Leilão de Arte tableau - Abril de 2009

001 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Carambolas - lito. - 30 x 44 - cid - 1978
Desenhista, pintor e gravador. Viveu em São Paulo a partir de 1946, após rápida permanência no Rio de Janeiro (1945). Um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Participou da I à IV Bienal de São Paulo, premiado na Bienal de Veneza e MAM-RJ, 1951, 1953 e 1957, prêmio de melhor desenhista nacional. Dedicou-se a temas do nordeste (cangaceiros, rendeiras, retirantes), passando depois a retratar peixes, gatos, cabras, galos, flores e frutas do Brasil; sua obra caracteriza-se pelo traço múltiplo e variado. MEC, vol. 3, pág. 78, PONTUAL, págs. 342/343; ARTE NO BRASIL, vol 2, pág. 1051; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

002 - ALICE BRILL - (1920)
LL Paisagem - grav. 44/75 - 40 x 30 - cid - 1984
No Brasil desde os 14 anos, esta artista alemã, nascida em Colônia, radicou-se em São Paulo, onde estudou com Osir, Bonadei e Yolanda Mohalyi, aperfeiçoando-se com bolsa de estudos nos Estados Unidos. Estudou gravura em São Paulo com Karl-Heinz Hansen, voltando a fazê-lo com Potty Lazzarotto em 1950, no MASP.Como pintora, a primeira exposição de que participou, em 1944, foi o Salão do Sindicato dos Artistas Plásticos de São Paulo, desde então, este sempre presente em diversas coletivas nacionais e estrangeiras. Sua pintura traz a cidade em suas telas. JULIO LOUZADA, vol. 8, pág. 134; MEC, vol. 1, pág. 296; PONTUAL, pág. 90; TEIXEIRA LEITE, pág. 88; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; Acervo FIEO.

003 - CÍCERO DIAS - (1908 - 2003)
LL Repouso - ser. 87/200 - 65 x 51 - cie
Pintor e desenhista pernambucano; mesmo radicando-se por mais de 40 anos em Paris, Cícero Dias ainda assim permaneceu brasileiro, e mais nordestino. Em fins da década de 1920, foi ao lado de Ismael Nery um dos grandes vultos da vanguarda no Rio de Janeiro; mais tarde, já na Europa, aderiu ao não-figurativismo, como integrante do Grupo Espace. Tornou em anos recentes à figuração, mais uma vez evocando a terra natal. MEC, vol.2, pág.50; WALMIR AYALA, vol.1, págs.252 a 255; TEIXEIRA LEITE, págs. 157 a 159. PONTUAL, págs. 174/5; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 564; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 146; Acervo FIEO.

004 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Composição - col. - 16 x 12 - ci - ileg.

005 - FERNANDO MAGALHÃES VELLOSO - (1951)
LL Composição - ser. 113/164 - 30 x 60 - ci - 2002
Pintor, gravador, arquiteto, cenógrafo e professor nascido na cidade de Belo Horizonte, em 18 de maio de 1951. Importante artista mineiro, figura nas melhores coleções do País. Carlos Scliar acompanhava seu trabalho, e testemunhava certo de estar diante de um dos valores mais gratificantes de nossa pintura. Rica e elucidativa, é a biografia e comentários traçados na bibliografia indicada abaixo sobre este artista. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 905

006 - DECIO FERREIRA - (1932 - 2008)
LL " Barqueiro " - tm - 50 x 40 - cid - 2006
Pintor, gravador e desenhista nascido em São Paulo, Capital. Formou-se no Liceu de Artes e Ofícios desta cidade e, mais tarde, frequentou o curso de desenho livre no MAM-SP. Aperfeiçoou-se em pintura com Alexandre Barrenechea e em gravura com Lívio Abramo. Expôs regularmente no SPAM-SP de 1959 a 1963, obtendo diversas e importantes premiações. Participou da V Bienal de SP; expôs em diversas coletivas e individuais, no País e no exterior. Trabalhou também como chargista da Revista Visão e em vários jornais de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol 1 - pág 379. Acervo FIEO. -

007 - ALFREDO RULLO RIZZOTTI - (1909 - 1972)
LL Senhora - dc - 37 x 27 - cie
Reproduzido sob o n.° 272 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. -Pintor, nascido em São Paulo. Foi um dos integrantes do Grupo Santa Helena, fundado por Rebolo em 1935. Participou do I Salão Baiano de Belas Artes, Salvador / 1949. Referências a seu respeito, em 40 anos, Grupo Santa Helena (março de 1975) publicado pelo Paço das Artes - Museu da Imagem e do Som / SP. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 827 e vol. 4, pág. 948; MEC, vol. 4, pág. 82; TEIXEIRA LEITE, pág. 446.

008 - EDMOND ROSTAN - (1898 - 1978)
LL Rosas - ost - 50 x 62 - cid
JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 843.

009 - GERDA BRENTANI - (1906 - 1999)
LL Papagaio - grav. - 20 x 14 - cid
Nasceu em Triestre, Itália, no dia 27 de fevereiro de 1908. Desenhista e gravadora. No Brasil desde 1939, fixou residência em São Paulo, Capital. Iniciou estudos com Ernesto de Fiori e Rossi Osir, por volta de 1940. De traço humoristico, a artista destacou-se no cenário artístico/crítico nacional, cuja obra tem participado em mostras nacionais e internacionais, com sucesso de crítica. JULIO LOUZADA vol.1, pág.153; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 630; Acervo FIEO.

010 - INGRES SPELTRI - (1940)
LL Vaso com flores - asm - 120 x 30 - cid e d
Nasceu em Jau, São Paulo, em 20/01/1940. Pintor, desenhista, escultor, gravador e professor. Apresentando uma pintura de fases bem demarcadas, onde as possibilidades plásticas do cubismo, do construtivismo e do concretismo foram exploradas com paixão e rigor de pesquisa, o autor tem percorrido um rico itinerário em sua incessante buscar de universo expressivo e de uma linguagem pictórica definitiva. O autor é professor titular da Escola Panamericana de Arte, SP. JULIO LOUZADA, vol 1, pág 937; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

011 - ERMES DI BERNARDI - (1934)
LL Paisagem - ose - 22 x 31 - cid - 1978
Com etiqueta de Dan Galeria - São Paulo, no dorso. -Pintor contemporâneo radicado em São Paulo, Capital, onde teve participação significativa no SPBA, conquistando com êxito a Medalha de Bronze. MEC, vol. 1, pág. 221; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 115; ITAU CULTURAL

012 - BASSANO VACCARINI - (1914 - 2002)
LL Cavalo - dn - 26 x 17 - cie
Escultor, pintor, professor, cenógrafo, figurinista e cineasta nasceu em San Colombano al Lambro, Itália e morreu em Altinópolis, SP. Sua formação artística foi na Itália: em Milão (Liceu Artístico e Academia de Belas Artes de Brera) e em Monza (Escola de Artes Aplicadas) onde foi aluno de Marino Marini. Nesse período, liga-se ao grupo da revista Corrente, integrado por Renato Guttuso, Bruno Cassinari e Ennio Morlotti. Em 1943 especializa-se em escultura na Escola de Arte de Genebra, Suíça. Em 1946 passa a residir em São Paulo, SP e atua como cenógrafo, figurinista e diretor técnico do Teatro Brasileiro de Comédia, da Cia. de Teatro Bela Vista e da Cia. de teatro Silveira Sampaio. De 1951 a 1955 foi professor da FAU-USP. Integra com Bonadei, Bruno Giorgi, Lothar Charoux e Frans Krajcberg o grupo ODA Oficina de Arte. Em 1956, muda-se para Ribeirão Preto, SP onde participa da fundação da Escola de Artes Plásticas. Na década de 1960, leciona na Faculdade de Artes Plásticas da Universidade da Associação de Ribeirão Preto, na qual é co-fundador do Centro Experimental de Cinema, e cria o Atelier 1104. Individuais: Itália (1932); São Paulo, SP (1948,1953,1968,1978); Altinópolis,SP (1980); Ribeirão Preto,SP (1980); Londrina,PR (1981); Brasília,DF (1982). Coletivas: Itália (1930 a 1938, 1942 – Bienal de Veneza, 1974); Rio de Janeiro, RJ (1946); São Paulo, SP (1946,1947,1949,1951 – 1ª Bienal, 1953 – 2ª Bienal, 1955 – 3ª Bienal Internacional,1964,1966,1967,1982,1984); Tóquio, Japão (1981) e outras. Prêmios: Itália (1933); São Paulo,SP (1947,1966); Espanha (1948); Piracicaba,SP(1962), Araraquara,SP (1963),Campinas,SP(1965); Ribeirão Preto, SP (1978). JULIO LOUZADA, vol.4, pág.1123; ITAU CULTURAL.

013 - GINO BRUNO - (1889 - 1977)
LL Infância - ost - 65 x 50 - cid
Nascido e falecido em São Paulo, este pintor foi especialista em figuras, interiores e naturezas-mortas. TEODORO BRAGA, pág. 108; MEC, vol. 1, pág. 299; PONTUAL, pág. 92; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 135; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 623; Acervo FIEO.

014 - JOSÉ ROBERTO AGUILAR - (1941)
LL Igreja - xilo.a - 37 x 25 - cid
Surgiu em 1963, quando expôs na VII Bienal de São Paulo. Autodidata. Participou de diversas e importantes exposições coletivas, ligado ao figurativismo expressionista e à pop-art. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág, 34. PONTUAL, pág, 6. MEC , vol 1, pág,40; TEIXEIRA LEITE, pág. 14; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág 734; ARTE NO BRASIL, pág 975; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.

015 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Peixe - m em ac - h = 8 - n/as.
Artista cinético, pintor, desenhista, natural de Natal, RN. Em 1932, muda-se com a família para a região onde, atualmente, se localiza o Estado de Israel. Inicia seus estudos de arte no ateliê do pintor Haaron Avni e do escultor Sternshus e estuda estética com Shor. Freqüenta o Instituto Municipal de Arte de Tel Aviv. Retorna ao Brasil em 1948, e se instala no Rio de Janeiro. Convive com os artistas Ivan Serpa, Renina Katz e Almir Mavignier. Em 1954, integra o Grupo Frente, ao lado de Ivan Serpa, Ferreira Gullar, Mário Pedrosa, Franz Weissmann, Lygia Clark e outros. Desenvolve a partir de 1964 os Objetos Cinéticos, um desdobramento dos cinecromáticos, mostrando o mecanismo interno de funcionamento e suprimindo a projeção de luz. O rigor matemático é uma constante em sua obra, atuando como importante recurso de ordenação do espaço. É considerado internacionalmente um dos pioneiros da arte cinética. ITAUCULTURAL

016 - JOSÉ ROBERTO LEONEL BARRETO - (1942)
LL " Mulher azul " - asp - 74 x 46 - cid - 1983/1984
Desenhista, gravador, pintor, artesão, artista intermídia, teórico em arte, professor, natural de Capão Bonito, SP. Assina Barreto. Estuda pintura com o artista colombiano Rodrigo Barrientos, em 1963. Em 1967, artesanato em couro com Lincoln Lacroix. Entre 1968 e 1974, viaja pela Europa. Em Madri, torna-se assistente de Julio Espinoso, praticando pinturas murais. De 1975 a 1983, reside nos Estados Unidos, forma-se em belas artes pela The School of Visual Arts de Nova York e leciona desenho na Igreja Ecumênica Riverside Church. De volta ao país, fixa residência em São Paulo e atua como professor e teórico em arte em várias instituições. Individuais: São Paulo (1966, 1967, 1985 a 1987, 1990, 1995 2007); Espanha (1972, 1974); Inglaterra (1979); EUA (1979, 1980, 1982); São Carlos, SP (1984); Itapetininga, SP (1986). Coletivas: Juiz de Fora, MG (1967); EUA (1975,1981,1982,1986,1989,1990, 1994); São Paulo, SP (1976,1983 a 1986,1988 a 1990, 1993,1994, 1995, 1998, 2004, 2005 a 2008); Inglaterra (1979 a 1981,1997); San Juan, Porto Rico (1981); Santo Domingo, República Dominicana (1982); Venezuela (1982); Santo André, SP (1984,1999); São Carlos,SP (1984); Japão (1985); Taiwan (1986); Brasília, DF (1987); Espanha (1989, 1998,2001,2007,2008); Portugal (1991,1997); Suíça (1999), Finlândia (2000) e outras. ITAU CULTURAL. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág.

017 - ALEX DOS SANTOS - (1980)
LL " Santos " - ose - 40 x 30 - cie - 2008
Alex Benedito dos Santos nasceu em Jaboticabal, SP, no dia 13 de fevereiro de 1980. Pintor autodidata, fez cursos de escultura com o prof. Silvio Scarpa e xilogravura com o prof. Saulo. Participou de "workshops" com o pintor Sigbert Franklin, em 2001. Tem participado regularmente dos diversos Salões Oficiais nas cidades do interior do Estado, destacando-se: I e II Bienal de Artes e Cultura de Jaboticabal, em 1999 e 2001, Salão de Artes Plásticas de Brodósqui, em 2003, quando foi selecionado para o Mapa Cultural Paulista, Salão de Artes Plásticas de Araraquara, em 2003, Salão de Artes Plásticas de Guarulhos, onde obteve Menção Honrosa, em 2004, Salão de Artes Plásticas de Santos, em 2004, Salão de Artes de Piracicaba, em 2005, Salão de Artes Plásticas de Sales de Oliveira, em 2005, onde obteve Menção Honrosa, Salão de Artes Plásticas de Catanduva, obtendo Menção Honrosa, em 2006. Foi premiado com o 1º lugar nos Salões de Artes de Mococa, em 2003, Sales de Oliveira, em 2003, Araraquara, em 2004 e Piracicaba, em 2006. Expõe individualmente desde 2004. Acervo FIEO. -

018 - JUÇARA COSTA - (1952)
LL Composição - tm - 40 x 50 - cid e d - 1994
Pintora, ilustradora, figurinista e cenógrafa, natural de Belo Horizonte, MG. Estudou desenho na Universidade de Commack, Nova York. Individuais: Belo Horizonte, MG (1977,1982,1990,1993); Houston, EUA (1982). Coletivas: Belo Horizonte, MG (1972,1979,1982,1985); Montes Claros, MG (1985); Sergipe (1988); Ipatinga,MG (1989); Recife, PE (1989); Roma, Itália (1990); Governador Valadares, MG (1991); Brasília, DF (1991). Prêmios: Montes Claros, MG (1985); Governador Valadares, MG (1991); Brasília, DF (1991). http://www.comartevirtual.com.br/jucaraco

019 - JURANDI ASSIS - (1939)
LL Baiana - ost - 22 x 12 - csd e d
Pintor e desenhista. Autodidata. Nascido em Santa Maria da Vitória, BA, em 28 de março, transfere residência para São Paulo em 1956, em busca de conhecimento para a sua arte. Foi aluno de Oscar Costa. Sobre sua obras, assim manifestou-se o grande artista F. Rebolo Gonsales: " Jurandi Assis iniciou-se na arte como acadêmico, mas jovem e com talento, voltou-se para a pintura moderna. Suas composições com fundos abstratos, geometrizados e figuras no primeiro plano (...) representam a procura temática do folclore, especialmente da Bahia, de onde veio..." JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 22.

020 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Figura - e em mad. - h = 70 - as. - J.V.S.

021 - MILLAN HORVAT - (1946)
LL Casario - ost - 90 x 70 - cie - 1990
Pintor iuguslavo, natural de Novi Sad, onde nasceu a 26 de maio de 1946. Residente e ativo em São Paulo, cuja obra foi assim apresentada por Pietro Maria Bardi: " ... sua arte pode ser inscrita na categoria que Ortega y Gasset reservava aos artífices que comunicam e são entendidos pelos apreciadores do figurativo. Pintura rica em percepções que transparecem num conceber geométrico, pacatas colorações justamente apropriadas às composições. As paisagens reconstroem idealmente as arquiteturas, harmonizando-as e as exaltando em sigulares sínteses formais." JULIO LOUZADA, vol. 12 pág. 275, Acervo FIEO.

022 - EMANOEL ARAÚJO - (1940)
LL Menino com cata-ventos - xilo. - 53 x 35 - cid - 1964
Gravador e escultor, o baiano Emanuel Araújo estudou com Henrique Oswald e expõe individualmente desde 1960, já tendo mostrado sua obra em inúmeras cidades do Brasil, Europa, Estados Unidos e Extremo Oriente. Foi Diretor da PINACOTECA do Estado de São Paulo, cujo cargo exerceu com extrema competência. TEIXEIRA LEITE, pág. 190; MEC, vol. 2, pág. 143; PONTUAL, pág. 37; JULIO LOUZADA, vol 1, págs. 68/69 e vol. 11, pág. 18; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 846; WALTER ZANINI, pág. 770; Acervo FIEO.

023 - ISABEL DE JESUS - (1938)
LL Pássaro - g - 15 x 21 - cid - 1976
Mineira de Cabo Verde, é pintora e desenhista. Começou a pintar em 1965, já em São Paulo. Estudou anteriormente desenho com Iracema Arditi. Participou do setor de desenho do XXIII SPar.BA, 1966, realizando exposições individuais no mesmo ano em São Paulo e Rio. MEC, vol.2, pág.374; PONTUAL, pág.280; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.158; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 226; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

024 - SILVIA DE LEON CHALREO - (1905 - 1991)
LL Crianças - g - 23 x 10 - cid
Esta importante pintora, crítica de arte, escritora, tradutora e jornalista, nasceu na cidade do Rio de Janeiro. Autodidata, pinta o gênero figurativo primitivo, expondo pela primeira vez em 1941, na Divisão Moderna do SNBA. Possui extenso curriculum de exposições e premiações no País e no exterior. Segundo o crítico Teixeira Leite, "(...) Sua pintura, de caráter primitivista, representa as praias repletas de diminutas figurinhas, o morro carioca, os barracos na favela e os folguedos infantis, numa técnica rudimentar, mas com bom colorido, vívido movimento e inegável atmostera poética." . JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 921; ITAU CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 482.

025 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 8 x 18 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. -Monstro sagrado da pintura brasileira, Tarsila é a criadora de duas das principais tendências ou movimentos de nossa arte nacionalista: o Pau Brasil (1924) e o Antropofagia. Sua arte poderia ser definida como um Cubismo adaptado às condições e ao temperamento brasileiros. TEODORO BRAGA, págs. 220/21/22/23; REIS JR.-págs.388/89 ; WALMIR AYALA, vol. 2-págs. 365 e 367 ; MEC, vol. 4-págs. 370/71; PONTUAL, pág. 511; TEIXEIRA LEITE, pág. 492; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 389; ARTE NO BRASIL, pág. 577; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

026 - TOMIE OHTAKE - (1913)
LL Composição - ser. 290/350 - 97 x 65 - cid
No estado. -Importantíssima pintora, nascida em Kyoto, Japão, e radicada no Brasil desde 1936, País que adotou inclusive a cidadania. Iniciou-se artisticamente a partir de 1950, com o pintor japonês visitante Keiya Sugano. Ligou-se ao Grupo Seibi, em cujos salões obteve diversas premiações. Participou ainda por várias vezes, com premiações, do SPAM e do SNAM. MEC, vol. 3, pág. 323; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 791; BENEZIT, vol. 7, pág. 791; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 140/141; PONTUAL, pág. 390; ART PRICE ANNUAL 1990, pág. 1464; TEIXEIRA LEITE, pág. 362/3/4; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 939; LEONOR AMARANTE, pág. 170; WALTER ZANINI, pág. 693; Acervo FIEO.

027 - BENEDITO CALIXTO DE JESUS - (1853 - 1927)
LL " Estudo " - dc - 40 x 27 - cie
Pintor paulista, depois de apresentar seus trabalhos em São Paulo, no ano de 1881, fixou-se por algum tempo em Santos. Tendo executado a decoração do Teatro Guarani, partiu para Paris em 1883, estudando na Academia Julian; retornou ao Brasil em 1885 e passou a residir em São Vicente, cuja paisagem fixou em diversos quadros. Existem obras suas nos acervos de diversos museus brasileiros. TEODORO BRAGA, pág.51; REIS JR, pág. 214; LAUDELINO FREIRE, pág. 387; PONTUAL, pág.68/69; MEC, vol.1, págs.326/327; WALMIR AYALA, vol.1, pág.153; MAYER/83, pág,601; TEIXEIRA LEITE, pág. 97; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 505; ARTE NO BRASIL, pág. 599.

028 - FIGUEIREDO SOBRAL - (1926)
LL Composição - tm - 33 x 48 - cid
José Maria de FIGUEIREDO SOBRAL nasceu em Lisboa, Portugal. é pintor, desenhista, tapeceiro, gravador, escultor e cineasta. Expôs suas obras em coletivas periódicas em Portugal, em outros países europeus e nos EUA. No Brasil, sua obra teve excelente receptividade, encontrando espaço em galerias das capitais e no interior, sempre com sucesso de crítica e de público. Em 1987, o consultor de arte e professor universitário, Carlos Eduardo Ramiski, assim se pronunciou sobre a obra do autor: "... Em princípio posso afirmar que é extremamente raro nestes dias de especializações em todas as áreas do conhecimento humano, encontrar um artista completo, que tem o privilégio de poucos no domínio de inúmeras técnicas e linguagens diferenciadas. Sobral não se endeusa nem se mistifica por isso, quando poderia perfeitamente permanecer no rastro de um Salvador Dali, por exemplo ..." JULIO LOUZADA, vol. 3 pág. 1075.; ITAÚ CULTURAL.

029 - GUILHERME DE FARIA - (1942)
LL Nu - tm - 71 x 50 - cse - 1973
Pintor, gravador e desenhista paulistano. Expõe individualmente desde 1963, tendo participado de diversas coletivas no Brasil e no exterior. MEC vol.2, pág. 142; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

030 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Flores - t - 116 x 66 - n/as.

031 - ODETTO GUERSONI - (1924 - 2007)
LL " Justaposição 26 " - ser. 1/10 - 90 x 60 - cid - 1986
Nasceu em Jaboticabal-SP, e faleceu na cidade de São Paulo, onde residia e era ativo. Gravador, pintor, desenhista, ilustrador e escultor. Estudou pintura e artes decorativas no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo - Laosp, entre 1941 e 1945. Nesse período, expôs no Sindicato dos Artistas Plásticos e freqüentava o círculo de artistas do Grupo Santa Helena. Em 1947, participa da exposição 19 Pintores, na Galeria Prestes Maia, e é contemplado com uma bolsa de estudo pelo governo francês, no mesmo ano viaja para Paris, onde inicia trabalhos em gravura. Em 1951 fundou a Oficina de Arte, em São Paulo. Estudou gravura com René Cottet, em Genebra e, em Paris, trabalhou no ateliê de Stanley Hayter. A partir de 1960, freqüenta, como estagiário, algumas escolas de arte nos Estados Unidos e no Japão como a The New York School of Printing e a Osaka University, respectivamente. Em 1971, também no Japão, freqüentou o ateliê de I. Jokuriti. Dois anos mais tarde, foi eleito melhor gravador do ano pela Associação Paulista de Críticos de Arte - APCA. Em 1983, participou, com sala especial, da Bienal Ibero-Americana de Montevidéu. Em 1994, a Pinacoteca do Estado de São Paulo realizou uma retrospectiva da obra do artista; , mostra que voltou a acontecer em 2007 sobre a sua obra gráfica, na Estação Pinacoteca-SP, no mesmo ano da morte do autor, que ainda a assistiu em vida. JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 452; MEC, vol,2, pág, 303; TEIXEIRA LEITE, pág,236; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 645; ARTE NO BRASIL, pág. 803; LEONOR AMARANTE, pág. 146, Acervo FIEO.

032 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
LL Cavalos - lito. 36/50 - 35 x 50 - cie - 1979
Paulista de Araraquara, Lívio foi exímio gravador, desenhista, pintor, jornalista e professor. Autodidata, executou suas primeiras gravuras em madeira por volta de 1926. Sofreu influência de Lasar Segall, focalizando desde então de modo expressionista tipos e paisagens dos subúrbios paulistanos, inclusive temas de caráter social, como indicou Sérgio Milliet em sua obra de 1940. O autor, certa feita, assim falou de si próprio: "Geralmente persisto em um mesmo motivo por longo tempo: trabalho-o até que me pareça haver esgotado todas as possibilidades que ele oferece. Jamais pensei em fazer 'paisagens'. O que procuro é interpretar o sentido e a problemática da natureza de uma terra, a força dos sentimentos que ela provoca em mim, e assim, quanto mais de acordo com a minha própria natureza, tanto mais imediata surge a interpretaçãop plástica, como sucedeu, por exemplo, com meu 'encontro' com as 'arquiteturas' da realidade íntima da terra paraguaia. PONTUAL, pág. 1, JULIO LOUZADA vol. 3, pág. 19; MEC vol.1, pág. 33; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 795; LEONOR AMARANTE, pág. 28; Acervo FIEO.

033 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Pássaro - a - 17 x 9 - cid ileg. - Paris

034 - TRINAZ FOX (RUBENS FERREIRA TRINAZ FOX) - (1899 - 1964)
LL Carro de bois - dn e a - 32 x 50 - cid
Pintor, desenhista e caricaturista. Viveu durante muitos anos na Europa. De volta ao Brasil, colaborou em diversas revistas e jornais cariocas na década de 1920, inclusive como redator, destacando-se: D. Quixote, O Tagarela e O Combate. entre 1930 e 1940 fixou-se na Argentina, publicando trabalhos na imprensa de Buenos Aires e Santa Fé. PONTUAL, pág. 526; MEC vol.2, pág. 188; HISTORIA DA CARICATURA NO BRASIL, pág. 1421;

035 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Paisagem - aspce - 30 x 73 - cid - 2001
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista.- - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

036 - GEZA HELLER - (1902 - 1992)
LL Circo - dch - 28 x 38 - cid
Natural da cidade húngara de Kecskemer, e falecido no Rio de Janeiro, em 20/3/1992, cidade onde fixou residência. Pintor, desenhista, ilustrador, gravador e arquiteto. Integrou o grupo de sete artistas que em torno de Guignard desenvolvem uma visão introspectiva da natureza. Entre eles Iberê Camargo, Milton Risuro, e outros. Foi premiado com o 1º lugar no concurso de priojetos para a remodelação do Jockey Club de São Paulo. Participou, com premiações, de diversos salões oficiais. TEIXEIRA LEITE, pág. 244; JULIO LOUZADA vol 13 pág. 165; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 598.

037 - HARRY ELSAS - (1925 - 1994)
LL Flautista - ostcm - 46 x 37 - cid
Nascido na Alemanha e radicado no Brasil desde 1936, Elsas desenvolveu suas aptidões artísticas com Lasar Segall, que muito o incentivou a ingressar na carreira das artes. Permaneceu no Nordeste brasileiro por oito anos, retratando com maestria e singularidade paisagens e aspectos da vida local, sempre com influência renascentista, com cor e desenhos fortíssimos. Participou de coletivas no Brasil e no exterior a partir de 1962, com excelente repercussão. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 99. MEC, vol, 2, pág, 111; TEIXEIRA LEITE, pág 176; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

038 - LYRIA PALOMBINI - (1939)
LL Composição - tm - 18 x 11 - cie
Mineira, é desenhista, gravadora e entalhadora. Iniciou seus estudos artísticos no Instituto de Belas Artes do Rio de Janeiro, sob a orientação de Deveza, Teruz e Aurélio D´Alincourt. Aperfeiçoou-se em xilo, ainda no Rio, com Maria de Lourdes Mader Pereira, Vitor Gerhard e José de Lima, cujos trabalhos tiveram grande sucesso nas exposições, levando Walmir Ayala fazer a seguinte observação sobre a artista: " Liria Palombini é a mais nova revelação de gravadora no Rio de Janeiro. Em seu trabalho define-se uma artista que sobrepõe à sensibilidade, sem descuidar-se dela, a inteligência." (1974). Participou de inúmeras coletivas e realizou diversas individuais. JULIO LOUZADA vol.1, pág. 709.

