Leilão de Arte tableau - Fevereiro de 2011

001 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato - lito. 57/100 - 47 x 71 - cid
Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

002 - ADAM HENDLER - (1909 - 1981)
LL Figuras - ost - 46 x 38 - cie - 1976
Pintor polonês, radicou-se no Brasil, adquirindo a cidadania brasileira em 1977. Estudou com André Lhote. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 464, Acervo FIEO.

003 - ARTHUR LUIS PIZA - (1928)
LL Composição - ser. 159/211 - 65 x 50 - cid
Gravador e pintor paulista, foi aluno de Gomide, está radicado em Paris desde 1953, mas tem exposto regularmente no Brasil e na Europa com grande sucesso de crítica e venda. MEC, vol. 3, pág. 422; PONTUAL, pág. 428/29; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 250; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 855; LEONOR AMARANTE, pág. 75; Acervo FIEO.

004 - ALBERTO ALLENDE - (1937)
LL " Passista " - ost - 73 x 60 - cie e d - 1984
Espanhol, radicou-se no Brasil em 1972, tendo antes estudado na Itália, Áustria e Alemanha. Neste último país, após 4 anos de estudo, diplomou-se em engenharia fotográfica, tendo-se especializado nas matérias de composição e cor. Recém-chegado ao Brasil fotografou as principais capitais brasileiras para a Expo-73 que o governo brasileiro organizou na Bélgica e foi contratado como professor de fotografia e cinema da Universidade de São Paulo para os cursos de Jornalismo e Comunicações. Atualmente reside em São Paulo e pinta paisagens brasileiras.

005 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL Garrafas - ser. P.A. - 40 x 28 - cid - 1972
Pintor e gravador gaúcho, cuja carreira esteve intimamente ligada ao desenvolvimento da arte moderna e da gravura em seu estado natal e no Brasil. Começou a pintar em 1935, tendo sofrido de início a influência de Segall. Após uma fase realista, evoluiu, em anos mais recentes, para uma linguagem pessoal, fixado objetos com grande amor às transparências e às texturas, numa ânsia de transfiguração e de serenidade. MEC vol.4, pág. 214; TEODORO BRAGA, pág. 66; WALMIR AYALA vol.2, pág. 306 a 309; PONTUAL, págs 479 e 480; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 293; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 798; RGS, pág. 442; Acervo FIEO.

006 - ANTONIO DE OLINDA - (1966)
LL Festa popular - ose - 55 x 122 - cid - 1986
Nasceu em Olinda, onde vive e trabalha, e de onde adotou o apelido artístico. Inicialmente trabalhava como mamulengo ( teatro de bonecos ). Aprendeu a pintar com Roberto Lúcio. Expôs coletivamente pela primeira vez em 1984, conquistando uma das premiações do Salão dos Novos de Pernambuco. Realizou adereços para filmes. ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 216

007 - FERNANDO ODRIOZOLA - (1921 - 1986)
LL Composição - grav. P.A. - 30 x 20 - cid - 1962
Pintor e desenhista espanhol, Odriozola radicou-se no Brasil em 1953, e em 1965 mereceu o prêmio de Melhor Desenhista Nacional da Bienal de São Paulo, que em 1967 lhe dedicou sala especial. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 231; MEC vol, 3, pág. 291; PONTUAL, pág. 389.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 737; ARTE NO BRASIL, pág. 907; LEONOR AMARANTE, pág. 143; Acervo FIEO.

008 - DAREL VALENÇA LINS - (1924)
LL Figuras - grav. 33/50 - 50 x 40 - cid - 1962
Este importante pintor, gravador, desenhista e professor, conquistou em 1957, no SNAM, o prêmio de viagem ao estrangeiro, voltando a ser contemplado na VII Bienal de São Paulo, como o melhor desenhista nacional. Foi aluno de Henrique Oswald e recebeu aconselhamento técnico de Goeldi. MEC vol.3, pág. 18; PONTUAL, pág.160/161; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 715; ARTE NO BRASIL, pág. 839; LEONOR AMARANTE, pág. 125; Acervo FIEO.

009 - ÉLON BRASIL - (1957)
LL " O mascote " - ost - 100 x 130 - cse e d - 2009
Artista plástico autodidata, nasceu em 1957, na praia de Jurujuba, em Niterói-RJ, onde aos seis anos de idade começou a rabiscar seus primeiros crayons. Mudando-se em 1968 para São Paulo, aos 12 anos, ganhou sua primeira medalha de ouro na II PINARTE de Pinheiros. Em 1970, juntamente com os artista Aldemir Martins, Clóvis Graciano e Carlos Scliar, Élon ilustrou o livro de poesias "Cantando os Gols" de Tito Battine. Hoje, sua obra figurativa e abstrata é composta por imagens da terra: índios, negros e caboclos, cercados por textura e cores marcantes. Sua temática busca ressaltar e preservar a cultura brasileira e suas próprias raízes. Filho de baianos - mãe negra, neta de índios, e pai (o artista Milton Brasil), neto de imigrantes italianos e portugueses - Élon resgata em sua história e origem, a fonte de inspiração . Ao morar na Suíça por seis meses, obteve a oportunidade de expor o seu trabalho em diversas ocasiões, tornando-se conhecido internacionalmente, principalmente com encomendas para colecionadores europeus.

010 - EMILE TUCHBAND - (1933 - 2006)
LL Flores - ose - 12 x 9 - ld
Natural de Paris, fixou residência no Brasil a partir de 1956. Cursou a Escola de Belas Artes e a Escola de Arquitetura em Paris. Foi auxiliar de Marc Chagall na elaboração do teto da Ópera de Paris. Em 1960 realizou o cartaz do filme Orfeu do Carnaval. Pintor adepto à escola francesa, levava para as suas telas paisagens e impressões do Brasil, em cores vivas e composição exótica. BENEZIT, 10/301; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 999 ; Acervo FIEO.

011 - ITAJAHY MARTINS - (XX)
LL " Cavalos de sonhos " - xilo. 23/50 - 46 x 46 - cid - 1979
Pintor e gravador paulistano. "O trabalho de Itajahy Martins tem assuntos simples, como peixes, casarios, cavalos, rinhas de galo. Tudo simples, do cotidiano, num registro figurativo onde aparece a meditação do artista, o seu longo domínio das formas e da composição." (Jacob Klintowitz). Começou a expor em São Paulo, no Salão Paulista de Belas Artes de 1955, quando recebeu a Grande Medalha de Prata, além de inúmeras Menções Honrosas; em 1965, expôs no Brazilian-American Cultural Institute, em Washington, EUA; e, em 1980, no MASP-SP. JULIO LOUZADA, vol. 3 pág. 699.

012 - GILBERTO AGUILLAR NAVARRO - (1940)
LL " Flores " - ast - 100 x 80 - cid e d
Pintor e escultor, nasceu na cidade serrana de Petrópolis, RJ, em 23/4/1940. Assina AGUILLAR. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 29

013 - MARCO TULIO REZENDE - (1950)
LL Composição - lito. 53/70 - 70 x 100 - cid
Pintor, desenhista, professor. Estuda na Escola Guignard, em Belo Horizonte, Minas Gerais, entre 1971 e 1974. Conclui o mestrado em 1978, na School of the Art Institute of Chicago, Estados Unidos, como bolsista da Fullbright Comission. Neste mesmo ano, de volta ao Brasil, torna-se professor de desenho do curso de artes plásticas da Escola Guignard, onde permanece até hoje. Realiza sua primeira exposição individual na Galeria Ibeu em 1975, na cidade de Belo Horizonte. Em 1990, viaja para Alemanha com bolsa de estudos concedida pelo Instituto Goethe. ITAÚ CULTURAL.

014 - WESLEY DUKE LEE - (1931 - 2010)
LL " Aparição do touro " - grav. 7/200 - 16 x 20 - cid
Pintor, desenhista, gravador e artista gráfico. Iniciou seus estudos de desenho em 1950, no MASP. Em 1952 viajou para os USA para dedicar-se ao aprendizado de artes gráficas na Parson's School of Design (Nova York). De volta ao Brasil trabalhou no campo da pintura e do desenho, aperfeiçoando-se com Karl Plattner, em São Paulo, em 1957. Em seguida transferiu-se para Paris, onde estudou gravura com Johnny Friedlaender. Participou de diversas exposições coletivas e Bienais no Brasil e no exterior, realizando individuais por todo o Brasil. No catálogo da mostra "O Artista e a Máquina", de 1966, foi dito à seu respeito: "Inquieto, sofisticado, cosmopolita e dotado de um vivaz senso de humor (...) representa no Brasil a vanguarda internacional de pesquisa estética que enfeixa sobre o título de "realismo mágico". MEC, vol.2, pág.465; WALMIR AYALA, vol.1, pág.466; TEIXEIRA LEITE, pág. 282; PONTUAL, pág.305 e 306; JULIO LOUZADA, vol.8, pág.459; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 815; LEONOR AMARANTE, pág. 143. Acervo FIEO.

015 - JOSÉ SABÓIA - (1949)
LL Repouso - ost - 60 x 70 - cid
Nascido em Almadina (BA). Indo para o Rio de Janeiro em 1967, começou a pintar no ano seguinte, passando a expor seus trabalhos na Feira Hippie de Ipanema. Sua primeira individual deu-se em Fortaleza em 1970; a partir de então, tem exposto com freqüência no Rio de Janeiro e em São Paulo. A pintura de Sabóia partiu de uma raiz eminentemente popular, tendo atingido depois um rebuscamento que se traduz no caprichoso desenho de linhas recurvas, na pincelada lisa, impessoal, no colorido reduzido a três ou quatro tons básicos e na composição, dotada daquele inconfundível horror vacui dos ingênuos. JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 278; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 228; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

016 - RANCHINHO - (1923 - 2003)
LL Figura - ostce - 40 x 60 - cid - 1986
Procedente da coleção do crítico de arte Mario Schenberg, São Paulo. -Seu verdadeiro nome era Sebastião Theodoro Paulino da Silva, nascido na cidade paulista de Oscar Bressane, no dia 7 de janeiro de 1923, mudando-se com a mãe, então viúva, para Assis, SP, onde viveu até morrer. Pintor ingênuo, hoje consagrado, comeu durante a sua vida " o pão que o diabo amassou", conforme narra, de forma pungente, R. Rugiero, no catálogo de exposição do artista no ano de 1988, de cujo texto, reproduzido no vol. 4, página 931, do dicionário JULIO LOUZADA, extraímos o seguinte texto: "... Com o tempo pôs-se a viver exclusivamente da catança de papéis, latas, garrafas - e de algumas famílias obtinha também comida e roupas velhas. Passou a habitar ranchos de beira de estrada, abandonados, donde lhe veio o apelido de Ranchinho, com a qual a garotada o atazanava, atirando-lhe pedras e gritando o nome que o punha fora de si. Por fim fixou-se num casebre, em uma granja abandonada, e alí viveu até 1962, em grande necessidade. E sempre desenhando obsessivamente em qualquer superfície branca que lhe caísse nas mãos." Foi descoberto pelo escritor José Nazareno Mimessi, que percebeu em Ranchinho um impressionante fenômeno artístico, no que não estava enganado. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 259; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

017 - ALBERTO DA VEIGA GUIGNARD - (1896 - 1962)
LL Paisagem - dn - 20 x 15 - cid
Pintor, desenhista, gravador e professor. No dizer de Rodrigo de Melo Franco de Andrade, no álbum de reproduções da obra do artista, em 1967: "Quando Guignard voltou da Europa, para onde tinha ido menino, só regressando com mais de 30 anos, redescobriu o Brasil, tomado de uma ternura e de uma admiração comovidas que conservou até os seus últimos dias. Toda a obra que produziu, desde então, ficou impregnada da emoção e da poesia sentidas naquele reencontro com a terra natal." PONTUAL, pág. 254 a 256; MEC, vol. 2, pag. 304; TEIXEIRA LEITE, pág. 236 a 240 ; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 404; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 1013; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 373/375/377; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 559; ARTE NO BRASIL, pág. 505; LEONOR AMARANTE, pág. 28.

018 - CLAUDIO TOZZI - (1944)
LL " Paisagem " - astce - 57 x 57 - cid e d - 1980
Pintor, arquiteto e gravador paulista com diversas exposições e participações em salões e bienais no Brasil e no exterior. Dedicou-se inicialmente à colagem e à gravura, numa utilização crítica das histórias em quadrinhos; numa fase posterior passou a criar múltiplos tridimensionais e a efetuar pesquisas em torno dos efeitos ópticos. WALMIR AYALA vol.2, pág.388/9; PONTUAL, pág.525/6; TEIXEIRA LEITE, pág. 512; ARTE NO BRASIL vol.2, pág.1059; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 740; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.

019 - ANITA MALFATTI - (1896 - 1964)
LL Rosto - dl - 28 x 20 - cid
Com a seguinte declaração: " Desenho de autoria de minha irmã Anita Malfatti ". Georgina Malfatti - São Paulo - 1942. -Proto-mártir do modernismo brasileiro, com sua mostra de 1917 em São Paulo, Anita Malfatti foi, no dizer de Dario da Silva Brito, o "estopim" da Semana de 1922. Recebeu prêmio de honra no Salão Paulista de 1934. Várias exposições coletivas e individuais como: Anita Malfatti no Museu de Arte Brasileira - FAAP. BENEZIT, vol. 7, pág. 118; TEODORO BRAGA, pag. 151/2; MEC, vol. 3, pág. 45; PONTUAL, pág. 332/3; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 33 e 35; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 478; ARTE NO BRASIL, pág. 652; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

020 - INGRES SPELTRI - (1940)
LL Composição - osm - 70 x 50 - cid e d - 1981
Nasceu em Jau, São Paulo, em 20/01/1940. Pintor, desenhista, escultor, gravador e professor. Apresentando uma pintura de fases bem demarcadas, onde as possibilidades plásticas do cubismo, do construtivismo e do concretismo foram exploradas com paixão e rigor de pesquisa, o autor tem percorrido um rico itinerário em sua incessante buscar de universo expressivo e de uma linguagem pictórica definitiva. O autor é professor titular da Escola Panamericana de Arte, SP. JULIO LOUZADA, vol 1, pág 937; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

021 - GLAUCO RODRIGUES - (1929 - 2004)
LL " Praia da Ferradura " - ostcm - 34 x 41 - cid e d - 1977 - Búzios/RJ
Com etiqueta de Oscar Seraphico Galeria de Arte - Brasília/DF, no dorso. -Natural de Bagé, RS. Pintor, desenhista, gravador e programador visual. Frequentou a Escola de Belas Artes de Porto Alegre (1947). Radicando-se no Rio de Janeiro, participou com méritos na Divisão Moderna dos SNBA, de 1949, 1950 e 1951. Criou o Clube da Gravura de Porto Alegre, ao lado de Scliar, Vasco Prado, Danúbio Gonçalves e Glênio Bianchetti (1950). Participou ainda do I ao X SNAM e das edições da Bienal de São Paulo (entre 1959 e 1967). JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 269; MEC, vol. 4, págs. 90/91; PONTUAL, pág. 458; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 256/257; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 842; RGS, pág. 226. Acervo FIEO. -

022 - ARTUR BÁRRIO - (1945)
LL Composição - tm - 47 x 57 - cid - 1970
Nascido Artur Alípio Barrio de Souza Lopes, na cidade do Porto, Portugal, no dia 1 de fevereiro de 1945. Pintor e desenhista. Jovem ainda fixou-se no Rio de Janeiro. Frequentou a Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, recebendo orientação artística do prof. Onofre Penteado. Trabalha com materiais recicláveis (papel, plástico, etc). Em 1969 participou da seleção da representação para a VI Bienal dos Jovens em Paris, com Ivald Granato e Luis Pires. JULIO LOUZADA vol. 1 pág. 96; ITAU CULTURAL.

023 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX -
LL Nu - ost - 33 x 24 - cid ileg.

024 - FRANÇOIS MORELLET - (1926)
LL Composição - ser. 139/300 - 80 x 80 - cid
Artista contemporâneo francês, pintor, gravador e escultor que nasceu em Cholet. Vive e trabalha nessa cidade e em Paris. Foi um dos fundadores do grupo G.R.A.V. (Group de Recherche d’Art Visuel), de 1960 a 1968, junto com os artistas: Francisco Sobrino, Horacio Garcia Rossi , Julio Le Parc, Yvaral, Joël Stein, François e Vera Molnar. Também foi um dos organizadores do movimento internacional de arte cinética: "Nouvelle Tendance". Realizou muitas exposições individuais e participou de inúmeras coletivas, em galerias e museus desde 1950, em: Paris, inclusive no Museu do Louvre e D’Orsay; noutras cidades da França: Rennes, Angers, Cluny, Nantes, Saint Paul de Vence, Odeon, Chinon, Le Chateau d’Olonne, Grenoble, Istres, Nancy, Le Chateu Cambrésis; na Alemanha: Stuttgarg, Mainz, Ulm, Marl, Paderborn, Karlsruhe, Münster, Berlim, Bonn, Bremen, Hannover, Rhein, Otterndorf, Reutligen, Kassel (Documenta); na Holanda: Amsterdam, Einhoven; na Suiça: Zurique, Basel; na Itália: Milão, Veneza, Vince; na Bélgica: Gent; na Inglaterra: Birminghan, Newscasttle, Edinburgh, Sheffield, Cardiff, Southampton, Oxford, Leicester; na Dinamarca: Copenhague. Em 1975, aqui no Brasil, obteve o Prêmio Internacional de Pintura na Bienal Internacional de São Paulo. BENEZIT, VOL.7, PÁG. 533; artnet.com; artprice.com; francois-morellet.com; museedulouvre.org; brooklynmuseum.org; rioartecultura.com; fr.wikipedia.org.

025 - HOLMES NEVES - (1925 - 2008)
LL Peixe - ose - 16 x 22 - cid
Natural de Lima Duarte, MG. Pintor, desenhista e gravador. Fixou residência no Rio de Janeiro, após estudos com Guignard, Misabel Pedrosa e Edite Behring em Belo Horizonte. Sobre a sua obra, transcrevemos texto de Henrique Pongetti, na apresentação do artista no catálogo de sua mostra HOLMES Neves: pinturas, na Galeria de Arte e Pesquisa da UFES, 1978: ". . . Eu gosto muito da pintura de Holmes, dos seus quadros de Ouro Preto, motivo insistente e fascinante na sua obra. Se o tema e certa sutileza de feitura nos lembra o Mestre, há hoje na sua arte uma autonomia indiscutível, as marcas de uma inconfundível personalidade. Suas cidades mortas não surgem envoltas na melancolia acinzentada que parecia refletir nas paisagens a alma infantil e ao mesmo tempo infeliz de Guignard. Sobre a pátina do tempo suas casas e igrejas, transfiguradas pela luz montanhesa, recebem cores festivas, reconquistam a mocidade, revivem. " TEIXEIRA LEITE, pág. 352; JULIO LOUZADA, vol.10, pág. 425; ITAÚ CULTURAL; PONTUAL, pág. 383; Acervo FIEO.

026 - LUDWIG NEUBERT - (1846 - 1892)
LL Paisagem - osm - 30 x 60 - ci - 1873
Com carimbo de August Leuck - Munique, no dorso. -Pintor da Escola Alemã que nasceu em Leipzig, Alemanha e faleceu em Piena. Foi aluno de Max Schmidt e de Kalkreuth na Escola de Belas Artes de Weimar, Alemanha. Estudou também na Suíça, Itália e França. Fixou-se em Munique, Alemanha, onde sofreu influência de Böcklin. Possui obras em muitos museus da Europa. BENEZIT, VOL.7, PÁG. 692; ART NET; ART PRICE; www.askart.com.

027 - HÉRCULES BARSOTTI - (1914 - 2010)
LL Composição - grav. 7/20 - 45 x 45 - cid - 1990
Pintor, desenhista, programador visual, gravador, nascido em São Paulo, SP . Iniciou-se nas artes em 1926, estudando desenho e composição com o pintor Enrico Vio. Começa a pintar em 1940 e, na década seguinte, realiza as primeiras pinturas concretas, além de trabalhar como desenhista têxtil e projetar figurino para o teatro. Em 1954, com Willys de Castro, funda o Estúdio de Projetos Gráficos, elabora ilustrações para várias revistas e desenvolve estampas de tecidos produzidos em sua tecelagem. Na década de 1960, convidado por Ferreira Gullar (1931), integra-se ao Grupo Neoconcreto do Rio de Janeiro e participa das exposições de arte do grupo realizadas no Ministério da Educação e Cultura, no Rio de Janeiro, e no Museu de Arte Moderna de São Paulo - MAM/SP. Em 1960, expõe na mostra Konkrete Kunst [Arte Concreta], organizada por Max Bill, em Zurique. Hercules Barsotti explora a cor, as possibilidades dinâmicas da forma e utiliza formatos de quadros pouco usuais, como losangos, hexágonos, pentágonos e circunferências. Em sua obra a disposição dos campos de cor cria a ilusão de tridimensionalidade. Entre 1963 e 1965, colabora na fundação e participa do Grupo Novas Tendências, em São Paulo. Em 2004, o MAM/SP organiza uma retrospectiva do artista. JULIO LOUZADA, vol. 1, pag. 98; ITAU CULTURAL

028 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL Ex-voto - ast - 40 x 40 - cie e d - 2005
Natural de Carmópolis, SE. Pintor e desenhista. Radicado no Rio de Janeiro desde 1955. Em 1959 fez suas primeiras apresentações em coletivas. Estreou no SNAM, obtendo o prêmio de viagem ao exterior (1969). Pertencente àquele grupo de artistas que organizam seu trabalho em torno de valores culturais vindos da expressão popular, o artista assumiu como um dos temas de sua pintura a imagem do ex-voto., escultura religiosa de caráter popular e votivo. O ex-voto representa, para o artista, um ponto de partida na realização de uma paisagem brasileira sem conotações urbanas. É uma pintura em que o mundo dos homens é construído pelos homens e por suas criações. O artista empresta às figuras com que trabalha, os ex-votos, conotações de análise ideológica, e o faz sem palavras, apenas pela força da presença visual. Figurou em diversas coletivas nacionais e internacionais, conquistando prestigio de critica e público. MEC vol.3, pág.42; PONTUAL, pág. 330 e 331; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; Acervo FIEO.

029 - RODOLPHO AMOÊDO - (1857 - 1941)
LL Flores - ostcc - 35 x 27 - csd - 1896
Natural da cidade de Salvador, o artista chegou ao Rio de Janeiro no ano de 1868, ingressando, cinco anos depois, no Liceu de Artes e Ofícios e, em 1874, na Academia Imperial de Belas Artes, onde teria Vitor Meirelles, Agostinho da Mota e João Zeferino da Costa como mestres. Na Escola de Belas Artes de Paris, já estudante bolsista da Academia, aperfeiçoou-se com Cabanel e Puvis de Chavanes. De volta ao Rio de Janeiro, onde viria a falecer, destacou-se no exercício do magistério, como professor honorário e, posteriormente, como diretor da antiga Escola Nacional de Belas Artes. Dono de grande preciosismo técnico, Amoedo aborda com despojamento os mais delicados matizes nos seus temas, geralmente a figura humana. O MNBA possui em seu acervo mais de 300 obras do artista TEIXEIRA LEITE, 26/29; PONTUAL, pág. 24; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 411; ARTE NO BRASIL, pág. 566.; JULIO LOUZADA, VOL. 1 PÁGS. 58/59/60; F. ACQUARONE, pág. 101.

030 - ROLANDO NATAL SCURZIO - (1931 - 1998)
LL " Av. Tiradentes - São Paulo " - ose - 27 x 19 - cie e d - 1994
Pintor de tendência figurativa com temática que se extravasa em forte colorido expressionista. Estudou com o professor Mecozzi e com o mestre Arlindo Castellane di Carli. Participou de várias exposições e recebeu vários prêmios em 1978. No Salão Paulista de Belas Artes recebeu Menção Honrosa. JULIO LOUZADA, vol. 7, pág. 647, Acervo FIEO.

031 - LE CORBUSIER - (1887 - 1965)
LL Projeto - dn - 28 x 20 - cid - 1955
Arquiteto, pintor, gravador, escultor, projetista e escritor. Charles-Édouard Jeanneret nasceu em La Chaux-de-Fonds, Suíça, e faleceu em Roquebrune-Cap-Martin, França. Naturalizou-se francês em 1930. Embora aclamado como um dos maiores e mais influentes arquitetos do século XX, também ocupa lugar notável na história da pintura moderna. Junto com Amédée Ozenfant fundou o ‘Purismo’ e publicaram suas doutrinas estéticas. Adotou o pseudônimo Le Corbusier (derivado do nome de um de seus avós) em 1920, mas continuou a assinar suas pinturas como ‘Jeanneret’. Também produziu desenhos, ilustrações para livros, litogravuras, desenhos de tapeçaria, mobiliário e numerosos livros, panfletos e artigos. Esteve no Brasil dando conferências, em 1929 e 1936. Sua influência sobre o pensamento arquitetônico e urbanístico em todo o mundo foi enorme. BENEZIT VOL.6, PÁG.522; DICIONÁRIO OXFORD, PÁG.298; www.fondationlecorbusier.fr; www.centerlecorbusier.com artprice.com; artnet.com.

032 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Carnaval - g - 30 x 22 - ci
Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista. Realizou mais de cem mil desenhos, não se conhecendo um único ruim. Observador arguto, retratou com maestria e humor o cotidiano de sua cidade natal, da qual, consta, ausentou-se por duas únicas ocasiões. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646.

033 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato amarelo - ast - 55 x 46 - cie e d - 2001
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

034 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL " Saveiros " - a e g - 38 x 28 - cid
Reproduzido no livro " Bahia em Quinze Estampas por Noemia ". Acompanha o livro. -Pintora e desenhista. Assina Noemia. Realizou sua primeira individual em 1934, no Rio de Janeiro. Residiu na Europa de 1934 a 1940, frequentando em Paris as academias de la Grande Chaumière e Ranson. Expôs em Montevideu e Buenos Aires. Foi citada por REIS JUNIOR e TEODORO BRAGA. Foi aluna (1932) e mulher (1933) de Di Cavalcanti. MEC vol.3, pág. 265; WALMIR AYALA vol.2, pág.135; PONTUAL, pág. 375; TEIXEIRA LEITE, pág. 356; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 684. Acervo FIEO.

035 - RENOT - (1932)
LL " Baianas trabalhando " - tm - 23 x 16 - csd e d - 2010
Tapeceiro, desenhista e pintor baiano, ativo em São Paulo desde 1978, com diversas premiações, exposições e leilões. Também atua no mercado de arte como "marchand". JULIO LOUZADA vol.1, pág. 816, Acervo FIEO.

036 - CAMPOS AYRES - (1881 - 1944)
LL Entardecer - osm - 14 x 20 - cie
Natural de Itapetininga, SP, Campos Ayres foi pensionista do Estado de São Paulo para estudar em Paris a partir de 1909, com Henry Royer, Fleury e Laurens. No SPBA obteve prêmios e menções. Dedicou-se especialmente à pintura de paisagem. A PINACOTECA-SP, possui duas telas de sua autoria. Expôs individualmente em São Paulo, nos anos de 1930, 1933 e 1938, com muito sucesso de público e crítica. TEODORO BRAGA, pág. 63; REIS JR., pág. 368; MEC, vol. 1,pág. 41; PONTUAL, pág. 105; WALMIR AYALA, vol. 1,pág. 167; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO, pág. 11, RUTH TARASANTCHI.

037 - FERNANDO IKOMA - (1934)
LL Pescadores - ost - 50 x 70 - cid
Pintor e desenhista. Foi considerado um dos melhores desenhistas da América do Sul. Vive no Paraná. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 170; ITAÚ CULTURAL.

038 - SONIA DELAUNAY - (1885 - 1979)
LL Composição - a - 28 x 38 - cid
Nasceu na Ucrânia, Russia, e faleceu em Paris, França. Gravadora. Juntamente com o marido Robert Delaunay, produziu as decorações para a Exposição Universal de Paris (1937). Simone Frigério escreveu em 1985: " ... Sônia alcançou êxitos maravilhosos nas artes decorativas, no domínio da moda, como o fará, na mesma época, Raoul Dufy. Inventa vestidos de cores simultâneas..." Uma definição dos simultâneos por Sônia: "Nós dividimos as cores, ou antes, as nuances de cores, em quentes e frias. Partimos do elemento da cor pura e criamos planos, formas, profundezas, perspectivas unicamente com esse elemento, abolidas as linhas e o claro-escuro." Internacionais em 1981, em Portugal. JULIO LOUZADA, vol. 12, pág. 128

039 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Flores - osc - 48 x 33 - cie
Esta obra fez parte do acervo do Hotel Jaraguá - Sâo Paulo. -Pintor nascido na Itália. Mecatti radicou-se no Brasil em 1940, após trabalhar por vários anos na Tripolitânia, no norte da África. É notável pela estilização de suas figuras e paisagens concebidas, em tons baixos e obedientes a uma composição pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 161/2; MEC, vol. 3, pág. 109; PONTUAL, pág. 352; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 72; TEIXEIRA LEITE, pág. 320; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

040 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Coruja - m em ac - h = 12 - ass.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

041 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Rosto - grav. 54/100 - 32 x 24 - cid
Desenhista, gravador, ilustrador, pintor, escultor e professor, nasceu em São Simão, SP. Estuda fundição, mecânica e entalhe em madeira na Escola Profissional Masculina do Brás, SP. Passa a realizar xilogravuras a partir de 1943. Atua como ilustrador do Suplemento Literário do ‘Diário de São Paulo’, do ‘O Estado de S. Paulo’ e do ‘Jornal do Estado da Guanabara’. Quando reside no Rio de Janeiro, a partir de 1949, freqüenta os cursos de gravura em metal, com Henrique Oswald e de litografia, com Poty, no Liceu de Artes e Ofícios. Em Salvador (1952), trabalha com Mario Cravo Júnior. .Recebe o prêmio de viagem ao exterior do Salão Nacional de Arte Moderna (1953) e vai para a Academia de Artes Aplicadas, em Viena. Passa a dedicar-se principalmente ao desenho, à litografia e à gravura em metal. Em 1969, sua obra completa é adquirida pelo governo do Estado de São Paulo, passando a integrar o acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo . Em 1978, a casa em que nasceu, em São Simão, é transformada em museu e tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo - Condephaat. Participou de muitas exposições e das Bienais de: São Paulo (1951 a 1961, 1967, 1969, 1979, 1985, 1989); Veneza (1950, 1956, 1958, 1962); Paris (1959). Principais prêmios: Bienal de São Paulo (1951, 1955, 1957, 1959, 1967); Bienal de Veneza (1950, 1956, 1958,1962); Bienal de Paris (1959). PONTUAL, PÁG. 249; MEC, VOL. 2, PÁG. 281 E 282; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL.1, PÁG. 439; VOL. 5, PÁG. 453; VOL. 9, PÁG. 383.

042 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL " Paraty " - ost - 41 x 33 - cid
Italiano da Lombardia, PELLEGATTA foi pintor e gravador dedicado a temas sacros e casarios coloniais. Em sua obra, o ser humano é apresentado sempre de modo idealizado, na figura de ternas madonas, santos, coroinhas e cavaleiros. Participou de diversas coletivas e salões, a partir de 1957, recebendo premiações em sua maioria. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág.735; MEC vol.3, pág.363; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

043 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " Operários " - ose - 13 x 22 - cid - 1973
Estudou desenho na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro com Modesto Brocos, formando-se em arquitetura em 1932, nessa mesma escola. A partir de 1935, dedicou-se à pintura mural e, de 1937, à pintura de temas sociais, com predominância de motivos de operários em construção e trabalhadores rurais. Caracteriza-se por uma grande versatilidade técnica, sendo dos raros pintores brasileiros a utilizar, lado a lado, o óleo, a têmpera e a encáustica, além da aquarela e do guache. Participou do Núcleo Bernardelli. PONTUAL, pág. 489; MEC, vol. 4, pág. 243; TEIXEIRA LEITE, pág. 475 e 476; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 324 a 327; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763, Acervo FIEO.

