional em 1990 e sua primeira obra foi com tinta de tecido. Foi professora, diretora e supervisora de ensino e atualmente leciona pintura em telas. JULIO LOUZADA.

137 - VERA CAFÉ - (XX)
LL Composição - p - 50 x 70 - cid - 1989
Desenhista formada em educação artística, com diversas exposições individuais e coletivas, com participações em salões oficiais nacionais e internacionais. JÚLIO LOUZADA, vol. 3, pág. 187.

138 - SILVIO AZAMOR - (1925 - 1997)
LL Barcos - ose - 33 x 24 - cid - 1975
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 044 deste catálogo.

139 - WALDYR MATTOS - (1916)
LL " Santa Tereza " - ost - 73 x 60 - cid e d - 1980
Natural da cidade do Rio de Janeiro, onde nasceu a 21/6/1916. Segundo Carlos Cavalcanti, o autor "... Essencialmente figurativo, com algumas incursões sem muito sucesso pela abstração (...) entregou-se ao trabalho dentro dos postulados Pop-Nova Figuração, procurando criar uma arte de acento popular, de fundo urbano, ou suburbano, com forte referência ao social." Individuais a partir de 1960 e coletivas desde 1952. JULIO LOUZADA, vol. 12 - pág 431

140 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 13 x 19 - cid - 1946
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 002 deste catálogo.

141 - AÉCIO DE ANDRADE - (1935)
LL São Francisco - ast - 30 x 40 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

142 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a e g - 14 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 002 deste catálogo.

143 - ALBA CAVALCANTI - (1965)
LL Leitura - p - 53 x 45 - cid - 1989
Alba nasceu em Itabaiana/ PB, em 1965 fixou-se no Rio de Janeiro, mas somente em 1984 a pintura entrou por um acaso na vida de Alba Cavalcanti quando, na praia de Boa Viagem/ PE, onde estava passando uma temporada, resolveu escrever uma carta para os parentes do Rio de Janeiro, então, colocou no colo um velho bloquinho e começou a esfregar, em círculos cinzas de um cigarro, quando surgiu uma figura estranha que a intrigou e a instigou a continuar. Em seguida contornou-a com carvão de pedra e o entusiasmo persistiu tanto que, em três meses, havia feito oitocentos desenhos com cinza e carvão sobre papel ofício. De volta ao Rio de Janeiro, começou a pintar sobre papel com pastel seco colorido, um passo que lhe permitiu, em 1986, expor individualmente 33 quadros no Clube dos Decoradores de Copacabana. Daí partiu para a tinta acrílica sobre tela. Sua carreira é alicerçada pelo respeito que lhe devota a crítica em razão de seu fôlego, autenticidade e técnica madura. Alba é exímia em abordar saborosas e movimentadas cenas coletivas de celebração e lazer. Realizou inúmeras exposições no Rio de Janeiro, Japão, Eslováquia, Itália e França. A ARTE NAIF NO BRASIL.

144 - FRANCISCO CÉA - (1908 - XX)
LL Flores - ost - 60 x 30 - cie e d
JULIO LOUZADA vol.2, pág.258.

145 - CIDINHA - (1934)
LL Cena rural - ost - 71 x 92 - cid - 1963
Pintora, participou da Bienal de São Paulo (1959 e 1965), do Salão de Arte Moderna do Distrito Federal (1965 e 1966), do XV Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro (1966) e da Exposição Contribuição da Mulher a Artes Plásticas no País, São Paulo (1960). Realizou individual na Galeria Meira, Rio de Janeiro (1966). MEC. vol. 1, pág. 437.

146 - DECIO FERREIRA - (1932 - 2008)
LL " Coração de tigre " - ost - 50 x 60 - cid e d - 2007
Pintor, gravador e desenhista nascido em São Paulo, Capital. Formou-se no Liceu de Artes e Ofícios desta cidade e, mais tarde, frequentou o curso de desenho livre no MAM-SP. Aperfeiçoou-se em pintura com Alexandre Barrenechea e em gravura com Lívio Abramo. Expôs regularmente no SPAM-SP de 1959 a 1963, obtendo diversas e importantes premiações. Participou da V Bienal de SP; expôs em diversas coletivas e individuais, no País e no exterior. Trabalhou também como chargista da Revista Visão e em vários jornais de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol 1 - pág 379. Acervo FIEO. -

147 - ANTONIO MEIRELLES - (1919)
LL Marinha - ost - 38 x 55 - cid e d - 1984
Pintor natural da cidade do Recife-PE. Transferiu-se para o Rio de Janeiro em 1936, ingressando na Marinha de Guerra, sem deixar de trabalhar com a pintura, que mais tarde, seria sua dedicação exclusiva. Teve orientação artística de José Pancetti no Liceu de Artes e Ofícios e, também, cursou a antiga ENBA-RJ. Na década de 60 obteve vários prêmios no SNBA-RJ, com medalhas de bronze, prata e menção honrosa. Realizou individuais no Rio de Janeiro, além de participar de Salões Oficiais no Rio e em São Paulo recebendo premiações. JULIO LOUZADA, vol 1, pág 625

148 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Paisagem - lito. 30/40 - 38 x 42 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 086 deste catálogo.

149 - JAN BOGUSLAWSKI - (1946)
LL " Passeio " - ost - 40 x 50 - cie e d - 2006
Natural de Trille, Alemanha, onde nasceu a 24 de setembro de 1946. Pintor e escultor. É autodidata. Segundo crítica de Yvelise de Araújo Szaniawski .." A pintura de Jan nos conduz a um mundo fascinante de poesia e beleza. Sensibilidade, lirismo poético, pesquisa surrealista do insólito e do onírico são algumas das qualidades que, ao lado de um domínio pleno do ato pictório, mais impressionam em Jan. Sua obra, instigante e rica, nos parece prometida a um sucesso duradouro." JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 43

150 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL " Tosquia II " - lin. g Ex. 8 - 20 x 25 - cid
Reproduzido na pág. 49 do livro " Scliar - O real em reflexo e transfiguração " de Roberto Pontual. -Pintor e gravador gaúcho, cuja carreira esteve intimamente ligada ao desenvolvimento da arte moderna e da gravura em seu estado natal e no Brasil. Começou a pintar em 1935, tendo sofrido de início a influência de Segall. Após uma fase realista, evoluiu, em anos mais recentes, para uma linguagem pessoal, fixado objetos com grande amor às transparências e às texturas, numa ânsia de transfiguração e de serenidade. MEC vol.4, pág. 214; TEODORO BRAGA, pág. 66; WALMIR AYALA vol.2, pág. 306 a 309; PONTUAL, págs 479 e 480; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 293; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 798; RGS, pág. 442; Acervo FIEO.

151 - JOSÉ ANTONIO MORETO - (1938)
LL " Paisagem com Serra do Baú " - ose - 20 x 40 - cie - 1988
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 012 deste catálogo.

152 - COSME MARTINS - (1959)
LL Composição - a - 15 x 20 - cie
Maranhense de Belas Águas, onde nasceu a 27/9/1959. Mostrando talento para o desenho logo na infância, estudou em 1984 com Rubens Gerchman. Transfere-se para o Rio de Janeiro, onde foi aluno de Luiz Áquila e Aluisio Carvão, entre outros. Walmir Ayala assim se referiu à obra do artista: "... De um figurativismo não convencional, marcado pela figura seriada e pela ênfase da cor e do gesto, Cosme Martins já surgiu engajado nas pesquisas mais atuais da pintura brasileira." Individuais e coletivas a partir de 1980, inclusive no exterior, com premiações. JULIO LOUZADA, vol 4 - pág 696

153 - FELISBERTO RANZINI - (1881 - 1976)
LL Palácio - dl - 47 x 63 - cie - 1919
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 053 deste catálogo.

154 - JOSÉ BENIGNO RIBEIRO - (1955)
LL " Igreja D´Aldeia " - ostce - 30 x 50 - cie e d - 1987
Mineiro de São Lourenço, onde nasceu a 21 de setembro de 1955. Pintor e escultor. Artista desde os 14 anos de idade, foi inicialmente autodidata, fazendo posteriormente cursos regulares de pintura e desenho. Participou de diversas coletivas por cidades de Minas Gerais. Individualmente expõe desde 1981, e coletivamente desde 1972, com premiações. JULIO LOUZADA, vol. 3 pág. 106

155 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Jangadeiros - a - 24 x 33 - cid - Franco

156 - GLAUCO PINTO DE MORAES - (1928 - 1990)
LL Engate de composição - ser. 8/10 - 41 x 36 - cid - 1979
Pintor, desenhista e gravador nascido em Passo Fundo, RS e falecido em São Paulo, em 5/5/1990. Em 1968 abandona a carreira jurídica para se dedicar somente à pintura. Para tanto muda-se para São Paulo, onde participa com sucesso na XIII BSP, através do tema Locomotivas. Artista engajado, participou de todos os movimentos nas décadas de 70 e 80. O festejado crítico Jacob Klintowitz assim se referiu ao artista e obra no seu livro O Oficio da Arte: A Pintura: "um dos casos raros de pintor tardio, oriundo de outra atividade. Talvez seja o que explique a repentina maturidade humana desta pintura já revelada pronta aos olhos do público brasileiro." TEIXEIRA LEITE, 408; JULIO LOUZADA, vol. 12, pág. 179; RGS, pág. 226; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 754; LEONOR AMARANTE, pág. 267.

157 - TRINAZ FOX (RUBENS FERREIRA TRINAZ FOX) - (1899 - 1964)
LL Galo - dn e a - 50 x 35 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 019 deste catálogo.

158 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Figuras - grav. - 30 x 39 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 021 deste catálogo.

159 - LUIZ SACILOTTO - (1924 - 2003)
LL Leitura - dn - 54 x 36 - cid - 1947
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 129 deste catálogo.

160 - SALVADOR SANTISTEBAN - (1919 - 1995)
LL Cavalos - ost - 33 x 41 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

161 - ELISEU D´ANGELO VISCONTI - (1866 - 1944)
LL Nus - d l cêra - 25 x 17 - cid
Considerado o maior pintor que trabalhou no Brasil, nasceu na Itália, mas fez sua formação artística na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro e em Paris. Foi sucessivamente, realista, simbolista, adepto do Art Noveau e pós- impressionista, até chegar em algumas paisagens já quase no fim da vida, a uma síntese admirável de todos esses estilos e tendências. Sua obra-prima - e uma das obras- primas da arte brasileira de todos os tempos - é a decoração do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, principamente o friso do foyer, iniciado em 1914. TEODORO BRAGA, pág. 240/241; LAUDELINO FREIRE, págs. 515/ 133/ 151/ 510 e 512; BENEZIT, vol. 10, pág. 535; REIS JR., pág. 293 /300 /304 /371 /375/ 380/ 381/ 388/ 389; MEC, vol. 4, pág. 393; PONTUAL, pág. 543/544/545; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 422 e 423; MAYER/84, pág. 1252; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 420; ARTE NO BRASIL, pág. 553; LEONOR AMARANTE, pág. 42; Acervo FIEO; F. ACQUARONE, pág. 171.

162 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Ouro Preto " - ost - 16 x 22 - cid e d - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

163 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Nu - dc - 56 x 44 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 119 deste catálogo.

164 - RENINA KATZ - (1925)
LL " Camponesas " - xilo. 27/80 - 19 x 17 - cid
Pintora, gravadora e professora, Renina Katz é paulista. Sua arte é dominada pelo vigor e pela imaginação. MEC vol.2, pág.403/4; PONTUAL, pág. 288/9; WALMIR AYALA vol.1, pág.441; JULIO LOUZADA vol.11, pág.262; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 606; ARTE NO BRASIL, pág. 834; LEONOR AMARANTE, pág. 98, Acervo FIEO.

165 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL Marinha - ose - 12 x 18 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

166 - ALFREDO OLIANI - (1906 - 1988)
LL Estudo para Jazigo - dl e a - 20 x 25 - cid - 1939
Pintor, desenhista, gravador e escultor nascido (24/1/1906), e falecido (26/10/1988) na cidade de São Paulo. Frequentou a ENBA-SP, recebendo por concurso um prêmio de Viagem a Europa. Em Florença, Itália, aperfeiçoou-se na Academia de Belas Artes. Expondo nos salões oficiais em sua cidade natal, recebeu diversos prêmios. No campo da gravura, dedicou-se especialmente à água-forte. Obras em acervo: Pinacoteca-SP. JULIO LOUZADA, vol 4- pág 822

167 - BASILIOS POULOS - (XX)
LL Composição - tm - 43 x 56 - cid - 1975
Pintor com diversas exposições individuais, coletivas e participação em Salões oficiais.

168 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Napoli - ose - 19 x 23 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 028 deste catálogo.

169 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Capoeira - dn - 29 x 21 - cid
Desenhista, gravador, pintor e escultor, radicado na Bahia. Sua arte é lírica, de boa técnica, baseada no povo, que lhe forneceu o melhor da sua temática. PONTUAL, pág. 116; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 180 e 181; TEIXEIRA LEITE, págs. 111 e 112; MEC, vol.1, pág. 355; BENEZIT, vol. 2, pág. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717;ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

170 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Pavão - m em ac - h = 6 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

171 - GERDA BRENTANI - (1906 - 1999)
LL " São Jorge " - dn e ag - 67 x 48 - cid - 1963
Com etiqueta da Exposição retrospectiva de Gerda Brentani realizada no Museu de Arte Moderna de São Paulo, no dorso. -Nasceu em Triestre, Itália, no dia 27 de fevereiro de 1908. Desenhista e gravadora. No Brasil desde 1939, fixou residência em São Paulo, Capital. Iniciou estudos com Ernesto de Fiori e Rossi Osir, por volta de 1940. De traço humoristico, a artista destacou-se no cenário artístico/crítico nacional, cuja obra tem participado em mostras nacionais e internacionais, com sucesso de crítica. JULIO LOUZADA vol.1, pág.153; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 630; Acervo FIEO.

172 - HERBERT KIRCHHOFF - (1911)
LL Paisagem - a - 17 x 22 - cid
FINDARTINFO.COM

173 - GINO BRUNO - (1889 - 1977)
LL Pequeno fumante - ost - 34 x 25 - cie
Nascido e falecido em São Paulo, este pintor foi especialista em figuras, interiores e naturezas-mortas. TEODORO BRAGA, pág. 108; MEC, vol. 1, pág. 299; PONTUAL, pág. 92; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 135; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 623; Acervo FIEO.

174 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Senhora - p - 32 x 26 - n/as.

175 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Ceia - ost - 30 x 60 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

176 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL Floresta - p - 30 x 21 - cie - 1965
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 066 deste catálogo.

177 - LIVRO -
LL -
1) ENTRE DOIS SÉCULOS, por Roberto Pontual, 587 págs., ilustrado a cores, Ed. JB - Rio - 1987; 2) O MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, 319 págs., ilustrado a cores, Ed. Banco Safra - 1990. -

178 - GUIMA - (1927 - 1993)
LL Cena fantástica - ost - 18 x 24 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 101 deste catálogo.

