Leilão de Arte tableau - Fevereiro de 2010

001 - EVANDRO CARLOS JARDIM - (1935)
LL Composição - grav. P.A> - 15 x 20 - cid
Excepcional gravador e pintor, diplomado pela Escola de Belas Artes de São Paulo, em 1958. Suas obras são sensíveis, tem apuro artesanal e invenção formal; buscam o insólito da paisagem, transformando em arte quase surreal. PONTUAL, pág. 277; MEC, vol. 2, pág. 372; TEIXEIRA LEITE, pág. 264.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 764; ARTE NO BRASIL, pág. 966; LEONOR AMARANTE, pág. 240. Acervo FIEO. -

002 - MANABU MABE - (1924 - 1997)
LL Composição - ser. 143/316 - 18 x 23 - cid
Pintor autodidata, veio para o Brasil com a família em 1934, fixando-se em Lins-SP, onde trabalhou na lavoura do café; ligado ao abstracionismo informal, até a metade dos anos 50 fez pintura figurativa, especialmente paisagens e naturezas mortas; dedicou-se ainda à tapeçaria. ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1050; TEIXEIRA LEITE, pág. 296; PONTUAL, pág. 325/6; MEC, vol. 3, pág. 13; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 644; LEONOR AMARANTE, pág. 83, Acervo FIEO.

003 - JOSÉ SABÓIA - (1949)
LL Colheita - ost - 30 x 30 - cie
Nascido em Almadina (BA). Indo para o Rio de Janeiro em 1967, começou a pintar no ano seguinte, passando a expor seus trabalhos na Feira Hippie de Ipanema. Sua primeira individual deu-se em Fortaleza em 1970; a partir de então, tem exposto com freqüência no Rio de Janeiro e em São Paulo. A pintura de Sabóia partiu de uma raiz eminentemente popular, tendo atingido depois um rebuscamento que se traduz no caprichoso desenho de linhas recurvas, na pincelada lisa, impessoal, no colorido reduzido a três ou quatro tons básicos e na composição, dotada daquele inconfundível horror vacui dos ingênuos. JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 278; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 228; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

004 - JOSÉ DE OLIVEIRA MACAPARANA - (1952)
LL Composição - ser. 37/60 - 72 x 50 - cid - 2006
Escultor, autodidata, o artista é natural de Macaparana, PE, sendo filho e neto de marceneiros. Faz sua primeira exposição individual na Galeria Empetur em 1970, no Recife. Entre 1972 e 1973, reside no Rio de Janeiro; depois muda-se para São Paulo. Entre as mostras de que participa, destacam-se: IV Bienal Ibero-Americana de Arte, Cidade do México, 1984 (Artista Convidado); Salão de Arte Contemporânea, São Paulo, 1986; MAC - 25 Anos, no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, 1988; Bienal Internacional de São Paulo 1991; Tendências Construtivas no Acervo do MAC/USP, no Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro, 1996. JULIO LOUZADA, vol. 9 pág. 509; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

005 - GINO BRUNO - (1889 - 1977)
LL Rosas - ost - 66 x 50 - cid
Nascido e falecido em São Paulo, este pintor foi especialista em figuras, interiores e naturezas-mortas. TEODORO BRAGA, pág. 108; MEC, vol. 1, pág. 299; PONTUAL, pág. 92; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 135; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 623; Acervo FIEO.

006 - JOSÉ MORAES - (1921 - 2003)
LL Composição - g - 34 x 24 - cid - 1967 - Santos
Carioca, nascido José Machado de Morais, em 10/5/1921. Pintor, gravador, desenhista e professor. Aluno rebelde da antiga Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, foi figura importante no embate entre conservadores e modernos na década de 40, concorrendo com o seu trabalho e militância, para a difusão do modernismo pelo país, e na conquista da "Divisão Moderna", no Salão Nacional de Belas Artes. Foi aluno de Quirino Campofiorito, Portinari, com quem trabalhou na execução de diversas obras. Participou de diversos Salões com merecido reconhecimento. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 230; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 602, Acervo FIEO.

007 - CHRISTINA HERMES - (1939)
LL " Colheita de feno " - ose - 27 x 35 - cid
Maria Christina Hermes Oliveira nasceu em São Paulo, SP. Assina Christina Hermes. Está radicada no Rio de Janeiro. Tem participado de inúmeras exposições e Salões oficiais. Individuais: Rio de Janeiro (1984, 1985, 1993); Vitória, ES (1989). Coletivas: Rio de Janeiro (1981 a 1989, 1991 a 1995, 1997 a 1999); São Paulo (1982, 1984, 1986, 1987, 1996, 1997); Salvador, BA (1983); Uberlândia e Uberaba, MG (1988); Suíça (1984); Portugal (1983, 1985); Vitória, ES (1992 a 1994); Teresópolis, RJ (1991); Penedo, RJ (1993); EUA (1990, 1991). Prêmios: Rio de Janeiro (1981, 1984 a 1987, 1991, 1993, 1994); Bahia (1987); São Paulo (1982 a 1985, 1987); Portugal (1983, 1985). JULIO LOUZADA, VOL. 4; PÁG. 518; VOL. 8, PÁG. 391; VOL. 9, PÁG. 407; VOL. 10, PÁG. 423; VOL. 11, PÁG. 146; VOL. 13, PÁG. 166. ITAU CULTURAL.

008 - RUBENS GERCHMAN - (1942 - 2008)
LL O beijo - ser. 26/100 - 36 x 51 - cid
Importante artista, foi representante da vanguarda da arte brasileira. Pintor, desenhista e gravador, frequentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro (1957/8) e a antiga ENBA (1959-1962), estudando xilogravura com Adir Botelho. Participou dos XIX e XXI SPar.BA (1962-1964 / com prêmios), XI, XIII, XIV, XV e XVI SNAM (entre 1962-1967), além de inúmeros outros salões e mostras oficiais no Brasil e no exterior. JULIO LOUZADA vol. 13 pág. 148; PONTUAL, pág. 235; TEIXEIRA LEITE, "in" A GRAVURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 974; LEONOR AMARANTE, pág. 143, Acervo FIEO.

009 - NARCISO CONILLO MARTINS - (1963)
LL Mulher - tm - 68 x 80 - cid - 2003
Nascido em Gleba Keller, no Paraná, o autor demonstra desde cedo talento para a pintura. Estudou com Arrigo Libarde (professor austríaco), com Manuel Victor Filho, (Escola Panamericana de Arte em SP), com Roberto Magalhães e Achile Noris. CONILLO teve como mestre de filosofia da arte Tao Sigulda, artista plástico que lhe mostrou o caminho da composição das cores, suas combinações e efeitos, lições essas que o autor soube muito bem aproveitar, como podemos desfrutar em suas belas e harmoniosas telas. Excelente crítica e mercado. Livro: SECRET GARDEN, Ed. Almacen, Portugal, 2001, português/inglês; Acervo FIEO.

010 - SOU KIT GOM - (1973)
LL Flores - ost - 30 x 25 - cie e d - 2008
Iniciou na arte em 1986, no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo. Estudou Publicidade na Fundação Armando Álvares Penteado, e em 1992 foi aluno do pintor Fang. Cursou gravura com Romildo Paiva em 1995. Participa de coletivas desde 1994, recebendo diversas premiações. Expõe individualmente desde 1995. Sobre a sua obra, assim tem se manifestado a crítica especializada: "Observar as obras de Sou Kit é um prazer para os olhos e um deleite para a alma que mergulha na energia criativa e se renova na renovação de cada pincelada, ritmo das linhas e pureza das formas". (Ivanir Pineda Sanches/1997); "A arte de Sou Kit Gom se caracteriza pelo equilibrio e harmonia de traços e cores e através dela ele é capaz de dar abundante vida à sua inspiração. "(Darcy Valente/1999). JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 841

011 - JOSINALDO FERREIRA BARBOSA - (1951)
LL " Mulheres ribeirinhas " - ast - 70 x 50 - cid e d - 2009
Pintor, assina Josinaldo. Com diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior. Tambem participou de Salões, entre eles o Salão de Piracicaba. JÚLIO LOUZADA vol. 12 pág. 214.

012 - MARYSIA PORTINARI - (1937)
LL No circo - ost - 70 x 50 - cid
Natural de Araçatuba, SP, onde nasceu em 14 de março. Estudou desenho, composição, preparação das tintas e dos suportes, no ateliê de Copacabana de Candido Portinari. Sobre sua obra assim se manifestou Manuel Bandeira: "Marysia é uma aurora, e pinta com as cores da aurora. Oxalá, quando seu talento alcançar a meridiana força, não se esqueça ela destas suas cores de agora, não se esqueça da frescura, ingenuidade, inocência e graça dos seus anjos e santos de hoje". Em São Paulo (1955), vai morar com a família no Bixiga, pintando garotos e orfãos, figuras da rua, parentes e amigos. A figura fascina e o retrato é sua principal forma de expressão. Pinta também marinhas e naturezas mortas com igual maestria. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 215; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

013 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Florista - ostce - 15 x 30 - cid
Romeno da cidade de Hotin, Waidergorn veio para o Brasil em 1932, onde seus pais fixaram residência em São Paulo. Ingressou na APBA, onde conheceu Mecatti, que muito o estimulou e orientou, dele assimilando a luminosidade da pintura peninsular muito a gosto do ottocento italiano. Sua pintura aborda todos os gêneros, baseadas tanto nas recordações da infância pobre como nas lembranças das viagens que fez ao norte da Africa e Europa. Participou de diversos salões e coletivas, recebendo diversas premiações JULIO LOUZADA vol.11, pág. 330; Acervo FIEO.

014 - JOÃO ROSSI - (1932 - 2000)
LL " São Paulo 974 " - grav. 29/50 - 60 x 25 - cid
Pintor, gravador, ceramista, professor e escultor, natural de São Paulo, onde nasceu a 24 de dezembro. Autodidata, lecionou em cursos de desenho, cerâmica e pintura na APBA e na FAAP-SP. Executou murais de cerâmica na cidade de São Paulo. " A paisagem urbana de São Paulo foi sempre o grande tema de João Rossi, um dos artistas mais significativos da geração seguinte à dos artistas do Santa Helena." - Mário Schemberg. JULIO LOUZADA, vol. 7 pág. 610; ITAÚ CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 452; PONTUAL, pág. 463 ; WALTER ZANINI, pág. 734, Acervo FIEO.

015 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Casal - dl - 36 x 25 - cid
Pintora e desenhista. Assina Noemia. Realizou sua primeira individual em 1934, no Rio de Janeiro. Residiu na Europa de 1934 a 1940, frequentando em Paris as academias de la Grande Chaumière e Ranson. Expôs em Montevideu e Buenos Aires. Foi citada por REIS JUNIOR e TEODORO BRAGA. Foi aluna (1932) e mulher (1933) de Di Cavalcanti. MEC vol.3, pág. 265; WALMIR AYALA vol.2, pág.135; PONTUAL, pág. 375; TEIXEIRA LEITE, pág. 356; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 684. Acervo FIEO.

016 - EDUARDO CARLSON - (1924)
LL Porto - ose - 24 x 32 - cie
Pintor natural de Bauru, SP. Assina E. Carlson. Foi aluno de Edgar Walter, Armando Viana, Carlos Cavalcanti, no Rio de Janeiro, e de Anson Coriant Piper, nos Estados Unidos. Participou de inúmeras exposições coletivas e Salões oficiais, ganhando muitos prêmios em: Rio de Janeiro (1956, 1960, 1962, 1966, 1968, 1970, 1973 a 1975, 1978 a 1980, 1982, 1983); Valença, RJ (1972, 1974, 1975, 1980); Niterói, RJ (1970, 1974); São Paulo (entre 1963 e 1976). JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG. 212; VOL. 6, PÁG. 204; MEC, VOL. 1, PÁG. 357.

017 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 12 x 18 - cie
Pintor húngaro, estudou em Paris com Jean Paul Laurenz. Expôs seus trabalhos na Europa e na América, tendo também participado de salões internacionais recebendo premiações. De 1924 a 1935 foi diretor do Museu de Budapeste e de 1935 a 1945 foi diretor do Museu das Artes Instrutivas da Hungria. O Museu Histórico Municipal de Budapeste possui mais de 700 aquarelas de sua autoria.

018 - REGINA SILVEIRA - (1939)
LL Composição - ser. 6/25 - 51 x 41 - cie
Gravadora, desenhista, pintora e ilustradora, a artista nasceu em Porto Alegre, RS. Formada pelo Instituto de Belas Artes da UFRGS. Aperfeiçoou-se em pintura com Iberê Camargo, xilogravura com Francisco Stockinger e litogravura com Marcelo Grassmann. Participa de coletivas a partir de 1958, ganhando notoriedade nacional. "Esta arte séria de REGINA SILVEIRA representa um dos resultados mais modernos da criação no Rio Grande do Sul. Ela alcança resultados, que explorados em toda a sua profundidade e riqueza, contribuirão decisivamente para a nossa compreensão do mundo moderno e do drama de consciência em que vivemos." (Carlos Scarinci, Diretor do Museu de Arte do RS). JULIO LOUZADA, vol. 3 pág. 1063; RGS, pág. 413; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; LEONOR AMARANTE, pág. 308, Acervo FIEO.

019 - GIANCARLO ZORLINI - (1931)
LL " Igreja de São José " - osm - 20 x 46 - cid - 1975 - Ouro Preto/MG
Médico de profissão, iniciou-se autodidaticamente na pintura, em 1962. É filho do escultor e pintor Ottone Zorlini. Participou diversas vezes do Salão Paulista de Belas Artes, nele recebendo diversas premiações. Sua pintura tem como tema predominante a paisagem. JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 124; MEC vol.4, pág.534; PONTUAL, pág. 559; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

020 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Escola de Minas " - ost - 50 x 70 - cid e d - 2008
Paulistano, o pintor nasceu em 10/5/1965. Estudou na APBA-SP, onde desenvolveu curso de desenho e pintura, frequentado sessões de modelo vivo. Individuais desde 1989 e coletivas em Salões Oficiais, com sucesso de crítica. Recebeu diversos prêmios. JULIO LOUZADA, vol.13, pág. 304; Acervo FIEO.

021 - ALFREDO OLIANI - (1906 - 1988)
LL Estudo - dl e a - 44 x 47 - cid - 1929
Pintor, desenhista, gravador e escultor nascido (24/1/1906), e falecido (26/10/1988) na cidade de São Paulo. Frequentou a ENBA-SP, recebendo por concurso um prêmio de Viagem a Europa. Em Florença, Itália, aperfeiçoou-se na Academia de Belas Artes. Expondo nos salões oficiais em sua cidade natal, recebeu diversos prêmios. No campo da gravura, dedicou-se especialmente à água-forte. Obras em acervo: Pinacoteca-SP. JULIO LOUZADA, vol 4- pág 822

022 - DARCI ZANNIN - (1969)
LL " Dançando na rua " - ost - 50 x 40 - cie e d - 2010
Pintor e arquiteto, Darci Zanin Junior é natural de Porto Alegre, RS. Assina Zannin. Sua formação artística foi em São Paulo, SP, onde também foi aluno de Sérgio Fingermann. Exposições individuais: Santos, SP (1999); Guarulhos, SP (2007). Coletivas: Santos, SP (1994); São Paulo, SP (1997); Guarulhos, SP (2006); Rio Claro, SP (2009); Nova York, EUA (2009 - Artexpo). Prêmios: São Paulo, SP (1997); Rio Claro, SP (2009); Nova York, EUA (2009 - Artexpo), 50 Anos de Hiroshima, SESC Pompéia, SP, 1995, Panorama das Artes do Litoral, Centro Cultural Patrícia Galvão, Santos, SP, 1994, 9º Salão de Artes de Guarulhos, SP, 2009, 37º Salão da Primavera do MAN de Resende. RJ. - 2009, Salão de Artes de Vinhedo, SP. - 2009.

023 - KONSTANTIN STOITZNER - (1863 - 1934)
LL Paisagem - osc - 33 x 40 - cie
Pintor de paisagem nascido em Buseau e falecido em Viena, Áustria. Foi aluno de Chr. Griepenkerl e A. Eisenmenger, na Academia de Viena. Os museus de Viena conservam várias obras suas. BENEZIT, VOL.9, PÁG.843; www.artnet.com; www.artprice.com; www.arcadja.com.

024 - MARCOS GARROT - (1965)
LL Composição - lito. P.A. - 70 x 100 - cid
Natural desta Capital-SP, onde a partir dos anos 80 estudou desenho, pintura, gravura e escultura, tendo a figura humana como referência. Participa com regularidade de coletivas, recebendo diversas premiações, dentre elas destacamos: 1º Prêmio de Desenho (1984 - 1º Salão do Hobby e Lazer-SP), Medalha de Ouro em Desenho (1985 - 11º Salão de Artes Plásticas Raymundo Florentino, Jacareí-SP), Menção Honrosa (1986 - coletiva por ocasião do 129º Aninversário de José Malhoa-SP). Realizou exposição individual na Casa de Portugal-SP, em 1987, recebendo a medalha Fernando Pessoa do Consulado Português.

025 - ZÉ CABOCLO FILHO - (1952)
LL Bumba meu boi - e em br pol. - h = 20 - as.
Filho e discípulo de Zé Caboclo, José Antonio da Silva (1921-1973), que pertenceu ao grupo de artistas populares do Alto do Moura, Caruaru, PE. http://www.cnfcp.gov.br/pdf/CatalogoSAP/catCaboSAP143.pdfhttp://www.cnfcp.gov.br/pdf/CatalogoSAP/catCaboSAP143.pdf.

026 - COSME MARTINS - (1959)
LL Composição - g - 15 x 20 - cid
Cosme Damião Martins, pintor, natural de Belas Águas, MA. Assina Cosme Martins. Em 1985, transfere-se para o Rio de Janeiro. Estudou com Alberto Cipiniuk, Rubens Gerchman, Kate Van Scerpenberg, Luiz Áquila, José Maria Dias da Cruz e Aluísio Carvão. Participou de diversos Salões e exposições oficiais. Individuais: Maranhão (1980, 1984, 1985); Rio de Janeiro, RJ (1987, 1988, 1989, 1993). Coletivas: Maranhão (1980 a 1985, 1988, 1996, 2000); Rio de Janeiro, RJ (1981, 1988, 1989, 1992, 1997) São Paulo, SP (1983 a 1986, 1988); Brasília - DF, Rio de Janeiro - RJ e Pernambuco (1985 a 1988); Paris (1988); Brasília, DF (1991); Chile (1991); Bahia (1993). Prêmios: Maranhão (1978, 1981 a 1983, 1986); Rio de Janeiro (1987, 1989). JULIO LOUZADA, VOL.4, PÁG. 696 e 697; VOL.10, PÁG. 564; http://www.masterarte.com.

027 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Paisagem - g - 23 x 32 - cie ileg. - 1904

028 - VILMA PASQUALINI - (1930)
LL O melhor amigo - ast - 65 x 54 - cse e d - 1981
Pintora, ilustradora e professora natural da cidade do Rio de Janeiro-RJ. Estudou na ENBA-RJ em 1946. Cursou gravura em 1959, no MAM/RJ, sob orientação de Johnny Friedlaender. No MNBA-RJ, estudou crítica de arte com o professor José Roberto Teixeira Leite. Foi ilustradora na Revista Esso, no Jornal do Brasil e nas editoras Expressão e Cultura, Nova Fronteira, Presença, Difel e Agi (1968-78). Fixou residência em Juiz de Fora, MG, lecionando no Instituto de Ciências Exatas da Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF, de 1971 a 1978. Neste mesmo ano, cursa gravura no Pratt Graphics Center e no Art Students League em Nova York. Realizou sua primeira exposição individual em 1964, na Galeria Vila Rica, Rio de Janeiro. JULIO LOUZADA, vol. 9 pág. 656; ITAÚ CULTURAL.

029 - ADELSON DO PRADO - (1944)
LL Paisagem - ost - 24 x 41 - cse - 1967
Baiano, Adelson do Prado recria, num ambiente singelo, costumes, paisagens e crenças de sua paisagem natal. PONTUAL, pág. 14; TEIXEIRA LEITE, pág. 14; WALMIR AYALA vol.2, pág.221; ITAÚ CULTURAL..

030 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Circo - ost - 25 x 30 - cid e d - 2007
Português de Braga, viveu em São Paulo e Minas Gerais, radicando-se definitivamente em Goiânia, desde 1967. O sobrenome artístico Poteiro vem das obras em barro e cerâmica que trabalhou por mais de 12 anos, até se transformar no pintor original e vigoroso de hoje. Amigo de Siron Franco, seu grande incentivador na pintura. WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 217; TEIXEIRA LEITE, págs 31 e 32; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 808; LEONOR AMARANTE, pág. 294, Acervo FIEO.

031 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
ponto de nó, feito a mão, de lã, com desenho Herat, medindo 1,94 x 1,30 m = 2,52 m². -

032 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Paisagem - osm - 10 x 20 - cie
Nascido na Itália, radicou-se no Brasil. Seu estilo liga-se ao dos Macchiajoli oitocentistas (os equivalentes italianos dos impressionistas franceses) e ao de Pratella em especial. São especialmente notáveis suas paisagens e marinhas. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 168; JULIO LOUZADA vol.11, pág.54; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

033 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Paisagem - ost - 47 x 56 - cie ileg.

034 - OMAR SOUTO - (1946)
LL Bordel - ost - 73 x 92 - cid - 1979
Com etiqueta do II Salão Nacional de Artes Plásticas. -Goiano de Itaberaí, José OMAR Pereira SOUTO começou como pintor de paredes, de letreiros e de placas. Dessa vivência herdou a ótica ingênua e a identidade com o temário popular, inclusive o religioso, sendo posteriormente estimulado por Siron Franco. Expõe individualmente desde 1976, e participa de coletivas a partir de 1972. JULIO LOUZADA, vol. 3, págS. 1082 e 1083; ITAÚ CULTURAL.

035 - LIVRO -
LL -
1) " Annuaire international des ventes - peinture-sculpture - 1979 ", Ed. Meyer - Paris; 2) La Cote des lithographies, gravures, sculptures, bronzes - 1989-1990 - Les éditions de l'Amateur - Paris; 3) " A Estilística do Axiomismo na Pintura de Castellane " por Geraldo Dutra de Moraes, ed. Biblioteca Brasileira de Artes; 4) " João Câmara "; e mais 20 catálogos diversos.

036 - DARCY PENTEADO - (1926 - 1987)
LL " Ilustração " - tm - 43 x 60 - cid - 1981
Complemento de título: " Ilustração para ' Mais que pálida, mais que branca ' ", de Jorge Amado. -Desenhista, pintor, cenógrafo, figurinista e escritor, Darcy Penteado foi a personalidade polimorfe, que buscava tornar a própria existência matéria de arte. Em 1948 passou a integrar em São Paulo o Grupo Novíssimos. Expôs individualmente a partir de 1949, participando de inúmeras exposições coletivas e individuais, no país e no exterior. MEC, vol. 3, pág. 365; PONTUAL, pág. 416; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 241. WALMIR AYALA, vol 2, pág 183; TEIXEIRA LEITE, pág 401; ITAÚ CULTURAL ; WALTER ZANINI, pág. 717; LEONOR AMARANTE, pág. 75.

037 - ANTONIO BENEVENTO - (1945)
LL Figuras - ose - 39 x 32 - cid - 1969
Nasceu em Nova Friburgo/RJ. Em 1963 estuda com Chlau Deveza na Escola Fluminense de Belas Artes. Realizou diversas exposições coletivas e individuais, recebendo em 1981, o Troféu Mário Pedrosa, concedido pela Associação Internacional de Críticos de Arte, pela melhor exposição individual do ano - Galeria Bonino/RJ. ITAÚ CULTURAL.

038 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Aldeia - ose - 6 x 6 - cse e d
Nasceu em 27 de dezembro na cidade de Villa Collemandina, na Itália, e fixou-se no Brasil desde 1929, após ter estudado em Florença, e haver-se diplomado em pintura pela Academia Real de Pintura de Lucca. Pennacchi integrou a Familia Artística Paulista. Muralista de inspiração pré-renascentista, sua pintura é sensível e pessoal de modo especial na interpretação dos grandes temas bíblicos e da vida dos santos (mercê de uma infância marcada por sólida educação religiosa Católica), e na evocação do mundo caipira. Realizada em 1973, considerado o Ano de Pennacchi, importante retrospectiva da obra deste festejado artista no MAM de São Paulo. O artista fez exposições em Milão e foi homenageado em seu país natal. TEODORO BRAGA, pág. 192; MEC, vol, 3, pág. 365; WALMIR AYALA, vol, 2, pág. 182; PONTUAL, pág. 416; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 784; Acervo FIEO.

039 - CARLOS OSWALD - (1882 - 1971)
LL " Perfil de Cristo crucificado " - grav. - 25 x 18 - cid - 1951
Reproduzido sob o n° 135 do livro "Carlos Oswald", do Museu Nacional de Belas Artes - Rio de Janeiro. -Gravador e pintor, ativo no Rio de Janeiro, estudou na Europa; foi o primeiro a fazer gravura em metal com finalidade artística; dedicou-se a temas religiosos, paisagens, cenas de gêneros e retratos. PONTUAL, pág. 397; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1053; ITAÚ CULTURAL.; WALTER ZANINI, pág. 446; Acervo FIEO.

040 - RENZO GORI - (1911 - 1999)
LL " Recanto do meu atelier " - ost - 50 x 60 - cid e d - 1977
Pintor de estilo, participou de diversos Salões Nacionais, com premiações; muito apreciado por colecionadores de cenas árabes. TEODORO BRAGA, pág. 110; MEC, vol. 2, pág. 278; JULIO LOUZADA, vol. 9, pág. 390; Acervo FIEO.

041 - GENARO DE CARVALHO - (1926 - 1971)
LL Flores - g - 27 x 23 - cid
Tapeceiro, pintor, desenhista. Genaro Antônio Dantas de Carvalho era natural da cidade de Salvador-BA, onde também faleceu. Em 1944, vai para o Rio de Janeiro, e estuda desenho com Henrique Cavalleiro na Sociedade Brasileira de Belas Artes. É considerado um dos principais ativistas pela renovação da arte na Bahia, ao lado de Carlos Bastos, Caribé e Mario Cravo Jr. Com bolsa de estudos do governo francês, Genaro embarca para Paris em 1949, lá estuda com André Lhote e Fernand Léger na École Nationale de Beaux-Arts. Participa, em 1950, dos Salões de Outono, de Maio e dos Independentes. No ano de 1955, cria o primeiro ateliê de tapeçaria no Brasil, na cidade de Salvador, Bahia. Seu trabalho de maior destaque é o mural realizado para o salão interno do Hotel da Bahia, obra com 200 metros quadrados, intitulada Festejos Regionais Bahianos. Em 1967, a Divisão de Cultura do Departamento de Estado Americano realiza o documentário Genaro e a Tapeçaria Brasileira. Expõe na Bienal Internacional de São Paulo, 1951 e 1955; Bienal Internacional de Tapeçaria, Suiça, 1965; e 1º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM, São Paulo, 1969. Postumamente sua obra figura na 1ª Mostra Brasileira de Tapeçaria, no MAB/FAAP, 1974; Tradição e Ruptura, São Paulo, 1984; e 100 Artistas Plásticos da Bahia, no Museu de Arte Sacra, Salvador, 1999. JULIO LOUZADA vol.3, pág. 231; WALTER ZANINI, pág. 638; LEONOR AMARANTE, pág. 75; ITAU CULTURAL.

042 - JACQUES DOUCHEZ - (1921)
LL Composição - ost - 60 x 96 - cid - 1957
Com etiqueta da Galeria Seta, no dorso. -Pintor, tapeceiro e professor nascido em Mâcon, França. Começa sua aprendizagem em pintura ainda na França. Chegando ao Brasil em 1947, aperfeiçoa sua técnica com Caetano de Gennaro. Posteriormente, integra o grupo Atelier-Abstração onde recebe orientação de Flexor. Em 1957, Douchez e seu amigo Norberto Nicola, também aluno de Flexor, cria o Atelier Douchez-Nicola. Exposições individuais: São Paulo, SP (1959, 1963, 1975, 1979, 1984, 1989, 2003); Rio de Janeiro, RJ (1963,1968); Lima, Peru (1965); Washington, EUA (1976); Santos, SP (1977,2003); Campos do Jordão, SP (1981); Curitiba, PR (1982); Campinas, SP (1984); Jundiaí, SP (1987). Exposições coletivas: São Paulo, SP (1953 a 1959 - Bienais de São Paulo, 1961 a 1965,1967 a 1980,1982 a 1988, 1994, 1996, 1998 a 2000); Japão (1955,1970); EUA (1958,1971,1977); França (1958,1975); Belo Horizonte, MG (1961, 1970, 1974,1977); Curitiba, PR (1961); Rio de Janeiro, RJ (1961 a 1963, 1966,1967,1970,1977,1978,1983, 1999); Campinas,SP (1962,1996); Peru (1962,1965,1967); Uruguai (1963); Inglaterra (1965); Chile (1965,1980); México (1966,1970); Áustria (1966); Holanda (1968); Brasília, DF (1969,1973,1977); Alemanha (1970, 1980); Argentina (1975,1977,1978); Portugal (1975,1980); Suíça (1975); Porto Alegre, RS (1981,1985); Penápolis, SP (1982); São Caetano do Sul, SP (1986); Itapecerica da Serra, SP (1988). Prêmios: São Paulo, SP(1953 e 1971- Bienais de São Paulo;1976). ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA,vol.1,pág.341 e vol.2, pág.359.

043 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL " Permutação IV " - ser. 61/100 - 97 x 35 - cid - 1976
Pintor e desenhista austríaco, natural de Viena, transferiu-se para o Brasil em 1928, fixando residência em São Paulo, Estudou no Liceu de Artes e Ofícios da cidade, onde conheceu Valdemar da Costa, com ele fazendo aprendizado de pintura a partir de 1940. Artista estável, sua evolução não sofreu sobressaltos, uma vez formado numa linguagem linear de sensibilidade pessoal, despojada e exigente, rigorosamente artesanal. PONTUAL, pág. 131; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI pág. 645; ARTE NO BRASIL, pág. 798; Acervo FIEO.

044 - JORGE GUINLE FILHO - (1947 - 1987)
LL Composição - osp - 16 x 22 - cid e d - 1987
Pintor e desenhista. Expôs com regularidade no Rio e São Paulo a partir de 1973, com ótimo mercado. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág.482; LEONOR AMARANTE, pág. 312. Acervo FIEO.

045 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL Trabalhadores - osc - 16 x 31 - cid e d - 1944 - Rio
Estudou desenho na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro com Modesto Brocos, formando-se em arquitetura em 1932, nessa mesma escola. A partir de 1935, dedicou-se à pintura mural e, de 1937, à pintura de temas sociais, com predominância de motivos de operários em construção e trabalhadores rurais. Caracteriza-se por uma grande versatilidade técnica, sendo dos raros pintores brasileiros a utilizar, lado a lado, o óleo, a têmpera e a encáustica, além da aquarela e do guache. Participou do Núcleo Bernardelli. PONTUAL, pág. 489; MEC, vol. 4, pág. 243; TEIXEIRA LEITE, pág. 475 e 476; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 324 a 327; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763, Acervo FIEO.

046 - RIOKAI OHASHI - (1895 - 1943)
LL Paisagem São Paulo - a - 27 x 33 - cie
Riokay Ohashi era natural do Japão. Desenhava desde criança e com 23 anos vai estudar com Saburosuke Okada em Tóquio, Japão. Em 1927 vai para Paris e freqüenta o grupo de Yuso Saeki e do qual faziam parte também Takanori Oguisa, Yokote e Yamagushi. Depois vai para a Academia de la Grande Chaumière, onde conheceu e se casou com a pintora e pianista Helena Pereira da Silva, filha de Oscar Pereira da Silva. Participou de diversos Salões parisienses como: o “Indépendents”, o “d’Automne” e o “des Tuilleries”. Regressou ao Japão em 1933 e realizou diversas mostras individuais em Kobe, Osaka, Nagoya, Tóquio e Formosa, em Taiwan. Em 1940 veio ao Brasil e à Argentina em Missão Cultural Oficial do Governo Japonês e expôs sucessivamente no Rio de Janeiro, São Paulo e Buenos Aires. Em 1941 regressa ao Japão. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 690; vol.2, pág. 738 e 739. ITAU CULTURAL.

