Leilão de Arte tableau - Abril/Maio de 2011

001 - ALFREDO VOLPI - (1896 - 1988)
LL Bandeirinhas - ser. 73/120 - 49 x 36 - cid
Nascido em Lucca, na Itália, radicou-se em São Paulo desde a mais tenra idade. Autodidata, iniciou sua carreira como pintor decorativista e de paredes. Considerado pela crítica como um dos grandes coloristas do século XX. Foi integrante do Grupo Santa Helena. REIS JUNIOR, pág. 378; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 426 e 428; JULIO LOUZADA vol.13, pág.1048; MEC. vol.4, pág. 496; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 684; LEONOR AMARANTE, pág. 28, Acervo FIEO.

002 - WALTER CORRAL - (1930)
LL Natureza morta - ostce - 25 x 20 - csd e d
Com etiqueta de Renot Galeria de Arte - São Paulo, no dorso. -Pintor. Walter Guimarães Corral nasceu no Rio de Janeiro. Assina Corral. Realizou muitasexposições individuais pelo Brasil e participou de várias mostras e Salões oficiais.JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 271; VOL. 2, PÁG. 296.

003 - WALDECI DE DEUS - (1952)
LL " As galinhas " - ast - 40 x 50 - cid - 2010
Pintora, natural de Boa Nova, Bahia. Veio para São Paulo, com a família, aos quinze anos de idade. Autodidata, começou a pintar no final dos anos 60 e já em 1969 ganhou seu primeiro prêmio ao participar de uma coletiva. Realizou exposições individuais em: São Paulo, Osasco, Santos, Ribeirão Preto, Jaboticabal, Suzano, Salvador - BA e participou de várias coletivas pelo Brasil, Estados Unidos, Alemanha e Itália. www.waldecidedeus.kit.net.

004 - YARA TUPINAMBÁ - (1932)
LL " Folhas e flores " - ser. 16/160 - 60 x 43 - ci
Esta excepcional gravadora, desenhista e professora, é natural de Montes Claros, MG. Estudou com Guignard e Misabel Pedrosa em BH, após com Goeldi. Participou do SNBABH desde 1953, recebendo diversas premiações. PONTUAL, pág. 527. JULIO LOUZADA. vol 11, pág 328; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

005 - INNOCÊNCIO BORGHESE - (1897 - 1985)
LL " Itanhaém " - ose - 17 x 25 - cid - 1950
Pintor e professor paulista, participante do Salão Paulista de Belas Artes, de 1935 a 1961. Diversas exposições individuais e coletivas, com muitas premiações. Pintou muitas paisagens tendo como tema a cidade de São Paulo. TEODORO BRAGA, pág 56; MEC, vol. 1, pág. 251; Acervo FIEO.

006 - SOPHIA TASSINARI - (1927 - 2005)
LL " Os noivos na praça " - ost - 85 x 40 - cid e d - 1983
Pintora, ceramista e joalheira, esta artista paulistana iniciou seu estudos com Teodoro Braga. Posteriormente teve como companheiros de aula Annita Malfatti e Mario de Andrade. Sua obra é nostálgica, transposta líricamente para as fachadas barrocas, vielas, igrejas e ruínas de cidades históricas brasileiras. JULIO LOUZADA, vol.9, pág. 843; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 644, Acervo FIEO.

007 - SALVADOR RODRIGUES JR - (1907 - 1995)
LL Natureza morta - osm - 19 x 24 - cid
Nasceu em Cádiz, Espanha, a 8 de abril de 1907. Veio a falecer no dia 24 de julho de 1995, em São Paulo-SP. Pintor e professor. A sua pintura é toda poesia e sem artifícios. O artista não imita ninguém. Tem estilo e sentido próprios. Estas algumas das observações do crítico da Sociarte, José Cornelsen. O autor obteve mais de uma centena de medalhas e troféus em certames oficiais. JULIO LOUZADA vol.9, pág.741, Acervo FIEO.

008 - EURICO LUIZ - (1936 - 2004)
LL Paisagem - ost - 22 x 16 - cie
Pintor, desenhista e cenógrafo, nascido em Araçatuba, SP. Sua formação artística foi na Universidade Federal da Bahia e, com o Grupo Bazarte Bahia, pesquisou Arte em Vanguarda. Faleceu em Aracaju, SE, onde viveu os últimos 30 anos.. Em Aracaju, algumas de suas obras encontram-se instaladas nas ruas, praças e avenidas, como por exemplo: os Cajus e a Arara, o boto e o brasão de Aracaju na Praça do Iate, o enorme Caju na Ponte da Coroa do Meio, o mural do Forródromo Luiz Gonzaga e etc. Exposições individuais: Bahia (1964, 1968, 1970); Belo Horizonte, MG (1964); Rio de Janeiro, RJ (1965); São Paulo, SP (1965, 1966, 1969, 1970, 1973, 1974); São Cristóvão, SE (1974); Aracaju, SE (1973 a 1977); Maceió, AL (1973, 1977). Coletivas: São Paulo (1965, 1967 a 1972); Bahia ( 1958, 1959, 1962 a 1966, 1968, 1969, 1972, 1974, 1977, 1978); Brasília (1972); Sergipe (1973 a 1978); Alagoas (1974, 1975); Belo Horizonte, MG (1960, 1961); Rio de Janeiro (1965, 1970); Estados Unidos (1964, 1969); Espanha (1964). Prêmios: Sergipe (1973 1978); Bahia (1978). JULIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG. 360; MEC, VOL. 2, PÁG. 117; http://www.sociedadesemear.org.br.

009 - MACIEJ ANTONI BABINSKI - (1931)
LL Surreal - grav. 22/80 - 11 x 17 - cid
Natural de Varsóvia, Polônia, viveu sucessivamente na Inglaterra e no Canadá, radicando-se em 1953 no Brasil. Antigo aluno de Maurice Denis em Paris, e expoente da pintura abstracionista canadense. Babinski foi colega de Goeldi, de quem adotou a linguagem expressionista. Esplêndido gravador. Atualmente vive é ativo no Ceará. TEIXEIRA LEITE, pág. 48; PONTUAL, págs. 46 e 47; MEC, vol. 1, pág. 157; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 69; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 24; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 903, Acervo FIEO.

010 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL -
Composto por três gravuras: 1) " O fantasma ", medindo 8 x 10 cm, baseado na pintura de Francis Phillip Stephanoff; 2) " Julieta e a Enfermeira ", medindo 16 x 12 cm, baseado no desenho original de J. Wright; 3) " Matilda ", medindo 11 x 8 cm, baseado no desenho original de F. Stone.

011 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL Casario - ose - 30 x 46 - cid
Italiano da Lombardia, PELLEGATTA foi pintor e gravador dedicado a temas sacros e casarios coloniais. Em sua obra, o ser humano é apresentado sempre de modo idealizado, na figura de ternas madonas, santos, coroinhas e cavaleiros. Participou de diversas coletivas e salões, a partir de 1957, recebendo premiações em sua maioria. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág.735; MEC vol.3, pág.363; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

012 - TEREZA NAZAR - (1936)
LL Mulher com pássaro - dn - 70 x 50 - cid - 1963
Importante pintora e desenhista argentina, natural da cidade de Mendoza. Fez parte do movimento da Nova Figuração, ao lado de artistas brasileiros como Ubirajara Ribeiro, Antonio Dias, Claudio Tozzi e Carlos Vergara. O MAB-FAAP realizou importante retrospectiva da artista nos meses de abril/maio de 2005. JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 790

013 - PAUL GARFUNKEL - (1900 - 1981)
LL " Imagens do Brasil " - ser. 82/250 - 22 x 29 - cid - Curitiba
Pintor e desenhista, Paul Garkunfel nasceu na França, na cidade de Fontainebleau, e faleceu no Brasil, em Curitiba-PR. Em 1927 transfere-se para o Brasil, fixando residência em Curitiba a partir de 1936, após passagem por São Paulo e Santos. Integrou o Clube de Gravura do Paraná ao lado de Alcy Xavier e Nilo Previdi. Entre as exposições de que participou, destacam-se: Bienal Internacional de São Paulo, 1951; Salão da Primavera, Curitiba, 1960; Retrospectiva, no Museu de Arte de São Paulo, 1983; 100 Obras Itaú, no Masp, São Paulo, 1985. "Sintetizou sua relação com a natureza ao sugerir: ´Olhemos ao redor de nós, que ainda há muita beleza neste mundo para quem sabe abrir os olhos´. Sem dúvida é um lírico, e dentro de sua obra, fortemente bucólica, encontram-se os sinais de sua esperança e de sua utopia. Avesso ao abstracionismo e suas manifestações, ele procurava traduzir sua preocupação pelo mundo através de um figurativismo direto, claro e sem artifícios metafóricos. " Eugênia Gorini Esmeraldo e Geraldo Serra, in 100 obras Itaú. Pietro Maria Bardi. São Paulo, Banco Itaú, MASP, 1985. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 448; ITAU CULTURAL; MEC, vol. 2, pág. 241/242.

014 - REYNALDO MANZKE - (1906 - 1980)
LL Paisagem - ost - 46 x 61 - cid
Pintor radicado em São Paulo, com diversas participações no Salão Paulista de Belas Artes. TEODORO BRAGA, pág. 155; MEC, vol. 3, pág. 65; PONTUAL, pág. 335.

015 - VITALINO FILHO - (XX)
LL " Lampião " - e em br pol. - h = 34 - b
Ceramista de Caruaru-PE, o autor é filho e primeiro herdeiro da arte do pai, o grande Mestre Vitalino. Citado no livro O REINADO DA LUA, Escultores Populares do Nordeste, de Silvia Rodrigues Coimbra e Outros, Ed. Salamdra, 1980.

016 - EDGARD OEHLMEYER - (1909 - 1967)
LL Mulher - ost - 55 x 46 - cid
Nasceu em Rio Claro, no dia 31 de maio e falecido em 4 de outubro de 1967. Nessa cidade cursou na Escola Profissional a seção de pintura com o prof. Carlos Hadler. Discípulo de Rocco, foi destacado paisagista e pintor de naturezas-mortas, tendo obtido diversas premiações nos SNBA e SPBA. TEODORO BRAGA, pág. 175; MEC. Vol.3, pág. 291; MAYER/1984, pag. 1070; TEIXEIRA LEITE, pág. 362; PONTUAL, pág. 389; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

017 - CARLOS SÖRENSEN - (1928 - 2008)
LL " Copo verde " - tsc - 30 x 40 - cie
Paulista de Baurú, Sorensen fez importantes estudos em Paris, onde a convite do governo francês, freqüenta o ateliê de André Lhote, onde conhece Picasso, Roonet e Fernand Léger e no ano seguinte freqüenta a Escola Superior de Belas Artes-Paris, estudando com Gleizes e André Lhote(1952-1953). Foi artista de múltiplas atividades, ceramista, tapeceiro, cenógrafo, ilustrador, arquiteto, designer e pintor, com sucesso de crítica e de público. Citado em Delta Larouse/1970, pág. 6406; MEC vol.4, pág. 309; PONTUAL, pág. 500, WALMIR AYALA vol.2, pág.347; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 306; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

018 - YOSHIYA TAKAOKA - (1909 - 1978)
LL Cavalos - a - 35 x 50 - cid - 1973
Pintor e desenhista nascido em Tóquio, Japão, veio para o Brasil em 1925, fixando-se no interior de São Paulo, trabalhando na lavoura. Mudou-se para São Paulo, onde ganhava a vida vendendo pastéis, fazendo caricaturas e como pintor de paredes. Foi aluno de Bruno Lechowsky no Rio de Janeiro. Foi um dos fundadores do Grupo Seibi, que reuniu artistas plásticos da colônia japonesa em São Paulo (1935). Fundou em 1948, juntamente com Geraldo de Barros e Antonio Carelli, o Grupo dos Quinze. Viveu em Paris de 1952 a 1953, estudando técnica de mosaico; Freqüentou o Núcleo Bernardelli, onde se ligou de amizade a Pancetti. Participou de diversos salões e exposições, nacionais e estrangeiras, recebendo diversas premiações. PONTUAL, pág. 510; TEIXEIRA LEITE, pág. 490; MEC, vol. 4, pág. 352; TEODORO BRAGA, pág. 220; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 361; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL.

019 - HEITOR DE PINHO - (1897 - 1968)
LL Paisagem - ose - 33 x 41 - cid
Nascido e falecido na cidade do Rio de Janeiro, onde estudou na antiga Escola Nacional de Belas Artes. Foi discípulo de Rodolfo Chambelland, Batista da Costa, Lucílio de Albuquerque e Modesto Brocos. Participa de Salões Oficiais a partir de 1924, recebendo diversas premiações. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.247; MEC. Vol.3, pág.400; WALMIR AYALA. Vol.2, pág.194; TEIXEIRA LEITE, pág.408; PONTUAL, pág.426.

020 - JOÃO CAMARA - (1944)
LL Nu - lito. 251/300 - 21 x 16 - cid
Importantíssimo artista nacional, natural de João Pessoa, PB, e radicado em Olinda, PE. Pintor, desenhista e gravador, João Câmara conquistou os primeiros prêmios de pintura e de gravura nos SPMEP de 1962 E 1964. Neste último ano fundou, em companhia de artistas locais, o Atelier Coletivo de Ribeira, em Olinda. Exerceu o magistério entre 1967 e 1969, lecionando pintura no Setor de Arte da Universidade Federal da Paraíba. Suas obras, tratando de temas atuais, reúnem mensagens poéticas com uma dose de surrealismo, e que segundo o crítico Walmyr Ayala, " desmistifica toda e qualquer atitude romântica" . Walter Zanini, por sua vez, comenta (1967), que " Suas imagens encadeadas quase como um ´puzzle` parecem amalgamar deuses aztecas e ícones do baralho, assumindo ar de aquilina ´terribilitá` sobriamente derrisório." Participou de quase todas as mostras mais importantes do País, com sucesso de crítica. ITAU CULTURAL; PONTUAL, pág. 100; TEIXEIRA LEITE, pág. 100; WALTER ZANINI , pág. 754; ARTE NO BRASIL, pág. 688; Acervo FIEO.

021 - MOACIR ALVES - (1904 - 1982)
LL " Paisagem da Gávea " - ostcm - 20 x 27 - cid e d - 1954
Carioca de nascimento, diplomou-se em arquitetura na antiga Universidade do Brasil. Anos mais tarde tornou-se membro e ocupou o cargo de secretário da Sociedade Brasileira de Artes do Rio de Janeiro. Começou a participar de coletivas em 1930, sendo grande o número de premiações.Possui obras no antigo Palácio da Fazenda (RJ) e na sede na Light, em Toronto, Canadá. JULIO LOUZADA vol.9, pág. 38; ITAÚ CULTURAL.

022 - HENRIQUE CAVALLEIRO - (1892 - 1975)
LL Rostos - dn - 29 x 20 - cie
Pintor, desenhista e professor. Foi aluno de Eliseu Visconti, tendo recebido em 1918 o prêmio de viagem à Europa. Participou de diversos salões e exposições. REIS JR., pág. 375; TEODORO BRAGA, pág. 117; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 2, pág. 45 e 275; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 187 e 190; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; ARTE NO BRASIL, pág. 556; Acervo FIEO.

023 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " A partida de Jacob " - ost - 41 x 33 - cid e d - 1972
Estudou desenho na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro com Modesto Brocos, formando-se em arquitetura em 1932, nessa mesma escola. A partir de 1935, dedicou-se à pintura mural e, de 1937, à pintura de temas sociais, com predominância de motivos de operários em construção e trabalhadores rurais. Caracteriza-se por uma grande versatilidade técnica, sendo dos raros pintores brasileiros a utilizar, lado a lado, o óleo, a têmpera e a encáustica, além da aquarela e do guache. Participou do Núcleo Bernardelli. PONTUAL, pág. 489; MEC, vol. 4, pág. 243; TEIXEIRA LEITE, pág. 475 e 476; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 324 a 327; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763, Acervo FIEO.

024 - ETTORE FEDERIGHI - (1909 - 1979)
LL Natureza morta - ose - 31 x 46 - cid
Pintor ativo em São Paulo, participou do SPBA, conquistando menção honrosa (1952), pequena medalha de prata (1957), prêmio aquisição (1958 / 59 / 60), grande medalha de prata (1961) e várias outras, bem como várias participações em Salões. MEC, vol. 2, pág. 145; JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 387.; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

025 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL " Emblema " - ast - 22 x 27 - d - 1986
Baiano de Salvador, autodidata, Rubem Valentin pinta desde meados de 1940. Sua primeira coletiva foi em 1949, no Salão Baiano de Belas Artes, do qual participaria outras vezes, recebendo premiações. Viveu no Rio de Janeiro e na Europa, fixando residência permanente em Brasil, DF, há mais de 20 anos. O artista assim explicava a sua arte: "Minha linguagem plástico-visual signográfica está ligada aos valores míticos profundos de uma cultura afro-brasileira (mestiça-animista-fetichista). Com o peso da Bahia sobre mim - a cultura vivenciada; com o sangue negro nas veias - o atavismo; com os olhos abertos para o que se faz no mundo - a contemporaneidade; criando os meus signos-símbolos procuro transformar em linguagem visual o mundo encantado, mágico, provavelmente místico que flui continuamente dentro de mim". PONTUAL, pág.532; WALMIR AYALA, vol.2, págs.395 a 397; TEIXEIRA LEITE, pág.517; MEC, vol.4, pág.443; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.330; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 257, Acervo FIEO.

026 - GASTÃO FORMENTI - (1894 - 1974)
LL Marinha - ose - 46 x 61 - cid - 1964 - Cabo Frio
Pintor nascido em Guaratinguetá-SP. Após iniciar-se em arte com Pedro Strina, em São Paulo, foi residir no Rio de Janeiro, onde, com seu pai, dedicou-se à execução de vitrais. Recebeu medalhas de bronze e de prata no SNBA, do qual ainda participava em 1961. TEODORO BRAGA, pág. 98; WALMIR AYALA vol.1, pág.317; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

027 - SAMSON FLEXOR - (1907 - 1971)
LL Composição - g - 40 x 30 - cid - 1954
Pintor nascido na Romênia, estudou em Paris, onde fez em 1927 sua primeira individual, radicando-se em 1946 em São Paulo, onde faleceu. Foi um dos pioneiros do abstracionismo no Brasil, tendo criado em 1948 o Atelier Abstração. Em 1968 sua obra foi objeto de importante retrospectiva no MAM-RJ. BENEZIT vol. 4, pág. 402; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 313/4; TEIXEIRA LEITE, pág. 198; PONTUAL, pág. 217/8; MEC, vol. 2, pág. 179 e 180; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 917; LEONOR AMARANTE, pág. 75; WALTER ZANINI, pág. 643, Acervo FIEO.

028 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Paisagem - ost - 65 x 100 - cie
Nascido na Itália, radicou-se no Brasil. Seu estilo liga-se ao dos Macchiajoli oitocentistas (os equivalentes italianos dos impressionistas franceses) e ao de Pratella em especial. São especialmente notáveis suas paisagens e marinhas. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 168; JULIO LOUZADA vol.11, pág.54; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

029 - RUBENS GERCHMAN - (1942 - 2008)
LL O beijo - ser. 26/100 - 35 x 51 - cid
Importante artista, foi representante da vanguarda da arte brasileira. Pintor, desenhista e gravador, frequentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro (1957/8) e a antiga ENBA (1959-1962), estudando xilogravura com Adir Botelho. Participou dos XIX e XXI SPar.BA (1962-1964 / com prêmios), XI, XIII, XIV, XV e XVI SNAM (entre 1962-1967), além de inúmeros outros salões e mostras oficiais no Brasil e no exterior. JULIO LOUZADA vol. 13 pág. 148; PONTUAL, pág. 235; TEIXEIRA LEITE, "in" A GRAVURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 974; LEONOR AMARANTE, pág. 143, Acervo FIEO.

030 - YAACOOV AGAM - (1928)
LL " Spirit of America " - tm P.A. 28/75 - 22 x 22 - cid
Com certificado de autenticidade de BBC Art Corporation. -Pintor, escultor e professor, natural de Rishon-le-Zion, Israel. Cursou, em Jerusalém, a Escola de Arte de Bezalel. Depois de ter sido preso, em 1945, pelos ingleses, viaja pela Europa e Estados Unidos. Na Suíça, foi aluno de S. Giedion e Johannes Itten. Em 1951, fixa-se em Paris onde freqüenta o Ateliê de Arte Abstrata e a Academia da “Grande Chaumière”. Na década 60 viaja aos Estados Unidos para ministrar aulas e conferências. Exposições individuais: Paris (1953, 1956, 2002, 2003, 2007); Israel (1956); Bélgica (1958); Inglaterra (1959); Suíça (1962, 2004); Estados Unidos (1966, 1999). Muitas foram as exposições oficiais e coletivas, com destaque: Paris (1955, 1967); São Paulo, SP (1963 – Bienal Internacional). Possui obras em Museus da Alemanha, França, Holanda, Israel, e Estados Unidos. Dentre suas realizações monumentais, pode-se citar: o teto do Centro de Convenções de Jerusalém e um Salão do Palácio de “Elysée”, Paris. BENEZIT, VOL.1, PÁG.51; www.artprice.com.

031 - SERGIO LONGO - (1946)
LL " Dança das horas " - tm s/t - 60 x 50 - cie e d - 1998
Walter Nather Jr comenta: "...Sua arte não é apenas uma inspiração espontânea, vem de uma primorosa sensibilidade, com uma visão amadurecida com o passar do tempo, Na sua constante busca na manipulação do espaço, trabalhando, descobrindo e evoluindo sempre (...) Sérgio Longo, não só cria, elabora, executa e participa, mas vive, respira e dedica toda sua vida e seu tempo ao maravilhoso mundo que é o universo infinito de um ser artista." JULIO LOUZADA vol.11, pág. 178.

032 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Dançarinos - dn e g - 21 x 16 - cid
Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista. Realizou mais de cem mil desenhos, não se conhecendo um único ruim. Observador arguto, retratou com maestria e humor o cotidiano de sua cidade natal, da qual, consta, ausentou-se por duas únicas ocasiões. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646.

033 - ROLANDO NATAL SCURZIO - (1931 - 1998)
LL " Pantanal - Chalana " - ostcm - 42 x 55 - cid e d - 1998
Pintor de tendência figurativa com temática que se extravasa em forte colorido expressionista. Estudou com o professor Mecozzi e com o mestre Arlindo Castellane di Carli. Participou de várias exposições e recebeu vários prêmios em 1978. No Salão Paulista de Belas Artes recebeu Menção Honrosa. JULIO LOUZADA, vol. 7, pág. 647, Acervo FIEO.

034 - MÂNLIO BENEDETTI - (1894 - 1942)
LL " Fazenda " - ost - 37 x 50 - cid - 1925
Natural de Pescia, Italia. Radicou-se em São Paulo, onde realizou exposições individuais em 1922, 1924 e 1925, e em Campinas, SP, nesse último ano. JULIO LOUZADA, vol.10, pág.105; MEC, vol.1, pág.214; TEIXEIRA LEITE, pág.69; PONTUAL pág.68; ITAU CULTURAL, RUTH TARASANTCHI.

035 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Figura - dl - 22 x 27 - ci - 1985
Campos do Jordão - 5:30h. -Nasceu em 27 de dezembro na cidade de Villa Collemandina, na Itália, e fixou-se no Brasil desde 1929, após ter estudado em Florença, e haver-se diplomado em pintura pela Academia Real de Pintura de Lucca. Pennacchi integrou a Familia Artística Paulista. Muralista de inspiração pré-renascentista, sua pintura é sensível e pessoal de modo especial na interpretação dos grandes temas bíblicos e da vida dos santos (mercê de uma infância marcada por sólida educação religiosa Católica), e na evocação do mundo caipira. Realizada em 1973, considerado o Ano de Pennacchi, importante retrospectiva da obra deste festejado artista no MAM de São Paulo. O artista fez exposições em Milão e foi homenageado em seu país natal. TEODORO BRAGA, pág. 192; MEC, vol, 3, pág. 365; WALMIR AYALA, vol, 2, pág. 182; PONTUAL, pág. 416; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 784; Acervo FIEO.

036 - ANTONIO PETICOV - (1946)
LL " O trabalho " - dlc - 56 x 38 - cid - 1980
Nasceu em Assis, SP. Desenhista, gravador e escultor. Autodidata. Integra os movimentos movimentos artísticos de vanguarda da segunda metade da década de 60. De produção diversificada, segue tendências variadas das vanguardas artísticas internacionais das últimas décadas. Participa de várias exposições entre elas, Bienal Internacional de São Paulo, 1967, 1969 e 1989; Panorama da Pintura Brasileira, no MAM/SP, São Paulo, 1983; Destaques da Arte Contemporânea Brasileira, no MAM/SP, 1985; Bienal Brasileira de Design, Curitiba, 1990; OFF Bienal, no MuBE, São Paulo, 1996; Arte Suporte Computador, na Casa das Rosas, São Paulo, 1997. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 757/758; WALTER ZANINI, pág. 760; LEONOR AMARANTE, pág. 185. Acervo FIEO.

037 - RENINA KATZ - (1925)
LL Colheita - xilo. - 12 x 18 - cid
Pintora, gravadora e professora, Renina Katz é paulista. Sua arte é dominada pelo vigor e pela imaginação. MEC vol.2, pág.403/4; PONTUAL, pág. 288/9; WALMIR AYALA vol.1, pág.441; JULIO LOUZADA vol.11, pág.262; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 606; ARTE NO BRASIL, pág. 834; LEONOR AMARANTE, pág. 98, Acervo FIEO.

038 - ARMANDO VIANNA - (1897 - 1988)
LL Paisagem - osm - 33 x 41 - cie - Rio
Este grande pintor carioca foi discípulo de Rodolfo Chambelland e Rodolfo Amoedo na antiga Escola Nacional de Belas Artes e de Eurico Alves e Stefano Cavalaro, no Liceu de Arte e Ofícios do Rio de Janeiro. É ainda hoje, considerado um dos maiores aquarelistas brasileiros. Realizou exposições individuais e em todas as principais capitais brasileiras. MEC vol.4, pág.470; JULIO LOUZADA vol.3, pág.186. PONTUAL pág. 538; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

039 - LECY BOMFIM - (1927)
LL Natureza morta - ostce - 12 x 16 - cid - 1986
Natural de Santos, SP, onde nasceu em 20 de maio de 1927. Iniciou seus estudos artísticos com o prof. José Roncolleto Lubra, em 1945. Em São Paulo, onde foi ativa até o ano de 2000, estudou com os profs. Joseph Trabulsi, Silvio Alves e Arlindo Castellane. Entre 1946 e 1978, expôs em Salões Oficiais no eixo Rio-São Paulo, recebendo muitas premiações, inclusive em Salões Internacionais de que participou de 1979 a 1987. Participou da Bienal Internacional de São Paulo em 1976. Expõe em coletivas e individuais a partir de 1974, entre elas 12, 13 e 14a. Exposição de Artistas Contemporâneos da Sociearte (1993-1994-1995), Galeria Clube Atlético Paulistano-SP (1979), entre outras. Suas obras constam de acervos particulares e de museus, tais como o de Santiago, no Chile, PINACOTECA-SP, Municipal de Taubaté-SP, etc. JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 138.

040 - JOÃO CAMARA - (1944)
LL Figura - lito. 251/300 - 20 x 16 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

041 - HILDEBRANDO DE CASTRO - (1957)
LL Figura surreal - dn e a - 23 x 34 - cid - 1978
Pintor, desenhista e ilustrador autodidata nascido em Olinda, PE. Em 1996 vai para Nova York, mas, atualmente, vive e trabalha em São Paulo. Exposições individuais: Rio de Janeiro (1980, 1986, 1987, 1995, 1998); Munique, Alemanha (1988); Zurique, Suíça (1989, 1990); Nova York (1996); São Paulo (1994, 1997, 2001, 2004); Atlanta, USA (2003). Participou de diversas mostras coletivas e Salões oficiais obtendo prêmios em: Salvador, BA (1987); Nuremberg, Alemanha (1986); Rio de Janeiro (1985, 1995). ITAU CULTURAL; www.hildebrandodecastro.com.br; www.cultura.gov.br; artprice.com.

042 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl
Composto por três desenho: 1) 6 x 11 cm ass. cid; 2) 7 x 10 cm ass. cid; 3) 7 x 11 ass. cid. Procedentes da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. -Monstro sagrado da pintura brasileira, Tarsila é a criadora de duas das principais tendências ou movimentos de nossa arte nacionalista: o Pau Brasil (1924) e o Antropofagia. Sua arte poderia ser definida como um Cubismo adaptado às condições e ao temperamento brasileiros. TEODORO BRAGA, págs. 220/21/22/23; REIS JR.-págs.388/89 ; WALMIR AYALA, vol. 2-págs. 365 e 367 ; MEC, vol. 4-págs. 370/71; PONTUAL, pág. 511; TEIXEIRA LEITE, pág. 492; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 389; ARTE NO BRASIL, pág. 577; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

043 - ENRICO BIANCO - (1918)
LL Nu - ose - 45 x 30 - cie e d - 1980
Nascido na Itália, é hoje considerado um de nossos melhores pintores. Atingiu um estilo pessoal, figurativo, eminentemente lírico, baseado em um desenho livre e numa cor sensível. THEODORO BRAGA, pág. 54; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 99, 110 e 104; MEC, vol. 1, pág. 242; PONTUAL, pág. 76; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 594. Acervo FIEO. -

044 - JOSÉ SABÓIA - (1949)
LL Trabalhadores - ost - 50 x 70 - cid
Nascido em Almadina (BA). Indo para o Rio de Janeiro em 1967, começou a pintar no ano seguinte, passando a expor seus trabalhos na Feira Hippie de Ipanema. Sua primeira individual deu-se em Fortaleza em 1970; a partir de então, tem exposto com freqüência no Rio de Janeiro e em São Paulo. A pintura de Sabóia partiu de uma raiz eminentemente popular, tendo atingido depois um rebuscamento que se traduz no caprichoso desenho de linhas recurvas, na pincelada lisa, impessoal, no colorido reduzido a três ou quatro tons básicos e na composição, dotada daquele inconfundível horror vacui dos ingênuos. JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 278; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 228; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

045 - RENOT - (1932)
LL " Depois da jardinagem " - tm - 25 x 20 - csd e d - 2008
Tapeceiro, desenhista e pintor baiano, ativo em São Paulo desde 1978, com diversas premiações, exposições e leilões. Também atua no mercado de arte como "marchand". JULIO LOUZADA vol.1, pág. 816, Acervo FIEO.

046 - CARLOS PRADO - (1908 - 1992)
LL Procissão - dn - 48 x 33 - cie - 1955
Arquiteto, pintor, gravador e ceramista paulistano. Recebeu menção honrosa no SPBA de 1935, participando também na I e II BSP e na exposição de Arte Moderna no Brasil, realizada em Buenos Aires, Rosário, Santiago do Chile e Valparaíso, em 1957. No dizer de TEIXEIRA LEITE, em sua obra A Gravura Brasileira Contemporânea, Carlos Prado utilizava por vezes a gravura como meio expressivo, subordinando-a, porém, a interesses maiores. TEIXEIRA LEITE, pág. 421; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 254. PONTUAL, pág. 438; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 582; ARTE NO BRASIL, pág. 781. Acervo FIEO.

047 - MARIA TOMASELLI CIRNE LIMA - (1941)
LL Composição - ser. 31/100 - 30 x 30 - cid - 1972
A autora nasceu em Insbruck, Áustria. Pintora, desenhista, gravadora, xilógrafa e serígrafa, estudou desenho com Hanz Kuhn, em 1962, diplomando-se em Filosofia Pura na Universidade de Innsbruck, em 1965, ano em que transfere residência para o Brasil, fixando-se em Porto Alegre-RS. Foi aluna de pintura de Iberê Camargo e de xilogravura com Danúbio Gonçalves, no Ateliê Livre da Prefeitura. " (...) O trabalho de Tomaselli evoluiu à maneira de uma lente de aproximação no tempo e no espaço: da aldeia indígena à cidade e desta ao corpo. Esta evolução foi também um processo de desnudamento, a artista arrancando as sucessivas peles desse corpo-mundo-casa-colcha. Nua de mitos ela conclui que o mundo não é feito só de arte ou utopias. Como ela". Frederico Morais, in MARIA Tomaselli. Apresentação de Frederico Morais. São Paulo: Galeria Alberto Bonfiglioli, 1984. MEC; WALTER ZANINI; ITAUCULTURAL.