179 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Galo - dch - 40 x 28 - cid - 1978
Com dedicatória. Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 086 deste catálogo.

180 - RAIMUNDO DE CUMBUCO - (XX)
LL Nu - e em mad. - h = 59 - b - 2006 - Ceará
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 040 deste catálogo.

181 - SALVADOR PARLAGRECO - (1871 - 1953)
LL No pasto - ost - 30 x 50 - cid
Pintor nascido na província de Caltamissetta / Siccília, era o irmão mais jovem do também pintor Beniamino Parlagreco e do professor Carlos Parlagreco. Crescendo, portanto em ambiente artístico, onde o sentimento da arte era inato. Em 1908 participou da Exp. Comemorativa do Centenário de Abertura dos Portos no Brasil., realizada no Rio de Janeiro; conquistou a medalha de prata. Retornou ao Brasil em 1928, para participar de exposições. Pintores Italianos no Brasil - p/ Sociarte / Abril/1982; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 666; TEIXEIRA LEITE, pág. 386; WALMIR AYALA, vol. 11, pág. 166; ITAÚ CULTURAL.

182 - MITSUTAKA KOGURE - (1938)
LL Figuras - ost - 60 x 40 - cid - 1971
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 131 deste catálogo.

183 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Composição - ost - 100 x 65 - ci - 1963 - Garcia Amias

184 - AGOSTINHO BATISTA DE FREITAS - (1927)
LL Flores - ost - 40 x 60 - cie - 1971
Começou a pintar no início da década de 1950 (e ele próprio relatou que vendia seus trabalhos na Praça do Correio da capital paulista) sendo logo descoberto por Pietro Maria Bardi que organizou uma exposição de seus trabalhos no Museu de Arte de São Paulo, em 1952, mais tarde apresentados também, no Museu de Arte Moderna de São Paulo e da Bahia e no Museu de Arte Contemporânea de Campinas. Participou da XXXIII Bienal de Veneza (1966). MEC, vol. 2, pág. 210; PONTUAL, pág. 225; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 323; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 208; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 214; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 832; Acervo FIEO.

185 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL " O Mambembe " - ose - 52 x 60 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

186 - ARMANDO VIANNA - (1897 - 1988)
LL Paisagem do Rio de Janeiro - ost - 37 x 44 - cie
Este grande pintor carioca foi discípulo de Rodolfo Chambelland e Rodolfo Amoedo na antiga Escola Nacional de Belas Artes e de Eurico Alves e Stefano Cavalaro, no Liceu de Arte e Ofícios do Rio de Janeiro. É ainda hoje, considerado um dos maiores aquarelistas brasileiros. Realizou exposições individuais e em todas as principais capitais brasileiras. MEC vol.4, pág.470; JULIO LOUZADA vol.3, pág.186. PONTUAL pág. 538; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

187 - GERSON DE SOUZA - (1926 - 2008)
LL " Cangaceiro " - ost - 36 x 24 - cie e d
Pintor. Autodidata. Fixou-se no Rio de Janeiro, onde exerceu a profissão de carteiro dos Correios, e onde começou a pintar em 1950. Participou da V Bienal de São Paulo, de vários Salões Nacionais e exposições coletivas no exterior. Várias individuais e coletivas no País. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 127; PONTUAL, pág. 236/237; MEC, vol. 2, pág. 248; TEIXEIRA LEITE, pág. 220; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 347, Acervo FIEO.

188 - FRANK SCHAEFFER - (1917)
LL Composição - tm - 34 x 47 - cid - 1962
Pintor, desenhista e professor. Realizou sua formação artística com Arpad Szenes no Brasil e, entre 1948 e 1949, com André Lhote e Fernand Léger em Paris. Participou de diversas edições da Bienal SP, do SNAM, e outras mostras importantes, tais como I Bienal Interamericana do México (1958), SAMDF (1964 e 1965), entre outras, todas com premiações. Pintor fiel ao seu estilo, pinta seus tema preferidos através de sua imaginação romântico-expressionista. TEODORO BRAGA, pág. 101; PONTUAL, pág. 477; MEC, vol. 4, págs. 192 e 209; Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, MEC-MNBA/Rio/1944.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717.

189 - BENJAMIN SILVA - (1927)
LL " Homem - Máquina " - ost - 33 x 55 - cie e d - 1970
Cearense de Juazeiro, Benjamin Silva antes de se mudar para o Rio de Janeiro, então com 20 anos, foi seringueiro no Amazonas. Foi aluno de Inimá de Paula na Escola do Povo, nos idos de 1950. Inicialmente figurativista, após 1963 adota uma linha de expressionismo agressivo. Sua pintura passeou também pelo surrealismo. MEC, vol.4, pág.246; TEIXEIRA LEITE, pág.70; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 943.

190 - GIUSEPPE PERISSINOTTO - (1881 - 1965)
LL " Auto retrato aos 82 anos " - ost - 50 x 40 - cid - 1963
Nascido em Musile, Veneza, Itália, veio para o Brasil ainda criança e cuja família radicou-se no interior de São Paulo. Fez estudos de pintura na Academia de Belas Artes de Veneza, para onde retornou aos dezoitos anos, prosseguindo para Florença e demais centros de arte da Itália onde se aperfeiçoou; retornou a cidade de São Paulo em 1912, dedicando-se exclusivamente a sua pintura que sempre teve como tema paisagens, marinhas naturezas mortas e figuras. Expôs em várias capitais do Brasil, com sucesso de crítica e público; foi um dos idealizadores do SPBA, ao lado de Souza Pereira e outros. ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

191 - HEINZ BUDWEG - (1940)
LL Pantano - dc - 32 x 44 - cid - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 051 deste catálogo.

192 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Flores - osc - 45 x 35 - cid
Pintor nascido na Itália. Mecatti radicou-se no Brasil em 1940, após trabalhar por vários anos na Tripolitânia, no norte da África. É notável pela estilização de suas figuras e paisagens concebidas, em tons baixos e obedientes a uma composição pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 161/2; MEC, vol. 3, pág. 109; PONTUAL, pág. 352; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 72; TEIXEIRA LEITE, pág. 320; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

193 - ARNALDO BARBIERI - (1913)
LL Paris - ost - 54 x 73 - cid
Pintor contemporâneo ativo em São Paulo. Ainda muito jovem fez curso de desenho na Escola Profissional de Franca. Transferiu-se mais tarde para a Capital e frequentou por vários anos o ateliê de Aliberto Baroni. A partir de 1959 participou regularmente do Salão Paulista de Belas Artes, onde conquistou inúmeras premiações, inclusive prêmio de aquisição. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 91; MEC, vol, 1, pág. 179; Acervo FIEO.

194 - ALVARUS COTRIM - (1904 - 1985)
LL " O escultor Humberto Cozzo no Atelier " - dn - 26 x 18 - csd - 1947
Álvarus Cotrim , dito Álvarus é um dos dos grandes mestres da caricatura no Brasil. TEODORO BRAGA, pág. 32; MEC, vol. 1, pág. 70.

195 - ELISA MARTINS DA SILVEIRA - (1912 - 2001)
LL Pássaros - ost - 46 x 38 - cid
Reproduzido sob o n.° 38 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro. - Natural de Teresina, Piauí. Em 1952 vem para o Rio de Janeiro, RJ. Estuda pintura com Ivan Serpa, em São Paulo. De 1954 a 1956, no Rio de Janeiro, integra o Grupo Frente. Participou de diversos Salões e exposições oficiais: Lausanne, Suíça (1953); São Paulo, SP (1953 a 1961 – 2ª a 6ª Bienal Internacional de São Paulo); Caracas, Venezuela (1954); Rio de Janeiro, RJ (1954 a 1961, 1963, 1975, 1984, 1988); Milão, Itália (1955); Resende, RJ (1956, 1986); Volta redonda, RJ (1956, 1984); Buenos Aires e Rosário,Argentina (1957); Lima, Peru (1957); Santiago, Chile (1957); Cidade do México, México (1958 – 1ª Bienal Interamericana do México); Leverkusen e Munique, Alemanha (1959); Viena, Áustria (1959); Hamburgo, Alemanha (1960); Lisboa, Portugal (1960); Madri, Espanha (1960 e 1970); Paris, França (1960); Utrecht, Holanda (1960); Nova York, USA (1962); Campinas, SP (1963) e Londres, Inglaterra (1970). Individuais: Rio de Janeiro, RJ (1963, 1973 e 1995) e Munique, Alemanha (1968). Exposição Póstuma: Piracicaba, SP (2002). ITAÚ CULTURAL.

196 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Labareda - e em mar - h = 28 - as.
Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.

197 - CARLOS LEÃO - (1906 - 1982)
LL Figura feminina - dn e a - 28 x 21 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 026 deste catálogo.

198 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 10 x 16 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 058 deste catálogo.

199 - SYLVIO PINTO - (1918 - 1997)
LL Marinha - ost - 50 x 100 - cid - 1989
Com certificado do Projeto Sylvio Pinto, firmado por Ubirajara Pinto Carreras, em 13/01/2007. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 059 deste catálogo.

200 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Melindrosa - g - 33 x 18 - cie
-Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 063 deste catálogo.

201 - ZÉ PAIXÃO - (XX)
LL Carranca - e em m - h = 80 - ld
Reproduzido sob o n.° 255 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -

202 - HEINZ KUHN - (1908 - 1987)
LL Composição - ost - 70 x 45 - cid - 1986
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 062 deste catálogo.

203 - OSCAR PEREIRA DA SILVA - (1867 - 1939)
LL Mulher - a - 36 x 27 - cid - 1937
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 092 deste catálogo.

204 - CAROL KOSSAK - (1895 - 1976)
LL No cafezal - ost - 60 x 50 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

205 - ARLINDO CASTELANE DI CARLI - (1910 - 1985)
LL Flores - ost - 90 x 115 - cie - 1960
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 065 deste catálogo.

206 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL " Auto retrato do pintor Silva " - ost - 62 x 45 - d - 1973
Reproduzido sob o n.° 103 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Considerado por muitos críticos e colecionadores como o mais típico dos nossos pintores ingênuos, Silva foi o intérprete da cena rural de São Paulo, num estilo expontâneo em que assomam, por vezes, soluções plásticas inesperadas. MEC, vol. 4, pág. 256; PONTUAL, pág. 493 e 494; TEIXEIRA LEITE, pág. 478; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 958; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 958; BENEZIT, vol. 9, pág. 602; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 227; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 171; Acervo FIEO.

207 - LIVRO -
LL -
1) COLEÇÃO MARIO DE ANDRADE, por Marta Rossetti Batista e Yone Soares de Lima, 316 págs., ilustrado a cores e em preto e branco, Ed. Metal Leve S/A; 2) ARTE NO BRASIL - Cinco séculos de pintura, escultura, arquitetura e artes plásticas., 556 págs., ilustrado a cores, Ed. Abril - 1979, composto por dois volumes. -

208 - HUMBERTO COZZO - (1900 - 1973)
LL Composição - ose - 38 x 29 - cid
Nascido Bartolomeu, esse escultor e pintor paulistano, que adotou o nome artístico de Humberto Cozzo, estudou dentre outros com Amadeu Zagni e Zadig no Liceu de Artes e Ofícios. Produziu variada obra em mármore, bronze e pedra, inclusive para monumentos públicos em diversas cidades do país. Figurou na I BSP em 1951, e em mostras internacionais, obtendo diversos prêmios. JULIO LOUZADA, vol.5 pág. 270; WALTER ZANINI, pág. 524; ARTE NO BRASIL, pág. 875.

209 - FERNANDO ODRIOZOLA - (1921 - 1986)
LL Composição - tm - 35 x 23 - cid
Pintor e desenhista espanhol, Odriozola radicou-se no Brasil em 1953, e em 1965 mereceu o prêmio de Melhor Desenhista Nacional da Bienal de São Paulo, que em 1967 lhe dedicou sala especial. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 231; MEC vol, 3, pág. 291; PONTUAL, pág. 389.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 737; ARTE NO BRASIL, pág. 907; LEONOR AMARANTE, pág. 143; Acervo FIEO.

210 - NICOLA DE CORSI - (1882 - 1956)
LL " Rua de São Paulo " - osm - 18 x 32 - cid e d - 1915
-Reproduzido no convite deste leilão.Embora tenha nascido na Rússia, a ascendência de Nicola de Corsi era espanhola, e toda a sua formação se deu em Nápoles, Itália, para onde se transferiu com toda a família ainda quando pequeno. Foi discípulo de Giacinto Gigante. Expôs na Bienal de Veneza em 1910. Esteve duas vezes no Brasil, onde mostrou o seu precioso trabalho. O jornal O Estado de São Paulo o chamou de Pintor das Multidões. JULIO LOUZADA vol.1, pág.315; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 539.

211 - JOAQUIM DUTRA - (1864 - 1930)
LL Frutas - osm - 40 x 50 - cie - 1922
Pintor nascido e falecido em Piracicaba. Notabilizou-se pela paisagens documentárias locais, realizando ainda trabalhos em São Paulo, Limeira, Caconde, São Carlos e Capivari. Foi pai dos pintores Alipio, Antonio de Pádua, Archimedes e João Dutra. PONTUAL, pág.186; MEC, vol.2, pág.84; TEIXEIRA LEITE, pág.171; ITAU CULTURAL.

212 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Alto de Teresópolis - ost - 40 x 50 - cid e d - 1952
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 119 deste catálogo.

213 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL " Tuesday - October 5 " - ast - 26 x 36 - cs - 1971
Com etiqueta Galeria de Arte Ipanema - Rio de Janeiro, no dorso. -Natural de Carmópolis, SE. Pintor e desenhista. Radicado no Rio de Janeiro desde 1955. Em 1959 fez suas primeiras apresentações em coletivas. Estreou no SNAM, obtendo o prêmio de viagem ao exterior (1969). Pertencente àquele grupo de artistas que organizam seu trabalho em torno de valores culturais vindos da expressão popular, o artista assumiu como um dos temas de sua pintura a imagem do ex-voto., escultura religiosa de caráter popular e votivo. O ex-voto representa, para o artista, um ponto de partida na realização de uma paisagem brasileira sem conotações urbanas. É uma pintura em que o mundo dos homens é construído pelos homens e por suas criações. O artista empresta às figuras com que trabalha, os ex-votos, conotações de análise ideológica, e o faz sem palavras, apenas pela força da presença visual. Figurou em diversas coletivas nacionais e internacionais, conquistando prestigio de critica e público. MEC vol.3, pág.42; PONTUAL, pág. 330 e 331; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; Acervo FIEO.

214 - SERGIO TELLES - (1936)
LL Figuras na praia - tm - 22 x 28 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 074 deste catálogo.