039 - HILDA CAMPOFIORITO - (1901 - 1997)
LL Composição - tm - 11 x 8 - cie
Nascida HILDA Helena Eisenlohr CAMPOFIORITO, em 3/8/1901, na cidade do Rio de Janeiro. Pintora, ceramista, tapeceira e artesã de jóias e de batik, ingressou na antiga Escola Nacional de Belas Artes, em 1923, como aluna livre, ali permanecendo até 1929. Na companhia de seu marido, o pintor, professor e crítico de arte, Quirino Campofiorito, viajou mais tarde para a Europa, realizando cursos de aperfeiçoamento em PAris e Roma. Expôs por alguns anos no SNBA, Divisão Moderna, no Rio de Janeiro, obtendo premiações. JULIO LOUZADA, 12 pág. 82; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 602.

040 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Cavaleiro e pássaros - ost - 25 x 30 - cid
Português de Braga, viveu em São Paulo e Minas Gerais, radicando-se definitivamente em Goiânia, desde 1967. O sobrenome artístico Poteiro vem das obras em barro e cerâmica que trabalhou por mais de 12 anos, até se transformar no pintor original e vigoroso de hoje. Amigo de Siron Franco, seu grande incentivador na pintura. WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 217; TEIXEIRA LEITE, págs 31 e 32; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 808; LEONOR AMARANTE, pág. 294, Acervo FIEO.

041 - CARMÉLIO CRUZ - (1924)
LL Composição - osp - 107 x 74 - cid - 2003
Participou da Exposição 450 anos São Paulo realizada na Bienal. -Natural de Canindé, CE. Pintor e desenhista iniciou suas atividades artísticas em sua terra natal. De 1947 a 1950 lecionou desenho no Rio, na Associação Brasileira de Desenho. Fixou-se em São Paulo a partir de então, participando de diversas Bienais até 1967 e nos SNAM, de 1959 a 1963, recebendo diversas premiações. Expôs individualmente em diversas cidades do País. Sobre sua obra, assim se referiu Theon Spanudis (1965): "Partindo de algumas experiências plásticas de Paul Klee, desenvolveu nos últimos anos uma pintura sui-generis, que se caracteriza pelo feliz casamento de dois elementos diferentes, senão opostos (...) Um elemento rítmico, linear que invade a tela e a subdivide em segmentos rítmicos, e um elemento cromático, difuso", encontrando nas suas obras "evocações poéticas de muros antigos, muros abandonados, muros com musgo, e a melancolia de cidadezinhas do interior (...) com seus humildes casebres ritmicamente seriados." MEC, vol. 1, pág. 498; PONTUAL, pág. 152; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 224/226; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

042 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Ex - voto - e em mad. - h = 19 - n/as.

043 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Estudo - dl - 50 x 37 - cid
Cognominado enquanto viveu de o Patriarca da Pintura Moderna Brasileira, Di Cavalcanti foi o inspirador da Semana de 1922. Sua pintura é gorda, sensual, lasciva mesma, cheirando a carnaval, sexo e povo. REIS JR., págs. 378/379; TEODORO BRAGA, pág. 82; MEC, vol. 2, págs. 53 e 54; PONTUAL, págs. 176 a 178; WALMIR AYALA, vol. 1, págs. 256 e 257; ART SALES, vol.1, pág. 207; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 446; LEONOR AMARANTE, pág. 12, Acervo FIEO.

044 - CARLOS SÖRENSEN - (1928 - 2008)
LL " Maças " - ost - 67 x 53 - cie e d - 2000
Paulista de Baurú, Sorensen fez importantes estudos em Paris, onde a convite do governo francês, freqüenta o ateliê de André Lhote, onde conhece Picasso, Roonet e Fernand Léger e no ano seguinte freqüenta a Escola Superior de Belas Artes-Paris, estudando com Gleizes e André Lhote(1952-1953). Foi artista de múltiplas atividades, ceramista, tapeceiro, cenógrafo, ilustrador, arquiteto, designer e pintor, com sucesso de crítica e de público. Citado em Delta Larouse/1970, pág. 6406; MEC vol.4, pág. 309; PONTUAL, pág. 500, WALMIR AYALA vol.2, pág.347; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 306; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

045 - EMANOEL ARAÚJO - (1940)
LL Composição - e em f - h = 36 - b
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

046 - HEINZ BUDWEG - (1940)
LL Ouro Preto - ost - 80 x 80 - cid - 2007
Pintor, desenhista, artista gráfico, ilustrador, cenógrafo e figurinista de teatro. Imigra para o Brasil em 1953, fixando-se em São Paulo. Nesta cidade, atua como ilustrador e artista gráfico, além de trabalhar como cenógrafo e figurinista. Em 1958, realiza sua primeira mostra Individual, no Colégio Visconde de Porto Seguro. Na década de 70, recebe o Prêmio Jabuti de Literatura Infantil pelas ilustrações dos doze primeiros volumes da série Lendas Brasileiras. Viaja várias vezes para a Amazônia, Alto Xingu e Ilha de Marajó, onde realiza desenhos retratando a paisagem natural, a população e os indígenas locais, além de reportagens e pesquisas sobre o folclore brasileiro registrados em Super 8. Sete anos depois, realiza as imagens que acompanham a apresentação da obra Xingu Simphonie, de Celia Ricci e Edson Leite, em São Paulo. ITAÚ CULTURAL.

047 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " Tiradentes " - cas. s/t - 44 x 26 - cid e d - 1970
Estudou desenho na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro com Modesto Brocos, formando-se em arquitetura em 1932, nessa mesma escola. A partir de 1935, dedicou-se à pintura mural e, de 1937, à pintura de temas sociais, com predominância de motivos de operários em construção e trabalhadores rurais. Caracteriza-se por uma grande versatilidade técnica, sendo dos raros pintores brasileiros a utilizar, lado a lado, o óleo, a têmpera e a encáustica, além da aquarela e do guache. Participou do Núcleo Bernardelli. PONTUAL, pág. 489; MEC, vol. 4, pág. 243; TEIXEIRA LEITE, pág. 475 e 476; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 324 a 327; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 579; ARTE NO BRASIL, pág. 763, Acervo FIEO.

048 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Composição - g - 21 x 14 - cid
Pintor e desenhista austríaco, natural de Viena, transferiu-se para o Brasil em 1928, fixando residência em São Paulo, Estudou no Liceu de Artes e Ofícios da cidade, onde conheceu Valdemar da Costa, com ele fazendo aprendizado de pintura a partir de 1940. Artista estável, sua evolução não sofreu sobressaltos, uma vez formado numa linguagem linear de sensibilidade pessoal, despojada e exigente, rigorosamente artesanal. PONTUAL, pág. 131; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI pág. 645; ARTE NO BRASIL, pág. 798; Acervo FIEO.

049 - GEJO - (XX)
LL Tatu e jacaré - grafite - 50 x 80 - cie - 2008
Grafiteiro de São Paulo. Iniciou nas ruas em 1989, com pixos , grapixos e frases de protesto. Nesta época também começava a se identificar com a cultura hip-hop, que desde 86 já começava se interessar, com o passar do tempo absorveu outras formas de intervenção dentro da ''Street Art'', como stencil, lambe-lambe, stickers, nos mais variados suportes, como carros abandonados muros, casas, sucata, poste, tela e tudo que a tinta se adere.

050 - JOAQUIM TENREIRO - (1906 - 1992)
LL Frizado - e em mad.pol. - 36 x 36 - d - 1976
Reproduzido sob o nº 143 em catálogo de Aloisio Cravo ARte e Leilões - São Paulo. -Português da cidade de Melo, Serra da Estrela, foi discípulo do Núcleo Bernardelli e de Quirino Campofiorito, no Rio de Janeiro-RJ. Fixou residência definitiva no Brasil no ano de 1929. Fez o Curso de Desenho do Liceu Português, onde conquista o prêmio Joaquim Alves Meira, a maior láurea daquele estabelecimento. Tem pinturas suas figurando no MAM-SP, no MNBA e Museu Manchete-RJ. Mário Barata escreve a seu respeito: " Depois de uma fatura limpa, de acabamento preciso e claro, Tenreiro, mesmo prosseguindo com certo rigor estilistico, cedeu, ultimamente, 'a tentação das densidades de matéria e ao cromatismo baixo, 'as vezes terroso, cinza, que o informal bastante generalizou." É o renovador do mobiliário brasileiro, responsável por toda uma linha de criação em que a funcionalidade se alia o bom gosto e o aproveitamento racional dos materais do País. MEC, vol.4, págs.381 E 382; PONTUAL, pág.520,; TEIXEIRA LEITE, pág.504; WALMIR AYALA, vol.2, pág.376 e 377 ; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.320; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 580; ARTE NO BRASIL, pág. 763.

051 - ROBERTO MAGALHÃES - (1940)
LL Figura - ser. 41/200 - 64 x 50 - cid - 1992
Gravador e desenhista, praticamente autodidata, fez rápidos estudos na antiga ENBA, no Rio de Janeiro, sua cidade natal, onde é ativo. Desde 1963 participa de coletivas e salões, tendo recebido diversas premiações. É desenhista festejado pela crítica especializada. PONTUAL, pág. 328; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 966; LEONOR AMARANTE, pág. 143. Acervo FIEO.

052 - MICK CARNICELLI - (1893 - 1967)
LL " La Chiesa Della Salute - Veneza " - ost - 55 x 46 - cse - 1956
Pintor ativo em São Paulo. Participou da coletiva 50 Anos de Paisagem Brasileira, São Paulo (1956), representado por obras em coleções paulistas; Paisagem Urbana, na Biblioteca Municipal de São Paulo;Santo André (1951), coleção João Amoroso Neto; e Coração de Jesus, coleção Lourdes Milliet. Participou, também, da I Bienal de São Paulo(1951) com as obras: Pátio de Manobras da Sorocabana e Subúrbio. MEC ,vol. 1, pág.359; JULIO LOUZADA, vol. 10 , pág. 595; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 630. Acervo FIEO.

053 - MARTINS DE PORANGABA - (1944)
LL Composição - ost - 27 x 41 - cid - 1985
O crítico de arte José Neisten declarou a respeito do artista, em Washington: " O que define o significado de suas telas é a sintaxe: portanto, uma semântica pessoal, tal como evolui na dinâmica de composição, em seu complexo contraponto, e no uso da cor. Nem sempre é possível entender sua pintura com aferição puramente plástica; muitas vezes é preciso pedir ajuda dos critérios musicais, porque Martins frequentemente compõe suas formas e cores com energia e finura de composição musical, onde tom acima ou um quadro de tom abaixo fazem uma diferença enorme no resultado global ". JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 704; ITAU CULTURAL.

054 - ANTONIO DIAS - (1944)
LL Composição - xilo. 1/10 - 24 x 29 - cid
Artista multimídia. Aprende com o avô as técnicas elementares do desenho. No final da década de 1950, no Rio de Janeiro, trabalha como desenhista de arquitetura e gráfico. Estuda com Oswaldo Goeldi (1895 - 1961) no Atelier Livre de Gravura da Escola Nacional de Belas Artes - Enba. Na década de 1960, incorpora palavras ou frases às obras. Em 1965, recebe bolsa do governo francês e reside até 1968 em Paris. Depois, transfere-se para Milão, onde mantém ateliê. Em 1971, edita o disco Record: The Space Between e inicia a série The Illustration of Art. Recebe, em 1972, bolsa da Simon Guggenheim Foundation para trabalhar em Nova York. Em 1977, viaja para a Índia e o Nepal, onde estuda técnicas de produção de papel. Inicia uma série de trabalhos que têm como suporte o papel artesanal, o qual se integra às obras pela textura e mistura de pigmentos que contém. Publica em Katmandu o álbum Tramas, de xilografias. Em 1988, reside em Berlim como bolsista do Daad (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico). Em 1992, torna-se professor da Sommerakademie für bildende Kunst, em Salzburgo, Áustria, e, no ano seguinte da Staatliche Akademie der bildenden Künste, em Karlsruhe, Alemanha. ITAÚ CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 3, pág.332.

055 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Flores - dn, a e col - 35 x 50 - cid - 1982
Com a seguinte dedicatória: " Cora, amor, dedicação. tudo isso é você. Meu amor, carinho todo este tempo. Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

056 - ROSINA BECKER DO VALLE - (1914 - 2000)
LL " Feira e Morro " - ost - 46 x 55 - cid e d - 1966
Reproduzido sob o n.° 74 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro. -Foi aluna de Ivan Serpa, no Atelier Livre de Pintura do MAM-RJ. Pintora ingênua ou naif, Rosina tem como principais temas as manifestações populares, como carnaval, capoeira, etc. Participa de coletivas oficiais desde 1957 (Salão Nacional de Arte Moderna-RJ). Diversas instituições possuem obras suas em acervo, tais como MAM-RJ, MAM-SP, Museu de Buenos Aires, Museu de Hamburgo, Alemanha, Fundação Castro Maia-RJ. etc WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 401; MEC, vol. 4, pág. 441; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 330; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 810.

057 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 14 x 15 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

058 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
LL Figuras - xilo. P.A. - 30 x 24 - cie - 1946
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

059 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Composição - t - 155 x 200 - cid - Gimenez

060 - JOÃO BAPTISTA CASTAGNETO - (1862 - 1900)
LL Marinha - osm - 10 x 18 - cie
Com carimbo do Museu Nacional de Belas Artes no dorso e inscrições. -Pintor especializado em marinhas, foi aluno de Georg Grimm, exímio colorista, fez impressionismo institivamente; pintou em geral pequenos quadros a óleo, usando como suporte até tampas de caixas de charuto; fez também aquarelas e desenhos. MEC vol.1, pág. 368; PONTUAL, págs. 117/118; TEIXEIRA LEITE, pág. 112; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 416; LEONOR AMARANTE, pág. 42.

061 - MANUEL EUDÓCIO - (1931)
LL Boi - e em br - h = 60 - as.
Manuel Eudócio Rodrigues, natural de Alto do Moura, próximo a Caruaru, (PE). Começa a modelar o barro da mesma maneira como as demais crianças criadas em ambientes oleiros no Brasil: observando os parentes próximos e fazendo animaizinhos de brincadeira. Em 1949, conhece Mestre Vitalino quando este se transfere para o Alto do Moura, tornando-se então seu discípulo. Assim como Zé Caboclo, seu cunhado, inicialmente produzia esculturas em barro natural. Influenciado pelo mercado, passa a pintar parcialmente as peças com tintas fortes e coloridas. Apaixonado pela "arte de boneco", criou um grande repertório de figuras: cangaceiros, casais de noivos a cavalo, maracatus e Bumba-meu-boi. É considerado um dos primeiros ceramistas da localidade onde nasceu e vive até hoje. Casado, teve nove filhos, dos quais cinco seguiram-lhe o ofício.

062 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Tigre - e em mad. - h = 81 - n/as.

063 - PEDRO BRUNO - (1888 - 1949)
LL Paisagem - ost - 38 x 48 - cid
Pintor e escultor nascido na Ilha de Paquetá, RJ, onde estudou com o pintor italiano Schettino. Foi aluno de João Batista da Costa na antiga ENBA. Em sua primeira participação no SBNA conquistou o prêmio viagem ao estrangeiro (déc. 1910). Recebeu ainda premios nas exposições de 1925 (medalha de ouro) e 1943 (medalha de honra). Foi incluído na mostra Um Século da Pintura Brasileira (1850-1950), organizada pelo MNBA em 1952. O referido museu possui diversas obras suas. Angione Costa o incluiu como um dos artistas entrevistados no seu clássico livro A Inquietação das Abelhas, de 1927. PONTUAL, pág. 92, JULIO LOUZADA vol.10, pág. 146; MEC vol.1, pág. 299; TEIXEIRA LEITE, pág. 89; ITAÚ CULTURAL, WALTER ZANINI, pág. 532; ARTE NO BRASIL, pág. 602.

064 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Figuras - a - 29 x 20 - n/as.
Pintor nascido na Itália. Mecatti radicou-se no Brasil em 1940, após trabalhar por vários anos na Tripolitânia, no norte da África. É notável pela estilização de suas figuras e paisagens concebidas, em tons baixos e obedientes a uma composição pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 161/2; MEC, vol. 3, pág. 109; PONTUAL, pág. 352; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 72; TEIXEIRA LEITE, pág. 320; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

065 - ALUISIO CARVÃO - (1920 - 2001)
LL Composição - dn - 29 x 21 - cid
Importante pintor, escultor, Ilustrador, ator e cenógrafo brasileiro, natural de Belém-PA. Em 1952 estuda pintura com Ivan Serpa, no MAM-RJ, participando, entre 1954 e 1956, Grupo Frente e, entre 1960 e 1961, integra o Grupo Neoconcreto. Nos anos seguintes viaja para a Europa com o prêmio de viagem recebido no SNAM-RJ. No fim dos anos 60 passa a empregar materiais não tradicionais, como tampinhas metálicas de garrafa, pregos e barbante agrupados em suportes de madeira. Em 1996 ocorre retrospectiva de sua obra no Museu Metropolitano de Arte, em Curitiba, no Museu de Arte Moderna - MAM/BA e no MAM/RJ. "A preocupação inicial de Aluísio Carvão era com a forma: reduzir a obra a estruturas elementares, gestálticas. A partir da dissidência neoconcreta, da qual fez parte, é a cor que irá se impor, envolvendo a estrutura, ou melhor, a cor é, ela mesma, espaço. Carvão não é um pintor metafísico. Através da cor ele revela sua relação sensual com o mundo. Como ele diz: ´Vermelhos-guarás, araras, aroma das flores de manacá, o som do vento terral, o calor equatorial, o amarelo-laranja do sol, ressonâncias atávicas de Van Gogh e Mondrian, em trânsito pela Península Ibérica, Nordeste, Amazônia e nosso litoral daqui´. Nas pinturas da ´série cromativa´ ou no ´cubocor´ da fase neoconcreta, Carvão dá à cor sua máxima concretude e fisicalidade, mas, feito isto, ocorre a retração da cor, que se mutiplica em complementares, abrindo caminho para a caracterização como espaço lírico, território da memória. Sua linguagem e seus motivos são aéreos: sóis, luas, pipas, bandeirolas, mastros, arcos. Enfim, são formas que voam e ascendem, sem contudo perder o vínculo com a terra. " Frederico Morais, in MORAIS, Frederico. Vertente construtiva. In: DACOLEÇÃO: os caminhos da arte brasileira. São Paulo: Júlio Bogoricin, 1986. p. 131-132. JULIO LOUZADA, vol. 5 pág. 210/211; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, 655; LEONOR AMARANTE, 75; ARTE NO BRASIL, 921; Acervo FIEO.

066 - ANTONIO PESSOA - (1943)
LL Par de esculturas - e em b - as.
1) Nu, h= 8, 2) Nu, h= 9. -Escultor, assina Tonny. Radicado no Rio de Janeiro detentor de bom curriculo nacional e internacional com inumeras participações em Salões Oficiais,varias vezes premiado. Ótimo mercado.

067 - ALOYZIO ZALUAR - (1937)
LL " Rio de Areia " - asm - 31 x 34 - cid - 1982
Reproduzido sob o n.° 282 em catálogo de Evandro Carneiro Leilões - Rio de Janeiro. -Natural da cidade do Rio de Janeiro. Passou a frequentar a antiga ENBA em 1956. Participou de diversos SNAM entre 1958 e 1967, recebendo a Certificado de Isenção em 1966. Expõe individualmente a partir de 1964. TEIXEIRA LEITE chamou atenção, em 1964, para a influência de Goeldi nos seus trabalhos que, mais tarde, abordaram a temática do carnaval carioca, levando o artista e poeta José Paulo Moreira da Fonseca a situá-lo na fronteira entre o desenho e a pintura. ITAÚ CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 349; MEC, vol. 4, pág. 528; PONTUAL, pág. 556; ACERVO FIEO, pág. 785. Acervo FIEO. -

068 - FERNANDO ODRIOZOLA - (1921 - 1986)
LL Composição - tm - 31 x 23 - cid - 1979
Pintor e desenhista espanhol, Odriozola radicou-se no Brasil em 1953, e em 1965 mereceu o prêmio de Melhor Desenhista Nacional da Bienal de São Paulo, que em 1967 lhe dedicou sala especial. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 231; MEC vol, 3, pág. 291; PONTUAL, pág. 389.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 737; ARTE NO BRASIL, pág. 907; LEONOR AMARANTE, pág. 143; Acervo FIEO.

069 - ANTONIO PETICOV - (1946)
LL " Ave " - ost - 50 x 80 - d - 2008
Nasceu em Assis, SP. Desenhista, gravador e escultor. Autodidata. Integra os movimentos movimentos artísticos de vanguarda da segunda metade da década de 60. De produção diversificada, segue tendências variadas das vanguardas artísticas internacionais das últimas décadas. Participa de várias exposições entre elas, Bienal Internacional de São Paulo, 1967, 1969 e 1989; Panorama da Pintura Brasileira, no MAM/SP, São Paulo, 1983; Destaques da Arte Contemporânea Brasileira, no MAM/SP, 1985; Bienal Brasileira de Design, Curitiba, 1990; OFF Bienal, no MuBE, São Paulo, 1996; Arte Suporte Computador, na Casa das Rosas, São Paulo, 1997. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 757/758; WALTER ZANINI, pág. 760; LEONOR AMARANTE, pág. 185. Acervo FIEO.

070 - FRANCISCO REBOLO GONSALES - (1903 - 1980)
LL Marinha com casas - ost - 55 x 70 - cid e d - 1976
Reproduzido no convite deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 22/04/2009.Grande pintor paulistano, um dos principais membros do Grupo Santa Helena e da Família Artística Paulista, Rebolo é acima de tudo um paisagista de colorido suave e desenho sensível. MEC, vol. 4, pág. 28/29; TEODORO BRAGA, pág. 202/3; PONTUAL, pág. 447/448; REIS JR., pág. 382; TEIXEIRA LEITE, pág. 433/434/435.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; LEONOR AMARANTE, pág. 13; ARTE NO BRASIL; Acervo FIEO.

071 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Figuras - a - 24 x 20 - cid
Desenhista, gravador, pintor e escultor, radicado na Bahia. Sua arte é lírica, de boa técnica, baseada no povo, que lhe forneceu o melhor da sua temática. PONTUAL, pág. 116; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 180 e 181; TEIXEIRA LEITE, págs. 111 e 112; MEC, vol.1, pág. 355; BENEZIT, vol. 2, pág. 524; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717;ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

072 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Composição - dc e a - 30 x 23 - cie - 1972
Estudou com Pedro Alexandrino (1923 a 1928) e aperfeiçoou-se na Itália. Integrou o Grupo Santa Helena, com Rebolo, Zanini, Rosa, Graciano, Pennacchi (1935) e participando em 1937 de exposições da Família Artística Paulista. Pintou paisagens e naturezas mortas, com composição estruturada no cubismo. MEC, vol. 1, pág. 247; PONTUAL, págs. 78/79; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1041; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 258; TEIXEIRA LEITE, pág. 79; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; LEONOR AMARANTE, pág. 72; Acervo FIEO.

073 - BIGIO GERARDENGHI - (1876 - 1957)
LL Costa Amalfitana - ost - 26 x 52 - cie
Italiano de Dronero, Piemonte, onde nasceu em 7/8/1876. Pintor e professor, oriundo de família nobre, o autor sempre viveu em Nápoles, onde realizou estudos e concluiu sua formação artística. Reputado pintor de paisagens e marinhas, figurou em diversas exposições na Itália, onde ganhou a medalha de ouro na Exposição Internacional de Nápoles, e em 1916, quando o seu quadro Lã para os Soldados, foi escolhido pela Cruz Vermelha Italiana para ser reproduzido como propaganda de Socorros de Guerra. No Brasil sua obra foi muito bem recebida pela público e crítica, figurando em diversas exposições. BENEZIT, vol.4, pág. 681; MAYER/84, pág. 835; TEODORO BRAGA, pág. 107; JULIO LOUZADA vol.1, pág. 415; ITAÚ CULTURAL.

074 - FRANCISCO DA SILVA - (1910 - 1985)
LL Pássaros - tspce - 55 x 76 - cie
Natural de Alto Tejo, Acre, foi o pintor FRANCISCO DA SILVA um primitivista, fabulista das lendas amazonenses, ativo no Ceará. Filho de índio peruano com brasileira, fixou-se ainda criança em Fortaleza. Foi descoberto artista em 1943, pelo também artista o suiço Jean Pierre Chabloz, que bancou suas primeiras tintas. O mesmo Jean Pierre, nove anos depois, lança-o em Paris. O crítico Rubens Navarra assim escreveu sobre a obra desse artista acreano: " ... os guaches desse artista indígena são qualquer coisa de muito sério. Esse índio é uma espécie de Dali em estado de natureza. Ao lado do seu surrealismo primitivo, chamemos assim, há um lado arte-aplicada que podia servir excelentemente para ornamentos de cerâmicas , lembrando estampas chinesas de pássaros ou antigos vasos de civilizações passadas." Já André Malraux qualifica-o de " um artista primitivo dentre os maiores do mundo." Expôs individualmente no Brasil a partir de 1943 e em diversas mostras coletivas no exterior, com premiações, destacando-se aquela recebida na XXXIII Bienal de Veneza, 1966. JULIO LOUZADA, vol. 3 pág. 1056; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE; ARTE NO BRASIL, Acervo FIEO; TEIXEIRA LEITE, pág. 478.

075 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato azul - ast - 60 x 80 - cie e d - 2000
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista.- - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

076 - ROSÁLIA LERNER - (1952)
LL Figura - a - 12 x 10 - cid
Natural de São Paulo, SP, onde teve sua formação artística e aulas de pintura em aquarela com Antonio Hélio Cabral, José Guyer Salles, Ubirajara Ribeiro e Tuneu. Exposições coletivas: São Paulo, SP (1973,1974,1976,1977,1981,1986,1987,1998 a 2000,2004 a 2007); Rio Grande do Sul (1987); Paraná (1987), São Caetano do Sul, SP (2008). Prêmios: São Paulo,SP (1967,1986,1999, 2007). www.rosalialerner.com, www. artcanal.com.br.

077 - HEITOR DOS PRAZERES - (1898 - 1966)
LL Quintal - ost - 30 x 40 - cid - 1964 - Rio
Com autenticação da família do artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho. - Compositor e pintor, iniciou-se na pintura em 1937. São seus temas preferidos o samba, favelas cariocas, mulatas e malandros. Participou da I Bienal de SP (1951), sendo nela premiado. Mostrou a sua obra em diversas exposições, no Brasil e no exterior. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.247; MEC. Vol.3, pág.400; WALMIR AYALA. Vol.2, pág.194; TEIXEIRA LEITE, pág.408; PONTUAL, pag.439; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.810; LEONOR AMARANTE, pág. 266; 673; Acervo FIEO.