044 - YAACOOV AGAM - (1928)
LL Composição - ser. 10/99 - 34 x 28 - cid
Pintor, escultor e professor, natural de Rishon-le-Zion, Israel. Cursou, em Jerusalém, a Escola de Arte de Bezalel. Depois de ter sido preso, em 1945, pelos ingleses, viaja pela Europa e Estados Unidos. Na Suíça, foi aluno de S. Giedion e Johannes Itten. Em 1951, fixa-se em Paris onde freqüenta o Ateliê de Arte Abstrata e a Academia da “Grande Chaumière”. Na década 60 viaja aos Estados Unidos para ministrar aulas e conferências. Exposições individuais: Paris (1953, 1956, 2002, 2003, 2007); Israel (1956); Bélgica (1958); Inglaterra (1959); Suíça (1962, 2004); Estados Unidos (1966, 1999). Muitas foram as exposições oficiais e coletivas, com destaque: Paris (1955, 1967); São Paulo, SP (1963 – Bienal Internacional). Possui obras em Museus da Alemanha, França, Holanda, Israel, e Estados Unidos. Dentre suas realizações monumentais, pode-se citar: o teto do Centro de Convenções de Jerusalém e um Salão do Palácio de “Elysée”, Paris. BENEZIT, VOL.1, PÁG.51; www.artprice.com.

045 - ROBERTO DE ALMEIDA - (1940)
LL No circo - ost - 33 x 41 - cie - 1971
Pernambucano do Recife, este artista foi aluno do curso regular da Escola de Belas Artes da Universidade de Munique, Alemanha. Em 1964 participa da fundação do Atelier e Galeria do Mercado da Ribeira, em Olinda, onde também lecionava História da arte. Exposições individuais e coletivas no Rio de Janeiro e coletivas em Salvador e Recife. JULIO LOUZADA, vol.1 pág. 51.

046 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato - dn e a - 31 x 26 - cie - 1969
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

047 - OSCAR PEREIRA DA SILVA - (1867 - 1939)
LL Descascando frutas - a - 30 x 22 - cie - 1935
Grande pintor brasileiro; prêmio de viagem à Europa em 1889, aperfeiçoou-se em Paris com Gérome e Leon Bonnat. "Sem ter revelado impulsos vigorosos que lhe evidenciassem poder emotivo, Oscar Pereira da Silva soube manter no transcorrer de bem cinquenta e sete anos de produção permanente e intensa, desde que retornou ao país, em 1896, todo o cuidado de um desenho severamente elaborado, sem num só instante voltar-se para o novo semblante que a pintura adquiria nessa transposição de tempo. " Quirino Campofiorito, in CAMPOFIORITO, Quirino. História da Pintura Brasileira no Século XIX. Ed.Pinakotheke-SP, 1983. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs. 245/281; TEODORO BRAGA, pág. 177/8; LAUDELINO FREIRE, pág. 383; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 185; MEC, vol. 4, pág.277; PONTUAL, pág. 419; TEIXEIRA LEITE, pág. 402; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 437; ARTE NO BRASIL, pág. 553, Acervo FIEO; F. ACQUARONE, pág. 187, RUTH TARASANTCHI.

048 - MARIA LEONTINA - (1917 - 1984)
LL Lençóis - p - 27 x 40 - cid
Aluna de Waldemar da Costa, Maria Leontina é uma pintora que conquista o espectador pela finura de seus acostamentos cromáticos. Em 1947, integrava o Grupo dos 19, e, nos anos "50", passou por interessante fase geométrica. MEC, vol. 2, pág. 471; TEIXEIRA LEITE, pág. 309; PONTUAL, pág. 338; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 772; LEONOR AMARANTE, pág. 25; WALTER ZANINI, pág. 645.

049 - CARLOS SÖRENSEN - (1928 - 2008)
LL " Homenagem a Dufy " - enc. s/t - 50 x 40 - cid e d
Com certificado de autenticidade firmado pelo autor. -Paulista de Baurú, Sorensen fez importantes estudos em Paris, onde a convite do governo francês, freqüenta o ateliê de André Lhote, onde conhece Picasso, Roonet e Fernand Léger e no ano seguinte freqüenta a Escola Superior de Belas Artes-Paris, estudando com Gleizes e André Lhote(1952-1953). Foi artista de múltiplas atividades, ceramista, tapeceiro, cenógrafo, ilustrador, arquiteto, designer e pintor, com sucesso de crítica e de público. Citado em Delta Larouse/1970, pág. 6406; MEC vol.4, pág. 309; PONTUAL, pág. 500, WALMIR AYALA vol.2, pág.347; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 306; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

050 - TITO DE ALENCASTRO - (1934 - 1999)
LL Figura e pássaro - ost - 120 x 100 - cid e d - 1998
Pintor, desenhista, gravador e mosaicista, radicou-se em 1961 em São Paulo, após ter estudado no Rio de Janeiro com Abelardo Zaluar, José Morais e Johnny Friedlaender. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 29; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 6; PONTUAL, pág. 14; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

051 - MIRA SCHENDEL - (1918 - 1988)
LL Composição - mon. - 46 x 22 - cid - 1964
Reproduzido sob o n.° 75 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Suíça, Mira imigrou para o Brasil em 1949, fixando-se inicialmente em Porto Alegre, onde fez pinturas e esculturas em cerâmica, nas quais assinava Mirra Hargesheimer, seu nome de casada. Realizou a sua primeira exposição individual, em 1952. Expôs em 1954 em São Paulo (MAM), para onde se transferiu. Participou de diversos salões, tais como o SPAM e Bienais de São Paulo, Córdoba e Veneza, obtendo premiações. A principio exclusivamente desenhista, com a utilização de signos, índices e símbolos, dedicou-se posteriormente à pintura, dentro da vertente minimalista que norteou toda a sua carreira. TEIXEIRA LEITE, pág. 464; JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 304; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 688; LEONOR AMARANTE, pág. 187.

052 - NERÃO - (ANTONIO JOAQUIM NERY) - (1903 - 1997)
LL " A fé " - ost - 46 x 38 - cid - 1987
Pintor primitivo, de singular criatividade em seus temas, expôs no MASP, tendo sido apresentado em catálogo pelo saudoso P. M. Bardi, que o considerava depois de José Antonio da Silva, o melhor pintor primitivo brasileiro,tendo inclusive realizado uma exposição individual do autor no MASP - SP. JULIO LOUZADA, vol. 2 pág. 715, Acervo FIEO.

053 - ALUISIO CARVÃO - (1920 - 2001)
LL Composição - dn - 25 x 18 - cid
Importante pintor, escultor, Ilustrador, ator e cenógrafo brasileiro, natural de Belém-PA. Em 1952 estuda pintura com Ivan Serpa, no MAM-RJ, participando, entre 1954 e 1956, Grupo Frente e, entre 1960 e 1961, integra o Grupo Neoconcreto. Nos anos seguintes viaja para a Europa com o prêmio de viagem recebido no SNAM-RJ. No fim dos anos 60 passa a empregar materiais não tradicionais, como tampinhas metálicas de garrafa, pregos e barbante agrupados em suportes de madeira. Em 1996 ocorre retrospectiva de sua obra no Museu Metropolitano de Arte, em Curitiba, no Museu de Arte Moderna - MAM/BA e no MAM/RJ. "A preocupação inicial de Aluísio Carvão era com a forma: reduzir a obra a estruturas elementares, gestálticas. A partir da dissidência neoconcreta, da qual fez parte, é a cor que irá se impor, envolvendo a estrutura, ou melhor, a cor é, ela mesma, espaço. Carvão não é um pintor metafísico. Através da cor ele revela sua relação sensual com o mundo. Como ele diz: ´Vermelhos-guarás, araras, aroma das flores de manacá, o som do vento terral, o calor equatorial, o amarelo-laranja do sol, ressonâncias atávicas de Van Gogh e Mondrian, em trânsito pela Península Ibérica, Nordeste, Amazônia e nosso litoral daqui´. Nas pinturas da ´série cromativa´ ou no ´cubocor´ da fase neoconcreta, Carvão dá à cor sua máxima concretude e fisicalidade, mas, feito isto, ocorre a retração da cor, que se mutiplica em complementares, abrindo caminho para a caracterização como espaço lírico, território da memória. Sua linguagem e seus motivos são aéreos: sóis, luas, pipas, bandeirolas, mastros, arcos. Enfim, são formas que voam e ascendem, sem contudo perder o vínculo com a terra. " Frederico Morais, in MORAIS, Frederico. Vertente construtiva. In: DACOLEÇÃO: os caminhos da arte brasileira. São Paulo: Júlio Bogoricin, 1986. p. 131-132. JULIO LOUZADA, vol. 5 pág. 210/211; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, 655; LEONOR AMARANTE, 75; ARTE NO BRASIL, 921; Acervo FIEO.

054 - JOAO HENRIQUE - (1935)
LL Floresta - g - 38 x 56 - cid e d - 1965
João Henrique Cursio Allemand, pintor e desenhista autodidata, nasceu em Muqui, ES. Em 1952 transferiu-se para o Rio de Janeiro. A partir de 1965 começa a apresentar seus trabalhos em mostras coletivas e, em 1978, instala um ateliê em Cabo Frio, RJ. Exposições individuais: Rio de Janeiro (1967, 1973, 1978); Brasília, DF (1972, 1979); Curitiba, PR (1975); Porto Alegre, RS (1981, 1983); Roma, Itália (2010); Cachoeiro do Itapemirim, ES (2010). Coletivas: Rio de Janeiro (1965, 1968); São Paulo (1972). JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG.497; VOL.3, PÁG.549; MEC VOL.2, PÁG.336; ITAU CULTURAL; ww.gazetaonline.globo.com.

055 - MESTRE DEZINHO - (1917)
LL Anjo - e em mad. - h = 102 - ass. - Teresina
José Alves de Oliveira nasceu em Valença, Piauí. Começou sua vida como carpinteiro e passou a se dedicar à escultura, depois de esculpir muitos ex-votos em madeira, quando se mudou para Teresina. Entre outras, esculpiu as peças da Igreja Vermelha, em Teresina. Participou de várias exposições coletivas em: São Paulo (1974 - Bienal Nacional, 1975 - Bienal Internacional, 1982 - MASP, 1991); Penápolis, SP (1980, 1982); Brasília, DF (1999).

056 - CYLENE BITTENCOURT - (1929)
LL " Tapeceira de Diamantina " - ost - 55 x 46 - cid e d - 1980
Pintora e desenhista carioca estudou de 1946 a 1950 com Carlos Chambelland, e de 1950 a 1955 na Escola de Belas Artes Dom Henrique Cavalleiro. Residiu em Paris de 1958 a 1968, ali se dedicando ao desenho industrial, com padrões de tecidos para firmas da França e Itália. Só recomeçou a pintar em 1974, passando por uma fase abstrata, antes de encenar de novo o figurativismo com nús, bailarinas, crianças. Após uma série de banhistas, em 1976, assumiu sua temática, atual, onde preponderam artesãs, operárias, gente humilde que usa as mãos para criar. JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 128.

057 - SERGIO TELLES - (1936)
LL Cavalos na Pracinha - ost - 38 x 55 - cie - 1986
Reproduzido sob o nº 306 em catálogo de leilão de Soraia Cals - Rio de Janeiro. -Pintor, professor e diplomata, estudou pintura na ENBA/Rio; foi discípulo de Levino Fanzeres, Paul Gagarin, Rodolpho Chambelland e Paschoal Valente. Artista de renome internacional, consagrou-se pela sua requintada técnica de composição e domínio da cor. Com exposição retrospectiva programada para o Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro em 2009. TEIXEIRA LEITE, pág. 503; MEC, vol. 4, pág. 380; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 319; ITAÚ CULTURAL. Acervo FIEO.

058 - LUIS PAULO BARAVELLI - (1942)
LL " Mulher com paisagem " - ast - 112 x 80 - n/as. - 1988
Com etiqueta da Galeria São Paulo, no dorso. -Paulistano, BARAVELLI é pintor, desenhista, escultor, arquiteto e artista gráfico, formado em desenho e pintura na FAAP-SP, e em arquitetura na USP. Aperfeiçoou-se em pintura com Wesley Duke Lee. Fundos a Escola de Arte Brasil, juntamente com Carlos Alberto Fajardo, José Resende e Frederico Nasser. É um pesquisador de múltiplas técnicas e materiais, desde o desenho e a pintura até a escultura e o objeto, desde o ferro e a madeira até o acrílico e a fórmica. É artista contemporâneo de expressão e reconhecimento da crítica especializada. JULIO LOUZADA vol.2, pág. 98; TEIXEIRA LEITE, pág. 55; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 908; LEONOR AMARANTE, pág. 154; Acervo FIEO.

059 - ANTONIO PETICOV - (1946)
LL Futebol - p e g - 65 x 47 - cid - 2006
Nasceu em Assis, SP. Desenhista, gravador e escultor. Autodidata. Integra os movimentos movimentos artísticos de vanguarda da segunda metade da década de 60. De produção diversificada, segue tendências variadas das vanguardas artísticas internacionais das últimas décadas. Participa de várias exposições entre elas, Bienal Internacional de São Paulo, 1967, 1969 e 1989; Panorama da Pintura Brasileira, no MAM/SP, São Paulo, 1983; Destaques da Arte Contemporânea Brasileira, no MAM/SP, 1985; Bienal Brasileira de Design, Curitiba, 1990; OFF Bienal, no MuBE, São Paulo, 1996; Arte Suporte Computador, na Casa das Rosas, São Paulo, 1997. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 757/758; WALTER ZANINI, pág. 760; LEONOR AMARANTE, pág. 185. Acervo FIEO.

060 - YOSHIYA TAKAOKA - (1909 - 1978)
LL Senhora - ost - 61 x 50 - csd - 1957
Pintor e desenhista nascido em Tóquio, Japão, veio para o Brasil em 1925, fixando-se no interior de São Paulo, trabalhando na lavoura. Mudou-se para São Paulo, onde ganhava a vida vendendo pastéis, fazendo caricaturas e como pintor de paredes. Foi aluno de Bruno Lechowsky no Rio de Janeiro. Foi um dos fundadores do Grupo Seibi, que reuniu artistas plásticos da colônia japonesa em São Paulo (1935). Fundou em 1948, juntamente com Geraldo de Barros e Antonio Carelli, o Grupo dos Quinze. Viveu em Paris de 1952 a 1953, estudando técnica de mosaico; Freqüentou o Núcleo Bernardelli, onde se ligou de amizade a Pancetti. Participou de diversos salões e exposições, nacionais e estrangeiras, recebendo diversas premiações. PONTUAL, pág. 510; TEIXEIRA LEITE, pág. 490; MEC, vol. 4, pág. 352; TEODORO BRAGA, pág. 220; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 361; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL.

061 - ARCÂNGELO IANELLI - (1922 - 2009)
LL Composição - p - 50 x 37 - cid - 1982
Com certificado do Instituto Arcângelo Ianelli. -Pintor, fez aprendizado de pintura com Valdemar da Costa, em São Paulo, a partir de 1942. Participou de diversos Salões no País, e no exterior, obtenções várias e importantes premiações. Seus trabalhos fazem parte do acervo de museus e coleções particulares no mundo todo. Inicialmente figurativo, passou a abstracionismo, trabalhando com blocos cromáticos distribuídos com certo rigor construtivo sobre o espaço plano. A seu respeito, disse o crítico Enrico Crispolti, em 1966: " Mas quais são, então, os temas expressivos próprios da pintura de Ianelli? Ele mesmo, falando-me de experiências já distantes, recorda-me anos de um naturalismo sumário pela vontade de síntese, sublinhado como hoje são propostos em sua pintura horizontes muito diferentes. Creio, no entanto, que uma matriz naturalista preside o intenso lirismo dessa telas recentes de Ianelli (...) ". PONTUAL, pág. 358; MEC vol.3, pág. 345; WALTER ZANINI, pág. 644; ARTE NO BRASIL, pág. 798; LEONOR AMARANTE, pág. 218. Acervo FIEO.

062 - HARRY ELSAS - (1925 - 1994)
LL Músicos - ost - 60 x 80 - cid - 1988
Nascido na Alemanha e radicado no Brasil desde 1936, Elsas desenvolveu suas aptidões artísticas com Lasar Segall, que muito o incentivou a ingressar na carreira das artes. Permaneceu no Nordeste brasileiro por oito anos, retratando com maestria e singularidade paisagens e aspectos da vida local, sempre com influência renascentista, com cor e desenhos fortíssimos. Participou de coletivas no Brasil e no exterior a partir de 1962, com excelente repercussão. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 99. MEC, vol, 2, pág, 111; TEIXEIRA LEITE, pág 176; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

063 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Paisagem - osm - 22 x 30 - cid ileg.

064 - GUSTAVO ROSA - (1946)
LL Cavaleiro - ose - 44 x 29 - cid
Grande pintor paulistano, ganhador de muitos prêmios em Salões Oficiais. Tem exposto regularmente no Brasil e no exterior com grande sucesso. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 274; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

065 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Surreal - ost - 25 x 60 - cid - 1967
Com dedicatória a Juca Chaves. -Pioneiro do surrealismo, o qual praticava desde que chegou ao Brasil, em 1937, fixando residência em São Paulo. Participou de Salões Nacionais e Bienais de São Paulo, entre 1951 e 1965, recebendo diversas premiações oficiais. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 497; MEC, vol. 2, pág. 474; TEODORO BRAGA, pág. 245; TEIXEIRA LEITE, pág. 286; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 630; LEONOR AMARANTE, pág. 142; Acervo FIEO.

066 - BONAVENTURA CARIOLATO - (1894 - 1989)
LL " Festa na aldeia " - a - 34 x 40 - cie - 1965 - Franca
Radicado em São Paulo, este excelente pintor participou ativamente de salões oficiais e de outros realizados periodicamentre, obtendo prêmios significativos no SPBA (menção honrosa em 1934 e medalha de bronze, em 1941). JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 211

067 - JOSÉ JOAQUIM MONTEIRO FRANÇA - (1875 - 1944)
LL Paisagem - osm - 22 x 31 - cid
Com etiqueta do atelier de restauração de Ruth Sprung Tarasantchi, no dorso. -Natural de Pindamonhangaba SP, onde nasceu em 21 de outubro e falecido nesta Capital, SP, em 24 de março. No Rio de Janeiro, foi aluno de Henrique Bernardelli e de Bérard na ENBA. Na Europa, onde passou parte de sua vida artística, decorou em 1906, o Pavilhão do Brasil na Exposição Internacional em Turin, Itália. "(...) Monteiro França dedica-se à análise de sua sensação visual, levando-a a um altíssimo grau de intensidade colorida, de maneira que cor e forma constituem um todo. A aplicação da massa em toques horizontais e verticais, a estilização geométrica dos volumes na estrutura interna dos planos revelam a longínqua influência de Cézanne, profundo renovador da pintura mundial nas primeiras décadas do século XX". Dominique Edouard Baechler, in Pintura acadêmica: Pintura de gênero: obras primas de uma coleção paulista : 1860-1920. São Paulo: Imprensa Oficial, 1982. LAUDELINO FREIRE, pág. 513; TEODORO BRAGA, pág. 164; REIS JUNIOR, pág. 366; MAYER/84, pág. 1040; MEC, vol. 1, pág. 643; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.216; ITAÚ CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 332.

068 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Composição - dn e a - 16 x 22 - cid - 1962
Com etiqueta da Exposição do artista, com curadoria de Roberto Galvão, realizada no Espaço Cultural Correios - Fortaleza/CE. -Grande pintor brasileiro, nascido em Fortaleza, Ceará e falecido em Paris onde viveu a maior parte de sua curta e rica vida. Começando figurativo, num estilo expressionista, adotou, já em França, um não figurativismo lírico, algo à maneira do grande Wols, seu amigo que iria manter até o precoce fim. É um dos pioneiros da arte abstrata no Brasil. BENEZIT, vol.1, pág.415; MEYER/87, pág.606; MEC, vol.1, págs.159,160 e 167; PONTUAL, págs. 48 e 49; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 71 a 74; TEIXEIRA LEITE, pág. 52 a 54; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 599; LEONOR AMARANTE, pág. 34; Acervo FIEO.

069 - ANA ANDRADE - (1953)
LL " Paisagem " - ost - 46 x 55 - cid
Ana Cristina Andrade Moreira é pintora, gravadora, desenhista, professora e designer vidreira. Iniciou sua formação artística na Escola Superior de Arte Santa Marcelina, SP (1972-1975). Aprendeu gravura em metal (1980-1990) com Iole Di Natale; técnicas de gravura na Scuola Internazionale di Gráfica em Veneza, Itália (1983); Gravura Especial com Evandro Carlos Jardim, no MAC-SP (1991); Técnica Calcográfica Experimental com Mario Benedetti, na FASM-SP (1997); Vitrofusão com Roberto Bonino. Exposições individuais: São Paulo, SP (1984, 1987, 1995, 2003); Bauru, SP (1989); “Projeto Interior com Arte” – Museu Banespa (1998 – Exposição itinerante pelo interior do Estado de São Paulo). Coletivas: Epinal, França (1975); São Paulo, SP (1974,1982,1984,1985,1986,1988,1994,1995,2000,2002 a 2004); Santo André,SP (1982); Novo Hamburgo, RS (1982); Taiwan, China (1983,1985); San Juan, Porto Rico (1983); Santos, SP (1983); Cabo Frio, RJ (1983); Ribeirão Preto,SP (1984); Curitiba, PR (1984); Piracicaba,SP (1984); Veneza, Itália (1984,1985); Campinas, SP (1985); São José do Rio Preto, SP (1986); Limeira, SP (1986); Washington D.C.,EUA (1991); Campos do Jordão, SP (1991); Kanagawa, Japão (1992); Maastricht, Holanda (1993); Illinois, EUA (1994); Cidade do México, México (1996); Jacareí, SP (1998); Budapeste, Hungria (1996); Uzice, Yuguslávia (1997); Ourense, Espanha (1994,2006). Prêmios: São Paulo, SP (1974); Novo Hamburgo, RS (1982); Santos, SP (1983); Ribeirão Preto, SP (1984); Curitiba, PR (1984); Piracicaba, SP (1984); Campinas, SP (1985); São José do Rio Preto, SP (1986). JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 62; vol.2, pág. 66; Acervo FIEO. ITAU CULTURAL.

070 - HEINZ KUHN - (1908 - 1987)
LL Composição - tsc - 37 x 46 - ci - 1958
Com etiqueta de Paulo Figueiredo Galeria de Arte - Sâo Paulo, no dorso. -Nasceu em Berlim, Alemanha, e faleceu em São Paulo-SP. Inicia seus estudos em sua terra natal, expondo obras na Alemanha e na França. No Brasil em 1950, fixa-se em São Paulo. Nesse período sua pintura é figurativa, voltando-se aos poucos, para a abstração geométrica. Theon Spanudis considerava o autor como "um dos pintores mais conscientes, inquietos e produtivos de São Paulo (1964)". A partir dos anos 60 sua pintura se move no âmbito da abstração informal, com eventuais referências ao mundo real. Obra de sua autoria faz parte da Coleção Adolpho Leirner, participando do livro Arte Construtiva no Brasil, de Aracy Amaral (pág. 193) MEC, vol. 2 pág. 430; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 688.

071 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 12 x 18 - cie
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. -Monstro sagrado da pintura brasileira, Tarsila é a criadora de duas das principais tendências ou movimentos de nossa arte nacionalista: o Pau Brasil (1924) e o Antropofagia. Sua arte poderia ser definida como um Cubismo adaptado às condições e ao temperamento brasileiros. TEODORO BRAGA, págs. 220/21/22/23; REIS JR.-págs.388/89 ; WALMIR AYALA, vol. 2-págs. 365 e 367 ; MEC, vol. 4-págs. 370/71; PONTUAL, pág. 511; TEIXEIRA LEITE, pág. 492; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 389; ARTE NO BRASIL, pág. 577; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

072 - HÉLIOS SEELINGER - (1878 - 1965)
LL Paisagem - g - 31 x 26 - cie - 1939 - Rio
Natural do Rio de Janeiro, seu pai era alemão e sua mãe brasileira, descendentes de franceses e gregos. O artista estudou na ENBA (1892-1896), onde foi aluno de Henrique Bernardelli. Recebeu influência do artista alemão Franz von Stuck, na Academia de Belas Artes de Munique, onde ali foram seus contemporâneos Kandinsky, Paul Klee e Franz Marc. SEELINGER decorou o salão nobre do Clube Naval do Rio de Janeiro, a convite do Ministério do Marinha (1910). PONTUAL, pág.481; TEIXEIRA LEITE, pág. 466; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 431; ARTE NO BRASIL, pág. 574.

073 - JOSÉ GAMARRA - (1934)
LL Composição - ost - 39 x 31 - cie - 1968
Pintor, gravador e professor uruguaio, nascido em Tacuarembó, Uruguai. Estudou na Escola de Belas Artes de seu País, vindo para o Brasil em 1959. Foi aluno de Friedlaender, no MAM-RJ, e de Iberê Camargo, no Rio. Após breve retorno ao seu País, fixou residência em Paris. Como representante de seu País, concorreu à Bienal de São Paulo, em 1963. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 446

074 - INOS CORRADIN - (1929)
LL Mulher - ost - 100 x 50 - cid - 1967
Um dos valores da pintura em São Paulo. Corradin expôs com frequência na Europa e nos Estados Unidos, onde seus quadros são muito apreciados. Também tem se dedicado com igual talento e sucesso a escultura. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 152; PONTUAL, pág. 143; MEC, vol. 1, pág. 448; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 215; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

075 - MESTRE NOZA - (1897 - 1983)
LL Caipira - e em mad. - h = 39 - b
Gravador, escultor e santeiro, Inocêncio Medeiros da Costa ou Inocêncio da Costa Nick nasceu em Taquaritinga do Norte, PE e faleceu em São Paulo, SP. Por volta de 1910, foi para Juazeiro do Norte, CE, onde freqüentou a oficina do mestre-escultor José Domingos. Foi soldado da polícia, funcionário de estrada de ferro, funileiro e gravou rótulos para marcas de aguardente. A partir de 1930 dedicou-se à xilogravura e à escultura de imagens de santos em madeira. Em 1965, um álbum contendo gravuras de sua autoria, da série Via Sacra, foi publicado em Paris, com apresentação do gravador Sérvulo Esmeraldo. Participou de diversas exposições em Crato, Recife, Rio de Janeiro e Paris com esculturas e xilogravuras. Exposições póstumas: Curitiba (1984); São Paulo (1985 – 18ª Bienal Internacional, 1994, 1998, 2000 – Mostra do Redescobrimento, 2004); João Pessoa (1993); Juazeiro do Norte (1997); Brasília (2001); Penápolis (2001); Rio de Janeiro (2005). ITAU CULTURAL; PONTUAL, pág. 387; MEC, vol. 3, pág. 268; http://www.fundaj.gov.br.

076 - JEAN LÉON PALLIERE - (1823 - 1887)
LL Estudo - dl e a - 12 x 14 - cid
Jean Leon Pallière Grandjean Ferreira nasceu no Rio de Janeiro e faleceu em Paris. Pintor, desenhista, gravador, professor e decorador, filho do pintor Armand Julien Pallière e neto do arquiteto Grandjean de Montigny. Mudou-se para Paris em 1830, cidade em que iniciou o aprendizado artístico freqüentando o ateliê do pintor François-Edouard Picot e Lenepveu. Em 1848, retornou ao Rio de Janeiro, estudou na Academia Imperial de Belas Artes (Aiba) e, no ano seguinte, recebeu o prêmio viagem ao exterior. Em 1850, viajou para Roma e estudou na Academia de França. Prolongou sua estada na Europa e freqüentou curso de gravura em Paris, em 1853. De volta ao Brasil, em 1855, Pallière realizou a série Alegoria das Artes Plásticas para o teto da biblioteca da Aiba (hoje está no MNBA), no Rio de Janeiro. No ano seguinte, mudou-se para Buenos Aires, onde lecionou desenho na ‘Escuela Normal del Colegio de Huérfanos’, e, dois anos mais tarde, foi para o Chile. No início da década de 1860, percorreu o litoral brasileiro, visitando Bahia, Rio de Janeiro, Paraná e Santa Catarina. Em 1864, publicou o Álbum ‘Pallière. Escenas Americanas. Reducción de Cuadros, Aquarelles y Bosquejos’, composto de cerca de 50 litografias de trabalhos realizados em suas viagens.. Em 1866, mudou-se para Paris e até 1882, participou de diversas edições do Salão de Paris onde, em 1876, recebeu Menção Honrosa. Diversas exposições póstumas foram realizadas no: Rio de Janeiro (1943, 1948); São Paulo (1953, 1991, 2002); EUA (1966); Curitiba, PR (1966, 1990). BENEZIT VOL. 8, PÁG.93; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG.709; VOL.4, PÁG. 847; PONTUAL PÁG. 402; ITAU CULTURAL.

077 - LEOPOLDO RAIMO - (1912 - 2001)
LL Composição - g - 32 x 26 - cid - 1959
Pintor e gravador, nascido em Botucatu/SP, com diversas participações em Salões e Exposições, tais como: Salão Paulista de Arte Moderna, Salão Baiano de Belas Artes, Bienal de São Paulo e Salão Nacional de Arte Moderna, entre outros. MEC. VOL. 4, PÁG. 22

078 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL Paisagem - p - 23 x 18 - cid - 1942
Fez parte da Família Artística Paulista, grupo com o qual expôs. Notáveis foram suas paisagens, tendo José Geraldo Vieira afirmado ser ele "o pintor da paisagem paulistana". MEC, vol. 4, pág. 531; PONTUAL, pág. 557; TEODORO BRAGA, pág. 250; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 451; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 778; LEONOR AMARANTE, pág.38; Acervo FIEO.

079 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL " Descanso do dia " - osp - 21 x 28 - cie - 1980
Considerado por muitos críticos e colecionadores como o mais típico dos nossos pintores ingênuos, Silva foi o intérprete da cena rural de São Paulo, num estilo expontâneo em que assomam, por vezes, soluções plásticas inesperadas. MEC, vol. 4, pág. 256; PONTUAL, pág. 493 e 494; TEIXEIRA LEITE, pág. 478; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 958; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 958; BENEZIT, vol. 9, pág. 602; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 227; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 171; Acervo FIEO.

080 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Casario - osc - 25 x 36 - cid - 1961
Com etiqueta de Dan Galeria - São Paulo, no dorso. - Reproduzido no convite deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 12/02/2011.Estudou com Pedro Alexandrino (1923 a 1928) e aperfeiçoou-se na Itália. Integrou o Grupo Santa Helena, com Rebolo, Zanini, Rosa, Graciano, Pennacchi (1935) e participando em 1937 de exposições da Família Artística Paulista. Pintou paisagens e naturezas mortas, com composição estruturada no cubismo. MEC, vol. 1, pág. 247; PONTUAL, págs. 78/79; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1041; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 258; TEIXEIRA LEITE, pág. 79; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; LEONOR AMARANTE, pág. 72; Acervo FIEO.

081 - VICTOR VASARELY - (1908 - 1997)
LL Composição - ser. P.A. 9/10 - 50 x 50 - cid
Natural de Pecs, Hungria, onde nasceu a 9 de abril de 1908. Pintor e gravador, viveu em Paris desde 1930, naturalizando-se frânces em 1961. Iniciou-se na Academia de Padolini-Volkmann, Hungria, filiando-se à Bauhaus de Budapest. Mestre da pesquisa abastrata, é tido como continuador do espírito que moveu as realizações da Bauhaus, de de Albers e de Moholy Nagy. Deu um impulso excepcional à arte ótica, pela qualidade de suas realizações. Expôs individualmente em Paris, Bruxelas, Copenhagen, Estocolmo e outros grandes centros culturais europeus. WALTER ZANINI, pág. 664; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 1024; LEONOR AMARANTE, pág. 137;

082 - ESCOLA EUROPÉIA, SÉC.XIX -
LL Paisagem - osc - 15 x 23 - cid ileg.

083 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
LL Composição - dn - 25 x 38 - cid
Pintor, arquiteto-paisagista, desenhista, decorador, artesão de jóias, tapeceiro e litógrafo, nascido em São Paulo-SP. Em 1913 muda-se com a família para o Rio de Janeiro, estudando arquitetura a partir de 1927 na antiga Escola Nacional de Belas Artes. A partir de 1931 trava conhecimento e desfruta da amizade dos modernistas, como Mario de Andrade, Anibal Machado, Guignard, Murilo Mendes, Tarsila, Oswald de Andrade, entre outros. Artista de méritos, ocupa lugar de destaque na cultura nacional. PONTUAL, pág. 94; TEIXEIRA LEITE, pág. 93; MEC. vol.1, pág.303; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.564; ARTE NO BRASIL, pág. 738; LEONOR AMARANTE, pág. 98.