048 - GERSON DE AZEREDO COUTINHO - (1900 - 1967)
LL Paisagem com flamboyant - ost - 19 x 29 - cie
Pintor e arquiteto gaúcho (cidade de Jaguarão), estudou com Henrique Bernardelli e na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro. Foi paisagista, e por várias vezes mereceu prêmios no Salão Nacional de Belas Artes. TEODORO BRAGA, pág. 108; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 2, pág 133; Citado no Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, Ministério da Educação e Saúde-MNBA/Rio/1944; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 67; RGS, pág. 104. Acervo FIEO. -

049 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - g - 39 x 17 - cid
Pintor e desenhista austríaco, natural de Viena, transferiu-se para o Brasil em 1928, fixando residência em São Paulo, Estudou no Liceu de Artes e Ofícios da cidade, onde conheceu Valdemar da Costa, com ele fazendo aprendizado de pintura a partir de 1940. Artista estável, sua evolução não sofreu sobressaltos, uma vez formado numa linguagem linear de sensibilidade pessoal, despojada e exigente, rigorosamente artesanal. PONTUAL, pág. 131; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI pág. 645; ARTE NO BRASIL, pág. 798; Acervo FIEO.

050 - JOSÉ ANTONIO MORETO - (1938)
LL Fundo de quintal - ost - 40 x 60 - cie - 1981
Natural de Pederneiras, SP, onde nasceu em 14/7/1938. Seu principal mestre e orientador foi Aldo Cardarelli. Fixou-se em Campinas, onde seu talento paisagista é bem reconhecido. Sua pintura é neo-clássica, e produz paisagens, marinhas, naturezas-mortas e figuras. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 694; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

051 - HENRIQUE BONIFACIO - (1954)
LL Beira- mar - ose - 22 x 29 - cie - 1981
Pintor fluminense nascido em Niterói/RJ. Frequentou a Escola Fluminense de Belas Artes de 1971 a 1974. Em 1975 passou a cursar a Escola Nacional de Belas Artes/RJ onde permaneceu até 1981 estudando com Israel Pedrosa. Participou de diversos salões oficiais, com premiações e inúmeras exposições individuais pelo Brasil. O Banco do Estado do Ceará e a Petrobras possuem obras em seus acervos. JÚLIO LOUZADA, vol. 3, pág. 143.

052 - KLAUDIO URSIC - (1924)
LL Paisagem - ost - 70 x 50 - cie - 1992
Natural da Yugoslavia, estudou na Italia. No Brasil, realizou diversas exposições individuais na cidade de São Paulo, além de participar de Salões Oficiais e de coletivas em destacadas Galeria do País. JULIO LOUZADA vol. 3 - pág. 1162.

053 - CALISTO CORDEIRO, DITO K.LIXTO - (1877 - 1957)
LL " Aplausos Unanimes " - dn - 33 x 42 - cid
Desenhista, caricaturista e pintor. Estudou na ENBA. Desenhou o primeiro sêlo de impôsto de consumo impresso no Brasil. Sua atividade de caricaturista durou mais de 30 anos, com intensa colaboração em jornais e revistas do Rio de Janeiro, tais como O Riso, D. Quixote, Carêta, A Semana Ilustrada, Fon-Fon!, Ilustração Brasileira, A Caricatura, O Cruzeiro, O Tagarela, O Malho e tantas outras. Participou de diversos certames do gênero. Sua excepcional obra é até hoje objeto de estudo por especialistas, que não se cansam de lhe tecer elogiosas críticas. PONTUAL, pág. 291; JULIO LOUZADA vol 12 pág. 218; WALTER ZANINI, pág. 806; ARTE NO BRASIL; HISTÓRIA DA CARICATURA NO BRASIL, pág. 1014.

054 - SERGIO MILLIET - (1898 - 1966)
LL Peixes - osm - 40 x 50 - cid
Nascido e falecido em São Paulo, Capital. Poeta, ensaísta, crítico literário e de arte, e pintor. Ao lado de suas múltiplas atividades de poeta, crítico e estudioso das artes plásticas, Sergio Milliet também foi assíduo pintor de domingo, especialmente das praias de Santos. Foi diretor artístico do MAM-SP, o qual organizou em 1969, uma exposição de sua pintura, comentada no Jornal do Brasill, de 22/9/1969. PONTUAL, pág. 361; JULIO LOUZADA vol.10, pág. 598; ITAÚ CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 325. Acervo FIEO.

055 - UBIRAJARA RIBEIRO - (1930 - 2002)
LL Composição - a - 28 x 21 - cid - 1984
Pintor, desenhista, gravador, artista gráfico, arquiteto e professor paulistano, nascido em 2 de outubro de 1930. Estudou pintura e gravura nas cidade de São Paulo e Salvador, com Pedro Corona, Waldemar da Costa e Mário Cravo Jr. Para o autor a arte é a corporificação de um processo de criatividade e percepção. Expôs individualmente pela primeira vez em 1964, na Galeria Seta-SP. Dentre as coletivas, destacam-se a da FAAP-SP, em 1965, I SPAC-SP, 1969. Foi escolhido como Melhor Gravador do Ano, em 1977, pela APCA. JULIO LOUZADA vol. 11 pág. 266; ITAÚ CULTURAL.

056 - JULIO PLAZA - (1938 - 2003)
LL Composição - col. - 40 x 59 - d
Julio Plaza González nasceu em Madri, Espanha e faleceu em São Paulo. Artista intermídia, escritor, gravador e professor. Inicia sua formação artística na década de 1950, com estudos livres em Madri. Posteriormente freqüenta a Escola de Belas Artes, em Paris. Vem ao Brasil em 1967, integrando a representação espanhola que participa da 9ª Bienal Internacional de São Paulo. Ingressa na Escola Superior de Desenho Industrial, no Rio de Janeiro, com bolsa de estudos concedida pelo Itamaraty. Leciona linguagem visual e artes plásticas, como artista residente, na Universidade de Puerto Rico (1969 e 1973). Em seguida, muda-se para São Paulo, onde se torna professor da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e da Fundação Armando Álvares Penteado. Funda, em 1978, o Centro de Artes Visuais Aster, com Donato Ferrari , Walter Zanini e Regina Silveira , com quem foi casado. Publica com Augusto de Campos os livros ‘Caixa Preta’ e ‘Poemóbiles’(1975), é autor de publicações teóricas sobre arte, como ‘Videografia em Videotexto’ (1986) e ‘Os Processos Criativos com os Meios Eletrônicos: Poéticas Digitais’, com Monica Tavares (1998). Na década de 1990, leciona no Instituto de Artes da Unicamp. Realizou muitas exposições individuais; participou de inúmeras mostras oficiais e exposições póstumas foram realizadas em São Paulo (2003, 2004). ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL. 3, PÁG. 921; MEC VOL.3, PÁG. 423; www.acervos.art.br; artprice.com.

057 - GUILHERME DE FARIA - (1942)
LL " Aurora " - lito. 41/50 - 75 x 53 - cid - 1984
Pintor, gravador e desenhista paulistano. Expõe individualmente desde 1963, tendo participado de diversas coletivas no Brasil e no exterior. MEC vol.2, pág. 142; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

058 - ADILSON RODRIGUES LESSA - (1972)
LL " Presépio do Brasil " - ost - 70 x 50 - cid e d - 2006
Reproduzido na pág. 80 do livro " NAIF de Mala e Cuia " de autoria de Oscar D'Ambrosio. -Pintor nascido em Tupã, SP. Assina Adilson Rodrigues. Aos 21 anos fixou-se em Avaré, SP, onde trabalhou como fotógrafo e se aproximou do mundo das artes, integrando o Grupo Avareense de Teatro Amador, o GATA. Autodidata, na pintura, foi incentivado pelo diretor de teatro Antonio Marcos de Campos e pela artista plástica e restauradora Nilva Leda Calixto. Realizou e participou de diversas exposições em: Avaré, SP; Mauá, SP; Osasco, SP; Piracicaba, SP e Cuba. OSCAR D’AMBROSIO, " NAÏF DE MALA E CUIA ", AUDERIMARTINS; artcanal.com.br.

059 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Cangaceiro - mdg - 27 x 25 - n/as.
Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

060 - G.T.O. (GERALDO TELES DE OLIVEIRA) - (1930 - 1990)
LL Figuras - e em mad. - h = 80 - b
Mineiro de Itapecerica, Geraldo Teles de Oliveira, dito GTO, foi escultor. Começa sua atividade artística, em 1965, a partir de sonhos - em um deles, Deus lhe mostra a madeira e as esculturas que deveria realizar. Assim, tendo seus sonhos como referência, realiza grande parte de suas obras; mais tarde, utiliza apenas sua criatividade nos seus trabalhos. Entre as exposições das quais participa, destacam-se: 1º e 2º Salão de Arte Contemporânea, Belo Horizonte, 1969/1970; Bienal Internacional de São Paulo, 1969/1975/1981; Bienale Formes Humaines, no Museu Rodin, Paris (França), 1974; II Festival Mundial e Africano de Arte e Cultura Negra, em Lagos (Nigéria), 1977; 42ª Bienal de Veneza (Itália), 1978. Após sua morte, suas obras são expostas na mostra: Exposição Cinco Anos sem Novos Sonhos de GTO, na Galeria Paulo Campos Guimarães, Belo Horizonte, 1995. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 763; LEONOR AMARANTE, pág. 294; ITAU CULTURAL.

061 - BENEDITO CALIXTO DE JESUS - (1853 - 1927)
LL Marinha - ost - 24 x 31 - n/as.
Com certificado de autenticidade firmado por Celso Calixto Rios. -Pintor paulista, depois de apresentar seus trabalhos em São Paulo, no ano de 1881, fixou-se por algum tempo em Santos. Tendo executado a decoração do Teatro Guarani, partiu para Paris em 1883, estudando na Academia Julian; retornou ao Brasil em 1885 e passou a residir em São Vicente, cuja paisagem fixou em diversos quadros. Existem obras suas nos acervos de diversos museus brasileiros. TEODORO BRAGA, pág.51; REIS JR, pág. 214; LAUDELINO FREIRE, pág. 387; PONTUAL, pág.68/69; MEC, vol.1, págs.326/327; WALMIR AYALA, vol.1, pág.153; MAYER/83, pág,601; TEIXEIRA LEITE, pág. 97; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 505; ARTE NO BRASIL, pág. 599, RUTH TARASANTCHI.

062 - ALFREDO NORFINI - (1867 - 1945)
LL Igreja - a - 23 x 29 - cid - 1942
Pintor, fez os primeiros estudos na cidade natal, Florença, Itália, e mais tarde cursou a Real Academia San Lucca, de Roma, pela qual se diplomou em 1892. Vindo ao Brasil, radicou-se em São Paulo, participando de várias exposições no Rio de Janeiro, São Paulo e Recife. Participou do SNBA, nos anos 1899, 1908, 1909, e do Salão Paulista de Belas Artes, obtendo pequena medalha de prata (1934 - 1943). LAUDELINO FREIRE, pág. 518; TEODORO BRAGA, pág. 173; MEC, vol. 3, pág. 267; PONTUAL, pág. 386; ITAÚ CULTURAL, RUTH TARASANTCHI.

063 - CABRAL, ANTONIO HÉLIO - (1948)
LL No jardim - ost - 40 x 30 - cie - 1987
Formado em arquitetura pela USP em 1974. Foi professor de pintura e desenho em diversas instituições de 1973 a 1984, tendo organizado mostras de artes brasileiras no Museu Lasar Segall, cujo ateliê de artes plásticas também orientou por algum tempo. Como pintor é adepto do figurativismo expressionista. TEIXEIRA LEITE, pág. 96; JULIO LOUZADA vol.10, pág.159; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

064 - NERÃO - (ANTONIO JOAQUIM NERY) - (1903 - 1997)
LL " Boleiadeira " - ost - 38 x 46 - cid - 1986
Pintor primitivo, de singular criatividade em seus temas, expôs no MASP, tendo sido apresentado em catálogo pelo saudoso P. M. Bardi, que o considerava depois de José Antonio da Silva, o melhor pintor primitivo brasileiro,tendo inclusive realizado uma exposição individual do autor no MASP - SP. JULIO LOUZADA, vol. 2 pág. 715, Acervo FIEO.

065 - ANNA S. FISHER - (1873 - 1942)
LL Paisagem - a - 20 x 28 - cie
Pintora e professora nascida e falecida em Cold Brook, Nova York. Estudou no Pratt Institute, Brooklyn, onde lecionou.. Especializou-se na técnica da aquarela e foi membro da ‘American Watercolor Society’; do ‘New York Watercolor Club’; da ‘New York Society of Painters’; da‘National Academy of Design’; da‘Louis Comfort Tiffany Foundation’; da ‘Allied Artists of America’; do ‘National Artists Club’ e da ‘National Association of Women Artists’. Seus trabalhos foram expostos em todas as mostras das respectivas associações e também participou das exposições do ‘Baltimore Watercolor Club’ e da ‘ Grand Central Galleries’. Foi premiada em 1919, 1920, 1921, 1924, 1930, 1932. Possui obras na ‘National Academy of Design’, no ‘National Arts Club’, no ‘Pratt Institute Art School’, no ‘Brooklyn Museum’ e no Montclair Museum’. www.bhnyfineart.com; www.brooklynmuseum.org; artprice.com; askart.com; arcadja.com; artnet.com; artfact.com.

066 - RUDOLF WEIGEL - (1939)
LL " Bairro Fundos de Ouro Preto " - osc - 14 x 19 - cie - Ouro Preto
Pintor austríaco radicado no Brasil pintou com maestria as cidades de Olinda, Ouro Preto, Salvador, Angra dos Reis e outras, sempre fiel a sua temática do Brasil antigo. MEC vol. 4, pág. 505. JÚLIO LOUZADA vol.11, pág. 343.

067 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Nu - e em b - h = 46 - ass.
Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.

068 - EDUARDO DE SÁ - (1866 - 1940)
LL Pedras no Arpoador - ost - 41 x 58 - cid
Reproduzido sob o n.° 291 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro. -Nasceu e faleceu na cidade do Rio de Janeiro, RJ, onde residia e era ativo. Escultor, pintor e restaurador. Freqüentou aulas particulares de escultura com Rodolfo Bernardelli e estudou na Academia Imperial de Belas Artes, entre 1883 e 1886, com Victor Meirelles, Zeferino da Costa, José Maria de Medeiros e Pedro Américo. Em Paris, estudou na Académie Julian, onde foi aluno de Gustave Boulanger e de Jules Joseph Lefebvre (1888). Francisco Aquarone assim escreveu sobre o autor: "Eduardo de Sá gozava uma estranha dualidade de pintor-escultor. Nessa última especialidade, porém, foi que ele deixou a sua obra mais forte: a estátua do Marechal Floriano Peixoto, na praça do mesmo nome. Positivista convicto, toda a sua obra se ressente desse espírito de setarismo, que orientava a inspiração do artista. Sem jamais ter feito trabalho de escultura, compareceu com uma maquete à concorrência do monumento acima citado. Seu projeto foi aceito. Alguns anos mais tarde, Eduardo de Sá obteve também incumbência de executar o Monumento à República, na praça do mesmo nome. Em ambas notam os críticos os sulcos da doutrina positivista, deixados em tudo o que saía da concepção do artista. " in: ACQUARONE, Francisco. História da arte no Brasil. Rio de Janeiro: Oscar Amno Ed. , 1939. p. 235. JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 851; ITAU CULTURAL, TEIXEIRA LEITE, MEC; PONTUAL.

069 - DJANIRA DA MOTTA E SILVA - (1914 - 1979)
LL Menino brincando - dn - 22 x 15 - cid
Pintora, desenhista e gravadora, natural de Avaré, SP. Foi aluna de Marcier. A partir de 1942 participa do SNBA, recebendo premiação em 1943, 1944 e 1950. Realizou exposições individuais. Participou de diversas coletivas e salões de arte, nacionais e internacionais, com excelente recepção da crítica especializada. Diz-se que sua pintura é ingênua, mas ela declarava que ingênua, era ela mesma. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 336; PONTUAL, pág. 181; TEIXEIRA LEITE, pág. 164; MEC, vol. 2, pág 58; WALMIR AYALA, vol. 1, pág, 263; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 810; ARTE NO BRASIL, pág. 824; Acervo FIEO.

070 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Cidade - ost - 102 x 42 - cie
Pintor nascido na Itália. Mecatti radicou-se no Brasil em 1940, após trabalhar por vários anos na Tripolitânia, no norte da África. É notável pela estilização de suas figuras e paisagens concebidas, em tons baixos e obedientes a uma composição pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 161/2; MEC, vol. 3, pág. 109; PONTUAL, pág. 352; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 72; TEIXEIRA LEITE, pág. 320; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

071 - FRANK SCHAEFFER - (1917 - 2008)
LL Figuras - osc - 100 x 50 - cid - 1977
Pintor, desenhista e professor. Realizou sua formação artística com Arpad Szenes no Brasil e, entre 1948 e 1949, com André Lhote e Fernand Léger em Paris. Participou de diversas edições da Bienal SP, do SNAM, e outras mostras importantes, tais como I Bienal Interamericana do México (1958), SAMDF (1964 e 1965), entre outras, todas com premiações. Pintor fiel ao seu estilo, pinta seus tema preferidos através de sua imaginação romântico-expressionista. TEODORO BRAGA, pág. 101; PONTUAL, pág. 477; MEC, vol. 4, págs. 192 e 209; Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, MEC-MNBA/Rio/1944.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717.

072 - GEORGES WAMBACH - (1901 - 1965)
LL " Igreja do Bonfim " - dn e a - 45 x 30 - cid - 1957
Belga de nascimento, veio a falecer no Rio de Janeiro. Excepcional aquarelista, que retratou o Brasil em suas inúmeras incursões. "Georges Wambach (1901-1965) talvez tenha sido um dos últimos exemplares de uma espécie em extinção, ou já extinta, quem sabe: a dos artistas viajantes de que o século XIX foi pródigo. Artistas com cavalete, paleta, tintas e pincéis na mochila, que vararam o mundo em busca do fantástico, do erótico, e, sobretudo, do excitante desconhecido, aventura que até custou a vida de alguns como Adrien Taunay, que viu a morte aos 25 anos em pleno Mato Grosso." Fernando Cerqueira Lemos, in AQUARELAS de Georges Wambach: impressões do Brasil. Ed. Marca d´Água-SP, 1988. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 343; TEIXEIRA LEITE, pág. 540; ITAÚ CULTURAL.

073 - GRAUBEM DO MONTE LIMA - (1889 - 1972)
LL Arara e borboletas - ost - 55 x 33 - cid - 1966
Reproduzido sob o n.° 325 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro. -Pintora natural da cidade de Iguatu-CE. Faleceu na cidade do Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência no Rio de Janeiro em 1908, onde inicia-se na pintura como autodidata em 1958. Em 1960, prossegue seus estudos com Ivan Serpa, no MAM-RJ. Entre as exposições das quais participa, destacam-se: Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1962 e 1963; Bienal Internacional de São Paulo, de 1963 a 1967; Bienal Americana de Arte, Córdoba (Argentina), 1964; Oito Pintores Brasileiros, na Galeria Jacques Massol, Paris (França), 1965; Bienal Nacional de Artes Plásticas, Salvador, Bahia, 1966; Artistas Primitivos Brasileiros Contemporâneos, no Museu de Arte Moderna de Buenos Aires, Argentina, 1966; Arte/Brasil/Hoje - Cinqüenta Anos Depois, na Galeria Collectio, São Paulo, 1973. PONTUAL, pag. 250; ITAU CULTURAL

074 - JOSÉ DE DOME - (1921 - 1982)
LL Locomotiva - p - 25 x 47 - cid - 1972 - Cabo Frio
José de Dome nasceu em Estância, SE. Autodidata, firmou-se como pintor na década de 60. Um amarelo sempre solar e luminoso sobressai em suas telas e a imprecisão nos contornos das figuras, o empastelamento das formas, é um dos recursos utilizados pelo autor para dar aos seus personagens e temas feições dramáticas atenuadas. Foi ativo em Cabo Frio, RJ; o artista expôs individualmente a partir da década de 50. PONTUAL, pág. 183; JULIO LOUZADA, vol 1 pág, 339; ITAU CULTURAL.

075 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL Casario - osm - 25 x 35 - cie e d - 1949 - Salvador/BA
Participou da retrospectiva do artista na Galeria Berenice Arvani - São Paulo. Procedente da coleção da família do artista. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

076 - MARIA LEONTINA - (1917 - 1984)
LL Composição - p - 22 x 31 - cid - 1984
Aluna de Waldemar da Costa, Maria Leontina é uma pintora que conquista o espectador pela finura de seus acostamentos cromáticos. Em 1947, integrava o Grupo dos 19, e, nos anos "50", passou por interessante fase geométrica. MEC, vol. 2, pág. 471; TEIXEIRA LEITE, pág. 309; PONTUAL, pág. 338; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 772; LEONOR AMARANTE, pág. 25; WALTER ZANINI, pág. 645.

077 - JORGE HENRIQUE PAPF - (1863 - 1920)
LL Paisagem - ost - 25 x 39 - cid - 1911
Fotógrafo, desenhista e pintor. É filho único do primeiro casamento do pintor e fotógrafo Papf (1833 - 1910) e em sua companhia chega ao Brasil em 1867. Acompanha o pai em sua peregrinação como executor das fotopinturas dos diversos estabelecimentos do fotógrafo Albert Henschel (1827 - 1882), passando do Recife, a Salvador, ao Rio de Janeiro, e a São Paulo. Em 1884, ambos abrem a Photographia Papf, em Petrópolis, com a transferência do pai para o interior paulista em 1899, Jorge Henrique assume a direção do estabelecimento, mudando a razão social da empresa para Photographia J. H. Papf em 1905. É excelente paisagista, tendo sido o autor das vistas do Guia de Petrópolis (1885). Sua mais expressiva obra neste setor o panorama com perspectiva circular completa de 360º - composto por oito chapas sucessivas - da cidade, realizado em 1898.ITAÚ CULTURAL

078 - ALEXANDRE RAPOPORT - (1929)
LL " Ás de Copas " - ost - 16 x 22 - cid e d
Arquiteto, pintor, gravador, desenhista industrial e professor, RAPOPORT nasceu no Rio de Janeiro, onde cursou a Faculdade Nacional de Arquitetura da antiga Universidade do Brasil. Fêz aprendizado de gravura na antiga ENBA em 1952. Conquistou menções honrosas em pintura e desenho no SNBA a partir de 1948. WALMIR AYALA,vol. 2, pág. 237; MEC, vol. 4, pág. 26; PONTUAL, pág. 447; TEIXEIRA LEITE, pág. 431; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 260; ITAU CULTURAL.

079 - JOSÉ COIMBRA - (1916 - 1985)
LL " Quadrilha do Barão " - ost - 100 x 120 - cid - 1980
Com inscrições, no dorso. -Pintor autodidata nascido em São Sebastião do Paraíso, MG e falecido em Ribeirão Preto, SP. Viveu em Pouso Alegre, MG e, no estado de São Paulo morou em Santos, Fernandópolis, São José do Rio Preto, Ribeirão Pires, Mococa. Em São José do Rio Preto (1955) conheceu José Antonio da Silva com quem aprendeu a confeccionar telas e algumas técnicas de pintura a óleo. Realizou algumas exposições individuais: Mococa, SP (1978); São Paulo (1981); Ribeirão Preto, SP (1983, 1986). Participou de várias mostras coletivas e Salões oficiais sendo premiado em: Santa Cruz do Rio Pardo, SP (1961, 1962, 1965); Monte Santo, MG (1978). Exposições póstumas também foram realizadas em São Paulo (2002) e Piracicaba, SP (2002). ITAU CULTURAL.

080 - KARL ERNEST PAPF - (1838 - 1910)
LL Orquídeas - ostcm - 67 x 41 - cid - 1888
- Reproduzido no convite deste leilão.Natural de Dresden, Alemanha, veio para o Brasil em 1867 sob contrato do fotógrafo Albert Henschel. Residiu no Recife - Pernambuco, e Salvador-Bahia. Foi exímio retratista, paisagista e pintor de naturezas mortas, destacando-se aí as orquídeas, que o artista cultivava em um esplêndido orquidário, em sua casa de Petrópolis - RJ. BENEZIT, vol. 8, pág. 119; MAYER / 83, págs. 84/957/1081; MEC, vol. 3, pág. 333; PONTUAL, pág. 405; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 162 e 165. TEIXEIRA LEITE pág. 384; ITAÚ CULTURAL.

081 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Mulatas - dn - 30 x 40 - cid - 1954
Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo (Rio de Janeiro RJ 1897 - idem 1976). Pintor, ilustrador, caricaturista, gravador, muralista, desenhista, jornalista, escritor e cenógrafo. Inicia sua carreira artística como caricaturista e ilustrador, publicando sua primeira caricatura em 1914, na revista Fon-Fon. Em 1917, reside em São Paulo, onde freqüenta o curso de Direito no Largo São Francisco e o ateliê de Georg Elpons (1865 - 1939). Convive com artistas e intelectuais paulistas como Oswald de Andrade (1890 - 1954) e Mário de Andrade (1893 - 1945), Guilherme de Almeida (1890 - 1969), entre outros. Em 1921, ilustra A Balada do Enforcado, de Oscar Wilde (1854 - 1900), e publica o álbum Fantoches da Meia-Noite, editado por Monteiro Lobato (1882 - 1948). É o idealizador e o principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, na qual expõe 12 obras. Em 1923, faz sua primeira viagem à França, onde atua como correspondente do jornal Correio da Manhã. Em Paris, freqüenta a Academia Ranson, instala ateliê e conhece obras, artistas e escritores europeus de vanguarda como, Pablo Picasso (1881 - 1973), Georges Braque (1882 - 1963), Fernand Léger (1881 - 1955), Henri Matisse (1869 - 1954), Jean Cocteau (1889 - 1963) e Blaise Cendrars (1887 - 1961). Volta a São Paulo em 1926, trabalha como jornalista e ilustrador no jornal Diário da Noite. A estada em Paris marca um novo direcionamento em sua obra. Em 1938 viaja a Paris, onde trabalha na rádio Diffusion Française nas emissões Paris Mondial. Retorna ao Brasil em 1940, trabalha como ilustrador, e publica poemas e memórias de viagem. Em 1972, seu álbum 7 Xilogravuras de Emiliano Di Cavalcanti é editado pela Editora Chile. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.

082 - ROBERTO RODRIGUES - (1906 - 1929)
LL Lamento - dn - 40 x 28 - cie - 1929
Com carimbo do Jornal " A Crítica ", no dorso. -Desenhista, caricaturista, pintor e escultor nascido em Recife, PE e falecido no Rio de Janeiro. Era irmão do jornalista e teatrólogo Nelson Rodrigues. Trabalhou em A Manhã, A Crítica, no Para Todos e no Jazz. Foi premiado no Salão Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro de 1926 e de 1928. Em 1930 houve uma exposição póstuma, no Rio de Janeiro, de seus desenhos, caricaturas, pinturas e esculturas. MEC VOL. 4, PÁG. 94.

083 - MARY WRINCH REID - (1877 - 1969)
LL Flores - osm - 15 x 20 - n/as.
Com etiqueta de The Morris Gallery, no dorso. Ex-coleção de Marcos Marcondes - São Paulo. -Pintora, desenhista e gravadora que nasceu em Kirby-le-Soken, Inglaterra e faleceu em Toronto, Ontário - Canadá. Em 1885 imigrou para Toronto onde teve sua formação artística na ‘Ontario College of Art & Design’.. Estudou também com Robert Holmes, Laura Muntz e G. A. Reid (com quem se casou), em Londres na ‘Grosvenor School of Fine Art’ com Walter Donne, Alyn Williams; em Nova York na "Art Students' League", com Alice Beckington. Fez parte do Grupo dos Sete e de várias associações de artistas do Canadá com as quais realizou inúmeras exposições. Expos em Wembley (1924) e em Londres (1938), entre outras. BENEZIT VOL.8, PÁG.662; cwahi.concordia.ca; www.icollector.com.

084 - ANATOL WLADISLAW - (1913 - 2004)
LL Composição - dn - 15 x 15 - cid - 1951
Pintor e desenhista nascido em Varsóvia, Polonia; faleceu em São Paulo, aos 91 anos de idade. No Brasil desde 1930, fixou residência em São Paulo, naturalizando-se brasileiro. Dedicou-se à pintura e ao desenho a partir de 1946, participando da I à IX Bienal, recebendo diversas premiações. Formado em engenharia no Mackenzie, tornou-se um dos pioneiros da arte abstrata, participando ativamente do movimento Ruptura, ao lado de Valdemar Cordeiro, Lothar Charoux e Luiz Sacilotto. Figura no acervo do MAM-RJ e MNBA de Buenos Aires. JULIO LOUZADA, VOL, 4, pág, 1177. MEC, VOL, 4 pág, 512. TEIXEIRA LEITE, pág, 544. WALMIR AYALA, VOL 2. pág, 442; PONTUAL, pág. 553; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 921.

085 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL " Vênus " - ost - 27 x 22 - cid e d - 1973
Reproduzido sob o n.° 89 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Esse grande pintor brasileiro, que estudou com Marques Júnior na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro, ingressando em seguida no Núcleo Bernardelli, onde se ligou de amizade a Pancetti, é hoje glória nacional. Sua carreira atravessou várias fases, desde a de cunho figurativo da déc. 30, ao construtivismo dos anos 50, para atingir afinal o figurativismo, das Vênus e Pássaros, passando pelas figuras esquematizadas da década de 1940. TEODORO BRAGA, pág. 163; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 229; MEC, vol. 2, pág. 13; BENEZIT, vol. 3, pág.315; ITAU CULTURAL; PONTUAL, pág. 155; WALTER ZANINI, pág. 573; ARTE NO BRASIL, pág. 763; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

086 - BENEDITO CALIXTO DE JESUS - (1853 - 1927)
LL Leitura - dl - 28 x 16 - cid
Com certificado de autenticidade firmado por Celso Calixto Rios, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 061 deste catálogo.

087 - TÚLIO MUGNAINI - (1895 - 1975)
LL Rosas - ost - 41 x 33 - cid - 1942
Pintor, Mugnaini realizou sua formação artística na Itália e na França. No SPBA conquistou as pequenas medalhas de prata (1933) e de ouro (1943), o segundo prêmio Fernando Costa (1943), o primeiro prêmio Governo do Estado (1957) e os prêmios Assembléia Legislativa do Estado (1960) e Prefeitura de São Paulo (1961). Recebeu ainda medalha de prata no SNBA de 1936. Pintor de paisagens, figuras e naturezas-mortas, coube-lhe realizar os trabalhos decorativos da Basílica de Nossa Senhora do Carmo-SP. De 1945 a 1965, ocupou a diretoria da Pinacoteca do Estado SP, onde se encontra sua tela "Outono", que exibiu no Salão de Paris de 1934. Recebeu consagradoras premiações nos salões nacionais. PONTUAL, pág. 375; TEODORO BRAGA, pág. 165; MEC, vol. 3, pág. 226; REIS JUNIOR, pág. 376; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 615, Acervo FIEO; ITAUCULTURAL, RUTH TARASANTCHI.

088 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Orixá - g - 34 x 50 - cid
Desenhista, gravador, pintor e escultor, radicado na Bahia. Sua arte é lírica, de boa técnica, baseada no povo, que lhe forneceu o melhor da sua temática. PONTUAL, pág. 116; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 180 e 181; TEIXEIRA LEITE, págs. 111 e 112; MEC, vol.1, pág. 355; BENEZIT, vol. 2, pág. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717;ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

089 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato vermelho - ast - 80 x 60 - cie e d - 2003
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 059 deste catálogo.

090 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL " Figuras caminhando " - ose - 26 x 33 - csd e d - 1986
- Reproduzido no convite deste leilão. Com etiqueta do atelier do artista e etiqueta da 5º Seleção de Artistas Contemporâneos da Sociarte - 1986, no dorso. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

091 - DIONISIO DEL SANTO - (1925 - 1999)
LL Composição - g - 12 x 26 - cie - 1987
Pintor, desenhista, gravador e serigrafista, nasceu em Colatina-ES, e faleceu em Vitória, naquele mesmo Estado. Autodidata. Em 1975, recebe o Prêmio de Melhor Exposição de Gravura do Ano, da APCA. Participou da 9ª Bienal Internacional de São Paulo, 1967 (Prêmio Itamarati Aquisição) e do Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1968 (Prêmio Isenção do Júri). JULIO LOUZADA vol.11, pág. 88; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 934.