078 - JOSÉ PANCETTI - (1902 - 1958)
LL Figura - dc e p - 48 x 39 - cid - 1936
Com etiqueta de Irineu Angulo Leiloeiro Oficial no dorso. -Nasceu em Campinas e faleceu no Rio de Janeiro. Filho de italianos chegados a Campinas em 1891. Foi marinheiro por longos anos, tendo aprendido a sua arte a bordo dos navios. Era conhecido como o Pintor Marinheiro. Participou do Núcleo Bernardelli, no Rio de Janeiro, onde conviveu com Milton Dacosta, Ado Malagoli e João José Rescala. Participou do SNBA durante vários anos, recebendo premiações. Sobre o artista assim se manifestou Medeiros de Lima: " ... Juntamente com Alberto da Veiga Guignard, Alfredo Volpi e Lasar Segall, Pancetti retoma na pintura a melhor tradição da paisagística brasileira (...) Mas, de todos, Pancetti foi o que melhor soube captar a fôrça, a exuberância e a luminosidade litorânea brasileira" . TEODORO BRAGA, pág. 130; PONTUAL, págs. 403 e 404; MEC, vol. 3, pág. 332; REIS JUNIOR, pág. 383; ITAU CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 380; WALTER ZANINI, pág. 573; ARTE NO BRASIL, pág. 597; LEONOR AMARANTE, pág. 28.

079 - VANDO FIGUEIREDO - (1952)
LL Gato - tm - 40 x 29 - cie - 2002
Desenhista, pintor, gravador, escultor e professor. Gilvando Furtado de Figueirêdo nasceu em Fortaleza, Ceará e assina Vando Figueirêdo.. Estudou com Valber Benevides, André Luiz, Otho Cavalcante, Vidal Junior e cursou desenho e pintura com Raul de La Nuez, licenciado pelo Instituto Superior de Arte de Cuba. Lecionou na Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade Sem Fronteiras (USF), Faculdades Integradas Grande Fortaleza (FGF), todas sediadas em Fortaleza - CE, Museu de Arte Contemporânea Dragão do Mar - Fortaleza/CE e Centro de Cultura de Guaiúba/CE. Exposições individuais: Fortaleza, Ceará (1989,1993,1994,1999,2000 a 2008); Natal, RN (1994); Rio de Janeiro, RJ (1998) e São Paulo, SP (2000). Exposições internacionais: Portugal (1996,2000,2005,2008); França (1997); EUA (1998) Argentina (2001); Espanha (2002,2008); Chile (1999). Exposições coletivas: Ceará (1988 a 19990; Campinas, SP (1997); Natal, RN (1997); Rio de Janeiro, RJ (1999); São Luís, MA (1999). Prêmios: Fortaleza, CE (1992 a 1994,1996,1997,2000 a 2003,2005)); Sobral, CE (1998); Aquiraz, CE (2004); Campinas, SP (1999); Rio Grande do Norte (2003); Espanha (2006); Brasília, DF (2007). JULIO LOUZADA, vol. 12, pág.158; vol.13, pág. 133; ITAÚ CULTURAL.

080 - AGOSTINHO BATISTA DE FREITAS - (1927)
LL Festa Junina - ost - 70 x 100 - cid - 1978
- Reproduzido no convite deste leilão.Começou a pintar no início da década de 1950 (e ele próprio relatou que vendia seus trabalhos na Praça do Correio da capital paulista) sendo logo descoberto por Pietro Maria Bardi que organizou uma exposição de seus trabalhos no Museu de Arte de São Paulo, em 1952, mais tarde apresentados também, no Museu de Arte Moderna de São Paulo e da Bahia e no Museu de Arte Contemporânea de Campinas. Participou da XXXIII Bienal de Veneza (1966). MEC, vol. 2, pág. 210; PONTUAL, pág. 225; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 323; TEIXEIRA LEITE, PÁG. 208; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 214; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 832; Acervo FIEO.

081 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL Figura - tsp - 43 x 26 - ci
Reproduzido sob o n.° 132 do livro " Pequena História da Arte Moderna e Contemporânea - Anos 1990-2000 " de autoria de Frederico Morais, edição Soraia Cals, Rio de Janeiro. -Pintor e gravador gaúcho, cuja carreira esteve intimamente ligada ao desenvolvimento da arte moderna e da gravura em seu estado natal e no Brasil. Começou a pintar em 1935, tendo sofrido de início a influência de Segall. Após uma fase realista, evoluiu, em anos mais recentes, para uma linguagem pessoal, fixado objetos com grande amor às transparências e às texturas, numa ânsia de transfiguração e de serenidade. MEC vol.4, pág. 214; TEODORO BRAGA, pág. 66; WALMIR AYALA vol.2, pág. 306 a 309; PONTUAL, págs 479 e 480; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 293; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 798; RGS, pág. 442; Acervo FIEO.

082 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Carranca - e em mad. - h = 48 - n/as.
Ex-coleção de Giuseppe Baccaro - Recife/PE. -

083 - RAIMUNDO DE OLIVEIRA - (1930 - 1966)
LL Figuras - a e g - 26 x 19 - cid
Nasceu RAIMUNDO Falcão DE OLIVEIRA, em Feira de Santana, BA. Recebeu da mãe os primeiros rudimentos de pintura e desenho. Autodidata, apresenta os seus trabalhos a partir de 1951. Reside em São Paulo a partir de 1958, aprofundando-se na sua experiência expressionista, com o aproveitamento transfigurador de imagens de velhos santos. Na sua última fase, bem distinta das anteriores, dedicou-se à narração de temas bíblicos, seguindo um estilo que alguns erroneamente ligaram à arte primitiva. TEIXEIRA LEITE, 365; PONTUAL, 394; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 717; ARTE NO BRASIL, pág. 798; Acervo FIEO.

084 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
LL Composição - g - 23 x 18 - cid
Pintor, desenhista, gravador e professor, estudou com Axel Leskoschek no Rio de Janeiro. Participou da Divisão Moderna do SNBA (1947-1951). Foi um dos precursores do concretismo no Brasil, criando ao lado de Aluisio Carvão, Lígia Clark, Hélio Oitica e outros o Grupo Frente, que se manteve ativo de 1954 a 1956, inclusive com exposições no Rio de Janeiro. Ivan Serpa possui invejável e extenso curriculum de vida artística, passando de exposições coletivas, a grandes retrospectivas de sua obras. Há um reconhecimento nacional da importância de sua atividade, tratando-se de um dos grandes artistas nacionais. PONTUAL, pág 486; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 605; ARTE NO BRASIL, pág. 840; LEONOR AMARANTE, pág. 26; Acervo FIEO.

085 - EDGARD OEHLMEYER - (1909 - 1967)
LL Flores - ose - 81 x 65 - cie - 1961
Nasceu em Rio Claro, no dia 31 de maio e falecido em 4 de outubro de 1967. Nessa cidade cursou na Escola Profissional a seção de pintura com o prof. Carlos Hadler. Discípulo de Rocco, foi destacado paisagista e pintor de naturezas-mortas, tendo obtido diversas premiações nos SNBA e SPBA. TEODORO BRAGA, pág. 175; MEC. Vol.3, pág. 291; MAYER/1984, pag. 1070; TEIXEIRA LEITE, pág. 362; PONTUAL, pág. 389; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

086 - VASCO PRADO - (1914)
LL Mulher e cavalo - e em b - h = 28 - as. - 1948
Escultor, desenhista e gravador, VASCO PRADO abriu seu primeiro ateliê em 1941. Bolsista do governo francês, estudou na França na Escola de Belas Artes de Paris, tendo recebido ensinamentos de Fernand Léger. De volta ao Brasil em 1951, foi um dos fundadores do Clube de Gravura de Porto Alegre, ao lado de Scliar. Artista atuante, VASCO PRADO valoriza a sua arte pelo esmero e originalidade de suas obras. JULIO LOUZADA vol.9, pág. 699; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 711; ARTE NO BRASIL, pág. 842.

087 - OSWALDO GOELDI - (1895 - 1961)
LL Bicho preguiça - dn e a - 27 x 21 - cid
Desenhista, gravador e professor, nascido no Rio de Janeiro, filho de Emilio A Goeldi, naturalista suiço. A partir dos seis anos estudou na Suiça. Sua obra sofreu influência do expressionista austríaco Alfred Kubin. Retornando ao Brasil em 1919, realizou no Rio de Janeiro sua primeira exposição em 1921, no Liceu de Artes e Ofícios. Publicou albuns e ilustrou diversos e importantes livros. É artista altamente conceituado no País e no exterior, tendo merecido diversas homenagens póstumas, inclusive em filme. PONTUAL pág. 240; JULIO LOUZADA vol.11, pág130; MEC vol. 2, pág.271; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 521; ARTE NO BRASIL, pág. 672; Acervo FIEO.

088 - HENRIQUE SMITH - (XX)
LL Animais - dn - 50 x 36 - ci - 1969
Desenhista que participou das seguintes coletivas: I Salão Paulista de Arte Contemporânea - MASP, São Paulo, SP (1969) e III Salão de Arte Contemporânea de Piracicaba, SP onde obteve Medalha de Prata (1970). MEC, vol.4, pág. 288.

089 - JACQUES DOUCHEZ - (1921)
LL " O Iapurú " - t - 98 x 152 - cie
Com etiqueta do atelier Douchez - Nicola, no dorso. -Pintor, tapeceiro e professor nascido em Mâcon, França. Começa sua aprendizagem em pintura ainda na França. Chegando ao Brasil em 1947, aperfeiçoa sua técnica com Caetano de Gennaro. Posteriormente, integra o grupo Atelier-Abstração onde recebe orientação de Flexor. Em 1957, Douchez e seu amigo Norberto Nicola, também aluno de Flexor, cria o Atelier Douchez-Nicola. Exposições individuais: São Paulo, SP (1959, 1963, 1975, 1979, 1984, 1989, 2003); Rio de Janeiro, RJ (1963,1968); Lima, Peru (1965); Washington, EUA (1976); Santos, SP (1977,2003); Campos do Jordão, SP (1981); Curitiba, PR (1982); Campinas, SP (1984); Jundiaí, SP (1987). Exposições coletivas: São Paulo, SP (1953 a 1959 - Bienais de São Paulo, 1961 a 1965,1967 a 1980,1982 a 1988, 1994, 1996, 1998 a 2000); Japão (1955,1970); EUA (1958,1971,1977); França (1958,1975); Belo Horizonte, MG (1961, 1970, 1974,1977); Curitiba, PR (1961); Rio de Janeiro, RJ (1961 a 1963, 1966,1967,1970,1977,1978,1983, 1999); Campinas,SP (1962,1996); Peru (1962,1965,1967); Uruguai (1963); Inglaterra (1965); Chile (1965,1980); México (1966,1970); Áustria (1966); Holanda (1968); Brasília, DF (1969,1973,1977); Alemanha (1970, 1980); Argentina (1975,1977,1978); Portugal (1975,1980); Suíça (1975); Porto Alegre, RS (1981,1985); Penápolis, SP (1982); São Caetano do Sul, SP (1986); Itapecerica da Serra, SP (1988). Prêmios: São Paulo, SP(1953 e 1971- Bienais de São Paulo;1976). ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA,vol.1,pág.341 e vol.2, pág.359.

090 - RUBEM VALENTIM - (1922 - 1991)
LL " Emblema 86 " - ast - 100 x 73 - d - 1986
- Reproduzido no convite deste leilão.Baiano de Salvador, autodidata, Rubem Valentin pinta desde meados de 1940. Sua primeira coletiva foi em 1949, no Salão Baiano de Belas Artes, do qual participaria outras vezes, recebendo premiações. Viveu no Rio de Janeiro e na Europa, fixando residência permanente em Brasil, DF, há mais de 20 anos. O artista assim explicava a sua arte: "Minha linguagem plástico-visual signográfica está ligada aos valores míticos profundos de uma cultura afro-brasileira (mestiça-animista-fetichista). Com o peso da Bahia sobre mim - a cultura vivenciada; com o sangue negro nas veias - o atavismo; com os olhos abertos para o que se faz no mundo - a contemporaneidade; criando os meus signos-símbolos procuro transformar em linguagem visual o mundo encantado, mágico, provavelmente místico que flui continuamente dentro de mim". PONTUAL, pág.532; WALMIR AYALA, vol.2, págs.395 a 397; TEIXEIRA LEITE, pág.517; MEC, vol.4, pág.443; JULIO LOUZADA, vol.11, pág.330; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 874; LEONOR AMARANTE, pág. 257, Acervo FIEO.

091 - EDUARDO CATINARI - (XX)
LL Composição - ost - 80 x 90 - cid e d - 2002
Pintor argentino residente no Brasil. Fez curso de desenho artístico com Alex Raymond na Escola Norte-Americana de Arte, especializando-se mais tarde em desenho da figura humana através de estudo da obra de Andrew Loomis. Expôs coletivamente em 1995 (São Paulo) e 1975 (Lausane e Genebra-Suiça). JULIO LOUZADA, vol. 8 pág. 186

092 - ELONI (JOSÉ ELONI DA SILVA) - (1971)
LL Meninos - e em mad.pol. - h = 96 - b
Consideradoo único e fiel discípulo de Nino. -Eloni nasceu no interior do Ceará onde sua família lutou pela sobrevivência trabalhando no campo. Cresceu com as dificuldades do sertão nordestino. Em 1992, seu pai falece. Pouco depois, ele e sua mãe mudaram-se para Juazeiro do Norte, em busca de novas perspectivas. Por artimanhas do destino, Eloni e sua mãe se mudaram para uma pequena casa na mesma rua em que vivia um grande artista, José Cosmo Félix, conhecido na cidade como Nino. Eloni acabou por conhecer o trabalho de seu vizinho. Vendo Nino modelar a madeira, foi lhe despertado o interesse pela arte. O jovem carroceiro começa a trabalhar com o Mestre. Em seu atelier ajudava a lixar, limpar e pintar as figuras que Nino tão sinteticamente esculpia, ajudando-o por toda sua vida, mas, paralelamente, desenvolvendo um trabalho autoral, sendo considerado seu único e fiel discípulo.Trabalhando sob supervisão do Mestre e aprendendo com um dos maiores artistas de Juazeiro, Eloni tornou-se hábil na arte de esculpir madeira, criando um trabalho autônomo anos depois. Pela obra de Eloni, podemos ver Nino pulsar. Assim como podemos ver os olhos do pai no rosto do filho. Dessa forma Eloni subverte a arte. Em 2007 participa junto com outros 14 importantes artistas cearenses da I Mostra Sesc de Arte Naif realizada em Fortaleza. MUSEU VIRTUAL DE ARTE POPULAR.

093 - TARO KANECO - (1953)
LL Paisagem - ost - 100 x 120 - cid e d - 1982
No estado. -Pintor e arquiteto, Taro Kaneko nasceu na cidade paulista de Gália, em 19 de maio de 1953. Em 1978, forma-se em arquitetura na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, apresentando como trabalho final de graduação uma exposição individual denominada Cores nos Bairros Populares, constituída de pinturas, desenhos, colagens, fotografias. Entre as mostras de que participa, destacam-se: Salão Paulista de Arte Contemporânea, São Paulo, 1972 e 1985; Salão Paulista de Belas Artes, São Paulo, 1978 (Prêmio Conselho Estadual de Cultura); Salão Brasileiro de Arte, na Fundação Bienal de São Paulo, 1980; Salão Nacional de Artes Plásticas - Funarte, Rio de Janeiro, 1980 e 1981; Bienal Ibero-Americana do México, México, 1984 e 1986; Arte na História da Imigração Japonesa, no Museu de Arte de São Paulo, 1986. ITAÚ CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol 9, pág 840.

094 - SERGIO TELLES - (1936)
LL " Ilha Bela " - ost - 54 x 73 - cie - 2008
Pintor, professor e diplomata, estudou pintura na ENBA/Rio; foi discípulo de Levino Fanzeres, Paul Gagarin, Rodolpho Chambelland e Paschoal Valente. Artista de renome internacional, consagrou-se pela sua requintada técnica de composição e domínio da cor. Com exposição retrospectiva programada para o Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro em 2009. TEIXEIRA LEITE, pág. 503; MEC, vol. 4, pág. 380; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 319; ITAÚ CULTURAL. Acervo FIEO.

095 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato - ascce - 30 x 41 - cie
Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

096 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
CHINÊS, ponto de nó, feito a mão, de lã, desenho ESPHAHAN, medindo 1,70 m X 2,46 m = 4,18 m². -

097 - MIRA SCHENDEL - (1918 - 1988)
LL Composição - mon. - 46 x 22 - cid - 1964
Suíça, Mira imigrou para o Brasil em 1949, fixando-se inicialmente em Porto Alegre, onde fez pinturas e esculturas em cerâmica, nas quais assinava Mirra Hargesheimer, seu nome de casada. Realizou a sua primeira exposição individual, em 1952. Expôs em 1954 em São Paulo (MAM), para onde se transferiu. Participou de diversos salões, tais como o SPAM e Bienais de São Paulo, Córdoba e Veneza, obtendo premiações. A principio exclusivamente desenhista, com a utilização de signos, índices e símbolos, dedicou-se posteriormente à pintura, dentro da vertente minimalista que norteou toda a sua carreira. TEIXEIRA LEITE, pág. 464; JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 304; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 688; LEONOR AMARANTE, pág. 187.

098 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL No pasto - ost - 24 x 37 - cie e d - 1982
Considerado por muitos críticos e colecionadores como o mais típico dos nossos pintores ingênuos, Silva foi o intérprete da cena rural de São Paulo, num estilo expontâneo em que assomam, por vezes, soluções plásticas inesperadas. MEC, vol. 4, pág. 256; PONTUAL, pág. 493 e 494; TEIXEIRA LEITE, pág. 478; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 958; ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 958; BENEZIT, vol. 9, pág. 602; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 227; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 171; Acervo FIEO.

099 - MÁRIO CRAVO NETO - (1947)
LL São Francisco - grav. 29/50 - 40 x 30 - cid - 1970
Com etiqueta de Renot Galeria de Arte - São Paulo, no dorso . -Fotógrafo, escultor e desenhista natural de Salvador, Bahia. Recebeu as primeiras orientações no campo do desenho e da escultura de seu pai, Mario Cravo Júnior . Acompanhando o pai, viaja para Berlim em 1964, onde mantém contato com o artista italiano Emilio Vedova e com o fotógrafo Max Jakob. Em 1968, muda-se para Nova York e estuda na Arts Students League, com orientação de Jack Krueger. Nesse período, realiza a série de fotografias em cores On the Subway e produz suas primeiras esculturas de acrílico. Retorna ao Brasil em 1970, realizando trabalho fotográfico com temática relacionada ao candomblé e à religiosidade católica. Publica diversos livros ligados à sua arte. Recebeu o Prêmio Nacional de Fotografia da Fundação Nacional de Arte - Funarte, em 1996, o Price Waterhouse, no Panorama da Arte Brasileira do Museu de Arte Moderna de São Paulo - MAM/SP, em 1997; e o prêmio de melhor fotógrafo do ano da Associação Paulista dos Críticos de Arte - APCA, São Paulo, em 1980, 1995 e 2005. Expõe individualmente desde 1965 e coletivamente a partir do ano seguinte. JULIO LOUZADA, vol. 13I, pág. 97; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.787; ARTE NO BRASIL, pág. 972; LEONOR AMARANTE, pág. 206.

100 - ANITA MALFATTI - (1896 - 1964)
LL " O violeiro e a dama cantarolando " - ost - 46 x 39 - cie - Déc. 1950
Com autenticação firmada por Elisabeth Cecília Malfatti. - Reproduzido no convite deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 27/04/2009.Proto-mártir do modernismo brasileiro, com sua mostra de 1917 em São Paulo, Anita Malfatti foi, no dizer de Dario da Silva Brito, o "estopim" da Semana de 1922. Recebeu prêmio de honra no Salão Paulista de 1934. Várias exposições coletivas e individuais como: Anita Malfatti no Museu de Arte Brasileira - FAAP. BENEZIT, vol. 7, pág. 118; TEODORO BRAGA, pag. 151/2; MEC, vol. 3, pág. 45; PONTUAL, pág. 332/3; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 33 e 35; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 478; ARTE NO BRASIL, pág. 652; LEONOR AMARANTE, pág. 24.

101 - ÉTIENNE AUGÉ - (XIX - XX)
LL Nobres - ost - 46 x 38 - cid
Pintora francesa nascida em Saintes. Participou de diversas exposições oficiais e do Salão de Paris (1865 a 1872). www.artprice.com; www.artinfo.com.

102 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Colheita - ost - 90 x 100 - cid e d - 2007
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 040 deste catálogo.

103 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Carranca - e em mad. - h = 70 - n/as.

104 - MARTINS DE PORANGABA - (1944)
LL Figuras - osp - 50 x 70 - cie - 1994
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 053 deste catálogo.

105 - ALUISIO CARVÃO - (1920 - 2001)
LL Composição - a - 12 x 15 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 065 deste catálogo.

106 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Coruja - m em ac - h = 13 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 015 deste catálogo.

107 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Casario - ost - 70 x 100 - cie
Nascido e falecido em São Paulo, DURVAL PEREIRA foi pintor e professor ativo em São Paulo. Premiado com a Menção Honrosa no SPBA em 1944, passou a viver exclusivamente da pintura. Pintava ao ar livre aos domingos com os pintores Salvador Rodrigues, Salvador Santisteban, Cirilo Agostinho, Jaime Dinis, Djalma Urban, Innocencio Borghese, e outros. Premiado praticamente em todos os Salões de que participou. Recebeu ao todo, 15 comendas das mais importantes do Brasil. Nos últimos três anos de sua vida, recebeu todos os Primeiros Prêmios e Medalhas de Ouro nas exposições de Paris, Rouen, Lyon, Roma, Miami e Milão. MEC, vol. 3, pág. 368; JULIO LOUZADA, vol. 1, págs. 749/750/751. ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

108 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
LL Rosto - dc - 32 x 20 - cid - 1939
Com dedicatória. -Pintor e desenhista figurativo, integrou o Grupo Santa Helena, juntamente com Volpi, Zanini e outros, e foi um dos organizadores e expositores do I Salão da Família Artística Paulista; suas figuras seguem a disciplina cubista da organização do espaço, destacando-se uma série de Músicos; dedicou-se a pinturas murais e à ilustração de obras literárias. MEC, vol. 2, pág. 280; PONTUAL, pág. 247/8; TEIXEIRA LEITE, pág. 225 a 227; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 586; ARTE NO BRASIL, pág. 784; LEONOR AMARANTE, pág. 58; Acervo FIEO.

109 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Paisagem - ose - 22 x 27 - cid e d - 1978
Com etiqueta de Domus Galeria de Arte - São Paulo, no dorso. -Nasceu em 27 de dezembro na cidade de Villa Collemandina, na Itália, e fixou-se no Brasil desde 1929, após ter estudado em Florença, e haver-se diplomado em pintura pela Academia Real de Pintura de Lucca. Pennacchi integrou a Familia Artística Paulista. Muralista de inspiração pré-renascentista, sua pintura é sensível e pessoal de modo especial na interpretação dos grandes temas bíblicos e da vida dos santos (mercê de uma infância marcada por sólida educação religiosa Católica), e na evocação do mundo caipira. Realizada em 1973, considerado o Ano de Pennacchi, importante retrospectiva da obra deste festejado artista no MAM de São Paulo. O artista fez exposições em Milão e foi homenageado em seu país natal. TEODORO BRAGA, pág. 192; MEC, vol, 3, pág. 365; WALMIR AYALA, vol, 2, pág. 182; PONTUAL, pág. 416; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 784; Acervo FIEO.

110 - INIMÁ DE PAULA - (1918 - 1999)
LL Paisagem - ost - 38 x 46 - cie e d - 1975
Catalogado sob o código PR0448 no Projeto Inimá de Paula. - Reproduzido no convite deste leilão.Mineiro de Itanhomi, Inimá, depois de prestar o serviço militar em Juiz de Fora, passou a frequentar o Núcleo Antônio Parreiras (que no início dispunha de professores, mas logo se transformou em ateliê livre), da mesma cidade, em 1938. Integrou-se ao grupo de Bandeira e Aldemir Martins na cidade de Fortaleza (1941). No Rio frequentou o ateliê de Portinari e realizou a sua primeira individual (1948). Recebeu o prêmio viagem ao estrangeiro no I SNAM (1952), certame do qual participou por diversas vêzes até 1960. Em Paris estudou com Lothe. É um de nossos artistas mais completos. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.152; PONTUAL, pág. 271; MEC, vol.3, pág.355; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 401 1 404; TEIXEIRA LEITE, pág.260; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 870; Acervo FIEO.

111 - HAYDEA SANTIAGO - (1896 - 1980)
LL Passeio de barco - osm - 40 x 27 - cid e d - 1926
Com decicatória. -Natural da cidade do Rio de Janeiro, onde veio a falecer. Estudou na Escola Nacional de Belas Artes. Foi aluna de Modesto Brocos e Amoedo. Aperfeiçoou seus estudos com Eliseu Visconti. Residiu em Paris com o marido, Manoel Santiago, de 1928 a 1932, participando do Salão de Artistas Franceses. No Brasil recebu diversas premiações no SNBA, bem como nos diversos Salões Oficiais de que participou, tais como SPBA, SMBA-RJ, SNAM e na I BSP. Teve como temas a paisagem, a figura, a natureza morta e o gênero. REIS JUNIOR, vol. 1, pág. 146; TEODORO BRAGA, pág. 211; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 290 e 292; TEIXEIRA LEITE, pág. 460; ITAÚ CULTURAL..

112 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - g - 25 x 10 - d
Procedente da coleção de Érica Hauff. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

113 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Melindrosa - a - 41 x 29 - cid
Nasceu e faleceu no Rio de Janeiro. Foi pintor, desenhista, ilustrador e caricaturista. Realizou mais de cem mil desenhos, não se conhecendo um único ruim. Observador arguto, retratou com maestria e humor o cotidiano de sua cidade natal, da qual, consta, ausentou-se por duas únicas ocasiões. JULIO LOUZADA vol. 10, pág. 181; CARICATURISTAS BRASILEIROS, de Pedro Corrêa do Lago, pág. 74; WALTER ZANINI, pág. 448; ARTE NO BRASIL, pág. 646.

114 - JOSÉ MARQUES CAMPÃO - (1892 - 1949)
LL Marinha - osc - 27 x 35 - cid
Excelente paisagista paulistano, aluno de Oscar Pereira da Silva, da Academia Julian - Paris, e da Escola Nacional Superior de Belas Artes de Paris, entre 1912 e 1918. Foi membro da Comissão de Orientação Artística de São Paulo em 1944. Expôs no Salão dos Artistas Franceses e em diversas exposições coletivas e individuais. TEODORO BRAGA, pág. 61/62; PONTUAL, pág. 102; MEC, vol. 1, pág. 331; REIS JR., pág. 374; WALMIR AYALA, vol. 1,pág. 160; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

115 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL " A flor vermelha " - ast - 41 x 33 - ci e d - 1979
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista. Com a seguinte dedicatória no dorso: " Cora, mil beijos meu amor. Aldemir Martins " - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

116 - LUIS PAULO BARAVELLI - (1942)
LL " Humoresque n° 6 " - tm - 50 x 61 - d - 2004
Paulistano, BARAVELLI é pintor, desenhista, escultor, arquiteto e artista gráfico, formado em desenho e pintura na FAAP-SP, e em arquitetura na USP. Aperfeiçoou-se em pintura com Wesley Duke Lee. Fundos a Escola de Arte Brasil, juntamente com Carlos Alberto Fajardo, José Resende e Frederico Nasser. É um pesquisador de múltiplas técnicas e materiais, desde o desenho e a pintura até a escultura e o objeto, desde o ferro e a madeira até o acrílico e a fórmica. É artista contemporâneo de expressão e reconhecimento da crítica especializada. JULIO LOUZADA vol.2, pág. 98; TEIXEIRA LEITE, pág. 55; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 908; LEONOR AMARANTE, pág. 154; Acervo FIEO.