084 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX -
LL Paisagem - ost - 40 x 50 - cid ileg.

085 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL Ouro Preto - osm - 33 x 41 - cid - 1935
Esse grande pintor brasileiro, que estudou com Marques Júnior na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro, ingressando em seguida no Núcleo Bernardelli, onde se ligou de amizade a Pancetti, é hoje glória nacional. Sua carreira atravessou várias fases, desde a de cunho figurativo da déc. 30, ao construtivismo dos anos 50, para atingir afinal o figurativismo, das Vênus e Pássaros, passando pelas figuras esquematizadas da década de 1940. TEODORO BRAGA, pág. 163; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 229; MEC, vol. 2, pág. 13; BENEZIT, vol. 3, pág.315; ITAU CULTURAL; PONTUAL, pág. 155; WALTER ZANINI, pág. 573; ARTE NO BRASIL, pág. 763; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

086 - RUDOLF WEIGEL - (1939)
LL Paisagem - ost - 50 x 70 - cid
Pintor austríaco radicado no Brasil pintou com maestria as cidades de Olinda, Ouro Preto, Salvador, Angra dos Reis e outras, sempre fiel a sua temática do Brasil antigo. MEC vol. 4, pág. 505. JÚLIO LOUZADA vol.11, pág. 343.

087 - HEITOR DOS PRAZERES - (1898 - 1966)
LL Jogando peteca - ose - 30 x 40 - cid
Com autenticação da família do artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho, no dorso. -Compositor e pintor, iniciou-se na pintura em 1937. São seus temas preferidos o samba, favelas cariocas, mulatas e malandros. Participou da I Bienal de SP (1951), sendo nela premiado. Mostrou a sua obra em diversas exposições, no Brasil e no exterior. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.247; MEC. Vol.3, pág.400; WALMIR AYALA. Vol.2, pág.194; TEIXEIRA LEITE, pág.408; PONTUAL, pag.439; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.810; LEONOR AMARANTE, pág. 266; 673; Acervo FIEO.

088 - RENINA KATZ - (1925)
LL Árvores - a - 30 x 12 - cid
Pintora, gravadora e professora, Renina Katz é paulista. Sua arte é dominada pelo vigor e pela imaginação. MEC vol.2, pág.403/4; PONTUAL, pág. 288/9; WALMIR AYALA vol.1, pág.441; JULIO LOUZADA vol.11, pág.262; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 606; ARTE NO BRASIL, pág. 834; LEONOR AMARANTE, pág. 98, Acervo FIEO.

089 - AUGUSTE BRACET - (1881 - 1960)
LL Bosque - osc - 26 x 19 - cid e d - Paris
Pintor e professor, frequentou a antiga ENBA a partir de 1902, onde recebeu o prêmio viagem à Europa em 1911. Em Paris estudou com Morelli e François Billoul. Recebeu medalha de ouro no SNBA de 1920. Primores da Pintura no Brasil, vol. 1, pág. 41; REIS JUNIOR, págs. 369, 380 e 385; WAMIR AYALA, vol. 1, pág. 118; PONTUAL, pág. 83; MEC, vol. 1, pág. 255; TEIXEIRA LEITE, pág. 83; ITAÚ CULTURAL.

090 - RAIMUNDO DE OLIVEIRA - (1930 - 1966)
LL Moisés recebendo as tábuas da lei - ose - 56 x 76 - cid - 1961
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 14/02/2011.Nasceu RAIMUNDO Falcão DE OLIVEIRA, em Feira de Santana, BA. Recebeu da mãe os primeiros rudimentos de pintura e desenho. Autodidata, apresenta os seus trabalhos a partir de 1951. Reside em São Paulo a partir de 1958, aprofundando-se na sua experiência expressionista, com o aproveitamento transfigurador de imagens de velhos santos. Na sua última fase, bem distinta das anteriores, dedicou-se à narração de temas bíblicos, seguindo um estilo que alguns erroneamente ligaram à arte primitiva. TEIXEIRA LEITE, 365; PONTUAL, 394; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; ARTE NO BRASIL, pág. 798; Acervo FIEO.

091 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Casal - e em b - h = 30 - ass.
Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.

092 - ROLANDO NATAL SCURZIO - (1931 - 1998)
LL " Ponte e Gôndola " - osm - 58 x 28 - cid e d - 1990 - Veneza
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

093 - GUIDO VIARO - (1897 - 1971)
LL Multidão - tm - 21 x 31 - cie
Pintor, desenhista, gravador e professor, nasceu em Badia Polesine, Itália. Fez estudos de formação artística em Veneza e Bolonha, naquele País, vindo para o Brasil em 1928. Radicou-se em Curitiba 1930, onde lecionou pintura e desenho. Participou, recebendo premiações, em diversos Salões nacionais. JULIO LOUZADA vol.aa, pág.335; TEIXEIRA LEITE, pág. 522, PONTUAL, pág. 539; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 449; ARTE NO BRASIL, pág. 883.

094 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL "O lar ideal" - dn - 45 x 32 - cid
Com dedicatória ao Luiz Peixoto. -Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo (Rio de Janeiro RJ 1897 - idem 1976). Pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Inicia sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, reside em São Paulo, onde freqüenta o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons (1865 - 1939). Convive com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Mário de Andrade (1893 - 1945), Guilherme de Almeida (1890 - 1969), entre outros. Em 1921, ilustra A Balada do Enforcado, de Oscar Wilde (1854 - 1900), e publica o álbum Fantoches da Meia-Noite, editado por Monteiro Lobato (1882 - 1948). É o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expõe 12 obras. Em 1923, faz sua primeira viagem à França, onde atua como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, freqüenta a Academia Ranson, instala ateliê e conhece obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso (1881 - 1973), Georges Braque (1882 - 1963), Fernand Léger (1881 - 1955), Henri Matisse (1869 - 1954), Jean Cocteau (1889 - 1963) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta a São Paulo em 1926, trabalha como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. A estada em Paris marca um novo direcionamento em sua obra. Em 1938 viaja a Paris, onde trabalha na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retorna ao Brasil em 1940, trabalha como ilustrador, e publica poemas e memórias de viagem. Em 1972, seu álbum 7 Xilogravuras de Emiliano Di Cavalcanti é editado pela Editora Chile. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.

095 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Paisagem - ost - 46 x 55 - cid e d - 1982 - Magé
Com dedicatória. -Nascido em Manaus, pioneiro mundial da arte não-figurativa (a qual já praticava desde 1916), Santiago estudou no RJ com Visconti, e foi o principal responsável pelo Núcleo Bernardelli, no qual se formaram tantos dos melhores artistas do Modernismo carioca. Sua arte é um neo-impressionismo de belo colorido e opulentos efeitos de textura. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, pág. 241; TEODORO BRAGA, pág. 211/212; Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, MEC-MNBA / /Rio/1944; MAYER/84, pág. 1158; REIS JR., pág. 378; PONTUAL, pág. 473; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 292; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

096 - DANILO DI PRETE - (1911 - 1985)
LL Composição - tm s/t - 83 x 136 - cid e d
Reproduzido sob o nº 102 em catálogo de Leilão de James Lisboa - São Paulo. -Nasceu em Pisa, Itália. Foi pintor e programador visual. Autodidata, iniciou a sua carreira na Itália. No Brasil desde 1946, participou de todas as Bienais de São Paulo, de 1951 a 1967, nelas recebendo o prêmio de Melhor Pintor Nacional em 1951 e 1965, dispondo de salas especiais para os seus trabalhos em 1961 e 1967. Foi o primeiro colocado no concurso internacional de cartazes para a VII BSP. Artista premiadíssimo. JULIO LOUZADA vol.10, pág.286; TEIXEIRA LEITE , pág. 163; PONTUAL, pág. 179; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 647; ARTE NO BRASIL, pág. 898; LEONOR AMARANTE, pág. 13.

097 - JEAN BAPTISTE DEBRET - (1708 - 1848)
LL " Aclamação do Rei Dom João VI " - lito. color. - 18 x 31 - n/as.
Pintor, desenhista, gravador, professor, decorador, cenógrafo. Nasceu e faleceu em Paris, França. Freqüenta a Academia de Belas Artes, em Paris, entre 1785 e 1789, aluno de Jacques-Louis David, seu primo e líder do neoclassicismo francês. Por volta de 1806, trabalha como pintor na corte de Napoleão. Após a queda do imperador e com a morte de seu único filho, Debret decide integrar a Missão Artística Francesa, que vem ao Brasil em 1816. Instala-se no Rio de Janeiro e, a partir de 1817, ministra aulas de pintura em seu ateliê. Por volta de 1825, realiza águas-fortes, que estão na Seção de Estampas da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. De 1826 a 1831, é professor de pintura histórica na Academia Imperial de Belas Artes - Aiba, atividade que alterna com viagens para várias cidades do país, quando retrata tipos humanos, costumes e paisagens locais. Em 1829, organiza a Exposição da Classe de Pintura Histórica da Imperial Academia das Bellas Artes, primeira mostra pública de arte no Brasil. Deixa o país em 1831 e retorna a Paris. Entre 1834 e 1839, edita, o livro Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil, em três volumes, ilustrado com litogravuras que têm como base as aquarelas realizadas com seus estudos e observações ITAUCULTURAL

098 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Mercado Árabe - ost - 60 x 45 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 039 deste catálogo.

099 - HENRIQUE BOESE - (1897 - 1982)
LL Composição - osp - 30 x 42 - cid - 1975
Natural de Berlim, Alemanha. Pintor. Realizou seus estudos na sua cidade natal, onde foi discípulo de Kothe Kollwitz, entre os anos de 1918 e 1922. Fixou residência no Brasil em 1938, vivendo algum tempo em Caraguatatuba, no litoral paulista. Sua primeira fase foi dedicada 'a pintura expressionista, voltando-se mais tarde para o abstracionismo, gênero em que se fixou e o consagrou. Participou da II, III, V 'a IX Bienal de São Paulo, entre 1953 e 1967, premiado com Isenção do Júri. Realizou exposições individuais no MAM-SP, nas Galerias Seta, São Luiz e Astreia, todas em São Paulo. Participou de exposição em Hamburgo. na Alemanha. JULIO LOUZADA vol. 10 pág. 121; PONTUAL, pág. 78; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697.

100 - MANABU MABE - (1924 - 1997)
LL Composição - ost - 50 x 50 - cie e d
Registrado sob o nº 1522 no Instituto Manabu Mabe, conforme carimbo no dorso. - Reproduzido no convite deste leilão.Pintor autodidata, veio para o Brasil com a família em 1934, fixando-se em Lins-SP, onde trabalhou na lavoura do café; ligado ao abstracionismo informal, até a metade dos anos 50 fez pintura figurativa, especialmente paisagens e naturezas mortas; dedicou-se ainda à tapeçaria. ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1050; TEIXEIRA LEITE, pág. 296; PONTUAL, pág. 325/6; MEC, vol. 3, pág. 13; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 644; LEONOR AMARANTE, pág. 83, Acervo FIEO.

101 - UBIRAJARA RIBEIRO - (1930 - 2002)
LL " Water " - a e col. - 37 x 56 - cid e d - 1967
Pintor, desenhista, gravador, artista gráfico, arquiteto e professor paulistano, nascido em 2 de outubro de 1930. Estudou pintura e gravura nas cidade de São Paulo e Salvador, com Pedro Corona, Waldemar da Costa e Mário Cravo Jr. Para o autor a arte é a corporificação de um processo de criatividade e percepção. Expôs individualmente pela primeira vez em 1964, na Galeria Seta-SP. Dentre as coletivas, destacam-se a da FAAP-SP, em 1965, I SPAC-SP, 1969. Foi escolhido como Melhor Gravador do Ano, em 1977, pela APCA. JULIO LOUZADA vol. 11 pág. 266; ITAÚ CULTURAL.

102 - PABLO SALINAS Y TERUEL - (1871 - 1946)
LL Nu - dc e p - 43 x 27 - cid - 1893 - Roma
Pintor de gênero, nascido em Madri, Espanha. Representante da Escola Espanhola de pintura, suas obras sempre são desatque nos leilões internacionais. Era irmão de Augustin Salinas y Teruel. BÉNÉZIT vol. 9, pág. 248; ART PRICE ANNUAL 2000 pág. 2202.

103 - CÂNDIDO PORTINARI - (1903 - 1962)
LL Estudo - dl - 12 x 13 - cid
Registrado no Projeto Portinari sob o nº 1043 [FCO 5603]. Ilustração para capa do livro "Brejo das Almas" de Carlos Drummond de Andrade. -Nasceu na cidade paulista de Brodósqui, e faleceu no Rio de Janeiro. Artista desde sua infância ( desenhava desde 5 anos), abraçou a arte pelo resto vida. Reconhecido nacional e internacionalmente, conheceu e desfrutou a glória ainda vivo. Desenhista, pintor e muralista, Portinari a exemplo dos grandes vultos da nossa história, deixa-nos um legado precioso de arte e cultura. BENEZIT, vol.8, págs. 440 e 441; REIS JUNIOR, págs. 383/386; TEODORO BRAGA, págs. 195/196; PONTUAL, págs. 432/433/434; MEC, vol.3, págs 427 a 429; MAYER.89, pág.1327; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 550; ARTE NO BRASIL, pág. 571; LEONOR AMARANTE, pág. 12; F. ACQUARONE, pág. 241.

104 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Composição - dn e g - 18 x 27 - cid - 1965
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

105 - G.T.O. (GERALDO TELES DE OLIVEIRA) - (1930 - 1990)
LL Figuras - e em mad. - h = 36 - ass.
Mineiro de Itapecerica, Geraldo Teles de Oliveira, dito GTO, foi escultor. Começa sua atividade artística, em 1965, a partir de sonhos - em um deles, Deus lhe mostra a madeira e as esculturas que deveria realizar. Assim, tendo seus sonhos como referência, realiza grande parte de suas obras; mais tarde, utiliza apenas sua criatividade nos seus trabalhos. Entre as exposições das quais participa, destacam-se: 1º e 2º Salão de Arte Contemporânea, Belo Horizonte, 1969/1970; Bienal Internacional de São Paulo, 1969/1975/1981; Bienale Formes Humaines, no Museu Rodin, Paris (França), 1974; II Festival Mundial e Africano de Arte e Cultura Negra, em Lagos (Nigéria), 1977; 42ª Bienal de Veneza (Itália), 1978. Após sua morte, suas obras são expostas na mostra: Exposição Cinco Anos sem Novos Sonhos de GTO, na Galeria Paulo Campos Guimarães, Belo Horizonte, 1995. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 763; LEONOR AMARANTE, pág. 294; ITAU CULTURAL.

106 - SAMSON FLEXOR - (1907 - 1971)
LL Rosto - g - 40 x 30 - cid
Pintor nascido na Romênia, estudou em Paris, onde fez em 1927 sua primeira individual, radicando-se em 1946 em São Paulo, onde faleceu. Foi um dos pioneiros do abstracionismo no Brasil, tendo criado em 1948 o Atelier Abstração. Em 1968 sua obra foi objeto de importante retrospectiva no MAM-RJ. BENEZIT vol. 4, pág. 402; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 313/4; TEIXEIRA LEITE, pág. 198; PONTUAL, pág. 217/8; MEC, vol. 2, pág. 179 e 180; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 917; LEONOR AMARANTE, pág. 75; WALTER ZANINI, pág. 643, Acervo FIEO.

107 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - g - 30 x 22 - cie - 1974
Reproduzido sob o n.° 18 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Pintor e desenhista austríaco, natural de Viena, transferiu-se para o Brasil em 1928, fixando residência em São Paulo, Estudou no Liceu de Artes e Ofícios da cidade, onde conheceu Valdemar da Costa, com ele fazendo aprendizado de pintura a partir de 1940. Artista estável, sua evolução não sofreu sobressaltos, uma vez formado numa linguagem linear de sensibilidade pessoal, despojada e exigente, rigorosamente artesanal. PONTUAL, pág. 131; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI pág. 645; ARTE NO BRASIL, pág. 798; Acervo FIEO.

108 - JOAQUIM DUTRA - (1864 - 1930)
LL Salto de Piracicaba - ost - 30 x 43 - cie - 1922
Pintor nascido e falecido em Piracicaba. Notabilizou-se pela paisagens documentárias locais, realizando ainda trabalhos em São Paulo, Limeira, Caconde, São Carlos e Capivari. Foi pai dos pintores Alipio, Antonio de Pádua, Archimedes e João Dutra. PONTUAL, pág.186; MEC, vol.2, pág.84; TEIXEIRA LEITE, pág.171; ITAU CULTURAL.

109 - ANATOL WLADISLAW - (1913 - 2004)
LL Composição - p - 23 x 29 - cid - 1956
Pintor e desenhista nascido em Varsóvia, Polonia; faleceu em São Paulo, aos 91 anos de idade. No Brasil desde 1930, fixou residência em São Paulo, naturalizando-se brasileiro. Dedicou-se à pintura e ao desenho a partir de 1946, participando da I à IX Bienal, recebendo diversas premiações. Formado em engenharia no Mackenzie, tornou-se um dos pioneiros da arte abstrata, participando ativamente do movimento Ruptura, ao lado de Valdemar Cordeiro, Lothar Charoux e Luiz Sacilotto. Figura no acervo do MAM-RJ e MNBA de Buenos Aires. JULIO LOUZADA, VOL, 4, pág, 1177. MEC, VOL, 4 pág, 512. TEIXEIRA LEITE, pág, 544. WALMIR AYALA, VOL 2. pág, 442; PONTUAL, pág. 553; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 921.

110 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Composição - osc - 22 x 27 - cid - 1965
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 12/02/2011. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

111 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Mudança - dn e a - 23 x 32 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

112 - TADASHI KAMINAGAI - (1899 - 1982)
LL Casarão - ost - 46 x 38 - cid e d - 1970 - Paris
Com etiqueta de Renot Galeria de Arte - São Paulo, no dorso. -Grande pintor japonês da Escola de Paris, amigo de Marquet, Vlaminch e Déiran, entre outros, passou no Brasil praticamente toda a década de 1940, aqui se ligando de amizades a pintores como Portinari, Pancetti e Djanira, e iniciando na arte vários jovens pintores de ascendência nipônica, como Flávio Shiró Tanaka, por exemplo. Autor de paisagem, naturezas mortas e retratos de excelente qualidade pictórica, Kaminagai veio freqüentes vezes ao Brasil, onde expôs com enorme sucesso. TEODORO BRAGA, pág.134; BENEZIT, vol.6, pág.152; WALMIR AYALA, vol.1, pág.435 e 437; MEC, vol.2, pág.401; PONTUAL, pág.287; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 643; ARTE NO BRASIL; Acervo FIEO.

113 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Paisagem - ost - 70 x 50 - cie
Nascido e falecido em São Paulo, DURVAL PEREIRA foi pintor e professor ativo em São Paulo. Premiado com a Menção Honrosa no SPBA em 1944, passou a viver exclusivamente da pintura. Pintava ao ar livre aos domingos com os pintores Salvador Rodrigues, Salvador Santisteban, Cirilo Agostinho, Jaime Dinis, Djalma Urban, Innocencio Borghese, e outros. Premiado praticamente em todos os Salões de que participou. Recebeu ao todo, 15 comendas das mais importantes do Brasil. Nos últimos três anos de sua vida, recebeu todos os Primeiros Prêmios e Medalhas de Ouro nas exposições de Paris, Rouen, Lyon, Roma, Miami e Milão. MEC, vol. 3, pág. 368; JULIO LOUZADA, vol. 1, págs. 749/750/751. ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

114 - FERNANDO P - (1917)
LL Composição - tm - 55 x 38 - cid - 1962
Nascido FERNANDO Clóvis Pereira, em São Luis do Maranhão, MA. Assina suas obras Fernando P. Realizou exposição em 1938 em sua cidade natal, transferindo-se após para o Rio de Janeiro, onde foi discípulo de Santa Rosa. Aperfeiçoou seus estudos em Paris, com André Lothe (pintura) e Gino Severini (mosaico). Expôs regularmente no SNAM-RJ, a partir de 1943, com um grande numero de premiações. JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 377; ITAÚ CULTURAL.

115 - ELZA DE OLIVEIRA SOUZA - (1928 - 2006)
LL Noiva - ose - 62 x 47 - cie - 1976
Pernambucana do Recife. Esta importante pintora iniciou suas atividades com o prof. Ivan Serpa. Integrou o grupo de nordestinos que se apresentou na Galeria Giro, no RJ, em 1968. Seu interesse pelo registro da figura humana é praticamente exclusivo. Walmir Ayala afirma: " ... O biotipo que Elza repete obcessivamente, diz respeito ao povo de sua família conterrânea. São gente do povo, sem sofisticação, despojada do requinte civilizatório, mas embebida de um outro requinte, que diz respeito 'as latadas, trepadeiras em flor, animais domésticos, temáticas." JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 313, Acervo FIEO.

116 - VINCENZO CAPRILE - (1856 - 1936)
LL " O velho e o gato " - ost - 56 x 32 - cie
Pintor da Escola Italiana que nasceu em Nápoles, Itália. Foi aluno do Instituto de Belas Artes de Nápoles e participa de Salões e exposições oficiais, a partir de 1873. Possui obras em muitos museus da Europa. BENEZIT, VOL.2, PÁG. 509; ART PRICE; ARTNET.

117 - MARIO CAMPELLO - (1941 - 2000)
LL Figura - ost - 60 x 40 - cie e d - 1977
Baiano de Salvador, Mario Campello adquiriu orientação na EBA da Universidade da Bahia. Transferiu-se posteriormente para São Paulo, onde passou a se dedicar, além da pintura, a projetos para murais, tapeçaria e estamparia. Sua primeira exposição ocorreu em 1962. Artista muito apreciado pela delicadesa de seus temas e telas, revelando profundo domínio técnico. JULIO LOUZADA, vol 13 pág. 64; ITAÚ CULTURAL.

118 - MÔNICA SARTORI - (1957)
LL Linhas - lito. 5/72 - 70 x 100 - cid
Desenhista, gravadora, escritora e professora, natural de Belo Horizonte, MG. Cursou ‘Desenho e Gravura’ na Universidade Federal de Minas Gerais (1978 a 1984), em Belo Horizonte. Exposições individuais: Belo Horizonte, MG (1986, 1988, 1993, 1994, 1999, 2000, 2004, 2007); Rio de Janeiro (1991, 1995, 1996, 2000, 2008); São Paulo (1994, 2001); Brasília, DF (1998); Tiradentes, MG (1999); Inglaterra (2006). Coletivas: Belo Horizonte (1981, 1984, 1985, 1987, 1988, 1998, 2000, 2001); Rio de Janeiro (1984 a 1988, 1995, 1996, 2002); Vitória, ES (1986); Porto Alegre, RS (1986); Curitiba, PR (1997); Niterói, RJ (1998); Cuba (1998); Áustria (1985, 2006); Alemanha (1985, 1989, 1990); São Paulo (1989 - Bienal, 2007); Tiradentes, MG (2001); Petrópolis, RJ (2003). Prêmios: Belo Horizonte, MG (1988); Rio de Janeiro (1988, 1993); Brasília, DF (1990). www.annamarianiemeyer.com.br.

119 - ORLANDO BRITO - (1920 - 1981)
LL " Palafitas " - ose - 9 x 12 - cid e d
Nascido e falecido na cidade do Rio de Janeiro, foi pintor e desenhista. Ocupou durante vários anos, a cadeira de Desenho e Pintura do Instituto de Belas Artes, além de ser membro do juri do SNBA, ambos no Rio de Janeiro. Realizou individuais em diversas Galerias de Arte do Rio de Janeiroe participou também de várias exposições pelo interior do Brasil. Expôs no SNBA-RJ, nos anos de 1954, 1962, 1965 (obtendo neste o Grande Prêmio IV Centenário da cidade), e 1967. JULIO LOUZADA vol.11, pág.44; ITAÚ CULTURAL.

120 - OFRA GRINFEDER - (1945)
LL Composição - col. - 22 x 7 - cid
Escultora, ceramista, pintora, nasceu em Israel, trasferindo residência para os Estados Unidos, onde formou-se em 1967 na State University of New York. Ainda naquele País, estuda na Alfred Universit e freqüenta a Penland School of Crafts. Fez cursos sobre as técnicas em Raku ministradas por Steve Gamza e por David Miller. Residiu na França, Coréia e Turquia, fixando residência no Brasil. "Influenciada pelas diversas culturas as quais pode observar durante suas diferentes moradias: de Israel ao Brasil, passando pela Coréia, França, Turquia e Estados Unidos, Ofra Grinfeder desenvolve com um raro requinte, um linguajar artístico sensível de formas próprias com materiais coletados ao longo de sua existência. Silvia Meira GRINFEDER, Ofra. Trabalhos com papel. São Paulo: Galeria Nara Roesler, 1994. ITÁU CULTURAL

121 - WALDEMAR MARANGONI JUNIOR - (1972)
LL " Crianças da Abrasta " - ost - 59 x 80 - cie e d - 2008
Pintor nascido em São Paulo. Assina Marangoni Junior. Em 1985 fez desenho na Recrearte, depois freqüentou o Ateliê RM Iguma e estudou pintura com R.Pinto. Realizou várias exposições individuais em: São Paulo (1989, 1991, 2003, 2005, 2006); Portugal (1991, 1993); Itália (2000); Argentina (2003). Participou de inúmeros Salões oficiais nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e ganhou prêmios em: Capivari, SP (1991); Piracicaba, SP (1991); São Paulo (1993, 1994, 2005) Mariana, MG (1993); Presidente Venceslau, SP (1995); Presidente Prudente, SP (1998); Belo Horizonte, MG (2000); Extrema, MG (2005). JULIO LOUZADA VOL.9, PÁG.530; VOL.10, PÁG. 543; www.galeriaaberta.com.

122 - AKOS HAMZA - (1903 - 1993)
LL Composição - ost - 40 x 50 - cid - 1983
Com etiqueta do Centro de Artes - São Paulo, no dorso. -Pintor, desenhista e cineasta que nasceu em Hódmezövásárhely, Áustria-Hungria (hoje Hungria) e faleceu em Jászberény, Hungria. Desenha e pinta desde criança e graduou-se como professor de Desenho. Trabalhou, no início, como jornalista em vários países; em Paris, aprendeu a arte do cinema com René Clair e se tornou assistente de diretor de cinema. Em 1938 abriu, na Hungria, uma produtora cinematográfica. Morou na Itália e no Brasil a partir de 1956. Retornou à Europa em 1972. Fez várias exposições aqui no Brasil (São Paulo, Pernambuco, Campo Grande), em Paris, Viena, Turim e na Hungria. JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 461; www.imdb.com; www.hamzamuzeum.hu, www.museum.hu.

123 - AUGUSTO RODRIGUES - (1913 - 1993)
LL Mulher com chapéu - lito. 43/60 - 50 x 34 - cie
Desenhista, caricaturista e educador, Augusto Rodrigues nasceu em Recife-PE, onde frequentou a partir de 1932, o ateliê de Percy Lau. Participou em 1934 da primeira exposição de arte moderna de Pernambuco. Desenhista e caricaturista por excelência, o artista destacou-se no Sul do País, participando de salões, coletivas e individuais, recebendo honrarias e premiações. Criou diversos personagens, amparado na visão do cotidiano das grandes cidades. MEC, vol. 4, pág. 89; PONTUAL, pág. 457; TEODORO BRAGA, pag. 43; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 602; ARTE NO BRASIL, pág. 517.

124 - ALOISIO LUCAS DE SIQUEIRA - (1938)
LL Negra - ost - 100 x 50 - cid - 1974
Procedente da coleção do crítico de arte Mario Schenberg, São Paulo. -Natural de Serra Talhada, PE. Transferindo-se para São Paulo em 1963, conheceu Mário Schemberg, que o incentivou a permanecer sempre fiel à sua maneira de ser como pintor, que transmite a pureza e o sentimento do sertanejo do nordeste. ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 215; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO.

125 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Galo - ser. 3/350 - 45 x 45 - cid - 1978
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

126 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato - grav. P.A. 9/20 - 20 x 15 - cid - 1997/1998
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

127 - CARMEN BARDY - (1934)
LL " Postes " - ser. 1/30 - 46 x 55 - cid - 1972
Com etiqueta da Galeria de Arte Ipanema - Rio de Janeiro, no dorsoGravadora de excelente currículo, diversas premiações e participações em salões e bienais, inclusive na XII Bienal de São Paulo.

128 - ANTONIO MIRANDA - (1968)
LL " Girassoís com Dálias " - ost - 97 x 90 - cie e d
Antonio Carlos Miranda nasceu em Pinheiral, RJ. Assina Miranda. Exposições individuais: Rio de Janeiro (1986); Volta Redonda, RJ (1993); Pinheiral, RJ (1996). Coletivas: Volta Redonda, RJ (1986, 1991, 1993, 1994); Barra Mansa, RJ (1991); Resende, RJ (1991); Bélgica (1990); Portugal (1990); Finlândia (1990); Brasília (1992). Prêmios: Brasília (1992); Volta Redonda, RJ (1994). JULIO LOUZADA, VOL. 13, PÁG. 226.

129 - FERNANDO ODRIOZOLA - (1921 - 1986)
LL Composição - grav. P.A. - 10 x 30 - cid - 1962
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 007 deste catálogo.

130 - ÉLON BRASIL - (1957)
LL Índia - ost - 40 x 40 - d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 009 deste catálogo.

131 - FERENC KISS - (1944)
LL Paisagem - ost - 70 x 70 - cid
Nasceu em Kesztheliy, Hungria. Artista autodidata, emigra para o Brasil em 1958, onde freqüenta o curso livre de modelo vivo da Associação Paulista de Belas Artes, em São Paulo. Fez ilustrações a bico de pena para o suplemento literário do jornal "O Estado de São Paulo" entre 1964 e 1965. Participu de diversas coletivas a partir de 1962, destacando-se: Salão Paulista de Belas Artes, São Paulo, 1962/1966 (Medalha de Bronze, 1962 e Medalha de Prata, 1966); Salão Paulista de Arte Moderna, São Paulo, 1962 (Medalha de Bronze); Salão Paulista de Arte Contemporânea, São Paulo, 1969/1972 (Prêmio Aquisição); Panorama da Arte Brasileira, no MAM/SP, 1971. JULIO LOUZADA, vol. 4 pág. 574; ITAÚ CULTURAL; PONTUAL, pág. 290.

132 - JOÃO ROSSI - (1932 - 2000)
LL Composição - grav. - 12 x 12 - cid - 1971
Pintor, gravador, ceramista, professor e escultor, natural de São Paulo, onde nasceu a 24 de dezembro. Autodidata, lecionou em cursos de desenho, cerâmica e pintura na APBA e na FAAP-SP. Executou murais de cerâmica na cidade de São Paulo. " A paisagem urbana de São Paulo foi sempre o grande tema de João Rossi, um dos artistas mais significativos da geração seguinte à dos artistas do Santa Helena." - Mário Schemberg. JULIO LOUZADA, vol. 7 pág. 610; ITAÚ CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 452; PONTUAL, pág. 463 ; WALTER ZANINI, pág. 734, Acervo FIEO.

133 - DAREL VALENÇA LINS - (1924)
LL Composição - grav. 33/50 - 50 x 40 - cid - 1962
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 008 deste catálogo.

134 - HENRY VITOR - (1939)
LL Surreal - ost - 41 x 51 - cid - 1979
Pintor e gravador mineiro de Guaxupé, onde nasceu a 2 de abril de 1939. Reside e é ativo na cidade de São Paulo SP. Autodidata, fez cursos de Jornalismo, Propaganda e Comunicações. Expôs individualmente nos anos de 1972, 1973, 1984 e 1991 em São Paulo SP. Coletivas a partir de 1971, inclusive no exterior. "Há elementos que revelam o ingênuo mas nem sempre permitem ajuizar se a obra é crítica ou artesanal. O autodidatismo, como o de Vitor, é uma constante. Expressa uma visão pessoal da realidade ou configurações de sonho. Retrata a vida filtrada, livremente, pelos olhos de cada um e interpretada por um sentimento intrínseco. " Jorge Anthonio, in HENRY Vitor: pinturas. Apresentação de Jorge Anthonio. São Paulo: Galeria Jacques Ardies, 1991. HENRY Vitor: pinturas. Apresentação de Jorge Anthonio. São Paulo: Galeria Jacques Ardies, 1991. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.145, MEC,vol.4, pág.49; ITAÚ CULTURAL.