092 - IVONALDO - (1943)
LL Carro de bois - g - 15 x 23 - cid
Batizado Ivonaldo Veloso de Melo, o artista á natural de Caruarú-PE, onde nasceu em 25 de outubro de 1943. Pintor, desenhista e gravador. Inciou-se artísticamente em 1966 em São Paulo. Atualmente reside e é ativo em Olinda-PE. Sua obra naturalmente primitivista, transmite a pesquisa do artista do homem nordestino, criando novas formas para a rica floração local e as frutas típicas. O autor está citado em importantes compêndios internacionais de arte naif, inclusive na World Enciclopedy os Naive Art, editada na Iuguslávia. JULIO LOUZADA, vol. 11 pág. 155; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 92; Acervo FIEO.

093 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Vaso de flores - ose - 41 x 33 - cse - 1961
Reproduzido sob o n.° 70 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Estudou com Pedro Alexandrino (1923 a 1928) e aperfeiçoou-se na Itália. Integrou o Grupo Santa Helena, com Rebolo, Zanini, Rosa, Graciano, Pennacchi (1935) e participando em 1937 de exposições da Família Artística Paulista. Pintou paisagens e naturezas mortas, com composição estruturada no cubismo. MEC, vol. 1, pág. 247; PONTUAL, págs. 78/79; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1041; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 258; TEIXEIRA LEITE, pág. 79; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; LEONOR AMARANTE, pág. 72; Acervo FIEO.

094 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL Flores - mon. - 38 x 25 - cid
Fez parte da Família Artística Paulista, grupo com o qual expôs. Notáveis foram suas paisagens, tendo José Geraldo Vieira afirmado ser ele "o pintor da paisagem paulistana". MEC, vol. 4, pág. 531; PONTUAL, pág. 557; TEODORO BRAGA, pág. 250; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 451; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 778; LEONOR AMARANTE, pág.38; Acervo FIEO.

095 - LEOPOLDO RAIMO - (1912 - 2001)
LL Composição - g - 35 x 30 - cid - 1952
Pintor e gravador, nascido em Botucatu/SP, com diversas participações em Salões e Exposições, tais como: Salão Paulista de Arte Moderna, Salão Baiano de Belas Artes, Bienal de São Paulo e Salão Nacional de Arte Moderna, entre outros. MEC. VOL. 4, PÁG. 22

096 - ANTONIO FERRIGNO - (1863 - 1940)
LL Meninos - osm - 20 x 28 - cid
Representou com maestria a chamada Escola de Amalfi. Estudou com Di Chirico e Morelli. Expôs em 1882 em Nápoles, imigrando para o Brasil em 1892, permanecendo em São Paulo até 05, quando retornou à Itália e fixou residência definitivamente em Salerno. No Brasil executou paisagens e marinhas, utilizando de técnica pictórica empastada e de um colorido cheio de vivacidade. Várias obras suas ficaram no Brasil, em importantes coleções particulares. ANTONIO FERRIGNO; BENEZIT, vol. 4, pág. 343; ANUAL ART SALES INDEX/82, vol.1, pág. 383; TEODORO BRAGA, pág. 94; MEC, vol. 2, pág. 156; LAUDELINO FREIRE, págs. 381 e 389; REIS JÚNIOR, pág. 365; PONTUAL, pág. 212. TEIXEIRA LEITE, pág. 192; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 535, RUTH TARASANTCHI.

097 - MIGUEL DOS SANTOS - (1944)
LL Animais fantásticos - g - 50 x 35 - cid - 1969
Com dedicatória. -Pintor, desenhista e ceramista pernambucano da cidade de Caruaru. " ... é um ceramista ligado por raízes profundas 'a imagística popular. Suas formas (atropomorfas) e suas cores, são mais um estandarte contra a resignação e a indignidade. O onírico de suas cerâmicas é o grito mais alto dessa rica forma de arte do Nordeste" (catálogo da exposição do artista na Universidade da Bahia, em 1968) JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 793; ITAÚ CULTURAL.

098 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Flores - ost - 55 x 46 - cid
Nascido e falecido em São Paulo, DURVAL PEREIRA foi pintor e professor ativo em São Paulo. Premiado com a Menção Honrosa no SPBA em 1944, passou a viver exclusivamente da pintura. Pintava ao ar livre aos domingos com os pintores Salvador Rodrigues, Salvador Santisteban, Cirilo Agostinho, Jaime Dinis, Djalma Urban, Innocencio Borghese, e outros. Premiado praticamente em todos os Salões de que participou. Recebeu ao todo, 15 comendas das mais importantes do Brasil. Nos últimos três anos de sua vida, recebeu todos os Primeiros Prêmios e Medalhas de Ouro nas exposições de Paris, Rouen, Lyon, Roma, Miami e Milão. MEC, vol. 3, pág. 368; JULIO LOUZADA, vol. 1, págs. 749/750/751. ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

099 - SÉRVULO ESMERALDO - (1929)
LL Composição - lito. 8/30 - 28 x 22 - cid
Cearense de Crato, onde nasceu a 27 de fevereiro de 1929. Escultor e gravador. Importante representante da arte nacional. Expõe individualmente desde 1951, em São Paulo, Rio e Ceará. Participa de coletivas nacionais a partir de 1974 (MAC-SP) e internacionais a partir de 1956 (Cracóvia). É artista de extenso curriculum de exposições e premiações. Tem reconhecimento e cotação internacional. JULIO LOUZADA vol. 4 pág. 365; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 855; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 703; LEONOR AMARANTE, pág. 75.

100 - MIRA SCHENDEL - (1918 - 1988)
LL Composição - ost - 19 x 27 - d - 1962
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 28/04/11Suíça, Mira imigrou para o Brasil em 1949, fixando-se inicialmente em Porto Alegre, onde fez pinturas e esculturas em cerâmica, nas quais assinava Mirra Hargesheimer, seu nome de casada. Realizou a sua primeira exposição individual, em 1952. Expôs em 1954 em São Paulo (MAM), para onde se transferiu. Participou de diversos salões, tais como o SPAM e Bienais de São Paulo, Córdoba e Veneza, obtendo premiações. A principio exclusivamente desenhista, com a utilização de signos, índices e símbolos, dedicou-se posteriormente à pintura, dentro da vertente minimalista que norteou toda a sua carreira. TEIXEIRA LEITE, pág. 464; JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 304; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 688; LEONOR AMARANTE, pág. 187.

101 - IRACEMA ARDITI - (1924 - 2006)
LL Natureza - ost - 33 x 24 - cie e d - 1967
No estado. Com inscrições no dorso. -Esta festejadíssima artista brasileira, tanto em solo pátrio como no exterior, nasceu em São Paulo, SP. Suas obras ganharam o mundo pela linguagem própria e límpida de suas obras, nada ingênua ou primitiva. PONTUAL, pág. 272; TEIXEIRA LEITE, pág. 261; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

102 - ANA ANDRADE - (1953)
LL " Brinquedos " - grav. 24/30 - 25 x 30 - cid - 1995
Ana Cristina Andrade Moreira é pintora, gravadora, desenhista, professora e designer vidreira. Iniciou sua formação artística na Escola Superior de Arte Santa Marcelina, SP (1972-1975). Aprendeu gravura em metal (1980-1990) com Iole Di Natale; técnicas de gravura na Scuola Internazionale di Gráfica em Veneza, Itália (1983); Gravura Especial com Evandro Carlos Jardim, no MAC-SP (1991); Técnica Calcográfica Experimental com Mario Benedetti, na FASM-SP (1997); Vitrofusão com Roberto Bonino. Exposições individuais: São Paulo, SP (1984, 1987, 1995, 2003); Bauru, SP (1989); “Projeto Interior com Arte” – Museu Banespa (1998 – Exposição itinerante pelo interior do Estado de São Paulo). Coletivas: Epinal, França (1975); São Paulo, SP (1974,1982,1984,1985,1986,1988,1994,1995,2000,2002 a 2004); Santo André,SP (1982); Novo Hamburgo, RS (1982); Taiwan, China (1983,1985); San Juan, Porto Rico (1983); Santos, SP (1983); Cabo Frio, RJ (1983); Ribeirão Preto,SP (1984); Curitiba, PR (1984); Piracicaba,SP (1984); Veneza, Itália (1984,1985); Campinas, SP (1985); São José do Rio Preto, SP (1986); Limeira, SP (1986); Washington D.C.,EUA (1991); Campos do Jordão, SP (1991); Kanagawa, Japão (1992); Maastricht, Holanda (1993); Illinois, EUA (1994); Cidade do México, México (1996); Jacareí, SP (1998); Budapeste, Hungria (1996); Uzice, Yuguslávia (1997); Ourense, Espanha (1994,2006). Prêmios: São Paulo, SP (1974); Novo Hamburgo, RS (1982); Santos, SP (1983); Ribeirão Preto, SP (1984); Curitiba, PR (1984); Piracicaba, SP (1984); Campinas, SP (1985); São José do Rio Preto, SP (1986). JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 62; vol.2, pág. 66; Acervo FIEO. ITAU CULTURAL.

103 - JOSÉ GAMARRA - (1934)
LL Composição - osc - 47 x 32 - cid - 1960
Pintor, gravador e professor uruguaio, nascido em Tacuarembó, Uruguai. Estudou na Escola de Belas Artes de seu País, vindo para o Brasil em 1959. Foi aluno de Friedlaender, no MAM-RJ, e de Iberê Camargo, no Rio. Após breve retorno ao seu País, fixou residência em Paris. Como representante de seu País, concorreu à Bienal de São Paulo, em 1963. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 446

104 - FRANCISCO DA SILVA - (1910 - 1985)
LL Animais - g - 77 x 112 - cid - 1968
Natural de Alto Tejo, Acre, foi o pintor FRANCISCO DA SILVA um primitivista, fabulista das lendas amazonenses, ativo no Ceará. Filho de índio peruano com brasileira, fixou-se ainda criança em Fortaleza. Foi descoberto artista em 1943, pelo também artista o suiço Jean Pierre Chabloz, que bancou suas primeiras tintas. O mesmo Jean Pierre, nove anos depois, lança-o em Paris. O crítico Rubens Navarra assim escreveu sobre a obra desse artista acreano: " ... os guaches desse artista indígena são qualquer coisa de muito sério. Esse índio é uma espécie de Dali em estado de natureza. Ao lado do seu surrealismo primitivo, chamemos assim, há um lado arte-aplicada que podia servir excelentemente para ornamentos de cerâmicas , lembrando estampas chinesas de pássaros ou antigos vasos de civilizações passadas." Já André Malraux qualifica-o de " um artista primitivo dentre os maiores do mundo." Expôs individualmente no Brasil a partir de 1943 e em diversas mostras coletivas no exterior, com premiações, destacando-se aquela recebida na XXXIII Bienal de Veneza, 1966. JULIO LOUZADA, vol. 3 pág. 1056; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE; ARTE NO BRASIL, Acervo FIEO; TEIXEIRA LEITE, pág. 478.

105 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Composição - ost - 16 x 24 - cid - 1966
Reproduzido sob o nº 186 em catálogo de Leilão de Villa Antica - São Paulo. -Grande pintor brasileiro, nascido em Fortaleza, Ceará e falecido em Paris onde viveu a maior parte de sua curta e rica vida. Começando figurativo, num estilo expressionista, adotou, já em França, um não figurativismo lírico, algo à maneira do grande Wols, seu amigo que iria manter até o precoce fim. É um dos pioneiros da arte abstrata no Brasil. BENEZIT, vol.1, pág.415; MEYER/87, pág.606; MEC, vol.1, págs.159,160 e 167; PONTUAL, págs. 48 e 49; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 71 a 74; TEIXEIRA LEITE, pág. 52 a 54; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 599; LEONOR AMARANTE, pág. 34; Acervo FIEO.

106 - SILVESTRO LEGA - (1826 - 1895)
LL Repouso - ost - 53 x 67 - cid
Pintor da Escola Italiana que nasceu em Modigliana e faleceu em Florença, ambas na Itália. Aos vinte anos vai para a Academia de Belas Artes de Florença onde foi aluno de Benedetto Servolini, Tommaso Gazzarini e Giuseppe Bezzuoli. É considerado, junto com Giovanni Fattori e Telemaco Signorini, o maior representante do Macchiaioli, movimento característico da pintura italiana da segunda metade do século XIX. Possui obras em vários museus da Europa. ART PRICE; ARTNET; BENEZIT, VOL.6, PÁG.539; www.answers.com.

107 - GILBERTO SALVADOR - (1946)
LL Composição - tm - 150 x 50 - cie - 1985
Paulistano, Gilberto Salvador é pintor e desenhista, desfrutando de reconhecidos méritos pela critica especializada. Participou da IX Bienal de São Paulo (1967) e de outros Salões Oficiais a partir desse mesmo ano, recebendo diversas premiações. MEC, vol. 4, pág. 153; PONTUAL, pág. 469; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 740; ARTE NO BRASIL, pág. 971; LEONOR AMARANTE, pág. 185; Acervo FIEO.

108 - COLETTE PUJOL - (1913 - 1999)
LL Natureza morta - ose - 23 x 30 - cie
Esta premiadíssima pintora e professora paulistana, recebeu as suas primeiras aulas de desenho e pintura de Antonio Rocco e de Lucília Fraga, ainda na capital paulista. Residindo em Salvador, freqüentou a Escola de Belas Artes, onde foi aluna de Presciliano Silva (1942 a 1944); a partir de 1946 até 1949, estudou na Europa. Possui obras em museus brasileiros. PONTUAL, pág. 440; MEC, vol. 3, pág. 438; TEODORO BRAGA, pág. 73; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

109 - VALDIR EVANDRO SARUBBI - (1939)
LL Composição - tm - 35 x 35 - cid - 1972
Paraense de Bragança, onde nasceu a 10 de outubro de 1939. Pintor, desenhista, gravador e professor. Segundo o festejado crítico de arte Enock Sacramento "... Nos últimos vinte anos, a arte de Sarubbi remeteu-nos a labirintos que se transformaram em rios, rachaduras de muiraquitãs e tangas marajoaras, fez reaparecer aldeias ribeirinhas, reuniu fragmentos de mapas e troncos numa verdadeira sagração á natureza amazônica. Seus últimos trabalhos, todavia, são projeções elaboradas, apolíneas, de seu mundo interior." O artista também recebeu elogiosas críticas ao seu trabalho de Olivio Tavares de Araújo, Meiri Levin e Jacob Klintowitz. Individuais a partir de 1991 e coletivas desde 1990. Expõs no exterior 1992 e 1993. Recebeu diversas premiações. Suas obras estão acervos de diversos museus, tais como o do MAM-SP. JULIO LOUZADA, vol.8, págs. 756/757.

110 - JOÃO BAPTISTA DA COSTA - (1865 - 1926)
LL Fazenda - ostcm - 27 x 38 - cid
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 30/04/11. Com a seguinte inscrição no dorso: " Este quadro pertencia a coleção da família Batista da Costa. Rio, 7-11-70. Amália Beatriz Cruz da Costa. " (filha do pintor). Com carimbo da Galeria Jorge - Rio de Janeiro e etiqueta da Galeria Uirapuru - São Paulo, no dorso. -Pintor e professor fluminense, de origem humilde, galgou com sabedoria e singular talento os degraus do sucesso no cenário das artes plásticas nacional. Aluno da Academia Imperial de Belas Artes-RJ, onde ingressou em 1885, já no ano seguinte obtinha, nessa condição, medalha de ouro. Foi aluno de Zeferino da Costa e Rodolfo Amoedo. Foi premiado diversas vezes, inclusive com viagem à Europa, onde desenvolveu a sua arte. Foi professor na ENBA até a sua morte. Sobre sua obra, escreveu Gonzaga Duque, no estudo que lhe dedicou, e publicado em 1929: "... A sua arte arrasta-nos ao seu cenário, prende-nos no seu ambiente, leva-nos a participar da emoção de seus tipos". JULIO LOUZADA, VOL 10, pág, 239; PONTUAL, págs. 61 e 62; TEIXEIRA LEITE, págs. 62 a 65; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 443; ARTE NO BRASIL, pág. 556; F. ACQUARONE, pág. 141.

111 - CARLOS OSWALD - (1882 - 1971)
LL " Porta Romana " - grav. - 43 x 32 - cid - 1911
Reproduzido sob o n° 37 do livro "Carlos Oswald", do Museu Nacional de Belas Artes - Rio de Janeiro. -Gravador e pintor, ativo no Rio de Janeiro, estudou na Europa; foi o primeiro a fazer gravura em metal com finalidade artística; dedicou-se a temas religiosos, paisagens, cenas de gêneros e retratos. PONTUAL, pág. 397; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1053; ITAÚ CULTURAL.; WALTER ZANINI, pág. 446; Acervo FIEO.

112 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
LL Trompetista - ost - 41 x 27 - cid - 1973
Pintor e desenhista figurativo, integrou o Grupo Santa Helena, juntamente com Volpi, Zanini e outros, e foi um dos organizadores e expositores do I Salão da Família Artística Paulista; suas figuras seguem a disciplina cubista da organização do espaço, destacando-se uma série de Músicos; dedicou-se a pinturas murais e à ilustração de obras literárias. MEC, vol. 2, pág. 280; PONTUAL, pág. 247/8; TEIXEIRA LEITE, pág. 225 a 227; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 784; LEONOR AMARANTE, pág. 58; Acervo FIEO.

113 - FRANCISCO REBOLO GONSALES - (1903 - 1980)
LL Bahia - g - 19 x 30 - cid
Baseado em obra de Rugendas. -Grande pintor paulistano, um dos principais membros do Grupo Santa Helena e da Família Artística Paulista, Rebolo é acima de tudo um paisagista de colorido suave e desenho sensível. MEC, vol. 4, pág. 28/29; TEODORO BRAGA, pág. 202/3; PONTUAL, pág. 447/448; REIS JR., pág. 382; TEIXEIRA LEITE, pág. 433/434/435.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; LEONOR AMARANTE, pág. 13; ARTE NO BRASIL; Acervo FIEO.

114 - OSCAR PEREIRA DA SILVA - (1867 - 1939)
LL Mosqueteiro - osp - 30 x 20 - cid
Grande pintor brasileiro; prêmio de viagem à Europa em 1889, aperfeiçoou-se em Paris com Gérome e Leon Bonnat. "Sem ter revelado impulsos vigorosos que lhe evidenciassem poder emotivo, Oscar Pereira da Silva soube manter no transcorrer de bem cinquenta e sete anos de produção permanente e intensa, desde que retornou ao país, em 1896, todo o cuidado de um desenho severamente elaborado, sem num só instante voltar-se para o novo semblante que a pintura adquiria nessa transposição de tempo. " Quirino Campofiorito, in CAMPOFIORITO, Quirino. História da Pintura Brasileira no Século XIX. Ed.Pinakotheke-SP, 1983. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs. 245/281; TEODORO BRAGA, pág. 177/8; LAUDELINO FREIRE, pág. 383; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 185; MEC, vol. 4, pág.277; PONTUAL, pág. 419; TEIXEIRA LEITE, pág. 402; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 437; ARTE NO BRASIL, pág. 553, Acervo FIEO; F. ACQUARONE, pág. 187, RUTH TARASANTCHI.

115 - OCTÁVIO ARAÚJO - (1926)
LL Nu - dc e p - 30 x 43 - cie - 1955
Este importante artista brasileiro nasceu em Terra Roxa, SP. Em São Paulo foi aluno de Edmundo Migliaccio e José Barchitta, e teve por colegas, dentre outros, Luiz Sacilotto e Marcelo Grassmann, ao lado de quem, no Rio de Janeiro, com 20 anos de idade, expôs pela primeira vêz. Em 1947 integrou o Grupo dos 19. Trabalhou para Portinari em Paris, na confecção do grande mural Pescadores, com quem aprendeu a disciplina e a consciência profissional. Expôs em viagens que fêz pela China, na então União Soviética e nos Estados Unidos. Na sua obra é destaque a figura da mulher, em leitura ora fantástica, ora mágica, mas sempre perturbadora. TEIXEIRA LEITE, pág. 34; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 71; ARTE NO BRASIL, pág. 803; WALTER ZANINI, pág. 645; Acervo FIEO.

116 - RANCHINHO - (1923 - 2003)
LL Na rede - ostce - 40 x 60 - cid - 1986
Seu verdadeiro nome era Sebastião Theodoro Paulino da Silva, nascido na cidade paulista de Oscar Bressane, no dia 7 de janeiro de 1923, mudando-se com a mãe, então viúva, para Assis, SP, onde viveu até morrer. Pintor ingênuo, hoje consagrado, comeu durante a sua vida " o pão que o diabo amassou", conforme narra, de forma pungente, R. Rugiero, no catálogo de exposição do artista no ano de 1988, de cujo texto, reproduzido no vol. 4, página 931, do dicionário JULIO LOUZADA, extraímos o seguinte texto: "... Com o tempo pôs-se a viver exclusivamente da catança de papéis, latas, garrafas - e de algumas famílias obtinha também comida e roupas velhas. Passou a habitar ranchos de beira de estrada, abandonados, donde lhe veio o apelido de Ranchinho, com a qual a garotada o atazanava, atirando-lhe pedras e gritando o nome que o punha fora de si. Por fim fixou-se num casebre, em uma granja abandonada, e alí viveu até 1962, em grande necessidade. E sempre desenhando obsessivamente em qualquer superfície branca que lhe caísse nas mãos." Foi descoberto pelo escritor José Nazareno Mimessi, que percebeu em Ranchinho um impressionante fenômeno artístico, no que não estava enganado. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 259; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

117 - PEDRO WEINGÄRTNER - (1856 - 1929)
LL Paisagem - grav. - 12 x 16 - cid - 1916
Ex-coleção Marcos Marcondes - São Paulo. -Pintor gaúcho de origem alemã, Weingärtner estudou no Brasil, Alemanha e Itália, residindo por longos anos na Europa. Ao retornar ao Brasil, dedicou-se a temática gauchesca, que lhe motivou os trabalhos mais sensíveis. Um dos pioneiros da gravura de arte no Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 343; BENEZIT, vol. 10, pág. 675; TEODORO BRAGA, pág. 246; REIS JUNIOR, pág. 220/224; MEC, vol. 4, pág. 506/507; LAUDELINO FREIRE, pág. 386; PONTUAL, pág. 551/552; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 438/439; MAYER/84, pág. 1268; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 443; ARTE NO BRASIL, pág. 560; RGS, pág. 402; PEDRO WEINGÄRTNER;

118 - RUDOLF WEIGEL - (1939)
LL " Igreja do Rosário " - osc - 14 x 19 - cid - Ouro Preto
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 066 deste catálogo.

119 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Boemia - dn e a - 32 x 44 - cie e cid
Com a seguinte inscrição: " Sou boêmio, alegre, cantando, vou pelas noites. Trago sempre a viola....com os amigos sou um nobre poeta, sempre com o copo na mão, e tu Peixoto, me acompanhando o violão....Di Cavalcanti. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 081 deste catálogo.

120 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL No circo - osm - 60 x 80 - cie
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 02/05/11. Reproduzido sob o nº 25 em catálogo de Villa Antica - São Paulo. -Pintora e desenhista. Assina Noemia. Realizou sua primeira individual em 1934, no Rio de Janeiro. Residiu na Europa de 1934 a 1940, frequentando em Paris as academias de la Grande Chaumière e Ranson. Expôs em Montevideu e Buenos Aires. Foi citada por REIS JUNIOR e TEODORO BRAGA. Foi aluna (1932) e mulher (1933) de Di Cavalcanti. MEC vol.3, pág. 265; WALMIR AYALA vol.2, pág.135; PONTUAL, pág. 375; TEIXEIRA LEITE, pág. 356; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 684. Acervo FIEO.

121 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
LL Fase Negra - dn e g - 27 x 20 - cie
Pintor, desenhista, gravador e professor, estudou com Axel Leskoschek no Rio de Janeiro. Participou da Divisão Moderna do SNBA (1947-1951). Foi um dos precursores do concretismo no Brasil, criando ao lado de Aluisio Carvão, Lígia Clark, Hélio Oitica e outros o Grupo Frente, que se manteve ativo de 1954 a 1956, inclusive com exposições no Rio de Janeiro. Ivan Serpa possui invejável e extenso curriculum de vida artística, passando de exposições coletivas, a grandes retrospectivas de sua obras. Há um reconhecimento nacional da importância de sua atividade, tratando-se de um dos grandes artistas nacionais. PONTUAL, pág 486; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 840; LEONOR AMARANTE, pág. 26; Acervo FIEO.

122 - YOSHIYA TAKAOKA - (1909 - 1978)
LL Cavalos - ag. - 38 x 54 - cid - 1973
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 018 deste catálogo.

123 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Reunião - dn e g - 27 x 27 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

124 - CARLOS PRADO - (1908 - 1992)
LL Multidão - grav. P.A. - 22 x 27 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 046 deste catálogo.

125 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Paisagem - osc - 29 x 43 - n/as.

126 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem antropofágica - dn - 15 x 20 - cie
Reproduzido sob o n.° 191 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

127 - AXEL LESKOSCHEK - (1889 - 1976)
LL No bar - xilo. - 16 x 10 - cid
Importante gravador, pintor e professor austríaco. Realizou sua formação artística na Áustria e ali publicou álbuns de xilogravuras e águas-fortes. Veio residir no Brasil em 1930, fugindo do nazismo, aqui ficando até 1950. Ilustrou diversas publicações nacionais, entre elas, e principalmente, as edições brasileiras dos romances de Dostoiévski (Ed. José Olimpio). Foi professor, entre outros, de Renina Katz, Fayga Ostrower e Ivan Serpa. MAYER/88, pág.494; JULIO LOUZADA, vol.1, pág.609; BENEZIT, vol.6, pág.612, ART PRICE ANNUAL/2000, pág.1464; PONTUAL, pág.309, TEIXEIRA LEITE, pág.284; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 840; Acervo FIEO.

128 - VIRGÍLIO DIAS - (1956)
LL " Cais Pharoux " - ost - 60 x 80 - cie e d - 1992
Nasceu na cidade do Rio de Janeiro-RJ, em 8 de setembro de 1956. Pinta desde 1974, e dedica-se inteiramente 'a pintura a partir de 1986. " ... Os céus, os casarios, as árvores, os mares de Virgilio Dias evidenciam um pintor castiço, que ao mesmo passo é fiel 'as paisagens que retrata e ao universo da arte, eis que seus quadros nos expõem um hábil uso do pincel, um mosaico livre essencialmente pictórico... " (José Paulo Moreira da Fonseca, poeta e pintor). JULIO LOUZADA vol. 13 pág. 113

129 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Guerreiros - grav. 2/25 - 33 x 50 - cid
Desenhista, gravador, ilustrador, pintor, escultor e professor, nasceu em São Simão, SP. Estuda fundição, mecânica e entalhe em madeira na Escola Profissional Masculina do Brás, SP. Passa a realizar xilogravuras a partir de 1943. Atua como ilustrador do Suplemento Literário do ‘Diário de São Paulo’, do ‘O Estado de S. Paulo’ e do ‘Jornal do Estado da Guanabara’. Quando reside no Rio de Janeiro, a partir de 1949, freqüenta os cursos de gravura em metal, com Henrique Oswald e de litografia, com Poty, no Liceu de Artes e Ofícios. Em Salvador (1952), trabalha com Mario Cravo Júnior. .Recebe o prêmio de viagem ao exterior do Salão Nacional de Arte Moderna (1953) e vai para a Academia de Artes Aplicadas, em Viena. Passa a dedicar-se principalmente ao desenho, à litografia e à gravura em metal. Em 1969, sua obra completa é adquirida pelo governo do Estado de São Paulo, passando a integrar o acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo . Em 1978, a casa em que nasceu, em São Simão, é transformada em museu e tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo - Condephaat. Participou de muitas exposições e das Bienais de: São Paulo (1951 a 1961, 1967, 1969, 1979, 1985, 1989); Veneza (1950, 1956, 1958, 1962); Paris (1959). Principais prêmios: Bienal de São Paulo (1951, 1955, 1957, 1959, 1967); Bienal de Veneza (1950, 1956, 1958,1962); Bienal de Paris (1959). PONTUAL, PÁG. 249; MEC, VOL. 2, PÁG. 281 E 282; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL.1, PÁG. 439; VOL. 5, PÁG. 453; VOL. 9, PÁG. 383.

130 - ANTONIO PESSOA - (1943)
LL Composição - m em b - ass.
Composto por duas esculturas medindo 8 cm cada. -Escultor, assina Tonny. Radicado no Rio de Janeiro detentor de bom curriculo nacional e internacional com inumeras participações em Salões Oficiais,varias vezes premiado. Ótimo mercado.

131 - GUIMA - (1927 - 1993)
LL Marinha - ost - 16 x 22 - cie
Pintor e desenhista de mérito invulgar, Guima era paulista de Taubaté, residiu por muitos anos no Rio de Janeiro e praticava o figurativismo expressionista, por vezes eivado de notas líricas, de outras descambando para o fantástico. MEC, vol. 2, pág. 306; PONTUAL, pág.257; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 377/8; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 407; ITAÚ CULTURAL.

132 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
LL Cidade - xilo. - 16 x 20 - cie - 1966
Com dedicatória. -Paulista de Araraquara, Lívio foi exímio gravador, desenhista, pintor, jornalista e professor. Autodidata, executou suas primeiras gravuras em madeira por volta de 1926. Sofreu influência de Lasar Segall, focalizando desde então de modo expressionista tipos e paisagens dos subúrbios paulistanos, inclusive temas de caráter social, como indicou Sérgio Milliet em sua obra de 1940. O autor, certa feita, assim falou de si próprio: "Geralmente persisto em um mesmo motivo por longo tempo: trabalho-o até que me pareça haver esgotado todas as possibilidades que ele oferece. Jamais pensei em fazer 'paisagens'. O que procuro é interpretar o sentido e a problemática da natureza de uma terra, a força dos sentimentos que ela provoca em mim, e assim, quanto mais de acordo com a minha própria natureza, tanto mais imediata surge a interpretaçãop plástica, como sucedeu, por exemplo, com meu 'encontro' com as 'arquiteturas' da realidade íntima da terra paraguaia. PONTUAL, pág. 1, JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 19; MEC vol.1, pág. 33; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 795; LEONOR AMARANTE, pág. 28; Acervo FIEO.

133 - GILDA MARCONDES - (1930)
LL " Velho pescador " - ose - 24 x 33 - cie e d - 1985
Pintora nascida em Franca, SP. Assina G. Marcondes. Sua formação artística foi em São Paulo. Realizou diversas exposições individuais em: Brasília, DF (1974); Barretos, SP (1975); Uberaba, MG (1976); São Paulo (1977, 1979); Presidente Prudente, SP (1977); Recife, PE (1978); Olímpia, SP (1983); Embu, SP (1995). Também tem participado, desde 1973, de diversos Salões oficiais pelos estados de São Paulo e outros. Recebeu prêmios em: São Paulo (1980, 1982); São João do Meriti, RJ (1977); Rio de Janeiro (1977). ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL. 2, PÁG. 632; VOL. 3, PÁG. 675; VOL. 9; PÁG. 534.

134 - ENRICO BIANCO - (1918)
LL Jangada - lito. 30/60 - 48 x 33 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 043 deste catálogo.

135 - IGNÁCIO DA NEGA (IGNÁCIO RAMOS DA SILVA) - (1945)
LL " O burrinho com caçoar de galinhas " - ost - 30 x 40 - cid e d - 2011
Natural de Surubim, PE. Iniciou-se na decoração de andores de procissão, ajudando a sua mãe. Recebeu orientação de Alaerte Bandim. Em São Paulo, orienta-se com M. Boy e Iracema Arditi. Seu tema preferido são as cenas típicas do nordeste. Participou de diversas exposições coletivas e individuais. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 511. Acervo FIEO. -

136 - ELISÉO MEIFREN Y ROIG - (1859 - 1940)
LL Paisagem - ost - 44 x 80 - cid
Pintor nascido e falecido em Barcelona, Espanha. Trabalhou por longos anos em Paris, Palma de Maiorca e Nova York. Participou de muitas exposições e Salões oficiais de Paris e obteve uma medalha de bronze na Exposição Universal de 1900. BENEZIT VOL. 7, PÁG. 308; www.artistsandart.org; artnet.com; arcadja.com.