047 - TÚLIO MUGNAINI - (1895 - 1975)
LL Rosas - ost - 41 x 33 - cid - 1949
Pintor, Mugnaini realizou sua formação artística na Itália e na França. No SPBA conquistou as pequenas medalhas de prata (1933) e de ouro (1943), o segundo prêmio Fernando Costa (1943), o primeiro prêmio Governo do Estado (1957) e os prêmios Assembléia Legislativa do Estado (1960) e Prefeitura de São Paulo (1961). Recebeu ainda medalha de prata no SNBA de 1936. Pintor de paisagens, figuras e naturezas-mortas, coube-lhe realizar os trabalhos decorativos da Basílica de Nossa Senhora do Carmo-SP. De 1945 a 1965, ocupou a diretoria da Pinacoteca do Estado SP, onde se encontra sua tela "Outono", que exibiu no Salão de Paris de 1934. Recebeu consagradoras premiações nos salões nacionais. PONTUAL, pág. 375; TEODORO BRAGA, pág. 165; MEC, vol. 3, pág. 226; REIS JUNIOR, pág. 376; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 615, Acervo FIEO; ITAUCULTURAL.

048 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Cisne - m em ac - h = 18 - n/as.
Artista cinético, pintor, desenhista, natural de Natal, RN. Em 1932, muda-se com a família para a região onde, atualmente, se localiza o Estado de Israel. Inicia seus estudos de arte no ateliê do pintor Haaron Avni e do escultor Sternshus e estuda estética com Shor. Freqüenta o Instituto Municipal de Arte de Tel Aviv. Retorna ao Brasil em 1948, e se instala no Rio de Janeiro. Convive com os artistas Ivan Serpa, Renina Katz e Almir Mavignier. Em 1954, integra o Grupo Frente, ao lado de Ivan Serpa, Ferreira Gullar, Mário Pedrosa, Franz Weissmann, Lygia Clark e outros. Desenvolve a partir de 1964 os Objetos Cinéticos, um desdobramento dos cinecromáticos, mostrando o mecanismo interno de funcionamento e suprimindo a projeção de luz. O rigor matemático é uma constante em sua obra, atuando como importante recurso de ordenação do espaço. É considerado internacionalmente um dos pioneiros da arte cinética. ITAUCULTURAL

049 - ALUISIO CARVÃO - (1920 - 2001)
LL Composição - dn - 25 x 16 - cid
Importante pintor, escultor, Ilustrador, ator e cenógrafo brasileiro, natural de Belém-PA. Em 1952 estuda pintura com Ivan Serpa, no MAM-RJ, participando, entre 1954 e 1956, Grupo Frente e, entre 1960 e 1961, integra o Grupo Neoconcreto. Nos anos seguintes viaja para a Europa com o prêmio de viagem recebido no SNAM-RJ. No fim dos anos 60 passa a empregar materiais não tradicionais, como tampinhas metálicas de garrafa, pregos e barbante agrupados em suportes de madeira. Em 1996 ocorre retrospectiva de sua obra no Museu Metropolitano de Arte, em Curitiba, no Museu de Arte Moderna - MAM/BA e no MAM/RJ. "A preocupação inicial de Aluísio Carvão era com a forma: reduzir a obra a estruturas elementares, gestálticas. A partir da dissidência neoconcreta, da qual fez parte, é a cor que irá se impor, envolvendo a estrutura, ou melhor, a cor é, ela mesma, espaço. Carvão não é um pintor metafísico. Através da cor ele revela sua relação sensual com o mundo. Como ele diz: ´Vermelhos-guarás, araras, aroma das flores de manacá, o som do vento terral, o calor equatorial, o amarelo-laranja do sol, ressonâncias atávicas de Van Gogh e Mondrian, em trânsito pela Península Ibérica, Nordeste, Amazônia e nosso litoral daqui´. Nas pinturas da ´série cromativa´ ou no ´cubocor´ da fase neoconcreta, Carvão dá à cor sua máxima concretude e fisicalidade, mas, feito isto, ocorre a retração da cor, que se mutiplica em complementares, abrindo caminho para a caracterização como espaço lírico, território da memória. Sua linguagem e seus motivos são aéreos: sóis, luas, pipas, bandeirolas, mastros, arcos. Enfim, são formas que voam e ascendem, sem contudo perder o vínculo com a terra. " Frederico Morais, in MORAIS, Frederico. Vertente construtiva. In: DACOLEÇÃO: os caminhos da arte brasileira. São Paulo: Júlio Bogoricin, 1986. p. 131-132. JULIO LOUZADA, vol. 5 pág. 210/211; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, 655; LEONOR AMARANTE, 75; ARTE NO BRASIL, 921; Acervo FIEO.

050 - GUERINO GROSSO - (1907 - 1988)
LL Natureza morta - ost - 50 x 70 - cie - 1980
Natural de Rio Claro, neste Estado, Guerino Grosso iniciou seu aprendizado artístico em 1917. Frequentou a Escola de Belas Artes de São Paulo. Artista de grande sensibilidade, dedicou-se à pintura de naturezas mortas com metais, confirmando-se como um dos melhores do gênero. JULIO LOUZADA, vol, 12 ,pág 189. MEC, vol, 2, pág, 284; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

051 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
Caucasiano, ponto de nó, feito a mão, de lã, medindo 2,02 x 1,38 m = 2,78 m². -

052 - ELZA DE OLIVEIRA SOUZA - (1928 - 2006)
LL Conversando - osp - 49 x 60 - cie
Pernambucana do Recife. Esta importante pintora iniciou suas atividades com o prof. Ivan Serpa. Integrou o grupo de nordestinos que se apresentou na Galeria Giro, no RJ, em 1968. Seu interesse pelo registro da figura humana é praticamente exclusivo. Walmir Ayala afirma: " ... O biotipo que Elza repete obcessivamente, diz respeito ao povo de sua família conterrânea. São gente do povo, sem sofisticação, despojada do requinte civilizatório, mas embebida de um outro requinte, que diz respeito 'as latadas, trepadeiras em flor, animais domésticos, temáticas." JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 313, Acervo FIEO.

053 - EDSON MOTTA - (1910 - 1981)
LL Casario - ost - 60 x 74 - cid - 1966
Mineiro de Juiz de Fora, estudou na ENBA no Rio de Janeiro, onde foi aluno de Rodolfo Chambelland, Marques Junior e Outros. Foi um dos fundadores do Núcleo Bernardelli, que dirigiu por alguns anos. Expositor nas diversas versões do SNBA. Em 1939 ganhou o premio viagem à Europa, onde estudou Conservação e Restauro, ofício que lhe renderia prestígio e respeito no País, PONTUAL, 374; TEIXEIRA LEITE, 336; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579.

054 - BELMONTE, BENEDITO BASTOS BARRETO - (1887 - 1947)
LL Paisagem - p - 23 x 29 - cid - 1938
com dedicatória. -Nascido em São Paulo. Desenhista, caricaturista e jornalista. Depois de estrear na imprensa ilustrada em 1912, popularizou-se com a criação do personagem Juca Pato, na Folha da Noite, de São Paulo. Na Folha da Manhã , de São Paulo, apresentou, de 1936 em diante, diversas caricaturas de campanha contra o nazismo. Além dos álbuns de desenhos que publicou - como Angústias do Juca Pato (1926), O Amor através dos Séculos (1928) e No Reino da Confusão (1939) - ilustrou livros infantis de Monteiro Lobato. TEODORO BRAGA, pág. 49 e 50; PONTUAL, pág. 67; MEC, vl. 1, pág. 213; TEIXEIRA LEITE, pág. 69; JULIO LOUZADA, vol.10, pág. 103; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 100; ARTE NO BRASIL, pág. 392; WALTER ZANINI, pág. 806; Acervo FIEO.

055 - ENRICO BIANCO - (1918)
LL Rosto - dn - 48 x 37 - cie - 1941
Nascido na Itália, é hoje considerado um de nossos melhores pintores. Atingiu um estilo pessoal, figurativo, eminentemente lírico, baseado em um desenho livre e numa cor sensível. THEODORO BRAGA, pág. 54; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 99, 110 e 104; MEC, vol. 1, pág. 242; PONTUAL, pág. 76; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 594. Acervo FIEO. -

056 - JUDITH LAUAND - (1922)
LL Composição - mon. - 22 x 17 - cid e d - 1997
Registrado sob o n° 65 do Acervo de Judith Lauand. -Nasceu na cidade paulista de Pontal. Em 1950 formou-se em artes plásticas na Escola de Belas Artes de Araraquara-SP. Em 1952, já em São Paulo, estuda pintura com Domênico Lazzarini e gravura com Lívio Abramo. Integra o grupo paulista do movimento de arte concreta em 1955. Participa da Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1955 e 1969; Exposição Nacional de Arte Concreta, São Paulo, 1956; Tendências Construtivas no Acervo do MAC/USP, Rio de Janeiro, 1996; Arte Construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leirner, São Paulo e Rio de Janeiro, 1998 e 1999. Na crítica de Mario Schenberg, ..." Judith Lauand permanece fiel a sua postura e trajetória concretista. Sua obra recente revela a densidade da composição, o apuramento do cromatismo, o equilíbrio do grafismo, conseguidos por constante pesquisa. Judith envereda agora por novos caminhos realizando obras que podem ser chamadas de assimétricas, onde o geometrismo da decomposição cromática destrói a ‘partição eqüilateral’ presente ao longo de sua obra, criando uma nova simetria. " (LAUAND, Judith. Judith Lauand : pinturas. Sao Paulo : Choice Galeria de Arte, 1986. p. 3). JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 479; ITAU CULTURAL.

057 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 14 x 17 - cie
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. -Monstro sagrado da pintura brasileira, Tarsila é a criadora de duas das principais tendências ou movimentos de nossa arte nacionalista: o Pau Brasil (1924) e o Antropofagia. Sua arte poderia ser definida como um Cubismo adaptado às condições e ao temperamento brasileiros. TEODORO BRAGA, págs. 220/21/22/23; REIS JR.-págs.388/89 ; WALMIR AYALA, vol. 2-págs. 365 e 367 ; MEC, vol. 4-págs. 370/71; PONTUAL, pág. 511; TEIXEIRA LEITE, pág. 492; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 389; ARTE NO BRASIL, pág. 577; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

058 - INOS CORRADIN - (1929)
LL " Equilibrista " - ost - 70 x 60 - cie e d
Um dos valores da pintura em São Paulo. Corradin expôs com frequência na Europa e nos Estados Unidos, onde seus quadros são muito apreciados. Também tem se dedicado com igual talento e sucesso a escultura. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 152; PONTUAL, pág. 143; MEC, vol. 1, pág. 448; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 215; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

059 - GERSON DE SOUZA - (1926 - 2008)
LL Anjos - grav. P.A. - 30 x 20 - cid
Pintor. Autodidata. Fixou-se no Rio de Janeiro, onde exerceu a profissão de carteiro dos Correios, e onde começou a pintar em 1950. Participou da V Bienal de São Paulo, de vários Salões Nacionais e exposições coletivas no exterior. Várias individuais e coletivas no País. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 127; PONTUAL, pág. 236/237; MEC, vol. 2, pág. 248; TEIXEIRA LEITE, pág. 220; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 347, Acervo FIEO.

060 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL " Emblema 84 " - ast - 50 x 35 - d - 1984 - Brasília
Baiano de Salvador, autodidata, Rubem Valentin pinta desde meados de 1940. Sua primeira coletiva foi em 1949, no Salão Baiano de Belas Artes, do qual participaria outras vezes, recebendo premiações. Viveu no Rio de Janeiro e na Europa, fixando residência permanente em Brasil, DF, há mais de 20 anos. O artista assim explicava a sua arte: "Minha linguagem plástico-visual signográfica está ligada aos valores míticos profundos de uma cultura afro-brasileira (mestiça-animista-fetichista). Com o peso da Bahia sobre mim - a cultura vivenciada; com o sangue negro nas veias - o atavismo; com os olhos abertos para o que se faz no mundo - a contemporaneidade; criando os meus signos-símbolos procuro transformar em linguagem visual o mundo encantado, mágico, provavelmente místico que flui continuamente dentro de mim". PONTUAL, pág.532; WALMIR AYALA, vol.2, págs.395 a 397; TEIXEIRA LEITE, pág.517; MEC, vol.4, pág.443; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.330; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 257, Acervo FIEO.

061 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Capoeira - dn - 29 x 21 - cid
Reproduzido na pág. 100 no livro " Carybé - as sete portas da Bahia ", livraria Martins Editora - São Paulo. -Desenhista, gravador, pintor e escultor, radicado na Bahia. Sua arte é lírica, de boa técnica, baseada no povo, que lhe forneceu o melhor da sua temática. PONTUAL, pág. 116; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 180 e 181; TEIXEIRA LEITE, págs. 111 e 112; MEC, vol.1, pág. 355; BENEZIT, vol. 2, pág. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717;ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

062 - FERNANDO CALDERARI - (1939)
LL Paisagem - ost - 70 x 84 - cid - 2006
Nascido na cidade da Lapa, Paraná, recebeu orientação de Guido Viaro na Escola de Belas Artes daquele Estado. Cursou gravura no MAM, tendo como mestres Edith Behring e De Lamonica. A partir de temas figurativos, como garrafas de ontem, e as paisagens de hoje, o artista obedece a um processo interior de depuração, na busca de reduzir ao máximo o detalhe incidental. Expõe individualmente desde 1963, e participa de coletivas desde 1961.

063 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL Cabeça - lito. 75/100 - 75 x 31 - cid
Esse grande pintor brasileiro, que estudou com Marques Júnior na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro, ingressando em seguida no Núcleo Bernardelli, onde se ligou de amizade a Pancetti, é hoje glória nacional. Sua carreira atravessou várias fases, desde a de cunho figurativo da déc. 30, ao construtivismo dos anos 50, para atingir afinal o figurativismo, das Vênus e Pássaros, passando pelas figuras esquematizadas da década de 1940. TEODORO BRAGA, pág. 163; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 229; MEC, vol. 2, pág. 13; BENEZIT, vol. 3, pág.315; ITAU CULTURAL; PONTUAL, pág. 155; WALTER ZANINI, pág. 573; ARTE NO BRASIL, pág. 763; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

064 - MARIA FREIRE - (1919)
LL Composição - dn - 33 x 28 - cid
Artista do Uruguai que tem realizado inúmeras exposições individuais: Uruguai (1970, 1975, 1977, 1987, 1990, 1992, 1998); São Paulo (1956 - MAM, 1976); Rio de Janeiro (1957 - MAM); Espanha (1958); Bélgica (1959); Argentina (1967). Coletivas: Uruguai (1982, 1983, 1990, 1996, 2006); EUA (1992, 2001); Inglaterra (1994, 1996); Espanha (1997), México (2002); Porto Alegre (2005 - Bienal do Mercosul); Suíça (2005). www.fundacaobienal.art.br; www.artnet.com; artprice.com; www.artinfo.com

065 - APARECIDA AZEDO - (1929 - 2006)
LL " Caçando índios " - ast - 23 x 28 - cid - 2004
Pintora nascida em Brodósqui, SP. No início foi autodidata, mas quando veio para o Rio de Janeiro (1950) foi aluna de Ivan Serpa. Fez sua primeira exposição em 1973. Participou de várias exposições coletivas: Rio de Janeiro (1978, 1979); Piracicaba, SP (1996); Brasília, DF (2005); São Paulo (2005). ITAU CULTURAL; www.acessa.com.

066 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Nu - p - 47 x 33 - cid - 1972 - Rio
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

067 - MANUEL EUDÓCIO - (1931)
LL Bumba meu boi - e em br pol. - h = 46 - as.
Manuel Eudócio Rodrigues, natural de Alto do Moura, próximo a Caruaru, (PE). Começa a modelar o barro da mesma maneira como as demais crianças criadas em ambientes oleiros no Brasil: observando os parentes próximos e fazendo animaizinhos de brincadeira. Em 1949, conhece Mestre Vitalino quando este se transfere para o Alto do Moura, tornando-se então seu discípulo. Assim como Zé Caboclo, seu cunhado, inicialmente produzia esculturas em barro natural. Influenciado pelo mercado, passa a pintar parcialmente as peças com tintas fortes e coloridas. Apaixonado pela "arte de boneco", criou um grande repertório de figuras: cangaceiros, casais de noivos a cavalo, maracatus e Bumba-meu-boi. É considerado um dos primeiros ceramistas da localidade onde nasceu e vive até hoje. Casado, teve nove filhos, dos quais cinco seguiram-lhe o ofício.

068 - ELISEU D´ANGELO VISCONTI - (1866 - 1944)
LL Modelo - p - 37 x 28 - cid
Considerado o maior pintor que trabalhou no Brasil, nasceu na Itália, mas fez sua formação artística na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro e em Paris. Foi sucessivamente, realista, simbolista, adepto do Art Noveau e pós- impressionista, até chegar em algumas paisagens já quase no fim da vida, a uma síntese admirável de todos esses estilos e tendências. Sua obra-prima - e uma das obras- primas da arte brasileira de todos os tempos - é a decoração do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, principamente o friso do foyer, iniciado em 1914. TEODORO BRAGA, pág. 240/241; LAUDELINO FREIRE, págs. 515/ 133/ 151/ 510 e 512; BENEZIT, vol. 10, pág. 535; REIS JR., pág. 293 /300 /304 /371 /375/ 380/ 381/ 388/ 389; MEC, vol. 4, pág. 393; PONTUAL, pág. 543/544/545; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 422 e 423; MAYER/84, pág. 1252; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 420; ARTE NO BRASIL, pág. 553; LEONOR AMARANTE, pág. 42; Acervo FIEO; F. ACQUARONE, pág. 171.

069 - SAUL STEINBERG - (1914 - 1999)
LL Figura - dn - 30 x 20 - cid
Desenhista, natural da Romênia. Realizou uma exposição individual de desenhos, no Museu de Arte de São Paulo em 1952. Foi um dos principais ilustradores americanos com passagem pelo Brasil. Faleceu nos Estados Unidos em 1999. MEC, vol. 4, pág. 341.

070 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Flores - ast - 46 x 55 - cie e d - 2003
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. -Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

071 - KILIM -
LL -
Caucasiano, ponto de nó, feito a mão, de lã, com desenho Karabá, medindo 3,95 x 1,65 m = 6,51 m². -

072 - MOACIR ALVES - (1904 - 1982)
LL " Ouro Preto " - ost - 114 x 146 - cid e d - 1964
Carioca de nascimento, diplomou-se em arquitetura na antiga Universidade do Brasil. Anos mais tarde tornou-se membro e ocupou o cargo de secretário da Sociedade Brasileira de Artes do Rio de Janeiro. Começou a participar de coletivas em 1930, sendo grande o número de premiações.Possui obras no antigo Palácio da Fazenda (RJ) e na sede na Light, em Toronto, Canadá. JULIO LOUZADA vol.9, pág. 38; ITAÚ CULTURAL.

073 - WIM L. VAN DIJK - (1915 - 1990)
LL " Pax " - osm - 80 x 101 - d - 1956
Com inscrições no dorso. - Pintor, desenhista e gravador holandês natural de Westmass, onde nasceu em 1/6/1915, e falecido em Petropolis, RJ, a 27/11/1990. JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 344

074 - ADOLFO FONZARI - (1880 - 1959)
LL Paisagem - ost - 35 x 43 - cid
Pintor e decorador italiano. Expôs individualmente em Curitiba-PR (1937), Porto Alegre (1939) e São Paulo (1941). Obteve premiações em salões estaduais em São Paulo e Rio Grande do Sul. É de sua autoria a decoração do teto do Teatro Santa Helena, SP. THEODORO BRAGA, pág.98; Pintores Italianos no Brasil-abril/82; TEIXEIRA LEITE, pág.205; MEC. Vol.2, pág.186; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

075 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL " Tensão " - e em mar - h = 42 - as.
Reproduzida no livro "Bruno Giorgi", edição Art Editora Ltda - São Paulo. - Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.

076 - ALCIDES SANTOS - (1945)
LL Figuras - ose - 60 x 50 - cid - 1973
Pintor pernambucano que num linearismo sui-generis, e com auxílio de um colorido suave evoca cenas religiosas ou fantásticas, de forte acento popular. TEIXEIRA LEITE, pág. 462; MEC, vol. 4, pág. 180; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 296; JÚLIO LOUZADA, vol. 4, pág. 995; ITAÚ CULTURAL.

077 - MIGUEL DOS SANTOS - (1944)
LL " Tutancamom " - ostcm - 54 x 39 - cie e d - 1981
Pintor, desenhista e ceramista pernambucano da cidade de Caruaru. " ... é um ceramista ligado por raízes profundas 'a imagística popular. Suas formas (atropomorfas) e suas cores, são mais um estandarte contra a resignação e a indignidade. O onírico de suas cerâmicas é o grito mais alto dessa rica forma de arte do Nordeste" (catálogo da exposição do artista na Universidade da Bahia, em 1968) JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 793; ITAÚ CULTURAL.

078 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " Operário " - ose - 20 x 14 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 045 deste catálogo.

079 - ANTONIO MEIRELLES - (1919)
LL " Praia de Maricá " - ost - 61 x 50 - cid e d
Pintor natural da cidade do Recife-PE. Transferiu-se para o Rio de Janeiro em 1936, ingressando na Marinha de Guerra, sem deixar de trabalhar com a pintura, que mais tarde, seria sua dedicação exclusiva. Teve orientação artística de José Pancetti no Liceu de Artes e Ofícios e, também, cursou a antiga ENBA-RJ. Na década de 60 obteve vários prêmios no SNBA-RJ, com medalhas de bronze, prata e menção honrosa. Realizou individuais no Rio de Janeiro, além de participar de Salões Oficiais no Rio e em São Paulo recebendo premiações. JULIO LOUZADA, vol 1, pág 625

080 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
LL Musico - ost - 63 x 48 - cie - 1978
Com certificado de autenticidade do Projeto Graciano - Reproduzido no convite deste leilão. Pintor e desenhista figurativo, integrou o Grupo Santa Helena, juntamente com Volpi, Zanini e outros, e foi um dos organizadores e expositores do I Salão da Família Artística Paulista; suas figuras seguem a disciplina cubista da organização do espaço, destacando-se uma série de Músicos; dedicou-se a pinturas murais e à ilustração de obras literárias. MEC, vol. 2, pág. 280; PONTUAL, pág. 247/8; TEIXEIRA LEITE, pág. 225 a 227; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 784; LEONOR AMARANTE, pág. 58; Acervo FIEO.

081 - AXEL LESKOSCHEK - (1889 - 1976)
LL Paisagem - a - 25 x 35 - cie - 1951
Importante gravador, pintor e professor austríaco. Realizou sua formação artística na Áustria e ali publicou álbuns de xilogravuras e águas-fortes. Veio residir no Brasil em 1930, fugindo do nazismo, aqui ficando até 1950. Ilustrou diversas publicações nacionais, entre elas, e principalmente, as edições brasileiras dos romances de Dostoiévski (Ed. José Olimpio). Foi professor, entre outros, de Renina Katz, Fayga Ostrower e Ivan Serpa. MAYER/88, pág.494; JULIO LOUZADA, vol.1, pág.609; BENEZIT, vol.6, pág.612, ART PRICE ANNUAL/2000, pág.1464; PONTUAL, pág.309, TEIXEIRA LEITE, pág.284; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 840; Acervo FIEO.

082 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Capa para revista Fon Fon - g - 30 x 20 - cid
Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista. Realizou mais de cem mil desenhos, não se conhecendo um único ruim. Observador arguto, retratou com maestria e humor o cotidiano de sua cidade natal, da qual, consta, ausentou-se por duas únicas ocasiões. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646.

083 - DAREL VALENÇA LINS - (1924)
LL Galo - a - 26 x 18 - cid
Este importante pintor, gravador, desenhista e professor, conquistou em 1957, no SNAM, o prêmio de viagem ao estrangeiro, voltando a ser contemplado na VII Bienal de São Paulo, como o melhor desenhista nacional. Foi aluno de Henrique Oswald e recebeu aconselhamento técnico de Goeldi. MEC vol.3, pág. 18; PONTUAL, pág.160/161; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 715; ARTE NO BRASIL, pág. 839; LEONOR AMARANTE, pág. 125; Acervo FIEO.

084 - HÉLIOS SEELINGER - (1878 - 1965)
LL Orquestra - ost - 17 x 39 - cie - 1956
Reproduzido sob o n.° 142 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro. - Natural do Rio de Janeiro, seu pai era alemão e sua mãe brasileira, descendentes de franceses e gregos. O artista estudou na ENBA (1892-1896), onde foi aluno de Henrique Bernardelli. Recebeu influência do artista alemão Franz von Stuck, na Academia de Belas Artes de Munique, onde ali foram seus contemporâneos Kandinsky, Paul Klee e Franz Marc. SEELINGER decorou o salão nobre do Clube Naval do Rio de Janeiro, a convite do Ministério do Marinha (1910). PONTUAL, pág.481; TEIXEIRA LEITE, pág. 466; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 431; ARTE NO BRASIL, pág. 574.

085 - BENEDITO CALIXTO DE JESUS - (1853 - 1927)
LL " Rio Sena - arredores de Paris " - osc - 18 x 17 - cid
Reproduzido no catálogo da exposiçao " Benedito Calixto - obras indéditas " , realizada pela Dan Galeria do dia 5 a 20 de dezembro de 1984 - São Paulo. -Pintor paulista, depois de apresentar seus trabalhos em São Paulo, no ano de 1881, fixou-se por algum tempo em Santos. Tendo executado a decoração do Teatro Guarani, partiu para Paris em 1883, estudando na Academia Julian; retornou ao Brasil em 1885 e passou a residir em São Vicente, cuja paisagem fixou em diversos quadros. Existem obras suas nos acervos de diversos museus brasileiros. TEODORO BRAGA, pág.51; REIS JR, pág. 214; LAUDELINO FREIRE, pág. 387; PONTUAL, pág.68/69; MEC, vol.1, págs.326/327; WALMIR AYALA, vol.1, pág.153; MAYER/83, pág,601; TEIXEIRA LEITE, pág. 97; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 505; ARTE NO BRASIL, pág. 599.

086 - HÉLIOS SEELINGER - (1878 - 1965)
LL Mendigos - dn - 23 x 16 - cid - 1979 - Rio
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 084 deste catálogo.

087 - SERGIO TELLES - (1936)
LL Boteco na Bahia - osm - 20 x 24 - cid e d - Bahia
Pintor, professor e diplomata, estudou pintura na ENBA/Rio; foi discípulo de Levino Fanzeres, Paul Gagarin, Rodolpho Chambelland e Paschoal Valente. Artista de renome internacional, consagrou-se pela sua requintada técnica de composição e domínio da cor. Com exposição retrospectiva programada para o Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro em 2009. TEIXEIRA LEITE, pág. 503; MEC, vol. 4, pág. 380; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 319; ITAÚ CULTURAL. Acervo FIEO.

088 - MARIA LEONTINA - (1917 - 1984)
LL Composição - g - 36 x 26 - cid - 1956
Aluna de Waldemar da Costa, Maria Leontina é uma pintora que conquista o espectador pela finura de seus acostamentos cromáticos. Em 1947, integrava o Grupo dos 19, e, nos anos "50", passou por interessante fase geométrica. MEC, vol. 2, pág. 471; TEIXEIRA LEITE, pág. 309; PONTUAL, pág. 338; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 772; LEONOR AMARANTE, pág. 25; WALTER ZANINI, pág. 645.

089 - MANEZINHO ARAUJO - (1910 - 1993)
LL " As mãos são calo " - ost - 60 x 80 - cid e d - 1974
Com apenas dezesseis anos de idade mudou-se para Recife, a fim de concluir seus estudos. Após cursar a escola de comércio de Pernambuco, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde foi buscar fama através da música, sua primeira paixão. Destacou-se como compositor e intérprete de música popular nordestina, o que lhe valeu a possibilidade de montar um restaurante de comida nordestina em SP, muito famoso durante vários anos, o Cabeça Chata. Apesar de viver, em SP, suas raízes ainda permanecem em Pernambuco. De uma forma autodidata começou a dedicar-se à pintura, retratando o folclore nordestino, sua gente, suas vidas, fase que sustentou até o seu desaparecimento, com uma menção surrealista. Expôs individualmente nas Galerias Astreia e Capela (SP), e na Ranulfo em Recife (1969). Em 1968, apresentado por Aldemir Martins, teve publicado o álbum de serigrafias Meu Brasil. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 56; MEC, vol. 1, pág. 109; PONTUAL, pág. 38; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 18; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 832; Acervo FIEO.

090 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Paisagem - ost - 50 x 90 - cie - N.Giordani
- Reproduzido no convite deste leilão.Pintor nascido na Itália. Mecatti radicou-se no Brasil em 1940, após trabalhar por vários anos na Tripolitânia, no norte da África. É notável pela estilização de suas figuras e paisagens concebidas, em tons baixos e obedientes a uma composição pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 161/2; MEC, vol. 3, pág. 109; PONTUAL, pág. 352; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 72; TEIXEIRA LEITE, pág. 320; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

091 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
Caucasiano, ponto de nó, feito a mão, de lã, com desenho Shirvan, medindo 1,50 x 1,10 m = 1,65 m².

092 - HEITOR DOS PRAZERES - (1898 - 1966)
LL " Jogando sinuca " - osm - 38 x 46 - cid - 1960 - Rio
Com autenticação da família do artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho. -Compositor e pintor, iniciou-se na pintura em 1937. São seus temas preferidos o samba, favelas cariocas, mulatas e malandros. Participou da I Bienal de SP (1951), sendo nela premiado. Mostrou a sua obra em diversas exposições, no Brasil e no exterior. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.247; MEC. Vol.3, pág.400; WALMIR AYALA. Vol.2, pág.194; TEIXEIRA LEITE, pág.408; PONTUAL, pag.439; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.810; LEONOR AMARANTE, pág. 266; 673; Acervo FIEO.

093 - VERA TORRES - (1962)
LL Nu - e em f p - h = 50 - d
Com certificado de autenticidade firmado pela autora. - Escultora, nasceu na cidade do Rio de Janeiro no dia 15 de julho de 1962. Orientada por Bruno Giorgi, dedica-se interamente à escultura a partir dos 18 anos de idade. Expôs individualmente aos 22 anos, na B-75 Concorde Galeria de Arte-RJ, merecendo a seguinte crítica de Oscar Niemeyer: "Sinto o inegável talento de suas esculturas. Às vezes abstratas, outras figurativas. Mulheres belas e barrocas, cheias de graça e movimento. E fico à vontade em elogiar seus trabalhos e o entusiasmo com que tão bem se integra no campo da escultura." Austregésilo de Athayde diz que "Vera Torres transpõe para o bronze e mármore, matéria inerte, uma amoroso sopro de vida, como um poema de beleza e graça imortais." Individual em 1986, no Rio de Janeiro-RJ. JULIO LOUZADA, vol 6 pág. 1125

094 - WESLEY DUKE LEE - (1931)
LL Composição - tm - 35 x 46 - cid - 1958
Pintor, desenhista, gravador e artista gráfico. Iniciou seus estudos de desenho em 1950, no MASP. Em 1952 viajou para os USA para dedicar-se ao aprendizado de artes gráficas na Parson's School of Design (Nova York). De volta ao Brasil trabalhou no campo da pintura e do desenho, aperfeiçoando-se com Karl Plattner, em São Paulo, em 1957. Em seguida transferiu-se para Paris, onde estudou gravura com Johnny Friedlaender. Participou de diversas exposições coletivas e Bienais no Brasil e no exterior, realizando individuais por todo o Brasil. No catálogo da mostra "O Artista e a Máquina", de 1966, foi dito à seu respeito: "Inquieto, sofisticado, cosmopolita e dotado de um vivaz senso de humor (...) representa no Brasil a vanguarda internacional de pesquisa estética que enfeixa sobre o título de "realismo mágico". MEC, vol.2, pág.465; WALMIR AYALA, vol.1, pág.466; TEIXEIRA LEITE, pág. 282; PONTUAL, pág.305 e 306; JULIO LOUZADA, vol.8, pág.459; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 815; LEONOR AMARANTE, pág. 143. Acervo FIEO.

