Leilão de Dezembro de 2012

4 e 5 de Dezembro de 2012



001 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
Lance Livre

Peixe - litografia - P. I. - 44 x 59 cm - canto inferior direito - 1981.

Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.



002 - VALDIR EVANDRO SARUBBI - (1939)
Lance Livre

"Mistério Cadiry" - gravura - 94/100 - 34 x 24 cm - canto inferior direito - 1974.

Paraense de Bragança, onde nasceu a 10 de outubro de 1939. Pintor, desenhista, gravador e professor. Segundo o festejado crítico de arte Enock Sacramento "... Nos últimos vinte anos, a arte de Sarubbi remeteu-nos a labirintos que se transformaram em rios, rachaduras de muiraquitãs e tangas marajoaras, fez reaparecer aldeias ribeirinhas, reuniu fragmentos de mapas e troncos numa verdadeira sagração á natureza amazônica. Seus últimos trabalhos, todavia, são projeções elaboradas, apolíneas, de seu mundo interior." O artista também recebeu elogiosas críticas ao seu trabalho de Olivio Tavares de Araújo, Meiri Levin e Jacob Klintowitz. Individuais a partir de 1991 e coletivas desde 1990. Expõs no exterior 1992 e 1993. Recebeu diversas premiações. Suas obras estão acervos de diversos museus, tais como o do MAM-SP. JULIO LOUZADA, vol.8, págs. 756/757.



003 - ZIRALDO ALVES PINTO - (1932)
Lance Livre

Vendo TV - desenho a nanquim - - 28 x 40 cm - canto inferior direito - .

Desenhista, caricaturista, cartunista, ilustrador, jornalista e escritor. Apresenta seu primeiro desenho aos 7 anos de idade no jornal Folha de Minas, em 1939. Em 1949, muda-se para o Rio de Janeiro, onde colabora nos periódicos infantis Vida Infantil, Vida Juvenil e Sesinho e começa a publicar trabalhos na revista A Cigarra. Em 1952 ingressa na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG e realiza trabalhos mensais na revista Era uma Vez. Em 1954, substitui o caricaturista Borjalo (1925 - 2004) no jornal Folha de Minas e colabora no jornal Binômio. Em 1957, muda-se para o Rio de Janeiro e, no ano seguinte, começa a trabalhar na revista O Cruzeiro, onde, dois anos depois, cria o personagem Pererê. Com o sucesso desse personagem, a empresa O Cruzeiro passa a publicar uma revista mensal apenas com suas histórias. No ano de 1963, começa a trabalhar no Jornal do Brasil e, em 1964, na revista Pif-Paf, dirigida por Millôr Fernandes (1923). Em 1967, edita o suplemento dominical Cartum JS, do Jornal dos Sports. No ano seguinte, ganha destaque internacional, e tem seus desenhos publicados em revistas estrangeiras. Integra a equipe de fundadores do jornal O Pasquim, lançado em 1969. Desde então, dedica-se à publicação de livros infantis e, entre muitos títulos, destacam-se Flicts (1969), O Menino Maluquinho (1980) e O Bichinho da Maçã (1982). Em 1982 abandona a direção d'O Pasquim para dedicar-se principalmente à literatura infantil. Em 1999, funda as revistas Bundas - paródia da revista Caras - e Palavra. Em 2002, começa a publicar um novo periódico chamado O Pasquim 21. ITAÚ CULTURAL.



004 - WASHINGTON ABREU - (XX)
Lance Livre

Vaso de flores - óleo sobre tela - - 50 x 40 cm - canto inferior esquerdo - .

Pintor ativo em São Paulo, onde participou do 8º Salão Paulista de Belas Artes, em 1942, com menção em catálogo. TEODORO BRAGA, pág. 12; JULIO LOUZADA vol.1, pág.22; MEC vol.1, pág.150.



005 - VIRGÍLIO DELLA MONICA - (1889 - 1956)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre cartão - - 18 x 24 cm - canto inferior direito - .
No estado. -
Pintor ativo em São Paulo, onde participou do Salão Paulista de Belas Artes em 1940 e 1942. Pintou paisagens, naturezas mortas e figuras. THEODORO BRAGA; JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 302; ACERVO FIEO, pág. 280.



006 - SERGIO TELLES - (1936)
Lance Livre

Cena urbana - litografia - E. A. - 16 x 23 cm - canto inferior direito - .

Pintor, professor e diplomata, estudou pintura na ENBA/Rio; foi discípulo de Levino Fanzeres, Paul Gagarin, Rodolpho Chambelland e Paschoal Valente. Artista de renome internacional, consagrou-se pela sua requintada técnica de composição e domínio da cor. Com exposição retrospectiva programada para o Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro em 2009. TEIXEIRA LEITE, pág. 503; MEC, vol. 4, pág. 380; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 319; ITAÚ CULTURAL. Acervo FIEO.



007 - MARIA HELENA ANDRÉS - (1922)
Lance Livre

Imagens do Ceará - aquarela - - 41 x 28 cm - canto inferior direito - 1984.

Assina Maria H. Andrés. Maria Helena Andrés Ribeiro - pintora, desenhista, escritora e professora, natural de Belo Horizonte, MG. Estuda pintura, no Rio de Janeiro, com Carlos Chambelland, de 1940 a 1944; com Guignard e Edith Behring, de 1944 a 1947; com Theodorus Stamos, em Nova York, em 1961. Exposições individuais: Belo Horizonte (1947, 1953, 1969 a 1982, 1990, 1992, 2005); Rio de Janeiro (1954, 1965, 1969); Estados Unidos (1961, 1962, 1967); São Paulo (1962); Chile (1963); Paris (1967); Roma (1968); Brasília (1982); Madri (1987); Ouro Preto (1988). Principais coletivas: Bienais de São Paulo (1953, 1955, 1959, 1961, 1963, 1967, 1973, 1989). Prêmios: Rio de Janeiro (1943, 1948, 1951, 1953, 1958); Belo Horizonte (1959, 1960, 1962, 1974). PONTUAL, PÁG. 32; MEC, VOL.1, PÁG. 100; JULIO LOUZADA, VOL. 3, PÁG. 52; ITAU CULTURAL



008 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre tela - - 30 x 20 cm - canto inferior direito - .

Romeno da cidade de Hotin, Waidergorn veio para o Brasil em 1932, onde seus pais fixaram residência em São Paulo. Ingressou na APBA, onde conheceu Mecatti, que muito o estimulou e orientou, dele assimilando a luminosidade da pintura peninsular muito a gosto do ottocento italiano. Sua pintura aborda todos os gêneros, baseadas tanto nas recordações da infância pobre como nas lembranças das viagens que fez ao norte da Africa e Europa. Participou de diversos salões e coletivas, recebendo diversas premiações JULIO LOUZADA vol.11, pág. 330; Acervo FIEO.



009 - RAMON CÁCERES - (1944)
Lance Livre

Composição - óleo sobre tela - - 52 x 52 cm - dorso - .

Natural de Quilindy, Paraguai, fixou residência em São Paulo no ano de 1970, tornando-se discípulo da restauradora internacional Luciana Battioli, que o elogia pela técnica perfeita, sensibilidade aguda de exímio colorista. Tem como proposta estética o purismo da forma equilibrado notavelmente com um cromatismo muito particular e ritmado.Tem obras no MASP, no México e em coleções particulares no Brasil e no Paraguai. JULIO LOUZADA vol.2, pág. 191; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.



010 - ODETTO GUERSONI - (1924 - 2007)
Lance Livre

"Mandala" - xilogravura - H. C. - 48 x 31 cm - canto inferior direito - 1976.

Nasceu em Jaboticabal-SP, e faleceu na cidade de São Paulo, onde residia e era ativo. Gravador, pintor, desenhista, ilustrador e escultor. Estudou pintura e artes decorativas no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo - Laosp, entre 1941 e 1945. Nesse período, expôs no Sindicato dos Artistas Plásticos e freqüentava o círculo de artistas do Grupo Santa Helena. Em 1947, participa da exposição 19 Pintores, na Galeria Prestes Maia, e é contemplado com uma bolsa de estudo pelo governo francês, no mesmo ano viaja para Paris, onde inicia trabalhos em gravura. Em 1951 fundou a Oficina de Arte, em São Paulo. Estudou gravura com René Cottet, em Genebra e, em Paris, trabalhou no ateliê de Stanley Hayter. A partir de 1960, freqüenta, como estagiário, algumas escolas de arte nos Estados Unidos e no Japão como a The New York School of Printing e a Osaka University, respectivamente. Em 1971, também no Japão, freqüentou o ateliê de I. Jokuriti. Dois anos mais tarde, foi eleito melhor gravador do ano pela Associação Paulista de Críticos de Arte - APCA. Em 1983, participou, com sala especial, da Bienal Ibero-Americana de Montevidéu. Em 1994, a Pinacoteca do Estado de São Paulo realizou uma retrospectiva da obra do artista; , mostra que voltou a acontecer em 2007 sobre a sua obra gráfica, na Estação Pinacoteca-SP, no mesmo ano da morte do autor, que ainda a assistiu em vida. JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 452; MEC, vol,2, pág, 303; TEIXEIRA LEITE, pág,236; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 645; ARTE NO BRASIL, pág. 803; LEONOR AMARANTE, pág. 146, Acervo FIEO.



011 - LUIZ GERALDO DOLINO - (1945)
Lance Livre

"Relevo XIX" - técnica mista - - 100 x 80 cm - dorso - 1974-Brasilia-DF.

Natural de Macaé, RJ. Iniciou estudos com Augusto Rodrigues (1961). Foi aluno de Ivan Serpa, no MAM-RJ (1965). A partir de 1975, inicia viagem, residindo em diversos países: México-1975, Bolívia-1977, Uruguay-1978, Argentina-1983 e Costa do Marfim-1984. Expõe coletivamente a partir de 1962 (entre elas: I Bienal Fluminense-1966, Salão Setembro, Brasilia,1974-primeiro prêmio); e individualmente a partir de 1963 (entre elas: Galeria Praxis, Buenos Aires-1979; Galeria Bonino-RJ, 1985). O festejado crítico Frederico Morais, assim apresenta a obra deste artista: "Começou figurativo, fixando a paisagem de sua cidade natal, evoluindo para o informalismo, até decidir-se pela linguagem, geométrica, certamente sob a influência dos ensinamentos de Ivan Serpa. Tendo chegado à abstração geométrica, nela permaneceu até hoje (1985) afirmando sua verdadeira vocação artística. " (in DOLINO: perfis, 20 obras do período 1977/1984. Maria Julieta Drummond de Andrade; Frederico Morais. Niterói, Universidade Federal Fluminense, s.d.). MEC, vol 2, pág. 60; ITAÚ CULTURAL.



012 - MOACIR ALVES - (1904 - 1982)
Lance Livre

Paisagem da Gávea - óleo sobre tela colada em madeira - - 20 x 26 cm - canto inferior direito - 1954.

Carioca de nascimento, diplomou-se em arquitetura na antiga Universidade do Brasil. Anos mais tarde tornou-se membro e ocupou o cargo de secretário da Sociedade Brasileira de Artes do Rio de Janeiro. Começou a participar de coletivas em 1930, sendo grande o número de premiações.Possui obras no antigo Palácio da Fazenda (RJ) e na sede na Light, em Toronto, Canadá. JULIO LOUZADA vol.9, pág. 38; ITAÚ CULTURAL.



013 - LUIZ FERNANDO BORGERTH - (1945)
Lance Livre

"Topless" - acrílico sobre tela colada em eucatex - - 26 x 34 cm - canto inferior direito e dorso - .

Pintor e desenhista nascido no Rio de Janeiro. Desde 1974 tem participado de inúmeras exposições e Salões oficiais, sendo premiado no Rio de Janeiro e em Teresópolis. Em Belo Horizonte participou de coletivas em 2000, 2005, 2007. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL. 7, PÁG. 94; www.catalogodasartes.com.br.



014 - MARINA CARAN - (1925 - 2008)
Lance Livre

Composição - litografia - 7/8 - 68 x 51 cm - canto inferior direito - 1959 - Bahia.

Gravadora, desenhista e pintora nascida na cidade paulista de Sorocaba. Figurando diversas vêzes no SPAM, nêle conquistou prêmios de aquisição entre 1954 e 1960. Participou também da II, III, VIII e IX Bienal de SP. Sua obra é contemporânea, de imaginação dramática. No dizer de Geraldo Ferraz, "Seus temas são colocados sob essa deformação prismática... Ela percorre toda a gama da efusão generosa - vai da solidariedade à identificação compulsiva..." Expôs individualmente a partir de 1951 (MASP). PONTUAL, pág. 106; TEIXEIRA LEITE, pág. 104; JULIO LOUZADA, vol. 5 pág. 199/200; LEONOR AMARANTE, pág. 194, Acervo FIEO.



015 - FIGUEIREDO SOBRAL - (1926)
Lance Livre

Composição - técnica mista - - 46 x 31 cm - lado direito - 1977-São Paulo-SP.

José Maria de FIGUEIREDO SOBRAL nasceu em Lisboa, Portugal. é pintor, desenhista, tapeceiro, gravador, escultor e cineasta. Expôs suas obras em coletivas periódicas em Portugal, em outros países europeus e nos EUA. No Brasil, sua obra teve excelente receptividade, encontrando espaço em galerias das capitais e no interior, sempre com sucesso de crítica e de público. Em 1987, o consultor de arte e professor universitário, Carlos Eduardo Ramiski, assim se pronunciou sobre a obra do autor: "... Em princípio posso afirmar que é extremamente raro nestes dias de especializações em todas as áreas do conhecimento humano, encontrar um artista completo, que tem o privilégio de poucos no domínio de inúmeras técnicas e linguagens diferenciadas. Sobral não se endeusa nem se mistifica por isso, quando poderia perfeitamente permanecer no rastro de um Salvador Dali, por exemplo ..." JULIO LOUZADA, vol. 3 pág. 1075.; ITAÚ CULTURAL.



016 - LUD DE NICOLELLIS - (1921)
Lance Livre

Vaso de flores - óleo sobre tela - - 80 x 63 cm - canto inferior direito - .

Italiano de Padula, Salerno, onde nasceu em 2/4/1921.Fez seus primeiros estudos em Nápoles. Até 1950 expôs em diversas cidade italianas, obtendo premiações. No Brasil, nesse mesmo ano, veio trabalhar como layoutman nas Industrias Matarazzo, onde permaneceu por 20 anos. Sua pintura escapa dos modismos transitórios das escolas e correntes artísticas, produzindo segundo seus próprios conceitos. Paisagista por excelência, é um apaixonado pela rica paisagem brasileira, com sua luxuriante flora, que retarta com maestria e sentimento. JULIO LOUZADA, vol. 4 págs. 801, 802.



017 - LECY BOMFIM - (1927)
Lance Livre

"Homem" - óleo sobre tela - - 27 x 22 cm - canto inferior direito e dorso - 1965.

Natural de Santos, SP, onde nasceu em 20 de maio de 1927. Iniciou seus estudos artísticos com o prof. José Roncolleto Lubra, em 1945. Em São Paulo, onde foi ativa até o ano de 2000, estudou com os profs. Joseph Trabulsi, Silvio Alves e Arlindo Castellane. Entre 1946 e 1978, expôs em Salões Oficiais no eixo Rio-São Paulo, recebendo muitas premiações, inclusive em Salões Internacionais de que participou de 1979 a 1987. Participou da Bienal Internacional de São Paulo em 1976. Expõe em coletivas e individuais a partir de 1974, entre elas 12, 13 e 14a. Exposição de Artistas Contemporâneos da Sociearte (1993-1994-1995), Galeria Clube Atlético Paulistano-SP (1979), entre outras. Suas obras constam de acervos particulares e de museus, tais como o de Santiago, no Chile, PINACOTECA-SP, Municipal de Taubaté-SP, etc. JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 138.



018 - MANEZINHO ARAUJO - (1910 - 1993)
Lance Livre

Candomblé - serigrafia - 300/300 - 34 x 50 cm - canto inferior direito - .

Com apenas dezesseis anos de idade mudou-se para Recife, a fim de concluir seus estudos. Após cursar a escola de comércio de Pernambuco, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde foi buscar fama através da música, sua primeira paixão. Destacou-se como compositor e intérprete de música popular nordestina, o que lhe valeu a possibilidade de montar um restaurante de comida nordestina em SP, muito famoso durante vários anos, o Cabeça Chata. Apesar de viver, em SP, suas raízes ainda permanecem em Pernambuco. De uma forma autodidata começou a dedicar-se à pintura, retratando o folclore nordestino, sua gente, suas vidas, fase que sustentou até o seu desaparecimento, com uma menção surrealista. Expôs individualmente nas Galerias Astreia e Capela (SP), e na Ranulfo em Recife (1969). Em 1968, apresentado por Aldemir Martins, teve publicado o álbum de serigrafias Meu Brasil. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 56; MEC, vol. 1, pág. 109; PONTUAL, pág. 38; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 18; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 832; Acervo FIEO.



019 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
Lance Livre

"Os armadores do metrô" - desenho a nanquim - - 17 x 14 cm - canto superior esquerdo - 1976.

Estudou desenho na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro com Modesto Brocos, formando-se em arquitetura em 1932, nessa mesma escola. A partir de 1935, dedicou-se à pintura mural e, de 1937, à pintura de temas sociais, com predominância de motivos de operários em construção e trabalhadores rurais. Caracteriza-se por uma grande versatilidade técnica, sendo dos raros pintores brasileiros a utilizar, lado a lado, o óleo, a têmpera e a encáustica, além da aquarela e do guache. Participou do Núcleo Bernardelli. PONTUAL, pág. 489; MEC, vol. 4, pág. 243; TEIXEIRA LEITE, pág. 475 e 476; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 324 a 327; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763, Acervo FIEO.



020 - JOSÉ SABÓIA - (1949)
Lance Livre

Trabalhador - óleo sobre tela - - 30 x 30 cm - canto inferior direito - .

Nascido em Almadina (BA). Indo para o Rio de Janeiro em 1967, começou a pintar no ano seguinte, passando a expor seus trabalhos na Feira Hippie de Ipanema. Sua primeira individual deu-se em Fortaleza em 1970; a partir de então, tem exposto com freqüência no Rio de Janeiro e em São Paulo. A pintura de Sabóia partiu de uma raiz eminentemente popular, tendo atingido depois um rebuscamento que se traduz no caprichoso desenho de linhas recurvas, na pincelada lisa, impessoal, no colorido reduzido a três ou quatro tons básicos e na composição, dotada daquele inconfundível horror vacui dos ingênuos. JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 278; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 228; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.



021 - JOÃO CAMARA - (1944)
Lance Livre

Composição - litografia - 251/300 - 32 x 26 cm - canto inferior direito - .

Importantíssimo artista nacional, natural de João Pessoa, PB, e radicado em Olinda, PE. Pintor, desenhista e gravador, João Câmara conquistou os primeiros prêmios de pintura e de gravura nos SPMEP de 1962 E 1964. Neste último ano fundou, em companhia de artistas locais, o Atelier Coletivo de Ribeira, em Olinda. Exerceu o magistério entre 1967 e 1969, lecionando pintura no Setor de Arte da Universidade Federal da Paraíba. Suas obras, tratando de temas atuais, reúnem mensagens poéticas com uma dose de surrealismo, e que segundo o crítico Walmyr Ayala, " desmistifica toda e qualquer atitude romântica" . Walter Zanini, por sua vez, comenta (1967), que " Suas imagens encadeadas quase como um ´puzzle` parecem amalgamar deuses aztecas e ícones do baralho, assumindo ar de aquilina ´terribilitá` sobriamente derrisório." Participou de quase todas as mostras mais importantes do País, com sucesso de crítica. ITAU CULTURAL; PONTUAL, pág. 100; TEIXEIRA LEITE, pág. 100; WALTER ZANINI , pág. 754; ARTE NO BRASIL, pág. 688; Acervo FIEO.



022 - ISMENIA COARACY - (1918)
Lance Livre

Natureza morta - óleo sobre eucatex - - 24 x 38 cm - canto inferior direito - .

Pintora desenhista e gravadora. Fez seus estudos de gravura no MAM - SP. Fez ilustrações para jornais da capital. Expôs individualmente a partir de 1960, participou de diversas exposições coletivas tanto no Estado de São Paulo como Minas Gerais e Rio de Janeiro, constando ainda passagens em galerias e salões no exterior. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 263; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 644. Acervo FIEO. -



023 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
Lance Livre

Pescador - desenho a nanquim - - 30 x 22 cm - canto inferior direito - 1941.

Pintora e desenhista. Assina Noemia. Realizou sua primeira individual em 1934, no Rio de Janeiro. Residiu na Europa de 1934 a 1940, frequentando em Paris as academias de la Grande Chaumière e Ranson. Expôs em Montevideu e Buenos Aires. Foi citada por REIS JUNIOR e TEODORO BRAGA. Foi aluna (1932) e mulher (1933) de Di Cavalcanti. MEC vol.3, pág. 265; WALMIR AYALA vol.2, pág.135; PONTUAL, pág. 375; TEIXEIRA LEITE, pág. 356; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 684. Acervo FIEO.



024 - ORLANDO TERUZ - (1902 - 1984)
Lance Livre

Nu - óleo sobre tela - - 23 x 16 cm - canto inferior esquerdo - .

Natural do Rio de Janeiro, RJ, foi aluno de Rodolfo Chambelland e Batista da Costa na antiga ENBA. Participa do SNBA a partir de 1924, ganhando diversas premiações, inclusive o prêmio de viagem ao exterior. Diversos e importantes museus do mundo tem obras suas, inclusive o Hermitage de Moscou. TERUZ encanta pela sua apurada técnica e temas, seus personagens e suas cores. TEODORO BRAGA- pág. 226; PONTUAL- -págs. 520/1; WALMIR AYALA, vol. 2-págs. 379/81; MEC, vol. 4-pág. 383; TEIXEIRA LEITE, pág. 505; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 578, Acervo FIEO.



025 - GUERINO GROSSO - (1907 - 1988)
Lance Livre

Flores - óleo sobre tela - - 60 x 30 cm - canto inferior esquerdo - .

Natural de Rio Claro, neste Estado, Guerino Grosso iniciou seu aprendizado artístico em 1917. Frequentou a Escola de Belas Artes de São Paulo. Artista de grande sensibilidade, dedicou-se à pintura de naturezas mortas com metais, confirmando-se como um dos melhores do gênero. JULIO LOUZADA, vol, 12 ,pág 189. MEC, vol, 2, pág, 284; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



026 - GLAUCO PINTO DE MORAES - (1928 - 1990)
Lance Livre

"Engates" - litografia - 88/100 - 35 x 50 cm - canto inferior direito - 1982.

Pintor, desenhista e gravador nascido em Passo Fundo, RS e falecido em São Paulo, em 5/5/1990. Em 1968 abandona a carreira jurídica para se dedicar somente à pintura. Para tanto muda-se para São Paulo, onde participa com sucesso na XIII BSP, através do tema Locomotivas. Artista engajado, participou de todos os movimentos nas décadas de 70 e 80. O festejado crítico Jacob Klintowitz assim se referiu ao artista e obra no seu livro O Oficio da Arte: A Pintura: "um dos casos raros de pintor tardio, oriundo de outra atividade. Talvez seja o que explique a repentina maturidade humana desta pintura já revelada pronta aos olhos do público brasileiro." TEIXEIRA LEITE, 408; JULIO LOUZADA, vol. 12, pág. 179; RGS, pág. 226; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 754; LEONOR AMARANTE, pág. 267.



027 - CLAUDIO TOZZI - (1944)
Lance Livre

"BMeF" - serigrafia - 119/200 - 40 x 60 cm - canto inferior direito - .

Pintor, arquiteto e gravador paulista com diversas exposições e participações em salões e bienais no Brasil e no exterior. Dedicou-se inicialmente à colagem e à gravura, numa utilização crítica das histórias em quadrinhos; numa fase posterior passou a criar múltiplos tridimensionais e a efetuar pesquisas em torno dos efeitos ópticos. WALMIR AYALA vol.2, pág.388/9; PONTUAL, pág.525/6; TEIXEIRA LEITE, pág. 512; ARTE NO BRASIL vol.2, pág.1059; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 740; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.



028 - PAULO VERGUEIRO LOPES DE LEÃO - (1889 - 1964)
Lance Livre

"Martigues" - óleo sobre madeira - - 32 x 41 cm - canto inferior direito - "França".
Procedente das coleções: Dr. Waldemar Teixeira de Carvalho - Santos - São Paulo e Dr. Raul Villaboim de Carvalho, Ex Presidente da Sociarte - São Paulo, SP. -
Pintor paulistano, foi bolsista do Governo do Estado de São Paulo na Itália, Florença (1913). Estudou com Biloul, em Paris (1920). Exerceu diversos cargos públicos e privados ligado às artes, como a de Diretor da Pinacoteca de São Paulo, em 1939. Foi paisagista, retratista e pintor de história. TEIXEIRA LEITE, pág.289; JULIO LOUZADA vol.11, pág.179; ITAÚ CULTURAL, RUTH TARASANTCHI.



029 - CARLOS DE SÃO THIAGO LOPES - (1923 - 1999)
Lance Livre

"O pasto - Fazenda Sertão" - óleo sobre tela - - 40 x 60 cm - canto inferior direito - 1985 - Indaiatuba.
Com etiqueta da exposição do autor na Itaúgaleria na av. Higienópolis - SP, no dorso. -
Pintor, desenhista e aquarelista. Foi aluno de Adelaide Lopes Gonçalves Cavalcanti, Antonio Rocco e Tulio Mugnaini (1937-1942). Considerado um pintor realista de grande talento. Possui obras em diversas coleções nos Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 879. Acervo FIEO.



030 - OTONI GALI ROSA - (1939)
Lance Livre

Cabeça de cavalo - litografia - 15/50 - 50 x 35 cm - canto inferior direito - 1982.

Desenhista, pintor, gravador e professor, natural de Olímpia, SP. A obra de Otoni marca-se pela constante temática dos cavalos, que povoaram sua infância. Com sua obra, o autor foi muito premiado nos diversos certames de que participou. JULIO LOUZADA vol.1, pág.841; ITAÚ CULTURAL.



031 - EDUARDO SUED - (1925)
Lance Livre

Moça e criatura surreal - técnica mista - - 22 x 31 cm - canto inferior direito - 1963.

Natural da cidade do Rio de Janeiro-RJ, onde reside e é ativo. Pintor, desenhista, ilustrador e gravador. Formou-se na Escola Nacional de Engenharia do Rio de Janeiro em 1948. Foi aluno de desenho e pintura do pintor Henrique Boese. Trabalhou como desenhista no escritório do arquiteto Oscar Niemeyer (1950-1951). Freqüenta os ateliês de La Grande Chaumière e L'Académies Julian em Paris (1951), retornando ao Rio de Janeiro em 1953, onde estuda gravura em metal com Iberê Camargo. Diversas exposições coletivas e individuais. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 975/976; ARTE NO BRASIL, pág. 814; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.



032 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
Lance Livre

Praia - óleo sobre eucatex - - 19 x 27 cm - canto inferior esquerdo - .

Nascido e falecido em São Paulo, DURVAL PEREIRA foi pintor e professor ativo em São Paulo. Premiado com a Menção Honrosa no SPBA em 1944, passou a viver exclusivamente da pintura. Pintava ao ar livre aos domingos com os pintores Salvador Rodrigues, Salvador Santisteban, Cirilo Agostinho, Jaime Dinis, Djalma Urban, Innocencio Borghese, e outros. Premiado praticamente em todos os Salões de que participou. Recebeu ao todo, 15 comendas das mais importantes do Brasil. Nos últimos três anos de sua vida, recebeu todos os Primeiros Prêmios e Medalhas de Ouro nas exposições de Paris, Rouen, Lyon, Roma, Miami e Milão. MEC, vol. 3, pág. 368; JULIO LOUZADA, vol. 1, págs. 749/750/751. ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.



033 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
Lance Livre

Moça - litografia - 85/100 - 70 x 50 cm - canto inferior direito - 1982.

Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.



034 - INNOCÊNCIO BORGHESE - (1897 - 1985)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre eucatex - - 22 x 24 cm - canto inferior direito - 1970.

Pintor e professor paulista, participante do Salão Paulista de Belas Artes, de 1935 a 1961. Diversas exposições individuais e coletivas, com muitas premiações. Pintou muitas paisagens tendo como tema a cidade de São Paulo. TEODORO BRAGA, pág 56; MEC, vol. 1, pág. 251; Acervo FIEO.



035 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
Lance Livre

Barcos - óleo sobre eucatex - - 20 x 30 cm - canto inferior esquerdo - .

Nascido na Itália, radicou-se no Brasil. Seu estilo liga-se ao dos Macchiajoli oitocentistas (os equivalentes italianos dos impressionistas franceses) e ao de Pratella em especial. São especialmente notáveis suas paisagens e marinhas. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 168; JULIO LOUZADA vol.11, pág.54; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



036 - ÉLON BRASIL - (1957)
Lance Livre

"Yariná" - óleo sobre tela - - 80 x 60 cm - canto superior esquerdo e dorso - São Paulo - Brasil.

Artista plástico autodidata, nasceu em 1957, na praia de Jurujuba, em Niterói-RJ, onde aos seis anos de idade começou a rabiscar seus primeiros crayons. Mudando-se em 1968 para São Paulo, aos 12 anos, ganhou sua primeira medalha de ouro na II PINARTE de Pinheiros. Em 1970, juntamente com os artista Aldemir Martins, Clóvis Graciano e Carlos Scliar, Élon ilustrou o livro de poesias "Cantando os Gols" de Tito Battine. Hoje, sua obra figurativa e abstrata é composta por imagens da terra: índios, negros e caboclos, cercados por textura e cores marcantes. Sua temática busca ressaltar e preservar a cultura brasileira e suas próprias raízes. Filho de baianos - mãe negra, neta de índios, e pai (o artista Milton Brasil), neto de imigrantes italianos e portugueses - Élon resgata em sua história e origem, a fonte de inspiração . Ao morar na Suíça por seis meses, obteve a oportunidade de expor o seu trabalho em diversas ocasiões, tornando-se conhecido internacionalmente, principalmente com encomendas para colecionadores europeus.



037 - LULA CARDOSO AYRES - (1910 - 1987)
Lance Livre

Mulher e pássaro - técnica mista - - 37 x 25 cm - canto inferior esquerdo - .

Natural do Recife, PE, foi pintor e desenhista, tendo se iniciado artisticamente sob a orientação de Henrich Moser, naquela mesma cidade. Estudou no Rio de Janeiro com Carlos Chambelland e na antiga ENBA até 1930, onde foi aluno de Rodolfo Amoedo. Foi contemporâneo nessa escola de Portinari, Teruz, Oswaldo Teixeira, Joaquim da Rocha Ferreira e Orózio Belém. A partir de 1933, já de volta à sua terra natal, dedica-se totalmente aos temas regionais. JULIO LOUZADA vol. 1, pág. 31; TEIXEIRA LEITE, pág. 293; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 879; Acervo FIEO.



038 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
Lance Livre

Bailarino - serigrafia - - 24 x 14 cm - canto inferior esquerdo - Na tela serigráfica..

Pintor e desenhista figurativo, integrou o Grupo Santa Helena, juntamente com Volpi, Zanini e outros, e foi um dos organizadores e expositores do I Salão da Família Artística Paulista; suas figuras seguem a disciplina cubista da organização do espaço, destacando-se uma série de Músicos; dedicou-se a pinturas murais e à ilustração de obras literárias. MEC, vol. 2, pág. 280; PONTUAL, pág. 247/8; TEIXEIRA LEITE, pág. 225 a 227; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 784; LEONOR AMARANTE, pág. 58; Acervo FIEO.



039 - DIMITRI ISMAILOVITCH - (1898 - 1976)
Lance Livre

Composição - monotipia - - 33 x 48 cm - canto inferior direito - 1974.
Com dedicatória. -
Pintor russo, estudou em 1918 e 1919 na Academia de Belas Artes da Ucrânia, e em 1927 radicou-se no Rio de Janeiro, tendo participado de diversas exposições individuais e salões oficiais. Pintor de natureza morta, paisagem e retratos. TEODORO BRAGA, pág. 123; REIS JUNIOR, pág. 379; PONTUAL, pág. 274; MEC, vol. 2, pág. 367; ITAÚ CULTURAL.



040 - JOSÉ DE DOME - (1921 - 1982)
Lance Livre

Casario - pastel - - 22 x 32 cm - canto inferior esquerdo - Cabo Frio.

José de Dome nasceu em Estância, SE. Autodidata, firmou-se como pintor na década de 60. Um amarelo sempre solar e luminoso sobressai em suas telas e a imprecisão nos contornos das figuras, o empastelamento das formas, é um dos recursos utilizados pelo autor para dar aos seus personagens e temas feições dramáticas atenuadas. Foi ativo em Cabo Frio, RJ; o artista expôs individualmente a partir da década de 50. PONTUAL, pág. 183; JULIO LOUZADA, vol 1 pág, 339; ITAU CULTURAL.



041 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
Lance Livre

Barcos - óleo sobre tela - - 54 x 73 cm - canto inferior direito - 1968.
Com etiqueta de Collectio Galeria de Arte - São Paulo, SP, no dorso. -
Fez parte da Família Artística Paulista, grupo com o qual expôs. Notáveis foram suas paisagens, tendo José Geraldo Vieira afirmado ser ele "o pintor da paisagem paulistana". MEC, vol. 4, pág. 531; PONTUAL, pág. 557; TEODORO BRAGA, pág. 250; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 451; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 778; LEONOR AMARANTE, pág.38; Acervo FIEO.



042 - SERGIO MIGLIACCIO - (1936)
Lance Livre

Feira - óleo sobre tela - - 100 x 80 cm - canto inferior esquerdo - .

Paulistano, nasceu em 26/1/1936. Em 1952, inicia por conta própria seus estudos de desenho, estudando posteriormente com a prof. Alice Moreira. A partir de 1958, foi aluno por seis anos do mestre Edmundo Migliaccio, seu tio, nas técnicas de desenho, pastel e óleo. Desde 1964 pinta profissionalmente, seguindo sua própria intuição na execução de retratos, nus, cenas urbanas, rurais, de gênero e naturezas mortas. Criou para a Industrias Votorantim, motivos para estamparia de tecidos, seguindo as tendências da moda da época. Individuais em 1970 e 1975. Coletivas a partir de 1982, figurando no SPBA-SP e UNAP-SP. JULIO LOUZADA, vol. 3 pág. 739



043 - DARCY PENTEADO - (1926 - 1987)
Lance Livre

Amantes - desenho a nanquim - - 61 x 45 cm - canto inferior esquerdo - 1982.

Desenhista, pintor, cenógrafo, figurinista e escritor, Darcy Penteado foi a personalidade polimorfe, que buscava tornar a própria existência matéria de arte. Em 1948 passou a integrar em São Paulo o Grupo Novíssimos. Expôs individualmente a partir de 1949, participando de inúmeras exposições coletivas e individuais, no país e no exterior. MEC, vol. 3, pág. 365; PONTUAL, pág. 416; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 241. WALMIR AYALA, vol 2, pág 183; TEIXEIRA LEITE, pág 401; ITAÚ CULTURAL ; WALTER ZANINI, pág. 717; LEONOR AMARANTE, pág. 75.



044 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
Lance Livre

Linhas - guache - - 90 x 30 cm - canto inferior direito - 1971.

Pintor e desenhista austríaco, natural de Viena, transferiu-se para o Brasil em 1928, fixando residência em São Paulo, Estudou no Liceu de Artes e Ofícios da cidade, onde conheceu Valdemar da Costa, com ele fazendo aprendizado de pintura a partir de 1940. Artista estável, sua evolução não sofreu sobressaltos, uma vez formado numa linguagem linear de sensibilidade pessoal, despojada e exigente, rigorosamente artesanal. PONTUAL, pág. 131; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI pág. 645; ARTE NO BRASIL, pág. 798; Acervo FIEO.



045 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
Lance Livre

"Ariadne" - litografia - P. A. - 39 x 54 cm - canto inferior direito - 1988.

Nasceu em São Paulo e faleceu no Rio de Janeiro. Pintor, paisagista, arquiteto, desenhista, pintor, gravador, litógrafo, escultor, tapeceiro, ceramista, designer de jóias, decorador. Durante a infância viveu no Rio de Janeiro. Foi com a família para a Alemanha, em 1928. Em 1929, freqüentou o ateliê de pintura de Degner Klemn. Nos jardins e museus botânicos de Dahlen, em Berlim, entusiasmou-se ao encontrar exemplares da flora brasileira. De volta ao Brasil, fez curso de pintura e arquitetura na Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1930 - 1934), onde foi aluno de Leo Putz , Augusto Bracet e Celso Antônio. Seu primeiro projeto paisagístico foi para a arquitetura de Lúcio Costa e Gregori Warchavchik, em 1932. Entre 1934 e 1937, ocupou o cargo de diretor de parques e jardins do Recife, PE, onde passou a residir. Nesse período, foi com freqüência ao Rio de Janeiro e teve aulas com Candido Portinari e com o escritor Mário de Andrade. Em 1937, retornou ao Rio de Janeiro e trabalhou como assistente de Candido Portinari. Foi em 1949, conforme sua paixão por plantas e seu interesse por botânica e jardinagem, que Burle Marx adquiriu um sítio em Barra de Guaratiba, RJ. Com auxílio de botânicos, viajou, coletou, catalogou exemplares de plantas do Brasil e reproduziu em seu sítio a diversidade fitogeográfica brasileira. Em 1985 doou esse sítio, com todo o seu acervo, à extinta Fundação Nacional Pró Memória, atual Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN.Realizou muitas exposições individuais e projetos paisagísticos, participou de diversas mostras oficiais coletivas pelo Brasil e no exterior. PONTUAL, PÁG. 94; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 93; MEC. VOL.1, PÁG.303; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG.564; ARTE NO BRASIL, PÁG. 738; LEONOR AMARANTE, PÁG. 98; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 179; artnet.com.



046 - CARLOS LOUSADA - (1905 - 1984)
Lance Livre

Cidade - óleo sobre madeira - - 25 x 80 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1970.

Autodidata, começou a pintar em 1956 e já nesse ano foi aceito no Salão Ferroviário promovido pelo Ministério da Viação. Participou do Salão Nacional de Arte Moderna de 1962 a 1969, recebendo o certificado de Isenção de Júri em 1967, e da Bienal da Bahia em 1966, assim como da mostra " Três Primitivos ", na Galeria Relevo, Rio de Janeiro (1965). Realizou mostras individuais no Museu de Arte Moderna da Bahia (1964), e na Galeria Rosalvo Ribeiro, de Maceió (1965), e em conjunto com Heitor dos Prazeres e Ivan Moraes no Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro (1966).



047 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
Lance Livre

Paisagem - desenho a nanquim - - 15 x 19 cm - canto inferior direito - .

Monstro sagrado da pintura brasileira, Tarsila é a criadora de duas das principais tendências ou movimentos de nossa arte nacionalista: o Pau Brasil (1924) e o Antropofagia. Sua arte poderia ser definida como um Cubismo adaptado às condições e ao temperamento brasileiros. TEODORO BRAGA, págs. 220/21/22/23; REIS JR.-págs.388/89 ; WALMIR AYALA, vol. 2-págs. 365 e 367 ; MEC, vol. 4-págs. 370/71; PONTUAL, pág. 511; TEIXEIRA LEITE, pág. 492; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 389; ARTE NO BRASIL, pág. 577; LEONOR AMARANTE, pág. 24.



048 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
Lance Livre

Praia de Copacabana - óleo sobre madeira - - 28 x 50 cm - canto inferior esquerdo e dorso - .

Nascido em Manaus, pioneiro mundial da arte não-figurativa (a qual já praticava desde 1916), Santiago estudou no RJ com Visconti, e foi o principal responsável pelo Núcleo Bernardelli, no qual se formaram tantos dos melhores artistas do Modernismo carioca. Sua arte é um neo-impressionismo de belo colorido e opulentos efeitos de textura. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, pág. 241; TEODORO BRAGA, pág. 211/212; Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, MEC-MNBA / /Rio/1944; MAYER/84, pág. 1158; REIS JR., pág. 378; PONTUAL, pág. 473; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 292; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.



049 - MARINA CARAN - (1925 - 2008)
Lance Livre

"Palhaço" - óleo sobre tela - - 80 x 64 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1953 - Montparnasse-Paris.

Gravadora, desenhista e pintora nascida na cidade paulista de Sorocaba. Figurando diversas vêzes no SPAM, nêle conquistou prêmios de aquisição entre 1954 e 1960. Participou também da II, III, VIII e IX Bienal de SP. Sua obra é contemporânea, de imaginação dramática. No dizer de Geraldo Ferraz, "Seus temas são colocados sob essa deformação prismática... Ela percorre toda a gama da efusão generosa - vai da solidariedade à identificação compulsiva..." Expôs individualmente a partir de 1951 (MASP). PONTUAL, pág. 106; TEIXEIRA LEITE, pág. 104; JULIO LOUZADA, vol. 5 pág. 199/200; LEONOR AMARANTE, pág. 194, Acervo FIEO.



050 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre tela - - 33 x 46 cm - canto inferior esquerdo - F. Giusti.
No estado. -



051 - JOSÉ GAMARRA - (1934)
Lance Livre

Composição - desenho a nanquim - - 23 x 28 cm - canto inferior direito - 1963-São Paulo-SP.

Pintor, gravador e professor uruguaio, nascido em Tacuarembó, Uruguai. Estudou na Escola de Belas Artes de seu País, vindo para o Brasil em 1959. Foi aluno de Friedlaender, no MAM-RJ, e de Iberê Camargo, no Rio. Após breve retorno ao seu País, fixou residência em Paris. Como representante de seu País, concorreu à Bienal de São Paulo, em 1963. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 446



052 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
Lance Livre

Figura feminina - escultura em bronze - - h = 66 cm - base - .

Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.



053 - UBI BAVA - (1905 - 1988)
Lance Livre

Composição - desenho a lápis - - 34 x 28 cm - canto inferior esquerdo - 1973.

Natural da cidade paulista de Santos. Faleceu em São Paulo. Arquiteto, professor e pintor. Foi aluno de Lucilio de Albuquerque e de Henrique Cavalleiro. Foi professor de desenho artístico da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, FAU/UFRJ. Entre as exposições de que participa, destacam-se: Salão Nacional de Belas Artes - Divisão Moderna, Rio de Janeiro, 1949; Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1951 e 1975; Salão Preto e Branco (3º Salão Nacional de Arte Moderna), Rio de Janeiro, 1954; Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP, São Paulo, 1976. Após sua morte, suas obras participam da seguintes exposições: Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal de São Paulo, 1994; Espelho da Bienal, no MAC/Niterói, 1998. Segundo TEIXEIRA LEITE "Ubi Bava pode ser considerado um precursor e um pioneiro de certo tipo de pintura que tem nos efeitos óticos e nos recursos cinéticos sua razão maior de ser. Introduzindo em suas superfícies espelhos, ao mesmo tempo introduz, no cerne mesmo de sua obra, a imagem refletida do espectador. Também fez uso de tubos de plástico e de movimentos mecanicamente produzidos, subordinando todos esses elementos a uma evidente vontade construtivista. Em certo momento de sua evolução, o que produzia tinha certo parentesco com o concretismo..." TEIXEIRA LEITE; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 5 pág. 98; WALTER ZANINI, pág. 676; LEONOR AMARANTE; ARTE NO BRASIL, pág. 933.



054 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
Lance Livre

Figura - múltiplo em acrílico - - h = a 24 cm - base - .

Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.



055 - TIKASHI FUKUSHIMA - (1920 - 2001)
Lance Livre

Composição - óleo sobre tela - - 60 x 90 cm - canto inferior direito - .

Natural da cidade japonesa de Fukushima, onde nasceu em 19 de janeiro. Vem para o Brasil em 1940, fixando-se em Lins, SP. Recebendo influência de Manabu Mabe, começa a se interessar por pintura. Em 1946, segue para o Rio de Janeiro, onde estuda com Tadashi Kaminagai, que o orienta na execução de paisagens impressionistas. Participa da I à IX BSP. Seu trabalho sofre transformações mais na direção do cubismo, no período da I à III BSP. A partir de 1957 sua pintura é informal, transformando-se depois no estilo que viria consagrá-lo como um dos grandes pintores abstratos do Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 141; TEIXEIRA LEITE, pág. 210; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 644; LEONOR AMARANTE, pág. 383.



056 - TUNEU - (1948)
Lance Livre

Composição - óleo sobre papel - - 101 x 69 cm - canto inferior direito - 1971.

Nascido Antonio Carlos Rodrigues, em São Paulo, Capital. Desenhista e pintor, começou a desenhar profissionalmente por volta de 1960. Foi orientado por Tarsila do Amaral em 1966, mesmo ano que começou a participar de exposições. Artista renomado, Tuneu figurou em diversas exposições importantes no país, que trouxeram o panorama da arte dos dias de hoje. JULIO LOUZADA, vol. 12 pág. 410; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 764; LEONOR AMARANTE, pág.185, Acervo FIEO.



057 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
Lance Livre

Mulher e cavalo - litografia - P. A. - 35 x 50 cm - canto inferior direito - 1980.

Desenhista, gravador, ilustrador, pintor, escultor e professor, nasceu em São Simão, SP. Estuda fundição, mecânica e entalhe em madeira na Escola Profissional Masculina do Brás, SP. Passa a realizar xilogravuras a partir de 1943. Atua como ilustrador do Suplemento Literário do ‘Diário de São Paulo’, do ‘O Estado de S. Paulo’ e do ‘Jornal do Estado da Guanabara’. Quando reside no Rio de Janeiro, a partir de 1949, freqüenta os cursos de gravura em metal, com Henrique Oswald e de litografia, com Poty, no Liceu de Artes e Ofícios. Em Salvador (1952), trabalha com Mario Cravo Júnior. .Recebe o prêmio de viagem ao exterior do Salão Nacional de Arte Moderna (1953) e vai para a Academia de Artes Aplicadas, em Viena. Passa a dedicar-se principalmente ao desenho, à litografia e à gravura em metal. Em 1969, sua obra completa é adquirida pelo governo do Estado de São Paulo, passando a integrar o acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo . Em 1978, a casa em que nasceu, em São Simão, é transformada em museu e tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo - Condephaat. Participou de muitas exposições e das Bienais de: São Paulo (1951 a 1961, 1967, 1969, 1979, 1985, 1989); Veneza (1950, 1956, 1958, 1962); Paris (1959). Principais prêmios: Bienal de São Paulo (1951, 1955, 1957, 1959, 1967); Bienal de Veneza (1950, 1956, 1958,1962); Bienal de Paris (1959). PONTUAL, PÁG. 249; MEC, VOL. 2, PÁG. 281 E 282; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL.1, PÁG. 439; VOL. 5, PÁG. 453; VOL. 9, PÁG. 383.



058 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
Lance Livre

Mulata - serigrafia - - 14 x 23 cm - canto inferior esquerdo - .

Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo (Rio de Janeiro RJ 1897 - idem 1976). Pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Inicia sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, reside em São Paulo, onde freqüenta o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons (1865 - 1939). Convive com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Mário de Andrade (1893 - 1945), Guilherme de Almeida (1890 - 1969), entre outros. Em 1921, ilustra A Balada do Enforcado, de Oscar Wilde (1854 - 1900), e publica o álbum Fantoches da Meia-Noite, editado por Monteiro Lobato (1882 - 1948). É o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expõe 12 obras. Em 1923, faz sua primeira viagem à França, onde atua como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, freqüenta a Academia Ranson, instala ateliê e conhece obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso (1881 - 1973), Georges Braque (1882 - 1963), Fernand Léger (1881 - 1955), Henri Matisse (1869 - 1954), Jean Cocteau (1889 - 1963) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta a São Paulo em 1926, trabalha como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. A estada em Paris marca um novo direcionamento em sua obra. Em 1938 viaja a Paris, onde trabalha na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retorna ao Brasil em 1940, trabalha como ilustrador, e publica poemas e memórias de viagem. Em 1972, seu álbum 7 Xilogravuras de Emiliano Di Cavalcanti é editado pela Editora Chile. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.



059 - HERMELINDO FIAMINGHI - (1920 - 2004)
Lance Livre

Composição - desenho a nanquim e aquarela - - 39 x 28 cm - canto inferior direito - 1955.

Nasceu em São Paulo, a 22 de outubro de 1920. Pintor e artista gráfico. Dedicou-se regularmente à pintura a partir de 1950, com seu mestre Volpi. Foi um dos pioneiros do concretismo, com o qual rompeu anos mais tarde, para fazer uma pintura mais solta, através de seu diálogo com a cor e da interação com a luz em contato com a natureza. Expõs individualmente a partir de 1961 e coletivamente desde 1955, sempre com premiações. JULIO LOUZADA, vol. 4 pág. 401; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 928; LEONOR AMARANTE, pág. 75.



060 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
Lance Livre

Composição - aquarela - - 15 x 20 cm - canto inferior direito - .

Grande pintor brasileiro, nascido em Fortaleza, Ceará e falecido em Paris onde viveu a maior parte de sua curta e rica vida. Começando figurativo, num estilo expressionista, adotou, já em França, um não figurativismo lírico, algo à maneira do grande Wols, seu amigo que iria manter até o precoce fim. É um dos pioneiros da arte abstrata no Brasil. BENEZIT, vol.1, pág.415; MEYER/87, pág.606; MEC, vol.1, págs.159,160 e 167; PONTUAL, págs. 48 e 49; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 71 a 74; TEIXEIRA LEITE, pág. 52 a 54; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 599; LEONOR AMARANTE, pág. 34; Acervo FIEO.



061 - ANTONIO CARPENTIERI - (1930 - 1987)
Lance Livre

Barcos - óleo sobre eucatex - - 14 x 18 cm - canto inferior esquerdo - .

Natural de Nápoles, Itália, Carpentieri foi descendente de família abastada, há três gerações ligadas às artes plásticas. No Brasil desde 1952, tornou-se aluno de Angelo Cannone, Briante e De Corsi. Expôs diversas vezes com excelente crítica na Itália, cujas galerias e museus possuem obras suas. JULIO LOUZADA, vol.1, pág.215; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 176; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.



062 - THÉO (DJALMA PIRES FERREIRA) - (1901 - 1980)
Lance Livre

Juscelino conversando - desenho a nanquim e aquarela - - 35 x 27 cm - canto inferior direito - .

Caricaturista, Djalma Pires Ferreira, conhecido como Théo, nasceu na Bahia e veio para o Rio de Janeiro com 21 anos. Publicou seus primeiros trabalhos na "Tarde" (1918 a 1922) e no "Diário de Notícias", Seção Esportes (1919). Foi o divulgador da "Bola do Dia" das colunas de "O Globo" e colaborou no "Malho", "Careta", "Fon-Fon", outras revistas e jornais do Rio de Janeiro e na "Cigarra", em São Paulo. Exposições póstumas: São Paulo (1997, 2003); Belo Horizonte, MG (1997); Campinas, SP (1997); Brasília, DF (1998). ITAU CULTURAL; MEC VOL. 4, PÁG. 384; CARICATURISTAS BRASILEIROS, 1836 - 2001 PÁG. 120.



063 - JOEL GALDINO DE FREITAS - (XX)
Lance Livre

Acorrentada - escultura em barro - - h = 38 cm - base - .

Joel Galdino de Freitas é filho de Mestre Galdino e sempre esteve muito próximo do pai. Amassava barro desde os nove anos de idade. Passou dez anos em Vitória - ES e com a morte do pai (1996), da mãe e de seus dois irmãos, resolveu voltar à terra natal. Desde 1999 trabalha solitariamente no Memorial Mestre Galdino, em Caruaru - PE, construído pela Prefeitura e pela Fundação de Cultura, rodeado pelas figuras e imagens que aprendeu a fazer com o pai.



064 - TITO DE ALENCASTRO - (1934 - 1999)
Lance Livre

"Cavalo-ferrugem com casas e homens" - óleo sobre tela colada em eucatex - - 60 x 90 cm - canto inferior direito e dorso - 1982.
Com etiqueta de autenticação assinada pelo artista, no dorso. -
Pintor, desenhista, gravador e mosaicista, radicou-se em 1961 em São Paulo, após ter estudado no Rio de Janeiro com Abelardo Zaluar, José Morais e Johnny Friedlaender. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 29; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 6; PONTUAL, pág. 14; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



065 - PEDRO ALEXANDRINO - (1864 - 1942)
Lance Livre

Laranjas - óleo sobre tela - - 60 x 38 cm - canto superior direito - .
Com moldura original de Sandor Molnar datada de 1968.
Pintor acadêmico, especializou-se em naturezas mortas; aluno de Almeida Junior, foi professor, entre outros, de Tarsila do Amaral, Anita Malfati e Aldo Bonadei. Segundo a festejada crítica e historiadora de arte, Ruth Sprung Tarasantchi, "Pedro Alexandrino (...) demonstrou ser o artista que, em sua época, a nossa sociedade demandava. Vinha suprir as necessidades dos colecionadores, pois seus quadros, de fácil leitura, satisfaziam os sentidos, não tendo que recorrer à cultura artística que não possuíam. Pintava com realismo objetos e frutas que faziam parte da vida ou das aspirações da sociedade paulistana; por isso, através de sua obra temos uma idéia do nosso meio no fim do século passado e até quase meados deste. Foi ele, mais do que qualquer outro pintor, que nos fez entrever o nosso meio provinciano, de pouca cultura, ao mesmo tempo que pretensioso, procurando afrancesar-se. " in: TARASANTCHI, Ruth Sprung. A vida silenciosa na pintura de Pedro Alexandrino. 1981. Dissertação (Mestrado) - Escola de Comunicações e Artes - ECA/USP, São Paulo, 1981; Artistas Brasileiros - Pedro Alexandrino -Ruth Sprung Tarasanth - Edição EDUSP ,1996; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1039; TEIXEIRA LEITE, pág. 391/2; MEC, vol. 1, pág. 46; ITAU CULTURAL, RUTH TARASANTCHI.



066 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
Lance Livre

Misses - desenho a nanquim - - 20 x 28 cm - canto inferior esquerdo - .

Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista. Realizou mais de cem mil desenhos, não se conhecendo um único ruim. Observador arguto, retratou com maestria e humor o cotidiano de sua cidade natal, da qual, consta, ausentou-se por duas únicas ocasiões. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646.



067 - HENFIL (HENRIQUE DE SOUZA FILHO) - (1944 - 1988)
Lance Livre

Rotina para dormir - desenho a nanquim - - 40 x 23 cm - canto inferior direito - .

Mineiro de Ribeirão das Neves, onde nasceu em 5 de fevereiro de 1944, e faleceu na cidade do Rio de Janeiro-RJ, em 4 de janeiro de 1988. Iniciou sua carreira como cartunista, quadrinhista, foi colaborador de O Pasquim (1969). Em 1970 lançou a revista Os Fradinhos, seus personagens mais famosos e que possuem sua marca registrada: um desenho humorístico, crítico e satírico, com personagens tipicamente brasileiros e que retratavam a situação nacional da época. Sua importância na História em Quadrinhos no Brasil se deve à renovação que trouxe ao desenho humorístico nacional. Henfil atuou ainda em teatro, cinema, televisão e literatura, tendo sido marcante a sua atuação nos movimentos políticos e sociais do País.



068 - SAMSON FLEXOR - (1907 - 1971)
Lance Livre

Composição - guache - - 27 x 25 cm - canto inferior direito - .

Pintor nascido na Romênia, estudou em Paris, onde fez em 1927 sua primeira individual, radicando-se em 1946 em São Paulo, onde faleceu. Foi um dos pioneiros do abstracionismo no Brasil, tendo criado em 1948 o Atelier Abstração. Em 1968 sua obra foi objeto de importante retrospectiva no MAM-RJ. BENEZIT vol. 4, pág. 402; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 313/4; TEIXEIRA LEITE, pág. 198; PONTUAL, pág. 217/8; MEC, vol. 2, pág. 179 e 180; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 917; LEONOR AMARANTE, pág. 75; WALTER ZANINI, pág. 643, Acervo FIEO.



069 - DÉCIO VIEIRA - (1922 - 1988)
Lance Livre

Composição - guache - - 22 x 26 cm - canto inferior direito - .

Este importante artista brasileiro nasceu em Petrópolis-RJ e faleceu na cidade do Rio de Janeiro, onde residiu e foi ativo. Foi orientado por Axl Leskoschek e Fayga Ostrower. Participou da I Exposição Nacional de Arte Abstrata-RJ, que idealizou juntamente com Ivan Serpa. Integrou diversos movimentos: Grupo Frente (1954), concreto (1956) e neoconcreto (1959). Participou do SNAM-RJ nos anos de 1949 a 1964, e da Bienal de São Paulo, nas versões do período de 1953 a 1967, e 1987. Segundo Max Bill, Décio Vieira figura entre os grandes da arte concreta mundial. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 1107.



070 - ALBERTO TEIXEIRA - (1925 - 2011)
Lance Livre

Composição - aquarela - - 29 x 23 cm - canto inferior direito - .

Alberto Dias D'Almeida Teixeira nasceu em São João do Estoril, Portugal e faleceu em Campinas, SP. Pintor, desenhista e professor. Assinou em monograma até 1984 e depois A. Teixeira. Estudou desenho e pintura na Sociedade Nacional de Belas Artes (1947-1950), em Lisboa. Fixando residência em São Paulo, em 1950, foi aluno de Samson Flexor e tornou-se membro do Atelier Abstração. Expôs em diversas edições da Bienal Internacional de São Paulo (entre 1953 e 1965), do Panorama da Arte Atual Brasileira (1970 e 1973) e na Bienal Brasil Século XX, organizada pela Fundação Bienal de São Paulo (1994). Suas participações no Prêmio Leirner de Arte Contemporânea e no 1º Salão Esso de Artistas Jovens lhe renderam, respectivamente, o segundo e o primeiro prêmio em pintura. JULIO LOUZADA, VOL. 3 PÁGS. 1118 A 1122; ITAU CULTURAL; PONTUAL, PÁG. 517; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 497; MEC VOL. 4, PÁG. 376; ACERVO FIEO.



071 - ALBERTO DA VEIGA GUIGNARD - (1896 - 1962)
Lance Livre

Ouro Preto - desenho a nanquim - - 19 x 25 cm - canto inferior direito - 1960.

Pintor, desenhista, gravador e professor. No dizer de Rodrigo de Melo Franco de Andrade, no álbum de reproduções da obra do artista, em 1967: "Quando Guignard voltou da Europa, para onde tinha ido menino, só regressando com mais de 30 anos, redescobriu o Brasil, tomado de uma ternura e de uma admiração comovidas que conservou até os seus últimos dias. Toda a obra que produziu, desde então, ficou impregnada da emoção e da poesia sentidas naquele reencontro com a terra natal." PONTUAL, pág. 254 a 256; MEC, vol. 2, pag. 304; TEIXEIRA LEITE, pág. 236 a 240 ; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 404; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 1013; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 373/375/377; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 559; ARTE NO BRASIL, pág. 505; LEONOR AMARANTE, pág. 28.



072 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
Lance Livre

Composição - gravura - 78/110 - 35 x 23 cm - canto inferior direito - 1968.

Pintor, desenhista, gravador e professor, estudou com Axel Leskoschek no Rio de Janeiro. Participou da Divisão Moderna do SNBA (1947-1951). Foi um dos precursores do concretismo no Brasil, criando ao lado de Aluisio Carvão, Lígia Clark, Hélio Oitica e outros o Grupo Frente, que se manteve ativo de 1954 a 1956, inclusive com exposições no Rio de Janeiro. Ivan Serpa possui invejável e extenso curriculum de vida artística, passando de exposições coletivas, a grandes retrospectivas de sua obras. Há um reconhecimento nacional da importância de sua atividade, tratando-se de um dos grandes artistas nacionais. PONTUAL, pág 486; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 840; LEONOR AMARANTE, pág. 26; Acervo FIEO.



073 - RENINA KATZ - (1925)
Lance Livre

Da janela - litografia - 6/25 - 60 x 40 cm - canto inferior direito - .

Pintora, gravadora e professora, Renina Katz é paulista. Sua arte é dominada pelo vigor e pela imaginação. MEC vol.2, pág.403/4; PONTUAL, pág. 288/9; WALMIR AYALA vol.1, pág.441; JULIO LOUZADA vol.11, pág.262; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 606; ARTE NO BRASIL, pág. 834; LEONOR AMARANTE, pág. 98, Acervo FIEO.



074 - GERSON DE SOUZA - (1926 - 2008)
Lance Livre

A família do marinheiro - óleo sobre madeira - - 10 x 18 cm - canto inferior direito - .

Pintor. Autodidata. Fixou-se no Rio de Janeiro, onde exerceu a profissão de carteiro dos Correios, e onde começou a pintar em 1950. Participou da V Bienal de São Paulo, de vários Salões Nacionais e exposições coletivas no exterior. Várias individuais e coletivas no País. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 127; PONTUAL, pág. 236/237; MEC, vol. 2, pág. 248; TEIXEIRA LEITE, pág. 220; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 347, Acervo FIEO.



075 - JOSÉ MARQUES CAMPÃO - (1892 - 1949)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre eucatex - - 80 x 112 cm - canto inferior esquerdo - 1944.
Ex coleção Reginaldo Bertolino - São Paulo - SP. -
Excelente paisagista paulistano, aluno de Oscar Pereira da Silva, da Academia Julian - Paris, e da Escola Nacional Superior de Belas Artes de Paris, entre 1912 e 1918. Foi membro da Comissão de Orientação Artística de São Paulo em 1944. Expôs no Salão dos Artistas Franceses e em diversas exposições coletivas e individuais. TEODORO BRAGA, pág. 61/62; PONTUAL, pág. 102; MEC, vol. 1, pág. 331; REIS JR., pág. 374; WALMIR AYALA, vol. 1,pág. 160; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.



076 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
Lance Livre

Torso - escultura em mármore - - h = 28 cm - base - .
Base no estado. -
Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.



077 - PEDRO WEINGÄRTNER - (1856 - 1929)
Lance Livre

Leitura - desenho a lápis - - 21 x 15 cm - canto inferior direito - 1883 - Paris.

Pintor gaúcho de origem alemã, Weingärtner estudou no Brasil, Alemanha e Itália, residindo por longos anos na Europa. Ao retornar ao Brasil, dedicou-se a temática gauchesca, que lhe motivou os trabalhos mais sensíveis. Um dos pioneiros da gravura de arte no Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 343; BENEZIT, vol. 10, pág. 675; TEODORO BRAGA, pág. 246; REIS JUNIOR, pág. 220/224; MEC, vol. 4, pág. 506/507; LAUDELINO FREIRE, pág. 386; PONTUAL, pág. 551/552; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 438/439; MAYER/84, pág. 1268; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 443; ARTE NO BRASIL, pág. 560; RGS, pág. 402; PEDRO WEINGÄRTNER;



078 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
Lance Livre

Menina - desenho a lápis - - 50 x 30 cm - canto inferior direito - .
Com certificado de autenticidade firmado pela Bolsa de Leilões de Arte de São Paulo - Silvia de Souza, Escritório de Leilões datado de 10 de novembro de 1997. -
Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo (Rio de Janeiro RJ 1897 - idem 1976). Pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Inicia sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, reside em São Paulo, onde freqüenta o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons (1865 - 1939). Convive com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Mário de Andrade (1893 - 1945), Guilherme de Almeida (1890 - 1969), entre outros. Em 1921, ilustra A Balada do Enforcado, de Oscar Wilde (1854 - 1900), e publica o álbum Fantoches da Meia-Noite, editado por Monteiro Lobato (1882 - 1948). É o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expõe 12 obras. Em 1923, faz sua primeira viagem à França, onde atua como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, freqüenta a Academia Ranson, instala ateliê e conhece obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso (1881 - 1973), Georges Braque (1882 - 1963), Fernand Léger (1881 - 1955), Henri Matisse (1869 - 1954), Jean Cocteau (1889 - 1963) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta a São Paulo em 1926, trabalha como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. A estada em Paris marca um novo direcionamento em sua obra. Em 1938 viaja a Paris, onde trabalha na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retorna ao Brasil em 1940, trabalha como ilustrador, e publica poemas e memórias de viagem. Em 1972, seu álbum 7 Xilogravuras de Emiliano Di Cavalcanti é editado pela Editora Chile. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.



079 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre madeira - - 40 x 28 cm - canto inferior direito - .
No estado. -
Pintor nascido na Itália. Mecatti radicou-se no Brasil em 1940, após trabalhar por vários anos na Tripolitânia, no norte da África. É notável pela estilização de suas figuras e paisagens concebidas, em tons baixos e obedientes a uma composição pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 161/2; MEC, vol. 3, pág. 109; PONTUAL, pág. 352; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 72; TEIXEIRA LEITE, pág. 320; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



080 - JOAQUIM TENREIRO - (1906 - 1992)
Lance Livre

Fita - múltiplo em madeira - 6/12 - 90 x 33 cm - canto inferior direito - 1975.
Ex coleção Renato António Brogiolo- Rio de Janeiro. -
Português da cidade de Melo, Serra da Estrela, foi discípulo do Núcleo Bernardelli e de Quirino Campofiorito, no Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência definitiva no Brasil no ano de 1929. Fez o Curso de Desenho do Liceu Português, onde conquista o prêmio Joaquim Alves Meira, a maior láurea daquele estabelecimento. Tem pinturas suas figurando no MAM-SP, no MNBA e Museu Manchete-RJ. Mário Barata escreve a seu respeito: " Depois de uma fatura limpa, de acabamento preciso e claro, Tenreiro, mesmo prosseguindo com certo rigor estilistico, cedeu, ultimamente, 'a tentação das densidades de matéria e ao cromatismo baixo, 'as vezes terroso, cinza, que o informal bastante generalizou." É o renovador do mobiliário brasileiro, responsável por toda uma linha de criação em que a funcionalidade se alia o bom gosto e o aproveitamento racional dos materais do País. MEC, vol.4, págs.381 E 382; PONTUAL, pág.520,; TEIXEIRA LEITE, pág.504; WALMIR AYALA, vol.2, pág.376 e 377 ; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.320; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 580; ARTE NO BRASIL, pág. 763.



081 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
Lance Livre

Candomblé - aquarela - - 34 x 50 cm - canto inferior direito - .

Desenhista, gravador, pintor e escultor, radicado na Bahia. Sua arte é lírica, de boa técnica, baseada no povo, que lhe forneceu o melhor da sua temática. PONTUAL, pág. 116; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 180 e 181; TEIXEIRA LEITE, págs. 111 e 112; MEC, vol.1, pág. 355; BENEZIT, vol. 2, pág. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717;ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.



082 - IONE SALDANHA - (1921 - 2001)
Lance Livre

Composição - guache - - 22 x 29 cm - canto inferior direito - .

Gaúcha de Alegrete, faleceu na cidade do Rio de Janeiro-RJ, onde residiu e foi ativa. Pintora, escultora e desenhista, realizou seus primeiros estudos no Rio de Janeiro, no ateliê de Pedro Luís Corrêa de Araújo, em 1948. Estudou a técnica de afresco em Paris, na Académie Julian, e em Florença, na Itália (1951). Inicialmente, produz obras figurativas, como cenas cotidianas e retratos. Realiza também uma série de pinturas de casarios, em que enfatiza a geometria. Posteriormente, sua produção adquire um caráter abstrato. No fim da década de 1960, passa utilizar novos suportes, abandonando a superfície bidimensional, e pintando sobre ripas, carretéis (bobinas de madeira para cabos elétricos) e bambus. Participa de várias edições da Bienal de São Paulo, com prêmio aquisição em 1967, e sala especial em 1975 e 1979. Em 2001, ano de seu falecimento, é realizada a retrospectiva Ione Saldanha e a Simplicidade da Cor, no Museu de Arte Contemporânea de Niterói - MAC/Niterói. "O que logo impressiona no desdobramento da pintura de Ione Saldanha, a partir da segunda metade dos anos 40, é a coerência interna do percurso, o rumo ordenado e lógico que a tem feito deslocar-se de um a outro ponto sem abandonar a concentração do interesse em alguns poucos problemas básicos (...). Na obra dos últimos 20 anos, Ione Saldanha, sem sair de seu casulo, alinhou-se numa via frequente da pintura contemporânea". PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 916, 917 e 918; ITAUCULTURAL; RGS, pág. 263/264



083 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
Lance Livre

Figura - desenho a nanquim - - 22 x 16 cm - canto inferior direito - 1947.

Pintor e desenhista figurativo, integrou o Grupo Santa Helena, juntamente com Volpi, Zanini e outros, e foi um dos organizadores e expositores do I Salão da Família Artística Paulista; suas figuras seguem a disciplina cubista da organização do espaço, destacando-se uma série de Músicos; dedicou-se a pinturas murais e à ilustração de obras literárias. MEC, vol. 2, pág. 280; PONTUAL, pág. 247/8; TEIXEIRA LEITE, pág. 225 a 227; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 784; LEONOR AMARANTE, pág. 58; Acervo FIEO.



084 - JULIO GUERRA - (1912 - 1989)
Lance Livre

"Relíquias de um nazareno / Rosas de Jericó" - escultura em bronze - - h = 66 cm - base - .

Natural de São Paulo. Escultor, frequentou a Escola de Belas Artes desta cidade, estudando com Amadeu Zani. Participou regularmente do Salão Paulista de Belas Artes, conquistando várias premiações, inclusive de viagem ao exterior, oferecida pelo Governo do Estado. MEC, vol.2, págs. 302,303; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 452; WALTER ZANINI, pág. 634.



085 - DJANIRA DA MOTTA E SILVA - (1914 - 1979)
Lance Livre

Vendedor de balões - guache - - 44 x 32 cm - canto inferior direito - 1953.

Pintora, desenhista e gravadora, natural de Avaré, SP. Foi aluna de Marcier. A partir de 1942 participa do SNBA, recebendo premiação em 1943, 1944 e 1950. Realizou exposições individuais. Participou de diversas coletivas e salões de arte, nacionais e internacionais, com excelente recepção da crítica especializada. Diz-se que sua pintura é ingênua, mas ela declarava que ingênua, era ela mesma. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 336; PONTUAL, pág. 181; TEIXEIRA LEITE, pág. 164; MEC, vol. 2, pág 58; WALMIR AYALA, vol. 1, pág, 263; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 810; ARTE NO BRASIL, pág. 824; Acervo FIEO.



086 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
Lance Livre

Marinha - acrílico sobre tela - - 50 x 50 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 2002.
Com certificado de autenticidade emitido pelo Estúdio Aldemir Martins.
Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.



087 - MARIA LEONTINA - (1917 - 1984)
Lance Livre

Estandarte - pastel - - 31 x 22 cm - canto inferior direito - 1965.
Ex coleção Noel Grimberg - Rio de Janeiro - RJ. -
Aluna de Waldemar da Costa, Maria Leontina é uma pintora que conquista o espectador pela finura de seus acostamentos cromáticos. Em 1947, integrava o Grupo dos 19, e, nos anos "50", passou por interessante fase geométrica. MEC, vol. 2, pág. 471; TEIXEIRA LEITE, pág. 309; PONTUAL, pág. 338; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 772; LEONOR AMARANTE, pág. 25; WALTER ZANINI, pág. 645.



088 - FRANCISCO DA SILVA - (1910 - 1985)
Lance Livre

Aves fantásticas - guache - - 56 x 77 cm - canto inferior direito - 1968.
Com carimbos do Mirante das Artes de Pietro Maria Bardi, no dorso.
Natural de Alto Tejo, Acre, foi o pintor FRANCISCO DA SILVA um primitivista, fabulista das lendas amazonenses, ativo no Ceará. Filho de índio peruano com brasileira, fixou-se ainda criança em Fortaleza. Foi descoberto artista em 1943, pelo também artista o suiço Jean Pierre Chabloz, que bancou suas primeiras tintas. O mesmo Jean Pierre, nove anos depois, lança-o em Paris. O crítico Rubens Navarra assim escreveu sobre a obra desse artista acreano: " ... os guaches desse artista indígena são qualquer coisa de muito sério. Esse índio é uma espécie de Dali em estado de natureza. Ao lado do seu surrealismo primitivo, chamemos assim, há um lado arte-aplicada que podia servir excelentemente para ornamentos de cerâmicas , lembrando estampas chinesas de pássaros ou antigos vasos de civilizações passadas." Já André Malraux qualifica-o de " um artista primitivo dentre os maiores do mundo." Expôs individualmente no Brasil a partir de 1943 e em diversas mostras coletivas no exterior, com premiações, destacando-se aquela recebida na XXXIII Bienal de Veneza, 1966. JULIO LOUZADA, vol. 3 pág. 1056; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE; ARTE NO BRASIL, Acervo FIEO; TEIXEIRA LEITE, pág. 478.



089 - MAURICE LELOIR - (1853 - 1940)
Lance Livre

Ventania - aquarela - - 27 x 20 cm - lado direito - .

Pintor, desenhista, gravador e ilustrador nascido e falecido em Paris. Foi aluno de seu pai Auguste Leloir, de seu irmão Louis Leloir, de sua mãe Héloise Colin-Leloir e de seu avô Alexandre Colin. Foi membro e depois presidente da Sociedade dos Aquarelistas Franceses. Ilustrador de J.J. Rousseau; Molière, Balzac, Musset, Alexandre Dumas pai e outros. Fundou a Sociedade da História dos Costumes onde foi presidente de 1906 a 1940. BENEZIT VOL.6, PÁG. 558; fineoldart.com; artcyclopedia.com; artnet.com; arcadja.com.



090 - LÊ PRUDÊNCIO - (1950)
Lance Livre

Toras - fotografia - Única - 75 x 100 cm - dorso - 2012.
Complemento de técnica: Impressão fine art ampliada em Canson Baryta photographique 310, no tamanho 0,75 x 1,00 cm, adesivada em dry foam. -
Artista, marchande, fotógrafa, com 40 anos de culturais, sempre autônoma, original e dedicada. Sua visão sobre o tempo, a luz, o espaço é sempre um novo convite ao olhar, jamais quotidiano.



091 - INOS CORRADIN - (1929)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre eucatex - - 91 x 62 cm - canto inferior esquerdo - .

Um dos valores da pintura em São Paulo. Corradin expôs com frequência na Europa e nos Estados Unidos, onde seus quadros são muito apreciados. Também tem se dedicado com igual talento e sucesso a escultura. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 152; PONTUAL, pág. 143; MEC, vol. 1, pág. 448; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 215; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



092 - GASTÃO FORMENTI - (1894 - 1974)
Lance Livre

"Rochedos na avenida Niemeyer" - óleo sobre madeira - - 27 x 25 cm - canto inferior direito e dorso - 1944 - Rio de Janeiro-RJ.

Pintor nascido em Guaratinguetá-SP. Após iniciar-se em arte com Pedro Strina, em São Paulo, foi residir no Rio de Janeiro, onde, com seu pai, dedicou-se à execução de vitrais. Recebeu medalhas de bronze e de prata no SNBA, do qual ainda participava em 1961. TEODORO BRAGA, pág. 98; WALMIR AYALA vol.1, pág.317; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



093 - MAPA -
Lance Livre

"Rio de Janeiro e arredores" - litografia - - 15 x 23 cm - - .
Publicado em 1895 na Alemanha. -



094 - CLODOMIRO AMAZONAS - (1893 - 1953)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre tela - - 38 x 46 cm - canto inferior esquerdo - 1918.

Clodomiro Amazonas Monteiro, nasceu em Taubaté-SP, e faleceu na Capital-SP. Pintor e restaurador, iniciou-se em pintura aos 16 anos, realizando restaurações em telas e afrescos do Convento Santa Clara, em Taubaté. Fixa residência em São Paulo em 1906, quando entra em contato com a obra de Baptista da Costa e tem aulas com o pintor Carlo de Servi. Manteve contato com intelectuais, escritores e artistas como Monteiro Lobato, Menotti del Picchia, Lucílio e Georgina de Albuquerque e também Pedro Alexandrino, entre outros. É um dos fundadores do Salão Paulista de Belas Artes, em 1934. Amazonas foi artista de méritos, cuja pintura, vazada num desenho de grande solidez, e um colorido realista, não deixa de irradiar certa rústica poesia. MEC, vol. 1, pág. 75; TEIXEIRA LEITE, pág. 26; PONTUAL, pág. 24; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 42; TEODORO BRAGA, pág. 72; ITAU CULTURAL, RUTH TARASANTCHI.



095 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
Lance Livre

"Manhã" - xilogravura - - 26 x 22 cm - canto inferior esquerdo - 1953.

Paulista de Araraquara, Lívio foi exímio gravador, desenhista, pintor, jornalista e professor. Autodidata, executou suas primeiras gravuras em madeira por volta de 1926. Sofreu influência de Lasar Segall, focalizando desde então de modo expressionista tipos e paisagens dos subúrbios paulistanos, inclusive temas de caráter social, como indicou Sérgio Milliet em sua obra de 1940. O autor, certa feita, assim falou de si próprio: "Geralmente persisto em um mesmo motivo por longo tempo: trabalho-o até que me pareça haver esgotado todas as possibilidades que ele oferece. Jamais pensei em fazer 'paisagens'. O que procuro é interpretar o sentido e a problemática da natureza de uma terra, a força dos sentimentos que ela provoca em mim, e assim, quanto mais de acordo com a minha própria natureza, tanto mais imediata surge a interpretaçãop plástica, como sucedeu, por exemplo, com meu 'encontro' com as 'arquiteturas' da realidade íntima da terra paraguaia. PONTUAL, pág. 1, JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 19; MEC vol.1, pág. 33; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 795; LEONOR AMARANTE, pág. 28; Acervo FIEO.



096 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
Lance Livre

Torso - escultura em bronze - - h = 42 cm - base - .

Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.



097 - FERNANDO COELHO - (1939)
Lance Livre

Natureza morta - óleo sobre tela - - 45 x 45 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1967.
Com etiqueta n° 0413 de Renot Galeria de Arte - São Paulo, SP, no dorso. -
Pintor baiano nascido em Salvador. Inicialmente publicitário de sucesso, dedica-se integralmente à pintura a partir de 1963. Além de exposições individuais nas Galerias Querino (Salvador), Astréia (SP), e Bonino (RJ), expôs na Alemanha e participou dos SNAM e BNAP. Produz pintura que, fixando paisagens urbanos, se situa entre o figurativismo e o abstracionismo. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 209/210; MEC, vol. 1,pág. 441; PONTUAL, pág. 139; TEIXEIRA LEITE, pág. 126; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 74.; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.



098 - DIONISIO DEL SANTO - (1925 - 1999)
Lance Livre

Composição - guache - - 18 x 18 cm - canto inferior direito - 1986.

Pintor, desenhista, gravador e serigrafista, nasceu em Colatina-ES, e faleceu em Vitória, naquele mesmo Estado. Autodidata. Em 1975, recebe o Prêmio de Melhor Exposição de Gravura do Ano, da APCA. Participou da 9ª Bienal Internacional de São Paulo, 1967 (Prêmio Itamarati Aquisição) e do Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1968 (Prêmio Isenção do Júri). JULIO LOUZADA vol.11, pág. 88; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 934.



099 - CARLOS LEÃO - (1906 - 1982)
Lance Livre

Nu - desenho a nanquim e aquarela - - 33 x 47 cm - canto inferior direito - .

Arquiteto, pintor e desenhista ativo no Rio de Janeiro. Participou com Lucio Costa no projeto do edifício sede do Ministério de Educação do Rio de Janeiro (1937). Excepcional desenhista, praticou igualmente a pintura, sempre fiel a uma só temática - "a mulher, seu corpo, seu mundo de amor, sexo e poesia". MEC, vol. 2, pág. 462/3; TEIXEIRA LEITE, pág. 281; PONTUAL, PÁG. 303; JULIO LOUZADA VOL.11, PÁG.171; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 602; ARTE NO BRASIL, pág. 746.



100 - SYLVIO PINTO - (1918 - 1997)
Lance Livre

Baiana - óleo sobre tela - - 100 x 81 cm - canto inferior esquerdo - .
Com certificado de autenticidade do Projeto Sylvio Pinto datado de 15/08/2005, firmado por Ubirajara Pinto Carreras - Rio de Janeiro, RJ.
Freqüentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro, lá recebendo suas primeiras noções de desenho. Mais tarde, recebe lições do pai - o Pinto das Tintas. Conheceu Pancetti na casa paterna. Em 1938 estudou no Núcleo Bernardelli e a partir de 1940 dedica-se exclusivamente à pintura. Participou de vários Salões de Belas Artes, recebendo inúmeros prêmios. MEC, vol. 3, pág. 419, Acervo FIEO.



101 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
Lance Livre

Estudo para o flautista - desenho a lápis e pastel - - 31 x 23 cm - canto inferior direito - 27.03.63.

Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.



102 - GIUSEPPE PERISSINOTTO - (1881 - 1965)
Lance Livre

Nu - óleo sobre tela - - 29 x 40 cm - canto inferior direito - .

Nascido em Musile, Veneza, Itália, veio para o Brasil ainda criança e cuja família radicou-se no interior de São Paulo. Fez estudos de pintura na Academia de Belas Artes de Veneza, para onde retornou aos dezoitos anos, prosseguindo para Florença e demais centros de arte da Itália onde se aperfeiçoou; retornou a cidade de São Paulo em 1912, dedicando-se exclusivamente a sua pintura que sempre teve como tema paisagens, marinhas naturezas mortas e figuras. Expôs em várias capitais do Brasil, com sucesso de crítica e público; foi um dos idealizadores do SPBA, ao lado de Souza Pereira e outros. ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.



103 - TOMOSHIGUE KUSUNO - (1935)
Lance Livre

Composição - desenho a nanquim - - 66 x 96 cm - canto inferior direito - 1988.
Ex coleção Kim Esteve. - São Paulo - SP. -
Natural de Yubari, Japão. Pintor, desenhista e gravador. A obra do autor situa-se no limiar entre o formalismo e o objeto. Individuais a partir de 1976, coletivas internacionais em 1982, e premiações diversas. JULIO LOUZADA, vol.4, pág.1101; MEC, vol.2, pág.430 e 431; PONTUAL, págs.295 e 296; TEIXEIRA LEITE, pág.274; WALMIR AYALA, vol.1, pág.452; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 968; LEONOR AMARANTE, pág. 171, Acervo FIEO.



104 - LIONELLO BERTI - (1927 - 1976)
Lance Livre

Composição - óleo sobre tela - - 100 x 70 cm - canto inferior esquerdo - .

Natural de Florença, Itália, onde fez seu aprendizado com Ottone Rosai na Academia de Belas-Artes de Florença. No Brasil desde 1957 (Rio de Janeiro, depois Ribeirão Preto-SP, onde faleceu), participou de diversas coletivas, recebendo premiações. Sua obra tem estilo expressionista. TEIXEIRA LEITE, pág. 74; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 84.



105 - JOAQUIM TENREIRO - (1906 - 1992)
Lance Livre

Pássaros - desenho a nanquim - - 24 x 24 cm - canto inferior direito - .

Português da cidade de Melo, Serra da Estrela, foi discípulo do Núcleo Bernardelli e de Quirino Campofiorito, no Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência definitiva no Brasil no ano de 1929. Fez o Curso de Desenho do Liceu Português, onde conquista o prêmio Joaquim Alves Meira, a maior láurea daquele estabelecimento. Tem pinturas suas figurando no MAM-SP, no MNBA e Museu Manchete-RJ. Mário Barata escreve a seu respeito: " Depois de uma fatura limpa, de acabamento preciso e claro, Tenreiro, mesmo prosseguindo com certo rigor estilistico, cedeu, ultimamente, 'a tentação das densidades de matéria e ao cromatismo baixo, 'as vezes terroso, cinza, que o informal bastante generalizou." É o renovador do mobiliário brasileiro, responsável por toda uma linha de criação em que a funcionalidade se alia o bom gosto e o aproveitamento racional dos materais do País. MEC, vol.4, págs.381 E 382; PONTUAL, pág.520,; TEIXEIRA LEITE, pág.504; WALMIR AYALA, vol.2, pág.376 e 377 ; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.320; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 580; ARTE NO BRASIL, pág. 763.



106 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
Lance Livre

Nu - escultura em bronze - - h = 25 cm - dorso - .
Reproduzida no livro "As artes de Carybé" de autoria de Emanoel Araújo. -
Desenhista, gravador, pintor e escultor, radicado na Bahia. Sua arte é lírica, de boa técnica, baseada no povo, que lhe forneceu o melhor da sua temática. PONTUAL, pág. 116; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 180 e 181; TEIXEIRA LEITE, págs. 111 e 112; MEC, vol.1, pág. 355; BENEZIT, vol. 2, pág. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717;ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.



107 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
Lance Livre

Carnaval - desenho a nanquim e guache - - 32 x 28 cm - canto inferior direito - .
Capa da revista Careta - Rio de Janeiro - RJ. -
Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista. Realizou mais de cem mil desenhos, não se conhecendo um único ruim. Observador arguto, retratou com maestria e humor o cotidiano de sua cidade natal, da qual, consta, ausentou-se por duas únicas ocasiões. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646.



108 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
Lance Livre

Rostos - desenho a nanquim - - 37 x 27 cm - canto inferior direito - 1962 - Paris.
Com etiqueta de Petite Galerie - Rio de Janeiro , no dorso. -
Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo (Rio de Janeiro RJ 1897 - idem 1976). Pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Inicia sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, reside em São Paulo, onde freqüenta o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons (1865 - 1939). Convive com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Mário de Andrade (1893 - 1945), Guilherme de Almeida (1890 - 1969), entre outros. Em 1921, ilustra A Balada do Enforcado, de Oscar Wilde (1854 - 1900), e publica o álbum Fantoches da Meia-Noite, editado por Monteiro Lobato (1882 - 1948). É o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expõe 12 obras. Em 1923, faz sua primeira viagem à França, onde atua como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, freqüenta a Academia Ranson, instala ateliê e conhece obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso (1881 - 1973), Georges Braque (1882 - 1963), Fernand Léger (1881 - 1955), Henri Matisse (1869 - 1954), Jean Cocteau (1889 - 1963) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta a São Paulo em 1926, trabalha como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. A estada em Paris marca um novo direcionamento em sua obra. Em 1938 viaja a Paris, onde trabalha na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retorna ao Brasil em 1940, trabalha como ilustrador, e publica poemas e memórias de viagem. Em 1972, seu álbum 7 Xilogravuras de Emiliano Di Cavalcanti é editado pela Editora Chile. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.



109 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre madeira - - 15 x 20 cm - canto inferior direito - .

Pintor nascido na Itália. Mecatti radicou-se no Brasil em 1940, após trabalhar por vários anos na Tripolitânia, no norte da África. É notável pela estilização de suas figuras e paisagens concebidas, em tons baixos e obedientes a uma composição pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 161/2; MEC, vol. 3, pág. 109; PONTUAL, pág. 352; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 72; TEIXEIRA LEITE, pág. 320; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



110 - TADASHI KAMINAGAI - (1899 - 1982)
Lance Livre

Flores - óleo sobre tela - - 65 x 54 cm - canto inferior direito e dorso - 1954.

Grande pintor japonês da Escola de Paris, amigo de Marquet, Vlaminch e Déiran, entre outros, passou no Brasil praticamente toda a década de 1940, aqui se ligando de amizades a pintores como Portinari, Pancetti e Djanira, e iniciando na arte vários jovens pintores de ascendência nipônica, como Flávio Shiró Tanaka, por exemplo. Autor de paisagem, naturezas mortas e retratos de excelente qualidade pictórica, Kaminagai veio freqüentes vezes ao Brasil, onde expôs com enorme sucesso. TEODORO BRAGA, pág.134; BENEZIT, vol.6, pág.152; WALMIR AYALA, vol.1, pág.435 e 437; MEC, vol.2, pág.401; PONTUAL, pág.287; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 643; ARTE NO BRASIL; Acervo FIEO.



111 - RENOT - (1932)
Lance Livre

Baianas - óleo sobre eucatex - - 23 x 16 cm - canto superior direito e dorso - 1980.

Tapeceiro, desenhista e pintor baiano, ativo em São Paulo desde 1978, com diversas premiações, exposições e leilões. Também atua no mercado de arte como "marchand". JULIO LOUZADA vol.1, pág. 816, Acervo FIEO.



112 - CHARLES LAPICQUE - (1898 - 1988)
Lance Livre

"Benediction Materalle" - litografia - 80/99 - 37 x 28 cm - canto inferior direito - 1966.
Reproduzido na página 82 sob o n° 292 do livro "Lapicque Estampes - Catalogue Raisonne". -
Importantissimo pintor, escultor e gravador francês, natural de Theizé, e falecido em Orsay, em 15 de julho de1988. Como engenheiro desenvolveu sua paixão pelos desenhos geométricos e perspectivas. Incentivado por Jacques Lipchitz, ele decide em 1928 dedicar-se mais à pintura. Em 1937, Lapicque foi contratado para executar 5 paineis decorativos para o Palais de la Découverte em Paris. Despertou particular interesse no Cubismo. Junto com Jean Bazaine e Maurice Estève formaram um grupo distinto da Ecole de Paris. BENEZIT, vol 6 pág. 442/443



113 - MAURICIO NOGUEIRA LIMA - (1930 - 1999)
Lance Livre

Composição - guache - - 19 x 20 cm - canto inferior direito - .

Natural da cidade do Recife, PE, o autor foi pintor, arquiteto, desenhista e professor. Frequentou o Instituto de Belas Artes de Porto Alegre, o MAM-SP e diplomou-se em arquitetura pela Faculdade Mackenzie-SP. Ligado ao grupo Ruptura, Maurício tornou-se um artista de acentuados princípios racionais, sendo o autor de algumas introduções no campo da animação ótica dos espaços, na seriação das construções e ainda na busca específica de retículas coloridas.Participou do Salão Paulista de Arte Moderna, onde obteve, dentre outros, o 1º Prêmio em Cartaz (1951 e 1957). Participou também do movimento de arte concreta, figurando nas exposições do MAM-SP (1956), no MEC-RJ (1957), na Exposição Internacional de Arte Concreta, em Zurique (1960), etc JULIO LOUZADA, vol 1, pags 678 e 679; ITAU CULTURAL.



114 - VIRGILIO LOPES RODRIGUES - (1863 - 1944)
Lance Livre

Vista da lagoa Rodrigo de Freitas - óleo sobre madeira - - 28 x 40 cm - canto inferior direito - .

Natural da cidade do Recife-PE, foi para o Rio de Janeiro em 1882, trabalhando com o leiloeiro J. Dias, onde encantou-se pela arte. Incentivado por Santa-Olalla, frequentou o Liceu de Artes da mesma cidade. Expôs em 1926, juntamente com Manuel Faria, Vicente Leite e outros. São belas as suas marinhas, e muito disputadas pelos colecionadores do gênero. MEC, vol. 4, págs. 94 e 95; PONTUAL, pág. 458; TEODORO BRAGA, pág. 240; TEIXEIRA LEITE, pág. 528; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.



115 - HEITOR DE PINHO - (1897 - 1968)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre eucatex - - 34 x 42 cm - canto inferior direito - .

Nascido e falecido na cidade do Rio de Janeiro, onde estudou na antiga Escola Nacional de Belas Artes. Foi discípulo de Rodolfo Chambelland, Batista da Costa, Lucílio de Albuquerque e Modesto Brocos. Participa de Salões Oficiais a partir de 1924, recebendo diversas premiações. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.247; MEC. Vol.3, pág.400; WALMIR AYALA. Vol.2, pág.194; TEIXEIRA LEITE, pág.408; PONTUAL, pág.426.



116 - NICOLAS VLAVIANOS - (1929)
Lance Livre

Composição - múltiplo em alumínio - 3/15 - h = 14 cm - base - 1992.

Natural de Atenas, Grécia, veio para o Brasil em 1961, após breve passagem por Paris em 1956, para estudar pintura. Dedicou-se inicialmente à escultura com soldagem de objetos metálicos de uso comum, passando mais tarde a acentuar a " pictorização de sua escultura ", no dizer de Mario Pedrosa, em 1966. Possui obras em diversos museus nacionais e coleção particulares de importância. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 1118; MEC, vol, 4, pág. 496; PONTUAL, pág. 546; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 769; LEONOR AMARANTE, pág. 136.



117 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
Lance Livre

Cavalo - xilogravura - - 66 x 65 cm - não assinado - .



118 - JOAQUIM TENREIRO - (1906 - 1992)
Base: R$ 12.000,00

"Estudo n° 3" - óleo sobre eucatex - - 97 x 67 cm - canto inferior direito e dorso - 1978.

Português da cidade de Melo, Serra da Estrela, foi discípulo do Núcleo Bernardelli e de Quirino Campofiorito, no Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência definitiva no Brasil no ano de 1929. Fez o Curso de Desenho do Liceu Português, onde conquista o prêmio Joaquim Alves Meira, a maior láurea daquele estabelecimento. Tem pinturas suas figurando no MAM-SP, no MNBA e Museu Manchete-RJ. Mário Barata escreve a seu respeito: " Depois de uma fatura limpa, de acabamento preciso e claro, Tenreiro, mesmo prosseguindo com certo rigor estilistico, cedeu, ultimamente, 'a tentação das densidades de matéria e ao cromatismo baixo, 'as vezes terroso, cinza, que o informal bastante generalizou." É o renovador do mobiliário brasileiro, responsável por toda uma linha de criação em que a funcionalidade se alia o bom gosto e o aproveitamento racional dos materais do País. MEC, vol.4, págs.381 E 382; PONTUAL, pág.520,; TEIXEIRA LEITE, pág.504; WALMIR AYALA, vol.2, pág.376 e 377 ; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.320; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 580; ARTE NO BRASIL, pág. 763.



119 - CÂNDIDO PORTINARI - (1903 - 1962)
Lance Livre

"Almocreve" - gravura - - 23 x 18 cm - canto inferior direito - .
Obra registrada no Projeto Cândido Portinari . -
Nasceu na cidade paulista de Brodósqui, e faleceu no Rio de Janeiro. Artista desde sua infância ( desenhava desde 5 anos), abraçou a arte pelo resto vida. Reconhecido nacional e internacionalmente, conheceu e desfrutou a glória ainda vivo. Desenhista, pintor e muralista, Portinari a exemplo dos grandes vultos da nossa história, deixa-nos um legado precioso de arte e cultura. BENEZIT, vol.8, págs. 440 e 441; REIS JUNIOR, págs. 383/386; TEODORO BRAGA, págs. 195/196; PONTUAL, págs. 432/433/434; MEC, vol.3, págs 427 a 429; MAYER.89, pág.1327; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 550; ARTE NO BRASIL, pág. 571; LEONOR AMARANTE, pág. 12; F. ACQUARONE, pág. 241.



120 - FLAVIO SHIRÓ TANAKA - (1928)
Lance Livre

Composição - técnica mista - - 50 x 65 cm - canto inferior direito - .
Reproduzido no convite deste leilão. -
Nasceu em Sapporo, Japão, imigrando com a família para o Brasil em 1932. Após estada no Pará, transfere-se para São Paulo em 1940, onde trava amizade com Octávio Araújo, Marcelo Grassmann e Luiz Sacilotto. Freqüenta o Grupo Santa Helena (1943). Em 1947, integra o Grupo Seibi, participa da mostra 19 Pintores e, em 1949, do Grupo 15. Em 1950, realiza a primeira individual na Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro. Com bolsa de estudo, viaja a Paris, onde permanece de 1953 a 1983. Estuda mosaico com Gino Severini, gravura em metal com Johnny Friedlaender e litografia na Escola Superior de Belas Artes de Paris; também freqüenta o ateliê de Sugai e Tabuchi. Nesse período, participa também do movimento artístico brasileiro e integra o Grupo Austral (Movimento Phases) de São Paulo.. JULIO LOUZADA vol.11, pág. 298.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 649; ARTE NO BRASIL, pág. 803; LEONOR AMARANTE, pág. 330.



121 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
Lance Livre

"Costa Amalfitana" - óleo sobre eucatex - - 20 x 30 cm - canto inferior direito - .
Com autenticação do artista no dorso. -
Nascido na Itália, radicou-se no Brasil. Seu estilo liga-se ao dos Macchiajoli oitocentistas (os equivalentes italianos dos impressionistas franceses) e ao de Pratella em especial. São especialmente notáveis suas paisagens e marinhas. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 168; JULIO LOUZADA vol.11, pág.54; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



122 - JORGE GUINLE FILHO - (1947 - 1987)
Lance Livre

Composição - óleo sobre papel - - 20 x 29 cm - canto inferior direito - 1980.

Pintor e desenhista. Expôs com regularidade no Rio e São Paulo a partir de 1973, com ótimo mercado. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág.482; LEONOR AMARANTE, pág. 312. Acervo FIEO.



123 - NICOLA DE CORSI - (1882 - 1956)
Lance Livre

Paisagem européia - óleo sobre tela - - 46 x 60 cm - canto inferior direito - .

Embora tenha nascido na Rússia, a ascendência de Nicola de Corsi era espanhola, e toda a sua formação se deu em Nápoles, Itália, para onde se transferiu com toda a família ainda quando pequeno. Foi discípulo de Giacinto Gigante. Expôs na Bienal de Veneza em 1910. Esteve duas vezes no Brasil, onde mostrou o seu precioso trabalho. O jornal O Estado de São Paulo o chamou de Pintor das Multidões. JULIO LOUZADA vol.1, pág.315; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 539, RUTH TARASANTCHI.



124 - JOAQUIM INSLEY PACHECO - (1830 - 1912)
Lance Livre

Paisagem - guache - - 20 x 26 cm - canto inferior direito - .

Pintor e fotógrafo, o autor nasceu na cidade portuguesa de Cabeceiras de Basto, e faleceu na cidade do Rio de Janeiro. Aprendeu daguerreotipia inicialmente com Frederick Walter (responsável pela introdução do invento no Ceará), antes de se aperfeiçoar em Nova York (Estados Unidos), onde estudou com dois dos mais célebres profissionais da época: Mathew Brady e Jeremiah Gurney. De volta ao Brasil, abriu um estúdio no Rio de Janeiro (RJ), tornando-se em pouco tempo um dos mais requisitados retratistas da Corte. Teve participação destacada em seis edições da Exposição Geral de Belas Artes da Academia Imperial, bem como nas três Exposições Nacionais realizadas durante o período imperial, conquistando uma medalha de cobre na primeira, em 1861, e uma de prata na segunda, em 1866. Participou ainda de diversas exposições internacionais, sendo premiado com a medalha de primeira classe na Exposição Internacional do Porto (Portugal, 1865); e a medalha de ouro da Lousiana Purchase Exposition (EUA, 1904). Pintor paisagista, executava também as fotopinturas de seu estabelecimento. Foi agraciado com o título de Photographo da Casa Imperial em 22 de dezembro de 1855. MEC. vol. 3 , pág. 325.; ITAU CULTURAL.



125 - ANA ANDRADE - (1953)
Lance Livre

"De Veneza" - gravura - 10/15 - 20 x 30 cm - canto inferior direito - 1984.
Complemento de técnica: maneira negra e ponta seca. -
Ana Cristina Andrade Moreira é pintora, gravadora, desenhista, professora e designer vidreira. Iniciou sua formação artística na Escola Superior de Arte Santa Marcelina, SP (1972-1975). Aprendeu gravura em metal (1980-1990) com Iole Di Natale; técnicas de gravura na Scuola Internazionale di Gráfica em Veneza, Itália (1983); Gravura Especial com Evandro Carlos Jardim, no MAC-SP (1991); Técnica Calcográfica Experimental com Mario Benedetti, na FASM-SP (1997); Vitrofusão com Roberto Bonino. Exposições individuais: São Paulo, SP (1984, 1987, 1995, 2003); Bauru, SP (1989); “Projeto Interior com Arte” – Museu Banespa (1998 – Exposição itinerante pelo interior do Estado de São Paulo). Coletivas: Epinal, França (1975); São Paulo, SP (1974,1982,1984,1985,1986,1988,1994,1995,2000,2002 a 2004); Santo André,SP (1982); Novo Hamburgo, RS (1982); Taiwan, China (1983,1985); San Juan, Porto Rico (1983); Santos, SP (1983); Cabo Frio, RJ (1983); Ribeirão Preto,SP (1984); Curitiba, PR (1984); Piracicaba,SP (1984); Veneza, Itália (1984,1985); Campinas, SP (1985); São José do Rio Preto, SP (1986); Limeira, SP (1986); Washington D.C.,EUA (1991); Campos do Jordão, SP (1991); Kanagawa, Japão (1992); Maastricht, Holanda (1993); Illinois, EUA (1994); Cidade do México, México (1996); Jacareí, SP (1998); Budapeste, Hungria (1996); Uzice, Yuguslávia (1997); Ourense, Espanha (1994,2006). Prêmios: São Paulo, SP (1974); Novo Hamburgo, RS (1982); Santos, SP (1983); Ribeirão Preto, SP (1984); Curitiba, PR (1984); Piracicaba, SP (1984); Campinas, SP (1985); São José do Rio Preto, SP (1986). JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 62; vol.2, pág. 66; Acervo FIEO. ITAU CULTURAL.



126 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
Lance Livre

Cascudas - óleo sobre eucatex - - 42 x 36 cm - canto inferior esquerdo - .

Nascido em Manaus, pioneiro mundial da arte não-figurativa (a qual já praticava desde 1916), Santiago estudou no RJ com Visconti, e foi o principal responsável pelo Núcleo Bernardelli, no qual se formaram tantos dos melhores artistas do Modernismo carioca. Sua arte é um neo-impressionismo de belo colorido e opulentos efeitos de textura. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, pág. 241; TEODORO BRAGA, pág. 211/212; Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, MEC-MNBA / /Rio/1944; MAYER/84, pág. 1158; REIS JR., pág. 378; PONTUAL, pág. 473; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 292; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.



127 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
Lance Livre

São Francisco - escultura em bronze - - h = 24 cm - assinado - .
Ex coleção Evaldo Tadeu de Oliveira - Pirajuí, SP. -
Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.



128 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
Lance Livre

Mulata - desenho a lápis - - 21 x 13 cm - canto inferior direito - .

Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo (Rio de Janeiro RJ 1897 - idem 1976). Pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Inicia sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, reside em São Paulo, onde freqüenta o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons (1865 - 1939). Convive com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Mário de Andrade (1893 - 1945), Guilherme de Almeida (1890 - 1969), entre outros. Em 1921, ilustra A Balada do Enforcado, de Oscar Wilde (1854 - 1900), e publica o álbum Fantoches da Meia-Noite, editado por Monteiro Lobato (1882 - 1948). É o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expõe 12 obras. Em 1923, faz sua primeira viagem à França, onde atua como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, freqüenta a Academia Ranson, instala ateliê e conhece obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso (1881 - 1973), Georges Braque (1882 - 1963), Fernand Léger (1881 - 1955), Henri Matisse (1869 - 1954), Jean Cocteau (1889 - 1963) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta a São Paulo em 1926, trabalha como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. A estada em Paris marca um novo direcionamento em sua obra. Em 1938 viaja a Paris, onde trabalha na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retorna ao Brasil em 1940, trabalha como ilustrador, e publica poemas e memórias de viagem. Em 1972, seu álbum 7 Xilogravuras de Emiliano Di Cavalcanti é editado pela Editora Chile. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.



129 - LEVINO FANZERES - (1884 - 1956)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre tela - - 38 x 61 cm - canto inferior direito - Vestígios.
Com autenticação da filha do autor, no dorso. -
Pintor e professor. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios e na antiga ENBA, ambas no Rio de Janeiro, recebendo nesta última, orientação de Zeferino da Costa e de João Batista da Costa. Excepcional colorista, interpreta com sentimento e honestidade o momento da natureza que se propõe a retratar, e sempre com admirável êxito. TEIXEIRA LEITE, pág.190; PONTUAL, pág.201; JULIO LOUZADA vol.2, pág.387; ITAU CULTURAL.



130 - WESLEY DUKE LEE - (1931 - 2010)
Lance Livre

"Não olhe!!! É só o meio... É só o começo..." - desenho a nanquim, guache, aquarela e colagem - - 65 x 45 cm - canto inferior direito - 1957/1976.
Reproduzido no convite deste leilão. -
Pintor, desenhista, gravador e artista gráfico. Iniciou seus estudos de desenho em 1950, no MASP. Em 1952 viajou para os USA para dedicar-se ao aprendizado de artes gráficas na Parson's School of Design (Nova York). De volta ao Brasil trabalhou no campo da pintura e do desenho, aperfeiçoando-se com Karl Plattner, em São Paulo, em 1957. Em seguida transferiu-se para Paris, onde estudou gravura com Johnny Friedlaender. Participou de diversas exposições coletivas e Bienais no Brasil e no exterior, realizando individuais por todo o Brasil. No catálogo da mostra "O Artista e a Máquina", de 1966, foi dito à seu respeito: "Inquieto, sofisticado, cosmopolita e dotado de um vivaz senso de humor (...) representa no Brasil a vanguarda internacional de pesquisa estética que enfeixa sobre o título de "realismo mágico". MEC, vol.2, pág.465; WALMIR AYALA, vol.1, pág.466; TEIXEIRA LEITE, pág. 282; PONTUAL, pág.305 e 306; JULIO LOUZADA, vol.8, pág.459; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 815; LEONOR AMARANTE, pág. 143. Acervo FIEO.



131 - BORJALO - (1925 - 2004)
Lance Livre

Cortando cana - desenho a nanquim - - 29 x 40 cm - canto inferior esquerdo - .

Caricaturista, Mauro Borja Lopes nasceu em Pitangui, MG. Em 1947 começou a trabalhar, na Folha de Minas, com caricaturas esportivas; a seguir , no Diário de Minas, com caricaturas políticas; no Rio de Janeiro, a partir de 1953, nas revistas: O Cruzeiro, A Cigarra e Manchete. Figurou também nas publicações estrangeiras: Washington Post, Sport Life, Stag, Picture Post, Sport et Vie, Sétimo Giorno, Aptonbladet e Combate. Participou do álbum Seis Desenhistas Brasileiros de Humor (1962) e foi premiado no Festival de Bordighere. Exposições coletivas: em 1997: São Paulo, Belo Horizonte e Campinas; em 1998: Brasília e Penápolis, SP. ITAÚ CULTURAL; MEC VOL.1, PÁG. 252.



132 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
Lance Livre

Composição - guache - - 32 x 20 cm - canto inferior esquerdo - .

Pintor e desenhista figurativo, integrou o Grupo Santa Helena, juntamente com Volpi, Zanini e outros, e foi um dos organizadores e expositores do I Salão da Família Artística Paulista; suas figuras seguem a disciplina cubista da organização do espaço, destacando-se uma série de Músicos; dedicou-se a pinturas murais e à ilustração de obras literárias. MEC, vol. 2, pág. 280; PONTUAL, pág. 247/8; TEIXEIRA LEITE, pág. 225 a 227; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 784; LEONOR AMARANTE, pág. 58; Acervo FIEO.



133 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
Lance Livre

Composição - desenho a lápis e aquarela - - 28 x 41 cm - canto inferior direito - 1964.

Grande pintor brasileiro, nascido em Fortaleza, Ceará e falecido em Paris onde viveu a maior parte de sua curta e rica vida. Começando figurativo, num estilo expressionista, adotou, já em França, um não figurativismo lírico, algo à maneira do grande Wols, seu amigo que iria manter até o precoce fim. É um dos pioneiros da arte abstrata no Brasil. BENEZIT, vol.1, pág.415; MEYER/87, pág.606; MEC, vol.1, págs.159,160 e 167; PONTUAL, págs. 48 e 49; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 71 a 74; TEIXEIRA LEITE, pág. 52 a 54; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 599; LEONOR AMARANTE, pág. 34; Acervo FIEO.



134 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
Lance Livre

"Paleta" - acrílico sobre tela colado em madeira - - 60 x 80 cm - centro inferior - 2003.
Com certificado de autenticidade emitido pelo Estúdio Aldemir Martins. -
Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.