137 - EMANOEL ARAÚJO - (1940)
LL Paisagem - xilo. - 41 x 30 - cid - 1964
Gravador e escultor, o baiano Emanuel Araújo estudou com Henrique Oswald e expõe individualmente desde 1960, já tendo mostrado sua obra em inúmeras cidades do Brasil, Europa, Estados Unidos e Extremo Oriente. Foi Diretor da PINACOTECA do Estado de São Paulo, cujo cargo exerceu com extrema competência. TEIXEIRA LEITE, pág. 190; MEC, vol. 2, pág. 143; PONTUAL, pág. 37; JULIO LOUZADA, vol 1, págs. 68/69 e vol. 11, pág. 18; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 846; WALTER ZANINI, pág. 770; Acervo FIEO.

138 - EDGARD MENEZES - (XX)
LL -
Composto por dois quadros: 1) Mulher na praia; ostce; medindo 12 x 16 cm; ass. cie e d. 2) Barco na praia; ostce; 12 x 16 cm; ass. cie. -Pintor com atividades artísticas concentradas no Rio de Janeiro. Figurou no Salão Nacional de Belas Artes de 1970 e 1971, tendo conquistado, no último, a Menção Honrosa. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 631.

139 - CÍCERO DIAS - (1908 - 2003)
LL Repouso - ser. 124/200 - 90 x 70 - cie
Pintor e desenhista pernambucano; mesmo radicando-se por mais de 40 anos em Paris, Cícero Dias ainda assim permaneceu brasileiro, e mais nordestino. Em fins da década de 1920, foi ao lado de Ismael Nery um dos grandes vultos da vanguarda no Rio de Janeiro; mais tarde, já na Europa, aderiu ao não-figurativismo, como integrante do Grupo Espace. Tornou em anos recentes à figuração, mais uma vez evocando a terra natal. MEC, vol.2, pág.50; WALMIR AYALA, vol.1, págs.252 a 255; TEIXEIRA LEITE, págs. 157 a 159. PONTUAL, págs. 174/5; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 564; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 146; Acervo FIEO.

140 - MACIEJ ANTONI BABINSKI - (1931)
LL Paisagem surreal - grav. 78/80 - 12 x 16 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 009 deste catálogo.

141 - CESAR LACANNA - (1901 - 1983)
LL Paisagem - osm - 25 x 36 - cid
Pintor, escultor e ceramista paulista, estudou com Elpons e Barchitta. Como pintor, trabalhou a paisagem, a natureza-morta, nus e retratos, numa atmosfera realista, evocativa de Daumier. TEODORO BRAGA, pág.136; MEC vol.2, pág. 435; WALMIR AYALA, vol.1, pág.453; PONTUAL, pág.297; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 623.

142 - BUSTAMANTE SÁ - (1907 - 1988)
LL " Ouro Preto " - ost - 33 x 55 - cid e d
Natural da cidade do Rio de Janeiro, estudou na ENBA naquela cidade, onde foi aluno de Rodolfo Amoedo e Rodolfo Chambelland. Participou do Núcleo Bernardelli, do qual foi um dos fundadores em 1931. Participou de sucessivas versões do SNBA a partir de 1928, recebendo diversas premiações. Excepcional pintor do gênero paisagem. TEODORO BRAGA, pág. 59; REIS JR. , pág. 385; MEC,vol. 4, pág. 127; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 145 e 147; TEIXEIRA LEITE, pág. 94; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 47; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763; Acervo FIEO.

143 - MILLAN HORVAT - (1946)
LL Paisagem - ose - 110 x 39 - cie
Com autenticação da Galeria de Arte André - São Paulo, datada de 23 de Fevereiro de 1989. Pintor iuguslavo, natural de Novi Sad, onde nasceu a 26 de maio de 1946. Residente e ativo em São Paulo, cuja obra foi assim apresentada por Pietro Maria Bardi: " ... sua arte pode ser inscrita na categoria que Ortega y Gasset reservava aos artífices que comunicam e são entendidos pelos apreciadores do figurativo. Pintura rica em percepções que transparecem num conceber geométrico, pacatas colorações justamente apropriadas às composições. As paisagens reconstroem idealmente as arquiteturas, harmonizando-as e as exaltando em sigulares sínteses formais." JULIO LOUZADA, vol. 12 pág. 275, Acervo FIEO.

144 - BERNARD BOUTS - (1909 - XX)
LL Figura - xilo. 31/43 - 35 x 27 - cie
Pintor, desenhista e gravador francês, natural de Versalhes; faleceu na cidade do Rio de Janeiro. Artista com grande conhecimento das técnicas de desenho, gravura, pintura e escultura, apresenta em seus trabalhos forte influência de estilos orientais. Sobre o seu trabalho, Alexis Curvers observa: "Quero crer que jamais alguém havia reunido em tão extraordinária simbiose tudo que as tradições artístico-espirituais da Ásia, da Europa e da América indígena nos tem legado de mais puro, de mais profundo e de mais harmonioso. Bouts recria - e com explendor" - o arco-iris primitivo que abraça, conciliando-as todas as regiões próximas ou distantes do espaço e do tempo." Individuais em 1966, no MASP, e em 1984 no EC Copacabana Palace no Rio. Internacionais em Buenos Aires, Paris e Nova York. JULIO LOUZADA, vol 13 pag 50

145 - FABRICIO SILVA - (1986)
LL " O aprendiz " - ost - 160 x 116 - cid e d - 2011
Pintor e professor, Fabrício Macedo Silva nasceu em Joinville, SC. Iniciou sua formação artística em 1999 com o Prof. Eduardo Reis e com a Profª. Esther Batista da Silva, em 2002. Ministrou seminários em óleo sobre tela e pintura em porcelana, por vários ateliês da Itália, França e Portugal. É professor membro da " World Organization of Chine Painters", com sede nos Estados Unidos. Executou obra pública em azulejaria no Hospital Materno Infantil de Joinville, SC. Exposição individual em Joinville, SC (2005). Exposições coletivas: Canela, RS (2001, 2002); Porto Alegre, RS (2003, 2004, 2005);Joinville, SC (2004, 2006); São Roque, SP (2003); Gramado, RS (2006); Campinas e Campos do Jordão, SP (2006); Montevidéu, Uruguai (2006); Curitiba, PR (2009, 2010). Foi premiado em Santa Catarina de 2001 a 2003. Possui obras no Museu de Gravadores Portugueses, em Lisboa.

146 - ARLINDO ORTOLANI - (1912)
LL Portão - ost - 27 x 35 - cie e d
Nasceu em Santa Cruz das Palmeiras-SP, em 14 de outubro de 1912. Pintor e escultor, desenvolveu suas atividades artísticas com Gino Bruno na pintura e Batista Ferri na escultura. Seus trabalhos foram premiados nos diversos certames oficiais de que participou, destacando-se: SPBA-SP (1960, 1962, 1963 e 1968), conquistando a Medalha de Bronze, entre outros. Segundo a crítica especializada, o autor "(...) tem conseguido através da paisagem uma corporificação por suas concepções escultóricas, aonde os ´corpos´ logram mais plasticidade nos movimentos e que, unidos à paisagem, complementam uma qualidade mais completa que aqueles que somente vêem e fixam a matéria contemplativa. Por este motivo ´os contornos´ se fazem mais precisos e definidos, alcançando maior movimento. (...). Braulio Sánches-Sáez - in EXPOSIÇÃO de pinturas à óleo e têmpera de Arlindo Ortolani. Texto de Braulio Sánchez-Sáez. Ribeirão Preto: Galeria de Arte Athanase Sarantópoulos, Stream Palace Hotel, s.d. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 696; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

147 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL Vênus e pássaros - ser. P.A. 4/30 - 13 x 18 - cid - 1979
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 085 deste catálogo.

148 - ALDERICO ALVES DE FREITAS - (1932 - 1990)
LL " Jangada " - ost - 50 x 60 - cid e d - 1975
Pintor, gravador e restaurador, nasceu em Pindobaçu, Bahia, em 12/10/1932 e faleceu em São Paulo, SP, em 01/08/1990. Autodidata, trabalhou como restaurador de obras sacras de madeira em Salvador. Em São Paulo estudou técnica de gravação com Mario Gruber, tendo introduzido, por total falta de recursos, o uso da fórmica para fazer as matrizes. Segundo Mario Schenberg afirmava em 1973, "Freitas, que começou como gravador e pintor primitivista, evoluiu rapidamente para uma pintura fortemente relacionada com o construtivismo abstrato. E se beneficiou do seu belo sentimento da cor, tão característico dos primitivistas." Expôs individualmente a partir de 1969, participando de coletivas a partir de 1970, inclusive internacionais, recebendo diversas premiações. JULIO LOUZADA, vol. 5 pág. 396

149 - AÉCIO DE ANDRADE - (1935)
LL " Colheita de uvas " - ast - 50 x 70 - cie e d
Reproduzido na pág. 13 do livro " NAIF de Mala e Cuia " de autoria de Oscar D'Ambrosio. -Pintor natural de São Paulo, Capital. Passou pelo gênero impressionista no inicio da carreira, e depois para uma fase mais pessoal. Aborda temas populares brasileiros. Possui obras nos Museus das cidades de Americana, Matão, Assis, Guararapes, e em Penápolis. Começou a expôr em 1968, tendo participado de diversas mostras no País e no exterior, conforme relaciona a bibliografia abaixo. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 33

150 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Pássaro - ser. - 48 x 31 - cid
Com dedicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 059 deste catálogo.

151 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Cangaceiro - ser. - 48 x 30 - cid - 1963
Com dedicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 059 deste catálogo.

152 - WALTER CAVALHEIRO - (1933 - 1997)
LL Mulher - ost - 40 x 20 - cid - 1979
Pintor com diversas participações em exposições individuais e coletivas e com premiações em salões oficiais. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 243

153 - VEROSKA - (1930 - 1999)
LL " A aula de dança " - ost - 70 x 50 - cid
Pintora. Vera Ferraz Donnini nasceu em Nova Granada, SP, e faleceu em São Paulo. Assinava Veroska. Realizou, no ano de1984, uma exposição individual em São Paulo e participou de vários Salões oficiais e exposições coletivas em: Embu, SP (1980, 1982, 1985, 1986, 1988); Taboão da Serra, SP (1981); São Paulo (1984, 1985, 1988, 1989). Prêmios: Embu, SP (1980, 1981); São Paulo (1984, 1988, 1989). JULIO LOUZADA VOL. 4, PÁG. 1141; VOL. 12, PÁG.420.

154 - TOMOSHIGUE KUSUNO - (1935)
LL Charles Chaplin - ser. 34/100 - 26 x 28 - cid - 1971
Natural de Yubari, Japão. Pintor, desenhista e gravador. A obra do autor situa-se no limiar entre o formalismo e o objeto. Individuais a partir de 1976, coletivas internacionais em 1982, e premiações diversas. JULIO LOUZADA, vol.4, pág.1101; MEC, vol.2, pág.430 e 431; PONTUAL, págs.295 e 296; TEIXEIRA LEITE, pág.274; WALMIR AYALA, vol.1, pág.452; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 968; LEONOR AMARANTE, pág. 171, Acervo FIEO.

155 - INNOCÊNCIO BORGHESE - (1897 - 1985)
LL Velho - ose - 16 x 12 - cid - 1979
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 005 deste catálogo.

156 - SALVADOR RODRIGUES JR - (1907 - 1995)
LL " Tipo popular de Ubatuba " - ost - 27 x 22 - cid e d - 1984
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 007 deste catálogo.

157 - SYLVIO ALVES - (1926)
LL Natureza morta - ost - 80 x 60 - cid
Formado e ativo em São Paulo, foi expositor do Salão Paulista de Belas Artes. Especializou-se na Academia de Belas Artes de Roma e na Escola Superior de Belas Artes, na Academia Julien e na Grande Chaumièrè, na França. MEC, vol. 1, pág. 72; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág.55; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

158 - ESCOLA HOLANDESA, SÉC. XIX -
LL Paisagem - ost - 20 x 25 - cie - J.Berg

159 - MACIEJ ANTONI BABINSKI - (1931)
LL Figura surreal - grav. 50/80 - 18 x 12 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 009 deste catálogo.

160 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Paisagem Européia - osm - 21 x 30 - cid
Ass. Di Martino. -

161 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL Casario - ose - 30 x 46 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 011 deste catálogo.

162 - EDIR ESCARIÃO - (1948)
LL Colheita - ast - 60 x 80 - cie
Pintor, desenhista e gravador, natural de Caruaru, PE. Edir Mai Escarião assinava, até 1995, Edir Escarião e E. Escarião, atualmente. Passou a sua infância em Santos, SP. Estudou desenho na Associação Paulista de Belas Artes e pintura com o professor Guido, em São Paulo. Dedica-se à xilogravura a partir de 1977. Exposições individuais: São Paulo, SP (1979, 1987). Coletivas: São Paulo, SP (1973 a 1977, 1982, 1983, 1986, 1987, 1989, 1991, 1992, 1994, 1995); Jundiaí, SP (1975); Brasília, DF (1976); Embu, SP (1977); Santos, SP (1977); Curitiba, PR (1977); Salvador, BA (1980, 1991); Campinas, SP (1981, 1989, 1990, 1991); Americana, SP (1984); Ilhabela, SP (1995); Suíça (1993, 1994). Prêmios: São Paulo, SP (1986, 1987, 1992); Suíça (1992). JULIO LOUZADA, vol.5, pág. 342; vol. 9, pág.294.

163 - PAUL GARFUNKEL - (1900 - 1981)
LL " Imagens do Brasil " - ser. 82/250 - 22 x 28 - cid - Curitiba
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 013 deste catálogo.

164 - TEREZA NAZAR - (1936)
LL Costurando - dn - 85 x 50 - ci - 1963
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 012 deste catálogo.

165 - MESTRE VITORINO - (1920)
LL Boi-bilha - e em br - h = 20 - ass.
Vitorino Moreira nasceu em Maragogipinho,distrito de Aratuípe, BA. Ceramista autodidata. Criador de inúmeras peças,destacando-se as lajotas decoradas com tauá e tabatinga (tinturas extraídas daargila) e o boi-bilha, peça de artesanato que une a figura do boi nordestino ea bilha (muito utilizada para guardar cachaça). Por essa criação, mestreVitorino recebeu Menção Honrosa da Organização das Nações Unidas, no Festivalde Artesanato dos Países da América Latina e Caribe em 2004. www.rafaelveloso.com.br; www.grupomel.ufba.br.

166 - RENZO GORI - (1911 - 1999)
LL Árabes - ost - 33 x 46 - cid
Pintor de estilo, participou de diversos Salões Nacionais, com premiações; muito apreciado por colecionadores de cenas árabes. TEODORO BRAGA, pág. 110; MEC, vol. 2, pág. 278; JULIO LOUZADA, vol. 9, pág. 390; Acervo FIEO.

167 - CARLOS SÖRENSEN - (1928 - 2008)
LL " Girassóis com margaridas " - enc. s/t - 35 x 27 - cie e d - 1986
Com certificado de autenticidade firmado pelo artista. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 017 deste catálogo.

168 - YOLANDA MOHALYI - (1909 - 1978)
LL " Reflexão " - xilo. P.A. - 15 x 10 - cid
Pintora, desenhista e professora. Formação artística na Academia Real de Belas Artes de Budapest. Ativa em São Paulo a partir de 1931. Fez parte do Grupo dos Sete, juntamente com Victor Brecheret, Gomide e outros. Participante de diversas Bienais de São Paulo, entre 1951 e 1967, recebendo diversas premiações TEIXEIRA LEITE, pág. 331; PONTUAL, pág. 363; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 937; LEONOR AMARANTE, pág. 75; Acervo FIEO.

169 - MARIO ALFREDO CARISTINA - (1945)
LL Natureza morta - ose - 16 x 22 - cie
Autodidata, embora tenha frequentado os ateliês de Ettore Federighi e Carlos Bueno Assunção. Pintou o litoral paulista em companhia de Domingos Antequera. Em 1976, participou da Bienal Nacional-SP. JULIO LOUZADA, vol. 3 pág. 218

170 - NERÃO - (ANTONIO JOAQUIM NERY) - (1903 - 1997)
LL " Panorama - Vista na Serra " - ost - 38 x 46 - cid - 1984
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

171 - AXEL LESKOSCHEK - (1889 - 1976)
LL Mulher deitada - xilo. ' - 5 x 8 - cs
Assinado na matriz. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 127 deste catálogo.

172 - HENRIQUE MANZO - (1896 - 1982)
LL Paisagem - ostcc - 29 x 33 - cid
Pintor, desenhista, professor e cenógrafo que nasceu em São Bernardo do Campo, SP e faleceu em São Paulo. Formou-se no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo e posteriormente foi aluno de Alfredo Norfini. Em 1922, participou da fundação da Sociedade Paulista de Belas Artes. Em paralelo às artes plásticas, atuou como cenógrafo, trabalhando para Ana Pavlova, Procópio Ferreira, Froes e para a Companhia Elsa Garide, além de realizar muitos gabinetes para o Conservatório Musical de São Paulo. Durante vários anos foi professor da Escola Paulista de Belas Artes e atuou como pintor e restaurador do Museu Paulista da Universidade de São Paulo (conhecido como Museu do Ipiranga). Em 1944, auxiliado por seu irmão, fez a decoração da Igreja de São Bento em Marília. Participou da I Bienal de São Paulo e de muitos outros Salões oficiais obtendo vários prêmios: Rio de Janeiro (1925, 1929); São Paulo (1934, 1935, 1939, 1945, 1946, 1951, 1956, 1957, 1959, 1965). TEODORO BRAGA; MEC VOL. 3, PÁG. 65; ITAU CULTURAL.

173 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " Narciso " - tst - 42 x 33 - cie e d - 1975
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 023 deste catálogo.

174 - ETTORE FEDERIGHI - (1909 - 1979)
LL Interior - ost - 50 x 60 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 024 deste catálogo.

175 - RENOT - (1932)
LL " Baiana de Aquidaban " - tm - 21 x 15 - csd e d - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 045 deste catálogo.

176 - GENEVIÈVE CLAISSE - (1935)
LL Círculos - ser. 26/100 - 62 x 38 - cid
Com carimbo de Denise Rene - Editeur. -Desenhista, pintora, tapeceira, gravadora, escultora e artista multimídia nascida em Quiévy (Nord), França. Aluna e colaboradora de Auguste Herbin, do qual é aparentada. Sua primeira exposição foi em Paris, em 1958. Depois de 1960 expôs nos Estados Unidos e na maior parte dos Salões franceses e estrangeiros como: Salão de Maio (1960); Bienal de Paris (1965, 1967, 1970 - Prêmio); Salão de Outono (1965, 1970); Tel-Aviv (1965); Montreal, Canadá (1967); Tchecoslováquia (1968); Japão (1969); Egito (1970). Possui obras nos Museus de: Washington; Fundação Joseph Hirshhorn; I.B.M. Corporation, Nova York; Museu Cantonal de Belas Artes de Lausanne; Museu de Chaux-de-Fond; Museu de Grenoble; Chicago (Arte Contemporânea); Buffalo, Albright Knox Art. BENEZIT VOL.3, PÁG. 47; artprice.com; artnet.com; askart.com.

177 - SANTE SCALDAFERRI - (1928)
LL " Diogenes procura um palhaço " - ost - 65 x 50 - cid e d - 1967
Natural de Salvador, BA, este importante pintor brasileiro estudou na Escola de Belas Artes da Universidade da Bahia, onde realizou sua primeira exposição individual, em 1957. Foi um dos fundadores da Organização Nacional dos Estudantes de Arte, em 1953. Participou de diversos salões oficiais com premiações e expôs individualmente, nas galeria Domus (Salvador), Goeldi (RJ), Atrium (SP), etc. A seu respeito disse Paulo Gil, em 1965: "... optou pela documentação de aspectos da cultura popular brasileira, mas conferindo-lhe um tratamento erudito (...) é um pintor de ateliê que buscou nas manifestações do povo da Bahia, na sua própria cultura baiana, a magia que marca seus quadros". PONTUAL, pág. 477; JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 1010; Acervo FIEO.

178 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL " Vista do Corcovado de Botafogo " - ose - 20 x 30 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 028 deste catálogo.

179 - ADELIO SARRO - (1950)
LL " Flor da manhã " - ost - 50 x 40 - cid e d - 2007
Artista do interior paulista, nascido em Andradina, está radicado em São Paulo desde 1968. Sua pintura inicialmente é expressionista e confessadamente inspirada nas obras de Portinari e Segall. Expôs no exterior e em divesos Salões Nacionais, recebendo excelente crítica. JULIO LOUZADA, vol.1 pág. 880, ITAÚ CULTURAL.

180 - YAACOOV AGAM - (1928)
LL " Star of Hope 1 " - tm P.A. - 25 x 25 - cid
Com certificado de autenticidade de BBC Art Corporation. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

181 - ROSSINI PEREZ - (1932)
LL Composição - grav. 7/30 - 59 x 39 - cid
Gravador e pintor, Rossini Quintas Perez nasceu em Macaíba-RN, mudando-se com a família para o Rio de Janeiro em 1940. Em 1951, freqüenta a Associação Brasileira de Desenho e tem aulas com o pintor Ado Malagoli. Após visita à 1ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1951, interessa-se pela gravura. Recebe orientação de Oswaldo Goeldi, Iberê Camargo e, em 1953, de Fayga Ostrower. É assistente de Johnny Friedlaender, com Edith Behring, no Ateliê de Gravura do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, no qual leciona entre 1959 e 1961. No ano seguinte, aperfeiçoa-se em litografia na Rijksakademie, em Amsterdã, como bolsista da Unesco. Reside em Paris de 1962 a 1972. De volta para o Brasil, leciona no Centro de Criatividade da Fundação Cultural do Distrito Federal em 1978. No Rio de Janeiro, entre 1983 e 1986, volta a dar aulas no Ateliê de Gravura do MAM/RJ. "Diante da guerra aberta entre o figurativo e o abstrato, Rossini Perez vai a São Paulo conhecer a 1ª Bienal, trocando, em seguida, a pintura pela gravura. Tal opção deve-se ao seu desejo de ingressar na arte abstrata. Nos anos em que ensina no MAM, resolve suas gravuras com ponta-seca ou combinando diversas técnicas do metal. Constrói composições, contrastando áreas claras e áreas escuras. Essas áreas são, a um tempo, afrontadas e fusionadas, já que cada uma delas tem na outra algo do seu próprio elemento gráfico. Assim, Rossini Perez dá ritmo às composições e as aplaina. Suas gravuras são planejadas; freqüentemente, todavia, são modificadas no processo por lance espontâneo e por acidentes da técnica. Segue esse procedimento mesmo nos trabalhos que faz na Europa, por mais de dez anos, após ter deixado o MAM." Leon Kossovitch e Mayra Laudanna, in: GRAVURA: arte brasileira do século XX. Apresentação Ricardo Ribenboim; texto Leon Kossovitch, Mayra Laudanna, Ricardo Resende. São Paulo: Itaú Cultural: Cosac & Naify, 2000. p. 18. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 807; ITAU CULTURAL.

182 - JOAQUIM TENREIRO - (1906 - 1992)
LL Paisagem - dn - 34 x 20 - cid - 1949
Português da cidade de Melo, Serra da Estrela, foi discípulo do Núcleo Bernardelli e de Quirino Campofiorito, no Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência definitiva no Brasil no ano de 1929. Fez o Curso de Desenho do Liceu Português, onde conquista o prêmio Joaquim Alves Meira, a maior láurea daquele estabelecimento. Tem pinturas suas figurando no MAM-SP, no MNBA e Museu Manchete-RJ. Mário Barata escreve a seu respeito: " Depois de uma fatura limpa, de acabamento preciso e claro, Tenreiro, mesmo prosseguindo com certo rigor estilistico, cedeu, ultimamente, 'a tentação das densidades de matéria e ao cromatismo baixo, 'as vezes terroso, cinza, que o informal bastante generalizou." É o renovador do mobiliário brasileiro, responsável por toda uma linha de criação em que a funcionalidade se alia o bom gosto e o aproveitamento racional dos materais do País. MEC, vol.4, págs.381 E 382; PONTUAL, pág.520,; TEIXEIRA LEITE, pág.504; WALMIR AYALA, vol.2, pág.376 e 377 ; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.320; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 580; ARTE NO BRASIL, pág. 763.

183 - ROLANDO NATAL SCURZIO - (1931 - 1998)
LL " Veneza " - osm - 65 x 46 - cid e d - 1998
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 033 deste catálogo.

184 - AGUSTIN SALINAS Y TERUEL - (1862 - 1915)
LL Marinha - osm - 25 x 40 - cid
Pintor espanhol, fez seus estudos em Madrid e Roma, esteve no Brasil no início do século. BENEZIT, vol. 9, pág. 249; BOLAFFI, vol. 12, pág. 305; MAYER/84, pág. 1156; TEODORO BRAGA, pág. 210; ANUAIRE DES COTES INTERNATIONAL, pág. 1728; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 2202, RUTH TARASANTCHI.

185 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Aldeia - dl - 9 x 16 - cie - 1980
Desenho executado sobre convite de mostra na Galeria Emy Bomfim - São Paulo. Com etiqueta de Renot Art Dealer - São Paulo, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

186 - ANTONIO PETICOV - (1946)
LL Composição - lito. 92/99 - 38 x 38 - cid - 1988
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 036 deste catálogo.

187 - RENÉE LEFÈVRE - (1910 - 1996)
LL Natureza morta - dn - 29 x 38 - cid
Nasceu (17/julho) e faleceu (26/abril) em São Paulo. Foi aluna de desenho de Pedro Alexandrino. Freqüentou a Academia Julian e a Academia de La Grande Chaumiere em Paris. Pintora e ilustradora, integrou a Família Artística Paulista. Expôs individualmente pela primeira vez em 1941, e coletivamente a partir de 1934, inclusive no exterior, recebendo premiações. O crítico Geraldo Ferraz assim se referiu à sua obra, conforme consta em JULIO LOUZADA abaixo mencionado: "Renée Lefevre gosta de pintar e desenhar paisagens, pequenas cidades do interior, praças, ruas, igrejas, casarões. Às vezes é seduzida pelas cenas regionais com figuras humanas. Raramente pinta naturezas-mortas. Conscientemente evita composições panorâmicas. Em geral, está empenhada em simples transposições pictóricas de fragmentos da realidade brasileira, que hoje é histórica. Sem dúvida, essas vistas do Brasil antigo são submetidas a um processo de afeto pessoal, a uma validade de poetização lírica, onde a artista revela as ocultas seduções de formas ressuscitadas da arquitetura barroca, formas tão brasileiras, tão graciosas, tão cativantes, já tão esquecidas, ainda que presentes e vivas (...) Será difícil classificar seus quadros, pintados em gama de cores luminosas, apagadas; esses desenhos sutis, sensibilizados, de caligrafia arejada, dentro das correntes reconhecidas da pintura atual. Parecem surgidos de outra época, aliás como são também essas parcelas do Brasil colonial fontes de sua inspiração. " JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 532; MEC. vol.2,. pág.465; PONTUAL, pág.306; TEIXEIRA LEITE, pág.283; WALMIR AYALA, vol.1, págs.466 e 467; ITAÚ CULTURAL. Acervo FIEO.

188 - ANTENOR FINATTI - (1923)
LL Vista da igreja da Glória - ose - 22 x 16 - cid
Natural de Pinhal, SP. Pintor, desenhista e professor. Foi aluno de Armando Viana, no Rio de Janeiro, cidade onde se fixou. Participou, com premiação, do SNBA (1961, 1962, 1966 e 1968), além de diversos outros certames de igual importância, com destaque e reconhecidas críticas. JULIO LOUZADA vol.11, pág.112; PONTUAL, pág. 215; MEC. VOL.2 pág. 177; Acervo FIEO.

189 - LUBRA - (XX)
LL Orquídeas - ost - 50 x 40 - cid
Pintor e professor ativo em São Paulo. JULIO LOUZADA vol.4, pág. 636.

190 - IGNÁCIO DA NEGA (IGNÁCIO RAMOS DA SILVA) - (1945)
LL " Dama " - ost - 18 x 15 - cid e d - 2011
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 135 deste catálogo.

191 - OTONI GALI ROSA - (1939)
LL " Fogo " - lito. 49/50 - 73 x 53 - cid - 1983
Desenhista, pintor, gravador e professor, natural de Olímpia, SP. A obra de Otoni marca-se pela constante temática dos cavalos, que povoaram sua infância. Com sua obra, o autor foi muito premiado nos diversos certames de que participou. JULIO LOUZADA vol.1, pág.841; ITAÚ CULTURAL.

192 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 8 x 16 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

193 - FERNANDO COELHO - (1939)
LL " Saltadores " - astcc - 30 x 60 - cie e d
Pintor baiano nascido em Salvador. Inicialmente publicitário de sucesso, dedica-se integralmente à pintura a partir de 1963. Além de exposições individuais nas Galerias Querino (Salvador), Astréia (SP), e Bonino (RJ), expôs na Alemanha e participou dos SNAM e BNAP. Produz pintura que, fixando paisagens urbanos, se situa entre o figurativismo e o abstracionismo. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 209/210; MEC, vol. 1,pág. 441; PONTUAL, pág. 139; TEIXEIRA LEITE, pág. 126; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 74.; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

194 - JULIO VIEIRA - (1933 - 2000)
LL Cavalos - ast - 61 x 46 - cse e d - 1993
Natural da cidade do Rio de Janeiro, foi pintor, gravador e desenhista. Fez curso na antiga Escola Nacional de Belas Artes, entre 1952 e 1956, estudando gravura com Goeldi entre 1954 e 1956. Um trecho da lavra do crítico e pintor Quirino Campofiorito sobre a arte única do artista: " ..A vantagem de Júlio Vieira era sua fidelidade ao transe terrestre. Sua pintura foi sempre um gesto doloroso. Muitas águas rolaram, desde então. Oficializou-se o concretismo e o neoconcretismo. Júlio sempre marginal e sempre um excelente artista. MEC vol. 4 pág. 475 - JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 1034; ITAU CULTURAL

195 - RENOT - (1932)
LL " Pose para retrato " - tm - 14 x 11 - csd e d - 1990
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 045 deste catálogo.

196 - ALBANO AGNER DE CARVALHO - (1899 - 1986)
LL Marinha - a - 24 x 33 - cid
Nasceu em Curitiba, PR, onde fez estudos de pintura com o mestre Alfredo Andersen. Indo para o Rio de Janeiro em 1929, integrou-se desde então nas atividades artísticas locais, lá expondo individualmente em 1930, 1943, 1950 e 1961. Expôs também em Curitiba, em 1950, 1952, 1966 e 1968. Recebeu menção honrosa no SNBA e medalha de prata no Salão Fluminense de Belas Artes. PONTUAL, pág. 113; MEC, vol. 1, pág. 361; TEODORO BRAGA, pág. 29; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 176/177; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO, pág. 925.

197 - JOSÉ PAULO MOREIRA DA FONSECA - (1922 - 2004)
LL " A luz e as rosas " - ost - 45 x 15 - cie - 1977
Carioca, advogado, filósofo, poeta e pintor. José Paulo dedicou-se à pintura desde 1950. Fez uso abundante da espátula, lançando luz e cor nos seus temas preferidos: fachadas, portas, janelas, marinhas e paisagens. MEC, vol. 2, pág. 183; WALMIR AYALA vol. 1, pág. 423 a 427; TEIXEIRA LEITE, pág. 268; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

198 - H. DUNKEL - (1906 - 1966)
LL Porto - osm - 20 x 33 - cid
Pintor e desenhista alemão com diversas participações em exposições, Salões oficiais e leilões internacionais. Assina H. Dunkel. JULIO LOUZADA VOL. 3, PÁG. 356; VOL. 4, PÁG. 344; artprice.com.

199 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Composição - psa - 15 x 15 - n/as.
Reproduzido na pág. 17 do catálogo da exposição " Lothar Charoux - entre vida e obra ", realizada na Caixa Cultural - São Paulo de 11 de fevereiro a 21 de março de 2010. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 049 deste catálogo.

200 - FRANCISCO REBOLO GONSALES - (1903 - 1980)
LL Paisagem - lito. 60/100 - 20 x 29 - n/as. - 1980
Com a seguinte inscrição: " Última litografia de Rebolo, tirada por João Luciano e firmada por Lisbeth Gonçalves em agosto de 1980. Tiragem póstuma. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 113 deste catálogo.