215 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL No terraço - ostce - 35 x 23 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

216 - JURANDIR UBIRAJARA CAMPOS - (1912 - 1972)
LL No jardim - ost - 65 x 52 - cid - 1954
Pintor ativo em São Paulo, especializou-se em natureza-morta e figura. Expôs no Salão Paulista de Belas Artes, obtendo menção honrosa (1943), pequena medalha de prata (1944), grande medalha de prata (1947) e medalha de ouro (1957). Em 1954, expôs no SNBA-RJ. MEC, vol. 1, pág. 334; JULIO LOUZADA, vol. 6, pág. 193; ITAU CULTURAL

217 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Ouro Preto - ost - 60 x 80 - n/as.

218 - YUTAKA TOYOTA - (1931)
LL Composição - ose - 64 x 64 - cid - 1964
Reproduzido sob o n.° 19 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro. -Natural de Yamagata, Japão. Pintor, desenhista e escultor. No Brasil desde 1962, Estudou na Universidade de Artes de Tóquio e no Instituto de Pesquisas Industriais de Shizuoka. Neste último cursou ciências exatas e a técnica industrial de lidar com novos materiais. Todo esse know-how o artista vem utilizando e adaptando à sua visão de arte. Fórmica, alumínio e aço inoxidável polido tem sido os suportes escolhidos por Yutaka para expressar-se fazendo uma escultura "como criação ambiental". Os volumes que constrói em alumínio, modulados com exatidão, excluem a rigidez e referem-se, poeticamente, à busca de diferentes existências de espaço em suas superfícies que refletem e deformam o entorno, constituindo para o artista a própria apreensão do mundo. JULIO LOUZADA, vol 11, pág. 325.; TEIXEIRA LEITE, pág. 510; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 933; LEONOR AMARANTE, pág. 171.

219 - GEORGINA DE ALBUQUERQUE - (1885 - 1962)
LL Fazenda Santa Eulalia - Brotas - ost - 39 x 47 - cid
Com o seguinte certificado: " Quadro de Georgina de Albuquerque, pintado na Fazenda Santa Eulalia - Brotas/SP, em meados de 1952. Dante Jorge de Albuquerque. São Paulo, 09.03.1983. -Pintora e professora. Aos 15 anos, inicia sua formação artística com o pintor italiano Rosalbino Santoro (1858 - s.d.). Muda-se para o Rio de Janeiro em 1904, matricula-se na Escola Nacional de Belas Artes - Enba e estuda com Henrique Bernardelli. Em 1906, casa-se com o pintor Lucílio de Albuquerque e viaja para a França. Em Paris, frequenta a École Nationale Supérieure des Beaux-Arts e ainda a Académie Julian, onde é aluna de Henri Royer. Volta ao Brasil em 1911, expõe em São Paulo e, partir dessa data, participa regularmente da Exposição Geral de Belas Artes. De 1927 a 1948, leciona desenho artístico na Enba e, em 1935, é professora do curso de artes decorativas do Instituto de Artes da Universidade do Distrito Federal. Em 1940, em sua casa no bairro de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, funda o Museu Lucílio de Albuquerque, e institui um curso pioneiro de desenho e pintura para crianças. Entre 1952 e 1954, exerce o cargo de diretora da Enba. TEIXEIRA LEITE, págs. 15 e 16; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 22 a 26; TEODORO BRAGA, pág. 107; REIS JR., pág. 370; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs.17 e 141; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 455; ARTE NO BRASIL, pág 574; Acervo FIEO.

220 - MESTRE VITALINO - (1909 - 1963)
LL Lampião e Maria Bonita - e em c - h = 32 - b
-Reproduzido no convite deste leilão.Autodidata, nascido em Pernambuco, aos 6 anos inicia-se na arte do artesanato de barro confeccionando miniaturas com as sobras de barro das cerâmicas utilitárias feitas por sua família de louceiros. A crescente popularidade alcançada pelo seu trabalho inovador faz com que se mude a cidade de Alto de Moura, tornando a aquisição de sua produção mais acessível à clientela urbana. De 1960 até 1963 viaja por todo o país, participando de exposições e mostrando sua técnica. ITAÚ CULTURAL

221 - ANTONIO PESSOA - (1943)
LL Figura - e em b - h = 30 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 081 deste catálogo.

222 - VITTÓRIO GOBBIS - (1894 - 1968)
LL Flores - osc - 27 x 39 - cid
Natural de Treviso, Itália. Iniciou seus estudos na terra de origem, tendo após fixado residência em São Paulo, onde foi pintor atuante. Obteve diversas premiações nos Salões Paulistas, no SNBA e no Salão Paulista de Arte Moderna. Participou da I e II Bienais de São Paulo. O MNBA e o MASP possuem obras deste festejado pintor. MEC, vol.2, pág.271; TEIXEIRA LEITE, pág. 220; PONTUAL, pág.240; WALMIR AYALA, vol.1, pág.350; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 777, Acervo FIEO.

223 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Flores - dn e a - 25 x 18 - cie - 1965
Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. Com a seguinte inscrição no dorso Feliz Ano Novo, Aldemir Martins, 1965. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 086 deste catálogo.

224 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Senhora - ostcm - 16 x 15 - cse
Reproduzido sob o n.° 54 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Estudou com Pedro Alexandrino (1923 a 1928) e aperfeiçoou-se na Itália. Integrou o Grupo Santa Helena, com Rebolo, Zanini, Rosa, Graciano, Pennacchi (1935) e participando em 1937 de exposições da Família Artística Paulista. Pintou paisagens e naturezas mortas, com composição estruturada no cubismo. MEC, vol. 1, pág. 247; PONTUAL, págs. 78/79; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1041; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 258; TEIXEIRA LEITE, pág. 79; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; LEONOR AMARANTE, pág. 72; Acervo FIEO.

225 - JOSÉ PANCETTI - (1902 - 1958)
LL Na praia - dc e a - 29 x 45 - cid - 1944
Nasceu em Campinas e faleceu no Rio de Janeiro. Filho de italianos chegados a Campinas em 1891. Foi marinheiro por longos anos, tendo aprendido a sua arte a bordo dos navios. Era conhecido como o Pintor Marinheiro. Participou do Núcleo Bernardelli, no Rio de Janeiro, onde conviveu com Milton Dacosta, Ado Malagoli e João José Rescala. Participou do SNBA durante vários anos, recebendo premiações. Sobre o artista assim se manifestou Medeiros de Lima: " ... Juntamente com Alberto da Veiga Guignard, Alfredo Volpi e Lasar Segall, Pancetti retoma na pintura a melhor tradição da paisagística brasileira (...) Mas, de todos, Pancetti foi o que melhor soube captar a fôrça, a exuberância e a luminosidade litorânea brasileira" . TEODORO BRAGA, pág. 130; PONTUAL, págs. 403 e 404; MEC, vol. 3, pág. 332; REIS JUNIOR, pág. 383; ITAU CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 380; WALTER ZANINI, pág. 573; ARTE NO BRASIL, pág. 597; LEONOR AMARANTE, pág. 28.

226 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
ponto de nó, feito a mão, de lã Kasak, medindo 98cm x 154cm = 1,51 m². -

227 - AUGUSTE BRACET - (1881 - 1960)
LL Paisagem - ost - 73 x 60 - cid - 1941
Pintor e professor, frequentou a antiga ENBA a partir de 1902, onde recebeu o prêmio viagem à Europa em 1911. Em Paris estudou com Morelli e François Billoul. Recebeu medalha de ouro no SNBA de 1920. Primores da Pintura no Brasil, vol. 1, pág. 41; REIS JUNIOR, págs. 369, 380 e 385; WAMIR AYALA, vol. 1, pág. 118; PONTUAL, pág. 83; MEC, vol. 1, pág. 255; TEIXEIRA LEITE, pág. 83; ITAÚ CULTURAL.

228 - RUBEM VALENTIN - (1922 - 1991)
LL " Emblema 86 " - ast - 70 x 50 - d - 1986 - Brasília - DF
Baiano de Salvador, autodidata, Rubem Valentin pinta desde meados de 1940. Sua primeira coletiva foi em 1949, no Salão Baiano de Belas Artes, do qual participaria outras vezes, recebendo premiações. Viveu no Rio de Janeiro e na Europa, fixando residência permanente em Brasil, DF, há mais de 20 anos. O artista assim explicava a sua arte: "Minha linguagem plástico-visual signográfica está ligada aos valores míticos profundos de uma cultura afro-brasileira (mestiça-animista-fetichista). Com o peso da Bahia sobre mim - a cultura vivenciada; com o sangue negro nas veias - o atavismo; com os olhos abertos para o que se faz no mundo - a contemporaneidade; criando os meus signos-símbolos procuro transformar em linguagem visual o mundo encantado, mágico, provavelmente místico que flui continuamente dentro de mim". PONTUAL, pág.532; WALMIR AYALA, vol.2, págs.395 a 397; TEIXEIRA LEITE, pág.517; MEC, vol.4, pág.443; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.330; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 257, Acervo FIEO.

229 - DIONISIO DEL SANTO - (1925 - 1999)
LL Composição - tm - 19 x 18 - cie - 1986
Pintor, desenhista, gravador e serigrafista, nasceu em Colatina-ES, e faleceu em Vitória, naquele mesmo Estado. Autodidata. Em 1975, recebe o Prêmio de Melhor Exposição de Gravura do Ano, da APCA. Participou da 9ª Bienal Internacional de São Paulo, 1967 (Prêmio Itamarati Aquisição) e do Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1968 (Prêmio Isenção do Júri). JULIO LOUZADA vol.11, pág. 88; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 934.

230 - CASSIO M'BOY - (1903 - 1986)
LL Natividade - ose - 50 x 72 - cie
Com etiqueta do Conselho Estadual de Cultura - Paço das Artes da Secretária de Cultura, Esportes e Turismo do Estado de São Paulo, no dorso. -Reproduzido no convite deste leilão.Pintor, escultor, decorador, tapeceiro, desenhista e vitrilalista, o autor nasceu na cidade paulista de Mineiros do Tietê-SP 1986). Estudou desenho e anatomia com Georg Elpons em São Paulo. Foi ligado ao Grupo Modernista (1922). Suas pinturas dão preferência a uma temática rural e caipira. Na cidade de São Paulo, participa da exposição organizada por Flávio de Carvalho (1934) e executa um grande vitral com uma equipe ligada à Fundação Armando Álvares Penteado/Faap. Realiza sua primeira individual em 1950, no Museu de Arte de São Paulo. Entre as mostras de que participa, destacam-se: Exposição Internacional de Artes e Técnicas de Paris, França, 1937 (Medalha de Ouro); Salão de Maio, São Paulo, 1938; Bienal de Veneza, Itália, 1952. "Insiste-se ainda em incluir Cássio M´Boy entre os pintores ingênuos ou primitivos. Tal lenda decorre mais do seu ambiente doméstico bem caipira e dos processos toscos que usa em temas singelos do que da sua arte propriamente individual (...). A verdade é que Cássio M´Boy se firmou como pintor de assuntos hagiológicos e folclóricos, dos quais nunca se afastou em seu atelier de hibernação bucólica. Inicialmente desenhista de figurinos e escultor de tarimba artesanal, não demorou a adquirir virtuosismo quanto a linhas, formas, volumes, cores e composição. Mas as cenas, as figuras humanas bem como os episódios, complementarmente os bichos, as flores, os montes, as estradas, as cachoeiras; tudo é desenhado e colorido mediante mentalidade populista e singela. " José Geraldo Vieira, in PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Apresentação de Antônio Houaiss. Textos de Mário Barata et al. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969. WALMIR AYALA, vol.1, pág.181; MEC vol.3, pág.109; JULIO LOUZADA vol.4, pág. 649; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 631; PONTUAL; TEIXEIRA LEITE; ACERVO FIEO, pág. 496, Acervo FIEO.

231 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dn - 15 x 20 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 058 deste catálogo.

232 - ARCÂNGELO IANELLI - (1922)
LL Composição - p - 30 x 22 - cid - 1983
Com certificado do Projeto Arcangelo Ianelli. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 060 deste catálogo.

233 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Família - dn - 14 x 6 - cie - 1977
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 122 deste catálogo.

234 - BAJADO - (1912 - 1996)
LL Dançarinas - ose - 27 x 61 - cid e d - 1964
Natural de Maraial-PE, onde nasceu a 9 de dezembro de 1912, falecendo na cidade de Olinda, no dia 15 de Novembro de 1996. Viveu e foi ativo nas cidades de Recife e Olinda, onde era Cartazista e Pintor de Alegorias para Carnavais. Expôs individualmente em 1990 e 1992. Coletivamente expôs em São Paulo (mostra Tradição e Ruptura), Rio de Janeiro e Paris. Postumamente foram realizadas outras mostras de sua obra. "A matéria-prima de Bajado é o povo de Olinda, com seus costumes, sofrimentos e alegrias; ele os interpreta com bom-humor, em meio a uma atmosfera carnavalesca a que nem sequer faltam, por vezes, a nota fescenina, mulheres de maiô e as sereias praianas, de anatomia desengonçada e tão pouca sensualidade a olhos não-sertanejos. E quando pinta para açougues, neles figura touros enormes, ´bichos que se desgastaram no caminho desde as grutas de Lascaux e Altamira até o sujo matadouro de Peixinhos, e que são mais parentes que propriamente consumo desta população pobre´. " José Roberto Teixeira Leite, na obra abaixo. TEIXEIRA LEITE, pág.51; JULIO LOUZADA, vol.2, pág.96.

235 - JOSÉ MARQUES CAMPÃO - (1892 - 1949)
LL Paisagem - ose - 55 x 73 - cid - 1943
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 024 deste catálogo.

236 - EDGARD PARREIRAS - (1885 - 1964)
LL Portão - ostcm - 35 x 24 - n/as. - Déc. 50
Com autenticação firmada em 15 de Outubro de 1974, por Laís Santos Monção, filha de criação do pintor. -Pintor fluminense, nascido e falecido na cidade de Niterói. Iniciou os seus estudos com o seu tio, o pintor Antonio Parreiras, por volta de 1907. Viajou para Paris, França, em 1908, onde estudou na Academia Julian, e foi aluno de Jean Paul Laurens. Regressou ao Brasil em 1911, e posteriormente atuou como professor da Escola Fluminense de Belas Artes, em Niterói, RJ. Participou regularmente das mostras "Exposição Geral de Belas Artes" da Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro. "A sua arte reveste as formas mais emotivas e delicadas. O seu pincel ainda tateia pintando coisas boas, mas seu saber onde irá se deter, renovando, criando, dando impressão nova aos velhos valores da paisagem (...) O artista é o primeiro a lembrar que a paisagem é seu gênero novo (...) a paisagem verdadeira, autêntica, o ar livre, que não a combinação do fundo do quadro convencional, como os antigos faziam". Maria Elisa Carrazzoni, in REFLEXOS do impressionismo no Museu Nacional de Belas Artes. Apresentação de Marinho de Azevedo e Maria Elisa Carrazzoni. Rio de Janeiro: MNBA, 1974. MEC. vol.3, pág. 336; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 663.