095 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Fim da jornada - ose - 25 x 33 - csd - 1986
Com etiqueta do atelier do artista, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

096 - PAULO VERGUEIRO LOPES DE LEÃO - (1889 - 1964)
LL " Vida no Sertão " - osm - 32 x 41 - cid
Pintor paulistano, foi bolsista do Governo do Estado de São Paulo na Itália, Florença (1913). Estudou com Biloul, em Paris (1920). Exerceu diversos cargos públicos e privados ligado às artes, como a de Diretor da Pinacoteca de São Paulo, em 1939. Foi paisagista, retratista e pintor de história. TEIXEIRA LEITE, pág.289; JULIO LOUZADA vol.11, pág.179; ITAÚ CULTURAL.

097 - FRANCISCO ACQUARONE - (1896 - 1954)
LL O passeio - ost - 65 x 50 - cie
Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro, onde foi ativo. Estudou na ENBA-RJ, sendo aluno de Rodolfo Amoedo, Modesto Brocos e Baptista da Costa. Pintor, desenhista, caricaturista, ilustrador, historiador da arte, professor de artes plásticas, crítico de arte, escritor, jornalista "Acquarone (...) é dos que ficaram com os grandes nomes da ´pintura clássica´, sem precisar das excentricidades ou das deformações para brilhar e ser um artista moderno. Não quis chamar a atenção sobre a sua personalidade, através da extravagância da sua pintura. (...) A sua arte é simples e por isso mesmo é bela. As intenções inteligentes, procuradas nos motivos, são fontes de prazer estético, o que quer dizer agradáveis, simpáticas e, portanto, capazes de despertar sentimentos humanos e sadios no inconsciente de todos nós (...)." Gastão Pereira da Silva, in: ACQUARONE, Francisco, VIEIRA, Adão de Queiroz. Primores da Pintura no Brasil. 2.ed. [Rio de Janeiro]: s.n., 1942. THEODORO BRAGA; MEC; TEIXEIRA LEITE, JULIO LOUZADA vol. 1 pag 23; ITAU CULTURAL.

098 - ARMANDO VIANNA - (1897 - 1988)
LL Paisagem - ost - 35 x 27 - cie e d - 1981
Este grande pintor carioca foi discípulo de Rodolfo Chambelland e Rodolfo Amoedo na antiga Escola Nacional de Belas Artes e de Eurico Alves e Stefano Cavalaro, no Liceu de Arte e Ofícios do Rio de Janeiro. É ainda hoje, considerado um dos maiores aquarelistas brasileiros. Realizou exposições individuais e em todas as principais capitais brasileiras. MEC vol.4, pág.470; JULIO LOUZADA vol.3, pág.186. PONTUAL pág. 538; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

099 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Paisagem - a - 20 x 26 - ci - 1944
Grande pintor brasileiro, nascido em Fortaleza, Ceará e falecido em Paris onde viveu a maior parte de sua curta e rica vida. Começando figurativo, num estilo expressionista, adotou, já em França, um não figurativismo lírico, algo à maneira do grande Wols, seu amigo que iria manter até o precoce fim. É um dos pioneiros da arte abstrata no Brasil. BENEZIT, vol.1, pág.415; MEYER/87, pág.606; MEC, vol.1, págs.159,160 e 167; PONTUAL, págs. 48 e 49; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 71 a 74; TEIXEIRA LEITE, pág. 52 a 54; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 599; LEONOR AMARANTE, pág. 34; Acervo FIEO.

100 - ARCÂNGELO IANELLI - (1922 - 2009)
LL Vermelhos - tst - 100 x 80 - cie - 1972
- Reproduzido no convite deste leilão.Pintor. Fez aprendizado de pintura com Valdemar da Costa, em São Paulo, a partir de 1942. Participou de diversos Salões no País, e no exterior, obtenções várias e importantes premiações. Seus trabalhos fazem parte do acervo de museus e coleções particulares no mundo todo. Inicialmente figurativo, passou a abstracionismo, trabalhando com blocos cromáticos distribuídos com certo rigor construtivo sobre o espaço plano. A seu respeito, disse o crítico Enrico Crispolti, em 1966: " Mas quais são, então, os temas expressivos próprios da pintura de Ianelli? Ele mesmo, falando-me de experiências já distantes, recorda-me anos de um naturalismo sumário pela vontade de síntese, sublinhado como hoje são propostos em sua pintura horizontes muito diferentes. Creio, no entanto, que uma matriz naturalista preside o intenso lirismo dessa telas recentes de Ianelli (...) ". PONTUAL, pág. 358; MEC vol.3, pág. 345; WALTER ZANINI, pág. 644; ARTE NO BRASIL, pág. 798; LEONOR AMARANTE, pág. 218. Acervo FIEO.

101 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Na praia - v - 35 x 50 - cid - 1986
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 061 deste catálogo.

102 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Pássaros - ost - 45 x 50 - cid e d - 2009
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

103 - GREGORY FINK - (1946)
LL Figura - o e col s/e - 75 x 60 - cid - 1974
Natural de Londres, Inglaterra (6/9/1946). Pintor, desenhista e gravador ativo em São Paulo, com diversas exposições. JULIO LOUZADA, vol. 12 , pág. 159

104 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
LL Composição - xilo. 83/100 - 43 x 40 - cie
Paulista de Araraquara, Lívio foi exímio gravador, desenhista, pintor, jornalista e professor. Autodidata, executou suas primeiras gravuras em madeira por volta de 1926. Sofreu influência de Lasar Segall, focalizando desde então de modo expressionista tipos e paisagens dos subúrbios paulistanos, inclusive temas de caráter social, como indicou Sérgio Milliet em sua obra de 1940. O autor, certa feita, assim falou de si próprio: "Geralmente persisto em um mesmo motivo por longo tempo: trabalho-o até que me pareça haver esgotado todas as possibilidades que ele oferece. Jamais pensei em fazer 'paisagens'. O que procuro é interpretar o sentido e a problemática da natureza de uma terra, a força dos sentimentos que ela provoca em mim, e assim, quanto mais de acordo com a minha própria natureza, tanto mais imediata surge a interpretaçãop plástica, como sucedeu, por exemplo, com meu 'encontro' com as 'arquiteturas' da realidade íntima da terra paraguaia. PONTUAL, pág. 1, JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 19; MEC vol.1, pág. 33; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 795; LEONOR AMARANTE, pág. 28; Acervo FIEO.

105 - JOSÉ JOAQUIM MONTEIRO FRANÇA - (1875 - 1944)
LL Natureza morta - ost - 36 x 44 - cid
Natural de Pindamonhangaba SP, onde nasceu em 21 de outubro e falecido nesta Capital, SP, em 24 de março. No Rio de Janeiro, foi aluno de Henrique Bernardelli e de Bérard na ENBA. Na Europa, onde passou parte de sua vida artística, decorou em 1906, o Pavilhão do Brasil na Exposição Internacional em Turin, Itália. "(...) Monteiro França dedica-se à análise de sua sensação visual, levando-a a um altíssimo grau de intensidade colorida, de maneira que cor e forma constituem um todo. A aplicação da massa em toques horizontais e verticais, a estilização geométrica dos volumes na estrutura interna dos planos revelam a longínqua influência de Cézanne, profundo renovador da pintura mundial nas primeiras décadas do século XX". Dominique Edouard Baechler, in Pintura acadêmica: Pintura de gênero: obras primas de uma coleção paulista : 1860-1920. São Paulo: Imprensa Oficial, 1982. LAUDELINO FREIRE, pág. 513; TEODORO BRAGA, pág. 164; REIS JUNIOR, pág. 366; MAYER/84, pág. 1040; MEC, vol. 1, pág. 643; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.216; ITAÚ CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 332.

106 - REYNALDO FONSECA - (1925)
LL Pastor - dce - 33 x 22 - cid - 1965
Pintor, desenhista, gravador e professor pernambucano, natural da cidade do Recife, onde é ativo. Estudou no Rio de Janeiro, pintura com Portinari e gravura em metal com Henrique Oswald. Conquistou diversos prêmios em pintura e gravura na Divisão Moderna do SNBA-RJ. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.263; MEC, vol.2, pág.184; PONTUAL, pág.220; TEIXEIRA LEITE, pág.205; WALMIR AYALA, vol.2, págs. 243 a 245; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 879.

107 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL " Palazzo Don Anna " - osm - 20 x 30 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

108 - MIRIAN - (1939 - 1996)
LL Figuras - osm - 27 x 40 - cid - 1989
Natural deTrindade-GO e falecida no Rio de Janeiro-RJ, cidade onde foi residente e ativa. Pintora e gravadora primitiva, estudou na Escola de Belas Artes de Goiás, bem como frequentou os cursos ministrados por Ivan Serpa no MAM/RJ. Realizou individuais em 1966, 1972, 1974, 1984, participando de coletivas a partir de 1963. Segundo o crítico José Roberto Teixeira Leite, na bibliografia abaixo indicada, "Sua arte evoca, via de regra sobre pequenos suportes de madeira, num desenho cru e de contornos vigorosos e em meio a um colorido esmaltado, de cores chapadas, cenas populares, passistas, tipos circenses, santos, violeiros e brincadeiras infantis, traduzindo um rico mundo de idéias e com evidentes qualidades plásticas. Em obras mais recentes, nas quais retratou com intenção caricata os idolos da música popular brasileira, Mirian revela nova faceta de sua personalidade - a ironia, certa branda pitada de crítica social e de costumes." TEIXEIRA LEITE, pág. 327; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 638; Acervo FIEO.

109 - YOSHIYA TAKAOKA - (1909 - 1978)
LL Briga de galo - dn - 28 x 20 - cid
Pintor e desenhista nascido em Tóquio, Japão, veio para o Brasil em 1925, fixando-se no interior de São Paulo, trabalhando na lavoura. Mudou-se para São Paulo, onde ganhava a vida vendendo pastéis, fazendo caricaturas e como pintor de paredes. Foi aluno de Bruno Lechowsky no Rio de Janeiro. Foi um dos fundadores do Grupo Seibi, que reuniu artistas plásticos da colônia japonesa em São Paulo (1935). Fundou em 1948, juntamente com Geraldo de Barros e Antonio Carelli, o Grupo dos Quinze. Viveu em Paris de 1952 a 1953, estudando técnica de mosaico; Freqüentou o Núcleo Bernardelli, onde se ligou de amizade a Pancetti. Participou de diversos salões e exposições, nacionais e estrangeiras, recebendo diversas premiações. PONTUAL, pág. 510; TEIXEIRA LEITE, pág. 490; MEC, vol. 4, pág. 352; TEODORO BRAGA, pág. 220; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 361; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL.

110 - PEDRO WEINGÄRTNER - (1856 - 1929)
LL Paisagem - ostcc - 34 x 70 - cid - 1919
- Reproduzido no convite deste leilão.Pintor gaúcho de origem alemã, Weingärtner estudou no Brasil, Alemanha e Itália, residindo por longos anos na Europa. Ao retornar ao Brasil, dedicou-se a temática gauchesca, que lhe motivou os trabalhos mais sensíveis. Um dos pioneiros da gravura de arte no Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 343; BENEZIT, vol. 10, pág. 675; TEODORO BRAGA, pág. 246; REIS JUNIOR, pág. 220/224; MEC, vol. 4, pág. 506/507; LAUDELINO FREIRE, pág. 386; PONTUAL, pág. 551/552; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 438/439; MAYER/84, pág. 1268; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 443; ARTE NO BRASIL, pág. 560; RGS, pág. 402.

111 - MARIA AL. SILVA - (XX)
LL " Ilha do amor " - ost - 78 x 52 - cie - 1980
Pintora primitiva, com participação em diversas exposições coletivas no estado de São Paulo. Foi premiada em Salões oficiais. Teve como incentivador e mestre: o marido, também pintor, José Antonio da Silva.

112 - MANEZINHO ARAUJO - (1910 - 1993)
LL Capoeira - ser. 20/100 - 30 x 42 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 089 deste catálogo.

113 - SALVADOR SANTISTEBAN - (1919 - 1995)
LL Canal - ose - 35 x 45 - cid
Pintor e desenhista nascido em Sorocaba, SP. Foi aluno de Angelo Simeone na Associação Paulista de Belas Artes. Participou de diversas exposições coletivas, realizando outras tantas individuais. Recebeu premiações nos salões que participou a partir de 1948 até 1993. Em 1972 fez turnê artística pela Europa na companhia dos pintores: Omar Pellegatta, Giancarlo Zorlini, Salvador Rodrigues Junior, Carnelosso e Angelo Simeone. Possui obras em diversos museus paulistas. JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 1017; Acervo FIEO.

114 - VILMA PASQUALINI - (1930)
LL O melhor amigo - ast - 65 x 54 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 028 deste catálogo.

115 - DOMENICO CALABRONE - (1928 - 1999)
LL Anjo - m em b n° 51 - h = 19 - d
Pintor, escultor, ceramista e joalheiro. Nascido na Calábria, Itália, completou seus estudos artísticos em Roma, no ano de 1951. Fixou-se em São Paulo em 1954, passando e frequentar a Escola de Arte do Museu de Arte Moderna. Sua escultura, hoje conhecida internacionalmente, destaca-se pelo vigor de suas mensagens e pela alta qualidade artística e técnica. JULIO LOUZADA vol.2, pág.194; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 336; WALTER ZANINI, pág. 770.

116 - RENATO SOTTOMAYOR - (1921 - 1958)
LL Feira - a - 25 x 36 - cid
Pintor, desenhista, ilustrador e decorador nascido no Rio de Janeiro onde estuda na Escola Nacional de Belas Artes. Faleceu em Santos, SP. Em 1950, transfere-se para São Paulo e passa a lecionar no MAM. Também estuda com André Lhote e Gino Severini, em Paris. Como decorador, colaborou com o arquiteto Sérgio Bernardes e também se destacou como ilustrador de obras literárias. Exposição individual em Roma (1952). Participou, em São Paulo, da 1ª Bienal e do Salão de Arte Moderna (1951); em Paris (1956) da exposição do Museu de Arte Moderna. MEC, VOL. 4, PÁG. 310; PONTUAL, PÁG. 500; JULIO LOUZADA, VOL. 11, PÁG. 306.

117 - INNOCÊNCIO BORGHESE - (1897 - 1985)
LL " Bairro do Limão " - ost - 34 x 42 - cid e d - 1963
No estado. -Pintor e professor paulista, participante do Salão Paulista de Belas Artes, de 1935 a 1961. Diversas exposições individuais e coletivas, com muitas premiações. Pintou muitas paisagens tendo como tema a cidade de São Paulo. TEODORO BRAGA, pág 56; MEC, vol. 1, pág. 251; Acervo FIEO.

118 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Composição - dn e a - 36 x 25 - cid - No estado. -
Com carimbo do Leilão do Espólio de Noemia Mourão, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 015 deste catálogo.

119 - FANG, CHEN KONG - (1931)
LL Cavalo - lito. 16/50 - 34 x 52 - cid - 1979
Pintor, desenhista e gravador. Ativo em São Paulo, estudou com Y. Takaoka; expôs nos Salões de Belas Artes de São Paulo e do Rio de Janeiro, obtendo diversas premiações. Tem obras em coleções particulares e na Pinacoteca de São Paulo. MEC, vol. 2, pág. 124; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 366; TEIXEIRA LEITE, pág. 189; PONTUAL, pág. 201.; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

120 - ALEX DOS SANTOS - (1980)
LL " O circo de Roma " - ast - 50 x 70 - cid - 2010
Alex Benedito dos Santos nasceu em Jaboticabal, SP, no dia 13 de fevereiro de 1980. Pintor autodidata, fez cursos de escultura com o prof. Silvio Scarpa e xilogravura com o prof. Saulo. Participou de "workshops" com o pintor Sigbert Franklin, em 2001. Tem participado regularmente dos diversos Salões Oficiais nas cidades do interior do Estado, destacando-se: I e II Bienal de Artes e Cultura de Jaboticabal, em 1999 e 2001, Salão de Artes Plásticas de Brodósqui, em 2003, quando foi selecionado para o Mapa Cultural Paulista, Salão de Artes Plásticas de Araraquara, em 2003, Salão de Artes Plásticas de Guarulhos, onde obteve Menção Honrosa, em 2004, Salão de Artes Plásticas de Santos, em 2004, Salão de Artes de Piracicaba, em 2005, Salão de Artes Plásticas de Sales de Oliveira, em 2005, onde obteve Menção Honrosa, Salão de Artes Plásticas de Catanduva, obtendo Menção Honrosa, em 2006. Foi premiado com o 1º lugar nos Salões de Artes de Mococa, em 2003, Sales de Oliveira, em 2003, Araraquara, em 2004 e Piracicaba, em 2006. Expõe individualmente desde 2004. Acervo FIEO. -

121 - ROMEU CAIANI - (1923 - 1997)
LL " Paisagem de Porto Feliz " - a - 16 x 22 - cid
Pintor ativo em São Paulo, com diversas participações em coletivas, tais como: Salão da Paisagem Paulista (1968, 1969 e 1970), com premiação. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.49; MEC, vol.1, pág.324, Acervo FIEO.

122 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL " Parati " - mon. - 40 x 30 - cid
Ativo em São Paulo, foi também excepcional desenhista, aluno nesta capital, do pintor e professor alemão Georg Ficher Elpons; participou assiduamente do Salão Paulista de Belas Artes, desde sua inauguração em 1933, onde foi muito premiado. MEC, vol. 3, pág. 393; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 685; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

123 - CLAUBER CAMPOS CECCONI - (1939)
LL " Paisagem " - ast - 65 x 92 - cie e d
Nasceu em Sorocaba, SP, em 17/7/1939. Pintor, desenhista e ilustrador. Sua formação profissional se deu na área da propaganda e da publicidade. Seus temas preferidos são as paisagens e cenas da vida cotidiana das pessoas. Participa ativamente de exposições coletivas pelas principais capitais do País, com sucesso de críica e premiações. JULIO LOUZADA, vol. 5 , pág. 227

124 - LUIZ VENTURA - (1930)
LL Criança - ostce - 20 x 15 - cid e d - 1976
Com etiqueta da Galeria Paulo Prado, no dorso. -Pintor, desenhista e gravador, com várias exposições individuais e participação em coletivas no Brasil e no exterior. Aperfeiçoa seus estudos na Europa e Oriente. Dá aulas de gravura em madeira na Universidade Católica no Chile. Publica em Honduras, o seu "Manual de Grabado em Madera, Técnicas Occidental y Oriental". ITAÚ CULTURAL.

125 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL São Francisco - lito. 92/180 - 97 x 68 - cid - 1988
No estado. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

126 - EVANDRO CARLOS JARDIM - (1935)
LL Composição - grav. P.A. - 15 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

127 - ROBERTO MAGALHÃES - (1940)
LL Surreal - ser. - 66 x 100 - cid - 1986
Gravador e desenhista, praticamente autodidata, fez rápidos estudos na antiga ENBA, no Rio de Janeiro, sua cidade natal, onde é ativo. Desde 1963 participa de coletivas e salões, tendo recebido diversas premiações. É desenhista festejado pela crítica especializada. PONTUAL, pág. 328; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 966; LEONOR AMARANTE, pág. 143. Acervo FIEO.

128 - ANTONIO AUGUSTO MARX - (1919 - 2008)
LL Composição - ost - 100 x 100 - cid e d - 1992
Arquiteto e pintor ativo em São Paulo, onde participa de mostras coletivas a partir de 1966, com reconhecimento de crítica e público. Artista de muitos recursos técnicos, suas obras tem como tema a paisagem, do campo e da cidade, com conteúdo de atmosfera, côr e equilibrio. MEC vol.3, pág. 99; PONTUAL, pág. 346; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 203; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 803, Acervo FIEO.

129 - TOMIE OHTAKE - (1913)
LL Composição - grav. P.A. - 40 x 60 - cid - 1993
Importantíssima pintora, nascida em Kyoto, Japão, e radicada no Brasil desde 1936, País que adotou inclusive a cidadania. Iniciou-se artisticamente a partir de 1950, com o pintor japonês visitante Keiya Sugano. Ligou-se ao Grupo Seibi, em cujos salões obteve diversas premiações. Participou ainda por várias vezes, com premiações, do SPAM e do SNAM. MEC, vol. 3, pág. 323; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 791; BENEZIT, vol. 7, pág. 791; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 140/141; PONTUAL, pág. 390; ART PRICE ANNUAL 1990, pág. 1464; TEIXEIRA LEITE, pág. 362/3/4; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 939; LEONOR AMARANTE, pág. 170; WALTER ZANINI, pág. 693; Acervo FIEO.

130 - YUJI ARIMIZU - (1952)
LL Feira - ost - 20 x 40 - cid
Filho do artista plástico Konosuke Arimizu, o autor sempre teve um relacionamento com a pintura desde a sua infância. Interessou-se cedo pela pintura primitiva, recebendo influência de Portinari. São marcantes suas figuras, cafuzas, vestindo geralmente roupas amarelas. Expôs com premiações em São Paulo, Sorocaba, São José dos Campos, Santos, tendo participado de coletivas no exterior.

131 - VALDELINO LOURENÇO - (1940)
LL " Igreja de São Francisoco de frente " - tsc - 6 x 7 - cid - Goiás
Pintor, natural de Caldas Novas, GO. Assina Valdelino. Sua formação artística foi em Goiânia como ouvinte nos cursos livres da Universidade Católica e Instituto de Belas Artes. Exposições individuais: Goiânia (1976); Cuiabá, MT (1976). Coletivas: Goiânia (1961, 1976, 1977, 1986 a 1988, 1998); Estados Unidos (1969); Brasília (1983); Rio de Janeiro (1974). Prêmios: Goiânia (1975, 1976). JULIO LOUZADA, VOL. 3, PÁG. 1167; VOL. 4, PÁG. 1125; MEC, VOL. 4, PÁG. 440; ITAU CULTURAL.

132 - EUGÊNIO ACOSTA - (1896 - XX)
LL Barcos - osc - 30 x 20 - cie
Nascido EUGÊNIO ACOSTA MEDINA. Pintor espanhol que foi ativo no Rio de Janeiro. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 274; TEODORO BRAGA; ACERVO FIEO, pág. 143.

133 - KASUO WAKABAYASHI - (1931)
LL " Pião " - ser. P.A. - 47 x 47 - cid - 2008
Pintor natural da cidade japonesa de Kobe. Inicia seus estudos na Escola Técnica de Hikone, em Shiga (Japão), em 1944. Em 1946, inicia aprendizado de pintura a óleo. Torna-se membro do Grupo Babel, composto por Rokuichi, Kaibara, Ko Nishimura e outros. Em 1952 monta seu atelier. Em 1961, vem para o Brasil e radica-se em São Paulo, onde integra-se ao Grupo Seibi. Em 1966, é convidado para ser membro do júri do 10º Salão do Grupo Seibi de Artistas Plásticos, salão em que ganha a Grande Medalha de Ouro, na edição de 1963. Em 1968, naturaliza-se brasileiro. Entre 1963 e 1967, participa de várias edições da Bienal Internacional de São Paulo, recebendo o Prêmio Aquisição do Itamarati na 9ª edição. Em 1984, participa da exposição itinerante por Europa e América, Mestres do Abstracionismo Brasileiro; em 1994, participa da Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal de São Paulo. Em 2001, realiza exposição individual comemorativa dos seus 70 anos, na A Galeria em São Paulo. TEIXEIRA LEITE, pág. 540; PONTUAL, pág. 550; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 939, Acervo FIEO.

134 - MARIO TULIO - (1894)
LL Igreja - a - 34 x 23 - cid - 1949 - Recife
Pintor, cenógrafo, desenhista e professor, natural de Veneza, Itália, e falecido em Recife-PE. No Brasil a partir de 1911, residiu no Rio de Janeiro e em Recife. Naturalizou-se brasileiro em 1932. Publicou charges para o jornal "O Globo" no RJ. Aperfeiçoou-se na Itália em aquarela, com Ettore Tito e Ciardi. Participou de diversas edições do SNBA-RJ, com premiações, alem de outros salões oficiais. JULIO LOUZADA, vol 1 - pág 999

135 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL " Espera da pesca " - a - 8 x 13 - cie - 1960
Com certificado de autenticidade da família de Nicola Petti, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 122 deste catálogo.

136 - JOSINALDO FERREIRA BARBOSA - (1951)
LL " Vai e vem Ribeirinho " - ast - 40 x 50 - cid e d - 2009
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 011 deste catálogo.

137 - DJALMA URBAN - (1917)
LL " Porto do Rio " - ostce - 15 x 24 - cid e d - 1986
Pintor, ilustrador, desenhista, jornalista e professor, nascido na cidade paulista de Leme, no dia 9 de outubro de 1917. Estudou desenho e pintura com Torquato Bassi, Waldemar da Costa, Pedro Alexandrino, Paulo do Vale Júnior, Teodoro Braga e Marques de Leão. Realizou ilustrações e desenhos para o jornal O Estado de S. Paulo. Segundo crítica de Julio Louzada: "Impressionista, a paisagem, a natureza, a marinha e o folclore brasileiros são os seus temas preferidos. Dono de um estilo vigoroso e espontâneo, seus quadros se destacam pela riqueza composicional e cromática. A cor, aliás, sempre em tonalidades quentes, é o forte de sua pintura, assim como os jogos de luz que domina com perfeição. " Expôs individualmente a partir de 1951. JULIO LOUZADA, vol.2, pág.1014; MEC, vol.4, pág.436; THEODORO BRAGA, pág.82; ITAÚ CULTURAL; 37, Acervo FIEO.

138 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Marinha - ost - 40 x 50 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 013 deste catálogo.

139 - CARLOS PRADO - (1908 - 1992)
LL " Fantasmas " - grav. 40/139 - 19 x 27 - cid
Arquiteto, pintor, gravador e ceramista paulistano. Recebeu menção honrosa no SPBA de 1935, participando também na I e II BSP e na exposição de Arte Moderna no Brasil, realizada em Buenos Aires, Rosário, Santiago do Chile e Valparaíso, em 1957. No dizer de TEIXEIRA LEITE, em sua obra A Gravura Brasileira Contemporânea, Carlos Prado utilizava por vezes a gravura como meio expressivo, subordinando-a, porém, a interesses maiores. TEIXEIRA LEITE, pág. 421; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 254. PONTUAL, pág. 438; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 582; ARTE NO BRASIL, pág. 781. Acervo FIEO.

140 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Menina - dn - 35 x 25 - cid
Com estudo no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 015 deste catálogo.

141 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL Marinha - osp - 28 x 18 - cie
Italiano da Lombardia, PELLEGATTA foi pintor e gravador dedicado a temas sacros e casarios coloniais. Em sua obra, o ser humano é apresentado sempre de modo idealizado, na figura de ternas madonas, santos, coroinhas e cavaleiros. Participou de diversas coletivas e salões, a partir de 1957, recebendo premiações em sua maioria. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág.735; MEC vol.3, pág.363; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

RETIRADO - 142 - DÉCIO VIEIRA - (1922 - 1988)
LL Composição - tstce - 32 x 49 - d - 1977
Reproduzido sob o n° 22 em catálogo de Leilão das Galerias - Rio de Janeiro. -Este importante artista brasileiro nasceu em Petrópolis-RJ e faleceu na cidade do Rio de Janeiro, onde residiu e foi ativo. Foi orientado por Axl Leskoschek e Fayga Ostrower. Participou da I Exposição Nacional de Arte Abstrata-RJ, que idealizou juntamente com Ivan Serpa. Integrou diversos movimentos: Grupo Frente (1954), concreto (1956) e neoconcreto (1959). Participou do SNAM-RJ nos anos de 1949 a 1964, e da Bienal de São Paulo, nas versões do período de 1953 a 1967, e 1987. Segundo Max Bill, Décio Vieira figura entre os grandes da arte concreta mundial. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 1107.

143 - MACIEJ ANTONI BABINSKI - (1931)
LL Surreal - grav. 9/80 - 12 x 16 - cid
Natural de Varsóvia, Polônia, viveu sucessivamente na Inglaterra e no Canadá, radicando-se em 1953 no Brasil. Antigo aluno de Maurice Denis em Paris, e expoente da pintura abstracionista canadense. Babinski foi colega de Goeldi, de quem adotou a linguagem expressionista. Esplêndido gravador. Atualmente vive é ativo no Ceará. TEIXEIRA LEITE, pág. 48; PONTUAL, págs. 46 e 47; MEC, vol. 1, pág. 157; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 69; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 24; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 903, Acervo FIEO.

144 - GUIOMAR FAGUNDES - (1893 - 1975)
LL Paisagem do Pelourinho - ost - 65 x 54 - cid
Pintora e aquarelista natual de São Paulo, Capital. Seu primeiro mestre foi Oscar Pereira da Silva, em SP e depois Angelo Cantu, que a aconselhou a ir para Milão, aperfeiçoar-se. Também estudou na França e Portugal, onde fez exposição de suas obras, obtendo sucesso de público e de crítica. Exerceu a profissão e lecionou até os últimos anos de vida. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 381/382

145 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Avenida Paulista - noturno " - ost - 40 x 50 - cie e d - 2009
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

146 - JOÃO KOZO SUZUKI - (1935)
LL " Napalm " - tm - 16 x 34 - cie - 1969
Natural de Mirandópolis, SP, é pintor, desenhista e gravador. Foi discípulo de João Rossi. Expõe individualmente a partir de 1959, e coletivamente desde 1957. Ganhador de diversos premios em certames oficiais, tais como SPAM-SP, Grupo Seibi, etc. JULIO LOUZADA, vol. 3 , pág 1102; ITAU CULTURAL.

147 - DARCI ZANNIN - (1969)
LL " Jardineira " - ost - 50 x 40 - cie e d - 2009
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

148 - EDY GOMES CAROLLO - (1921)
LL Vaso de flores - ost - 60 x 73 - cid e d - 1948
Com carimbo do Salão Fluminense de Belas Artes, no dorso. -Filho e discípulo de Sobragil Gomes Carollo, participou do Salão Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, com diversas premiações. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 173 e 174.

149 - IDA ZAMI - (1940)
LL Composição - lito. 49/85 - 62 x 90 - cid
Pintora, escultora, joalheira e desenhista, a autora nasceu em São Paulo, no dia 18 de março de 1940. Concluiu o curso de Artes Plásticas da Faculdade de Belas Artes de São Paulo. Fez, dentre tantos outros, o curso de desenho, pintura e criatividade no Ateliê Sara Goldman, de 1978 a 1980. Expõe individual e coletivamente a partir de 1980, inclusive no exterior, com premiações. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 954

150 - ODON NOGUEIRA - (1980)
LL " Homem com flor " - e em br - h = 38 - as. - 2002
Escultor, natural de Bela Vista, Goiás. Atualmente reside e é ativo na cidade de Goiânia, naquele Estado. Iniciou seu trabalho com pedra sabão, passando para a argila, material com que vem se destacando. Realiza exposições desde 2003, com sucesso de público e critica.

151 - COSME MARTINS - (1959)
LL Cidade - g - 15 x 20 - cie e d - 1996
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 026 deste catálogo.