135 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
Lance Livre

Vaso de flores - desenho a nanquim e aquarela - - 32 x 24 cm - canto inferior esquerdo - 24/05/1954-Rio de Janeiro.
Com a seguinte dedicatória: "Para o meu amigo C. Maia of. R. Burle Marx - Rio 24.5.54" -
Nasceu em São Paulo e faleceu no Rio de Janeiro. Pintor, paisagista, arquiteto, desenhista, pintor, gravador, litógrafo, escultor, tapeceiro, ceramista, designer de jóias, decorador. Durante a infância viveu no Rio de Janeiro. Foi com a família para a Alemanha, em 1928. Em 1929, freqüentou o ateliê de pintura de Degner Klemn. Nos jardins e museus botânicos de Dahlen, em Berlim, entusiasmou-se ao encontrar exemplares da flora brasileira. De volta ao Brasil, fez curso de pintura e arquitetura na Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1930 - 1934), onde foi aluno de Leo Putz , Augusto Bracet e Celso Antônio. Seu primeiro projeto paisagístico foi para a arquitetura de Lúcio Costa e Gregori Warchavchik, em 1932. Entre 1934 e 1937, ocupou o cargo de diretor de parques e jardins do Recife, PE, onde passou a residir. Nesse período, foi com freqüência ao Rio de Janeiro e teve aulas com Candido Portinari e com o escritor Mário de Andrade. Em 1937, retornou ao Rio de Janeiro e trabalhou como assistente de Candido Portinari. Foi em 1949, conforme sua paixão por plantas e seu interesse por botânica e jardinagem, que Burle Marx adquiriu um sítio em Barra de Guaratiba, RJ. Com auxílio de botânicos, viajou, coletou, catalogou exemplares de plantas do Brasil e reproduziu em seu sítio a diversidade fitogeográfica brasileira. Em 1985 doou esse sítio, com todo o seu acervo, à extinta Fundação Nacional Pró Memória, atual Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN.Realizou muitas exposições individuais e projetos paisagísticos, participou de diversas mostras oficiais coletivas pelo Brasil e no exterior. PONTUAL, PÁG. 94; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 93; MEC. VOL.1, PÁG.303; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG.564; ARTE NO BRASIL, PÁG. 738; LEONOR AMARANTE, PÁG. 98; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 179; artnet.com.



136 - ANTONIO POTEIRO - (1925 - 2010)
Lance Livre

Índios - óleo sobre tela - - 46 x 50 cm - canto inferior direito e dorso - .

Português de Braga, viveu em São Paulo e Minas Gerais, radicando-se definitivamente em Goiânia, desde 1967. O sobrenome artístico Poteiro vem das obras em barro e cerâmica que trabalhou por mais de 12 anos, até se transformar no pintor original e vigoroso que foi. Amigo de Siron Franco, seu grande incentivador na pintura. WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 217; TEIXEIRA LEITE, págs 31 e 32; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 808; LEONOR AMARANTE, pág. 294, Acervo FIEO.



137 - JOSÉ MARQUES CAMPÃO - (1892 - 1949)
Lance Livre

Casario - aquarela - - 37 x 45 cm - canto inferior direito - 1939.

Excelente paisagista paulistano, aluno de Oscar Pereira da Silva, da Academia Julian - Paris, e da Escola Nacional Superior de Belas Artes de Paris, entre 1912 e 1918. Foi membro da Comissão de Orientação Artística de São Paulo em 1944. Expôs no Salão dos Artistas Franceses e em diversas exposições coletivas e individuais. TEODORO BRAGA, pág. 61/62; PONTUAL, pág. 102; MEC, vol. 1, pág. 331; REIS JR., pág. 374; WALMIR AYALA, vol. 1,pág. 160; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.



138 - ÉLVIO BECHERONI - (1934 - 2000)
Lance Livre

Composição - múltiplo em bronze - 158/250 - d = 17 cm - assinado - .

Escultor e pintor natural de Florença, Itália, onde nasceu a 23/2/1934, e falecido em São Paulo-SP, onde residia e foi ativo. Iniciou suas atividades em 1962, participando no decorrer de sua carreira de diversas e importantes exposições nacionais e internacionais, tais como o Prêmio Juan Miró, em Barcelona, Espanha. Artista que alcançou renome internacional, constando inclusive de catálogo internacional de arte. JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 32



139 - BELMONTE, BENEDITO BASTOS BARRETO - (1887 - 1947)
Lance Livre

Nossa Senhora - desenho a nanquim - - 30 x 23 cm - canto inferior direito - .

Nascido em São Paulo. Desenhista, caricaturista e jornalista. Depois de estrear na imprensa ilustrada em 1912, popularizou-se com a criação do personagem Juca Pato, na Folha da Noite, de São Paulo. Na Folha da Manhã , de São Paulo, apresentou, de 1936 em diante, diversas caricaturas de campanha contra o nazismo. Além dos álbuns de desenhos que publicou - como Angústias do Juca Pato (1926), O Amor através dos Séculos (1928) e No Reino da Confusão (1939) - ilustrou livros infantis de Monteiro Lobato. TEODORO BRAGA, pág. 49 e 50; PONTUAL, pág. 67; MEC, vl. 1, pág. 213; TEIXEIRA LEITE, pág. 69; JULIO LOUZADA, vol.10, pág. 103; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 100; ARTE NO BRASIL, pág. 392; WALTER ZANINI, pág. 806; Acervo FIEO.



140 - GEORGINA DE ALBUQUERQUE - (1885 - 1962)
Lance Livre

Feira - óleo sobre madeira - - 20 x 18 cm - canto inferior esquerdo - .
Reproduzido no convite deste leilão. Com etiqueta Casa Vieitas Rua da Quitanda, 99 - Rio de Janeiro, RJ, no dorso. Procedente das coleções: Dr. Waldemar Teixeira de Carvalho - Santos - São Paulo e Dr. Raul Villaboim de Carvalho, Ex Presidente da Sociarte - São Paulo, SP. -
Pintora e professora. Aos 15 anos, inicia sua formação artística com o pintor italiano Rosalbino Santoro (1858 - s.d.). Muda-se para o Rio de Janeiro em 1904, matricula-se na Escola Nacional de Belas Artes - Enba e estuda com Henrique Bernardelli. Em 1906, casa-se com o pintor Lucílio de Albuquerque e viaja para a França. Em Paris, frequenta a École Nationale Supérieure des Beaux-Arts e ainda a Académie Julian, onde é aluna de Henri Royer. Volta ao Brasil em 1911, expõe em São Paulo e, partir dessa data, participa regularmente da Exposição Geral de Belas Artes. De 1927 a 1948, leciona desenho artístico na Enba e, em 1935, é professora do curso de artes decorativas do Instituto de Artes da Universidade do Distrito Federal. Em 1940, em sua casa no bairro de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, funda o Museu Lucílio de Albuquerque, e institui um curso pioneiro de desenho e pintura para crianças. Entre 1952 e 1954, exerce o cargo de diretora da Enba. TEIXEIRA LEITE, págs. 15 e 16; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 22 a 26; TEODORO BRAGA, pág. 107; REIS JR., pág. 370; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs.17 e 141; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 455; ARTE NO BRASIL, pág 574; Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.



141 - GALDINO GUTTMANN BICHO - (1888 - 1955)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre tela - - 30 x 38 cm - canto inferior direito - .
Procedente das coleções: Dr. Waldemar Teixeira de Carvalho - Santos - São Paulo e Dr. Raul Villaboim de Carvalho, Ex Presidente da Sociarte - São Paulo, SP. -
Nascido em Petrópolis, passou sua infância em Sergipe, transferindo-se para o Rio de Janeiro, onde iniciou seus estudos. Foi aluno de Zeferino da Costa e de Rodolpho Amoedo. Recebeu diversos prêmios pelas suas participações em Salões Nacionais, inclusive o de Viagem à Europa em 1921. De espírito inquieto e temperamento polêmico, foi elemento ativo na vida artística carioca, sobretudo antes do predomínio das tendências modernas de que fora um dos precursores, pelo gosto nas pesquisas de luz dos impressionistas. LAUDELINO FREIRE, pág. 512; TEODORO BRAGA, pág. 114; REIS JUNIOR, pág. 372; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 104; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 2, pág. 248; ARTE NO BRASIL, pág. 602.



142 - ADRIANO GAMBIM - (1983)
Lance Livre

"Trabalhadores rurais" - xilogravura - 3/10 - 32 x 25 cm - canto inferior direito - 2007.

Pintor, desenhista, gravador e professor. Sua formação artística foi na IMESP e UNESP, São Paulo. Realizou exposições individuais em Guarulhos (2008, 2009, 2010) e tem participado de várias mostras coletivas e Salões individuais, destacando-se: Guarulhos, SP (2007 a 2011); Ribeirão Preto, SP (2010); Santo André, SP (2010); Santos, SP (2011); Ceará (2012); Espanha (2005 a 2008); México (2009); Itália (2007, 2009); Romênia (2007, 2010). Foi premiado em: Guarulhos, SP (2007 a 2009, 2011); Mairiporã, SP (2011); Espanha (2011); Araraquara, SP (2012); Araras, SP (2012).



143 - JOÃO BAPTISTA CASTAGNETO - (1862 - 1900)
Lance Livre

Paisagem - desenho a nanquim - - 21 x 25 cm - canto inferior direito - 1890.

Pintor especializado em marinhas, foi aluno de Georg Grimm, exímio colorista, fez impressionismo institivamente; pintou em geral pequenos quadros a óleo, usando como suporte até tampas de caixas de charuto; fez também aquarelas e desenhos. MEC vol.1, pág. 368; PONTUAL, págs. 117/118; TEIXEIRA LEITE, pág. 112; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 416; LEONOR AMARANTE, pág. 42.



144 - HAYDÉA SANTIAGO - (1896 - 1980)
Lance Livre

Flores - óleo sobre tela - - 46 x 38 cm - canto inferior direito - .

Natural da cidade do Rio de Janeiro, onde veio a falecer. Estudou na Escola Nacional de Belas Artes. Foi aluna de Modesto Brocos e Amoedo. Aperfeiçoou seus estudos com Eliseu Visconti. Residiu em Paris com o marido, Manoel Santiago, de 1928 a 1932, participando do Salão de Artistas Franceses. No Brasil recebu diversas premiações no SNBA, bem como nos diversos Salões Oficiais de que participou, tais como SPBA, SMBA-RJ, SNAM e na I BSP. Teve como temas a paisagem, a figura, a natureza morta e o gênero. REIS JUNIOR, vol. 1, pág. 146; TEODORO BRAGA, pág. 211; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 290 e 292; TEIXEIRA LEITE, pág. 460; ITAÚ CULTURAL..



145 - ODETTE EID - (1922)
Lance Livre

Rostos ao vento - múltiplo em bronze - - h = 18 cm - assinado - .
Reproduzido no jornal da Galeria Skultura do outono de 1987. Com atestado de procedência de Skultura Galeria de Arte, São Paulo - SP. Base "no estado". -
Natural de Zahle, Líbano, ODETTE EID sempre foi uma estudiosa da sua arte maior, que é a escultura. Frequentou os ateliês dos grandes mestres nacionais, como Becheroni e Calabrone. Em vôo solo expôs na Europa em Salões e Galerias de renome. Segundo a crítica especializada, a escultura de ODETTE EID "é fluída, volátil e leve". (Alberto Beuttenmuller). JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 119



146 - ATHOS BULCÃO - (1918 - 2008)
Lance Livre

Estudo - pastel - - 23 x 20 cm - canto inferior direito - .

Pintor e desenhista. Começou a dedicar-se a arte estimulado por Portinari, que, em 1945, o convidou a trabalhar nas obras da Pampulha, em Belo Horizonte. No ano anterior realizara exposição individual na sede recém-inaugurada do Instituto dos Arquitetos do Brasil no Rio de Janeiro, voltando a fazê-lo na Capital mineira em 1946 e 1947. Já então conquistara medalhas de prata em pintura e desenho no SNBA. Recebendo bolsa de estudos no governo francês, viajou em 1948 para Paris, onde permaneceu um ano, visitando ainda a Itália. De regresso ao Brasil, passou a dedicar-se também a trabalhos no campo da decoração. Residindo mais recentemente em Brasília, ali criou azulejos e vitrais para a Igreja de Nossa Senhora de Fátima, com motivos cristãos da Pomba e da Estrela, símbolos do Divino Espírito Santo e da natividade. Participou como isento de júri dos II SAMDF (1965), realizando em 1968 exposição individual de desenhos em Brasília (Galeria Encontro). Rubem Braga focalizou-o em uma crônica publicada na revista Manchete (14 de agosto de 1954). TEODORO BRAGA, PÁG. 59; MEC, vol. 1, pág. 301; WALMIR AYALA, vol.1, pág. 140; PONTUAL, pág. 93; TEIXEIRA LEITE, pág. 92; JÚLIO LOUZADA, vol. 7, pág.112; ITAÚ CULTURAL.



147 - JUAREZ MACHADO - (1941)
Lance Livre

O pintor - desenho a nanquim - - 42 x 30 cm - canto inferior esquerdo - 1970.

Nasceu em Joinville, SC. Atualmente reside e trabalha em Paris, França, onde mantem ateliê. Pintor, escultor, desenhista, caricaturista, jornalista, cenógrafo, escritor e ator. Desenvolveu sólida carreira como desenhista de charges de humor. Sua arte essencialmente criativa, vai do lirismo à violência, da análise microscópica ao extravasamento onírico. Entre as exposições de que participa, destacam-se: 9ª Bienal Internacional de São Paulo, 1967; Zona Gallery, Nova Iorque (Estados Unidos), 1981; Retrospectiva Quatro Artistas da Geração 60, no MAC/PR, Curitiba, 1987; Châteaux Bordeaux, no Centro Georges Pompidou, Paris, 1988; Retrospectiva, no MAC/Joinville, 1990; Arte na América Latina: 100 Anos de Produção, no Instituto Estadual de Artes Plásticas da UFRGS, Porto Alegre, 1996. "Juarez Machado expõe a natureza humana, olha, registra, interpreta, ilumina, focaliza. É o mundo dos humanos, mas não é o mundo do juiz dos homens. Aqui não estamos no Juízo Final. Juarez é o artista contemporâneo, ele tem este olhar elaborado pela ciência, o grau de consciência reflexiva. Podemos dizer deste ponto de vista, que esta obra humanística e esta atitude de intensa pesquisa confere ao seu trabalho um caráter anti-medieval." Jacob Klintowitz in: "Juarez Machado - Copacabana 100 Anos, Ed. Simões de Assis, 1992." JULIO LOUZADA vol.11, pág. 186; PONTUAL, pág.284; Acervo FIEO; ITAU CULTURAL; MEC, vol. 3; TEIXEIRA LEITE, pág. 298. Acervo FIEO.



148 - RUBEM LUDOLF - (1932 - 2010)
Lance Livre

Composição - guache - - 20 x 26 cm - canto inferior direito - .

Batizado Rubem Mauro Cardoso Ludolf, o artista nasceu em Maceió-AL. Foi pintor, arquiteto e paisagista, formou-se em 1955 pela Escola Nacional de Arquitetura da Universidade Brasil-RJ. Foi aluno de Ivan Serpa no curso livre de pintura do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ. Integrou o Grupo Frente entre 1955 e 1956. "Apesar de os artistas concretos do Rio de Janeiro logo terem se desvinculado da ortodoxia do Grupo Ruptura de São Paulo, criando o movimento neoconcreto, Ludolf manteve-se fiel aos princípios teóricos que nortearam o manifesto paulista. Sua obra seguiu regularmente as questões das estruturas seriadas,dos efeitos ópticos orientados pela visão gestáltica do espaço, da cor programada." Ligia Canongia, in PROJETO Arte Brasileira: abstração geométrica 2. Rio de Janeiro: Funarte. Instituto Nacional de Artes Plásticas, 1988. O artista expõe individualmente a partir de 1958 e coletivamente participa de exposições desde 1954. ITAUCULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 292; WALTER ZANINI, pág. 676; MEC, vol. 2, pág. 511.



149 - ENRIQUE ATALAYA - (1851 - 1914)
Lance Livre

Batizado - óleo sobre madeira - - 20 x 14 cm - canto inferior direito - déc. 1890.
Reproduzido sob o nº 46 em catálogo de leilão de Soraia Cals, Rio de Janeiro - RJ, realizado nos dias 22 e 23 de novembro de 2011. -
Pintor da Escola Espanhola nascido em Múrcia. Foi aluno de G. Hernandy. Expôs em Madri em 1876, depois em Berlim e Dresde - Alemanha e em Paris na Exposição de 1900 e dos Artistas Franceses. BENEZIT VOL.1, PÁG. 301; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 77; artfact.com; artnet.com; arcadja.com; artrenewal.org; pintorescatalanes.blogspot.com.br.



150 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
Base: R$ 10.000,00

Pescadores - óleo sobre tela - - 50 x 90 cm - canto inferior esquerdo - Giordano Felice - Nápoli.
Reproduzido no convite deste leilão. -
Pintor nascido na Itália. Mecatti radicou-se no Brasil em 1940, após trabalhar por vários anos na Tripolitânia, no norte da África. É notável pela estilização de suas figuras e paisagens concebidas, em tons baixos e obedientes a uma composição pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 161/2; MEC, vol. 3, pág. 109; PONTUAL, pág. 352; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 72; TEIXEIRA LEITE, pág. 320; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



151 - ARTHUR LUIS PIZA - (1928)
Lance Livre

"Limites contra dictoires" - gravura - 78/99 - 43 x 29 cm - canto inferior direito - .
Reproduzido sob o número 187 do livro "Piza: catálogo geral da obra gravada". -
Gravador, desenhista, pintor e escultor, nasceu em São Paulo, SP. Assina Piza. Iniciou a formação artística em 1943, estudando pintura e afresco com Antonio Gomide. Após participar da 1ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1951, viajou para a Europa e passou a residir em Paris. Freqüentou o ateliê de Johnny Friedlaender, aperfeiçoando-se nas técnicas de gravura em metal. Realizou muitas exposições individuais e coletivas, participou de vários Salões oficiais e obteve importantes prêmios: Bienal Internacional de São Paulo (1953, 1959); Trienal de Grenchen, Suíça (1961); Bienal de Liubliana, atual Eslovênia (1961); Exposição Internacional de Havana, Cuba (1965); Bienal de Santiago do Chile (1965); Bienal de Veneza (1966); Bienal de Cracóvia, Polônia (1970); Bienal Internacional de Florença, Itália (1970); Bienal de San Juan, Porto Rico (1970, 1979); Mostra de Gravura, Curitiba – PR (1978); Bienal da Cidade do México (1980). No fim dos anos 1980, cria um mural tridimensional para o Centro Cultural da França, em Damasco, Síria. Em 2002, são apresentadas na Pinacoteca do Estado de São Paulo e no Museu de Arte do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, duas amplas retrospectivas de sua obra. BENEZIT VOL. 8, PÁG. 370; MEC, VOL. 3, PÁG. 422; PONTUAL, PÁG. 428/29; JÚLIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG. 773; VOL. 2, PÁG. 823; VOL. 4, PÁG.899; VOL.6, PÁG. 896; VOL.13, PÁG. 268; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, PÁG. 855; LEONOR AMARANTE, PÁG. 75; ACERVO FIEO; artfacts.net; artcyclopedia.com; artnet.com; artprice.com



152 - BENEDITO CALIXTO DE JESUS - (1853 - 1927)
Base: R$ 15.000,00

Matriz colonial de Santos - aquarela - - 23 x 34 cm - canto inferior direito - .
Com certificado de autenticidade firmado por Celso Calixto Rios. -
Pintor, professor, historiador, ensaísta, nascido em Conceição de Itanhaém, SP e falecido em São Paulo. Transferiu-se para Brotas, SP, onde adquiriu noções de pintura com o tio Joaquim Pedro de Jesus, ao auxiliá-lo na restauração de imagens sacras de uma igreja local. Realizou sua primeira individual em São Paulo, no ano de 1881. Fixou-se por algum tempo em Santos e depois de ter executado a decoração do Teatro Guarani, partiu para Paris em 1883, estudando na Academia Julian e no ateliê de Jean François Raffaëlli. Retornou ao Brasil em 1885 e passou a residir em São Vicente. Produziu inúmeras marinhas em que representa o litoral paulista; realizou diversos painéis de temas religiosos para igrejas na capital e interior do Estado de São Paulo; pintou vistas de antigos trechos das cidades de São Paulo, Santos e São Vicente para o Museu Paulista da Universidade de São Paulo, por encomenda do diretor do museu o historiador Afonso d´Escragnolle Taunay. Dedicou-se também a estudos históricos da região e à preservação de seu patrimônio e publicou, entre outros, os livros 'A Vila de Itanhaém' (1895) e 'Capitanias Paulistas' (1924). Existem obras suas nos acervos de diversos museus brasileiros. TEODORO BRAGA PÁG. 51; REIS JR PÁG. 214; LAUDELINO FREIRE PÁG. 387; PONTUAL PÁG. 68/69; MEC VOL.1, PÁG. 326/327; WALMIR AYALA VOL.1, PÁG.153; MAYER/83 PÁG. 601; TEIXEIRA LEITE PÁG. 97; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 505; ARTE NO BRASIL PÁG. 599, RUTH TARASANTCHI; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 172.



154 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
Lance Livre

Carnaval - guache - - 40 x 27 cm - canto inferior direito - .
Capa da revista Fon-Fon. -
Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista. Realizou mais de cem mil desenhos, não se conhecendo um único ruim. Observador arguto, retratou com maestria e humor o cotidiano de sua cidade natal, da qual, consta, ausentou-se por duas únicas ocasiões. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646.



155 - EDGARD OEHLMEYER - (1909 - 1967)
Lance Livre

Figura - óleo sobre cartão - - 18 x 13 cm - canto inferior esquerdo - 1963.

Nasceu em Rio Claro, no dia 31 de maio e falecido em 4 de outubro de 1967. Nessa cidade cursou na Escola Profissional a seção de pintura com o prof. Carlos Hadler. Discípulo de Rocco, foi destacado paisagista e pintor de naturezas-mortas, tendo obtido diversas premiações nos SNBA e SPBA. TEODORO BRAGA, pág. 175; MEC. Vol.3, pág. 291; MAYER/1984, pag. 1070; TEIXEIRA LEITE, pág. 362; PONTUAL, pág. 389; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.



156 - FANG, CHEN KONG - (1931)
Lance Livre

Vaso de flor - óleo sobre tela - - 80 x 100 cm - canto inferior esquerdo - 1986.

Pintor, desenhista e gravador. Ativo em São Paulo, estudou com Y. Takaoka; expôs nos Salões de Belas Artes de São Paulo e do Rio de Janeiro, obtendo diversas premiações. Tem obras em coleções particulares e na Pinacoteca de São Paulo. MEC, vol. 2, pág. 124; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 366; TEIXEIRA LEITE, pág. 189; PONTUAL, pág. 201.; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



157 - ALFREDO CESCHIATTI - (1918 - 1989)
Base: R$ 15.000,00

Guanabara - escultura em bronze - - h = 30 cm - base - .
Ex coleção Renato Antônio Brogiolo - Rio de Janeiro. -
Natural de Belo Horizonte. Escultor, desenhista e professor. Passou a frequentar a antiga ENBA em 1940, depois de uma viagem à Europa, especialmente Itália, iniciada em 1938. Na Divisão Moderna do SNBA recebeu, como escultor as medalhas de bronze (1943) e de prata (1944), bem como o prêmio de viagem ao estrangeiro (1945), com o baixo-relevo para a Igreja de São Francisco de Assis, da Pampulha, em Belo Horizonte e, como desenhista, a medalha de prata (1945). Esteve mais uma vez na Europa entre 1946 e 1948, anos em que realizou exposição individual no Instituto dos Arquitetos do Brasil (GB). Figurou na II BSP e no II SNAM, em 1953. Fazendo parte da equipe que, em 1956, venceu o concurso de projetos para o Monumento aos Mortos da II Guerra Mundial (GB), ali executou o conjunto alusivo às três forças armadas. Integrou a Comissão Nacional de Belas Artes em 1960 e 1961, e entre 1963 e 1965, lecionou escultura e desenho na Universidade de Brasília. Quirino Campofiorito citou-o no estudo Ëscultura Moderna no Brasil"(Revista Crítica de Arte, nº único 1962). De seus trabalhos mais conhecidos destacam-se as esculturas As Banhistas e A Justiça, que se encontram, respectivamente, no lago em frente ao Palácio da Alvorada e defronte ao Supremo Tribunal Federal (Praça dos Três Poderes), em Brasília. Há ainda, obras escultóricas de sua autoria, entre outras no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Ministério das Relações Exteriores (Brasília) e em um edifício que Oscar Niemeyer projetou no conjunto residencial Hansa (setor ocidental de Berlim), assim como na embaixada brasileira em Moscou. MEC, vol. 1, pág. 397; PONTUAL, pág. 127; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 70; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 609; ARTE NO BRASIL, pág. 872.



158 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
Lance Livre

Mulata - desenho a lápis - - 30 x 25 cm - canto inferior direito - 1961 - SP/Hotel Ca'd'oro.

Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo (Rio de Janeiro RJ 1897 - idem 1976). Pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Inicia sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, reside em São Paulo, onde freqüenta o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons (1865 - 1939). Convive com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Mário de Andrade (1893 - 1945), Guilherme de Almeida (1890 - 1969), entre outros. Em 1921, ilustra A Balada do Enforcado, de Oscar Wilde (1854 - 1900), e publica o álbum Fantoches da Meia-Noite, editado por Monteiro Lobato (1882 - 1948). É o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expõe 12 obras. Em 1923, faz sua primeira viagem à França, onde atua como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, freqüenta a Academia Ranson, instala ateliê e conhece obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso (1881 - 1973), Georges Braque (1882 - 1963), Fernand Léger (1881 - 1955), Henri Matisse (1869 - 1954), Jean Cocteau (1889 - 1963) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta a São Paulo em 1926, trabalha como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. A estada em Paris marca um novo direcionamento em sua obra. Em 1938 viaja a Paris, onde trabalha na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retorna ao Brasil em 1940, trabalha como ilustrador, e publica poemas e memórias de viagem. Em 1972, seu álbum 7 Xilogravuras de Emiliano Di Cavalcanti é editado pela Editora Chile. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.



159 - LIVROS -
Lance Livre

- - - cm - - .
1) "ARTE BRASIL HOJE 50 ANOS DEPOIS", ROBERTO PONTUAL. SÃO PAULO: COLLECTIO ARTES LTDA, 1973 2) "ARCADAS: HISTÓRIA DA FACULDADE DE DIREITO DO LARGO DE SÃO FRANCISCO", ANA LUIZA MARTINS E HELOISA BARBUY. SÃO PAULO: ALTERNATIVA, 1998. 3) "ERNESTO NETO: DENGO", LUIZ CAMILLO OSORIO ET AL. SÃO PAULO: MUSEU DE ARTE MODERNA DE SÃO PAULO, 2010. 4) "ARTE CONTEMPORÂNEA", ENOCK SACRAMENTO. SÃO PAULO: ALEXA CULTURAL, 2011. 5) "NIOBE XANDÓ", MARISTELA QUARENGHI DE MELLO E SILVA ET AL. CURITIBA: MUSEU OSCAR NIEMEYER, 2009. 6) "LUIZ BRAGA RETRATOS AMAZÔNICOS", TADEU CHIARELLI ET AL. SÃO PAULO: MUSEU DE ARTE MODERNA DE SÃO PAULO, 2005. 7) "WOLFGANG TILLMANS", FELIPE CHAIMOVICH ET AL. SÃO PAULO: MUSEU DE ARTE MODERNA DE SÃO PAULO, 2012.



160 - ANTONIO PARREIRAS - (1860 - 1937)
Base: R$ 15.000,00

Interior de atelier - óleo sobre tela - - 54 x 80 cm - canto inferior esquerdo - Paris, França.
Reproduzido no convite deste leilão. Com etiqueta n° 3600 de 20/08/2012 de Marisa Savoia Restauração e Conservação de Telas - São Paulo, SP, no dorso. -
Um dos maiores paisagistas do Brasil, autor também de imponentes nus, Antonio Parreiras estudou com Grimm, mas adquiriu em seguida um estilo próprio, que se traduziu numa cor e numa textura violentas, quase fauves. BENEZIT, vol. 8, pág. 136; MAYER/84, pág. 1082; MEC, vol, 3, págs. 335/6; PONTUAL, págs. 406/7; LAUDELINO FREIRE, pág. 382; WALMIR AYALA, vol. 2, págs. 168 e 170; TEIXEIRA LEITE, pág.386/388; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 416; ARTE NO BRASIL, pág. 532; LEONOR AMARANTE, pág. 42; F. ACQUARONE, pág. 155.



161 - FRANÇOIS JULES COLLIGNON - (XVIII - 1850)
Lance Livre

Viajante - aquarela - - 16 x 22 cm - canto inferior esquerdo - 1845.

Pintor e gravador da Escola Francesa. Começou a expor no Salão de Paris, em 1835, com suas aquarelas. Em 1839 iniciou suas experiências em água-forte e litografia e, desde então, criou muitas obras nessas técnicas para muitos editores franceses. BENEZIT VOL. 3, PÁG.113; artoftheprint.com; scrap.oldbookillustrations.com; arcadja.com; metmuseum.org; auction.fr; artprice.com; artfinding.com.



162 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
Lance Livre

Maternidade - monotipia - - 52 x 35 cm - canto inferior esquerdo - 1971.

Pintor e desenhista figurativo, integrou o Grupo Santa Helena, juntamente com Volpi, Zanini e outros, e foi um dos organizadores e expositores do I Salão da Família Artística Paulista; suas figuras seguem a disciplina cubista da organização do espaço, destacando-se uma série de Músicos; dedicou-se a pinturas murais e à ilustração de obras literárias. MEC, vol. 2, pág. 280; PONTUAL, pág. 247/8; TEIXEIRA LEITE, pág. 225 a 227; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 784; LEONOR AMARANTE, pág. 58; Acervo FIEO.



163 - RENINA KATZ - (1925)
Lance Livre

"Píncaro" - litografia - P. I. - 67 x 96 cm - canto inferior direito - .

Pintora, gravadora e professora, Renina Katz é paulista. Sua arte é dominada pelo vigor e pela imaginação. MEC vol.2, pág.403/4; PONTUAL, pág. 288/9; WALMIR AYALA vol.1, pág.441; JULIO LOUZADA vol.11, pág.262; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 606; ARTE NO BRASIL, pág. 834; LEONOR AMARANTE, pág. 98, Acervo FIEO.



164 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
Lance Livre

Cena da Bahia - desenho a nanquim - - 48 x 31 cm - canto inferior direito - .

Desenhista, gravador, pintor e escultor, radicado na Bahia. Sua arte é lírica, de boa técnica, baseada no povo, que lhe forneceu o melhor da sua temática. PONTUAL, pág. 116; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 180 e 181; TEIXEIRA LEITE, págs. 111 e 112; MEC, vol.1, pág. 355; BENEZIT, vol. 2, pág. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717;ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.



165 - INÁCIO RODRIGUES - (1947)
Lance Livre

"Constelação" - acrílico sobre tela - - 60 x 80 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 2010.

Pintor e desenhista cearense, natural de Fortaleza, fixou-se em 1966 no Rio de Janeiro. Participou do SNAM-RJ em 1968 e 1975, recebendo neste último, o prêmio de viagem ao País. JULIO LOUZADA , VOL, 12, pág 345. TEIXEIRA LEITE, pág, 450. WALMIR AYALA, VOL, 2, pág, 259; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



166 - PÉRICLES - (1924 - 1961)
Lance Livre

"O amigo da onça" - aquarela - - 41 x 30 cm - centro inferior - .
Complemento do título: "- Vê aí se tá chovendo?"
Caricaturista e cartunista, Péricles de Andrade Maranhão nasceu em Recife, PE e faleceu no Rio de Janeiro. Publicou seus primeiros desenhos na Revista do Colégio Marista do Recife, onde estudou na década de 1930. Por volta de 1942, chegou ao Rio de Janeiro e ingressou nos 'Diários Associados', de Assis Chateaubriand, iniciando sua produção em 'O Guri' e, pouco depois, na revista 'A Cigarra', onde lançou seu personagem 'Oliveira Trapalhão'. A partir de 1945, ilustrou os textos de Millôr Fernandes na seção Pif-Paf da revista 'O Cruzeiro'. 'Laurindo e Miriato Gostosão' foram outros personagens criados por Péricles, mas o de maior sucesso foi 'O Amigo da Onça', publicado pela primeira vez em 1943 em' O Cruzeiro'. 'O Amigo da Onça' foi produzido por quase 20 anos e, mesmo após a morte de seu criador, continuou a ser publicado no traço de Carlos Estevão. Sua criação foi capaz de transpor as páginas desenhadas em 'O Cruzeiro' e permanecer na memória visual e humorística brasileira. Seus trabalhos participaram, após a sua morte, de exposições em: Curitiba, PR (1980); São Paulo (1983, 1997, 2001); Belo Horizonte (1997); Brasília (1998); Penápolis, SP (1998). ITAU CULTURAL.



167 - ALFREDO CESCHIATTI - (1918 - 1989)
Lance Livre

Banhista - escultura em bronze - - h = 31 cm - assinado - .

Natural de Belo Horizonte. Escultor, desenhista e professor. Passou a frequentar a antiga ENBA em 1940, depois de uma viagem à Europa, especialmente Itália, iniciada em 1938. Na Divisão Moderna do SNBA recebeu, como escultor as medalhas de bronze (1943) e de prata (1944), bem como o prêmio de viagem ao estrangeiro (1945), com o baixo-relevo para a Igreja de São Francisco de Assis, da Pampulha, em Belo Horizonte e, como desenhista, a medalha de prata (1945). Esteve mais uma vez na Europa entre 1946 e 1948, anos em que realizou exposição individual no Instituto dos Arquitetos do Brasil (GB). Figurou na II BSP e no II SNAM, em 1953. Fazendo parte da equipe que, em 1956, venceu o concurso de projetos para o Monumento aos Mortos da II Guerra Mundial (GB), ali executou o conjunto alusivo às três forças armadas. Integrou a Comissão Nacional de Belas Artes em 1960 e 1961, e entre 1963 e 1965, lecionou escultura e desenho na Universidade de Brasília. Quirino Campofiorito citou-o no estudo Ëscultura Moderna no Brasil"(Revista Crítica de Arte, nº único 1962). De seus trabalhos mais conhecidos destacam-se as esculturas As Banhistas e A Justiça, que se encontram, respectivamente, no lago em frente ao Palácio da Alvorada e defronte ao Supremo Tribunal Federal (Praça dos Três Poderes), em Brasília. Há ainda, obras escultóricas de sua autoria, entre outras no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Ministério das Relações Exteriores (Brasília) e em um edifício que Oscar Niemeyer projetou no conjunto residencial Hansa (setor ocidental de Berlim), assim como na embaixada brasileira em Moscou. MEC, vol. 1, pág. 397; PONTUAL, pág. 127; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 70; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 609; ARTE NO BRASIL, pág. 872.



168 - JOSÉ DE OLIVEIRA MACAPARANA - (1952)
Lance Livre

"A. J. S." - técnica mista - - 19 x 24 cm - dorso - 1982.

Escultor, autodidata, o artista é natural de Macaparana, PE, sendo filho e neto de marceneiros. Faz sua primeira exposição individual na Galeria Empetur em 1970, no Recife. Entre 1972 e 1973, reside no Rio de Janeiro; depois muda-se para São Paulo. Entre as mostras de que participa, destacam-se: IV Bienal Ibero-Americana de Arte, Cidade do México, 1984 (Artista Convidado); Salão de Arte Contemporânea, São Paulo, 1986; MAC - 25 Anos, no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, 1988; Bienal Internacional de São Paulo 1991; Tendências Construtivas no Acervo do MAC/USP, no Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro, 1996. JULIO LOUZADA, vol. 9 pág. 509; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.



169 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
Lance Livre

Galo - óleo sobre eucatex - - 32 x 23 cm - canto inferior direito e dorso - 1983.

Nasceu em 27 de dezembro na cidade de Villa Collemandina, na Itália, e fixou-se no Brasil desde 1929, após ter estudado em Florença, e haver-se diplomado em pintura pela Academia Real de Pintura de Lucca. Pennacchi integrou a Familia Artística Paulista. Muralista de inspiração pré-renascentista, sua pintura é sensível e pessoal de modo especial na interpretação dos grandes temas bíblicos e da vida dos santos (mercê de uma infância marcada por sólida educação religiosa Católica), e na evocação do mundo caipira. Realizada em 1973, considerado o Ano de Pennacchi, importante retrospectiva da obra deste festejado artista no MAM de São Paulo. O artista fez exposições em Milão e foi homenageado em seu país natal. TEODORO BRAGA, pág. 192; MEC, vol, 3, pág. 365; WALMIR AYALA, vol, 2, pág. 182; PONTUAL, pág. 416; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 784; Acervo FIEO.



170 - DJANIRA DA MOTTA E SILVA - (1914 - 1979)
Base: R$ 18.000,00

Vista do Rio de Janeiro - óleo sobre tela - - 43 x 66 cm - canto inferior direito e dorso - 1972.
Reproduzido no convite deste leilão. -
Pintora, desenhista e gravadora, natural de Avaré, SP. Foi aluna de Marcier. A partir de 1942 participa do SNBA, recebendo premiação em 1943, 1944 e 1950. Realizou exposições individuais. Participou de diversas coletivas e salões de arte, nacionais e internacionais, com excelente recepção da crítica especializada. Diz-se que sua pintura é ingênua, mas ela declarava que ingênua, era ela mesma. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 336; PONTUAL, pág. 181; TEIXEIRA LEITE, pág. 164; MEC, vol. 2, pág 58; WALMIR AYALA, vol. 1, pág, 263; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 810; ARTE NO BRASIL, pág. 824; Acervo FIEO.



171 - ALBERTO DA VEIGA GUIGNARD - (1896 - 1962)
Lance Livre

Paisagem - aquarela - - 22 x 30 cm - canto inferior direito - .

Pintor, desenhista, gravador e professor. No dizer de Rodrigo de Melo Franco de Andrade, no álbum de reproduções da obra do artista, em 1967: "Quando Guignard voltou da Europa, para onde tinha ido menino, só regressando com mais de 30 anos, redescobriu o Brasil, tomado de uma ternura e de uma admiração comovidas que conservou até os seus últimos dias. Toda a obra que produziu, desde então, ficou impregnada da emoção e da poesia sentidas naquele reencontro com a terra natal." PONTUAL, pág. 254 a 256; MEC, vol. 2, pag. 304; TEIXEIRA LEITE, pág. 236 a 240 ; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 404; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 1013; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 373/375/377; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 559; ARTE NO BRASIL, pág. 505; LEONOR AMARANTE, pág. 28.



172 - SALVADOR DALI - (1904 - 1989)
Lance Livre

Dançarinos - gravura guacheada - E/A - 37 x 27 cm - canto inferior direito - .

Pintor, gravador e cartazista. Grande mestre Catalão. Personagem extravagante, louco, irreverente, apocalíptico, são alguns dos adjetivos mais frequentes dados à sua pessoa, mas foi, sobretudo, um gênio. ART PRICE ANNUAL, 2000, págs.582 a 585: BENEZIT, vol.3, págs. 329 a 331; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 309



173 - OSCAR PEREIRA DA SILVA - (1867 - 1939)
Lance Livre

Estudos - desenho a carvão - - 35 x 25 cm - canto inferior direito - 1895.

Grande pintor brasileiro; prêmio de viagem à Europa em 1889, aperfeiçoou-se em Paris com Gérome e Leon Bonnat. "Sem ter revelado impulsos vigorosos que lhe evidenciassem poder emotivo, Oscar Pereira da Silva soube manter no transcorrer de bem cinquenta e sete anos de produção permanente e intensa, desde que retornou ao país, em 1896, todo o cuidado de um desenho severamente elaborado, sem num só instante voltar-se para o novo semblante que a pintura adquiria nessa transposição de tempo. " Quirino Campofiorito, in CAMPOFIORITO, Quirino. História da Pintura Brasileira no Século XIX. Ed.Pinakotheke-SP, 1983. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs. 245/281; TEODORO BRAGA, pág. 177/8; LAUDELINO FREIRE, pág. 383; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 185; MEC, vol. 4, pág.277; PONTUAL, pág. 419; TEIXEIRA LEITE, pág. 402; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 437; ARTE NO BRASIL, pág. 553, Acervo FIEO; F. ACQUARONE, pág. 187, RUTH TARASANTCHI.



174 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
Lance Livre

Gato azul - acrílico sobre tela - - 80 x 60 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 2003 - São Paulo, SP.
Com certificado de autenticidade emitido pelo Estúdio Aldemir Martins. -
Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.



175 - RUBENS GERCHMAN - (1942 - 2008)
Lance Livre

"O Beijo" - técnica mista - - 40 x 50 cm - canto inferior direito e dorso - .
Com declaração de autenticidade firmada pelo autor, datada de São Paulo, 23 de março de 2006. -
Pintor, desenhista, gravador, escultor nascido no Rio de Janeiro e falecido em São Paulo. Em 1957, freqüenta o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro, onde estuda desenho. Faz curso de xilogravura com Adir Botelho e freqüenta a Escola Nacional de Belas Artes - Enba, entre 1960 e 1961. Em 1967, é contemplado com o prêmio de viagem ao exterior no 16º Salão Nacional de Arte Moderna e viaja para os Estados Unidos. Reside em Nova York entre 1968 e 1972. Retorna ao Brasil e faz o roteiro, a cenografia e a direção do filme 'Triunfo Hermético' e os curtas 'ValCarnal' e 'Behind the Broken Glass'. De 1975 a 1979, assume a direção da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, RJ. É co-fundador e diretor da revista 'Malasartes'. Em 1978, viaja para os Estados Unidos com bolsa da Fundação John Simon Guggenheim. Em 1982, permanece por um ano em Berlim como artista residente, a convite do Deutscher Akademischer Austauch Dienst - DAAD [Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico]. Realizou diversas exposições individuais e participou de muitas mostras oficiais no Brasil e pelo mundo recendo prêmios na Bienal de São Paulo (1965), Bienal de Salvador, BA (1966), Bienal de Cali, Colômbia (1967, 1970). JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 417; PONTUAL, PÁG. 235; TEIXEIRA LEITE, "in" A GRAVURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 734; ARTE NO BRASIL, PÁG. 974; LEONOR AMARANTE, PÁG. 143, MEC VOL. 2, PÁG. 246; Acervo FIEO.



176 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
Lance Livre

Torso - escultura em bronze - - h = 48 cm - assinado - .
Ex coleção Evaldo Tadeu de Oliveira - Pirajuí, SP. -
Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.



178 - RAIMUNDO DE OLIVEIRA - (1930 - 1966)
Lance Livre

Natureza Morta - pastel - - 34 x 26 cm - canto superior direito - .

Nasceu RAIMUNDO Falcão DE OLIVEIRA, em Feira de Santana, BA. Recebeu da mãe os primeiros rudimentos de pintura e desenho. Autodidata, apresenta os seus trabalhos a partir de 1951. Reside em São Paulo a partir de 1958, aprofundando-se na sua experiência expressionista, com o aproveitamento transfigurador de imagens de velhos santos. Na sua última fase, bem distinta das anteriores, dedicou-se à narração de temas bíblicos, seguindo um estilo que alguns erroneamente ligaram à arte primitiva. TEIXEIRA LEITE, 365; PONTUAL, 394; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; ARTE NO BRASIL, pág. 798; Acervo FIEO.



179 - CLODOMIRO AMAZONAS - (1893 - 1953)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre tela - - 24 x 30 cm - canto inferior esquerdo - 1918.

Clodomiro Amazonas Monteiro, nasceu em Taubaté-SP, e faleceu na Capital-SP. Pintor e restaurador, iniciou-se em pintura aos 16 anos, realizando restaurações em telas e afrescos do Convento Santa Clara, em Taubaté. Fixa residência em São Paulo em 1906, quando entra em contato com a obra de Baptista da Costa e tem aulas com o pintor Carlo de Servi. Manteve contato com intelectuais, escritores e artistas como Monteiro Lobato, Menotti del Picchia, Lucílio e Georgina de Albuquerque e também Pedro Alexandrino, entre outros. É um dos fundadores do Salão Paulista de Belas Artes, em 1934. Amazonas foi artista de méritos, cuja pintura, vazada num desenho de grande solidez, e um colorido realista, não deixa de irradiar certa rústica poesia. MEC, vol. 1, pág. 75; TEIXEIRA LEITE, pág. 26; PONTUAL, pág. 24; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 42; TEODORO BRAGA, pág. 72; ITAU CULTURAL, RUTH TARASANTCHI.



180 - JOÃO BAPTISTA DA COSTA - (1865 - 1926)
Base: R$ 20.000,00

Paisagem - óleo sobre tela - - 38 x 55 cm - canto inferior direito - .
Reproduzido no convite deste leilão. -
Pintor e professor fluminense, de origem humilde, galgou com sabedoria e singular talento os degraus do sucesso no cenário das artes plásticas nacional. Aluno da Academia Imperial de Belas Artes-RJ, onde ingressou em 1885, já no ano seguinte obtinha, nessa condição, medalha de ouro. Foi aluno de Zeferino da Costa e Rodolfo Amoedo. Foi premiado diversas vezes, inclusive com viagem à Europa, onde desenvolveu a sua arte. Foi professor na ENBA até a sua morte. Sobre sua obra, escreveu Gonzaga Duque, no estudo que lhe dedicou, e publicado em 1929: "... A sua arte arrasta-nos ao seu cenário, prende-nos no seu ambiente, leva-nos a participar da emoção de seus tipos". JULIO LOUZADA, VOL 10, pág, 239; PONTUAL, págs. 61 e 62; TEIXEIRA LEITE, págs. 62 a 65; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 443; ARTE NO BRASIL, pág. 556; F. ACQUARONE, pág. 141.



181 - ANDRÉ LHOTE - (1885 - 1962)
Lance Livre

Composição - guache - - 50 x 65 cm - canto inferior direito - .

BENEZIT, vol. 6, pág. 644/5; MAYER/83, pág. 866; ANUAL ART SALES, vol. 2, pág. 729/30; REIS JR., pág. 388; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 1475/1476; WALTER ZANINI, pág. 556; ARTE NO BRASIL, pág. 696.



182 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
Lance Livre

Composição - guache - - 26 x 19 cm - canto inferior direito - .

Pintor, desenhista, gravador e professor, estudou com Axel Leskoschek no Rio de Janeiro. Participou da Divisão Moderna do SNBA (1947-1951). Foi um dos precursores do concretismo no Brasil, criando ao lado de Aluisio Carvão, Lígia Clark, Hélio Oitica e outros o Grupo Frente, que se manteve ativo de 1954 a 1956, inclusive com exposições no Rio de Janeiro. Ivan Serpa possui invejável e extenso curriculum de vida artística, passando de exposições coletivas, a grandes retrospectivas de sua obras. Há um reconhecimento nacional da importância de sua atividade, tratando-se de um dos grandes artistas nacionais. PONTUAL, pág 486; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 840; LEONOR AMARANTE, pág. 26; Acervo FIEO.



183 - CHARLES PIERRE CORDIER - (1848 - 1909)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre madeira - - 16 x 22 cm - canto inferior esquerdo - .
Procedente das coleções: Dr. Waldemar Teixeira de Carvalho - Santos - São Paulo e Dr. Raul Villaboim de Carvalho, Ex Presidente da Sociarte - São Paulo, SP. -
Charles Pierre Modeste Cordier - pintor da Escola Francesa nascido em Paris. Participou de muitos Salões oficiais onde começou a expor em 1875. BENEZIT VOL. 3, PÁG.164; askart.com; auction.fr.



184 - FERNANDO ODRIOZOLA - (1921 - 1986)
Lance Livre

Composição - técnica mista - - 49 x 65 cm - canto inferior direito - .

Fernando Pascual Odriozola nasceu em Oviedo, Espanha e faleceu em São Paulo. Pintor, desenhista e gravador. Começou a pintar em 1936. Veio para o Brasil em 1953 e fixou residência em São Paulo. No ano seguinte, realizou sua primeira exposição individual na Galeria Portinari. O Museu de Arte Moderna de São Paulo dedicou-lhe outra individual, em 1955. Na década de 1960, lecionou no Instituto de Arte Contemporânea da Fundação Armando Álvares Penteado e colaborou como ilustrador nos jornais O Estado de S. Paulo e Diário de S. Paulo, e na revista Habitat. Em 1964, integrou, com Wesley Duke Lee , Yo Yoshitome e Bin Kondo , o Grupo Austral, ligado ao movimento internacional Phases. Participou das 7ª, 8ª, 9ª, 12ª, 13ª, 14ª, 15ª e 18ª Bienais Internacionais de São Paulo onde foi premiado na 7ª, 8ª, e 14ª edição; da 7ª Bienal de Tóquio; dos 2º e 5º Panoramas da Arte Atual Brasileira, entre outras. No ano de seu falecimento, o Centro Cultural São Paulo (CCSP) realizou uma exposição retrospectiva póstuma em sua homenagem. JULIO LOUZADA VOL.11, PÁG. 231; MEC VOL.3, PÁG.291; PONTUAL PÁG. 389; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 737; ARTE NO BRASIL PÁG.907; LEONOR AMARANTE PÁG. 143; ACERVO FIEO.



185 - WIM L. VAN DIJK - (1915 - 1990)
Base: R$ 1.500,00

Hora da ordenha - óleo sobre madeira - - 40 x 29 cm - canto inferior direito - .

Pintor, desenhista e gravador holandês natural de Westmass, onde nasceu em 1/6/1915, e falecido em Petropolis, RJ, a 27/11/1990. JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 344



186 - FELISBERTO RANZINI - (1881 - 1976)
Lance Livre

"Igreja de San Benedicto" - óleo sobre madeira - - 11 x 16 cm - canto inferior esquerdo e dorso - .
Datado de 14 de julho de 1948, Vila Emílio Ribas - Campos do Jordão, SP. Procedente das coleções: Dr. Waldemar Teixeira de Carvalho - Santos - São Paulo e Dr. Raul Villaboim de Carvalho, Ex Presidente da Sociarte - São Paulo, SP. -
Arquiteto, desenhista e escritor, Felisberto Ranzini nasceu em Mântua, Itália e faleceu em São Paulo - SP. Sobresaiu-se principalmente na técnica de aquarela, na qual se especializou. Suas composições em óleo são claras e detalhadas, quase que miniaturistas. JULIO LOUZADA, vol 1, pág. 805; MEC vol.4, pág. 26, RUTH TARASANTCHI.



187 - MARIA LEONTINA - (1917 - 1984)
Lance Livre

Composição - desenho a lápis de cor e guache - - 29 x 17 cm - canto inferior esquerdo - 1955.

Aluna de Waldemar da Costa, Maria Leontina é uma pintora que conquista o espectador pela finura de seus acostamentos cromáticos. Em 1947, integrava o Grupo dos 19, e, nos anos "50", passou por interessante fase geométrica. MEC, vol. 2, pág. 471; TEIXEIRA LEITE, pág. 309; PONTUAL, pág. 338; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 772; LEONOR AMARANTE, pág. 25; WALTER ZANINI, pág. 645.



188 - IVALD GRANATO - (1949)
Lance Livre

"Qual é" - técnica mista - - 104 x 88 cm - canto inferior direito e dorso - 1992.

Pintor e desenhista. Natural de Campos, RJ, onde viveu até 1966. Estudou com Robert Newman, ingressando em 1967 na Escola de Belas Artes da Universidade do Rio de Janeiro. Em 1968 participa do grupo de vanguarda "Nova Figuração Brasileira". Sua atividade artística desde a década de 60 revela a influência do conceitualismo de Duchamp, mais cerebral do que pictórico, e da "body art", de Joseph Beyus. PONTUAL, pág. 248; TEIXEIRA LEITE, pág. 228; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.740; ARTE NO BRASIL, pág. 974; LEONOR AMARANTE, pág. 267; Acervo FIEO.



189 - PEDRO AMÉRICO DE FIGUEIREDO E MELLO - (1843 - 1905)
Lance Livre

Estudo de mão - desenho a lápis - - 26 x 28 cm - canto inferior esquerdo - .

Natural de Areia, PB 1843, residiu e foi ativo no Rio de Janeiro e na Europa, onde veio a falecer na cidade de Florença, Itália.. Pintor, desenhista, professor, caricaturista, escritor. Frequentou a Academia Imperial de Belas Artes-RJ. Entre 1859 e 1864, com bolsa concedida pelo imperador Dom Pedro II (1825-1891), estuda na École National Superiéure des Beaux-Arts de Paris, onde é aluno de Ingres, Léon Cogniet, Hippolyte Flandrin e Carle-Horace Vernet; Em 1865 fixa-se em Bruxelas, Bélgica, e titula-se doutor em ciências naturais pela Université de Bruxelas em 1868. Alterna estadas no Rio de Janeiro e em Florença, mas continua como professor de estética, história da arte e arqueologia na Aiba. Nos anos de 1870 e 1871, é responsável pela revista de caricatura A Comédia Social. Entre 1886 e 1888, pinta a tela Independência ou Morte para o Salão de Honra do Museu do Ipiranga, atualmente Museu Paulista da Universidade de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág.11; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 391. MEC, PONTUAL pág. 411; ARTE NO BRASIL, pág. 514; F. ACQUARONE, pág. 67.