201 - MARIA BONOMI - (1935)
LL " Zeus " - xilo. 178/250 - 43 x 43 - cid - 1995
Gravadora, pintora, figurinista, cenógrafa, muralista e escultora. No Brasil desde os nove anos de idade, residiu no Rio de Janeiro, com o seu avô, o construtor Conde Martinelli. Em 1950, já em São Paulo, estudou inicialmente com Yolanda Mohalyi, em seguida, a partir 1953, com Karl Plattner e Livio Abramo. Fez estudos de aperfeiçoamento no exterior, estudando com grandes mestres. Participante assídua de exposições coletivas, salões e mostras nacionais e internacionais, com muitas premiações. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 142; PONTUAL, pág. 80; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI,pág. 692; ARTE NO BRASIL, pág. 837; LEONOR AMARANTE, pág. 75, Acervo FIEO.

202 - SERGIO NICULITCHEFF - (1960)
LL " Carimbo " - ase - 38 x 28 - cie e d
Pintor, desenhista, professor. Freqüenta, em 1978, o Ateliê de Gravura da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo - ECA/USP, onde estuda com Evandro Carlos Jardim (1935). Em 1980 licencia-se em educação artística com especialização em artes plásticas, pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo. Entre 1981 e 1982, viaja para a Europa, principalmente França e Espanha, participa de exposições e mantém contato com Leonilson (1957 - 1993) e Luiz Zerbini (1959). Em Paris, é auxiliar do artista Piza (1928), na Galeria Bellechase. Posteriormente, em São Paulo, leciona na Faculdade de Artes Alcântara Machado. JULIO LOUZADA, vol. 8, pág. 608. ITAÚ CULTURAL.

203 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL Paisagem - dn - 28 x 21 - cie
Desenhista, gravador, pintor, ilustrador, cenógrafo, roteirista e designer gráfico que nasceu em Santa Maria da Boca do Monte, RS e faleceu no Rio de Janeiro. Assina Scliar. Estudou com Gustav Epstein, em Porto Alegre, em 1934. Participou, em 1938, da fundação da Associação Riograndense de Artes Plásticas Francisco Lisboa. Entre 1939 e 1947, residindo em São Paulo, integrou a Família Artística Paulista - FAP. No Rio de Janeiro, escreveu e dirigiu em 1944 o documentário 'Escadas', sobre os pintores Arpad Szenes e Vieira da Silva com os quais conviveu desde 1941. Convocado pela Força Expedicionária Brasileira - FEB, participou da Segunda Guerra Mundial, na Itália. Morando em Paris de 1947 a 1950, cursou gravura com Galanis na Escola de Belas Artes e teve contato com o gravador mexicano Leopoldo Méndez. De volta ao Brasil, fundou com Vasco Prado o Clube de Gravura de Porto Alegre. Em 1956, passou a viver no Rio de Janeiro. Foi diretor do departamento de arte da revista 'Senhor' entre 1958 e 1960. Fundou a editora Ediarte, em 1962, com os colecionadores Gilberto Chateaubriand, Michel Loeb, Carlos Nicolaievski e o pintor José Paulo Moreira da Fonseca. Realizou durante toda sua vida exposições individuais e participou de inúmeras coletivas e Salões oficiais, recebendo muitos prêmios. Também foram realizadas várias exposições póstumas. MEC VOL.4, PÁG. 214; TEODORO BRAGA, PÁG. 66; WALMIR AYALA VOL.2, PÁG. 306 a 309; PONTUAL, PÁG. 479 e 480; JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG.884; VOL.2, PÁG. 925; VOL.13, PÁG. 305; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, PÁG. 587; ARTE NO BRASIL, PÁG. 798; RGS, PÁG. 442; ACERVO FIEO.

204 - ANTÔNIO GARCIA BENTO - (1897 - 1929)
LL Marinha - ost - 29 x 40 - cid - 1926
Reproduzido sob o n.° 145 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Pintava inicialmente ao ar livre, aos domingos, na Quinta da Boa Vista (Rio de Janeiro), sob a orientação de Levino Fanzeres. Posteriormente passou a dedicar-se às marinhas, gênero a que mais se ligou. Trabalhava a espátula e o pincel conjuntamente, com técnica e maestria. PONTUAL, pág. 232; JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 145

205 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Composição - dn e g - 23 x 21 - cid - 1963
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 105 deste catálogo.

206 - JUDITH LAUAND - (1922)
LL Linhas - tm - 30 x 30 - n/as. - 15.01.2004
Nasceu na cidade paulista de Pontal. Em 1950 formou-se em artes plásticas na Escola de Belas Artes de Araraquara-SP. Em 1952, já em São Paulo, estuda pintura com Domênico Lazzarini e gravura com Lívio Abramo. Integra o grupo paulista do movimento de arte concreta em 1955. Participa da Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1955 e 1969; Exposição Nacional de Arte Concreta, São Paulo, 1956; Tendências Construtivas no Acervo do MAC/USP, Rio de Janeiro, 1996; Arte Construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leirner, São Paulo e Rio de Janeiro, 1998 e 1999. Na crítica de Mario Schenberg, ..." Judith Lauand permanece fiel a sua postura e trajetória concretista. Sua obra recente revela a densidade da composição, o apuramento do cromatismo, o equilíbrio do grafismo, conseguidos por constante pesquisa. Judith envereda agora por novos caminhos realizando obras que podem ser chamadas de assimétricas, onde o geometrismo da decomposição cromática destrói a ‘partição eqüilateral’ presente ao longo de sua obra, criando uma nova simetria. " (LAUAND, Judith. Judith Lauand : pinturas. Sao Paulo : Choice Galeria de Arte, 1986. p. 3). JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 479; ITAU CULTURAL.

207 - HEITOR DOS PRAZERES - (1898 - 1966)
LL Serenata - ose - 33 x 43 - cid - 16.6.1960
Com autenticação da família do artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho. -Compositor e pintor, iniciou-se na pintura em 1937. São seus temas preferidos o samba, favelas cariocas, mulatas e malandros. Participou da I Bienal de SP (1951), sendo nela premiado. Mostrou a sua obra em diversas exposições, no Brasil e no exterior. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.247; MEC. Vol.3, pág.400; WALMIR AYALA. Vol.2, pág.194; TEIXEIRA LEITE, pág.408; PONTUAL, pag.439; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.810; LEONOR AMARANTE, pág. 266; 673; Acervo FIEO.

208 - BRAULIO POIAVA - (1911 - XX)
LL Vista do Rio de Janeiro - ost - 37 x 45 - cie
Natural de São Gonçalo, RJ, estudou no Liceu de Artes e Ofícios daquela cidade; foi aluno de Rodolfo Chambelland na ENBA. Integrou o Núcleo Bernardelli, juntamente com Edson Motta, Bustamente Sá, Milton Dacosta, Pancetti, Manoel Santiago e tantos outros. TEODORO BRAGA, pág. 194; PONTUAL, pág. 430, MEC, vol. 3, pág. 424; TEIXEIRA LEITE, pág. 410; JÚLIO LOUZADA, vol. 6, pág. 898; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763.

209 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Mulher com chapéu - a - 30 x 22 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 120 deste catálogo.

210 - LIVRO -
LL -
1) Anuário Internacional de Vendas - Pintura/Escultura - 1979 - Edições Mayer; 2) Arte Brasil Hoje - 50 Anos Depois, por Roberto Pontual - Edições Collectio; 3) Mulheres Pintoras - a casa e o mundo - Catálogo de Exposição realizada na Pinacoteca Do estado de São Paulo em 2004; 4) Renée Lefèvre por Enocre Sacramento - 2006. -

211 - CLAUDIO FACCIOLI - (1955)
LL Composição - ast - 60 x 80 - cid e d - 1995
Sua formação artística, na década de 1970, foi no Instituto de Belas Artes, atual Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Rio de Janeiro, e formou-se em Publicidade e Propaganda, em 1980. Exposições individuais: Rio de Janeiro (1991, 1994, 1998, 2000); Niterói, RJ (1986); Nova Friburgo, RJ (1986). Coletivas: Rio de Janeiro (1988, 1989, 1995 a 1997); Volta Redonda, RJ (1994); São Paulo (1996). Prêmios: Volta Redonda, RJ (1994); Rio de Janeiro (1997). JULIO LOUZADA VOL.10, PÁG. 327; VOL.13, PÁG. 125.

212 - RODOLPHO AMOÊDO - (1857 - 1941)
LL Menina - p - 32 x 19 - cid - Paris
Natural da cidade de Salvador, o artista chegou ao Rio de Janeiro no ano de 1868, ingressando, cinco anos depois, no Liceu de Artes e Ofícios e, em 1874, na Academia Imperial de Belas Artes, onde teria Vitor Meirelles, Agostinho da Mota e João Zeferino da Costa como mestres. Na Escola de Belas Artes de Paris, já estudante bolsista da Academia, aperfeiçoou-se com Cabanel e Puvis de Chavanes. De volta ao Rio de Janeiro, onde viria a falecer, destacou-se no exercício do magistério, como professor honorário e, posteriormente, como diretor da antiga Escola Nacional de Belas Artes. Dono de grande preciosismo técnico, Amoedo aborda com despojamento os mais delicados matizes nos seus temas, geralmente a figura humana. O MNBA possui em seu acervo mais de 300 obras do artista TEIXEIRA LEITE, 26/29; PONTUAL, pág. 24; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 411; ARTE NO BRASIL, pág. 566.; JULIO LOUZADA, VOL. 1 PÁGS. 58/59/60; F. ACQUARONE, pág. 101.

213 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Tipos Brasileiros - g - cid ileg.
Composto por cinco desenhos, medindo 13 x 10 cm , cada. -

214 - NERÃO - (ANTONIO JOAQUIM NERY) - (1903 - 1997)
LL " O caçador de veado " - ost - 38 x 46 - cid - 1986
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

215 - EFIGÊNIA ROSARIA SILVA - (1937)
LL " Colheita de milho " - ast - 50 x 70 - cid
Reproduzido na pág. 30 do livro " NAIF de Mala e Cuia " de autoria de Oscar D'Ambrosio. -Nasceu em Campo Belo, MG e foi registrada só em outubro de 1938. Assina E. Rosaria Silva. Veio com a família para São Paulo em meados da década de 1940 e desenvolveu numerosas atividades até se descobrir na pintura. Começou a pintar com o incentivo da mãe, seguindo uma tradição, pois é irmã de Maria Auxiliadora, Conceição e João Cândido, principais representantes de toda uma família de artistas. OSCAR D’AMBROSIO, " NAÏF DE MALA E CUIA ", AUDERMARTINS; artcanal.com.br.

216 - YAACOOV AGAM - (1928)
LL Composição - ser. P.A. - 37 x 89 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

217 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Caravela - e em mar - h = 20 - ass.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 067 deste catálogo.

218 - FRANCISCO MANNA - (1879 - 1943)
LL Paisagem - osm - 40 x 48 - cid
Pintor e desenhista italiano, natural da Sicilia, onde nasceu a 15 de julho de 1879. Chegou ao Brasil com oito anos de idade, fixando-se com a família em Porto Alegre. Recebeu aulas de do artista italiano Romualdo Pratti. Seguiu para a Itália em 1901, onde cursou a Real Academia de Roma. No Rio de Janeiro, a partir de 1903, passou a frequentar como aluno livre as aulas de João Zeferino da Costa, Henrique Bernardelli e João Baptista da Costa, na Escola Nacional de Belas Artes. Recebeu o prêmio de viagem ao estrangeiro, mas não pode desfrutá-lo, haja vista sua condição de estrangeiro. MEC., vol.3, pág.47; PONTUAL, pág.334; WALMIR AYALA, vol.2, pág.37; TEIXEIRA LEITE, pág.306.; ITAÚ CULTURAL.

219 - ALUISIO CARVÃO - (1920 - 2001)
LL Linhas - g - 46 x 31 - cid - 1956
Importante pintor, escultor, Ilustrador, ator e cenógrafo brasileiro, natural de Belém-PA. Em 1952 estuda pintura com Ivan Serpa, no MAM-RJ, participando, entre 1954 e 1956, Grupo Frente e, entre 1960 e 1961, integra o Grupo Neoconcreto. Nos anos seguintes viaja para a Europa com o prêmio de viagem recebido no SNAM-RJ. No fim dos anos 60 passa a empregar materiais não tradicionais, como tampinhas metálicas de garrafa, pregos e barbante agrupados em suportes de madeira. Em 1996 ocorre retrospectiva de sua obra no Museu Metropolitano de Arte, em Curitiba, no Museu de Arte Moderna - MAM/BA e no MAM/RJ. "A preocupação inicial de Aluísio Carvão era com a forma: reduzir a obra a estruturas elementares, gestálticas. A partir da dissidência neoconcreta, da qual fez parte, é a cor que irá se impor, envolvendo a estrutura, ou melhor, a cor é, ela mesma, espaço. Carvão não é um pintor metafísico. Através da cor ele revela sua relação sensual com o mundo. Como ele diz: ´Vermelhos-guarás, araras, aroma das flores de manacá, o som do vento terral, o calor equatorial, o amarelo-laranja do sol, ressonâncias atávicas de Van Gogh e Mondrian, em trânsito pela Península Ibérica, Nordeste, Amazônia e nosso litoral daqui´. Nas pinturas da ´série cromativa´ ou no ´cubocor´ da fase neoconcreta, Carvão dá à cor sua máxima concretude e fisicalidade, mas, feito isto, ocorre a retração da cor, que se mutiplica em complementares, abrindo caminho para a caracterização como espaço lírico, território da memória. Sua linguagem e seus motivos são aéreos: sóis, luas, pipas, bandeirolas, mastros, arcos. Enfim, são formas que voam e ascendem, sem contudo perder o vínculo com a terra. " Frederico Morais, in MORAIS, Frederico. Vertente construtiva. In: DACOLEÇÃO: os caminhos da arte brasileira. São Paulo: Júlio Bogoricin, 1986. p. 131-132. JULIO LOUZADA, vol. 5 pág. 210/211; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, 655; LEONOR AMARANTE, 75; ARTE NO BRASIL, 921; Acervo FIEO.

220 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Casario - ost - 72 x 72 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 070 deste catálogo.

221 - GIUSEPPE PERISSINOTTO - (1881 - 1965)
LL Paisagem - osm - 22 x 34 - cid
Nascido em Musile, Veneza, Itália, veio para o Brasil ainda criança e cuja família radicou-se no interior de São Paulo. Fez estudos de pintura na Academia de Belas Artes de Veneza, para onde retornou aos dezoitos anos, prosseguindo para Florença e demais centros de arte da Itália onde se aperfeiçoou; retornou a cidade de São Paulo em 1912, dedicando-se exclusivamente a sua pintura que sempre teve como tema paisagens, marinhas naturezas mortas e figuras. Expôs em várias capitais do Brasil, com sucesso de crítica e público; foi um dos idealizadores do SPBA, ao lado de Souza Pereira e outros. ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.

222 - CARLOS MERIDA - (1891 - 1984)
LL Composição - tm - 20 x 28 - cid - 1944
Desenhista, pintor, muralista, gravador e professor nascido na Cidade da Guatemala, Guatemala e falecido na Cidade do México, México. Seu aprendizado artístico se iniciou na Guatemala (Cidade da Guatemala e Queltzaltenango) e, em Paris (1910-1914), onde teve contato com Pablo Picasso e Amedeo Modigliani. Retornou à Guatemala (1914) e fez sua primeira individual. Em 1919, interessado na revolução artística e social do México, mudou-se para lá e se envolveu na escola de pintura mural mexicana trabalhando como assistente de Diego Rivera. Criou numerosos murais na Guatemala e no México. Em 1942 foi professor da atual Universidade do Norte do Texas. Suas obras podem ser encontradas em muitos museus do mundo. www.adanigallery.com; www.literaturaguatemalteca.org; www..artcyclopedia.com; www.britannica.com; www.latinart.com; www.latinamericanart.com; artnet.com; askart.com; arcadja.com; artprice.com.

223 - JOÃO QUAGLIA - (1928)
LL Figura - ose - 60 x 45 - cid - 1955
Pintor, desenhista, gravador e professor baiano, natural de Salvador. Estudou litografia com Mario Cravo. No Rio de Janeiro desde 1947, inicia seus estudos de pintura, ingressando na Escola Nacional de Belas Artes. Aperfeiçoou-se com Darel em lito e em pintura na Europa, mercê de prêmio viagem recebido no SNAM em 1958. Participou de diversos salões e coletivas, com diversas premiações. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 797; ARTE NO BRASIL, pág. 839.

224 - EMILIO CARDOSO AYRES - (1890 - 1916)
LL Pianista - dn - 13 x 10 - cid - 1911
Caricaturista de muito talento, Emilio Cardoso Ayres era pernambucano, de família tradicional e rica do Recife. Viveu em Paris, suicidou-se em Marselha, aos 26 anos. Teve breve e intensa vida social, sendo figura obrigatória nas festas do Rio, nos dois anos que passou no Brasil, de 1910-1912. Retratou com acuidade mordaz as principais figuras dos salões cariocas. CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, 2001, pág. 56, 57 e 58; ARTE NO BRASIL, pág. 602; HISTORIA DA CARICATURA NO BRASIL, pág. 1289.

225 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL " Emblema " - ast - 70 x 50 - d - 1988
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

226 - GEORGES WAMBACH - (1901 - 1965)
LL Paisagem - a - 32 x 24 - cid - 1939 - Ilha de Paquetá
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 072 deste catálogo.

227 - PIERRE DE BELAY - (1890 - 1947)
LL Trabalhadores - ost - 50 x 60 - cie
No estado. -Pintor e gravador nascido em Quimper, Finistère, França, e faleceu em Paris. Em 1919 mudou-se para Paris e a partir de 1926 se dedicou também à gravura, cujas técnicas o influenciaram na sua maneira de pintar a qual ele a chamou de ‘treillisme’. Em Paris, realizou exposições individuais de pinturas e gravuras a partir de 1926 e participou de muitas mostras oficiais: Salão de Outono (1920, 1928); Salão dos Independentes (1926 a 1945); Salão das Tulherias (1927 a 1935). Expôs também em Nantes, França (1928); Chartres, França (1931); Estocolmo, Suécia (1939). Retrospectivas póstumas foram realizadas em Paris (1951), em Quimper (1954) e em Brest (1955). Possui obras nos museus de: Bordeaux, Brest, Orleans, Ostende, Paris e Quimper. BENEZIT VOL.1, PÁG. 586; www.fineoldart.com; artprice.com; artnet.com; artfact.com; artcyclopedia.com; askart.com; christies.com.

228 - JOSÉ LUIZ CUEVAS - (1933)
LL Rosto - dlc - 26 x 20 - cid - 1948
Com certificado de origem firmado por Horácio Sicre - Flórida. -Pintor, desenhista, ilustrador e gravador mexicano. Autodidata, a partir de 1947 expôs na Cidade do México e participou das Bienais de São Paulo de 1955 e 1959. Possui obras em acervos de Museus nas cidades de: Nova Iorque, Chicago, Tel-Aviv, São Paulo e Caracas. JÚLIO LOUZADA, vol. 5, pág. 271.

229 - VALDEIR MACIEL - (1937 - 2005)
LL Composição - ost - 30 x 80 - d - 1978
Natural de Bacabal-MA, residiu e foi ativo em São Paulo. Participou de diversas exposições, destacando-se XI ao XVI Salão Paulista de Arte Moderna - Medalha de Bronze (1963 e 1965); 9ª Bienal Internacional de São Paulo. Segundo o crítico Theon Spanudis: "Ao contrário da pintura de Rubem Valentim, que emana sempre poderosas e vibrantes cargas mágicas, imperiosas e afirmativas, a pintura de Valdeir Maciel, nascido em São Luís do Maranhão e radicado em São Paulo, é mais introvertida, silenciosa, escondida em seu misticismo esotérico, mas de enorme amplitude metafísica e religiosa. Às vezes enigmática, mas raramente luminosa, prefere os coloridos sombrios, obscuros e abscônditos. Começando com um tachismo corriqueiro, foi sacudido em 1961 pela primeira exposição neoconcreta de São Paulo. De lá em diante ele virou geométrico. Mas seu construtivismo não tem nada a ver com o concretismo, ou o neoconcretismo, por causa do seu intenso misticismo e profundidade esotérica. No início ele pintava figurações geométricas no meio da tela, cercadas por toda a superfície vazia da tela, figurações como de objetos sacrais e preciosos de religiões e cultos desconhecidos. Mais tarde ele começou a expandir as suas formulações geométricas e construções esotéricas, até ocupar toda a superfície da tela." in SPANUDIS, Theon. Construtivistas brasileiros. São Paulo: o Autor, s.d. WALMIR AYALA, MEC, PONTUAL, pág. 327; TEIXEIRA LEITE, pág. 298; WALTER ZANINI, pág. 688; JULIO LOUZADA, vol. 12, pág. 245. ITAU CULTURAL.

230 - JOSÉ PANCETTI - (1902 - 1958)
LL " Anita com Nilma ao colo " - dlc e a - 28 x 19 - cid - 1943
- Reproduzido no convite deste leilão. Reproduzido sob o nº 709 da pág. 309, do livro " Pancetti - O Pintor Marinheiro " de autoria José Roberto Teixeira Leite. Com estudos no dorso. -Nasceu em Campinas e faleceu no Rio de Janeiro. Filho de italianos chegados a Campinas em 1891. Foi marinheiro por longos anos, tendo aprendido a sua arte a bordo dos navios. Era conhecido como o Pintor Marinheiro. Participou do Núcleo Bernardelli, no Rio de Janeiro, onde conviveu com Milton Dacosta, Ado Malagoli e João José Rescala. Participou do SNBA durante vários anos, recebendo premiações. Sobre o artista assim se manifestou Medeiros de Lima: " ... Juntamente com Alberto da Veiga Guignard, Alfredo Volpi e Lasar Segall, Pancetti retoma na pintura a melhor tradição da paisagística brasileira (...) Mas, de todos, Pancetti foi o que melhor soube captar a fôrça, a exuberância e a luminosidade litorânea brasileira" . TEODORO BRAGA, pág. 130; PONTUAL, págs. 403 e 404; MEC, vol. 3, pág. 332; REIS JUNIOR, pág. 383; ITAU CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 380; WALTER ZANINI, pág. 573; ARTE NO BRASIL, pág. 597; LEONOR AMARANTE, pág. 28.

231 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Mulheres - dn - 28 x 22 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 081 deste catálogo.

232 - MARIO CRAVO JR - (1923)
LL Cristo - grav. col. - 35 x 24 - cid - 1954
Escultor. Após realizar seus estudos, primeiro com um santeiro baiano,e depois com Cozzo, seguiu para os Estados Unidos, aperfeiçoando-se ali com Mestrovic (1949). Teve o prêmio de escultura na II Bienal de São Paulo, e tem participações em várias exposições, dentro e fora do Brasil. Professor de gravura na Universidade da Bahia. Sua escultura, de cunho expressionista, divide-se em duas fases: a figurativa (santos e imagens na tradição barroca) e não figurativa (experiências formais). Mário Cravo trabalha a madeira e o metal com perícia idêntica. Permaneceu na Europa (Berlim e outros centros) entre 1963 e 1964. MEC,vol. 1, págs. 495 a 497; PONTUAL, págs. 150/1; JULIO LOUZADA, Ed./85, págs. 281/2; BENEZIT, vol. 3, pág. 261; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 638; ARTE NO BRASIL, pág. 846; LEONOR AMARANTE, pág. 23.

233 - ALEX VALLAURI - (1949 - 1987)
LL Pinguim - spray - 48 x 24 - n/as.
Reproduzido sob o nº 90 em catálogo de Lordello e Gobbi - Escritório de Arte - São Paulo. -Natural de Asmara, Etiópia, faleceu em São Paulo-SP. Grafiteiro, artista gráfico, pintor, desenhista, cenógrafo e gravador. Chegou ao Brasil com a família em 1965. Era residente e ativo na capital paulista. Iniciou-se em xilogravura, retratando personagens do porto de Santos. No começo da década de 1970, formou-se em comunicação visual pela FAAP-SP. Especializou-se em litografia no Litho Art Center de Estocolomo, em 1975. Retornou ao Brasil em 1978, realizando grafites em espaços públicos de São Paulo. Produzia silhuetas de figuras, com tinta spray sobre moldes de papelão. Residiu em Nova York entre 1982 e 1983, onde cursou artes gráficas no Pratt Institute. Nesse período, fez grafites nos muros da cidade. Além de usar o muro como suporte, seus trabalhos estampam camisetas, broches e adesivos. Voltou ao Brasil e começa a lecionar na Faap. Em sua produção destaca-se a série A Rainha do Frango Assado, que é também tema de instalação apresentada na 18ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1985. Retrospectiva Viva Vallauri, realizada no Museu da Imagem e do Som - MIS, em São Paulo, em 1998. JULIO LOUZADA, vol 3 pag 1170; ITAUCULTURAL.

234 - REYNALDO FONSECA - (1925)
LL Mulher - tm - 70 x 50 - cse - 1983
Pintor, desenhista, gravador e professor pernambucano, natural da cidade do Recife, onde é ativo. Estudou no Rio de Janeiro, pintura com Portinari e gravura em metal com Henrique Oswald. Conquistou diversos prêmios em pintura e gravura na Divisão Moderna do SNBA-RJ. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.263; MEC, vol.2, pág.184; PONTUAL, pág.220; TEIXEIRA LEITE, pág.205; WALMIR AYALA, vol.2, págs. 243 a 245; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 879.

235 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Feira - ost - 35 x 50 - cid - 1991
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 088 deste catálogo.

236 - ALBERTO DA VEIGA GUIGNARD - (1896 - 1962)
LL Natureza morta na paisagem - dn - 23 x 20 - cid
Pintor, desenhista, gravador e professor. No dizer de Rodrigo de Melo Franco de Andrade, no álbum de reproduções da obra do artista, em 1967: "Quando Guignard voltou da Europa, para onde tinha ido menino, só regressando com mais de 30 anos, redescobriu o Brasil, tomado de uma ternura e de uma admiração comovidas que conservou até os seus últimos dias. Toda a obra que produziu, desde então, ficou impregnada da emoção e da poesia sentidas naquele reencontro com a terra natal." PONTUAL, pág. 254 a 256; MEC, vol. 2, pag. 304; TEIXEIRA LEITE, pág. 236 a 240 ; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 404; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 1013; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 373/375/377; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 559; ARTE NO BRASIL, pág. 505; LEONOR AMARANTE, pág. 28.

237 - DUDI MAIA ROSA - (1946)
LL Figura - osm - 65 x 45 - cid
Reproduzido sob o nº 58 em catálogo de Lordello e Gobbi - Escritório de Arte - São Paulo. -Pintor, desenhista, professor. Estuda gravura com Trindade Leal (1927) na Fundação Armando Álvares Penteado - Faap, em São Paulo, em 1966. O artista interessa-se inicialmente pela aquarela e pela cerâmica, voltando-se posteriormente à pintura. Realiza sua primeira exposição individual em 1967, na Galeria Atrium. Em 1968, ingressa na Faculdade de Engenharia de Mogi das Cruzes e freqüenta o ateliê de Wesley Duke Lee (1931). Nos anos seguintes vive na Inglaterra. Retorna ao Brasil em 1972, e passa a freqüenta a Escola Brasil:, inicialmente como aluno, tornando-se depois professor. Nas décadas de 1960 e 1970, realiza trabalhos que têm como tema a cidade de São Paulo, representada em cenários oníricos. Nos anos 1980, sua pintura adquire características tridimensionais, marcada por uma pintura gestual. ITAU CULTURAL.

238 - ANGELO DE AQUINO - (1945 - 2007)
LL Coração - tm e col. - 57 x 76 - ci - 2000
Reproduzido sob o n.° 298 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro. -Mineiro de Belo Horizonte, onde nasceu a 2 de agôsto de 1945. Pintor e gravador, assina ÂNGELO DE AQUINO. Seu trabalho tem um bom conceito em Paris, onde encontra mais incentivo e facilidade do que no Brasil. Em muitos de seus quadros aparece a figura do cão Rex, uma de suas criações. Expõe individualmente desde 1969. Coletivamente, desde 1965, inclusive com diversas e respeitadas criticas no exterior. JULIO LOUZADA vol. 13 pág. 19; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 743, Acervo FIEO.

239 - DIONISIO DEL SANTO - (1925 - 1999)
LL " Linhas " - ser. 77/100 - 15 x 19 - cid - 1974
Participou da Exposição " Dionisio Del Santo - Mais da justa visibilidade ", realizada na Canvas/ E-Arte - São Paulo de 12 a 25 de Maio de 2010. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 091 deste catálogo.

240 - RAIMUNDO DE OLIVEIRA - (1930 - 1966)
LL Santo Sudário - ost - 46 x 38 - d - 1958
- Reproduzido no convite deste leilão.Nasceu RAIMUNDO Falcão DE OLIVEIRA, em Feira de Santana, BA. Recebeu da mãe os primeiros rudimentos de pintura e desenho. Autodidata, apresenta os seus trabalhos a partir de 1951. Reside em São Paulo a partir de 1958, aprofundando-se na sua experiência expressionista, com o aproveitamento transfigurador de imagens de velhos santos. Na sua última fase, bem distinta das anteriores, dedicou-se à narração de temas bíblicos, seguindo um estilo que alguns erroneamente ligaram à arte primitiva. TEIXEIRA LEITE, 365; PONTUAL, 394; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; ARTE NO BRASIL, pág. 798; Acervo FIEO.

241 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Figura - dlc e g - 19 x 8 - cid - 1985
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

242 - ARNALDO PEDROSO D'HORTA - (1914 - 1973)
LL Igreja - dn - 32 x 22 - cid - 1962
Gravador e crítico de arte, o autor nasceu e faleceu em São Paulo-SP. Iniciou a sua carreira no jornalismo em 1931, escrevendo para vários jornais, revistas e emissoras de rádio. Começa a pintar aos 34 anos. Entre 1954 e 1955, elabora a capa do álbum para o Ballet do 4º Centenário e o catálogo da Bienal Internacional de São Paulo. Dedica-se à gravura em metal e à xilogravura. É o primeiro artista brasileiro premiado na Bienal de Veneza, em 1954. Participa do Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, várias edições entre 1952 e 1970 (isenção de júri, 1955, e prêmio viagem ao estrangeiro, 1960); Individual, no MAM/SP, 1952 e 1956; Bienal Internacional de São Paulo, várias edições, entre 1953 e 1961; Artistas Latino-Americanos, no Musée d?Art Moderne de la Ville de Paris, 1962. Postumamente suas obras figuram em Arnaldo Pedroso D'Horta: desenhos, incisões, xilogravuras, no Centro Cultural São Paulo, 1983; Obras para Ilustração do Suplemento Literário: 1956 - 1967, no MAM/SP, 1993; Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal, São Paulo, 1994. "Na recusa oposta a todas as soluções da moda, na procura contraditória de ritmos (que ousaríamos chamar, por sua vez, antidecorativos, desde que podem envolver uma corajosa opção em favor do feio), define-se esta exigência intelectual, que é básica em Arnaldo. Assim, o inédito das formas empresta-lhe autonomia suficiente para se impor como expressão. (...) Arnaldo Pedroso D´Horta gosta dos modos de expressão que, por meio de conquistas lentas, contínuas, laboriosas, tendem a um efeito que comove também a própria mente, a uma geometria da desordem alcançada através de sensíveis vibrações. (...) O que nos parece importante é o conflito, a teimosia, a aplicação sem tréguas que transparece dos seus trabalhos, a luta dramática, sempre renovada, com o traço." Armando B. Ferrari Críticas sobre Arnaldo Pedroso D´Horta para catálogo da XV Bienal - SP (Curriculum do artista). ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

243 - HILTON BERREDO - (1954)
LL Casario - ost - 81 x 100 - cid e d
Hilton Esteves de Berredo nasceu no Rio de Janeiro. Assina Berredo. Pintor, escultor, arquiteto e professor. Estudou pintura com Flávio Berredo, Sérgio Campos Mello, Ronaldo Rego Macedo, Aluísio Carvão e Manfredo de Souzanetto. Trabalhou como assistente de Keith Sonnier, em Nova York (1986). Vive e trabalha no Rio de Janeiro onde é professor na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Exposições individuais: Rio de Janeiro (1982, 1985, 1987, 1991, 1994, 1998); São Paulo (1985, 1987, 1989, 1990, 1995); Vitória, ES (1987); Paris (1988); Berlim (1988); Recife, PE (1989); Belo Horizonte, MG (1990). Participou de muitas mostras coletivas e Salões oficiais do Brasil e do exterior. Foi premiado no Rio de Janeiro (1973, 1983) e em Brasília, DF (1990). ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL. 11, PÁG. 32; artprice.com.