237 - LIVRO -
LL -
1) HISTÓRIA DA ARTE BRASILEIRA, por Pietro Maria Bardi, 228 págs., ilustrado a cores e em preto e branco, Ed. Melhoramentos - 1975; 2) CEM ANOS DA PINACOTECA - A formação de um acervo, 136 págs, ilustrado a cores, catálogo de exposição; 3) O MODERNISMO NO BRASIL, por Pietro Maria Bardi, 186 págs., ilustrado a cores em preto e branco, Ed. Sudameris - 1978. -

238 - IVALD GRANATO - (1949)
LL Composição - ost - 46 x 38 - cid e d
Pintor e desenhista. Natural de Campos, RJ, onde viveu até 1966. Estudou com Robert Newman, ingressando em 1967 na Escola de Belas Artes da Universidade do Rio de Janeiro. Em 1968 participa do grupo de vanguarda "Nova Figuração Brasileira". Sua atividade artística desde a década de 60 revela a influência do conceitualismo de Duchamp, mais cerebral do que pictórico, e da "body art", de Joseph Beyus. PONTUAL, pág. 248; TEIXEIRA LEITE, pág. 228; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.740; ARTE NO BRASIL, pág. 974; LEONOR AMARANTE, pág. 267; Acervo FIEO.

239 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL Garrafas e xícaras - ose - 22 x 27 - cse - 1966
Com estudo no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 088 deste catálogo.

240 - ANITA MALFATTI - (1896 - 1964)
LL Flores e jarro - ostce - 53 x 64 - cid
Com certificado de autenticidade n° 5067, firmado por Elisabeth Cecília Malfatti em 10.08.2008. Com etiqueta da Galeria Bonino - Rio de Janeiro, no dorso. -Reproduzido no convite deste leilão.Proto-mártir do modernismo brasileiro, com sua mostra de 1917 em São Paulo, Anita Malfatti foi, no dizer de Dario da Silva Brito, o "estopim" da Semana de 1922. Recebeu prêmio de honra no Salão Paulista de 1934. Várias exposições coletivas e individuais como: Anita Malfatti no Museu de Arte Brasileira - FAAP. BENEZIT, vol. 7, pág. 118; TEODORO BRAGA, pag. 151/2; MEC, vol. 3, pág. 45; PONTUAL, pág. 332/3; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 33 e 35; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 478; ARTE NO BRASIL, pág. 652; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

241 - GEZA HELLER - (1902 - 1992)
LL Natureza morta - osc - 39 x 30 - cid - 1958
Natural da cidade húngara de Kecskemer, e falecido no Rio de Janeiro, em 20/3/1992, cidade onde fixou residência. Pintor, desenhista, ilustrador, gravador e arquiteto. Integrou o grupo de sete artistas que em torno de Guignard desenvolvem uma visão introspectiva da natureza. Entre eles Iberê Camargo, Milton Risuro, e outros. Foi premiado com o 1º lugar no concurso de priojetos para a remodelação do Jockey Club de São Paulo. Participou, com premiações, de diversos salões oficiais. TEIXEIRA LEITE, pág. 244; JULIO LOUZADA vol 13 pág. 165; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 598.

242 - DJANIRA DA MOTTA E SILVA - (1914 - 1979)
LL Pescadores - osc - 28 x 33 - cid - 1972
Pintora, desenhista e gravadora, natural de Avaré, SP. Foi aluna de Marcier. A partir de 1942 participa do SNBA, recebendo premiação em 1943, 1944 e 1950. Realizou exposições individuais. Participou de diversas coletivas e salões de arte, nacionais e internacionais, com excelente recepção da crítica especializada. Diz-se que sua pintura é ingênua, mas ela declarava que ingênua, era ela mesma. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 336; PONTUAL, pág. 181; TEIXEIRA LEITE, pág. 164; MEC, vol. 2, pág 58; WALMIR AYALA, vol. 1, pág, 263; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 810; ARTE NO BRASIL, pág. 824; Acervo FIEO.

243 - HEINZ KUHN - (1908 - 1987)
LL Composição - ostcm - 52 x 25 - cie - 1985
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 062 deste catálogo.

244 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Banhistas - dn - 29 x 41 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 063 deste catálogo.

245 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " Episódio da abolição " - ose - 55 x 46 - cie e d - 1976
Reproduzido sob o n.° 27 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 088 deste catálogo.

246 - LUCILIA FRAGA - (1895 - 1979)
LL Flores - ost - 43 x 60 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

247 - NICOLA DE CORSI - (1882 - 1956)
LL Marinha - ose - 40 x 50 - cid
Com etiqueta da Galeria Masini - Firenze - Itália, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 210 deste catálogo.

248 - YOSHIYA TAKAOKA - (1909 - 1978)
LL Palafitas - ost - 38 x 46 - cid - 1969
Pintor e desenhista nascido em Tóquio, Japão, veio para o Brasil em 1925, fixando-se no interior de São Paulo, trabalhando na lavoura. Mudou-se para São Paulo, onde ganhava a vida vendendo pastéis, fazendo caricaturas e como pintor de paredes. Foi aluno de Bruno Lechowsky no Rio de Janeiro. Foi um dos fundadores do Grupo Seibi, que reuniu artistas plásticos da colônia japonesa em São Paulo (1935). Fundou em 1948, juntamente com Geraldo de Barros e Antonio Carelli, o Grupo dos Quinze. Viveu em Paris de 1952 a 1953, estudando técnica de mosaico; Freqüentou o Núcleo Bernardelli, onde se ligou de amizade a Pancetti. Participou de diversos salões e exposições, nacionais e estrangeiras, recebendo diversas premiações. PONTUAL, pág. 510; TEIXEIRA LEITE, pág. 490; MEC, vol. 4, pág. 352; TEODORO BRAGA, pág. 220; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 361; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL.

249 - TADASHI KAMINAGAI - (1899 - 1982)
LL Feira - osm - 33 x 41 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 106 deste catálogo.

250 - ANTÔNIO PARREIRAS - (1860 - 1937)
LL Interior de floresta - osc - 21 x 26 - cid - 1937 - Brasil
Reproduzido sob o n.° 13 em catálogo de leilão da Bolsa de Arte do Rio de Janeiro. -Reproduzido no convite deste leilão.Um dos maiores paisagistas do Brasil, autor também de imponentes nus, Antonio Parreiras estudou com Grimm, mas adquiriu em seguida um estilo próprio, que se traduziu numa cor e numa textura violentas, quase fauves. BENEZIT, vol. 8, pág. 136; MAYER/84, pág. 1082; MEC, vol, 3, págs. 335/6; PONTUAL, págs. 406/7; LAUDELINO FREIRE, pág. 382; WALMIR AYALA, vol. 2, págs. 168 e 170; TEIXEIRA LEITE, pág.386/388; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 416; ARTE NO BRASIL, pág. 532; LEONOR AMARANTE, pág. 42; F. ACQUARONE, pág. 155.

251 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Peixe - m em ac - h = 9 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

252 - MIRA SCHENDEL - (1918 - 1988)
LL Composição - mon. - 46 x 23 - cid - 1964
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 112 deste catálogo.

253 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 12 x 16 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 058 deste catálogo.

254 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Estudo para casario " - osc - 33 x 24 - cie e d - Ouro Preto
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

255 - PAULO VERGUEIRO LOPES DE LEÃO - (1889 - 1964)
LL " Campagna " - osm - 23 x 34 - cid
Pintor paulistano, foi bolsista do Governo do Estado de São Paulo na Itália, Florença (1913). Estudou com Biloul, em Paris (1920). Exerceu diversos cargos públicos e privados ligado às artes, como a de Diretor da Pinacoteca de São Paulo, em 1939. Foi paisagista, retratista e pintor de história. TEIXEIRA LEITE, pág.289; JULIO LOUZADA vol.11, pág.179; ITAÚ CULTURAL.

256 - CAROL KOSSAK - (1895 - 1976)
LL Figura - ost - 46 x 38 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

257 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Fonte em Marrakech - dl - 22 x 15 - cid - 1916 - G.R.

258 - JOSÉ PAULO MOREIRA DA FONSECA - (1922 - 2004)
LL " Fachada e barco " - ost - 22 x 27 - cid e d - 1970
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 016 deste catálogo.

259 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Mercado Árabe - ost - 50 x 70 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

260 - SALVADOR SANTISTEBAN - (1919 - 1995)
LL " Ladeira do Pelorinho " - ostce - 27 x 22 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

261 - TORQUATO BASSI - (1880 - 1967)
LL Paisagem - ostce - 37 x 28 - cid
Nascido em Ferrara / Itália, veio para o Brasil ainda muito jovem, fixando-se em São Paulo, onde desenvolveu sua vida artística. Participou durante anos do Salão de Belas Artes do Rio de Janeiro, Salão Paulista de Belas Artes e de mostras de pintores italianos. Tem obras na Pinacoteca do Estado de São Paulo e no Museu Paulista de Belas Artes. TEODORO BRAGA, pág. 47; PONTUAL, pág. 58; MEC, vol. 1, pág. 188; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 89; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

262 - CARLOS SÖRENSEN - (1928 - 2008)
LL " Dia de primavera " - ost - 70 x 100 - cie e d
Paulista de Baurú, Sorensen fez importantes estudos em Paris, onde a convite do governo francês, freqüenta o ateliê de André Lhote, onde conhece Picasso, Roonet e Fernand Léger e no ano seguinte freqüenta a Escola Superior de Belas Artes-Paris, estudando com Gleizes e André Lhote(1952-1953). Foi artista de múltiplas atividades, ceramista, tapeceiro, cenógrafo, ilustrador, arquiteto, designer e pintor, com sucesso de crítica e de público. Citado em Delta Larouse/1970, pág. 6406; MEC vol.4, pág. 309; PONTUAL, pág. 500, WALMIR AYALA vol.2, pág.347; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 306; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

263 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Composição - tm - 20 x 14 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 124 deste catálogo.

264 - MANABU MABE - (1924 - 1997)
LL Composição - g - 13 x 18 - cie - 1965
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 125 deste catálogo.

265 - MARIO GRUBER - (1927)
LL Composição - tm - 60 x 81 - cie - 2005
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 094 deste catálogo.

266 - ARTHUR LUIS PIZA - (1928)
LL " Lucarne " - grav. 196/200 - 47 x 34 - cid
Reproduzido sob o n.° 168 do livro " Piza - Catálogo Geral da Obra Gráfica ". -Gravador e pintor paulista, foi aluno de Gomide, está radicado em Paris desde 1953, mas tem exposto regularmente no Brasil e na Europa com grande sucesso de crítica e venda. MEC, vol. 3, pág. 422; PONTUAL, pág. 428/29; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 250; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 855; LEONOR AMARANTE, pág. 75; Acervo FIEO.

267 - CARLOS OSWALD - (1882 - 1971)
LL Última Ceia - grav. - 40 x 62 - cid - 1923
Reproduzido sob o n° 68 do livro "Carlos Oswald", do Museu Nacional de Belas Artes - Rio de Janeiro. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 039 deste catálogo.

268 - JOSÉ WASTH RODRIGUES - (1891 - 1957)
LL Paisagem - a - 26 x 35 - cie
Pintor, desenhista e historiador paulistano, foi pensionado pelo Estado de São Paulo, estudando no Jean-Paul Laurens, em Paris, de cujo salão oficial participou em 1914. Dedicou-se com intensidade ao desenho a bico de pena. Executou os desenhos e aquarelas do livro Uniformes do Exército Brasileiro, de Gustavo Barroso. JULIO LOUZADA, VOL ,12, pág, 347. MEC, VOL, 4, pág, 92; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, Acervo FIEO.

269 - JOSINALDO FERREIRA BARBOSA - (1951)
LL " Canoeiros com remos " - ast - 10 x 15 - cid e d - 2007
Pintor, assina Josinaldo. Com diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior. Tambem participou de Salões, entre eles o Salão de Piracicaba. JÚLIO LOUZADA vol. 12 pág. 214.

270 - MARCIO PETRONI - (1968)
LL " Paz no campo " - ost - 27 x 35 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 130 deste catálogo.

271 - ADELSON DO PRADO - (1944)
LL Pássaro - ost - 27 x 32 - cse - 1968
Baiano, Adelson do Prado recria, num ambiente singelo, costumes, paisagens e crenças de sua paisagem natal. PONTUAL, pág. 14; TEIXEIRA LEITE, pág. 14; WALMIR AYALA vol.2, pág.221; ITAÚ CULTURAL..

272 - LOUIS ICART - (XX)
LL Mulher e Anjo - grav. 62/150 - 16 x 23 - cid
Pintor e gravador da Escola Francesa. Ilustrou Livros de Mérimée, Colette e Goethe. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 478; vol.5, pág. 493.. BENEZIT, vol.5, pág.699.

273 - MANOEL BONFIM - (XX)
LL " Atabacove " - ost - 30 x 50 - cid - Salvador - BA
Com etiqueta n° 448 de Renot Escritório Prestação de Serviços para o Mercado de Arte - São Paulo, no dorso. -Manoel Augusto Bonfim, pintor e escultor com participação em diversas Exposições e Salões oficiais como: Salvador, BA (1967, 1984 e 1985). ITAÚ CULTURAL.

274 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL Ouro Preto - ose - 31 x 21 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 132 deste catálogo.

275 - MANOEL MARTINS - (1911 - 1979)
LL Cidade - xilo. - 23 x 18 - cie - 1944
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 127 deste catálogo.

276 - OSCAR PALÁCIOS - (1926)
LL Maternidade - ost - 40 x 30 - cid e d
Pintor argentino, natural da cidade de Córdoba. Foi aluno de Marcelo Dasso, em desenho e pintura. Estudou na Academia de Belas Artes Figueiroa Alcorta, de Córdoba. Participou de exposições em vários Salões e Galerias, na Argentina e no Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 12, pág, 301.

277 - ROLANDO NATAL SCURZIO - (1931 - 1998)
LL " Veneza " - ose - 70 x 50 - cid e d
Pintor de tendência figurativa com temática que se extravasa em forte colorido expressionista. Estudou com o professor Mecozzi e com o mestre Arlindo Castellane di Carli. Participou de várias exposições e recebeu vários prêmios em 1978. No Salão Paulista de Belas Artes recebeu Menção Honrosa. JULIO LOUZADA, vol. 7, pág. 647, Acervo FIEO.