152 - TRINAZ FOX (RUBENS FERREIRA TRINAZ FOX) - (1899 - 1964)
LL Negra - dn e a - 35 x 25 - cid
Pintor, desenhista e caricaturista. Viveu durante muitos anos na Europa. De volta ao Brasil, colaborou em diversas revistas e jornais cariocas na década de 1920, inclusive como redator, destacando-se: D. Quixote, O Tagarela e O Combate. entre 1930 e 1940 fixou-se na Argentina, publicando trabalhos na imprensa de Buenos Aires e Santa Fé. PONTUAL, pág. 526; MEC vol.2, pág. 188; HISTORIA DA CARICATURA NO BRASIL, pág. 1421;

153 - MARCOS OLIVEIRA - (XX)
LL " Moça com jerimu " - ast - 70 x 60 - cid e d - 2005
Diretor de arte e artista plástico, Marcos Oliveira trabalha com a arte Naïf moderna. Ele também apresenta a cultura nordestina com cores intensas e mãos e pés destacados pelo tamanho. Para ele o Naïf representa o que o Brasil tem de melhor. A arte Naïf é o cartão postal do Brasil no exterior.-

154 - ANDRÉ LUIZ NARANJO - (1970)
LL Paisagem - ost - 50 x 70 - cid
Pintor nascido em São Paulo, SP. Estudou desenho com Osvaldo Viviani e Roberto Belletato. Tem participado de inúmeras exposições e Salões oficiais: São Paulo, SP (2000, 2001). JULIO LOUZADA, VOL. 4, PÁG. 785; ITAU CULTURAL.

155 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Pássaros - ost - 25 x 30 - cid e d - 2009
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

156 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
Soumack, ponto de nó, feito a mão, de lã, medindo 2,87 x 1,70 m = 4,87 m². -

157 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Panorama di Napoli - osm - 15 x 24 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

158 - MANOEL GELLA - (XX)
LL Interior - ost - 55 x 65 - cid
Manoel Gella Lavadia, pintor natural de Huesca, Espanha. Já pintava quando chegou ao Brasil, em 1948. Participou de diversas exposições coletivas no Peru, Chile, Argentina e Brasil. Realizou , em 1971, exposição individual no Rio de Janeiro e Huesca, Espanha. http://www.galeriazildafraletti.com.br; http://hemeroteca.abc.es

159 - ALUIZIO VALLE - (1906 - 1988)
LL " Na lama da maré baixa " - ost - 60 x 81 - cie - 1948
Aluizio Albuquerque Silva do Valle nasceu na cidade de Paraíba do Sul-PB, e faleceu na capital fluminense de Niterói, onde foi ativo pintor e professor. Estudou na Escola Nacional de Belas Artes, onde foi aluno de Marques Júnior, Cunha Melo, Augusto Bracet e Rodolfo Chambelland. Posteriormente, atua como professor nesta mesma instituição. "A primeira sensação que se tem diante da pintura de Aluizio Valle é a de estar ´tocando´ com os olhos, uma possibilidade do real, que se apoiando em sensível visualidade não elimina a importância tátil da matéria pictórica. São quase sempre paisagens, e frequentemente cenas marinhas, de praias e cais, que nos tomam de surpresa a partir do pretexto puramente descritivo, para em seguida nos embalar no ritmo das pinceladas, na ordem das impressões fixadas, numa nitidez que valoriza mesmo a marca dos fios mais finos do pincel manipulado". Walmyr Ayala, em texto do MNBA. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 1016/1017; ITAU CULTURAL.

160 - CRISTAL LALIQUE -
LL Bisão - e em cr - h = 10 - n/as.

161 - DARCY PENTEADO - (1926 - 1987)
LL " Zapt " - dn - 27 x 23 - cid - 1979
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 036 deste catálogo.

162 - FRANCISCO MANNA - (1879 - 1943)
LL Paisagem - ostcm - 24 x 33 - cid - 1942 - Rio
Com dedicatória. -Pintor e desenhista italiano, natural da Sicilia, onde nasceu a 15 de julho de 1879. Chegou ao Brasil com oito anos de idade, fixando-se com a família em Porto Alegre. Recebeu aulas de do artista italiano Romualdo Pratti. Seguiu para a Itália em 1901, onde cursou a Real Academia de Roma. No Rio de Janeiro, a partir de 1903, passou a frequentar como aluno livre as aulas de João Zeferino da Costa, Henrique Bernardelli e João Baptista da Costa, na Escola Nacional de Belas Artes. Recebeu o prêmio de viagem ao estrangeiro, mas não pode desfrutá-lo, haja vista sua condição de estrangeiro. MEC., vol.3, pág.47; PONTUAL, pág.334; WALMIR AYALA, vol.2, pág.37; TEIXEIRA LEITE, pág.306.; ITAÚ CULTURAL.

163 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Estudo - dlc - 30 x 22 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 075 deste catálogo.

164 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Casal - dch - 18 x 14 - cid - 1947
Com etiqueta e reproduzido sob o n.° 26 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

165 - RENZO GORI - (1911 - 1999)
LL " Nomade do deserto " - ost - 29 x 21 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 040 deste catálogo.

166 - IVAN MARQUETTI - (1941)
LL " Flores " - ost - 70 x 50 - cid e d - 1966 - Ouro Preto
Ivan João Alvarez Marquetti, desenhista e pintor, nasceu no Rio de Janeiro. Assina Marchetti. Sua formação artística foi no Rio de Janeiro, Ouro Preto - MG e França. Participou de inúmeras exposições e Salões oficiais. Individuais: Brasília, DF (1986); Rio de Janeiro (1971, 1974); Recife, PE (1972, 1973). Coletivas: Rio de Janeiro (1961, 1967, 1971, 1974, 1978, 1982, 1983); Brasília, DF (1971, 1976, 1981, 1986, 1988); Recife, PE (1973); São Paulo (1977), Belo Horizonte, MG (1992, 1995). JULIO LOUZADA, VOL. 3, PÁG.690; VOL. 4, PÁG. 690; VOL. 6, PÁG. 681; VOL. 8, PÁG. 535; PONTUAL, PÁG. 342; MEC, VOL.3, PÁG. 76, ITAU CULTURAL.

167 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Círculos - g - 28 x 20 - cie
Reproduzido sob o n.° 146 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 043 deste catálogo.

168 - JOAQUIM DUTRA - (1864 - 1930)
LL Velho - ost - 56 x 46 - ld - 1922
Pintor nascido e falecido em Piracicaba. Notabilizou-se pela paisagens documentárias locais, realizando ainda trabalhos em São Paulo, Limeira, Caconde, São Carlos e Capivari. Foi pai dos pintores Alipio, Antonio de Pádua, Archimedes e João Dutra. PONTUAL, pág.186; MEC, vol.2, pág.84; TEIXEIRA LEITE, pág.171; ITAU CULTURAL.

169 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
LL Composição - dn e a - 24 x 28 - cid
Pintor, arquiteto-paisagista, desenhista, decorador, artesão de jóias, tapeceiro e litógrafo, nascido em São Paulo-SP. Em 1913 muda-se com a família para o Rio de Janeiro, estudando arquitetura a partir de 1927 na antiga Escola Nacional de Belas Artes. A partir de 1931 trava conhecimento e desfruta da amizade dos modernistas, como Mario de Andrade, Anibal Machado, Guignard, Murilo Mendes, Tarsila, Oswald de Andrade, entre outros. Artista de méritos, ocupa lugar de destaque na cultura nacional. PONTUAL, pág. 94; TEIXEIRA LEITE, pág. 93; MEC. vol.1, pág.303; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.564; ARTE NO BRASIL, pág. 738; LEONOR AMARANTE, pág. 98.

170 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " Carregando cimento " - enc. s/e - 33 x 41 - cse e d - 1975
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 045 deste catálogo.

171 - SIGFREDO PASTOR - (XX)
LL " Arrabal " - astcc - 50 x 70 - cid e d - 1975
Com certificado de autenticidade da Galeria de Arte Suipacha - Buenos Aires, no dorso. - Pintor argentino que frequentou a Academia Nacional de Belas Artes a partir de 1932. Em 1937 foi diversas vezes premiados em Salões Oficiais tendo também, entre 1937 e 1952, ilustrado mais de quatrocentos livros. Fonte: http://www.radiogardel.com/html/pastor.html.

172 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL " Franz Kafka America " - dn - 24 x 32 - cie - 1945
Estudou com Pedro Alexandrino (1923 a 1928) e aperfeiçoou-se na Itália. Integrou o Grupo Santa Helena, com Rebolo, Zanini, Rosa, Graciano, Pennacchi (1935) e participando em 1937 de exposições da Família Artística Paulista. Pintou paisagens e naturezas mortas, com composição estruturada no cubismo. MEC, vol. 1, pág. 247; PONTUAL, págs. 78/79; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1041; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 258; TEIXEIRA LEITE, pág. 79; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; LEONOR AMARANTE, pág. 72; Acervo FIEO.

173 - ALFREDO CESCHIATTI - (1918 - 1989)
LL Pomba - e em f - h = 32 - as.
Natural de Belo Horizonte. Escultor, desenhista e professor. Passou a frequentar a antiga ENBA em 1940, depois de uma viagem à Europa, especialmente Itália, iniciada em 1938. Na Divisão Moderna do SNBA recebeu, como escultor as medalhas de bronze (1943) e de prata (1944), bem como o prêmio de viagem ao estrangeiro (1945), com o baixo-relevo para a Igreja de São Francisco de Assis, da Pampulha, em Belo Horizonte e, como desenhista, a medalha de prata (1945). Esteve mais uma vez na Europa entre 1946 e 1948, anos em que realizou exposição individual no Instituto dos Arquitetos do Brasil (GB). Figurou na II BSP e no II SNAM, em 1953. Fazendo parte da equipe que, em 1956, venceu o concurso de projetos para o Monumento aos Mortos da II Guerra Mundial (GB), ali executou o conjunto alusivo às três forças armadas. Integrou a Comissão Nacional de Belas Artes em 1960 e 1961, e entre 1963 e 1965, lecionou escultura e desenho na Universidade de Brasília. Quirino Campofiorito citou-o no estudo Ëscultura Moderna no Brasil"(Revista Crítica de Arte, nº único 1962). De seus trabalhos mais conhecidos destacam-se as esculturas As Banhistas e A Justiça, que se encontram, respectivamente, no lago em frente ao Palácio da Alvorada e defronte ao Supremo Tribunal Federal (Praça dos Três Poderes), em Brasília. Há ainda, obras escultóricas de sua autoria, entre outras no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Ministério das Relações Exteriores (Brasília) e em um edifício que Oscar Niemeyer projetou no conjunto residencial Hansa (setor ocidental de Berlim), assim como na embaixada brasileira em Moscou. MEC, vol. 1, pág. 397; PONTUAL, pág. 127; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 70; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 609; ARTE NO BRASIL, pág. 872.

174 - EDMUNDO MIGLIACCIO - (1903 - 1983)
LL Árabe - ost - 50 x 40 - cid
Com etiqueta da Galeria 7 de Abril - São Paulo, no dorso. -Pintor, natural do município de Caconde-SP. Filho de imigrantes italianos, batizado Edmundo Francisco Nicodemo Migliaccio, iniciou seus estudos no Liceu, com os mestres Enrico Vio, Angelo Cantu e Torquato Bassi. Acadêmico por formação e vocação, foi fundador da Associação Paulista de Belas Artes. Expositor fiel do Salão Paulista, foi ali várias vezes premiado. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 213; ARTE NO BRASIL, pág. 812.

175 - GUIMA - (1927 - 1993)
LL Paisagem - ost - 50 x 60 - cid e d - 1974
Pintor e desenhista de mérito invulgar, Guima era paulista de Taubaté, residiu por muitos anos no Rio de Janeiro e praticava o figurativismo expressionista, por vezes eivado de notas líricas, de outras descambando para o fantástico. MEC, vol. 2, pág. 306; PONTUAL, pág.257; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 377/8; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 407; ITAÚ CULTURAL.

176 - BELMIRO BARBOSA DE ALMEIDA - (1858 - 1935)
LL Casal - dn - 24 x 30 - cid
Com a seguinte inscrição: " - Vamos! Ainda ousas dizer que apanhaste este cabelo no bonde? - Pois se te juro que jantei com o Juca Pellado! " -Esse grande pintor brasileiro, cuja carreira artística começou pela caricatura, viveu em Paris quase toda a sua existência. Ao fim da vida, abeirou-se dos novos estilos artísticos em voga na Europa, praticando incursões até no campo do Futurismo. Luciano Migliaccio, assim se refere `a obra do mestre: " Belmiro (...) punha fim à época em que a arte brasileira ainda era prisioneira da retórica dos gêneros e se fundamentava na transposição em chave nacional da tradição européia. Dava início a uma arte nova, inspirada na realidade social urbana contemporânea, falando da transformação dos costumes no interior da família e da condição da mulher na sociedade moderna. Era uma pintura que objetivava a educação moral do público, imitando o exemplo da pintura vitoriana inglesa, mas adotando a estética do naturalismo francês. O artista deixava de ser uma espécie de sumo sacerdote do culto da nação, passando a recusar a idéia de uma pintura celebrativa, promovida pelo Estado e distante da representação da atualidade. Assim, como Amoedo e Aurélio Figueiredo, Belmiro tentava encarnar o modelo do artista dandy, o intelectual urbano que fazia de sua arte um estilo e um modo de vida (...)" in: MOSTRA DO REDESCOBRIMENTO (2000: SÃO PAULO, SP), AGUILAR, Nelson (org. ), SASSOUN, Suzanna (coord. ). Arte do século XIX. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo: Associação Brasil 500 anos Artes Visuais, 2000. p. 148. REIS JR, pág.224; THEODORO BRAGA, pág.49; Primores da Pint, no Brasil, vol.1, pág.229; LAUDELINO FREIRE, págs.382/383; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 30/31; TEIXEIRA LEITE, pág. 68/69; PONTUAL, págs.66/67; MEC, vol.1, pág.48; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 420; ARTE NO BRASIL, pág. 553; F. ACQUARONE, pág. 117.

177 - ÉLON BRASIL - (1957)
LL Pequenos índios - ost - 100 x 130 - cse
Artista plástico autodidata, nasceu em 1957, na praia de Jurujuba, em Niterói-RJ, onde aos seis anos de idade começou a rabiscar seus primeiros crayons. Mudando-se em 1968 para São Paulo, aos 12 anos, ganhou sua primeira medalha de ouro na II PINARTE de Pinheiros. Em 1970, juntamente com os artista Aldemir Martins, Clóvis Graciano e Carlos Scliar, Élon ilustrou o livro de poesias "Cantando os Gols" de Tito Battine. Hoje, sua obra figurativa e abstrata é composta por imagens da terra: índios, negros e caboclos, cercados por textura e cores marcantes. Sua temática busca ressaltar e preservar a cultura brasileira e suas próprias raízes. Filho de baianos - mãe negra, neta de índios, e pai (o artista Milton Brasil), neto de imigrantes italianos e portugueses - Élon resgata em sua história e origem, a fonte de inspiração . Ao morar na Suíça por seis meses, obteve a oportunidade de expor o seu trabalho em diversas ocasiões, tornando-se conhecido internacionalmente, principalmente com encomendas para colecionadores europeus.

178 - EMERIC MARCIER - (1916 - 1990)
LL Paisagem - dn e c - 33 x 49 - cid - 1957
Pintor romeno, nascido em Cluj. Cursou a Academia Brera, de Milão, atraído pela pintura pré-renascentista italiana. Após breve passagem por Paris, imigrou para o Brasil, onde realizou sua primeira individual em 1940 (Salão dos Artistas Brasileiros-RJ), seguindo-se outras em 1942 e 1944, ambas também na cidade do Rio de Janeiro. Marcier foi um pintor tradicional e renovador ao mesmo tempo. Emprestou sentimento à sua obra, aos seus personagens sacros. Participou de duas Bienais em São Paulo, uma no México e diversas coletivas na Europa, inclusive a Bienal de Arte Sacra de Salzburg, Áustria. TEIXEIRA LEITE, pág. 307/308/309; JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 207; PONTUAL, pág. 335; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 872.

179 - INOS CORRADIN - (1929)
LL " Luar marinho " - ost - 60 x 80 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 058 deste catálogo.

180 - SYLVIO PINTO - (1918 - 1997)
LL Paisagem francesa - ost - 73 x 93 - cie
Reproduzido sob o n.° 54 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro. -Freqüentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro, lá recebendo suas primeiras noções de desenho. Mais tarde, recebe lições do pai - o Pinto das Tintas. Conheceu Pancetti na casa paterna. Em 1938 estudou no Núcleo Bernardelli e a partir de 1940 dedica-se exclusivamente à pintura. Participou de vários Salões de Belas Artes, recebendo inúmeros prêmios. MEC, vol. 3, pág. 419, Acervo FIEO.

181 - JUAREZ MACHADO - (1941)
LL Mulher - a - 41 x 28 - cie
Nasceu em Joinville, SC. Atualmente reside e trabalha em Paris, França, onde mantem ateliê. Pintor, escultor, desenhista, caricaturista, jornalista, cenógrafo, escritor e ator. Desenvolveu sólida carreira como desenhista de charges de humor. Sua arte essencialmente criativa, vai do lirismo à violência, da análise microscópica ao extravasamento onírico. Entre as exposições de que participa, destacam-se: 9ª Bienal Internacional de São Paulo, 1967; Zona Gallery, Nova Iorque (Estados Unidos), 1981; Retrospectiva Quatro Artistas da Geração 60, no MAC/PR, Curitiba, 1987; Châteaux Bordeaux, no Centro Georges Pompidou, Paris, 1988; Retrospectiva, no MAC/Joinville, 1990; Arte na América Latina: 100 Anos de Produção, no Instituto Estadual de Artes Plásticas da UFRGS, Porto Alegre, 1996. "Juarez Machado expõe a natureza humana, olha, registra, interpreta, ilumina, focaliza. É o mundo dos humanos, mas não é o mundo do juiz dos homens. Aqui não estamos no Juízo Final. Juarez é o artista contemporâneo, ele tem este olhar elaborado pela ciência, o grau de consciência reflexiva. Podemos dizer deste ponto de vista, que esta obra humanística e esta atitude de intensa pesquisa confere ao seu trabalho um caráter anti-medieval." Jacob Klintowitz in: "Juarez Machado - Copacabana 100 Anos, Ed. Simões de Assis, 1992." JULIO LOUZADA vol.11, pág. 186; PONTUAL, pág.284; Acervo FIEO; ITAU CULTURAL; MEC, vol. 3; TEIXEIRA LEITE, pág. 298. Acervo FIEO.

182 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem - dn - 20 x 23 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 057 deste catálogo.

183 - HANSEN BAHIA - (1915 - 1978)
LL Baianas - xilo. - 23 x 18 - cid - 1957
Seu nome de batismo era Karl Heinz Hansen, nascido na Alemanha. Dedicou quase toda a sua vida de artista fixando aspectos da Bahia, daí o nome artístico que adotou. Apegou-se ao povo, aos animais e principalmente aos cenários daquela região, e que tão bem soube reproduzir com sua alma e essencia. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 81; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 842; ACERVO FIEO, pág. 251.

184 - LOUISE VISCONTI - (1882 - 1954)
LL Flores - a - 50 x 37 - cid - 1946
Louise D’Angelo Visconti, pintora nascida em Paris - França e falecida em Teresópolis, RJ. Foi casada com o pintor Eliseu Visconti que a iniciou em sua formação artística. Naturalizou-se brasileira em 1908. Participou das exposições e Salões oficiais do Rio de Janeiro de 1925 a 1930, 1933, 1934, 1936, 1941 e 1944. Prêmios: 1925, 1926, 1928, 1934, 1936. Exposição póstuma em São Paulo no ano de 2004. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG. 1045; MEC, VOL. 4, PÁG. 495.

185 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL " Emblema 85 " - ast - 70 x 50 - d - 1985
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 060 deste catálogo.

186 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Baianas - dn - 29 x 21 - cid
Reproduzido na pág. 192 no livro " Carybé - as sete portas da Bahia ", livraria Martins Editora - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 061 deste catálogo.

187 - FERNANDO IKOMA - (1934)
LL Paisagem - ost - 50 x 70 - cid
Pintor e desenhista. Foi considerado um dos melhores desenhistas da América do Sul. Vive no Paraná. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 170; ITAÚ CULTURAL.

188 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL Pássaros - dch - 24 x 17 - cie - 1972
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 063 deste catálogo.

189 - KASUO WAKABAYASHI - (1931)
LL Composição - tm s/t - 130 x 93 - csd - 1975
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 133 deste catálogo.

190 - ARMANDO SENDIN - (1928)
LL Composição - ost - 55 x 65 - cid - 1972
Pintor, desenhista, gravador, escultor e ceramista. Realizou estudos artísticos na Espanha e na França. Retornando ao Brasil, (após figurar em mostras coletivas no estrangeiro) e fixando-se em São Paulo, participou em 1967, do 1º SOP, XVI SPAM, I Salão de Arte Contemporânea de Santos (Prêmio Prefeitura). Ganhou o 1º Prêmio de pintura na mostra Roma e a Campanha Romana (Auditório-Itália, São Paulo). Ainda em 1967, expôs individualmente na Galeria F. Domingo, de São Paulo, voltando a fazê-lo nas galerias KLM (São Paulo, 1968), do Centro Cultural Brasil-Estados Unidos (São Paulo, 1968) e Goeldi (GB, 1968), também apresentado seus trabalhos, com Maria de Lourdes Novais e Vitor Décio Gerhard, na Galeria IBEU (GB, 1968). Figurou ainda no II SOP (1968). A respeito de suas obras, de caráter abstracionista, disse Samson Flexor, em 1968: "Considero os óleos e guaches de Armando Sendin como sendo lugares ideais de encontro e fusão dos elementos primordiais: a terra e o fogo. Fusão resultando em cinzas com focos de brasa que a frescura dos azuis-turquesa mal consegue apagar". Em 1965 publicou o livro Cerâmica Artística, especialidade que lecionou, entre 1959 e 1964, em escola por ele próprio fundada em São Paulo. TEIXEIRA LEITE, pág.472; WALMIR AYALA, vol.2, pág.316-317; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 754; LEONOR AMARANTE, pág. 196. Acervo FIEO.

191 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Mulher - dc - 35 x 50 - cid - 1972 - Rio
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

192 - SONIA EBLING - (1926 - 2006)
LL Girafa - e em b - h = 32 - as.
Nascida em Taquara, RS, SONIA EBLING consagrou-se como escultora e pintora. Participou da I Bienal de São Paulo. Premiada com viagem ao exterior no I SNAM. Morou em Paris 15 anos, onde frenquentou ateliês de artistas importantes e onde aperfeiçoou a sua importante e bela obra. MEC, vol. 2, pág. 89; PONTUAL, pág. 187; JULIO LOUZADA, vol 13, pág. 119; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 868; RGS, pág. 454.

193 - ELISEU D´ANGELO VISCONTI - (1866 - 1944)
LL Leitura - a e g - 29 x 18 - cid - 1943 - Rio
Com etiqueta n° 7917 do Leiloeiro Oficial Florestano - São Paulo, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

194 - TADASHI KAMINAGAI - (1899 - 1982)
LL " Paris " - a - 35 x 27 - cid - Paris
Grande pintor japonês da Escola de Paris, amigo de Marquet, Vlaminch e Déiran, entre outros, passou no Brasil praticamente toda a década de 1940, aqui se ligando de amizades a pintores como Portinari, Pancetti e Djanira, e iniciando na arte vários jovens pintores de ascendência nipônica, como Flávio Shiró Tanaka, por exemplo. Autor de paisagem, naturezas mortas e retratos de excelente qualidade pictórica, Kaminagai veio freqüentes vezes ao Brasil, onde expôs com enorme sucesso. TEODORO BRAGA, pág.134; BENEZIT, vol.6, pág.152; WALMIR AYALA, vol.1, pág.435 e 437; MEC, vol.2, pág.401; PONTUAL, pág.287; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 643; ARTE NO BRASIL; Acervo FIEO.

195 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Marinha - ast - 60 x 80 - cie e d - 2002
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 070 deste catálogo.

196 - KILIM -
LL -
Caucasiano, ponto de nó, feito a mão, de lã, medindo 4,00 x 1,40 m = 5,60 m². -

197 - MOACIR ALVES - (1904 - 1982)
LL " Parque da Gávea " - osm - 16 x 22 - cie - 1945
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 072 deste catálogo.

198 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Surreal - ost - 80 x 160 - cid - 1967
Pioneiro do surrealismo, o qual praticava desde que chegou ao Brasil, em 1937, fixando residência em São Paulo. Participou de Salões Nacionais e Bienais de São Paulo, entre 1951 e 1965, recebendo diversas premiações oficiais. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 497; MEC, vol. 2, pág. 474; TEODORO BRAGA, pág. 245; TEIXEIRA LEITE, pág. 286; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 630; LEONOR AMARANTE, pág. 142; Acervo FIEO.

199 - ALBERTO DA VEIGA GUIGNARD - (1896 - 1962)
LL Mulheres - dn - 41 x 28 - cid
Pintor, desenhista, gravador e professor. No dizer de Rodrigo de Melo Franco de Andrade, no álbum de reproduções da obra do artista, em 1967: "Quando Guignard voltou da Europa, para onde tinha ido menino, só regressando com mais de 30 anos, redescobriu o Brasil, tomado de uma ternura e de uma admiração comovidas que conservou até os seus últimos dias. Toda a obra que produziu, desde então, ficou impregnada da emoção e da poesia sentidas naquele reencontro com a terra natal." PONTUAL, pág. 254 a 256; MEC, vol. 2, pag. 304; TEIXEIRA LEITE, pág. 236 a 240 ; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 404; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 1013; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 373/375/377; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 559; ARTE NO BRASIL, pág. 505; LEONOR AMARANTE, pág. 28.

200 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Vibração - e em mar - h = 15 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 075 deste catálogo.

201 - ALEXANDRE RAPOPORT - (1929)
LL Rosto - ose - 50 x 35 - cid - 1972
Arquiteto, pintor, gravador, desenhista industrial e professor, RAPOPORT nasceu no Rio de Janeiro, onde cursou a Faculdade Nacional de Arquitetura da antiga Universidade do Brasil. Fêz aprendizado de gravura na antiga ENBA em 1952. Conquistou menções honrosas em pintura e desenho no SNBA a partir de 1948. WALMIR AYALA,vol. 2, pág. 237; MEC, vol. 4, pág. 26; PONTUAL, pág. 447; TEIXEIRA LEITE, pág. 431; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 260; ITAU CULTURAL.

202 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL " Ouro Preto " - osm - 33 x 41 - cid - 1935
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 063 deste catálogo.

203 - LEOPOLDO GOTUZZO - (1887 - 1983)
LL Figura - osm - 41 x 33 - cie - 1939 - Rio Grande do Sul
Com dedicatória. -Gaúcho de Pelotas, Gotuzzo foi pintor e desenhista. Estudou em Roma com Joseph Noel a partir de 1909. Permaneceu na Europa por vários anos, aperfeiçoando a sua arte em diversas cidades. Enviava suas obras para os Salões Nacionais, conquistando diversas premiações. Pintor de paisagens e nús, dedicou-se também ao retrato, inclusive a crayon. É artista que teve seu talendo reconhecido por todos os críticos de sua época, figurando em publicações especializadas. JULIO LOUZADA vol.10, pág. 395; PONTUAL, pág. 247; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 601.

204 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL " Três Amuletos " - ast - 61 x 46 - d - 1987
Natural de Carmópolis, SE. Pintor e desenhista. Radicado no Rio de Janeiro desde 1955. Em 1959 fez suas primeiras apresentações em coletivas. Estreou no SNAM, obtendo o prêmio de viagem ao exterior (1969). Pertencente àquele grupo de artistas que organizam seu trabalho em torno de valores culturais vindos da expressão popular, o artista assumiu como um dos temas de sua pintura a imagem do ex-voto., escultura religiosa de caráter popular e votivo. O ex-voto representa, para o artista, um ponto de partida na realização de uma paisagem brasileira sem conotações urbanas. É uma pintura em que o mundo dos homens é construído pelos homens e por suas criações. O artista empresta às figuras com que trabalha, os ex-votos, conotações de análise ideológica, e o faz sem palavras, apenas pela força da presença visual. Figurou em diversas coletivas nacionais e internacionais, conquistando prestigio de critica e público. MEC vol.3, pág.42; PONTUAL, pág. 330 e 331; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; Acervo FIEO.

205 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Mulher - e em c - h = 34 - ld ileg. - 2001

206 - CLAUDE AUTENHEIMER - (1926)
LL Cabras - ost - 30 x 60 - cie - 1956
Desenhista e pintora nascida em Besançon, França. Estudou na Academia Julien e na Escola Nacional Superior de Belas Artes, França. Em 1955 casou-se com Michel de Gallard, também pintor. A partir de 1948, passou a expor regularmente em várias exposições e Salões oficiais, em Paris e no estrangeiro. artprice.com; www.artnet.com; arcadja.com.

207 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL O abraço - dn - 17 x 13 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 082 deste catálogo.

208 - HÉLIOS SEELINGER - (1878 - 1965)
LL Figuras - tm - 45 x 45 - cid - 1913
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 084 deste catálogo.

209 - HENRIQUE GOLDSHMIDT - (1865 - 1952)
LL Pensativa - a - 14 x 8 - cid
Pintor e desenhista nascido (24/2) e falecido no Rio de Janeiro-RJ. Especializou-se nas pequenas e delicadas aquarelas, privilegiando as localidades cariocas. Foi chamado de "...talentoso pintor miniaturista e fantasista" pelo jornal O Paíz do Rio de Janeiro. TEODORO BRAGA, pág. 109; LAUDELINO FREIRE, pág. 389; JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 442.

210 - TIKASHI FUKUSHIMA - (1920 - 2001)
LL Composição - ost - 134 x 160 - cid - Dec. 60
Ex coleção Banco Chase Manhattan. Reproduzido na pág. 233 do livro " História de Uma Coleção " Ed. Andrea Jakobsson. - Reproduzido no convite deste leilão.Natural da cidade japonesa de Fukushima, onde nasceu em 19 de janeiro. Vem para o Brasil em 1940, fixando-se em Lins, SP. Recebendo influência de Manabu Mabe, começa a se interessar por pintura. Em 1946, segue para o Rio de Janeiro, onde estuda com Tadashi Kaminagai, que o orienta na execução de paisagens impressionistas. Participa da I à IX BSP. Seu trabalho sofre transformações mais na direção do cubismo, no período da I à III BSP. A partir de 1957 sua pintura é informal, transformando-se depois no estilo que viria consagrá-lo como um dos grandes pintores abstratos do Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 141; TEIXEIRA LEITE, pág. 210; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 644; LEONOR AMARANTE, pág. 383.

211 - MICHEL DE GALLARD - (1921 - 2007)
LL " La borde " - dn - 8 x 17 - cid - 1959
Pintor da Escola Francesa, nascido em Villefranche-d’Allier e falecido em Yonne, França. Deixou os estudos de medicina e se dedicou à pintura freqüentando a Academia da Grande Chaumière et Arts Décoratifs. Foi um dos representantes do movimento realista miserabiliste. Participou regularmente de exposições em importantes galerias parisienses, Salões oficiais e internacionais. Recebeu vários prêmios e possui obras em muitos museus da Europa. BENEZIT, VOL.4, PÁG. 591; www.presidence.fr; www.artnet.com.

212 - SERGIO TELLES - (1936)
LL Flores - osm - 50 x 30 - cid - 2009 - São Paulo
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 087 deste catálogo.

213 - MANOEL FARIA - (1895 - XX)
LL " Cabo Frio " - ost - 81 x 117 - cid
Pintor e professor. Estudou com Eurico Alves no Liceu de Artes e Ofícios do RJ. Em 1915 tranferiu-se para antiga ENBA, onde foi aluno de João Baptista da Costa, Lucilio de Albuquerque e Rodolfo Chambelland. Manoel Faria é pintor fiel às cores da natureza, aceitando os caprichos do cromatismo da terra brasileira. JULIO LOUZADA vol.1, pág.371, Acervo FIEO.