135 - EMILE TUCHBAND - (1933 - 2006)
LL Flores - ose - 12 x 9 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 010 deste catálogo.

136 - MARINA CARAN - (1925 - 2008)
LL Figura - lito. 7/8 - 49 x 33 - cid - 195 - Bahia
Gravadora, desenhista e pintora nascida na cidade paulista de Sorocaba. Figurando diversas vêzes no SPAM, nêle conquistou prêmios de aquisição entre 1954 e 1960. Participou também da II, III, VIII e IX Bienal de SP. Sua obra é contemporânea, de imaginação dramática. No dizer de Geraldo Ferraz, "Seus temas são colocados sob essa deformação prismática... Ela percorre toda a gama da efusão generosa - vai da solidariedade à identificação compulsiva..." Expôs individualmente a partir de 1951 (MASP). PONTUAL, pág. 106; TEIXEIRA LEITE, pág. 104; JULIO LOUZADA, vol. 5 pág. 199/200; LEONOR AMARANTE, pág. 194, Acervo FIEO.

137 - JOSÉ SABÓIA - (1949)
LL Trabalhador - ost - 40 x 40 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 015 deste catálogo.

138 - FRANCISCO BIOJONE - (1934)
LL " Natureza morta " - tm - 33 x 48 - cid e d
FRANCISCO Antão de Paula Souza BIOJONE, nasceu em Campinas, SP. Pintor, desenhista e professor, costuma assinar F. BIOJONE em suas obras. Foi aluno do pintor campineiro Geraldo de Souza, com quem fez pesquisas. A partir de 1955 participou de numerosos salões de arte. JULIO LOUZADA traz extensa citação sobre o curriculum deste singular artista. JULIO LOUZADA, vol. 3 págs. 128, 129 e 130; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 963.

139 - VICENTE COPPOLA - (1926 - 1998)
LL Composição - ost - 100 x 80 - cid
Autodidata, desde cedo dedicou-se ao desenho, e mais tarde à publicidade. Em 1975 voltou-se para a pintura à óleo, buscando maior realização. No início, pintou principalmente paisagens e marinhas, retratando a natureza com sensibilidade. Viu de imediato seu trabalho reconhecido, pois já no ano de 1979, foi convidado pela Sociarte para fazer parte de coletiva. Inicialmente recebeu orientação de Dario Mecatti. Foi no Regimento da Cavalaria, onde serviu, que começou a gostar de cavalos e conhecer profundamente as raças que retrata desde então, principalmente para criadores. Foi pintor exclusivo da Tableau, com Luiz Carlos Moreira, durante vários anos, tendo nesse período todos os seus quadros vendidos.Era membro da Associação Paulista de Belas Artes. JULIO LOUZADA vol.4, pág. 275.

140 - WEGA NERY - (1912 - 2007)
LL Composição - g - 32 x 22 - cid - 1963
Natural de Corumbá-MT, estudou desenho e pintura na Escola de Belas Artes em São Paulo entre 1946 e 1949. Nos anos 50, aperfeiçoou estudos com Joaquim da Rocha Ferreira, Yoshiya Takaoka e Samson Flexor. Participou do Grupo Guanabara em 1952 e do Atelier-Abstração, liderado por Samson Flexor, em 1953. Expõs individualmente a partir de 1955. Recebeu o prêmio de melhor desenhista nacional em 1957 e o prêmio aquisição nacional em 1963. PONTUAL, pág. 551; TEIXEIRA LEITE, pág. 541, JULIO LOUZADA vol.9, pág. 919; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 942; LEONOR AMARANTE, pág. 57.

141 - BERNARDO CID - (1925 - 1982)
LL Composição - ost - 22 x 33 - cid - 1970
Autodidata, o artista foi natural da cidade de São Paulo, onde também veio a falecer. O crítico Mario Schenberg, em sua obra ´Pensando a arte´. Ed. Nova Stella-SP, 1988, assim comentou a obra do artista: "Nas fases figurativas anteriores a 1960, Bernardo Cid experimentou várias técnicas. De um modo geral, o grafismo desempenhou o papel mais importante nesse período, se bem que tenha empregado também uma técnica de esmaltes. A partir de 1960 iniciou sua fase abstrata informal, que se prolongou até o fim de 1964, quando voltou de novo ao figurativismo. A pintura informal de Cid apresenta um interesse considerável. Algumas obras desse período se aproximam do expressionismo abstrato, revelando um senso cósmico acentuado, adequadamente comunicado por uma linguagem pictórica rica de sensibilidade cromática. A visão cósmica de Cid tem uma dramaticidade contida mas forte. Ela reapareceu combinada com outros elementos em alguns dos seus quadros neo-realistas de 1965. A passagem pelo informalismo enriqueceu consideravelmente a pintura de Cid, combatendo uma predominância excessiva de grafismo, evidenciada nas fases precedentes. Aprimorou o seu senso espacial e deu-lhe musicalidade." MEC, vol.1, pág.437; PONTUAL, pág.73; Catálogo Da Exposição Panorama da Arte Atual Brasileira- Museu de Arte Moderna de São Paulo/1976; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 205/206; BENEZIT, vol.3, pág.31; TEIXEIRA LEITE, pág.74; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 737; ARTE NO BRASIL, pág. 910.

142 - ALBERTO DA VEIGA GUIGNARD - (1896 - 1962)
LL Paisagem - dn - 10 x 19 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 017 deste catálogo.

143 - CESAR LACANNA - (1901 - 1983)
LL Prontos para o espetáculo - ost - 85 x 65 - cid - 1946
Pintor, escultor e ceramista paulista, estudou com Elpons e Barchitta. Como pintor, trabalhou a paisagem, a natureza-morta, nus e retratos, numa atmosfera realista, evocativa de Daumier. TEODORO BRAGA, pág.136; MEC vol.2, pág. 435; WALMIR AYALA, vol.1, pág.453; PONTUAL, pág.297; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 623.

144 - ARTUR BÁRRIO - (1945)
LL Composição - osp - 25 x 32 - d - 1980
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

145 - INGRES SPELTRI - (1940)
LL Geométrico - osm - 63 x 47 - cid - 1978
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

146 - GEZA HELLER - (1902 - 1992)
LL Paisagem - ose - 35 x 50 - cid - 1972
Com etiqueta da Domus Galeria de Arte, no dorso. -Natural da cidade húngara de Kecskemer, e falecido no Rio de Janeiro, em 20/3/1992, cidade onde fixou residência. Pintor, desenhista, ilustrador, gravador e arquiteto. Integrou o grupo de sete artistas que em torno de Guignard desenvolvem uma visão introspectiva da natureza. Entre eles Iberê Camargo, Milton Risuro, e outros. Foi premiado com o 1º lugar no concurso de priojetos para a remodelação do Jockey Club de São Paulo. Participou, com premiações, de diversos salões oficiais. TEIXEIRA LEITE, pág. 244; JULIO LOUZADA vol 13 pág. 165; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 598.

147 - DJANIRA DA MOTTA E SILVA - (1914 - 1979)
LL Sinaleiro - dn - 22 x 16 - cid
Pintora, desenhista e gravadora, natural de Avaré, SP. Foi aluna de Marcier. A partir de 1942 participa do SNBA, recebendo premiação em 1943, 1944 e 1950. Realizou exposições individuais. Participou de diversas coletivas e salões de arte, nacionais e internacionais, com excelente recepção da crítica especializada. Diz-se que sua pintura é ingênua, mas ela declarava que ingênua, era ela mesma. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 336; PONTUAL, pág. 181; TEIXEIRA LEITE, pág. 164; MEC, vol. 2, pág 58; WALMIR AYALA, vol. 1, pág, 263; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 810; ARTE NO BRASIL, pág. 824; Acervo FIEO.

148 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX -
LL No bosque - p - 21 x 32 - cid ileg.

149 - HENRIQUE GOLDSHMIDT - (1865 - 1952)
LL Paisagem do Rio de Janeiro - a - 23 x 15 - cid
Pintor e desenhista nascido (24/2) e falecido no Rio de Janeiro-RJ. Especializou-se nas pequenas e delicadas aquarelas, privilegiando as localidades cariocas. Foi chamado de "...talentoso pintor miniaturista e fantasista" pelo jornal O Paíz do Rio de Janeiro. TEODORO BRAGA, pág. 109; LAUDELINO FREIRE, pág. 389; JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 442.

150 - HOLMES NEVES - (1925 - 2008)
LL Flores - ose - 46 x 32 - cie - 1972
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

151 - PAULO GAGARIN - (1885 - 1980)
LL Vendedora de frutas - ost - 62 x 50 - cie e d - 1936
Assinado " Príncipe Paulo Gagarin ", no dorso. -Pintor natural de Leningrado - anteriormente São Petesburgo. Estudou na Universidade daquela cidade, vindo para o Brasil em 1921, onde se naturalizou. Fixou-se no Rio de Janeiro, onde no ano seguinte realizou a sua primeira exposição. Recebeu medalha de ouro no SNBA, com participação também no SPBA, com premiações (1940 e 1941). Sobre a sua obra, assim se manifestou o autor: " ... Acredite, nunca estudei pintura. Não tive mestres. O meu mestre foi a natureza opulenta do Brasil" (´in´ A Inquietação das Abelhas, de Angione Costa, 1927) JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 123; PONTUAL, pág. 230; MEC, vol.2, pág. 219; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 2, pág. 146; TEODORO BRAGA, pág. 186; REIS JR., pág. 370.

152 - INIMÁ DE PAULA - (1918 - 1999)
LL Mulher - a - 45 x 32 - cie - 1982
Mineiro de Itanhomi, Inimá, depois de prestar o serviço militar em Juiz de Fora, passou a frequentar o Núcleo Antônio Parreiras (que no início dispunha de professores, mas logo se transformou em ateliê livre), da mesma cidade, em 1938. Integrou-se ao grupo de Bandeira e Aldemir Martins na cidade de Fortaleza (1941). No Rio frequentou o ateliê de Portinari e realizou a sua primeira individual (1948). Recebeu o prêmio viagem ao estrangeiro no I SNAM (1952), certame do qual participou por diversas vêzes até 1960. Em Paris estudou com Lothe. É um de nossos artistas mais completos. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.152; PONTUAL, pág. 271; MEC, vol.3, pág.355; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 401 1 404; TEIXEIRA LEITE, pág.260; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 870; Acervo FIEO.

153 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL Ex-voto - ast - 40 x 40 - cid e d - 2005
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 028 deste catálogo.

154 - ROSARIO MORENO - (1918)
LL Composição - ost - 100 x 65 - cid e d - 1959
Procedente da coleção do crítico de arte Mario Schenberg, São Paulo. -Artista com participação na Bienal Internacional de São Paulo e em Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro.

155 - ROLANDO NATAL SCURZIO - (1931 - 1998)
LL Cão - ost - 27 x 22 - cid e d - 1969
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

156 - MANOEL MARTINS - (1911 - 1979)
LL Cena urbana - dn - 22 x 32 - cid - 1971
Natural de São Paulo, MANOEL MARTINS participou ativamente do Grupo Santa Helena, onde defendeu a necessidade de fazer da arte uma profissão, e ocupar com ela, um espaço na sociedade. Manoel Martins, a partir da exposição da Familia Artística Paulista em 1937, realizado pelos integrantes do Grupo, desenvolveu obras no âmbito do figurativo, buscando incorporar a vida, o movimento, as aglomerações do mundo urbano, substituindo a figuração pós-impressionistas por elementos racionais do cubismo com a valorização do expressionismo. TEIXEIRA LEITE, pág. 316; JULIO LOUZADA, vol.11, pág. 201; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 784, Acervo FIEO.

157 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL " O carrinho pobre " - dn - 55 x 34 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

158 - LOURENÇO - (1945 - 1997)
LL Meninos - ost - 65 x 66 - cid - 1974
Pintor, desenhista, artista gráfico, o artista José Toledo Piza Lourenço Júnior nasceu e faleceu em São Paulo - SP. Estudou desenho com Nelson Nóbrega na Fundação Armando Álvares Penteado, FAAP-SP, entre 1962 e 1965. Neste mesmo ano viaja à Bahia, onde executa a série de desenhos Lavadeiras. Entre 1965 e 1967, trabalha como diagramador para a Editora Abril nas revistas Realidade e Conhecer. Em 1987, é escolhido o melhor pintor do ano por alunos da Chapel School, em São Paulo. Entre as exposições das quais participa, destacam-se: Salão de Belas Artes de São Bernardo do Campo, São Paulo, 1967; Salão Paulista de Arte Moderna, São Paulo, 1969; Panorama de Arte Brasileira, no Hotel Nacional, Brasília, 1970; Image du Brésil, no Manhattan Center, Bruxelas (Bélgica), 1973; Panorama de Arte Atual Brasileira, no Museu de Arte Moderna, MAM/SP, 1973; Mostra Realismo, no Paço das Artes, São Paulo, 1976; José Lourenço, na Galeria Allan Ko, Paris (França), 1978; José Lourenço, na Galeria de Arte André, São Paulo, 1980/1985; Exposição de Pinturas de Lourenço, na Ranulpho Galeria de Arte, Recife, 1989; A Música na Pintura, na Ranulpho Galeria de Arte, São Paulo,1992; 4º Stúdio Unesp, Sesc e Senai de Tecnologia de Imagens, no Sesc/Pompéia, São Paulo, 1996. JULIO LOUZADA, vol 11, pág. 179; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO.

159 - NIOBE XANDÓ - (1915 - 2010)
LL Composição - col. - 27 x 33 - cid - 1980
Pintora e desenhista natural de Campos Novos Paulista-SP. Foi ativa em São Paulo-SP. Autodidata, freqüentou o ateliê de Raphael Galvez a partir de 1946. Dentre as várias fases de sua obra merecem destaque as Flores Fantásticas, as Máscaras de origens africana e indígena, O Letrismo, o Mecanicismo e o Abstracionismo Geométrico. Participou de várias Bienais Nacionais e recebeu mais de 20 prêmios em Salões de Arte. Participou de mais de 100 exposições nacionais e internacionais e mereceu mais de 100 textos de críticos renomados. Em 2004 teve uma grande mostra antológica no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP). Em 2007 teve uma exposição retrospectiva fantástica e merecida na Pinacoteca do Estado de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol. 12, pág. 435; PONTUAL, pág. 554; WALTER ZANINI, pág. 717; Acervo FIEO; TEIXEIRA LEITE; BENÉZIT; BARDI, Pietro Maria. Profile of the New Brazilian Art. São Paulo. 1970; SCHENBERG, Mário. Pensando a Arte. São Paulo. 1988. Acervo FIEO.

160 - RENOT - (1932)
LL " Bumba meu boi " - tm - 23 x 16 - csd
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

161 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Paisagem rural - osm - 17 x 24 - cie - 1928
Reproduzido sob o nº 413 em catálogo de Lordello e Gobbi - Escritório de Arte - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 080 deste catálogo.

162 - VINCENZO IROLLI - (1860 - 1942)
LL Paisagem - a - 23 x 28 - cid
Italiano, o pintor nasceu em Nápoles. Sua obra tem como temática principal os fatos históricos. Expôs em Nápoles, Milão e Veneza. Acervos: Palais de Beaux Arts em Paris e Museu de Mulhouse, França. JULIO LOUZADA vol.5, pág. 504; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 1203; BÉNÉZIT vol 5 pág 728

163 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Flores - a - 24 x 29 - cie
Com a seguinte dedicatória: " Para minha mamãe. Aldo 7.8.52 ". Esta obra participou da Exposição "Aldo Bonadei " na Galeria Millennium. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 080 deste catálogo.

164 - DECIO FERREIRA - (1932 - 2008)
LL " Uma pena no chapéu " - tm - 50 x 60 - cid e d - 2008
Pintor, gravador e desenhista nascido em São Paulo, Capital. Formou-se no Liceu de Artes e Ofícios desta cidade e, mais tarde, frequentou o curso de desenho livre no MAM-SP. Aperfeiçoou-se em pintura com Alexandre Barrenechea e em gravura com Lívio Abramo. Expôs regularmente no SPAM-SP de 1959 a 1963, obtendo diversas e importantes premiações. Participou da V Bienal de SP; expôs em diversas coletivas e individuais, no País e no exterior. Trabalhou também como chargista da Revista Visão e em vários jornais de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol 1 - pág 379. Acervo FIEO. -

165 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Três esculturas - m em ac
Composto por: 1) Cisne, medindo 9 cm; Elefante, medindo 7 cm e Tatu-bola, medindo 5 cm. -Artista cinético, pintor, desenhista, natural de Natal, RN. Em 1932, muda-se com a família para a região onde, atualmente, se localiza o Estado de Israel. Inicia seus estudos de arte no ateliê do pintor Haaron Avni e do escultor Sternshus e estuda estética com Shor. Freqüenta o Instituto Municipal de Arte de Tel Aviv. Retorna ao Brasil em 1948, e se instala no Rio de Janeiro. Convive com os artistas Ivan Serpa, Renina Katz e Almir Mavignier. Em 1954, integra o Grupo Frente, ao lado de Ivan Serpa, Ferreira Gullar, Mário Pedrosa, Franz Weissmann, Lygia Clark e outros. Desenvolve a partir de 1964 os Objetos Cinéticos, um desdobramento dos cinecromáticos, mostrando o mecanismo interno de funcionamento e suprimindo a projeção de luz. O rigor matemático é uma constante em sua obra, atuando como importante recurso de ordenação do espaço. É considerado internacionalmente um dos pioneiros da arte cinética. ITAUCULTURAL

166 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Guerreiro - grav. P.A. - 40 x 30 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 041 deste catálogo.

167 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL Casario - ose - 30 x 20 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

168 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " Trabalhador " - ose - 16 x 22 - cid - 1972
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 043 deste catálogo.

169 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL " Desejo " - dn e a - 50 x 36 - cse - 1974

170 - ROBERTO PARAGÓ - (1941 - 1996)
LL " Ilha da Conceição " - ose - 27 x 41 - cid e d - 1985 - Niteroí
Pintor ativo no Rio de Janeiro, foi discípulo de Aluísio Valle e Jair Picado. Participou do SNBA em 1968, e do Salão da Sociedade dos Artistas Nacionais no mesmo ano. Expôs individualmente em São Paulo, na Galeria Tableau, desfrutando de excelente acolhida de crítica e público. MEC, vol. 3, pág. 333; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 237; ITAÚ CULTURAL.

171 - ALUISIO CARVÃO - (1920 - 2001)
LL Composição - dn e a - 20 x 20 - cid - 1955
Reproduzido sob o n.° 171 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 053 deste catálogo.

172 - OSCAR NIEMEYER - (1907)
LL Projeto para o Memorial da América Latina - dch - 30 x 50 - cid
Oscar Niemeyer Soares Filho nasceu no Rio de Janeiro. Arquiteto, gravador e urbanista. Forma-se em arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes - ENBA, Rio de Janeiro, em 1934. Nesse ano, passa a freqüentar o escritório do arquiteto e urbanista Lucio Costa. Em 1936, integra a comissão criada para definir os planos da sede do Ministério da Educação e Saúde, no Rio de Janeiro, com a supervisão do arquiteto suíço Le Corbusier, a quem assiste como desenhista. Entre 1940 e 1944 projeta o conjunto arquitetônico da Pampulha, Belo Horizonte - MG, que se configura como um marco de sua obra, pois rompe com os conceitos rigorosos do funcionalismo e utiliza uma linguagem de formas novas, de superfícies curvas, explorando as possibilidades plásticas do concreto armado. Em 1947, é convidado pela Organização das Nações Unidas - ONU a participar da comissão de arquitetos encarregada de definir os planos de sua futura sede em Nova York. Seu projeto, associado ao de Le Corbusier, é escolhido como base do plano definitivo. No Rio de Janeiro, em 1955, funda a revista ‘Módulo’ e no ano seguinte começa a colaborar na construção da nova capital do Brasil, Brasília, cujo plano urbanístico é confiado a Lucio Costa. Participou da I e II Bienal Internacional de São Paulo. Em 1965 é realizada uma retrospectiva sua no Museu do Louvre, Paris, a primeira dedicada a um arquiteto. Projetou inúmeras obras pelo mundo e recebeu vários prêmios. O Parque Ibirapuera (1951), São Paulo, também foi um dos seus grandes projetos. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL.5, PÁG.744; VOL.6, PÁG.785; MEC, VOL.3, PÁG. 263; DICIONÁRIO OXFORD; www.niemeyer.org.br.

173 - MARIO CRAVO JR - (1923)
LL Rosto - g - 33 x 23 - csd
Escultor. Após realizar seus estudos, primeiro com um santeiro baiano,e depois com Cozzo, seguiu para os Estados Unidos, aperfeiçoando-se ali com Mestrovic (1949). Teve o prêmio de escultura na II Bienal de São Paulo, e tem participações em várias exposições, dentro e fora do Brasil. Professor de gravura na Universidade da Bahia. Sua escultura, de cunho expressionista, divide-se em duas fases: a figurativa (santos e imagens na tradição barroca) e não figurativa (experiências formais). Mário Cravo trabalha a madeira e o metal com perícia idêntica. Permaneceu na Europa (Berlim e outros centros) entre 1963 e 1964. MEC,vol. 1, págs. 495 a 497; PONTUAL, págs. 150/1; JULIO LOUZADA, Ed./85, págs. 281/2; BENEZIT, vol. 3, pág. 261; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 638; ARTE NO BRASIL, pág. 846; LEONOR AMARANTE, pág. 23.

174 - ALICE BRILL - (1920)
LL Fachada - ost - 73 x 50 - cid - 1981
No Brasil desde os 14 anos, esta artista alemã, nascida em Colônia, radicou-se em São Paulo, onde estudou com Osir, Bonadei e Yolanda Mohalyi, aperfeiçoando-se com bolsa de estudos nos Estados Unidos. Estudou gravura em São Paulo com Karl-Heinz Hansen, voltando a fazê-lo com Potty Lazzarotto em 1950, no MASP.Como pintora, a primeira exposição de que participou, em 1944, foi o Salão do Sindicato dos Artistas Plásticos de São Paulo, desde então, este sempre presente em diversas coletivas nacionais e estrangeiras. Sua pintura traz a cidade em suas telas. JULIO LOUZADA, vol. 8, pág. 134; MEC, vol. 1, pág. 296; PONTUAL, pág. 90; TEIXEIRA LEITE, pág. 88; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; Acervo FIEO.

175 - TOMIE OHTAKE - (1913)
LL Composição - grav. 81/100 - 53 x 79 - cid - 1993
Importantíssima pintora, nascida em Kyoto, Japão, e radicada no Brasil desde 1936, País que adotou inclusive a cidadania. Iniciou-se artisticamente a partir de 1950, com o pintor japonês visitante Keiya Sugano. Ligou-se ao Grupo Seibi, em cujos salões obteve diversas premiações. Participou ainda por várias vezes, com premiações, do SPAM e do SNAM. MEC, vol. 3, pág. 323; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 791; BENEZIT, vol. 7, pág. 791; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 140/141; PONTUAL, pág. 390; ART PRICE ANNUAL 1990, pág. 1464; TEIXEIRA LEITE, pág. 362/3/4; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 939; LEONOR AMARANTE, pág. 170; WALTER ZANINI, pág. 693; Acervo FIEO.

176 - MOBY - (1922 - 1978)
LL Maternidade - tm - 60 x 37 - cid - 1953
Moby, nome artístico de Mogns Osterbie, natural de Copenhagem, Dinamarca. Pintor e desenhista, frequentou na sua cidade natal a Escola de Arte Decorativa e a Real Academia de Belas Artes. No Brasil, fixou-se em São Paulo, onde realizou diversas individuais, cuja crítica, principalmente de Quirino da Silva, lhe foram favoráveis, transcrevendo comentários de Mário Schenberg. PONTUAL, pág. 363; MEC, vol. 3, pág. 1; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

177 - NERÃO - (ANTONIO JOAQUIM NERY) - (1903 - 1997)
LL " O galo e o gavião " - ost - 38 x 46 - cid - 1986
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 052 deste catálogo.

178 - ANTONIO PARREIRAS - (1860 - 1937)
LL Cascatinha - Floresta da Tijuca - RJ - a - 32 x 24 - cie - 1933
Um dos maiores paisagistas do Brasil, autor também de imponentes nus, Antonio Parreiras estudou com Grimm, mas adquiriu em seguida um estilo próprio, que se traduziu numa cor e numa textura violentas, quase fauves. BENEZIT, vol. 8, pág. 136; MAYER/84, pág. 1082; MEC, vol, 3, págs. 335/6; PONTUAL, págs. 406/7; LAUDELINO FREIRE, pág. 382; WALMIR AYALA, vol. 2, págs. 168 e 170; TEIXEIRA LEITE, pág.386/388; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 416; ARTE NO BRASIL, pág. 532; LEONOR AMARANTE, pág. 42; F. ACQUARONE, pág. 155.

179 - JOHANN MORITZ RUGENDAS - (1802 - 1858)
LL " São Cristovão " - lito. color. - 18 x 30 - n/as.
Pintor e desenhista, descendente de uma família de gravadores e pintores, iniciou seus serviços artísticos com o pai, professor e diretor de uma escola de desenho em Augsburg. Aperfeiçoou-se na Academia de Belas Artes de Munique. Contratado como desenhista da expedição científica do Barão de Langsdorff, transferiu-se para o Brasil em 1821, mas não completando sua missão. Todavia, ficou no país, realizou diversos trabalhos, fixando as paisagens e costumes do Brasil da época, que retornando à Europa, publicou em Paris, sob o título "Voyage Pittoresque au Brésil", em luxuosa edição litografada por Engelmann, com texto em francês e alemão, em 1835. PONTUAL, pág. 463/464; JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 846.

180 - ZÉLIO ANDREZZO - (1948)
LL " Paisagem " - ost - 50 x 65 - cid e d - 1989
Catarinense da bela cidade de Florianópolis, onde nasceu a 15 de dezembro de 1948. Pintor e desenhista. Segundo seus críticos, trata-se de artista obstinado e firme em seu propósito, tendo a disciplina de um espartano, a paciência de um monge e a precisão de um cosmonauta. Participações em coletivas com premiações. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 14.

181 - CASEMIRO RAMOS FILHO - (1905 - 1976)
LL Paisagem - ost - 64 x 75 - cid - 1961
Freqüentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro, onde estudou com Adalberto Matto e Isaltino Barbosa. Teve como professores ainda Rodolpho Amoedo, Carlos Chambelland e Oswaldo Teixeira. Participou do Salão Nacional de Belas Artes, em diversas ocasiões, obtendo premiações e menções honrosas. TEODORO BRAGA, pags. 67 e 200; MEC, vol. 4, pág. 25; ITAU CULTURAL.

182 - SHOKICHI TAKAKI - (1914 - 2006)
LL Rosas - osm - 35 x 37 - cie
Nasceu em Niegata, Japão, em 15/7/1914. No Brasil desde 1927, onde faleceu. Autodidata até os últimos dias de vida. De lavra acadêmica, sua pintura reproduz paisagens, naturezas mortas, figuras humanas, flores e marinhas, em cunho realista e naturalista. Pintor com diversas participações no Salão Paulista de Belas Artes, tendo obtido medalha de bronze. JULIO LOUZADA, vol.11, pág. 315; MEC, vol. 4, pág. 352.

183 - LULA CARDOSO AYRES - (1910 - 1987)
LL Figura - g - 48 x 32 - cid
Natural do Recife, PE, foi pintor e desenhista, tendo se iniciado artisticamente sob a orientação de Henrich Moser, naquela mesma cidade. Estudou no Rio de Janeiro com Carlos Chambelland e na antiga ENBA até 1930, onde foi aluno de Rodolfo Amoedo. Foi contemporâneo nessa escola de Portinari, Teruz, Oswaldo Teixeira, Joaquim da Rocha Ferreira e Orózio Belém. A partir de 1933, já de volta à sua terra natal, dedica-se totalmente aos temas regionais. JULIO LOUZADA vol. 1, pág. 31; TEIXEIRA LEITE, pág. 293; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 879; Acervo FIEO.

184 - ANTONIO PETICOV - (1946)
LL " O boi " - ost - 90 x 60 - d - 2007
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 059 deste catálogo.

185 - YOSHIYA TAKAOKA - (1909 - 1978)
LL " Estudo de nu " - ost - 22 x 16 - cse - 1968
Com etiqueta de exposição na Associação Internacional de Artes Plásticas - São Paulo, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 060 deste catálogo.

186 - CARLOS GARCIA ARIAS - (1927)
LL Composição - tm - 60 x 80 - d - 1979
Desenhista, pintor, gravador, escultor, professor e curador. Nasceu em San Rafael, Argentina. Teve sua formação artística na Argentina onde freqüentou a Escola de Arquitetura de Rosário (1950-1953) e estudou desenho e pintura com Francisco Marinaro (1955-1956). Anteriormente, desde 1948 até 1955 dedicara-se a pintar retratos, gênero que se especializara. Na década de 1960 transferiu-se para o Brasil onde realizou cursos e lecionou. Entre suas obras realizadas em colaboração com Giuliana Pedrazza, destacam-se murais escultóricos nos Edifícios Itália (1964-1965) e Vitória (1967), ambos em São Paulo. Exposições individuais: São Paulo (1962); Campinas, SP (1964); Santa Fé, Argentina (1964). Coletivas: São Paulo (1962, 1970); Santo André, SP (1968). Prêmios: São Paulo (1962, 1963). ITAU CULTURAL; MEC, VOL.1, PÁG. 111; PONTUAL, PÁG. 40.

187 - HARRY ELSAS - (1925 - 1994)
LL Menina com cachorro - ost - 80 x 60 - cid - 1974
Com etiqueta de Samarte Empreendimentos Artísticos Ltda - Rio Janeiro, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 062 deste catálogo.

188 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX -
LL Figuras - ost - 40 x 50 - cid ileg.

189 - VITORINO - (1955)
LL " Casas " - ost - 30 x 40 - cid e d - 1989
Batizado Wilson Roberto Vitorino, o autor nasceu em Pacaembú, SP, no dia 17 de agôsto. Cursou pintura com Miguel Lopes Palla (1978-1980) e com Franulic (1980-1982), concluindo curso de Educação Artística em Artes Plásticas pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo (1982). Foi aluno de Collete Pujol (1983). Participa de coletivas a partir de 1979, recebendo premiações em 1980 (pequena medalha de ouro), 1982 e 1984. JULIO LOUZADA vol.11, pág. 340, Acervo FIEO.

190 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Surreal - ost - 60 x 100 - cid - 1983
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 065 deste catálogo.

191 - GUILHERME DE FARIA - (1942)
LL " Secretas esperanças de levitação " - dn - 29 x 22 - cid - 1963
Pintor, gravador e desenhista paulistano. Expõe individualmente desde 1963, tendo participado de diversas coletivas no Brasil e no exterior. MEC vol.2, pág. 142; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

192 - JOSÉ MARQUES CAMPÃO - (1892 - 1949)
LL Paisagem - a - 26 x 34 - cid
Excelente paisagista paulistano, aluno de Oscar Pereira da Silva, da Academia Julian - Paris, e da Escola Nacional Superior de Belas Artes de Paris, entre 1912 e 1918. Foi membro da Comissão de Orientação Artística de São Paulo em 1944. Expôs no Salão dos Artistas Franceses e em diversas exposições coletivas e individuais. TEODORO BRAGA, pág. 61/62; PONTUAL, pág. 102; MEC, vol. 1, pág. 331; REIS JR., pág. 374; WALMIR AYALA, vol. 1,pág. 160; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.

193 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Nu - dl e g - 30 x 22 - cie - 1947
Com carimbo do Leilão do Espólio de Antonio Bandeira, realizado no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

194 - GUIDO TOTOLI - (1937)
LL Casario - ost - 54 x 65 - cid
Italiano, radicado no Brasil, Totoli é acima de tudo ótimo paisagista e pintor de figuras, fazendo uso de uma cor e de uma pincelada vivas e truculentas. Tem se dedicado com muita felicidade às cerâmicas. MEC, vol.4, pág. 408; JULIO LOUZADA, vol.11, pág. 325, Acervo FIEO.