117 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
LL Paisagem - xilo. - 32 x 23 - cid - 1946/1947
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

118 - VICENTE DO REGO MONTEIRO - (1899 - 1970)
LL Composição - mon. - 37 x 29 - cie - 1956
Nasceu e faleceu na cidade do Recife-PE. Pintor, escultor, desenhista, ilustrador e artista gráfico. Inicia estudos artísticos em 1908, em cursos da ENBA-RJ. Em 1911, freqüenta a Académies Colarossi, Julien e La Grande Chaumière (Paris). Participa do Salon des Indépendants em 1913, do qual se torna membro societário. Em Paris, mantém contato com Modigliani, Léger, Braque, Miró, entre outros expoentes de sua época. Em São Paulo (1920), mantém contato com Di Cavalcanti, Anita Malfatti , Pedro Alexandrino e Victor Brecheret. Viaja para França, deixando oito óleos e aquarelas para serem expostos na Semana de Arte Moderna de 1922, em São Paulo. Participou de inúmeras exposições no Brasil e na Europa, conforme exaustiva relação constante da bibliografia abaixo indicada. Walter Zanini assim escreveu sobre a obra do autor: "Talvez a primeira referência, de intenções globais, que se deva fazer à obra de Monteiro, seja a de que ela se desenrolou em segmentos distintos, embora preservando traços constantes de uma figuração conceptualizada cujo teor é por igual estilizado, decorativo e monumental." in: ZANINI, Walter. Introdução ao Artista. Vicente do Rego Monteiro: artista e poeta 1899-1970. São Paulo: Empresa de Artes/Marigo Editora, 1997. p.38. PONTUAL, pág. 366; TEIXEIRA LEITE, pág. 522/524; JULIO LOUZADA vol.2, pág.261; ITAÚ CULTURAL ; WALTER ZANINI, pág. 520; ARTE NO BRASIL, pág. 672.

119 - VLAMIR DE SOUSA - (1966)
LL Carnaubeiras - ost - 40 x 60 - cid
Vlamir de Sousa Silva, natural de Fortaleza é neto de Jascinto de Souza, exímio artista popular cearense na década de 1930, e filho de Margarida de Souza, uma das poucas mulheres que participaram da Sociedade Cearense de Artes Plásticas - SCAP. Vlamir é pintor, escultor, desenhista, restaurador e professor de artes plásticas. Possui obras ilustrando revistas, livros, jornais e cinema. Participou de inúmeras exposições individuais e coletivas e de diversos Salões oficiais: no Ceará (1985 a 2002), São Paulo (1997); Rio de Janeiro (2007). Prêmios: no Ceará (1997 a 2002); São Paulo (1998).

120 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL Menina no Carrossel - ost - 38 x 46 - d - 1963 - Rio
- Reproduzido no convite deste leilão e no caderno Ilustrada do Jornal "Folha de São Paulo" de 22/04/2009.Esse grande pintor brasileiro, que estudou com Marques Júnior na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro, ingressando em seguida no Núcleo Bernardelli, onde se ligou de amizade a Pancetti, é hoje glória nacional. Sua carreira atravessou várias fases, desde a de cunho figurativo da déc. 30, ao construtivismo dos anos 50, para atingir afinal o figurativismo, das Vênus e Pássaros, passando pelas figuras esquematizadas da década de 1940. TEODORO BRAGA, pág. 163; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 229; MEC, vol. 2, pág. 13; BENEZIT, vol. 3, pág.315; ITAU CULTURAL; PONTUAL, pág. 155; WALTER ZANINI, pág. 573; ARTE NO BRASIL, pág. 763; LEONOR AMARANTE, pág. 63; Acervo FIEO.

121 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Circo - grav. 4/30 - 25 x 17 - cid - 1989
Pintora e desenhista. Assina Noemia. Realizou sua primeira individual em 1934, no Rio de Janeiro. Residiu na Europa de 1934 a 1940, frequentando em Paris as academias de la Grande Chaumière e Ranson. Expôs em Montevideu e Buenos Aires. Foi citada por REIS JUNIOR e TEODORO BRAGA. Foi aluna (1932) e mulher (1933) de Di Cavalcanti. MEC vol.3, pág. 265; WALMIR AYALA vol.2, pág.135; PONTUAL, pág. 375; TEIXEIRA LEITE, pág. 356; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 684. Acervo FIEO.

122 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Carranca - e em mad. - h = 71 - n/as.

123 - MARIO ORMEZZANO - (1915 - 1983)
LL " Marina " - e em t - h = 23 - as.
Pintor, escultor, professor e arquiteto, Natural de Mar del Plata, Argentina. Sua formação artística foi na Itália e de 1940 a 1951 foi professor em Santiago do Chile. EM 1954, transferiu-se para o Brasil. Individuais: Mar del Plata, AR (1953); Salvador, BA (1959); Rio de Janeiro, RJ (1960). Coletivas: Rio de Janeiro, RJ (1955 a 1962,1978); São Paulo, SP: V e VI Bienal Internacional (1959 e 1961), Panorama de Arte Brasileira-MAM (1972,1975,1978), Paço das Artes (1978), MASP (1982). JULIO LOUZADA,vol.5, pág.768; vol.11,pág.233; ITAU CULTURAL;

124 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Pombo - m em b 10/71 - 30 x 24 x 5 - ileg.

125 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 11 x 11 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

126 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Estudo para Ouro Preto " - osc - 24 x 33 - cid - 2008
Paulistano, o pintor nasceu em 10/5/1965. Estudou na APBA-SP, onde desenvolveu curso de desenho e pintura, frequentado sessões de modelo vivo. Individuais desde 1989 e coletivas em Salões Oficiais, com sucesso de crítica. Recebeu diversos prêmios. JULIO LOUZADA, vol.13, pág. 304; Acervo FIEO.

127 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL " Volta da pesca " - ost - 40 x 50 - cid
Romeno da cidade de Hotin, Waidergorn veio para o Brasil em 1932, onde seus pais fixaram residência em São Paulo. Ingressou na APBA, onde conheceu Mecatti, que muito o estimulou e orientou, dele assimilando a luminosidade da pintura peninsular muito a gosto do ottocento italiano. Sua pintura aborda todos os gêneros, baseadas tanto nas recordações da infância pobre como nas lembranças das viagens que fez ao norte da Africa e Europa. Participou de diversos salões e coletivas, recebendo diversas premiações JULIO LOUZADA vol.11, pág. 330; Acervo FIEO.

128 - LYRIA PALOMBINI - (1939)
LL Casario - ostce - 29 x 32 - cid - 1992
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 038 deste catálogo.

129 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Paisagem Surreal - ost - 60 x 80 - cid - 1984
Pioneiro do surrealismo, o qual praticava desde que chegou ao Brasil, em 1937, fixando residência em São Paulo. Participou de Salões Nacionais e Bienais de São Paulo, entre 1951 e 1965, recebendo diversas premiações oficiais. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 497; MEC, vol. 2, pág. 474; TEODORO BRAGA, pág. 245; TEIXEIRA LEITE, pág. 286; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 630; LEONOR AMARANTE, pág. 142; Acervo FIEO.

130 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Composição - e em f - h = - as. - M. Melline - No estado

131 - OTTONE ZORLINI - (1891 - 1967)
LL " Piracicaba " - osc - 42 x 34 - cie - 1965
Pintor e escultor nascido na Itália e falecido em São Paulo, onde se radicou na década de 1920. Ottoni Zorlini destacou-se como paisagista e pintor de figuras, num estilo afim ao de Volpi e ao de outros ilustres componentes da hoje célebre Família Artística Paulista, cuja obra muito ajudou a difundir. MEC, vol. 4, págs. 534 e 535; PONTUAL, pág. 559; Catálogo de Pintores Italianos no Brasil, SOCIARTE/82; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 623.

132 - NILTON ZANOTTI - (1945)
LL " Natureza morta " - tm - 40 x 50 - cid e d - 1993
Natural de São Paulo, Capital, onde iniciou seus estudos artísticos com 17 anos. Cursou a APBA e foi desenhista publicitário. Obteve novos conhecimentos artísticos com o pintor Franulic. A partir de 1983, seus trabalhos adquiriram um estilo próprio e de formas definidas como " Luas" . Expõe regularmente, com sucesso de crítica e de público. JULIO LOUZADA vol.2, pág.1083, Acervo FIEO.

133 - PAULO CALAZANS - (1947)
LL Devastação - asc - 21 x 30 - cid e d - 2008
Mineiro de Caratinga, onde nasceu a 25 de maio de 1947. Gravador, desenhista, fotógrafo e poeta. Dos 15 aos 30 anos executou trabalhos na área visual (pintura, ilustração, gravura, fotografia, cenografia, entre outros), o que gerou a sua formação atual. Sua obra reflete várias tendências, ora passando uma releitura na História da Arte no período 1300/1950, ora desenvolvendo imagens a partir do inconsciente racionalizado. Individuais e coletivas a partir de 1983, com premiações. JULIO LOUZADA vol.11, pág. 49.

134 - RENINA KATZ - (1925)
LL " Favela " - xilo. 34/80 - 33 x 22 - cid
Pintora, gravadora e professora, Renina Katz é paulista. Sua arte é dominada pelo vigor e pela imaginação. MEC vol.2, pág.403/4; PONTUAL, pág. 288/9; WALMIR AYALA vol.1, pág.441; JULIO LOUZADA vol.11, pág.262; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 606; ARTE NO BRASIL, pág. 834; LEONOR AMARANTE, pág. 98, Acervo FIEO.

135 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 14 x 19 - cie
Pintor húngaro, estudou em Paris com Jean Paul Laurenz. Expôs seus trabalhos na Europa e na América, tendo também participado de salões internacionais recebendo premiações. De 1924 a 1935 foi diretor do Museu de Budapeste e de 1935 a 1945 foi diretor do Museu das Artes Instrutivas da Hungria. O Museu Histórico Municipal de Budapeste possui mais de 700 aquarelas de sua autoria.

136 - ROSÁLIA LERNER - (1952)
LL " Paz " - a - 24 x 32 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 076 deste catálogo.

137 - SONIA MARIA BARBIERI - (1947)
LL " Instrumentos musicais " - ost - 100 x 80 - cid e d - 1996
Pintora, iniciou-se nas artes em 1977, foi citada no livro "Pinceladas Líricas" da crítica de arte Anita Salles. Participou de exposições individuais em 1994 - Espaços Culturais do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, Galeria Telesp, Clube Pinheiros/SP e Assembléia Legislativa/SP. JULIO LOUZADA vol. 7 pág. 70.

138 - TAKASHI FUKUSHIMA - (1950)
LL Composição - lito. 51/56 - 35 x 50 - cid - 1983
Filho do pintor Tikashi Fukushima, nasceu em São Paulo, Capital. Estuda com Luiz Paulo Baravelli em 1970 e, no mesmo ano, ingressa na FAU-SP. Paralelamente aos estudos universitários, expõe nas Bienais Internacionais de São Paulo em 1973 e 1975, obtendo, nesta última, prêmio aquisição. Em 1990 estuda na Universidade Nacional de Artes e Música de Tóquio, Japão, com bolsa concedida pela Fundação Japão. No mesmo ano, recebe o prêmio de excelência na 1ª Bienal Brasileira de Design, em Curitiba. Desde 1992 leciona desenho no curso de arquitetura e urbanismo da Faculdade de Belas Artes de São Paulo. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 141; ITAÚ CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 231, Acervo FIEO.

139 - SOPHIA TASSINARI - (1927 - 2005)
LL Maternidade - a - 33 x 24 - cie - 1977
Pintora, ceramista e joalheira, esta artista paulistana iniciou seu estudos com Teodoro Braga. Posteriormente teve como companheiros de aula Annita Malfatti e Mario de Andrade. Sua obra é nostálgica, transposta líricamente para as fachadas barrocas, vielas, igrejas e ruínas de cidades históricas brasileiras. JULIO LOUZADA, vol.9, pág. 843; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 644, Acervo FIEO.

140 - ALFREDO VOLPI - (1896 - 1988)
LL Bandeirinhas - lito. os 110/200 - 74 x 50 - cid
Nascido em Lucca, na Itália, radicou-se em São Paulo desde a mais tenra idade. Autodidata, iniciou sua carreira como pintor decorativista e de paredes. Considerado pela crítica como um dos grandes coloristas do século XX. Foi integrante do Grupo Santa Helena. REIS JUNIOR, pág. 378; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 426 e 428; JULIO LOUZADA vol.13, pág.1048; MEC. vol.4, pág. 496; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 584; ARTE NO BRASIL, pág. 684; LEONOR AMARANTE, pág. 28, Acervo FIEO.

141 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Amendoim - lito. - 30 x 44 - cid - 1978
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

142 - AGENOR SILVA - (1940)
LL " O Pantanal do Futuro " - dn e a - 29 x 49 - cie - 1983
Pintor e desenhista, Agenor Conceição da Silva, nasceu em Bom Jesus, RS. Autodidata, recebeu alguma orientação artistica de Vicente Caruzo e Inácio Justo. Criando figuras irreais, o artista cria o mundo fantástico com um quê de esotérico. Expõe individualmente desde 1968 e participa de coletivas nacionais e internacionais a partir de 1970, tendo recebido divesas premiações. JÚLIO LOUZADA vol.6, pág. 1052

143 - CASSIO MICHALANY - (1949)
LL Composição - grav. 17/100 - 46 x 64 - cid
Edição para o Clube dos Colecionadores e Gravura do MAM - SP. -Pintor e arquiteto paulistano formado pela FAU-SP em 1973. Estudou com Luis Paulo Baravelli e Frederico Nasser em 1967/1968. Expôs no IV Jovem Arte Contemporânea MAC-USP-SP em 1974, recebendo o Prêmio de Aquisição. Participou da Bienal Nacional em 1974 e 1976. Expôs individualmente a partir de 1979 nas principais galerias paulistas. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 678

144 - ANTONIO VITOR - (1942)
LL " Árvores e reflexo " - ost - 30 x 40 - cie e d - 1983
Nasceu em São José do Rio Pardo, SP, no dia 27 de novembro de 1942. Pintor e desenhista. Autodidata, Antonio Vitor é um exemplo de perseverança e apuro de qualidade, o que facilmente se percebe em sua obra. Destaca-se a busca pela interação da tradição latino-americana, com segurança de traços e solidez de forma. Expôs no Salão Paulista de Arte Moderna-SP, dos anos 1965, 1967 e 1968; bem como de diversos outros salões oficiais, recebendo premiações. JULIO LOUZADA, vol. 12 pág. 21; ITAU CULTURAL. Acervo FIEO.

145 - FERNANDO LUCCHESI - (1955)
LL " Africanas " - ser. P.A. 6/30 - 30 x 30 - cid - 2001
Desenhista, pintor, artista intermídia. Em 1977 trabalha no setor de artes plásticas da Fundação Clóvis Salgado em Belo Horizonte. Participa de sua primeira exposição coletiva, A Paisagem Mineira, em 1977. Dois anos depois, realiza sua primeira exposição individual na Fundação de Arte de Ouro Preto. Em 1983, integra a Escola de Artes e Ofícios de Contagem, Minas Gerais, idealizada por Amilcar de Castro (1920 - 2002), onde ministra aulas de desenho, pintura e objetos para crianças carentes da cidade. Em 1989, muda-se para Ouro Preto, onde no ano seguinte, durante a Semana Santa, realiza uma exposição a céu aberto, cobrindo com banners as fachadas das casas. Volta a residir em Belo Horizonte em 1995, e passa a realizar pinturas constituídas sobretudo por pequenos toques circulares do pincel. Muda-se novamente para Ouro Preto em 1997 e monta seu ateliê. Fixa residência em Nova Lima, na região de Belo Horizonte em 1999. ITAÚ CULTURAL.

146 - DECIO FERREIRA - (1932 - 2008)
LL " Quando o outono chegar " - ast - 50 x 60 - cid e d - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 006 deste catálogo.

147 - ALFREDO OLIANI - (1906 - 1988)
LL Estudo - dl e a - 43 x 47 - cid - 1929
Pintor, desenhista, gravador e escultor nascido (24/1/1906), e falecido (26/10/1988) na cidade de São Paulo. Frequentou a ENBA-SP, recebendo por concurso um prêmio de Viagem a Europa. Em Florença, Itália, aperfeiçoou-se na Academia de Belas Artes. Expondo nos salões oficiais em sua cidade natal, recebeu diversos prêmios. No campo da gravura, dedicou-se especialmente à água-forte. Obras em acervo: Pinacoteca-SP. JULIO LOUZADA, vol 4- pág 822

148 - DOMENICO LAZZARINI - (1920 - 1987)
LL Paisagem - ost - 16 x 22 - cid
Nasceu na cidade italiana de Viareggio, vindo a falecer na cidade do Rio de Janeiro. Em 1940, ainda na Itália, nas cidades de Lucca e Florença, realiza estudos com Rosai e Vedova. Já no Brasil, dá aulas de pintura na Escola de Belas Artes de Araraquara, São Paulo, em 1950. Em 1957, cria a Escola de Belas Artes de Ribeirão Preto e, em 1961, leciona no Museu de Arte do Rio de Janeiro. Em 1974, conquista o Prêmio Tetra d'Oro em Roma. Entre as exposições de que participa, destacam-se: Exposição de Lucca, Itália, 1946 a 1948; Bienal de Veneza, Itália, 1948; Jovens Pintores de Araraquara, no Museu de Arte Moderna de São Paulo, 1954; Salão Nacional de Arte Moderna (Isenção de Júri, 1959 e Prêmio Aquisição, 1962), Rio de Janeiro, 1958 a 1962; Bienal Internacional de São Paulo, 1959 e 1961; Galeria de Arte da Folha, São Paulo, 1959 e 1960; Domenico Lazzarini, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, 1963; 100 Obras Itaú, no Museu de Arte de São Paulo, 1985. BÉNÉZIT, vol. 6, pág. 499; JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 179; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 697; ARTE NO BRASIL, pág. 964; Acervo FIEO.

149 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Soltando balão - grav. 101/200 - 30 x 40 - cid - 1978
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 109 deste catálogo.

150 - INGRES SPELTRI - (1940)
LL Flores - ase - 62 x 40 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 010 deste catálogo.

151 - ERMES DI BERNARDI - (1934)
LL Paisagem - osm - 40 x 40 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 011 deste catálogo.

152 - AUGUSTO JOSÉ MARQUES JÚNIOR - (1887 - 1960)
LL Rosto - dn e g - 14 x 12 - cie
Discípulo de Visconti, grande pintor e mestre de pintura, Marques Júnior foi, no lado de Cavalleiro, um dos renovadores da arte nacional, nos primeiros anos do século XX. REIS JR. , pág. 371; TEODORO BRAGA, pág. 159; PONTUAL, pág. 341.342; MEC, vol. 3, pág. 76; TEIXEIRA LEITE, pág. 315; Primores da Pintura no Brasil, pág. 277.

153 - GINO BRUNO - (1889 - 1977)
LL Figura - ost - 64 x 50 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 013 deste catálogo.

154 - JOSÉ LOURENÇO - (1964)
LL Cozinhando - xilo. 42/100 - 9 x 9 - cid - 1992 - Juazeiro - CE
José Lourenço Gonzaga nasceu em Juazeiro do Norte, CE. Iniciou-se na gravura no ano de 1985 levado pelo avô, gráfico, para a Tipografia São Francisco, hoje, Lira Nordestina. Fez sua primeira gravura para a capa do cordel "O casamento matuto". Além das capas para folhetos, produziu álbuns, entre eles: "Lira Nordestina", "Via Sacra" e "A Vida do Padre Cícero". Exposições: Fortaleza, Juazeiro do Norte, Pacajús – CE (1990); Fortaleza, CE (1991); São Paulo, SP (1991); Campos do Jordão, SP (1992). Prêmios: Fortaleza, CE (1989, 1991). Mostra no Centro Cultural do Banco do Nordeste, em Fortaleza (lote 154 - José Lourenço) "Minha Vida na Xilogravura: Gravadores de Juazeiro" reúne dez xilogravuristas cearenses, naturais de Juazeiro do Norte (região do Cariri, sul do Estado). A mostra apresenta gravuras que expressam as trajetórias desses artistas, mostrando temas diferentes das tradicionais imagens daquela região. Participam da exposição Abrahão Batista, Ailton Laurino, Cícero Lourenço, Cosmo Braz, Francorli, José Lourenço, Manoel, Naldo, Nilo e Stênio Diniz (de 01/04/09 a 30/05/09). http://www.mauc.ufc.br/expo/2002/03/lourenco1.htm; http://fotolog.terra.com.br/filosofiadofutebol:1423

155 - IMRE MAGYAR - (XX)
LL " Céu da Terra " - ost - 50 x 60 - cid - 2008
Pintor alemão, radicado no Brasil desde 1950, com diversas exposições e participação de Salões Oficiais.

156 - JOSÉ WASTH RODRIGUES - (1891 - 1957)
LL Coroação - dn - 27 x 21 - cid
Pintor, desenhista e historiador paulistano, foi pensionado pelo Estado de São Paulo, estudando no Jean-Paul Laurens, em Paris, de cujo salão oficial participou em 1914. Dedicou-se com intensidade ao desenho a bico de pena. Executou os desenhos e aquarelas do livro Uniformes do Exército Brasileiro, de Gustavo Barroso. JULIO LOUZADA, VOL ,12, pág, 347. MEC, VOL, 4, pág, 92; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, Acervo FIEO.

157 - ALEX DOS SANTOS - (1980)
LL Índia com tucano - ose - 73 x 58 - cie - 2009
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 017 deste catálogo.

158 - JOSINALDO FERREIRA BARBOSA - (1951)
LL " Vapor gaiola do São Francisco " - ast - 60 x 80 - cid e d - 2009
Pintor, assina Josinaldo. Com diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior. Tambem participou de Salões, entre eles o Salão de Piracicaba. JÚLIO LOUZADA vol. 12 pág. 214.

159 - MILLAN HORVAT - (1946)
LL Peças de xadrez - spray - 60 x 50 - cie - 1993
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 021 deste catálogo.

160 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Trabalhadores - e em mad. - h = 39 - as. - Vicente

161 - MARIA TOMASELLI CIRNE LIMA - (1941)
LL Composição - ser. 31/100 - 30 x 30 - cid - 1972
A autora nasceu em Insbruck, Áustria. Pintora, desenhista, gravadora, xilógrafa e serígrafa, estudou desenho com Hanz Kuhn, em 1962, diplomando-se em Filosofia Pura na Universidade de Innsbruck, em 1965, ano em que transfere residência para o Brasil, fixando-se em Porto Alegre-RS. Foi aluna de pintura de Iberê Camargo e de xilogravura com Danúbio Gonçalves, no Ateliê Livre da Prefeitura. " (...) O trabalho de Tomaselli evoluiu à maneira de uma lente de aproximação no tempo e no espaço: da aldeia indígena à cidade e desta ao corpo. Esta evolução foi também um processo de desnudamento, a artista arrancando as sucessivas peles desse corpo-mundo-casa-colcha. Nua de mitos ela conclui que o mundo não é feito só de arte ou utopias. Como ela". Frederico Morais, in MARIA Tomaselli. Apresentação de Frederico Morais. São Paulo: Galeria Alberto Bonfiglioli, 1984. MEC; WALTER ZANINI; ITAUCULTURAL.

162 - LÉON HAFFNER - (1881 - 1972)
LL Veleiro - g - 43 x 31 - cie
Desenhista, caricaturista e pintor de marinhas nascido em Paris, França. Participante do Salão dos Artistas Franceses, assina L.Haffner. O Museu da Marinha de Paris possui numerosas obras suas. BENEZIT, vol.5, pág.349; ARTNET.COM; ARTPRICE.COM.

163 - EMANOEL ARAÚJO - (1940)
LL Composição - lito. 35/100 - 49 x 33 - cid - 1971
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

164 - ISABEL DE JESUS - (1938)
LL Flores - g - 15 x 21 - cid - 1976
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 023 deste catálogo.

165 - CARLOS SÖRENSEN - (1928 - 2008)
LL Estudo - dc - 51 x 37 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 044 deste catálogo.

166 - PEDRO CORRÊA - (1920)
LL Marinha - a - 13 x 24 - cid - 1976
Paraibano de Campina Grande, foi artisticamente orientado pelo pintor Augusto Rodrigues, no Rio de Janeiro. Fixou residência em São Paulo, onde é ativo, inclusive através de uma escola de arte que mantém na cidade. Participou regularmente do SPBA, tendo também realizado várias individuais. JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 271 e 272, Acervo FIEO.

167 - TOMÁS SANTA ROSA - (1909 - 1956)
LL Paisagem surreal - lito. - 24 x 19 - cid
Pintor, gravador, cenógrafo e professor. Oriundo da Paraíba, onde nasceu, fixou-se no Rio de Janeiro, iniciando em 1930 sua bem sucedida carreira de ilustrador de obras de autores estrangeiros e brasileiros, que inclui, dentre outros, Graciliano Ramos, José Lins do Rêgo, Jorge Amado, Castro Alves e muitos outros. Sua obra tem reconhecimento nacional e unanimidade de crítica, havendo se destacado em todas as áreas das artes que praticou. PONTUAL, pág. 472; TEIXEIRA LEITE, pág. 460; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 572; LEONOR AMARANTE.

168 - BERNARDO KRASNIANSKY - (1951)
LL Composição - transfer - 33 x 23 - n/as.
Pintor, desenhista, gravador. Inicia sua formação artística estudando técnicas de desenho com Lívio Abramo, João Rossi e Leonor Cecatto, em São Paulo, em 1970. Conclui bacharelado em artes plásticas pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, ECA/USP, em 1975, e licencia-se em educação artística pela Fundação Álvares Penteado, Faap, em 1977. Em 1981, recebe, em São Paulo, o Prêmio de Melhor Mostra de Desenho do Ano, concedido pela Associação Paulista de Críticos de Artes, APCA, pela exposição individual O Mito do Labirinto, na Pinacoteca do Estado. ITAÚ CULTURAL.

169 - GUILHERME DE FARIA - (1942)
LL Nu - dn e a - 50 x 72 - csd - 1999
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 029 deste catálogo.

170 - DJALMA URBAN - (1917)
LL Marinha - ostce - 19 x 30 - cid - 1980
Pintor, ilustrador, desenhista, jornalista e professor, nascido na cidade paulista de Leme, no dia 9 de outubro de 1917. Estudou desenho e pintura com Torquato Bassi, Waldemar da Costa, Pedro Alexandrino, Paulo do Vale Júnior, Teodoro Braga e Marques de Leão. Realizou ilustrações e desenhos para o jornal O Estado de S. Paulo. Segundo crítica de Julio Louzada: "Impressionista, a paisagem, a natureza, a marinha e o folclore brasileiros são os seus temas preferidos. Dono de um estilo vigoroso e espontâneo, seus quadros se destacam pela riqueza composicional e cromática. A cor, aliás, sempre em tonalidades quentes, é o forte de sua pintura, assim como os jogos de luz que domina com perfeição. " Expôs individualmente a partir de 1951. JULIO LOUZADA, vol.2, pág.1014; MEC, vol.4, pág.436; THEODORO BRAGA, pág.82; ITAÚ CULTURAL; 37, Acervo FIEO.