244 - JOSÉ SIMEONE - (1930 - 2009)
LL Casario - ost - 43 x 56 - cid
Com etiqueta da 17º Seleção de Artistas Contemporâneos do Clube Atlético Monte Líbano - São Paulo - SP realizada pela Sociarte - 1998. -Pintor paulistano ligado à arte figurativa, com características impressionistas. Seu estilo se aproxima dos oitocentistas italianos e franceses, sendo que o crítico Pietro Maria Bardi também identificava em sua obra influências do grupo Santa Helena. Proveniente de família de artistas pintores (Angelo e João Simeone). Participa de coletivas a partir de 1962 (já com premiação). MEC, vol. 4, pág. 285; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 923; TEIXEIRA LEITE, pág. 482; Acervo FIEO.

245 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
LL Flautista - xilo. 57/90 - 25 x 18 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 112 deste catálogo.

246 - ISRAEL PEDROSA - (1926)
LL Marinha - ost - 27 x 46 - cie - 1967
Pintor, ilustrador, gravador, professor, crítico e escritor nasceu em Alto do Jequitibá, MG. Começou a pintar aos dez anos de idade e, em 1940, morando em Juiz de Fora, MG, teve aulas de pintura com Ferrucio Dami. Em 1942, tornou-se discípulo de Cândido Portinari, no Rio de Janeiro, do qual recebeu forte influência em sua formação artística. Seguiu para a Itália, em 1944, como integrante da Força Expedicionária Brasileira e, ao retornar, voltou a trabalhar com Portinari. De 1947 a 1951 aperfeiçoou-se na Escola de Belas Artes de Paris, como bolsista. De volta ao Brasil, inicia uma busca ao que denominou de "cor inexistente" culminando com a publicação do livro: "Da cor à cor inexistente", em 1977. Exposições individuais: Rio de Janeiro (1947, 1969, 1986, 1989, 1991, 1999); São Paulo (1978, 1983); Salvador, BA (1982); Brasília, DF (1984); Paris (1989); Petrópolis, RJ (1992). Coletivas: Rio de Janeiro (1947, 1952, 1955, 1956, 1959, 1980, 1984, 1987, 1990, 2002); Paris (1949, 1989); Lion, França (1950); Belo Horizonte, MG (1951, 1980); São Paulo (1951, 1978, 1979, 1980, 1984, 1987 a 1989, 1994, 1999, 2001); Brasília, DF (1980, 1988); Curitiba, PR (1980); Porto Alegre, RS (1980); Cidade do México, México (1985); Cairo, Egito (1985); Zagreb, Iugoslávia (1986); Europa - itinerante (1987); Madri, Espanha (1988); Copenhague, Dinamarca (1989); Niterói, RJ (1997, 2002). ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, VOL. 3, PÁG. 863; VOL. 8, PÁG. 645; PONTUAL, PÁG. 413; MEC, VOL. 3, PÁG. 359.

247 - IONE SALDANHA - (1921 - 2001)
LL Composição - g - 23 x 28 - cid
Gaúcha de Alegrete, faleceu na cidade do Rio de Janeiro-RJ, onde residiu e foi ativa. Pintora, escultora e desenhista, realizou seus primeiros estudos no Rio de Janeiro, no ateliê de Pedro Luís Corrêa de Araújo, em 1948. Estudou a técnica de afresco em Paris, na Académie Julian, e em Florença, na Itália (1951). Inicialmente, produz obras figurativas, como cenas cotidianas e retratos. Realiza também uma série de pinturas de casarios, em que enfatiza a geometria. Posteriormente, sua produção adquire um caráter abstrato. No fim da década de 1960, passa utilizar novos suportes, abandonando a superfície bidimensional, e pintando sobre ripas, carretéis (bobinas de madeira para cabos elétricos) e bambus. Participa de várias edições da Bienal de São Paulo, com prêmio aquisição em 1967, e sala especial em 1975 e 1979. Em 2001, ano de seu falecimento, é realizada a retrospectiva Ione Saldanha e a Simplicidade da Cor, no Museu de Arte Contemporânea de Niterói - MAC/Niterói. "O que logo impressiona no desdobramento da pintura de Ione Saldanha, a partir da segunda metade dos anos 40, é a coerência interna do percurso, o rumo ordenado e lógico que a tem feito deslocar-se de um a outro ponto sem abandonar a concentração do interesse em alguns poucos problemas básicos (...). Na obra dos últimos 20 anos, Ione Saldanha, sem sair de seu casulo, alinhou-se numa via frequente da pintura contemporânea". PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 916, 917 e 918; ITAUCULTURAL; RGS, pág. 263/264

248 - JOSEF STOITZNER - (1884 - 1951)
LL Paisagem - osc - 33 x 41 - cie
Pintor, gravador e professor da Escola Austríaca. Nasceu em Viena e faleceu em Bramberg - Pinzgau, Áustria. Era filho do pintor paisagista Konstantin Stoitzner. Estudou na Escola de Belas Artes de Viena onde foi aluno de Anton Ritter von Kenner, e na Academia de Viena, discípulo de Franz Rumpler. Lecionou em Viena até 1934 quando se mudou para Pinzgau, Salzburg. Participou de muitas exposições e Salões oficiais, sendo premiado em Leipzig, em 1914. Possui obras no Museu de Viena. BENEZIT, VOL. 9, PÁG. 843; ARTNET; ART PRICE; www.austrian-paintings.at.

249 - LUCIANO MAURICIO - (1925)
LL Composição - g - 40 x 50 - n/as.
Natural da cidade do Rio de Janeiro, onde é ativo. Pintor, desenhista e cenógrafo. Formou-se em pintura pela antiga ENBA. Recebeu menção honrosa em desenho e medalha de prata em arte decorativa no SNBA. Figurou ainda nos III, XI, XII, XIV e XV SNAM (entre 1954 e 1966), na VIII BSP (1965). Em 1955 lecionou no MASP. JULIO LOUZADA, vol. 1; TEIXEIRA LEITE, pág 292; MEC, vol. 3 pág. 107; PONTUAL, pág. 350.

250 - TOMIE OHTAKE - (1913)
LL Composição - ost - 30 x 30 - d - 1987
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 02/05/11. Registrado sob o nº P-87-41 na catálogação da obra de Tomie Ohtake, conforme etiqueta do Instituto Tomie Ohtake, no dorso. -Importantíssima pintora, nascida em Kyoto, Japão, e radicada no Brasil desde 1936, País que adotou inclusive a cidadania. Iniciou-se artisticamente a partir de 1950, com o pintor japonês visitante Keiya Sugano. Ligou-se ao Grupo Seibi, em cujos salões obteve diversas premiações. Participou ainda por várias vezes, com premiações, do SPAM e do SNAM. MEC, vol. 3, pág. 323; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 791; BENEZIT, vol. 7, pág. 791; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 140/141; PONTUAL, pág. 390; ART PRICE ANNUAL 1990, pág. 1464; TEIXEIRA LEITE, pág. 362/3/4; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 939; LEONOR AMARANTE, pág. 170; WALTER ZANINI, pág. 693; Acervo FIEO.

251 - LOURENÇO - (1945 - 1997)
LL No circo - ose - 90 x 70 - cid - 1982
Pintor, desenhista, artista gráfico, o artista José Toledo Piza Lourenço Júnior nasceu e faleceu em São Paulo - SP. Estudou desenho com Nelson Nóbrega na Fundação Armando Álvares Penteado, FAAP-SP, entre 1962 e 1965. Neste mesmo ano viaja à Bahia, onde executa a série de desenhos Lavadeiras. Entre 1965 e 1967, trabalha como diagramador para a Editora Abril nas revistas Realidade e Conhecer. Em 1987, é escolhido o melhor pintor do ano por alunos da Chapel School, em São Paulo. Entre as exposições das quais participa, destacam-se: Salão de Belas Artes de São Bernardo do Campo, São Paulo, 1967; Salão Paulista de Arte Moderna, São Paulo, 1969; Panorama de Arte Brasileira, no Hotel Nacional, Brasília, 1970; Image du Brésil, no Manhattan Center, Bruxelas (Bélgica), 1973; Panorama de Arte Atual Brasileira, no Museu de Arte Moderna, MAM/SP, 1973; Mostra Realismo, no Paço das Artes, São Paulo, 1976; José Lourenço, na Galeria Allan Ko, Paris (França), 1978; José Lourenço, na Galeria de Arte André, São Paulo, 1980/1985; Exposição de Pinturas de Lourenço, na Ranulpho Galeria de Arte, Recife, 1989; A Música na Pintura, na Ranulpho Galeria de Arte, São Paulo,1992; 4º Stúdio Unesp, Sesc e Senai de Tecnologia de Imagens, no Sesc/Pompéia, São Paulo, 1996. JULIO LOUZADA, vol 11, pág. 179; ITAÚ CULTURAL; ACERVO FIEO.

252 - OSWALDO GOELDI - (1895 - 1961)
LL Noturno - xilo. - 13 x 13 - n/as.
Tiragem pôstuma de Oswaldo Goeldi assinado por Beatrix Reynal. -Desenhista, gravador e professor, nascido no Rio de Janeiro, filho de Emilio A Goeldi, naturalista suiço. A partir dos seis anos estudou na Suiça. Sua obra sofreu influência do expressionista austríaco Alfred Kubin. Retornando ao Brasil em 1919, realizou no Rio de Janeiro sua primeira exposição em 1921, no Liceu de Artes e Ofícios. Publicou albuns e ilustrou diversos e importantes livros. É artista altamente conceituado no País e no exterior, tendo merecido diversas homenagens póstumas, inclusive em filme. PONTUAL pág. 240; JULIO LOUZADA vol.11, pág130; MEC vol. 2, pág.271; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 521; ARTE NO BRASIL, pág. 672; Acervo FIEO.

253 - MIGUEL DOS SANTOS - (1944)
LL " Mito solar " - ostcm - 55 x 38 - cid e d - 1981
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 097 deste catálogo.

254 - TOMÁS SANTA ROSA - (1909 - 1956)
LL " Pirangi " - g - 26 x 36 - cid
Desenho original para o livro " Cacau " de autoria de Jorge Amado. -Pintor, gravador, cenógrafo e professor. Oriundo da Paraíba, onde nasceu, fixou-se no Rio de Janeiro, iniciando em 1930 sua bem sucedida carreira de ilustrador de obras de autores estrangeiros e brasileiros, que inclui, dentre outros, Graciliano Ramos, José Lins do Rêgo, Jorge Amado, Castro Alves e muitos outros. Sua obra tem reconhecimento nacional e unanimidade de crítica, havendo se destacado em todas as áreas das artes que praticou. PONTUAL, pág. 472; TEIXEIRA LEITE, pág. 460; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 572; LEONOR AMARANTE.

255 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Composição - osc - 22 x 16 - cie - 1958
Ex-coleção Petrônio Corrêa - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 105 deste catálogo.

256 - TADASHI KAMINAGAI - (1899 - 1982)
LL Nu - osm - 37 x 50 - cie e d - 5.1.43
Ex-coleção Prof. Dr. Luiz Fernado Costa e Silva - São Paulo. -Grande pintor japonês da Escola de Paris, amigo de Marquet, Vlaminch e Déiran, entre outros, passou no Brasil praticamente toda a década de 1940, aqui se ligando de amizades a pintores como Portinari, Pancetti e Djanira, e iniciando na arte vários jovens pintores de ascendência nipônica, como Flávio Shiró Tanaka, por exemplo. Autor de paisagem, naturezas mortas e retratos de excelente qualidade pictórica, Kaminagai veio freqüentes vezes ao Brasil, onde expôs com enorme sucesso. TEODORO BRAGA, pág.134; BENEZIT, vol.6, pág.152; WALMIR AYALA, vol.1, pág.435 e 437; MEC, vol.2, pág.401; PONTUAL, pág.287; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 643; ARTE NO BRASIL; Acervo FIEO.

257 - FRANK STELLA - (1936)
LL " A observação das baleias " - ser.s/tec. 346/650 - 137 x 137 - ci - 1994
Com autenticação firmada pelo artista e pelo editor. -Pintor. Assina F. Stella. Nasceu em Massachusetts, Estados Unidos e vive em Nova York. Estudou na ‘Phillips Academy’ e na Universidade de Princeton. É um dos principais representantes da ‘Minimal Art’ junto com Tony Smith, Morris Louis e Kenneth Nolland. Tem participado de numerosas exposições coletivas no Museu de Arte Moderna de Nova York, Museu Guggenheim, Museu Judaico, 'Seattle Word’s Fair’, 3° Salão Internacional das ‘Galeries Pilotes’ em Washington, Museu Cantonal de Lausanne (1970), Galerias Nacionais do ‘Grand Palais’ em Paris (1968), São Paulo, Brasil (2004) e outras. Individualmente expôs em: Nova York (1960, 1962, 1970 - Museu de Arte Moderna), Los Angeles (1963), Paris (1961), Londres (1970), etc. BENEZIT VOL. 9, PÁG. 814; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL.9, PÁG.824; www.frankstella.net; www.revistamuseu.com.br; www.tate.org.uk; artprice.com; artcyclopedia.com; artnet.com.

258 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL " Gato com vaso " - ast - 80 x 60 - cid e d - 2001
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 059 deste catálogo.

259 - INIMÁ DE PAULA - (1918 - 1999)
LL Casario - dn - 30 x 22 - cid
Mineiro de Itanhomi, Inimá, depois de prestar o serviço militar em Juiz de Fora, passou a frequentar o Núcleo Antônio Parreiras (que no início dispunha de professores, mas logo se transformou em ateliê livre), da mesma cidade, em 1938. Integrou-se ao grupo de Bandeira e Aldemir Martins na cidade de Fortaleza (1941). No Rio frequentou o ateliê de Portinari e realizou a sua primeira individual (1948). Recebeu o prêmio viagem ao estrangeiro no I SNAM (1952), certame do qual participou por diversas vêzes até 1960. Em Paris estudou com Lothe. É um de nossos artistas mais completos. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.152; PONTUAL, pág. 271; MEC, vol.3, pág.355; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 401 1 404; TEIXEIRA LEITE, pág.260; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 870; Acervo FIEO.

260 - CLODOMIRO AMAZONAS - (1893 - 1953)
LL " Quaresmeira e Canudeiro Floridos " - ost - 61 x 85 - cid
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 28/04/11.-Clodomiro Amazonas Monteiro, nasceu em Taubaté-SP, e faleceu na Capital-SP. Pintor e restaurador, iniciou-se em pintura aos 16 anos, realizando restaurações em telas e afrescos do Convento Santa Clara, em Taubaté. Fixa residência em São Paulo em 1906, quando entra em contato com a obra de Baptista da Costa e tem aulas com o pintor Carlo de Servi. Manteve contato com intelectuais, escritores e artistas como Monteiro Lobato, Menotti del Picchia, Lucílio e Georgina de Albuquerque e também Pedro Alexandrino, entre outros. É um dos fundadores do Salão Paulista de Belas Artes, em 1934. Amazonas foi artista de méritos, cuja pintura, vazada num desenho de grande solidez, e um colorido realista, não deixa de irradiar certa rústica poesia. MEC, vol. 1, pág. 75; TEIXEIRA LEITE, pág. 26; PONTUAL, pág. 24; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 42; TEODORO BRAGA, pág. 72; ITAU CULTURAL, RUTH TARASANTCHI.

261 - CARLOS OSWALD - (1882 - 1971)
LL Paisagem - grav. - 38 x 28 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 111 deste catálogo.

262 - CLAUDIO TOZZI - (1944)
LL Papagaio - ase - 38 x 60 - cid
Reproduzido sob o n.° 132 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Pintor, arquiteto e gravador paulista com diversas exposições e participações em salões e bienais no Brasil e no exterior. Dedicou-se inicialmente à colagem e à gravura, numa utilização crítica das histórias em quadrinhos; numa fase posterior passou a criar múltiplos tridimensionais e a efetuar pesquisas em torno dos efeitos ópticos. WALMIR AYALA vol.2, pág.388/9; PONTUAL, pág.525/6; TEIXEIRA LEITE, pág. 512; ARTE NO BRASIL vol.2, pág.1059; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 740; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.

263 - ALEXANDRE RAPOPORT - (1929)
LL Músico - ost - 22 x 16 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 078 deste catálogo.

264 - DÉCIO VILARES - (1851 - 1931)
LL Dama - ost - 38 x 41 - cie - 1925
Pintor, retratista, fez da figura feminina o seu tema predileto. Criou a bandeira da República, substituindo o escudo pelo Cruzeiro do Sul e acrescentando o lema positivista " Ordem e Progresso" . Dedicou-se também à escultura. ARTE NO BRASIL vol.2, pág.1060; PONTUAL, pág.542; MEC vol.4, pág. 478; TEIXEIRA LEITE, pág. 526; ITAÚ CULTURAL.

265 - HOLMES NEVES - (1925 - 2008)
LL Parque - ose - 19 x 27 - cid - 1975
Natural de Lima Duarte, MG. Pintor, desenhista e gravador. Fixou residência no Rio de Janeiro, após estudos com Guignard, Misabel Pedrosa e Edite Behring em Belo Horizonte. Sobre a sua obra, transcrevemos texto de Henrique Pongetti, na apresentação do artista no catálogo de sua mostra HOLMES Neves: pinturas, na Galeria de Arte e Pesquisa da UFES, 1978: ". . . Eu gosto muito da pintura de Holmes, dos seus quadros de Ouro Preto, motivo insistente e fascinante na sua obra. Se o tema e certa sutileza de feitura nos lembra o Mestre, há hoje na sua arte uma autonomia indiscutível, as marcas de uma inconfundível personalidade. Suas cidades mortas não surgem envoltas na melancolia acinzentada que parecia refletir nas paisagens a alma infantil e ao mesmo tempo infeliz de Guignard. Sobre a pátina do tempo suas casas e igrejas, transfiguradas pela luz montanhesa, recebem cores festivas, reconquistam a mocidade, revivem. " TEIXEIRA LEITE, pág. 352; JULIO LOUZADA, vol.10, pág. 425; ITAÚ CULTURAL; PONTUAL, pág. 383; Acervo FIEO.

266 - NILSON PIMENTA DA COSTA - (1957)
LL Acampamento - ost - 93 x 120 - cid - 1980
Baiano de Caravelas, o autor aprende desenho de forma autodidata, aprimorando-se nesta técnica e iniciando-se na pintura, em ateliê sob orientação de Aline Figueiredo e Humberto Espíndola. Desde o início de sua carreira destaca-se como artista naïf, recebendo diversos prêmios em salões. Participa de várias exposições importantes, entre elas a Bienal Naïfs do Brasil em suas 2ª, 4ª e 5ª edições, organizadas pelo Sesc de São Paulo e do segmento Arte Popular, da Brasil + 500, Mostra do Redescobrimento, na Fundação Bienal em 2000. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 812; ITAU CULTURAL.

267 - PEDRO WEINGÄRTNER - (1856 - 1929)
LL Fundo de quintal - a - 22 x 22 - csd e d - 1908
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 117 deste catálogo.

268 - RUDOLF WEIGEL - (1939)
LL " Ponte da Marilia " - osc - 19 x 14 - cid - Ouro Preto
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 066 deste catálogo.

269 - PIETRINA CHECCACCI - (1941)
LL " Carne e corda " - v s/t - 70 x 70 - cie e d - 1982
Nasceu em Taranto, Itália. Pintora e desenhista. Vindo para o Brasil em 1954, fixou-se no Rio de Janeiro. Formou-se no curso de pintura da antiga ENBA em 1964. Apresentando seus trabalhos desde 1961, participou, entre outras mostras coletivas, dos XII, XIII, XIV, XV, XVII, XVIII SNAM (entre 1963 e 1969), Exposição Geral de Belas Artes do IV Centenário (GB, 1965), Prêmio Homenagem a Dante (Piccola Galeria, GB, 1965) I e II SEAJ (1965 e 1968), I Salão de Abril (Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, 1966), XXIV Spar. BA (1967 / segundo prêmio de pintura) e XXII e XXIII SMBABH (1967 e 1968). Expôs individualmente no Instituto de Belas Artes (GB, 1961), nas galerias Varanda (GB, 1966), Grupiara (Belo Horizonte, 1966), Celina (Juiz de Fora, 1966), Concivivium (Salvador, 1967), da Cultura Francesa (Porto Alegre, 1968) e Atelier de Arte (Belo Horizonte, 1969), bem como na Petite Galerie (GB, 1968), apresentando nesta última seus estandartes. PONTUAL, pág. 133; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 203; MEC, vol. 1, pág. 435; WALTER ZANINI, pág. 740; ITAÚ CULTURAL. Acervo FIEO.

270 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Musicos - ost - 24 x 33 - cid
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 30/04/11. Reproduzido sob o n.° 20 em catálogo de leilão da Bolsa de Arte do Rio de Janeiro. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 081 deste catálogo.

271 - IVALD GRANATO - (1949)
LL -
Composto por dois desenhos: 1) Peixe; desenho a lápis e aquarela, medindo 17 x 25 cm, ass. cid, 1975; 2) Interior, desenho a lápis e aquarela, medindo 17 x 25 cm, ass. cid, 1975 - Curitiba. -Pintor e desenhista. Natural de Campos, RJ, onde viveu até 1966. Estudou com Robert Newman, ingressando em 1967 na Escola de Belas Artes da Universidade do Rio de Janeiro. Em 1968 participa do grupo de vanguarda "Nova Figuração Brasileira". Sua atividade artística desde a década de 60 revela a influência do conceitualismo de Duchamp, mais cerebral do que pictórico, e da "body art", de Joseph Beyus. PONTUAL, pág. 248; TEIXEIRA LEITE, pág. 228; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.740; ARTE NO BRASIL, pág. 974; LEONOR AMARANTE, pág. 267; Acervo FIEO.

272 - YOSHIYA TAKAOKA - (1909 - 1978)
LL Cavalos - a - 30 x 30 - cid - 1967
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 018 deste catálogo.

273 - JOAO HENRIQUE - (1935)
LL Bananeiras - g - 50 x 80 - cid e d - 1968
João Henrique Cursio Allemand, pintor e desenhista autodidata, nasceu em Muqui, ES. Em 1952 transferiu-se para o Rio de Janeiro. A partir de 1965 começa a apresentar seus trabalhos em mostras coletivas e, em 1978, instala um ateliê em Cabo Frio, RJ. Exposições individuais: Rio de Janeiro (1967, 1973, 1978); Brasília, DF (1972, 1979); Curitiba, PR (1975); Porto Alegre, RS (1981, 1983); Roma, Itália (2010); Cachoeiro do Itapemirim, ES (2010). Coletivas: Rio de Janeiro (1965, 1968); São Paulo (1972). JULIO LOUZADA VOL.1, PÁG.497; VOL.3, PÁG.549; MEC VOL.2, PÁG.336; ITAU CULTURAL; ww.gazetaonline.globo.com.

274 - CARLOS PRADO - (1908 - 1992)
LL Noturno - dce - 18 x 17 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 046 deste catálogo.

275 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Corredeira - ost - 20 x 35 - cse ileg. - 1978

276 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL " Gente no povoado " - grav. P.A. - 28 x 45 - cid - 1970
Complemento de técnica: água forte, ponta seca e relevo seco sobre papel. Reproduzido no catálogo Raisonné da artista. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

277 - AXEL LESKOSCHEK - (1889 - 1976)
LL Servindo o café - xilo. - 16 x 10 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 127 deste catálogo.

278 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Figura - grav. P.A. - 35 x 24 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 129 deste catálogo.

279 - VITTÓRIO GOBBIS - (1894 - 1968)
LL " Arraial do Cabo " - osc - 34 x 47 - cid - 1949
Natural de Treviso, Itália. Iniciou seus estudos na terra de origem, tendo após fixado residência em São Paulo, onde foi pintor atuante. Obteve diversas premiações nos Salões Paulistas, no SNBA e no Salão Paulista de Arte Moderna. Participou da I e II Bienais de São Paulo. O MNBA e o MASP possuem obras deste festejado pintor. MEC, vol.2, pág.271; TEIXEIRA LEITE, pág. 220; PONTUAL, pág.240; WALMIR AYALA, vol.1, pág.350; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 777, Acervo FIEO.

280 - ARTE POPULAR -
LL Sanfoneiro - e em br - h = 15 - ass. - João Ezequiel
No estado. -

281 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
LL Rosto - dn - 32 x 23 - cie - 1953 - Rio
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 132 deste catálogo.

282 - HELIO BECHERINI - (1921 - 1990)
LL " Estaleiro " - osm - 20 x 35 - cid
Natural de São Paulo, Capital, Helio Becherini estudou pintura sob a orientação de Reinaldo Manske, escultura com Eugênio Pratti. Diplomou-se no Liceu de Artes e Ofícios em São Paulo. Recebeu mais de 56 premiações nos certames de que participou, entre menções honrosas, medalhas de bronze, prata e de ouro. JULIO LOUZADA vol 13 pag 32; Acervo FIEO.

283 - GENARO DE CARVALHO - (1926 - 1971)
LL Pássaros - ser. - 14 x 22 - cid
Assinado na tela serigráfica. Editada pela Oficina de Serigrafia Mario de La Parra - Rio de Janeiro. -Tapeceiro, pintor, desenhista. Genaro Antônio Dantas de Carvalho era natural da cidade de Salvador-BA, onde também faleceu. Em 1944, vai para o Rio de Janeiro, e estuda desenho com Henrique Cavalleiro na Sociedade Brasileira de Belas Artes. É considerado um dos principais ativistas pela renovação da arte na Bahia, ao lado de Carlos Bastos, Caribé e Mario Cravo Jr. Com bolsa de estudos do governo francês, Genaro embarca para Paris em 1949, lá estuda com André Lhote e Fernand Léger na École Nationale de Beaux-Arts. Participa, em 1950, dos Salões de Outono, de Maio e dos Independentes. No ano de 1955, cria o primeiro ateliê de tapeçaria no Brasil, na cidade de Salvador, Bahia. Seu trabalho de maior destaque é o mural realizado para o salão interno do Hotel da Bahia, obra com 200 metros quadrados, intitulada Festejos Regionais Bahianos. Em 1967, a Divisão de Cultura do Departamento de Estado Americano realiza o documentário Genaro e a Tapeçaria Brasileira. Expõe na Bienal Internacional de São Paulo, 1951 e 1955; Bienal Internacional de Tapeçaria, Suiça, 1965; e 1º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM, São Paulo, 1969. Postumamente sua obra figura na 1ª Mostra Brasileira de Tapeçaria, no MAB/FAAP, 1974; Tradição e Ruptura, São Paulo, 1984; e 100 Artistas Plásticos da Bahia, no Museu de Arte Sacra, Salvador, 1999. JULIO LOUZADA vol.3, pág. 231; WALTER ZANINI, pág. 638; LEONOR AMARANTE, pág. 75; ITAU CULTURAL.

284 - GUERINO GROSSO - (1907 - 1988)
LL Paisagem - ost - 30 x 50 - cie - 1981
Com etiqueta de Domus Galeria de Arte - São Paulo, no dorso. -Natural de Rio Claro, neste Estado, Guerino Grosso iniciou seu aprendizado artístico em 1917. Frequentou a Escola de Belas Artes de São Paulo. Artista de grande sensibilidade, dedicou-se à pintura de naturezas mortas com metais, confirmando-se como um dos melhores do gênero. JULIO LOUZADA, vol, 12 ,pág 189. MEC, vol, 2, pág, 284; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

285 - IGNÁCIO DA NEGA (IGNÁCIO RAMOS DA SILVA) - (1945)
LL " Dama " - ost - 30 x 24 - cid e d - 2011
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 135 deste catálogo.

286 - GENTIL CORREA - (1935)
LL Pescadores - ost - 27 x 35 - cid e d - 1985

287 - EMANOEL ARAÚJO - (1940)
LL Folhas - xilo. 16/50 - 32 x 29 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 137 deste catálogo.

288 - ELIZABETH CORTELA - (1950)
LL " Algum dia... " - lito. 156/250 - 30 x 20 - cid - 1996
Elizabeth Cortella Oliveira Lima. Assina Elizabeth Cortella. É natural de São Paulo, SP. Participou de diversas exposições e Salões oficiais como: em 1984 - São Paulo (Itu, Ribeirão Preto, São Paulo); Roma, Itália; em 1985 - Piracicaba, SP; Estocolmo, Suécia; em 1986 - São Paulo (Santo André, Ribeirão Preto, Prudente, Franca, Piracicaba), Paraná; em 1987 - Chile (Valparaiso), São Paulo (Santo André, Franca, Marília); em 1988 - São Paulo (Americana, Mococa, Santo André, São Paulo), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF); em 1990 - São Paulo (Ribeirão Preto, São Paulo), Paraná; em 1991 - São Paulo (SP); em 1992 - São Paulo (Jundiaí); em 1994 e 1995 - São Paulo (SP). Individuais: São Paulo, SP (1987,1993). Prêmios: Roma, Itália (1984); Prudente, SP; Franca, SP (1986); Franca, SP (1987); São Paulo, SP (1988); São Paulo, SP (1991). JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 291; vol. 4, pág.283; vol.13, pág. 92.

289 - EDUARDO MORI - (1943)
LL Composição - ost - 27 x 35 - csd
Nascido em São Paulo, iniciou seus estudo artísticos em Paris, onde residiu por longos anos, realizando algumas exposições de desenhos e óleos, retratando cenas do cotidiano. Posteriormente radicou-se em Los Angeles-EUA onde, mais liberto da influência acadêmica, se fixou no abstracionismo, buscando apenas na cor a forma de expressar toda a sua arte, com a qual se consagrou. JULIO LOUZADA vol.11, pág.219

290 - MACIEJ ANTONI BABINSKI - (1931)
LL Figuras surreais - grav. 59/80 - 12 x 16 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 009 deste catálogo.

291 - DULCE JULIANELLI - (1948)
LL Bule e vasos - ost - 50 x 40 - cid e d - 1985
Nasceu em São Paulo, Capital, no dia 1/2/1948. Estudou pintura na FAAP-SP e no ateliê Matisse, com o professor Nestor Peres. Dulce busca em suas obras sempre um novo efeito: parte das formas mais simples, geometrizando, distorcendo até o ponto que atenda a sua sensibilidade. Participou de diversas exposições, com premiações. JULIO LOUZADA, vol 2 - pág 542

292 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL " Feira " - ser. 47/200 - 58 x 40 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 088 deste catálogo.

293 - MILLAN HORVAT - (1946)
LL Paisagem - ose - 110 x 39 - cid - 1979
Com autenticação da Galeria de Arte André - São Paulo, datada de 23 de Fevereiro de 1989. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 143 deste catálogo.

294 - CAMARGO FREIRE, EXPEDITO - (1908 - 1988)
LL " Lavadeiras " - osm - 33 x 46 - cid e d
Pintor e professor, iniciou seus estudos no liceu de artes e ofícios e no núcleo Bernardelli no Rio de Janeiro. Em Paris freqüentou a Academie de La Grande Chaumière. Foi incluído na mostra Um Século de Pintura Brasileira, organizada pelo MNBA (1952). Dedica-se de modo especial à paisagem. MEC, vol. 2, pág. 208; ITAU CULTURAL.

295 - FABRICIO SILVA - (1986)
LL " Espetáculo dos Mestres " - ost - 60 x 40 - cid e d - 2010
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 145 deste catálogo.

296 - BERTONI FILHO - (1892 - 1959)
LL Marinha - ost - 38 x 63 - cid
Pintor paisagista, filho de Angelo Bertoni, e irmão de J. Bertoni. Como seu pai, fixou temas do Rio de Janeiro, de grande valor iconográfico. JULIO LOUZADA, vol. 1, pag. 120; ACERVO FIEO, pág. 329.

297 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL " Cabeça de Alexandre " - ser. - 54 x 30 - cie - 1958
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 085 deste catálogo.

298 - ATHAYDE LOPES - (1934)
LL Paisagem - osm - 27 x 35 - cid - 1985
Pintor e professor nascido na cidade paulista de Santos, em 16 de janeiro de 1934. Tem como característica em suas obras as cores vibrantes, espatuladas densas, além de precioso e excelente desenho. JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 23

299 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL " Ex-voto " - ast - 40 x 40 - cid e d - 2005
Natural de Carmópolis, SE. Pintor e desenhista. Radicado no Rio de Janeiro desde 1955. Em 1959 fez suas primeiras apresentações em coletivas. Estreou no SNAM, obtendo o prêmio de viagem ao exterior (1969). Pertencente àquele grupo de artistas que organizam seu trabalho em torno de valores culturais vindos da expressão popular, o artista assumiu como um dos temas de sua pintura a imagem do ex-voto., escultura religiosa de caráter popular e votivo. O ex-voto representa, para o artista, um ponto de partida na realização de uma paisagem brasileira sem conotações urbanas. É uma pintura em que o mundo dos homens é construído pelos homens e por suas criações. O artista empresta às figuras com que trabalha, os ex-votos, conotações de análise ideológica, e o faz sem palavras, apenas pela força da presença visual. Figurou em diversas coletivas nacionais e internacionais, conquistando prestigio de critica e público. MEC vol.3, pág.42; PONTUAL, pág. 330 e 331; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; Acervo FIEO.