190 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
Base: R$ 120.000,00

Composição - óleo sobre tela - - 90 x 70 cm - canto inferior direito - 1991.
Com recibo original do autor datado de 23 de julho de 1991. -
Nasceu em São Paulo e faleceu no Rio de Janeiro. Pintor, paisagista, arquiteto, desenhista, pintor, gravador, litógrafo, escultor, tapeceiro, ceramista, designer de jóias, decorador. Durante a infância viveu no Rio de Janeiro. Foi com a família para a Alemanha, em 1928. Em 1929, freqüentou o ateliê de pintura de Degner Klemn. Nos jardins e museus botânicos de Dahlen, em Berlim, entusiasmou-se ao encontrar exemplares da flora brasileira. De volta ao Brasil, fez curso de pintura e arquitetura na Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1930 - 1934), onde foi aluno de Leo Putz , Augusto Bracet e Celso Antônio. Seu primeiro projeto paisagístico foi para a arquitetura de Lúcio Costa e Gregori Warchavchik, em 1932. Entre 1934 e 1937, ocupou o cargo de diretor de parques e jardins do Recife, PE, onde passou a residir. Nesse período, foi com freqüência ao Rio de Janeiro e teve aulas com Candido Portinari e com o escritor Mário de Andrade. Em 1937, retornou ao Rio de Janeiro e trabalhou como assistente de Candido Portinari. Foi em 1949, conforme sua paixão por plantas e seu interesse por botânica e jardinagem, que Burle Marx adquiriu um sítio em Barra de Guaratiba, RJ. Com auxílio de botânicos, viajou, coletou, catalogou exemplares de plantas do Brasil e reproduziu em seu sítio a diversidade fitogeográfica brasileira. Em 1985 doou esse sítio, com todo o seu acervo, à extinta Fundação Nacional Pró Memória, atual Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN.Realizou muitas exposições individuais e projetos paisagísticos, participou de diversas mostras oficiais coletivas pelo Brasil e no exterior. PONTUAL, PÁG. 94; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 93; MEC. VOL.1, PÁG.303; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG.564; ARTE NO BRASIL, PÁG. 738; LEONOR AMARANTE, PÁG. 98; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 179; artnet.com.



191 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
Lance Livre

"Ruela" - óleo sobre tela - - 61 x 45 cm - canto inferior esquerdo - .

Pintor nascido na Itália. Mecatti radicou-se no Brasil em 1940, após trabalhar por vários anos na Tripolitânia, no norte da África. É notável pela estilização de suas figuras e paisagens concebidas, em tons baixos e obedientes a uma composição pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 161/2; MEC, vol. 3, pág. 109; PONTUAL, pág. 352; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 72; TEIXEIRA LEITE, pág. 320; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



192 - SAMSON FLEXOR - (1907 - 1971)
Lance Livre

Composição - técnica mista - - 25 x 29 cm - canto inferior direito - 1951.

Pintor nascido na Romênia, estudou em Paris, onde fez em 1927 sua primeira individual, radicando-se em 1946 em São Paulo, onde faleceu. Foi um dos pioneiros do abstracionismo no Brasil, tendo criado em 1948 o Atelier Abstração. Em 1968 sua obra foi objeto de importante retrospectiva no MAM-RJ. BENEZIT vol. 4, pág. 402; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 313/4; TEIXEIRA LEITE, pág. 198; PONTUAL, pág. 217/8; MEC, vol. 2, pág. 179 e 180; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 917; LEONOR AMARANTE, pág. 75; WALTER ZANINI, pág. 643, Acervo FIEO.



193 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
Lance Livre

Tempos de guerra - desenho a nanquim e guache - - 42 x 30 cm - canto inferior direito - .
Capa da revista Careta. -
Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista. Realizou mais de cem mil desenhos, não se conhecendo um único ruim. Observador arguto, retratou com maestria e humor o cotidiano de sua cidade natal, da qual, consta, ausentou-se por duas únicas ocasiões. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646.



194 - JOSÉ MARQUES CAMPÃO - (1892 - 1949)
Lance Livre

Cozinha - óleo sobre tela colada em cartão - - 41 x 57 cm - canto inferior direito - .

Excelente paisagista paulistano, aluno de Oscar Pereira da Silva, da Academia Julian - Paris, e da Escola Nacional Superior de Belas Artes de Paris, entre 1912 e 1918. Foi membro da Comissão de Orientação Artística de São Paulo em 1944. Expôs no Salão dos Artistas Franceses e em diversas exposições coletivas e individuais. TEODORO BRAGA, pág. 61/62; PONTUAL, pág. 102; MEC, vol. 1, pág. 331; REIS JR., pág. 374; WALMIR AYALA, vol. 1,pág. 160; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.



195 - PAULO VALLE JÚNIOR - (1889 - 1958)
Lance Livre

Quintal - óleo sobre cartão - - 24 x 32 cm - canto inferior esquerdo - 1921.

Paisagista e marinhista extremamente sensível, Valle Júnior postou-se à parte da renovação determinada pela Semana de Arte Moderna, tendo sido porém artista autêntico e pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 187; REIS JUNIOR, pág. 373; MEC, vol 4, págs 441/442; PONTUAL, pág. 531; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.



196 - GUITA LERNER - (1928)
Lance Livre

"Proteção II" - múltiplo em bronze - - h = 35 cm - assinado - .
Reproduzido no jornal da Galeria Skultura do outono de 1987. Com atestado de procedência de Skultura Galeria de Arte, São Paulo - SP. -
A artista nasceu em São Paulo, no dia 6/4/1928. Criou para a Galeria Skultura-SP, uma obra especial comemorativa dos 10 anos da galeria. É artista sensível que trabalha a matéria com técnica, alcançando texturas, brilhos, curvas suaves, que enobrecem a peça. JULIO LOUZADA, vol. 10 pág. 408



197 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
Lance Livre

"Chale de madeira" - óleo sobre cartão - - 14 x 20 cm - canto inferior direito e dorso - São Vicente - SP.
Procedente das coleções: Dr. Waldemar Teixeira de Carvalho - Santos - São Paulo e Dr. Raul Villaboim de Carvalho, Ex Presidente da Sociarte - São Paulo, SP. -
Italiano da Lombardia, PELLEGATTA foi pintor e gravador dedicado a temas sacros e casarios coloniais. Em sua obra, o ser humano é apresentado sempre de modo idealizado, na figura de ternas madonas, santos, coroinhas e cavaleiros. Participou de diversas coletivas e salões, a partir de 1957, recebendo premiações em sua maioria. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág.735; MEC vol.3, pág.363; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.



198 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre tela - - 46 x 55 cm - canto inferior esquerdo e dorso - .

Nascido em Manaus, pioneiro mundial da arte não-figurativa (a qual já praticava desde 1916), Santiago estudou no RJ com Visconti, e foi o principal responsável pelo Núcleo Bernardelli, no qual se formaram tantos dos melhores artistas do Modernismo carioca. Sua arte é um neo-impressionismo de belo colorido e opulentos efeitos de textura. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, pág. 241; TEODORO BRAGA, pág. 211/212; Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, MEC-MNBA / /Rio/1944; MAYER/84, pág. 1158; REIS JR., pág. 378; PONTUAL, pág. 473; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 292; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.



199 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
Lance Livre

Mulatas - aquarela - - 30 x 30 cm - canto inferior esquerdo - 1953.
Com a seguinte dedicatória: " Ao Peixoto com carinho e amizade - Di - 1953.
Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo (Rio de Janeiro RJ 1897 - idem 1976). Pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Inicia sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, reside em São Paulo, onde freqüenta o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons (1865 - 1939). Convive com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Mário de Andrade (1893 - 1945), Guilherme de Almeida (1890 - 1969), entre outros. Em 1921, ilustra A Balada do Enforcado, de Oscar Wilde (1854 - 1900), e publica o álbum Fantoches da Meia-Noite, editado por Monteiro Lobato (1882 - 1948). É o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expõe 12 obras. Em 1923, faz sua primeira viagem à França, onde atua como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, freqüenta a Academia Ranson, instala ateliê e conhece obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso (1881 - 1973), Georges Braque (1882 - 1963), Fernand Léger (1881 - 1955), Henri Matisse (1869 - 1954), Jean Cocteau (1889 - 1963) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta a São Paulo em 1926, trabalha como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. A estada em Paris marca um novo direcionamento em sua obra. Em 1938 viaja a Paris, onde trabalha na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retorna ao Brasil em 1940, trabalha como ilustrador, e publica poemas e memórias de viagem. Em 1972, seu álbum 7 Xilogravuras de Emiliano Di Cavalcanti é editado pela Editora Chile. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.



200 - JOSÉ PANCETTI - (1902 - 1958)
Base: R$ 250.000,00

Marinha - óleo sobre tela - - 33 x 46 cm - canto inferior direito e dorso - 13/09/56 - Bahia.
Reproduzido no convite deste leilão e na capa do catálogo do Leilão de Arte Tableau de Agosto de 2004. -
Nasceu em Campinas e faleceu no Rio de Janeiro. Filho de italianos chegados a Campinas em 1891. Foi marinheiro por longos anos, tendo aprendido a sua arte a bordo dos navios. Era conhecido como o Pintor Marinheiro. Participou do Núcleo Bernardelli, no Rio de Janeiro, onde conviveu com Milton Dacosta, Ado Malagoli e João José Rescala. Participou do SNBA durante vários anos, recebendo premiações. Sobre o artista assim se manifestou Medeiros de Lima: " ... Juntamente com Alberto da Veiga Guignard, Alfredo Volpi e Lasar Segall, Pancetti retoma na pintura a melhor tradição da paisagística brasileira (...) Mas, de todos, Pancetti foi o que melhor soube captar a fôrça, a exuberância e a luminosidade litorânea brasileira" . TEODORO BRAGA, pág. 130; PONTUAL, págs. 403 e 404; MEC, vol. 3, pág. 332; REIS JUNIOR, pág. 383; ITAU CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 380; WALTER ZANINI, pág. 573; ARTE NO BRASIL, pág. 597; LEONOR AMARANTE, pág. 28.



201 - CARLOS CHAMBELLAND - (1884 - 1950)
Lance Livre

Capa da "Revista O Cruzeiro" - guache - - 37 x 28 cm - canto inferior direito - .

Nasceu e faleceu na cidade do Rio de Janeiro, onde foi ativo. Pintor, professor de pintura e desenho e decorador. Estudou na ENBA-RJ (1901/1907); foi aluno de Zeferino da Costa e Rodolfo Amoedo. Em 1907 recebeu o prêmio de viagem ao exterior, viajando para Paris, onde freqüenta, o ateliê Puvis de Chavannes, com Carriére e Henry Martin. Foi contratado pelo governo brasileiro para a decoração do Pavilhão do Brasil na Exposição Internacional de Turim (Itália), juntamente com seu irmão Rodolfo Chambelland , João Timótheo da Costa e Arthur Timótheo da Costa. O crítico, historiador e pintor carioca Quirino Campofiorito assim escreveu: "A obra de Carlos Chambelland é numerosa e variada nos gêneros abordados, sempre demonstrando o pintor otimista e animado por um entusiasmo nacionalista, entusiasmo este que o leva a preferir, a partir de certa época, a paisagem, os tipos e as cenas populares com que se enriquece sua produção durante o tempo que residiu em Pernambuco. Diferente do ambiente cosmopolita que conhecia no Rio, igual aos dos grandes centros como vira em Paris, o Nordeste lhe desvendou um Brasil autêntico nas coisas populares (...). " in: CAMPOFIORITO, Quirino. História da pintura brasileira no século XIX. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1983. PONTUAL, pág.128; JULIO LOUZADA, vol 1, pág.251; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 573; ARTE NO BRASIL, pág. 596; F. ACQUARONE, pág. 201.



202 - MILLÔR FERNANDES - (1924 - 2012)
Lance Livre

Dilema da ciência - desenho a nanquim e aquarela - - 43 x 30 cm - canto inferior esquerdo - .

Carioca, o autor é escritor, jornalista, humorista, caricaturista, cenógrafo e teatrólogo. Colaborou com sua arte em diversas publicações de sucesso, tais como O Cruzeiro, Cigarra e Veja. Foi diretor d'O Pasquim. MEC, vol. 2, pág. 148



203 - MARCELO TIBURCIO - (1963)
Lance Livre

"Camping" - desenho a nanquim - - 29 x 45 cm - canto inferior esquerdo - 1990.
Ilustração para o jogo dos erros da MAD, publicado na edição 68 de 1990. -
Ilustrador e quadrinhista, Marcelo Tiburcio Vanni nasceu e vive em Niterói, RJ. Iniciou sua carreira no jornal ‘O Fluminense’, de Niterói, onde publicava seus quadrinhos no suplemento infantil ‘Pingo de Gente’. Cursou a escola de Belas Artes na UFRJ. Foi colaborador da ‘MAD’ e é o autor da série de webcomics:‘Meu Monarca Favorito’. www.tiburcio.locaweb.com.br; http://nagado.blogspot.com.br/2010/07/o-ilustrador-e-quadrinhista-marcelo.html; twitter.com/tiburcio_illus; www.printpaint.com.br;meumonarcafavorito.blogspot.com.



204 - GEORGINA DE ALBUQUERQUE - (1885 - 1962)
Lance Livre

Figuras - desenho a carvão e lápis de cor - - 22 x 30 cm - canto inferior direito - .

Pintora e professora. Aos 15 anos, inicia sua formação artística com o pintor italiano Rosalbino Santoro (1858 - s.d.). Muda-se para o Rio de Janeiro em 1904, matricula-se na Escola Nacional de Belas Artes - Enba e estuda com Henrique Bernardelli. Em 1906, casa-se com o pintor Lucílio de Albuquerque e viaja para a França. Em Paris, frequenta a École Nationale Supérieure des Beaux-Arts e ainda a Académie Julian, onde é aluna de Henri Royer. Volta ao Brasil em 1911, expõe em São Paulo e, partir dessa data, participa regularmente da Exposição Geral de Belas Artes. De 1927 a 1948, leciona desenho artístico na Enba e, em 1935, é professora do curso de artes decorativas do Instituto de Artes da Universidade do Distrito Federal. Em 1940, em sua casa no bairro de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, funda o Museu Lucílio de Albuquerque, e institui um curso pioneiro de desenho e pintura para crianças. Entre 1952 e 1954, exerce o cargo de diretora da Enba. TEIXEIRA LEITE, págs. 15 e 16; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 22 a 26; TEODORO BRAGA, pág. 107; REIS JR., pág. 370; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs.17 e 141; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 455; ARTE NO BRASIL, pág 574; Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.



205 - TOMIE OHTAKE - (1913)
Lance Livre

Composição - serigrafia - 13/100 - 42 x 42 cm - canto inferior direito - .

Importantíssima pintora, nascida em Kyoto, Japão, e radicada no Brasil desde 1936, País que adotou inclusive a cidadania. Iniciou-se artisticamente a partir de 1950, com o pintor japonês visitante Keiya Sugano. Ligou-se ao Grupo Seibi, em cujos salões obteve diversas premiações. Participou ainda por várias vezes, com premiações, do SPAM e do SNAM. MEC, vol. 3, pág. 323; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 791; BENEZIT, vol. 7, pág. 791; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 140/141; PONTUAL, pág. 390; ART PRICE ANNUAL 1990, pág. 1464; TEIXEIRA LEITE, pág. 362/3/4; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 939; LEONOR AMARANTE, pág. 170; WALTER ZANINI, pág. 693; Acervo FIEO.



206 - NÉLIDE CASACCIA BERTOLUCI - (1938)
Lance Livre

"Vitória III" - escultura em alumínio policromado - - h = 45 cm - assinado - .

Escultora natural de Porto Alegre. Assina NB. Iniciou-se em cerâmica (1960) com Walter Scarpelli, estudou Escultura e desenho com Vasco Prado, foi aluna, também, de Fernando Corona, Clébio Sória, Carlos Scarinei, Vilma Villaverde (Buenos Aires), Paulo Procelia, Pamela Bah e Cláudio Martins Costa. Realizou muitas exposições individuais e participou de inúmeras mostras coletivas e Salões oficiais. Prêmios: Porto Alegre (1976, 1977); São Leopoldo, RS (1979); Pelotas, RS (1980); Belo Horizonte, MG (1981); Rio de Janeiro (1984). Possui obras no Museu de Arte Moderna de São Paulo e no Museu de Arte do Rio Grande do Sul. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL.3, PÁG. 798; nelide.blogspot.com.



207 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
Lance Livre

Bailarina - desenho a lápis grafite e lápis de cor - - 30 x 22 cm - canto inferior direito - .
Com estudo no dorso. -
Pintora e desenhista. Assina Noemia. Realizou sua primeira individual em 1934, no Rio de Janeiro. Residiu na Europa de 1934 a 1940, frequentando em Paris as academias de la Grande Chaumière e Ranson. Expôs em Montevideu e Buenos Aires. Foi citada por REIS JUNIOR e TEODORO BRAGA. Foi aluna (1932) e mulher (1933) de Di Cavalcanti. MEC vol.3, pág. 265; WALMIR AYALA vol.2, pág.135; PONTUAL, pág. 375; TEIXEIRA LEITE, pág. 356; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 684. Acervo FIEO.



208 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
Lance Livre

Na fazenda - óleo sobre tela - - 55 x 46 cm - canto inferior direito e dorso - 1979.

Considerado por muitos críticos e colecionadores como o mais típico dos nossos pintores ingênuos, Silva foi o intérprete da cena rural de São Paulo, num estilo expontâneo em que assomam, por vezes, soluções plásticas inesperadas. MEC, vol. 4, pág. 256; PONTUAL, pág. 493 e 494; TEIXEIRA LEITE, pág. 478; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 958; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 958; BENEZIT, vol. 9, pág. 602; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 227; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 171; Acervo FIEO.



209 - CARLOS SÖRENSEN - (1928 - 2008)
Lance Livre

"Estudo com vaso" - encáustica - - 24 x 18 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1976.

Paulista de Baurú, Sorensen fez importantes estudos em Paris, onde a convite do governo francês, freqüenta o ateliê de André Lhote, onde conhece Picasso, Roonet e Fernand Léger e no ano seguinte freqüenta a Escola Superior de Belas Artes-Paris, estudando com Gleizes e André Lhote(1952-1953). Foi artista de múltiplas atividades, ceramista, tapeceiro, cenógrafo, ilustrador, arquiteto, designer e pintor, com sucesso de crítica e de público. Citado em Delta Larouse/1970, pág. 6406; MEC vol.4, pág. 309; PONTUAL, pág. 500, WALMIR AYALA vol.2, pág.347; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 306; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



210 - THÉO (DJALMA PIRES FERREIRA) - (1901 - 1980)
Lance Livre

Militares - desenho a nanquim e aquarela - - 28 x 40 cm - canto inferior direito - .

Caricaturista, Djalma Pires Ferreira, conhecido como Théo, nasceu na Bahia e veio para o Rio de Janeiro com 21 anos. Publicou seus primeiros trabalhos na "Tarde" (1918 a 1922) e no "Diário de Notícias", Seção Esportes (1919). Foi o divulgador da "Bola do Dia" das colunas de "O Globo" e colaborou no "Malho", "Careta", "Fon-Fon", outras revistas e jornais do Rio de Janeiro e na "Cigarra", em São Paulo. Exposições póstumas: São Paulo (1997, 2003); Belo Horizonte, MG (1997); Campinas, SP (1997); Brasília, DF (1998). ITAU CULTURAL; MEC VOL. 4, PÁG. 384; CARICATURISTAS BRASILEIROS, 1836 - 2001 PÁG. 120.



211 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX -
Lance Livre

Figuras - óleo sobre tela - - 49 x 80 cm - canto inferior direito ilegível - .



212 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
Lance Livre

Praia - óleo sobre tela - - 50 x 70 cm - canto inferior direito - 1976.

Nascido e falecido em São Paulo, DURVAL PEREIRA foi pintor e professor ativo em São Paulo. Premiado com a Menção Honrosa no SPBA em 1944, passou a viver exclusivamente da pintura. Pintava ao ar livre aos domingos com os pintores Salvador Rodrigues, Salvador Santisteban, Cirilo Agostinho, Jaime Dinis, Djalma Urban, Innocencio Borghese, e outros. Premiado praticamente em todos os Salões de que participou. Recebeu ao todo, 15 comendas das mais importantes do Brasil. Nos últimos três anos de sua vida, recebeu todos os Primeiros Prêmios e Medalhas de Ouro nas exposições de Paris, Rouen, Lyon, Roma, Miami e Milão. MEC, vol. 3, pág. 368; JULIO LOUZADA, vol. 1, págs. 749/750/751. ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.



213 - CARLOS OSWALD - (1882 - 1971)
Lance Livre

"Beethoven" - água forte - água-forte original - 28 x 19 cm - canto inferior direito - 1919.
Reproduzido na página 57 do livro "Carlos Oswald" editado pelo Museu Nacional de Belas Artes. -
Gravador e pintor, ativo no Rio de Janeiro, estudou na Europa; foi o primeiro a fazer gravura em metal com finalidade artística; dedicou-se a temas religiosos, paisagens, cenas de gêneros e retratos. PONTUAL, pág. 397; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1053; ITAÚ CULTURAL.; WALTER ZANINI, pág. 446; Acervo FIEO.



214 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
Lance Livre

Voltando da pesca - óleo sobre eucatex - - 19 x 29 cm - canto inferior direito - .
Com autenticação do artista no dorso. -
Nascido na Itália, radicou-se no Brasil. Seu estilo liga-se ao dos Macchiajoli oitocentistas (os equivalentes italianos dos impressionistas franceses) e ao de Pratella em especial. São especialmente notáveis suas paisagens e marinhas. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 168; JULIO LOUZADA vol.11, pág.54; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



215 - SILVIA ALVES - (1947)
Lance Livre

"São Paulo é poesia" - óleo sobre eucatex - - 10 x 15 cm - canto inferior direito e dorso - Outono de 2012.

Nascida SILVIA Ferraro ALVES, em São Paulo, SP, a 2 de maio de 1947. É pintora, desenhista, escultora, gravadora, ilustradora, professora, poetiza e atriz, ativa nesta Capital. Estudou pintura e desenho com Lecy Bonfim, e pintura acadêmica com o professor Desdedith Campanelli. Artista festejada nos variados meios em que expressa as suas brilhantes qualidades artísticas. JULIO LOUZADA, vol, 10, pág, 49.



216 - ENRICO BIANCO - (1918)
Base: R$ 14.000,00

Nu - óleo sobre eucatex - - 58 x 43 cm - canto inferior direito - 1976.

Nascido na Itália, é hoje considerado um de nossos melhores pintores. Atingiu um estilo pessoal, figurativo, eminentemente lírico, baseado em um desenho livre e numa cor sensível. THEODORO BRAGA, pág. 54; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 99, 110 e 104; MEC, vol. 1, pág. 242; PONTUAL, pág. 76; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 594. Acervo FIEO. -



217 - ALUISIO CARVÃO - (1920 - 2001)
Lance Livre

Composição - desenho a nanquim - - 32 x 22 cm - canto inferior direito - .

Importante pintor, escultor, Ilustrador, ator e cenógrafo brasileiro, natural de Belém-PA. Em 1952 estuda pintura com Ivan Serpa, no MAM-RJ, participando, entre 1954 e 1956, Grupo Frente e, entre 1960 e 1961, integra o Grupo Neoconcreto. Nos anos seguintes viaja para a Europa com o prêmio de viagem recebido no SNAM-RJ. No fim dos anos 60 passa a empregar materiais não tradicionais, como tampinhas metálicas de garrafa, pregos e barbante agrupados em suportes de madeira. Em 1996 ocorre retrospectiva de sua obra no Museu Metropolitano de Arte, em Curitiba, no Museu de Arte Moderna - MAM/BA e no MAM/RJ. "A preocupação inicial de Aluísio Carvão era com a forma: reduzir a obra a estruturas elementares, gestálticas. A partir da dissidência neoconcreta, da qual fez parte, é a cor que irá se impor, envolvendo a estrutura, ou melhor, a cor é, ela mesma, espaço. Carvão não é um pintor metafísico. Através da cor ele revela sua relação sensual com o mundo. Como ele diz: ´Vermelhos-guarás, araras, aroma das flores de manacá, o som do vento terral, o calor equatorial, o amarelo-laranja do sol, ressonâncias atávicas de Van Gogh e Mondrian, em trânsito pela Península Ibérica, Nordeste, Amazônia e nosso litoral daqui´. Nas pinturas da ´série cromativa´ ou no ´cubocor´ da fase neoconcreta, Carvão dá à cor sua máxima concretude e fisicalidade, mas, feito isto, ocorre a retração da cor, que se mutiplica em complementares, abrindo caminho para a caracterização como espaço lírico, território da memória. Sua linguagem e seus motivos são aéreos: sóis, luas, pipas, bandeirolas, mastros, arcos. Enfim, são formas que voam e ascendem, sem contudo perder o vínculo com a terra. " Frederico Morais, in MORAIS, Frederico. Vertente construtiva. In: DACOLEÇÃO: os caminhos da arte brasileira. São Paulo: Júlio Bogoricin, 1986. p. 131-132. JULIO LOUZADA, vol. 5 pág. 210/211; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, 655; LEONOR AMARANTE, 75; ARTE NO BRASIL, 921; Acervo FIEO.



218 - INGRES SPELTRI - (1940)
Lance Livre

"Opus 1.911" - óleo sobre tela - - 80 x 60 cm - canto inferior direito e dorso - 1998.

Nasceu em Jau, São Paulo, em 20/01/1940. Pintor, desenhista, escultor, gravador e professor. Apresentando uma pintura de fases bem demarcadas, onde as possibilidades plásticas do cubismo, do construtivismo e do concretismo foram exploradas com paixão e rigor de pesquisa, o autor tem percorrido um rico itinerário em sua incessante buscar de universo expressivo e de uma linguagem pictórica definitiva. O autor é professor titular da Escola Panamericana de Arte, SP. JULIO LOUZADA, vol 1, pág 937; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.



219 - ALVIN JEWETT JOHNSON - (1827 - 1884)
Lance Livre

Antigo mapa do Brasil - litografia aquarelada - - 43 x 32 cm - canto inferior direito - 1860.
Este mapa está reproduzido na página 219 do livro "A cartografia impressa do Brasil - os 100 mapas mais influentes 1506-1922" por Max Justo Guedes. -
Nasceu em Wallingford, Vermont, EUA, onde recebeu a educação pública básica. Foi um prolífico editor de mapas de 1856 até meados de 1880. Não foi um cartógrafo, nem um gravador, mas um astuto homem de negócios que reconheceu a necessidade de qualidade para os mapas da América durante o período de crescimento demográfico. Seu primeiro trabalho importante foi o "Johnson’s New Illustrated (Steel Plate) Family Atlas". Também editou numerosos mapas de parede, de bolso e por volta de 1880 a "Cyclopedia". Seus mapas são apreciados pelo tamanho, precisão, detalhes e vívida coloração à mão. www.geographicus.com; www.pastpresent.com.



220 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
Lance Livre

Emblemas - serigrafia - 21/30 - 67 x 94 cm - canto inferior direito - 1987.

Baiano de Salvador, autodidata, Rubem Valentin pinta desde meados de 1940. Sua primeira coletiva foi em 1949, no Salão Baiano de Belas Artes, do qual participaria outras vezes, recebendo premiações. Viveu no Rio de Janeiro e na Europa, fixando residência permanente em Brasil, DF, há mais de 20 anos. O artista assim explicava a sua arte: "Minha linguagem plástico-visual signográfica está ligada aos valores míticos profundos de uma cultura afro-brasileira (mestiça-animista-fetichista). Com o peso da Bahia sobre mim - a cultura vivenciada; com o sangue negro nas veias - o atavismo; com os olhos abertos para o que se faz no mundo - a contemporaneidade; criando os meus signos-símbolos procuro transformar em linguagem visual o mundo encantado, mágico, provavelmente místico que flui continuamente dentro de mim". PONTUAL, pág.532; WALMIR AYALA, vol.2, págs.395 a 397; TEIXEIRA LEITE, pág.517; MEC, vol.4, pág.443; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.330; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 257, Acervo FIEO.



221 - BENIAMINO PARLAGRECO - (1856 - 1902)
Lance Livre

Marinha - óleo sobre madeira - - 10 x 17 cm - canto inferior direito - .
Procedente das coleções: Dr. Waldemar Teixeira de Carvalho - Santos - São Paulo e Dr. Raul Villaboim de Carvalho, Ex Presidente da Sociarte - São Paulo, SP. -
Pintor e desenhista italiano, tendo realizado sua formação artística em Nápoles, veio fixar-se no Rio de Janeiro em 1895, onde morreria de febre amarela. Já em 1898 conquistava a medalha de outro no Salão Nacional de Belas Artes. Encontram-se obras suas no Museu Nacional de Belas Artes e na Pinacoteca do Estado de São Paulo.Obras de sua autoria são raríssimas e grandemente disputadas. LAUDELINO FREIRE, pág. 517; THEODORO BRAGA, pág. 183; WALMIR AYALA, vol.2, pág.57; PONTUAL, págs. 386 e 406; ARTE NO BRASIL.



222 - ANTONIO CARPENTIERI - (1930 - 1987)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre eucatex - - 17 x 35 cm - canto inferior esquerdo - .

Natural de Nápoles, Itália, Carpentieri foi descendente de família abastada, há três gerações ligadas às artes plásticas. No Brasil desde 1952, tornou-se aluno de Angelo Cannone, Briante e De Corsi. Expôs diversas vezes com excelente crítica na Itália, cujas galerias e museus possuem obras suas. JULIO LOUZADA, vol.1, pág.215; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 176; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.



223 - IVO BLASI - (1932 - 2008)
Lance Livre

"Marinha" - óleo sobre tela - - 30 x 50 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1987.

Foi pintor atuante em São Paulo. Viveu na Itália por algum tempo, onde frequentou cursos de arte. No Brasil cursou a Escola Paulista de Belas Artes, tendo participado de diversas exposições. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 36; Acervo FIEO.



224 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
Lance Livre

Três mulheres - óleo sobre papelão - - 36 x 42 cm - canto inferior direito - c - 1979.

Desenhista, gravador, pintor e escultor, radicado na Bahia. Sua arte é lírica, de boa técnica, baseada no povo, que lhe forneceu o melhor da sua temática. PONTUAL, pág. 116; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 180 e 181; TEIXEIRA LEITE, págs. 111 e 112; MEC, vol.1, pág. 355; BENEZIT, vol. 2, pág. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717;ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.



225 - SANSÃO CAMPOS PEREIRA - (1926)
Lance Livre

Barcos - óleo sobre tela - - 80 x 80 cm - canto inferior direito - .

Ativo no Rio de Janeiro, foi membro da Academia Brasileira de Artes, e da Academia Brasileira de Belas Artes. Artista várias vezes premiado, participou de diversas coletivas e salões, recebendo premiações várias. Seu tema preferido é a marinha. MEC vol.3, pág.389; JULIO LOUZADA vol.11, pág.243, Acervo FIEO.



226 - FANG, CHEN KONG - (1931)
Lance Livre

Vaso de flores - serigrafia - 11/140 - 44 x 53 cm - canto inferior direito - 1986.

Pintor, desenhista e gravador. Ativo em São Paulo, estudou com Y. Takaoka; expôs nos Salões de Belas Artes de São Paulo e do Rio de Janeiro, obtendo diversas premiações. Tem obras em coleções particulares e na Pinacoteca de São Paulo. MEC, vol. 2, pág. 124; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 366; TEIXEIRA LEITE, pág. 189; PONTUAL, pág. 201.; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



227 - ARLINDO CASTELANE DI CARLI - (1910 - 1985)
Lance Livre

Maternidade - óleo sobre tela - - 65 x 54 cm - canto inferior direito - .

Pintor e escultor. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, onde foi aluno de José Maria da Silva Neves e de Enrico Vio. Suas primeiras realizações foram na pintura. Mais tarde passou a dedicar-se também à escultura. Sofreu influência do pintor Armando Balloni. Em 1942, estreando no SPBA, recebeu prêmio de menção honrosa, seguindo-se nos anos posteriores, diversas premiações, inclusive de viagem ao estrangeiro. MEC, vol. 1, pág. 355; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 183 e 184; ITAÚ CULTURAL.



228 - HELIO CASTRO - (XX)
Lance Livre

Barcos pesqueiros - óleo sobre tela - - 50 x 70 cm - canto inferior direito e dorso - 2012.

Excepcional pintor de paisagens e marinhas, dono de refinada técnica e composição, com inspiração nas escolas européias.



229 - ARNALDO FERRARI - (1906 - 1974)
Lance Livre

Composição - óleo sobre tela - - 33 x 41 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1964.

Pintor e desenhista de São Paulo. Estudou artes decorativas, desenho e pintura no Liceu de Artes e Oficio de São Paulo e na Escola de Belas Artes de São Paulo, tendo sido aluno de Érico Vio . Pertenceu ao Grupo Guanabara de São Paulo, com Tomie Ohtake, Ianelli, Fukushima e outros. Passou, num trabalho lento e consciente, do figurativismo para uma abstração geometrizante. Participou do Grupo Santa Helena, com Alfredo Volpi, Mario Zanini e outros, nos anos de 1935 a 1950. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 304/5; MEC, vol. 2, pág. 149/50; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 191; PONTUAL, pág. 207; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 378; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.678, Acervo FIEO.



230 - ETTORE FEDERIGHI - (1909 - 1979)
Lance Livre

Natureza morta - óleo sobre tela - - 72 x 104 cm - canto inferior direito - 1959.

Pintor ativo em São Paulo, participou do SPBA, conquistando menção honrosa (1952), pequena medalha de prata (1957), prêmio aquisição (1958 / 59 / 60), grande medalha de prata (1961) e várias outras, bem como várias participações em Salões. MEC, vol. 2, pág. 145; JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 387.; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



231 - EMIL NOLDE - (1867 - 1956)
Lance Livre

Nu - gravura - - 22 x 10 cm - canto inferior direito - .

Pintor, desenhista, gravador, escultor e professor, Emil Hansen, filho de camponeses, nasceu em Nolde, norte da Alemanha perto da fronteira com a Dinamarca. Estudou para ser marceneiro e entalhador, quando jovem. Trabalhou em Munique, em Karlsruhe - onde fez o curso de Arte Aplicada e em Berlim. Também fez estudos, entre outros, em Paris (Academia Julian), em Copenhague (escola de Kristian Zartman). Em 1902 se casou e mudou seu nome para Nolde. De 1905 a 1907 foi membro do ‘Die Brücke’, em Dresden, da ‘Secession’, em Berlim, até 1910.. Esteve viajando pela Itália, Rússia, Extremo Oriente e ilhas do Pacífico. Profundamente religioso, suas pinturas mais famosas são figurações do Velho e Novo Testamentos, paisagens e foi um dos expoentes da pintura floral do século XX. Embora tenha sido um antigo defensor do Partido Nacional-Socialista, teve sua obra declarada degenerada pelos nazistas e foi proibido de pintar. Mesmo assim, executou em segredo pequenas aquarelas (chamadas "pinturas não-pintadas"), a partir das quais concebeu grandes telas a óleo depois da guerra. Em 1926 fixou-se em Seebüll, também no norte da Alemanha quase fronteira da Dinamarca, onde viveu até morrer. Lá há a Fundação Nolde que possui uma extraordinária coleção de suas obras. BENEZIT VOL.. 7, PÁG. 743; EMIL NOLDE - CATÁLOGO EXPOSIÇÃO EM PARIS E MONTPELLIER, RMN 2008; DICIONÁRIO OXFORD, PÁG. 379; www.germanexpressionism.com; www.moma.org; www.britannica.com; www.emil-nolde.com.



232 - ALIPIO DUTRA - (1892 - 1964)
Lance Livre

Casarão - óleo sobre cartão - - 16 x 22 cm - canto inferior direito - 1947.

Iniciou seus estudos em Piracicaba, com seu pai Joaquim Miguel Dutra, e obteve do Governo do Estado de São Paulo, em 1913, uma pensão para aperfeiçoar-se na Europa. Cursou a Escola Nacional Superior de Belas Artes de Paris, e foi laureado pela Real Academia de Belas Artes de Bruxelas. Em Paris, onde residiu durante 20 anos, frequentou a Academia Julian e os ateliers de Baschet, Royer e Laparra. Expôs no Salão dos Artistas Franceses em 1923 e 1924. Entrou para carreira diplomática em 1921, e quando servia na Embaixada do Brasil em Paris o governo francês fê-lo Cavalheiro da Ordem Nacional da Legião da Honra. Participou de diversas exposições individuais e coletivas, no Brasil e no exterior, tendo recebido inúmeros prêmios. Foi irmão dos pintores João, Archimedes e Antonio de P. Dutra. Seu nome está mencionado no Dictionnairè des Peitres, Sculpteurs, Dessinateurs et Graveurs. Benezit, ed. 1966, vol. 3, pág. 454. Foi paisagista, pintor de gênero, figuras e naturezas mortas. TEODORO BRAGA, pág. 84; BENEZIT, ed. 1976, vol. 4, pág. 71; REIS JR. , pág. 274/75; WALMIR AYALA, vol. 1, pag.274 e 275; PONTUAL, pág. 185/186; MEC, vol. 2, pág. 83; TEIXEIRA LEITE, pág. 171; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.



233 - YOSO HAMAGUCHI - (1909 - 2000)
Lance Livre

Sol e palmeira - litografia off set - - 29 x 45 cm - canto inferior direito - .

Pintor e gravador nascido em Wakayama - Honshu, Japão. Começou a desenhar desde cedo, copiando as gravuras chinesas de seu pai. Estudou escultura na Escola de Belas Artes de Tóquio (1927) e depois pintura e gravura na Academia de La Grande Chaumière em Paris (1930). Em 1939 retornou ao Japão e se estabeleceu em Paris a partir de 1953. Tornou-se um dos mais importantes gravadores contemporâneos, conhecido por revitalizar a técnica da maneira negra (mezzotint). Participou de muitas exposições e foi premiado na Bienal Internacional de São Paulo (1957); nas Bienais Internacionais de Gravura em: Tóquio (1957); Lugano, Suiça (1958); Ljubliana, Yugoslávia (1961); Cracóvia, Polônia (1966); Califórnia, EEUU (1982). ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL. 12, PÁG. 194; artnet.com; davidsongalleries.com; britannica.com; artprice.com; arcadja.com; invaluable.com; christies.com.



234 - ALICE BRILL - (1920)
Lance Livre

Casario - têmpera sobre tela - - 40 x 30 cm - canto inferior direito - 1981.

No Brasil desde os 14 anos, esta artista alemã, nascida em Colônia, radicou-se em São Paulo, onde estudou com Osir, Bonadei e Yolanda Mohalyi, aperfeiçoando-se com bolsa de estudos nos Estados Unidos. Estudou gravura em São Paulo com Karl-Heinz Hansen, voltando a fazê-lo com Potty Lazzarotto em 1950, no MASP.Como pintora, a primeira exposição de que participou, em 1944, foi o Salão do Sindicato dos Artistas Plásticos de São Paulo, desde então, este sempre presente em diversas coletivas nacionais e estrangeiras. Sua pintura traz a cidade em suas telas. JULIO LOUZADA, vol. 8, pág. 134; MEC, vol. 1, pág. 296; PONTUAL, pág. 90; TEIXEIRA LEITE, pág. 88; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; Acervo FIEO.



235 - GENTIL GARCEZ - (1903 - 1992)
Lance Livre

Marinha - óleo sobre tela - - 52 x 100 cm - canto inferior direito - .

Sua primeira individual deu-se em 1922. Participou assiduamente de certames artísticos realizados em São Paulo e em outras cidades do País. TEODORO BRAGA, pág. 105; MEC, vol. 2, pág. 240/241; JULIO LOUZADA, vol 1, pág. 410; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



236 - ALIBERTO BARONI - (1911 - 1994)
Lance Livre

Empalhador - óleo sobre tela - - 51 x 37 cm - canto inferior direito - 1936.

Pintor ativo em São Paulo. Discípulo de Antonio Rocco, participou várias vezes do Salão Paulista de Belas Artes, premiado com menção honrosa (1935), medalha de prata (1959), pequena medalha de ouro (1960), prêmio Prefeitura de São Paulo (1962), Assembléia Legislativa (1965). Figurou no Salão de Belas Artes / Rio de Janeiro (1931 e 1941) e na Exposição de Belas Artes da Muse Italiche, SP (1928). Realizou individuais em São Paulo e outros estados. MEC, vol. 1, pág. 182; JÚLIO LOUZADA/1985, pág. 95 e vol. 6, pág. 103; PONTUAL, pág. 54; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.



237 - CAETANO DE ALMEIDA - (1964)
Lance Livre

Melhor amigo - serigrafia - 58/60 - 27 x 19 cm - canto inferior direito - 1996.

José Caetano de Almeida Filho nasceu em Campinas, SP. Pintor, gravador e professor. Estudou artes plásticas na FAAP onde foi aluno de Evandro Carlos Jardim e Nelson Leirner , entre outros. Por volta de 1984, frequentou os ateliês de gravura da Pinacoteca do Estado de São Paulo . Foi artista residente na ‘Cité International des Arts’, Paris; no Khoj International Artist, Institute of Fine Art- Modinagar, Índia; na Sacatar Foundation – Salvador, BA. Realizou diversas exposições individuais e tem participado de muitas coletivas e Salões oficiais no Brasil, Europa e Estados Unidos. ITAU CULTURAL; galerialuisastrina.com.br; cultura.gov.br; tvcultura.cmais.com.br.



238 - ADELSON DO PRADO - (1944)
Lance Livre

"Canavial" - óleo sobre tela - - 130 x 90 cm - canto superior esquerdo e dorso - 1972 - Rio de Janeiro-RJ.

Baiano, Adelson do Prado recria, num ambiente singelo, costumes, paisagens e crenças de sua paisagem natal. PONTUAL, pág. 14; TEIXEIRA LEITE, pág. 14; WALMIR AYALA vol.2, pág.221; ITAÚ CULTURAL..



239 - FRANCISCO COCULILO - (1895 - 1978)
Lance Livre

Dedo de Deus - óleo sobre tela colada em eucatex - - 55 x 81 cm - canto inferior direito - Rio de Janeiro -RJ.

Paisagista nascido no Rio de Janeiro, aluno de Luiz Graner. Realizou exposições individuais em várias cidades brasileiras. Catálogo de Exp. de Paisagem Brasileira - MEC-MNBA/Rio/1944; MEC, vol. 1, pág. 40; TEODORO BRAGA, pág. 73; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 208; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 74; Acervo FIEO.



240 - AGUILLAR NAVARRO - (1917 - 1983)
Lance Livre

"Notre-Dame" - óleo sobre tela - - 60 x 25 cm - canto inferior esquerdo e dorso - Paris.

Pintor espanhol, natural de Barcelona. Desde os 13 anos de idade, quando residia em Paris, percorria as ruas fazendo delas temas para os seus quadros, o que lhe permitiu realizar a primeira individual aos 16 anos. Sua trajetória artística foi acompanhada de várias exposições com uma série de premiações internacionais e reconhecimento pela crítica francesa. No Brasil, vários foram os prêmios, com menções nos Salões Paulista de Belas Artes. Suas telas retratam Paris ou o Brasil, onde as cores vibrantes irradiam toda a natureza. JULIO LOUZADA vol.9, pág. 614; ACERVO FIEO, pág. 41.



241 - CHRISTINA OITICICA - (1951)
Lance Livre

Composição - litografia off set - 20/50 - 38 x 60 cm - canto inferior direito - 1998.

Maria Christina Bastos Oiticica, pintora, desenhista e artista multimídia, é natural do Rio de Janeiro, RJ. Entre idas e vindas pela Europa, em 2003 optou por dividir seu tempo entre os Pirineus do sudoeste da França e o Rio de Janeiro. Tem realizado muitas exposições individuais no Brasil e pelo mundo e também participado de inúmeras mostras coletivas. ITAU CULTURAL; www.christinaoiticica.com.br; pt.wikipedia.org.



242 - ANTONIO ROCCO - (1880 - 1944)
Lance Livre

Moça - óleo sobre tela - - 42 x 32 cm - canto inferior esquerdo - 1943.

Pintor italiano, natural de Amalfi. Frequentou o Instituto de Belas Artes de Nápoles. No Brasil, fixou-se em São Paulo. Participou do SNBA e no SPBA de 1933, recebendo importantes premiações. A PINACOTECA - SP possui obras de sua autoria. TEODORO BRAGA; JULIO LOUZADA, vol 13 pág. 286; ITAÚ CULTURAL, RUTH TARASANTCHI.



243 - CAMILO EDUARDO TAVARES - (1932)
Lance Livre

"O leilão de artes" - acrílico sobre tela - - 40 x 50 cm - canto inferior direito e dorso - São Paulo, 2008.

Paulistano, o pintor foi membro de juri da Associação dos Artistas Plásticos de São Paulo. Segundo depoimento do próprio artista: " Os meus quadros são carregados de humanismo, amor e realidade, uma verdadeira mensagem filosófica pois quem leva a vida com amor à arte, é feliz." Expõe individualmente desde 1971, inclusive MAM-RJ em 1974; e coletivamente a partir de 1970. Internacionalmente, expôs a partir de 1971, destacando-se Alemanha, EUA, México e Itália. JULIO LOUZADA, vol.4, pág. 1083. Acervo FIEO.



244 - ALIPIO DUTRA - (1892 - 1964)
Lance Livre

No pilão - óleo sobre tela colada em cartão - - 40 x 28 cm - canto inferior esquerdo - 1943.
"Estudo". Procedente das coleções: Dr. Waldemar Teixeira de Carvalho - Santos - São Paulo e Dr. Raul Villaboim de Carvalho, Ex Presidente da Sociarte - São Paulo, SP. -
Iniciou seus estudos em Piracicaba, com seu pai Joaquim Miguel Dutra, e obteve do Governo do Estado de São Paulo, em 1913, uma pensão para aperfeiçoar-se na Europa. Cursou a Escola Nacional Superior de Belas Artes de Paris, e foi laureado pela Real Academia de Belas Artes de Bruxelas. Em Paris, onde residiu durante 20 anos, frequentou a Academia Julian e os ateliers de Baschet, Royer e Laparra. Expôs no Salão dos Artistas Franceses em 1923 e 1924. Entrou para carreira diplomática em 1921, e quando servia na Embaixada do Brasil em Paris o governo francês fê-lo Cavalheiro da Ordem Nacional da Legião da Honra. Participou de diversas exposições individuais e coletivas, no Brasil e no exterior, tendo recebido inúmeros prêmios. Foi irmão dos pintores João, Archimedes e Antonio de P. Dutra. Seu nome está mencionado no Dictionnairè des Peitres, Sculpteurs, Dessinateurs et Graveurs. Benezit, ed. 1966, vol. 3, pág. 454. Foi paisagista, pintor de gênero, figuras e naturezas mortas. TEODORO BRAGA, pág. 84; BENEZIT, ed. 1976, vol. 4, pág. 71; REIS JR. , pág. 274/75; WALMIR AYALA, vol. 1, pag.274 e 275; PONTUAL, pág. 185/186; MEC, vol. 2, pág. 83; TEIXEIRA LEITE, pág. 171; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.



245 - ABELARDO ZALUAR - (1924 - 1987)
Lance Livre

Composição - serigrafia - 84/100 - 60 x 60 cm - canto inferior direito - 1986.
No estado. -
Desenhista, pintor e professor. Frequentou a antiga ENBA, de 1944 a 1948. Participou do I ao XII e do XV SNAM (entre 1952 e 1966/ prêmio de viagem ao estrangeiro em 1963.). Realizou exposições individuais no MNBA (1947) e na Galeria Ambiente (São Paulo, 1960), Museu de Arte de Belo Horizonte (1960), Instituto de Belas Artes de Porto Alegre (1961), Petite Galerie-GB (1962). Sua obra experimentou uma simplificação de traços de tendência geometrizante, levando Frederico Morais a comentar a seu respeito em 1969; "Não se pensem que Zaluar, por ser um partidário da ordem, afaste deliberadamente o imprevisto, a contribuição do acaso, o vôo poético (...) seus últimos trabalhos fazem lembrar, na monumentalidade silenciosa da forma despojada, o mundo futuro do espaço cósmico, das estruturas moventes, das plataformas que se acoplam ou se dividem numa metamorfose constante". Encontra-se representado no acervo do MNBA, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e Museu de Arte de Belo Horizonte. WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 449/50; MEC, vol. 4, pág. 527; PONTUAL, pág. 556; TEIXEIRA LEITE, pág. 546; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 934; LEONOR AMARANTE, pág. 218.



246 - ALFREDO OLIANI - (1906 - 1988)
Lance Livre

Cristo - desenho a lápis e aquarela - - 33 x 22 cm - canto inferior direito - 26/04/1941.
No estado. -
Pintor, desenhista, gravador e escultor nascido (24/1/1906), e falecido (26/10/1988) na cidade de São Paulo. Frequentou a ENBA-SP, recebendo por concurso um prêmio de Viagem a Europa. Em Florença, Itália, aperfeiçoou-se na Academia de Belas Artes. Expondo nos salões oficiais em sua cidade natal, recebeu diversos prêmios. No campo da gravura, dedicou-se especialmente à água-forte. Obras em acervo: Pinacoteca-SP. JULIO LOUZADA, vol 4- pág 822



247 - ANGÉLICA - (1914)
Lance Livre

Procissão - acrílico sobre eucatex - - 34 x 25 cm - canto inferior direito - .

Pintora primitiva com diversas exposições e premiações.



248 - TOMÁS SANTA ROSA - (1909 - 1956)
Lance Livre

. - - - cm - - .
Lote composto de quatro litografias assinadas e emolduradas individualmente medindo 18 x 14 cm cada. -
Pintor, gravador, cenógrafo e professor. Oriundo da Paraíba, onde nasceu, fixou-se no Rio de Janeiro, iniciando em 1930 sua bem sucedida carreira de ilustrador de obras de autores estrangeiros e brasileiros, que inclui, dentre outros, Graciliano Ramos, José Lins do Rêgo, Jorge Amado, Castro Alves e muitos outros. Sua obra tem reconhecimento nacional e unanimidade de crítica, havendo se destacado em todas as áreas das artes que praticou. PONTUAL, pág. 472; TEIXEIRA LEITE, pág. 460; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 572; LEONOR AMARANTE.



249 - ALOYZIO ZALUAR - (1937)
Lance Livre

"Google" - óleo e colagem sobre madeira - - 71 x 47 cm - canto inferior direito e dorso - 2005.

Natural da cidade do Rio de Janeiro. Passou a frequentar a antiga ENBA em 1956. Participou de diversos SNAM entre 1958 e 1967, recebendo a Certificado de Isenção em 1966. Expõe individualmente a partir de 1964. TEIXEIRA LEITE chamou atenção, em 1964, para a influência de Goeldi nos seus trabalhos que, mais tarde, abordaram a temática do carnaval carioca, levando o artista e poeta José Paulo Moreira da Fonseca a situá-lo na fronteira entre o desenho e a pintura. ITAÚ CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 349; MEC, vol. 4, pág. 528; PONTUAL, pág. 556; ACERVO FIEO, pág. 785. Acervo FIEO. -



250 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
Lance Livre

"Xaréu" - serigrafia - 22/200 - 40 x 56 cm - canto inferior direito - .
Reproduzido no catálogo da Mostra Itinerante do artista realizada em treze capitais em 1995. -
Desenhista, gravador, pintor e escultor, radicado na Bahia. Sua arte é lírica, de boa técnica, baseada no povo, que lhe forneceu o melhor da sua temática. PONTUAL, pág. 116; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 180 e 181; TEIXEIRA LEITE, págs. 111 e 112; MEC, vol.1, pág. 355; BENEZIT, vol. 2, pág. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717;ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

251 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
Lance Livre

Cajus - serigrafia - 11/100 - 49 x 68 cm - canto inferior direito - 1987.

Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

252 - ZIRALDO ALVES PINTO - (1932)
Lance Livre

"Ponto final" - desenho a nanquim e guache - - 41 x 28 cm - canto inferior esquerdo - .

Desenhista, caricaturista, cartunista, ilustrador, jornalista e escritor. Apresenta seu primeiro desenho aos 7 anos de idade no jornal Folha de Minas, em 1939. Em 1949, muda-se para o Rio de Janeiro, onde colabora nos periódicos infantis Vida Infantil, Vida Juvenil e Sesinho e começa a publicar trabalhos na revista A Cigarra. Em 1952 ingressa na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG e realiza trabalhos mensais na revista Era uma Vez. Em 1954, substitui o caricaturista Borjalo (1925 - 2004) no jornal Folha de Minas e colabora no jornal Binômio. Em 1957, muda-se para o Rio de Janeiro e, no ano seguinte, começa a trabalhar na revista O Cruzeiro, onde, dois anos depois, cria o personagem Pererê. Com o sucesso desse personagem, a empresa O Cruzeiro passa a publicar uma revista mensal apenas com suas histórias. No ano de 1963, começa a trabalhar no Jornal do Brasil e, em 1964, na revista Pif-Paf, dirigida por Millôr Fernandes (1923). Em 1967, edita o suplemento dominical Cartum JS, do Jornal dos Sports. No ano seguinte, ganha destaque internacional, e tem seus desenhos publicados em revistas estrangeiras. Integra a equipe de fundadores do jornal O Pasquim, lançado em 1969. Desde então, dedica-se à publicação de livros infantis e, entre muitos títulos, destacam-se Flicts (1969), O Menino Maluquinho (1980) e O Bichinho da Maçã (1982). Em 1982 abandona a direção d'O Pasquim para dedicar-se principalmente à literatura infantil. Em 1999, funda as revistas Bundas - paródia da revista Caras - e Palavra. Em 2002, começa a publicar um novo periódico chamado O Pasquim 21. ITAÚ CULTURAL.

253 - WALDOMIRO DE DEUS - (1944)
Lance Livre

"O anjo" - acrílico sobre tela - - 40 x 50 cm - canto inferior direito e dorso - 1984.
Com certificado de autenticidade firmado pelo autor. -
Baiano de Boa Nova, Waldomiro de Deus é pintor e gravador. Em São Paulo desde 1960, expunha seus trabalhos nas praças da capital. Expõe em espaços oficiais desde 1965, inclusive no exterior. Ao todo já realizou mais de 100 exposições, com sucesso de crítica e de público. O seu trabalho mescla o misticismo religioso afro-baiano com elementos do cotidiano. ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 239; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

254 - SILVIO AZAMOR - (1925 - 1997)
Lance Livre

Marinha - óleo sobre madeira - - 20 x 30 cm - canto inferior direito - .

Pintor ativo no Rio de Janeiro, foi aluno de Agenor César de Barros. Participou do SNBA-RJ (1948, 1965 e 1968). JULIO LOUZADA vol.11, pág.23

255 - REYNALDO FONSECA - (1925)
Lance Livre

Anjo - serigrafia - P. I. - 35 x 25 cm - canto inferior direito - .