195 - LOIO PÉRSIO - (1927 - 2004)
LL Composição - tst - 50 x 70 - cid - 1973
Loio-Pérsio Navarro Vieira de Magalhães, nasceu em Tapiratiba-SP. Pintor, desenhista, gravador, ilustrador, artista gráfico e publicitário. Estudou pintura com Guido Viaro e fez sua primeira exposição individual, em 1947, no Centro Cultural Interamericano, em Curitiba, PR. No Rio de Janeiro, cursou pintura com Aldo Malagoli e cenografia com Santa Rosa, no Serviço Nacional de Teatro, entre 1949 e 1950. Em 1951, funda o Centro de Gravura do Paraná e trabalha com o pintor alemão Gunther Schierz em ateliê comum. Viajou para a Europa com o prêmio concedido pelo SNAM em 1963. MEC. vol. 3, pág. 391; ITAUCULTURAL.

196 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 11 x 20 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 071 deste catálogo.

197 - LEÓN FERRARI - (1920)
LL Multidão - lito. P.A. - 30 x 42 - cid - 1982
Gravador e escultor argentino, natural da cidade de Buenos Aires. Começou a fazer escultura em 1954, com diversos materiais e com arame de aço inoxidável. Em 1962, iniciou sua série de desenhos escritos. Em 1964 colaborou com Rafael Albertino no livro de poesias e desenhos "Escritos en el Aire", editado por Vanni Scheiwiller em Milão. Em 1965, abandonou a arte abstrata e participou do movimento cultural que acompanhou a atividade política argentina, colaborando na organização de diversas mostras coletivas. A partir de 1976 fixa residência no Brasil, em São Paulo, onde voltou a esculpir e experimentar outras técnicas, como fotocópias, etc. Desenvolveu uma série de esculturas sonoras que deram origem aos instrumentos lúdicos musicais com os quais deu 4 concertos-performance. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 403

198 - JOSÉ GAMARRA - (1934)
LL Composição - dn e s - 35 x 50 - cid - 1963
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 073 deste catálogo.

199 - HUGO ADAMI - (1900 - 1999)
LL Janela da natureza - ost - 55 x 46 - cid e d
Pintor. Fez estudos artísticos em Florença e Paris. O artista participou da Bienal de Veneza e do Salão das Tulheries em Paris. Destacou-se como um dos nossos melhores paisagistas. TEODORO BRAGA, pág. 120; PONTUAL, pág. 3; REIS JUNIOR, pág. 380; MEC, vol. 1, pág. 36; WALMIR AYALA, vol. 1 , pág. 11; TEIXEIRA LEITE, pág. 13; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 580; ARTE NO BRASIL, pág. 777; ACERVO FIEO, pág. 998.

200 - MESTRE EXPEDITO - (1933)
LL Anjo - e em mad. - h = 52 - b - 2009 - Teresina/PI
Expedito Antonino dos Santos, o Mestre Expedito, é um grande nome da arte santeira piauiense. Suas peças entalhadas na madeira, são admiradas no Brasil e no exterior, contribuindo para a valorização do Piauí pela criatividade de seus artesãos e qualidade de suas criações.

201 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL " Secos e Molhados " - dn e g - 28 x 40 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

202 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
LL Rosto - xilo. - 25 x 20 - ci - 1933
Com dedicatória. -Paulista de Araraquara, Lívio foi exímio gravador, desenhista, pintor, jornalista e professor. Autodidata, executou suas primeiras gravuras em madeira por volta de 1926. Sofreu influência de Lasar Segall, focalizando desde então de modo expressionista tipos e paisagens dos subúrbios paulistanos, inclusive temas de caráter social, como indicou Sérgio Milliet em sua obra de 1940. O autor, certa feita, assim falou de si próprio: "Geralmente persisto em um mesmo motivo por longo tempo: trabalho-o até que me pareça haver esgotado todas as possibilidades que ele oferece. Jamais pensei em fazer 'paisagens'. O que procuro é interpretar o sentido e a problemática da natureza de uma terra, a força dos sentimentos que ela provoca em mim, e assim, quanto mais de acordo com a minha própria natureza, tanto mais imediata surge a interpretaçãop plástica, como sucedeu, por exemplo, com meu 'encontro' com as 'arquiteturas' da realidade íntima da terra paraguaia. PONTUAL, pág. 1, JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 19; MEC vol.1, pág. 33; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 795; LEONOR AMARANTE, pág. 28; Acervo FIEO.

203 - JOÃO BAPTISTA CASTAGNETO - (1862 - 1900)
LL Chalupa de duas velas navegando - osm - 8 x 13 - cid
Pintor especializado em marinhas, foi aluno de Georg Grimm, exímio colorista, fez impressionismo institivamente; pintou em geral pequenos quadros a óleo, usando como suporte até tampas de caixas de charuto; fez também aquarelas e desenhos. MEC vol.1, pág. 368; PONTUAL, págs. 117/118; TEIXEIRA LEITE, pág. 112; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 416; LEONOR AMARANTE, pág. 42.

204 - MARIO MACHADO PORTELLA - (1897 - 1964)
LL Paisagem - a - 27 x 35 - cid - 1960
Pintor que completou sua formação artística na Inglaterra sob a orientação de Frank Fischer. Participou de várias exposições e Salões oficiais em: São Paulo, SP (1945); Rio de Janeiro, RJ (1948, 1949, 1954, 1958). Prêmios: Rio de Janeiro, RJ (1948 e 1954). Possui obras no Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro, RJ. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 564. ITAU CULTURAL.

205 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL " Jarra, garrafa e fruta " - v e s/t - 56 x 37 - cie e d - 1979
- Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 005 deste catálogo.

206 - VICTOR VASARELY - (1908 - 1997)
LL Composição - ser. P.A. - 50 x 50 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 081 deste catálogo.

207 - EUGÊNIO PRATI - (1889 - 1979)
LL Composição - ost - 69 x 52 - cie
Escultor, pintor e desenhista, natural de Cerro Veronese, Itália, e falecido em São Paulo-SP. Figura de relevo na escultura paulista, sua produção inclui numerosos crayons e pinturas. Participou de diversos salões, bem como venceu importantes concursos. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 783. MEC vol.3, pág.435/436; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 631.

208 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
LL Composição - ser. 71/100 - 56 x 74 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 083 deste catálogo.

209 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX -
LL " Favela Carioca " - e em mad. - h = 43 - ass. - 1978
Assinado 'Magela'. -

210 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL Marinha - a - 20 x 28 - cid - 1937
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 085 deste catálogo.

211 - KICHIZAEMON TAKAHASHI - (1908 - 1977)
LL Peixes - ost - 26 x 34 - cid
Natural do Japão, imigrou para o Brasil em 1927, fixando-se no interior do Estado de São Paulo, onde trabalhou durante 4 anos na lavoura, vindo depois para a Capital. Estudou na SPBA (1936-1938), participando do SNBA. Na déc. de 1950 integrou o Grupo Guanabara. Recebeu no SPBA medalha de bronze (1959, prêmio de aquisição 1961 e 1963, prêmio Prefeitura de São Paulo, 1962 e medalha de prata no VIII Salão de Seibi (1964). PONTUAL, pág. 509

212 - HEITOR DOS PRAZERES - (1898 - 1966)
LL " Sambistas e passistas " - ost - 38 x 55 - cid - 1961
Com autenticação da família do artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 087 deste catálogo.

213 - SALVADOR DALI - (1904 - 1989)
LL " Cristo " - lito. os - 26 x 14 - cid
Com certificado de autenticidade de MZK Fine Art - Florida, no dorso. -Pintor, gravador e cartazista. Grande mestre Catalão. Personagem extravagante, louco, irreverente, apocalíptico, são alguns dos adjetivos mais frequentes dados à sua pessoa, mas foi, sobretudo, um gênio. ART PRICE ANNUAL, 2000, págs.582 a 585: BENEZIT, vol.3, págs. 329 a 331; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 309

214 - VINCENZO CENCIN - (1925 - 2010)
LL Marinha - ost - 40 x 60 - cid
Natural de Veneza, Itália, desde pequeno sente a feição mágica e iluminada de sua cidade natal e o mar que a rodeia. Após a II Grande Guerra vem para o Brasil, onde fixa a sua residência. Em 1981 inaugura a Galeria Velha Europa, em São Paulo. Sobre a sua obra, assim se manifestou o crítico José Roberto TEIXEIRA LEITE: "... para esse homem chegado já maduro às artes, depois de longa carreira em campo diametralmente oposto, o que importa é lançar, sobre o espaço da tela, reminicências do homem mediterrâneo..." JULIO LOUZADA, vol.11, pág. 69; ITAU CULTURAL.

215 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL " Terra de ninguém " - ost - 60 x 75 - cid - 1947
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

216 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Torso feminino - e em mar - h = 27 - ass.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 091 deste catálogo.

217 - ROLANDO NATAL SCURZIO - (1931 - 1998)
LL " Chaminé da fábrica " - osm - 45 x 55 - cie e d - 1995
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

218 - GERDA BRENTANI - (1906 - 1999)
LL " Urubus " - dn e a - 70 x 50 - cid - 1961
Com etiqueta do Museu de Arte Moderna - São Paulo, no dorso. -Nasceu em Triestre, Itália, no dia 27 de fevereiro de 1908. Desenhista e gravadora. No Brasil desde 1939, fixou residência em São Paulo, Capital. Iniciou estudos com Ernesto de Fiori e Rossi Osir, por volta de 1940. De traço humoristico, a artista destacou-se no cenário artístico/crítico nacional, cuja obra tem participado em mostras nacionais e internacionais, com sucesso de crítica. JULIO LOUZADA vol.1, pág.153; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 630; Acervo FIEO.

219 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Mulata - dn - 20 x 30 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 094 deste catálogo.

220 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL " Alto de Teresópolis " - osm - 19 x 25 - cid e d - 1946
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 095 deste catálogo.

221 - RUDOLF WEIGEL - (1939)
LL Ponte quebrada - ost - 55 x 46 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 086 deste catálogo.

222 - JEAN BAPTISTE DEBRET - (1708 - 1848)
LL " Sauvages Goyanas ( O mar pequeno ) " - lito. color. - 32 x 20 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 097 deste catálogo.

223 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Pescadores - osm - 40 x 30 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 039 deste catálogo.

224 - ARMANDO VIANNA - (1897 - 1988)
LL No pasto - ostce - 70 x 87 - cid - 1960
Este grande pintor carioca foi discípulo de Rodolfo Chambelland e Rodolfo Amoedo na antiga Escola Nacional de Belas Artes e de Eurico Alves e Stefano Cavalaro, no Liceu de Arte e Ofícios do Rio de Janeiro. É ainda hoje, considerado um dos maiores aquarelistas brasileiros. Realizou exposições individuais e em todas as principais capitais brasileiras. MEC vol.4, pág.470; JULIO LOUZADA vol.3, pág.186. PONTUAL pág. 538; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

225 - FRANCISCO REBOLO GONSALES - (1903 - 1980)
LL Casario - ost - 34 x 47 - cid - 1974
Com certificado de autenticidade do Instituto Rebolo. - Reproduzido no convite deste leilão.Grande pintor paulistano, um dos principais membros do Grupo Santa Helena e da Família Artística Paulista, Rebolo é acima de tudo um paisagista de colorido suave e desenho sensível. MEC, vol. 4, pág. 28/29; TEODORO BRAGA, pág. 202/3; PONTUAL, pág. 447/448; REIS JR., pág. 382; TEIXEIRA LEITE, pág. 433/434/435.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; LEONOR AMARANTE, pág. 13; ARTE NO BRASIL; Acervo FIEO.

226 - UBIRAJARA RIBEIRO - (1930 - 2002)
LL " Por uma ecologia da imagem " - col. 35/50 - 21 x 29 - le - 1986
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 101 deste catálogo.

227 - PABLO PICASSO - (1881 - 1973)
LL " Sala Gaspar " - lito. 910/1000 - 78 x 60 - cid - 7.3.1961
Assinado na pedra. -Considerado o maior pintor do século XX. ART PRICE ANNUAL, 200, págs.1946 a 1968; BENEZIT, vol.8, págs.297 a 303; ARTE NO BRASIL, pág. 564.

228 - CÂNDIDO PORTINARI - (1903 - 1962)
LL " Velho montado a cavalo " - grav.metal - 32 x 24 - cid
Registrado no Projeto Portinari sob o nº 4645 [FCO 828]. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 103 deste catálogo.

229 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Composição - dn e a - 30 x 23 - cid
Com resquícios de assinatura no canto inferior direito. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

230 - INOS CORRADIN - (1929)
LL Casal - e em c - h = 55 - ass.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 074 deste catálogo.

231 - SAUL STEINBERG - (1914 - 1999)
LL Figura e pássaro - g - 30 x 20 - cid
Desenhista, pintor, gravador, ilustrador, cartunista, escultor, natural da Romênia. Estudou Filosofia em Bucareste, Romênia e Arquitetura em Milão, Itália. Nos anos 30 publicou seus cartuns na revista italiana Bertoldo. Em 1940, seus desenhos começam a aparecer nas revistas Life e Harper’s Bazaar. Vai para os Estados Unidos em 1941 e passa a publicar, regularmente, seus trabalhos na revista The New Yorker por quase 60 anos, além de se dedicar intensamente às diversas formas de expressão. A primeira exposição de seus trabalhos se deu em Nova York, em 1943. E várias outras aconteceram por museus da Europa e Estados Unidos, inclusive no Museu de Arte de São Paulo, São Paulo. Uma retrospectiva de sua obra foi realizada no Museu Whitney de Arte Americana, em Nova York (1978) e uma póstuma no Instituto de Arte Moderna, em Valencia - Espanha (2002). BENEZIT, VOL. 9, PÁG. 805; MEC, VOL. 4, PÁG. 341; www.saulsteinbergfoundation.org; www.artcyclopedia.com/artists; www.britannica.com.

232 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - g - 26 x 10 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 107 deste catálogo.

233 - BIGIO GERARDENGHI - (1876 - 1957)
LL Natureza morta - ost - 30 x 42 - cid e d
Italiano de Dronero, Piemonte, onde nasceu em 7/8/1876. Pintor e professor, oriundo de família nobre, o autor sempre viveu em Nápoles, onde realizou estudos e concluiu sua formação artística. Reputado pintor de paisagens e marinhas, figurou em diversas exposições na Itália, onde ganhou a medalha de ouro na Exposição Internacional de Nápoles, e em 1916, quando o seu quadro Lã para os Soldados, foi escolhido pela Cruz Vermelha Italiana para ser reproduzido como propaganda de Socorros de Guerra. No Brasil sua obra foi muito bem recebida pela público e crítica, figurando em diversas exposições. BENEZIT, vol.4, pág. 681; MAYER/84, pág. 835; TEODORO BRAGA, pág. 107; JULIO LOUZADA vol.1, pág. 415; ITAÚ CULTURAL, RUTH TARASANTCHI.

234 - VITTÓRIO GOBBIS - (1894 - 1968)
LL Nu - dn - 35 x 50 - cid - 1937
Natural de Treviso, Itália. Iniciou seus estudos na terra de origem, tendo após fixado residência em São Paulo, onde foi pintor atuante. Obteve diversas premiações nos Salões Paulistas, no SNBA e no Salão Paulista de Arte Moderna. Participou da I e II Bienais de São Paulo. O MNBA e o MASP possuem obras deste festejado pintor. MEC, vol.2, pág.271; TEIXEIRA LEITE, pág. 220; PONTUAL, pág.240; WALMIR AYALA, vol.1, pág.350; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 777, Acervo FIEO.

235 - THOMAZ IANELLI - (1932 - 2001)
LL Figuras - ost - 60 x 80 - cid e d - 1973
Com Termo de Transferência de Propriedade, firmado por Marco Antonio Mastrobuono. - Reproduzido no convite deste leilão.Natural de São Paulo, estudou com Angelo Simeone na Associação Paulista de Belas Artes (1953). Participou de coletivas do Grupo Guanabara. Expôs individualmente desde 1960, em diversas cidade do País e no exterior (Madrid, Paris, Bilbao e Lima), e particpou de coletivas nacionais e estrangeiras, sendo presença constante em mostras antológicas de pintura brasileira no país e no estrangeiro. Sobre sua obra mais recente, já se disse pertencer a um mundo de suavidades carinhosas, poéticas, sem se tornar adocicado, monótono e cansativo. Um mundo feérico, aberto, fluído. Viveu no Paraná, com grande sucesso de público e crítica. TEIXERIA LEITE, pág. 507; MEC, vol. 2, pág. 345; WALTER ZANINI, pág. 755; ARTE NO BRASIL, pág.914, Acervo FIEO.

236 - RENOT - (1932)
LL Paisagem - ast - 36 x 46 - ci e d - 1972
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

237 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Baiana - dn e g - 23 x 14 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

238 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Casario - ost - 150 x 115 - cid - 1969
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 113 deste catálogo.

239 - ROSA SHIROMA BERSANI - (1942)
LL " Grande posse " - ost - 100 x 80 - cid - 2010
Pintora nascida em Miracatu, SP. Iniciou seu aprendizado artístico em 1961 quando se mudou para São Paulo, estudando pintura com Colette Pujol e Arnaldo Ferrari e escultura com Caciporé Torres. Realizou uma exposição individual em São Paulo (1970) e tem participado de inúmeras mostras e Salões oficiais em: Salvador, BA (1966); Campinas, SP (1966, 1968, 1969); São Paulo (1962, 1966, 1968, 1969 – Bienal, 2004, 2005, 2009); São Caetano do Sul, SP (1967); Itaquera, SP (1969); Dubai, Emirados Árabes (2008); Rio de Janeiro (2008, 2009, 2010); Nova York, EUA (2009, 2010); Alemanha (2009); Quênia (2010); Paris (2010). Prêmios: São Paulo (1966, 2005); São Caetano do Sul, SP (1967); Itaquera, SP (1969); Campinas,SP (1969). MEC VOL.4, PÁG.242; PONTUAL PÁG.489.

240 - ELZA DE OLIVEIRA SOUZA - (1928 - 2006)
LL Bailarinas - ose - 55 x 46 - cie - 1965
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 115 deste catálogo.

241 - EDGARD OEHLMEYER - (1909 - 1967)
LL Flores - ose - 25 x 20 - csd
Ex-coleção do Dr. Heitor Portugal. -Nasceu em Rio Claro, no dia 31 de maio e falecido em 4 de outubro de 1967. Nessa cidade cursou na Escola Profissional a seção de pintura com o prof. Carlos Hadler. Discípulo de Rocco, foi destacado paisagista e pintor de naturezas-mortas, tendo obtido diversas premiações nos SNBA e SPBA. TEODORO BRAGA, pág. 175; MEC. Vol.3, pág. 291; MAYER/1984, pag. 1070; TEIXEIRA LEITE, pág. 362; PONTUAL, pág. 389; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

242 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL Queimada - ost - 50 x 73 - cie e d - 1975
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 079 deste catálogo.

243 - TETSUO NOMURA - (1928)
LL Borboleta - ose - 55 x 46 - cid
Natural de Tóquio, Japão, onde realizou seus estudos artísticos na Universidade de Arte daquela cidade. No Brasil desde 1956, engajou-se desde logo no Grupo Seibi, participando de diversos certames oficiais a partir de 1966, recebendo diversas premiações. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 679.

244 - NARCISO CONILLO MARTINS - (1963)
LL Composição - ost - 90 x 80 - cid
Nascido em Gleba Keller, no Paraná, o autor demonstra desde cedo talento para a pintura. Estudou com Arrigo Libarde (professor austríaco), com Manuel Victor Filho, (Escola Panamericana de Arte em SP), com Roberto Magalhães e Achile Noris. CONILLO teve como mestre de filosofia da arte Tao Sigulda, artista plástico que lhe mostrou o caminho da composição das cores, suas combinações e efeitos, lições essas que o autor soube muito bem aproveitar, como podemos desfrutar em suas belas e harmoniosas telas. Excelente crítica e mercado. Livro: SECRET GARDEN, Ed. Almacen, Portugal, 2001, português/inglês; Acervo FIEO.

245 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL " Emblema " - ser. 101/140 - 83 x 60 - cid - 1981
Baiano de Salvador, autodidata, Rubem Valentin pinta desde meados de 1940. Sua primeira coletiva foi em 1949, no Salão Baiano de Belas Artes, do qual participaria outras vezes, recebendo premiações. Viveu no Rio de Janeiro e na Europa, fixando residência permanente em Brasil, DF, há mais de 20 anos. O artista assim explicava a sua arte: "Minha linguagem plástico-visual signográfica está ligada aos valores míticos profundos de uma cultura afro-brasileira (mestiça-animista-fetichista). Com o peso da Bahia sobre mim - a cultura vivenciada; com o sangue negro nas veias - o atavismo; com os olhos abertos para o que se faz no mundo - a contemporaneidade; criando os meus signos-símbolos procuro transformar em linguagem visual o mundo encantado, mágico, provavelmente místico que flui continuamente dentro de mim". PONTUAL, pág.532; WALMIR AYALA, vol.2, págs.395 a 397; TEIXEIRA LEITE, pág.517; MEC, vol.4, pág.443; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.330; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 257, Acervo FIEO.

246 - RAMON CÁCERES - (1944)
LL Composição - ost - 52 x 52 - cid e d - 1987
Natural de Quilindy, Paraguai, fixou residência em São Paulo no ano de 1970, tornando-se discípulo da restauradora internacional Luciana Battioli, que o elogia pela técnica perfeita, sensibilidade aguda de exímio colorista. Tem como proposta estética o purismo da forma equilibrado notavelmente com um cromatismo muito particular e ritmado.Tem obras no MASP, no México e em coleções particulares no Brasil e no Paraguai. JULIO LOUZADA vol.2, pág. 191; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

247 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Figuras - dn e ag - 30 x 22 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 034 deste catálogo.

248 - WASHINGTON MAGUETAS - (1942)
LL Cena de batalha - ose - 18 x 24 - cie - 1980
Pintor e escultor. O escultor italiano Francesco Bassi lhe transmite conhecimentos, que utiliza nas primeiras esculturas em argila, feitas em 1954. Recebe o primeiro, de seus muitos prêmios de pintura aos 15 anos. Seus trabalhos estão em museus e coleções particulares do País e do exterior. JULIO LOUZADA, vol.10, pág.536

249 - ADRIANA BANFI PASSARELLI - (1947)
LL Composição - ser. 56/80 - 70 x 25 - cid
Nasceu em Verbania, Itália. Desenhista, gravadora, pintora. Muda-se para São Paulo em 1963, Na década de 80 freqüenta aulas de óleo e aquarela com o professor José Figueroa. Participa de exposições no Brasil e no exterior. A partir da década de 90, passa a integrar o Acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo. "Adriana Banfi atinge na sua pintura atual propriedades que vem somando de técnicas experimentadas anteriormente: aquarela e gravura, principalmente. A artista quer fazer da cor uma entidade autônoma, ao inserir na densidade da pintura abstrata a transparência da aquarela. Ao mesmo tempo, contrapondo-se à ríspida textura, fruto da rugosidade da superfície da tela, Banfi aproxima-se de processos de gravura (incisione), enquanto harmoniza todo esse universo com um grafismo essencial no equilíbrio e expressivo no gesto. Cada técnica traz em si sua linguagem subjacente. Adriana Banfi retira da aquarela a fluidez das transparências; enquanto a gravura dá-lhe disciplina, textura e profundidade, espécie de anteparo ao melífluo da aquarela, anulando assim a possibilidade de uma dessas linguagens sobrepujar a outra, dominando a outra. Ao contrário, por serem antagônicas em suas propostas, ambas se anulam, deixando à pintura uma fenda para o emergir de sua autonomia. Para conseguir esses efeitos de aguada e de textura, a artista emprega a tinta acrílica, na qual pode realizar a têmpera adequada, ora tornando-a mais fluídica, em busca de transparências, ora densas rugosidades". Alberto Beuttenmüller in BANFI, Adriana. As Quatro estações : pinturas. Fotografia Romulo Fialdini; texto Alberto Beuttenmüller; apresentação Mônica Filgueiras Almeida. São Paulo : Mônica Filgueiras Galeria de Arte, 1998. 2 folhas dobradas il. p. b. color. JULIO LOUZADA vol. 4 pág. 107; ITAU CULTURAL.

250 - DJANIRA DA MOTTA E SILVA - (1914 - 1979)
LL Trabalhador - ser. - 48 x 31 - cid - 1974
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 147 deste catálogo.

251 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Seca - lito. 18/20 - 33 x 22 - cid - 1968
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

252 - AUGUSTO RODRIGUES - (1913 - 1993)
LL Modelo - lito. 42/60 - 50 x 35 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 123 deste catálogo.

253 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Marinha - osc - 20 x 30 - cie - 1949 - Rio
Nascido na Itália, radicou-se no Brasil. Seu estilo liga-se ao dos Macchiajoli oitocentistas (os equivalentes italianos dos impressionistas franceses) e ao de Pratella em especial. São especialmente notáveis suas paisagens e marinhas. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 168; JULIO LOUZADA vol.11, pág.54; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

254 - ELISABETH NOBILING - (1902 - 1975)
LL O pensador - grav. 6/25 - 20 x 13 - cid
Olga Elisabeth Magda Henriette Nobiling, escultora, ceramista, desenhista e professora, nasceu em São Vicente, SP, e faleceu em São Paulo, SP. Em 1923 ingressou na Universidade de Colônia, Alemanha, matriculando-se nos cursos de Filosofia, História e História da Arte. Em 1927 iniciou seus estudos de escultura em Munique, na Baviera. Entre 1929 e 1930, foi admitida na Academia de Belas Artes da Universidade de Berlim, pela apresentação do seu trabalho Cabeça de Gertrude, tornou-se aluna especial. Além disso, teve aulas com Edwin Scharff e Klipech. Voltou ao Brasil em 1934, integrou o’ Grupo dos Sete’ com Victor Brecheret, Rino Levi, Yolanda Mohalyi, Regina Graz, Jonh Graz e Antonio Gomide. Em 1938, freqüentou cursos de cerâmica em Viena, Áustria. Realizou exposições individuais em São Paulo (1936, 1944, 1948) e participou de coletivas em: São Paulo (1937 a 1939, 1941, 1947, 1949 a 1951 - 1ª Bienal Internacional, 1952, 1953 - 2ª Bienal Internacional, 1954, 1961, 1962); Rio de Janeiro (1952); Paris (1952, 1955, 1957). Foi premiada na 1ª Bienal Internacional. ITAU CULTURAL; MEC, VOL.3, PÁG. 265; PONTUAL, PÁG. 385; monumentos.art.br.

255 - CÁSSIO MELLO - (1930)
LL Cavalo - ost - 50 x 40 - cie - 1983
Pintor que tem como tema já consagrado o elemento eqüino. São extraordinários os seus trabalhos nesse tema que alia com competência e sensibilidade a figura desse maravilhoso animal. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 208.

256 - GUTO LACAZ - (1948)
LL Composição - lito. P.A. - 32 x 47 - cid
Carlos Augusto Martins Lacaz , nasceu em São Paulo-SP. Artista multimídia, ilustrador, designer, desenhista e cenógrafo. Graduou-se em eletrônica industrial pelo Liceu Eduardo Prado-SP, em 1970, e em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo de São José dos Campos-SP, em 1974. Realiza diversas performances entre 1983 e 1989, destacando-se Eletro-Performance, Estranha Descoberta Acidental e O Executivo Heavy Metal. Na década de 1990, ilustra os livros Crescente: 1977-1990, de Duda Machado; Num Zoológico de Letras, de Régis Bonvicino; e o Balé dos Skazka's, de Kátia Canton. JULIO LOUZADA, vol. 11 pág. 167; ITAU CULTURAL.

257 - ÉLVIO BECHERONI - (1934 - 2000)
LL " Persuasão da Verdade " - o e c s/t - 80 x 60 - cie e d - 1984
Escultor e pintor natural de Florença, Itália, onde nasceu a 23/2/1934, e falecido em São Paulo-SP, onde residia e foi ativo. Iniciou suas atividades em 1962, participando no decorrer de sua carreira de diversas e importantes exposições nacionais e internacionais, tais como o Prêmio Juan Miró, em Barcelona, Espanha. Artista que alcançou renome internacional, constando inclusive de catálogo internacional de arte. JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 32

258 - DAREL VALENÇA LINS - (1924)
LL Composição - grav. 33/50 - 50 x 36 - cid - 1967
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 008 deste catálogo.

259 - FERENC KISS - (1944)
LL Paisagem - ost - 50 x 50 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 131 deste catálogo.

260 - EDUARDO KENJI TAKEBAYASHI - (1949)
LL " Cangaceiros " - dn e a - 56 x 74 - cid - 1975
Nasceu em Junqueirópolis, SP, em 20 de maio de 1949. Participou de coletivas realizadas em SP, Porto Alegre e Brasilia, recebendo premiações. JULIO LOUZADA, vol. 7 pág. 687.

261 - MACIEJ ANTONI BABINSKI - (1931)
LL Surreal - grav. 74/80 - 18 x 12 - cid
Natural de Varsóvia, Polônia, viveu sucessivamente na Inglaterra e no Canadá, radicando-se em 1953 no Brasil. Antigo aluno de Maurice Denis em Paris, e expoente da pintura abstracionista canadense. Babinski foi colega de Goeldi, de quem adotou a linguagem expressionista. Esplêndido gravador. Atualmente vive é ativo no Ceará. TEIXEIRA LEITE, pág. 48; PONTUAL, págs. 46 e 47; MEC, vol. 1, pág. 157; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 69; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 24; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 903, Acervo FIEO.

262 - JAN BOGUSLAWSKI - (1946)
LL " Pequeno soldado " - ost - 50 x 40 - cie e d - 2006
Natural de Trille, Alemanha, onde nasceu a 24 de setembro de 1946. Pintor e escultor. É autodidata. Segundo crítica de Yvelise de Araújo Szaniawski .." A pintura de Jan nos conduz a um mundo fascinante de poesia e beleza. Sensibilidade, lirismo poético, pesquisa surrealista do insólito e do onírico são algumas das qualidades que, ao lado de um domínio pleno do ato pictório, mais impressionam em Jan. Sua obra, instigante e rica, nos parece prometida a um sucesso duradouro." JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 43

263 - ALBERTO ADANS - (1942)
LL Barco - ost - 70 x 50 - cid - 2010
Pintor natural de São Paulo, onde é ativo. Médico, iniciou-se nas artes em 1980. Teve como orientador o artista plástico Rolando Scurzio, discípulo de Castellane. A partir de 1984 passa a integrar o Grupo Matisse, de Francesco Gallotti e Miguel Lopez Pallas. Com intensa participação nos salões oficiais a partir de 1981, conforme extensa e lista constante da bibliografia abaixo, onde também constam as muitas premiações recebidas por este brinlhante artista. Acervo FIEO; JULIO LOUZADA, vol. 2 pag 27 e 28

264 - MARIA HELENA CHARTUNI - (1942)
LL Figura - ost - 65 x 55 - ci - 1977
Com carimbo do Mirante da Artes de Pietro Maria Bardi - São Paulo, no dorso. -Paulistana, é pintora e desenhista. Foi aluna de Luigi Zanotto. Participou de salões oficiais a partir de 1963 (Bienal SP). Premiada em 1967 com viagem à Europa. Fez diversas ilustrações para a revista Mirante das Artes, em cuja galeria expôs individualmente em 1967. MEC. Vol. 1 pág. 433; WALTER ZANINI, pág. 735; ARTE NO BRASIL, pág. 968.

265 - ANTONIO HENRIQUE AMARAL - (1935)
LL " O idolatrado " - xilo. 26/300 - 43 x 30 - cid - 1967
Reproduzido na pág. 149 do livro "Antonio Henrique Amaral - Obra gráfica 1957/2003. -Gravador, desenhista e pintor, foi aluno de Lívio Abramo no MAM / SP, e de Shiko Munakata, no Pratt Graphic Art, em Nova York. Artista consagrado nacional e internacionalmente. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 37; MEC, vol. 1, pág. 73; PONTUAL, pág. 21;TEIXEIRA LEITE, pág. 23 a 25; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 754; ARTE NO BRASIL, pág.903; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.