300 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Peixe - ser. - 45 x 29 - cid - 1963
Com dedicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 059 deste catálogo.

       

301 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Paisagem - xilo. 5/50 - 27 x 40 - cid - 1983
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 059 deste catálogo.

302 - SALVADOR RODRIGUES JR - (1907 - 1995)
LL Leitura - ost - 50 x 40 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 007 deste catálogo.

303 - WALDECI DE DEUS - (1952)
LL " Os sem terra " - ast - 50 x 40 - cid e d - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 003 deste catálogo.

304 - SONYA GRASSMANN - (1933 - 1997)
LL Figura - grav. P.A. - 18 x 29 - cid - 1975
Batizada Anne Marie Elisabeth Graesse, esta importante gravadora nasceu em Burgas, Bulgária , e faleceu em São Paulo. Era filha de pintor alemão e trapezista húngara. Veio para o Brasil em 1950, excursionando pelo país com uma trupe de luta livre. Em 1952, trabalha na Galeria Oxumaré em Salvador. Nesse ano, conhece o gravador e desenhista Marcelo Grassmann, casam-se e passam a viver em São Paulo. Por volta de 1962 começa a pintar; no entanto, é raro expor. Expõe em Individual, na Oficina de Arte, Porto Alegre, 1977; Individual, na Seta Galeria de Arte, São Paulo, 1982 e 1986; Individual, na Performance Galeria de Arte, Brasília, 1987; Coletiva, no Museu Banespa, São Paulo, 1994. "Existem artistas cuja produção, independem de sua vontade pessoal, desafia as verdades estabelecidas não por serem revolucionários ou inovadores. Às vezes, por parecerem distantes do processo histórico. Sonya Grassmann é uma dessas artistas. O seu trabalho é resultado de um imaginário no qual estão ausentes as referências da época, solicitações do século e, até mesmo, as preocupações típicas da sociedade de massa. O universo de Sonya é vagamente medieval. Estas imagens lembram uma Idade Média passada a limpo, vista de grandes sacadas de castelos idealizados. Tudo é particular, organizado e pesado de atmosfera cheia de intenções. Estas intenções podem ser românticas, mórbidas ou de expectantes. Alguma coisa está prestes a acontecer. Cada um percebe e recria a atmosfera que é mais afim." Jacob Klintowitz In: Sonya Grassmann. Brasília, Performance Galeria de Arte, 1987. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 439; ITAU CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 229.

305 - INNOCÊNCIO BORGHESE - (1897 - 1985)
LL " Itanhaém " - ose - 13 x 19 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 005 deste catálogo.

306 - SALVADOR RODRIGUES JR - (1907 - 1995)
LL Paisagem - ost - 24 x 33 - cid
Com dedicatória, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 007 deste catálogo.

307 - ROSA SHIROMA BERSANI - (1942)
LL " Contenção " - astce - 70 cm diâmetro - ci e d - 2010
Pintora nascida em Miracatu, SP. Iniciou seu aprendizado artístico em 1961 quando se mudou para São Paulo, estudando pintura com Colette Pujol e Arnaldo Ferrari e escultura com Caciporé Torres. Realizou uma exposição individual em São Paulo (1970) e tem participado de inúmeras mostras e Salões oficiais em: Salvador, BA (1966); Campinas, SP (1966, 1968, 1969); São Paulo (1962, 1966, 1968, 1969 – Bienal, 2004, 2005, 2009); São Caetano do Sul, SP (1967); Itaquera, SP (1969); Dubai, Emirados Árabes (2008); Rio de Janeiro (2008, 2009, 2010); Nova York, EUA (2009, 2010); Alemanha (2009); Quênia (2010); Paris (2010). Prêmios: São Paulo (1966, 2005); São Caetano do Sul, SP (1967); Itaquera, SP (1969); Campinas,SP (1969). MEC VOL.4, PÁG.242; PONTUAL PÁG.489.

308 - EURICO LUIZ - (1936 - 2004)
LL Casario - dn e a - 65 x 47 - cid - 1965
Com estudos no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 008 deste catálogo.

309 - SOPHIA TASSINARI - (1927 - 2005)
LL Mulher e gato - a - 34 x 24 - cie - 1978
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 006 deste catálogo.

310 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL -
Composto por duas gravuras: 1) " O Concerto ", medindo 30 x 42 cm; 2) " O baile ", medindo 30 x 42 cm, não assinadas. -

311 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL Casario - osc - 50 x 30 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 011 deste catálogo.

312 - HEITOR DE PINHO - (1897 - 1968)
LL Cena urbana - ose - 24 x 19 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 019 deste catálogo.

313 - PAUL GARFUNKEL - (1900 - 1981)
LL " Imagens do Brasil " - ser. 82/250 - 23 x 31 - cid - Curitiba
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 013 deste catálogo.

314 - GASTÃO FORMENTI - (1894 - 1974)
LL Flores - osm - 27 x 35 - cie - 1954 - Rio
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 026 deste catálogo.

315 - VITALINO FILHO - (XX)
LL " Advogado " - e em br pol. - h = 12 - b
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 015 deste catálogo.

316 - MAPA -
LL Antigo mapa do Maranhão - lito. - 22 x 28
Importante litografia Brasiliana representando o mapa do Maranhão, editado no século XIX, na Inglaterra. -

317 - CARLOS SÖRENSEN - (1928 - 2008)
LL " Paisagem de Aparecida do Norte " - ost - 40 x 30 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 017 deste catálogo.

318 - YOSHIYA TAKAOKA - (1909 - 1978)
LL Cavalos - a - 35 x 50 - cid - 1973
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 018 deste catálogo.

319 - PATRICK THOMAS GUÉRATI - (1947)
LL Entardecer - ose - 19 x 25 - d - 1980
Pintor e desenhista irlandes, artista exlusivo da Galeria de Arte André - SP, com diversas participações em exposições coletivas e salões oficiais. Acervo FIEO.

320 - JOÃO CAMARA - (1944)
LL Figura - lito. 251/300 - 20 x 16 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

321 - MARCOS OLIVEIRA - (XX)
LL " Moça com peixe " - ast - 50 x 60 - cid e d - 2007
Reproduzido na pág. 56 do livro " NAIF de Mala e Cuia " de autoria de Oscar D'Ambrosio. -Diretor de arte e artista plástico, Marcos Oliveira trabalha com a arte Naïf moderna. Ele também apresenta a cultura nordestina com cores intensas e mãos e pés destacados pelo tamanho. Para ele o Naïf representa o que o Brasil tem de melhor. A arte Naïf é o cartão postal do Brasil no exterior.-

322 - HENRIQUE CAVALLEIRO - (1892 - 1975)
LL " O vaso azul " - ose - 61 x 50 - cid - 1970
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

323 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL Paisagem - ose - 27 x 15 - cse - 1956
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 023 deste catálogo.

324 - ESCOLA INGLESA, SÉC. XIX -
LL Paisagem - a - 30 x 90 - n/as.

325 - PEDRO WEINGÄRTNER - (1856 - 1929)
LL Paisagem - ostcm - 20 x 30 - cie
Ex-coleção Marcos Marcondes - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 117 deste catálogo.

326 - RENINA KATZ - (1925)
LL Volta do trabalho - xilo. 10/15 - 20 x 14 - cid - 1955
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 037 deste catálogo.

327 - SAMSON FLEXOR - (1907 - 1971)
LL Bípede - a - 18 x 12 - cid - 1968
Reproduzido sob o n.° 263 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 027 deste catálogo.

328 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Paisagem - ost - 50 x 70 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 028 deste catálogo.

329 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL " Gato amarelo " - ast - 46 x 55 - cid e d - 2003
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 059 deste catálogo.

330 - YAACOOV AGAM - (1928)
LL " Star of Hope " - tm P.A. 33/75 - 22 x 22 - cid
Com certificado de autenticidade de BBC Art Corporation. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 030 deste catálogo.

331 - ROLANDO NATAL SCURZIO - (1931 - 1998)
LL " A porta no beco " - ostcm - 53 x 39 - cid e d - Veneza - 1998
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 033 deste catálogo.

332 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Figuras - a - 19 x 29 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

333 - EDGARD OEHLMEYER - (1909 - 1967)
LL Marinha - ose - 54 x 73 - cid - 1963
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 016 deste catálogo.

334 - ENRICO VIO - (1847 - 1960)
LL Paisagem - ost - 34 x 25 - cid - 1916
Pintor e professor. Estudou no Instituto de Belas Artes de Veneza, sendo discípulo de Ettore Tito e Guglielmo Ciardi. Individuais em Veneza (1904) e Milão (1906). Veio para o Brasil, fixando-se em São Paulo, onde dedicou-se ao ensino da pintura, formando numerosos discípulos. Participou do Salão Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro (1916 e 1936), obtendo medalha de prata no primeiro. Foi também premiado no Salão Paulista de Belas Artes, São Paulo. Seus trabalhos foram expostos em "O Retrato na Coleção da Pinacoteca", Secretaria da Cultura, Ciências e Tecnologia, Pinacoteca do Estado, São Paulo (1976). Realizou exposições individuais no liceu de Artes e Ofício de São Paulo, a partir de 1902. Referências a seu respeito em: Guia de Seção Histórica do Museu Paulista de Afonso E. Taunay, S.P. (1937); Anuário da Escola Politécnica de São Paulo, 1937, pág.23; Revista do Instituto Geográfico Brasileiro, vol.265, out/dez (1964), pág.130; TEODORO BRAGA, pág.239; ITAU CULTURAL; PONTUAL, pág. 543; WALTER ZANINI, pág. 505, RUTH TARASANTCHI.

335 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Figura - dlc e g - 13 x 8 - cid - 1985
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

336 - ANTONIO PETICOV - (1946)
LL " Beba minha taça " - dlc - 58 x 42 - cid - 1983
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 036 deste catálogo.

337 - RENATO SOTTOMAYOR - (1921 - 1958)
LL Nus - dn - 25 x 34 - cid - 1949
Pintor, desenhista, ilustrador e decorador nascido no Rio de Janeiro onde estuda na Escola Nacional de Belas Artes. Faleceu em Santos, SP. Em 1950, transfere-se para São Paulo e passa a lecionar no MAM. Também estuda com André Lhote e Gino Severini, em Paris. Como decorador, colaborou com o arquiteto Sérgio Bernardes e também se destacou como ilustrador de obras literárias. Exposição individual em Roma (1952). Participou, em São Paulo, da 1ª Bienal e do Salão de Arte Moderna (1951); em Paris (1956) da exposição do Museu de Arte Moderna. MEC, VOL. 4, PÁG. 310; PONTUAL, PÁG. 500; JULIO LOUZADA, VOL. 11, PÁG. 306.

338 - GALDINO GUTTMANN BICHO - (1888 - 1955)
LL Vista da lagoa - ostcm - 25 x 30 - cid
Nascido em Petrópolis, passou sua infância em Sergipe, transferindo-se para o Rio de Janeiro, onde iniciou seus estudos. Foi aluno de Zeferino da Costa e de Rodolpho Amoedo. Recebeu diversos prêmios pelas suas participações em Salões Nacionais, inclusive o de Viagem à Europa em 1921. De espírito inquieto e temperamento polêmico, foi elemento ativo na vida artística carioca, sobretudo antes do predomínio das tendências modernas de que fora um dos precursores, pelo gosto nas pesquisas de luz dos impressionistas. LAUDELINO FREIRE, pág. 512; TEODORO BRAGA, pág. 114; REIS JUNIOR, pág. 372; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 104; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 2, pág. 248; ARTE NO BRASIL, pág. 602.

339 - LOURDES MONTEIRO - (1926)
LL " Casa Bidu Saião " - ost - 30 x 40 - cie e d - 1985
Pintora, Lourdes Sodré Monteiro nasceu em Campinas, SP. Estudou pintura com o artista plástico Júlio Mugnaini. Realizou exposições individuais e participou de inúmeras mostras e Salões oficiais: São Paulo (1980, 1985, 1986); Penápolis, SP (1983). ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA VOL. 4, PÁG. 752.

340 - JOÃO CAMARA - (1944)
LL Figuras - lito. 251/300 - 21 x 16 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

341 - MARIO GRUBER - (1927)
LL Rosto - grav. 51/100 - 14 x 12 - cid - 1983
Pintor e gravador, Gruber é um dos principais artistas de São Paulo desde quando, ainda muito jovem, tomou parte no Grupo dos 19. PONTUAL, pág. 253; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 370; MEC, vol. 1, pág. 466; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 448; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.649; ARTE NO BRASIL, pág. 803; LEONOR AMARANTE, pág. 376; Acervo FIEO.

342 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Cisnes - dn - 14 x 24 - cid
Procedente da coleção de Ninoross Bastos Ribeiro - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

343 - HEINZ KUHN - (1908 - 1987)
LL Composição - ost - 50 x 35 - cie - 1970
Nasceu em Berlim, Alemanha, e faleceu em São Paulo-SP. Inicia seus estudos em sua terra natal, expondo obras na Alemanha e na França. No Brasil em 1950, fixa-se em São Paulo. Nesse período sua pintura é figurativa, voltando-se aos poucos, para a abstração geométrica. Theon Spanudis considerava o autor como "um dos pintores mais conscientes, inquietos e produtivos de São Paulo (1964)". A partir dos anos 60 sua pintura se move no âmbito da abstração informal, com eventuais referências ao mundo real. Obra de sua autoria faz parte da Coleção Adolpho Leirner, participando do livro Arte Construtiva no Brasil, de Aracy Amaral (pág. 193) MEC, vol. 2 pág. 430; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 688.

344 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL Paisagem - ost - 33 x 45 - cie e d - Déc. 40
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 094 deste catálogo.

345 - RENOT - (1932)
LL " Baiana da Ribeira " - tm - 14 x 12 - csd e d - 2006
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 045 deste catálogo.

346 - AGI STRAUS - (1926)
LL No telefone - tm - 20 x 20 - cid
Pintora, desenhista e gravadora. Vindo residir em São Paulo, aqui estudou com Darel e Poty, no Museu de Arte de São Paulo, dedicando-se, também, ao aperfeiçoamento na pintura e técnica do afresco com Gaetano Miani. Recebeu no SPAM diversas premiações. Desde 1955 vem realizando exposições individuais em São Paulo e no exterior. A respeito de seus trabalhos, por volta de 1964, disse José Geraldo Vieira serem eles realizados com "sensibilização prévia do suporte, seja pergaminho, tela ou duratex, para conseguir texturas de fundo, impregnação, relevo e matéria. Para tanto a artista suplica a superfície a fim de tranformá-la em bossagem adequada (...) resultam sugestões híbridas, espaciais e telúricas, mas sempre expressionistas por causa da desagregação cromática e dos efeitos de microgeografia ou siderais". JULIO LOUZADA,vol. 11, pág. 312; MEC, vol. 4, pág 343/44; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 355; PONTUAL, pág. 506; TEIXEIRA LEITE, pág. 488; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

347 - JOSÉ PAULO LICATTI - (1910 - 1990)
LL " No engenho " - ose - 27 x 21 - cid
Nasceu em Taquaritinga, SP em 5 de agosto e faleceu em São Paulo, Capital, no dia 27 de outubro. Pintor e desenhista, foi ativo em São Paulo. Em 1935 formou-se em desenho e pintura na Faculdade de Belas Artes de SP. Foi discípulo dos professores Antonio Rocco e Enrico Vio, da Real Academia de Napoles. Desde 1939 o artista conquista diversas premiações e tem grande participação em exposições no Brasil e no Exterior. Assina suas obras P. LICATTI. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.173; Acervo FIEO.

348 - MICK CARNICELLI - (1893 - 1967)
LL Paisagem - ost - 39 x 46 - cid - 1961
Pintor ativo em São Paulo. Participou da coletiva 50 Anos de Paisagem Brasileira, São Paulo (1956), representado por obras em coleções paulistas; Paisagem Urbana, na Biblioteca Municipal de São Paulo;Santo André (1951), coleção João Amoroso Neto; e Coração de Jesus, coleção Lourdes Milliet. Participou, também, da I Bienal de São Paulo(1951) com as obras: Pátio de Manobras da Sorocabana e Subúrbio. MEC ,vol. 1, pág.359; JULIO LOUZADA, vol. 10 , pág. 595; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 630. Acervo FIEO.

349 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - g - 100 x 35 - cid - 1970
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 049 deste catálogo.

350 - LYRIA PALOMBINI - (1939)
LL Composição - grav. 10/20 - 60 x 60 - cid - 1975
Mineira, é desenhista, gravadora e entalhadora. Iniciou seus estudos artísticos no Instituto de Belas Artes do Rio de Janeiro, sob a orientação de Deveza, Teruz e Aurélio D´Alincourt. Aperfeiçoou-se em xilo, ainda no Rio, com Maria de Lourdes Mader Pereira, Vitor Gerhard e José de Lima, cujos trabalhos tiveram grande sucesso nas exposições, levando Walmir Ayala fazer a seguinte observação sobre a artista: " Liria Palombini é a mais nova revelação de gravadora no Rio de Janeiro. Em seu trabalho define-se uma artista que sobrepõe à sensibilidade, sem descuidar-se dela, a inteligência." (1974). Participou de inúmeras coletivas e realizou diversas individuais. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 709.

351 - OSWALDO GOELDI - (1895 - 1961)
LL Casario - dn - 12 x 17 - cid
Com dedicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 252 deste catálogo.

352 - SERGIO TELLES - (1936)
LL " Frutas " - ost - 40 x 60 - cid - 2008
Com certificado de autenticidade firmado pelo artista. -Pintor, professor e diplomata, estudou pintura na ENBA/Rio; foi discípulo de Levino Fanzeres, Paul Gagarin, Rodolpho Chambelland e Paschoal Valente. Artista de renome internacional, consagrou-se pela sua requintada técnica de composição e domínio da cor. Com exposição retrospectiva programada para o Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro em 2009. TEIXEIRA LEITE, pág. 503; MEC, vol. 4, pág. 380; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 319; ITAÚ CULTURAL. Acervo FIEO.

353 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Menina - dn - 18 x 26 - csd
Desenho original para o filme "O Cangaceiro" de Lima Barreto produzido pela Companhia Vera Cruz - SBC - SÃO PAULO. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 088 deste catálogo.

354 - TIKASHI FUKUSHIMA - (1920 - 2001)
LL Composição - ost - 80 x 50 - cid
Natural da cidade japonesa de Fukushima, onde nasceu em 19 de janeiro. Vem para o Brasil em 1940, fixando-se em Lins, SP. Recebendo influência de Manabu Mabe, começa a se interessar por pintura. Em 1946, segue para o Rio de Janeiro, onde estuda com Tadashi Kaminagai, que o orienta na execução de paisagens impressionistas. Participa da I à IX BSP. Seu trabalho sofre transformações mais na direção do cubismo, no período da I à III BSP. A partir de 1957 sua pintura é informal, transformando-se depois no estilo que viria consagrá-lo como um dos grandes pintores abstratos do Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 141; TEIXEIRA LEITE, pág. 210; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 644; LEONOR AMARANTE, pág. 383.

355 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Composição - dn e a - 23 x 17 - cid - 1965
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 105 deste catálogo.

356 - RUBENS GERCHMAN - (1942 - 2008)
LL " Hora do Rush " - ost - 80 x 120 - cid e d
Reproduzido nas págs. 20 e 21 do catálogo da Exposição do Artista em Renot Antiques em Agosto de 2006 - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 029 deste catálogo.

357 - JULIO PLAZA - (1938 - 2003)
LL Composição - col. - 40 x 58 - d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 056 deste catálogo.

358 - ALFREDO VOLPI - (1896 - 1988)
LL " Igreja do Cambuci " - osc - 15 x 9 - csd e d
Ex-coleção Henrique Zucca - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

359 - SÉRVULO ESMERALDO - (1929)
LL Composição - grav. P.A. - 28 x 15 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 099 deste catálogo.

360 - INOS CORRADIN - (1929)
LL Figura com pássaros - e em cer/pat - h = 30 - d
Um dos valores da pintura em São Paulo. Corradin expôs com frequência na Europa e nos Estados Unidos, onde seus quadros são muito apreciados. Também tem se dedicado com igual talento e sucesso a escultura. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 152; PONTUAL, pág. 143; MEC, vol. 1, pág. 448; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 215; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

361 - ARNALDO FERRARI - (1906 - 1974)
LL Composição - ost - 60 x 50 - cid e d - 1970
Com dedicatória, no dorso. -Pintor e desenhista de São Paulo. Estudou artes decorativas, desenho e pintura no Liceu de Artes e Oficio de São Paulo e na Escola de Belas Artes de São Paulo, tendo sido aluno de Érico Vio . Pertenceu ao Grupo Guanabara de São Paulo, com Tomie Ohtake, Ianelli, Fukushima e outros. Passou, num trabalho lento e consciente, do figurativismo para uma abstração geometrizante. Participou do Grupo Santa Helena, com Alfredo Volpi, Mario Zanini e outros, nos anos de 1935 a 1950. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 304/5; MEC, vol. 2, pág. 149/50; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 191; PONTUAL, pág. 207; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 378; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.678, Acervo FIEO.

362 - ALMADA NEGREIROS - (1893 - 1970)
LL Maternidade - dn - 26 x 21 - ci
Escritor e artista plástico, José Sobral de Almada Negreiros nasceu em S. Tomé e Príncipe e faleceu em Lisboa. Ficou órfão de mãe aos três anos de idade e, em 1900, foi internado num colégio de jesuítas em Lisboa, pois seu pai fixou residência em Paris. Em 1905, com apenas 12 anos, redigiu e ilustrou os jornais manuscritos "A República" e o "O Mundo. Fez sua primeira exposição individual de desenhos, em 1913, com cerca de 90 obras. Em 1919, com o intuito de estudar pintura, foi para Paris, regressando a Lisboa um ano e meio depois. Em 1927, ainda seguindo seu propósito de aprimorar-se nas artes plásticas, foi para Madri, onde permaneceu por cerca de cinco anos. Ao regressar a Portugal, continuou com sua cruzada de divulgação dos movimentos de vanguarda em sua terra. Para isso realizou várias conferências e intensificou sua produção artística, dividindo-se entre as artes plásticas e a literatura. Trabalhou em tapeçaria, gravura, pintura mural, caricatura, mosaico, azulejo e vitral. Expôs em coletiva de artistas portugueses no Rio de Janeiro (1942) e, em São Paulo, na exposição póstuma 'Cinco Pintores da Modernidade Portuguesa' realizada no MAM (2004). ITAU CULTURAL; www.vidaslusofonas.pt; www.educ.fc.ul.pt; www.mundocultural.com.br; pt.wikipedia.org.

363 - NERÃO - (ANTONIO JOAQUIM NERY) - (1903 - 1997)
LL " Praia Recanto com banhista " - ost - 38 x 46 - cid - 1986
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

364 - ANITA MALFATTI - (1896 - 1964)
LL Nu - dc - 61 x 47 - cid
Reproduzido sob o n.° 86 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Proto-mártir do modernismo brasileiro, com sua mostra de 1917 em São Paulo, Anita Malfatti foi, no dizer de Dario da Silva Brito, o "estopim" da Semana de 1922. Recebeu prêmio de honra no Salão Paulista de 1934. Várias exposições coletivas e individuais como: Anita Malfatti no Museu de Arte Brasileira - FAAP. BENEZIT, vol. 7, pág. 118; TEODORO BRAGA, pag. 151/2; MEC, vol. 3, pág. 45; PONTUAL, pág. 332/3; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 33 e 35; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 478; ARTE NO BRASIL, pág. 652; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

365 - CARLOS BRACHER - (1940)
LL " Paisagem de Mariana " - ost - 81 x 100 - cie e d - 1991
Complemento de título: " Paisagem de Mariana com Igrejas do Carmo e de São Francisco de Assis " -Natural de Juiz de Fora / MG, onde fez seus primeiros estudos. Orientou-se com Faiga Ostrower, Frederico Moraes, Inimá de Paula e Orlandino Seitas Fernandes. Grande retratista, excelente pintor de flores, mestre do intimismo mineiro, sabe lidar com brilhantismo, como poucos, com o desafio da paisagem mineira. Catálogo da Panorama de Arte Atual Brasileira - Museu de Arte Moderna de São Paulo/1976; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 118/ 120/ 123; PONTUAL, pág. 83; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 41; MEC, vol. 1, pág. 255; TEIXEIRA LEITE, pág. 83; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 802.

366 - RUDOLF WEIGEL - (1939)
LL " Fundos da Igreja do Pilar " - osc - 19 x 14 - cid - Ouro Preto
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 066 deste catálogo.

367 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Nu - e em b - h = 42 - d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 067 deste catálogo.

368 - BENNO TREIDLER - (1857 - 1931)
LL Morro Dois Irmãos - dl - 13 x 22 - cie - 1906
Com estudos no dorso. Ex-coleção de Marcos Marcondes - São Paulo. -Natural de Berlim, Alemanha, foi pintor e cenógrafo. Fixou-se no Rio de Janeiro desde 1885. Acadêmico, foi observador minucioso da natureza. O autor foi paisagista por excelência. LAUDELINO FREIRE, pág.388; THEODORO BRAGA, pág.232; REIS JR, pág.220; PONTUAL, pág.526; MEC. vol.4, pág.411; GONZAGA DUQUE CONTEMPORÂNEOS (1929), págs.91 a 94; TEIXEIRA LEITE, pás.512/513; ITAU CULTURAL.

369 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Crianças - ost - 102 x 42 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 070 deste catálogo.

370 - MARIO CRAVO JR - (1923)
LL Pietà - e em met - h = 97
- Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 232 deste catálogo.

371 - EDUARDO SUED - (1925)
LL Composição - o e col s/t - 46 x 61 - d - 1997
Natural da cidade do Rio de Janeiro-RJ, onde reside e é ativo. Pintor, desenhista, ilustrador e gravador. Formou-se na Escola Nacional de Engenharia do Rio de Janeiro em 1948. Foi aluno de desenho e pintura do pintor Henrique Boese. Trabalhou como desenhista no escritório do arquiteto Oscar Niemeyer (1950-1951). Freqüenta os ateliês de La Grande Chaumière e L'Académies Julian em Paris (1951), retornando ao Rio de Janeiro em 1953, onde estuda gravura em metal com Iberê Camargo. Diversas exposições coletivas e individuais. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 975/976; ARTE NO BRASIL, pág. 814; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

372 - FERNANDO ODRIOZOLA - (1921 - 1986)
LL Composição - tm - 52 x 34 - cie - 1966
Com etiqueta nº 5601 de Renot Art Dealer - São Paulo, no dorso. -Pintor e desenhista espanhol, Odriozola radicou-se no Brasil em 1953, e em 1965 mereceu o prêmio de Melhor Desenhista Nacional da Bienal de São Paulo, que em 1967 lhe dedicou sala especial. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 231; MEC vol, 3, pág. 291; PONTUAL, pág. 389.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 737; ARTE NO BRASIL, pág. 907; LEONOR AMARANTE, pág. 143; Acervo FIEO.

373 - GLENIO BIANCHETTI - (1928)
LL " Mulher arranjando a meia " - tsc - 77 x 57 - cid - 1962
Ex-coleção Josias Leão - Rio de Janeiro. -Gravador, pintor, ilustrador, tapeceiro, professor e desenhista. Inicia estudos artísticos em Bagé, na década de 1940, junto com Glauco Rodrigues (1929 - 2004), sob orientação de José Moraes (1921 - 2003). Em 1949, ingressa no Instituto de Belas Artes de Porto Alegre. Funda, em 1951, ao lado de Glauco Rodrigues e Danúbio Gonçalves (1925), o Clube de Gravura de Bagé, posteriormente incorporado ao Clube de Gravura de Porto Alegre, grupo que realiza uma produção artística de caráter social, do qual participam também Carlos Scliar (1920 - 2001) e Vasco Prado (1914 - 1998). Na década de 1950, Bianchetti produz xilografia e linoleogravura com temas relacionados ao trabalho e aos costumes regionais. A partir dos anos 1960, trabalha principalmente com pintura, litografia e gravura em metal. Em 1962, leciona desenho e pintura na recém-inaugurada Universidade de Brasília - UnB, na qual permanece até 1965, quando é afastado pelo regime militar. No início da década de 1970, colabora na criação do Museu de Arte de Brasília e participa de projetos voltados ao ensino artístico. Em 1988, é reintegrado à UnB. Entre 1996 e 1997, é organizada mostra retrospectiva do Grupo de Bagé com exposições em várias capitais. É homenageado com a retrospectiva dos seus 50 anos de carreira, em 1999, no Palácio do Itamaraty, em Brasília. ITAÚ CULTURAL.

374 - HERMELINDO FIAMINGHI - (1920 - 2004)
LL Composição - a - 40 x 30 - cid - 1955
Nasceu em São Paulo, a 22 de outubro de 1920. Pintor e artista gráfico. Dedicou-se regularmente à pintura a partir de 1950, com seu mestre Volpi. Foi um dos pioneiros do concretismo, com o qual rompeu anos mais tarde, para fazer uma pintura mais solta, através de seu diálogo com a cor e da interação com a luz em contato com a natureza. Expõs individualmente a partir de 1961 e coletivamente desde 1955, sempre com premiações. JULIO LOUZADA, vol. 4 pág. 401; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 928; LEONOR AMARANTE, pág. 75.

375 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL " Emblema " - asp - 48 x 30 - d - 1987
Participou da retrospectiva do artista na Galeria Berenice Arvani - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

376 - JOSÉ MARQUES CAMPÃO - (1892 - 1949)
LL Paisagem - a - 37 x 32 - n/as.
Com autenticação de Marcos Marcondes - São Paulo. -Excelente paisagista paulistano, aluno de Oscar Pereira da Silva, da Academia Julian - Paris, e da Escola Nacional Superior de Belas Artes de Paris, entre 1912 e 1918. Foi membro da Comissão de Orientação Artística de São Paulo em 1944. Expôs no Salão dos Artistas Franceses e em diversas exposições coletivas e individuais. TEODORO BRAGA, pág. 61/62; PONTUAL, pág. 102; MEC, vol. 1, pág. 331; REIS JR., pág. 374; WALMIR AYALA, vol. 1,pág. 160; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO, RUTH TARASANTCHI.

377 - HELENA WONG - (1938 - 1990)
LL " Composição " - ost - 65 x 81 - cid e d - 1962
Yuan Wong Mie nasceu em Pequim, China e faleceu em Curitiba, PR. Pintora, desenhista e gravadora. Assina H. Wong. Iniciou-se na pintura tradicional chinesa, ainda em Shangai e Hong-Kong aos nove anos. Em 1951 veio para o Brasil com a família, fixando-se em Curitiba, PR. Freqüentou o ateliê de Thostein Andersen e o Círculo das Artes do Paraná. Em 1962 naturalizou-se brasileira e, no ano seguinte, iniciou-se em gravura no MAM do Rio de Janeiro com Ivan Serpa. A partir de 1972 voltou a viver em Curitiba. Exposições individuais: Rio de Janeiro (1963, 1965, 1969, 1978); São Paulo (1965 - MAC e MASP - 1972); Curitiba, PR (1971, 1975, 1978, 1982, 1983, 1987, 1990); Brasília, DF (1984). Participou das 7ª e 8ª Bienais de São Paulo; dos Panoramas da Arte Atual Brasileira - MAM, SP de 1970, 1973 e 1976; mostras coletivas em Paris, Estados Unidos, Argentina. Recebeu prêmios em Curitiba, PR de 1959 a 1961 e de 1963 a 1965. Possui obras no MAC, SP e no MARGS, RS. Foram realizadas exposições póstumas em Curitiba, PR em 1991 e 1998. ITAU CULTURAL; PONTUAL PÁG. 553; MEC VOL. 4, PÁG.512; JULIO LOUZADA VOL. 3, PÁG.1221; VOL. 6, PÁG.. 1189; VOL.7, PÁG. 748; VOL. 8, PÁG. 891; VOL.13, PÁG. 358; artprice.com.