Pintor, desenhista, gravador e professor pernambucano, natural da cidade do Recife, onde é ativo. Estudou no Rio de Janeiro, pintura com Portinari e gravura em metal com Henrique Oswald. Conquistou diversos prêmios em pintura e gravura na Divisão Moderna do SNBA-RJ. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.263; MEC, vol.2, pág.184; PONTUAL, pág.220; TEIXEIRA LEITE, pág.205; WALMIR AYALA, vol.2, págs. 243 a 245; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 879.

256 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
Lance Livre

Casario - desenho a lápis - - 24 x 17 cm - canto inferior direito - .

Paulistano, o pintor nasceu em 10/5/1965. Estudou na APBA-SP, onde desenvolveu curso de desenho e pintura, frequentado sessões de modelo vivo. Individuais desde 1989 e coletivas em Salões Oficiais, com sucesso de crítica. Recebeu diversos prêmios. JULIO LOUZADA, vol.13, pág. 304; Acervo FIEO.

257 - YASUICHI KOJIMA - (1934)
Lance Livre

"Igreja de Diamantina" - óleo sobre tela - - 40 x 50 cm - canto inferior direito e dorso - 2004.

Pintor nascido no Japão. Naturalizou-se brasileiro. Após o término da guerra, imigrou com grande esperança para o Brasil, como técnico em cerâmica. Fixou residência em São Paulo, onde pinta desde 1969, tendo contato com Mabe e Takaoka. Foi selecionado para os salões SEIBI, de São Caetano, de São Bernardo, de Santo André e de Mauá. Em 2009 realizou exposição individual, como convidado, no Museu Barão de Mauá.

258 - RENZO FONGARO - (XX)
Lance Livre

Composição - têmpera sobre tela - - 90 x 120 cm - canto inferior direito - .

JULIO LOUZADA, vol. 4 pág. 410

259 - MENNA BARRETO - (1953)
Lance Livre

Composição - giclée - 193/200 - 39 x 49 cm - canto inferior direito - .

Nascida Sônia Regina Gomes Menna Barreto de Barros Falcão, no dia 5 de novembro de 1953, na cidade de São Paulo-SP. Cursou desenho com Waldemar da Costa e pintura com Luiz Portinari, no Centro de Artes Cândido Portinari e, com Jorge Mori, assimila a técnica do óleo sobre linho e a veladura ou "glacis" utilizada pelos mestres clássicos do passado. Sobre a obra da artista, assim escreveu Flávio de Aquino, no catálogo da sua exposição na Galeria André, SP, 1989: "Sônia Regina Gomes Menna Barreto de Barros Falcão, ou simplesmente Menna Barreto - assina obras-primas em pequenos formatos, como miniaturas. Pouco conhecida, surge agora como a grande novidade da pintura fantástica brasileira. Menna Barreto dá uma conotação hiper-realista, mas sem colagens ou assemblagens. Sua arte tem um clima misterioso de castelos fantasmas ou de fragmentos de Paris, com suas ruas e casas. Seu valor reside no caráter arquipoético das obras. " ITAU CULTURAL

260 - GIANCARLO ZORLINI - (1931)
Lance Livre

Esquina - técnica mista - - 30 x 40 cm - canto inferior direito - 1981.

Médico de profissão, iniciou-se autodidaticamente na pintura, em 1962. É filho do escultor e pintor Ottone Zorlini. Participou diversas vezes do Salão Paulista de Belas Artes, nele recebendo diversas premiações. Sua pintura tem como tema predominante a paisagem. JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 124; MEC vol.4, pág.534; PONTUAL, pág. 559; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

261 - MÂNLIO MORETTO - (1917)
Lance Livre

Engenho de Piracicaba - óleo sobre tela - - 40 x 50 cm - canto inferior esquerdo - .

Natural da Capital de São Paulo, o artista encontrou sua melhor forma de expressão pintando paisagens. Aprendeu as regras de perspectivas com o professor e engenheiro F. Prestes Maia, em 1939. Foi aluno de Edgard Oehlmeyer. Participou de diversas mostras em SP e no RJ, recebendo diversas premiações. JULIO LOUZADA vol. 1 pág. 648/649

262 - LUIGI NEVIANI - (1929 - 1989)
Lance Livre

Figura - óleo sobre tela - - 100 x 100 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1988.

Pintor italiano radicado no Brasil, foi professor da Escola Panamericana de Arte de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág.721.

263 - MARIA BONOMI - (1935)
Lance Livre

"Caracalla" - litografia - 10/20 V/B - 45 x 80 cm - canto inferior direito - 1982.

Gravadora, pintora, figurinista, cenógrafa, muralista e escultora. No Brasil desde os nove anos de idade, residiu no Rio de Janeiro, com o seu avô, o construtor Conde Martinelli. Em 1950, já em São Paulo, estudou inicialmente com Yolanda Mohalyi, em seguida, a partir 1953, com Karl Plattner e Livio Abramo. Fez estudos de aperfeiçoamento no exterior, estudando com grandes mestres. Participante assídua de exposições coletivas, salões e mostras nacionais e internacionais, com muitas premiações. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 142; PONTUAL, pág. 80; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI,pág. 692; ARTE NO BRASIL, pág. 837; LEONOR AMARANTE, pág. 75, Acervo FIEO.

264 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
Lance Livre

Autorretrato - desenho a lápis - - 23 x 20 cm - canto inferior direito - 1969.
Com etiqueta da Toulouse Galeria de Arte - Rio de Janeiro, RJ, no dorso. -
Estudou desenho na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro com Modesto Brocos, formando-se em arquitetura em 1932, nessa mesma escola. A partir de 1935, dedicou-se à pintura mural e, de 1937, à pintura de temas sociais, com predominância de motivos de operários em construção e trabalhadores rurais. Caracteriza-se por uma grande versatilidade técnica, sendo dos raros pintores brasileiros a utilizar, lado a lado, o óleo, a têmpera e a encáustica, além da aquarela e do guache. Participou do Núcleo Bernardelli. PONTUAL, pág. 489; MEC, vol. 4, pág. 243; TEIXEIRA LEITE, pág. 475 e 476; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 324 a 327; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763, Acervo FIEO.

265 - LUCILIA FRAGA - (1895 - 1979)
Lance Livre

Flores - óleo sobre tela colada em cartão - - 32 x 47 cm - canto inferior direito - .

Importante pintora que foi ativa na cidade de São Paulo. Participou regularmente do SPBA, recebendo premiações em 1938, 1939, 1960. Quatro de suas obras constam do acervo da PINACOTECA-SP. REIS JUNIOR, pág. 387; THEODORO BRAGA, pág. 145 a 147; PONTUAL, pág. 222; MEC, vol, 2, pág. 188; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

266 - JOSINALDO FERREIRA BARBOSA - (1951)
Lance Livre

"Pescadores" - acrílico sobre tela - - 30 x 40 cm - canto inferior direito e dorso - 2011 - Bahia.
Com certificado de autenticidade firmado pelo autor. -
Pintor, assina Josinaldo. Com diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior. Tambem participou de Salões, entre eles o Salão de Piracicaba. JÚLIO LOUZADA vol. 12 pág. 214.

267 - LASAR SEGALL - (1891 - 1957)
Lance Livre

Menino na mata - litografia off set - 93/200 - 89 x 54 cm - não assinado - .
Litografia póstuma. -
Pintor, escultor, gravador e desenhista de mérito invulgar, é o precursor da arte moderna no Brasil, graças a uma exposição realizada em São Paulo em 1913. A crítica condidera-o, atualmente, um dos grandes mestres do Expressionismo pictórico. No Brasil, onde radicou-se muito jovem, e cuja cidadania adquiriu, realizou boa parte de sua obra, temperada, inclusive, pela atmosfera e pelo colorido dos trópicos. TEODORO BRAGA, pág. 137; MEC, vol. 4, pág. 217; REIS JR., págs. 374,386 e 387; PONTUAL, págs. 482/3/4; BENEZIT, vol. 9, pág. 500; ART PRICE ANNUAL, pág. 2283; TEIXEIRA LEITE, pág. 467; WALTER ZANINI, pág. 511; ARTE NO BRASIL, pág. 837; LEONOR AMARANTE, pág. 12.

268 - EMILIO PETTORUTI - (1892 - 1971)
Lance Livre

Composição - desenho a nanquim - - 14 x 20 cm - centro inferior - 1957.

Pintor e desenhista nascido em La Plata, Argentina, onde cursou a Academia de Belas Artes e participou de algumas mostras. Em 1913 foi para a Itália e se envolveu com a vanguarda artística italiana, jovens artistas e com o já famoso Marinetti, autor do 'Manifesto Futurista'. Em 1916 realizou sua primeira individual na Galleria Gonelli que foi uma das bases do Futurismo em Florença. Em Roma conviveu com Soffici, Carrá e De Chirico, entre outros. Depois de ter exposto em diferentes cidades italianas foi para Alemanha, e expôs na Galeria Sturm de Berlim, que representava a vanguarda alemã. Em Paris tornou-se amigo de Juan Gris e Gino Severini. Retornou a Buenos Aires e, em 1924, realizou sua primeira exposição depois de anos de ausência. Foi diretor do Museu Provincial de La Plata. Em 1940 foi organizada uma retrospectiva de suas obras em Buenos Aires. A partir de 1944 expôs nos Estados Unidos, Chile e Europa. Em Paris expôs junto com Latour, Masson e Miró. Recebeu o prêmio Continental Guggenheim das Américas em 1956. Escreveu suas memórias que foram publicadas, em 1966, com o título "Um pintor diante do espelho". Em 1971, com obras realizadas entre 1914 e 1924, representou a Argentina na Bienal de São Paulo. www.pettoruti.com; www.buenosaires.gov.ar; www.allaboutarts.com.br; www.artcyclopedia.com.

269 - JOSÉ RIOS PINTO - (1926)
Lance Livre

Subindo a ladeira - óleo sobre eucatex - - 45 x 64 cm - canto inferior direito - .

Pintor paulista da cidade de Santa Lúcia, onde nasceu a 22 de agosto de 1926. Estudou com Reynaldo Manzke e Campão, na Capital, nas técnicas de óleo e aquarela. Participa dos Salões Oficiais a partir de 1974, havendo recebido mais de 95 prêmios com suas lindas paisagens, que o consagraram. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 824.

270 - INÁCIO RODRIGUES - (1947)
Lance Livre

Paisagem - litografia - 34/60 - 40 x 60 cm - canto inferior direito - 1983.

Pintor e desenhista cearense, natural de Fortaleza, fixou-se em 1966 no Rio de Janeiro. Participou do SNAM-RJ em 1968 e 1975, recebendo neste último, o prêmio de viagem ao País. JULIO LOUZADA , VOL, 12, pág 345. TEIXEIRA LEITE, pág, 450. WALMIR AYALA, VOL, 2, pág, 259; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

271 - IWAO NAKAJIMA - (1934 - 2011)
Lance Livre

Peneirando café - óleo sobre tela colada em eucatex - - 21 x 12 cm - canto inferior direito - .

Natural de Guma-Ken, Japão, onde nasceu a 9 de abril de 1934, permanecendo no Japão, onde fez estudos de pintura e desenho, até 1955, quando se transfere para o Brasil, como técnico em pintura sobre esmalte. É associado na APBA. Expõe individualmente a partir de 1982, e participa de coletivas a partir de 1974, inclusive no exterior. Em seu curriculum constam diversas premiações em certames oficiais. Faleceu em Embu das Artes em 3 de setembro de 2011. JULIO LOUZADA, vol. 6 pág. 767

272 - FLÁVIO DE CARVALHO - (1899 - 1973)
Lance Livre

Figuras - litografia - - 38 x 43 cm - não assinado - .

Pintor, desenhista, escultor, cenógrafo, engenheiro civil, arquiteto e escritor. Educou-se na Inglaterra. Foi um dos pioneiros da arquitetura moderna no Brasil. Figura polêmica e provocativa, teve vida cultural bastante agitada. Participou em diversas bienais e exposições nacionais e internacionais. TEODORO BRAGA, pág. 95/96/97; REIS JR., pág. 379; PONTUAL, pág. 113/114; MEC, vol.1, pág. 363; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 177.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 478; ARTE NO BRASIL, pág. 746; LEONOR AMARANTE, pág. 28; Acervo FIEO.

273 - CELINA LIMA VERDE - (1940)
Lance Livre

Nu - desenho a nanquim e aquarela - - 62 x 92 cm - canto inferior direito - 1982.

Pintora, desenhista e gravadora. Estuda na Escola de Belas Artes de Pernambuco, onde é aluna de Reinaldo Fonseca. A partir de 1952, integra o Ateliê Coletivo da Sociedade de Arte Moderna do Recife, onde dois anos mais tarde começa a desenhar. Em 1984, publica suas aquarelas no livro Pássaros da Madrugada, editado pela Roswitha Kempt Editora. ITAU CULTURAL

274 - SONYA GRASSMANN - (1933 - 1997)
Lance Livre

Figura - óleo sobre eucatex - - 32 x 34 cm - canto inferior direito - .
No estado. -
Batizada Anne Marie Elisabeth Graesse, esta importante gravadora nasceu em Burgas, Bulgária , e faleceu em São Paulo. Era filha de pintor alemão e trapezista húngara. Veio para o Brasil em 1950, excursionando pelo país com uma trupe de luta livre. Em 1952, trabalha na Galeria Oxumaré em Salvador. Nesse ano, conhece o gravador e desenhista Marcelo Grassmann, casam-se e passam a viver em São Paulo. Por volta de 1962 começa a pintar; no entanto, é raro expor. Expõe em Individual, na Oficina de Arte, Porto Alegre, 1977; Individual, na Seta Galeria de Arte, São Paulo, 1982 e 1986; Individual, na Performance Galeria de Arte, Brasília, 1987; Coletiva, no Museu Banespa, São Paulo, 1994. "Existem artistas cuja produção, independem de sua vontade pessoal, desafia as verdades estabelecidas não por serem revolucionários ou inovadores. Às vezes, por parecerem distantes do processo histórico. Sonya Grassmann é uma dessas artistas. O seu trabalho é resultado de um imaginário no qual estão ausentes as referências da época, solicitações do século e, até mesmo, as preocupações típicas da sociedade de massa. O universo de Sonya é vagamente medieval. Estas imagens lembram uma Idade Média passada a limpo, vista de grandes sacadas de castelos idealizados. Tudo é particular, organizado e pesado de atmosfera cheia de intenções. Estas intenções podem ser românticas, mórbidas ou de expectantes. Alguma coisa está prestes a acontecer. Cada um percebe e recria a atmosfera que é mais afim." Jacob Klintowitz In: Sonya Grassmann. Brasília, Performance Galeria de Arte, 1987. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 439; ITAU CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 229.

275 - HUMBERTO COZZO - (1900 - 1973)
Lance Livre

Figuras - óleo sobre eucatex - - 40 x 31 cm - canto inferior direito - .

Nascido Bartolomeu, esse escultor e pintor paulistano, que adotou o nome artístico de Humberto Cozzo, estudou dentre outros com Amadeu Zagni e Zadig no Liceu de Artes e Ofícios. Produziu variada obra em mármore, bronze e pedra, inclusive para monumentos públicos em diversas cidades do país. Figurou na I BSP em 1951, e em mostras internacionais, obtendo diversos prêmios. JULIO LOUZADA, vol.5 pág. 270; WALTER ZANINI, pág. 524; ARTE NO BRASIL, pág. 875.

276 - SALVADOR PARLAGRECO - (1871 - 1953)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre madeira - - 17 x 24 cm - canto inferior esquerdo - .
Procedente das coleções: Dr. Waldemar Teixeira de Carvalho - Santos - São Paulo e Dr. Raul Villaboim de Carvalho, Ex Presidente da Sociarte - São Paulo, SP. -
Pintor nascido na província de Caltamissetta / Siccília, era o irmão mais jovem do também pintor Beniamino Parlagreco e do professor Carlos Parlagreco. Crescendo, portanto em ambiente artístico, onde o sentimento da arte era inato. Em 1908 participou da Exp. Comemorativa do Centenário de Abertura dos Portos no Brasil., realizada no Rio de Janeiro; conquistou a medalha de prata. Retornou ao Brasil em 1928, para participar de exposições. Pintores Italianos no Brasil - p/ Sociarte / Abril/1982; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 666; TEIXEIRA LEITE, pág. 386; WALMIR AYALA, vol. 11, pág. 166; ITAÚ CULTURAL, RUTH TARASANTCHI.

277 - CLAUDIO TOZZI - (1944)
Lance Livre

"USA" - serigrafia - 298/300 - 70 x 100 cm - canto inferior direito - .

Pintor, arquiteto e gravador paulista com diversas exposições e participações em salões e bienais no Brasil e no exterior. Dedicou-se inicialmente à colagem e à gravura, numa utilização crítica das histórias em quadrinhos; numa fase posterior passou a criar múltiplos tridimensionais e a efetuar pesquisas em torno dos efeitos ópticos. WALMIR AYALA vol.2, pág.388/9; PONTUAL, pág.525/6; TEIXEIRA LEITE, pág. 512; ARTE NO BRASIL vol.2, pág.1059; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 740; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.

278 - EVANDRO CARLOS JARDIM - (1935)
Lance Livre

Composição - gravura - P. A. - 18 x 20 cm - canto inferior direito - .

Excepcional gravador e pintor, diplomado pela Escola de Belas Artes de São Paulo, em 1958. Suas obras são sensíveis, tem apuro artesanal e invenção formal; buscam o insólito da paisagem, transformando em arte quase surreal. PONTUAL, pág. 277; MEC, vol. 2, pág. 372; TEIXEIRA LEITE, pág. 264.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 764; ARTE NO BRASIL, pág. 966; LEONOR AMARANTE, pág. 240. Acervo FIEO. -

279 - CARLOS DE SÃO THIAGO LOPES - (1923 - 1999)
Lance Livre

Praia - aquarela - - 21 x 32 cm - canto inferior direito - Janeiro de 1982.

Pintor, desenhista e aquarelista. Foi aluno de Adelaide Lopes Gonçalves Cavalcanti, Antonio Rocco e Tulio Mugnaini (1937-1942). Considerado um pintor realista de grande talento. Possui obras em diversas coleções nos Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 879. Acervo FIEO.

280 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
Lance Livre

Casario - óleo sobre eucatex - - 24 x 33 cm - canto inferior direito - .

Italiano da Lombardia, PELLEGATTA foi pintor e gravador dedicado a temas sacros e casarios coloniais. Em sua obra, o ser humano é apresentado sempre de modo idealizado, na figura de ternas madonas, santos, coroinhas e cavaleiros. Participou de diversas coletivas e salões, a partir de 1957, recebendo premiações em sua maioria. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág.735; MEC vol.3, pág.363; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

281 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
Lance Livre

Flores - vinil e colagem - - 55 x 75 cm - canto inferior direito e dorso - 24/04/1985.

Desenhista, gravador, pintor, ilustrador, cenógrafo, roteirista e designer gráfico que nasceu em Santa Maria da Boca do Monte, RS e faleceu no Rio de Janeiro. Assina Scliar. Estudou com Gustav Epstein, em Porto Alegre, em 1934. Participou, em 1938, da fundação da Associação Riograndense de Artes Plásticas Francisco Lisboa. Entre 1939 e 1947, residindo em São Paulo, integrou a Família Artística Paulista - FAP. No Rio de Janeiro, escreveu e dirigiu em 1944 o documentário 'Escadas', sobre os pintores Arpad Szenes e Vieira da Silva com os quais conviveu desde 1941. Convocado pela Força Expedicionária Brasileira - FEB, participou da Segunda Guerra Mundial, na Itália. Morando em Paris de 1947 a 1950, cursou gravura com Galanis na Escola de Belas Artes e teve contato com o gravador mexicano Leopoldo Méndez. De volta ao Brasil, fundou com Vasco Prado o Clube de Gravura de Porto Alegre. Em 1956, passou a viver no Rio de Janeiro. Foi diretor do departamento de arte da revista 'Senhor' entre 1958 e 1960. Fundou a editora Ediarte, em 1962, com os colecionadores Gilberto Chateaubriand, Michel Loeb, Carlos Nicolaievski e o pintor José Paulo Moreira da Fonseca. Realizou durante toda sua vida exposições individuais e participou de inúmeras coletivas e Salões oficiais, recebendo muitos prêmios. Também foram realizadas várias exposições póstumas. MEC VOL.4, PÁG. 214; TEODORO BRAGA, PÁG. 66; WALMIR AYALA VOL.2, PÁG. 306 a 309; PONTUAL, PÁG. 479 e 480; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG.884; VOL.2, PÁG. 925; VOL.13, PÁG. 305; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 587; ARTE NO BRASIL, PÁG. 798; RGS, PÁG. 442; ACERVO FIEO.

282 - RENÉE LEFÈVRE - (1910 - 1996)
Lance Livre

Natureza morta - desenho a nanquim - - 29 x 38 cm - canto inferior direito - .

Nasceu (17/julho) e faleceu (26/abril) em São Paulo. Foi aluna de desenho de Pedro Alexandrino. Freqüentou a Academia Julian e a Academia de La Grande Chaumiere em Paris. Pintora e ilustradora, integrou a Família Artística Paulista. Expôs individualmente pela primeira vez em 1941, e coletivamente a partir de 1934, inclusive no exterior, recebendo premiações. O crítico Geraldo Ferraz assim se referiu à sua obra, conforme consta em JULIO LOUZADA abaixo mencionado: "Renée Lefevre gosta de pintar e desenhar paisagens, pequenas cidades do interior, praças, ruas, igrejas, casarões. Às vezes é seduzida pelas cenas regionais com figuras humanas. Raramente pinta naturezas-mortas. Conscientemente evita composições panorâmicas. Em geral, está empenhada em simples transposições pictóricas de fragmentos da realidade brasileira, que hoje é histórica. Sem dúvida, essas vistas do Brasil antigo são submetidas a um processo de afeto pessoal, a uma validade de poetização lírica, onde a artista revela as ocultas seduções de formas ressuscitadas da arquitetura barroca, formas tão brasileiras, tão graciosas, tão cativantes, já tão esquecidas, ainda que presentes e vivas (...) Será difícil classificar seus quadros, pintados em gama de cores luminosas, apagadas; esses desenhos sutis, sensibilizados, de caligrafia arejada, dentro das correntes reconhecidas da pintura atual. Parecem surgidos de outra época, aliás como são também essas parcelas do Brasil colonial fontes de sua inspiração. " JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 532; MEC. vol.2,. pág.465; PONTUAL, pág.306; TEIXEIRA LEITE, pág.283; WALMIR AYALA, vol.1, págs.466 e 467; ITAÚ CULTURAL. Acervo FIEO.

283 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
Lance Livre

Paisagem - acrílico sobre cartão de pizza resinado - - 38 x 38 cm - centro inferior - .
Com certificado de autenticidade emitido pelo Estúdio Aldemir Martins.
Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

284 - INNOCÊNCIO BORGHESE - (1897 - 1985)
Lance Livre

"O arrastão" - óleo sobre eucatex - - 15 x 23 cm - canto inferior direito - 1950-Praia Grande, Santos.

Pintor e professor paulista, participante do Salão Paulista de Belas Artes, de 1935 a 1961. Diversas exposições individuais e coletivas, com muitas premiações. Pintou muitas paisagens tendo como tema a cidade de São Paulo. TEODORO BRAGA, pág 56; MEC, vol. 1, pág. 251; Acervo FIEO.

285 - RUBENS GERCHMAN - (1942 - 2008)
Lance Livre

No banco de trás - serigrafia - 5/120 - 24 x 30 cm - canto inferior direito - .

Pintor, desenhista, gravador, escultor nascido no Rio de Janeiro e falecido em São Paulo. Em 1957, freqüenta o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro, onde estuda desenho. Faz curso de xilogravura com Adir Botelho e freqüenta a Escola Nacional de Belas Artes - Enba, entre 1960 e 1961. Em 1967, é contemplado com o prêmio de viagem ao exterior no 16º Salão Nacional de Arte Moderna e viaja para os Estados Unidos. Reside em Nova York entre 1968 e 1972. Retorna ao Brasil e faz o roteiro, a cenografia e a direção do filme 'Triunfo Hermético' e os curtas 'ValCarnal' e 'Behind the Broken Glass'. De 1975 a 1979, assume a direção da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, RJ. É co-fundador e diretor da revista 'Malasartes'. Em 1978, viaja para os Estados Unidos com bolsa da Fundação John Simon Guggenheim. Em 1982, permanece por um ano em Berlim como artista residente, a convite do Deutscher Akademischer Austauch Dienst - DAAD [Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico]. Realizou diversas exposições individuais e participou de muitas mostras oficiais no Brasil e pelo mundo recendo prêmios na Bienal de São Paulo (1965), Bienal de Salvador, BA (1966), Bienal de Cali, Colômbia (1967, 1970). JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 417; PONTUAL, PÁG. 235; TEIXEIRA LEITE, "in" A GRAVURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 734; ARTE NO BRASIL, PÁG. 974; LEONOR AMARANTE, PÁG. 143, MEC VOL. 2, PÁG. 246; Acervo FIEO.

286 - ÉLON BRASIL - (1957)
Lance Livre

"Consolação" - óleo sobre tela - - 60 x 80 cm - canto superior esquerdo e dorso - São Paulo - SP.
Série Metrópoles. -
Artista plástico autodidata, nasceu em 1957, na praia de Jurujuba, em Niterói-RJ, onde aos seis anos de idade começou a rabiscar seus primeiros crayons. Mudando-se em 1968 para São Paulo, aos 12 anos, ganhou sua primeira medalha de ouro na II PINARTE de Pinheiros. Em 1970, juntamente com os artista Aldemir Martins, Clóvis Graciano e Carlos Scliar, Élon ilustrou o livro de poesias "Cantando os Gols" de Tito Battine. Hoje, sua obra figurativa e abstrata é composta por imagens da terra: índios, negros e caboclos, cercados por textura e cores marcantes. Sua temática busca ressaltar e preservar a cultura brasileira e suas próprias raízes. Filho de baianos - mãe negra, neta de índios, e pai (o artista Milton Brasil), neto de imigrantes italianos e portugueses - Élon resgata em sua história e origem, a fonte de inspiração . Ao morar na Suíça por seis meses, obteve a oportunidade de expor o seu trabalho em diversas ocasiões, tornando-se conhecido internacionalmente, principalmente com encomendas para colecionadores europeus.

287 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre madeira - - 12 x 21 cm - canto inferior esquerdo - .

Nascido na Itália, radicou-se no Brasil. Seu estilo liga-se ao dos Macchiajoli oitocentistas (os equivalentes italianos dos impressionistas franceses) e ao de Pratella em especial. São especialmente notáveis suas paisagens e marinhas. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 168; JULIO LOUZADA vol.11, pág.54; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

288 - GUERINO GROSSO - (1907 - 1988)
Lance Livre

Hortências - óleo sobre tela - - 70 x 50 cm - canto inferior esquerdo - 1986.

Natural de Rio Claro, neste Estado, Guerino Grosso iniciou seu aprendizado artístico em 1917. Frequentou a Escola de Belas Artes de São Paulo. Artista de grande sensibilidade, dedicou-se à pintura de naturezas mortas com metais, confirmando-se como um dos melhores do gênero. JULIO LOUZADA, vol, 12 ,pág 189. MEC, vol, 2, pág, 284; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

289 - DIMITRI ISMAILOVITCH - (1898 - 1976)
Lance Livre

Composição - monotipia - - 33 x 47 cm - canto inferior direito - 1972.

Pintor russo, estudou em 1918 e 1919 na Academia de Belas Artes da Ucrânia, e em 1927 radicou-se no Rio de Janeiro, tendo participado de diversas exposições individuais e salões oficiais. Pintor de natureza morta, paisagem e retratos. TEODORO BRAGA, pág. 123; REIS JUNIOR, pág. 379; PONTUAL, pág. 274; MEC, vol. 2, pág. 367; ITAÚ CULTURAL.

290 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
Lance Livre

Arando a terra - óleo sobre tela - - 45 x 62 cm - canto inferior direito e dorso - 1972.

Considerado por muitos críticos e colecionadores como o mais típico dos nossos pintores ingênuos, Silva foi o intérprete da cena rural de São Paulo, num estilo expontâneo em que assomam, por vezes, soluções plásticas inesperadas. MEC, vol. 4, pág. 256; PONTUAL, pág. 493 e 494; TEIXEIRA LEITE, pág. 478; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 958; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 958; BENEZIT, vol. 9, pág. 602; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 227; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 171; Acervo FIEO.

291 - GILDA LISBOA - (XX)
Lance Livre

Menina - óleo sobre eucatex - - 45 x 28 cm - canto inferior direito - .

Carioca, nascida de família tradicional, bisneta do almirante Tamandaré, Gilda Lisboa se projetou como artista plástica na década de 40, atuando principalmente no Rio de Janeiro. Estudou desenho com Eurico Alves e pintura na Sociedade Brasileira de Belas Artes. Nos anos 60 realizou importantes exposições individuais. Foi detentora de vários e significativos prêmios. JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 545 e 546

292 - SANSÃO CAMPOS PEREIRA - (1926)
Lance Livre

Folhas e flores - óleo sobre tela - - 50 x 50 cm - canto inferior esquerdo - .

Ativo no Rio de Janeiro, foi membro da Academia Brasileira de Artes, e da Academia Brasileira de Belas Artes. Artista várias vezes premiado, participou de diversas coletivas e salões, recebendo premiações várias. Seu tema preferido é a marinha. MEC vol.3, pág.389; JULIO LOUZADA vol.11, pág.243, Acervo FIEO.

293 - DARCY PENTEADO - (1926 - 1987)
Lance Livre

"Liber Genesis" - desenho a nanquim - - 33 x 49 cm - canto inferior direito - 1966 - Paris.

Desenhista, pintor, cenógrafo, figurinista e escritor, Darcy Penteado foi a personalidade polimorfe, que buscava tornar a própria existência matéria de arte. Em 1948 passou a integrar em São Paulo o Grupo Novíssimos. Expôs individualmente a partir de 1949, participando de inúmeras exposições coletivas e individuais, no país e no exterior. MEC, vol. 3, pág. 365; PONTUAL, pág. 416; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 241. WALMIR AYALA, vol 2, pág 183; TEIXEIRA LEITE, pág 401; ITAÚ CULTURAL ; WALTER ZANINI, pág. 717; LEONOR AMARANTE, pág. 75.

294 - VICENTE LEITE - (1900 - 1941)
Lance Livre

Leblon - óleo sobre madeira - - 14 x 18 cm - canto inferior direito - .

Vicente Rosal Ferreira Leite nasceu no estado do Ceará, onde servia na guarda do Palácio do Governo, quando o então governador João Tomé de Sabóia e Silva lhe ofereceu uma bolsa de estudos no Rio de Janeiro, em virtude de seus dotes como desenhista. Na antiga Escola Nacional de Belas-Artes, no Rio, teve Cândido Portinari e Orlando Teruz, entre outros, como seus condiscípulos. De 1920 a 1926 estudou sob a orientação de Lucílio de Albuquerque, Rodolfo Chambelland e João Batista da Costa - de quem sofreu grande influência em sua dedicação às paisagens. Reconhecido e condecorado com menções honrosas em todo país, realizou exposições em diversos estados brasileiros, e também participou de salões em países como Argentina e Estados Unidos. Executou ainda, no Palácio do Governo do Ceará, uma alegoria da Revolução de 1930 - obra onde empregou a técnica pontilhista da última fase dos impressionistas franceses. Suas obras podem ser encontradas no Museu Nacional de Belas-Artes, na Pinacoteca do Estado de São Paulo e no Museu Mariano Procópio, em Juiz de Fora. JULIO LOUZADA, VOL ,10, pág, 487. PONTUAL, pág, 308. MEC, VOL, 2, pág, 468; TEIXEIRA LEITE.pág, 284; ITAÚ CULTURAL.

295 - ANATOL WLADYSLAW - (1913 - 2004)
Lance Livre

Composição - técnica mista - - 28 x 39 cm - canto inferior direito - 1991.

Pintor e desenhista nascido em Varsóvia, Polonia; faleceu em São Paulo, aos 91 anos de idade. No Brasil desde 1930, fixou residência em São Paulo, naturalizando-se brasileiro. Dedicou-se à pintura e ao desenho a partir de 1946, participando da I à IX Bienal, recebendo diversas premiações. Formado em engenharia no Mackenzie, tornou-se um dos pioneiros da arte abstrata, participando ativamente do movimento Ruptura, ao lado de Valdemar Cordeiro, Lothar Charoux e Luiz Sacilotto. Figura no acervo do MAM-RJ e MNBA de Buenos Aires. JULIO LOUZADA, VOL, 4, pág, 1177. MEC, VOL, 4 pág, 512. TEIXEIRA LEITE, pág, 544. WALMIR AYALA, VOL 2. pág, 442; PONTUAL, pág. 553; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 921.

296 - CARLOS OSWALD - (1882 - 1971)
Lance Livre

"Franz Liszt" - água forte - água-forte original - 17 x 19 cm - canto inferior direito - 1915.
Reproduzido na página 55 do livro "Carlos Oswald" editado pelo Museu Nacional de Belas Artes. -
Gravador e pintor, ativo no Rio de Janeiro, estudou na Europa; foi o primeiro a fazer gravura em metal com finalidade artística; dedicou-se a temas religiosos, paisagens, cenas de gêneros e retratos. PONTUAL, pág. 397; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1053; ITAÚ CULTURAL.; WALTER ZANINI, pág. 446; Acervo FIEO.

297 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
Lance Livre

Paisagem - desenho a nanquim - - 15 x 19 cm - canto inferior direito - .

Monstro sagrado da pintura brasileira, Tarsila é a criadora de duas das principais tendências ou movimentos de nossa arte nacionalista: o Pau Brasil (1924) e o Antropofagia. Sua arte poderia ser definida como um Cubismo adaptado às condições e ao temperamento brasileiros. TEODORO BRAGA, págs. 220/21/22/23; REIS JR.-págs.388/89 ; WALMIR AYALA, vol. 2-págs. 365 e 367 ; MEC, vol. 4-págs. 370/71; PONTUAL, pág. 511; TEIXEIRA LEITE, pág. 492; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 389; ARTE NO BRASIL, pág. 577; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

298 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre tela - - 30 x 41 cm - canto inferior direito e dorso - .

Nascido em Manaus, pioneiro mundial da arte não-figurativa (a qual já praticava desde 1916), Santiago estudou no RJ com Visconti, e foi o principal responsável pelo Núcleo Bernardelli, no qual se formaram tantos dos melhores artistas do Modernismo carioca. Sua arte é um neo-impressionismo de belo colorido e opulentos efeitos de textura. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, pág. 241; TEODORO BRAGA, pág. 211/212; Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, MEC-MNBA / /Rio/1944; MAYER/84, pág. 1158; REIS JR., pág. 378; PONTUAL, pág. 473; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 292; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

299 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
Lance Livre

Paisagem - pastel - - 14 x 16 cm - canto inferior esquerdo - .

Pintor nascido na Itália. Mecatti radicou-se no Brasil em 1940, após trabalhar por vários anos na Tripolitânia, no norte da África. É notável pela estilização de suas figuras e paisagens concebidas, em tons baixos e obedientes a uma composição pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 161/2; MEC, vol. 3, pág. 109; PONTUAL, pág. 352; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 72; TEIXEIRA LEITE, pág. 320; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

300 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
Lance Livre

Corredeira - óleo sobre tela - - 33 x 46 cm - canto inferior direito - F. Giusti.
No estado. -

301 - MARISTELA CABELLO - (1969)
Lance Livre

Boneca - fotogravura - 7/10 - 19 x 14 cm - canto inferior esquerdo - .

Artista plástica nascida em São Paulo, SP. Realizou exposição individual em São Paulo (2004) e participou de várias mostras oficiais também em São Paulo (2002, 2003). ITAU CULTURAL

302 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
Lance Livre

Candangos - escultura em bronze - - h = 42 cm - base - .

Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.

303 - UBI BAVA - (1905 - 1988)
Lance Livre

Composição - desenho a nanquim - - 25 x 28 cm - canto inferior direito - 1958.

Natural da cidade paulista de Santos. Faleceu em São Paulo. Arquiteto, professor e pintor. Foi aluno de Lucilio de Albuquerque e de Henrique Cavalleiro. Foi professor de desenho artístico da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, FAU/UFRJ. Entre as exposições de que participa, destacam-se: Salão Nacional de Belas Artes - Divisão Moderna, Rio de Janeiro, 1949; Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1951 e 1975; Salão Preto e Branco (3º Salão Nacional de Arte Moderna), Rio de Janeiro, 1954; Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP, São Paulo, 1976. Após sua morte, suas obras participam da seguintes exposições: Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal de São Paulo, 1994; Espelho da Bienal, no MAC/Niterói, 1998. Segundo TEIXEIRA LEITE "Ubi Bava pode ser considerado um precursor e um pioneiro de certo tipo de pintura que tem nos efeitos óticos e nos recursos cinéticos sua razão maior de ser. Introduzindo em suas superfícies espelhos, ao mesmo tempo introduz, no cerne mesmo de sua obra, a imagem refletida do espectador. Também fez uso de tubos de plástico e de movimentos mecanicamente produzidos, subordinando todos esses elementos a uma evidente vontade construtivista. Em certo momento de sua evolução, o que produzia tinha certo parentesco com o concretismo..." TEIXEIRA LEITE; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 5 pág. 98; WALTER ZANINI, pág. 676; LEONOR AMARANTE; ARTE NO BRASIL, pág. 933.

304 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
Lance Livre

Figura - desenho a nanquim - - 51 x 34 cm - canto inferior direito - 1968 - São Paulo - SP.
Com certificado de autenticidade emitido pelo Estúdio Aldemir Martins.
Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

305 - TIKASHI FUKUSHIMA - (1920 - 2001)
Lance Livre

Composição - óleo sobre eucatex - - 45 x 37 cm - canto inferior esquerdo - .

Natural da cidade japonesa de Fukushima, onde nasceu em 19 de janeiro. Vem para o Brasil em 1940, fixando-se em Lins, SP. Recebendo influência de Manabu Mabe, começa a se interessar por pintura. Em 1946, segue para o Rio de Janeiro, onde estuda com Tadashi Kaminagai, que o orienta na execução de paisagens impressionistas. Participa da I à IX BSP. Seu trabalho sofre transformações mais na direção do cubismo, no período da I à III BSP. A partir de 1957 sua pintura é informal, transformando-se depois no estilo que viria consagrá-lo como um dos grandes pintores abstratos do Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 141; TEIXEIRA LEITE, pág. 210; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 644; LEONOR AMARANTE, pág. 383.

306 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
Lance Livre

Vendedor de pássaro - serigrafia - 95/130 - 50 x 35 cm - canto inferior direito - .

Pintor e desenhista figurativo, integrou o Grupo Santa Helena, juntamente com Volpi, Zanini e outros, e foi um dos organizadores e expositores do I Salão da Família Artística Paulista; suas figuras seguem a disciplina cubista da organização do espaço, destacando-se uma série de Músicos; dedicou-se a pinturas murais e à ilustração de obras literárias. MEC, vol. 2, pág. 280; PONTUAL, pág. 247/8; TEIXEIRA LEITE, pág. 225 a 227; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 784; LEONOR AMARANTE, pág. 58; Acervo FIEO.

307 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
Lance Livre

Animal fantástico - xilogravura - - 24 x 17 cm - canto inferior direito - 1955.

Desenhista, gravador, ilustrador, pintor, escultor e professor, nasceu em São Simão, SP. Estuda fundição, mecânica e entalhe em madeira na Escola Profissional Masculina do Brás, SP. Passa a realizar xilogravuras a partir de 1943. Atua como ilustrador do Suplemento Literário do ‘Diário de São Paulo’, do ‘O Estado de S. Paulo’ e do ‘Jornal do Estado da Guanabara’. Quando reside no Rio de Janeiro, a partir de 1949, freqüenta os cursos de gravura em metal, com Henrique Oswald e de litografia, com Poty, no Liceu de Artes e Ofícios. Em Salvador (1952), trabalha com Mario Cravo Júnior. .Recebe o prêmio de viagem ao exterior do Salão Nacional de Arte Moderna (1953) e vai para a Academia de Artes Aplicadas, em Viena. Passa a dedicar-se principalmente ao desenho, à litografia e à gravura em metal. Em 1969, sua obra completa é adquirida pelo governo do Estado de São Paulo, passando a integrar o acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo . Em 1978, a casa em que nasceu, em São Simão, é transformada em museu e tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo - Condephaat. Participou de muitas exposições e das Bienais de: São Paulo (1951 a 1961, 1967, 1969, 1979, 1985, 1989); Veneza (1950, 1956, 1958, 1962); Paris (1959). Principais prêmios: Bienal de São Paulo (1951, 1955, 1957, 1959, 1967); Bienal de Veneza (1950, 1956, 1958,1962); Bienal de Paris (1959). PONTUAL, PÁG. 249; MEC, VOL. 2, PÁG. 281 E 282; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL.1, PÁG. 439; VOL. 5, PÁG. 453; VOL. 9, PÁG. 383.

308 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
Lance Livre

Mulata na cadeira de balanço - serigrafia - - 55 x 36 cm - canto inferior direito - .

Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo (Rio de Janeiro RJ 1897 - idem 1976). Pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Inicia sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, reside em São Paulo, onde freqüenta o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons (1865 - 1939). Convive com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Mário de Andrade (1893 - 1945), Guilherme de Almeida (1890 - 1969), entre outros. Em 1921, ilustra A Balada do Enforcado, de Oscar Wilde (1854 - 1900), e publica o álbum Fantoches da Meia-Noite, editado por Monteiro Lobato (1882 - 1948). É o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expõe 12 obras. Em 1923, faz sua primeira viagem à França, onde atua como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, freqüenta a Academia Ranson, instala ateliê e conhece obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso (1881 - 1973), Georges Braque (1882 - 1963), Fernand Léger (1881 - 1955), Henri Matisse (1869 - 1954), Jean Cocteau (1889 - 1963) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta a São Paulo em 1926, trabalha como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. A estada em Paris marca um novo direcionamento em sua obra. Em 1938 viaja a Paris, onde trabalha na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retorna ao Brasil em 1940, trabalha como ilustrador, e publica poemas e memórias de viagem. Em 1972, seu álbum 7 Xilogravuras de Emiliano Di Cavalcanti é editado pela Editora Chile. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.

309 - MARIO ORMEZZANO - (1915 - 1983)
Lance Livre

"Composição dinâmica" - piroxilina sobre madeira - - 160 x 110 cm - canto inferior esquerdo e dorso - .
Com etiqueta da V Bienal do Museu de Arte Moderna de São Paulo realizada enrte setembro e dezembro de 1959, no dorso. -
Pintor, escultor, professor e arquiteto, Natural de Mar del Plata, Argentina. Sua formação artística foi na Itália e de 1940 a 1951 foi professor em Santiago do Chile. EM 1954, transferiu-se para o Brasil. Individuais: Mar del Plata, AR (1953); Salvador, BA (1959); Rio de Janeiro, RJ (1960). Coletivas: Rio de Janeiro, RJ (1955 a 1962,1978); São Paulo, SP: V e VI Bienal Internacional (1959 e 1961), Panorama de Arte Brasileira-MAM (1972,1975,1978), Paço das Artes (1978), MASP (1982). JULIO LOUZADA,vol.5, pág.768; vol.11,pág.233; ITAU CULTURAL;

310 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
Lance Livre

Composição - desenho a nanquim - - 18 x 20 cm - canto inferior direito - década 1950.

Grande pintor brasileiro, nascido em Fortaleza, Ceará e falecido em Paris onde viveu a maior parte de sua curta e rica vida. Começando figurativo, num estilo expressionista, adotou, já em França, um não figurativismo lírico, algo à maneira do grande Wols, seu amigo que iria manter até o precoce fim. É um dos pioneiros da arte abstrata no Brasil. BENEZIT, vol.1, pág.415; MEYER/87, pág.606; MEC, vol.1, págs.159,160 e 167; PONTUAL, págs. 48 e 49; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 71 a 74; TEIXEIRA LEITE, pág. 52 a 54; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 599; LEONOR AMARANTE, pág. 34; Acervo FIEO.

311 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
Lance Livre

Linhas - guache - - 25 x 10 cm - canto inferior direito - .

Pintor e desenhista austríaco, natural de Viena, transferiu-se para o Brasil em 1928, fixando residência em São Paulo, Estudou no Liceu de Artes e Ofícios da cidade, onde conheceu Valdemar da Costa, com ele fazendo aprendizado de pintura a partir de 1940. Artista estável, sua evolução não sofreu sobressaltos, uma vez formado numa linguagem linear de sensibilidade pessoal, despojada e exigente, rigorosamente artesanal. PONTUAL, pág. 131; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI pág. 645; ARTE NO BRASIL, pág. 798; Acervo FIEO.

312 - THÉO (DJALMA PIRES FERREIRA) - (1901 - 1980)
Lance Livre

Carnaval - desenho a nanquim e guache - - 44 x 36 cm - canto inferior esquerdo - .
Capa da revista Careta. -
Caricaturista, Djalma Pires Ferreira, conhecido como Théo, nasceu na Bahia e veio para o Rio de Janeiro com 21 anos. Publicou seus primeiros trabalhos na "Tarde" (1918 a 1922) e no "Diário de Notícias", Seção Esportes (1919). Foi o divulgador da "Bola do Dia" das colunas de "O Globo" e colaborou no "Malho", "Careta", "Fon-Fon", outras revistas e jornais do Rio de Janeiro e na "Cigarra", em São Paulo. Exposições póstumas: São Paulo (1997, 2003); Belo Horizonte, MG (1997); Campinas, SP (1997); Brasília, DF (1998). ITAU CULTURAL; MEC VOL. 4, PÁG. 384; CARICATURISTAS BRASILEIROS, 1836 - 2001 PÁG. 120.

313 - JOSÉ GUERRA - (1941)
Lance Livre

Ícaro - múltiplo em bronze - - h = 34 cm - assinado - .
Com atestado de procedência de Skultura Galeria de Arte, São Paulo - SP. -
Pintor e escultor, desenvolveu seus estudos de escultura na Escola de Artes Plásticas de Madrid. Também estudou escultura e pintura na Real Escola de São Fernando e na Real Academia de Madrid. Completou seus estudos com o escultor BENJULLE, obtendo o primeiro prêmio de escultura em 1955 na Escola de Artes Plásticas de Madrid e o primeiro prêmio em 1956 da Real Escola de São Fernando também em Madrid. Participou de diversas exposições na Alemanha, França, Espanha, Inglaterra, Estados Unidos, Venezuela e Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 6, pág. 473.

314 - TOLEDO PIZA (DOMINGOS VIEGAS DE TOLEDO PIZA) - (1887 - 1945)
Lance Livre

Vaso de flores - óleo sobre tela colada em cartão - - 38 x 46 cm - canto inferior esquerdo - .

Pintor, estudou em Paris, voltando ao Brasil em 1933; dedicou-se à paisagem, com características expressionistas. ARTE NO BRASIL vol.2, pág.1054; TEIXEIRA LEITE, pág. 510; ITAÚ CULTURAL.

315 - MARIA POLO - (1937 - 1983)
Lance Livre

Abstração - óleo sobre tela - - 55 x 55 cm - canto inferior direito - 1982.
Descrito sob o n° 605 em catálogo de leilão de Dagmar Sabóia - São Paulo - SP, realizado em outubro de 2011. -
Natural de Veneza, Itália. Ainda em Roma, frequentou de 1955 a 1959 o ateliê de De Pisis. Residiu no Brasil a partir de 1962, fixando-se no Rio de Janeiro. Realizou diversas exposições individuais em algumas das principais capitais do País e no exterior. MEC, vol. 3, pág. 424; PONTUAL, pág. 430; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 776; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697.

316 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
Lance Livre

Mudança - desenho a nanquim e aquarela - - 22 x 31 cm - canto inferior direito - .

Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista. Realizou mais de cem mil desenhos, não se conhecendo um único ruim. Observador arguto, retratou com maestria e humor o cotidiano de sua cidade natal, da qual, consta, ausentou-se por duas únicas ocasiões. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646.

317 - LEONOR FINI - (1907 - 1996)
Lance Livre

Rosto - desenho a nanquim e aquarela - - 31 x 22 cm - canto inferior direito - .

Desenhista, pintora, gravadora, ilustradora e cenógrafa, nascida em Buenos Aires, Argentina, filha de pai argentino e mãe italiana. Faleceu em Paris, França. Passou sua infância em Trieste, Itália, em companhia de sua família materna. Sem nenhum estudo formal de arte, estudou na Itália, por conta própria, os mestres da Renascença, do Maneirismo, do Romantismo, os Pré-Rafaelistas e conheceu os pintores Funi, Carra e Tosi. Expos pela primeira vez, com 17 anos, em Trieste. No ano de 1931 mudou-se para Paris e desde 1933 participou das atividades do Grupo Surrealista em Paris, Londres, Nova York, Zurique e Bruxelas. Realizou muitas exposições, participou de vários Salões oficiais como: Bienal de Veneza, Quadrienal de Roma, Salão de Maio em Paris; executou vários cenários para teatros, balés e ilustrou obras de Shakespeare e de Edgar Poe. Exposições retrospectivas na: Bélgica (1965); Itália (1983, 2005, 2009); Japão (1972-1973, 1985-1986, 2005); Estados Unidos (1997, 1999, 2001-2002, 2006, 2008); França (1986, 1997 a 2002, 2004, 2007, 2008); Alemanha (1997-1998). BENEZIT, VOL.4, PÁG.371; JULIO LOUZADA, VOL.5, PÁG.378; artnet.com; artprice.com; www.leonor-fini.com; www.leninimports.com.

318 - SANDRO MORETTI - (1938)
Lance Livre

"Um canale a Venezia" - óleo sobre madeira - - 30 x 40 cm - canto inferior esquerdo e dorso - CCCLXVII.

Pintor com diversas participações em mostras coletivas e Salões oficiais. JULIO LOUZADA VOL. 6, PÁG. 753; VOL. 12, PÁG. 281.

319 - DÉCIO VIEIRA - (1922 - 1988)
Lance Livre

Composição - guache - - 20 x 31 cm - canto inferior direito - .

Este importante artista brasileiro nasceu em Petrópolis-RJ e faleceu na cidade do Rio de Janeiro, onde residiu e foi ativo. Foi orientado por Axl Leskoschek e Fayga Ostrower. Participou da I Exposição Nacional de Arte Abstrata-RJ, que idealizou juntamente com Ivan Serpa. Integrou diversos movimentos: Grupo Frente (1954), concreto (1956) e neoconcreto (1959). Participou do SNAM-RJ nos anos de 1949 a 1964, e da Bienal de São Paulo, nas versões do período de 1953 a 1967, e 1987. Segundo Max Bill, Décio Vieira figura entre os grandes da arte concreta mundial. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 1107.

320 - OSWALDO GOELDI - (1895 - 1961)
Lance Livre

Conversando - desenho a lápis - - 15 x 20 cm - canto inferior esquerdo - Beatrix Reynald.
Reproduzido no catálogo da exposição "Oswaldo Goeldi" realizada pela Grifo Galeria de Arte em junho/julho de 1983, em São Paulo - SP. -
Desenhista, gravador e professor, nascido no Rio de Janeiro, filho de Emilio A Goeldi, naturalista suiço. A partir dos seis anos estudou na Suiça. Sua obra sofreu influência do expressionista austríaco Alfred Kubin. Retornando ao Brasil em 1919, realizou no Rio de Janeiro sua primeira exposição em 1921, no Liceu de Artes e Ofícios. Publicou albuns e ilustrou diversos e importantes livros. É artista altamente conceituado no País e no exterior, tendo merecido diversas homenagens póstumas, inclusive em filme. PONTUAL pág. 240; JULIO LOUZADA vol.11, pág130; MEC vol. 2, pág.271; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 521; ARTE NO BRASIL, pág. 672; Acervo FIEO.

321 - ALBERTO DA VEIGA GUIGNARD - (1896 - 1962)
Lance Livre

Igreja - desenho a lápis - - 26 x 19 cm - canto inferior direito - .

Pintor, desenhista, gravador e professor. No dizer de Rodrigo de Melo Franco de Andrade, no álbum de reproduções da obra do artista, em 1967: "Quando Guignard voltou da Europa, para onde tinha ido menino, só regressando com mais de 30 anos, redescobriu o Brasil, tomado de uma ternura e de uma admiração comovidas que conservou até os seus últimos dias. Toda a obra que produziu, desde então, ficou impregnada da emoção e da poesia sentidas naquele reencontro com a terra natal." PONTUAL, pág. 254 a 256; MEC, vol. 2, pag. 304; TEIXEIRA LEITE, pág. 236 a 240 ; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 404; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 1013; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 373/375/377; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 559; ARTE NO BRASIL, pág. 505; LEONOR AMARANTE, pág. 28.

322 - VICTOR VASARELY - (1908 - 1997)
Lance Livre

Composição - silk screen - A. P. - 53 x 53 cm - canto inferior direito - .

Natural de Pecs, Hungria, onde nasceu a 9 de abril de 1908. Pintor e gravador, viveu em Paris desde 1930, naturalizando-se frânces em 1961. Iniciou-se na Academia de Padolini-Volkmann, Hungria, filiando-se à Bauhaus de Budapest. Mestre da pesquisa abastrata, é tido como continuador do espírito que moveu as realizações da Bauhaus, de de Albers e de Moholy Nagy. Deu um impulso excepcional à arte ótica, pela qualidade de suas realizações. Expôs individualmente em Paris, Bruxelas, Copenhagen, Estocolmo e outros grandes centros culturais europeus. WALTER ZANINI, pág. 664; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 1024; LEONOR AMARANTE, pág. 137;

323 - RENINA KATZ - (1925)
Lance Livre

"E o nome" - litografia - 9/30 - 50 x 35 cm - canto inferior direito - .

Pintora, gravadora e professora, Renina Katz é paulista. Sua arte é dominada pelo vigor e pela imaginação. MEC vol.2, pág.403/4; PONTUAL, pág. 288/9; WALMIR AYALA vol.1, pág.441; JULIO LOUZADA vol.11, pág.262; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 606; ARTE NO BRASIL, pág. 834; LEONOR AMARANTE, pág. 98, Acervo FIEO.