171 - MILTON DACOSTA - (1915 - 1988)
LL " Mão e pássaros " - dn - 15 x 22 - cid e d - 1976
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 120 deste catálogo.

172 - MARTINS DE PORANGABA - (1944)
LL Figuras - ost - 22 x 33 - cid - 1988
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 053 deste catálogo.

173 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Por de Sol - t - 100 x 135 - n/as.

174 - AMILCAR DE CASTRO - (1920 - 2002)
LL Composição - lito. 4/30 - 70 x 50 - cid - 1990
Escultor e desenhista mineiro, nascido em Paraisópolis. Autodidata em escultura, estudou desenho e pintura com Guignard (BH, 1942-1950). Assinou o manifesto do movimento neoconcreto, participando das exposições do grupo no MAM-RJ (1959), MAM-SP (1961), MEC-RJ (1960). " ... o ponto comum de todas elas (as obras do autor) estava na expressão de uma fôrça interior contida pelos ritmos implacáveis e decisivos da estrutura." (Ferreira Gullar, referindo-se às obras do autor na época das exposições do Grupo). Amilcar participou das Bienais de SP de 1953 a 1965, nos SNAM, entre 1960 e 1967, além de tantas outras mostras de expressão internacional, que lhe trouxeram prestigio de público e de sempre elevada crítica. ITAÚ CULTURAL; PONTUAL, pág. 119; JULIO LOUZADA, VOL, 10 pág, 198; MEC, VOL, 1 pág, 386; WALTER ZANINI, pág. 656; ARTE NO BRASIL, pág. 872; LEONOR AMARANTE, pág. 136; Acervo FIEO.

175 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Cangaceiros - pr em baq - 20 x 20 - cid - 1963
Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

176 - DIMITRI ISMAILOVITCH - (1898 - 1976)
LL Composição - p - 30 x 44 - cid - 1971
Pintor russo, estudou em 1918 e 1919 na Academia de Belas Artes da Ucrânia, e em 1927 radicou-se no Rio de Janeiro, tendo participado de diversas exposições individuais e salões oficiais. Pintor de natureza morta, paisagem e retratos. TEODORO BRAGA, pág. 123; REIS JUNIOR, pág. 379; PONTUAL, pág. 274; MEC, vol. 2, pág. 367; ITAÚ CULTURAL.

177 - HARRY ELSAS - (1925 - 1994)
LL Violinista - ostcm - 46 x 37 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 037 deste catálogo.

178 - OMAR PELEGATTA - (1925 - 2000)
LL Paisagem - ose - 30 x 21 - cid
Italiano da Lombardia, PELLEGATTA foi pintor e gravador dedicado a temas sacros e casarios coloniais. Em sua obra, o ser humano é apresentado sempre de modo idealizado, na figura de ternas madonas, santos, coroinhas e cavaleiros. Participou de diversas coletivas e salões, a partir de 1957, recebendo premiações em sua maioria. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág.735; MEC vol.3, pág.363; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

179 - GERALDO ORTHOF - (1903 - 1990)
LL Figuras - a - 37 x 26 - cie
Pintor, cartazista e desenhista, nasceu em Viena, Áustria, e faleceu no Rio de Janeiro-RJ. Inicia seus estudos em sua cidade natal, entre 1917 e 1921, estudando com o pintor Windhager. Em 1922, na Alemanha, ingressa na Academia de Berlim, onde é aluno de Ferdinand Spiegel e Karh Hofer. No Brasil, atua como paginador artístico da revista O Cruzeiro (1928). Entre as exposições de que participa, destacam-se: Exposição da Academia de Belas Artes, Rio de Janeiro, 1926; Salão Nacional de Artes Plásticas, no Palácio da Cultura e no MNBA - Categoria Desenho, Rio de Janeiro, 1978; Exposição do Ministério da Aviação, Rio de Janeiro, 1980 (Medalha de Ouro). JULIO LOUZADA, vol. 2 pag. 746; ITAU CULTURAL.

180 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Carro de bois - ost - 25 x 30 - cid e d - 2007
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 040 deste catálogo.

181 - CLODOMIRO AMAZONAS - (1893 - 1953)
LL Flores - ost - 24 x 30 - cid
Clodomiro Amazonas Monteiro, nasceu em Taubaté-SP, e faleceu na Capital-SP. Pintor e restaurador, iniciou-se em pintura aos 16 anos, realizando restaurações em telas e afrescos do Convento Santa Clara, em Taubaté. Fixa residência em São Paulo em 1906, quando entra em contato com a obra de Baptista da Costa e tem aulas com o pintor Carlo de Servi. Manteve contato com intelectuais, escritores e artistas como Monteiro Lobato, Menotti del Picchia, Lucílio e Georgina de Albuquerque e também Pedro Alexandrino, entre outros. É um dos fundadores do Salão Paulista de Belas Artes, em 1934. Amazonas foi artista de méritos, cuja pintura, vazada num desenho de grande solidez, e um colorido realista, não deixa de irradiar certa rústica poesia. MEC, vol. 1, pág. 75; TEIXEIRA LEITE, pág. 26; PONTUAL, pág. 24; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 42; TEODORO BRAGA, pág. 72; ITAU CULTURAL.

182 - OVANIR GERALDO DE FREITAS, DITO BISCOITO - (XX) -
LL Animais - e em mad. - h = 17 - b
Natural de Cachoeira do Brumado - MG. Funcionário da prefeitura de Mariana - MG, foi genro do escultor Artur Pereira. Logo mostrou que tinha outras habilidades e talentos e ,sempre que tinha folga, ia para a casa do sogro para ajudá-lo a lixar a dar acabamento nas esculturas. O professor foi dos melhores e o aluno parece que respondeu à altura. Hoje, Biscoito é, sem sombra de dúvida, o grande herdeiro do talhe de Artur Pereira.

183 - ROSINA BECKER DO VALLE - (1914 - 2000)
LL " O circo " - ost - 24 x 33 - cie e d - 1970
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 056 deste catálogo.

184 - HÉLIOS SEELINGER - (1878 - 1965)
LL Estudo - dn - 15 x 9 - cie
Natural do Rio de Janeiro, seu pai era alemão e sua mãe brasileira, descendentes de franceses e gregos. O artista estudou na ENBA (1892-1896), onde foi aluno de Henrique Bernardelli. Recebeu influência do artista alemão Franz von Stuck, na Academia de Belas Artes de Munique, onde ali foram seus contemporâneos Kandinsky, Paul Klee e Franz Marc. SEELINGER decorou o salão nobre do Clube Naval do Rio de Janeiro, a convite do Ministério do Marinha (1910). PONTUAL, pág.481; TEIXEIRA LEITE, pág. 466; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 431; ARTE NO BRASIL, pág. 574.

185 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Zebra - m em ac - h = 15 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 015 deste catálogo.

186 - HEINZ BUDWEG - (1940)
LL " Vale verde " - dn - 32 x 46 - cid - 1991
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 046 deste catálogo.

187 - FANG, CHEN KONG - (1931)
LL Queda d'água - ost - 40 x 50 - cie
Pintor, desenhista e gravador. Ativo em São Paulo, estudou com Y. Takaoka; expôs nos Salões de Belas Artes de São Paulo e do Rio de Janeiro, obtendo diversas premiações. Tem obras em coleções particulares e na Pinacoteca de São Paulo. MEC, vol. 2, pág. 124; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 366; TEIXEIRA LEITE, pág. 189; PONTUAL, pág. 201.; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

188 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Composição - g - 21 x 14 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

189 - JOÃO KOZO SUZUKI - (1935)
LL Figuras - tm - 19 x 17 - cid - 1972
Natural de Mirandópolis, SP, é pintor, desenhista e gravador. Foi discípulo de João Rossi. Expõe individualmente a partir de 1959, e coletivamente desde 1957. Ganhador de diversos premios em certames oficiais, tais como SPAM-SP, Grupo Seibi, etc. JULIO LOUZADA, vol. 3 , pág 1102; ITAU CULTURAL.

190 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Capa da Revista Fon-Fon - g - 30 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 113 deste catálogo.

191 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Casal - dl - 37 x 24 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 121 deste catálogo.

192 - FRANCISCO STOCKINGER - (1919 - 2009)
LL Composição - e em mar - h = 82 - b
Natural de Traum, Áustria, Xico Stockinger, como é conhecido, foi aluno de Bruno Giorgi e desde 1954, radicado em Porto Alegre, á um escultor da figura humana e do animal. Também é excelente desenhista e gravador. Começou a expor na década de 40, no Rio de Janeiro, recebendo premiações. Desempenhou importante papel no desenvolvimento das artes plástica gaúcha. Tem seu nome firmado no cenário nacional e internacional, como escultor expressivo e original. JULIO LOUZADA, vol.11, pág.311; PONTUAL, pág.506; MEC., vol.4, pág.342/3.; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 720; ARTE NO BRASIL, pág. 868; LEONOR AMARANTE, pág. 136.

193 - MARTINS DE PORANGABA - (1944)
LL Composição - osp - 50 x 70 - cie - 1996
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 053 deste catálogo.

194 - FRANCESC DOMINGO - (1893 - 1974)
LL Cristo - ostce - 39 x 30 - cie
Pintor, desenhista, gravador. Estudou na Academia Livre - formada pelo grupo Les Arts - e realizou sua primeira mostra individual no Salão de Publicidade em 1917, em Barcelona. Em Paris, entre 1919 e 1927 convive com o pintor Pablo Picasso. Em 1920 e 1923, participando do grupo Agrupació Coubert, expôs suas obras em Barcelona junto com Juan Gris e Joan Miró. Com o fim da Guerra Civil Espanhola, é proibido de expor, tornando-se alvo de perseguições políticas. Em 1950, muda-se para a Argentina e, no ano seguinte, para São Paulo, onde leciona gravura na Escola de Belas Artes. Em 1962, inaugura a Galeria F. Domingo e cria o Grupo Bisonte, com Walter Levy, Pedro Tort, Jagobo, Paulo Chaves e outros. Em 1965, Júlio de Mesquita Filho encomenda-lhe retratos de personalidades ligadas ao jornal O Estado de S. Paulo, como Alberto Salles e Euclides da Cunha - entre suas obras, é conhecido o retrato de Gaudí, 1968, doado pelo colégio de Arquitetos à Prefeitura Municipal de Barcelona. É homenageado com o Prêmio Inglada - Guillot, em 1953, nessa mesma cidade. Teve importante retrospectiva no MASP-SP. DOMINGO SEGURA, Francesc. Francesc Domingo Segura. São Paulo: MASP, 1973. BENEZIT; TEIXEIRA LEITE: Pintores Espanhóis no Brasil; ITAÚ CULTURAL.

195 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Paisagem - aspce - 25 x 40 - cie
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista.- - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

196 - GIUSEPPE PERISSINOTTO - (1881 - 1965)
LL Natureza morta - ost - 50 x 62 - cid
Nascido em Musile, Veneza, Itália, veio para o Brasil ainda criança e cuja família radicou-se no interior de São Paulo. Fez estudos de pintura na Academia de Belas Artes de Veneza, para onde retornou aos dezoitos anos, prosseguindo para Florença e demais centros de arte da Itália onde se aperfeiçoou; retornou a cidade de São Paulo em 1912, dedicando-se exclusivamente a sua pintura que sempre teve como tema paisagens, marinhas naturezas mortas e figuras. Expôs em várias capitais do Brasil, com sucesso de crítica e público; foi um dos idealizadores do SPBA, ao lado de Souza Pereira e outros. ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

197 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 14 x 20 - cid
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

198 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
LL Touro - xilo. - 32 x 23 - cid - 1946/1947
Com decicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

199 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Árvore - t - 170 x 135 - n/as.

200 - ALBERTO DA VEIGA GUIGNARD - (1896 - 1962)
LL Flores - mon. - 27 x 21 - cid - 1937
Ex - coleção Embaixador Josias Carneiro Leão - Rio de Janeiro. -Pintor, desenhista, gravador e professor. No dizer de Rodrigo de Melo Franco de Andrade, no álbum de reproduções da obra do artista, em 1967: "Quando Guignard voltou da Europa, para onde tinha ido menino, só regressando com mais de 30 anos, redescobriu o Brasil, tomado de uma ternura e de uma admiração comovidas que conservou até os seus últimos dias. Toda a obra que produziu, desde então, ficou impregnada da emoção e da poesia sentidas naquele reencontro com a terra natal." PONTUAL, pág. 254 a 256; MEC, vol. 2, pag. 304; TEIXEIRA LEITE, pág. 236 a 240 ; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 404; ART PRICE ANNUAL 2000, pág. 1013; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 373/375/377; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 559; ARTE NO BRASIL, pág. 505; LEONOR AMARANTE, pág. 28.

201 - MANUEL EUDÓCIO - (1931)
LL Boi - e em br - h = 64 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 061 deste catálogo.

202 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Carranca - e em mad. - h = 88 - n/as.

203 - JOAQUIM LOPES FIGUEIRA JUNIOR - (1904 - 1943)
LL Flores - ost - 49 x 29 - cid
Com etiqueta de Grifo Galeria de Arte - São Paulo, no dorso. -Escultor e pintor, participante do Salão Paulista de Belas Artes em 1934 e 1936, quando recebeu as pequenas medalhas de prata e de ouro. Na Divisão Moderna do SNBA recebeu o prêmio viagem ao País, em 1941. Integrou a Família Artística Paulista, participando de suas mostras entre 1937 e 1940. Quirino Campofiorito, artista e festejado crítico de arte, assim disse a seu respeito: "Faleceu prematuramente Figueira, quando sua obra confirmava um rigor estético que tinha sua medida na simplicidade do modelado e na espontaneidade da objetividade figurativa." MEC, vol.2, PÁG.173; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 348; PONTUAL, pág. 212; TEIXEIRA LEITE, pág.193; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL; WALTER ZANINI, pág. 586.

204 - MARCELO GRASSMANN - (1925)
LL Figura - grav. P.A. - 40 x 30 - cid - 1961
Grande desenhista e gravador, é sem dúvida um mestre de nível internacional. Tematicamente, habita um mundo de monstros e de cavaleiros andantes, íncubos e súcubos, animais fantásticos e rostos renascentistas, permanecendo deliberadamente arcaico, à sombra de seus queridos mestres alemães e italianos de fins da Idade Média. MEC, vol. 2, pág. 281/2; PONTUAL, pág. 249/50; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 645; ARTE NO BRASIL, pág. 803; LEONOR AMARANTE, pág. 18; Acervo FIEO.

205 - ALUISIO CARVÃO - (1920 - 2001)
LL Composição - dn - 29 x 21 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 065 deste catálogo.

206 - SAKAI DO EMBÚ - (1914 - 1981)
LL São Francisco - e em c - h = 131 - d

207 - OSCAR PEREIRA DA SILVA - (1867 - 1939)
LL Imigrante - ost - 51 x 45 - cid - 1909
Grande pintor brasileiro; prêmio de viagem à Europa em 1889, aperfeiçoou-se em Paris com Gérome e Leon Bonnat. "Sem ter revelado impulsos vigorosos que lhe evidenciassem poder emotivo, Oscar Pereira da Silva soube manter no transcorrer de bem cinquenta e sete anos de produção permanente e intensa, desde que retornou ao país, em 1896, todo o cuidado de um desenho severamente elaborado, sem num só instante voltar-se para o novo semblante que a pintura adquiria nessa transposição de tempo. " Quirino Campofiorito, in CAMPOFIORITO, Quirino. História da Pintura Brasileira no Século XIX. Ed.Pinakotheke-SP, 1983. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, págs. 245/281; TEODORO BRAGA, pág. 177/8; LAUDELINO FREIRE, pág. 383; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 185; MEC, vol. 4, pág.277; PONTUAL, pág. 419; TEIXEIRA LEITE, pág. 402; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 437; ARTE NO BRASIL, pág. 553, Acervo FIEO; F. ACQUARONE, pág. 187.

208 - WILLIAN HOGARTH - (1697 - 1764)
LL " O rei da Prussia " - grav. - 45 x 56 - as. - na matriz
Foi um pintor, gravador e ilustrador inglês. Seu trabalho se estendeu de excelentes retratos realistas a histórias em quadrinhos como séries de imagens chamadas "assuntos morais modernos". Muito do seu trabalho, embora às vezes vicioso, satirizavam a política contemporânea e as alfândegas. Ilustrações de tal estilo são muitas vezes referidas como Hogartianas.

209 - RUBENS GERCHMAN - (1942 - 2008)
LL Composição - tm - 30 x 100 - cid
Importante artista, foi representante da vanguarda da arte brasileira. Pintor, desenhista e gravador, frequentou o Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro (1957/8) e a antiga ENBA (1959-1962), estudando xilogravura com Adir Botelho. Participou dos XIX e XXI SPar.BA (1962-1964 / com prêmios), XI, XIII, XIV, XV e XVI SNAM (entre 1962-1967), além de inúmeros outros salões e mostras oficiais no Brasil e no exterior. JULIO LOUZADA vol. 13 pág. 148; PONTUAL, pág. 235; TEIXEIRA LEITE, "in" A GRAVURA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 974; LEONOR AMARANTE, pág. 143, Acervo FIEO.

210 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Natureza morta - tm - 35 x 25 - cie - 1970
- Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 072 deste catálogo.

211 - ALDIR MENDES DE SOUZA - (1914 - 2007)
LL " Composição n° 24 " - tst - 50 x 125 - d - 1986
Pintor, desenhista, gravador e escultor. Ativo em São Paulo, onde participou da I BNAP (1966), SPAM (1966/7), SACC (1996/7), IX BSP (1967), com premiações. "A cor é o conteúdo e a forma na pintura de Aldir. A geometria ajuda-o a construir a cor, enquanto sua temática, seja ela a Geometria da Terra (o campo) ou a Geometria da Urbe (os edifícios), são formas, meros pretextos e, às vezes, intertextos, para a arquitetura de sua linguagem iconográfica. Se é com a cor que Aldir traça sua geometria, o produto obtido é uma geometria da cor". Alberto Beutenmüller, in18 CONTEMPORÂNEOS. Apresentação de J. Peter Cohn. São Paulo: Dan Galeria, 1987. PONTUAL, pág. 501; MEC, vol. 4, pág. 310/11; CATÁLOGO DA EXPOSIÇÃO PANORAMA DE ARTE ATUAL BRASILEIRA - MUSEU DE ARTE MODERNA / 1976; TEIXEIRA LEITE, pág. 18; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 349; JÚLIO LOUZADA, vol. 10, pág. 40; ITAÚ CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 252; Acervo FIEO.

212 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Animais - ost - 25 x 30 - cid e d - 2006
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 040 deste catálogo.

213 - HÉRCULES BARSOTTI - (1914)
LL Composição - grav. 46/50 - 45 x 45 - cie - 1990
Pintor, desenhista, programador visual, gravador, nascido em São Paulo, SP . Iniciou-se nas artes em 1926, estudando desenho e composição com o pintor Enrico Vio. Começa a pintar em 1940 e, na década seguinte, realiza as primeiras pinturas concretas, além de trabalhar como desenhista têxtil e projetar figurino para o teatro. Em 1954, com Willys de Castro, funda o Estúdio de Projetos Gráficos, elabora ilustrações para várias revistas e desenvolve estampas de tecidos produzidos em sua tecelagem. Na década de 1960, convidado por Ferreira Gullar (1931), integra-se ao Grupo Neoconcreto do Rio de Janeiro e participa das exposições de arte do grupo realizadas no Ministério da Educação e Cultura, no Rio de Janeiro, e no Museu de Arte Moderna de São Paulo - MAM/SP. Em 1960, expõe na mostra Konkrete Kunst [Arte Concreta], organizada por Max Bill, em Zurique. Hercules Barsotti explora a cor, as possibilidades dinâmicas da forma e utiliza formatos de quadros pouco usuais, como losangos, hexágonos, pentágonos e circunferências. Em sua obra a disposição dos campos de cor cria a ilusão de tridimensionalidade. Entre 1963 e 1965, colabora na fundação e participa do Grupo Novas Tendências, em São Paulo. Em 2004, o MAM/SP organiza uma retrospectiva do artista. JULIO LOUZADA, vol. 1, pag. 98; ITAU CULTURAL

214 - FRANCISCO DA SILVA - (1910 - 1985)
LL Animais - ost - 52 x 68 - cid - 1971
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 074 deste catálogo.

215 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato azul e gato vermelho - ast - 85 x 35 - cie e d - 2002
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista.- - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

216 - VERA PAVANELLI - (1952)
LL Composição - tm - 107 x 74 - cie - 2008
Participou da Exposição 450 anos São Paulo realizada na Bienal. -Artista plástica natural de Piracicaba-SP. Vive e é ativa na cidade de São Paulo. Utiliza a técnica da encáustica em suas obras, mercê de diversos estudos realizados nos Estados Unidos e Europa. Segundo comenta a própria artista, "A encáustica foi retirada do cenário artístico na época da inquisição, mas há um século vem sendo pesquisada para voltar. Dentro dessa técnica milenar, desenvolvi 20 subtécnicas e hoje é a minha especialidade".

217 - HEITOR DOS PRAZERES - (1898 - 1966)
LL Brincando de roda - osm - 38 x 55 - cid - 1965 - Rio
Com autenticação da família do artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 077 deste catálogo.

218 - BIN KONDO - (1937)
LL Composição - ost - 120 x 80 - cid - 1970
Pintor e desenhista chinês. Realizou sua formação artística no Japão, residindo em São Paulo desde 1960. Diversas exposições individuais e coletivas. Várias premiações.PONTUAL, pág. 292; MEC, vol.2, pág. 411; JÚLIO LOUZADA, vol. 9, pág. 453; WALTER ZANINI, pág. 697, Acervo FIEO.

219 - VANDO FIGUEIREDO - (1952)
LL "Cuida do teus dentes..." - ast - 60 x 45 - cie e d - 2006
Complemento de título: " Cuida de teus dentes assim como do teu hálito ". - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 079 deste catálogo.

220 - PEDRO ALEXANDRINO - (1864 - 1942)
LL Natureza morta - osm - 27 x 35 - csd
- Reproduzido no convite deste leilão.Pintor acadêmico, especializou-se em naturezas mortas; aluno de Almeida Junior, foi professor, entre outros, de Tarsila do Amaral, Anita Malfati e Aldo Bonadei. Segundo a festejada crítica e historiadora de arte, Ruth Sprung Tarasantchi, "Pedro Alexandrino (...) demonstrou ser o artista que, em sua época, a nossa sociedade demandava. Vinha suprir as necessidades dos colecionadores, pois seus quadros, de fácil leitura, satisfaziam os sentidos, não tendo que recorrer à cultura artística que não possuíam. Pintava com realismo objetos e frutas que faziam parte da vida ou das aspirações da sociedade paulistana; por isso, através de sua obra temos uma idéia do nosso meio no fim do século passado e até quase meados deste. Foi ele, mais do que qualquer outro pintor, que nos fez entrever o nosso meio provinciano, de pouca cultura, ao mesmo tempo que pretensioso, procurando afrancesar-se. " in: TARASANTCHI, Ruth Sprung. A vida silenciosa na pintura de Pedro Alexandrino. 1981. Dissertação (Mestrado) - Escola de Comunicações e Artes - ECA/USP, São Paulo, 1981. ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1039; TEIXEIRA LEITE, pág. 391/2; MEC, vol. 1, pág. 46; ITAU CULTURAL.

221 - CASSIO M'BOY - (1903 - 1986)
LL Santa - e em mad. - 28 x 19 - cie
Pintor, escultor, decorador, tapeceiro, desenhista e vitrilalista, o autor nasceu na cidade paulista de Mineiros do Tietê-SP 1986). Estudou desenho e anatomia com Georg Elpons em São Paulo. Foi ligado ao Grupo Modernista (1922). Suas pinturas dão preferência a uma temática rural e caipira. Na cidade de São Paulo, participa da exposição organizada por Flávio de Carvalho (1934) e executa um grande vitral com uma equipe ligada à Fundação Armando Álvares Penteado/Faap. Realiza sua primeira individual em 1950, no Museu de Arte de São Paulo. Entre as mostras de que participa, destacam-se: Exposição Internacional de Artes e Técnicas de Paris, França, 1937 (Medalha de Ouro); Salão de Maio, São Paulo, 1938; Bienal de Veneza, Itália, 1952. "Insiste-se ainda em incluir Cássio M´Boy entre os pintores ingênuos ou primitivos. Tal lenda decorre mais do seu ambiente doméstico bem caipira e dos processos toscos que usa em temas singelos do que da sua arte propriamente individual (...). A verdade é que Cássio M´Boy se firmou como pintor de assuntos hagiológicos e folclóricos, dos quais nunca se afastou em seu atelier de hibernação bucólica. Inicialmente desenhista de figurinos e escultor de tarimba artesanal, não demorou a adquirir virtuosismo quanto a linhas, formas, volumes, cores e composição. Mas as cenas, as figuras humanas bem como os episódios, complementarmente os bichos, as flores, os montes, as estradas, as cachoeiras; tudo é desenhado e colorido mediante mentalidade populista e singela. " José Geraldo Vieira, in PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Apresentação de Antônio Houaiss. Textos de Mário Barata et al. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969. WALMIR AYALA, vol.1, pág.181; MEC vol.3, pág.109; JULIO LOUZADA vol.4, pág. 649; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 631; PONTUAL; TEIXEIRA LEITE; ACERVO FIEO, pág. 496, Acervo FIEO.

222 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Pilão entalhado - e em mad. - h = 46 - n/as.

223 - TOMOO HANDA - (1906 - 1996)
LL Portal - dch - 24 x 32 - cie - 1957
Pintor, desenhista e historiador. Natural de Utsonomiya, Japão, imigrou para o Brasil no início do séc. passado.Foi o grande precursor dos artistas nipo-brasileiros em atividade no País, cuja obra praticou com finura e lirismo. Foi o mestre inconteste de duas gerações de artistas que nele tinham seu líder. PONTUAL, 259; JULIO LOUZADA, vol. 2, 489; TEIXEIRA LEITE, pág. 242; ITAU CULTURAL ; WALTER ZANINI, pág. 587.

224 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
LL Composição - g - 18 x 11 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 084 deste catálogo.

225 - EDUARDO TORASSA - (1955)
LL Duendes - ost - 80 x 63 - cid
Nasceu em Buenos Aires, Argentina, no dia 19 de maio de 1955. É pintor e desenhista. O artista apresenta uma pintura com fases simbolistas, onde as técnicas utilizadas são exploradas com firmeza. Sobre o artista, assim se manifestou o então Diretor do MASP, Pietro Maria Bardi: " ... O jovem tem o ar de polemizar com as tendências que há por aí, estas juntando brilhantemente elementos 'a fartura da decoração, ramo da pintura como tantos outros. ... O que se recomenda ao visitante é procurar o contato direto com este artista que vai confirmando a tradição do figurativo com talento e originalidade, possuidor de uma obra poética em cujas linhas e cores é fácil descobrir seu mundo fantástico." JULIO LOUZADA vol. 13 pág. 336

226 - ANTONIO PESSOA - (1943)
LL Par de esculturas - e em b - as.
1) Nu, h = 10; 2) Nu, h = 9. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 066 deste catálogo.