378 - MAURICIO NOGUEIRA LIMA - (1930 - 1999)
LL Composição - dn - 23 x 29 - cid - 1959
Natural da cidade do Recife, PE, o autor foi pintor, arquiteto, desenhista e professor. Frequentou o Instituto de Belas Artes de Porto Alegre, o MAM-SP e diplomou-se em arquitetura pela Faculdade Mackenzie-SP. Ligado ao grupo Ruptura, Maurício tornou-se um artista de acentuados princípios racionais, sendo o autor de algumas introduções no campo da animação ótica dos espaços, na seriação das construções e ainda na busca específica de retículas coloridas.Participou do Salão Paulista de Arte Moderna, onde obteve, dentre outros, o 1º Prêmio em Cartaz (1951 e 1957). Participou também do movimento de arte concreta, figurando nas exposições do MAM-SP (1956), no MEC-RJ (1957), na Exposição Internacional de Arte Concreta, em Zurique (1960), etc JULIO LOUZADA, vol 1, pags 678 e 679; ITAU CULTURAL.

379 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL Fazenda - ost - 60 x 80 - cie e d - 1983
Considerado por muitos críticos e colecionadores como o mais típico dos nossos pintores ingênuos, Silva foi o intérprete da cena rural de São Paulo, num estilo expontâneo em que assomam, por vezes, soluções plásticas inesperadas. MEC, vol. 4, pág. 256; PONTUAL, pág. 493 e 494; TEIXEIRA LEITE, pág. 478; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 958; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 958; BENEZIT, vol. 9, pág. 602; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 227; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 171; Acervo FIEO.

380 - MARIO ZANINI - (1907 - 1971)
LL Mercado Municipal - São Paulo - ost - 50 x 65 - cid - 1969
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 03/05/11 - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 094 deste catálogo.

381 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Nu - dn e ag - 23 x 32 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 081 deste catálogo.

382 - RUBEM LUDOLF - (1932 - 2010)
LL Composição - tm - 47 x 29 - cie
Com as seguintes etiquetas: Galeria Toulouse - Rio de Janeiro e Arco 2007 - Madrid, no dorso. Reproduzido sob o nº 181 em catálogo de leilão de Soraia Cals - Rio de Janeiro. -Batizado Rubem Mauro Cardoso Ludolf, o artista nasceu em Maceió-AL. Foi pintor, arquiteto e paisagista, formou-se em 1955 pela Escola Nacional de Arquitetura da Universidade Brasil-RJ. Foi aluno de Ivan Serpa no curso livre de pintura do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ. Integrou o Grupo Frente entre 1955 e 1956. "Apesar de os artistas concretos do Rio de Janeiro logo terem se desvinculado da ortodoxia do Grupo Ruptura de São Paulo, criando o movimento neoconcreto, Ludolf manteve-se fiel aos princípios teóricos que nortearam o manifesto paulista. Sua obra seguiu regularmente as questões das estruturas seriadas,dos efeitos ópticos orientados pela visão gestáltica do espaço, da cor programada." Ligia Canongia, in PROJETO Arte Brasileira: abstração geométrica 2. Rio de Janeiro: Funarte. Instituto Nacional de Artes Plásticas, 1988. O artista expõe individualmente a partir de 1958 e coletivamente participa de exposições desde 1954. ITAUCULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 292; WALTER ZANINI, pág. 676; MEC, vol. 2, pág. 511.

383 - LULA CARDOSO AYRES - (1910 - 1987)
LL " Mito nº 2 " - ost - 95 x 95 - cid - 1961
Esta obra participou da Exposição do artista na Galeria Bonino - Rio de Janeiro em Maio/Junho de 1962, conforme etiqueta no dorso. -Natural do Recife, PE, foi pintor e desenhista, tendo se iniciado artisticamente sob a orientação de Henrich Moser, naquela mesma cidade. Estudou no Rio de Janeiro com Carlos Chambelland e na antiga ENBA até 1930, onde foi aluno de Rodolfo Amoedo. Foi contemporâneo nessa escola de Portinari, Teruz, Oswaldo Teixeira, Joaquim da Rocha Ferreira e Orózio Belém. A partir de 1933, já de volta à sua terra natal, dedica-se totalmente aos temas regionais. JULIO LOUZADA vol. 1, pág. 31; TEIXEIRA LEITE, pág. 293; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 879; Acervo FIEO.

384 - ARTHUR LUIS PIZA - (1928)
LL Composição - grav. 3/99 - 34 x 14 - cid
Reproduzido sob o nº 199 do livro " PIZA - catálogo geral de gravuras, por K. Masrour. -Gravador, desenhista, pintor e escultor, nasceu em São Paulo, SP. Assina Piza. Iniciou a formação artística em 1943, estudando pintura e afresco com Antonio Gomide. Após participar da 1ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1951, viajou para a Europa e passou a residir em Paris. Freqüentou o ateliê de Johnny Friedlaender, aperfeiçoando-se nas técnicas de gravura em metal. Realizou muitas exposições individuais e coletivas, participou de vários Salões oficiais e obteve importantes prêmios: Bienal Internacional de São Paulo (1953, 1959); Trienal de Grenchen, Suíça (1961); Bienal de Liubliana, atual Eslovênia (1961); Exposição Internacional de Havana, Cuba (1965); Bienal de Santiago do Chile (1965); Bienal de Veneza (1966); Bienal de Cracóvia, Polônia (1970); Bienal Internacional de Florença, Itália (1970); Bienal de San Juan, Porto Rico (1970, 1979); Mostra de Gravura, Curitiba – PR (1978); Bienal da Cidade do México (1980). No fim dos anos 1980, cria um mural tridimensional para o Centro Cultural da França, em Damasco, Síria. Em 2002, são apresentadas na Pinacoteca do Estado de São Paulo e no Museu de Arte do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, duas amplas retrospectivas de sua obra. BENEZIT VOL. 8, PÁG. 370; MEC, VOL. 3, PÁG. 422; PONTUAL, PÁG. 428/29; JÚLIO LOUZADA, VOL. 1, PÁG. 773; VOL. 2, PÁG. 823; VOL. 4, PÁG.899; VOL.6, PÁG. 896; VOL.13, PÁG. 268; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, PÁG. 855; LEONOR AMARANTE, PÁG. 75; ACERVO FIEO; artfacts.net; artcyclopedia.com; artnet.com; artprice.com

385 - PAULO GAGARIN - (1885 - 1980)
LL Flamboyant - ost - 50 x 61 - cie
Pintor natural de Leningrado - anteriormente São Petesburgo. Estudou na Universidade daquela cidade, vindo para o Brasil em 1921, onde se naturalizou. Fixou-se no Rio de Janeiro, onde no ano seguinte realizou a sua primeira exposição. Recebeu medalha de ouro no SNBA, com participação também no SPBA, com premiações (1940 e 1941). Sobre a sua obra, assim se manifestou o autor: " ... Acredite, nunca estudei pintura. Não tive mestres. O meu mestre foi a natureza opulenta do Brasil" (´in´ A Inquietação das Abelhas, de Angione Costa, 1927) JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 123; PONTUAL, pág. 230; MEC, vol.2, pág. 219; PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 2, pág. 146; TEODORO BRAGA, pág. 186; REIS JR., pág. 370.

386 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
LL Figura - dc - 34 x 29 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 112 deste catálogo.

387 - OSCAR PEREIRA DA SILVA - (1867 - 1939)
LL Pastoreando - ost - 45 x 81 - cid - 1935
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 114 deste catálogo.

388 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Paisagem - ose - 25 x 35 - cid e d - 1979
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 035 deste catálogo.

389 - TITO DE ALENCASTRO - (1934 - 1999)
LL " Palhaço " - ost - 55 x 46 - cse e d - 1972 - Rio
Com etiqueta de Renato Magalhães Gouveia Escritório de Arte, São Paulo, no dorso. -Pintor, desenhista, gravador e mosaicista, radicou-se em 1961 em São Paulo, após ter estudado no Rio de Janeiro com Abelardo Zaluar, José Morais e Johnny Friedlaender. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 29; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 6; PONTUAL, pág. 14; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

390 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL " Vênus e pássaro " - ost - 38 x 55 - cid e d - 1979
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 03/05/11 - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 085 deste catálogo.

391 - DIONISIO DEL SANTO - (1925 - 1999)
LL Composição - g - 18 x 14 - cid - 1989
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 091 deste catálogo.

392 - FREDERICO JAYME NASSER - (1945)
LL " Como alguns anos atrás " - tm - 41 x 45 - cid - 1968
Pintor, desenhista e professor natural de São Paulo-SP. Estudou desenho com Wesley Duke Lee e gravura na FAAP, com Marcelo Grassmann, Mário Gruber e Darel. Em 1966, junto com José Moura Resende Filho e Luis Paulo Baravelli, fundou a Rex Gallery. Participa de Salões Oficiais a partir de 1965 e expõe individualmente em 1971. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 663; PONTUAL, pág. 379; TEIXEIRA LEITE, pág. 344; ITAU CULTURAL.

393 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Marinha - ast - 40 x 40 - cie - 2000
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 059 deste catálogo.

394 - IVONE VISCONTI CAVALLEIRO - (1901 - 1965)
LL Flores - a - 24 x 20 - cie
Nasceu em Paris, França e faleceu na cidade do Rio de Janeiro. Pintora, desenhista e ceramista, começou a sua formação artística com o seu pai, o pintor Eliseu Visconti. Estudou gravura com Osvaldo Goeldi (na antiga ENBA) e pintura com André Lhote. Recebeu as medalhas de prata em pintura e de ouro em arte decorativa no SNBA, bem como a medalha de ouro no Salão da Associação dos Artistas Brasileiros de 1964. Participou ainda do VI ao XII SNAM (1957-1964). Era casada com o pintor Henrique Cavaleiro. PONTUAL, 123; JULIO LOUZADA, vol.10, pág.211; MEC, vol.1, pág.393; REIS JR.; TEIXEIRA LEITE, pág.533; WALMIR AYALA, vol.2, pág.424 a 426.

395 - IVALD GRANATO - (1949)
LL Composição - asp - 70 x 50 - cid - 1985
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 271 deste catálogo.

396 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Natureza morta - ost - 40 x 50 - cid - Déc. 20
Com etiqueta de Grifo Galeria de Arte - São Paulo, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 093 deste catálogo.

397 - MARTINS DE PORANGABA - (1944)
LL " Memórias " - ast - 200 x 140 - cie e d - 1985
O crítico de arte José Neisten declarou a respeito do artista, em Washington: " O que define o significado de suas telas é a sintaxe: portanto, uma semântica pessoal, tal como evolui na dinâmica de composição, em seu complexo contraponto, e no uso da cor. Nem sempre é possível entender sua pintura com aferição puramente plástica; muitas vezes é preciso pedir ajuda dos critérios musicais, porque Martins frequentemente compõe suas formas e cores com energia e finura de composição musical, onde tom acima ou um quadro de tom abaixo fazem uma diferença enorme no resultado global ". JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 704; ITAU CULTURAL.

398 - ANTONIO POTEIRO - (1925 - 2010)
LL Ciranda - ost - 59 x 69 - cid - 1991
Português de Braga, viveu em São Paulo e Minas Gerais, radicando-se definitivamente em Goiânia, desde 1967. O sobrenome artístico Poteiro vem das obras em barro e cerâmica que trabalhou por mais de 12 anos, até se transformar no pintor original e vigoroso que foi. Amigo de Siron Franco, seu grande incentivador na pintura. WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 217; TEIXEIRA LEITE, págs 31 e 32; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 808; LEONOR AMARANTE, pág. 294, Acervo FIEO.

399 - MARC CHAGALL - (1887 - 1985)
LL Figuras - lito. - 31 x 23 - cie - 1980
Com etiqueta de Alphonse Leroz - Bruxelas/Bélgica. -Pintor, gravador e vitralista, nasceu em Vitebsk, Bielorussia, em 7 de julho de 1887. Iniciou-se em pintura no ateliê de um retratista local. Em 1908 estudou na Academia de Arte de São Petersburgo. Seguiu para Paris em 1910, ligando-se a Blaise Cendrars, Max Jacob e Apollinaire e aos pintores Delaunay, Modigliani e La Fresnay. Marc Chagall trabalhou intensamente para integrar seu mundo de fantasias na linguagem moderna, derivada do fauvismo e do cubismo. Irrompendo a revolução socialista de 1917, foi nomeado comissário de belas-artes do governo de Vitebsk. Fundou uma escola aberta a todas as tendências, entrou em conflito com Malevitch e acabou demitindo-se. Em 1931 Chagall visitou a Palestina e a Síria e publicou Ma vie (Minha vida), autobiografia ilustrada por gravuras que já haviam aparecido em Berlim em 1923. A partir de 1935 o clima de guerra e de perseguição aos judeus repercutiu em sua pintura, na qual os elementos dramáticos, sociais e religiosos passaram a tomar vulto. Em 1941 foi para os Estados Unidos, onde em 1944 morreu Bella Chagall, sua esposa, causando-lhe grande depressão. Mergulhou de novo no mundo das evocações e concluiu o quadro "Autour d'elle" ("Em torno dela", Musée National d'Art Moderne, Paris), iniciado em 1937 e que se tornou uma síntese de sua temática. Regressou definitivamente à França em 1947. Reconhecido como um dos maiores pintores do Século 20, Marc Chagall morreu em Saint-Paul de Vence, no sul da França, em 28 de março de 1985. BENEZIT, vol. 2, pág. 638

400 - WEGA NERY - (1912 - 2007)
LL " Paisgem Imaginária " - ost - 60 x 72 - cie e d - 1976
- Reproduzido no convite deste leilão.Natural de Corumbá-MT, estudou desenho e pintura na Escola de Belas Artes em São Paulo entre 1946 e 1949. Nos anos 50, aperfeiçoou estudos com Joaquim da Rocha Ferreira, Yoshiya Takaoka e Samson Flexor. Participou do Grupo Guanabara em 1952 e do Atelier-Abstração, liderado por Samson Flexor, em 1953. Expõs individualmente a partir de 1955. Recebeu o prêmio de melhor desenhista nacional em 1957 e o prêmio aquisição nacional em 1963. PONTUAL, pág. 551; TEIXEIRA LEITE, pág. 541, JULIO LOUZADA vol.9, pág. 919; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 942; LEONOR AMARANTE, pág. 57.

401 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Casario - ost - 60 x 120 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 098 deste catálogo.

402 - ANA ANDRADE - (1953)
LL " Paisagem " - aq.s/t - 50 x 70 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 102 deste catálogo.

403 - INOS CORRADIN - (1929)
LL " Casas de pescadores " - ost - 60 x 80 - cie e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 360 deste catálogo.

404 - NEWTON REZENDE - (1912 - 1994)
LL Trabalhador - g - 83 x 27 - cid - 1962
Reproduzido sob o nº 135 em catálogo de Lordello e Gobbi - Escritório de Arte - São Paulo. -Natural de São Paulo, e falecido no Rio de Janeiro. Autodidata, recebeu influências de Cândido Portinari, Rebolo, Clovis Graciano e Mário Zanini. A partir de 1948 expõe individual e coletivamente. O crítico TEIXEIRA LEITE assim se refere à obra do artista em seu livro abaixo indicado: "Pintor figurativo que não pode a rigor ser reclamado por nenhum movimento ou tendência, Newton Rezende combina em sua obra acentuados dotes de lirismo a uma bem-humorada concepção dos seres e das coisas, inculcando-lhes ligeira nota surrealista. A sua é uma pintura livre, artesanalmente bem articulada, e que brinca, ao mesmo tempo em que mal dissimula a emoção com que enfrenta certos temas: arte verdadeira, descompromissada de teorias e de preconceitos de qualquer espécie, (...)" . PONTUAL, pág. 450; ITAÚ CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 444; WALTER ZANINI, pág. 755.

405 - WESLEY DUKE LEE - (1931 - 2010)
LL Composição - tm - 23 x 16 - cid - 1959
Com dedicatória. -Pintor, desenhista, gravador e artista gráfico. Iniciou seus estudos de desenho em 1950, no MASP. Em 1952 viajou para os USA para dedicar-se ao aprendizado de artes gráficas na Parson's School of Design (Nova York). De volta ao Brasil trabalhou no campo da pintura e do desenho, aperfeiçoando-se com Karl Plattner, em São Paulo, em 1957. Em seguida transferiu-se para Paris, onde estudou gravura com Johnny Friedlaender. Participou de diversas exposições coletivas e Bienais no Brasil e no exterior, realizando individuais por todo o Brasil. No catálogo da mostra "O Artista e a Máquina", de 1966, foi dito à seu respeito: "Inquieto, sofisticado, cosmopolita e dotado de um vivaz senso de humor (...) representa no Brasil a vanguarda internacional de pesquisa estética que enfeixa sobre o título de "realismo mágico". MEC, vol.2, pág.465; WALMIR AYALA, vol.1, pág.466; TEIXEIRA LEITE, pág. 282; PONTUAL, pág.305 e 306; JULIO LOUZADA, vol.8, pág.459; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 815; LEONOR AMARANTE, pág. 143. Acervo FIEO.

406 - JOÃO CAMARA - (1944)
LL " Nise " - ost - 65 x 54 - cid - Olinda
Reproduzido sob o n.° 112 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 020 deste catálogo.

407 - UBI BAVA - (1905 - 1988)
LL Composição - dn - 26 x 27 - cid - 1958
Natural da cidade paulista de Santos. Faleceu em São Paulo. Arquiteto, professor e pintor. Foi aluno de Lucilio de Albuquerque e de Henrique Cavalleiro. Foi professor de desenho artístico da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, FAU/UFRJ. Entre as exposições de que participa, destacam-se: Salão Nacional de Belas Artes - Divisão Moderna, Rio de Janeiro, 1949; Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1951 e 1975; Salão Preto e Branco (3º Salão Nacional de Arte Moderna), Rio de Janeiro, 1954; Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP, São Paulo, 1976. Após sua morte, suas obras participam da seguintes exposições: Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal de São Paulo, 1994; Espelho da Bienal, no MAC/Niterói, 1998. Segundo TEIXEIRA LEITE "Ubi Bava pode ser considerado um precursor e um pioneiro de certo tipo de pintura que tem nos efeitos óticos e nos recursos cinéticos sua razão maior de ser. Introduzindo em suas superfícies espelhos, ao mesmo tempo introduz, no cerne mesmo de sua obra, a imagem refletida do espectador. Também fez uso de tubos de plástico e de movimentos mecanicamente produzidos, subordinando todos esses elementos a uma evidente vontade construtivista. Em certo momento de sua evolução, o que produzia tinha certo parentesco com o concretismo..." TEIXEIRA LEITE; ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 5 pág. 98; WALTER ZANINI, pág. 676; LEONOR AMARANTE; ARTE NO BRASIL, pág. 933.

408 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Paisagem de Teresópolis - ost - 54 x 65 - cid e d
Nascido em Manaus, pioneiro mundial da arte não-figurativa (a qual já praticava desde 1916), Santiago estudou no RJ com Visconti, e foi o principal responsável pelo Núcleo Bernardelli, no qual se formaram tantos dos melhores artistas do Modernismo carioca. Sua arte é um neo-impressionismo de belo colorido e opulentos efeitos de textura. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, pág. 241; TEODORO BRAGA, pág. 211/212; Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, MEC-MNBA / /Rio/1944; MAYER/84, pág. 1158; REIS JR., pág. 378; PONTUAL, pág. 473; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 292; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

409 - INIMÁ DE PAULA - (1918 - 1999)
LL Paisagem - g - 16 x 22 - cie - 1979
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 259 deste catálogo.

410 - PEDRO ALEXANDRINO - (1864 - 1942)
LL Natureza morta - ost - 91 x 112 - csd
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 26/04/11Pintor acadêmico, especializou-se em naturezas mortas; aluno de Almeida Junior, foi professor, entre outros, de Tarsila do Amaral, Anita Malfati e Aldo Bonadei. Segundo a festejada crítica e historiadora de arte, Ruth Sprung Tarasantchi, "Pedro Alexandrino (...) demonstrou ser o artista que, em sua época, a nossa sociedade demandava. Vinha suprir as necessidades dos colecionadores, pois seus quadros, de fácil leitura, satisfaziam os sentidos, não tendo que recorrer à cultura artística que não possuíam. Pintava com realismo objetos e frutas que faziam parte da vida ou das aspirações da sociedade paulistana; por isso, através de sua obra temos uma idéia do nosso meio no fim do século passado e até quase meados deste. Foi ele, mais do que qualquer outro pintor, que nos fez entrever o nosso meio provinciano, de pouca cultura, ao mesmo tempo que pretensioso, procurando afrancesar-se. " in: TARASANTCHI, Ruth Sprung. A vida silenciosa na pintura de Pedro Alexandrino. 1981. Dissertação (Mestrado) - Escola de Comunicações e Artes - ECA/USP, São Paulo, 1981; Artistas Brasileiros - Pedro Alexandrino -Ruth Sprung Tarasanth - Edição EDUSP ,1996; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1039; TEIXEIRA LEITE, pág. 391/2; MEC, vol. 1, pág. 46; ITAU CULTURAL, RUTH TARASANTCHI.

411 - CARLOS PAEZ VILARÓ - (1923)
LL Candomblé - dn - 31 x 40 - cid - 1959 - Bahia
Importante artista uruguaio, nascido em Montevideo, em 1/11/1923. Desde cedo envolveu-se com as artes gráficas, trabalhando na imprensa em Barracas e Avellaneda, em Buenos Aires. Com paixão desenfreada, o autor passou a dedicar-se inteiramente nos temas do Candomblé e da dança afro-oriental. Esses mesmos temas o motivaram a fazer uma longa viagem aos países onde a raça negra predomina, tais como Senegal, Liberia, Congo, etc, com uma produtiva passagem pelo Brasil. Conheceu Picasso, Dali, De Chirico e Calder em seus ateliês. Participou de diversas exposições e realizou muitos murais por onde andou, sempre com muito sucesso de público e crítica.

412 - CLAUDIO TOZZI - (1944)
LL " Papagalia " - ase - 60 x 40 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 262 deste catálogo.

413 - FRANCISCO REBOLO GONSALES - (1903 - 1980)
LL Nu - dl - 27 x 20 - cid - 1940
Com etiqueta da Retrospectiva Rebolo realizada no Museu de Arte Moderna de São Paulo em Abril de 1973, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 113 deste catálogo.

414 - TAMOTSU FUKUDA - (1913 - 1964)
LL Paisagem - ost - 38 x 46 - cid - 1963
Pintor, pertenceu ao grupo de artistas nipo-brasileiros que se formou em Lins-SP, que se formou nas décadas de 1940 a 1960, entre os quais estavam Manabu Mabe e Tikashi Fukushima.

415 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Mercado Árabe - ost - 60 x 45 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 070 deste catálogo.

416 - DIONISIO DEL SANTO - (1925 - 1999)
LL Animais - asp - 35 x 47 - cid - 1963
Reproduzido em Catálogo de Exposição do artista, realizada na Canvas/E-arte em Maio de 2010 - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 091 deste catálogo.

417 - PEDRO WEINGÄRTNER - (1856 - 1929)
LL Paisagem - grav. - 10 x 13 - cid - 1910
Ex-coleção Marcos Marcondes - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 117 deste catálogo.

418 - RUDOLF WEIGEL - (1939)
LL " Tarde de Sol " - osc - 14 x 19 - cid - Ouro Preto
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 066 deste catálogo.

419 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Figuras - tm - 50 x 65 - cid - 1979
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 129 deste catálogo.

420 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Mulata - ost - 73 x 60 - cie - 1968
- Reproduzido no convite, na capa do catálogo deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 26/04/11 - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 081 deste catálogo.

421 - VIRGÍLIO DIAS - (1956)
LL " Rua Francisco Muratóri " - ost - 54 x 73 - cid e d - 1991 - Sta Tereza/RJ
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 128 deste catálogo.

422 - YOSHIYA TAKAOKA - (1909 - 1978)
LL Marinha - ost - 31 x 41 - cid - 1939
Esta obra participou do Concurso de Marinhas organizado pela Sociedade Brasileira de Belas Artes - Rio de Janeiro em 1939, na qual Takaoka recebeu o 3º prêmio. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 018 deste catálogo.

423 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Madame vai as compras - dn - 23 x 18 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

424 - CARLOS PRADO - (1908 - 1992)
LL Brincando - osm - 42 x 34 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 046 deste catálogo.

425 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL -
Composto por duas gravuras: 1) " A sonhadora " medindo, 44 x 30 cm; 2) " Casal com ovelhas ", medindo 44 x 30 cm, não assinadas. -

426 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Jibóia - dn - 10 x 17 - cid - 1929
Ex coleção Ninoross Bastos Ribeiro - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 042 deste catálogo.

427 - AXEL LESKOSCHEK - (1889 - 1976)
LL Figuras - xilo. - 16 x 10 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 127 deste catálogo.

428 - ALEXANDRE RAPOPORT - (1929)
LL Figuras - ose - 50 x 35 - ci - 1972
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 078 deste catálogo.

429 - HOLMES NEVES - (1925 - 2008)
LL " Dunas de Cabo Frio " - ose - 30 x 42 - cie e d - 1981
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 265 deste catálogo.

430 - ÉLVIO BECHERONI - (1934 - 2000)
LL Jogo de Xadrez e Gamão - objeto - 56 x 56 - ass.
Confeccionado em madeira, com peças em bronze. -Escultor e pintor natural de Florença, Itália, onde nasceu a 23/2/1934, e falecido em São Paulo-SP, onde residia e foi ativo. Iniciou suas atividades em 1962, participando no decorrer de sua carreira de diversas e importantes exposições nacionais e internacionais, tais como o Prêmio Juan Miró, em Barcelona, Espanha. Artista que alcançou renome internacional, constando inclusive de catálogo internacional de arte. JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 32

431 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
LL Cidade - xilo. - 21 x 13 - cie - 1954
Com dedicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 132 deste catálogo.

432 - GUIMA - (1927 - 1993)
LL Marinha - ost - 16 x 22 - cie e d - 1972
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 131 deste catálogo.

433 - FERNANDO ODRIOZOLA - (1921 - 1986)
LL Peixe - grav. P.A. - 7 x 30 - cid - 1962
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 372 deste catálogo.

434 - GIUSEPPE ROSSI - (1820 - 1899)
LL Marinha - ost - 40 x 49 - cid
Pintor e cenógrafo nascido em Pérousse, Itália e falecido na mesma cidade. Foi aluno de S. Valeri e de Bassi. Notabilizou-se pintando paisagens e cenários para teatro. Sua obra ‘Vues du Vieux Pérousse’ encontra-se na Prefeitura de sua cidade. JULIO LOUZADA VOL. 1, PÁG. 842.

435 - IGNÁCIO DA NEGA (IGNÁCIO RAMOS DA SILVA) - (1945)
LL " A caipira da roça " - ost - 30 x 24 - cid e d - 2011
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 135 deste catálogo.

436 - ELMAR ROJAS - (1937)
LL " Personagens " - ost - 31 x 31 - cie e d - 1976
Elmar René Rojas nasceu na Guatemala. Arquiteto de formação, também estudou artes plásticas na Guatemala, Madri, Paris e Perugia - Itália. Foi fundador do grupo Vértebra junto com Marco Augusto Quiroa e Roberto Cabrera. Atualmente reside na Guatemala. Desde 1960, quando apresentou sua primeira individual até a atualidade, tem realizado muitas exposições individuais, participado de várias mostras coletivas, Salões oficiais e recebido diversos prêmios em seu país e no estrangeiro.. Possui obras em inúmeros museus do mundo. BENEZIT VOL.9, PÁG. 53; www.latinartmuseum.com; www.latinart.com; www.artintheamericas.com; www.virginiamiller.com; www.harrisgallery.com; artprice.com; artnet.com; www.artfacts.net; www.arcadja.com.

437 - EMANOEL ARAÚJO - (1940)
LL Pelourinho - xilo. - 43 x 31 - cid - 1964
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 137 deste catálogo.

438 - DAREL VALENÇA LINS - (1924)
LL Cidade - grav. - 9 x 13 - cid
Este importante pintor, gravador, desenhista e professor, conquistou em 1957, no SNAM, o prêmio de viagem ao estrangeiro, voltando a ser contemplado na VII Bienal de São Paulo, como o melhor desenhista nacional. Foi aluno de Henrique Oswald e recebeu aconselhamento técnico de Goeldi. MEC vol.3, pág. 18; PONTUAL, pág.160/161; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 715; ARTE NO BRASIL, pág. 839; LEONOR AMARANTE, pág. 125; Acervo FIEO.

439 - EDITH BLIN - (1891 - 1983)
LL Casal - osc - 48 x 34 - cie - 1979
Edith Jeanne Marie Madeleine Blin de Arruda Beltrão nasceu em Pontorson, França e faleceu no Rio de Janeiro. Foi atriz em Bruxelas, Bélgica, na década de 20. Foi casada com um diplomata brasileiro e, em 1935, fugindo do avanço do fascismo e do nazismo, aportou no Brasil em companhia de seus dois filhos mais novos e do aquarelista Georges Wambach que havia conhecido na Europa. Pintora autodidata realizou exposições no Rio de Janeiro (1943, 1945, 1946, 1969) e em Paris (1947). ITAU CULTURAL; PONTUAL PÁG. 78; MEC VOL. 1, PÁG. 245; www.edithblin.com.

440 - MACIEJ ANTONI BABINSKI - (1931)
LL Cidade - ser. 24/200 - 17 x 23 - cid - 1974
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 009 deste catálogo.

441 - DOMENICO LAZZARINI - (1920 - 1987)
LL Paisagem - ost - 10 x 12 - cid - 1985
Nasceu na cidade italiana de Viareggio, vindo a falecer na cidade do Rio de Janeiro. Em 1940, ainda na Itália, nas cidades de Lucca e Florença, realiza estudos com Rosai e Vedova. Já no Brasil, dá aulas de pintura na Escola de Belas Artes de Araraquara, São Paulo, em 1950. Em 1957, cria a Escola de Belas Artes de Ribeirão Preto e, em 1961, leciona no Museu de Arte do Rio de Janeiro. Em 1974, conquista o Prêmio Tetra d'Oro em Roma. Entre as exposições de que participa, destacam-se: Exposição de Lucca, Itália, 1946 a 1948; Bienal de Veneza, Itália, 1948; Jovens Pintores de Araraquara, no Museu de Arte Moderna de São Paulo, 1954; Salão Nacional de Arte Moderna (Isenção de Júri, 1959 e Prêmio Aquisição, 1962), Rio de Janeiro, 1958 a 1962; Bienal Internacional de São Paulo, 1959 e 1961; Galeria de Arte da Folha, São Paulo, 1959 e 1960; Domenico Lazzarini, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, 1963; 100 Obras Itaú, no Museu de Arte de São Paulo, 1985. BÉNÉZIT, vol. 6, pág. 499; JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 179; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 964; Acervo FIEO.

442 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL " Mercado " - ser. 1/200 - 35 x 50 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 088 deste catálogo.

443 - MILLAN HORVAT - (1946)
LL Figuras - ost - 80 x 70 - cid - 1976
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 143 deste catálogo.

444 - CALMON BARRETO - (1909)
LL Nu - ost - 40 x 30 - cie - Rio
Gravador, desenhista, escultor e professor mineiro, foi professor e posteriormente diretor da ENBA/RJ de 1950 a 1965. Prêmio de viagem ao estrangeiro em 1929 no Salão Nacional de Belas Artes. PONTUAL, pág. 54; MEC, vol. 1, pág. 183; JULIO LOUZADA, vol. 9, pág. 88.

445 - FABRICIO SILVA - (1986)
LL " Diário de Outono " - ost - 106 X 160 - cid e d - 2010
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 145 deste catálogo.

446 - B.J. TOBIAS - (1894 - 1976)
LL Velho - osm - 29 x 21 - cid
Participou do Salão Paulista de Belas Artes, tendo obtido os prêmios: Prefeitura de São Paulo, Valentim Amaral e I. Dinis, respectivamente em 1934, 1935, 1958, 1961 e 1962. MEC, vol.4, pág.404; THEODORO BRAGA, pág.230; JULIO LOUZADA, vol.4, pág.1098.

447 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL Vênus e pássaros - ser. P.A. 4/10 - 13 x 18 - cid - 1979
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 085 deste catálogo.

448 - ATHAYDE LOPES - (1934)
LL Paisagem - ostcm - 47 x 60 - cid - 1945
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 298 deste catálogo.

449 - ANTONIO MAIA - (1928 - 2008)
LL " Ex-voto " - ast - 40 x 40 - ci e d - 2006
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 299 deste catálogo.

450 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Caju - ser. - 30 x 30 - cid - 1963
Com dedicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 059 deste catálogo.