324 - GERSON DE SOUZA - (1926 - 2008)
Lance Livre

Anjos - técnica mista - - 20 x 15 cm - canto inferior esquerdo - .

Pintor. Autodidata. Fixou-se no Rio de Janeiro, onde exerceu a profissão de carteiro dos Correios, e onde começou a pintar em 1950. Participou da V Bienal de São Paulo, de vários Salões Nacionais e exposições coletivas no exterior. Várias individuais e coletivas no País. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 127; PONTUAL, pág. 236/237; MEC, vol. 2, pág. 248; TEIXEIRA LEITE, pág. 220; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 347, Acervo FIEO.

325 - JOSÉ MARQUES CAMPÃO - (1892 - 1949)
Lance Livre

Hora do almoço - óleo sobre eucatex - - 17 x 24 cm - canto inferior esquerdo - .

Excelente paisagista paulistano, aluno de Oscar Pereira da Silva, da Academia Julian - Paris, e da Escola Nacional Superior de Belas Artes de Paris, entre 1912 e 1918. Foi membro da Comissão de Orientação Artística de São Paulo em 1944. Expôs no Salão dos Artistas Franceses e em diversas exposições coletivas e individuais. TEODORO BRAGA, pág. 61/62; PONTUAL, pág. 102; MEC, vol. 1, pág. 331; REIS JR., pág. 374; WALMIR AYALA, vol. 1,pág. 160; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.

326 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
Lance Livre

Figura feminina - escultura em bronze - - h = 34 cm - base - .

Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.

327 - PEDRO WEINGÄRTNER - (1856 - 1929)
Lance Livre

Brasão - desenho a lápis - - 25 x 16 cm - canto superior direito - 1880 - Berlim, Alemanha.

Pintor gaúcho de origem alemã, Weingärtner estudou no Brasil, Alemanha e Itália, residindo por longos anos na Europa. Ao retornar ao Brasil, dedicou-se a temática gauchesca, que lhe motivou os trabalhos mais sensíveis. Um dos pioneiros da gravura de arte no Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 343; BENEZIT, vol. 10, pág. 675; TEODORO BRAGA, pág. 246; REIS JUNIOR, pág. 220/224; MEC, vol. 4, pág. 506/507; LAUDELINO FREIRE, pág. 386; PONTUAL, pág. 551/552; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 438/439; MAYER/84, pág. 1268; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 443; ARTE NO BRASIL, pág. 560; RGS, pág. 402; PEDRO WEINGÄRTNER;

328 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
Lance Livre

Casario - desenho a lápis - - 36 x 54 cm - canto inferior direito - .
Com etiqueta de Grifo Galeria de Arte - São Paulo, SP, no dorso. Reproduzido sob o nº 29 em catálogo de leilão de Renot de maio de 2008 - São Paulo, SP. -
Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo (Rio de Janeiro RJ 1897 - idem 1976). Pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Inicia sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, reside em São Paulo, onde freqüenta o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons (1865 - 1939). Convive com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Mário de Andrade (1893 - 1945), Guilherme de Almeida (1890 - 1969), entre outros. Em 1921, ilustra A Balada do Enforcado, de Oscar Wilde (1854 - 1900), e publica o álbum Fantoches da Meia-Noite, editado por Monteiro Lobato (1882 - 1948). É o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expõe 12 obras. Em 1923, faz sua primeira viagem à França, onde atua como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, freqüenta a Academia Ranson, instala ateliê e conhece obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso (1881 - 1973), Georges Braque (1882 - 1963), Fernand Léger (1881 - 1955), Henri Matisse (1869 - 1954), Jean Cocteau (1889 - 1963) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta a São Paulo em 1926, trabalha como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. A estada em Paris marca um novo direcionamento em sua obra. Em 1938 viaja a Paris, onde trabalha na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retorna ao Brasil em 1940, trabalha como ilustrador, e publica poemas e memórias de viagem. Em 1972, seu álbum 7 Xilogravuras de Emiliano Di Cavalcanti é editado pela Editora Chile. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.

329 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre madeira - - 20 x 38 cm - canto inferior esquerdo - .

Pintor nascido na Itália. Mecatti radicou-se no Brasil em 1940, após trabalhar por vários anos na Tripolitânia, no norte da África. É notável pela estilização de suas figuras e paisagens concebidas, em tons baixos e obedientes a uma composição pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 161/2; MEC, vol. 3, pág. 109; PONTUAL, pág. 352; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 72; TEIXEIRA LEITE, pág. 320; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

330 - JOAQUIM TENREIRO - (1906 - 1992)
Lance Livre

Velas - desenho a caneta hidrográfica - - 44 x 32 cm - canto inferior direito - .

Português da cidade de Melo, Serra da Estrela, foi discípulo do Núcleo Bernardelli e de Quirino Campofiorito, no Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência definitiva no Brasil no ano de 1929. Fez o Curso de Desenho do Liceu Português, onde conquista o prêmio Joaquim Alves Meira, a maior láurea daquele estabelecimento. Tem pinturas suas figurando no MAM-SP, no MNBA e Museu Manchete-RJ. Mário Barata escreve a seu respeito: " Depois de uma fatura limpa, de acabamento preciso e claro, Tenreiro, mesmo prosseguindo com certo rigor estilistico, cedeu, ultimamente, 'a tentação das densidades de matéria e ao cromatismo baixo, 'as vezes terroso, cinza, que o informal bastante generalizou." É o renovador do mobiliário brasileiro, responsável por toda uma linha de criação em que a funcionalidade se alia o bom gosto e o aproveitamento racional dos materais do País. MEC, vol.4, págs.381 E 382; PONTUAL, pág.520,; TEIXEIRA LEITE, pág.504; WALMIR AYALA, vol.2, pág.376 e 377 ; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.320; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 580; ARTE NO BRASIL, pág. 763.

331 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
Lance Livre

Pescador - desenho a nanquim - - 29 x 21 cm - canto inferior direito - .
Reproduzido na página 55 do livro "Carybé - As Sete Portas da Bahia", Livraria Martins Editora, São Paulo, SP, 1962. -
Desenhista, gravador, pintor e escultor, radicado na Bahia. Sua arte é lírica, de boa técnica, baseada no povo, que lhe forneceu o melhor da sua temática. PONTUAL, pág. 116; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 180 e 181; TEIXEIRA LEITE, págs. 111 e 112; MEC, vol.1, pág. 355; BENEZIT, vol. 2, pág. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717;ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

332 - IONE SALDANHA - (1921 - 2001)
Lance Livre

Composição - guache - - 21 x 25 cm - canto inferior direito - .

Gaúcha de Alegrete, faleceu na cidade do Rio de Janeiro-RJ, onde residiu e foi ativa. Pintora, escultora e desenhista, realizou seus primeiros estudos no Rio de Janeiro, no ateliê de Pedro Luís Corrêa de Araújo, em 1948. Estudou a técnica de afresco em Paris, na Académie Julian, e em Florença, na Itália (1951). Inicialmente, produz obras figurativas, como cenas cotidianas e retratos. Realiza também uma série de pinturas de casarios, em que enfatiza a geometria. Posteriormente, sua produção adquire um caráter abstrato. No fim da década de 1960, passa utilizar novos suportes, abandonando a superfície bidimensional, e pintando sobre ripas, carretéis (bobinas de madeira para cabos elétricos) e bambus. Participa de várias edições da Bienal de São Paulo, com prêmio aquisição em 1967, e sala especial em 1975 e 1979. Em 2001, ano de seu falecimento, é realizada a retrospectiva Ione Saldanha e a Simplicidade da Cor, no Museu de Arte Contemporânea de Niterói - MAC/Niterói. "O que logo impressiona no desdobramento da pintura de Ione Saldanha, a partir da segunda metade dos anos 40, é a coerência interna do percurso, o rumo ordenado e lógico que a tem feito deslocar-se de um a outro ponto sem abandonar a concentração do interesse em alguns poucos problemas básicos (...). Na obra dos últimos 20 anos, Ione Saldanha, sem sair de seu casulo, alinhou-se numa via frequente da pintura contemporânea". PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 916, 917 e 918; ITAUCULTURAL; RGS, pág. 263/264

333 - RODOLPHO AMOÊDO - (1857 - 1941)
Lance Livre

Camponesa - óleo sobre cartão - - 24 x 17 cm - canto inferior esquerdo - 1927.
Com a seguinte dedicatória: "Ao amigo José Leitão Off R. Amoêdo 1927". -
Natural da cidade de Salvador, o artista chegou ao Rio de Janeiro no ano de 1868, ingressando, cinco anos depois, no Liceu de Artes e Ofícios e, em 1874, na Academia Imperial de Belas Artes, onde teria Vitor Meirelles, Agostinho da Mota e João Zeferino da Costa como mestres. Na Escola de Belas Artes de Paris, já estudante bolsista da Academia, aperfeiçoou-se com Cabanel e Puvis de Chavanes. De volta ao Rio de Janeiro, onde viria a falecer, destacou-se no exercício do magistério, como professor honorário e, posteriormente, como diretor da antiga Escola Nacional de Belas Artes. Dono de grande preciosismo técnico, Amoedo aborda com despojamento os mais delicados matizes nos seus temas, geralmente a figura humana. O MNBA possui em seu acervo mais de 300 obras do artista TEIXEIRA LEITE, 26/29; PONTUAL, pág. 24; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 411; ARTE NO BRASIL, pág. 566.; JULIO LOUZADA, VOL. 1 PÁGS. 58/59/60; F. ACQUARONE, pág. 101.

334 - MEGUMI YUASA - (1938)
Lance Livre

Composição - escultura em cerâmica - - h = 48 cm - assinado - .
Reproduzido no jornal da Galeria Skultura do outono de 1987. -
Escultor e ceramista. É autodidata, iniciando-se nas artes plásticas em 1960. Em 1971, freqüenta por seis meses a Escola Brasil:, a convite de Luiz Paulo Baravelli. Pesquisa materiais e técnicas expondo esculturas e objetos em cerâmica no Brasil e exterior. Desde o início da carreira expõe seu trabalho assiduamente, dando preferência à mostras coletivas. Yuasa está sempre presente nas mostras de artistas nipo-brasileiros, assim como nas exposições comemorativas da imigração japonesa no Brasil. Em 1979 inicia atividades como professor de cerâmica, às quais se dedica até hoje, organizando cursos e oficinas de cerâmica. Entre 1981 a 1982 presta assessoria à Escola Senai Armando Arruda Sampaio. Em 1982 é convidado a ministrar um curso de cerâmica na Universidade Caxias do Sul. Em 1984 é convidado pelo Museu de Artes do Rio Grande do Sul - Margs, a ministrar o curso Observação da Realidade. Em 1988 recebe o Prêmio Escultura Associação Paulista dos Críticos de Arte - APCA. Em 1989, viaja a Lisboa (Portugal) para ministrar curso no Seminário de Cerâmica Brasileira em Lisboa (Portugal). Atualmente, além da cerâmica, utiliza em suas obras materiais como pedra e madeira. ITAÚ CULTURAL

335 - DJANIRA DA MOTTA E SILVA - (1914 - 1979)
Lance Livre

Crianças brincando - técnica mista - - 17 x 21 cm - canto inferior direito - .

Pintora, desenhista e gravadora, natural de Avaré, SP. Foi aluna de Marcier. A partir de 1942 participa do SNBA, recebendo premiação em 1943, 1944 e 1950. Realizou exposições individuais. Participou de diversas coletivas e salões de arte, nacionais e internacionais, com excelente recepção da crítica especializada. Diz-se que sua pintura é ingênua, mas ela declarava que ingênua, era ela mesma. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 336; PONTUAL, pág. 181; TEIXEIRA LEITE, pág. 164; MEC, vol. 2, pág 58; WALMIR AYALA, vol. 1, pág, 263; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 810; ARTE NO BRASIL, pág. 824; Acervo FIEO.

336 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
Lance Livre

Marinha - óleo sobre tela - - 46 x 61 cm - canto inferior direito - .

Nascido e falecido em São Paulo, DURVAL PEREIRA foi pintor e professor ativo em São Paulo. Premiado com a Menção Honrosa no SPBA em 1944, passou a viver exclusivamente da pintura. Pintava ao ar livre aos domingos com os pintores Salvador Rodrigues, Salvador Santisteban, Cirilo Agostinho, Jaime Dinis, Djalma Urban, Innocencio Borghese, e outros. Premiado praticamente em todos os Salões de que participou. Recebeu ao todo, 15 comendas das mais importantes do Brasil. Nos últimos três anos de sua vida, recebeu todos os Primeiros Prêmios e Medalhas de Ouro nas exposições de Paris, Rouen, Lyon, Roma, Miami e Milão. MEC, vol. 3, pág. 368; JULIO LOUZADA, vol. 1, págs. 749/750/751. ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

337 - WIFREDO LAM - (1902 - 1082)
Lance Livre

Figura - pastel - - 75 x 55 cm - canto inferior direito - .

Pintor, desenhista, escultor e gravador nascido em Sagua La Grande - Cuba, filho de pai chinês e de mãe mestiça (de ascendência africana, ameríndia e africana). Tendo estudado em Havana, na Escola Profissional de Pintura e Escultura - Academia de San Aalejandro, partiu para Madri (1923) e depois se mudou para Paris (1938). Tornou-se amigo de Picasso, Braque, Matisse, Miró, Léger, Eluard, Leiris, Tzara, Kahnweiler, Zervos. Conheceu também Pierre Loeb, proprietário da Galeria Pierre onde fez sua primeira exposição individual (1939) e André Breton cujo livro ‘Fata Morgana’ ilustrou (1940). Associou-se aos surrealistas e seguiu com o grupo para Marselha e Martinica (1941). Voltando para Cuba (1942) e após duas visitas ao Haiti (1945, 1946) passou a incorporar à sua obra imagens de deuses e ritos vodus. Voltou a Paris e, a partir da década de 60, passou parte de seu tempo em Albisola Mare, perto de Gênova. Participou de numerosos movimentos artísticos e políticos, relacionando-se com muitos escritores e artistas. Sua obra foi celebrada em numerosas exposições e retrospectivas de envergadura internacional. www.wifredolam.net; ITAU CULTURAL; DICIONÁRIO OXFORD, PÁG. 292; www.moma.org; www.cubaeuropa.com; www.artcyclopedia.com; www.cubanet.org; www.guggenheim.org; www.britannica.com; www.artnet.com; artist.christies.com.

338 - OSCAR PEREIRA DA SILVA - (1867 - 1939)
Lance Livre

Figuras - óleo sobre tela - - 47 x 36 cm - canto inferior direito - .
Com carimbo do 12° Salão Paulista de Belas Artes, no dorso. Procedente das coleções: Dr. Waldemar Teixeira de Carvalho - Santos - São Paulo e Dr. Raul Villaboim de Carvalho, Ex Presidente da Sociarte - São Paulo, SP. -
Grande pintor brasileiro; prêmio de viagem à Europa em 1889, aperfeiçoou-se em Paris com Gérome e Leon Bonnat. "Sem ter revelado impulsos vigorosos que lhe evidenciassem poder emotivo, Oscar Pereira da Silva soube manter no transcorrer de bem cinquenta e sete anos de produção permanente e intensa, desde que retornou ao país, em 1896, todo o cuidado de um desenho severamente elaborado, sem num só instante voltar-se para o novo semblante que a pintura adquiria nessa transposição de tempo. " Quirino Campofiorito, in CAMPOFIORITO, Quirino. História da Pintura Brasileira no Século XIX. Ed.Pinakotheke-SP, 1983. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs. 245/281; TEODORO BRAGA, pág. 177/8; LAUDELINO FREIRE, pág. 383; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 185; MEC, vol. 4, pág.277; PONTUAL, pág. 419; TEIXEIRA LEITE, pág. 402; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 437; ARTE NO BRASIL, pág. 553, Acervo FIEO; F. ACQUARONE, pág. 187, RUTH TARASANTCHI.

339 - ANATOL WLADYSLAW - (1913 - 2004)
Lance Livre

Composição - desenho a lápis de cor e guache - - 22 x 27 cm - canto inferior direito - 1956.

Pintor e desenhista nascido em Varsóvia, Polonia; faleceu em São Paulo, aos 91 anos de idade. No Brasil desde 1930, fixou residência em São Paulo, naturalizando-se brasileiro. Dedicou-se à pintura e ao desenho a partir de 1946, participando da I à IX Bienal, recebendo diversas premiações. Formado em engenharia no Mackenzie, tornou-se um dos pioneiros da arte abstrata, participando ativamente do movimento Ruptura, ao lado de Valdemar Cordeiro, Lothar Charoux e Luiz Sacilotto. Figura no acervo do MAM-RJ e MNBA de Buenos Aires. JULIO LOUZADA, VOL, 4, pág, 1177. MEC, VOL, 4 pág, 512. TEIXEIRA LEITE, pág, 544. WALMIR AYALA, VOL 2. pág, 442; PONTUAL, pág. 553; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 921.

340 - LÊ PRUDÊNCIO - (1950)
Lance Livre

Arame - fotografia - Única - 75 x 100 cm - dorso - 2012.
Complemento de técnica: Impressão fine art ampliada em Canson Baryta photographique 310, no tamanho 0,75 x 1,00 cm, adesivada em dry foam. -
Artista, marchande, fotógrafa, com 40 anos de culturais, sempre autônoma, original e dedicada. Sua visão sobre o tempo, a luz, o espaço é sempre um novo convite ao olhar, jamais quotidiano.

341 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
Lance Livre

Natureza morta - acrílico sobre papel - - 33 x 44 cm - canto inferior direito - .
Com certificado de autenticidade emitido pelo Estúdio Aldemir Martins.
Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

342 - GASTÃO FORMENTI - (1894 - 1974)
Lance Livre

Flores - óleo sobre madeira - - 26 x 34 cm - canto inferior esquerdo - 1954 - Rio de Janeiro-RJ.

Pintor nascido em Guaratinguetá-SP. Após iniciar-se em arte com Pedro Strina, em São Paulo, foi residir no Rio de Janeiro, onde, com seu pai, dedicou-se à execução de vitrais. Recebeu medalhas de bronze e de prata no SNBA, do qual ainda participava em 1961. TEODORO BRAGA, pág. 98; WALMIR AYALA vol.1, pág.317; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

343 - OSCAR NIEMEYER - (1907)
Lance Livre

Estudo de fachada do Palácio do Planalto - desenho a caneta hidrográfica - - 72 x 100 cm - canto inferior direito - .
Ex coleção Irineu Gomes da Rosa Filho, Santos - SP, recebida do autor por ocasião de palestra por ele proferida na Universidade Santa Cecília - UNISANTA - em 1995. -
Oscar Niemeyer Soares Filho nasceu no Rio de Janeiro. Arquiteto, gravador e urbanista. Forma-se em arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes - ENBA, Rio de Janeiro, em 1934. Nesse ano, passa a freqüentar o escritório do arquiteto e urbanista Lucio Costa. Em 1936, integra a comissão criada para definir os planos da sede do Ministério da Educação e Saúde, no Rio de Janeiro, com a supervisão do arquiteto suíço Le Corbusier, a quem assiste como desenhista. Entre 1940 e 1944 projeta o conjunto arquitetônico da Pampulha, Belo Horizonte - MG, que se configura como um marco de sua obra, pois rompe com os conceitos rigorosos do funcionalismo e utiliza uma linguagem de formas novas, de superfícies curvas, explorando as possibilidades plásticas do concreto armado. Em 1947, é convidado pela Organização das Nações Unidas - ONU a participar da comissão de arquitetos encarregada de definir os planos de sua futura sede em Nova York. Seu projeto, associado ao de Le Corbusier, é escolhido como base do plano definitivo. No Rio de Janeiro, em 1955, funda a revista ‘Módulo’ e no ano seguinte começa a colaborar na construção da nova capital do Brasil, Brasília, cujo plano urbanístico é confiado a Lucio Costa. Participou da I e II Bienal Internacional de São Paulo. Em 1965 é realizada uma retrospectiva sua no Museu do Louvre, Paris, a primeira dedicada a um arquiteto. Projetou inúmeras obras pelo mundo e recebeu vários prêmios. O Parque Ibirapuera (1951), São Paulo, também foi um dos seus grandes projetos. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL.5, PÁG.744; VOL.6, PÁG.785; MEC, VOL.3, PÁG. 263; DICIONÁRIO OXFORD; www.niemeyer.org.br.

344 - CARLOS LEÃO - (1906 - 1982)
Lance Livre

Casal - desenho a nanquim e aquarela - - 26 x 20 cm - canto inferior direito - .

Arquiteto, pintor e desenhista ativo no Rio de Janeiro. Participou com Lucio Costa no projeto do edifício sede do Ministério de Educação do Rio de Janeiro (1937). Excepcional desenhista, praticou igualmente a pintura, sempre fiel a uma só temática - "a mulher, seu corpo, seu mundo de amor, sexo e poesia". MEC, vol. 2, pág. 462/3; TEIXEIRA LEITE, pág. 281; PONTUAL, PÁG. 303; JULIO LOUZADA VOL.11, PÁG.171; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 602; ARTE NO BRASIL, pág. 746.

345 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
Lance Livre

"Emblema 83" - acrílico sobre tela - - 50 x 35 cm - dorso - 1983 - Brasilia - DF.

Baiano de Salvador, autodidata, Rubem Valentin pinta desde meados de 1940. Sua primeira coletiva foi em 1949, no Salão Baiano de Belas Artes, do qual participaria outras vezes, recebendo premiações. Viveu no Rio de Janeiro e na Europa, fixando residência permanente em Brasil, DF, há mais de 20 anos. O artista assim explicava a sua arte: "Minha linguagem plástico-visual signográfica está ligada aos valores míticos profundos de uma cultura afro-brasileira (mestiça-animista-fetichista). Com o peso da Bahia sobre mim - a cultura vivenciada; com o sangue negro nas veias - o atavismo; com os olhos abertos para o que se faz no mundo - a contemporaneidade; criando os meus signos-símbolos procuro transformar em linguagem visual o mundo encantado, mágico, provavelmente místico que flui continuamente dentro de mim". PONTUAL, pág.532; WALMIR AYALA, vol.2, págs.395 a 397; TEIXEIRA LEITE, pág.517; MEC, vol.4, pág.443; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.330; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 257, Acervo FIEO.

346 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
Lance Livre

Mulher - escultura em bronze - - h = 22 cm - base - .

Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.

347 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
Lance Livre

Composição - xilogravura - - 33 x 24 cm - canto inferior esquerdo - 1954 - Rio de Janeiro-RJ.

Paulista de Araraquara, Lívio foi exímio gravador, desenhista, pintor, jornalista e professor. Autodidata, executou suas primeiras gravuras em madeira por volta de 1926. Sofreu influência de Lasar Segall, focalizando desde então de modo expressionista tipos e paisagens dos subúrbios paulistanos, inclusive temas de caráter social, como indicou Sérgio Milliet em sua obra de 1940. O autor, certa feita, assim falou de si próprio: "Geralmente persisto em um mesmo motivo por longo tempo: trabalho-o até que me pareça haver esgotado todas as possibilidades que ele oferece. Jamais pensei em fazer 'paisagens'. O que procuro é interpretar o sentido e a problemática da natureza de uma terra, a força dos sentimentos que ela provoca em mim, e assim, quanto mais de acordo com a minha própria natureza, tanto mais imediata surge a interpretaçãop plástica, como sucedeu, por exemplo, com meu 'encontro' com as 'arquiteturas' da realidade íntima da terra paraguaia. PONTUAL, pág. 1, JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 19; MEC vol.1, pág. 33; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 795; LEONOR AMARANTE, pág. 28; Acervo FIEO.

348 - FERNANDO ODRIOZOLA - (1921 - 1986)
Lance Livre

Composição - gravura - F. T. - 48 x 33 cm - canto inferior direito - 1962.

Fernando Pascual Odriozola nasceu em Oviedo, Espanha e faleceu em São Paulo. Pintor, desenhista e gravador. Começou a pintar em 1936. Veio para o Brasil em 1953 e fixou residência em São Paulo. No ano seguinte, realizou sua primeira exposição individual na Galeria Portinari. O Museu de Arte Moderna de São Paulo dedicou-lhe outra individual, em 1955. Na década de 1960, lecionou no Instituto de Arte Contemporânea da Fundação Armando Álvares Penteado e colaborou como ilustrador nos jornais O Estado de S. Paulo e Diário de S. Paulo, e na revista Habitat. Em 1964, integrou, com Wesley Duke Lee , Yo Yoshitome e Bin Kondo , o Grupo Austral, ligado ao movimento internacional Phases. Participou das 7ª, 8ª, 9ª, 12ª, 13ª, 14ª, 15ª e 18ª Bienais Internacionais de São Paulo onde foi premiado na 7ª, 8ª, e 14ª edição; da 7ª Bienal de Tóquio; dos 2º e 5º Panoramas da Arte Atual Brasileira, entre outras. No ano de seu falecimento, o Centro Cultural São Paulo (CCSP) realizou uma exposição retrospectiva póstuma em sua homenagem. JULIO LOUZADA VOL.11, PÁG. 231; MEC VOL.3, PÁG.291; PONTUAL PÁG. 389; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 737; ARTE NO BRASIL PÁG.907; LEONOR AMARANTE PÁG. 143; ACERVO FIEO.

349 - DIONISIO DEL SANTO - (1925 - 1999)
Lance Livre

Composição - guache - - 18 x 18 cm - canto inferior direito - 1987.

Pintor, desenhista, gravador e serigrafista, nasceu em Colatina-ES, e faleceu em Vitória, naquele mesmo Estado. Autodidata. Em 1975, recebe o Prêmio de Melhor Exposição de Gravura do Ano, da APCA. Participou da 9ª Bienal Internacional de São Paulo, 1967 (Prêmio Itamarati Aquisição) e do Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1968 (Prêmio Isenção do Júri). JULIO LOUZADA vol.11, pág. 88; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 934.

350 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
Base: R$ 15.000,00

"Abstrato" - acrílico sobre cartão - - 56 x 76 cm - canto inferior direito e dorso - 1991.
Com declaração de participação em exposição realizada no Centro Cultural Brasil - Estados Unidos, em Santos - SP - no mês de setembro de 2001. -
Nasceu em São Paulo e faleceu no Rio de Janeiro. Pintor, paisagista, arquiteto, desenhista, pintor, gravador, litógrafo, escultor, tapeceiro, ceramista, designer de jóias, decorador. Durante a infância viveu no Rio de Janeiro. Foi com a família para a Alemanha, em 1928. Em 1929, freqüentou o ateliê de pintura de Degner Klemn. Nos jardins e museus botânicos de Dahlen, em Berlim, entusiasmou-se ao encontrar exemplares da flora brasileira. De volta ao Brasil, fez curso de pintura e arquitetura na Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1930 - 1934), onde foi aluno de Leo Putz , Augusto Bracet e Celso Antônio. Seu primeiro projeto paisagístico foi para a arquitetura de Lúcio Costa e Gregori Warchavchik, em 1932. Entre 1934 e 1937, ocupou o cargo de diretor de parques e jardins do Recife, PE, onde passou a residir. Nesse período, foi com freqüência ao Rio de Janeiro e teve aulas com Candido Portinari e com o escritor Mário de Andrade. Em 1937, retornou ao Rio de Janeiro e trabalhou como assistente de Candido Portinari. Foi em 1949, conforme sua paixão por plantas e seu interesse por botânica e jardinagem, que Burle Marx adquiriu um sítio em Barra de Guaratiba, RJ. Com auxílio de botânicos, viajou, coletou, catalogou exemplares de plantas do Brasil e reproduziu em seu sítio a diversidade fitogeográfica brasileira. Em 1985 doou esse sítio, com todo o seu acervo, à extinta Fundação Nacional Pró Memória, atual Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN.Realizou muitas exposições individuais e projetos paisagísticos, participou de diversas mostras oficiais coletivas pelo Brasil e no exterior. PONTUAL, PÁG. 94; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 93; MEC. VOL.1, PÁG.303; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG.564; ARTE NO BRASIL, PÁG. 738; LEONOR AMARANTE, PÁG. 98; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 179; artnet.com.

351 - FELISBERTO RANZINI - (1881 - 1976)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre tela - - 27 x 41 cm - canto inferior esquerdo - .

Arquiteto, desenhista e escritor, Felisberto Ranzini nasceu em Mântua, Itália e faleceu em São Paulo - SP. Sobresaiu-se principalmente na técnica de aquarela, na qual se especializou. Suas composições em óleo são claras e detalhadas, quase que miniaturistas. JULIO LOUZADA, vol 1, pág. 805; MEC vol.4, pág. 26, RUTH TARASANTCHI.

352 - GIUSEPPE PERISSINOTTO - (1881 - 1965)
Lance Livre

Nu - óleo sobre tela - - 37 x 47 cm - canto inferior direito - 1943.

Nascido em Musile, Veneza, Itália, veio para o Brasil ainda criança e cuja família radicou-se no interior de São Paulo. Fez estudos de pintura na Academia de Belas Artes de Veneza, para onde retornou aos dezoitos anos, prosseguindo para Florença e demais centros de arte da Itália onde se aperfeiçoou; retornou a cidade de São Paulo em 1912, dedicando-se exclusivamente a sua pintura que sempre teve como tema paisagens, marinhas naturezas mortas e figuras. Expôs em várias capitais do Brasil, com sucesso de crítica e público; foi um dos idealizadores do SPBA, ao lado de Souza Pereira e outros. ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.

353 - TOMOSHIGUE KUSUNO - (1935)
Lance Livre

"Estrela e vagalume" - grafite e liquitex sobre tela - - 80 x 100 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1984-85.
Ex coleção Kim Esteve - São Paulo - SP. -
Natural de Yubari, Japão. Pintor, desenhista e gravador. A obra do autor situa-se no limiar entre o formalismo e o objeto. Individuais a partir de 1976, coletivas internacionais em 1982, e premiações diversas. JULIO LOUZADA, vol.4, pág.1101; MEC, vol.2, pág.430 e 431; PONTUAL, págs.295 e 296; TEIXEIRA LEITE, pág.274; WALMIR AYALA, vol.1, pág.452; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 968; LEONOR AMARANTE, pág. 171, Acervo FIEO.

354 - VINCENZO CENCIN - (1925 - 2010)
Lance Livre

Marinha - óleo sobre tela - - 40 x 60 cm - canto inferior direito - .

Natural de Veneza, Itália, desde pequeno sente a feição mágica e iluminada de sua cidade natal e o mar que a rodeia. Após a II Grande Guerra vem para o Brasil, onde fixa a sua residência. Em 1981 inaugura a Galeria Velha Europa, em São Paulo. Sobre a sua obra, assim se manifestou o crítico José Roberto TEIXEIRA LEITE: "... para esse homem chegado já maduro às artes, depois de longa carreira em campo diametralmente oposto, o que importa é lançar, sobre o espaço da tela, reminicências do homem mediterrâneo..." JULIO LOUZADA, vol.11, pág. 69; ITAU CULTURAL.

355 - JOAQUIM TENREIRO - (1906 - 1992)
Lance Livre

Paisagem - desenho a nanquim - - 38 x 35 cm - centro inferior - 1950.

Português da cidade de Melo, Serra da Estrela, foi discípulo do Núcleo Bernardelli e de Quirino Campofiorito, no Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência definitiva no Brasil no ano de 1929. Fez o Curso de Desenho do Liceu Português, onde conquista o prêmio Joaquim Alves Meira, a maior láurea daquele estabelecimento. Tem pinturas suas figurando no MAM-SP, no MNBA e Museu Manchete-RJ. Mário Barata escreve a seu respeito: " Depois de uma fatura limpa, de acabamento preciso e claro, Tenreiro, mesmo prosseguindo com certo rigor estilistico, cedeu, ultimamente, 'a tentação das densidades de matéria e ao cromatismo baixo, 'as vezes terroso, cinza, que o informal bastante generalizou." É o renovador do mobiliário brasileiro, responsável por toda uma linha de criação em que a funcionalidade se alia o bom gosto e o aproveitamento racional dos materais do País. MEC, vol.4, págs.381 E 382; PONTUAL, pág.520,; TEIXEIRA LEITE, pág.504; WALMIR AYALA, vol.2, pág.376 e 377 ; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.320; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 580; ARTE NO BRASIL, pág. 763.

356 - FRANCISCO STOCKINGER - (1919 - 2009)
Lance Livre

Nu - escultura em bronze - - h = 36 cm - base - .

Natural de Traum, Áustria, Xico Stockinger, como é conhecido, foi aluno de Bruno Giorgi e desde 1954, radicado em Porto Alegre, á um escultor da figura humana e do animal. Também é excelente desenhista e gravador. Começou a expor na década de 40, no Rio de Janeiro, recebendo premiações. Desempenhou importante papel no desenvolvimento das artes plástica gaúcha. Tem seu nome firmado no cenário nacional e internacional, como escultor expressivo e original. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.311; PONTUAL, pág.506; MEC., vol.4, pág.342/3.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 868; LEONOR AMARANTE, pág. 136.

357 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
Lance Livre

Briga de Casal - guache - - 33 x 24 cm - canto inferior direito - .
Capa da revista Fon Fon. -
Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista. Realizou mais de cem mil desenhos, não se conhecendo um único ruim. Observador arguto, retratou com maestria e humor o cotidiano de sua cidade natal, da qual, consta, ausentou-se por duas únicas ocasiões. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646.

358 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
Lance Livre

Figuras - desenho a nanquim - - 20 x 15 cm - canto inferior direito - .

Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo (Rio de Janeiro RJ 1897 - idem 1976). Pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Inicia sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, reside em São Paulo, onde freqüenta o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons (1865 - 1939). Convive com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Mário de Andrade (1893 - 1945), Guilherme de Almeida (1890 - 1969), entre outros. Em 1921, ilustra A Balada do Enforcado, de Oscar Wilde (1854 - 1900), e publica o álbum Fantoches da Meia-Noite, editado por Monteiro Lobato (1882 - 1948). É o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expõe 12 obras. Em 1923, faz sua primeira viagem à França, onde atua como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, freqüenta a Academia Ranson, instala ateliê e conhece obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso (1881 - 1973), Georges Braque (1882 - 1963), Fernand Léger (1881 - 1955), Henri Matisse (1869 - 1954), Jean Cocteau (1889 - 1963) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta a São Paulo em 1926, trabalha como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. A estada em Paris marca um novo direcionamento em sua obra. Em 1938 viaja a Paris, onde trabalha na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retorna ao Brasil em 1940, trabalha como ilustrador, e publica poemas e memórias de viagem. Em 1972, seu álbum 7 Xilogravuras de Emiliano Di Cavalcanti é editado pela Editora Chile. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.

359 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
Lance Livre

Tropeiros - óleo sobre tela - - 30 X 40 cm - canto inferior esquerdo - .

Pintor nascido na Itália. Mecatti radicou-se no Brasil em 1940, após trabalhar por vários anos na Tripolitânia, no norte da África. É notável pela estilização de suas figuras e paisagens concebidas, em tons baixos e obedientes a uma composição pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 161/2; MEC, vol. 3, pág. 109; PONTUAL, pág. 352; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 72; TEIXEIRA LEITE, pág. 320; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

360 - TADASHI KAMINAGAI - (1899 - 1982)
Base: R$ 10.000,00

Fachadas - óleo sobre tela - - 54 x 80 cm - canto inferior direito e dorso - 1951.

Grande pintor japonês da Escola de Paris, amigo de Marquet, Vlaminch e Déiran, entre outros, passou no Brasil praticamente toda a década de 1940, aqui se ligando de amizades a pintores como Portinari, Pancetti e Djanira, e iniciando na arte vários jovens pintores de ascendência nipônica, como Flávio Shiró Tanaka, por exemplo. Autor de paisagem, naturezas mortas e retratos de excelente qualidade pictórica, Kaminagai veio freqüentes vezes ao Brasil, onde expôs com enorme sucesso. TEODORO BRAGA, pág.134; BENEZIT, vol.6, pág.152; WALMIR AYALA, vol.1, pág.435 e 437; MEC, vol.2, pág.401; PONTUAL, pág.287; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 643; ARTE NO BRASIL; Acervo FIEO.

361 - RENOT - (1932)
Lance Livre

Baianas - óleo sobre eucatex - - 23 x 16 cm - canto superior direito - 1980.

Tapeceiro, desenhista e pintor baiano, ativo em São Paulo desde 1978, com diversas premiações, exposições e leilões. Também atua no mercado de arte como "marchand". JULIO LOUZADA vol.1, pág. 816, Acervo FIEO.

362 - JOAN MIRÓ - (1893 - 1980)
Lance Livre

Composição - litografia - H. C. - 32 x 50 cm - canto inferior direito - .
Litografia original do livro "Joan Miró litógrafo II 1953-1963" de autoria de Raymond Queneau - Ediciones Polígrafa, S. A - Barcelona, Espanha. -
Pintor, desenhista, gravador, ilustrador, ceramista e escultor. Assinava Joan Miró e Miró. Nasceu em Montroig, Espanha e faleceu em Palma de Mallorca - Ilhas Baleares, Espanha. Entrou para Escola de Belas Artes de Barcelona com quinze anos, aperfeiçoando-se com o arquiteto Gali. Começou a expor em 1918 na sua terra natal e pouco depois, transfere-se para Paris. Assinou o manifesto surrealista em 1924. Em 1940 voltou à Espanha - Mallorca. Trabalhou com o ceramista Llorens Artigas. Em 1947 realizou um mural em Cincinnati, EUA, e um para a Universidade de Harvard, em 1950 (hoje substituído por uma cópia cerâmica, cujo original se encontra no MOMA de Nova York). Em 1958 trabalhou em dois gigantescos murais em cerâmica para a UNESCO, em Paris. A Fundação Joan Miró foi inaugurada em Montjuic, Barcelona, em 1975. Outras obras suas podem ser vistas na maioria dos museus e coleções de arte moderna espalhados pelo mundo. JULIO LOUZADA, VOL.1, PÁG.638; VOL. 4, PÁG. 746; VOL. 6, PÁG. 735; VOL.8, PÁG. 576; BENEZIT, VOL. 7, PÁG. 435; ITAU CULTURAL; DICIONÁRIO OXFORD DE ARTE – MARTINS FONTES.

363 - MAURICIO NOGUEIRA LIMA - (1930 - 1999)
Lance Livre

Composição - desenho a nanquim - - 25 x 27 cm - canto inferior direito - 1959.

Natural da cidade do Recife, PE, o autor foi pintor, arquiteto, desenhista e professor. Frequentou o Instituto de Belas Artes de Porto Alegre, o MAM-SP e diplomou-se em arquitetura pela Faculdade Mackenzie-SP. Ligado ao grupo Ruptura, Maurício tornou-se um artista de acentuados princípios racionais, sendo o autor de algumas introduções no campo da animação ótica dos espaços, na seriação das construções e ainda na busca específica de retículas coloridas.Participou do Salão Paulista de Arte Moderna, onde obteve, dentre outros, o 1º Prêmio em Cartaz (1951 e 1957). Participou também do movimento de arte concreta, figurando nas exposições do MAM-SP (1956), no MEC-RJ (1957), na Exposição Internacional de Arte Concreta, em Zurique (1960), etc JULIO LOUZADA, vol 1, pags 678 e 679; ITAU CULTURAL.

364 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
Lance Livre

Bailarina - desenho a nanquim e aguada - - 48 x 34 cm - canto inferior direito - 01/01/1973.

Pintor e desenhista figurativo, integrou o Grupo Santa Helena, juntamente com Volpi, Zanini e outros, e foi um dos organizadores e expositores do I Salão da Família Artística Paulista; suas figuras seguem a disciplina cubista da organização do espaço, destacando-se uma série de Músicos; dedicou-se a pinturas murais e à ilustração de obras literárias. MEC, vol. 2, pág. 280; PONTUAL, pág. 247/8; TEIXEIRA LEITE, pág. 225 a 227; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 784; LEONOR AMARANTE, pág. 58; Acervo FIEO.

365 - HEITOR DE PINHO - (1897 - 1968)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre tela colada em eucatex - - 12 x 17 cm - canto inferior esquerdo - .

Nascido e falecido na cidade do Rio de Janeiro, onde estudou na antiga Escola Nacional de Belas Artes. Foi discípulo de Rodolfo Chambelland, Batista da Costa, Lucílio de Albuquerque e Modesto Brocos. Participa de Salões Oficiais a partir de 1924, recebendo diversas premiações. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.247; MEC. Vol.3, pág.400; WALMIR AYALA. Vol.2, pág.194; TEIXEIRA LEITE, pág.408; PONTUAL, pág.426.

366 - ODETTE EID - (1922)
Lance Livre

Rostos ao vento - múltiplo em bronze - - h = 18 cm - assinado - .
Reproduzido no jornal da Galeria Skultura do outono de 1987. Com atestado de procedência de Skultura Galeria de Arte, São Paulo - SP. Base "no estado". -
Natural de Zahle, Líbano, ODETTE EID sempre foi uma estudiosa da sua arte maior, que é a escultura. Frequentou os ateliês dos grandes mestres nacionais, como Becheroni e Calabrone. Em vôo solo expôs na Europa em Salões e Galerias de renome. Segundo a crítica especializada, a escultura de ODETTE EID "é fluída, volátil e leve". (Alberto Beuttenmuller). JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 119

367 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
Lance Livre

Depois da nevasca - óleo sobre cartão - - 24 x 32 cm - canto inferior direito ilegível - .

368 - JOSÉ PAULO MOREIRA DA FONSECA - (1922 - 2004)
Lance Livre

"Céu ouro lindo" - óleo sobre madeira - - 25 x 35 cm - canto inferior direito e dorso - 1967.

Carioca, advogado, filósofo, poeta e pintor. José Paulo dedicou-se à pintura desde 1950. Fez uso abundante da espátula, lançando luz e cor nos seus temas preferidos: fachadas, portas, janelas, marinhas e paisagens. MEC, vol. 2, pág. 183; WALMIR AYALA vol. 1, pág. 423 a 427; TEIXEIRA LEITE, pág. 268; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

369 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
Lance Livre

Gato azul - acrílico sobre tela - - 40 x 50 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 2003.
Com certificado de autenticidade emitido pelo Estúdio Aldemir Martins. -
Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

370 - JOAQUIM TENREIRO - (1906 - 1992)
Lance Livre

"Estudo para relevo" - óleo sobre tela colada em eucatex - - 44 x 30 cm - canto inferior direito e dorso - 1974.

Português da cidade de Melo, Serra da Estrela, foi discípulo do Núcleo Bernardelli e de Quirino Campofiorito, no Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência definitiva no Brasil no ano de 1929. Fez o Curso de Desenho do Liceu Português, onde conquista o prêmio Joaquim Alves Meira, a maior láurea daquele estabelecimento. Tem pinturas suas figurando no MAM-SP, no MNBA e Museu Manchete-RJ. Mário Barata escreve a seu respeito: " Depois de uma fatura limpa, de acabamento preciso e claro, Tenreiro, mesmo prosseguindo com certo rigor estilistico, cedeu, ultimamente, 'a tentação das densidades de matéria e ao cromatismo baixo, 'as vezes terroso, cinza, que o informal bastante generalizou." É o renovador do mobiliário brasileiro, responsável por toda uma linha de criação em que a funcionalidade se alia o bom gosto e o aproveitamento racional dos materais do País. MEC, vol.4, págs.381 E 382; PONTUAL, pág.520,; TEIXEIRA LEITE, pág.504; WALMIR AYALA, vol.2, pág.376 e 377 ; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.320; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 580; ARTE NO BRASIL, pág. 763.

371 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
Lance Livre

Rio de Janeiro - óleo sobre eucatex - - 18 x 23 cm - canto inferior direito - .

Nascido na Itália, radicou-se no Brasil. Seu estilo liga-se ao dos Macchiajoli oitocentistas (os equivalentes italianos dos impressionistas franceses) e ao de Pratella em especial. São especialmente notáveis suas paisagens e marinhas. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 168; JULIO LOUZADA vol.11, pág.54; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

372 - HÉRCULES BARSOTTI - (1914 - 2010)
Lance Livre

Composição - desenho a nanquim - - 27 x 29 cm - canto inferior direito - .

Pintor, desenhista, programador visual, gravador, nascido em São Paulo, SP . Iniciou-se nas artes em 1926, estudando desenho e composição com o pintor Enrico Vio. Começa a pintar em 1940 e, na década seguinte, realiza as primeiras pinturas concretas, além de trabalhar como desenhista têxtil e projetar figurino para o teatro. Em 1954, com Willys de Castro, funda o Estúdio de Projetos Gráficos, elabora ilustrações para várias revistas e desenvolve estampas de tecidos produzidos em sua tecelagem. Na década de 1960, convidado por Ferreira Gullar (1931), integra-se ao Grupo Neoconcreto do Rio de Janeiro e participa das exposições de arte do grupo realizadas no Ministério da Educação e Cultura, no Rio de Janeiro, e no Museu de Arte Moderna de São Paulo - MAM/SP. Em 1960, expõe na mostra Konkrete Kunst [Arte Concreta], organizada por Max Bill, em Zurique. Hercules Barsotti explora a cor, as possibilidades dinâmicas da forma e utiliza formatos de quadros pouco usuais, como losangos, hexágonos, pentágonos e circunferências. Em sua obra a disposição dos campos de cor cria a ilusão de tridimensionalidade. Entre 1963 e 1965, colabora na fundação e participa do Grupo Novas Tendências, em São Paulo. Em 2004, o MAM/SP organiza uma retrospectiva do artista. JULIO LOUZADA, vol. 1, pag. 98; ITAU CULTURAL

373 - NICOLA DE CORSI - (1882 - 1956)
Lance Livre

Barcos - pastel - - 16 x 21 cm - canto inferior esquerdo - .
Procedente das coleções: Dr. Waldemar Teixeira de Carvalho - Santos - São Paulo e Dr. Raul Villaboim de Carvalho, Ex Presidente da Sociarte - São Paulo, SP. -
Embora tenha nascido na Rússia, a ascendência de Nicola de Corsi era espanhola, e toda a sua formação se deu em Nápoles, Itália, para onde se transferiu com toda a família ainda quando pequeno. Foi discípulo de Giacinto Gigante. Expôs na Bienal de Veneza em 1910. Esteve duas vezes no Brasil, onde mostrou o seu precioso trabalho. O jornal O Estado de São Paulo o chamou de Pintor das Multidões. JULIO LOUZADA vol.1, pág.315; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 539, RUTH TARASANTCHI.

374 - MANOEL FARIA - (1895 - XX)
Lance Livre

"Praia de Ramos" - óleo sobre tela - - 50 x 73 cm - canto inferior direito - 1959- Rio de Janeiro-RJ.
Com carimbo LXIV Salão Nacional de Belas Artes, no dorso. -
Pintor e professor. Estudou com Eurico Alves no Liceu de Artes e Ofícios do RJ. Em 1915 tranferiu-se para antiga ENBA, onde foi aluno de João Baptista da Costa, Lucilio de Albuquerque e Rodolfo Chambelland. Manoel Faria é pintor fiel às cores da natureza, aceitando os caprichos do cromatismo da terra brasileira. JULIO LOUZADA vol.1, pág.371, Acervo FIEO.

375 - ANA ANDRADE - (1953)
Lance Livre

"À minha cabeceira" - gravura - 25/25 - 15 x 10 cm - canto inferior direito - 1995.
Complemento de técnica: água-forte e água-tinta. -
Ana Cristina Andrade Moreira é pintora, gravadora, desenhista, professora e designer vidreira. Iniciou sua formação artística na Escola Superior de Arte Santa Marcelina, SP (1972-1975). Aprendeu gravura em metal (1980-1990) com Iole Di Natale; técnicas de gravura na Scuola Internazionale di Gráfica em Veneza, Itália (1983); Gravura Especial com Evandro Carlos Jardim, no MAC-SP (1991); Técnica Calcográfica Experimental com Mario Benedetti, na FASM-SP (1997); Vitrofusão com Roberto Bonino. Exposições individuais: São Paulo, SP (1984, 1987, 1995, 2003); Bauru, SP (1989); “Projeto Interior com Arte” – Museu Banespa (1998 – Exposição itinerante pelo interior do Estado de São Paulo). Coletivas: Epinal, França (1975); São Paulo, SP (1974,1982,1984,1985,1986,1988,1994,1995,2000,2002 a 2004); Santo André,SP (1982); Novo Hamburgo, RS (1982); Taiwan, China (1983,1985); San Juan, Porto Rico (1983); Santos, SP (1983); Cabo Frio, RJ (1983); Ribeirão Preto,SP (1984); Curitiba, PR (1984); Piracicaba,SP (1984); Veneza, Itália (1984,1985); Campinas, SP (1985); São José do Rio Preto, SP (1986); Limeira, SP (1986); Washington D.C.,EUA (1991); Campos do Jordão, SP (1991); Kanagawa, Japão (1992); Maastricht, Holanda (1993); Illinois, EUA (1994); Cidade do México, México (1996); Jacareí, SP (1998); Budapeste, Hungria (1996); Uzice, Yuguslávia (1997); Ourense, Espanha (1994,2006). Prêmios: São Paulo, SP (1974); Novo Hamburgo, RS (1982); Santos, SP (1983); Ribeirão Preto, SP (1984); Curitiba, PR (1984); Piracicaba, SP (1984); Campinas, SP (1985); São José do Rio Preto, SP (1986). JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 62; vol.2, pág. 66; Acervo FIEO. ITAU CULTURAL.

376 - WEGA NERY - (1912 - 2007)
Lance Livre

Composição - desenho a nanquim - - 32 x 23 cm - canto inferior direito - 1957.

Natural de Corumbá-MT, estudou desenho e pintura na Escola de Belas Artes em São Paulo entre 1946 e 1949. Nos anos 50, aperfeiçoou estudos com Joaquim da Rocha Ferreira, Yoshiya Takaoka e Samson Flexor. Participou do Grupo Guanabara em 1952 e do Atelier-Abstração, liderado por Samson Flexor, em 1953. Expõs individualmente a partir de 1955. Recebeu o prêmio de melhor desenhista nacional em 1957 e o prêmio aquisição nacional em 1963. PONTUAL, pág. 551; TEIXEIRA LEITE, pág. 541, JULIO LOUZADA vol.9, pág. 919; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 942; LEONOR AMARANTE, pág. 57.

377 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
Lance Livre

Tiradentes - escultura em bronze - - h = 13 cm - assinado - .
Ex coleção Evaldo Tadeu de Oliveira - Pirajuí, SP. -
Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.

378 - FRANS KRAJCBERG - (1921)
Lance Livre

Natureza - gravura - 1/10 - 54 x 36 cm - canto inferior direito - .
Complemento de técnica: gravura moldada em casca de árvore sobre papel japonês. -
Polêmico e combativo, este importante artista nascido na Polônia, imigrou para o Brasil em 1948, após estudos na Alemanha, na Academia de Belas Artes de Stuttgart. Intérprete do descaso do homem para com a natureza, Krajcberg usa os salvados da Terra para fazer sua arte e denunciar-lhes os maus tratos. É um dos artistas brasileiros mais conhecidos e reconhecidos no exterior. ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 1351; TEIXEIRA LEITE, pág. 272/273.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 645; ARTE NO BRASIL, pág. 778; LEONOR AMARANTE, pág. 18.

379 - EMERIC MARCIER - (1916 - 1990)
Lance Livre

Moça - sangüínea - - 27 x 22 cm - canto inferior direito - 1951.

Pintor romeno, nascido em Cluj. Cursou a Academia Brera, de Milão, atraído pela pintura pré-renascentista italiana. Após breve passagem por Paris, imigrou para o Brasil, onde realizou sua primeira individual em 1940 (Salão dos Artistas Brasileiros-RJ), seguindo-se outras em 1942 e 1944, ambas também na cidade do Rio de Janeiro. Marcier foi um pintor tradicional e renovador ao mesmo tempo. Emprestou sentimento à sua obra, aos seus personagens sacros. Participou de duas Bienais em São Paulo, uma no México e diversas coletivas na Europa, inclusive a Bienal de Arte Sacra de Salzburg, Áustria. TEIXEIRA LEITE, pág. 307/308/309; JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 207; PONTUAL, pág. 335; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 872.

380 - PEDRO ALEXANDRINO - (1864 - 1942)
Base: R$ 10.000,00

Prato com castanhas e garrafa - óleo sobre tela - - 46 x 54 cm - canto inferior direito - .
Reproduzido no convite deste leilão. -
Pintor acadêmico, especializou-se em naturezas mortas; aluno de Almeida Junior, foi professor, entre outros, de Tarsila do Amaral, Anita Malfati e Aldo Bonadei. Segundo a festejada crítica e historiadora de arte, Ruth Sprung Tarasantchi, "Pedro Alexandrino (...) demonstrou ser o artista que, em sua época, a nossa sociedade demandava. Vinha suprir as necessidades dos colecionadores, pois seus quadros, de fácil leitura, satisfaziam os sentidos, não tendo que recorrer à cultura artística que não possuíam. Pintava com realismo objetos e frutas que faziam parte da vida ou das aspirações da sociedade paulistana; por isso, através de sua obra temos uma idéia do nosso meio no fim do século passado e até quase meados deste. Foi ele, mais do que qualquer outro pintor, que nos fez entrever o nosso meio provinciano, de pouca cultura, ao mesmo tempo que pretensioso, procurando afrancesar-se. " in: TARASANTCHI, Ruth Sprung. A vida silenciosa na pintura de Pedro Alexandrino. 1981. Dissertação (Mestrado) - Escola de Comunicações e Artes - ECA/USP, São Paulo, 1981; Artistas Brasileiros - Pedro Alexandrino -Ruth Sprung Tarasanth - Edição EDUSP ,1996; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1039; TEIXEIRA LEITE, pág. 391/2; MEC, vol. 1, pág. 46; ITAU CULTURAL, RUTH TARASANTCHI.