227 - OSWALDO GOELDI - (1895 - 1961)
LL Figuras - dl - 17 x 26 - n/as.
Com a seguinte declaração: " Original de Oswaldo Goeldi. Beatriz Reynal ". - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 087 deste catálogo.

228 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Baiana - a - 22 x 18 - cid - 1981
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 071 deste catálogo.

229 - KENNEDY BAHIA - (1929 - 2005)
LL Pássaro - t - 130 x 100 - cie e d - 1972
Pintor e tapeceiro, KENNEDY era natural de Viña del Mar, Chile. Sua obras estão repletas de sentimentos. Os temas principais do artista são a fauna e flora brasileiras, aos quais dedicou seu amor e admiração por toda a sua vida. Era residente e ativo na Bahia, de onde adotou o nome artístico. JULIO LOUZADA, vol.10, pág.85; MEC, vol.2, pág.406; PONTUAL, pág.290

230 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Galo - ast - 41 x 33 - cid e d - 1985
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista.- Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

231 - HEINZ KUHN - (1908 - 1987)
LL Composição - ostce - 53 x 30 - cid - 1985
Nasceu em Berlim, Alemanha, e faleceu em São Paulo-SP. Inicia seus estudos em sua terra natal, expondo obras na Alemanha e na França. No Brasil em 1950, fixa-se em São Paulo. Nesse período sua pintura é figurativa, voltando-se aos poucos, para a abstração geométrica. Theon Spanudis considerava o autor como "um dos pintores mais conscientes, inquietos e produtivos de São Paulo (1964)". A partir dos anos 60 sua pintura se move no âmbito da abstração informal, com eventuais referências ao mundo real. Obra de sua autoria faz parte da Coleção Adolpho Leirner, participando do livro Arte Construtiva no Brasil, de Aracy Amaral (pág. 193) MEC, vol. 2 pág. 430; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 688.

232 - LOUCO - BOAVENTURA DA SILVA FILHO - (1932 - 1992)
LL Figura - e em mad. - 73 x 18 x 4 - d - 1977
O autor, conhecido como Louco, é natural de Cachoeira, histórica cidade baiana, às margens do rio Paraguaçu. Foi aí que começou seu trabalho. Pouco a pouco suas esculturas tornaram-se amplamente conhecidas, garantindo, para Boaventura, um lugar de destaque entre os artistas populares brasileiros. A partir do reconhecimento de sua obra, participou de exposições significativas como a mostra do Centro Domus, em Milão, Itália; o Espírito Criador do Povo Brasileiro, através da coleção de Abelardo Rodrigues, e Sete Brasileiros e seu Universo, em Brasília. É dele a seguinte explicação para o seu novo nome: "É porque sou louco pra trabalhar! Fui o primeiro artista da cidade. Trabalho com inspiração e amor. Às vezes me afasto de tudo - vou pro mato, fico lá sozinho, sem zuada, só com o meu radinho e os troncos de madeira, despreocupado, longe da mulher, dos dez filhos, dos fregueses. eles conversam muito e atrapalham. E a mulher quer muita coisa, Mulher é como criança, nada chega." (texto extraído do livro O Reinado da Lua - Escultores Populares do Nordeste, de Silvia Rodrigues Coimbra, Flávia Martins e Maria Letícia Duarte - Ed. Salamandra, 1980, págs. 112, 113 e 114).

233 - LUCILIO DE ALBUQUERQUE - (1877 - 1939)
LL " Ubatuba " - ostcc - 17 x 27 - cie e d
Com a seguinte declaração no dorso: " Figurou na Exposição Retrospectiva de Lucílio de Albuquerque em São Paulo 1942 - Georgina de Albuquerque ". -Natural de Barras, PI, Lucílio de Albuquerque frequentou a ENBA no Rio de Janeiro, onde foi aluno de Zeferino da Costa, Rodolfo Amoedo e Henrique Bernardelli. Expõe pela primeira vez em 1902, recebendo menção e premiações neste e nos demais certames de que participou (1904, 1907 e 1912). Profesor, foi iniciador de Portinari. Artista de vários gêneros, destacou-se como paisagista e pintor de figuras. Foi casado com a artista Georgina de Albuquerque. JULIO LOUZADA, vol. 13, pág. 196; TEIXEIRA LEITE, pág. 16; PONTUAL, pág. 10; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.455; ARTE NO BRASIL, pág. 564, Acervo FIEO.

234 - SERGIO TELLES - (1936)
LL Figuras - tm - 22 x 30 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 094 deste catálogo.

235 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Rosto - ose - 44 x 37 - cid e d
Nascido em Manaus, pioneiro mundial da arte não-figurativa (a qual já praticava desde 1916), Santiago estudou no RJ com Visconti, e foi o principal responsável pelo Núcleo Bernardelli, no qual se formaram tantos dos melhores artistas do Modernismo carioca. Sua arte é um neo-impressionismo de belo colorido e opulentos efeitos de textura. PRIMORES DA PINTURA NO BRASIL, vol. 1, pág. 241; TEODORO BRAGA, pág. 211/212; Catálogo da Exposição de Paisagem Brasileira, MEC-MNBA / /Rio/1944; MAYER/84, pág. 1158; REIS JR., pág. 378; PONTUAL, pág. 473; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 292; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

236 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
ponto de nó, feito a mão, de lã, desenho MOOD, medindo 1,65 m X 2,12 m = 3,49 m². -

237 - MIRA SCHENDEL - (1918 - 1988)
LL Composição - mon. - 46 x 22 - cid - 1964
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 097 deste catálogo.

238 - JOSÉ ANTONIO VAN ACKER - (1931 - 2000)
LL Paisagem - g - 45 x 37 - cid
Pintor, escultor, desenhista, gravador e professor nascido em São Paulo, SP, em 4 de dezembro de 1931. Estudou na Escola de Belas-Artes de São Paulo, entre 1951 e 1954, e escultura em madeira com Lazlo Zinner. Sobre a sua obra assim se manifestou Inácio da Silva Telles: " Os quadros de van Acker ferem-nos de maneira estranha. Subitamente nos encontramos cindidos, cada parte de nós atinada em campos antagônicos, e não apenas para uma interessante e cordial discussão, mas para uma guerra aberta, uma guerra total, que ameaça destruir, ganhe quem ganhar, nossas antigas e acomodadas habitações... " O artista expõe individualmente desde 1962, participando de coletivas desde 1954, sempre com premiações. JULIO LOUZADA, vol. 9 págs.887 e 888; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 966, Acervo FIEO.

239 - ABELARDO ZALUAR - (1924 - 1987)
LL Paisagem - a - 18 x 13 - cie - 1945
Desenhista, pintor e professor. Frequentou a antiga ENBA, de 1944 a 1948. Participou do I ao XII e do XV SNAM (entre 1952 e 1966/ prêmio de viagem ao estrangeiro em 1963.). Realizou exposições individuais no MNBA (1947) e na Galeria Ambiente (São Paulo, 1960), Museu de Arte de Belo Horizonte (1960), Instituto de Belas Artes de Porto Alegre (1961), Petite Galerie-GB (1962). Sua obra experimentou uma simplificação de traços de tendência geometrizante, levando Frederico Morais a comentar a seu respeito em 1969; "Não se pensem que Zaluar, por ser um partidário da ordem, afaste deliberadamente o imprevisto, a contribuição do acaso, o vôo poético (...) seus últimos trabalhos fazem lembrar, na monumentalidade silenciosa da forma despojada, o mundo futuro do espaço cósmico, das estruturas moventes, das plataformas que se acoplam ou se dividem numa metamorfose constante". Encontra-se representado no acervo do MNBA, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e Museu de Arte de Belo Horizonte. WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 449/50; MEC, vol. 4, pág. 527; PONTUAL, pág. 556; TEIXEIRA LEITE, pág. 546; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 934; LEONOR AMARANTE, pág. 218.

240 - MARIO GRUBER - (1927)
LL Figura - ost - 97 x 98 - cie - 1993
- Reproduzido no convite deste leilão.Pintor e gravador, Gruber é um dos principais artistas de São Paulo desde quando, ainda muito jovem, tomou parte no Grupo dos 19. PONTUAL, pág. 253; WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 370; MEC, vol. 1, pág. 466; JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 448; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.649; ARTE NO BRASIL, pág. 803; LEONOR AMARANTE, pág. 376; Acervo FIEO.

241 - PAULO VALLE JÚNIOR - (1889 - 1958)
LL Paisagem - ost - 37 x 23 - cid
Paisagista e marinhista extremamente sensível, Valle Júnior postou-se à parte da renovação determinada pela Semana de Arte Moderna, tendo sido porém artista autêntico e pessoal. TEODORO BRAGA, pág. 187; REIS JUNIOR, pág. 373; MEC, vol 4, págs 441/442; PONTUAL, pág. 531; ITAU CULTURAL; Acervo FIEO.

242 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Animais - ost - 60 x 70 - cid e d - 2006
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 040 deste catálogo.

243 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Carranca com duas cabeças - e em mad. - h = 100 - as. - J.F.F.

244 - MARTINS DE PORANGABA - (1944)
LL Figuras - osp - 50 x 70 - cid - 1994
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 053 deste catálogo.

245 - ALUISIO CARVÃO - (1920 - 2001)
LL Composição - a - 17 x 12 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 065 deste catálogo.

246 - GIULIANA PEDRAZA ARIAS - (1924 - 2008)
LL Composição - e em f - 98 x 42 - d - 1979
Pintora, escultora, ceramista e professora, natural de Vincenza, Itália. Assina Giuliana Pedraza Arias. Viveu em São Paulo. Em 1951 participou da I Bienal de São Paulo e foi professora de escultura no MUBE, SP. www.juliolouzada.com.br; http://bienalsaopaulo.globo.com/artes/artistas/artistas_pesquisa.asp?Letra=G.

247 - TETSURO SAWADA - (1933 - 1998)
LL Composição - ost - 162 x 130 - cid
Nascido em Hokkaido, Japão. Graduou-se na Universidade de Arte de Musashino. Viajou pela América do Norte e do Sul de 1966 a 1967 e em 1969 também estudou na França e Espanha. Seus trabalhos foram expostos em Tóquio - Japão, Seattle e São Francisco - EUA e possui obras no Museu Britânico - Inglaterra; Museu de Cleveland e Museu de Arte de Cincinnati - EUA e na Academia de Arte de Honolulu - Havaí. Em 1980 ganhou o prêmio na Bienal de Gravura da Noruega. www.castlefinearts.com/japanese; www.artnet.com.

248 - FREDA MARSTON - (1895 - 1949)
LL " A velha ponte " - tsc - 40 x 50 - cie
Participou de Exposição na Royal Academy em 1925, conforme a etiqueta no dorso. -Nasceu e faleceu na Inglaterra. Participou de diversas exposições e Salões oficiais. www.artnet.com; www.artprice.com; www.askart.com.

249 - EDMUNDO MIGLIACCIO - (1903 - 1983)
LL No Atelier - osm - 45 x 38 - cid
Pintor, natural do município de Caconde-SP. Filho de imigrantes italianos, batizado Edmundo Francisco Nicodemo Migliaccio, iniciou seus estudos no Liceu, com os mestres Enrico Vio, Angelo Cantu e Torquato Bassi. Acadêmico por formação e vocação, foi fundador da Associação Paulista de Belas Artes. Expositor fiel do Salão Paulista, foi ali várias vezes premiado. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 213; ARTE NO BRASIL, pág. 812.

250 - RAIMUNDO DE OLIVEIRA - (1930 - 1966)
LL Ascensão de Cristo - ost - 65 x 100 - cid - 1963
Reproduzido na contra capa do catálogo de leilão de março de 2009 da Casa Amarela Leilões - Brasília/DF. - Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 083 deste catálogo.

251 - TUNEU - (1948)
LL Composição - a - 19 x 25 - ci - 1986
Nascido Antonio Carlos Rodrigues, em São Paulo, Capital. Desenhista e pintor, começou a desenhar profissionalmente por volta de 1960. Foi orientado por Tarsila do Amaral em 1966, mesmo ano que começou a participar de exposições. Artista renomado, Tuneu figurou em diversas exposições importantes no país, que trouxeram o panorama da arte dos dias de hoje. JULIO LOUZADA, vol. 12 pág. 410; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 764; LEONOR AMARANTE, pág.185, Acervo FIEO.

252 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - g - 30 x 8 - cid e d
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

253 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Fantasiada - dn - 26 x 14 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 113 deste catálogo.

254 - ETTORE FEDERIGHI - (1909 - 1979)
LL Queijo e bule - ost - 70 x 80 - cie - 1976
Pintor ativo em São Paulo, participou do SPBA, conquistando menção honrosa (1952), pequena medalha de prata (1957), prêmio aquisição (1958 / 59 / 60), grande medalha de prata (1961) e várias outras, bem como várias participações em Salões. MEC, vol. 2, pág. 145; JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 387.; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

255 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato e vaso de flores - ast - 60 x 80 - ld e d - 2002
Com certificado de autenticidade firmado pelo autor datado de 15 de janeiro de 2002 e acompanha foto de Aldemir Martins com a obra. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

256 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Nu - dn e ag - 32 x 21 - cid - 1940
Com marca d'água e descrito sob n° 217 do catálogo de Leilão do espólio de Noemia Mourão. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 043 deste catálogo.

257 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
LL Composição - xilo. 83/100 - 52 x 52 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

258 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Família - dc e g - 22 x 16 - cid - 1986
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 109 deste catálogo.

259 - VLAMIR DE SOUSA - (1966)
LL Caipira - ost - 40 x 30 - cie - 1998
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 119 deste catálogo.

260 - ANITA MALFATTI - (1896 - 1964)
LL Baianas - ostcc - 32 x 23 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 100 deste catálogo.

261 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Mulata - dn e a - 42 x 31 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 121 deste catálogo.

262 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Carranca - e em mad. - h = 57 - as. - J.A.L.

263 - ZÉ CABOCLO - (1921 - 1973)
LL Cangaceiros - e em br - b
1) h = 11cm; 2) h = 12 cm; 3) 12 cm. Uma das peças no estado. -José Antonio da Silva, natural do Alto do Moura, PE. É conhecido como o primeiro discípulo de Vitalino. Filho de louceira, desde criança modelava brinquedos de barro. Foi o caminho inicial para se tornar um dos mais conceituados bonequeiros de Alto do Moura. Trabalhava junto com seu cunhado Manuel Eudócio, irmão de sua mulher. Há várias criações referentes ao cotidiano sertanejo atribuídas aos dois parceiros. Zé Caboclo têm peças no acervo de importantes museus e coleções particulares: Museu do Barro, também conhecido como Espaço Zé Caboclo em Caruaru, PE; Museu do Homem do Nordeste no Recife, PE; Museu Casa do Pontal no Rio de Janeiro, RJ; Museu do Folclore Edison Carneiro no Rio de Janeiro, RJ e Museu da Chácara do Céu (Fundação Raymundo Castro Maya) no Rio de Janeiro, RJ. www.ceramicanorio.com, www.cultura.gov.br.

264 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Paraty I " - ost - 30 x 40 - cie e d - 2004
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 126 deste catálogo.

265 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Macaco - grav. P.A. - 13 x 23 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

266 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
LL Rosto - grav. P.A. - 32 x 24 - cid - 1970
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 108 deste catálogo.

267 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL " Agonia do veterano " - ost - 30 x 40 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 127 deste catálogo.

268 - YUGO MABE - (1955)
LL Composição - ost - 60 x 50 - cid e d - 1990
Pintor nascido na cidade de Lins-SP. Formou-se em comunicação pela FIAM-São Paulo em 1977. Filho do pintor Manabu Mabe (1924-1997). Começa a participar de mostras coletivas no início da década de 70 e é premiado nos Salões Bunkyo, em 1972 e 1975, e Paulista de Belas Artes, em 1975 e 1982. Em 1980, realiza sua primeira exposição individual, na Documenta Galeria de Arte, em São Paulo. ITAU CULTURAL; JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 360

269 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Nu - e em b - h = 162 - n/as.

270 - LIVRO -
LL -
1) INTERNATIONAL AUCTION RECORDS por E.Mayer, 960 págs. 2) ARTE BRASIL HOJE 50 ANOS DEPOIS por Roberto Pontual, 401 págs. ilustrado em preto e branco, Ed. Collectio Artes Ltda; 3) 17 catálogos diversos. -

271 - WALTER LEWY - (1905 - 1995)
LL Anoitecer - xilo. - 24 x 24 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 129 deste catálogo.

272 - NEWTON MESQUITA - (1948)
LL Figura - lito. 28/90 - 50 x 35 - cid - 1984
Pintor e gravador paulistano, Newton Mesquita é inquieto; provoca a sua arte com novos experimentos e técnicas. Desenhista de mão cheia, solta o traço com habilidade, recriando imagens, cores e texturas. JULIO LOUZADA, vol. 9, pág. 578; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

273 - OTONI GALI ROSA - (1939)
LL Figura - tm - 44 x 30 - cid - 1985
Desenhista, pintor, gravador e professor, natural de Olímpia, SP. A obra de Otoni marca-se pela constante temática dos cavalos, que povoaram sua infância. Com sua obra, o autor foi muito premiado nos diversos certames de que participou. JULIO LOUZADA vol.1, pág.841; ITAÚ CULTURAL.

274 - SATYRO MARQUES - (1935)
LL " Ritual " - ost - 33 x 41 - cid e d - 1983 - Rio
Com etiqueta da Contorno Artes Ltda - Rio de Janeiro, no dorso. -Autodidata, nascido em Alagoas, Satyro é hoje um dos nomes mais prestigiados da pintura brasileira. Satyro mescla sonho e realidade, reinventando a paisagem. Suas obras caracterizam-se por uma instigante harmonização do figurativo estilizado com um idioma abstrato de grande liberdade expressiva. Livro: SATYRO, por Mário Margutti, Ed. Imprinta Gráf. Rio, 1988; JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 922; ITAÚ CULTURAL.

275 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 13 x 19 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 135 deste catálogo.

276 - TAKASHI FUKUSHIMA - (1950)
LL Composição - lito. 6/50 - 46 x 64 - cid - 1985
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 138 deste catálogo.

277 - SHEILA BRANNINGAN - (1914)
LL Composição - tm - 30 x 38 - cid e d - 1967
Artista inglesa, nascida em Chester, e radicada entre nós (São Paulo), a partir de 1957, onde já no ano seguinte expunha na Bienal da cidade. Participou do SNAM, com premiação. Em 1961 expõe individualmente no MAM-SP, integrando no mesmo ano a representação brasileira na VI Bienal de Tóquio. Sua pintura é abstrata, finamente elaborada e se destacando pelo cromatismo e pelo acentuado jogo de texturas. TEIXEIRA LEITE, pág. 84; PONTUAL, pág. 106/107; MEC, vol. 1, pág. 292; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 139; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 692.

278 - AÉCIO DE ANDRADE - (1935)
LL Colheita - ast - 50 x 60 - cid
Pintor natural de São Paulo, Capital. Passou pelo gênero impressionista no inicio da carreira, e depois para uma fase mais pessoal. Aborda temas populares brasileiros. Possui obras nos Museus das cidades de Americana, Matão, Assis, Guararapes, e em Penápolis. Começou a expôr em 1968, tendo participado de diversas mostras no País e no exterior, conforme relaciona a bibliografia abaixo. JULIO LOUZADA, vol. 2, pág. 33

279 - ALEX LUIZI - (1964)
LL Paisagem - ose - 35 x 27 - cid - 1990
julio louzada, vol. 5, pag. 600

280 - ALFREDO VOLPI - (1896 - 1988)
LL Fachada - lito. os 105/250 - 33 x 24 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 140 deste catálogo.

281 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Fruta - lito. - 30 x 45 - cid - 1978
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

282 - CARLOS ARAÚJO - (1950)
LL Índia - lito. P.A. - 57 x 43 - cid
Pintor, desenhista e litógrafo paulistano. Fez sua primeira individual em 1974, no MASP-SP, onde realizou outras exposições. Na sua obra observam-se elementos da pintura renascentista. Participou de diversas exposições coletivas, com sucesso de crítica e de público. Foi premiado em 1984 pela Associação Paulista de Críticos de Arte - APCA. JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 71; ITAU CULTURAL; TEIXEIRA LEITE, pág. 33.

283 - ANGELO CANNONE - (1899 - 1992)
LL Marinha - ose - 13 x 22 - cid
Nascido na Itália, radicou-se no Brasil. Seu estilo liga-se ao dos Macchiajoli oitocentistas (os equivalentes italianos dos impressionistas franceses) e ao de Pratella em especial. São especialmente notáveis suas paisagens e marinhas. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 168; JULIO LOUZADA vol.11, pág.54; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

284 - CLAUDIO TOZZI - (1944)
LL Composição - lito. 5/50 - 39 x 60 - cid - 1973
Pintor, arquiteto e gravador paulista com diversas exposições e participações em salões e bienais no Brasil e no exterior. Dedicou-se inicialmente à colagem e à gravura, numa utilização crítica das histórias em quadrinhos; numa fase posterior passou a criar múltiplos tridimensionais e a efetuar pesquisas em torno dos efeitos ópticos. WALMIR AYALA vol.2, pág.388/9; PONTUAL, pág.525/6; TEIXEIRA LEITE, pág. 512; ARTE NO BRASIL vol.2, pág.1059; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 740; LEONOR AMARANTE, pág. 170; Acervo FIEO.

285 - DAVID DA COSTA - (1928)
LL " Marinha " - ost - 38 x 55 - cid e d - 1988 - Rio
Pintor, desenhista e gravador, natural de Niterói, RJ. Foi aluno, no Rio de Janeiro, de Levino Fânzeres, Iberê Camargo, Carlos Cavalcanti, Maria de Lurdes Novais e Isabela de Sá Pereira. Individuais: Rio de Janeiro, RJ (1945,1970,1971,1974,1977,1984); Cabo Frio, RJ (1973); Porto Alegre, RS (1982); Belém, PA (1983). Coletivas: Rio de janeiro, RJ (1948,1958,1967 a 1969, 1972 a 1981, 1995); Volta Redonda, RJ (1972); Teresópolis,RJ (1972); Itajubá, MG (1974); Campinas, SP (1978). Prêmios: Rio de janeiro, RJ (1965,1967,1968,1973,1979 a 1981,1975, 1977, 1978,1983); Petrópolis, RJ (1975). JULIO LOUZADA, vol.2, pág.298; vol.3, pág.292; vol.8, pág. 221. ITAU CULTURAL.

286 - ALEXANDRE RAPOPORT - (1929)
LL Figuras - tm - 31 x 23 - cie - 1974
Arquiteto, pintor, gravador, desenhista industrial e professor, RAPOPORT nasceu no Rio de Janeiro, onde cursou a Faculdade Nacional de Arquitetura da antiga Universidade do Brasil. Fêz aprendizado de gravura na antiga ENBA em 1952. Conquistou menções honrosas em pintura e desenho no SNBA a partir de 1948. WALMIR AYALA,vol. 2, pág. 237; MEC, vol. 4, pág. 26; PONTUAL, pág. 447; TEIXEIRA LEITE, pág. 431; JÚLIO LOUZADA, vol. 11, pág. 260; ITAU CULTURAL.

287 - DOMINGOS ANTEQUERA - (1921 - 1984)
LL " Canto de feira " - ost - 24 x 35 - cid e d - 1980
Natural de Lençois Paulista, SP. Faleceu em São Paulo, em 8 de outubro de 1984. Assinava seus trabalhos D. ANTEQUERA. Desenvolveu-se artisticamente com os pintores Cirilo Agostini, Migliaccio e José Barchita. Impresionista, é considerado um artista de sensibilidade invulgar, cuja obra é repleta de recursos técnicos próprios, fortes e seguros. A bibliografia abaixo exibe extensa lista de exposições e prêmios recebidos pelo artista. JULIO LOUZADA, vol.3, pág.56, Acervo FIEO.

288 - FORTUNATO CAMARA DE OLIVEIRA - (1916)
LL Rinha - lin. g 92/100 - 28 x 21 - cid
Com carimbo de Prêmio Arte Contemporânea e descrito sob n° 16 em catálogo da 1ª Exposição de Gravuras Gaúchas Organizada pelo Clube de Gravura de Porto Alegre e Clube de Gravura de Bajé. -Desenhista, pintor, gravador e ilustrador nascido no Rio de Janeiro, RJ. Na sua formação artística também recebeu orientações de Osvaldo Goeldi. Exposições coletivas: Rio de Janeiro, RJ (1947 a 1960,1985); Porto Alegre, RS (1950 e 1952); São Paulo, SP - I Bienal de São Paulo (1951); Bahia e Goiânia, GO (1954); Brasília, DF (1969,1970). Individuais: Porto Alegre, RS (1966); Brasília, DF (1968 a 1970). Prêmios: Rio de janeiro, RJ (1947 a 1960); Porto Alegre, RS (1950 e 1952); Bahia (1954). ITAU CULTURAL. MEC, vol.2, pág.187.

289 - EDU CARDOSO -
LL " Ceuci " - ost - 60 x 60 - cie e d - 2008
Pintor autodidata, natural de Avaré, SP. Tem participado de inúmeras exposições e Salões oficiais. Individuais: Avaré, SP (2003 e 2005); Vinhedo, SP (2004). Coletivas: São Paulo, SP (2003); Vinhedo, SP (2004).

290 - INGRES SPELTRI - (1940)
LL " Vaso com flores " - asm - 50 x 38 - cid e d - 1985
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 010 deste catálogo.

291 - ARLINDO CASTELANE DI CARLI - (1910 - 1985)
LL Nu - p - 29 x 20 - cid - 1972
Pintor e escultor. Estudou no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, onde foi aluno de José Maria da Silva Neves e de Enrico Vio. Suas primeiras realizações foram na pintura. Mais tarde passou a dedicar-se também à escultura. Sofreu influência do pintor Armando Balloni. Em 1942, estreando no SPBA, recebeu prêmio de menção honrosa, seguindo-se nos anos posteriores, diversas premiações, inclusive de viagem ao estrangeiro. MEC, vol. 1, pág. 355; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 183 e 184; ITAÚ CULTURAL.

292 - EVILASIO LOPES - (1917)
LL Flores - ost - 41 x 27 - cie e d - 2002
Natural do Rio de Janeiro, RJ. Estudou com Ivan Serpa e Edson Mota, no Rio de Janeiro. Participou de vários Salões oficiais e exposições coletivas: Rio de Janeiro, RJ (1959 a 1964); itinerante pelos Estados Unidos (1967). Prêmio: Rio de Janeiro, RJ (1964). JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 626; vol. 6, pág.. 610; vol.7, pág. 406; vol. 8, pág.483; vol. 9, pág. 490; vol. 11, pág. 179; vol. 12, pág. 237.

293 - IVALD GRANATO - (1949)
LL Menino - lito. 10/85 - 70 x 50 - cid - 1987
Pintor e desenhista. Natural de Campos, RJ, onde viveu até 1966. Estudou com Robert Newman, ingressando em 1967 na Escola de Belas Artes da Universidade do Rio de Janeiro. Em 1968 participa do grupo de vanguarda "Nova Figuração Brasileira". Sua atividade artística desde a década de 60 revela a influência do conceitualismo de Duchamp, mais cerebral do que pictórico, e da "body art", de Joseph Beyus. PONTUAL, pág. 248; TEIXEIRA LEITE, pág. 228; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág.740; ARTE NO BRASIL, pág. 974; LEONOR AMARANTE, pág. 267; Acervo FIEO.