278 - TOMÁS SANTA ROSA - (1909 - 1956)
LL Composição - lito. - 23 x 18 - cid
Pintor, gravador, cenógrafo e professor. Oriundo da Paraíba, onde nasceu, fixou-se no Rio de Janeiro, iniciando em 1930 sua bem sucedida carreira de ilustrador de obras de autores estrangeiros e brasileiros, que inclui, dentre outros, Graciliano Ramos, José Lins do Rêgo, Jorge Amado, Castro Alves e muitos outros. Sua obra tem reconhecimento nacional e unanimidade de crítica, havendo se destacado em todas as áreas das artes que praticou. PONTUAL, pág. 472; TEIXEIRA LEITE, pág. 460; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 572; LEONOR AMARANTE.

279 - WALDYR MATTOS - (1916)
LL Barcos - ost - 54 x 65 - cid e d - 1985
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 139 deste catálogo.

280 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 16 x 22 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 002 deste catálogo.

281 - AÉCIO DE ANDRADE - (1935)
LL Amazônia - ast - 60 x 60 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

282 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a e g - 15 x 21 - cid - 1948
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 002 deste catálogo.

283 - ARNALDO BARBIERI - (1913)
LL Tropeiro - ost - 18 x 24 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 193 deste catálogo.

284 - CIDINHA - (1934)
LL Cena rural - ost - 64 x 92 - cid - 1964
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 145 deste catálogo.

285 - DECIO FERREIRA - (1932 - 2008)
LL " Babel " - ost - 60 x 50 - cid e d - 2007
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 146 deste catálogo.

286 - ÉZIO MONARI - (1935)
LL Menina - ose - 16 x 10 - cie
Pintor ativo em São Paulo. Participou do Salão Paulista de Belas Artes de 1961, recebendo menção honrosa. JULIO LOUZADA vol.7, pág.483; MEC vol.3, pág.169, Acervo FIEO.

287 - EDMUNDO MIGLIACCIO - (1903 - 1983)
LL Preto velho - ost - 50 x 40 - cid
Reproduzido sob o n.° 130 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. - Pintor, natural do município de Caconde-SP. Filho de imigrantes italianos, batizado Edmundo Francisco Nicodemo Migliaccio, iniciou seus estudos no Liceu, com os mestres Enrico Vio, Angelo Cantu e Torquato Bassi. Acadêmico por formação e vocação, foi fundador da Associação Paulista de Belas Artes. Expositor fiel do Salão Paulista, foi ali várias vezes premiado. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 213; ARTE NO BRASIL, pág. 812.

288 - ALBANO AGNER DE CARVALHO - (1899 - 1986)
LL Paisagem - a - 20 x 15 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 007 deste catálogo.

289 - H. KLEIN - (XX)
LL Natureza morta - ost - 50 x 61 - cie
Pintor com diversas participações em exposições coletivas e salões oficiais. JULIO LOUZADA, vol. 7, pág. 374.

290 - ALFREDO EUGUL SAMAD - (XX)
LL Trabalhadores - ost - 50 x 60 - cie e d - 1971
Pintor argentino natural de Navarro, Provincia de Buenos Aires. Fixou residência no Brasil a partir de 1954. Expôs individualmente em Buenos Aires em 1951, participando de coletivas a partir de 1953, destacando-se: III Salão Nacional de Artes Plásticas do Rio de Janeiro (Gravura), Salão Museu de Arte Moderna -MAM-SP (Desenho) e III Salão Brasileiro de Arte (Fundação Mokiti Okada) São Paulo (pintura). Recebeu o Prêmio Aquisição no III Salão de Arte Contemporânea de Americana-SP.

291 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL Flores - ser. 68/100 - 56 x 37 - cid - 1981
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 150 deste catálogo.

292 - JOAO LEME - (1924)
LL São Francisco - ost - 35 x 27 - csd e d - 1983
João Leme Neto, pintor autodidata, natural de Pirajú, SP. Assina Leme. Viveu em Cornélio Procópio, PR e Rio de Janeiro, RJ. Participou de diversas exposições e Salões oficiais. Individuais: Rio de Janeiro, RJ (1971 e 1972). Coletivas: Rio de Janeiro, RJ (1969 e 1971); Teresina, PI e Fortaleza, Ceará (1972). JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 535.

293 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
LL Figura - grav. P.A. 5/10 - 49 x 40 - cid - 1974
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 069 deste catálogo.

294 - EVANDRO CARLOS JARDIM - (1935)
LL Plantação - grav. 100/200 - 20 x 24 - cid
Reproduzida no livro "Gravura em metal" de autoria de Marcos Burti e Anna Letycia. -Excepcional gravador e pintor, diplomado pela Escola de Belas Artes de São Paulo, em 1958. Suas obras são sensíveis, tem apuro artesanal e invenção formal; buscam o insólito da paisagem, transformando em arte quase surreal. PONTUAL, pág. 277; MEC, vol. 2, pág. 372; TEIXEIRA LEITE, pág. 264.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 764; ARTE NO BRASIL, pág. 966; LEONOR AMARANTE, pág. 240. Acervo FIEO. -

295 - FRANCISCO GRACIANO (XX) -
LL Figuras - e em mad. - h = 42 - b
Escultor, natural de Santana do Cariri - Ceará. Filho e discípulo do escultor Manoel Graciano (Itaú Cultural). Francisco Graciano desenvolveu interesse logo cedo pelos trabalhos manuais e, aos 16 anos, começou a fazer suas primeiras esculturas em madeira. Sua obra é conhecida hoje pelos animais e figuras do cotidiano, utilizando sempre texturas e cores fortes.

296 - JOSÉ BENEVENUTO MADUREIRA - (1903 - 1976)
LL " Bairro Chinês " - osc - 18 x 27 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

297 - FUKUDA (ROBERTO KENJI FUKUDA) - (1943)
LL Composição - ser. 84/100 - 40 x 50 - cid - 1991
Pintor, gravador e escultor nascido em Indiana, SP, e ativo na Capital. Filho de artista (seu pai é o pintor Tamotsu Fukuda), pinta desde cedo. Suas telas não passam desapercebidas, sejam pelas cores harmoniosas, vivas e vibrantes, sejam pela suavidade das composições, que tranquilizam o expectador. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 120; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

298 - JOSÉ PAULO MOREIRA DA FONSECA - (1922 - 2004)
LL Queda d'água - ostce - 31 x 20 - cid e d - 1984
Com etiqueta da Galeria de Arte Contorno - Rio de Janeiro, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 016 deste catálogo.

299 - JOSÉ SABÓIA - (1949)
LL Colheita - ost - 24 x 30 - cid
Nascido em Almadina (BA). Indo para o Rio de Janeiro em 1967, começou a pintar no ano seguinte, passando a expor seus trabalhos na Feira Hippie de Ipanema. Sua primeira individual deu-se em Fortaleza em 1970; a partir de então, tem exposto com freqüência no Rio de Janeiro e em São Paulo. A pintura de Sabóia partiu de uma raiz eminentemente popular, tendo atingido depois um rebuscamento que se traduz no caprichoso desenho de linhas recurvas, na pincelada lisa, impessoal, no colorido reduzido a três ou quatro tons básicos e na composição, dotada daquele inconfundível horror vacui dos ingênuos. JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 278; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 228; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

300 - SALVADOR SANTISTEBAN - (1919 - 1995)
LL Árabe - osm - 21 x 14 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

301 - INOS CORRADIN - (1929)
LL Casal - ser. P.A. - 60 x 41 - cid
Um dos valores da pintura em São Paulo. Corradin expôs com frequência na Europa e nos Estados Unidos, onde seus quadros são muito apreciados. Também tem se dedicado com igual talento e sucesso a escultura. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 152; PONTUAL, pág. 143; MEC, vol. 1, pág. 448; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 215; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

302 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL Ouro Preto - dc - 20 x 24 - cie - 2006
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

303 - ALICE BRILL - (1920)
LL Paisagem - tm - 20 x 30 - cie - 1975
No Brasil desde os 14 anos, esta artista alemã, nascida em Colônia, radicou-se em São Paulo, onde estudou com Osir, Bonadei e Yolanda Mohalyi, aperfeiçoando-se com bolsa de estudos nos Estados Unidos. Estudou gravura em São Paulo com Karl-Heinz Hansen, voltando a fazê-lo com Potty Lazzarotto em 1950, no MASP.Como pintora, a primeira exposição de que participou, em 1944, foi o Salão do Sindicato dos Artistas Plásticos de São Paulo, desde então, este sempre presente em diversas coletivas nacionais e estrangeiras. Sua pintura traz a cidade em suas telas. JULIO LOUZADA, vol. 8, pág. 134; MEC, vol. 1, pág. 296; PONTUAL, pág. 90; TEIXEIRA LEITE, pág. 88; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; Acervo FIEO.

304 - TOMIE OHTAKE - (1913)
LL Composição - ser. 233/350 - 96 x 66 - cid
Importantíssima pintora, nascida em Kyoto, Japão, e radicada no Brasil desde 1936, País que adotou inclusive a cidadania. Iniciou-se artisticamente a partir de 1950, com o pintor japonês visitante Keiya Sugano. Ligou-se ao Grupo Seibi, em cujos salões obteve diversas premiações. Participou ainda por várias vezes, com premiações, do SPAM e do SNAM. MEC, vol. 3, pág. 323; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 791; BENEZIT, vol. 7, pág. 791; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 140/141; PONTUAL, pág. 390; ART PRICE ANNUAL 1990, pág. 1464; TEIXEIRA LEITE, pág. 362/3/4; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 939; LEONOR AMARANTE, pág. 170; WALTER ZANINI, pág. 693; Acervo FIEO.

305 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL Barco - ose - 12 x 18 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

306 - DJANIRA DA MOTTA E SILVA - (1914 - 1979)
LL Cena urbana - grav. 65/100 - 17 x 17 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 242 deste catálogo.

307 - ELISA BENICAMPI, DITA SHEILA - (1915 - 1967)
LL Maternidade - tm - 38 x 26 - cid
Gravadora e pintora paulistana, faleceu na cidade do Rio de Janeiro, onde residia e era ativa. Começou a pintar em 1946. Foi aluna de Axel Leskoschek, na FGV-RJ. Participou de diversas coletivas: SNBA-RJ, obtendo medalha de bronze; SNAM-RJ (1952 a 1963), conquistando isenção de juri, medalha de prata, medalha de bronze e prêmio viagem ao País (1957); dentre tantas outras de igual importância. " A figura, ainda que simples pretexto para concepção de determinadas formas, adquire em Sheila um foro de fatalidade. Para muito além de simples exercício formal, imprime às fisionomias humanas (o que se estende até a aura de leveza e alheamento de seus animais), um traço de espera e contemplação que, nos rostos dos palhaços, se intensifica na amarga bufonaria dos risos suspensos nos instantes." Walmir Ayala, apresentando-a na individual de 1962, no Rio de Janeiro. MEC, vol. 4 pág 241

308 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Paisagem - osm - 16 x 24 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 028 deste catálogo.

309 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Nu - dc - 30 x 20 - csd
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 119 deste catálogo.

310 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Esquilo - m em ac - h = 12 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

311 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Estudos - dl - 20 x 15 - cse
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 057 deste catálogo.

312 - BRUNO LECHOWSKY - (1889 - 1941)
LL Paisagem - tm - 26 x 40 - cid - 1932
Natural da Polônia, este grande pintor e professor veio para o Brasil em 1926, fixando-se inicialmente no Paraná, para depois vir a residir de forma permanente no Rio de Janeiro, o qual pintou com todas as cores e luzes. Integrou o Núcleo Bernardelli, onde orientou mestres como Tamaki, Takaoka, e principalmente Pancetti, a quem chegaria a marcar, inclusive nas cores chapadas. TEODORO BRAGA, pág. 139; PONTUAL, pág. 305; MEC, vol. 2, pág. 465; TEIXEIRA LEITE, pág. 281/282; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 449; ARTE NO BRASIL, pág. 764.

313 - GINO BRUNO - (1889 - 1977)
LL Paisagem - ost - 50 x 40 - csd - 1942
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 173 deste catálogo.

314 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Capoeira - dn - 29 x 21 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 169 deste catálogo.

315 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Artesão - ostce - 42 x 34 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

316 - GLAUCO PINTO DE MORAES - (1928 - 1990)
LL " O Maquinista e o Foguista da Locomotiva " - tm - 49 x 40 - cid - 1978
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 156 deste catálogo.

317 - LIVRO -
LL -
1) MILTON DA COSTA - Era uma vez uma menina, por Walmir Ayala, 42 págs., ilustrado a cores, Ed. Berlendis & Vertecchia - 1982; 2) O OFÍCIO DA ARTE: A ESCULTURA, por Jacob Klintowitz, 271 págs, ilustrado a cores, Ed. Sesc - São Paulo - 1988; 3) NEW BRAZILIAN ART, por Pietro Maria Bardi, 160 págs., ilustrado a cores e em preto e branco, Ed. Praeger Publishers - NY. -

318 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
LL Composição - g - 17 x 18 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 054 deste catálogo.

319 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL Paisagem - p - 30 x 21 - cid - 1965
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 066 deste catálogo.

320 - RAIMUNDO DE CUMBUCO - (XX)
LL Bailarina - e em mad. - h = 68 - b - 2006 - Ceará
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 040 deste catálogo.

321 - HARRY ELSAS - (1925 - 1994)
LL Casal - ost - 49 x 33 - cid
Nascido na Alemanha e radicado no Brasil desde 1936, Elsas desenvolveu suas aptidões artísticas com Lasar Segall, que muito o incentivou a ingressar na carreira das artes. Permaneceu no Nordeste brasileiro por oito anos, retratando com maestria e singularidade paisagens e aspectos da vida local, sempre com influência renascentista, com cor e desenhos fortíssimos. Participou de coletivas no Brasil e no exterior a partir de 1962, com excelente repercussão. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 99. MEC, vol, 2, pág, 111; TEIXEIRA LEITE, pág 176; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

322 - LEOPOLDO RAIMO - (1912)
LL Composição - ost - 46 x 38 - cid - 1971
Pintor e gravador, nascido em Botucatu/SP, com diversas participações em Salões e Exposições, tais como: Salão Paulista de Arte Moderna, Salão Baiano de Belas Artes, Bienal de São Paulo e Salão Nacional de Arte Moderna, entre outros. MEC. VOL. 4, PÁG. 22

323 - GILBERTO MATTA - (1940)
LL " Figuração assimétrica " - ost - 60 x 40 - cie e d - 2008
Assina os seus quadros como GR Matta. Paisagista, publicitário, esportista, pintor, desenhista. Natural de São Paulo, participou de um festival de pintura em Campinas. O evento congregou pintores de todo o Brasil, o prefeito da cidade Orestes Quércia, foi o patrono. Ele contemplou os artistas com medalhas de prata para os três primeiros colocados e, outras tantas de bronze para os que veiram a seguir. Para escolher o vencedor, constituíram uma comissão julgadora, a qual entre os seus membros, figuraram ilustres personagens do mundo dos pincéis, destacando-se a filha de Portinari. A única participação de GR Matta, em um festival de mostra coletiva de pintura, foi classificado entre os primeiros, condecorado com medalha de prata. Voltando a pintar, prepara no momento uma produção objetivando 40 quadros para a sua primeira exposição.