266 - CARLOS BASTOS - (1925)
LL Paisagem - ost - 16 x 22 - cid
Pintor e desenhista baiano, um dos precursores do modernismo em Salvador, em 1944. Também cenógrafo e ilustrador, sua pintura é notável pela predominância da linha e pelo sentimento poético que a informa. WALMIR AYALA, vol.1, págs.89 A 91; PONTUAL, pág. 58; JULIO LOUZADA, vol.10, pág.99; ITAU CULTURAL.

267 - LEV MOROSS - (1900)
LL Composição - ser. H.C. 29/32 - 58 x 58 - cid
É um verdadeiro veterano da Arte Industrial. Muito conhecido nos Estados Unidos e em Israel, é o fundador da "Art Territory Internacional" empresa gráfica de edições de arte sediada na Califórnia, EUA. Há muito tempo se tornou um nome respeitado tanto como artista como mestre impressor, produzindo imagens da mais alta qualidade. www.e-artnow.com; www.artbrokerage.com; www.artprice.com; www.artterritory.com; www.findartinfo.com.

268 - CLAUDIO FACCIOLI - (XX)
LL Figuras - ast - 140 x 140 - cie e d - 2009 - Rio de Janeiro
Sua formação artística, na década de 1970, foi no Instituto de Belas Artes, atual Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Rio de Janeiro, e formou-se em Publicidade e Propaganda, em 1980. Exposições individuais: Rio de Janeiro (1991, 1994, 1998, 2000); Niterói, RJ (1986); Nova Friburgo, RJ (1986). Coletivas: Rio de Janeiro (1988, 1989, 1995 a 1997); Volta Redonda, RJ (1994); São Paulo (1996). Prêmios: Volta Redonda, RJ (1994); Rio de Janeiro (1997). JULIO LOUZADA VOL.10, PÁG. 327; VOL.13, PÁG. 125.

269 - DJANIRA DA MOTTA E SILVA - (1914 - 1979)
LL Anjos - dlc - 20 x 12 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 147 deste catálogo.

270 - INGRES SPELTRI - (1940)
LL Natureza morta - ose - 50 x 70 - cid - 1988
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

271 - GIUSEPPE PERISSINOTTO - (1881 - 1965)
LL Marinha - osm - 18 x 27 - cid
Nascido em Musile, Veneza, Itália, veio para o Brasil ainda criança e cuja família radicou-se no interior de São Paulo. Fez estudos de pintura na Academia de Belas Artes de Veneza, para onde retornou aos dezoitos anos, prosseguindo para Florença e demais centros de arte da Itália onde se aperfeiçoou; retornou a cidade de São Paulo em 1912, dedicando-se exclusivamente a sua pintura que sempre teve como tema paisagens, marinhas naturezas mortas e figuras. Expôs em várias capitais do Brasil, com sucesso de crítica e público; foi um dos idealizadores do SPBA, ao lado de Souza Pereira e outros. ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.

272 - HENRIQUE BERNARDELLI - (1858 - 1936)
LL Figuras - a - 35 x 20 - cie
Com dedicatória. -Natural de Valparaíso, Chile, Henrique Bernardelli faleceu no Rio de Janeiro, cidade brasileira que adotou, inclusive a nacionalidade na década de 1870. Frequentou a Academia Imperial de Belas Artes, inclusive como aluno de Zeferino da Costa. Em 1878 viajou para a Itália, encontrando-se com o irmão, Rodolfo, escultor, que gozava merecido prêmio de viagem conquistado na Academia. Foi professor da ENBA-RJ. Os seus trabalhos inculcam um temperamento irriquieto, nervoso, sôfrego de impressões. A sua obra é original, vigorosa, cheia de calor e de ousadia. MEC, vol.1, pág.217/218; WALMIR AYALA, vol.1, pág.96/7; TEIXEIRA LEITE, pág.71, ARTE NO BRASIL, vol.1, pág.32; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 411; ARTE NO BRASIL, pág. 392; F. ACQUARONE.

273 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Puxando a rede - ost - 25 x 41 - cid ileg.

274 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
LL Composição - tm - 14 x 23 - cid - 1962
Gravura 82/100 aquarelada pelo autor, que informa no trabalho a mudança para técnica mista. -Pintor, desenhista, gravador e professor, estudou com Axel Leskoschek no Rio de Janeiro. Participou da Divisão Moderna do SNBA (1947-1951). Foi um dos precursores do concretismo no Brasil, criando ao lado de Aluisio Carvão, Lígia Clark, Hélio Oitica e outros o Grupo Frente, que se manteve ativo de 1954 a 1956, inclusive com exposições no Rio de Janeiro. Ivan Serpa possui invejável e extenso curriculum de vida artística, passando de exposições coletivas, a grandes retrospectivas de sua obras. Há um reconhecimento nacional da importância de sua atividade, tratando-se de um dos grandes artistas nacionais. PONTUAL, pág 486; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 840; LEONOR AMARANTE, pág. 26; Acervo FIEO.

275 - FERNANDO COELHO - (1939)
LL " O tocador e o malabarista " - ostce - 30 x 60 - cie e d
Pintor baiano nascido em Salvador. Inicialmente publicitário de sucesso, dedica-se integralmente à pintura a partir de 1963. Além de exposições individuais nas Galerias Querino (Salvador), Astréia (SP), e Bonino (RJ), expôs na Alemanha e participou dos SNAM e BNAP. Produz pintura que, fixando paisagens urbanos, se situa entre o figurativismo e o abstracionismo. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 209/210; MEC, vol. 1,pág. 441; PONTUAL, pág. 139; TEIXEIRA LEITE, pág. 126; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 74.; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

276 - ANTONIO PARREIRAS - (1860 - 1937)
LL Estudo - ostcm - 20 x 25 - cid - 1925
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 178 deste catálogo.

277 - MARIA FREIRE - (1919)
LL Composição - g - 30 x 40 - cid
Artista do Uruguai que tem realizado inúmeras exposições individuais: Uruguai (1970, 1975, 1977, 1987, 1990, 1992, 1998); São Paulo (1956 - MAM, 1976); Rio de Janeiro (1957 - MAM); Espanha (1958); Bélgica (1959); Argentina (1967). Coletivas: Uruguai (1982, 1983, 1990, 1996, 2006); EUA (1992, 2001); Inglaterra (1994, 1996); Espanha (1997), México (2002); Porto Alegre (2005 - Bienal do Mercosul); Suíça (2005). www.fundacaobienal.art.br; www.artnet.com; artprice.com; www.artinfo.com

278 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL Ex-voto - ast - 40 x 40 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 028 deste catálogo.

279 - LEOPOLDO GOTUZZO - (1887 - 1983)
LL " Uvas e peras " - ost - 60 x 60 - cie e d - 1947 - Rio
Gaúcho de Pelotas, Gotuzzo foi pintor e desenhista. Estudou em Roma com Joseph Noel a partir de 1909. Permaneceu na Europa por vários anos, aperfeiçoando a sua arte em diversas cidades. Enviava suas obras para os Salões Nacionais, conquistando diversas premiações. Pintor de paisagens e nús, dedicou-se também ao retrato, inclusive a crayon. É artista que teve seu talendo reconhecido por todos os críticos de sua época, figurando em publicações especializadas. JULIO LOUZADA vol.10, pág. 395; PONTUAL, pág. 247; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 601.

280 - RONI BRANDÃO - (1935 - 1991)
LL Surreal - ost - 33 x 46 - cid e d - 1973
Pintor e desenhista, nascido em Pirajú-SP. Começa a dedicar-se às artes a partir de 1967. Iniciando com desenhos em preto e branco, depois veio a cor, o óleo, trazendo as grandes figuras femininas. Depois de 1978 as paisagens se expandiam, silenciosas, infinitas, como se fossem de outros planetas. Participou de exposições e salões nacionais e internacionais a partir de 1967, recebendo diversos prêmios. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 150; MEC, VOL 1, pág, 291; ITAÚ CULTURAL.

281 - NOVELLA PARIGINI - (1921 - 1993)
LL Nu - p - 66 x 47 - cid
Desenhista, pintora e professora que nasceu em Siena e faleceu em Roma, ambas na Itália. Formou-se na Academia de Belas Artes de Paris, França. Manteve ativo seu ateliê na Via Margutta, Roma, participando de inúmeras mostras, Salões oficiais e realizando diversas exposições e trabalhos pelo mundo. artvalue.com; artnet.com; artprice.com; arcadja.com; novellaparigini.com.

282 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Carnaval - dn - 27 x 19 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

283 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Mulata - ser. - 14 x 23 - cie
Executado na empresa Serigráfica de Mario Dela Parra - Rio de Janeiro - RJ. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 094 deste catálogo.

284 - RENATO NATALI - (1883 - 1979)
LL Pastora - osm - 11 x 15 - cie
Desenhista, pintor e gravador da Escola Italiana nascido em Livorno, Itália. Começou a desenhar e a pintar por conta própria. Sua primeira pintura conhecida data de 1898 e seu primeiro reconhecimento foi uma Medalha de Prata, em 1903, do Ministério da Educação. Foi para Inglaterra e em Brighton participou de uma Mostra Internacional de Litografia (1913). Em Paris conhece Amedeo Modigliani e outros pintores franceses. Retorna para Livorno em 1914. Desenhou para ‘Il Mondo’ nos anos de 1920. Realizou muitas exposições individuais em Livorno, Roma, Genova, Milão e participou de mostras oficiais em Livorno, na região da Toscana e em Veneza (Bienal de 1905).. Em 1971 e 1972 recebeu prêmios em Florença e em Londres. BENEZIT VOL. 7, PÁG.658; JULIO LOUZADA VOL. 4, PÁG.789; VOL.11, PÁG.224; www.800artstudio.com; artnet.com. askart.com; artfact.com; christies.com artprice.com.

285 - RENOT - (1932)
LL " Depois da obrigação " - tm - 29 x 21 - csd
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

286 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Três gatos azuis - ast - 80 x 60 - cie e d - 2000
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

287 - FERNANDO IKOMA - (1934)
LL Paisagem - ost - 50 x 70 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 037 deste catálogo.

288 - ALBERTO LIMA - (XX)
LL " Serenata " - a - 25 x 18 - cid
Desenhista, pintor e heraldista ativo no Rio de Janeiro. Estudou com Eurico Alves e Gaspar Teles no Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro. Especializou-se em brasões e ex-libris. Trabalhou no Serviço Cartográfico do Exército. Participou do Salão Municipal de Belas Artes, Rio de Janeiro (1948 a 1958), obtendo menção honrosa e medalha de bronze. Citado na ‘Pequena História das Artes Plásticas no Brasil’ de Carlos Rubens (1941) e na ‘Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro’, vol.265, folha 128, outubro / dezembro de 1964. JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG.544; MEC, VOL. 2, PÁG. 476.

289 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Casario - ost - 72 x 72 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 039 deste catálogo.

290 - ARLINDO CASTELANE DI CARLI - (1910 - 1985)
LL Rosto - e em g - h = 62 - ass. - 1971
Pintor e escultor. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, onde foi aluno de José Maria da Silva Neves e de Enrico Vio. Suas primeiras realizações foram na pintura. Mais tarde passou a dedicar-se também à escultura. Sofreu influência do pintor Armando Balloni. Em 1942, estreando no SPBA, recebeu prêmio de menção honrosa, seguindo-se nos anos posteriores, diversas premiações, inclusive de viagem ao estrangeiro. MEC, vol. 1, pág. 355; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 183 e 184; ITAÚ CULTURAL.

291 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Animais fantásticos - xilo. - 20 x 30 - cid - 1937
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 041 deste catálogo.

292 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL " Paraty " - ost - 41 x 33 - cie - No estado. -
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

293 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL Operário - ser. 32/100 - 74 x 56 - cid - 1975
Com certificado de autenticidade de Lithos Edições de Arte Ltda - Rio de Janeiro, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 043 deste catálogo.

294 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX -
LL Paisagem - ost - 90 x 65 - cid ileg.

295 - ROBERTO DE ALMEIDA - (1940)
LL Praia de Copacabana - ostcm - 33 x 41 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 045 deste catálogo.

296 - TAKASHI FUKUSHIMA - (1950)
LL Paisagem - tm s/t - 40 x 60 - cid e d - 1976
Filho do pintor Tikashi Fukushima, nasceu em São Paulo, Capital. Estuda com Luiz Paulo Baravelli em 1970 e, no mesmo ano, ingressa na FAU-SP. Paralelamente aos estudos universitários, expõe nas Bienais Internacionais de São Paulo em 1973 e 1975, obtendo, nesta última, prêmio aquisição. Em 1990 estuda na Universidade Nacional de Artes e Música de Tóquio, Japão, com bolsa concedida pela Fundação Japão. No mesmo ano, recebe o prêmio de excelência na 1ª Bienal Brasileira de Design, em Curitiba. Desde 1992 leciona desenho no curso de arquitetura e urbanismo da Faculdade de Belas Artes de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 141; ITAÚ CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 231, Acervo FIEO.

297 - OSCAR PEREIRA DA SILVA - (1867 - 1939)
LL Pitando - a - 30 x 22 - ci - 1938
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 047 deste catálogo.

298 - MARIA LEONTINA - (1917 - 1984)
LL Composição - g - 21 x 22 - cid - 1957
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

299 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL As águas - ost - 50 x 70 - cid e d - 1990
Desenhista, gravador, pintor e escultor, radicado na Bahia. Sua arte é lírica, de boa técnica, baseada no povo, que lhe forneceu o melhor da sua temática. PONTUAL, pág. 116; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 180 e 181; TEIXEIRA LEITE, págs. 111 e 112; MEC, vol.1, pág. 355; BENEZIT, vol. 2, pág. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717;ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

300 - TOMIE OHTAKE - (1913)
LL Composição - ser. 6/50 - 60 x 42 - cid - 1968
Reproduzido em catálogo de Exposição da artista, no Instituto Tomie Ohtake. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 175 deste catálogo.

301 - MIRA SCHENDEL - (1918 - 1988)
LL Composição - dn - 46 x 22 - cid - 1964
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 051 deste catálogo.

302 - NERÃO - (ANTONIO JOAQUIM NERY) - (1903 - 1997)
LL " Sítio " - ost - 38 x 46 - cid - 1986
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 052 deste catálogo.

303 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Flores - gscce - 37 x 26 - csd
Reproduzido sob o n.° 378 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 080 deste catálogo.

304 - JOAO HENRIQUE - (1935)
LL Na janela - g - 28 x 18 - cid e d - 1968 - Rio de Janeiro
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 054 deste catálogo.

305 - ÉLVIO BECHERONI - (1934 - 2000)
LL Jogo de Xadrez e Gamão - objeto - 56 x 56 x 6 - ass.
Confeccionado em madeira com peças em bronze. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 257 deste catálogo.

306 - DIONISIO DEL SANTO - (1925 - 1999)
LL " Família " - ost - 80 x 120 - cid e d - 1986
Pintor, desenhista, gravador e serigrafista, nasceu em Colatina-ES, e faleceu em Vitória, naquele mesmo Estado. Autodidata. Em 1975, recebe o Prêmio de Melhor Exposição de Gravura do Ano, da APCA. Participou da 9ª Bienal Internacional de São Paulo, 1967 (Prêmio Itamarati Aquisição) e do Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1968 (Prêmio Isenção do Júri). JULIO LOUZADA vol.11, pág. 88; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 934.

307 - SYLVIO ALVES - (1926)
LL Rosas - ost - 65 x 50 - cse
Formado e ativo em São Paulo, foi expositor do Salão Paulista de Belas Artes. Especializou-se na Academia de Belas Artes de Roma e na Escola Superior de Belas Artes, na Academia Julien e na Grande Chaumièrè, na França. MEC, vol. 1, pág. 72; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág.55; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

308 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Composição - spray - 20 x 13 - n/as.
Com autenticação da nora do autor, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 107 deste catálogo.

309 - DARCY PENTEADO - (1926 - 1987)
LL Figura - dn - 29 x 20 - cie - 1949
Desenhista, pintor, cenógrafo, figurinista e escritor, Darcy Penteado foi a personalidade polimorfe, que buscava tornar a própria existência matéria de arte. Em 1948 passou a integrar em São Paulo o Grupo Novíssimos. Expôs individualmente a partir de 1949, participando de inúmeras exposições coletivas e individuais, no país e no exterior. MEC, vol. 3, pág. 365; PONTUAL, pág. 416; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 241. WALMIR AYALA, vol 2, pág 183; TEIXEIRA LEITE, pág 401; ITAÚ CULTURAL ; WALTER ZANINI, pág. 717; LEONOR AMARANTE, pág. 75.

310 - YOSHIYA TAKAOKA - (1909 - 1978)
LL Figura - ost - 55 x 47 - csd - 1955
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 060 deste catálogo.

311 - ANATOL WLADISLAW - (1913 - 2004)
LL Composição - dn - 16 x 19 - cid - 1953
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 109 deste catálogo.

312 - HEITOR DE PINHO - (1897 - 1968)
LL Marinha - osm - 33 x 41 - cid
Nascido e falecido na cidade do Rio de Janeiro, onde estudou na antiga Escola Nacional de Belas Artes. Foi discípulo de Rodolfo Chambelland, Batista da Costa, Lucílio de Albuquerque e Modesto Brocos. Participa de Salões Oficiais a partir de 1924, recebendo diversas premiações. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.247; MEC. Vol.3, pág.400; WALMIR AYALA. Vol.2, pág.194; TEIXEIRA LEITE, pág.408; PONTUAL, pág.426.

313 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX -
LL Paisagem - ostcc - 22 x 27 - cid ileg.

314 - GUERINO GROSSO - (1907 - 1988)
LL Flores - ostcm - 16 x 22 - cid
Natural de Rio Claro, neste Estado, Guerino Grosso iniciou seu aprendizado artístico em 1917. Frequentou a Escola de Belas Artes de São Paulo. Artista de grande sensibilidade, dedicou-se à pintura de naturezas mortas com metais, confirmando-se como um dos melhores do gênero. JULIO LOUZADA, vol, 12 ,pág 189. MEC, vol, 2, pág, 284; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

315 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Surreal - ost - 60 x 81 - cid - 1975
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 065 deste catálogo.

316 - ARTHUR LUIS PIZA - (1928)
LL Composição - grav. 50/99 - 22 x 18 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 003 deste catálogo.

317 - JOSÉ JOAQUIM MONTEIRO FRANÇA - (1875 - 1944)
LL Paisagem - osm - 23 x 32 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 067 deste catálogo.

318 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Composição - a - 15 x 22 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

319 - INNOCÊNCIO BORGHESE - (1897 - 1985)
LL " Rio Aricanduva " - ose - 37 x 50 - cid - 1978
Com etiqueta do artista, no dorso. -Pintor e professor paulista, participante do Salão Paulista de Belas Artes, de 1935 a 1961. Diversas exposições individuais e coletivas, com muitas premiações. Pintou muitas paisagens tendo como tema a cidade de São Paulo. TEODORO BRAGA, pág 56; MEC, vol. 1, pág. 251; Acervo FIEO.

320 - ANTONIO FERRIGNO - (1863 - 1940)
LL Carro de bois com cinco juntas - ost - 18 x 28 - cid
Representou com maestria a chamada Escola de Amalfi. Estudou com Di Chirico e Morelli. Expôs em 1882 em Nápoles, imigrando para o Brasil em 1892, permanecendo em São Paulo até 05, quando retornou à Itália e fixou residência definitivamente em Salerno. No Brasil executou paisagens e marinhas, utilizando de técnica pictórica empastada e de um colorido cheio de vivacidade. Várias obras suas ficaram no Brasil, em importantes coleções particulares. ANTONIO FERRIGNO; BENEZIT, vol. 4, pág. 343; ANUAL ART SALES INDEX/82, vol.1, pág. 383; TEODORO BRAGA, pág. 94; MEC, vol. 2, pág. 156; LAUDELINO FREIRE, págs. 381 e 389; REIS JÚNIOR, pág. 365; PONTUAL, pág. 212. TEIXEIRA LEITE, pág. 192; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 535, RUTH TARASANTCHI.

321 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 9 x 18 - cie
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 071 deste catálogo.

322 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Cena da Bahia - dn - 29 x 28 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 299 deste catálogo.

323 - JUDITH LAUAND - (1922)
LL Composição - ser. 62/100 - 35 x 35 - cid
Nasceu na cidade paulista de Pontal. Em 1950 formou-se em artes plásticas na Escola de Belas Artes de Araraquara-SP. Em 1952, já em São Paulo, estuda pintura com Domênico Lazzarini e gravura com Lívio Abramo. Integra o grupo paulista do movimento de arte concreta em 1955. Participa da Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1955 e 1969; Exposição Nacional de Arte Concreta, São Paulo, 1956; Tendências Construtivas no Acervo do MAC/USP, Rio de Janeiro, 1996; Arte Construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leirner, São Paulo e Rio de Janeiro, 1998 e 1999. Na crítica de Mario Schenberg, ..." Judith Lauand permanece fiel a sua postura e trajetória concretista. Sua obra recente revela a densidade da composição, o apuramento do cromatismo, o equilíbrio do grafismo, conseguidos por constante pesquisa. Judith envereda agora por novos caminhos realizando obras que podem ser chamadas de assimétricas, onde o geometrismo da decomposição cromática destrói a ‘partição eqüilateral’ presente ao longo de sua obra, criando uma nova simetria. " (LAUAND, Judith. Judith Lauand : pinturas. Sao Paulo : Choice Galeria de Arte, 1986. p. 3). JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 479; ITAU CULTURAL.

324 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL Trem de ferro - ost - 38 x 55 - cid e d - 1981
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 079 deste catálogo.

325 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Torso feminino - e em b - h = 43 - ass.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 091 deste catálogo.

326 - GUIDO VIARO - (1897 - 1971)
LL Paisagem - a - 33 x 48 - cie - 1969
Com dedicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 093 deste catálogo.

327 - LEOPOLDO RAIMO - (1912 - 2001)
LL Composição - g - 28 x 34 - cid - 1952
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 077 deste catálogo.

328 - SAMI MATTAR - (1930)
LL Figuras - ost - 27 x 35 - cie e d - 1977 - Rio
Artista intermídia, desenhista, programador visual, publicitário, nascido em Mejdlaia, Líbano. Chega com a família no Brasil em 1936. Filho de pais conservadores, que não aceitam sua atividade como artista plástico, desenha às escondidas, até que, em 1947, muda-se para o Rio de Janeiro, onde trabalha como pintor de paredes e lava carros. Autodidata, realiza sua primeira mostra individual em 1954, na Galeria Minarte, Belo Horizonte. Passa a fazer histórias em quadrinhos e chega a ser diretor de arte e criação em publicidade. Em 1969, participa do Manifesto Expansão, realizado no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ e, no ano seguinte, do lançamento do poster Barraca - Arte na Praia de Ipanema, no mesmo museu. Atua como colaborador das revistas Tico-Tico e O Malho, além de produzir capas para a revista Veja (1972) e Shell em Revista (1980). Ilustra o livro O Menino mais Bonito do Mundo, de Ziraldo. Exposições individuais: Rio de Janeiro, RJ (1962, 1970, 1973, 1974, 1976, 1979, 1983, 1985, 1995, 2001, 2002); São Paulo, SP (1968, 1981); Líbano (1975); Brasília, DF (1975, 1979, 1984); Salvador BA (1982); Estados Unidos (1994); Teresópolis, RJ (1996, 2000); Vitória, ES (1999). Coletivas: Belo Horizonte, MG (1954, 1966); Rio de Janeiro, RJ (1965, 1967 a 1979, 1981, 1984, 1985, 1990); Salvador, BA (1966); Brasília, DF (1967, 1968, 1984); São Paulo, SP (1967 – 9ª Bienal Internacional, 1968, 1969, 1971); Líbano (1975); Alemanha (1980);Estados Unidos (1992, 1993, 1996, 1997). Prêmios: Belo Horizonte, MG (1966); São Paulo, SP (1969); Líbano (1975); Estados Unidos (1992, 1996, 1997). ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL. 3, PÁG. 709; Pontual, Roberto – DICIONÁRIO DE ARTES PLÁSTICAS NO BRASIL, PÁG. 349.

329 - JOAN MIRÓ - (1893 - 1980)
LL Composição - lito. 107/300 - 38 x 27 - cid - Na pedra
Litografia original, edição limitada com selo de autenticação, editado por La Poligrafa - Barcelona - 1983. -Pintor, desenhista, gravador, ilustrador, ceramista e escultor. Assinava Joan Miró e Miró. Nasceu em Montroig, Espanha e faleceu em Palma de Mallorca - Ilhas Baleares, Espanha. Entrou para Escola de Belas Artes de Barcelona com quinze anos, aperfeiçoando-se com o arquiteto Gali. Começou a expor em 1918 na sua terra natal e pouco depois, transfere-se para Paris. Assinou o manifesto surrealista em 1924. Em 1940 voltou à Espanha - Mallorca. Trabalhou com o ceramista Llorens Artigas. Em 1947 realizou um mural em Cincinnati, EUA, e um para a Universidade de Harvard, em 1950 (hoje substituído por uma cópia cerâmica, cujo original se encontra no MOMA de Nova York). Em 1958 trabalhou em dois gigantescos murais em cerâmica para a UNESCO, em Paris. A Fundação Joan Miró foi inaugurada em Montjuic, Barcelona, em 1975. Outras obras suas podem ser vistas na maioria dos museus e coleções de arte moderna espalhados pelo mundo. JULIO LOUZADA, VOL.1, PÁG.638; VOL. 4, PÁG. 746; VOL. 6, PÁG. 735; VOL.8, PÁG. 576; BENEZIT, VOL. 7, PÁG. 435; ITAU CULTURAL; DICIONÁRIO OXFORD DE ARTE – MARTINS FONTES.

330 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
LL Composição - ost - 72 x 82 - cid - 1994
Reproduzido sob o nº 21 em catálogo de Leilão de James Lisboa - São Paulo. - Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 083 deste catálogo.

331 - VICTOR VASARELY - (1908 - 1997)
LL Composição - ser. P.A. II - 65 x 45 - ci
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 081 deste catálogo.

332 - ESCOLA EUROPÉIA, SÉC.XIX -
LL Figura - ost - 64 x 52 - n/as.
Com brasão no canto superior esquerdo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 082 deste catálogo.

333 - MARTINHO DE HARO - (1907 - 1985)
LL Fachada - g - 25 x 16 - cid
Martinho de Haro (São Joaquim SC 1907 - Florianópolis SC 1985). Pintor, desenhista e muralista. Inicia-se na pintura em Lages, Santa Catarina, em 1920 e expõe individualmente pela primeira vez no Conselho Municipal de Florianópolis, em 1926. Como bolsista do governo catarinense, estuda na Escola Nacional de Belas Artes - Enba, no Rio de Janeiro, de 1927 a 1937, tendo aulas com Cunha Melo e Rodolfo Chambeland. Trabalha como auxiliar de João Timóteo na decoração da Igreja de Nossa Senhora da Pompéia, em 1930, e de Eliseu Visconti na execução do panneau do Teatro Municipal, de 1930 a 1935. Ainda na década de 30, freqüenta o curso de pintura de Henrique Cavaleiro e o Núcleo Bernardelli; viaja à França, onde estuda com Otto Friez na Academia de La Grande Chaumiere de Paris, em 1938. Devido ao início da guerra, retorna a São Joaquim em 1939, ali permanecendo até 1944, quando muda-se para Florianópolis. ITAÚ CULTURAL.

334 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Maternidade - osm - 38 x 33 - cie ileg. - Paris

335 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL Vênus e pássaros - dlc - 18 x 20 - cid - 1971
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 085 deste catálogo.

336 - ALBERT HARTLAND - (1840 - 1893)
LL Paisagem - ost - 53 x 80 - cid - 1873
Henry Albert Hartland nasceu em Mallow, Irlanda e faleceu em Liverpool, Inglaterra. Sempre desenhou e pintou. Fez a pintura da decoração do Teatro de Cork, Irlanda. Viajou pela Inglaterra, País de Gales e se fixou em Liverpool, onde se destacou entre os mais brilhantes artistas da Escola de Liverpool. A partir de 1869 participou ativamente das Exposições da Academia Real e as de ‘Suffolk Street’. Os museus de Blackburn, de Liverpool e de Londres (Victoria e Albert) possuem obras suas. BENEZIT VOL.5, PÁG.415; artprice.com; artnet.com; artvalue.com.

337 - HEITOR DOS PRAZERES - (1898 - 1966)
LL O tintureiro na favela - ost - 35 x 47 - cid - 4.10.1961
Com autenticação da família do artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 087 deste catálogo.

338 - RUFINO TAMAYO - (1899 - 1991)
LL " Mulher Caminhando " - lito. os - 40 x 30 - cid - 1980
Pintor, muralista, litógrafo e professor, filho de índios zapotecas, nasceu em Oaxaca - México. Foi um dos primeiros pintores de dimensão internacional da América Latina. Em 1917 entrou para a Escola Nacional de Artes Plásticas da Cidade do México. Em 1926 monta sua primeira individual no México e em Nova York, onde morou por uns vinte anos, a partir de 1936. Realizou murais no México (Conservatório Nacional, Museu de Antropologia, Palácio de Belas Artes, Clube dos Industriais); na Biblioteca Universal de Porto Rico; no Palácio da Unesco em Paris e outros. Foi diretor da sessão de desenhos etnográficos do Museu de Arqueologia e diretor do departamento de Artes Plásticas da Secretaria Nacional de Educação, no México; professor de pintura na Escola de Dalton e do Museu do Brooklyn, nos EUA. Em 1962 retorna definitivamente ao México. Muitas foram as exposições individuais e coletivas, entre elas: "20 séculos de Arte Mexicana"; Museu de Arte Moderna de Nova York (1940); sala especial na Bienal de Veneza (1950); "A Arte Mexicana do Pré-Colombiano até nossos dias"; Museu de Arte Moderna de Paris (1952); grande prêmio de pintura na Bienal de São Paulo (1953); Documenta II - Kassel, Alemanha (1959). Possui obras em diversos museus do mundo. BENEZIT VOL.10, PÁG.63; DICIONÁRIO OXFORD PÁG.516; ITAU CULTURAL; www.museotamayo.org; artnet.com; askart.com; artprice.com.

339 - THEODORE GAEDE - (1895 - XX)
LL " Temporal sobre Armação " - ost - 46 x 61 - cie - 1959 - Bahia
Com etiqueta do atelier do artista, no dorso. -Pintor Alemão, natural de Altona, foi aluno de Schwatrz Alquist. Em 1914 veio para o Brasil, aqui ficando retido pela I Guerra Mundial. Em 1944 passou a residir de forma definitiva em São Paulo. Pintava paisagens, especialmente marinhas, tendo percorrido todo o Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 443.

340 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL " Marinha com pescadores " - ose - 30 x 40 - cid - 1983
Com etiqueta nº 049-AO.590-83A do atelier do artista, no dorso. - Reproduzido no convite deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 14/02/2011.Nasceu em 27 de dezembro na cidade de Villa Collemandina, na Itália, e fixou-se no Brasil desde 1929, após ter estudado em Florença, e haver-se diplomado em pintura pela Academia Real de Pintura de Lucca. Pennacchi integrou a Familia Artística Paulista. Muralista de inspiração pré-renascentista, sua pintura é sensível e pessoal de modo especial na interpretação dos grandes temas bíblicos e da vida dos santos (mercê de uma infância marcada por sólida educação religiosa Católica), e na evocação do mundo caipira. Realizada em 1973, considerado o Ano de Pennacchi, importante retrospectiva da obra deste festejado artista no MAM de São Paulo. O artista fez exposições em Milão e foi homenageado em seu país natal. TEODORO BRAGA, pág. 192; MEC, vol, 3, pág. 365; WALMIR AYALA, vol, 2, pág. 182; PONTUAL, pág. 416; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 784; Acervo FIEO.