294 - HELIO CASTRO - (XX)
LL Barcos - ost - 20 x 40 - cid
Excepcional pintor de paisagens e marinhas, dono de refinada técnica e composição, com inspiração nas escolas européias.

295 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Pássaro - e em ac - h = 9 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 015 deste catálogo.

296 - ALEX DOS SANTOS - (1980)
LL " Apanhando jabuticaba " - ast - 50 x 60 - cid - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 017 deste catálogo.

297 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL Paisagem - osm - 10 x 13 - cse
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 126 deste catálogo.

298 - FUKUDA (ROBERTO KENJI FUKUDA) - (1943)
LL Paisagem - tm - 40 x 40 - cid
Pintor, gravador e escultor nascido em Indiana, SP, e ativo na Capital. Filho de artista (seu pai é o pintor Tamotsu Fukuda), pinta desde cedo. Suas telas não passam desapercebidas, sejam pelas cores harmoniosas, vivas e vibrantes, sejam pela suavidade das composições, que tranquilizam o expectador. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 120; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

299 - JOSÉ SABÓIA - (1949)
LL Trabalhador - ost - 30 x 40 - cid
Nascido em Almadina (BA). Indo para o Rio de Janeiro em 1967, começou a pintar no ano seguinte, passando a expor seus trabalhos na Feira Hippie de Ipanema. Sua primeira individual deu-se em Fortaleza em 1970; a partir de então, tem exposto com freqüência no Rio de Janeiro e em São Paulo. A pintura de Sabóia partiu de uma raiz eminentemente popular, tendo atingido depois um rebuscamento que se traduz no caprichoso desenho de linhas recurvas, na pincelada lisa, impessoal, no colorido reduzido a três ou quatro tons básicos e na composição, dotada daquele inconfundível horror vacui dos ingênuos. JULIO LOUZADA vol. 11, pág. 278; ARTE NAIF NO BRASIL, pág. 228; ITAÚ CULTURAL, Acervo FIEO.

300 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Figura - e em mad. - h = 32 - n/as.

301 - FRANCISCO STOCKINGER - (1919 - 2009)
LL Retirantes - xilo. - 30 x 20 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 192 deste catálogo.

302 - MARCOS COELHO BENJAMIM - (1952)
LL Composição - ser. P.A. 1/16 - 61 x 61 - cid - 1994
Pintor, desenhista, ilustrador, escultor, objetista e cenógrafo, nasceu em Nanuque-MG, radicando-se em Belo Horizonte a partir de 1969. Desenvolveu intenso trabalho como cartunista, artista gráfico e ilustrador capista, colaborando com jornais e revistas. Em 1988, a revista Galeria publicou que " ... Seus trabalhos são charges, desenhos, pinturas e objetos - além da música e da poesia - saída das mãos de quem consegue dar perfeito equilíbrio entre linguagem, forma e soluções harmônicas para suas obras." O próprio artista define: "Meus trabalhos não tem tema ou discussão. Tudo que faço é um diário do cotidiano, das relações humanas que se transformam em objetos, pinturas ou desenhos." Individuais a partir de 1976 e coletivas desde 1972, inclusive no exterior, com reconhecido sucesso pelo público e crítica especializada. JULIO LOUZADA, vol. 5 pág 106, ITAUCULTURAL

303 - OTELO CAÇADOR - (1926 - 2006)
LL " Moacir " - dn - 21 x 25 - ci
Otelo Caçador, jornalista, chargista e humorista, falecido aos 80 anos de idade no Rio de Janeiro, era figura lendária do futebol brasileiro. Algumas de suas frases acabaram incorporadas ao mundo futebolístico, como "montinho artilheiro", "campeão moral" e outras. Por 33 anos escreveu em O Globo a coluna Penalty de Otelo, entre 1953 e 1986, atuando ainda como repórter.

304 - TOMIE OHTAKE - (1913)
LL Série recortes - grav. P.A. - 73 x 29 - cid - 1999
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 026 deste catálogo.

305 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 8 x 17 - cie
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

306 - ZARAGOZA - (1930)
LL Figura - dl - 13 x 9 - cid
Batizado José Maria Martinez Zaragoza. Pintor, ilustrador e desenhista, diretor de arte, publicitário, cartazista e empresário. Inicia seus estudos com Angela Rosado e estuda na Escola de Belas Artes de Barcelona, Espanha. Em 1957 e 1958, exerce o cargo de diretor de arte na J.W. Thompson, em Nova Iorque, Estados Unidos. Em 1968, funda com Petit e Dualibi, a agência de propaganda DPZ, Dualibi, Petit e Zaragoza S/A. ITÁU CULTURAL.

307 - CARLOS LEÃO - (1906 - 1982)
LL Nu - dn e a - 49 x 30 - cid
Arquiteto, pintor e desenhista ativo no Rio de Janeiro. Participou com Lucio Costa no projeto do edifício sede do Ministério de Educação do Rio de Janeiro (1937). Excepcional desenhista, praticou igualmente a pintura, sempre fiel a uma só temática - "a mulher, seu corpo, seu mundo de amor, sexo e poesia". MEC, vol. 2, pág. 462/3; TEIXEIRA LEITE, pág. 281; PONTUAL, PÁG. 303; JULIO LOUZADA VOL.11, PÁG.171; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 602; ARTE NO BRASIL, pág. 746.

308 - KINYA IKOMA - (1918)
LL Composição - ost - 66 x 54 - cid
Japonês da cidade de Mieken, imigrou para o Brasil em 1931, tornando-se lavrador no interior do Estado de São Paulo. A partir de 1960 dedica-se integralmente à pintura, no gênero abstracionismo-lírico. Expõe coletivamente a partir de 1976 e individualmente desde 1975. JULIO LOUZADA , vol. 10, pág, 434; TEIXEIRA LEITE, pág, 252, Acervo FIEO.

309 - FRANCISCO REBOLO GONSALES - (1903 - 1980)
LL Paisagem - p - 31 x 22 - cid - Déc. 60
Com certificado de autenticidade firmado por Lisbeth Rebollo Gonçalves. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 070 deste catálogo.

310 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Composição - t - 81 x 122 - as. - Zito

311 - GILBERTO FREIRE - (1900 - XX)
LL Senhora - dn e lc - 11 x 12 - cid - 1917
Foi sociólogo, antropólogo, escritor e pintor brasileiro, considerado um dos grandes nomes da história do Brasil. Toma aulas particulares com o pintor Telles Junior, que reclama contra sua insistência em deformar os modelos. Alguns meses antes de falecer instituiu a Fundação Gilberto Freyre em sua residência de Apipucos, em Pernambuco. MEC. vol. 2, pág. 209.

312 - IONE SALDANHA - (1921 - 2001)
LL Composição - g - 22 x 29 - cid
Gaúcha de Alegrete, faleceu na cidade do Rio de Janeiro-RJ, onde residiu e foi ativa. Pintora, escultora e desenhista, realizou seus primeiros estudos no Rio de Janeiro, no ateliê de Pedro Luís Corrêa de Araújo, em 1948. Estudou a técnica de afresco em Paris, na Académie Julian, e em Florença, na Itália (1951). Inicialmente, produz obras figurativas, como cenas cotidianas e retratos. Realiza também uma série de pinturas de casarios, em que enfatiza a geometria. Posteriormente, sua produção adquire um caráter abstrato. No fim da década de 1960, passa utilizar novos suportes, abandonando a superfície bidimensional, e pintando sobre ripas, carretéis (bobinas de madeira para cabos elétricos) e bambus. Participa de várias edições da Bienal de São Paulo, com prêmio aquisição em 1967, e sala especial em 1975 e 1979. Em 2001, ano de seu falecimento, é realizada a retrospectiva Ione Saldanha e a Simplicidade da Cor, no Museu de Arte Contemporânea de Niterói - MAC/Niterói. "O que logo impressiona no desdobramento da pintura de Ione Saldanha, a partir da segunda metade dos anos 40, é a coerência interna do percurso, o rumo ordenado e lógico que a tem feito deslocar-se de um a outro ponto sem abandonar a concentração do interesse em alguns poucos problemas básicos (...). Na obra dos últimos 20 anos, Ione Saldanha, sem sair de seu casulo, alinhou-se numa via frequente da pintura contemporânea". PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. JULIO LOUZADA, vol. 5, pág. 916, 917 e 918; ITAUCULTURAL; RGS, pág. 263/264

313 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XIX - XX -
LL Menina e cão - ost - 55 x 46 - cie ileg.

314 - DIONISIO DEL SANTO - (1925 - 1999)
LL No parque - g - 17 x 13 - cid
Pintor, desenhista, gravador e serigrafista, nasceu em Colatina-ES, e faleceu em Vitória, naquele mesmo Estado. Autodidata. Em 1975, recebe o Prêmio de Melhor Exposição de Gravura do Ano, da APCA. Participou da 9ª Bienal Internacional de São Paulo, 1967 (Prêmio Itamarati Aquisição) e do Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, 1968 (Prêmio Isenção do Júri). JULIO LOUZADA vol.11, pág. 88; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 934.

315 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Estudo de painel - tm - 26 x 68 - n/as. - Déc. 1950
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

316 - BRUNO LECHOWSKY - (1889 - 1941)
LL " Passeio público no centro do Rio... " - a - 23 x 29 - cie - 1933 - RJ
Complemento do título: " Passeio Público no centro do Rio de Janeiro, avistando-se: relógio da Rua do Passeio; antiga sede da Mesbla e antigo Hotel Serrador. ". -Natural da Polônia, este grande pintor e professor veio para o Brasil em 1926, fixando-se inicialmente no Paraná, para depois vir a residir de forma permanente no Rio de Janeiro, o qual pintou com todas as cores e luzes. Integrou o Núcleo Bernardelli, onde orientou mestres como Tamaki, Takaoka, e principalmente Pancetti, a quem chegaria a marcar, inclusive nas cores chapadas. TEODORO BRAGA, pág. 139; PONTUAL, pág. 305; MEC, vol. 2, pág. 465; TEIXEIRA LEITE, pág. 281/282; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 449; ARTE NO BRASIL, pág. 764.

317 - HARRY ELSAS - (1925 - 1994)
LL Violoncelista - ostcm - 46 x 37 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 037 deste catálogo.

318 - ANTONIO BANDEIRA - (1922 - 1967)
LL Interior de hotel - dcry. - 41 x 29 - cid - 1944
Grande pintor brasileiro, nascido em Fortaleza, Ceará e falecido em Paris onde viveu a maior parte de sua curta e rica vida. Começando figurativo, num estilo expressionista, adotou, já em França, um não figurativismo lírico, algo à maneira do grande Wols, seu amigo que iria manter até o precoce fim. É um dos pioneiros da arte abstrata no Brasil. BENEZIT, vol.1, pág.415; MEYER/87, pág.606; MEC, vol.1, págs.159,160 e 167; PONTUAL, págs. 48 e 49; WALMIR AYALA, vol.1, págs. 71 a 74; TEIXEIRA LEITE, pág. 52 a 54; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 637; ARTE NO BRASIL, pág. 599; LEONOR AMARANTE, pág. 34; Acervo FIEO.

319 - HÉLIOS SEELINGER - (1878 - 1965)
LL No atelier - dn - 31 x 22 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 184 deste catálogo.

320 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Flores - ost - 25 x 30 - cid - 2000
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 040 deste catálogo.

321 - CARLO BRANCACCIO - (1861 - 1920)
LL Paisagem - osm - 13 x 21 - cid
Nasceu e faleceu em Nápoles. Participou de inúmeras exposições e Salões oficiais em Nápoles, Milão, Londres, Mônaco, Paris (1902 a 1904, 1907) e Buenos Aires. JULIO LOUZADA, vol. 4, pág. 173; BENEZIT, vol.2, pág. 270.

322 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Figuras - e em mad. - h = 30 - n/as.

323 - WALTER SHIGETO TANAKA - (1910 - 1970)
LL Tempestade - a - 50 x 72 - cid - 1969
Natural de Kumamoto, Japão, este grande pintor e artista gráfico, viveu parte de sua infância no Peru, tendo se iniciado em pintura na sua terra natal. Imigrou em 1930, fixando-se em São Paulo, onde estudou durante quatro anos na Escola de Belas Artes de São Paulo (até 1935). Com Tomoo Handa (1906-1996), criou o Seibi-kai em 1935. Integrou os Grupos do Jacaré e Guanabara. Selecionado para a I e II Bienais de SP. Aceito para o I e II Salão de Arte Moderna-SP. Conquistou o segundo lugar do Prêmio Governador do Estado em 1951. Sua paisagem organiza-se composicionalmente, valendo-se de técnica apurada e constituindo parcela significativa de sua produção. JULIO LOUZADA, vol. 11; WALTER ZANINI, pág. 587.

324 - TIKASHI FUKUSHIMA - (1920 - 2001)
LL Composição - ost - 41 x 33 - cid
Natural da cidade japonesa de Fukushima, onde nasceu em 19 de janeiro. Vem para o Brasil em 1940, fixando-se em Lins, SP. Recebendo influência de Manabu Mabe, começa a se interessar por pintura. Em 1946, segue para o Rio de Janeiro, onde estuda com Tadashi Kaminagai, que o orienta na execução de paisagens impressionistas. Participa da I à IX BSP. Seu trabalho sofre transformações mais na direção do cubismo, no período da I à III BSP. A partir de 1957 sua pintura é informal, transformando-se depois no estilo que viria consagrá-lo como um dos grandes pintores abstratos do Brasil. JULIO LOUZADA, vol. 13 pág. 141; TEIXEIRA LEITE, pág. 210; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 644; LEONOR AMARANTE, pág. 383.

325 - EMANOEL ARAÚJO - (1940)
LL Composição - e em f - h = 36 - n/as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 022 deste catálogo.

326 - HEINZ BUDWEG - (1940)
LL " Arlete Pataxó " - ost - 70 x 60 - cid - 1992
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 046 deste catálogo.

327 - LEÓN FERRARI - (1920)
LL Composição - grav. P.A. 3/4 - 22 x 17 - cid - 1978
Gravador e escultor argentino, natural da cidade de Buenos Aires. Começou a fazer escultura em 1954, com diversos materiais e com arame de aço inoxidável. Em 1962, iniciou sua série de desenhos escritos. Em 1964 colaborou com Rafael Albertino no livro de poesias e desenhos "Escritos en el Aire", editado por Vanni Scheiwiller em Milão. Em 1965, abandonou a arte abstrata e participou do movimento cultural que acompanhou a atividade política argentina, colaborando na organização de diversas mostras coletivas. A partir de 1976 fixa residência no Brasil, em São Paulo, onde voltou a esculpir e experimentar outras técnicas, como fotocópias, etc. Desenvolveu uma série de esculturas sonoras que deram origem aos instrumentos lúdicos musicais com os quais deu 4 concertos-performance. JULIO LOUZADA, vol. 3, pág. 403

328 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Composição - g - 21 x 14 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

329 - CARLOS SÖRENSEN - (1928 - 2008)
LL " Primavera " - ost - 70 x 90 - cie e d - 1988
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 044 deste catálogo.

330 - EUGÊNIO DE PROENÇA SIGAUD - (1889 - 1979)
LL " A hora do almoço " - osm - 36 x 29 - cie - 1942 - Rio
- Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 047 deste catálogo.

331 - MANABU MABE - (1924 - 1997)
LL Composição - g - 29 x 42 - cid - 1979
Pintor autodidata, veio para o Brasil com a família em 1934, fixando-se em Lins-SP, onde trabalhou na lavoura do café; ligado ao abstracionismo informal, até a metade dos anos 50 fez pintura figurativa, especialmente paisagens e naturezas mortas; dedicou-se ainda à tapeçaria. ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1050; TEIXEIRA LEITE, pág. 296; PONTUAL, pág. 325/6; MEC, vol. 3, pág. 13; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 644; LEONOR AMARANTE, pág. 83, Acervo FIEO.

332 - ALBERTO DA VEIGA GUIGNARD - (1896 - 1962)
LL " Paisagem imaginária... " - dn - 25 x 55 - cid - 1957
Complemento do título: " Paisagem imaginária com Pão de Açúcar, Elevador Lacerda e Pico do Itacolomy ". Reproduzido sob o n° 137 em catálogo de Leilão de Renato Magalhães Gouveia Escritório de Arte, São Paulo, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 200 deste catálogo.

333 - MARTINS DE PORANGABA - (1944)
LL Figuras - osp - 50 x 70 - cid - 1994
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 053 deste catálogo.

334 - ELZA DE OLIVEIRA SOUZA - (1928 - 2006)
LL Mulher - ose - 29 x 27 - cid
Pernambucana do Recife. Esta importante pintora iniciou suas atividades com o prof. Ivan Serpa. Integrou o grupo de nordestinos que se apresentou na Galeria Giro, no RJ, em 1968. Seu interesse pelo registro da figura humana é praticamente exclusivo. Walmir Ayala afirma: " ... O biotipo que Elza repete obcessivamente, diz respeito ao povo de sua família conterrânea. São gente do povo, sem sofisticação, despojada do requinte civilizatório, mas embebida de um outro requinte, que diz respeito 'as latadas, trepadeiras em flor, animais domésticos, temáticas." JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 313, Acervo FIEO.

335 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Flores - a - 32 x 21 - cie
Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

336 - LASAR SEGALL - (1891 - 1957)
LL " Tocador de violão " - lito. - 24 x 19 - cid - 1947
Única gravura em cores, feita por Lasar Segall. Ilustrou o álbum " Poemas Negros " de Jorge de Lima. Reproduzida no livro " A Gravura de Lasar Segall ". -Pintor, escultor, gravador e desenhista de mérito invulgar, é o precursor da arte moderna no Brasil, graças a uma exposição realizada em São Paulo em 1913. A crítica condidera-o, atualmente, um dos grandes mestres do Expressionismo pictórico. No Brasil, onde radicou-se muito jovem, e cuja cidadania adquiriu, realizou boa parte de sua obra, temperada, inclusive, pela atmosfera e pelo colorido dos trópicos. TEODORO BRAGA, pág. 137; MEC, vol. 4, pág. 217; REIS JR., págs. 374,386 e 387; PONTUAL, págs. 482/3/4; BENEZIT, vol. 9, pág. 500; ART PRICE ANNUAL, pág. 2283; TEIXEIRA LEITE, pág. 467; WALTER ZANINI, pág. 511; ARTE NO BRASIL, pág. 837; LEONOR AMARANTE, pág. 12.

337 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL Paisagem Antropofágica - dl - 9 x 17 - cie
Procedente da coleção do crítico de arte José Henrique Fabre Rolim, São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

338 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
LL Cavalos - xilo. - 32 x 23 - cid - 1946/1947
Com dedicatória. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

339 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Paisagem - t - 83 x 143 - n/as.

340 - NINO (JOÃO COSMO FÉLIX) - (1921 - 2002)
LL Menino com macaco - e em mad.pol. - h = 125 - d
- Reproduzido no convite deste leilão.Natural de Juazeiro do Norte, este expressivo mestre popular Cearense, participou da Mostra do Redescobrimento em 2001 realizada na Bienal de São Paulo, e no ano seguinte expôs individualmente na Pinacoteca do Estado de São Paulo. A curadora da exposição Dodora Guimarães comenta sobre o artista: "...sua obra ultrapassa o conceito de arte popular ao desenvolver naturalmente, sem nenhuma intenção pré-definida, uma escultura extremamente autoral e de uma simplicidade quase brancusiana, que não parte de outras matrizes e referências além de seu imaginário pessoal". Foi ativo desde os anos 50, começou a produzir pequenas esculturas em madeira e vendendo de porta em porta. Daí passou para as grandes toras de madeira, que esculpe até hoje, entalhando a madeira até encontrar a forma que ali estava escondida. A importância que sua assinatura assume no conjunto da peça (por ser analfabeto, ele aprendeu a fazer seu nome desenhando cinco pauzinhos, cortando os dois primeiros e os dois últimos e arrematando com uma rodinha no final) é outro indício da profunda coerência e integridade de sua obra. Fonte: O ESTADO DE SÃO PAULO (10/9/2001).

341 - JOSÉ DOS REIS CARVALHO - (1800 - 1872)
LL Flores - a - 19 x 15 - cid - 1851
Pintor, desenhista cenógrafo e professor nascido no Ceará e ativo no Rio de Janeiro. Foi um dos primeiros alunos da Academia Imperial de Belas Artes (Aiba) onde foi aluno de Jean Baptiste Debret, em 1824. Foi professor de Desenho na Aiba e na Escola Imperial da Marinha. Acompanha a Comissão Científica de Exploração, que empreende viagem de estudo ao Ceará, de 1857 a 1859. Exposições coletivas: Rio de Janeiro, RJ (1829,1830,1843, 1844,1848,1849,1865,1872). Prêmios: Rio de Janeiro, RJ (1830,1843,1844,1865). Exposições póstumas: Rio de Janeiro, RJ (1984,1999,2001); São Paulo, SP (2000 – Mostra do Redescobrimento, Fundação Bienal; 2001). ITAU CULTURAL. MEC, vol.1, pág.365.

342 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Onça - e em mad. - h = 95 - n/as.

343 - WESLEY DUKE LEE - (1931)
LL Composição - tm - 32 x 41 - csd - 1963
Pintor, desenhista, gravador e artista gráfico. Iniciou seus estudos de desenho em 1950, no MASP. Em 1952 viajou para os USA para dedicar-se ao aprendizado de artes gráficas na Parson's School of Design (Nova York). De volta ao Brasil trabalhou no campo da pintura e do desenho, aperfeiçoando-se com Karl Plattner, em São Paulo, em 1957. Em seguida transferiu-se para Paris, onde estudou gravura com Johnny Friedlaender. Participou de diversas exposições coletivas e Bienais no Brasil e no exterior, realizando individuais por todo o Brasil. No catálogo da mostra "O Artista e a Máquina", de 1966, foi dito à seu respeito: "Inquieto, sofisticado, cosmopolita e dotado de um vivaz senso de humor (...) representa no Brasil a vanguarda internacional de pesquisa estética que enfeixa sobre o título de "realismo mágico". MEC, vol.2, pág.465; WALMIR AYALA, vol.1, pág.466; TEIXEIRA LEITE, pág. 282; PONTUAL, pág.305 e 306; JULIO LOUZADA, vol.8, pág.459; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 734; ARTE NO BRASIL, pág. 815; LEONOR AMARANTE, pág. 143. Acervo FIEO.

344 - GEORGES WAMBACH - (1901 - 1965)
LL " São Luís do Maranhão " - ost - 65 x 100 - cie - 1954
Belga de nascimento, veio a falecer no Rio de Janeiro. Excepcional aquarelista, que retratou o Brasil em suas inúmeras incursões. "Georges Wambach (1901-1965) talvez tenha sido um dos últimos exemplares de uma espécie em extinção, ou já extinta, quem sabe: a dos artistas viajantes de que o século XIX foi pródigo. Artistas com cavalete, paleta, tintas e pincéis na mochila, que vararam o mundo em busca do fantástico, do erótico, e, sobretudo, do excitante desconhecido, aventura que até custou a vida de alguns como Adrien Taunay, que viu a morte aos 25 anos em pleno Mato Grosso." Fernando Cerqueira Lemos, in AQUARELAS de Georges Wambach: impressões do Brasil. Ed. Marca d´Água-SP, 1988. JULIO LOUZADA, vol. 1, pág. 343; TEIXEIRA LEITE, pág. 540; ITAÚ CULTURAL.

345 - ANA ANDRADE - (1953)
LL " Céu " - grav. P.A. 1/4 - 78 x 59 - cid - 2006
Complemento de técnica: água-tinta e maneira negra. Esta obra participou da IX Bienal Internacional de Grabado - Caixanova - Espanha. -Ana Cristina Andrade Moreira é pintora, gravadora, desenhista, professora e designer vidreira. Iniciou sua formação artística na Escola Superior de Arte Santa Marcelina, SP (1972-1975). Aprendeu gravura em metal (1980-1990) com Iole Di Natale; técnicas de gravura na Scuola Internazionale di Gráfica em Veneza, Itália (1983); Gravura Especial com Evandro Carlos Jardim, no MAC-SP (1991); Técnica Calcográfica Experimental com Mario Benedetti, na FASM-SP (1997); Vitrofusão com Roberto Bonino. Exposições individuais: São Paulo, SP (1984, 1987, 1995, 2003); Bauru, SP (1989); “Projeto Interior com Arte” – Museu Banespa (1998 – Exposição itinerante pelo interior do Estado de São Paulo). Coletivas: Epinal, França (1975); São Paulo, SP (1974,1982,1984,1985,1986,1988,1994,1995,2000,2002 a 2004); Santo André,SP (1982); Novo Hamburgo, RS (1982); Taiwan, China (1983,1985); San Juan, Porto Rico (1983); Santos, SP (1983); Cabo Frio, RJ (1983); Ribeirão Preto,SP (1984); Curitiba, PR (1984); Piracicaba,SP (1984); Veneza, Itália (1984,1985); Campinas, SP (1985); São José do Rio Preto, SP (1986); Limeira, SP (1986); Washington D.C.,EUA (1991); Campos do Jordão, SP (1991); Kanagawa, Japão (1992); Maastricht, Holanda (1993); Illinois, EUA (1994); Cidade do México, México (1996); Jacareí, SP (1998); Budapeste, Hungria (1996); Uzice, Yuguslávia (1997); Ourense, Espanha (1994,2006). Prêmios: São Paulo, SP (1974); Novo Hamburgo, RS (1982); Santos, SP (1983); Ribeirão Preto, SP (1984); Curitiba, PR (1984); Piracicaba, SP (1984); Campinas, SP (1985); São José do Rio Preto, SP (1986). JULIO LOUZADA, vol.1, pág. 62; vol.2, pág. 66; Acervo FIEO. ITAU CULTURAL.

346 - ANTONIO PESSOA - (1943)
LL Par de esculturas - e em b - as.
1) Nu, h = 8; 2) Nu deitado, h = 8. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 066 deste catálogo.

347 - CARYBÉ - (1911 - 1997)
LL Baiana - dn - 24 x 15 - cid - 1961
Desenho executado na 1° Folha do Livro " A Pesca do Xaréu " Ed. Coleção Recôncavo n° 1. Com dedicatória de Carybé para Josefá Marinho e Juracy Magalhães. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 071 deste catálogo.

348 - HENRIQUE BERNARDELLI - (1858 - 1936)
LL O garimpeiro - ost - 27 x 13 - cid
Com etiqueta de Maurício Pontual Galeria de Arte - Rio de Janeiro, no dorso. -Natural de Valparaíso, Chile, Henrique Bernardelli faleceu no Rio de Janeiro, cidade brasileira que adotou, inclusive a nacionalidade na década de 1870. Frequentou a Academia Imperial de Belas Artes, inclusive como aluno de Zeferino da Costa. Em 1878 viajou para a Itália, encontrando-se com o irmão, Rodolfo, escultor, que gozava merecido prêmio de viagem conquistado na Academia. Foi professor da ENBA-RJ. Os seus trabalhos inculcam um temperamento irriquieto, nervoso, sôfrego de impressões. A sua obra é original, vigorosa, cheia de calor e de ousadia. MEC, vol.1, pág.217/218; WALMIR AYALA, vol.1, pág.96/7; TEIXEIRA LEITE, pág.71, ARTE NO BRASIL, vol.1, pág.32; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 411; ARTE NO BRASIL, pág. 392; F. ACQUARONE.