324 - RENZO GORI - (1911 - 1999)
LL " Mogi das Cruzes " - ost - 38 x 46 - cid e d
Pintor de estilo, participou de diversos Salões Nacionais, com premiações; muito apreciado por colecionadores de cenas árabes. TEODORO BRAGA, pág. 110; MEC, vol. 2, pág. 278; JULIO LOUZADA, vol. 9, pág. 390; Acervo FIEO.

325 - TOMIE OHTAKE - (1913)
LL Composição - ser. 78/100 - 70 x 50 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 304 deste catálogo.

326 - ANTONIO MEIRELLES - (1919)
LL Gaiolas - ost - 19 x 24 - cid e d
Com etiqueta de Azulão Galeria de Arte, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 147 deste catálogo.

327 - ANTONIO CARPENTIERI - (1930 - 1987)
LL Pescadores - osc - 20 x 30 - cie - 1982
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 093 deste catálogo.

328 - GIOVANNI OPPIDO - (1907 - 1988)
LL Quintal - ose - 30 x 23 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 033 deste catálogo.

329 - ARTHUR TIMÓTHEO DA COSTA - (1882 - 1923)
LL Senhora - ost - 31 x 23 - cid - Paris
Pintor nascido no Rio de Janeiro, iniciou seus estudos, com o seu irmão João Timóteo, como aprendiz da casa da moeda, após estudou na ENBA e obteve prêmio de viagem ao exterior em 1907. Diversos museus brasileiros possuem obras de sua autoria. LAUDELINO FREIRE, pág. 512; TEODORO BRAGA, pág. 229; REIS JR., pág. 286; Primores da Pintura no Brasil, vol. 1, págs. 57, 153, 313 e vol. 2, pág. 89; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 217; PONTUAL, pág. 522; MEC, vol. 1, pág. 468; TEIXEIRA LEITE, pág. 508; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 532.

330 - GINO BRUNO - (1889 - 1977)
LL Pescador - ost - 50 x 65 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 173 deste catálogo.

331 - HEINZ BUDWEG - (1940)
LL Floresta - dc - 27 x 37 - cid - 1998
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 051 deste catálogo.

332 - GENTIL GARCEZ - (1903 - 1992)
LL Pescadores - ost - 50 x 100 - cid
Sua primeira individual deu-se em 1922. Participou assiduamente de certames artísticos realizados em São Paulo e em outras cidades do País. TEODORO BRAGA, pág. 105; MEC, vol. 2, pág. 240/241; JULIO LOUZADA, vol 1, pág. 410; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

333 - NICOLAU ANTONIO FACCHINETTI - (1824 - 1900)
LL Militar - osc - 15 x 15 - le
Reproduzido sob o n.° 153 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro. -Pintor, desenhista, cenógrafo e professor. Segundo alguns estudiosos, teria feito curso na Escola de Desenho de Bassano, prosseguindo os estudos na Academia de Veneza.1 É premiado pela Regia Accademia di Belle Arti, em Veneza, "por cópia de gravura" e trabalho em ornamentos, em 1842 e 1843. Possivelmente tem contato com a obra de Ippolito Caffi (1809 - 1866) e Luigi Querena (1824 - 1887), conhecidos pintores de paisagens. Em 1849, muda-se para o Brasil e fixa-se no Rio de Janeiro. Produz principalmente retratos e ao mesmo tempo dedica-se ao ensino de desenho e atua como cenógrafo. Em 1868, obtém diploma em desenho, concedido pela Academia Imperial de Belas Artes - Aiba. A partir da metade da década de 1860, faz paisagens das regiões serranas do Rio de Janeiro e de Minas Gerais e das fazendas de café do Vale do Paraíba, em São Paulo. O artista viaja para estudar as características da região e realiza desenhos em papel, que transpõe posteriormente para a tela. Participa de várias edições da Exposição Geral de Belas Artes, entre 1850 e 1900, obtém menção honrosa em 1864 e medalha de prata em 1865. Sua produção é objeto de estudo do historiador Donato Mello Júnior, que publica livro sobre o artista em 1982. Em 2004, é realizada a exposição Nicolau Facchinetti: 1824-1900, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB, no Rio de Janeiro, com curadoria do museólogo e artista plástico Carlos Martins e da historiadora Valéria Piccoli. ITAÚ CULTURAL; MEC vol. 2, pág. 121; PONTUAL pág. 199; WALMIR AYALA vol. 1, pág. 293.

334 - WALDOMIRO DE DEUS - (1944)
LL Figura fantástica - ost - 50 x 40 - cid - 1980
Com etiqueta do atelier do artista no dorso. Com a seguinte inscrição: " Este diabo é que faiz as pessoa brigarem de faca, espada e tudo que si referem para cortar ou furá. Tem junto dele 60 legiões de espítritos mal. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 072 deste catálogo.

335 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Jangadeiros - ost - 70 x 100 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 099 deste catálogo.

336 - SIRON FRANCO - (1947)
LL Rosto - ose - 12 x 9 - cie e d
Batizado GESSIRON FRANCO, o artista nasceu em Goiás, GO. Um dos mais elogiados pintores e desenhista brasileiros pela crítica, a partir da década de 70, quando alcançou a maturidade em seus trabalhos. Seus trabalhos transmitem de forma muito pessoal e original, todo o sentimento humano com relação ao cotidiano da sociedade e seus integrantes emocionais; traz denúncia, inconformismo, medo, conflitos, imagens fortes e decisivas. WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 343/344; TEIXEIRA LEITE, pág. 206/207; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 957; PONTUAL, pág. 222; ITAU CULTURAL ; WALTER ZANINI, pág. 760; LEONOR AMARANTE, pág. 240, Acervo FIEO.

337 - TRINAZ FOX (RUBENS FERREIRA TRINAZ FOX) - (1899 - 1964)
LL Tropeiro - dn e a - 32 x 24 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 019 deste catálogo.

338 - LIVRO -
LL -
1) ARTE BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA - Coleção Gilberto Chateaubriand, por Roberto Pontual, 478 págs., ilustrado a cores, Ed. Jornal do Brasil; 2) A COR NA ARTE BRASILEIRA, por Jacob Klintowitz, 220 págs., ilustrado a cores e em preto e branco, Ed. Volkswagen do Brasil S/A. -

339 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL Barcos - ostcc - 38 x 55 - cid - 1966
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 066 deste catálogo.

340 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Bananeiras - dn - 19 x 13 - cid - 1924
Procedente da coleção de Ninoross Bastos Ribeiro - São Paulo. -Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 058 deste catálogo.

341 - ELIO DE GIUSTO - (1899 - 1935)
LL Índio - e em b - h = 46 - b
Escultor nascido na Itália, estudou com Ângelo Zanelli. Executou grupos escultóricos da fachada do Palácio da Justiça. Em 1934 recebeu a Medalha de Ouro no Salão Paulista de Belas Artes de São Paulo. JÚLIO LOUZADA, vol. 9, pág. 371; ITAÚ CULTURAL.

342 - HEINZ KUHN - (1908 - 1987)
LL Composição - ost - 70 x 70 - cid - 1965
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 062 deste catálogo.

343 - JOAQUIM LOPES FIGUEIRA JUNIOR - (1904 - 1943)
LL Marinha - ost - 40 x 50 - cid - Rio
Escultor e pintor, participante do Salão Paulista de Belas Artes em 1934 e 1936, quando recebeu as pequenas medalhas de prata e de ouro. Na Divisão Moderna do SNBA recebeu o prêmio viagem ao País, em 1941. Integrou a Família Artística Paulista, participando de suas mostras entre 1937 e 1940. Quirino Campofiorito, artista e festejado crítico de arte, assim disse a seu respeito: "Faleceu prematuramente Figueira, quando sua obra confirmava um rigor estético que tinha sua medida na simplicidade do modelado e na espontaneidade da objetividade figurativa." MEC, vol.2, PÁG.173; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 348; PONTUAL, pág. 212; TEIXEIRA LEITE, pág.193; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL; WALTER ZANINI, pág. 586.

344 - CAROL KOSSAK - (1895 - 1976)
LL Buscando lenha - ost - 33 x 24 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

345 - ARLINDO CASTELANE DI CARLI - (1910 - 1985)
LL Marinha - ost - 60 x 80 - cie - 1978
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 065 deste catálogo.

346 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Vaso de flor - ast - 55 x 46 - cie e d - 2001
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista.- - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 086 deste catálogo.

347 - ELZA DE OLIVEIRA SOUZA - (1928 - 2006)
LL Casal - osm - 30 x 18 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

348 - HENRIQUE BERNARDELLI - (1858 - 1936)
LL Alegoria - ost - 69 x 38 - cie
Natural de Valparaíso, Chile, Henrique Bernardelli faleceu no Rio de Janeiro, cidade brasileira que adotou, inclusive a nacionalidade na década de 1870. Frequentou a Academia Imperial de Belas Artes, inclusive como aluno de Zeferino da Costa. Em 1878 viajou para a Itália, encontrando-se com o irmão, Rodolfo, escultor, que gozava merecido prêmio de viagem conquistado na Academia. Foi professor da ENBA-RJ. Os seus trabalhos inculcam um temperamento irriquieto, nervoso, sôfrego de impressões. A sua obra é original, vigorosa, cheia de calor e de ousadia. MEC, vol.1, pág.217/218; WALMIR AYALA, vol.1, pág.96/7; TEIXEIRA LEITE, pág.71, ARTE NO BRASIL, vol.1, pág.32; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 411; ARTE NO BRASIL, pág. 392; F. ACQUARONE.

349 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Composição - psa - 15 x 15 - as.
Reproduzido na pág. 149 do livro: " Lothar Charoux - A poética da linha ", de Maria Alice Milliet. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 124 deste catálogo.

350 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato - ast - 24 x 18 - cie e d - 1980
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista.- - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 086 deste catálogo.

351 - JOÃO SIMEONI - (1907 - 1969)
LL Casario - ost - 44 x 55 - cid - 1962
Paisagista de origem italiana, sua obra caracteriza-se pela força e pelo Jlirismo. MEC, vol. 4-pág. 285. Acervo FIEO.

352 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Paisagem - ost - 46 x 56 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 119 deste catálogo.

353 - JOAQUIM TENREIRO - (1906 - 1992)
LL Formas - osp - 36 x 53 - cid
Português da cidade de Melo, Serra da Estrela, foi discípulo do Núcleo Bernardelli e de Quirino Campofiorito, no Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência definitiva no Brasil no ano de 1929. Fez o Curso de Desenho do Liceu Português, onde conquista o prêmio Joaquim Alves Meira, a maior láurea daquele estabelecimento. Tem pinturas suas figurando no MAM-SP, no MNBA e Museu Manchete-RJ. Mário Barata escreve a seu respeito: " Depois de uma fatura limpa, de acabamento preciso e claro, Tenreiro, mesmo prosseguindo com certo rigor estilistico, cedeu, ultimamente, 'a tentação das densidades de matéria e ao cromatismo baixo, 'as vezes terroso, cinza, que o informal bastante generalizou." É o renovador do mobiliário brasileiro, responsável por toda uma linha de criação em que a funcionalidade se alia o bom gosto e o aproveitamento racional dos materais do País. MEC, vol.4, págs.381 E 382; PONTUAL, pág.520,; TEIXEIRA LEITE, pág.504; WALMIR AYALA, vol.2, pág.376 e 377 ; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.320; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 580; ARTE NO BRASIL, pág. 763.

354 - SERGIO TELLES - (1936)
LL Na praia - tm - 22 x 28 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 074 deste catálogo.

355 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Marinha - ostce - 20 x 30 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

356 - OSWALDO GOELDI - (1895 - 1961)
LL Figuras - xilo. P.A. - 13 x 10 - cid
Desenhista, gravador e professor, nascido no Rio de Janeiro, filho de Emilio A Goeldi, naturalista suiço. A partir dos seis anos estudou na Suiça. Sua obra sofreu influência do expressionista austríaco Alfred Kubin. Retornando ao Brasil em 1919, realizou no Rio de Janeiro sua primeira exposição em 1921, no Liceu de Artes e Ofícios. Publicou albuns e ilustrou diversos e importantes livros. É artista altamente conceituado no País e no exterior, tendo merecido diversas homenagens póstumas, inclusive em filme. PONTUAL pág. 240; JULIO LOUZADA vol.11, pág130; MEC vol. 2, pág.271; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 521; ARTE NO BRASIL, pág. 672; Acervo FIEO.

357 - VIRGILIO LOPES RODRIGUES - (1863 - 1944)
LL Marinha - osm - 10 x 27 - cie
Natural da cidade do Recife-PE, foi para o Rio de Janeiro em 1882, trabalhando com o leiloeiro J. Dias, onde encantou-se pela arte. Incentivado por Santa-Olalla, frequentou o Liceu de Artes da mesma cidade. Expôs em 1926, juntamente com Manuel Faria, Vicente Leite e outros. São belas as suas marinhas, e muito disputadas pelos colecionadores do gênero. MEC, vol. 4, págs. 94 e 95; PONTUAL, pág. 458; TEODORO BRAGA, pág. 240; TEIXEIRA LEITE, pág. 528; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

358 - AGOSTINHO BATISTA DE FREITAS - (1927)
LL Trem - ost - 70 x 116 - cid - 1989
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 184 deste catálogo.

359 - JOSÉ MARIA DOS REIS JÚNIOR - (1903 - 1985)
LL Paisagem - osm - 17 x 15 - cie - 1926
Este importante personagem das artes brasileiras nasceu na cidade mineira de Uberaba e faleceu na cidade do Rio de Janeiro. Foi pintor, vitralista, professor, crítico de arte e escritor. Estudou na ENBA-RJ (1920/1923); desenho com Modesto Brocos e pintura com Rodolfo Amoedo. Realizou a primeira exposição individual no Palace Hotel (1923). Mantém contato com os participantes da Semana de Arte Moderna (realizada em 1922 na cidade de São Paulo). Em 1925, integra a Comissão Nacional de Belas Artes. Publicou o livro História da Pintura no Brasil (1944), referência das artes plásticas nacionais. Participou do SNB-RJ - 1921 (Menção Honrosa de Primeiro Grau) e de outros certames de igual importância, com premiações. JULIO LOUZADA, vol. 9 , pág. 724; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 562; ARTE NO BRASIL, pág. 577.

360 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Tropeiros - ost - 70 x 100 - cie
-Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 192 deste catálogo.

361 - ANTONIO PESSOA - (1943)
LL Figura - e em b - h = 32 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 081 deste catálogo.