214 - YOLANDA MOHALYI - (1909 - 1978)
LL Crianças - a - 67 x 49 - cie
Pintora, desenhista e professora. Formação artística na Academia Real de Belas Artes de Budapest. Ativa em São Paulo a partir de 1931. Fez parte do Grupo dos Sete, juntamente com Victor Brecheret, Gomide e outros. Participante de diversas Bienais de São Paulo, entre 1951 e 1967, recebendo diversas premiações TEIXEIRA LEITE, pág. 331; PONTUAL, pág. 363; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 937; LEONOR AMARANTE, pág. 75; Acervo FIEO.

215 - TOBIAS MARCIER - (1948 - 1982)
LL Natureza morta - ose - 25 x 33 - cie - 1980
Natural de Minas Gerais, o autor é ativo no Rio de Janeiro, onde começou a expor em 1964. Filho de Emeric Marcier, teria herdado do pai o apuro técnico, o exercício obstinado e o desejo de profissionalizar-se. Expôs individualmente na Galeria Bonino, RJ, em 1969. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 979.

216 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
Iraniano, ponto de nó, feito a mão, de lã, com desenho Ferahan, medindo 2,23 x 1,40 m = 3,12 m². -

217 - HEINZ KUHN - (1908 - 1987)
LL Composição - mon. - 31 x 22 - cid
Nasceu em Berlim, Alemanha, e faleceu em São Paulo-SP. Inicia seus estudos em sua terra natal, expondo obras na Alemanha e na França. No Brasil em 1950, fixa-se em São Paulo. Nesse período sua pintura é figurativa, voltando-se aos poucos, para a abstração geométrica. Theon Spanudis considerava o autor como "um dos pintores mais conscientes, inquietos e produtivos de São Paulo (1964)". A partir dos anos 60 sua pintura se move no âmbito da abstração informal, com eventuais referências ao mundo real. Obra de sua autoria faz parte da Coleção Adolpho Leirner, participando do livro Arte Construtiva no Brasil, de Aracy Amaral (pág. 193) MEC, vol. 2 pág. 430; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 688.

218 - IVALD GRANATO - (1949)
LL Rosto - e em mad. - h = 17 - as.
Pintor e desenhista. Natural de Campos, RJ, onde viveu até 1966. Estudou com Robert Newman, ingressando em 1967 na Escola de Belas Artes da Universidade do Rio de Janeiro. Em 1968 participa do grupo de vanguarda "Nova Figuração Brasileira". Sua atividade artística desde a década de 60 revela a influência do conceitualismo de Duchamp, mais cerebral do que pictórico, e da "body art", de Joseph Beyus. PONTUAL, pág. 248; TEIXEIRA LEITE, pág. 228; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.740; ARTE NO BRASIL, pág. 974; LEONOR AMARANTE, pág. 267; Acervo FIEO.

219 - ARMANDO PACHECO - (1913 - 1965)
LL Natureza morta - ost - 50 x 62 - cid - 1947
Pintor, gravador e desenhista, nascido e falecido na cidade do Rio de Janeiro. Ingressou no Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro em 1930, aos 17 anos de idade, ali tornando-se aluno de Isaltino Barbosa e aluno de Oswaldo Teixeira no ano seguinte. Na ENBA, foi aluno de Rodolpho Chambelland e Augusto Bracet. Participou regularmente do SNBA-RJ, conquistando prêmio viagem ao Exterior em 1950. Em 1968 o Museu Nacional de Belas Artes realizou um exposição com seus principais trabalhos. JULIO LOUZADA vol.1b, pág.705; TEXEIRA LEITE, pág. 372; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 766.

220 - CLAUDIO TOZZI - (1944)
LL Papagalia - astce - 65 x 65 - cid e d - 1980
- Reproduzido no convite deste leilão.Pintor, arquiteto e gravador paulista com diversas exposições e participações em salões e bienais no Brasil e no exterior. Dedicou-se inicialmente à colagem e à gravura, numa utilização crítica das histórias em quadrinhos; numa fase posterior passou a criar múltiplos tridimensionais e a efetuar pesquisas em torno dos efeitos ópticos. WALMIR AYALA vol.2, pág.388/9; PONTUAL, pág.525/6; TEIXEIRA LEITE, pág. 512; ARTE NO BRASIL vol.2, pág.1059; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 740; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.

221 - ANTONIO DIAS - (1944)
LL Composição - xilo. 1/10 - 20 x 25 - cid
Artista multimídia. Aprende com o avô as técnicas elementares do desenho. No final da década de 1950, no Rio de Janeiro, trabalha como desenhista de arquitetura e gráfico. Estuda com Oswaldo Goeldi (1895 - 1961) no Atelier Livre de Gravura da Escola Nacional de Belas Artes - Enba. Na década de 1960, incorpora palavras ou frases às obras. Em 1965, recebe bolsa do governo francês e reside até 1968 em Paris. Depois, transfere-se para Milão, onde mantém ateliê. Em 1971, edita o disco Record: The Space Between e inicia a série The Illustration of Art. Recebe, em 1972, bolsa da Simon Guggenheim Foundation para trabalhar em Nova York. Em 1977, viaja para a Índia e o Nepal, onde estuda técnicas de produção de papel. Inicia uma série de trabalhos que têm como suporte o papel artesanal, o qual se integra às obras pela textura e mistura de pigmentos que contém. Publica em Katmandu o álbum Tramas, de xilografias. Em 1988, reside em Berlim como bolsista do Daad (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico). Em 1992, torna-se professor da Sommerakademie für bildende Kunst, em Salzburgo, Áustria, e, no ano seguinte da Staatliche Akademie der bildenden Künste, em Karlsruhe, Alemanha. ITAÚ CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 3, pág.332.

222 - FONTANA - (1945)
LL Composição - ast - 50 x 70 - d - 2007
José Fontes Gonçalves é pintor e escultor, com ateliê em Umbaúba, SE. Assina Fontana.

223 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL Figuras - dn - 30 x 24 - cid - 1961
Reproduzido no livro " Seara Vermelha " de autoria de Jorge Amado. -Pintor e gravador gaúcho, cuja carreira esteve intimamente ligada ao desenvolvimento da arte moderna e da gravura em seu estado natal e no Brasil. Começou a pintar em 1935, tendo sofrido de início a influência de Segall. Após uma fase realista, evoluiu, em anos mais recentes, para uma linguagem pessoal, fixado objetos com grande amor às transparências e às texturas, numa ânsia de transfiguração e de serenidade. MEC vol.4, pág. 214; TEODORO BRAGA, pág. 66; WALMIR AYALA vol.2, pág. 306 a 309; PONTUAL, págs 479 e 480; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 293; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 798; RGS, pág. 442; Acervo FIEO.

224 - GRAUBEM DO MONTE LIMA - (1889 - 1972)
LL Floresta - ost - 38 x 53 - cid - 1962
Pintora natural da cidade de Iguatu-CE. Faleceu na cidade do Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência no Rio de Janeiro em 1908, onde inicia-se na pintura como autodidata em 1958. Em 1960, prossegue seus estudos com Ivan Serpa, no MAM-RJ. Entre as exposições das quais participa, destacam-se: Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1962 e 1963; Bienal Internacional de São Paulo, de 1963 a 1967; Bienal Americana de Arte, Córdoba (Argentina), 1964; Oito Pintores Brasileiros, na Galeria Jacques Massol, Paris (França), 1965; Bienal Nacional de Artes Plásticas, Salvador, Bahia, 1966; Artistas Primitivos Brasileiros Contemporâneos, no Museu de Arte Moderna de Buenos Aires, Argentina, 1966; Arte/Brasil/Hoje - Cinqüenta Anos Depois, na Galeria Collectio, São Paulo, 1973. PONTUAL, pag. 250; ITAU CULTURAL

225 - MANABU MABE - (1924 - 1997)
LL " Praia de Gávea " - ost - 33 x 41 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 002 deste catálogo.

226 - JOSEF ALBERS - (1888 - 1976)
LL Composição - ser. - 30 x 30 - n/as.
Com declaração de autenticidade registrada na Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos, sob o n° 8109-4751/8, conforme documento assinado por Bruno Tausz do Centro de Pesquisa de Arte - Rio de Janeiro, no dorso. -Pintor, poeta, escultor, professor, e teórico da arte. Nasceu em Bottrop, Alemanha e faleceu em Connecticut, EUA. Sua formação artística se deu na Alemanha: Berlim, Essen, Munique e na Bauhaus (Weimar) onde se torna professor. Em 1933, migra para os Estados Unidos e dá continuidade às suas atividades artísticas e teóricas. Em 1971 é realizada uma retrospectiva de seu trabalho no Metropolitan Museum, em Nova York. Possui obras em museus da Europa, EUA e Brasil. BENEZIT, VOL.1, PÁG. 81; ITAU CULTURAL; www.albersfoundation.org; www.mac.usp.br; www.britannica.com.

227 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Girassóis - ost - 45 x 50 - cid e d - 2009
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

228 - RANCHINHO - (1923 - 2003)
LL Cavalo - g - 28 x 38 - cid
Seu verdadeiro nome era Sebastião Theodoro Paulino da Silva, nascido na cidade paulista de Oscar Bressane, no dia 7 de janeiro de 1923, mudando-se com a mãe, então viúva, para Assis, SP, onde viveu até morrer. Pintor ingênuo, hoje consagrado, comeu durante a sua vida " o pão que o diabo amassou", conforme narra, de forma pungente, R. Rugiero, no catálogo de exposição do artista no ano de 1988, de cujo texto, reproduzido no vol. 4, página 931, do dicionário JULIO LOUZADA, extraímos o seguinte texto: "... Com o tempo pôs-se a viver exclusivamente da catança de papéis, latas, garrafas - e de algumas famílias obtinha também comida e roupas velhas. Passou a habitar ranchos de beira de estrada, abandonados, donde lhe veio o apelido de Ranchinho, com a qual a garotada o atazanava, atirando-lhe pedras e gritando o nome que o punha fora de si. Por fim fixou-se num casebre, em uma granja abandonada, e alí viveu até 1962, em grande necessidade. E sempre desenhando obsessivamente em qualquer superfície branca que lhe caísse nas mãos." Foi descoberto pelo escritor José Nazareno Mimessi, que percebeu em Ranchinho um impressionante fenômeno artístico, no que não estava enganado. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 259; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

229 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Banhistas - ose - 27 x 18 - cie
Nascido em Manaus, pioneiro mundial da arte não-figurativa (a qual já praticava desde 1916), Santiago estudou no RJ com Visconti, e foi o principal responsável pelo Núcleo Bernardelli, no qual se formaram tantos dos melhores artistas do Modernismo carioca. Sua arte é um neo-impressionismo de belo colorido e opulentos efeitos de textura. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, pág. 241; TEODORO BRAGA, pág. 211/212; Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, MEC-MNBA / /Rio/1944; MAYER/84, pág. 1158; REIS JR., pág. 378; PONTUAL, pág. 473; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 292; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

230 - JOÃO BAPTISTA DA COSTA - (1865 - 1926)
LL " Serra de Santos " - ost - 22 x 35 - cid - 1926
Com carimbo da " Galeria Jorge " - Rua do Rosário - Rio de Janeiro , no dorso. - Reproduzido no convite deste leilão.Pintor e professor fluminense, de origem humilde, galgou com sabedoria e singular talento os degraus do sucesso no cenário das artes plásticas nacional. Aluno da Academia Imperial de Belas Artes-RJ, onde ingressou em 1885, já no ano seguinte obtinha, nessa condição, medalha de ouro. Foi aluno de Zeferino da Costa e Rodolfo Amoedo. Foi premiado diversas vezes, inclusive com viagem à Europa, onde desenvolveu a sua arte. Foi professor na ENBA até a sua morte. Sobre sua obra, escreveu Gonzaga Duque, no estudo que lhe dedicou, e publicado em 1929: "... A sua arte arrasta-nos ao seu cenário, prende-nos no seu ambiente, leva-nos a participar da emoção de seus tipos". JULIO LOUZADA, VOL 10, pág, 239; PONTUAL, págs. 61 e 62; TEIXEIRA LEITE, págs. 62 a 65; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 443; ARTE NO BRASIL, pág. 556; F. ACQUARONE, pág. 141.

231 - YOSHIYA TAKAOKA - (1909 - 1978)
LL Paisagem - a - 34 x 44 - cid - 1961
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 109 deste catálogo.

232 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL " Costiera di Amalfi " - ose - 30 x 40 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

233 - PAULO CLÁUDIO ROSSI OSIR - (1890 - 1959)
LL Flores - osm - 50 x 40 - le - 1938
Com etiqueta do atelier do artista, no dorso. -Pintor e arquiteto nascido e falecido em São Paulo. Estudou na Europa, e em 1921 expõe individualmente em sua cidade natal. Integrou, mais tarde, a Família Artística Paulista. Seu estilo combina elementos impressionistas e cubistas. Criou a OSIRARTE, firma especializada no fabrico de azulejos artísticos. TEODORO BRAGA, pág. 208; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 268; PONTUAL, pág. 462; MEC, vol, 3, pág. 303; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 128; ARTE NO BRASIL; WALTER ZANINI, pág. 579, Acervo FIEO.

234 - ALUIZIO VALLE - (1906 - 1988)
LL Paisagem - ost - 32 x 46 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 159 deste catálogo.

235 - CARLO DE SERVI - (1876 - 1947)
LL Entardecer - ost - 72 x 91 - cid
Italiano de Lucca, iniciou seus estudos de pintura na Academia de Belas Artes daquela cidade. Em 1896 vem para o Brasil, onde trabalha na decoração de igrejas, estabelecimentos públicos e edifícios particulares, em várias cidades. Retorna para a Itália em 1931, por motivos de saúde. Entre as exposições das quais participa, destacam-se: Salão Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro, 1899/1912; Exposição Geral de Belas Artes, na Escola Nacional de Belas Artes, Enba, Rio de Janeiro, 1899; Exposição de Belas Artes e Indústria, São Paulo, 1902. Após sua morte, sua obra figura nas mostras: A Paisagem Brasileira (1650-1976), no Paço das Artes, São Paulo, 1980; História da Pintura Brasileira no Século XIX, no Paço das Artes, São Paulo, 1983; Dezenovevinte: Uma Virada no Século, na Pinacoteca do Estado de São Paulo, Pesp, 1986; O Olhar Italiano sobre São Paulo, na Pesp, 1993. LAUDELINO FREIRE, pág. 517; TEODORO BRAGA, pág. 81; Catálogo da Exp., de Pint Italianos no Bras; Ed. Sociaste/1980; REIS JR, pág.365; MEC vol.2, págs 45 e 46; WLAMIR AYALA, vol.1, págs 247 e 248; PONTUAL, pág. 170; ITAÚ CULTURAL.

236 - GUSTAVO ROSA - (1946)
LL Rosto - ser. P.A. - 72 x 50 - cid - 1996
Grande pintor paulistano, ganhador de muitos prêmios em Salões Oficiais. Tem exposto regularmente no Brasil e no exterior com grande sucesso. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 274; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

237 - GUIOMAR FAGUNDES - (1893 - 1975)
LL Nus - osc - 35 x 18 - cid - 1930
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 144 deste catálogo.

238 - SALVADOR SANTISTEBAN - (1919 - 1995)
LL Natureza morta - osm - 24 x 31 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 113 deste catálogo.

239 - VALDELINO LOURENÇO - (1940)
LL " Casa de Cora Coralina " - tsc - 6 x 7 - cid - Goiás
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 131 deste catálogo.

240 - JOSÉ ALVES PEDROSA - (1915 - 2002)
LL Nu - e em b - h = 16 - as.
Escultor e desenhista que nasceu em Rio Acima, MG e faleceu em Belo Horizonte, MG. Inicia estudos com Correia Lima no curso livre de escultura da ENBA do Rio de Janeiro em 1936. No período da II Guerra Mundial é auxiliar do escultor polonês August Zamoyski. Nos anos de 1946 a 1948, com bolsa concedida pelo governo francês, aperfeiçoa-se na França e faz um curso de talhe em pedra com Nicolussi. De volta ao Rio de Janeiro, filia-se ao grupo de arquitetos chefiado por Oscar Niemeyer, que lhe faz uma encomenda para os jardins do Museu de Arte de Belo Horizonte. Ilustra o livro de poesias: Romanceiro de Dona Bêja de Maria Lúcia Alvim, publicado em 1979. Exposições individuais: Rio de Janeiro (1955, 1964). Coletivas: Belo Horizonte (1936, 1998); Rio de Janeiro (1941, 1945, 1946, 1952, 1954, 1964, 1975, 1983, 1985, 1986, 2000, 2002); Buenos Aires (1945); Montevidéu (1945); São Paulo (1952, 1954, 1955 e 1957 – Bienais Internacionais, 1966, 1997); Brasília (1998); Penápolis, SP (1998). Prêmios: Rio de Janeiro (1940, 1945, 1954, 1957); São Paulo (1952, 1954, 1955). JULIO LOUZADA VOL. 1,PÁG. 733; ITAÚ CULTURAL; PONTUAL, PÁG. 413; MEC, VOL. 3, PÁG. 360.

241 - CAROLUS, (CARLOS CANNONE) - (1928 - 1995)
LL " Cavalheiros " - ost - 73 x 100 - csd e d
Pintor, estudou com o pai Angelo Canone, na Itália, antes de emigrar para o Brasil em 1951. Ativo no Rio de Janeiro, realizou diversas exposições individuais e coletivas. MEC, vol.1, pág. 360; JULIO LOUZADA vol.5, pág. 205.

242 - EMANOEL ARAÚJO - (1940)
LL Composição - lito. P.A. - 70 x 100 - cid - 1995
Gravador e escultor, o baiano Emanuel Araújo estudou com Henrique Oswald e expõe individualmente desde 1960, já tendo mostrado sua obra em inúmeras cidades do Brasil, Europa, Estados Unidos e Extremo Oriente. Foi Diretor da PINACOTECA do Estado de São Paulo, cujo cargo exerceu com extrema competência. TEIXEIRA LEITE, pág. 190; MEC, vol. 2, pág. 143; PONTUAL, pág. 37; JULIO LOUZADA, vol 1, págs. 68/69 e vol. 11, pág. 18; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 846; WALTER ZANINI, pág. 770; Acervo FIEO.

243 - RENZO GORI - (1911 - 1999)
LL Cena Árabe - ost - 70 x 50 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 040 deste catálogo.

244 - JAVIER ALVARO ASFADUROFF NIBBES - (1954)
LL Mulher e gato - tm - 60 x 50 - csd e d - 2009
Uruguaio de Montevideu, onde nasceu a 14 de novembro de 1954. Frequentou o Liceu Onze de Cerro Montevidéu, entre 1965 e 1967, sendo aluno de Torres Garcia. A partir de 1994 passou a figurar em bienais e várias exposições coletivas. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 637

245 - ALEX DOS SANTOS - (1980)
LL " Enchente em São Paulo " - ast - 70 x 50 - cie e d - 2010
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 120 deste catálogo.

246 - ATHAYDE LOPES - (1934)
LL Boiada - ost - 50 x 60 - cid - 1992
Pintor e professor nascido na cidade paulista de Santos, em 16 de janeiro de 1934. Tem como característica em suas obras as cores vibrantes, espatuladas densas, além de precioso e excelente desenho. JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 23

247 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL " Tranquilidade " - ose - 27 x 35 - cid - 1970
Com certificado de autenticidade da família de Nicola Petti, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 122 deste catálogo.

248 - RONI BRANDÃO - (1935 - 1991)
LL Surreal - ost - 34 x 46 - cid e d - 1973
Pintor e desenhista, nascido em Pirajú-SP. Começa a dedicar-se às artes a partir de 1967. Iniciando com desenhos em preto e branco, depois veio a cor, o óleo, trazendo as grandes figuras femininas. Depois de 1978 as paisagens se expandiam, silenciosas, infinitas, como se fossem de outros planetas. Participou de exposições e salões nacionais e internacionais a partir de 1967, recebendo diversos prêmios. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 150; MEC, VOL 1, pág, 291; ITAÚ CULTURAL.

249 - BUSTAMANTE SÁ - (1907 - 1988)
LL Paisagem - osm - 12 x 16 - cie e d
Natural da cidade do Rio de Janeiro, estudou na ENBA naquela cidade, onde foi aluno de Rodolfo Amoedo e Rodolfo Chambelland. Participou do Núcleo Bernardelli, do qual foi um dos fundadores em 1931. Participou de sucessivas versões do SNBA a partir de 1928, recebendo diversas premiações. Excepcional pintor do gênero paisagem. TEODORO BRAGA, pág. 59; REIS JR. , pág. 385; MEC,vol. 4, pág. 127; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 145 e 147; TEIXEIRA LEITE, pág. 94; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 47; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763; Acervo FIEO.

250 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Família - lito. 46/130 - 70 x 58 - cid - 1990
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

251 - EVANDRO CARLOS JARDIM - (1935)
LL Composição - grav. - 14 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

252 - JULIO VIEIRA - (1933 - 2000)
LL Composição - ost - 60 x 46 - cid e d - 1977
Natural da cidade do Rio de Janeiro, foi pintor, gravador e desenhista. Fez curso na antiga Escola Nacional de Belas Artes, entre 1952 e 1956, estudando gravura com Goeldi entre 1954 e 1956. Um trecho da lavra do crítico e pintor Quirino Campofiorito sobre a arte única do artista: " ..A vantagem de Júlio Vieira era sua fidelidade ao transe terrestre. Sua pintura foi sempre um gesto doloroso. Muitas águas rolaram, desde então. Oficializou-se o concretismo e o neoconcretismo. Júlio sempre marginal e sempre um excelente artista. MEC vol. 4 pág. 475 - JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 1034; ITAU CULTURAL

253 - EURIDYCE BRESSANI - (1906 - 1992)
LL Menina na janela - dn - 47 x 35 - ld - 1964
Desenhista natural da cidade do Rio de Janeiro, onde nasceu a 5/11/1906. Autodidata, começou a desenhar em 1957, depois de aposentada, pois segundo ela o desenho lhe fazia companhia. Evoca cenas e tipos de sua infância. Em 1961 foi premiada pela melhor ilustração de livros obtida com o romance Memórias de um Sargento de Milícias. Ilustrou diversos outros importantes livros de autores nacionais. Possui obras em vários museus, como MAM-RJ e MAM-Bahia. Julio Louzada lista as diversas e importantes exposições de que participou. JULIO LOUZADA, vol. 2 pág. 377

254 - NESTOR PERES - (1920 - 2004)
LL " Praia de Santa Cruz - Guarujá " - ost - 60 x 80 - cid e d - 2001
Natural de Jundiaí, SP. Pintor, professor, desenhista e gravador, assinava NESTOR PERES. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, diplomando-se em 1947, ocasião em que recebeu Medalha de Honra ao Mérito. Aprimorou-se com Waldemar da Costa, Mario Zanini, Felisberto Ranzini entre outros. Expôs coletiva e individualmente em diversos salões, conforme extensa lista copilada por Julio Louzada, abaixo citado. JULIO LOUZADA vol. 2, pág.800; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

255 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL " Emblema serigráfico " - ser. P.A. 9/20 - 43 x 32 - cid - 1974
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 060 deste catálogo.

256 - GILVAN - (1930)
LL Figuras - tm - 24 x 18 - cid - 1972
Batizado como Paulo Gilvan Duarte Bezerril, o artista nasceu na cidade do Recife-PE, em 20 de outubro de 1930. Autodidata. Usa técnica especial, misturando tinta plástica com esmalte e acrílico. Segundo o crítico Walmir Ayala, o autor " ... sem a decantada cor tropical, nivela seu cromatismo sob uma luz baixa que condensa a vibração da tonalidade." Expôs individualmente no Rio de Janeiro, São Paulo, EUA, Paraguai e em outros importantes centros urbanos do País e do exterior, sempre com sucesso de público e crítica. Recebeu diversas premiações. JULIO LOUZADA, vol 2 pág 445

257 - AÉCIO DE ANDRADE - (1935)
LL Paisagem rural - ast - 50 x 60 - cid
Pintor natural de São Paulo, Capital. Passou pelo gênero impressionista no inicio da carreira, e depois para uma fase mais pessoal. Aborda temas populares brasileiros. Possui obras nos Museus das cidades de Americana, Matão, Assis, Guararapes, e em Penápolis. Começou a expôr em 1968, tendo participado de diversas mostras no País e no exterior, conforme relaciona a bibliografia abaixo. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 33

258 - GOLB CARVALHO - (1956)
LL Mercado Árabe - ost - 50 x 40 - cid
Pintor natural de Guanhães, MG, onde nasceu a 4/5/1956. Pinta desde a infância, quando aos 17 anos muda-se com a família para BH, dedicando-se à pintura das cidades históricas, e aos temas regionais e folclóricos. Realizou exposições individuais nas cidades de Ouro Preto, Mariana e Belo Horizonte. Em 1979 fixou residência em São Paulo, onde realizou individual em 1982. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 231. Acervo FIEO. -

259 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Composição - xilo. - 45 x 37 - cid - 1971
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 172 deste catálogo.

260 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL " Barco verde " - a - 8 x 13 - cid - 1960
Com certificado de autenticidade da família de Nicola Petti, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 122 deste catálogo.

261 - ALEX LUIZI - (1964)
LL Paisagem - ose - 38 x 46 - cid - 1990
Pintor, Alexandre Luizi Campos é natural de Poços de Caldas, MG. Assina Alex Luigi. Inicia-se na vida artística aos 15 anos com desenhos sob a orientação de seu avô materno De Luizi. Tem participado de diversas exposições e Salões oficiais onde recebeu inúmeros prêmios. Individuais: Poços de Caldas, MG (1988); São Paulo, SP (1990); Campinas, SP (1989, 1990); Campestre, MG (1989); Taubaté, SP (1989); Joinville, SC (1990); Ribeirão Preto, SP (1991); Itajubá, MG (1992).. Coletivas: Poços de Caldas, MG (1986, 1987); Santos, SP (1986); São Paulo, SP (1987 a 1996); Campinas, SP (1987, 1988 a 1996); Curitiba, PR (1988, 1990 a 1994); Joinville, SC (1988 a 1996); Blumenau, SC (1988, 1996); Ribeirão Preto, SP (1990 a 1992); Mogi Mirim, SP (1990 a 1994); Itajubá, MG (1990 a 1996); Camboriú, SC (1992); Porto Alegre, RS (1991 a 1994); Lages e Florianópolis, SC (1991 a 1996); Campos do Jordão, SP (1994). JULIO LOUZADA, vol.5, pág. 600; vol. 6, pág. 619; vol. 9, pág.499.

262 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
LL Composição - ser. 95/100 - 55 x 75 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 169 deste catálogo.

263 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Cena Árabe - ost - 30 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 013 deste catálogo.

264 - EMANOEL ARAÚJO - (1940)
LL Figura - xilo. 5/15 - 96 x 63 - cid - 1966 - Bahia
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 242 deste catálogo.

265 - MARIE LOUISE MATTOS - (1916)
LL " Salinas " - ost - 50 x 61 - cie e d - 1967
Nascida em Paris, França, filha do escultor Antônio Pinto de Mattos. Pintora, cresceu em ambiente de intensa produção artística, tomando gosto pela arte desde muito criança. Transferiu-se para o Brasil na dec. de 40, passou a frequentar o Liceu de Artes e Ofícios do RJ, onde foi aluna de Armando Viana (1946). Já no ano seguinte recebia Menção Honrosa no SNBA. Nesse mesmo salão conquistou ainda a Medalha de Prata (1951). Ganhadora de prêmio viagem 'a Europa (1960), participou de salões na capital da França. Algumas de suas obras encontram-se no MNBA-RJ. JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 610, Acervo FIEO.

266 - EURICO BIVAR - (XX)
LL " A última (e infleliz) tentação de Jânio " - tm - 40 x 50 - cid - 1988
Pintor e ilustrador cearense com inúmeras exposições nacionais e internacionais. Obras em diversos Museus, inclusive no Centro Cultural Dragão do Mar, em Fortaleza - CE. www.cordaodehistorias.zip.net.

267 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 11 x 15 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 017 deste catálogo.

268 - EDUARDO CARLSON - (1924)
LL Marinha - ose - 27 x 41 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 016 deste catálogo.

269 - WESLEY DUKE LEE - (1931)
LL " Aparição do touro " - grav. Ex. 6 - 17 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 094 deste catálogo.

270 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Mariana " - ost - 16 x 22 - cie e d - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

271 - FUKUDA (ROBERTO KENJI FUKUDA) - (1943)
LL Paisagem - tm - 41 x 91 - cid
Pintor, gravador e escultor nascido em Indiana, SP, e ativo na Capital. Filho de artista (seu pai é o pintor Tamotsu Fukuda), pinta desde cedo. Suas telas não passam desapercebidas, sejam pelas cores harmoniosas, vivas e vibrantes, sejam pela suavidade das composições, que tranquilizam o expectador. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 120; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

272 - DARCI ZANNIN - (1969)
LL " A melancia " - ost - 60 x 30 - cie e d - 2009
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

273 - LOURDES DE DEUS - (1959)
LL " Colheita de trigo " - ast - 60 x 80 - cie e d - 2004
Nascida em Custódia, PE, em 1959, Lourdes mudou-se para Osasco quando tinha apenas dois anos de idade. Casou-se com o pintor naïf Waldomiro de Deus, em 1976, e convivendo com o dia-a-dia do artista, passou a tomar gosto pela arte, começando a pintar em 1992. Daí em diante, seu trabalho foi se aperfeiçoando. "Assim como o poeta falava das flores, as telas de Lourdes parecem ser feitas para decorar, mas revelam uma consciente e elaborada transformação da realidade. As festas populares do interior e as formas da natureza ganham então novas conotações e levam a refletir sobre a complexidade do mundo moderno que nos afasta das coisas mais simples e belas da vida." Oscar Dambrosio, in: http://www.artcanal.com.br/oscardambrosio/lourdesdedeus.htm. Acervo FIEO.

274 - MENNA BARRETO - (1953)
LL Surreal - gic 100/300 - 36 x 55 - csd
Nascida Sônia Regina Gomes Menna Barreto de Barros Falcão, no dia 5 de novembro de 1953, na cidade de São Paulo-SP. Cursou desenho com Waldemar da Costa e pintura com Luiz Portinari, no Centro de Artes Cândido Portinari e, com Jorge Mori, assimila a técnica do óleo sobre linho e a veladura ou "glacis" utilizada pelos mestres clássicos do passado. Sobre a obra da artista, assim escreveu Flávio de Aquino, no catálogo da sua exposição na Galeria André, SP, 1989: "Sônia Regina Gomes Menna Barreto de Barros Falcão, ou simplesmente Menna Barreto - assina obras-primas em pequenos formatos, como miniaturas. Pouco conhecida, surge agora como a grande novidade da pintura fantástica brasileira. Menna Barreto dá uma conotação hiper-realista, mas sem colagens ou assemblagens. Sua arte tem um clima misterioso de castelos fantasmas ou de fragmentos de Paris, com suas ruas e casas. Seu valor reside no caráter arquipoético das obras. " ITAU CULTURAL

275 - DOMENICO CALABRONE - (1928 - 1999)
LL Nu - m em b n° 41 - h = 32 - d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 115 deste catálogo.

276 - COSME MARTINS - (1959)
LL Composição - g - 15 x 20 - cie e d - 1996
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 026 deste catálogo.

277 - FANG, CHEN KONG - (1931)
LL Ferro a carvão - ost - 33 x 55 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 119 deste catálogo.

278 - BERTONI FILHO - (1892 - 1959)
LL Paisagem - ost - 20 x 30 - cid
Pintor paisagista, filho de Angelo Bertoni, e irmão de J. Bertoni. Como seu pai, fixou temas do Rio de Janeiro, de grande valor iconográfico. JULIO LOUZADA, vol. 1, pag. 120; ACERVO FIEO, pág. 329.

279 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL " Emblema serigráfico " - ser. P.A. 9/20 - 43 x 32 - cid - 1974
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 060 deste catálogo.