381 - CARLOS FAJARDO - (1941)
Lance Livre

Composição - desenho sobre malha de aço - - 54 x 72 cm - não assinado - .
Com etiqueta de Gabinete de Arte Raquel Arnaud, no dorso. -
Escultor, pintor, gravador, desenhista, professor, artista gráfico, teórico de arte, natural de São Paulo, onde nasceu a 10 de setembro de 1941. Freqüentou o curso de arquitetura na Universidade Mackenzie de São Paulo, entre 1963 e 1972. Estudou pintura, desenho, comunicação visual e história da arte com Wesley Duke Lee entre 1963 e 1964. Participa do Grupo Rex com Wesley Duke Lee, Nelson Leirner, Frederico Nasser, Geraldo de Barros e José Resende. "Seus trabalhos transitam pelos limites da arte, como escreveu Walter Zanini: 'A posição teórica rege incisivamente o comportamento de Carlos Fajardo, interessado em propor uma abertura para outras estruturas de definição de arte. Ele cria novos e delicados relacionamentos entre obra e espectador (...)'." Gabriela S. Wilder, in EM BUSCA da essência: elementos de redução na arte brasileira. Apresentação de Sheila Leirner. Texto de Gabriela S. Wilder. São Paulo: Fundação Bienal, 1987. (XIX Bienal Internacional de São Paulo, 1987). JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 382; ITAUCULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 188; WALTER ZANINI, pag. 735.

382 - GEORGINA DE ALBUQUERQUE - (1885 - 1962)
Lance Livre

Bordando - óleo sobre madeira - - 32 x 27 cm - canto inferior direito - .
Com dedicatória. -
Pintora e professora. Aos 15 anos, inicia sua formação artística com o pintor italiano Rosalbino Santoro (1858 - s.d.). Muda-se para o Rio de Janeiro em 1904, matricula-se na Escola Nacional de Belas Artes - Enba e estuda com Henrique Bernardelli. Em 1906, casa-se com o pintor Lucílio de Albuquerque e viaja para a França. Em Paris, frequenta a École Nationale Supérieure des Beaux-Arts e ainda a Académie Julian, onde é aluna de Henri Royer. Volta ao Brasil em 1911, expõe em São Paulo e, partir dessa data, participa regularmente da Exposição Geral de Belas Artes. De 1927 a 1948, leciona desenho artístico na Enba e, em 1935, é professora do curso de artes decorativas do Instituto de Artes da Universidade do Distrito Federal. Em 1940, em sua casa no bairro de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, funda o Museu Lucílio de Albuquerque, e institui um curso pioneiro de desenho e pintura para crianças. Entre 1952 e 1954, exerce o cargo de diretora da Enba. TEIXEIRA LEITE, págs. 15 e 16; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 22 a 26; TEODORO BRAGA, pág. 107; REIS JR., pág. 370; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs.17 e 141; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 455; ARTE NO BRASIL, pág 574; Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.

383 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
Lance Livre

Composição - desenho a nanquim e aquarela - - 18 x 28 cm - canto inferior direito - 1956.

Grande pintor brasileiro, nascido em Fortaleza, Ceará e falecido em Paris onde viveu a maior parte de sua curta e rica vida. Começando figurativo, num estilo expressionista, adotou, já em França, um não figurativismo lírico, algo à maneira do grande Wols, seu amigo que iria manter até o precoce fim. É um dos pioneiros da arte abstrata no Brasil. BENEZIT, vol.1, pág.415; MEYER/87, pág.606; MEC, vol.1, págs.159,160 e 167; PONTUAL, págs. 48 e 49; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 71 a 74; TEIXEIRA LEITE, pág. 52 a 54; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 599; LEONOR AMARANTE, pág. 34; Acervo FIEO.

384 - INOS CORRADIN - (1929)
Lance Livre

Cristo - óleo sobre tela - - 120 x 70 cm - canto inferior direito - .

Um dos valores da pintura em São Paulo. Corradin expôs com frequência na Europa e nos Estados Unidos, onde seus quadros são muito apreciados. Também tem se dedicado com igual talento e sucesso a escultura. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 152; PONTUAL, pág. 143; MEC, vol. 1, pág. 448; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 215; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

385 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
Lance Livre

Composição - desenho a nanquim - - 23 x 35 cm - canto inferior direito - .

Nasceu em São Paulo e faleceu no Rio de Janeiro. Pintor, paisagista, arquiteto, desenhista, pintor, gravador, litógrafo, escultor, tapeceiro, ceramista, designer de jóias, decorador. Durante a infância viveu no Rio de Janeiro. Foi com a família para a Alemanha, em 1928. Em 1929, freqüentou o ateliê de pintura de Degner Klemn. Nos jardins e museus botânicos de Dahlen, em Berlim, entusiasmou-se ao encontrar exemplares da flora brasileira. De volta ao Brasil, fez curso de pintura e arquitetura na Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1930 - 1934), onde foi aluno de Leo Putz , Augusto Bracet e Celso Antônio. Seu primeiro projeto paisagístico foi para a arquitetura de Lúcio Costa e Gregori Warchavchik, em 1932. Entre 1934 e 1937, ocupou o cargo de diretor de parques e jardins do Recife, PE, onde passou a residir. Nesse período, foi com freqüência ao Rio de Janeiro e teve aulas com Candido Portinari e com o escritor Mário de Andrade. Em 1937, retornou ao Rio de Janeiro e trabalhou como assistente de Candido Portinari. Foi em 1949, conforme sua paixão por plantas e seu interesse por botânica e jardinagem, que Burle Marx adquiriu um sítio em Barra de Guaratiba, RJ. Com auxílio de botânicos, viajou, coletou, catalogou exemplares de plantas do Brasil e reproduziu em seu sítio a diversidade fitogeográfica brasileira. Em 1985 doou esse sítio, com todo o seu acervo, à extinta Fundação Nacional Pró Memória, atual Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN.Realizou muitas exposições individuais e projetos paisagísticos, participou de diversas mostras oficiais coletivas pelo Brasil e no exterior. PONTUAL, PÁG. 94; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 93; MEC. VOL.1, PÁG.303; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG.564; ARTE NO BRASIL, PÁG. 738; LEONOR AMARANTE, PÁG. 98; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 179; artnet.com.

386 - JOSÉ FERRAZ DE ALMEIDA JR. - (1850 - 1899)
Lance Livre

Moça com leque - desenho a lápis - - 15 x 10 cm - canto inferior esquerdo - .

Nasceu em Itú, SP, 8/5/1850, e faleceu, assassinado em Piracicaba, em 13/11/1899. Foi aluno de Vitor Meirelles (pintura) e de Jules Le Chevrel (desenho), a Academia Imperial de Belas Artes, do Rio de Janeiro. Seu curso foi brilhante, tendo obtido 9 premiações. Foi pensionista do Império, aperfeiçoando-se na Europa. Pinta com singular maestria temas ligados ao homem do campo, retratos e paisagens rurais. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 49; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 418; ARTE NO BRASIL, pág. 566; F. ACQUARONE, pág. 89, RUTH TARASANTCHI.

387 - VICTOR MEIRELLES - (1832 - 1903)
Lance Livre

Armas - desenho a nanquim e aquarela - - 9 x 12 cm - canto superior esquerdo - .

Victor Meirelles de Lima (Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis SC 1832 - Rio de Janeiro RJ 1903). Pintor, desenhista, professor. Inicia seus estudos artísticos por volta de 1838, com o engenheiro argentino Marciano Moreno. No ano de 1847, muda-se para o Rio de Janeiro e se matricula na Academia Imperial de Belas Artes - Aiba onde, em 1849, inicia o curso de pintura histórica. Em 1852 ganha o prêmio de viagem ao exterior e no ano seguinte segue para a Itália. Em Roma freqüenta, em 1854, as aulas de Tommaso Minardi (1787 - 1871) e, posteriormente de Nicola Consoni (1814 - 1884), com quem realiza uma série de estudos com modelo vivo. Com a prorrogação da pensão que lhe fora concedida continua sua formação estudando em Paris onde, em 1857, matricula-se na École Superiéure des Beaux-Arts [Escola Superior de Belas Artes], freqüentando as aulas de Leon Cogniet (1794-1880) e, em seguida, recebendo orientações de seu discípulo Andrea Gastaldi (1810-1889). Durante o período em que permanece no exterior corresponde-se com Porto Alegre (1806 - 1879). Retorna ao Brasil em 1861 e, um ano depois, é nomeado professor de pintura histórica da Aiba. Entre os anos de 1869 e 1872 executa duas grandes telas, Passagem do Humaitá e Batalha de Riachuelo. Em 1879 participa da Exposição Geral de Belas Artes, expondo a Batalha dos Guararapes ao lado da Batalha do Avaí de Pedro Américo (1843 - 1905). A apresentação das duas obras gera grande polêmica e um intenso debate no meio artístico. A partir de 1886 passa a se dedicar à execução de panoramas. Entre eles destacam-se: o Panorama Circular da Cidade do Rio de Janeiro, feito na Bélgica, juntamente com Henri Langerock (1830 - 1915) e Entrada da Esquadra Legal no Porto do Rio de Janeiro em 1894, produzida nesse mesmo ano. ITAÚ CULTURAL JULIO LOUZADA vol. 11 pág. 207;

388 - FRANCISCO DA SILVA - (1910 - 1985)
Lance Livre

Pássaros fantásticos - têmpera sobre tela - - 70 x 150 cm - canto inferior direito - 1975.
No estado. -
Natural de Alto Tejo, Acre, foi o pintor FRANCISCO DA SILVA um primitivista, fabulista das lendas amazonenses, ativo no Ceará. Filho de índio peruano com brasileira, fixou-se ainda criança em Fortaleza. Foi descoberto artista em 1943, pelo também artista o suiço Jean Pierre Chabloz, que bancou suas primeiras tintas. O mesmo Jean Pierre, nove anos depois, lança-o em Paris. O crítico Rubens Navarra assim escreveu sobre a obra desse artista acreano: " ... os guaches desse artista indígena são qualquer coisa de muito sério. Esse índio é uma espécie de Dali em estado de natureza. Ao lado do seu surrealismo primitivo, chamemos assim, há um lado arte-aplicada que podia servir excelentemente para ornamentos de cerâmicas , lembrando estampas chinesas de pássaros ou antigos vasos de civilizações passadas." Já André Malraux qualifica-o de " um artista primitivo dentre os maiores do mundo." Expôs individualmente no Brasil a partir de 1943 e em diversas mostras coletivas no exterior, com premiações, destacando-se aquela recebida na XXXIII Bienal de Veneza, 1966. JULIO LOUZADA, vol. 3 pág. 1056; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE; ARTE NO BRASIL, Acervo FIEO; TEIXEIRA LEITE, pág. 478.

389 - JOAQUIM JOSÉ FRANÇA JUNIOR - (1839 - 1890)
Lance Livre

Marinha - óleo sobre cartão - - 8 x 15 cm - canto inferior direito - .
Procedente das coleções: Dr. Waldemar Teixeira de Carvalho - Santos - São Paulo e Dr. Raul Villaboim de Carvalho, Ex Presidente da Sociarte - São Paulo, SP. -
Advogado ilustre, jornalista e teatrólogo de fama, sentiu o fascínio da pintura, tendo freqüentado a Academia Imperial de Belas Artes, à qual abandonou em 1884, acompanhando, na qualidade de discípulo de George Grimm, grande mestre alemão, participando, então, do famoso Grupo Grimm. TEIXEIRA LEITE, pág. 206; JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 137; WALTER ZANINI, pág. 416.

390 - GUSTAVO DALL'ARA - (1865 - 1923)
Base: R$ 8.000,00

Menina - desenho a lápis - - 67 x 53 cm - lado direito - 1906 - Rio de Janeiro -RJ.
Reproduzido no convite deste leilão. -
Pintor italiano, ilustrador e caricaturista. Realizou sua formação artística na Academia de Belas Artes de Veneza, estudando com Villa, Franco Dall'ara e Deslandes. Por volta de 1889, veio radicar-se no Rio de Janeiro, como convidado para ilustrar um dos jornais cariocas da época e também por motivos de saúde. Paisagista e marinhista, dedicou-se a fixar aspectos do Rio antigo. Nogueira da Silva chamou-o o pintor da cidade, "tanto se entregara ele, o bizarro e macambúzio, Gustavo Dall'ara, ao urbanismo pictural da metrópole. MEC, vol. 2, pág. 14; REIS JR., pág. 270; PONTUAL, pág. 157; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 234; Catálogo da Exp. De Paisagem Brasileira - Min. Da Educ. e Saúde - MNBA/Rio/1944 ; LAUDELINO FREIRE, pág. 388; TEODORO BRAGA, pág. 78; TEIXEIRA LEITE, pág. 144; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 84; ITAÚ CULTURAL.; ARTE NO BRASIL, pág. 839.

391 - BRUNO LECHOWSKY - (1889 - 1941)
Lance Livre

Paisagem - aquarela - - 20 x 26 cm - canto inferior direito - 1929.

Natural da Polônia, este grande pintor e professor veio para o Brasil em 1926, fixando-se inicialmente no Paraná, para depois vir a residir de forma permanente no Rio de Janeiro, o qual pintou com todas as cores e luzes. Integrou o Núcleo Bernardelli, onde orientou mestres como Tamaki, Takaoka, e principalmente Pancetti, a quem chegaria a marcar, inclusive nas cores chapadas. TEODORO BRAGA, pág. 139; PONTUAL, pág. 305; MEC, vol. 2, pág. 465; TEIXEIRA LEITE, pág. 281/282; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 449; ARTE NO BRASIL, pág. 764.

392 - ADRIANO GAMBIM - (1983)
Lance Livre

"O trabalhador rural" - xilogravura - 14/20 - 50 x 35 cm - canto inferior direito - 2007.

Pintor, desenhista, gravador e professor. Sua formação artística foi na IMESP e UNESP, São Paulo. Realizou exposições individuais em Guarulhos (2008, 2009, 2010) e tem participado de várias mostras coletivas e Salões individuais, destacando-se: Guarulhos, SP (2007 a 2011); Ribeirão Preto, SP (2010); Santo André, SP (2010); Santos, SP (2011); Ceará (2012); Espanha (2005 a 2008); México (2009); Itália (2007, 2009); Romênia (2007, 2010). Foi premiado em: Guarulhos, SP (2007 a 2009, 2011); Mairiporã, SP (2011); Espanha (2011); Araraquara, SP (2012); Araras, SP (2012).

393 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
Lance Livre

Pescadores - desenho a nanquim - - 27 x 20 cm - canto inferior direito - 1934.

Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo (Rio de Janeiro RJ 1897 - idem 1976). Pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Inicia sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, reside em São Paulo, onde freqüenta o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons (1865 - 1939). Convive com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Mário de Andrade (1893 - 1945), Guilherme de Almeida (1890 - 1969), entre outros. Em 1921, ilustra A Balada do Enforcado, de Oscar Wilde (1854 - 1900), e publica o álbum Fantoches da Meia-Noite, editado por Monteiro Lobato (1882 - 1948). É o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expõe 12 obras. Em 1923, faz sua primeira viagem à França, onde atua como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, freqüenta a Academia Ranson, instala ateliê e conhece obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso (1881 - 1973), Georges Braque (1882 - 1963), Fernand Léger (1881 - 1955), Henri Matisse (1869 - 1954), Jean Cocteau (1889 - 1963) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta a São Paulo em 1926, trabalha como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. A estada em Paris marca um novo direcionamento em sua obra. Em 1938 viaja a Paris, onde trabalha na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retorna ao Brasil em 1940, trabalha como ilustrador, e publica poemas e memórias de viagem. Em 1972, seu álbum 7 Xilogravuras de Emiliano Di Cavalcanti é editado pela Editora Chile. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.

394 - IBERÊ CAMARGO - (1914 - 1994)
Base: R$ 12.000,00

Carretéis - técnica mista - - 30 x 45 cm - canto inferior esquerdo - 1975.

Natural da cidade de Restinga Seca, RS, e falecido na capital gaúcha. Foi aluno de Salvador Parlagreco e João Fahrion. No Rio de Janeiro, a partir de 1942, estudou pouco tempo na Escola Nacional de Belas Artes, trocando-a pelos ensinamentos de Guignard. Recebeu o prêmio viagem ao estrangeiro em 1947, na Divisão Moderna do Salão Nacional de Belas Artes. Morou dois anos em Paris e Roma, aperfeiçoando-se com De Chirico, Lhote, Achille e Rosa em pintura e Petrucci em gravura. Foi considerado o Melhor Pintor Nacional na VI Bienal de São Paulo, em 1961. MEC, vol.1, pág.328 e 329; WALMIR AYALA, vol.1, pág.156 a 158; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.51; TEIXEIRA LEITE, pág.101; PONTUAL, pág.100 e 101; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 573; ARTE NO BRASIL, pág. 853; LEONOR AMARANTE, pág. 127.

395 - RICARDO CIPICCHIA - (1908 - XX)
Lance Livre

Pescador - entalhe em madeira - - h = 28 cm - base - .

Escultor e professor, residiu em São Paulo, onde estudou no Liceu de Artes e Oficios. Trabalhou como entalhador, retratando tipos populares e lendas. Realizou individual no Rio de Janeiro em 1939. Recebeu diversas premiações nos salões oficiais: SPBA 1953; Prefeitura do Município de SP 1934, 1941, etc. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 272

396 - RUBEM LUDOLF - (1932 - 2010)
Lance Livre

Composição - desenho a nanquim - - 30 x 24 cm - canto inferior direito - 1947/58.
Ex coleção Noel Grimberg - Rio de Janeiro. -
Batizado Rubem Mauro Cardoso Ludolf, o artista nasceu em Maceió-AL. Foi pintor, arquiteto e paisagista, formou-se em 1955 pela Escola Nacional de Arquitetura da Universidade Brasil-RJ. Foi aluno de Ivan Serpa no curso livre de pintura do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ. Integrou o Grupo Frente entre 1955 e 1956. "Apesar de os artistas concretos do Rio de Janeiro logo terem se desvinculado da ortodoxia do Grupo Ruptura de São Paulo, criando o movimento neoconcreto, Ludolf manteve-se fiel aos princípios teóricos que nortearam o manifesto paulista. Sua obra seguiu regularmente as questões das estruturas seriadas,dos efeitos ópticos orientados pela visão gestáltica do espaço, da cor programada." Ligia Canongia, in PROJETO Arte Brasileira: abstração geométrica 2. Rio de Janeiro: Funarte. Instituto Nacional de Artes Plásticas, 1988. O artista expõe individualmente a partir de 1958 e coletivamente participa de exposições desde 1954. ITAUCULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 292; WALTER ZANINI, pág. 676; MEC, vol. 2, pág. 511.

397 - JUAREZ MACHADO - (1941)
Lance Livre

O afinador - desenho a nanquim e aquarela - - 43 x 30 cm - centro inferior - .

Nasceu em Joinville, SC. Atualmente reside e trabalha em Paris, França, onde mantem ateliê. Pintor, escultor, desenhista, caricaturista, jornalista, cenógrafo, escritor e ator. Desenvolveu sólida carreira como desenhista de charges de humor. Sua arte essencialmente criativa, vai do lirismo à violência, da análise microscópica ao extravasamento onírico. Entre as exposições de que participa, destacam-se: 9ª Bienal Internacional de São Paulo, 1967; Zona Gallery, Nova Iorque (Estados Unidos), 1981; Retrospectiva Quatro Artistas da Geração 60, no MAC/PR, Curitiba, 1987; Châteaux Bordeaux, no Centro Georges Pompidou, Paris, 1988; Retrospectiva, no MAC/Joinville, 1990; Arte na América Latina: 100 Anos de Produção, no Instituto Estadual de Artes Plásticas da UFRGS, Porto Alegre, 1996. "Juarez Machado expõe a natureza humana, olha, registra, interpreta, ilumina, focaliza. É o mundo dos humanos, mas não é o mundo do juiz dos homens. Aqui não estamos no Juízo Final. Juarez é o artista contemporâneo, ele tem este olhar elaborado pela ciência, o grau de consciência reflexiva. Podemos dizer deste ponto de vista, que esta obra humanística e esta atitude de intensa pesquisa confere ao seu trabalho um caráter anti-medieval." Jacob Klintowitz in: "Juarez Machado - Copacabana 100 Anos, Ed. Simões de Assis, 1992." JULIO LOUZADA vol.11, pág. 186; PONTUAL, pág.284; Acervo FIEO; ITAU CULTURAL; MEC, vol. 3; TEIXEIRA LEITE, pág. 298. Acervo FIEO.

398 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
Lance Livre

Figuras - óleo sobre tela - - 52 x 35 cm - canto inferior esquerdo - .

Pintor nascido na Itália. Mecatti radicou-se no Brasil em 1940, após trabalhar por vários anos na Tripolitânia, no norte da África. É notável pela estilização de suas figuras e paisagens concebidas, em tons baixos e obedientes a uma composição pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 161/2; MEC, vol. 3, pág. 109; PONTUAL, pág. 352; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 72; TEIXEIRA LEITE, pág. 320; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

399 - BERNARD BUFFET - (1928 - 1999)
Lance Livre

Paisagem - litografia - - 50 x 60 cm - centro inferior - .

Pintor, desenhista, gravador, ilustrador e cenógrafo nascido em Paris e falecido em Tortour, Var - França. Com 15 anos (1943) estudou desenho com M. Darfeuille e entrou para a Escola Nacional Superior de Belas Artes onde estudou por dois anos. Em 1946 começou a participar de mostras oficiais, em 1947 realizou sua primeira individual e em 1948 recebeu seu primeiro prêmio. A primeira retrospectiva de seu trabalho se deu na Galeria Charpentier, Paris (1958). Realizou muitas exposições individuais e retrospectivas pelo mundo, além de várias ilustrações para livros e decorações para espetáculos. BENEZIT VOL. 2, PÁG. 381; museebernardbuffet.com; artnet.com; artprice.com.

400 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
Lance Livre

"Composição" - vinil encerado sobre tela - - 65 x 100 cm - dorso - 10/11/1975.
Com etiqueta de Paulo Figueiredo Galeria de Arte - São Paulo, SP, no dorso. -
Desenhista, gravador, pintor, ilustrador, cenógrafo, roteirista e designer gráfico que nasceu em Santa Maria da Boca do Monte, RS e faleceu no Rio de Janeiro. Assina Scliar. Estudou com Gustav Epstein, em Porto Alegre, em 1934. Participou, em 1938, da fundação da Associação Riograndense de Artes Plásticas Francisco Lisboa. Entre 1939 e 1947, residindo em São Paulo, integrou a Família Artística Paulista - FAP. No Rio de Janeiro, escreveu e dirigiu em 1944 o documentário 'Escadas', sobre os pintores Arpad Szenes e Vieira da Silva com os quais conviveu desde 1941. Convocado pela Força Expedicionária Brasileira - FEB, participou da Segunda Guerra Mundial, na Itália. Morando em Paris de 1947 a 1950, cursou gravura com Galanis na Escola de Belas Artes e teve contato com o gravador mexicano Leopoldo Méndez. De volta ao Brasil, fundou com Vasco Prado o Clube de Gravura de Porto Alegre. Em 1956, passou a viver no Rio de Janeiro. Foi diretor do departamento de arte da revista 'Senhor' entre 1958 e 1960. Fundou a editora Ediarte, em 1962, com os colecionadores Gilberto Chateaubriand, Michel Loeb, Carlos Nicolaievski e o pintor José Paulo Moreira da Fonseca. Realizou durante toda sua vida exposições individuais e participou de inúmeras coletivas e Salões oficiais, recebendo muitos prêmios. Também foram realizadas várias exposições póstumas. MEC VOL.4, PÁG. 214; TEODORO BRAGA, PÁG. 66; WALMIR AYALA VOL.2, PÁG. 306 a 309; PONTUAL, PÁG. 479 e 480; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG.884; VOL.2, PÁG. 925; VOL.13, PÁG. 305; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 587; ARTE NO BRASIL, PÁG. 798; RGS, PÁG. 442; ACERVO FIEO.

401 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
Lance Livre

Florista - monotipia - - 50 x 35 cm - canto inferior esquerdo - 1971-Barra do Sahy-SP.

Pintor e desenhista figurativo, integrou o Grupo Santa Helena, juntamente com Volpi, Zanini e outros, e foi um dos organizadores e expositores do I Salão da Família Artística Paulista; suas figuras seguem a disciplina cubista da organização do espaço, destacando-se uma série de Músicos; dedicou-se a pinturas murais e à ilustração de obras literárias. MEC, vol. 2, pág. 280; PONTUAL, pág. 247/8; TEIXEIRA LEITE, pág. 225 a 227; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 784; LEONOR AMARANTE, pág. 58; Acervo FIEO.

402 - BENEDITO CALIXTO DE JESUS - (1853 - 1927)
Lance Livre

Veleiro - desenho a nanquim e aguada - - 26 x 19 cm - canto inferior direito - .

Pintor, professor, historiador, ensaísta, nascido em Conceição de Itanhaém, SP e falecido em São Paulo. Transferiu-se para Brotas, SP, onde adquiriu noções de pintura com o tio Joaquim Pedro de Jesus, ao auxiliá-lo na restauração de imagens sacras de uma igreja local. Realizou sua primeira individual em São Paulo, no ano de 1881. Fixou-se por algum tempo em Santos e depois de ter executado a decoração do Teatro Guarani, partiu para Paris em 1883, estudando na Academia Julian e no ateliê de Jean François Raffaëlli. Retornou ao Brasil em 1885 e passou a residir em São Vicente. Produziu inúmeras marinhas em que representa o litoral paulista; realizou diversos painéis de temas religiosos para igrejas na capital e interior do Estado de São Paulo; pintou vistas de antigos trechos das cidades de São Paulo, Santos e São Vicente para o Museu Paulista da Universidade de São Paulo, por encomenda do diretor do museu o historiador Afonso d´Escragnolle Taunay. Dedicou-se também a estudos históricos da região e à preservação de seu patrimônio e publicou, entre outros, os livros 'A Vila de Itanhaém' (1895) e 'Capitanias Paulistas' (1924). Existem obras suas nos acervos de diversos museus brasileiros. TEODORO BRAGA PÁG. 51; REIS JR PÁG. 214; LAUDELINO FREIRE PÁG. 387; PONTUAL PÁG. 68/69; MEC VOL.1, PÁG. 326/327; WALMIR AYALA VOL.1, PÁG.153; MAYER/83 PÁG. 601; TEIXEIRA LEITE PÁG. 97; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 505; ARTE NO BRASIL PÁG. 599, RUTH TARASANTCHI; JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 172.

403 - MIRA SCHENDEL - (1918 - 1988)
Lance Livre

Composição - desenho a carvão - - 30 x 20 cm - canto inferior direito - 1965.
Ex coleção Noel Grinberg - Rio de Janeiro, RJ. -
Suíça, Mira imigrou para o Brasil em 1949, fixando-se inicialmente em Porto Alegre, onde fez pinturas e esculturas em cerâmica, nas quais assinava Mirra Hargesheimer, seu nome de solteira.. Realizou a sua primeira exposição individual, em 1952. Expôs em 1954 em São Paulo (MAM), para onde se transferiu. Participou de diversos salões, tais como o SPAM e Bienais de São Paulo, Córdoba e Veneza, obtendo premiações. A principio exclusivamente desenhista, com a utilização de signos, índices e símbolos, dedicou-se posteriormente à pintura, dentro da vertente minimalista que norteou toda a sua carreira. TEIXEIRA LEITE, pág. 464; JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 304; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 688; LEONOR AMARANTE, pág. 187.

404 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
Lance Livre

Capa da revista "O Cruzeiro" - desenho a nanquim, aquarela e guache - - 37 x 26 cm - canto inferior esquerdo - .

Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista. Realizou mais de cem mil desenhos, não se conhecendo um único ruim. Observador arguto, retratou com maestria e humor o cotidiano de sua cidade natal, da qual, consta, ausentou-se por duas únicas ocasiões. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646.

405 - UBI BAVA - (1905 - 1988)
Lance Livre

Florista - óleo sobre tela - - 66 x 54 cm - canto inferior direito - 1946.

Natural da cidade paulista de Santos. Faleceu em São Paulo. Arquiteto, professor e pintor. Foi aluno de Lucilio de Albuquerque e de Henrique Cavalleiro. Foi professor de desenho artístico da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, FAU/UFRJ. Entre as exposições de que participa, destacam-se: Salão Nacional de Belas Artes - Divisão Moderna, Rio de Janeiro, 1949; Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1951 e 1975; Salão Preto e Branco (3º Salão Nacional de Arte Moderna), Rio de Janeiro, 1954; Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP, São Paulo, 1976. Após sua morte, suas obras participam da seguintes exposições: Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal de São Paulo, 1994; Espelho da Bienal, no MAC/Niterói, 1998. Segundo TEIXEIRA LEITE "Ubi Bava pode ser considerado um precursor e um pioneiro de certo tipo de pintura que tem nos efeitos óticos e nos recursos cinéticos sua razão maior de ser. Introduzindo em suas superfícies espelhos, ao mesmo tempo introduz, no cerne mesmo de sua obra, a imagem refletida do espectador. Também fez uso de tubos de plástico e de movimentos mecanicamente produzidos, subordinando todos esses elementos a uma evidente vontade construtivista. Em certo momento de sua evolução, o que produzia tinha certo parentesco com o concretismo..." TEIXEIRA LEITE; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 5 pág. 98; WALTER ZANINI, pág. 676; LEONOR AMARANTE; ARTE NO BRASIL, pág. 933.

406 - FANG, CHEN KONG - (1931)
Lance Livre

Composição - óleo sobre tela - - 83 x 67 cm - canto inferior esquerdo - 1980.

Pintor, desenhista e gravador. Ativo em São Paulo, estudou com Y. Takaoka; expôs nos Salões de Belas Artes de São Paulo e do Rio de Janeiro, obtendo diversas premiações. Tem obras em coleções particulares e na Pinacoteca de São Paulo. MEC, vol. 2, pág. 124; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 366; TEIXEIRA LEITE, pág. 189; PONTUAL, pág. 201.; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

407 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
Lance Livre

Figura feminina - escultura em bronze - - h = 46 cm - base - .

Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.

408 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
Base: R$ 20.000,00

Igreja de Congonhas do Campo - desenho a lápis - - 27 x 39 cm - canto inferior direito - 1947 - Congonhas - MG.
Com etiqueta de Irineu Angulo, Leiloeiro Oficial, no dorso. -
Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo (Rio de Janeiro RJ 1897 - idem 1976). Pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Inicia sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, reside em São Paulo, onde freqüenta o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons (1865 - 1939). Convive com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Mário de Andrade (1893 - 1945), Guilherme de Almeida (1890 - 1969), entre outros. Em 1921, ilustra A Balada do Enforcado, de Oscar Wilde (1854 - 1900), e publica o álbum Fantoches da Meia-Noite, editado por Monteiro Lobato (1882 - 1948). É o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expõe 12 obras. Em 1923, faz sua primeira viagem à França, onde atua como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, freqüenta a Academia Ranson, instala ateliê e conhece obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso (1881 - 1973), Georges Braque (1882 - 1963), Fernand Léger (1881 - 1955), Henri Matisse (1869 - 1954), Jean Cocteau (1889 - 1963) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta a São Paulo em 1926, trabalha como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. A estada em Paris marca um novo direcionamento em sua obra. Em 1938 viaja a Paris, onde trabalha na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retorna ao Brasil em 1940, trabalha como ilustrador, e publica poemas e memórias de viagem. Em 1972, seu álbum 7 Xilogravuras de Emiliano Di Cavalcanti é editado pela Editora Chile. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.

409 - LIVROS -
Lance Livre

- - - cm - - .
1) "LUÍS MARTINS: UM CRONISTA DE ARTE EM SÃO PAULO NOS ANOS 1940", ANA LUISA MARTINS, JOSÉ ARMANDO PEREIRA DA SILVA (ORG.). SÃO PAULO: MUSEU DE ARTE MODERNA DE SÃO PAULO, 2009. 2) "CAMINHOS DE SANTIAGO: ARTE NO PERÍODO ROMÂNICO EM CASTELA E LEÃO. ESPANHA", JUAN VICENTE HERRERA ET AL. JUNTA DE CASTILLA Y LEÓN, 2007. 3) "MILTON DACOSTA", LUÍS SÈVE, LUCIANA SÈVE ET AL. RIO DE JANEIRO: GALERIA DE ARTE IPANEMA, 2005. 4) "MARIA LEONTINA", CRISTINA BURLAMAQUI. RIO DE JANEIRO: GALERIA DE ARTE IPANEMA, 2012. 5) "O PALÁCIO DO CAFÉ", GINO CALDATTO ET AL. SÃO PAULO: MAGMA CULTURAL E EDITORA, 2004. 6) "MEL BOCHNER". RIO DE JANEIRO: CENTRO DE ARTE HÉLIO OITICICA, 1999.

410 - CARLOS OSWALD - (1882 - 1971)
Base: R$ 15.000,00

"Jesus entre os doutores" - óleo sobre tela - - 81 x 100 cm - canto inferior direito - .
Reproduzido no convite deste leilão e no livro "Primores da Pintura no Brasil" de autoria de F. Acquarone e A. de Queiroz Vieira. -
Gravador e pintor, ativo no Rio de Janeiro, estudou na Europa; foi o primeiro a fazer gravura em metal com finalidade artística; dedicou-se a temas religiosos, paisagens, cenas de gêneros e retratos. PONTUAL, pág. 397; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1053; ITAÚ CULTURAL.; WALTER ZANINI, pág. 446; Acervo FIEO.

411 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
Lance Livre

Gato vermelho - acrílico sobre tela - - 60 x 80 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 2003 - São Paulo, SP.
Com certificado de autenticidade emitido pelo Estúdio Aldemir Martins. -
Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

412 - JOAQUIM DA ROCHA FERREIRA - (1900 - 1965)
Lance Livre

Volta do trabalho - óleo sobre tela - - 126 x 121 cm - canto inferior direito - São Paulo - SP.
Ex coleção José Adolpho da Silva Gordo - São Paulo, SP. -
Nascido e falecido na cidade de São Paulo, onde foi ativo pintor e professor. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo e na antiga Escola Nacional de Belas Artes-RJ, onde foi aluno de Lucílio de Albuquerque. Naquela cidade expôs no SNBA, conquistando várias premiações, inclusive a de viagem ao exterior, em 1936, com a tela Capitu. Na Europa especializou-se em mosaico, técnica que utilizou na obra São Sebastião, do acervo da PINACOTECA-SP. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 380; PONTUAL, pág. 208, Acervo FIEO.

413 - RENINA KATZ - (1925)
Lance Livre

Cabeça de homem - monotipia - - 23 x 16 cm - canto inferior direito - 1947.
Reproduzido sob o nº 170 em catálogo de leilão de Evandro Carneiro, Rio de Janeiro - RJ, realizado nos dias 19 e 20 de outubro de 2004. -
Pintora, gravadora e professora, Renina Katz é paulista. Sua arte é dominada pelo vigor e pela imaginação. MEC vol.2, pág.403/4; PONTUAL, pág. 288/9; WALMIR AYALA vol.1, pág.441; JULIO LOUZADA vol.11, pág.262; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 606; ARTE NO BRASIL, pág. 834; LEONOR AMARANTE, pág. 98, Acervo FIEO.

414 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
Lance Livre

Família de cangaceiros - desenho a nanquim - - 17 x 13 cm - centro inferior - .
Com a seguinte inscrição: "Feliz Natal e Ano ótimo". Esta obra foi presenteada pelo autor ao pintor Aldemir Martins. -
Desenhista, gravador, pintor e escultor, radicado na Bahia. Sua arte é lírica, de boa técnica, baseada no povo, que lhe forneceu o melhor da sua temática. PONTUAL, pág. 116; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 180 e 181; TEIXEIRA LEITE, págs. 111 e 112; MEC, vol.1, pág. 355; BENEZIT, vol. 2, pág. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717;ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

415 - DJANIRA DA MOTTA E SILVA - (1914 - 1979)
Lance Livre

Garimpeiros - técnica mista - - 17 x 21 cm - canto inferior direito - .

Pintora, desenhista e gravadora, natural de Avaré, SP. Foi aluna de Marcier. A partir de 1942 participa do SNBA, recebendo premiação em 1943, 1944 e 1950. Realizou exposições individuais. Participou de diversas coletivas e salões de arte, nacionais e internacionais, com excelente recepção da crítica especializada. Diz-se que sua pintura é ingênua, mas ela declarava que ingênua, era ela mesma. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 336; PONTUAL, pág. 181; TEIXEIRA LEITE, pág. 164; MEC, vol. 2, pág 58; WALMIR AYALA, vol. 1, pág, 263; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 810; ARTE NO BRASIL, pág. 824; Acervo FIEO.

416 - PEDRO WEINGÄRTNER - (1856 - 1929)
Lance Livre

Banho de lagoa - gravura - - 15 x 19 cm - canto inferior direito - 1919 - Roma.

Pintor gaúcho de origem alemã, Weingärtner estudou no Brasil, Alemanha e Itália, residindo por longos anos na Europa. Ao retornar ao Brasil, dedicou-se a temática gauchesca, que lhe motivou os trabalhos mais sensíveis. Um dos pioneiros da gravura de arte no Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 343; BENEZIT, vol. 10, pág. 675; TEODORO BRAGA, pág. 246; REIS JUNIOR, pág. 220/224; MEC, vol. 4, pág. 506/507; LAUDELINO FREIRE, pág. 386; PONTUAL, pág. 551/552; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 438/439; MAYER/84, pág. 1268; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 443; ARTE NO BRASIL, pág. 560; RGS, pág. 402; PEDRO WEINGÄRTNER;

417 - INÁCIO RODRIGUES - (1947)
Lance Livre

"Transfiguraçação ecológica" - acrílico sobre tela - - 50 x 60 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 2012.

Pintor e desenhista cearense, natural de Fortaleza, fixou-se em 1966 no Rio de Janeiro. Participou do SNAM-RJ em 1968 e 1975, recebendo neste último, o prêmio de viagem ao País. JULIO LOUZADA , VOL, 12, pág 345. TEIXEIRA LEITE, pág, 450. WALMIR AYALA, VOL, 2, pág, 259; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

418 - JOSÉ DE OLIVEIRA MACAPARANA - (1952)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre tela colada em madeira - - 21 x 46 cm - canto inferior direito e dorso - .

Escultor, autodidata, o artista é natural de Macaparana, PE, sendo filho e neto de marceneiros. Faz sua primeira exposição individual na Galeria Empetur em 1970, no Recife. Entre 1972 e 1973, reside no Rio de Janeiro; depois muda-se para São Paulo. Entre as mostras de que participa, destacam-se: IV Bienal Ibero-Americana de Arte, Cidade do México, 1984 (Artista Convidado); Salão de Arte Contemporânea, São Paulo, 1986; MAC - 25 Anos, no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, 1988; Bienal Internacional de São Paulo 1991; Tendências Construtivas no Acervo do MAC/USP, no Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro, 1996. JULIO LOUZADA, vol. 9 pág. 509; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

419 - ASCÂNIO MMM - (1941)
Lance Livre

"Placas quadrada e triangular" - múltiplo em madeira - 11/20 - 53 x 53 x 3 cm - dorso - 1981.

Escultor, pintor. Reside no Rio de Janeiro desde 1959. Freqüenta a Escola Nacional de Belas Artes - Enba, de 1963 a 1965. Nessa época, desenvolve os primeiros trabalhos de escultura, utilizando sólidos geométricos de madeira. Na metade dos anos 1960, mantém ateliê com colegas da Enba, entre eles Antonio Manuel (1947) . Conclui o curso da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro - FAU/UFRJ, em 1970. Trabalha como arquiteto até 1976. No inicio dos anos 1970, emprega ripas de madeira, organizadas em progressões verticais e horizontais, e cria as caixas lúdicas, espécie de bases de madeira, sobre as quais o espectador pode deslocar molduras vazadas, em formato quadrado, intercaladas, e de tamanhos decrescentes. Utiliza acrílico e perfis de alumínio anodizado (tubos retangulares) para criar as caixas e os múltiplos, desde os anos 1970. No fim da década seguinte, realiza as primeiras Piramidais, esculturas que apresentam deslocamentos graduais das ripas de madeira ou dos tubos de alumínio, gerando vazios internos. Em 2005, é lançado o livro Ascânio MMM, pela editora Andrea Jakobsson, com textos de Paulo Sergio Duarte, Marcio Doctors, Lauro Cavalcanti e Fernando Cocchiarale. ITAÚ CULTURAL.

420 - JOAQUIM TENREIRO - (1906 - 1992)
Base: R$ 8.000,00

"Ciclistas" - técnica mista - - 62 x 62 cm - dorso - 1965.
Complemento de técnica: obra executada em massa pintada e pregos sobre madeira. Reproduzido no convite deste leilão. -
Português da cidade de Melo, Serra da Estrela, foi discípulo do Núcleo Bernardelli e de Quirino Campofiorito, no Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência definitiva no Brasil no ano de 1929. Fez o Curso de Desenho do Liceu Português, onde conquista o prêmio Joaquim Alves Meira, a maior láurea daquele estabelecimento. Tem pinturas suas figurando no MAM-SP, no MNBA e Museu Manchete-RJ. Mário Barata escreve a seu respeito: " Depois de uma fatura limpa, de acabamento preciso e claro, Tenreiro, mesmo prosseguindo com certo rigor estilistico, cedeu, ultimamente, 'a tentação das densidades de matéria e ao cromatismo baixo, 'as vezes terroso, cinza, que o informal bastante generalizou." É o renovador do mobiliário brasileiro, responsável por toda uma linha de criação em que a funcionalidade se alia o bom gosto e o aproveitamento racional dos materais do País. MEC, vol.4, págs.381 E 382; PONTUAL, pág.520,; TEIXEIRA LEITE, pág.504; WALMIR AYALA, vol.2, pág.376 e 377 ; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.320; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 580; ARTE NO BRASIL, pág. 763.

421 - ALBERTO DA VEIGA GUIGNARD - (1896 - 1962)
Lance Livre

Ouro Preto - desenho a nanquim - - 28 x 20 cm - canto inferior direito - .

Pintor, desenhista, gravador e professor. No dizer de Rodrigo de Melo Franco de Andrade, no álbum de reproduções da obra do artista, em 1967: "Quando Guignard voltou da Europa, para onde tinha ido menino, só regressando com mais de 30 anos, redescobriu o Brasil, tomado de uma ternura e de uma admiração comovidas que conservou até os seus últimos dias. Toda a obra que produziu, desde então, ficou impregnada da emoção e da poesia sentidas naquele reencontro com a terra natal." PONTUAL, pág. 254 a 256; MEC, vol. 2, pag. 304; TEIXEIRA LEITE, pág. 236 a 240 ; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 404; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 1013; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 373/375/377; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 559; ARTE NO BRASIL, pág. 505; LEONOR AMARANTE, pág. 28.

422 - GIUSEPPE PERISSINOTTO - (1881 - 1965)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre madeira - - 21 x 35 cm - canto inferior direito - 1919.

Nascido em Musile, Veneza, Itália, veio para o Brasil ainda criança e cuja família radicou-se no interior de São Paulo. Fez estudos de pintura na Academia de Belas Artes de Veneza, para onde retornou aos dezoitos anos, prosseguindo para Florença e demais centros de arte da Itália onde se aperfeiçoou; retornou a cidade de São Paulo em 1912, dedicando-se exclusivamente a sua pintura que sempre teve como tema paisagens, marinhas naturezas mortas e figuras. Expôs em várias capitais do Brasil, com sucesso de crítica e público; foi um dos idealizadores do SPBA, ao lado de Souza Pereira e outros. ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.

423 - FARNESE DE ANDRADE - (1926 - 1996)
Base: R$ 12.000,00

Composição com diversos elementos - assemblage - - 75 x 21 x 9 cm - dorso - 1980.

Mineiro de Araguari. Pintor e gravador. Foi discípulo de Guignard, e se tornou destacado aluno pela sua criatividade. Mais tarde mudou-se para o Rio de Janeiro, onde aperfeiçoou-se no curso de Friedlander no MAM. No principio suas obras eram compostas de objetos que eram devolvidos pelo mar, bonecos mutilados e corroídos, madeiras e imagens de gesso. Com o passar do tempo, desenvolveu seu processo de criação, voltando-se para as suas raízes, memórias, tabus familiares e morais. Assim, chegou aos " bric-à-bracs" , antiquários, o kitsch e o sacral. JULIO LOUZADA vol.1B, pág. 64.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 760; ARTE NO BRASIL, pág. 911; Acervo FIEO.

424 - JOÃO BAPTISTA CASTAGNETO - (1862 - 1900)
Lance Livre

Vapor - aguada - - 15 x 20 cm - canto inferior direito - .

Pintor especializado em marinhas, foi aluno de Georg Grimm, exímio colorista, fez impressionismo institivamente; pintou em geral pequenos quadros a óleo, usando como suporte até tampas de caixas de charuto; fez também aquarelas e desenhos. MEC vol.1, pág. 368; PONTUAL, págs. 117/118; TEIXEIRA LEITE, pág. 112; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 416; LEONOR AMARANTE, pág. 42.

425 - NORBERTO NICOLA - (1930 - 2007)
Lance Livre

Composição - tapeçaria - - 250 x 130 cm - canto inferior direito - .
Com etiqueta do Atelier Douchez - Nicola - São Paulo, SP, no dorso. -
Pintor e tapeceiro. Foi aluno de pintura de Samson Flexor, no Atelier Abstração, em 1954. Em 1959, estudou nos centros tapeceiros europeus e cria, com Jacques Douchez, o Ateliê Douchez-Nicola de Tapeçaria. Entre as exposições de que participou, destacam-se: Salão Paulista de Arte Moderna, São Paulo, de 1956 a 1960 (várias vezes premiado); Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1963 e 1975; Mostra de Tapeçaria Brasileira, no MAB/Faap, São Paulo, 1974 (1º prêmio); Trienal de Tapeçaria, no MAM/SP, 1979 (Hors Concours); Arte Plumária do Brasil, no Smithsonian Institute e no Museu de Antropologia, Washington (Estados Unidos) e Cidade do México, México, 1982; Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal, São Paulo, 1994. JULIO LOUZADA vol, 4 pág, 800; MEC, vol, 3, pág, 261 e 262; WALMIR AYALA, vol 2, pág, 132; TEIXEIRA LEITE, pág 354. PONTUAL, pág, 384; ITAÚ CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 207.

426 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
Lance Livre

Flautista - escultura em bronze - - h = 60 cm - base - .
Ex coleção Eduardo Mori - Rio de Janeiro, RJ. -
Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.

427 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
Lance Livre

Composição - xilogravura - - 26 x 33 cm - canto inferior esquerdo - .

Paulista de Araraquara, Lívio foi exímio gravador, desenhista, pintor, jornalista e professor. Autodidata, executou suas primeiras gravuras em madeira por volta de 1926. Sofreu influência de Lasar Segall, focalizando desde então de modo expressionista tipos e paisagens dos subúrbios paulistanos, inclusive temas de caráter social, como indicou Sérgio Milliet em sua obra de 1940. O autor, certa feita, assim falou de si próprio: "Geralmente persisto em um mesmo motivo por longo tempo: trabalho-o até que me pareça haver esgotado todas as possibilidades que ele oferece. Jamais pensei em fazer 'paisagens'. O que procuro é interpretar o sentido e a problemática da natureza de uma terra, a força dos sentimentos que ela provoca em mim, e assim, quanto mais de acordo com a minha própria natureza, tanto mais imediata surge a interpretaçãop plástica, como sucedeu, por exemplo, com meu 'encontro' com as 'arquiteturas' da realidade íntima da terra paraguaia. PONTUAL, pág. 1, JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 19; MEC vol.1, pág. 33; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 795; LEONOR AMARANTE, pág. 28; Acervo FIEO.

428 - DÉCIO VIEIRA - (1922 - 1988)
Lance Livre

Composição - têmpera sobre tela colada em eucatex - - 41 x 24 cm - dorso - .

Este importante artista brasileiro nasceu em Petrópolis-RJ e faleceu na cidade do Rio de Janeiro, onde residiu e foi ativo. Foi orientado por Axl Leskoschek e Fayga Ostrower. Participou da I Exposição Nacional de Arte Abstrata-RJ, que idealizou juntamente com Ivan Serpa. Integrou diversos movimentos: Grupo Frente (1954), concreto (1956) e neoconcreto (1959). Participou do SNAM-RJ nos anos de 1949 a 1964, e da Bienal de São Paulo, nas versões do período de 1953 a 1967, e 1987. Segundo Max Bill, Décio Vieira figura entre os grandes da arte concreta mundial. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 1107.

429 - CLODOMIRO AMAZONAS - (1893 - 1953)
Lance Livre

Ipê amarelo - óleo sobre madeira - - 23 x 30 cm - canto inferior esquerdo - 1924.

Clodomiro Amazonas Monteiro, nasceu em Taubaté-SP, e faleceu na Capital-SP. Pintor e restaurador, iniciou-se em pintura aos 16 anos, realizando restaurações em telas e afrescos do Convento Santa Clara, em Taubaté. Fixa residência em São Paulo em 1906, quando entra em contato com a obra de Baptista da Costa e tem aulas com o pintor Carlo de Servi. Manteve contato com intelectuais, escritores e artistas como Monteiro Lobato, Menotti del Picchia, Lucílio e Georgina de Albuquerque e também Pedro Alexandrino, entre outros. É um dos fundadores do Salão Paulista de Belas Artes, em 1934. Amazonas foi artista de méritos, cuja pintura, vazada num desenho de grande solidez, e um colorido realista, não deixa de irradiar certa rústica poesia. MEC, vol. 1, pág. 75; TEIXEIRA LEITE, pág. 26; PONTUAL, pág. 24; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 42; TEODORO BRAGA, pág. 72; ITAU CULTURAL, RUTH TARASANTCHI.

430 - ANTONIO FERRIGNO - (1863 - 1940)
Base: R$ 12.000,00

Praia de São Vicente - óleo sobre tela - - 30 x 37 cm - canto inferior direito - S Paulo.
Reproduzido no convite e na quarta capa do catálogo deste leilão, também reproduzido sob o nº 67 em catálogo de leilão da Bolsa de Arte do Rio de Janeiro, RJ - realizado em 31de agosto de 1999. -
Representou com maestria a chamada Escola de Amalfi. Estudou com Di Chirico e Morelli. Expôs em 1882 em Nápoles, imigrando para o Brasil em 1892, permanecendo em São Paulo até 05, quando retornou à Itália e fixou residência definitivamente em Salerno. No Brasil executou paisagens e marinhas, utilizando de técnica pictórica empastada e de um colorido cheio de vivacidade. Várias obras suas ficaram no Brasil, em importantes coleções particulares. ANTONIO FERRIGNO; BENEZIT, vol. 4, pág. 343; ANUAL ART SALES INDEX/82, vol.1, pág. 383; TEODORO BRAGA, pág. 94; MEC, vol. 2, pág. 156; LAUDELINO FREIRE, págs. 381 e 389; REIS JÚNIOR, pág. 365; PONTUAL, pág. 212. TEIXEIRA LEITE, pág. 192; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 535, RUTH TARASANTCHI.

431 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
Lance Livre

Figura - monotipia - - 50 x 35 cm - canto inferior esquerdo - 1971.

Pintor e desenhista figurativo, integrou o Grupo Santa Helena, juntamente com Volpi, Zanini e outros, e foi um dos organizadores e expositores do I Salão da Família Artística Paulista; suas figuras seguem a disciplina cubista da organização do espaço, destacando-se uma série de Músicos; dedicou-se a pinturas murais e à ilustração de obras literárias. MEC, vol. 2, pág. 280; PONTUAL, pág. 247/8; TEIXEIRA LEITE, pág. 225 a 227; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 784; LEONOR AMARANTE, pág. 58; Acervo FIEO.

432 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
Lance Livre

Linhas - desenho a nanquim e colagem - - 24 x 20 cm - canto inferior direito - .

Pintor, desenhista, gravador e professor, estudou com Axel Leskoschek no Rio de Janeiro. Participou da Divisão Moderna do SNBA (1947-1951). Foi um dos precursores do concretismo no Brasil, criando ao lado de Aluisio Carvão, Lígia Clark, Hélio Oitica e outros o Grupo Frente, que se manteve ativo de 1954 a 1956, inclusive com exposições no Rio de Janeiro. Ivan Serpa possui invejável e extenso curriculum de vida artística, passando de exposições coletivas, a grandes retrospectivas de sua obras. Há um reconhecimento nacional da importância de sua atividade, tratando-se de um dos grandes artistas nacionais. PONTUAL, pág 486; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 840; LEONOR AMARANTE, pág. 26; Acervo FIEO.

433 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
Base: R$ 20.000,00

"Operários" - pastel - - 33 x 23 cm - canto inferior esquerdo - 1948.
Com recibo do autor, firmado em papel timbrado da Casa Bancária Vicenzotto & Giudice, Rua José Bonifácio, 110 - 3° andar, salas 1, 2 e 9. São Paulo, datado de 19 de agosto de 1948.
Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo (Rio de Janeiro RJ 1897 - idem 1976). Pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Inicia sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, reside em São Paulo, onde freqüenta o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons (1865 - 1939). Convive com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Mário de Andrade (1893 - 1945), Guilherme de Almeida (1890 - 1969), entre outros. Em 1921, ilustra A Balada do Enforcado, de Oscar Wilde (1854 - 1900), e publica o álbum Fantoches da Meia-Noite, editado por Monteiro Lobato (1882 - 1948). É o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expõe 12 obras. Em 1923, faz sua primeira viagem à França, onde atua como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, freqüenta a Academia Ranson, instala ateliê e conhece obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso (1881 - 1973), Georges Braque (1882 - 1963), Fernand Léger (1881 - 1955), Henri Matisse (1869 - 1954), Jean Cocteau (1889 - 1963) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta a São Paulo em 1926, trabalha como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. A estada em Paris marca um novo direcionamento em sua obra. Em 1938 viaja a Paris, onde trabalha na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retorna ao Brasil em 1940, trabalha como ilustrador, e publica poemas e memórias de viagem. Em 1972, seu álbum 7 Xilogravuras de Emiliano Di Cavalcanti é editado pela Editora Chile. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.

434 - FERNANDO ODRIOZOLA - (1921 - 1986)
Lance Livre

Pássaro - técnica mista - - 35 x 49 cm - canto inferior direito - 1974.