362 - ANITA MALFATTI - (1896 - 1964)
LL Paisagem - ost - 23 x 29 - cie
Com a seguinte declaração no dorso: " Quadro de autoria da minha irmã Anita Malfatti. São Paulo 1971. Georgina Malfatti ". - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 240 deste catálogo.

363 - GEORGES WAMBACH - (1901 - 1965)
LL Paisagem de Bruges - dn e a - 25 x 37 - cid - 1935
Belga de nascimento, veio a falecer no Rio de Janeiro. Excepcional aquarelista, que retratou o Brasil em suas inúmeras incursões. "Georges Wambach (1901-1965) talvez tenha sido um dos últimos exemplares de uma espécie em extinção, ou já extinta, quem sabe: a dos artistas viajantes de que o século XIX foi pródigo. Artistas com cavalete, paleta, tintas e pincéis na mochila, que vararam o mundo em busca do fantástico, do erótico, e, sobretudo, do excitante desconhecido, aventura que até custou a vida de alguns como Adrien Taunay, que viu a morte aos 25 anos em pleno Mato Grosso." Fernando Cerqueira Lemos, in AQUARELAS de Georges Wambach: impressões do Brasil. Ed. Marca d´Água-SP, 1988. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 343; TEIXEIRA LEITE, pág. 540; ITAÚ CULTURAL.

364 - ANTONIO DE PÁDUA DUTRA - (1906 - 1939)
LL Nu - ost - 58 x 41 - cid
Integrante da famosa família de artistas Dutra, o autor também nasceu em Piracicaba-SP. Faleceu em Nápoles, Itália. Era bisneto do pintor Miguelzinho Dutra, filho do pintor, escultor e musicista Joaquim Miguel Dutra e irmão dos artistas João, Alípio e Archimedes Dutra. Em 1926 e 1928 participou da Exposição Geral de Belas Artes recebendo, respectivamente, menção honrosa e medalha de bronze. Desenha com seu irmão Archimedes Dutra a capa do manual de Campanha do Voluntário Constitucionalista em 1932. Em 1937, ganha o prêmio de viagem à Europa do Conselho de Orientação Artística de São Paulo e vai a Florença, Itália. Freqüenta a Real Academia de Florença até 1938, como aluno de Fellice Carena. TEODORO BRAGA, pág.84; REIS JUNIOR, pág.290; WALMIR AYALA, vol.1, pág.275; PONTUAL, pág. 186; MEC, vol.2, pág. 84; TEIXEIRA LEITE, pág. 171; ITAU CULTURAL. Acervo FIEO.

365 - GUSTAVO DALL'ARA - (1865 - 1923)
LL Menina - osm - 21 x 14 - cie - 1907
Pintor italiano, ilustrador e caricaturista. Realizou sua formação artística na Academia de Belas Artes de Veneza, estudando com Villa, Franco Dall'ara e Deslandes. Por volta de 1889, veio radicar-se no Rio de Janeiro, como convidado para ilustrar um dos jornais cariocas da época e também por motivos de saúde. Paisagista e marinhista, dedicou-se a fixar aspectos do Rio antigo. Nogueira da Silva chamou-o o pintor da cidade, "tanto se entregara ele, o bizarro e macambúzio, Gustavo Dall'ara, ao urbanismo pictural da metrópole. MEC, vol. 2, pág. 14; REIS JR., pág. 270; PONTUAL, pág. 157; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 234; Catálogo da Exp. De Paisagem Brasileira - Min. Da Educ. e Saúde - MNBA/Rio/1944 ; LAUDELINO FREIRE, pág. 388; TEODORO BRAGA, pág. 78; TEIXEIRA LEITE, pág. 144; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 84; ITAÚ CULTURAL.; ARTE NO BRASIL, pág. 839.

366 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
DE GALERIA YAZD DA SHERKAT - medindo 3,18m x 2,06m = 6,55m². Este delicadíssimo e fino este raro tapete Yazd da Companhia Sherkat é confeccionado no formato galeria - para atender as dimensões de largos corredores de palácio e mesquitas - com seda pura em todos os contornos inclusive nas bordas. O tapete é um " garden " pois possui os quadriculados em torno o entorno e centro onde prevalece o marcante e raro tom de cinza - em diferentes nuances - beje, verdes, mostarda enfeitam flores delicadas que ser formam como se fossem versos. A predominância dos temas - arabrescos, guilandas, cimitarras estlizadadas e colunas persas - revela finíssimo tapete de oração. O medalhão central tem temática corâmica. Tem 800 mil nós por metro quadrado e muita seda pura sobre lã de peito de carneiro e algodão. As tonalidades fazem desta peça única

367 - BENEDITO JOSÉ DE ANDRADE - (1906 - 1979)
LL Briga de galos - ost - 60 x 74 - cid e d - 1950
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 052 deste catálogo.

368 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Composição - a - 17 x 11 - cid
Natal de 1952 - Ano Novo 1953. -Grande pintor brasileiro, nascido em Fortaleza, Ceará e falecido em Paris onde viveu a maior parte de sua curta e rica vida. Começando figurativo, num estilo expressionista, adotou, já em França, um não figurativismo lírico, algo à maneira do grande Wols, seu amigo que iria manter até o precoce fim. É um dos pioneiros da arte abstrata no Brasil. BENEZIT, vol.1, pág.415; MEYER/87, pág.606; MEC, vol.1, págs.159,160 e 167; PONTUAL, págs. 48 e 49; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 71 a 74; TEIXEIRA LEITE, pág. 52 a 54; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 599; LEONOR AMARANTE, pág. 34; Acervo FIEO.

369 - GEORGINA DE ALBUQUERQUE - (1885 - 1962)
LL Contando história - osc - 24 x 32 - cse
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 219 deste catálogo.

370 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL " Figura " - ost - 22 x 16 - csd e d - 1969
Com carimbo da Galeria Uirapuru, de José Roberto Bortoletto, Av. Santo Amaro, 1451 (1964-1971), no dorso. Reproduzido no convite deste leilão e no Caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 21/1/2009. -Esse grande pintor brasileiro, que estudou com Marques Júnior na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro, ingressando em seguida no Núcleo Bernardelli, onde se ligou de amizade a Pancetti, é hoje glória nacional. Sua carreira atravessou várias fases, desde a de cunho figurativo da déc. 30, ao construtivismo dos anos 50, para atingir afinal o figurativismo, das Vênus e Pássaros, passando pelas figuras esquematizadas da década de 1940. TEODORO BRAGA, pág. 163; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 229; MEC, vol. 2, pág. 13; BENEZIT, vol. 3, pág.315; ITAU CULTURAL; PONTUAL, pág. 155; WALTER ZANINI, pág. 573; ARTE NO BRASIL, pág. 763; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

371 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Negra - dn - 13 x 10 - cid - 1924
Procedente da coleção de Ninoross Bastos Ribeiro - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 058 deste catálogo.

372 - ARCÂNGELO IANELLI - (1922)
LL Composição - p - 38 x 27 - cid - 1976
Com certificado do Projeto Arcangelo Ianelli. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 060 deste catálogo.

373 - FANG, CHEN KONG - (1931)
LL Paisagem - ost - 40 x 50 - cie - 1991
Pintor, desenhista e gravador. Ativo em São Paulo, estudou com Y. Takaoka; expôs nos Salões de Belas Artes de São Paulo e do Rio de Janeiro, obtendo diversas premiações. Tem obras em coleções particulares e na Pinacoteca de São Paulo. MEC, vol. 2, pág. 124; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 366; TEIXEIRA LEITE, pág. 189; PONTUAL, pág. 201.; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

374 - FUNCHAL GARCIA - (1889 - XX)
LL Paisagem - ost - 65 x 100 - cid
Mineiro de Leopoldina, foi também escritor e professor. No Rio de Janeiro, estudou no Liceu de Artes e Ofícios, recebendo orientação dentre outros de César Formenti. Expôs no Salão Nacional de Belas Artes, obtendo menção honrosa. TEODORO BRAGA, pág. 104; MEC, vol. 2, pág. 241; Acervo FIEO.

375 - TOMOSHIGUE KUSUNO - (1935)
LL Composição - tm - 90 x 122 - cie - 1962
Com etiqueta do Museu de Arte Contempôranea da Universidade de São Paulo, no dorso. -Natural de Yubari, Japão. Pintor, desenhista e gravador. A obra do autor situa-se no limiar entre o formalismo e o objeto. Individuais a partir de 1976, coletivas internacionais em 1982, e premiações diversas. JULIO LOUZADA, vol.4, pág.1101; MEC, vol.2, pág.430 e 431; PONTUAL, págs.295 e 296; TEIXEIRA LEITE, pág.274; WALMIR AYALA, vol.1, pág.452; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 968; LEONOR AMARANTE, pág. 171, Acervo FIEO.

376 - RODRIGO DE HARO - (1939)
LL Naruteza morta - ose - 28 x 35 - cid - 1974
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 034 deste catálogo.

377 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Cena de Napolis - ost - 44 x 60 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 028 deste catálogo.

378 - THOMAZ IANELLI - (1932 - 2001)
LL Rostos - tm e col. - 38 x 56 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 100 deste catálogo.

379 - GERSON DE SOUZA - (1926 - 2008)
LL " Menina fantasiada de borboleta " - ost - 20 x 15 - cid e d - 1967
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 187 deste catálogo.

380 - PAULO VALLE JÚNIOR - (1889 - 1958)
LL Paisagem - ost - 38 x 55 - cie
Reproduzido no convite deste leilão e no Caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 26/1/2009. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 103 deste catálogo.

381 - LULA CARDOSO AYRES - (1910 - 1987)
LL Figura - ost - 100 x 65 - cid e d - 1966
Natural do Recife, PE, foi pintor e desenhista, tendo se iniciado artisticamente sob a orientação de Henrich Moser, naquela mesma cidade. Estudou no Rio de Janeiro com Carlos Chambelland e na antiga ENBA até 1930, onde foi aluno de Rodolfo Amoedo. Foi contemporâneo nessa escola de Portinari, Teruz, Oswaldo Teixeira, Joaquim da Rocha Ferreira e Orózio Belém. A partir de 1933, já de volta à sua terra natal, dedica-se totalmente aos temas regionais. JULIO LOUZADA vol. 1, pág. 31; TEIXEIRA LEITE, pág. 293; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 879; Acervo FIEO.

382 - HELIOS SEELINGER - (1878 - 1965)
LL Figuras - ostcc - 20 x 14 - cie - 1937 - Rio
Reproduzido sob o n.° 121 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 102 deste catálogo.

383 - RUBENS GERCHMAN - (1942 - 2008)
LL Casal - ost - 45 x 45 - cid e d
Importante artista, foi representante da vanguarda da arte brasileira. Pintor, desenhista e gravador, frequentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro (1957/8) e a antiga ENBA (1959-1962), estudando xilogravura com Adir Botelho. Participou dos XIX e XXI SPar.BA (1962-1964 / com prêmios), XI, XIII, XIV, XV e XVI SNAM (entre 1962-1967), além de inúmeros outros salões e mostras oficiais no Brasil e no exterior. JULIO LOUZADA vol. 13 pág. 148; PONTUAL, pág. 235; TEIXEIRA LEITE, "in" A GRAVURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 974; LEONOR AMARANTE, pág. 143, Acervo FIEO.

384 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato - dn - 50 x 31 - cie - 1965
Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 086 deste catálogo.

385 - LASAR SEGALL - (1891 - 1957)
LL " Emigrantes " - grav. - 28 x 34 - cid - 1929
Com dedicatória. -Pintor, escultor, gravador e desenhista de mérito invulgar, é o precursor da arte moderna no Brasil, graças a uma exposição realizada em São Paulo em 1913. A crítica condidera-o, atualmente, um dos grandes mestres do Expressionismo pictórico. No Brasil, onde radicou-se muito jovem, e cuja cidadania adquiriu, realizou boa parte de sua obra, temperada, inclusive, pela atmosfera e pelo colorido dos trópicos. TEODORO BRAGA, pág. 137; MEC, vol. 4, pág. 217; REIS JR., págs. 374,386 e 387; PONTUAL, págs. 482/3/4; BENEZIT, vol. 9, pág. 500; ART PRICE ANNUAL, pág. 2283; TEIXEIRA LEITE, pág. 467; WALTER ZANINI, pág. 511; ARTE NO BRASIL, pág. 837; LEONOR AMARANTE, pág. 12.

386 - TITO DE ALENCASTRO - (1934 - 1999)
LL Namorados - ostce - 27 x 40 - cid
Pintor, desenhista, gravador e mosaicista, radicou-se em 1961 em São Paulo, após ter estudado no Rio de Janeiro com Abelardo Zaluar, José Morais e Johnny Friedlaender. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 29; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 6; PONTUAL, pág. 14; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

387 - BENEDITO CALIXTO DE JESUS - (1853 - 1927)
LL Fauna e flora - a e g - 42,6 x 33,6 - cie e d - 1902 - São Paulo
Com certificado de autenticidade firmado por Celso Calixto Rios. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 110 deste catálogo.

388 - SERGIO RODRIGUES - (1927)
LL Par de cadeiras Tião - - 50 x 40 x 75 cada - 1959
Duas cadeiras em madeira de lei maciça. -Designer de móveis, arquiteto. Ingressa em 1947 na Faculdade Nacional de Arquitetura da Universidade do Brasil - FNA, no Rio de Janeiro. Em 1949, atua como professor assistente de David Xavier de Azambuja, que, em 1951, o convida a participar da elaboração do projeto do Centro Cívico de Curitiba, com os arquitetos Olavo Redig de Campos e Flávio Regis do Nascimento, por intermédio de quem conhece Lucio Costa. Rodrigues forma-se em arquitetura em 1951. Transfere-se para Curitiba, onde cria a Móveis Artesanal Paranaense, em sociedade com os irmãos Hauner, que em 1954 contratam-no para comandar o setor de criação de arquitetura de interiores de sua nova empresa, a Forma S.A., em São Paulo. Nesse período, entra em contato com a produção de diversos designers europeus, conhece Gregori Warchavchik e Lina Bo Bardi. Em 1955, pede demissão da Forma, e volta ao Rio de Janeiro. Alimenta a idéia de criar um espaço de produção e comercialização o do design brasileiro, que se concretiza com a abertura da Oca, em 1955. Cria na década de 1950 as poltronas Mole, Laércio Costa e Oscar Niemeyer. De 1959 a 1960, faz os primeiros estudos do SR2 - Sistema de Industrialização de Elementos Modulados Pré-Fabricados para Construção de Arquitetura Habitacional em Madeira. Os protótipos das construções são expostos no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ. Com o objetivo de comercializar móveis produzidos em série a preços acessíveis, cria em 1963 a empresa Meia-Pataca, que se mantém no mercado até 1968. Nesse ano, vende a Oca e monta ateliê no Rio de Janeiro, onde trabalha com arquitetura de interiores para residências, escritórios e hotéis e realiza projetos para o Banco Central em Brasília e a sede da Editora Bloch, no Rio de Janeiro. Participa da exposição Mobiliário Brasileiro - Premissas e Realidade, no Museu de Arte de São Paulo - Masp. Participa, com Lucio Costa e Zanine Caldas, da Mostra Brasile 93 - La Costruzione de una Identitá Culturale [Brasil 93 - A Construção de uma Identidade Cultural], em Brescia, Itália. ITÁU C

389 - CAROL KOSSAK - (1895 - 1976)
LL Menino - ost - 46 x 38 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

390 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Carnaval - ostcc - 22 x 27 - cie
Com etiqueta n.° 40 da Bolsa de Arte do Rio de Janeiro da década de 1970, no dorso. Reproduzido: no convite; na capa do catálogo deste leilão; no Caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 21/1/2009. - Cognominado enquanto viveu de o Patriarca da Pintura Moderna Brasileira, Di Cavalcanti foi o inspirador da Semana de 1922. Sua pintura é gorda, sensual, lasciva mesma, cheirando a carnaval, sexo e povo. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.