349 - LUIS PAULO BARAVELLI - (1942)
LL Composição - ost - 50 x 70 - d - 1975
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 116 deste catálogo.

350 - ISMAEL NERY - (1900 - 1934)
LL Surreal - a - 22 x 16 - cid
Com etiqueta de Collectio - Rua Suécia, 308 - São Paulo, no dorso. - Reproduzido no convite deste leilão.Pintor e desenhista, considerado o precursor do surrealismo no Brasil; ainda criança fixou-se no Rio de Janeiro; posteriormente fez duas longas viagens à Europa; seus trabalhos iniciais são ligados ao expressionismo; seguem-se o período cubista - ao qual pertence a notável fase azul - e, a partir de 1927, o surrealista. Sua obra trata de temas de amor e poesia, centralizados na figura humana, muitas vezes sua mulher Adalgisa, abstraindo a paisagem e o ambiente. ARTE NO BRASIL, vol. 2, pág. 1052; MEC, vol. 3, pág. 257; TEIXEIRA LEITE, pág. 351/2; PONTUAL, pág. 381/2; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 531; LEONOR AMARANTE, pág. 142.

351 - ANTONIO AUGUSTO MARX - (1919 - 2008)
LL Avenida Paulista - ost - 50 x 70 - cid e d
Arquiteto e pintor ativo em São Paulo, onde participa de mostras coletivas a partir de 1966, com reconhecimento de crítica e público. Artista de muitos recursos técnicos, suas obras tem como tema a paisagem, do campo e da cidade, com conteúdo de atmosfera, côr e equilibrio. MEC vol.3, pág. 99; PONTUAL, pág. 346; JULIO LOUZADA vol.11, pág. 203; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 803, Acervo FIEO.

352 - ALDO BONADEI - (1906 - 1974)
LL Natureza morta com flores e chaleira - dc e g - 62 x 47 - cie - 1970
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 072 deste catálogo.

353 - MANOEL SANTIAGO - (1897 - 1987)
LL Interior de floresta - ostcm - 27 x 35 - cie e d
Descrito sob o n° 109 em catálogo do 1° Leilão " A Arte na Primavera " realizado pela Galeria Vernissage do Rio de Janeiro em São Paulo, Leiloeiro Oficial Irineu Angulo, em 1975. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 235 deste catálogo.

354 - FRANCISCO DA SILVA - (1910 - 1985)
LL Animais - tsp - 57 x 77 - cid - 1970
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 074 deste catálogo.

355 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato com vaso de flor - ast - 60 x 71 - cie - 2003
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista.- - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

356 - HEITOR DOS PRAZERES - (1898 - 1966)
LL Sambistas - g - 32 x 47 - cie e cid
Executado em partitura musical de samba do Heitor dos Prazeres. Com autenticação da família do artista, na pessoa do curador da obra, Sr. Heitor dos Prazeres Filho. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 077 deste catálogo.

357 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Linhas - g - 25 x 10 - d
Procedente da coleção de Érica Hauff. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

358 - ABRAHAN PALATNIK - (1928)
LL Coruja - m em ac - h = 19 - as.
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 015 deste catálogo.

359 - VANDO FIGUEIREDO - (1952)
LL Figura - tm - 38 x 27 - cid - 1994
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 079 deste catálogo.

360 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
LL Trompetista - ost - 61 x 38 - cid - 1966
Com certificado de autenticidade n° 0709-1352 do Projeto Graciano. Com etiqueta de Cosme Velho - Galeria de Arte, no dorso. - Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 108 deste catálogo.

361 - PAULO CLÁUDIO ROSSI OSIR - (1890 - 1959)
LL Barcos - ostcc - 27 x 40 - cid
Pintor e arquiteto nascido e falecido em São Paulo. Estudou na Europa, e em 1921 expõe individualmente em sua cidade natal. Integrou, mais tarde, a Família Artística Paulista. Seu estilo combina elementos impressionistas e cubistas. Criou a OSIRARTE, firma especializada no fabrico de azulejos artísticos. TEODORO BRAGA, pág. 208; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 268; PONTUAL, pág. 462; MEC, vol, 3, pág. 303; ITAU CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 128; ARTE NO BRASIL; WALTER ZANINI, pág. 579, Acervo FIEO.

362 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Carranca - e em mad. - h = 40 - b - Severino

363 - EMILIANO DI CAVALCANTI - (1897 - 1976)
LL Figuras noturnas - dn - 25 x 18 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 043 deste catálogo.

364 - IVAN SERPA - (1923 - 1973)
LL Composição - g - 23 x 18 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 084 deste catálogo.

365 - TITO DE ALENCASTRO - (1934 - 1999)
LL Figura - ost - 60 x 60 - cid
Pintor, desenhista, gravador e mosaicista, radicou-se em 1961 em São Paulo, após ter estudado no Rio de Janeiro com Abelardo Zaluar, José Morais e Johnny Friedlaender. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 29; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 6; PONTUAL, pág. 14; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

366 - MARIO MAREL AGOSTINELLI - (1915)
LL Dom Quixote - e em b - h = 31 - as.
Nasceu em Arequipa, Peru. Pintor e escultor. Ativo no Rio de Janeiro, cidade onde se radicou. Estudou na Escola Nacional de Belas Artes de Lima, Peru, com Daniel Hernandes. Fez cursos de aperfeiçoamento na Argentina, França, Itália e Brasil. Expôs individualmente em 1946 e 1966, na Galeria BoninoRJ e coletivamente a partir de 1943. Suas pinturas de cenas e tipos populares, revela virtuosismo de execução e vivacidade de colorido que assume aspecto suntuoso, particularidade acentuada pelo cronista Rubem Braga, na apresentação que fez do artista (1966). WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 15; MEC, vol 1, pág. 38; PONTUAL, págs. 5 e 6; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 31; ITAU CULTURAL.

367 - OSWALDO GOELDI - (1895 - 1961)
LL Casario - xilo. 1/10 - 18 x 18 - cid
Com etiqueta de Grifo Galeria de Arte - São Paulo, no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 087 deste catálogo.

368 - YUTAKA TOYOTA - (1931)
LL " Espaço invisível " - m em a i 7/18 - 30 x 22 x 8 - d - 2008
Natural de Yamagata, Japão. Pintor, desenhista e escultor. No Brasil desde 1962, Estudou na Universidade de Artes de Tóquio e no Instituto de Pesquisas Industriais de Shizuoka. Neste último cursou ciências exatas e a técnica industrial de lidar com novos materiais. Todo esse know-how o artista vem utilizando e adaptando à sua visão de arte. Fórmica, alumínio e aço inoxidável polido tem sido os suportes escolhidos por Yutaka para expressar-se fazendo uma escultura "como criação ambiental". Os volumes que constrói em alumínio, modulados com exatidão, excluem a rigidez e referem-se, poeticamente, à busca de diferentes existências de espaço em suas superfícies que refletem e deformam o entorno, constituindo para o artista a própria apreensão do mundo. JULIO LOUZADA, vol 11, pág. 325.; TEIXEIRA LEITE, pág. 510; ITAÚ CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 682; ARTE NO BRASIL, pág. 933; LEONOR AMARANTE, pág. 171.

369 - NORBERTO NICOLA - (1930 - 2007)
LL Plantas - t - 67 x 78 - cid
Pintor e tapeceiro. Foi aluno de pintura de Samson Flexor, no Atelier Abstração, em 1954. Em 1959, estudou nos centros tapeceiros europeus e cria, com Jacques Douchez, o Ateliê Douchez-Nicola de Tapeçaria. Entre as exposições de que participou, destacam-se: Salão Paulista de Arte Moderna, São Paulo, de 1956 a 1960 (várias vezes premiado); Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1963 e 1975; Mostra de Tapeçaria Brasileira, no MAB/Faap, São Paulo, 1974 (1º prêmio); Trienal de Tapeçaria, no MAM/SP, 1979 (Hors Concours); Arte Plumária do Brasil, no Smithsonian Institute e no Museu de Antropologia, Washington (Estados Unidos) e Cidade do México, México, 1982; Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal, São Paulo, 1994. JULIO LOUZADA vol, 4 pág, 800; MEC, vol, 3, pág, 261 e 262; WALMIR AYALA, vol 2, pág, 132; TEIXEIRA LEITE, pág 354. PONTUAL, pág, 384; ITAÚ CULTURAL; LEONOR AMARANTE, pág. 207.

370 - FULVIO PENNACCHI - (1905 - 1992)
LL Família - ost - 35 x 70 - cie - 1975
- Reproduzido no convite deste leilão. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 109 deste catálogo.

371 - ELISEU D´ANGELO VISCONTI - (1866 - 1944)
LL Senhora - osc - 49 x 32 - csd
Considerado o maior pintor que trabalhou no Brasil, nasceu na Itália, mas fez sua formação artística na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro e em Paris. Foi sucessivamente, realista, simbolista, adepto do Art Noveau e pós- impressionista, até chegar em algumas paisagens já quase no fim da vida, a uma síntese admirável de todos esses estilos e tendências. Sua obra-prima - e uma das obras- primas da arte brasileira de todos os tempos - é a decoração do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, principamente o friso do foyer, iniciado em 1914. TEODORO BRAGA, pág. 240/241; LAUDELINO FREIRE, págs. 515/ 133/ 151/ 510 e 512; BENEZIT, vol. 10, pág. 535; REIS JR., pág. 293 /300 /304 /371 /375/ 380/ 381/ 388/ 389; MEC, vol. 4, pág. 393; PONTUAL, pág. 543/544/545; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 422 e 423; MAYER/84, pág. 1252; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 420; ARTE NO BRASIL, pág. 553; LEONOR AMARANTE, pág. 42; Acervo FIEO; F. ACQUARONE, pág. 171.

372 - LOUCO - BOAVENTURA DA SILVA FILHO - (1932 - 1992)
LL Maternidade - e em m - 72 x 18 x 4 - d - 1977
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 232 deste catálogo.

373 - DARIO MECATTI - (1909 - 1976)
LL Paisagem - ost - 44 x 64 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 064 deste catálogo.

374 - SERGIO TELLES - (1936)
LL " Guarujá " - osm - 20 x 30 - cie - 2007
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 094 deste catálogo.

375 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Gato azul - ast - 46 x 55 - cid e d - 2000
Trabalho submetido à apreciação do curador da obra do artista Aldemir Martins, Sr. Pedro Martins e pronta para inclusão no catálogo geral da obra do autor. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

376 - TAPETE ORIENTAL, -
LL -
ponto de nó, feito a mão, de lã, Kashan, medindo 3,50 x 2,47 = 8,65 m². -

377 - MIRA SCHENDEL - (1918 - 1988)
LL Composição - mon. - 47 x 23 - cid - 1964
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 097 deste catálogo.

378 - JOSÉ ANTONIO DA SILVA - (1909 - 1996)
LL Nu - a - 27 x 35 - ld - 1973
Reproduzido sob o n.° 252 do livro " Para que serve a arte? " de autoria de Frederico Morais, edição Soraia Cals, Rio de Janeiro. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 098 deste catálogo.

379 - GUSTAVO ROSA - (1946)
LL Figura - ost - 65 x 54 - cid e d - 1977
Com etiqueta da Galeria de Arte Ipanema - São Paulo/Rio de Janeiro. -Grande pintor paulistano, ganhador de muitos prêmios em Salões Oficiais. Tem exposto regularmente no Brasil e no exterior com grande sucesso. JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 274; ITAÚ CULTURAL; Acervo FIEO.

380 - VICENTE DO REGO MONTEIRO - (1899 - 1970)
LL Cortador de coco - ost - 73 x 65 - cie
Com certificado de autenticidade da Galeria Ranulpho - Recife - PE. -Reproduzido no convite e na capa do catálogo deste leilão e no caderno 2 do Jornal "O Estado de São Paulo" de 27/04/2009. - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 118 deste catálogo.

381 - FERNANDO ODRIOZOLA - (1921 - 1986)
LL Sereia - ose - 60 x 88 - cid - 1975
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 068 deste catálogo.

382 - ANTONIO POTEIRO - (1925)
LL Na floresta - ost - 90 x 100 - cid e d - 2007
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 040 deste catálogo.

383 - ZEFINHA PAULINO DE SOUZA - (XX)
LL Carranca - e em mad. - h = 47 - as.
A tradição de desbastar a umburana repousa na memória dos antigos de Ibimirim, PE, que, nos anos 50, viram surgir a tradição de esculpir carranca, estatuária de tradição católica e ex-votos, pelas mãos da pioneira Zefinha Paulino de Souza, tradição repassada às gerações seguintes e que ainda hoje se perpetua. Pedro Ferreira de Souza, viúvo de Zefinha, aprendeu o ofício de escultor nos anos 50, com o cunhado Pedro Paulino dos Santos, que, por sua vez, aprendeu a técnica em São Paulo. O filho Gilberto Paulino de Souza foi reconhecido como um dos talentos da região. Atualmente, Maria Elda Alves Sobral, ou mestra Elda, é a única mulher que domina todas as etapas do processo escultórico. http://www.dpnet.com.br; http://www.biblioteca.sebrae.com.br; http://revista.cremepe.org.br.

384 - MARTINS DE PORANGABA - (1944)
LL Figuras - osp - 50 x 70 - cid - 1994
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 053 deste catálogo.

385 - ALUISIO CARVÃO - (1920 - 2001)
LL Composição - dn - 29 x 21 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 065 deste catálogo.

386 - BRUNO GIORGI - (1905 - 1993)
LL Figura - e em b - h = 31 - as.
Escultor e pintor paulista, iniciou seus estudos de escultura em Roma 1920/1922. Mais tarde tornou-se aluno de Maillol, em Paris, onde também frequentou as academias Ranson e de La Grande Chaumière, em 1936. É considerado o maior escultor nacional. MEC, vol.2, pág. 250/1; PONTUAL, pág. 237/8; MAYER/84, pág. 1333; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 587; ARTE NO BRASIL, pág. 715; LEONOR AMARANTE, pág. 18.

387 - DURVAL PEREIRA - (1918 - 1984)
LL Favela - ost - 60 x 80 - cid - 1979
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 107 deste catálogo.

388 - CLÓVIS GRACIANO - (1907 - 1988)
LL Estudo para painel - g - 48 x 18 - cie e d
Estudo para painel n.º 17 do Palácio do Governo do Estado de São Paulo. Com certificado de autenticidade n° 0710/1353 do Projeto Graciano. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 108 deste catálogo.

389 - CARLOS SCLIAR - (1920 - 2001)
LL " Natureza morta com flores vermelhas " - v e c e s/t - 75 x 55 - ci e d - 1985 - Cabo Frio
Este quadro foi capa de convite de exposição do artista realizada em Cabo Frio - Rio de Janeiro. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 081 deste catálogo.

390 - MARIA LEONTINA - (1917 - 1984)
LL Estandarte - ost - 35 x 27 - cie e d - 1968
Com etiqueta do Museu de Arte Moderna de São Paulo, no dorso. Ex - coleção de Anita Marques da Costa. -Aluna de Waldemar da Costa, Maria Leontina é uma pintora que conquista o espectador pela finura de seus acostamentos cromáticos. Em 1947, integrava o Grupo dos 19, e, nos anos "50", passou por interessante fase geométrica. MEC, vol. 2, pág. 471; TEIXEIRA LEITE, pág. 309; PONTUAL, pág. 338; ITAÚ CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 772; LEONOR AMARANTE, pág. 25; WALTER ZANINI, pág. 645.

391 - TADASHI KAMINAGAI - (1899 - 1982)
LL Cesta com morangos - ost - 23 x 30 - cie - 1943 - Rio
Com moldura Kaminagai assinada. -Grande pintor japonês da Escola de Paris, amigo de Marquet, Vlaminch e Déiran, entre outros, passou no Brasil praticamente toda a década de 1940, aqui se ligando de amizades a pintores como Portinari, Pancetti e Djanira, e iniciando na arte vários jovens pintores de ascendência nipônica, como Flávio Shiró Tanaka, por exemplo. Autor de paisagem, naturezas mortas e retratos de excelente qualidade pictórica, Kaminagai veio freqüentes vezes ao Brasil, onde expôs com enorme sucesso. TEODORO BRAGA, pág.134; BENEZIT, vol.6, pág.152; WALMIR AYALA, vol.1, pág.435 e 437; MEC, vol.2, pág.401; PONTUAL, pág.287; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 643; ARTE NO BRASIL; Acervo FIEO.

392 - LOTHAR CHAROUX - (1912 - 1987)
LL Vibração - g - 100 x 35 - cid - 1976
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 048 deste catálogo.

393 - J. CARLOS - (1884 - 1950)
LL Carnaval - a - 30 x 41 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 113 deste catálogo.

394 - VICTOR MEIRELES - (1832 - 1903)
LL Rosto - a - 29 x 21 - cid - 1882 - Paris
Com estudo no dorso. -Victor Meirelles de Lima (Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis SC 1832 - Rio de Janeiro RJ 1903). Pintor, desenhista, professor. Inicia seus estudos artísticos por volta de 1838, com o engenheiro argentino Marciano Moreno. No ano de 1847, muda-se para o Rio de Janeiro e se matricula na Academia Imperial de Belas Artes - Aiba onde, em 1849, inicia o curso de pintura histórica. Em 1852 ganha o prêmio de viagem ao exterior e no ano seguinte segue para a Itália. Em Roma freqüenta, em 1854, as aulas de Tommaso Minardi (1787 - 1871) e, posteriormente de Nicola Consoni (1814 - 1884), com quem realiza uma série de estudos com modelo vivo. Com a prorrogação da pensão que lhe fora concedida continua sua formação estudando em Paris onde, em 1857, matricula-se na École Superiéure des Beaux-Arts [Escola Superior de Belas Artes], freqüentando as aulas de Leon Cogniet (1794-1880) e, em seguida, recebendo orientações de seu discípulo Andrea Gastaldi (1810-1889). Durante o período em que permanece no exterior corresponde-se com Porto Alegre (1806 - 1879). Retorna ao Brasil em 1861 e, um ano depois, é nomeado professor de pintura histórica da Aiba. Entre os anos de 1869 e 1872 executa duas grandes telas, Passagem do Humaitá e Batalha de Riachuelo. Em 1879 participa da Exposição Geral de Belas Artes, expondo a Batalha dos Guararapes ao lado da Batalha do Avaí de Pedro Américo (1843 - 1905). A apresentação das duas obras gera grande polêmica e um intenso debate no meio artístico. A partir de 1886 passa a se dedicar à execução de panoramas. Entre eles destacam-se: o Panorama Circular da Cidade do Rio de Janeiro, feito na Bélgica, juntamente com Henri Langerock (1830 - 1915) e Entrada da Esquadra Legal no Porto do Rio de Janeiro em 1894, produzida nesse mesmo ano. ITAÚ CULTURAL JULIO LOUZADA vol. 11 pág. 207;

395 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Cangaceiro - ost - 24 x 19 - ci e d - 1979
Com certificado de autenticidade do Estudio Aldemir Martins, firmado por Pedro Martins curador da obra do artista.- - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.

396 - ALCIDES SANTOS - (1945)
LL Figuras - ose - 33 x 50 - cid - 1976
Pintor pernambucano que num linearismo sui-generis, e com auxílio de um colorido suave evoca cenas religiosas ou fantásticas, de forte acento popular. TEIXEIRA LEITE, pág. 462; MEC, vol. 4, pág. 180; WALMIR AYALA, vol. 2, pág. 296; JÚLIO LOUZADA, vol. 4, pág. 995; ITAÚ CULTURAL.

397 - LIVIO ABRAMO - (1903 - 1992)
LL Tatu - xilo. 102/111 - 39 x 47 - cid - 1972
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 032 deste catálogo.

398 - ORLANDO TERUZ - (1902 - 1984)
LL Menina no balanço - os pal - 25 x 32 - cid - 1981
Registrado sob o n.° 038 no Projeto Orlando Teruz. -Natural do Rio de Janeiro, RJ, foi aluno de Rodolfo Chambelland e Batista da Costa na antiga ENBA. Participa do SNBA a partir de 1924, ganhando diversas premiações, inclusive o prêmio de viagem ao exterior. Diversos e importantes museus do mundo tem obras suas, inclusive o Hermitage de Moscou. TERUZ encanta pela sua apurada técnica e temas, seus personagens e suas cores. TEODORO BRAGA- pág. 226; PONTUAL- -págs. 520/1; WALMIR AYALA, vol. 2-págs. 379/81; MEC, vol. 4-pág. 383; TEIXEIRA LEITE, pág. 505; ITAU CULTURAL; WALTER ZANINI, pág. 578, Acervo FIEO.

399 - VLAMIR DE SOUSA - (1966)
LL " O velho vaqueiro " - ost - 40 x 30 - cid e d - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 119 deste catálogo.

400 - INIMÁ DE PAULA - (1918 - 1999)
LL Paisagem - ose - 49 x 59 - cid - No estado
Ex - coleção Embaixador Josias Carneiro Leão - Rio de Janeiro. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 110 deste catálogo.

401 - NOEMIA MOURÃO - (1912 - 1992)
LL Ilustração - dl - 24 x 22 - cid
Com estudos no dorso. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 121 deste catálogo.

402 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Carranca - e em mad. - h = 70 - n/as.

403 - HARRY ELSAS - (1925 - 1994)
LL Menino - ostce - 64 x 47 - cid
Reproduzido sob o n.° 30 em catálogo de leilão de Renot - São Paulo. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 037 deste catálogo.

404 - MARCIO SCHIAZ - (1965)
LL " Bairro da Liberdade I " - ost - 80 x 80 - cid e d - 2008
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 126 deste catálogo.

405 - TARSILA DO AMARAL - (1890 - 1973)
LL " Estudo de personagem para painel " - dn - 24 x 8 - n/as. - 1954
Com etiqueta de exposição de Tarsila do Amaral realizada em Agosto/Setembro 1985 na Acervo Galeria de Arte - Rio de Janeiro. Reproduzido sob n° 589 do catálogo Raisonné de Tarsila do Amaral. - - Ver nota sobre o autor na descrição do lote 025 deste catálogo.

406 - JANIO DA SILVA QUADROS - (1917 - 1992)
LL Menina - ost - 60 x 50 - csd e d - 1981
No estado. -Nasceu em Campo Grande, MT, e faleceu em São Paulo-SP, em fevereiro de 1992. Pintor, advogado e lexicógrafo, foi também Presidente da República e político dos mais famosos. Autodidata, passou a se interessar pela pintura a partir de 1973, baseado nas pequenas orientações de Aldemir Martins. Em suas telas retrata predominantemente figuras tristes (quase sempre crianças ou palhaços). Expôs pela primeira vez em 1976, em Goiânia, e outra na Galeria São Paulo, em 1977. JULIO LOUZADA, vol. 1 pág. 797

407 - MENASE WAIDERGORN - (1927)
LL " Quintais de Ouro Preto " - ost - 40 x 50 - cid
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 127 deste catálogo.

408 - EDGARD OEHLMEYER - (1909 - 1967)
LL Marinha - ose - 18 x 24 - cid - 1964
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 085 deste catálogo.

409 - RUBENS GERCHMAN - (1942 - 2008)
LL Cabeças - tm - 47 x 33 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 209 deste catálogo.

410 - AUTOR DESCONHECIDO, SÉC. XX -
LL Composição - e em f - h = 197 - n/as.

411 - HENRIQUE SMITH - (XX)
LL Composição - tm - 50 x 35 - cid - 1982
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 088 deste catálogo.

412 - MANEZINHO ARAUJO - (1910 - 1993)
LL Marinha - ser. 59/100 - 33 x 46 - cid
Com dedicatória. -Com apenas dezesseis anos de idade mudou-se para Recife, a fim de concluir seus estudos. Após cursar a escola de comércio de Pernambuco, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde foi buscar fama através da música, sua primeira paixão. Destacou-se como compositor e intérprete de música popular nordestina, o que lhe valeu a possibilidade de montar um restaurante de comida nordestina em SP, muito famoso durante vários anos, o Cabeça Chata. Apesar de viver, em SP, suas raízes ainda permanecem em Pernambuco. De uma forma autodidata começou a dedicar-se à pintura, retratando o folclore nordestino, sua gente, suas vidas, fase que sustentou até o seu desaparecimento, com uma menção surrealista. Expôs individualmente nas Galerias Astreia e Capela (SP), e na Ranulfo em Recife (1969). Em 1968, apresentado por Aldemir Martins, teve publicado o álbum de serigrafias Meu Brasil. WALMIR AYALA, vol. 1, pág. 56; MEC, vol. 1, pág. 109; PONTUAL, pág. 38; JULIO LOUZADA, vol. 11, pág. 18; ITAU CULTURAL; ARTE NO BRASIL, pág. 832; Acervo FIEO.

413 - LÉON HAFFNER - (1881 - 1972)
LL Veleiros - g - 32 x 43 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 162 deste catálogo.

414 - NICOLA PETTI - (1904 - 1983)
LL Quiosque - ose - 12 x 18 - cid
Ativo em São Paulo, foi também excepcional desenhista, aluno nesta capital, do pintor e professor alemão Georg Ficher Elpons; participou assiduamente do Salão Paulista de Belas Artes, desde sua inauguração em 1933, onde foi muito premiado. MEC, vol. 3, pág. 393; JULIO LOUZADA, vol. 10, pág. 685; ITAU CULTURAL, Acervo FIEO.

415 - DENES CSANKY - (XIX - XX)
LL Paisagem - a - 15 x 21 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 135 deste catálogo.

416 - MAURO ANDRIOLE - (1963)
LL " Sacsahuaman " - grav. 8/17 - 39 x 30 - cid - 1998
Pintor, escultor, desenhista, ilustrador e cenógrafo. Entre 1978 e 1980 estudou História da Arte, Fotografia, Desenho de Expressão, Desenho Técnico e Técnicas de Impressão no Instituto de Arte e Decoração. Em 1989 executou o monumento "Cidade de Ibiúna", em concreto - alto e baixo relevos - pintado com acrílica, na cidade do mesmo nome. Produziu serigrafias para a Galeria Documenta-SP. Individuais desde 1987 e coletivas a partir de 1986. Em 1987 foi premiado no I SAP de Baurú-SP. JULIO LOUZADA, vol. 6, pág. 64

417 - OTONI GALI ROSA - (1939)
LL Cavalo - tm - 38 x 57 - cid - 1981
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 273 deste catálogo.

418 - RENZO GORI - (1911 - 1999)
LL Cena Árabe - ost - 50 x 70 - cid
Pintor de estilo, participou de diversos Salões Nacionais, com premiações; muito apreciado por colecionadores de cenas árabes. TEODORO BRAGA, pág. 110; MEC, vol. 2, pág. 278; JULIO LOUZADA, vol. 9, pág. 390; Acervo FIEO.

419 - RENINA KATZ - (1925)
LL Composição - lito. 29/40 - 20 x 30 - cie
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 134 deste catálogo.

420 - ALDEMIR MARTINS - (1922 - 2006)
LL Flores - grav. 23/30 - 49 x 39 - cid - 1991
- Ver nota sobre o autor na descrição do lote 001 deste catálogo.