341 - YUTAKA TOYOTA - (1931)
LL " Espaço - Negativo Azul " - m em a i 31/50 - h = 33 - d - 1975
Natural de Yamagata, Japão. Pintor, desenhista e escultor. No Brasil desde 1962, Estudou na Universidade de Artes de Tóquio e no Instituto de Pesquisas Industriais de Shizuoka. Neste último cursou ciências exatas e a técnica industrial de lidar com novos materiais. Todo esse know-how o artista vem utilizando e adaptando à sua visão de arte. Fórmica, alumínio e aço inoxidável polido tem sido os suportes escolhidos por Yutaka para expressar-se fazendo uma escultura "como criação ambiental". Os volumes que constrói em alumínio, modulados com exatidão, excluem a rigidez e referem-se, poeticamente, à busca de diferentes existências de espaço em suas superfícies que refletem e deformam o entorno, constituindo para o artista a própria apreensão do mundo. JULIO LOUZADA, vol 11, pág. 325.; TEIXEIRA LEITE, pág. 510; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 933; LEONOR AMARANTE, pág. 171.

342 - ROLANDO NATAL SCURZIO - (1931 - 1998)
LL Veneza - ose - 38 x 47 - cie - 1977
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

343 - GEORGINA DE ALBUQUERQUE - (1885 - 1962)
LL Figura - dlc - 31 x 20 - cie - 1949
Com dedicatória. -Pintora e professora. Aos 15 anos, inicia sua formação artística com o pintor italiano Rosalbino Santoro (1858 - s.d.). Muda-se para o Rio de Janeiro em 1904, matricula-se na Escola Nacional de Belas Artes - Enba e estuda com Henrique Bernardelli. Em 1906, casa-se com o pintor Lucílio de Albuquerque e viaja para a França. Em Paris, frequenta a École Nationale Supérieure des Beaux-Arts e ainda a Académie Julian, onde é aluna de Henri Royer. Volta ao Brasil em 1911, expõe em São Paulo e, partir dessa data, participa regularmente da Exposição Geral de Belas Artes. De 1927 a 1948, leciona desenho artístico na Enba e, em 1935, é professora do curso de artes decorativas do Instituto de Artes da Universidade do Distrito Federal. Em 1940, em sua casa no bairro de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, funda o Museu Lucílio de Albuquerque, e institui um curso pioneiro de desenho e pintura para crianças. Entre 1952 e 1954, exerce o cargo de diretora da Enba. TEIXEIRA LEITE, págs. 15 e 16; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 22 a 26; TEODORO BRAGA, pág. 107; REIS JR., pág. 370; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs.17 e 141; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 455; ARTE NO BRASIL, pág 574; Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.

344 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Mulatas - dn - 21 x 13 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 094 deste catálogo.

345 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Flores - ose - 29 x 24 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 095 deste catálogo.

346 - ARMANDO VIANNA - (1897 - 1988)
LL Paisagem - ost - 27 x 35 - cid - 1964
Com dedicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 224 deste catálogo.

347 - JEAN BAPTISTE DEBRET - (1708 - 1848)
LL Moenda - grav. col. - 23 x 29 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 097 deste catálogo.

348 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Maternidade - osm - 40 x 26 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 039 deste catálogo.

349 - BIN KONDO - (1937)
LL Composição - ost - 40 x 50 - cid
Pintor e desenhista chinês. Realizou sua formação artística no Japão, residindo em São Paulo desde 1960. Diversas exposições individuais e coletivas. Várias premiações.PONTUAL, pág. 292; MEC, vol.2, pág. 411; JÚLIO LOUZADA, vol. 9, pág. 453; WALTER ZANINI, pág. 697, Acervo FIEO.

350 - DANILO DI PRETE - (1911 - 1985)
LL Fruteira - ost - 41 x 33 - cid
Reproduzido sob o nº 85 em catálogo de leilão de Soraia Cals - Rio de Janeiro. - Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 096 deste catálogo.

351 - UBIRAJARA RIBEIRO - (1930 - 2002)
LL " Por uma ecologia da imagem " - col. 40/50 - 21 x 29 - le - 1986
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 101 deste catálogo.

352 - PABLO PICASSO - (1881 - 1973)
LL " Cabeça de mulher com colar " - lito. - 27 x 23 - cie
Litografia da linóleo original datada de 1959, impresso por G8 Galleries - 1962. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 227 deste catálogo.

353 - CÂNDIDO PORTINARI - (1903 - 1962)
LL " Cabeça de homem " - grav. H.C. - 12 x 9 - cid
Registrado no Projeto Portinari sob o nº 2499 [FCO 855]. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 103 deste catálogo.

354 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Composição - a - 14 x 23 - cid - 1961
Com dedicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

355 - LIVRO -
LL -
1) MAYER - 1997, volumes I e II, Ed. Acatos - Suiça; 2) Pedro Weingärtner - 1853-1929 - Um artista entre o Velho e o Novo Mundo, por Ruth Sprung Tarasantchi, 263 págs, ilustrado a cores; 3) BRONZES - Sculptors & Founders - 1800-1930, volume IV, por Harold Berman, Ed. Abage Chicago - Illinois. -

356 - SANTE SCALDAFERRI - (1928)
LL Figura - ost - 73 x 54 - cid - 1990
Natural de Salvador, BA, este importante pintor brasileiro estudou na Escola de Belas Artes da Universidade da Bahia, onde realizou sua primeira exposição individual, em 1957. Foi um dos fundadores da Organização Nacional dos Estudantes de Arte, em 1953. Participou de diversos salões oficiais com premiações e expôs individualmente, nas galeria Domus (Salvador), Goeldi (RJ), Atrium (SP), etc. A seu respeito disse Paulo Gil, em 1965: "... optou pela documentação de aspectos da cultura popular brasileira, mas conferindo-lhe um tratamento erudito (...) é um pintor de ateliê que buscou nas manifestações do povo da Bahia, na sua própria cultura baiana, a magia que marca seus quadros". PONTUAL, pág. 477; JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 1010; Acervo FIEO.

357 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - dch - 29 x 14 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 107 deste catálogo.

358 - ENRICO BIANCO - (1918)
LL Pequeno pastor - ose - 30 x 45 - cid - 1974
Reproduzido sob o n.° 118 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Nascido na Itália, é hoje considerado um de nossos melhores pintores. Atingiu um estilo pessoal, figurativo, eminentemente lírico, baseado em um desenho livre e numa cor sensível. THEODORO BRAGA, pág. 54; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 99, 110 e 104; MEC, vol. 1, pág. 242; PONTUAL, pág. 76; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 594. Acervo FIEO. -

359 - WALDEMAR CORDEIRO - (1925 - 1973)
LL Composição - g - 28 x 22 - cid - 1949
Pintor, escultor, gravador, desenhista, ilustrador e professor. Nasceu em Roma, Itália, e faleceu em São Paulo. Inicia sua formação, na Itália, na Academia de Belas Artes de Roma, cursa gravura na Escola de São Giácomo e estuda com o pintor De Simone. Vem para o Brasil em 1946, instalando-se em São Paulo onde trabalha como jornalista. Nesse período produz crítica de arte, faz caricaturas para o ‘Diário Latino’ e é contratado pela ‘Folha da Manhã’ para fazer reportagens e ilustrações. Em 1952, ao lado de Anatol Wladyslaw, Leopoldo Haar, Lothar Charoux, Féjer , Geraldo de Barros e Luiz Sacilotto, funda o ‘Grupo Ruptura’, que, no mesmo ano, expõe obras de caráter concreto e lança manifesto no Museu de Arte Moderna de São Paulo. A partir da década de 1960, afasta-se do rigor concretista e começa a criar com base em objetos do cotidiano e sucata, obras denominadas por Augusto de Campos de ‘popcretos’. Introduz no Brasil o uso do computador nas artes visuais, realizando as primeiras pesquisas no final da década de 1960. Em 1971 realiza em São Paulo a mostra Arteônica - O Uso Criativo dos Meios Eletrônicos em Arte, que resulta em livro de mesmo título. Realizou muitas exposições individuais e participou de várias coletivas, entre elas, as Bienais Internacionais de São Paulo de 1951, 1955, 1959, 1961, 1963, 1965 e 1967 onde ganhou o Prêmio Itamaraty. Teve sala especial na I Bienal Nacional de Artes Plásticas de Salvador, BA, em 1966. ITAU CULTURAL; MEC VOL.1, PÁG.447; www.mac.usp.br; artprice.com.

360 - WEGA NERY - (1912 - 2007)
LL " Caminhos Oniricos " - ost - 115 x 113 - cid - 1970
- Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 140 deste catálogo.

361 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Na praia - dn - 24 x 17 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

362 - HUGO ADAMI - (1900 - 1999)
LL Paisagem - ost - 46 x 55 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 199 deste catálogo.

363 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Igreja - ost - 40 x 60 - cie - 1975
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 113 deste catálogo.

364 - ANTONIO POTEIRO - (1925 - 2010)
LL Girassóis - ost - 90 x 100 - cid e d
Português de Braga, viveu em São Paulo e Minas Gerais, radicando-se definitivamente em Goiânia, desde 1967. O sobrenome artístico Poteiro vem das obras em barro e cerâmica que trabalhou por mais de 12 anos, até se transformar no pintor original e vigoroso que foi. Amigo de Siron Franco, seu grande incentivador na pintura. WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 217; TEIXEIRA LEITE, págs 31 e 32; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 808; LEONOR AMARANTE, pág. 294, Acervo FIEO.

365 - JOÃO BAPTISTA DA COSTA - (1865 - 1926)
LL Paisagem - osm - 31 x 35 - cie
Reproduzido sob o n.° 148 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Pintor e professor fluminense, de origem humilde, galgou com sabedoria e singular talento os degraus do sucesso no cenário das artes plásticas nacional. Aluno da Academia Imperial de Belas Artes-RJ, onde ingressou em 1885, já no ano seguinte obtinha, nessa condição, medalha de ouro. Foi aluno de Zeferino da Costa e Rodolfo Amoedo. Foi premiado diversas vezes, inclusive com viagem à Europa, onde desenvolveu a sua arte. Foi professor na ENBA até a sua morte. Sobre sua obra, escreveu Gonzaga Duque, no estudo que lhe dedicou, e publicado em 1929: "... A sua arte arrasta-nos ao seu cenário, prende-nos no seu ambiente, leva-nos a participar da emoção de seus tipos". JULIO LOUZADA, VOL 10, pág, 239; PONTUAL, págs. 61 e 62; TEIXEIRA LEITE, págs. 62 a 65; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 443; ARTE NO BRASIL, pág. 556; F. ACQUARONE, pág. 141.

366 - FRANCISCO STOCKINGER - (1919 - 2009)
LL Mulher - m em b - h = 21 - n/as.
Natural de Traum, Áustria, Xico Stockinger, como é conhecido, foi aluno de Bruno Giorgi e desde 1954, radicado em Porto Alegre, á um escultor da figura humana e do animal. Também é excelente desenhista e gravador. Começou a expor na década de 40, no Rio de Janeiro, recebendo premiações. Desempenhou importante papel no desenvolvimento das artes plástica gaúcha. Tem seu nome firmado no cenário nacional e internacional, como escultor expressivo e original. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.311; PONTUAL, pág.506; MEC., vol.4, pág.342/3.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 868; LEONOR AMARANTE, pág. 136.

367 - EMANOEL ARAÚJO - (1940)
LL Figura - xilo. 33/100 - 65 x 48 - cid - 1972
Gravador e escultor, o baiano Emanuel Araújo estudou com Henrique Oswald e expõe individualmente desde 1960, já tendo mostrado sua obra em inúmeras cidades do Brasil, Europa, Estados Unidos e Extremo Oriente. Foi Diretor da PINACOTECA do Estado de São Paulo, cujo cargo exerceu com extrema competência. TEIXEIRA LEITE, pág. 190; MEC, vol. 2, pág. 143; PONTUAL, pág. 37; JULIO LOUZADA, vol 1, págs. 68/69 e vol. 11, pág. 18; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 846; WALTER ZANINI, pág. 770; Acervo FIEO.

368 - MARYSIA PORTINARI - (1937)
LL " Noivos " - grav. 76/110 - 30 x 24 - cid
Natural de Araçatuba, SP, onde nasceu em 14 de março. Estudou desenho, composição, preparação das tintas e dos suportes, no ateliê de Copacabana de Candido Portinari. Sobre sua obra assim se manifestou Manuel Bandeira: "Marysia é uma aurora, e pinta com as cores da aurora. Oxalá, quando seu talento alcançar a meridiana força, não se esqueça ela destas suas cores de agora, não se esqueça da frescura, ingenuidade, inocência e graça dos seus anjos e santos de hoje". Em São Paulo (1955), vai morar com a família no Bixiga, pintando garotos e orfãos, figuras da rua, parentes e amigos. A figura fascina e o retrato é sua principal forma de expressão. Pinta também marinhas e naturezas mortas com igual maestria. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 215; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

369 - LAZLO KEZDY KOVACS - (1864 - 1942)
LL Paisagem - ost - 31 x 40 - cie
Pintor representante da Escola Húngara que nasceu em Puszta Alsocikola e faleceu em Budapeste. Foi aluno de Liget, em Budapeste. Leilões do Canadá, Estados Unidos, Europa e Oriente Médio têm apresentado obras suas. BENEZIT, VOL.6, PÁG.207; artprice.com; artnet.com; artvalue.com; artfact.com.

370 - RICHARD HIDEAKI KAJIWARA - (1929)
LL Composição - tm s/t - 70 x 70 - cid e d
Escultor natural de Fukuoka, Japão. Destaca-se o uso da madeira e da pedra em seus trabalhos, que difunde a simbiose massa/espaço, homem/natureza. Seus temas tendem ao abstrato ou para a maternidade. Suas formas são arredondadas, suaves e sensuais. Exposições desde 1951, com diversas premiações. A bibliografia abaixo indicada traz a extensa lista das mostras de que participou no Brasil e no exterior. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 514/515; ITAÚ CULTURAL.

371 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL " Mangas " - ose - 35 x 45 - cid
Ativo em São Paulo, foi também excepcional desenhista, aluno nesta capital, do pintor e professor alemão Georg Ficher Elpons; participou assiduamente do Salão Paulista de Belas Artes, desde sua inauguração em 1933, onde foi muito premiado. MEC, vol. 3, pág. 393; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 685; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

372 - RUBENS GERCHMAN - (1942 - 2008)
LL O beijo - lito. 72/100 - 28 x 36 - cid
Importante artista, foi representante da vanguarda da arte brasileira. Pintor, desenhista e gravador, frequentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro (1957/8) e a antiga ENBA (1959-1962), estudando xilogravura com Adir Botelho. Participou dos XIX e XXI SPar.BA (1962-1964 / com prêmios), XI, XIII, XIV, XV e XVI SNAM (entre 1962-1967), além de inúmeros outros salões e mostras oficiais no Brasil e no exterior. JULIO LOUZADA vol. 13 pág. 148; PONTUAL, pág. 235; TEIXEIRA LEITE, "in" A GRAVURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 974; LEONOR AMARANTE, pág. 143, Acervo FIEO.

373 - ROSARIO BERNARDO - (XIX - XX)
LL Mulher - osm - 15 x 34 - csd
Pintor natural de Cozenza, Itália. Foi ativo em São Paulo onde faleceu. Participou da Exposição Arte Contemporânea comemorativa do Centenário da Independência, Rio de Janeiro (1922) e do Salão Nacional de Belas Artes, RJ, onde obteve medalha de bronze em 1922 e 1936. Realizou exposição individual em São Paulo em 1934. MEC. vol. 1, pág. 221.

374 - TOMÁS SANTA ROSA - (1909 - 1956)
LL Dama - g - 35 x 26 - cid
Pintor, gravador, cenógrafo e professor. Oriundo da Paraíba, onde nasceu, fixou-se no Rio de Janeiro, iniciando em 1930 sua bem sucedida carreira de ilustrador de obras de autores estrangeiros e brasileiros, que inclui, dentre outros, Graciliano Ramos, José Lins do Rêgo, Jorge Amado, Castro Alves e muitos outros. Sua obra tem reconhecimento nacional e unanimidade de crítica, havendo se destacado em todas as áreas das artes que praticou. PONTUAL, pág. 472; TEIXEIRA LEITE, pág. 460; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 572; LEONOR AMARANTE.

375 - DJANIRA DA MOTTA E SILVA - (1914 - 1979)
LL Trabalhadora - ser. - 32 x 47 - cid - 1974
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 147 deste catálogo.

376 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Galo - ser. 486/500 - 48 x 30 - cid - 1963
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

377 - ADAM HENDLER - (1909 - 1981)
LL Jangadeiros - ost - 46 x 38 - cse - 1976
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 002 deste catálogo.

378 - ALBERTO ADANS - (1942)
LL Traineiras - ost - 40 x 60 - cie - 2010
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 263 deste catálogo.

379 - CARLOS OSWALD - (1882 - 1971)
LL Bosque - grav. - 30 x 40 - n/as.
Gravador e pintor, ativo no Rio de Janeiro, estudou na Europa; foi o primeiro a fazer gravura em metal com finalidade artística; dedicou-se a temas religiosos, paisagens, cenas de gêneros e retratos. PONTUAL, pág. 397; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1053; ITAÚ CULTURAL.; WALTER ZANINI, pág. 446; Acervo FIEO.

380 - ANTONIO AUGUSTO MARX - (1919 - 2008)
LL Paisagem - ost - 60 x 73 - cid
Arquiteto e pintor ativo em São Paulo, onde participa de mostras coletivas a partir de 1966, com reconhecimento de crítica e público. Artista de muitos recursos técnicos, suas obras tem como tema a paisagem, do campo e da cidade, com conteúdo de atmosfera, côr e equilibrio. MEC vol.3, pág. 99; PONTUAL, pág. 346; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 203; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 803, Acervo FIEO.

381 - FERNANDO MAGALHÃES VELLOSO - (1951)
LL Composição - ser. 113/164 - 30 x 60 - c - 2002
Pintor, gravador, arquiteto, cenógrafo e professor nascido na cidade de Belo Horizonte, em 18 de maio de 1951. Importante artista mineiro, figura nas melhores coleções do País. Carlos Scliar acompanhava seu trabalho, e testemunhava certo de estar diante de um dos valores mais gratificantes de nossa pintura. Rica e elucidativa, é a biografia e comentários traçados na bibliografia indicada abaixo sobre este artista. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 905

382 - ÉZIO MONARI - (1935)
LL " Anjo " - osm - 46 x 14 - cie e d
Pintor ativo em São Paulo. Participou do Salão Paulista de Belas Artes de 1961, recebendo menção honrosa. JULIO LOUZADA vol.7, pág.483; MEC vol.3, pág.169, Acervo FIEO.

383 - HOLMES NEVES - (1925 - 2008)
LL Composição - ose - 16 x 22 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

384 - INOS CORRADIN - (1929)
LL Cavaleiro - ser. 105/120 - 22 x 30 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 074 deste catálogo.

385 - EMILE TUCHBAND - (1933 - 2006)
LL Flores - ose - 12 x 9 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 010 deste catálogo.

386 - ENRIQUE EGUREN - (1940)
LL Cavalo - ost - 50 x 40 - cid
Pintor uruguaio, nascido em Riviera, a 27 de setembro de 1940. Estudou com Luis Garcia Sayago. Cursou durante 5 anos a Escola de Arte Aplicada na Universidade del Trabajo Uruguay, fazendo seu aperfeiçoamento em 1962, passando logo a dar aulas nessa mesma instituição.Pesquisador do renascentismo, consegue dar 'a seus trabalhos um toque ímpar de luzes e sombras, com grande habilidade em retratar fisionomias e principalmente as mãos e barbas de seus personagens. JULIO LOUZADA, vol. 4 págs. 351 e 352

387 - FRANCISCO CASSIANI - (1921)
LL Natureza morta - ost - 50 x 70 - cid
Nasceu em Mogi Mirim/SP, em 22/9/1921. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios em São Paulo e na Associação Paulista de Belas Artes, estudando posteriormente com o professor e pintor Castellane. Dedicou-se especialmente às naturezas mortas e paisagens, encontrando na histórica e bela cidade de Paraty/RJ, sua maior fonte de inspiração. MEC, vol. 1, pág. 368; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 60; Acervo FIEO.

388 - MACIEJ ANTONI BABINSKI - (1931)
LL Surreal - grav. 19/80 - 17 x 14 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 261 deste catálogo.

389 - GIUSEPPE PERISSINOTTO - (1881 - 1965)
LL Flores - ost - 75 x 90 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 271 deste catálogo.

390 - MARC CHAGALL - (1887 - 1985)
LL Cavalo alado com figuras - lito. os 191/333 - 25 x 18 - cie
Edição limitada, com carimbo da S.P.A.D.E.M. - Societe de la Propriete Artistique et des Dessins et Modules. -Pintor, gravador e vitralista, nasceu em Vitebsk, Bielorussia, em 7 de julho de 1887. Iniciou-se em pintura no ateliê de um retratista local. Em 1908 estudou na Academia de Arte de São Petersburgo. Seguiu para Paris em 1910, ligando-se a Blaise Cendrars, Max Jacob e Apollinaire e aos pintores Delaunay, Modigliani e La Fresnay. Marc Chagall trabalhou intensamente para integrar seu mundo de fantasias na linguagem moderna, derivada do fauvismo e do cubismo. Irrompendo a revolução socialista de 1917, foi nomeado comissário de belas-artes do governo de Vitebsk. Fundou uma escola aberta a todas as tendências, entrou em conflito com Malevitch e acabou demitindo-se. Em 1931 Chagall visitou a Palestina e a Síria e publicou Ma vie (Minha vida), autobiografia ilustrada por gravuras que já haviam aparecido em Berlim em 1923. A partir de 1935 o clima de guerra e de perseguição aos judeus repercutiu em sua pintura, na qual os elementos dramáticos, sociais e religiosos passaram a tomar vulto. Em 1941 foi para os Estados Unidos, onde em 1944 morreu Bella Chagall, sua esposa, causando-lhe grande depressão. Mergulhou de novo no mundo das evocações e concluiu o quadro "Autour d'elle" ("Em torno dela", Musée National d'Art Moderne, Paris), iniciado em 1937 e que se tornou uma síntese de sua temática. Regressou definitivamente à França em 1947. Reconhecido como um dos maiores pintores do Século 20, Marc Chagall morreu em Saint-Paul de Vence, no sul da França, em 28 de março de 1985. BENEZIT, vol. 2, pág. 638

391 - RAQUEL GALLENA - (1955)
LL " Chuvinha encantada numa manhã no campo " - ast - 50 x 95 - cid e d - 2007
Reproduzido na pág. 79 do livro " NAIF de Mala e cuia " de autoria de Oscar D'Ambrosio. -Pintora, desenhista e gravadora paulistana, realizou diversas exposições coletivas e individuais. Participou de Salões Oficiais obtendo diversas premiações. JULIO LOUZADA vol. 13 pág. 144

392 - IVONE VISCONTI CAVALLEIRO - (1901 - 1965)
LL Flores - a - 28 x 30 - cie - 1930
Nasceu em Paris, França e faleceu na cidade do Rio de Janeiro. Pintora, desenhista e ceramista, começou a sua formação artística com o seu pai, o pintor Eliseu Visconti. Estudou gravura com Osvaldo Goeldi (na antiga ENBA) e pintura com André Lhote. Recebeu as medalhas de prata em pintura e de ouro em arte decorativa no SNBA, bem como a medalha de ouro no Salão da Associação dos Artistas Brasileiros de 1964. Participou ainda do VI ao XII SNAM (1957-1964). Era casada com o pintor Henrique Cavaleiro. PONTUAL, 123; JULIO LOUZADA, vol.10, pág.211; MEC, vol.1, pág.393; REIS JR.; TEIXEIRA LEITE, pág.533; WALMIR AYALA, vol.2, pág.424 a 426.

393 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato azul - aspce - 42 x 30 - cie - 2000
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

394 - BORJALO - (1925 - 2004)
LL " Protesto " - dn - 40 x 30 - cid
Caricaturista, Mauro Borja Lopes nasceu em Pitangui, MG. Em 1947 começou a trabalhar, na Folha de Minas, com caricaturas esportivas; a seguir , no Diário de Minas, com caricaturas políticas; no Rio de Janeiro, a partir de 1953, nas revistas: O Cruzeiro, A Cigarra e Manchete. Figurou também nas publicações estrangeiras: Washington Post, Sport Life, Stag, Picture Post, Sport et Vie, Sétimo Giorno, Aptonbladet e Combate. Participou do álbum Seis Desenhistas Brasileiros de Humor (1962) e foi premiado no Festival de Bordighere. Exposições coletivas: em 1997: São Paulo, Belo Horizonte e Campinas; em 1998: Brasília e Penápolis, SP. ITAÚ CULTURAL; MEC VOL.1, PÁG. 252.

395 - INGRES SPELTRI - (1940)
LL Composição - osm - 70 x 50 - cid e d - 1981
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

396 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL " Caixa " - v e c e s/t - 56 x 37 - cid e d - 1977 - Ouro Preto
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 005 deste catálogo.

397 - ANTONIO MALUF - (1926 - 2005)
LL Figuras - grav. P.A. - 29 x 23 - cid - 1950-1975
Reproduzido sob o nº 238 em catálogo de leilão de Soraia Cals - Rio de Janeiro. -Nasceu em São Paulo, onde formou-se em engenharia. Estudou no Instituto de Arte Contemporânea do MASP, orientando-se desde o início pela vertente da arte construtiva. Em 1951 obteve o prêmio de cartaz da I Bienal de São Paulo, da qual participou. TEIXEIRA LEITE, pág. 306; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 654; ARTE NO BRASIL, pág. 930; LEONOR AMARANTE, pág. 12; Acervo FIEO.

398 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Café da manhã - tm e col. - 28 x 19 - n/as.
Participou da Exposição Internacional Comemorativa do Centenário da Independência, Rio de Janeiro - 1922. -

399 - FRANCISCO REBOLO GONSALES - (1903 - 1980)
LL Paisagem - lito. col. p/a 10/50 - 53 x 34 - cid
Litografia colorida pelo autor. Com a seguinte dedicatória: " Para Grassmann, do amigo F. Rebolo ". - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 225 deste catálogo.

400 - HOLMES NEVES - (1925 - 2008)
LL Coruja - tm - 30 x 25 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

401 - BRUNO LECHOWSKY - (1889 - 1941)
LL Parque - osc - 19 x 27 - cid e d - 1932 - Rio
Natural da Polônia, este grande pintor e professor veio para o Brasil em 1926, fixando-se inicialmente no Paraná, para depois vir a residir de forma permanente no Rio de Janeiro, o qual pintou com todas as cores e luzes. Integrou o Núcleo Bernardelli, onde orientou mestres como Tamaki, Takaoka, e principalmente Pancetti, a quem chegaria a marcar, inclusive nas cores chapadas. TEODORO BRAGA, pág. 139; PONTUAL, pág. 305; MEC, vol. 2, pág. 465; TEIXEIRA LEITE, pág. 281/282; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 449; ARTE NO BRASIL, pág. 764.

402 - HÉRCULES BARSOTTI - (1914 - 2010)
LL Composição - dn - 24 x 30 - cid - 1959
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 027 deste catálogo.

403 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL " O princípio " - ast - 46 x 61 - cie e d - 1982
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 028 deste catálogo.

404 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL " Emblema " - ast - 22 x 27 - d - 1986
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 245 deste catálogo.

405 - ROLANDO NATAL SCURZIO - (1931 - 1998)
LL " Rua Mauá - São Paulo " - ose - 14 x 25 - cid e d - 1994
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

406 - ALBERTO TEIXEIRA - (1925)
LL Composição - g - 14 x 20 - cid - 1956
Batizado Alberto Dias D'Almeida Teixeira, nasceu na cidade de São João do Estoril, Portugal. Estudou desenho e pintura na Sociedade Nacional de Belas Artes em Lisboa entre 1947 e 1950. Fixando residência em São Paulo, em 1950, foi aluno de Samson Flexor, tornando-se membro do Atelier Abstração. Expõe em diversas edições da Bienal Internacional de São Paulo, entre 1953 e 1965, e na Bienal Brasil Século XX, organizada pela Fundação Bienal de São Paulo, em 1994. Suas participações no Prêmio Leirner de Arte Contemporânea e no 1º Salão Esso de Artistas Jovens lhe rendem, respectivamente, o segundo e o primeiro prêmio em pintura. JULIO LOUZADA, vol. 3 págs. 1118 a 1122.; ITAU CULTURAL; PONTUAL, pág. 517; TEIXEIRA LEITE, pág. 497; MEC, vol. 4, pág. 376. Acervo FIEO.

407 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Família - dn e g - 24 x 29 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

408 - OSWALDO GOELDI - (1895 - 1961)
LL Figura - dn - 18 x 13 - cid
Desenhista, gravador e professor, nascido no Rio de Janeiro, filho de Emilio A Goeldi, naturalista suiço. A partir dos seis anos estudou na Suiça. Sua obra sofreu influência do expressionista austríaco Alfred Kubin. Retornando ao Brasil em 1919, realizou no Rio de Janeiro sua primeira exposição em 1921, no Liceu de Artes e Ofícios. Publicou albuns e ilustrou diversos e importantes livros. É artista altamente conceituado no País e no exterior, tendo merecido diversas homenagens póstumas, inclusive em filme. PONTUAL pág. 240; JULIO LOUZADA vol.11, pág130; MEC vol. 2, pág.271; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 521; ARTE NO BRASIL, pág. 672; Acervo FIEO.

409 - DANILO DI PRETE - (1911 - 1985)
LL Composição - ost - 70 x 90 - cid - 1969
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 096 deste catálogo.

410 - RENOT - (1932)
LL " Baianas do Rio Vermelho " - tm - 29 x 21 - csd
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

411 - ARTHUR TIMÓTHEO DA COSTA - (1882 - 1923)
LL Paisagem do Rio - osc - 30 x 20 - cid
Pintor nascido no Rio de Janeiro, iniciou seus estudos, com o seu irmão João Timóteo, como aprendiz da casa da moeda, após estudou na ENBA e obteve prêmio de viagem ao exterior em 1907. Diversos museus brasileiros possuem obras de sua autoria. LAUDELINO FREIRE, pág. 512; TEODORO BRAGA, pág. 229; REIS JR., pág. 286; Primores da Pintura no Brasil, vol. 1, págs. 57, 153, 313 e vol. 2, pág. 89; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 217; PONTUAL, pág. 522; MEC, vol. 1, pág. 468; TEIXEIRA LEITE, pág. 508; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 532.

412 - FERNANDO COELHO - (1939)
LL Figuras - ostce - 27 x 35 - cie - 1981
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 275 deste catálogo.

413 - VICENTE LEITE - (1900 - 1941)
LL Pedra da Gávea - a - 18 x 24 - cid - 1940 - Rio
Vicente Rosal Ferreira Leite nasceu no estado do Ceará, onde servia na guarda do Palácio do Governo, quando o então governador João Tomé de Sabóia e Silva lhe ofereceu uma bolsa de estudos no Rio de Janeiro, em virtude de seus dotes como desenhista. Na antiga Escola Nacional de Belas-Artes, no Rio, teve Cândido Portinari e Orlando Teruz, entre outros, como seus condiscípulos. De 1920 a 1926 estudou sob a orientação de Lucílio de Albuquerque, Rodolfo Chambelland e João Batista da Costa - de quem sofreu grande influência em sua dedicação às paisagens. Reconhecido e condecorado com menções honrosas em todo país, realizou exposições em diversos estados brasileiros, e também participou de salões em países como Argentina e Estados Unidos. Executou ainda, no Palácio do Governo do Ceará, uma alegoria da Revolução de 1930 - obra onde empregou a técnica pontilhista da última fase dos impressionistas franceses. Suas obras podem ser encontradas no Museu Nacional de Belas-Artes, na Pinacoteca do Estado de São Paulo e no Museu Mariano Procópio, em Juiz de Fora. JULIO LOUZADA, VOL ,10, pág, 487. PONTUAL, pág, 308. MEC, VOL, 2, pág, 468; TEIXEIRA LEITE.pág, 284; ITAÚ CULTURAL.

414 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Cena Árabe - ost - 61 x 46 - cid - N. Giordani
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 039 deste catálogo.

415 - FRANCISCO STOCKINGER - (1919 - 2009)
LL Nu - rel. em b - 22 x 10 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 366 deste catálogo.

416 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Guerreiro - grav. P.A. - 25 x 16 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 041 deste catálogo.