280 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Pássaros - ost - 25 x 30 - cid e d - 2009
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

281 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
ponto de nó, feito a mão, de lã, com desenho Kashmar, medindo 2,95 x 2,30 m = 6,78 m². -

282 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Lago - ose - 24 x 30 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

283 - LUIZ MARCOS FERNADES - (1960)
LL Figuras com animais - ost - 54 x 70 - cid - 1997
Pintor natural de Adamantina, SP. Assina M. Fernandes. Freqüentou a Escola Panamericana de Artes e o ateliê de Martins de Porangaba. Exposições individuais: Adamantina, SP (1983), São Paulo (1997); Lucélia, SP (1998); Presidente Prudente, SP (1998); Brasília, DF (1998, 1999); Araçatuba, SP (1999). Coletivas: Itu, SP (1981); São Paulo (1982, 1983, 1997); Adamantina, SP (1998); Olímpia, SP (1998). Prêmios: São Paulo (1983, 1997). JULIO LOUZADA, VOL. 12, PÁG. 154.

284 - ROBERTO MAGALHÃES - (1940)
LL Figura - xilo. - 26 x 26 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 127 deste catálogo.

285 - ANDRÉ DA MARINHEIRA - (1970)
LL Leoa - e em mad. - h = 41 - as. - 2008
Natural de Boca da Mata, Alagoas. Filho de Manuel da Marinheira, do qual herdou o ofício de talhar em madeira: animais, santos e outras imagens. Recebeu título de Mestre, em 2006, pela comissão organizadora da Feira Internacional de Artesanato do Nordeste (ARTNOR), realizada no Centro Cultural e de Exposições de Maceió, AL. www.overmundo.com.br; www.taniapedrosa.com.br.

286 - DARCY PENTEADO - (1926 - 1987)
LL Nu - dn e a - 26 x 22 - cid - 1978
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 036 deste catálogo.

287 - ERICO DA SILVA - (1932 - 2004)
LL Puxando a rede - ost - 130 x 130 - cid
Nascido em Itajaí, SC. Participou de diversos salões nacionais de arte moderna, recebendo diversas premiações, inclusive de aquisição. A partir de 1970 realiza pesquisas no campo do objeto. JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 299; PONTUAL pág. 491; MEC vol. 4, pág. 249; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

288 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Esboço - dl e a - 43 x 27 - cid - 1943
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 075 deste catálogo.

289 - FRANCISCO REBOLO GONSALES - (1903 - 1980)
LL Paisagem - grav. col. 27/75 - 29 x 30 - cid
Grande pintor paulistano, um dos principais membros do Grupo Santa Helena e da Família Artística Paulista, Rebolo é acima de tudo um paisagista de colorido suave e desenho sensível. MEC, vol. 4, pág. 28/29; TEODORO BRAGA, pág. 202/3; PONTUAL, pág. 447/448; REIS JR., pág. 382; TEIXEIRA LEITE, pág. 433/434/435.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; LEONOR AMARANTE, pág. 13; ARTE NO BRASIL; Acervo FIEO.

290 - RENZO GORI - (1911 - 1999)
LL Casario - ose - 33 x 24 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 040 deste catálogo.

291 - IVAN MARQUETTI - (1941)
LL " Portas " - ost - 59 x 39 - cid e d - 1965 - Ouro Preto
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 166 deste catálogo.

292 - LOUIS ICART - (XX)
LL Primavera - grav. 6/150 - 27 x 19 - cid
Reproduzido sob o n.° 139 do livro "Pequena História da Arte Moderna e Contemporânea" de autoria de Frederico Morais, edição Soraia Cals, Rio de Janeiro. - Pintor e gravador da Escola Francesa. Ilustrou Livros de Mérimée, Colette e Goethe. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 478; vol.5, pág. 493.. BENEZIT, vol.5, pág.699.

293 - JOÃO DUTRA - (1893 - 1984)
LL Natureza morta - ostcc - 34 x 46 - cse
Nasceu em Rio Claro, SP, e faleceu em Piracicaba-SP. Descendente da família Dutra, composta de pintores ativos em São Paulo a partir do Séc. XVIII durante várias gerações. Expôs pela primeira vez em 1919, em São Paulo, onde realizaria outras mostras até 1937. Participou do SNBA, recendo medalha de prata. Destacou-se como autor de naturezas mortas. TEODORO BRAGA, pág. 85; MEC, vol. 2, pág. 84; TEIXEIRA LEITE, pág. 171; PONTUAL, pág. 186; ITAU CULTURAL;

294 - SIGFREDO PASTOR - (XX)
LL " Alma de Banduneun II " - ast - 50 x 70 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 171 deste catálogo.

295 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL Paisagem - ostce - 27 x 16 - cse - 1956
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 045 deste catálogo.

296 - RODRIGO DE HARO - (1939)
LL Figuras - dn - 20 x 13 - cid
Rodrigo de Haro nasceu em Paris-França. Pintor, desenhista e escritor. Divide suas atividades profissionais entre Florianópolis e São Paulo. Por volta de 1987, trabalha na decoração do Teatro Municipal de Florianópolis com 80 painéis Mandalas. Entre as mostras de que participa, destacam-se: Coletiva Artistas Catarinenses, Santa Catarina, 1955 (Prêmio Aquisição); Salão Nacional do Paraná, 1967; Arte Fantástica, no Paço das Artes de São Paulo, 1972; Destaques da Pintura Brasileira, no Museu de Arte Moderna de São Paulo, 1985; Mostra do Desenho Brasileiro, no Museu de Arte Contemporânea de Curitiba, Paraná, 1994. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 244; PONTUAL, pág. 260; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 143; WALTER ZANINI, pág. 805; ITAU CULTURAL.

297 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato amarelo - asp - 36 x 29 - cie - 2000
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 070 deste catálogo.

298 - MESTRE EXPEDITO - (1933)
LL Anjo - e em mad. - h = 64 - b - 1977
Expedito Antonino dos Santos, o Mestre Expedito, é um grande nome da arte santeira piauiense. Suas peças entalhadas na madeira, são admiradas no Brasil e no exterior, contribuindo para a valorização do Piauí pela criatividade de seus artesãos e qualidade de suas criações.

299 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Senhora - ose - 16 x 11 - cie
Nascido e falecido em São Paulo, DURVAL PEREIRA foi pintor e professor ativo em São Paulo. Premiado com a Menção Honrosa no SPBA em 1944, passou a viver exclusivamente da pintura. Pintava ao ar livre aos domingos com os pintores Salvador Rodrigues, Salvador Santisteban, Cirilo Agostinho, Jaime Dinis, Djalma Urban, Innocencio Borghese, e outros. Premiado praticamente em todos os Salões de que participou. Recebeu ao todo, 15 comendas das mais importantes do Brasil. Nos últimos três anos de sua vida, recebeu todos os Primeiros Prêmios e Medalhas de Ouro nas exposições de Paris, Rouen, Lyon, Roma, Miami e Milão. MEC, vol. 3, pág. 368; JULIO LOUZADA, vol. 1, págs. 749/750/751. ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

300 - GUERINO GROSSO - (1907 - 1988)
LL Mulher - ost - 100 x 60 - cie - 1980
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 050 deste catálogo.

301 - KILIM -
LL -
Caucasiano, ponto de nó, feito a mão, de lã, medindo 4,50 x 1,48 m = 6,66m². -

302 - ÉLON BRASIL - (1957)
LL Índia - ost - 80 x 60 - cse
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 177 deste catálogo.

303 - BELMIRO BARBOSA DE ALMEIDA - (1858 - 1935)
LL Rosto - dn - 32 x 21 - ci
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 176 deste catálogo.

304 - DUDU SANTOS - (1943)
LL Peixe - a - 50 x 33 - cid - 1965
Pintor e gravador paulistano, estudou com Mário Gruber, Darel, Grassmann e Nélson Nóbrega, entre outros. Expõe individualmente desde 1961. JULIO LOUZADA, vol, 5, pág, 935; MEC, vol, 4 pág, 182; PONTUAL, pág, 474; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

305 - SILVIO OPPENHEIM - (1941)
LL Composição - ost - 38 x 54 - ci e d - 1982
Nascido em São Paulo, formou-se pela faculdade de arquitetura da USP, em 1965. Inicialmente figurativo, passou para a abstração de forma muito natural. Perfeccionista, usa as cores de forma quase puras em requintado grafismo. Participa de exposições desde 1962 com sempre renovado sucesso de crítica e de público JULIO LOUZADA, vol.11, pág.233; MEC, vol.3, pág.301; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

306 - JUAREZ MACHADO - (1941)
LL Costurando - ser. - 56 x 40 - cid - 1973
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 181 deste catálogo.

307 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Fazenda - dn - 15 x 23 - cid - 1929
Ex coleção de Ninoross Bastos Ribeiro - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 057 deste catálogo.

308 - HOLMES NEVES - (1925 - 2008)
LL Festa - ost - 65 x 92 - cid - 1959
Natural de Lima Duarte, MG. Pintor, desenhista e gravador. Fixou residência no Rio de Janeiro, após estudos com Guignard, Misabel Pedrosa e Edite Behring em Belo Horizonte. Sobre a sua obra, transcrevemos texto de Henrique Pongetti, na apresentação do artista no catálogo de sua mostra HOLMES Neves: pinturas, na Galeria de Arte e Pesquisa da UFES, 1978: ". . . Eu gosto muito da pintura de Holmes, dos seus quadros de Ouro Preto, motivo insistente e fascinante na sua obra. Se o tema e certa sutileza de feitura nos lembra o Mestre, há hoje na sua arte uma autonomia indiscutível, as marcas de uma inconfundível personalidade. Suas cidades mortas não surgem envoltas na melancolia acinzentada que parecia refletir nas paisagens a alma infantil e ao mesmo tempo infeliz de Guignard. Sobre a pátina do tempo suas casas e igrejas, transfiguradas pela luz montanhesa, recebem cores festivas, reconquistam a mocidade, revivem. " TEIXEIRA LEITE, pág. 352; JULIO LOUZADA, vol.10, pág. 425; ITAÚ CULTURAL; PONTUAL, pág. 383; Acervo FIEO.

309 - HARRY ELSAS - (1925 - 1994)
LL Violeiro - tm - 35 x 25 - cid - 1969
Nascido na Alemanha e radicado no Brasil desde 1936, Elsas desenvolveu suas aptidões artísticas com Lasar Segall, que muito o incentivou a ingressar na carreira das artes. Permaneceu no Nordeste brasileiro por oito anos, retratando com maestria e singularidade paisagens e aspectos da vida local, sempre com influência renascentista, com cor e desenhos fortíssimos. Participou de coletivas no Brasil e no exterior a partir de 1962, com excelente repercussão. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 99. MEC, vol, 2, pág, 111; TEIXEIRA LEITE, pág 176; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

310 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL " Emblema 89 " - ast - 70 x 50 - d - 1989
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 060 deste catálogo.

311 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Mulheres - dn - 29 x 21 - cid
Reproduzido na pág. 91 no livro " Carybé - as sete portas da Bahia ", livraria Martins Editora - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 061 deste catálogo.

312 - FRANCISCO BIOJONE - (1934)
LL Composição - ost - 28 x 20 - cid
FRANCISCO Antão de Paula Souza BIOJONE, nasceu em Campinas, SP. Pintor, desenhista e professor, costuma assinar F. BIOJONE em suas obras. Foi aluno do pintor campineiro Geraldo de Souza, com quem fez pesquisas. A partir de 1955 participou de numerosos salões de arte. JULIO LOUZADA traz extensa citação sobre o curriculum deste singular artista. JULIO LOUZADA, vol. 3 págs. 128, 129 e 130; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 963.

313 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL Construtivo - lito. 51/100 - 42 x 82 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 063 deste catálogo.

314 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Guerreiros - grav. 105/110 - 24 x 31 - cid
Desenhista, gravador, ilustrador, pintor, escultor e professor, nasceu em São Simão, SP. Estuda fundição, mecânica e entalhe em madeira na Escola Profissional Masculina do Brás, SP. Passa a realizar xilogravuras a partir de 1943. Atua como ilustrador do Suplemento Literário do ‘Diário de São Paulo’, do ‘O Estado de S. Paulo’ e do ‘Jornal do Estado da Guanabara’. Quando reside no Rio de Janeiro, a partir de 1949, freqüenta os cursos de gravura em metal, com Henrique Oswald e de litografia, com Poty, no Liceu de Artes e Ofícios. Em Salvador (1952), trabalha com Mario Cravo Júnior. .Recebe o prêmio de viagem ao exterior do Salão Nacional de Arte Moderna (1953) e vai para a Academia de Artes Aplicadas, em Viena. Passa a dedicar-se principalmente ao desenho, à litografia e à gravura em metal. Em 1969, sua obra completa é adquirida pelo governo do Estado de São Paulo, passando a integrar o acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo . Em 1978, a casa em que nasceu, em São Simão, é transformada em museu e tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo - Condephaat. Participou de muitas exposições e das Bienais de: São Paulo (1951 a 1961, 1967, 1969, 1979, 1985, 1989); Veneza (1950, 1956, 1958, 1962); Paris (1959). Principais prêmios: Bienal de São Paulo (1951, 1955, 1957, 1959, 1967); Bienal de Veneza (1950, 1956, 1958,1962); Bienal de Paris (1959). PONTUAL, PÁG. 249; MEC, VOL. 2, PÁG. 281 E 282; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL.1, PÁG. 439; VOL. 5, PÁG. 453; VOL. 9, PÁG. 383.

315 - APARECIDA AZEDO - (1929 - 2006)
LL " Índios escravizados a procura de ouro " - ast - 23 x 28 - cid - 2004
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 065 deste catálogo.

316 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Nu - dlc - 40 x 33 - cid - 1972 - Rio
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

317 - ASCÂNIO MMM - (1941)
LL Composição - m em m 24/75 - 45 x 55 x 40 - as.
Reproduzido sob o nº 14 em catálogo de Aloisio Cravo - São Paulo. -Escultor, pintor. Reside no Rio de Janeiro desde 1959. Freqüenta a Escola Nacional de Belas Artes - Enba, de 1963 a 1965. Nessa época, desenvolve os primeiros trabalhos de escultura, utilizando sólidos geométricos de madeira. Na metade dos anos 1960, mantém ateliê com colegas da Enba, entre eles Antonio Manuel (1947) . Conclui o curso da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro - FAU/UFRJ, em 1970. Trabalha como arquiteto até 1976. No inicio dos anos 1970, emprega ripas de madeira, organizadas em progressões verticais e horizontais, e cria as caixas lúdicas, espécie de bases de madeira, sobre as quais o espectador pode deslocar molduras vazadas, em formato quadrado, intercaladas, e de tamanhos decrescentes. Utiliza acrílico e perfis de alumínio anodizado (tubos retangulares) para criar as caixas e os múltiplos, desde os anos 1970. No fim da década seguinte, realiza as primeiras Piramidais, esculturas que apresentam deslocamentos graduais das ripas de madeira ou dos tubos de alumínio, gerando vazios internos. Em 2005, é lançado o livro Ascânio MMM, pela editora Andrea Jakobsson, com textos de Paulo Sergio Duarte, Marcio Doctors, Lauro Cavalcanti e Fernando Cocchiarale. ITAÚ CULTURAL.

318 - ELISEU D´ANGELO VISCONTI - (1866 - 1944)
LL Quintal - a - 28 x 23 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

319 - JOSÉ MARIA DE SOUZA - (1935 - 1987)
LL " Marinha " - ost - 39 x 46 - cid e d - 1975 - Bahia
Baiano de Valença, Bahia. Diplomou-se na Escola de Belas Artes da Bahia, onde teve como prof. Mario Cravo em gravura e Juarez Paraíso, em desenho. Realizou várias individuais no Rio de Janeiro, cidade onde se fixou por algum tempo, retornando para a Bahia. Sua figuração é pessoal e o limite profundo de sua obra está povoado de algo cuja definição se coloca entre o humilde e o grotesco. Realizou individuais a partir de 1960 (entre elas: Galeria Bonino, RJ-1965 e 1967); e coletivas (SNAM-RJ 1959, 1962 e 1963, entre outras). JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 498; ITAÚ CULTURAL.

320 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gatos com flores - ast - 60 x 80 - cie e d - 2000
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 070 deste catálogo.

321 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
Malayer, ponto de nó, feito a mão, de lã, com desenho Herat, medindo 1,95 x 1,24 m = 2,41 m². -

322 - MOACIR ALVES - (1904 - 1982)
LL " Gávea " - ostcm - 20 x 27 - cid e d - 1954
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 072 deste catálogo.

323 - WEGA NERY - (1912 - 2007)
LL Composição - g - 32 x 22 - cid - 1963
Natural de Corumbá-MT, estudou desenho e pintura na Escola de Belas Artes em São Paulo entre 1946 e 1949. Nos anos 50, aperfeiçoou estudos com Joaquim da Rocha Ferreira, Yoshiya Takaoka e Samson Flexor. Participou do Grupo Guanabara em 1952 e do Atelier-Abstração, liderado por Samson Flexor, em 1953. Expõs individualmente a partir de 1955. Recebeu o prêmio de melhor desenhista nacional em 1957 e o prêmio aquisição nacional em 1963. PONTUAL, pág. 551; TEIXEIRA LEITE, pág. 541, JULIO LOUZADA vol.9, pág. 919; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 942; LEONOR AMARANTE, pág. 57.

324 - VALDEIR MACIEL - (1937 - 2005)
LL Composição - ost - 60 x 60 - d - 1997
Natural de Bacabal-MA, residiu e foi ativo em São Paulo. Participou de diversas exposições, destacando-se XI ao XVI Salão Paulista de Arte Moderna - Medalha de Bronze (1963 e 1965); 9ª Bienal Internacional de São Paulo. Segundo o crítico Theon Spanudis: "Ao contrário da pintura de Rubem Valentim, que emana sempre poderosas e vibrantes cargas mágicas, imperiosas e afirmativas, a pintura de Valdeir Maciel, nascido em São Luís do Maranhão e radicado em São Paulo, é mais introvertida, silenciosa, escondida em seu misticismo esotérico, mas de enorme amplitude metafísica e religiosa. Às vezes enigmática, mas raramente luminosa, prefere os coloridos sombrios, obscuros e abscônditos. Começando com um tachismo corriqueiro, foi sacudido em 1961 pela primeira exposição neoconcreta de São Paulo. De lá em diante ele virou geométrico. Mas seu construtivismo não tem nada a ver com o concretismo, ou o neoconcretismo, por causa do seu intenso misticismo e profundidade esotérica. No início ele pintava figurações geométricas no meio da tela, cercadas por toda a superfície vazia da tela, figurações como de objetos sacrais e preciosos de religiões e cultos desconhecidos. Mais tarde ele começou a expandir as suas formulações geométricas e construções esotéricas, até ocupar toda a superfície da tela." in SPANUDIS, Theon. Construtivistas brasileiros. São Paulo: o Autor, s.d. WALMIR AYALA, MEC, PONTUAL, pág. 327; TEIXEIRA LEITE, pág. 298; WALTER ZANINI, pág. 688; JULIO LOUZADA, vol. 12, pág. 245. ITAU CULTURAL.

325 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Nu - e em b - h = 29 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 075 deste catálogo.

326 - ALCIDES SANTOS - (1945)
LL Fundo do mar - ose - 33 x 76 - cid - 1977
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 076 deste catálogo.

327 - MIGUEL DOS SANTOS - (1944)
LL " Tradução da luz verde " - ostcm - 53 x 36 - cie - 1982
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 077 deste catálogo.

328 - AGENOR SILVA - (1940)
LL Mahatma Gandhi - dn - 50 x 34 - cid - 1975
Pintor e desenhista, Agenor Conceição da Silva, nasceu em Bom Jesus, RS. Autodidata, recebeu alguma orientação artistica de Vicente Caruzo e Inácio Justo. Criando figuras irreais, o artista cria o mundo fantástico com um quê de esotérico. Expõe individualmente desde 1968 e participa de coletivas nacionais e internacionais a partir de 1970, tendo recebido divesas premiações. JÚLIO LOUZADA vol.6, pág. 1052

329 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL " Ex-votos " - ast - 41 x 33 - cse e d - 1980
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 204 deste catálogo.

330 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Cena da Bahia - ost - 67 x 49 - cid e d
Reproduzido no convite, na capa do catálogo deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 27/01/2010. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 061 deste catálogo.

331 - CLAUDE AUTENHEIMER - (1926)
LL Porco - ost - 22 x 33 - csd - 1956
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 206 deste catálogo.

332 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Melindrosa - dn - 23 x 13 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 082 deste catálogo.

333 - ATHOS BULCÃO - (1918)
LL " Retrato de Roberto Burle Marx " - dn - 41 x 28 - cid - 1946
Pintor e desenhista. Começou a dedicar-se a arte estimulado por Portinari, que, em 1945, o convidou a trabalhar nas obras da Pampulha, em Belo Horizonte. No ano anterior realizara exposição individual na sede recém-inaugurada do Instituto dos Arquitetos do Brasil no Rio de Janeiro, voltando a fazê-lo na Capital mineira em 1946 e 1947. Já então conquistara medalhas de prata em pintura e desenho no SNBA. Recebendo bolsa de estudos no governo francês, viajou em 1948 para Paris, onde permaneceu um ano, visitando ainda a Itália. De regresso ao Brasil, passou a dedicar-se também a trabalhos no campo da decoração. Residindo mais recentemente em Brasília, ali criou azulejos e vitrais para a Igreja de Nossa Senhora de Fátima, com motivos cristãos da Pomba e da Estrela, símbolos do Divino Espírito Santo e da natividade. Participou como isento de júri dos II SAMDF (1965), realizando em 1968 exposição individual de desenhos em Brasília (Galeria Encontro). Rubem Braga focalizou-o em uma crônica publicada na revista Manchete (14 de agosto de 1954). TEODORO BRAGA, PÁG. 59; MEC, vol. 1, pág. 301; WALMIR AYALA, vol.1, pág. 140; PONTUAL, pág. 93; TEIXEIRA LEITE, pág. 92; JÚLIO LOUZADA, vol. 7, pág.112; ITAÚ CULTURAL.

334 - DANIEL SENISE - (1955)
LL Composição - grav. 60/100 - 20 x 30 - cid - 1995
Mesma gravura , tiragem 55/100 está reproduzida no catálogo da exposição, "Os colecionadores" Guita e José Mindlin - Matrizes e gravuras - realizada no Centro Cultural Fiesp - Galeria de Arte do Sesi em 1988/1989 - São Paulo. - Natural da cidade do Rio de Janeiro, onde nasceu a 15/11/1955. Pintor e desenhista, tem seu talento reconhecido pela unanimidade da crítica especializada. Sua obra é conhecida além fronteiras, mercê das diversas e vitoriosas exposições realizadas no exterior a partir de 1986. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 1026; LEONOR AMARANTE, pág. 328.

335 - ANGELO CANTÚ - (1881 - 1955)
LL Mulher - ost - 63 x 50 - csd - 1910
Com estudo no dorso. -Italiano de Milão, onde nasceu a 3 de agosto de 1881. Frequentou a Academia de Brera, daquela cidade, sob a orientação de Cesar Tallone. Grande retratista, ganhou notoriedade face a esta sua especialização. Participou de 1908 endiante a todas as Bienais de Brera e 'as Quadrienais de Torino. Nos anos de 1913, 1914 e 1921, expôs com grande sucesso no Brasil, nas cidade de São Paulo, Santos e Rio de Janeiro. Lecionou pintura no Rio de Janeiro. TEODORO BRAGA, pág. 64; LAUDELINO FREIRE, pág. 518; REIS JR., pág. 377; MEC, vol. 1, pág. 336; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 394; JÚLIO LOUZADA, vol. 1, pág. 209; ITAÚ CULTURAL.

336 - HAYDEA SANTIAGO - (1896 - 1980)
LL Mulheres - osm - 40 x 28 - cid e d - 1926
Com dedicatória. -Natural da cidade do Rio de Janeiro, onde veio a falecer. Estudou na Escola Nacional de Belas Artes. Foi aluna de Modesto Brocos e Amoedo. Aperfeiçoou seus estudos com Eliseu Visconti. Residiu em Paris com o marido, Manoel Santiago, de 1928 a 1932, participando do Salão de Artistas Franceses. No Brasil recebu diversas premiações no SNBA, bem como nos diversos Salões Oficiais de que participou, tais como SPBA, SMBA-RJ, SNAM e na I BSP. Teve como temas a paisagem, a figura, a natureza morta e o gênero. REIS JUNIOR, vol. 1, pág. 146; TEODORO BRAGA, pág. 211; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 290 e 292; TEIXEIRA LEITE, pág. 460; ITAÚ CULTURAL..

337 - SERGIO TELLES - (1936)
LL Figuras na praia - tm - 23 x 30 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 087 deste catálogo.

338 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
LL Figura - tm - 28 x 20 - cie
Pintor, desenhista, gravador e professor, estudou com Axel Leskoschek no Rio de Janeiro. Participou da Divisão Moderna do SNBA (1947-1951). Foi um dos precursores do concretismo no Brasil, criando ao lado de Aluisio Carvão, Lígia Clark, Hélio Oitica e outros o Grupo Frente, que se manteve ativo de 1954 a 1956, inclusive com exposições no Rio de Janeiro. Ivan Serpa possui invejável e extenso curriculum de vida artística, passando de exposições coletivas, a grandes retrospectivas de sua obras. Há um reconhecimento nacional da importância de sua atividade, tratando-se de um dos grandes artistas nacionais. PONTUAL, pág 486; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 840; LEONOR AMARANTE, pág. 26; Acervo FIEO.

339 - NEWTON CAVALCANTI - (1930 - 2006)
LL Carnaval - a e g - 50 x 70 - cid - 1970
Gravador, pintor, aquarelista, ilustrador, natural de Bom Conselho-PE. Inicia seus estudos nos ateliês de Raimundo Cela e de Oswald Goeldi. Em 1954, ingressa na Escola de Belas Artes da Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Entre 1973 e 1975, viaja para a Europa, onde participa de cursos e estágios na Inglaterra, na Itália e na Alemanha, patrocinado pela Fundação Brasileira de Educação e pelo governo alemão. Participa de exposições como o Salão Nacional de Arte Moderna, várias edições entre 1958 e 1972; Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1963 e 1985; Bienal de Paris, 1963; Brazilian Art Today, na Noruega, Áustria, Suécia e Inglaterra, 1965 e Mostra Rio Gravura, Rio de Janeiro, 1999. JULIO LOUZADA vol.9, pág.192; TEXEIRA LEITE, pág. 115; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 850.

340 - ARCÂNGELO IANELLI - (1922 - 2009)
LL Composição - tst - 100 x 80 - cid - 1974
Com etiqueta n.° 101457 da Galeria de Arte Ipanema - Rio de Janeiro/São Paulo, no dorso. Reproduzido: no catálogo do 67° leilão de Dagmar Saboya - São Paulo e sob o nº 45 em catálogo de Aloisio Cravo - São Paulo. Com laudo técnico do restaurador Thomas Brixa - São Paulo. - Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 100 deste catálogo.

341 - LUIZ VERRI - (1912 - 1990)
LL " Quinta da Boa Vista " - ost - 54 x 65 - cid e d - 1980 - Rio
Natural de Pirassununga - SP, cursou a partir de 1932 a Escola de Belas Artes de São Paulo, travou amizade com Francisco Rebolo, Volpi, Penacchi , Zanini e todos os demais integrantes do histórico grupo Santa Helena. Participou de diversas coletivas a partir de 1945, inclusive do SNBA - RJ, em 1954 e 1958 recebendo medalhas de bronze e de prata, respectivamente. Sua pincelada impetuosa, traz emoção e arrojo. Uma pintura exprecionista. MEC, vol. 4, pág. 470; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 1033; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

342 - HEINZ KUHN - (1908 - 1987)
LL Composição - ostcm - 25 x 37 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 217 deste catálogo.

343 - MANUEL EUDÓCIO - (1931)
LL São Benedito - e em br - h = 45 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 067 deste catálogo.

344 - YOLANDA MOHALYI - (1909 - 1978)
LL Paisagem - a - 13 x 19 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 214 deste catálogo.

345 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Lavadeiras - ose - 33 x 23 - cid e d - 1944
Com etiqueta de Dan Galeria - São Paulo, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

346 - THEODORE GAEDE - (1895 - XX)
LL " Temporal sobre Armação (Bahia) " - ost - 46 x 61 - cie - 1959
Com etiqueta da Exposição do artista " Marinhas e Paisagens ". -Pintor Alemão, natural de Altona, foi aluno de Schwatrz Alquist. Em 1914 veio para o Brasil, aqui ficando retido pela I Guerra Mundial. Em 1944 passou a residir de forma definitiva em São Paulo. Pintava paisagens, especialmente marinhas, tendo percorrido todo o Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 443.

347 - FONTANA - (1945)
LL Composição - ast - 50 x 70 - d - 2007
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 222 deste catálogo.

348 - ANTONIO ROCCO - (1880 - 1944)
LL Figura - ost - 60 x 50 - cid
Pintor italiano, natural de Amalfi. Frequentou o Instituto de Belas Artes de Nápoles. No Brasil, fixou-se em São Paulo. Participou do SNBA e no SPBA de 1933, recebendo importantes premiações. A PINACOTECA - SP possui obras de sua autoria. TEODORO BRAGA; JULIO LOUZADA, vol 13 pág. 286; ITAÚ CULTURAL.

349 - ARTHUR LUIS PIZA - (1928)
LL Composição - grav. - 20 x 13 - cid
Gravador e pintor paulista, foi aluno de Gomide, está radicado em Paris desde 1953, mas tem exposto regularmente no Brasil e na Europa com grande sucesso de crítica e venda. MEC, vol. 3, pág. 422; PONTUAL, pág. 428/29; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 250; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 855; LEONOR AMARANTE, pág. 75; Acervo FIEO.

350 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL " Vênus e pássaro " - ost - 27 x 35 - d - 1979
Reproduzido no convite deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 27/01/2010. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 063 deste catálogo.

351 - CARLOS PRADO - (1908 - 1992)
LL Casario - dn - 23 x 27 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 139 deste catálogo.

352 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Ciranda - ost - 60 x 70 - cid e d - 2006
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

353 - GEORG FISCHER ELPONS - (1865 - 1939)
LL Flores - ost - 57 x 45 - cid
Excepcional pintor e professor alemão, nascido em Berlim, e falecido em São Paulo SP, onde residia e era ativo. Participou da 2ª Exposição Brasileira de Belas Artes, no Liceu de Artes e Ofícios, SP (1913) e da Exposição de Pintores Alemães - SP (1923). Postumamente foram realizadas as seguintes exposições da sua obra: 1981 - São Paulo SP - Destaque do Mês, na Pinacoteca do Estado e, 1986 - São Paulo SP - Dezenovevinte: Uma Virada no Século, também na Pinacoteca do Estado. Segundo TEIXEIRA LEITE, a "Sua notoriedade advém contudo bem mais da circunstância de ter sido professor de, entre muitos outros, Di Cavalcanti, Tarsila do Amaral e Anita Malfatti, do que da qualidade intrínseca de sua produção. A despeito de ser chamado em vários textos de pintor impressionista, na verdade pouco lhe interessavam os problemas da luz, enquanto inversamente o atraíam os da matéria e os da cor. " TEIXEIRA LEITE; PONTUAL; MEC; REIS JÚNIOR; TARASANTCHI, Ruth Sprung. Pintores Paisagistas: São Paulo 1890 a 1920. São Paulo: Edusp: Imprensa Oficial do Estado, 2002. 391 p., il. color.; WALTER ZANINI.

354 - JOHN GRAZ - (1891 - 1980)
LL Composição - a - 21 x 10 - cid
Com a seguinte inscrição: Regina e John Graz enviam sinceros votos de boas festas e feliz ano novo. -Pintor suíço, estudou em Genebra, Munique e Paris. Casando-se com a brasileira Regina Gomide em 1920, fixou-se no Brasil, de onde não mais sairia. Foi um dos integrantes da Semana de Arte Moderna de 1922. Sua arte alia decorativismo e estilização. TEODORO BRAGA, pág. 112; PONTUAL, pág. 251; MEC, vol. 2, pág. 283; ITAU CULTURAL.; WALTER ZANINI, pág. 530; ARTE NO BRASIL, pág. 672; LEONOR AMARANTE, pág. 200, Acervo FIEO.