Fernando Pascual Odriozola nasceu em Oviedo, Espanha e faleceu em São Paulo. Pintor, desenhista e gravador. Começou a pintar em 1936. Veio para o Brasil em 1953 e fixou residência em São Paulo. No ano seguinte, realizou sua primeira exposição individual na Galeria Portinari. O Museu de Arte Moderna de São Paulo dedicou-lhe outra individual, em 1955. Na década de 1960, lecionou no Instituto de Arte Contemporânea da Fundação Armando Álvares Penteado e colaborou como ilustrador nos jornais O Estado de S. Paulo e Diário de S. Paulo, e na revista Habitat. Em 1964, integrou, com Wesley Duke Lee , Yo Yoshitome e Bin Kondo , o Grupo Austral, ligado ao movimento internacional Phases. Participou das 7ª, 8ª, 9ª, 12ª, 13ª, 14ª, 15ª e 18ª Bienais Internacionais de São Paulo onde foi premiado na 7ª, 8ª, e 14ª edição; da 7ª Bienal de Tóquio; dos 2º e 5º Panoramas da Arte Atual Brasileira, entre outras. No ano de seu falecimento, o Centro Cultural São Paulo (CCSP) realizou uma exposição retrospectiva póstuma em sua homenagem. JULIO LOUZADA VOL.11, PÁG. 231; MEC VOL.3, PÁG.291; PONTUAL PÁG. 389; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI PÁG. 737; ARTE NO BRASIL PÁG.907; LEONOR AMARANTE PÁG. 143; ACERVO FIEO.

435 - WIM L. VAN DIJK - (1915 - 1990)
Base: R$ 1.500,00

Paisagem - óleo sobre tela - - 41 x 30 cm - canto inferior direito - .

Pintor, desenhista e gravador holandês natural de Westmass, onde nasceu em 1/6/1915, e falecido em Petropolis, RJ, a 27/11/1990. JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 344

436 - FELISBERTO RANZINI - (1881 - 1976)
Lance Livre

"Moinho velho" - óleo sobre tela colada em cartão - - 10 x 16 cm - canto inferior direito e dorso - .
Datado de 18 de setembro de 1938, distrito da Freguesia do Ó - São Paulo, SP. Procedente das coleções: Dr. Waldemar Teixeira de Carvalho - Santos - São Paulo e Dr. Raul Villaboim de Carvalho, Ex Presidente da Sociarte - São Paulo, SP. -
Arquiteto, desenhista e escritor, Felisberto Ranzini nasceu em Mântua, Itália e faleceu em São Paulo - SP. Sobresaiu-se principalmente na técnica de aquarela, na qual se especializou. Suas composições em óleo são claras e detalhadas, quase que miniaturistas. JULIO LOUZADA, vol 1, pág. 805; MEC vol.4, pág. 26, RUTH TARASANTCHI.

437 - MARIA LEONTINA - (1917 - 1984)
Lance Livre

Composição - desenho a lápis de cor e guache - - 39 x 29 cm - canto inferior direito - 1956.

Aluna de Waldemar da Costa, Maria Leontina é uma pintora que conquista o espectador pela finura de seus acostamentos cromáticos. Em 1947, integrava o Grupo dos 19, e, nos anos "50", passou por interessante fase geométrica. MEC, vol. 2, pág. 471; TEIXEIRA LEITE, pág. 309; PONTUAL, pág. 338; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 772; LEONOR AMARANTE, pág. 25; WALTER ZANINI, pág. 645.

438 - IONE SALDANHA - (1921 - 2001)
Lance Livre

Composição - guache - - 25 x 30 cm - canto inferior esquerdo - .

Gaúcha de Alegrete, faleceu na cidade do Rio de Janeiro-RJ, onde residiu e foi ativa. Pintora, escultora e desenhista, realizou seus primeiros estudos no Rio de Janeiro, no ateliê de Pedro Luís Corrêa de Araújo, em 1948. Estudou a técnica de afresco em Paris, na Académie Julian, e em Florença, na Itália (1951). Inicialmente, produz obras figurativas, como cenas cotidianas e retratos. Realiza também uma série de pinturas de casarios, em que enfatiza a geometria. Posteriormente, sua produção adquire um caráter abstrato. No fim da década de 1960, passa utilizar novos suportes, abandonando a superfície bidimensional, e pintando sobre ripas, carretéis (bobinas de madeira para cabos elétricos) e bambus. Participa de várias edições da Bienal de São Paulo, com prêmio aquisição em 1967, e sala especial em 1975 e 1979. Em 2001, ano de seu falecimento, é realizada a retrospectiva Ione Saldanha e a Simplicidade da Cor, no Museu de Arte Contemporânea de Niterói - MAC/Niterói. "O que logo impressiona no desdobramento da pintura de Ione Saldanha, a partir da segunda metade dos anos 40, é a coerência interna do percurso, o rumo ordenado e lógico que a tem feito deslocar-se de um a outro ponto sem abandonar a concentração do interesse em alguns poucos problemas básicos (...). Na obra dos últimos 20 anos, Ione Saldanha, sem sair de seu casulo, alinhou-se numa via frequente da pintura contemporânea". PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 916, 917 e 918; ITAUCULTURAL; RGS, pág. 263/264

439 - DIONISIO DEL SANTO - (1925 - 1999)
Lance Livre

Crianças e pipa - acrílico sobre tela - - 50 x 70 cm - canto inferior direito e dorso - 1979.

Pintor, desenhista, gravador e serigrafista, nasceu em Colatina-ES, e faleceu em Vitória, naquele mesmo Estado. Autodidata. Em 1975, recebe o Prêmio de Melhor Exposição de Gravura do Ano, da APCA. Participou da 9ª Bienal Internacional de São Paulo, 1967 (Prêmio Itamarati Aquisição) e do Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1968 (Prêmio Isenção do Júri). JULIO LOUZADA vol.11, pág. 88; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 934.

440 - ROBERTO BURLE MARX - (1909 - 1994)
Base: R$ 80.000,00

"Abstrato" - óleo sobre tela - - 69 x 93 cm - canto inferior direito - 1987.
Reproduzido no convite e na quarta capa do catálogo deste leilão. Esta obra está reproduzida no convite da exposição "Homenagem a Roberto Burle Marx", com texto de apresentação de Roberio Dias, na Galeria do Campus da Universidade Santa Cecília (UNISANTA), Rua Oswaldo Cruz, 277, Santos - SP, em agosto de 1996. Obra registrada no sítio Roberto Burle Marx - IPHAN. -
Nasceu em São Paulo e faleceu no Rio de Janeiro. Pintor, paisagista, arquiteto, desenhista, pintor, gravador, litógrafo, escultor, tapeceiro, ceramista, designer de jóias, decorador. Durante a infância viveu no Rio de Janeiro. Foi com a família para a Alemanha, em 1928. Em 1929, freqüentou o ateliê de pintura de Degner Klemn. Nos jardins e museus botânicos de Dahlen, em Berlim, entusiasmou-se ao encontrar exemplares da flora brasileira. De volta ao Brasil, fez curso de pintura e arquitetura na Escola Nacional de Belas Artes, RJ (1930 - 1934), onde foi aluno de Leo Putz , Augusto Bracet e Celso Antônio. Seu primeiro projeto paisagístico foi para a arquitetura de Lúcio Costa e Gregori Warchavchik, em 1932. Entre 1934 e 1937, ocupou o cargo de diretor de parques e jardins do Recife, PE, onde passou a residir. Nesse período, foi com freqüência ao Rio de Janeiro e teve aulas com Candido Portinari e com o escritor Mário de Andrade. Em 1937, retornou ao Rio de Janeiro e trabalhou como assistente de Candido Portinari. Foi em 1949, conforme sua paixão por plantas e seu interesse por botânica e jardinagem, que Burle Marx adquiriu um sítio em Barra de Guaratiba, RJ. Com auxílio de botânicos, viajou, coletou, catalogou exemplares de plantas do Brasil e reproduziu em seu sítio a diversidade fitogeográfica brasileira. Em 1985 doou esse sítio, com todo o seu acervo, à extinta Fundação Nacional Pró Memória, atual Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN.Realizou muitas exposições individuais e projetos paisagísticos, participou de diversas mostras oficiais coletivas pelo Brasil e no exterior. PONTUAL, PÁG. 94; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 93; MEC. VOL.1, PÁG.303; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG.564; ARTE NO BRASIL, PÁG. 738; LEONOR AMARANTE, PÁG. 98; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG. 179; artnet.com.

441 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre tela - - 50 x 90 cm - canto inferior direito - Napoli.
Assinado N. Giordani. -
Pintor nascido na Itália. Mecatti radicou-se no Brasil em 1940, após trabalhar por vários anos na Tripolitânia, no norte da África. É notável pela estilização de suas figuras e paisagens concebidas, em tons baixos e obedientes a uma composição pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 161/2; MEC, vol. 3, pág. 109; PONTUAL, pág. 352; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 72; TEIXEIRA LEITE, pág. 320; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

442 - SAMSON FLEXOR - (1907 - 1971)
Lance Livre

Composição - aquarela - - 25 x 19 cm - canto inferior direito - .

Pintor nascido na Romênia, estudou em Paris, onde fez em 1927 sua primeira individual, radicando-se em 1946 em São Paulo, onde faleceu. Foi um dos pioneiros do abstracionismo no Brasil, tendo criado em 1948 o Atelier Abstração. Em 1968 sua obra foi objeto de importante retrospectiva no MAM-RJ. BENEZIT vol. 4, pág. 402; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 313/4; TEIXEIRA LEITE, pág. 198; PONTUAL, pág. 217/8; MEC, vol. 2, pág. 179 e 180; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 917; LEONOR AMARANTE, pág. 75; WALTER ZANINI, pág. 643, Acervo FIEO.

443 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
Lance Livre

O Flerte - desenho a nanquim e aquarela - - 19 x 29 cm - canto inferior direito - .

Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista. Realizou mais de cem mil desenhos, não se conhecendo um único ruim. Observador arguto, retratou com maestria e humor o cotidiano de sua cidade natal, da qual, consta, ausentou-se por duas únicas ocasiões. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646.

444 - JOSÉ MARQUES CAMPÃO - (1892 - 1949)
Lance Livre

"Antônio e seu cavalo" - óleo sobre tela - - 60 x 73 cm - canto inferior direito - .
Descrito no catálogo e com carimbo do 11º Salão Paulista de Belas Artes de 1945. -
Excelente paisagista paulistano, aluno de Oscar Pereira da Silva, da Academia Julian - Paris, e da Escola Nacional Superior de Belas Artes de Paris, entre 1912 e 1918. Foi membro da Comissão de Orientação Artística de São Paulo em 1944. Expôs no Salão dos Artistas Franceses e em diversas exposições coletivas e individuais. TEODORO BRAGA, pág. 61/62; PONTUAL, pág. 102; MEC, vol. 1, pág. 331; REIS JR., pág. 374; WALMIR AYALA, vol. 1,pág. 160; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.

445 - PAULO VALLE JÚNIOR - (1889 - 1958)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre cartão - - 25 x 39 cm - canto inferior esquerdo - 1930.
Reproduzido no convite e na quarta capa do catálogo deste leilão. -
Paisagista e marinhista extremamente sensível, Valle Júnior postou-se à parte da renovação determinada pela Semana de Arte Moderna, tendo sido porém artista autêntico e pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 187; REIS JUNIOR, pág. 373; MEC, vol 4, págs 441/442; PONTUAL, pág. 531; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.

446 - JOEL GALDINO DE FREITAS - (XX)
Lance Livre

Preto velho - escultura em barro - - h = 37 cm - base - .

Joel Galdino de Freitas é filho de Mestre Galdino e sempre esteve muito próximo do pai. Amassava barro desde os nove anos de idade. Passou dez anos em Vitória - ES e com a morte do pai (1996), da mãe e de seus dois irmãos, resolveu voltar à terra natal. Desde 1999 trabalha solitariamente no Memorial Mestre Galdino, em Caruaru - PE, construído pela Prefeitura e pela Fundação de Cultura, rodeado pelas figuras e imagens que aprendeu a fazer com o pai.

447 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
Lance Livre

Procissão - óleo sobre tela - - 59 x 79 cm - canto inferior esquerdo - .

Italiano da Lombardia, PELLEGATTA foi pintor e gravador dedicado a temas sacros e casarios coloniais. Em sua obra, o ser humano é apresentado sempre de modo idealizado, na figura de ternas madonas, santos, coroinhas e cavaleiros. Participou de diversas coletivas e salões, a partir de 1957, recebendo premiações em sua maioria. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág.735; MEC vol.3, pág.363; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

448 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
Lance Livre

Praia de Botafogo - óleo sobre cartão - - 30 x 36 cm - canto inferior direito e dorso - 1965 - Rio de Janeiro -RJ.

Nascido em Manaus, pioneiro mundial da arte não-figurativa (a qual já praticava desde 1916), Santiago estudou no RJ com Visconti, e foi o principal responsável pelo Núcleo Bernardelli, no qual se formaram tantos dos melhores artistas do Modernismo carioca. Sua arte é um neo-impressionismo de belo colorido e opulentos efeitos de textura. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, pág. 241; TEODORO BRAGA, pág. 211/212; Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, MEC-MNBA / /Rio/1944; MAYER/84, pág. 1158; REIS JR., pág. 378; PONTUAL, pág. 473; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 292; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

449 - ANATOL WLADYSLAW - (1913 - 2004)
Lance Livre

Composição - guache - - 20 x 28 cm - canto inferior direito - 1952.

Pintor e desenhista nascido em Varsóvia, Polonia; faleceu em São Paulo, aos 91 anos de idade. No Brasil desde 1930, fixou residência em São Paulo, naturalizando-se brasileiro. Dedicou-se à pintura e ao desenho a partir de 1946, participando da I à IX Bienal, recebendo diversas premiações. Formado em engenharia no Mackenzie, tornou-se um dos pioneiros da arte abstrata, participando ativamente do movimento Ruptura, ao lado de Valdemar Cordeiro, Lothar Charoux e Luiz Sacilotto. Figura no acervo do MAM-RJ e MNBA de Buenos Aires. JULIO LOUZADA, VOL, 4, pág, 1177. MEC, VOL, 4 pág, 512. TEIXEIRA LEITE, pág, 544. WALMIR AYALA, VOL 2. pág, 442; PONTUAL, pág. 553; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 921.

450 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
Base: R$ 180.000,00

"Vaso de Flores" - óleo sobre tela - - 86 x 67 cm - canto inferior direito e dorso - 1969.
Reproduzido no convite e na capa do catálogo deste leilão. - Com recibo original datado de 4 de maio de 1969, firmado pelo autor.
Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo (Rio de Janeiro RJ 1897 - idem 1976). Pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Inicia sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, reside em São Paulo, onde freqüenta o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons (1865 - 1939). Convive com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Mário de Andrade (1893 - 1945), Guilherme de Almeida (1890 - 1969), entre outros. Em 1921, ilustra A Balada do Enforcado, de Oscar Wilde (1854 - 1900), e publica o álbum Fantoches da Meia-Noite, editado por Monteiro Lobato (1882 - 1948). É o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expõe 12 obras. Em 1923, faz sua primeira viagem à França, onde atua como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, freqüenta a Academia Ranson, instala ateliê e conhece obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso (1881 - 1973), Georges Braque (1882 - 1963), Fernand Léger (1881 - 1955), Henri Matisse (1869 - 1954), Jean Cocteau (1889 - 1963) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta a São Paulo em 1926, trabalha como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. A estada em Paris marca um novo direcionamento em sua obra. Em 1938 viaja a Paris, onde trabalha na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retorna ao Brasil em 1940, trabalha como ilustrador, e publica poemas e memórias de viagem. Em 1972, seu álbum 7 Xilogravuras de Emiliano Di Cavalcanti é editado pela Editora Chile. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.

451 - HÉLIOS SEELINGER - (1878 - 1965)
Lance Livre

Ponte dos Açores - Porto Alegre - óleo sobre cartão - - 10 x 14 cm - canto inferior direito - 1924 - Sul.
Procedente das coleções: Dr. Waldemar Teixeira de Carvalho - Santos - São Paulo e Dr. Raul Villaboim de Carvalho, Ex Presidente da Sociarte - São Paulo, SP. -
Natural do Rio de Janeiro, seu pai era alemão e sua mãe brasileira, descendentes de franceses e gregos. O artista estudou na ENBA (1892-1896), onde foi aluno de Henrique Bernardelli. Recebeu influência do artista alemão Franz von Stuck, na Academia de Belas Artes de Munique, onde ali foram seus contemporâneos Kandinsky, Paul Klee e Franz Marc. SEELINGER decorou o salão nobre do Clube Naval do Rio de Janeiro, a convite do Ministério do Marinha (1910). PONTUAL, pág.481; TEIXEIRA LEITE, pág. 466; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 431; ARTE NO BRASIL, pág. 574.

452 - BEATRIZ MILHAZES - (1960)
Base: R$ 12.000,00

"O piano" - serigrafia - 15/100 - 72 x 50 cm - dorso - 1998.

Pintora, gravadora, ilustradora e professora. Forma-se em comunicação social pela Faculdade Hélio Alonso, no Rio de Janeiro, em 1981. Inicia-se em artes plásticas ao ingressar na Escola de Artes Visuais do Parque Lage - EAV/Parque Lage, em 1980, onde mais tarde leciona e coordena atividades culturais. Além da pintura, dedica-se também à gravura e à ilustração. De 1995 a 1996, cursa gravura em metal e linóleo no Atelier 78, com Solange Oliveira e Valério Rodrigues e, em 1997, ilustra o livro As Mil e Uma Noites à Luz do Dia: Sherazade Conta Histórias Árabes, de Katia Canton. Beatriz Milhazes participa das exposições que caracterizam a Geração 80 - grupo de artistas que buscam retomar a pintura em contraposição à vertente conceitual dos anos de 1970, e tem por característica a pesquisa de novas técnicas e materiais. Sua obra faz referências ao barroco, à obra de Tarsila do Amaral e Burle Marx, à padrões ornamentais e à art deco. Entre 1997 e 1998, é artista visitante em algumas universidades dos Estados Unidos. A partir dos anos 1990, destaca-se em mostras internacionais nos Estados Unidos e Europa e integra acervos de museus como o MoMa, Guggenheim e Metropolitan, em Nova York. ITAÚ CULTURAL.

453 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
Lance Livre

Moça - gravura - 11/50 - 27 x 18 cm - canto inferior direito - .

Desenhista, gravador, ilustrador, pintor, escultor e professor, nasceu em São Simão, SP. Estuda fundição, mecânica e entalhe em madeira na Escola Profissional Masculina do Brás, SP. Passa a realizar xilogravuras a partir de 1943. Atua como ilustrador do Suplemento Literário do ‘Diário de São Paulo’, do ‘O Estado de S. Paulo’ e do ‘Jornal do Estado da Guanabara’. Quando reside no Rio de Janeiro, a partir de 1949, freqüenta os cursos de gravura em metal, com Henrique Oswald e de litografia, com Poty, no Liceu de Artes e Ofícios. Em Salvador (1952), trabalha com Mario Cravo Júnior. .Recebe o prêmio de viagem ao exterior do Salão Nacional de Arte Moderna (1953) e vai para a Academia de Artes Aplicadas, em Viena. Passa a dedicar-se principalmente ao desenho, à litografia e à gravura em metal. Em 1969, sua obra completa é adquirida pelo governo do Estado de São Paulo, passando a integrar o acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo . Em 1978, a casa em que nasceu, em São Simão, é transformada em museu e tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo - Condephaat. Participou de muitas exposições e das Bienais de: São Paulo (1951 a 1961, 1967, 1969, 1979, 1985, 1989); Veneza (1950, 1956, 1958, 1962); Paris (1959). Principais prêmios: Bienal de São Paulo (1951, 1955, 1957, 1959, 1967); Bienal de Veneza (1950, 1956, 1958,1962); Bienal de Paris (1959). PONTUAL, PÁG. 249; MEC, VOL. 2, PÁG. 281 E 282; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL.1, PÁG. 439; VOL. 5, PÁG. 453; VOL. 9, PÁG. 383.

454 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
Lance Livre

Composição - aquarela e nanquim - - 31 x 21 cm - canto inferior direito - 1964.

Grande pintor brasileiro, nascido em Fortaleza, Ceará e falecido em Paris onde viveu a maior parte de sua curta e rica vida. Começando figurativo, num estilo expressionista, adotou, já em França, um não figurativismo lírico, algo à maneira do grande Wols, seu amigo que iria manter até o precoce fim. É um dos pioneiros da arte abstrata no Brasil. BENEZIT, vol.1, pág.415; MEYER/87, pág.606; MEC, vol.1, págs.159,160 e 167; PONTUAL, págs. 48 e 49; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 71 a 74; TEIXEIRA LEITE, pág. 52 a 54; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 599; LEONOR AMARANTE, pág. 34; Acervo FIEO.

455 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
Lance Livre

Crianças - gravura - P. A. - 27 x 20 cm - canto inferior direito - .
Com certificado de autenticidade de Maria Del Carmem Perez Sola datado de maio de 2012. -
Monstro sagrado da pintura brasileira, Tarsila é a criadora de duas das principais tendências ou movimentos de nossa arte nacionalista: o Pau Brasil (1924) e o Antropofagia. Sua arte poderia ser definida como um Cubismo adaptado às condições e ao temperamento brasileiros. TEODORO BRAGA, págs. 220/21/22/23; REIS JR.-págs.388/89 ; WALMIR AYALA, vol. 2-págs. 365 e 367 ; MEC, vol. 4-págs. 370/71; PONTUAL, pág. 511; TEIXEIRA LEITE, pág. 492; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 389; ARTE NO BRASIL, pág. 577; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

456 - WALTER ROCHA - (1984)
Lance Livre

"Árvore da vida" - técnica mista - - 80 x 80 cm - canto inferior direito e dorso - 13/06/2012.
Complemento de técnica: escultura em madeira fixada sobre tela pintada a óleo e guache. -
WALTER ROCHA (1984) Artista plástico e designer natural da Bahia. Autodidata. Com 22 anos, começou a criar esculturas, quadros, objetos de decoração e móveis utilizando materiais descartados pela natureza como troncos, galhos e folhas de árvores. www.walterdesignature.blogspot.com.

457 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
Lance Livre

Nu - desenho a caneta tinteiro - - 30 x 23 cm - canto inferior esquerdo - .

Pintora e desenhista. Assina Noemia. Realizou sua primeira individual em 1934, no Rio de Janeiro. Residiu na Europa de 1934 a 1940, frequentando em Paris as academias de la Grande Chaumière e Ranson. Expôs em Montevideu e Buenos Aires. Foi citada por REIS JUNIOR e TEODORO BRAGA. Foi aluna (1932) e mulher (1933) de Di Cavalcanti. MEC vol.3, pág. 265; WALMIR AYALA vol.2, pág.135; PONTUAL, pág. 375; TEIXEIRA LEITE, pág. 356; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 684. Acervo FIEO.

458 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
Lance Livre

Queimada - óleo sobre tela - - 46 x 61 cm - canto inferior direito e dorso - 1980.

Considerado por muitos críticos e colecionadores como o mais típico dos nossos pintores ingênuos, Silva foi o intérprete da cena rural de São Paulo, num estilo expontâneo em que assomam, por vezes, soluções plásticas inesperadas. MEC, vol. 4, pág. 256; PONTUAL, pág. 493 e 494; TEIXEIRA LEITE, pág. 478; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 958; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 958; BENEZIT, vol. 9, pág. 602; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 227; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 171; Acervo FIEO.

459 - ESTEVÃO SILVA - (1845 - 1891)
Lance Livre

Natureza morta - óleo sobre madeira - - 11 x 17 cm - canto inferior direito - .
Procedente das coleções: Dr. Waldemar Teixeira de Carvalho - Santos - São Paulo e Dr. Raul Villaboim de Carvalho, Ex Presidente da Sociarte - São Paulo, SP. -
Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Matriculou-se na Academia Imperial de Belas Artes em 1864. Foi aluno de Victor Meirelles, Agostinho da Motta e Jules le Chevrel. Considerado na sua época um mestre insuperável na pintura de naturezas-mortas. Filho de pais africanos, foi o primeiro pintor negro que se destacou dentre os saídos da Academia. Executou também muitos retratos e algumas composições de temas variados. MEC vol 4 pág. 250; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 908; ITAÚ CULTURAL.

460 - THÉO (DJALMA PIRES FERREIRA) - (1901 - 1980)
Lance Livre

Jânio e Ademar - desenho a nanquim e aquarela - - 35 x 27 cm - canto inferior direito - .

Caricaturista, Djalma Pires Ferreira, conhecido como Théo, nasceu na Bahia e veio para o Rio de Janeiro com 21 anos. Publicou seus primeiros trabalhos na "Tarde" (1918 a 1922) e no "Diário de Notícias", Seção Esportes (1919). Foi o divulgador da "Bola do Dia" das colunas de "O Globo" e colaborou no "Malho", "Careta", "Fon-Fon", outras revistas e jornais do Rio de Janeiro e na "Cigarra", em São Paulo. Exposições póstumas: São Paulo (1997, 2003); Belo Horizonte, MG (1997); Campinas, SP (1997); Brasília, DF (1998). ITAU CULTURAL; MEC VOL. 4, PÁG. 384; CARICATURISTAS BRASILEIROS, 1836 - 2001 PÁG. 120.

461 - CARLOS SÖRENSEN - (1928 - 2008)
Lance Livre

"A jarra rosa" - óleo sobre tela - - 30 x 40 cm - canto inferior esquerdo e dorso - .

Paulista de Baurú, Sorensen fez importantes estudos em Paris, onde a convite do governo francês, freqüenta o ateliê de André Lhote, onde conhece Picasso, Roonet e Fernand Léger e no ano seguinte freqüenta a Escola Superior de Belas Artes-Paris, estudando com Gleizes e André Lhote(1952-1953). Foi artista de múltiplas atividades, ceramista, tapeceiro, cenógrafo, ilustrador, arquiteto, designer e pintor, com sucesso de crítica e de público. Citado em Delta Larouse/1970, pág. 6406; MEC vol.4, pág. 309; PONTUAL, pág. 500, WALMIR AYALA vol.2, pág.347; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 306; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

462 - SYLVIO PINTO - (1918 - 1997)
Lance Livre

"Barcos no cais" - óleo sobre tela - - 65 x 82 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1986.

Freqüentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro, lá recebendo suas primeiras noções de desenho. Mais tarde, recebe lições do pai - o Pinto das Tintas. Conheceu Pancetti na casa paterna. Em 1938 estudou no Núcleo Bernardelli e a partir de 1940 dedica-se exclusivamente à pintura. Participou de vários Salões de Belas Artes, recebendo inúmeros prêmios. MEC, vol. 3, pág. 419, Acervo FIEO.

463 - CARLOS OSWALD - (1882 - 1971)
Lance Livre

"Richard Wagner" - água forte - água-forte original - 28 x 19 cm - canto inferior direito - 1914.
Reproduzido na página 55 do livro "Carlos Oswald" editado pelo Museu Nacional de Belas Artes. -
Gravador e pintor, ativo no Rio de Janeiro, estudou na Europa; foi o primeiro a fazer gravura em metal com finalidade artística; dedicou-se a temas religiosos, paisagens, cenas de gêneros e retratos. PONTUAL, pág. 397; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1053; ITAÚ CULTURAL.; WALTER ZANINI, pág. 446; Acervo FIEO.

464 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
Base: R$ 1.000,00

Cavaleiros - óleo sobre tela - - 62 x 106 cm - canto inferior direito - .
Assinado Garin. -

465 - SILVIA ALVES - (1947)
Lance Livre

"São Paulo: vista da Vila Madalena" - óleo sobre eucatex - - 15 x 10 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 2012.

Nascida SILVIA Ferraro ALVES, em São Paulo, SP, a 2 de maio de 1947. É pintora, desenhista, escultora, gravadora, ilustradora, professora, poetiza e atriz, ativa nesta Capital. Estudou pintura e desenho com Lecy Bonfim, e pintura acadêmica com o professor Desdedith Campanelli. Artista festejada nos variados meios em que expressa as suas brilhantes qualidades artísticas. JULIO LOUZADA, vol, 10, pág, 49.

466 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
Lance Livre

"Paisagem no interior" - óleo sobre eucatex - - 30 x 40 cm - canto inferior esquerdo - .
Com autenticação do artista no dorso. -
Nascido na Itália, radicou-se no Brasil. Seu estilo liga-se ao dos Macchiajoli oitocentistas (os equivalentes italianos dos impressionistas franceses) e ao de Pratella em especial. São especialmente notáveis suas paisagens e marinhas. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 168; JULIO LOUZADA vol.11, pág.54; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

467 - ATHOS BULCÃO - (1918 - 2008)
Lance Livre

"Estudo p/ Addie" - guache - - 48 x 66 cm - canto inferior direito - 1966.

Pintor e desenhista. Começou a dedicar-se a arte estimulado por Portinari, que, em 1945, o convidou a trabalhar nas obras da Pampulha, em Belo Horizonte. No ano anterior realizara exposição individual na sede recém-inaugurada do Instituto dos Arquitetos do Brasil no Rio de Janeiro, voltando a fazê-lo na Capital mineira em 1946 e 1947. Já então conquistara medalhas de prata em pintura e desenho no SNBA. Recebendo bolsa de estudos no governo francês, viajou em 1948 para Paris, onde permaneceu um ano, visitando ainda a Itália. De regresso ao Brasil, passou a dedicar-se também a trabalhos no campo da decoração. Residindo mais recentemente em Brasília, ali criou azulejos e vitrais para a Igreja de Nossa Senhora de Fátima, com motivos cristãos da Pomba e da Estrela, símbolos do Divino Espírito Santo e da natividade. Participou como isento de júri dos II SAMDF (1965), realizando em 1968 exposição individual de desenhos em Brasília (Galeria Encontro). Rubem Braga focalizou-o em uma crônica publicada na revista Manchete (14 de agosto de 1954). TEODORO BRAGA, PÁG. 59; MEC, vol. 1, pág. 301; WALMIR AYALA, vol.1, pág. 140; PONTUAL, pág. 93; TEIXEIRA LEITE, pág. 92; JÚLIO LOUZADA, vol. 7, pág.112; ITAÚ CULTURAL.

468 - INNOCÊNCIO BORGHESE - (1897 - 1985)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre madeira - - 25 x 34 cm - canto inferior direito - 1978 - Guarulhos -SP.

Pintor e professor paulista, participante do Salão Paulista de Belas Artes, de 1935 a 1961. Diversas exposições individuais e coletivas, com muitas premiações. Pintou muitas paisagens tendo como tema a cidade de São Paulo. TEODORO BRAGA, pág 56; MEC, vol. 1, pág. 251; Acervo FIEO.

469 - GUSTAVO ROSA - (1946)
Lance Livre

Mulheres - óleo sobre tela - - cm - canto inferior direito e dorso - 1973 - díptico.
60 x 130 cm cada. -
Grande pintor paulistano, ganhador de muitos prêmios em Salões Oficiais. Tem exposto regularmente no Brasil e no exterior com grande sucesso. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 274; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

470 - GUIDO VIARO - (1897 - 1971)
Lance Livre

Macumba - xilogravura - - 20 x 14 cm - canto inferior direito - .

Pintor, desenhista, gravador e professor, nasceu em Badia Polesine, Itália. Fez estudos de formação artística em Veneza e Bolonha, naquele País, vindo para o Brasil em 1928. Radicou-se em Curitiba 1930, onde lecionou pintura e desenho. Participou, recebendo premiações, em diversos Salões nacionais. JULIO LOUZADA vol.aa, pág.335; TEIXEIRA LEITE, pág. 522, PONTUAL, pág. 539; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 449; ARTE NO BRASIL, pág. 883.

471 - ANTONIO PETICOV - (1946)
Lance Livre

"Crossroads" - desenho a lápis de cor - - 65 x 59 cm - canto inferior direito - 1985.

Nasceu em Assis, SP. Desenhista, gravador e escultor. Autodidata. Integra os movimentos movimentos artísticos de vanguarda da segunda metade da década de 60. De produção diversificada, segue tendências variadas das vanguardas artísticas internacionais das últimas décadas. Participa de várias exposições entre elas, Bienal Internacional de São Paulo, 1967, 1969 e 1989; Panorama da Pintura Brasileira, no MAM/SP, São Paulo, 1983; Destaques da Arte Contemporânea Brasileira, no MAM/SP, 1985; Bienal Brasileira de Design, Curitiba, 1990; OFF Bienal, no MuBE, São Paulo, 1996; Arte Suporte Computador, na Casa das Rosas, São Paulo, 1997. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 757/758; WALTER ZANINI, pág. 760; LEONOR AMARANTE, pág. 185. Acervo FIEO.

472 - ANTONIO CARPENTIERI - (1930 - 1987)
Lance Livre

"Partida para a pesca" - óleo sobre madeira - - 15 x 38 cm - canto inferior esquerdo - 65.

Natural de Nápoles, Itália, Carpentieri foi descendente de família abastada, há três gerações ligadas às artes plásticas. No Brasil desde 1952, tornou-se aluno de Angelo Cannone, Briante e De Corsi. Expôs diversas vezes com excelente crítica na Itália, cujas galerias e museus possuem obras suas. JULIO LOUZADA, vol.1, pág.215; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 176; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

473 - CIRRO FERRI - (1634 - 1689)
Lance Livre

Velho - desenho a carvão e pastel - - 40 x 30 cm - canto inferior esquerdo - .
Com certificado de autenticidade datado de 24 de julho de 1942, Berlim, no dorso. -
Pintor, escultor e arquiteto da Escola Italiana nascido e falecido em Roma. Foi o melhor aluno e discípulo de Pietro da Cortona. Trabalhou para o papa Alexandre VII, para o príncipe Borghèse e para grão-duque Cosme III que o chamou a Florença para terminar os afrescos inacabados de Pietro da Cortona. Possui obras em vários museus no mundo. BENEZIT VOL.4, PÁG. 341; britannica.com; artcyclopedia.com; artnet.com; britishmuseum.org.

474 - GEORGES WAMBACH - (1901 - 1965)
Lance Livre

" Ilha Bela " - óleo sobre tela colada em cartão - - 26 x 22 cm - canto inferior direito - 1964.

Belga de nascimento, veio a falecer no Rio de Janeiro. Excepcional aquarelista, que retratou o Brasil em suas inúmeras incursões. "Georges Wambach (1901-1965) talvez tenha sido um dos últimos exemplares de uma espécie em extinção, ou já extinta, quem sabe: a dos artistas viajantes de que o século XIX foi pródigo. Artistas com cavalete, paleta, tintas e pincéis na mochila, que vararam o mundo em busca do fantástico, do erótico, e, sobretudo, do excitante desconhecido, aventura que até custou a vida de alguns como Adrien Taunay, que viu a morte aos 25 anos em pleno Mato Grosso." Fernando Cerqueira Lemos, in AQUARELAS de Georges Wambach: impressões do Brasil. Ed. Marca d´Água-SP, 1988. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 343; TEIXEIRA LEITE, pág. 540; ITAÚ CULTURAL.

475 - SANSÃO CAMPOS PEREIRA - (1926)
Lance Livre

Barco - óleo sobre tela - - 65 x 35 cm - canto inferior esquerdo - .
Com certificado de autenticidade firmado pelo autor. -
Ativo no Rio de Janeiro, foi membro da Academia Brasileira de Artes, e da Academia Brasileira de Belas Artes. Artista várias vezes premiado, participou de diversas coletivas e salões, recebendo premiações várias. Seu tema preferido é a marinha. MEC vol.3, pág.389; JULIO LOUZADA vol.11, pág.243, Acervo FIEO.

476 - ALVARUS COTRIM - (1904 - 1985)
Lance Livre

"Escultor Humberto Cozzo no ateliê" - desenho a nanquim - - 26 x 19 cm - canto superior direito - 1947.

Álvarus Cotrim , dito Álvarus é um dos dos grandes mestres da caricatura no Brasil. TEODORO BRAGA, pág. 32; MEC, vol. 1, pág. 70.

477 - CAMPOS AYRES - (1881 - 1944)
Lance Livre

Tropeiro - óleo sobre madeira - - 20 x 30 cm - canto inferior esquerdo - .

Natural de Itapetininga, SP, Campos Ayres foi pensionista do Estado de São Paulo para estudar em Paris a partir de 1909, com Henry Royer, Fleury e Laurens. No SPBA obteve prêmios e menções. Dedicou-se especialmente à pintura de paisagem. A PINACOTECA-SP, possui duas telas de sua autoria. Expôs individualmente em São Paulo, nos anos de 1930, 1933 e 1938, com muito sucesso de público e crítica. TEODORO BRAGA, pág. 63; REIS JR., pág. 368; MEC, vol. 1,pág. 41; PONTUAL, pág. 105; WALMIR AYALA, vol. 1,pág. 167; ITAU CULTURAL; ACERVO FIEO, pág. 11, RUTH TARASANTCHI.

478 - ANTONIO PARREIRAS - (1860 - 1937)
Lance Livre

Estudo "Canto do Rio" - aquarela - - 16 x 26 cm - canto inferior direito - 1937.

Um dos maiores paisagistas do Brasil, autor também de imponentes nus, Antonio Parreiras estudou com Grimm, mas adquiriu em seguida um estilo próprio, que se traduziu numa cor e numa textura violentas, quase fauves. BENEZIT, vol. 8, pág. 136; MAYER/84, pág. 1082; MEC, vol, 3, págs. 335/6; PONTUAL, págs. 406/7; LAUDELINO FREIRE, pág. 382; WALMIR AYALA, vol. 2, págs. 168 e 170; TEIXEIRA LEITE, pág.386/388; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 416; ARTE NO BRASIL, pág. 532; LEONOR AMARANTE, pág. 42; F. ACQUARONE, pág. 155.

479 - FRANCISCO REBOLO GONSALES - (1903 - 1980)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre eucatex - - 32 x 25 cm - canto inferior direito - .

Grande pintor paulistano, um dos principais membros do Grupo Santa Helena e da Família Artística Paulista, Rebolo é acima de tudo um paisagista de colorido suave e desenho sensível. MEC, vol. 4, pág. 28/29; TEODORO BRAGA, pág. 202/3; PONTUAL, pág. 447/448; REIS JR., pág. 382; TEIXEIRA LEITE, pág. 433/434/435.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; LEONOR AMARANTE, pág. 13; ARTE NO BRASIL; Acervo FIEO.

480 - ETTORE FEDERIGHI - (1909 - 1979)
Lance Livre

Vaso de flores - óleo sobre eucatex - - 51 x 38 cm - canto inferior esquerdo - 1966.

Pintor ativo em São Paulo, participou do SPBA, conquistando menção honrosa (1952), pequena medalha de prata (1957), prêmio aquisição (1958 / 59 / 60), grande medalha de prata (1961) e várias outras, bem como várias participações em Salões. MEC, vol. 2, pág. 145; JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 387.; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

481 - ALFREDO NORFINI - (1867 - 1945)
Lance Livre

Igreja - aquarela - - 22 x 29 cm - canto inferior direito - 1923.

Pintor, fez os primeiros estudos na cidade natal, Florença, Itália, e mais tarde cursou a Real Academia San Lucca, de Roma, pela qual se diplomou em 1892. Vindo ao Brasil, radicou-se em São Paulo, participando de várias exposições no Rio de Janeiro, São Paulo e Recife. Participou do SNBA, nos anos 1899, 1908, 1909, e do Salão Paulista de Belas Artes, obtendo pequena medalha de prata (1934 - 1943). LAUDELINO FREIRE, pág. 518; TEODORO BRAGA, pág. 173; MEC, vol. 3, pág. 267; PONTUAL, pág. 386; ITAÚ CULTURAL, RUTH TARASANTCHI.

482 - BIGIO GERARDENGHI - (1876 - 1957)
Lance Livre

"Canto de mercado" - óleo sobre madeira - - 14 x 18 cm - dorso - .
Ex coleção Benedicto Anselmo Pieratti - São Paulo, SP. -
Italiano de Dronero, Piemonte, onde nasceu em 7/8/1876. Pintor e professor, oriundo de família nobre, o autor sempre viveu em Nápoles, onde realizou estudos e concluiu sua formação artística. Reputado pintor de paisagens e marinhas, figurou em diversas exposições na Itália, onde ganhou a medalha de ouro na Exposição Internacional de Nápoles, e em 1916, quando o seu quadro Lã para os Soldados, foi escolhido pela Cruz Vermelha Italiana para ser reproduzido como propaganda de Socorros de Guerra. No Brasil sua obra foi muito bem recebida pela público e crítica, figurando em diversas exposições. BENEZIT, vol.4, pág. 681; MAYER/84, pág. 835; TEODORO BRAGA, pág. 107; JULIO LOUZADA vol.1, pág. 415; ITAÚ CULTURAL, RUTH TARASANTCHI.

483 - EMANOEL ARAÚJO - (1940)
Lance Livre

Baiana - xilogravura - 5/15 - 96 x 63 cm - canto inferior direito - 1966.

Gravador e escultor, o baiano Emanuel Araújo estudou com Henrique Oswald e expõe individualmente desde 1960, já tendo mostrado sua obra em inúmeras cidades do Brasil, Europa, Estados Unidos e Extremo Oriente. Foi Diretor da PINACOTECA do Estado de São Paulo, cujo cargo exerceu com extrema competência. TEIXEIRA LEITE, pág. 190; MEC, vol. 2, pág. 143; PONTUAL, pág. 37; JULIO LOUZADA, vol 1, págs. 68/69 e vol. 11, pág. 18; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 846; WALTER ZANINI, pág. 770; Acervo FIEO.

484 - CLAUDIO TOZZI - (1944)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre eucatex - - 40 x 59 cm - canto inferior direito - .

Pintor, arquiteto e gravador paulista com diversas exposições e participações em salões e bienais no Brasil e no exterior. Dedicou-se inicialmente à colagem e à gravura, numa utilização crítica das histórias em quadrinhos; numa fase posterior passou a criar múltiplos tridimensionais e a efetuar pesquisas em torno dos efeitos ópticos. WALMIR AYALA vol.2, pág.388/9; PONTUAL, pág.525/6; TEIXEIRA LEITE, pág. 512; ARTE NO BRASIL vol.2, pág.1059; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 740; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.

485 - DARCILIO LIMA - (1944)
Lance Livre

Figuras fantásticas - litografia - P. A. - 63 x 45 cm - canto inferior esquerdo - 1972.

Cearense de Cascavel, o festejado desenhista Darcilio foi para o Rio de Janeiro, e já depois de haver iniciado autodidaticamente seu trabalho no campo da pintura e da utilização do lápis cêra. Recebeu orientação de Ivan Serpa, passando a dedicar-se especialmente ao desenho a bico-de-pena, com a permanente fixação gráfica da fantasia erótica como veículo de impacto crítico. PONTUAL, pág. 159. MEC, vol.1, pág.17; WALTER ZANINI, pág. 760; LEONOR AMARANTE; ITAU CULTURAL.

486 - AUGUSTE BRACET - (1881 - 1960)
Lance Livre

Floresta - óleo sobre tela - - 73 x 61 cm - canto inferior direito e dorso - 1941.

Pintor e professor, frequentou a antiga ENBA a partir de 1902, onde recebeu o prêmio viagem à Europa em 1911. Em Paris estudou com Morelli e François Billoul. Recebeu medalha de ouro no SNBA de 1920. Primores da Pintura no Brasil, vol. 1, pág. 41; REIS JUNIOR, págs. 369, 380 e 385; WAMIR AYALA, vol. 1, pág. 118; PONTUAL, pág. 83; MEC, vol. 1, pág. 255; TEIXEIRA LEITE, pág. 83; ITAÚ CULTURAL.

487 - FRANK SCHAEFFER - (1917 - 2008)
Lance Livre

Barcos - óleo sobre eucatex - - 33 x 41 cm - canto inferior direito - 1998.

Pintor, desenhista e professor. Realizou sua formação artística com Arpad Szenes no Brasil e, entre 1948 e 1949, com André Lhote e Fernand Léger em Paris. Participou de diversas edições da Bienal SP, do SNAM, e outras mostras importantes, tais como I Bienal Interamericana do México (1958), SAMDF (1964 e 1965), entre outras, todas com premiações. Pintor fiel ao seu estilo, pinta seus tema preferidos através de sua imaginação romântico-expressionista. TEODORO BRAGA, pág. 101; PONTUAL, pág. 477; MEC, vol. 4, págs. 192 e 209; Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, MEC-MNBA/Rio/1944.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717.

488 - BUSTAMANTE SÁ - (1907 - 1988)
Lance Livre

"Campo de Sant´ana" - óleo sobre eucatex - - 23 x 30 cm - canto inferior esquerdo e dorso - 1959- Rio de Janeiro.

Natural da cidade do Rio de Janeiro, estudou na ENBA naquela cidade, onde foi aluno de Rodolfo Amoedo e Rodolfo Chambelland. Participou do Núcleo Bernardelli, do qual foi um dos fundadores em 1931. Participou de sucessivas versões do SNBA a partir de 1928, recebendo diversas premiações. Excepcional pintor do gênero paisagem. TEODORO BRAGA, pág. 59; REIS JR. , pág. 385; MEC,vol. 4, pág. 127; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 145 e 147; TEIXEIRA LEITE, pág. 94; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 47; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763; Acervo FIEO.

489 - CÍCERO DIAS - (1908 - 2003)
Lance Livre

Mulheres - serigrafia - P. A. - 64 x 51 cm - canto inferior direito - .

Pintor e desenhista pernambucano; mesmo radicando-se por mais de 40 anos em Paris, Cícero Dias ainda assim permaneceu brasileiro, e mais nordestino. Em fins da década de 1920, foi ao lado de Ismael Nery um dos grandes vultos da vanguarda no Rio de Janeiro; mais tarde, já na Europa, aderiu ao não-figurativismo, como integrante do Grupo Espace. Tornou em anos recentes à figuração, mais uma vez evocando a terra natal. MEC, vol.2, pág.50; WALMIR AYALA, vol.1, págs.252 a 255; TEIXEIRA LEITE, págs. 157 a 159. PONTUAL, págs. 174/5; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 564; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 146; Acervo FIEO.

490 - AGUILLAR NAVARRO - (1917 - 1983)
Lance Livre

"Île-St-Louis" - óleo sobre tela - - 60 x 25 cm - canto inferior esquerdo e dorso - Paris.

Pintor espanhol, natural de Barcelona. Desde os 13 anos de idade, quando residia em Paris, percorria as ruas fazendo delas temas para os seus quadros, o que lhe permitiu realizar a primeira individual aos 16 anos. Sua trajetória artística foi acompanhada de várias exposições com uma série de premiações internacionais e reconhecimento pela crítica francesa. No Brasil, vários foram os prêmios, com menções nos Salões Paulista de Belas Artes. Suas telas retratam Paris ou o Brasil, onde as cores vibrantes irradiam toda a natureza. JULIO LOUZADA vol.9, pág. 614; ACERVO FIEO, pág. 41.

491 - ANTONIO POTEIRO - (1925 - 2010)
Lance Livre

Árvore e pássaros - óleo sobre tela - - 100 x 100 cm - canto inferior direito e dorso - 1997.

Português de Braga, viveu em São Paulo e Minas Gerais, radicando-se definitivamente em Goiânia, desde 1967. O sobrenome artístico Poteiro vem das obras em barro e cerâmica que trabalhou por mais de 12 anos, até se transformar no pintor original e vigoroso que foi. Amigo de Siron Franco, seu grande incentivador na pintura. WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 217; TEIXEIRA LEITE, págs 31 e 32; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 808; LEONOR AMARANTE, pág. 294, Acervo FIEO.

492 - FERNANDO BARRETO - (1929)
Lance Livre

Natureza morta - óleo sobre eucatex - - 33 x 43 cm - canto inferior esquerdo - 1980-Rio de Janeiro-RJ.

Pintor, restaurador e professor mineiro, nascido em Araxá. Estudou no Rio de Janeiro, na antiga ENBA, onde diplomou-se em 1953 e na qual, anos mais tarde, foi professor de desenho. Expôs pela primeira vez em 1949, antes mesmo de se formar. Participou do SNAM-RJ nos anos de 1955 e 1957. Foi restaurador brilhante e muito requisitado, com diversos convites oficiais. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 95

493 - AGOSTINHO BATISTA DE FREITAS - (1927 - 1997)
Lance Livre

"Estação Sé" - óleo sobre tela - - 50 x 70 cm - canto inferior direito - 1984.

Começou a pintar no início da década de 1950 (e ele próprio relatou que vendia seus trabalhos na Praça do Correio da capital paulista) sendo logo descoberto por Pietro Maria Bardi que organizou uma exposição de seus trabalhos no Museu de Arte de São Paulo, em 1952, mais tarde apresentados também, no Museu de Arte Moderna de São Paulo e da Bahia e no Museu de Arte Contemporânea de Campinas. Participou da XXXIII Bienal de Veneza (1966). MEC, vol. 2, pág. 210; PONTUAL, pág. 225; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 323; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 208; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 214; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 832; Acervo FIEO.

494 - AXEL LESKOSCHEK - (1889 - 1976)
Lance Livre

. - - - cm - - .
Lote composto de duas xilogravuras assinadas e emolduradas individualmente medindo 19 x 13 cm cada, datadas de 1948. -
Importante gravador, pintor e professor austríaco. Realizou sua formação artística na Áustria e ali publicou álbuns de xilogravuras e águas-fortes. Veio residir no Brasil em 1930, fugindo do nazismo, aqui ficando até 1950. Ilustrou diversas publicações nacionais, entre elas, e principalmente, as edições brasileiras dos romances de Dostoiévski (Ed. José Olimpio). Foi professor, entre outros, de Renina Katz, Fayga Ostrower e Ivan Serpa. MAYER/88, pág.494; JULIO LOUZADA, vol.1, pág.609; BENEZIT, vol.6, pág.612, ART PRICE ANNUAL/2000, pág.1464; PONTUAL, pág.309, TEIXEIRA LEITE, pág.284; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 840; Acervo FIEO.

495 - BRUNO GIAMPA - (XX - XX)
Lance Livre

Barco - óleo sobre tela - - 27 x 41 cm - canto inferior direito e dorso - 1956.

Pintor ativo em Porto Alegre. Com diversas exposições individuais e participação de salões nacionais nas décadas de 1950 e 1960. MEC, vol. 2, pág. 249; JÚLIO LOUZADA, vol. 10, pág. 380.

496 - AUGUSTO TORRES - (1913 - 1992)
Lance Livre

"Bar Geniol" - desenho a lápis e aquarela - - 21 x 31 cm - canto inferior esquerdo - .

Pintor nascido em Tarrasa, Barcelona, Espanha. Filho do pintor uruguaio Joaquim Torres-Garcia. Passou uma parte de sua infância em Nova York e na Itália (1920 a 1925), em Villefranche (1925) e depois em Paris (1927). Estudou com Julio Gonzales (1930), com Amédée Ozenfant (1931) e com outros artistas até que, em 1933, entra para a Escola da Cerâmica de Madri. Vai para Montevidéu, Uruguai, onde faz parte da Associação da Arte Construtivista, fundada por seu pai em 1936. Viaja ao Peru e à Bolívia (1941) para estudar a arte inca e pré-inca. Realiza muitas exposições em Paris (1954 a 1956), no Uruguai (1960 e 1961), em Nova York e participa de numerosas exposições como: Bienal de Porto Alegre, de Veneza, de São Paulo, do México e da Colômbia. BENEZIT, VOL. 10, PÁG. 235; artnet.com; artprice.com; artfacts.net.

497 - ALOYZIO ZALUAR - (1937)
Lance Livre

"Ideias permanentes" - técnica mista - - 32 x 32 cm - canto inferior direito e dorso - 2012 - Rio de Janeiro -RJ.

Natural da cidade do Rio de Janeiro. Passou a frequentar a antiga ENBA em 1956. Participou de diversos SNAM entre 1958 e 1967, recebendo a Certificado de Isenção em 1966. Expõe individualmente a partir de 1964. TEIXEIRA LEITE chamou atenção, em 1964, para a influência de Goeldi nos seus trabalhos que, mais tarde, abordaram a temática do carnaval carioca, levando o artista e poeta José Paulo Moreira da Fonseca a situá-lo na fronteira entre o desenho e a pintura. ITAÚ CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 349; MEC, vol. 4, pág. 528; PONTUAL, pág. 556; ACERVO FIEO, pág. 785. Acervo FIEO. -

498 - ADRIAN HENRY VAN EMELEN - (1886 - 1945)
Lance Livre

Paisagem - óleo sobre cartão - - 19 x 24 cm - canto inferior direito - 19/03/1933.

Pintor e escultor ativo em São Paulo na primeira metade do Séc.XIX. Foi autor das figuras de bronze, dos bandeirantes: Manoel Preto e Francisco Brito Peixoto e da tela TROPEIROS À BEIRA DA ESTRADA (1830), atualmente no Museu Paulistano. MEC, vol.2, pág.111; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 1022, Acervo FIEO.

499 - ALOYZIO ZALUAR - (1937)
Lance Livre

"Google" - óleo e colagem sobre madeira - - 36 x 70 cm - canto inferior direito - 2005.

Natural da cidade do Rio de Janeiro. Passou a frequentar a antiga ENBA em 1956. Participou de diversos SNAM entre 1958 e 1967, recebendo a Certificado de Isenção em 1966. Expõe individualmente a partir de 1964. TEIXEIRA LEITE chamou atenção, em 1964, para a influência de Goeldi nos seus trabalhos que, mais tarde, abordaram a temática do carnaval carioca, levando o artista e poeta José Paulo Moreira da Fonseca a situá-lo na fronteira entre o desenho e a pintura. ITAÚ CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 349; MEC, vol. 4, pág. 528; PONTUAL, pág. 556; ACERVO FIEO, pág. 785. Acervo FIEO. -

500 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
Lance Livre

"Batucada" - serigrafia - 99/200 - 82 x 59 cm - canto inferior direito - .
Reproduzido no catálogo da Mostra Itinerante do artista realizada em treze capitais em 1995. -
Desenhista, gravador, pintor e escultor, radicado na Bahia. Sua arte é lírica, de boa técnica, baseada no povo, que lhe forneceu o melhor da sua temática. PONTUAL, pág. 116; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 180 e 181; TEIXEIRA LEITE, págs. 111 e 112; MEC, vol.1, pág. 355; BENEZIT, vol. 2, pág. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717;ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.