391 - ADELIO SARRO - (1950)
LL Musa Astral - m em b 17/50 - h = 19 - d
Com certificado de autenticidadde do autor. -Artista do interior paulista, nascido em Andradina, está radicado em São Paulo desde 1968. Sua pintura inicialmente é exprecionista e confessadamente inspirada nas obras de Portinari e Segall. Expôs no exterior e em divesos Salões Nacionais, recebendo excelente crítica. JULIO LOUZADA, vol.1 pág. 880, ITAÚ CULTURAL.

392 - MIRA SCHENDEL - (1918 - 1988)
LL Composição - mon. - 45 x 22 - cid - 1965
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 112 deste catálogo.

393 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Pastora - ost - 65 x 51 - n/as.

394 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Estudo para Mariana " - osc - 24 x 33 - cid - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

395 - PAULO VERGUEIRO LOPES DE LEÃO - (1889 - 1964)
LL Veneza - osm - 27 x 20 - cie - 1921
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 255 deste catálogo.

396 - AXEL LESKOSCHEK - (1889 - 1976)
LL Composição - xilo. - 29 x 21 - cid
Da série " Uma Luz Pequenina ". -Importante gravador, pintor e professor austríaco. Realizou sua formação artística na Áustria e ali publicou álbuns de xilogravuras e águas-fortes. Veio residir no Brasil em 1930, fugindo do nazismo, aqui ficando até 1950. Ilustrou diversas publicações nacionais, entre elas, e principalmente, as edições brasileiras dos romances de Dostoiévski (Ed. José Olimpio). Foi professor, entre outros, de Renina Katz, Fayga Ostrower e Ivan Serpa. MAYER/88, pág.494; JULIO LOUZADA, vol.1, pág.609; BENEZIT, vol.6, pág.612, ART PRICE ANNUAL/2000, pág.1464; PONTUAL, pág.309, TEIXEIRA LEITE, pág.284; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 840; Acervo FIEO.

397 - GERSON DE AZEREDO COUTINHO - (1900 - 1967)
LL Canoas - osm - 31 x 39 - cid
Pintor e arquiteto gaúcho (cidade de Jaguarão), estudou com Henrique Bernardelli e na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro. Foi paisagista, e por várias vezes mereceu prêmios no Salão Nacional de Belas Artes. TEODORO BRAGA, pág. 108; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 2, pág 133; Citado no Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, Ministério da Educação e Saúde-MNBA/Rio/1944; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 67; RGS, pág. 104. Acervo FIEO. -

398 - TORQUATO BASSI - (1880 - 1967)
LL Por do Sol - ost - 65 x 86 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 261 deste catálogo.

399 - SYLVIO PINTO - (1918 - 1997)
LL Baiana - ost - 100 x 80 - cie
Com certificado do Projeto Sylvio Pinto, firmado por Ubirajara Pinto Carreras. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 059 deste catálogo.

400 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Florista - ost - 40 x 30 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

401 - CARLOS LEÃO - (1906 - 1982)
LL Nu - dn e ag - 55 x 38 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 026 deste catálogo.

402 - JUDITH LAUAND - (1922)
LL Composição - tm - 21 x 31 - csd - 1994
Com certificado de autenticidade da artista. -Nasceu na cidade paulista de Pontal. Em 1950 formou-se em artes plásticas na Escola de Belas Artes de Araraquara-SP. Em 1952, já em São Paulo, estuda pintura com Domênico Lazzarini e gravura com Lívio Abramo. Integra o grupo paulista do movimento de arte concreta em 1955. Participa da Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1955 e 1969; Exposição Nacional de Arte Concreta, São Paulo, 1956; Tendências Construtivas no Acervo do MAC/USP, Rio de Janeiro, 1996; Arte Construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leirner, São Paulo e Rio de Janeiro, 1998 e 1999. Na crítica de Mario Schenberg, ..." Judith Lauand permanece fiel a sua postura e trajetória concretista. Sua obra recente revela a densidade da composição, o apuramento do cromatismo, o equilíbrio do grafismo, conseguidos por constante pesquisa. Judith envereda agora por novos caminhos realizando obras que podem ser chamadas de assimétricas, onde o geometrismo da decomposição cromática destrói a ‘partição eqüilateral’ presente ao longo de sua obra, criando uma nova simetria. " (LAUAND, Judith. Judith Lauand : pinturas. Sao Paulo : Choice Galeria de Arte, 1986. p. 3). JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 479; ITAU CULTURAL.

403 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Figuras - grav. - 24 x 31 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 021 deste catálogo.

404 - ALUISIO CARVÃO - (1920 - 2001)
LL Composição - dn - 35 x 27 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 089 deste catálogo.

405 - DÉCIO VILARES - (1851 - 1931)
LL Orando - p - 48 x 32 - cid
Pintor, retratista, fez da figura feminina o seu tema predileto. Criou a bandeira da República, substituindo o escudo pelo Cruzeiro do Sul e acrescentando o lema positivista " Ordem e Progresso" . Dedicou-se também à escultura. ARTE NO BRASIL vol.2, pág.1060; PONTUAL, pág.542; MEC vol.4, pág. 478; TEIXEIRA LEITE, pág. 526; ITAÚ CULTURAL.

406 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Menino - dn - 34 x 14 - cid - 1938
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 122 deste catálogo.

407 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Na praia - dn - 14 x 19 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 063 deste catálogo.

408 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - g - 50 x 18 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 124 deste catálogo.

409 - TRINAZ FOX (RUBENS FERREIRA TRINAZ FOX) - (1899 - 1964)
LL Recolhendo o gado - dn e a - 35 x 50 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 019 deste catálogo.

410 - MARCIO PETRONI - (1968)
LL " Campos de Jordão " - ost - 30 x 20 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 130 deste catálogo.

411 - SERGIO MIGLIACCIO - (1936)
LL Feira - ost - 100 x 80 - cie
Paulistano, nasceu em 26/1/1936. Em 1952, inicia por conta própria seus estudos de desenho, estudando posteriormente com a prof. Alice Moreira. A partir de 1958, foi aluno por seis anos do mestre Edmundo Migliaccio, seu tio, nas técnicas de desenho, pastel e óleo. Desde 1964 pinta profissionalmente, seguindo sua própria intuição na execução de retratos, nus, cenas urbanas, rurais, de gênero e naturezas mortas. Criou para a Industrias Votorantim, motivos para estamparia de tecidos, seguindo as tendências da moda da época. Individuais em 1970 e 1975. Coletivas a partir de 1982, figurando no SPBA-SP e UNAP-SP. JULIO LOUZADA, vol. 3 pág. 739

412 - JURANDI ASSIS - (1939)
LL Baiana - ost - 22 x 12 - csd e d
Pintor e desenhista. Autodidata. Nascido em Santa Maria da Vitória, BA, em 28 de março, transfere residência para São Paulo em 1956, em busca de conhecimento para a sua arte. Foi aluno de Oscar Costa. Sobre sua obras, assim manifestou-se o grande artista F. Rebolo Gonsales: " Jurandi Assis iniciou-se na arte como acadêmico, mas jovem e com talento, voltou-se para a pintura moderna. Suas composições com fundos abstratos, geometrizados e figuras no primeiro plano (...) representam a procura temática do folclore, especialmente da Bahia, de onde veio..." JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 22.

413 - MARIA LEONOR APPE - (1933)
LL Flores - ost - 24 x 19 - cid - 1984
Nasceu em Santos, SP, no dia 22 de maio, transferindo residência para a Capital com a família em 1942, onde reside e é ativa. Desde cedo acompanhava o trabalho do pai, então pintor amador, que procurava incentivá-la nas artes plásticas. Autodidata, após o falecimento do pai em 1968, dedica-se à pintura, recebendo ensinamentos dos mestres Nestor Peres, Colete Pujol e Waldemar da Costa. A partir de 1990 dedica-se totalmente à pintura e à aquarela; integra a Diretoria da Associação Paulista de Belas Artes, da qual é sócia benemérita e conselheira perpétua. Participou de diversos certames oficiais, com premiações várias, tais como medalhas de bronze e de prata.

414 - MANEZINHO ARAUJO - (1910 - 1993)
LL Capoeira - ser. 47/100 - 27 x 42 - cid
Com apenas dezesseis anos de idade mudou-se para Recife, a fim de concluir seus estudos. Após cursar a escola de comércio de Pernambuco, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde foi buscar fama através da música, sua primeira paixão. Destacou-se como compositor e intérprete de música popular nordestina, o que lhe valeu a possibilidade de montar um restaurante de comida nordestina em SP, muito famoso durante vários anos, o Cabeça Chata. Apesar de viver, em SP, suas raízes ainda permanecem em Pernambuco. De uma forma autodidata começou a dedicar-se à pintura, retratando o folclore nordestino, sua gente, suas vidas, fase que sustentou até o seu desaparecimento, com uma menção surrealista. Expôs individualmente nas Galerias Astreia e Capela (SP), e na Ranulfo em Recife (1969). Em 1968, apresentado por Aldemir Martins, teve publicado o álbum de serigrafias Meu Brasil. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 56; MEC, vol. 1, pág. 109; PONTUAL, pág. 38; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 18; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 832; Acervo FIEO.

415 - ORLANDO TARQUINIO - (1894 - 1977)
LL " Alto do Taboão Bragança " - osm - 24 x 33 - cid e d
Nasceu e faleceu em São Paulo-SP, onde foi ativo pintor, aluno de Zillani e de Antonio Parreiras. A seu respeito, Quirino da Silva escreveu: "Orlando Tarquinio era de uma finíssima sensibilidade, e durante toda a sua existência dourou com ela tudo o que idealizou, tudo o que fez. Era um excelente pintor, que conhecia o seu ofício; um notável artista que, em cada pincelada, deixava a sua fina sensibilidade; em cada tela o impulso de sua alma ..." Participou do SNBA, obtendo Menção Honrosa (1928) e Medalha de Bronze (1929); do SPBA (1934, 1939, 1951, 1959, 1966 e 1970), conquistando Medalhas de Prata (1939 e 1951) e Medalha de Ouro (1959). O MNBA-RJ e a Pinacoteca-SP, guardam obras de sua autoria. JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 957

416 - ROLANDO NATAL SCURZIO - (1931 - 1998)
LL Interior - ose - 14 x 20 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 277 deste catálogo.

417 - ROSSINI PEREZ - (1932)
LL Composição - grav. 24/25 - 42 x 43 - cid
Gravador e pintor, Rossini Quintas Perez nasceu em Macaíba-RN, mudando-se com a família para o Rio de Janeiro em 1940. Em 1951, freqüenta a Associação Brasileira de Desenho e tem aulas com o pintor Ado Malagoli. Após visita à 1ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1951, interessa-se pela gravura. Recebe orientação de Oswaldo Goeldi, Iberê Camargo e, em 1953, de Fayga Ostrower. É assistente de Johnny Friedlaender, com Edith Behring, no Ateliê de Gravura do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, no qual leciona entre 1959 e 1961. No ano seguinte, aperfeiçoa-se em litografia na Rijksakademie, em Amsterdã, como bolsista da Unesco. Reside em Paris de 1962 a 1972. De volta para o Brasil, leciona no Centro de Criatividade da Fundação Cultural do Distrito Federal em 1978. No Rio de Janeiro, entre 1983 e 1986, volta a dar aulas no Ateliê de Gravura do MAM/RJ. "Diante da guerra aberta entre o figurativo e o abstrato, Rossini Perez vai a São Paulo conhecer a 1ª Bienal, trocando, em seguida, a pintura pela gravura. Tal opção deve-se ao seu desejo de ingressar na arte abstrata. Nos anos em que ensina no MAM, resolve suas gravuras com ponta-seca ou combinando diversas técnicas do metal. Constrói composições, contrastando áreas claras e áreas escuras. Essas áreas são, a um tempo, afrontadas e fusionadas, já que cada uma delas tem na outra algo do seu próprio elemento gráfico. Assim, Rossini Perez dá ritmo às composições e as aplaina. Suas gravuras são planejadas; freqüentemente, todavia, são modificadas no processo por lance espontâneo e por acidentes da técnica. Segue esse procedimento mesmo nos trabalhos que faz na Europa, por mais de dez anos, após ter deixado o MAM." Leon Kossovitch e Mayra Laudanna, in: GRAVURA: arte brasileira do século XX. Apresentação Ricardo Ribenboim; texto Leon Kossovitch, Mayra Laudanna, Ricardo Resende. São Paulo: Itaú Cultural: Cosac & Naify, 2000. p. 18. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 807; ITAU CULTURAL.

418 - SERGIO MIGLIACCIO - (1936)
LL Caipira - ost - 50 x 40 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 411 deste catálogo.

419 - ULISSE CAPUTO - (1872 - 1948)
LL Figuras - osc - 27 x 41 - cie
No estado. -Pintor nascido em Salerno, Itália e falecido em Paris, França. Frequentou a Escola de Belas Artes de Nápoles, Itália onde foi aluno de Morelli e Palazzi de 1890 a 1892. Trabalha com G. Espósito. Em 1900 vai para Paris, começa a participar de Salões e pinta na Bretanha, em Aix-en-Provence e no Marrocos (1925 a 1930). Exposições: Paris, França (1901); Veneza, Itália (1907 – Bienal de Veneza); Munique, Alemanha (1910) e de 1922 a 1935 em: Roma, Nápoles, Paris e nas Américas. Prêmios: Paris, França (1909); Munique, Alemanha (1910). Possui obras nos Museus de: Lima, Peru; Paris (Museu de Luxemburgo e Jeu de Paumme); Pittsburgh, USA (Museu de la Fondat, Carnegie); Santiago de Chile, Chile e Toulon, França (Museu Municipal). BENEZIT, vol.2, pág.510.

420 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 14 x 20 - cid - 1946
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 002 deste catálogo.