355 - JOÃO BAPTISTA DA COSTA - (1865 - 1926)
LL Paisagem - osm - 41 x 32 - cid
Com etiqueta da " Exposição Aspectos do Rio " realizada no Museu Nacional de Belas Artes em 1965. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 230 deste catálogo.

356 - PAGÚ - (1910 - 1962)
LL Autorretrato - dn - 36 x 24 - cid
Escritora e jornalista, Patrícia Rehder Galvão nasceu em São João da Boa Vista, SP. Muda-se com a família para São Paulo quando tinha três anos. Aos dezoito anos, após ter completado seus estudos, já está integrada ao Movimento Antropofágico, de cunho Modernista, sob influência de Oswald de Andrade e Tarsila do Amaral, colaborando com desenhos para a Revista de Antropofagia. Em 1931, junto com Oswald de Andrade, funda o jornal tablóide O Homem do Povo onde escreve artigos, faz desenhos, charges e vinhetas. Em 1933 Pagú lança seu primeiro romance, Parque Industrial - romance proletário, sob o pseudônimo de Mara Lobo por exigência do Partido Comunista. Falece em Santos, SP, depois de uma vida de militância política e social bastante agitada. www.vidaslusofonas.pt/pagu; pt.wikipedia.org.

357 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Marinha - osm - 20 x 28 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

358 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Marinha - ost - 46 x 61 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 229 deste catálogo.

359 - YUTAKA TOYOTA - (1931)
LL " Espaço - Retimo " - e em a i 1/2 - h = 65 - b - 1983
Reproduzido sob o n.° 327 do livro "Arte Brasileira Arte e Recortes - Segunda Parte: 1912-1936" de autoria de Frederico Morais, edição Soraia Cals, Rio de Janeiro. -Natural de Yamagata, Japão. Pintor, desenhista e escultor. No Brasil desde 1962, Estudou na Universidade de Artes de Tóquio e no Instituto de Pesquisas Industriais de Shizuoka. Neste último cursou ciências exatas e a técnica industrial de lidar com novos materiais. Todo esse know-how o artista vem utilizando e adaptando à sua visão de arte. Fórmica, alumínio e aço inoxidável polido tem sido os suportes escolhidos por Yutaka para expressar-se fazendo uma escultura "como criação ambiental". Os volumes que constrói em alumínio, modulados com exatidão, excluem a rigidez e referem-se, poeticamente, à busca de diferentes existências de espaço em suas superfícies que refletem e deformam o entorno, constituindo para o artista a própria apreensão do mundo. JULIO LOUZADA, vol 11, pág. 325.; TEIXEIRA LEITE, pág. 510; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 933; LEONOR AMARANTE, pág. 171.

360 - FÉLIX ZIEM - (1821 - 1911)
LL Marinha - ost - 65 x 50 - cid
Félix François Georges Philibert Ziem, pintor e desenhista, nasceu em Beaume e morreu em Paris, ambas na França. Foi aluno da Escola de Arquitetura de Dijon. Viajou pela Europa e Oriente, manteve residências em Veneza, Martigues, Nice e Paris. Participou regularmente de exposições, em Paris, a partir de 1849. Recebeu prêmios em 1839, 1851, 1852 e 1855. Possui obras em vários museus da Europa. JULIO LOUZADA, VOL. 3, PÁG. 1245; BENEZIT, VOL. 10, PÁG. 903; ART PRICE.

361 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Figuras - dn - 23 x 19 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 057 deste catálogo.

362 - ROSITA ADAMO - (XIX - XX)
LL Paisagem - ost - 72 x 91 - cie
Pintora ativa no Rio de Janeiro. Foi premiada com medalha de bronze no SNBA/ Rio, 1954. Em 1968 voltou a expor no referido salão e no XXI Salão da Sociedade dos Artista Nacionais, Rio de Janeiro. Em 1970 conquistou menção honrosa no Salão de Artes Plásticas de São Lourenço/MG. MEC, vol.1, pág.36.

363 - SALVADOR SANTISTEBAN - (1919 - 1995)
LL Velho - ost - 46 x 38 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 113 deste catálogo.

364 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Musicos - ser. 25/100 - 23 x 33 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 061 deste catálogo.

365 - ROBERTO MORICONI - (1932 - 1993)
LL Composição - e em a i - h = 170 - as.
Pintor e escultor nascido em Perugia, Itália. Veio residir no Rio de Janeiro em 1953, onde, a partir de 1960 cria capas e ilustrações para a Livraria Freitas Bastos. Participou de algumas edições da Bienal de São Paulo, do SNAM e SEAJ. MEC, vol. 3, pág. 202; PONTUAL, pág. 372; JÚLIO LOUZADA, vol. 10, pág. 617; WALTER ZANINI, pág. 770.

366 - CARLOS ARTUR THIRÉ - (1917)
LL Composição - dn - 29 x 41 - cid - 1946
Desenhista e pintor. Paralelamente a seus estudos de direito, começou a desenhar histórias em quadrinhos para suplemento juvenil, correio da manhã e o jornal, todos no rio de janeiro. Colaborou como desenhista de a noite, dedicando-se em seguida a arte publicitária. Em Paris, no ano de 1947, estudou por breve tempo com André Lhote e realizou exposição de desenhos na Galerie Du Dragon. Além de participar do SBBA, expôs no instituto dos arquitetos do Brasil (RJ, 1948), no Museu de Arte Moderna de São Paulo (1950) . Já na década de 1960 e ao lado de Agnaldo Manuel dos Santos, expos na Petite Galerie (São Paulo).

367 - LECY BOMFIM - (1927)
LL Natureza morta - ost - 18 x 24 - cid - 1988
Natural de Santos, SP, onde nasceu em 20 de maio de 1927. Iniciou seus estudos artísticos com o prof. José Roncolleto Lubra, em 1945. Em São Paulo, onde foi ativa até o ano de 2000, estudou com os profs. Joseph Trabulsi, Silvio Alves e Arlindo Castellane. Entre 1946 e 1978, expôs em Salões Oficiais no eixo Rio-São Paulo, recebendo muitas premiações, inclusive em Salões Internacionais de que participou de 1979 a 1987. Participou da Bienal Internacional de São Paulo em 1976. Expõe em coletivas e individuais a partir de 1974, entre elas 12, 13 e 14a. Exposição de Artistas Contemporâneos da Sociearte (1993-1994-1995), Galeria Clube Atlético Paulistano-SP (1979), entre outras. Suas obras constam de acervos particulares e de museus, tais como o de Santiago, no Chile, PINACOTECA-SP, Municipal de Taubaté-SP, etc. JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 138.

368 - RENZO GORI - (1911 - 1999)
LL Paisagem Árabe - ose - 13 x 18 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 040 deste catálogo.

369 - EDSON LIMA - (1936)
LL Casal - ost - 65 x 54 - cid
Nascido em Boa Nova, Bahia, teve no crítico de arte Mário Schemberg seu grande admirador e incentivador. Fez sua primeira mostra coletiva em 1967, na Galeria Artécnica, no mesmo ano em que realizou a sua primeira individual, na Galeria da Folha de São Paulo. É ativo em São Paulo, onde reside. ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 221; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

370 - ALEX DOS SANTOS - (1980)
LL " O restaurante " - ose - 50 x 70 - cid - 2005
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 120 deste catálogo.

371 - TOMOSHIGUE KUSUNO - (1935)
LL " Cosmos " - ser. 65/500 - 46 x 46 - cid - 1974
Natural de Yubari, Japão. Pintor, desenhista e gravador. A obra do autor situa-se no limiar entre o formalismo e o objeto. Individuais a partir de 1976, coletivas internacionais em 1982, e premiações diversas. JULIO LOUZADA, vol.4, pág.1101; MEC, vol.2, pág.430 e 431; PONTUAL, págs.295 e 296; TEIXEIRA LEITE, pág.274; WALMIR AYALA, vol.1, pág.452; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 968; LEONOR AMARANTE, pág. 171, Acervo FIEO.

372 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Figuras - ost - 25 x 30 - cid e d - 2009
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

373 - AGI STRAUS - (1926)
LL Flores - ost - 50 x 50 - cid e d - 2001
Pintora, desenhista e gravadora. Vindo residir em São Paulo, aqui estudou com Darel e Poty, no Museu de Arte de São Paulo, dedicando-se, também, ao aperfeiçoamento na pintura e técnica do afresco com Gaetano Miani. Recebeu no SPAM diversas premiações. Desde 1955 vem realizando exposições individuais em São Paulo e no exterior. A respeito de seus trabalhos, por volta de 1964, disse José Geraldo Vieira serem eles realizados com "sensibilização prévia do suporte, seja pergaminho, tela ou duratex, para conseguir texturas de fundo, impregnação, relevo e matéria. Para tanto a artista suplica a superfície a fim de tranformá-la em bossagem adequada (...) resultam sugestões híbridas, espaciais e telúricas, mas sempre expressionistas por causa da desagregação cromática e dos efeitos de microgeografia ou siderais". JULIO LOUZADA,vol. 11, pág. 312; MEC, vol. 4, pág 343/44; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 355; PONTUAL, pág. 506; TEIXEIRA LEITE, pág. 488; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

374 - MARIA LEONTINA - (1917 - 1984)
LL Lençois - grav. 11/40 - 17 x 23 - cid
Reproduzido no livro "Gravura em metal" de autoria de Marcos Buti e Anna Letycia. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 088 deste catálogo.

375 - FRANCISCO BRENNAND - (1927)
LL Ginasta - ser. 99/100 - 49 x 43 - cid - 1973
Pintor e ceramista. Estudou com André Lhote e Fernand Léger, em Paris. Participou de importantes bienais e salões, nacionais e internacionais. Realizou individuais de pintura e cerâmica no MAM-SP em 1960 e outras importantes salas de arte. Executou trabalhos murais em edifícios públicos e particulares no Recife e no estrangeiro. Suassuna considerou a sua pintura "bela, forte e brasileira". Brennand é referência mundial como artista puramente brasileiro. JULIO LOUZADA, VOL, 10, pág 141. PONTUAL, pág, 88. MEC, VOL , 1, pág, 294; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; ARTE NO BRASIL, pág. 879. Acervo FIEO. -

376 - EVANDRO CARLOS JARDIM - (1935)
LL Raio de Sol - grav. P.A. 10/10 - 14 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

377 - HENRY VITOR - (1939)
LL Figuras - ost - 41 x 27 - cie - 1975
Pintor e gravador mineiro de Guaxupé, onde nasceu a 2 de abril de 1939. Reside e é ativo na cidade de São Paulo SP. Autodidata, fez cursos de Jornalismo, Propaganda e Comunicações. Expôs individualmente nos anos de 1972, 1973, 1984 e 1991 em São Paulo SP. Coletivas a partir de 1971, inclusive no exterior. "Há elementos que revelam o ingênuo mas nem sempre permitem ajuizar se a obra é crítica ou artesanal. O autodidatismo, como o de Vitor, é uma constante. Expressa uma visão pessoal da realidade ou configurações de sonho. Retrata a vida filtrada, livremente, pelos olhos de cada um e interpretada por um sentimento intrínseco. " Jorge Anthonio, in HENRY Vitor: pinturas. Apresentação de Jorge Anthonio. São Paulo: Galeria Jacques Ardies, 1991. HENRY Vitor: pinturas. Apresentação de Jorge Anthonio. São Paulo: Galeria Jacques Ardies, 1991. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.145, MEC,vol.4, pág.49; ITAÚ CULTURAL.

378 - GIOVANNI GALLO - (XIX - XX)
LL Pompéia - a - 13 x 22 - cid
Pintor e aquarelista italiano. BENEZIT, VOL.4, PÁG.597.

379 - JOÃO GERODETTI - (1939)
LL " Praça do Patriarca " - ost - 70 x 52 - cid - 2006
Paulistano, Gerodetti nasceu em 16 de abril de 1939. Pintor, fotógrafo e desenhista. Estudou desenho no Colégio Dante Alighieri com Vicente Mecozzi e Germana de Angelis, e pintura com Pietro Nerici. Participou de diversas exposições, com várias premiações. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 442, Acervo FIEO.

380 - SILVIO OPPENHEIM - (1941)
LL Composição - lito. 94/100 - 25 x 35 - cid - 1984
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 305 deste catálogo.

381 - MARIE LOUISE MATTOS - (1916)
LL " Monumento aos Pracinhas " - a - 23 x 32 - cie - Rio
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 265 deste catálogo.

382 - WALDOMIRO DE DEUS - (1944)
LL Família - asp - 50 x 33 - cid - 2006
Baiano de Boa Nova, Waldomiro de Deus é pintor e gravador. Em São Paulo desde 1960, expunha seus trabalhos nas praças da capital. Expõe em espaços oficiais desde 1965, inclusive no exterior. Ao todo já realizou mais de 100 exposições, com sucesso de crítica e de público. O seu trabalho mescla o misticismo religioso afro-baiano com elementos do cotidiano. ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 239; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

383 - ACAE - (1949 - 1989)
LL Menina - ostce - 50 x 37 - cid
Antonio Caetano nasceu em Jacuí, MG e faleceu no Embu, SP. Autodidata, participou de várias exposições coletivas. ITAU CULTURAL.

384 - JORGE REIDER - (1912 - 1962)
LL Rosas - ost - 56 x 72 - cid
Natural da Áustria, foi pintor ativo em São Paulo, expondo no Salão Paulista de Belas Artes em 1952. Sua obra é vasta, tendo pintado mais de três mil telas durante a sua carreira, sendo as flores o seu tema predileto. JULIO LOUZADA vol.3, pág.953.

385 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL " Barcos coloridos " - dlc - 16 x 24 - cid - 1975
Com certificado de autenticidade da família de Nicola Petti, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 122 deste catálogo.

386 - JOSÉ PAULO LICATTI - (1910 - 1990)
LL " Na fazenda " - ost - 33 x 41 - cie e d - 1985
Nasceu em Taquaritinga, SP em 5 de agosto e faleceu em São Paulo, Capital, no dia 27 de outubro. Pintor e desenhista, foi ativo em São Paulo. Em 1935 formou-se em desenho e pintura na Faculdade de Belas Artes de SP. Foi discípulo dos professores Antonio Rocco e Enrico Vio, da Real Academia de Napoles. Desde 1939 o artista conquista diversas premiações e tem grande participação em exposições no Brasil e no Exterior. Assina suas obras P. LICATTI. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.173; Acervo FIEO.

387 - ALEXANDRE RAPOPORT - (1929)
LL Composição - xilo. 75/100 - 20 x 27 - cid - 1971
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 201 deste catálogo.

388 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL Canto gregoriano - ost - 64 x 37 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 013 deste catálogo.

389 - VINCENZO CENCIN - (1925)
LL Marinha - ostce - 17 x 17 - cie
Natural de Veneza, Itália, desde pequeno sente a feição mágica e iluminada de sua cidade natal e o mar que a rodeia. Após a II Grande Guerra vem para o Brasil, onde fixa a sua residência. Em 1981 inaugura a Galeria Velha Europa, em São Paulo. Sobre a sua obra, assim se manifestou o crítico José Roberto TEIXEIRA LEITE: "... para esse homem chegado já maduro às artes, depois de longa carreira em campo diametralmente oposto, o que importa é lançar, sobre o espaço da tela, reminicências do homem mediterrâneo..." JULIO LOUZADA, vol.11, pág. 69; ITAU CULTURAL.

390 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL No parque - dn e a - 38 x 28 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 015 deste catálogo.

391 - RENATO SOTTOMAYOR - (1921 - 1958)
LL Nus - dn - 26 x 34 - cid - 1949
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 116 deste catálogo.

392 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 10 x 19 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 017 deste catálogo.

393 - JOÃO GERODETTI - (1939)
LL " Rua da Consolação - ost - 70 x 45 - cid - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 379 deste catálogo.

394 - GUSTAVO ROSA - (1946)
LL Figura - lito. 56/120 - 43 x 35 - cid - 1979
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 236 deste catálogo.

395 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Mercado Municipal " - ost - 70 x 100 - cie e d - 2009
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

396 - YUTAKA TOYOTA - (1931)
LL Círculo - dn e a - 32 x 32 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 359 deste catálogo.

397 - DARCI ZANNIN - (1969)
LL " O jardineiro " - ost - 40 x 50 - ci e d - 2009
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

398 - FELIPE NATHER - (1975)
LL Gatos - ast - 40 x 50 - cs
Natural da cidade paulista de Ribeirão Preto, o autor descende de uma família pintores, sendo o pai e o avô artistas já consagrados (Walther Nather e Walther Nather Junior). A obra de Felipe Nather se destaca pela firmeza de suas linhas, que dá formas originais aos seus desenhos, sempre alegres e coloridos, como as cores dos trópicos, que fixa nas telas, para a alegria de todos nós. O artista expõe com regularidade nos EUA, onde é sucesso de crítica e de público.

399 - ALDIR MENDES DE SOUZA - (1914 - 2007)
LL Composição - ost - 10 x 16 - n/as.
Composto por três trabalhos executados em convite de filme escrito e dirigido pelo autor Aldir Mendes de Souza. -Pintor, desenhista, gravador e escultor. Ativo em São Paulo, onde participou da I BNAP (1966), SPAM (1966/7), SACC (1996/7), IX BSP (1967), com premiações. "A cor é o conteúdo e a forma na pintura de Aldir. A geometria ajuda-o a construir a cor, enquanto sua temática, seja ela a Geometria da Terra (o campo) ou a Geometria da Urbe (os edifícios), são formas, meros pretextos e, às vezes, intertextos, para a arquitetura de sua linguagem iconográfica. Se é com a cor que Aldir traça sua geometria, o produto obtido é uma geometria da cor". Alberto Beutenmüller, in18 CONTEMPORÂNEOS. Apresentação de J. Peter Cohn. São Paulo: Dan Galeria, 1987. PONTUAL, pág. 501; MEC, vol. 4, pág. 310/11; CATÁLOGO DA EXPOSIÇÃO PANORAMA DE ARTE ATUAL BRASILEIRA - MUSEU DE ARTE MODERNA / 1976; TEIXEIRA LEITE, pág. 18; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 349; JÚLIO LOUZADA, vol. 10, pág. 40; ITAÚ CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 252; Acervo FIEO.

400 - DOMENICO CALABRONE - (1928 - 1999)
LL Composição - e em b Ex. 12 - h = 17 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 115 deste catálogo.

401 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Velho - osm - 47 x 38 - n/as.
Com etiqueta da Christie's n° 692/1, no dorso. -

402 - ORLANDO BRITO - (1920 - 1981)
LL Paisagem - ose - 78 x 48 - cid
Nascido e falecido na cidade do Rio de Janeiro, foi pintor e desenhista. Ocupou durante vários anos, a cadeira de Desenho e Pintura do Instituto de Belas Artes, além de ser membro do juri do SNBA, ambos no Rio de Janeiro. Realizou individuais em diversas Galerias de Arte do Rio de Janeiroe participou também de várias exposições pelo interior do Brasil. Expôs no SNBA-RJ, nos anos de 1954, 1962, 1965 (obtendo neste o Grande Prêmio IV Centenário da cidade), e 1967. JULIO LOUZADA vol.11, pág.44; ITAÚ CULTURAL.

403 - MACIEJ ANTONI BABINSKI - (1931)
LL Figura surreal - grav. P.A. - 17 x 12 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 143 deste catálogo.

404 - PIETRINA CHECCACCI - (1941)
LL " Carne e corda " - v s/t - 70 x 70 - cie e d - 1982 - Rio
Nasceu em Taranto, Itália. Pintora e desenhista. Vindo para o Brasil em 1954, fixou-se no Rio de Janeiro. Formou-se no curso de pintura da antiga ENBA em 1964. Apresentando seus trabalhos desde 1961, participou, entre outras mostras coletivas, dos XII, XIII, XIV, XV, XVII, XVIII SNAM (entre 1963 e 1969), Exposição Geral de Belas Artes do IV Centenário (GB, 1965), Prêmio Homenagem a Dante (Piccola Galeria, GB, 1965) I e II SEAJ (1965 e 1968), I Salão de Abril (Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, 1966), XXIV Spar. BA (1967 / segundo prêmio de pintura) e XXII e XXIII SMBABH (1967 e 1968). Expôs individualmente no Instituto de Belas Artes (GB, 1961), nas galerias Varanda (GB, 1966), Grupiara (Belo Horizonte, 1966), Celina (Juiz de Fora, 1966), Concivivium (Salvador, 1967), da Cultura Francesa (Porto Alegre, 1968) e Atelier de Arte (Belo Horizonte, 1969), bem como na Petite Galerie (GB, 1968), apresentando nesta última seus estandartes. PONTUAL, pág. 133; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 203; MEC, vol. 1, pág. 435; WALTER ZANINI, pág. 740; ITAÚ CULTURAL. Acervo FIEO.

405 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Batalha - ost - 25 x 30 - cid e d - 2009
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

406 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
Soumack, ponto de nó, feito a mão, de lã, medindo 3,20 x 1,87 m = 5,98 m². -

407 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Feira - ose - 19 x 21 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

408 - ZIRALDO ALVES PINTO - (1932)
LL Cangurus - dn - 22 x 30 - cid
Desenhista, caricaturista, cartunista, ilustrador, jornalista e escritor. Apresenta seu primeiro desenho aos 7 anos de idade no jornal Folha de Minas, em 1939. Em 1949, muda-se para o Rio de Janeiro, onde colabora nos periódicos infantis Vida Infantil, Vida Juvenil e Sesinho e começa a publicar trabalhos na revista A Cigarra. Em 1952 ingressa na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG e realiza trabalhos mensais na revista Era uma Vez. Em 1954, substitui o caricaturista Borjalo (1925 - 2004) no jornal Folha de Minas e colabora no jornal Binômio. Em 1957, muda-se para o Rio de Janeiro e, no ano seguinte, começa a trabalhar na revista O Cruzeiro, onde, dois anos depois, cria o personagem Pererê. Com o sucesso desse personagem, a empresa O Cruzeiro passa a publicar uma revista mensal apenas com suas histórias. No ano de 1963, começa a trabalhar no Jornal do Brasil e, em 1964, na revista Pif-Paf, dirigida por Millôr Fernandes (1923). Em 1967, edita o suplemento dominical Cartum JS, do Jornal dos Sports. No ano seguinte, ganha destaque internacional, e tem seus desenhos publicados em revistas estrangeiras. Integra a equipe de fundadores do jornal O Pasquim, lançado em 1969. Desde então, dedica-se à publicação de livros infantis e, entre muitos títulos, destacam-se Flicts (1969), O Menino Maluquinho (1980) e O Bichinho da Maçã (1982). Em 1982 abandona a direção d'O Pasquim para dedicar-se principalmente à literatura infantil. Em 1999, funda as revistas Bundas - paródia da revista Caras - e Palavra. Em 2002, começa a publicar um novo periódico chamado O Pasquim 21. ITAÚ CULTURAL.

409 - MICHEL DE GALLARD - (1921 - 2007)
LL Casario - ost - 60 x 73 - cid - 1956
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 211 deste catálogo.

410 - MANUEL GRACIANO - (1926)
LL Cachorro - e em mad. - h = 37 - as.
Manoel Graciano Cardoso, escultor, é natural de Santana do Cariri/CE. Participou de vários Salões e exposições: em 1996, 2003 e 2005 - Porto Alegre, RS; em 2001 - São Paulo, SP; Rio de Janeiro, RJ; em 2002 - São Paulo, SP. ITAU CULTURAL.

411 - DARCY PENTEADO - (1926 - 1987)
LL "Estudo sobre a tela Alameda das Hortências" - a - 26 x 22 - cie - 1986
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 036 deste catálogo.

412 - BENIAMINO PARLAGRECO - (1856 - 1902)
LL O pequeno fumante - p - 49 x 43 - cid
Pintor e desenhista italiano, tendo realizado sua formação artística em Nápoles, veio fixar-se no Rio de Janeiro em 1895, onde morreria de febre amarela. Já em 1898 conquistava a medalha de outro no Salão Nacional de Belas Artes. Encontram-se obras suas no Museu Nacional de Belas Artes e na Pinacoteca do Estado de São Paulo.Obras de sua autoria são raríssimas e grandemente disputadas. LAUDELINO FREIRE, pág. 517; THEODORO BRAGA, pág. 183; WALMIR AYALA, vol.2, pág.57; PONTUAL, págs. 386 e 406; ARTE NO BRASIL.

413 - FRANCISCO REBOLO GONSALES - (1903 - 1980)
LL Floresta com animais - xilo. a - 19 x 30 - cid
Ex-coleção Marcelo Grassmann - São Paulo. -Ver nota sobre o autor na descrição do lote 289 deste catálogo.

414 - IVALD GRANATO - (1949)
LL " Woman in chair " - ast - 60 x 40 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 218 deste catálogo.

415 - RENZO GORI - (1911 - 1999)
LL " Casario da Bahia " - ost - 61 x 50 - cie e d - 1977
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 040 deste catálogo.

416 - LULA CARDOSO AYRES - (1910 - 1987)
LL Estudo para " Ema, Folharal e Jaguará " - g - 33 x 24 - cid
Estudo original da serigrafia reproduzida na pág. 165 do livro: " Lula Cardoso Ayres - Revisão Crítica e Atualidades ". -Natural do Recife, PE, foi pintor e desenhista, tendo se iniciado artisticamente sob a orientação de Henrich Moser, naquela mesma cidade. Estudou no Rio de Janeiro com Carlos Chambelland e na antiga ENBA até 1930, onde foi aluno de Rodolfo Amoedo. Foi contemporâneo nessa escola de Portinari, Teruz, Oswaldo Teixeira, Joaquim da Rocha Ferreira e Orózio Belém. A partir de 1933, já de volta à sua terra natal, dedica-se totalmente aos temas regionais. JULIO LOUZADA vol. 1, pág. 31; TEIXEIRA LEITE, pág. 293; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 879; Acervo FIEO.

417 - JOÃO BAPTISTA DE PAULA FONSECA JR - (1917 - XX)
LL Paisagem do Rio de Janeiro - ost - 46 x 55 - cid e d - 1957
Pintor e desenhista nascido no Rio de Janeiro, filho do pintor João Baptista de Paula Fonsêca que foi o seu maior incentivador. Cursou a antiga Escola Nacional de Belas Artes (1950 a 1955) onde mais tarde se tornou professor. Apresentou-se várias vezes no Salão Nacional de Belas Artes, RJ, obtendo Prêmio de Viagem ao Exterior (1988) e no Salão Paulista de Belas Artes – SP (1939, 1949) também premiado em 1939. JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 389; VOL. 6, PÁG. 405; ITAÚ CULTURAL.

418 - RODRIGO DE HARO - (1939)
LL Casal - dn - 31 x 21 - cie - 1967
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 296 deste catálogo.

419 - ROBERTO PARAGÓ - (1941 - 1996)
LL " Barcos " - ost - 40 x 65 - cie e d
Pintor ativo no Rio de Janeiro, foi discípulo de Aluísio Valle e Jair Picado. Participou do SNBA em 1968, e do Salão da Sociedade dos Artistas Nacionais no mesmo ano. Expôs individualmente em São Paulo, na Galeria Tableau, desfrutando de excelente acolhida de crítica e público. MEC, vol. 3, pág. 333; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 237; ITAÚ CULTURAL.

420 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL Trabalhadores - ost - 100 x 66 - cid e d - 1969
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 045 deste catálogo.

421 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Cangaceiro - dn e a - 43 x 33 - cid - 1979
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 070 deste catálogo.

422 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Marinha - ost - 50 x 70 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 299 deste catálogo.

423 - FRANCISCO STOCKINGER - (1919 - 2009)
LL Guerreiro - m em b 1/25 - h = 34 - b
Natural de Traum, Áustria, Xico Stockinger, como é conhecido, foi aluno de Bruno Giorgi e desde 1954, radicado em Porto Alegre, á um escultor da figura humana e do animal. Também é excelente desenhista e gravador. Começou a expor na década de 40, no Rio de Janeiro, recebendo premiações. Desempenhou importante papel no desenvolvimento das artes plástica gaúcha. Tem seu nome firmado no cenário nacional e internacional, como escultor expressivo e original. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.311; PONTUAL, pág.506; MEC., vol.4, pág.342/3.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 868; LEONOR AMARANTE, pág. 136.

424 - BAJADO - (1912 - 1996)
LL " É carnaval " - tm - 42 x 76 - cie - 7.2.1977 - Olinda
Natural de Maraial-PE, onde nasceu a 9 de dezembro de 1912, falecendo na cidade de Olinda, no dia 15 de Novembro de 1996. Viveu e foi ativo nas cidades de Recife e Olinda, onde era Cartazista e Pintor de Alegorias para Carnavais. Expôs individualmente em 1990 e 1992. Coletivamente expôs em São Paulo (mostra Tradição e Ruptura), Rio de Janeiro e Paris. Postumamente foram realizadas outras mostras de sua obra. "A matéria-prima de Bajado é o povo de Olinda, com seus costumes, sofrimentos e alegrias; ele os interpreta com bom-humor, em meio a uma atmosfera carnavalesca a que nem sequer faltam, por vezes, a nota fescenina, mulheres de maiô e as sereias praianas, de anatomia desengonçada e tão pouca sensualidade a olhos não-sertanejos. E quando pinta para açougues, neles figura touros enormes, ´bichos que se desgastaram no caminho desde as grutas de Lascaux e Altamira até o sujo matadouro de Peixinhos, e que são mais parentes que propriamente consumo desta população pobre´. " José Roberto Teixeira Leite, na obra abaixo. TEIXEIRA LEITE, pág.51; JULIO LOUZADA, vol.2, pág.96.

425 - GUERINO GROSSO - (1907 - 1988)
LL Natureza morta - ost - 38 x 55 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 050 deste catálogo.

426 - CYMBELINO RAMOS DE FREITAS - (1887 - 1970)
LL " Serra Negra " - a - 34 x 25 - cie
Natural de São Paulo/SP, foi aquarelista, desenhista e professor. Artista com apresentações destacadas nos salões de pintura acadêmica, sobretudo nas décadas de 30 e 40, no Rio de Janeiro, São Paulo e no exterior. Participou do SNBA - RJ em 1939, 1941 e 1954; do SPBA em 1947, conquistando diversas premiações. Foi presidente da APBA durante vários anos. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 398; Acervo FIEO; ITAU CULTURAL

427 - ELZA DE OLIVEIRA SOUZA - (1928 - 2006)
LL Conversando - ose - 50 x 60 - cie - 1963
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 052 deste catálogo.

428 - DIONISIO DEL SANTO - (1925 - 1999)
LL Figuras - g - 20 x 26 - cid
Pintor, desenhista, gravador e serigrafista, nasceu em Colatina-ES, e faleceu em Vitória, naquele mesmo Estado. Autodidata. Em 1975, recebe o Prêmio de Melhor Exposição de Gravura do Ano, da APCA. Participou da 9ª Bienal Internacional de São Paulo, 1967 (Prêmio Itamarati Aquisição) e do Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1968 (Prêmio Isenção do Júri). JULIO LOUZADA vol.11, pág. 88; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 934.

429 - AGOSTINHO BATISTA DE FREITAS - (1927 - 1997)
LL Paisagem de São Paulo - ost - 50 x 70 - cid - 1980
Começou a pintar no início da década de 1950 (e ele próprio relatou que vendia seus trabalhos na Praça do Correio da capital paulista) sendo logo descoberto por Pietro Maria Bardi que organizou uma exposição de seus trabalhos no Museu de Arte de São Paulo, em 1952, mais tarde apresentados também, no Museu de Arte Moderna de São Paulo e da Bahia e no Museu de Arte Contemporânea de Campinas. Participou da XXXIII Bienal de Veneza (1966). MEC, vol. 2, pág. 210; PONTUAL, pág. 225; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 323; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 208; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 214; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 832; Acervo FIEO.