417 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL Casario - ost - 25 x 36 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

418 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " O carvoeiro de bordo " - ost - 41 x 33 - csd e d - 1974
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 043 deste catálogo.

419 - YOLANDA MOHALYI - (1909 - 1978)
LL Rosto - xilo. P.A. - 15 x 11 - cid
Pintora, desenhista e professora. Formação artística na Academia Real de Belas Artes de Budapest. Ativa em São Paulo a partir de 1931. Fez parte do Grupo dos Sete, juntamente com Victor Brecheret, Gomide e outros. Participante de diversas Bienais de São Paulo, entre 1951 e 1967, recebendo diversas premiações TEIXEIRA LEITE, pág. 331; PONTUAL, pág. 363; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 937; LEONOR AMARANTE, pág. 75; Acervo FIEO.

420 - ROBERTO DE ALMEIDA - (1940)
LL Mulheres - astce - 22 x 27 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 045 deste catálogo.

421 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Casario - tm - 25 x 37 - cie - 1968
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 080 deste catálogo.

422 - OSCAR NIEMEYER - (1907)
LL Projeto para Catedral de Brasília - dn - 15 x 21 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 172 deste catálogo.

423 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Jovem - ost - 41 x 33 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 095 deste catálogo.

424 - ARCÂNGELO IANELLI - (1922 - 2009)
LL Composição - ost - 73 x 59 - cid - 1964
Com certificado do Instituto Arcangelo Ianelli, firmado por Katia Vaz Ianelli. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 061 deste catálogo.

425 - TITO DE ALENCASTRO - (1934 - 1999)
LL " Pintura 460 " - ost - 50 x 40 - cie - 1986
Com etiqueta do atelier do artista, autenticado por Yur Fogaça, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 050 deste catálogo.

426 - MIRA SCHENDEL - (1918 - 1988)
LL Composição - mon. - 46 x 22 - cid - 1964
Reproduzido sob o n.° 74 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 051 deste catálogo.

427 - NERÃO - (ANTONIO JOAQUIM NERY) - (1903 - 1997)
LL " Artesão de Monte Sião " - ost - 38 x 46 - cid - 1986
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 052 deste catálogo.

428 - ANA ANDRADE - (1953)
LL " Seringueira " - grav. 26/30 - 20 x 30 - cid - 1985
Complemento de técnica: Maneira negra, água tinta e ponta seca. " - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 069 deste catálogo.

429 - JORGE GUINLE FILHO - (1947 - 1987)
LL Composição - a - 40 x 50 - cid - 1977 - New York
Com carimbo de Raymond & Raymond of Hartford Art Galleries - Connectcut/USA, no dorso. -Pintor e desenhista. Expôs com regularidade no Rio e São Paulo a partir de 1973, com ótimo mercado. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág.482; LEONOR AMARANTE, pág. 312. Acervo FIEO.

430 - ARLINDO CASTELANE DI CARLI - (1910 - 1985)
LL Busto - e em g - h = 66 - ass. - 1941
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 290 deste catálogo.

431 - PEDRO ALEXANDRINO - (1864 - 1942)
LL Natureza morta - ost - 50 x 60 - cie - Paris
Pintor acadêmico, especializou-se em naturezas mortas; aluno de Almeida Junior, foi professor, entre outros, de Tarsila do Amaral, Anita Malfati e Aldo Bonadei. Segundo a festejada crítica e historiadora de arte, Ruth Sprung Tarasantchi, "Pedro Alexandrino (...) demonstrou ser o artista que, em sua época, a nossa sociedade demandava. Vinha suprir as necessidades dos colecionadores, pois seus quadros, de fácil leitura, satisfaziam os sentidos, não tendo que recorrer à cultura artística que não possuíam. Pintava com realismo objetos e frutas que faziam parte da vida ou das aspirações da sociedade paulistana; por isso, através de sua obra temos uma idéia do nosso meio no fim do século passado e até quase meados deste. Foi ele, mais do que qualquer outro pintor, que nos fez entrever o nosso meio provinciano, de pouca cultura, ao mesmo tempo que pretensioso, procurando afrancesar-se. " in: TARASANTCHI, Ruth Sprung. A vida silenciosa na pintura de Pedro Alexandrino. 1981. Dissertação (Mestrado) - Escola de Comunicações e Artes - ECA/USP, São Paulo, 1981; Artistas Brasileiros - Pedro Alexandrino -Ruth Sprung Tarasanth - Edição EDUSP ,1996; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1039; TEIXEIRA LEITE, pág. 391/2; MEC, vol. 1, pág. 46; ITAU CULTURAL, RUTH TARASANTCHI.

432 - SERGIO TELLES - (1936)
LL Galos - ost - 71 x 90 - cid - 1973
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 057 deste catálogo.

433 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - g - 100 x 35 - cid - 1970
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 107 deste catálogo.

434 - ANTONIO PETICOV - (1946)
LL " O mar " - ost - 72 x 119 - d - 2008
Reproduzido no Livro " Antonio Peticov Pinturas " , Edição Artestudio Mauro Chaves. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 059 deste catálogo.

435 - YUTAKA TOYOTA - (1931)
LL " Memória " - ose - 170 x 122 - cid - 1964
No dorso: Etiqueta do I Salão Esso de Artistas Jovens, realizado no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, e etiqueta do atelier do artista. Reproduzido sob o nº 52 em catálogo de leilão de Soraia Cals - Rio de Janeiro. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 341 deste catálogo.

436 - ARNALDO FERRARI - (1906 - 1974)
LL Composição - g - 30 x 25 - cid
Pintor e desenhista de São Paulo. Estudou artes decorativas, desenho e pintura no Liceu de Artes e Oficio de São Paulo e na Escola de Belas Artes de São Paulo, tendo sido aluno de Érico Vio . Pertenceu ao Grupo Guanabara de São Paulo, com Tomie Ohtake, Ianelli, Fukushima e outros. Passou, num trabalho lento e consciente, do figurativismo para uma abstração geometrizante. Participou do Grupo Santa Helena, com Alfredo Volpi, Mario Zanini e outros, nos anos de 1935 a 1950. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 304/5; MEC, vol. 2, pág. 149/50; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 191; PONTUAL, pág. 207; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 378; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.678, Acervo FIEO.

437 - HARRY ELSAS - (1925 - 1994)
LL Rosto - ostce - 46 x 33 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 062 deste catálogo.

438 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX -
LL Fundo de quintal - ost - 60 x 73 - cid - Farago

439 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
LL " Homem e pássaros " - ost - 61 x 50 - cid - 1978
Com certificado de autenticidade n° 0586-1158 do Projeto Graciano. -Pintor e desenhista figurativo, integrou o Grupo Santa Helena, juntamente com Volpi, Zanini e outros, e foi um dos organizadores e expositores do I Salão da Família Artística Paulista; suas figuras seguem a disciplina cubista da organização do espaço, destacando-se uma série de Músicos; dedicou-se a pinturas murais e à ilustração de obras literárias. MEC, vol. 2, pág. 280; PONTUAL, pág. 247/8; TEIXEIRA LEITE, pág. 225 a 227; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 784; LEONOR AMARANTE, pág. 58; Acervo FIEO.

440 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Paisagem surreal - ost - 60 x 100 - cid - 1983
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 065 deste catálogo.

441 - DIONISIO DEL SANTO - (1925 - 1999)
LL Menino - g - 24 x 17 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 306 deste catálogo.

442 - JOSÉ WASTH RODRIGUES - (1891 - 1957)
LL Paisagem - a - 33 x 25 - cid - 1952
Pintor, desenhista e historiador paulistano, foi pensionado pelo Estado de São Paulo, estudando no Jean-Paul Laurens, em Paris, de cujo salão oficial participou em 1914. Dedicou-se com intensidade ao desenho a bico de pena. Executou os desenhos e aquarelas do livro Uniformes do Exército Brasileiro, de Gustavo Barroso. JULIO LOUZADA, VOL ,12, pág, 347. MEC, VOL, 4, pág, 92; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.

443 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Composição - dn e a - 28 x 18 - cid - 1966
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

444 - HENRIQUE BERNARDELLI - (1858 - 1936)
LL Bandeirante bebendo água - ost - 26 x 50 - cid
Estudo para o quadro " Bandeirantes ". - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 272 deste catálogo.

445 - MIRA SCHENDEL - (1918 - 1988)
LL Composição - dn - 35 x 46 - cid - 1965
Com etiqueta de Paulo Figueiredo Galeria de Arte - Sâo Paulo, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 051 deste catálogo.

446 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 11 x 20 - cie
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 071 deste catálogo.

447 - GUIDO VIARO - (1897 - 1971)
LL Lenhadores - a - 40 x 50 - ci
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 093 deste catálogo.

448 - JOSÉ GAMARRA - (1934)
LL Composição - ost - 44 x 64 - cid e d - 1960
Participou da Exposição " Iberê Camargo: Trajetória e Encontros " realizada no Museu de Arte do Rio Grande do Sul, conforme etiqueta no dorso. Com carimbo da Petite Galerie - Rio de Janeiro, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 073 deste catálogo.

449 - PABLO SALINAS Y TERUEL - (1871 - 1946)
LL Galanteio - osm - 18 x 20 - cid - Roma
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 102 deste catálogo.

450 - YUTAKA TOYOTA - (1931)
LL Composição - m em a i 78/150 - h = 27 - b
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 341 deste catálogo.

451 - HENFIL (HENRIQUE DE SOUZA FILHO) - (1944 - 1988)
LL " Orelhão " - dn - 26 x 18 - cse
Mineiro de Ribeirão das Neves, onde nasceu em 5 de fevereiro de 1944, e faleceu na cidade do Rio de Janeiro-RJ, em 4 de janeiro de 1988. Iniciou sua carreira como cartunista, quadrinhista, foi colaborador de O Pasquim (1969). Em 1970 lançou a revista Os Fradinhos, seus personagens mais famosos e que possuem sua marca registrada: um desenho humorístico, crítico e satírico, com personagens tipicamente brasileiros e que retratavam a situação nacional da época. Sua importância na História em Quadrinhos no Brasil se deve à renovação que trouxe ao desenho humorístico nacional. Henfil atuou ainda em teatro, cinema, televisão e literatura, tendo sido marcante a sua atuação nos movimentos políticos e sociais do País.

452 - LEOPOLDO RAIMO - (1912 - 2001)
LL Composição - dn e g - 26 x 26 - cid - 1952
Com carimbo da Galeria Sistina - São Paulo/Brasil, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 077 deste catálogo.

453 - KASUO WAKABAYASHI - (1931)
LL Composição - ost - 55 x 55 - cid - 1986
Reproduzido sob o nº 166 em catálogo de leilão de Soraia Cals - Rio de Janeiro. -Pintor natural da cidade japonesa de Kobe. Inicia seus estudos na Escola Técnica de Hikone, em Shiga (Japão), em 1944. Em 1946, inicia aprendizado de pintura a óleo. Torna-se membro do Grupo Babel, composto por Rokuichi, Kaibara, Ko Nishimura e outros. Em 1952 monta seu atelier. Em 1961, vem para o Brasil e radica-se em São Paulo, onde integra-se ao Grupo Seibi. Em 1966, é convidado para ser membro do júri do 10º Salão do Grupo Seibi de Artistas Plásticos, salão em que ganha a Grande Medalha de Ouro, na edição de 1963. Em 1968, naturaliza-se brasileiro. Entre 1963 e 1967, participa de várias edições da Bienal Internacional de São Paulo, recebendo o Prêmio Aquisição do Itamarati na 9ª edição. Em 1984, participa da exposição itinerante por Europa e América, Mestres do Abstracionismo Brasileiro; em 1994, participa da Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal de São Paulo. Em 2001, realiza exposição individual comemorativa dos seus 70 anos, na A Galeria em São Paulo. TEIXEIRA LEITE, pág. 540; PONTUAL, pág. 550; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 939, Acervo FIEO.

454 - JOAQUIM TENREIRO - (1906 - 1992)
LL Estudo - g - 25 x 27 - cid
Português da cidade de Melo, Serra da Estrela, foi discípulo do Núcleo Bernardelli e de Quirino Campofiorito, no Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência definitiva no Brasil no ano de 1929. Fez o Curso de Desenho do Liceu Português, onde conquista o prêmio Joaquim Alves Meira, a maior láurea daquele estabelecimento. Tem pinturas suas figurando no MAM-SP, no MNBA e Museu Manchete-RJ. Mário Barata escreve a seu respeito: " Depois de uma fatura limpa, de acabamento preciso e claro, Tenreiro, mesmo prosseguindo com certo rigor estilistico, cedeu, ultimamente, 'a tentação das densidades de matéria e ao cromatismo baixo, 'as vezes terroso, cinza, que o informal bastante generalizou." É o renovador do mobiliário brasileiro, responsável por toda uma linha de criação em que a funcionalidade se alia o bom gosto e o aproveitamento racional dos materais do País. MEC, vol.4, págs.381 E 382; PONTUAL, pág.520,; TEIXEIRA LEITE, pág.504; WALMIR AYALA, vol.2, pág.376 e 377 ; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.320; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 580; ARTE NO BRASIL, pág. 763.

455 - HENRIQUE BOESE - (1897 - 1982)
LL Composição - ost - 50 x 60 - cid - 1970
Com carimbo do Mirante da Artes de Pietro Maria Bardi - São Paulo, no dorso. - Reproduzido no convite deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 09/02/2011. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 099 deste catálogo.

456 - VICTOR VASARELY - (1908 - 1997)
LL Zebra - ser. P.A. 1/10 - 45 x 35 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 081 deste catálogo.

457 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
LL Composição - dn e a - 22 x 29 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 083 deste catálogo.

458 - ESCOLA DE MURILO, SÉC. XVII - (? - ?)
LL Madona com menino - ost - 120 x 80 - n/as.
Original encontra-se no Museu do Prado - Espanha. -

459 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Firenze - ost - 100 x 150 - cid - A. Bernini (?)

460 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL Rosto - dn - 12 x 9 - d - 1946 - Paris
Com a seguinte inscrição no dorso: " Declaro que este desenho, datado de 26-10-46, feito em Paris, nas dimensões de 0,9 x 0,12 é de minha autoria. Rio, Fevereiro de 1980. Milton Dacosta ". - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 085 deste catálogo.

461 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
LL Composição - ost - 47 x 40 - d - 1957
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 274 deste catálogo.

462 - HEITOR DOS PRAZERES - (1898 - 1966)
LL " Pierrô com foliões " - ost - 46 x 55 - cid - 1965 - Rio
Com autenticação da família do artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 087 deste catálogo.

463 - MARIO SILÉSIO - (1913 - 1990)
LL Composição - dn e g - 23 x 369 - cid - 1951
Pintor, desenhista, muralista e vitralista. Cursa direito na Universidade de Minas Gerais - UMG (atual Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG), em Belo Horizonte, entre 1930 e 1935. Estuda desenho e pintura na Escola de Belas Artes de Belo Horizonte (Escola Guignard), sob a orientação de Alberto da Veiga Guignard, entre 1943 e 1949. Em 1953 viaja para Paris, como bolsista do governo francês, e ingressa no curso de André Lhote. De volta ao Brasil, entre 1957 e 1960 executa diversos painéis em edifícios públicos e privados de Belo Horizonte, como Banco Mineiro de Produção, Condomínio Retiro das Pedras, Inspetoria de Trânsito, Teatro Marília, Escola de Direito da UFMG e Departamento Estadual de Trânsito. É também de Silésio o mural feito para o Clube dos Engenheiros, em Araruama, Rio de Janeiro. Executa os vitrais da Igreja dos Ferros em 1964. ITAÚ CULTURAL.

464 - GUSTAVO DALL'ARA - (1865 - 1923)
LL Paisagem - ostcc - 24 x 30 - cie
Pintor italiano, ilustrador e caricaturista. Realizou sua formação artística na Academia de Belas Artes de Veneza, estudando com Villa, Franco Dall'ara e Deslandes. Por volta de 1889, veio radicar-se no Rio de Janeiro, como convidado para ilustrar um dos jornais cariocas da época e também por motivos de saúde. Paisagista e marinhista, dedicou-se a fixar aspectos do Rio antigo. Nogueira da Silva chamou-o o pintor da cidade, "tanto se entregara ele, o bizarro e macambúzio, Gustavo Dall'ara, ao urbanismo pictural da metrópole. MEC, vol. 2, pág. 14; REIS JR., pág. 270; PONTUAL, pág. 157; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 234; Catálogo da Exp. De Paisagem Brasileira - Min. Da Educ. e Saúde - MNBA/Rio/1944 ; LAUDELINO FREIRE, pág. 388; TEODORO BRAGA, pág. 78; TEIXEIRA LEITE, pág. 144; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 84; ITAÚ CULTURAL.; ARTE NO BRASIL, pág. 839.

465 - ANTONIO FERRIGNO - (1863 - 1940)
LL Barcos - osm - 12 x 18 - cid
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 16/02/2011. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 320 deste catálogo.

466 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Nu - e em b - h = 10 - ass.
Reproduzido sob o n.° 59 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 091 deste catálogo.

467 - RONALDO NORONHA - (1938)
LL Composição - ose - 106 x 122 - cid - 1987
Pintor e desenhista, o autor interpreta a natureza com sentimento poético próprio, afetivo e persuasivo, incisivo nos contrastes formais, porém com toques delicados e, revelando o mundo de modo único e inimitável. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 642.

468 - RUBEM LUDOLF - (1932 - 2010)
LL Composição - dn - 30 x 23 - cid - 1957-1958
Batizado Rubem Mauro Cardoso Ludolf, o artista nasceu em Maceió-AL. Foi pintor, arquiteto e paisagista, formou-se em 1955 pela Escola Nacional de Arquitetura da Universidade Brasil-RJ. Foi aluno de Ivan Serpa no curso livre de pintura do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ. Integrou o Grupo Frente entre 1955 e 1956. "Apesar de os artistas concretos do Rio de Janeiro logo terem se desvinculado da ortodoxia do Grupo Ruptura de São Paulo, criando o movimento neoconcreto, Ludolf manteve-se fiel aos princípios teóricos que nortearam o manifesto paulista. Sua obra seguiu regularmente as questões das estruturas seriadas,dos efeitos ópticos orientados pela visão gestáltica do espaço, da cor programada." Ligia Canongia, in PROJETO Arte Brasileira: abstração geométrica 2. Rio de Janeiro: Funarte. Instituto Nacional de Artes Plásticas, 1988. O artista expõe individualmente a partir de 1958 e coletivamente participa de exposições desde 1954. ITAUCULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 292; WALTER ZANINI, pág. 676; MEC, vol. 2, pág. 511.

469 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Mãe e filha - dn - 29 x 21 - cie - Rio
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 094 deste catálogo.

470 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Paisagem - osm - 30 x 33 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 095 deste catálogo.

471 - ATTILIO PRATELLA - (1856 - 1932)
LL Depois da nevasca - osm - 25 x 18 - cie
Este excepcional pintor italiano nasceu em Lugo, na Romagni no dia 11 de abril de 1856. Ativo na cidade de Nápolis onde pintou fantásticas paisagens e marinhas de uma realidade sensível, suas obras muito apreceiadas, são disputadas em leilões realizados nas principais cidades da Europa. O autor consta do acervo de museus da Itália e outro países europeus. BENEZIT, vol. 8, pág. 472; MAYER/83, pág. 987; BOLAFFI, nº 12, pág. 280; ART PRICE ANNUAL/2000, pág. 2020.

472 - FRANÇOIS MORELLET - (1926)
LL Composição - ser. 231/300 - 80 x 80 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 024 deste catálogo.

473 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Feira - ost - 32 x 42 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 039 deste catálogo.

474 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Vila de pescadores - ose - 21 x 30 - cie
Com etiqueta do atelier e registrado sob o n.º 424 na catalogação da obra de Fulvio Pennacchi. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 340 deste catálogo.

475 - JOSÉ FERRAZ DE ALMEIDA JR. - (1850 - 1899)
LL Deus - ost - 41 x 31 - cie - 1875
Com a seguinte inscrição: "D'Après" - "A visão de Ezequiel " de autoria de Raphael Sanzio. Reproduzido no convite deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 09/02/2011. Nasceu em Itú, SP, 8/5/1850, e faleceu, assassinado em Piracicaba, em 13/11/1899. Foi aluno de Vitor Meirelles (pintura) e de Jules Le Chevrel (desenho), a Academia Imperial de Belas Artes, do Rio de Janeiro. Seu curso foi brilhante, tendo obtido 9 premiações. Foi pensionista do Império, aperfeiçoando-se na Europa. Pinta com singular maestria temas ligados ao homem do campo, retratos e paisagens rurais. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 49; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 418; ARTE NO BRASIL, pág. 566; F. ACQUARONE, pág. 89, RUTH TARASANTCHI.

476 - THEODORO BRAGA - (1872 - 1953)
LL " Convento da Penha - Vila Velha-ES " - a - 25 x 36 - cid - 1932 - Vitória
Pintor, restaurador, decorador, ceramista, ilustrado, nasceu na cidade paraense de Grão-Pará, e vindo a falecer em São Paulo SP. Em 1895, no Rio de Janeiro, estuda na Escola Nacional de Belas Artes, ENBA, sendo aluno de Belmiro de Almeida, Zeferino da Costa e Daniel Bérard. Premiado pela ENBA com viagem ao exterior, vai a Paris, onde tem aulas com Jean Paul Laurens. Em 1942, publica o dicionário de notícias de pintores brasileiros, Artistas Pintores no Brasil. Participa de várias edições do Salão Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, e do Salão Paulista de Belas Artes. JULIO LOUZADA vol. 1 pag. 149; ITAU CULTURAL.

477 - JEAN LÉON PALLIERE - (1823 - 1887)
LL Estudo - dl e a - 12 x 13 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 076 deste catálogo.

478 - CÂNDIDO PORTINARI - (1903 - 1962)
LL Sagrada Família - dl e a - 17 x 18 - cid
Registrado no Projeto Portinari sob o nº 1335 [FCO 5587]. Com a seguinte inscrição no dorso: " Este desenho é um estudo para a Capela em Brodówski - 1941 ". - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 103 deste catálogo.

479 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Composição - dn, a e g - 27 x 34 - cid - 1965
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

480 - MARIA BONOMI - (1935)
LL " Procissão Perene " - m em res. 9/10 - 57 x 60 x 5 - ass. - 1972
Gravadora, pintora, figurinista, cenógrafa, muralista e escultora. No Brasil desde os nove anos de idade, residiu no Rio de Janeiro, com o seu avô, o construtor Conde Martinelli. Em 1950, já em São Paulo, estudou inicialmente com Yolanda Mohalyi, em seguida, a partir 1953, com Karl Plattner e Livio Abramo. Fez estudos de aperfeiçoamento no exterior, estudando com grandes mestres. Participante assídua de exposições coletivas, salões e mostras nacionais e internacionais, com muitas premiações. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 142; PONTUAL, pág. 80; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI,pág. 692; ARTE NO BRASIL, pág. 837; LEONOR AMARANTE, pág. 75, Acervo FIEO.

481 - SAMSON FLEXOR - (1907 - 1971)
LL Composição - g - 40 x 30 - cid - 1954
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 106 deste catálogo.

482 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - g - 40 x 16 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 107 deste catálogo.

483 - WALDOMIRO DE DEUS - (1944)
LL Figuras - ost - 100 x 50 - cid e d - 1966
Procedente da coleção do crítico de arte Mario Schenberg, São Paulo. -Baiano de Boa Nova, Waldomiro de Deus é pintor e gravador. Em São Paulo desde 1960, expunha seus trabalhos nas praças da capital. Expõe em espaços oficiais desde 1965, inclusive no exterior. Ao todo já realizou mais de 100 exposições, com sucesso de crítica e de público. O seu trabalho mescla o misticismo religioso afro-baiano com elementos do cotidiano. ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 239; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

484 - PAGÚ - (1910 - 1962)
LL Figuras - dn - 29 x 42 - cie
Escritora e jornalista, Patrícia Rehder Galvão nasceu em São João da Boa Vista, SP. Muda-se com a família para São Paulo quando tinha três anos. Aos dezoito anos, após ter completado seus estudos, já está integrada ao Movimento Antropofágico, de cunho Modernista, sob influência de Oswald de Andrade e Tarsila do Amaral, colaborando com desenhos para a Revista de Antropofagia. Em 1931, junto com Oswald de Andrade, funda o jornal tablóide O Homem do Povo onde escreve artigos, faz desenhos, charges e vinhetas. Em 1933 Pagú lança seu primeiro romance, Parque Industrial - romance proletário, sob o pseudônimo de Mara Lobo por exigência do Partido Comunista. Falece em Santos, SP, depois de uma vida de militância política e social bastante agitada. www.vidaslusofonas.pt/pagu; pt.wikipedia.org.

485 - PAULO VALLE JÚNIOR - (1889 - 1958)
LL Paisagem - ost - 38 x 55 - cie
- Reproduzido no convite, na capa do catálogo deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 16/02/2011.Paisagista e marinhista extremamente sensível, Valle Júnior postou-se à parte da renovação determinada pela Semana de Arte Moderna, tendo sido porém artista autêntico e pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 187; REIS JUNIOR, pág. 373; MEC, vol 4, págs 441/442; PONTUAL, pág. 531; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.

486 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Figuras - dn e a - 13 x 17 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

487 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL Sítio - ost - 23 x 37 - cie e d - 1984
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 079 deste catálogo.

488 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Casarão - ost - 70 x 100 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 113 deste catálogo.

489 - JOSÉ MARCONDES - (1938)
LL " Rompimento " - ost - 80 x 100 - cie e d
Colheu a sua primeira láurea ao vencer o concurso de desenho promovido pelo prof. Laércio de Azevedo, na cidade de São João da Boa Vista, onde o autor nasceu em 23/12/1938. Autodidata, preocupou-se em tratar de temas que estivessem relacionados às raízes brasileiras. Segundo a observação de Aparecidinha P. Oliveira: "... numa espécie de estado de criação, não depende de técnicas ou influências, e o vigor de sua pintura transcendeu sua riqueza primeira, para, numa síntese de rara originalidade, atingir as universais temáticas humanas e sociais." JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 580/581. Acervo FIEO.

490 - ELZA DE OLIVEIRA SOUZA - (1928 - 2006)
LL Conversando - ase - 50 x 60 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 115 deste catálogo.

491 - VINCENT JACHINK - (1876 - 1942)
LL Outono - ost - 52 x 70 - cie
Pintor austríaco. Trabalhou em Lienz, Spittal, Bischofshofen e Viena, Áustria, participando das várias exposições e Salões oficiais da efervescente atividade cultural do país. Foi um dos destaques do apogeu pictórico de 1900 na Áustria.

492 - ADRIAN HENRY VAN EMELEN - (1886 - 1945)
LL Barco - a - 35 x 24 - cie
Pintor e escultor ativo em São Paulo na primeira metade do Séc.XIX. Foi autor das figuras de bronze, dos bandeirantes: Manoel Preto e Francisco Brito Peixoto e da tela TROPEIROS À BEIRA DA ESTRADA (1830), atualmente no Museu Paulistano. MEC, vol.2, pág.111; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 1022, Acervo FIEO.

493 - MANOEL PACHECO - (XX - XX)
LL Beira da rio - osc - 27 x 35 - cid - 1941
Pintor e desenhista com diversas participações em exposições coletivas e salões oficiais. JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 248

494 - ROBERTO MORICONI - (1932 - 1993)
LL Composição - g - 30 x 30 - cid - 1964
Pintor e escultor nascido em Perugia, Itália. Veio residir no Rio de Janeiro em 1953, onde, a partir de 1960 cria capas e ilustrações para a Livraria Freitas Bastos. Participou de algumas edições da Bienal de São Paulo, do SNAM e SEAJ. MEC, vol. 3, pág. 202; PONTUAL, pág. 372; JÚLIO LOUZADA, vol. 10, pág. 617; WALTER ZANINI, pág. 770.

495 - NILSON PIMENTA DA COSTA - (1957)
LL A mudança - ost - 85 x 112 - ci
Baiano de Caravelas, o autor aprende desenho de forma autodidata, aprimorando-se nesta técnica e iniciando-se na pintura, em ateliê sob orientação de Aline Figueiredo e Humberto Espíndola. Desde o início de sua carreira destaca-se como artista naïf, recebendo diversos prêmios em salões. Participa de várias exposições importantes, entre elas a Bienal Naïfs do Brasil em suas 2ª, 4ª e 5ª edições, organizadas pelo Sesc de São Paulo e do segmento Arte Popular, da Brasil + 500, Mostra do Redescobrimento, na Fundação Bienal em 2000. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 812; ITAU CULTURAL.

496 - TOMOSHIGUE KUSUNO - (1935)
LL Charles Chaplin - ser. 82/100 - 32 x 32 - cid - 1971
Natural de Yubari, Japão. Pintor, desenhista e gravador. A obra do autor situa-se no limiar entre o formalismo e o objeto. Individuais a partir de 1976, coletivas internacionais em 1982, e premiações diversas. JULIO LOUZADA, vol.4, pág.1101; MEC, vol.2, pág.430 e 431; PONTUAL, págs.295 e 296; TEIXEIRA LEITE, pág.274; WALMIR AYALA, vol.1, pág.452; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 968; LEONOR AMARANTE, pág. 171, Acervo FIEO.

497 - SALVADOR SANTISTEBAN - (1919 - 1995)
LL Paisagem - ost - 50 x 43 - cid - 1967
Pintor e desenhista nascido em Sorocaba, SP. Foi aluno de Angelo Simeone na Associação Paulista de Belas Artes. Participou de diversas exposições coletivas, realizando outras tantas individuais. Recebeu premiações nos salões que participou a partir de 1948 até 1993. Em 1972 fez turnê artística pela Europa na companhia dos pintores: Omar Pellegatta, Giancarlo Zorlini, Salvador Rodrigues Junior, Carnelosso e Angelo Simeone. Possui obras em diversos museus paulistas. JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 1017; Acervo FIEO.

498 - VALDIR MEDEIROS DUARTE - (1917 - XX)
LL Natureza morta com lampião - g e col. - 56 x 38 - cid e d - 1967
Pintor nascido em Juiz de Fora, Minas Gerais. Começou a pintar em 1965. Participou de inúmeras exposições e Salões oficiais onde se destacam, no Rio de Janeiro: a individual em 1967 e a coletiva em 1966. JULIO LOUZADA, VOL. 12, PÁG. 140; MEC, VOL. 2, PÁG.81; PONTUAL, PÁG.185.

499 - WELLINGTON DE OLIVEIRA - (1951)
LL Alagados - ost - 16 x 22 - cid - 1972
Pintor nascido em Aracaju, SE. Assina Wellington. Exposições individuais: Rio de Janeiro (1971); Aratu, BA (entre 1972 e 1975); Porto Alegre, RS (1973); Salvador, BA (1974); Brasília, DF (1976); Aracaju, SE (1976, 1979, 1980, 1983,1985). Coletivas: Salvador, BA (entre 1971 e 1977, 1980); São Cristóvão, SE (1972 a 1984); Maceió, AL (1975); Recife, PE (entre 1979 e 1985); Aracaju, SE (1982 a 1985); Campinas, SP (entre 1988 e 1990); Nova York, EUA (1973). Recebeu prêmios em 1967, 1968, 1969, 1979. JULIO LOUZADA VOL.5, PÁG.1132.

500 - FAYGA OSTROWER - (1920 - 2001)
LL Composição - lito. 52/100 - 60 x 40 - cid - 1980
Gravadora, pintora, desenhista, ilustradora, teórica da arte e professora. Natural de Lodz, Polônia. No Brasil, Rio de Janeiro, desde a década de 1930. Cursa artes gráficas na Fundação Getúlio Vargas, em 1947, onde estuda xilogravura com Axl Leskoschek e gravura em metal com Carlos Oswald, entre outros. Em 1969, a Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro publica um álbum de gravuras realizadas entre 1954 e 1966. Dentre as muitas coletivas de que participou, no País e no exterior, destacamos as seguintes nacionais: 1ª Bienal Internacional de São Paulo (1951); Exposição Nacional de Arte Abstrata (1953) e, Salão Preto e Branco (1954). MEC. Vol.3, pág.303; JULIO LOUZADA, pág.234; PONTUAL, págs.395 e 396.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 606; ARTE NO BRASIL, pág. 840; LEONOR AMARANTE, pág. 28; Acervo FIEO.