430 - SYLVIO PINTO - (1918 - 1997)
LL Marinha - ost - 60 x 81 - cid
Com certificado do Projeto Sylvio Pinto, firmado por Ubirajara Pinto Carreras. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 180 deste catálogo.

431 - JUAREZ MACHADO - (1941)
LL Escuridão - dn - 27 x 27 - cid - 1970
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 181 deste catálogo.

432 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Três desenhos - dl - cid
1) Paisagem Antropofágica, medindo 8 x 16 cm; 2) Paisagem Antropofágica, medindo 10 x 12 cm; 3) Paisagem Antropofágica, medindo 7 x 16 cm. Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 057 deste catálogo.

433 - ENRICO BIANCO - (1918)
LL Nu - ose - 45 x 30 - cie e d - 1980
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 055 deste catálogo.

434 - HENRIQUE ALVIM CORREA - (1876 - 1910)
LL Cena histórica - osc - 27 x 40 - cie
Trata-se simplesmente de um dos mais extraordinários desenhistas brasileiros do século passado. Rico, inteligente, culto e rebelde, instalou-se em Paris na adolecência, começando sua vida artística pintando academicas cenas de batalha, que logo abandona. Ingressa numa fase feminista que mais tarde se torna erótica, e depois pornográfica, utilizando a própria mulher como modelo. Ilustrou o livro "Guerra dos Mundos", de H. G. Well. Tornou-se precursor mundial do desenho de ficção científica, do design do séc. XXI, em plena virada do séc. XIX. JULIO LOUZADA, vol. 4 pág. 279/ 280; WALTER ZANINI, pág. 446; ARTE NO BRASIL, pág. 593.

435 - RODOLPHO AMOÊDO - (1857 - 1941)
LL Cigana - ostcm - 42 x 33 - cse - 1891
Com etiqueta da Galeria Montmartre Jorge, no dorso. -Natural da cidade de Salvador, o artista chegou ao Rio de Janeiro no ano de 1868, ingressando, cinco anos depois, no Liceu de Artes e Ofícios e, em 1874, na Academia Imperial de Belas Artes, onde teria Vitor Meirelles, Agostinho da Mota e João Zeferino da Costa como mestres. Na Escola de Belas Artes de Paris, já estudante bolsista da Academia, aperfeiçoou-se com Cabanel e Puvis de Chavanes. De volta ao Rio de Janeiro, onde viria a falecer, destacou-se no exercício do magistério, como professor honorário e, posteriormente, como diretor da antiga Escola Nacional de Belas Artes. Dono de grande preciosismo técnico, Amoedo aborda com despojamento os mais delicados matizes nos seus temas, geralmente a figura humana. O MNBA possui em seu acervo mais de 300 obras do artista TEIXEIRA LEITE, 26/29; PONTUAL, pág. 24; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 411; ARTE NO BRASIL, pág. 566.; JULIO LOUZADA, VOL. 1 PÁGS. 58/59/60; F. ACQUARONE, pág. 101.

436 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Jangadeiros - dn - 29 x 21 - cid
Reproduzido na pág. 213 no livro " Carybé - as sete portas da Bahia ", livraria Martins Editora - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 061 deste catálogo.

437 - FERNANDO IKOMA - (1934)
LL Pescadores - ost - 50 x 70 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 187 deste catálogo.

438 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL Construtivo - lito. 51/100 - 60 x 70 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 063 deste catálogo.

439 - APARECIDA AZEDO - (1929 - 2006)
LL " Últimas charretes e lampiões em São Paulo " - ast - 23 x 28 - cid e d - 2004
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 065 deste catálogo.

440 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Flores - osp - 36 x 25 - cse - 1969
Com dedicatória datada de 21.12.69, no dorso. - Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 172 deste catálogo.

441 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Nu - p - 43 x 50 - cie - 1979
No estado. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

442 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Nu - e em c - h = 6 - n/as.

443 - EDGARD OEHLMEYER - (1909 - 1967)
LL Fachada - dn - 21 x 15 - cid - 1963 - Salvador
Nasceu em Rio Claro, no dia 31 de maio e falecido em 4 de outubro de 1967. Nessa cidade cursou na Escola Profissional a seção de pintura com o prof. Carlos Hadler. Discípulo de Rocco, foi destacado paisagista e pintor de naturezas-mortas, tendo obtido diversas premiações nos SNBA e SPBA. TEODORO BRAGA, pág. 175; MEC. Vol.3, pág. 291; MAYER/1984, pag. 1070; TEIXEIRA LEITE, pág. 362; PONTUAL, pág. 389; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

444 - GEORGES WAMBACH - (1901 - 1965)
LL " Olinda " - a - 19 x 27 - cie - 1957
Belga de nascimento, veio a falecer no Rio de Janeiro. Excepcional aquarelista, que retratou o Brasil em suas inúmeras incursões. "Georges Wambach (1901-1965) talvez tenha sido um dos últimos exemplares de uma espécie em extinção, ou já extinta, quem sabe: a dos artistas viajantes de que o século XIX foi pródigo. Artistas com cavalete, paleta, tintas e pincéis na mochila, que vararam o mundo em busca do fantástico, do erótico, e, sobretudo, do excitante desconhecido, aventura que até custou a vida de alguns como Adrien Taunay, que viu a morte aos 25 anos em pleno Mato Grosso." Fernando Cerqueira Lemos, in AQUARELAS de Georges Wambach: impressões do Brasil. Ed. Marca d´Água-SP, 1988. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 343; TEIXEIRA LEITE, pág. 540; ITAÚ CULTURAL.

445 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato amarelo - ast - 46 x 55 - cie e d - 2000
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 070 deste catálogo.

446 - PASSADEIRA -
LL -
Caucasiano, ponto de nó, feito a mão, de lã, medindo 3,20 m x 0,78 m = 2,49 m². -

447 - MARIO BETTINELLI - (1880 - 1953)
LL Mulher - ost - 63 x 50 - cid
Pintor e caricaturista, natural de Treviglio, Itália. Assinava M. Bettinelli. Estudou na Scuola d’Arte de Bréscia, Itália. Trabalhou alguns anos pela América do Sul, inclusive no Brasil, onde comercializou muitas de suas telas. Exposições coletivas na Itália: Bréscia; Milão (1906); Florença (1912). Exposição póstuma em Treviglio, Itália, em 2000.. Prêmios na Itália: Bréscia; Florença (1912). JULIO LOUZADA, vol.5, pág.116. www.askart.com.

448 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Medusa - tm - 48 x 66 - cid - 1970
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 314 deste catálogo.

449 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL Trem - ost - 46 x 55 - cie e d
Considerado por muitos críticos e colecionadores como o mais típico dos nossos pintores ingênuos, Silva foi o intérprete da cena rural de São Paulo, num estilo expontâneo em que assomam, por vezes, soluções plásticas inesperadas. MEC, vol. 4, pág. 256; PONTUAL, pág. 493 e 494; TEIXEIRA LEITE, pág. 478; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 958; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 958; BENEZIT, vol. 9, pág. 602; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 227; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 171; Acervo FIEO.

450 - WEGA NERY - (1912 - 2007)
LL " Amanhecer dos sonhos " - ost - 65 x 81 - cid e d - 1987
- Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 323 deste catálogo.

451 - ALCIDES SANTOS - (1945)
LL Animais - ose - 35 x 90 - cid - 1976
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 076 deste catálogo.

452 - MIGUEL DOS SANTOS - (1944)
LL " Mito solar " - ostcm - 55 x 40 - cid e d - 1981
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 077 deste catálogo.

453 - TSUGUHARU FOUJITA - (1886 - 1968)
LL Rosto - dl - 22 x 16 - cie
Pintor modernista japonês que se naturalizou francês e se converteu ao catolicismo. Viveu no Rio de Janeiro durante o ano de 1931 e o início de 1932, curto período durante o qual entrou em contato com artistas e poetas modernistas do período, expôs no Palace Hotel no Rio de Janeiro e, em São Paulo, no espaço expositivo à praça Ramos de Azevedo. Coletivas a partir de 1930 em São Paulo, Rio de Janeiro e Recife. ITAÚ CULTURAL.

454 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL " Anjo " - ost - 24 x 19 - cie e d - 1995
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 204 deste catálogo.

455 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
LL Flores - ost - 42 x 28 - cid
Com etiqueta do Escritório de Arte de Dudu Santos, no dorso - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 080 deste catálogo.

456 - UBI BAVA - (1905 - 1988)
LL Florista - ost - 65 x 54 - cid - 1946
Natural da cidade paulista de Santos. Faleceu em São Paulo. Arquiteto, professor e pintor. Foi aluno de Lucilio de Albuquerque e de Henrique Cavalleiro. Foi professor de desenho artístico da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, FAU/UFRJ. Entre as exposições de que participa, destacam-se: Salão Nacional de Belas Artes - Divisão Moderna, Rio de Janeiro, 1949; Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1951 e 1975; Salão Preto e Branco (3º Salão Nacional de Arte Moderna), Rio de Janeiro, 1954; Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP, São Paulo, 1976. Após sua morte, suas obras participam da seguintes exposições: Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal de São Paulo, 1994; Espelho da Bienal, no MAC/Niterói, 1998. Segundo TEIXEIRA LEITE "Ubi Bava pode ser considerado um precursor e um pioneiro de certo tipo de pintura que tem nos efeitos óticos e nos recursos cinéticos sua razão maior de ser. Introduzindo em suas superfícies espelhos, ao mesmo tempo introduz, no cerne mesmo de sua obra, a imagem refletida do espectador. Também fez uso de tubos de plástico e de movimentos mecanicamente produzidos, subordinando todos esses elementos a uma evidente vontade construtivista. Em certo momento de sua evolução, o que produzia tinha certo parentesco com o concretismo..." TEIXEIRA LEITE; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 5 pág. 98; WALTER ZANINI, pág. 676; LEONOR AMARANTE; ARTE NO BRASIL, pág. 933.

457 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Capa para Revista Fon fon - g - 38 x 28 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 082 deste catálogo.

458 - AGENOR SILVA - (1940)
LL " Conam, o Grande Guerreiro " - dn - 36 x 25 - cid - 1976
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 328 deste catálogo.

459 - BERNARDO CID - (1925 - 1982)
LL Composição - ost - 80 x 60 - cie e d - 1977
Autodidata, o artista foi natural da cidade de São Paulo, onde também veio a falecer. O crítico Mario Schenberg, em sua obra ´Pensando a arte´. Ed. Nova Stella-SP, 1988, assim comentou a obra do artista: "Nas fases figurativas anteriores a 1960, Bernardo Cid experimentou várias técnicas. De um modo geral, o grafismo desempenhou o papel mais importante nesse período, se bem que tenha empregado também uma técnica de esmaltes. A partir de 1960 iniciou sua fase abstrata informal, que se prolongou até o fim de 1964, quando voltou de novo ao figurativismo. A pintura informal de Cid apresenta um interesse considerável. Algumas obras desse período se aproximam do expressionismo abstrato, revelando um senso cósmico acentuado, adequadamente comunicado por uma linguagem pictórica rica de sensibilidade cromática. A visão cósmica de Cid tem uma dramaticidade contida mas forte. Ela reapareceu combinada com outros elementos em alguns dos seus quadros neo-realistas de 1965. A passagem pelo informalismo enriqueceu consideravelmente a pintura de Cid, combatendo uma predominância excessiva de grafismo, evidenciada nas fases precedentes. Aprimorou o seu senso espacial e deu-lhe musicalidade." MEC, vol.1, pág.437; PONTUAL, pág.73; Catálogo Da Exposição Panorama da Arte Atual Brasileira- Museu de Arte Moderna de São Paulo/1976; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 205/206; BENEZIT, vol.3, pág.31; TEIXEIRA LEITE, pág.74; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 737; ARTE NO BRASIL, pág. 910.

460 - ANITA MALFATTI - (1896 - 1964)
LL Flores - ostcm - 47 x 50 - cid
Com declaração de autenticidade no dorso: declaro que este quadro é de autoria de minha irmã Anita Malfatti. São Paulo, 7.2.1975. Georgina Malfatti. - Reproduzido no convite deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 01/02/2010. Proto-mártir do modernismo brasileiro, com sua mostra de 1917 em São Paulo, Anita Malfatti foi, no dizer de Dario da Silva Brito, o "estopim" da Semana de 1922. Recebeu prêmio de honra no Salão Paulista de 1934. Várias exposições coletivas e individuais como: Anita Malfatti no Museu de Arte Brasileira - FAAP. BENEZIT, vol. 7, pág. 118; TEODORO BRAGA, pag. 151/2; MEC, vol. 3, pág. 45; PONTUAL, pág. 332/3; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 33 e 35; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 478; ARTE NO BRASIL, pág. 652; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

461 - ARTUR BÁRRIO - (1945)
LL " Série africana " - osp - 24 x 32 - d - 1981
Nascido Artur Alípio Barrio de Souza Lopes, na cidade do Porto, Portugal, no dia 1 de fevereiro de 1945. Pintor e desenhista. Jovem ainda fixou-se no Rio de Janeiro. Frequentou a Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, recebendo orientação artística do prof. Onofre Penteado. Trabalha com materiais recicláveis (papel, plástico, etc). Em 1969 participou da seleção da representação para a VI Bienal dos Jovens em Paris, com Ivald Granato e Luis Pires. JULIO LOUZADA vol. 1 pág. 96; ITAU CULTURAL.

462 - SERGIO TELLES - (1936)
LL Cavalos - ost - 39 x 55 - cid - 1986
Reproduzido sob o n.° 306 do livro "Arte Brasileira: Cortes e Recortes - Quarta parte: 1952-1964" de autoria de Frederico Morais, edição Soraia Cals, Rio de Janeiro. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 087 deste catálogo.

463 - CILDO MEIRELES - (1948)
LL Rio de Janeiro - lito. P.I. 7/10 - 65 x 45 - cid - 1989
Natural da cidade do Rio de Janeiro. Freqüenta a Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, em 1967. É um dos fundadores da Unidade Experimental do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, em 1969, na qual leciona entre 1969 e 1970. Seu trabalho se caracteriza pela diversidade de técnicas e suportes empregados - pintura, desenho, escultura, ambiente, happening, instalação, performance, fotografia, conjugando-os em múltiplas linguagens que discorrem sobre questões sociais e políticas JULIO LOUZADA vol. 11 pág . 207, ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 785; LEONOR AMARANTE, pág. 205.

464 - GUSTAVO ROSA - (1946)
LL Balão - ost - 42 x 30 - cid e d - 2006
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 236 deste catálogo.

465 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Cavaleiros árabes - ost - 50 x 100 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 090 deste catálogo.

466 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
Soumack, ponto de nó, feito a mão, de lã, medindo 3,45 x 1,86 m = 6,41 m². -

467 - HEITOR DOS PRAZERES - (1898 - 1966)
LL " Dança do jongo " - ost - 50 x 60 - cid - 1963 - Rio
Com autenticação da família do artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 092 deste catálogo.

468 - NELSON LERNER - (1932)
LL Tabuleiro de xadrez - - 22 x 22 - as.
Tabuleiro de xadrez em madeira e alumínio, assinado Designer Nelson Lerner. -Paulista da Capital, o autor descende de uma família de artistas. Foi aluno de Joan Ponç e Samson Flexor. Participa de coletivas a partir de 1958, inclusive com premiações nas bienais de Tóquio e São Paulo. Sua trajetória artística merece ser melhor conhecida pelos admiradores de sua obra. TEIXEIRA LEITE, pág. 283; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 893; LEONOR AMARANTE, pág. 154.

469 - JOÃO BAPTISTA CASTAGNETO - (1862 - 1900)
LL Paisagem - dn - 17 x 25 - cie - 1898
Com etiqueta da Casa Vieitas - Carlos Vieira - Rio de Janeiro. - Pintor especializado em marinhas, foi aluno de Georg Grimm, exímio colorista, fez impressionismo institivamente; pintou em geral pequenos quadros a óleo, usando como suporte até tampas de caixas de charuto; fez também aquarelas e desenhos. MEC vol.1, pág. 368; PONTUAL, págs. 117/118; TEIXEIRA LEITE, pág. 112; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 416; LEONOR AMARANTE, pág. 42.

470 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL " A Grande Cidade " - ost - 46 x 38 - cid - 1964
Com certificado de autenticidade firmado por Roberto Galvão - Fortaleza/CE. -Reproduzido no convite, na capa do catálogo deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 01/02/2010 - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 099 deste catálogo.

471 - NEWTON MESQUITA - (1948)
LL Composição - tm - 55 x 77 - cs
Pintor e gravador paulistano, Newton Mesquita é inquieto; provoca a sua arte com novos experimentos e técnicas. Desenhista de mão cheia, solta o traço com habilidade, recriando imagens, cores e texturas. JULIO LOUZADA, vol. 9, pág. 578; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

472 - FONTANA - (1945)
LL " Composição " - ost - 50 x 70 - d - 2005
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 222 deste catálogo.

473 - LUCILIO DE ALBUQUERQUE - (1877 - 1939)
LL Ladeira - ostce - 58 x 46 - cie
Natural de Barras, PI, Lucílio de Albuquerque frequentou a ENBA no Rio de Janeiro, onde foi aluno de Zeferino da Costa, Rodolfo Amoedo e Henrique Bernardelli. Expõe pela primeira vez em 1902, recebendo menção e premiações neste e nos demais certames de que participou (1904, 1907 e 1912). Profesor, foi iniciador de Portinari. Artista de vários gêneros, destacou-se como paisagista e pintor de figuras. Foi casado com a artista Georgina de Albuquerque. JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 196; TEIXEIRA LEITE, pág. 16; PONTUAL, pág. 10; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.455; ARTE NO BRASIL, pág. 564, Acervo FIEO.

474 - ALEX VALLAURI - (1949 - 1987)
LL Figuras - dn e a - 45 x 31 - cie - 1969 - Bahia
Natural de Asmara, Etiópia, faleceu em São Paulo-SP. Grafiteiro, artista gráfico, pintor, desenhista, cenógrafo e gravador. Chegou ao Brasil com a família em 1965. Era residente e ativo na capital paulista. Iniciou-se em xilogravura, retratando personagens do porto de Santos. No começo da década de 1970, formou-se em comunicação visual pela FAAP-SP. Especializou-se em litografia no Litho Art Center de Estocolomo, em 1975. Retornou ao Brasil em 1978, realizando grafites em espaços públicos de São Paulo. Produzia silhuetas de figuras, com tinta spray sobre moldes de papelão. Residiu em Nova York entre 1982 e 1983, onde cursou artes gráficas no Pratt Institute. Nesse período, fez grafites nos muros da cidade. Além de usar o muro como suporte, seus trabalhos estampam camisetas, broches e adesivos. Voltou ao Brasil e começa a lecionar na Faap. Em sua produção destaca-se a série A Rainha do Frango Assado, que é também tema de instalação apresentada na 18ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1985. Retrospectiva Viva Vallauri, realizada no Museu da Imagem e do Som - MIS, em São Paulo, em 1998. JULIO LOUZADA, vol 3 pag 1170; ITAUCULTURAL.

475 - PEDRO AMÉRICO DE FIGUEIREDO E MELLO - (1843 - 1905)
LL Dançarina - dn e l - 100 x 70 - cie - 1898
Natural de Areia, PB 1843, residiu e foi ativo no Rio de Janeiro e na Europa, onde veio a falecer na cidade de Florença, Itália.. Pintor, desenhista, professor, caricaturista, escritor. Frequentou a Academia Imperial de Belas Artes-RJ. Entre 1859 e 1864, com bolsa concedida pelo imperador Dom Pedro II (1825-1891), estuda na École National Superiéure des Beaux-Arts de Paris, onde é aluno de Ingres, Léon Cogniet, Hippolyte Flandrin e Carle-Horace Vernet; Em 1865 fixa-se em Bruxelas, Bélgica, e titula-se doutor em ciências naturais pela Université de Bruxelas em 1868. Alterna estadas no Rio de Janeiro e em Florença, mas continua como professor de estética, história da arte e arqueologia na Aiba. Nos anos de 1870 e 1871, é responsável pela revista de caricatura A Comédia Social. Entre 1886 e 1888, pinta a tela Independência ou Morte para o Salão de Honra do Museu do Ipiranga, atualmente Museu Paulista da Universidade de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág.11; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 391. MEC, PONTUAL pág. 411; ARTE NO BRASIL, pág. 514; F. ACQUARONE, pág. 67.

476 - YOSHIYA TAKAOKA - (1909 - 1978)
LL Cavalos - dn e ag - 38 x 53 - cid - 1973
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 109 deste catálogo.

477 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Pássaros - ost - 100 x 100 - cid e d - 2007
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

478 - THEODORE GAEDE - (1895 - XX)
LL " Niterói " - ost - 28 x 41 - cie - 1959
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 346 deste catálogo.

479 - ANTONIO DE PÁDUA DUTRA - (1906 - 1939)
LL " Desconfiada " - ost - 80 x 64 - cid e d - 1939
Com carimbo do Salão Paulista de Belas Artes de 1939, no dorso. -Integrante da famosa família de artistas Dutra, o autor também nasceu em Piracicaba-SP. Faleceu em Nápoles, Itália. Era bisneto do pintor Miguelzinho Dutra, filho do pintor, escultor e musicista Joaquim Miguel Dutra e irmão dos artistas João, Alípio e Archimedes Dutra. Em 1926 e 1928 participou da Exposição Geral de Belas Artes recebendo, respectivamente, menção honrosa e medalha de bronze. Desenha com seu irmão Archimedes Dutra a capa do manual de Campanha do Voluntário Constitucionalista em 1932. Em 1937, ganha o prêmio de viagem à Europa do Conselho de Orientação Artística de São Paulo e vai a Florença, Itália. Freqüenta a Real Academia de Florença até 1938, como aluno de Fellice Carena. TEODORO BRAGA, pág.84; REIS JUNIOR, pág.290; WALMIR AYALA, vol.1, pág.275; PONTUAL, pág. 186; MEC, vol.2, pág. 84; TEIXEIRA LEITE, pág. 171; ITAU CULTURAL. Acervo FIEO.

480 - JOSÉ FERRAZ DE ALMEIDA JR. - (1850 - 1899)
LL Menina - osm - 15 x 11 - cid
Com a seguinte inscrição no dorso: " Retrato de Maria H. Ybarra Barros, filha de Rita Ybarra, pintado pelo artista José Ferraz de Almeida Jr. Pietro Maria Bardi. " Com carimbo do Mirante das Artes - São Paulo, no dorso. -Nasceu em Itú, SP, 8/5/1850, e faleceu, assassinado em Piracicaba, em 13/11/1899. Foi aluno de Vitor Meirelles (pintura) e de Jules Le Chevrel (desenho), a Academia Imperial de Belas Artes, do Rio de Janeiro. Seu curso foi brilhante, tendo obtido 9 premiações. Foi pensionista do Império, aperfeiçoando-se na Europa. Pinta com singular maestria temas ligados ao homem do campo, retratos e paisagens rurais. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 49; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 418; ARTE NO BRASIL, pág. 566; F. ACQUARONE, pág. 89.

481 - ANATOL WLADISLAW - (1913 - 2004)
LL Composição - g - 31 x 23 - cid - 1949
Pintor e desenhista nascido em Varsóvia, Polonia; faleceu em São Paulo, aos 91 anos de idade. No Brasil desde 1930, fixou residência em São Paulo, naturalizando-se brasileiro. Dedicou-se à pintura e ao desenho a partir de 1946, participando da I à IX Bienal, recebendo diversas premiações. Formado em engenharia no Mackenzie, tornou-se um dos pioneiros da arte abstrata, participando ativamente do movimento Ruptura, ao lado de Valdemar Cordeiro, Lothar Charoux e Luiz Sacilotto. Figura no acervo do MAM-RJ e MNBA de Buenos Aires. JULIO LOUZADA, VOL, 4, pág, 1177. MEC, VOL, 4 pág, 512. TEIXEIRA LEITE, pág, 544. WALMIR AYALA, VOL 2. pág, 442; PONTUAL, pág. 553; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 921.

482 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Paisagem - ost - 65 x 81 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

483 - CARLOS OSWALD - (1882 - 1971)
LL " Jesus cai pela 3° vez '' - dn - 36 x 26 - cie
Reproduzido sob o n° 114 do livro "Carlos Oswald", do Museu Nacional de Belas Artes - Rio de Janeiro. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 039 deste catálogo.

484 - ORLANDO TERUZ - (1902 - 1984)
LL Nu - ost - 33 x 41 - cid
Natural do Rio de Janeiro, RJ, foi aluno de Rodolfo Chambelland e Batista da Costa na antiga ENBA. Participa do SNBA a partir de 1924, ganhando diversas premiações, inclusive o prêmio de viagem ao exterior. Diversos e importantes museus do mundo tem obras suas, inclusive o Hermitage de Moscou. TERUZ encanta pela sua apurada técnica e temas, seus personagens e suas cores. TEODORO BRAGA- pág. 226; PONTUAL- -págs. 520/1; WALMIR AYALA, vol. 2-págs. 379/81; MEC, vol. 4-pág. 383; TEIXEIRA LEITE, pág. 505; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 578, Acervo FIEO.

485 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Composição - a e g - 30 x 15 - cid
Com etiqueta de Collectio - São Paulo, no dorso. -Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo (Rio de Janeiro RJ 1897 - idem 1976). Pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Inicia sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, reside em São Paulo, onde freqüenta o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons (1865 - 1939). Convive com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Mário de Andrade (1893 - 1945), Guilherme de Almeida (1890 - 1969), entre outros. Em 1921, ilustra A Balada do Enforcado, de Oscar Wilde (1854 - 1900), e publica o álbum Fantoches da Meia-Noite, editado por Monteiro Lobato (1882 - 1948). É o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expõe 12 obras. Em 1923, faz sua primeira viagem à França, onde atua como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, freqüenta a Academia Ranson, instala ateliê e conhece obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso (1881 - 1973), Georges Braque (1882 - 1963), Fernand Léger (1881 - 1955), Henri Matisse (1869 - 1954), Jean Cocteau (1889 - 1963) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta a São Paulo em 1926, trabalha como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. A estada em Paris marca um novo direcionamento em sua obra. Em 1938 viaja a Paris, onde trabalha na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retorna ao Brasil em 1940, trabalha como ilustrador, e publica poemas e memórias de viagem. Em 1972, seu álbum 7 Xilogravuras de Emiliano Di Cavalcanti é editado pela Editora Chile. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.

486 - GERSON DE SOUZA - (1926 - 2008)
LL " Gente do circo " - ose - 25 x 20 - cie e d - 1994 - Rio
Reproduzido sob o n.° 371 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 059 deste catálogo.

487 - JOAQUIM TENREIRO - (1906 - 1992)
LL Gato - dch - 31 x 41 - cid
Reproduzido sob o nº 114 B em catálogo de Lordello e Gobbi - Escritório de Arte - São Paulo. - Português da cidade de Melo, Serra da Estrela, foi discípulo do Núcleo Bernardelli e de Quirino Campofiorito, no Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência definitiva no Brasil no ano de 1929. Fez o Curso de Desenho do Liceu Português, onde conquista o prêmio Joaquim Alves Meira, a maior láurea daquele estabelecimento. Tem pinturas suas figurando no MAM-SP, no MNBA e Museu Manchete-RJ. Mário Barata escreve a seu respeito: " Depois de uma fatura limpa, de acabamento preciso e claro, Tenreiro, mesmo prosseguindo com certo rigor estilistico, cedeu, ultimamente, 'a tentação das densidades de matéria e ao cromatismo baixo, 'as vezes terroso, cinza, que o informal bastante generalizou." É o renovador do mobiliário brasileiro, responsável por toda uma linha de criação em que a funcionalidade se alia o bom gosto e o aproveitamento racional dos materais do País. MEC, vol.4, págs.381 E 382; PONTUAL, pág.520,; TEIXEIRA LEITE, pág.504; WALMIR AYALA, vol.2, pág.376 e 377 ; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.320; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 580; ARTE NO BRASIL, pág. 763.

488 - SALVADOR SANTISTEBAN - (1919 - 1995)
LL Menino - osm - 27 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 113 deste catálogo.

489 - RAIMUNDO CELA - (1890 - 1954)
LL Trabalhador - dc e p - 46 x 32 - cid - 1944
Pintor, desenhista, gravador e professor, Raimundo Cela nasceu em 19/7/1890, na cidade cearense de Sobral, e faleceu em Niterói, RJ, no dia 6/6/1954. Sempre fiel a temática nordestina, suas telas retratam movimentadas cenas de pesca, jangadeiros, mares bravios e as luminosas praias de Fortaleza. JULIO LOUZADA, vol 13, pág. 80; MEC, vol. 1, pág. 395; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 837; F. ACQUARONE, pág. 215.

490 - MANUEL EUDÓCIO - (1931)
LL Boi - e em br - h = 63 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 067 deste catálogo.

491 - LORIS FOGGIATTO - (1913)
LL " Ibirapuera " - ose - 25 x 35 - cid - 1967
Natural de Curitiba, PR, onde nasceu em 1 de março, o pintor é ativo em São Paulo. Foi discípulo de Innocêncio Borghese e Aurélia Cavalcanti, na Associação Paulista de Belas Artes.Especializou-se em pintura com Durval Pereira, Colette Pujol e Valdemar da Costa.Pintor diversas vezes premiado, Loris conseguiu se impor como artista desde suas primeiras exibições, pois geralmente seus trabalhos estão classificados entre os melhores nas exposições em que figura. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 550, Acervo FIEO.

492 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Menina - ser. 410/500 - 15 x 18 - cid - 1985
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 070 deste catálogo.

493 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Peixe - g - 26 x 41 - cid
Com carimbo do Leilão do Espólio de Noemia Mourão, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 015 deste catálogo.

494 - DANIEL SENISE - (1955)
LL " C.D.M.D. " - grav. 26/50 - 24 x 20 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 334 deste catálogo.

495 - ROBERTO DE ALMEIDA - (1940)
LL Mulheres - ost - 100 x 81 - cid
Pernambucano do Recife, este artista foi aluno do curso regular da Escola de Belas Artes da Universidade de Munique, Alemanha. Em 1964 participa da fundação do Atelier e Galeria do Mercado da Ribeira, em Olinda, onde também lecionava História da arte. Exposições individuais e coletivas no Rio de Janeiro e coletivas em Salvador e Recife. JULIO LOUZADA, vol.1 pág. 51.

496 - DJANIRA DA MOTTA E SILVA - (1914 - 1979)
LL Pescadores - xilo. 17/50 - 30 x 38 - cid
Pintora, desenhista e gravadora, natural de Avaré, SP. Foi aluna de Marcier. A partir de 1942 participa do SNBA, recebendo premiação em 1943, 1944 e 1950. Realizou exposições individuais. Participou de diversas coletivas e salões de arte, nacionais e internacionais, com excelente recepção da crítica especializada. Diz-se que sua pintura é ingênua, mas ela declarava que ingênua, era ela mesma. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 336; PONTUAL, pág. 181; TEIXEIRA LEITE, pág. 164; MEC, vol. 2, pág 58; WALMIR AYALA, vol. 1, pág, 263; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 810; ARTE NO BRASIL, pág. 824; Acervo FIEO.

497 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Paisagem - a - 47 x 63 - cid - 1937 - E. Benhardt

498 - ÉZIO MONARI - (1935)
LL " Mercado em Tanger " - ost - 65 x 50 - cid e d
Pintor ativo em São Paulo. Participou do Salão Paulista de Belas Artes de 1961, recebendo menção honrosa. JULIO LOUZADA vol.7, pág.483; MEC vol.3, pág.169, Acervo FIEO.

499 - LORIS FOGGIATTO - (1913)
LL " Recanto " - osm - 25 x 35 - cie - 1972
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 491 deste catálogo.

500 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Família - grav. P.A. - 40 x 47 - cid - 1987
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.